PRÉ-PROGRAMA WINDSOR BARRA HOTEL & CONGRESSOS RIO DE JANEIRO 1 2 A 1 5 O U T U B R O D E

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRÉ-PROGRAMA WINDSOR BARRA HOTEL & CONGRESSOS RIO DE JANEIRO 1 2 A 1 5 O U T U B R O D E 2 0 1 3"

Transcrição

1 PRÉ-PROGRAMA WINDSOR BARRA HOTEL & CONGRESSOS RIO DE JANEIRO 1 2 A 1 5 O U T U B R O D E 2 0 1

2 MENSAGEM O acesso ao transplante de órgãos sólidos, tem sido limitado pela desproporção crescente entre o número de órgãos disponíveis e o número de pacientes em lista de espera. O avanço dessa modalidade terapêutica é limitado pela necessidade da administração crônica de drogas imunossupressoras. O futuro do transplante dependerá então do desenvolvimento de novas alternativas como o xenotransplante, a engenharia de tecidos e o transplante de tecidos compostos. Essas estratégias inovadoras serão apresentadas por pesquisadores internacionais durante o XIII Congresso Brasileiro de Transplantes. COMISSÃO ORGANIZADORA PRÉ-CONGRESSO III Simpósio de Reações Humorais II Simpósio de Infecção em Transplantes da ABTO Enfermagem - Educação em Saúde em Transplante de Órgãos Ligas acadêmicas de transplante Revisão de Diretrizes Transplante Renal Pediátrico Transplante de tecidos QUICK VIEW sábado outubro 12 domingo outubro 1 segunda-feira outubro 14 terça-feira outubro 15 II Simpósio de Odontologia em Transplantes Capacitação em Manutenção do Potencial Doador de Órgãos por meio da Simulação Realística do Hospital Israelita Albert Einstein 08h00 18h00 08h00 18h00 08h00 18h00 20h0 2h00 08h00 18h00 PRÉ-CONGRESSO CONGRESSO E EXPOSIÇÃO CONGRESSO E EXPOSIÇÃO FESTA DO CONGRESSO CONGRESSO E EXPOSIÇÃO 1

3 1.10 (DOMINGO) - manhã SALAS SALAS SEGÓVIA III SEGÓVIA IV ALVORADA I ALVORADA II ITAMARATY IMPERIAL LIBERDADE BANDEIRANTES ORIENTE ÁREAS RIM COORDENAÇÃO ÉTICA FÍGADO ENFERMAGEM ABH IMNUNOBIOLOGIA RIM / PANCREAS PULMÃO CORAÇÃO PEDIATRIA 08h00 08h50 Plenária I: Organ bioengineering and regeneration as the new holy grail for organ transplantation Giuseppe Orlando (EUA) 09h00 10h0 LIVRES ORAIS - RIM I Resposta imune ao transplante LIVRES ORAIS - COORDENAÇÃO ÉTICA I - Modelos de procura de órgãos Cenário das doações de órgãos no Brasil: Benchmarking com o Mundo SESSÃO DE ORAIS - FÍGADO I Controle dos centros de tranplante nos EUA SESSÃO DE ORAIS - ENFERMAGEM I Atuação da enfermagem em tranplantes: prática, políticas e legislação REUNIÃO ABH / SNT SESSÃO DE ORAIS - RIM / PÂNCREAS I O Transplante pancreático com drenagem porta-duodenal: o transplante fisiológico O Transplante pancreático-variáveis tecnicas e táticas para a derivação sistêmica SIMPÓSIO: Transplante de coração/pulmão: Do doador ao pós operatório imediato Estratégias para aumentar o número de doadores viáveis no transplante de órgãos torácicos - Coração Estratégias para aumentar o número de doadores viáveis no transplante de órgãos torácicos - Pulmão Manejo da disfunção do ventrículo direito - Coração Manejo da disfunção do ventrículo direito - Pulmão SESSÃO DE ORAIS - PEDIATRIA I 10h0 11h0 11h0 1h00 LIVRES ORAIS - RIM II Doença linfoproliferativa póstransplante SIMPÓSIO: Modelos de procura de órgãos: Discussão sobre o processo de doação e transplante nas regiões brasileiras Norte Nordeste Sul Sudeste Centro Oeste SESSÃO DE ORAIS - FÍGADO II Transplante de fígado pediátrico: SPLIT ou Intervivos? SESSÃO DE ORAIS - ENFERMAGEM II O papel do enfermeiro no transplante de células tronco e hematopoiéticas SESSÃO DE ORAIS - HISTOCOMPATIBILIDADE I Metodologia: Ensaios em plataforma Luminex Otimização e padronização do ensaio Luminex-Ig Otimização do ensaio C1q Ensaio com C4d SESSÃO DE ORAIS - RIM / PÂNCREAS II Transplante de pâncreas-rim: autoimunidade Doador falecido de pâncreas e fatores prognósticos SIMPOSIO: CORAÇÃO E PULMÃO I Perfusão pulmonar ex-vivo Disfunção aguda do enxerto Avaliação funcional do transplante pulmonar utilizando tomografia de impedância elétrica SIMPOSIO: CORAÇÃO E PULMÃO II Nefrotoxidade: Um problema insolúvel? Neoplasias. O que tem mudado? SESSÃO DE ORAIS - PEDIATRIA II A responsabilidade do conteúdo científico dos simpósios patrocinados é de cada indústria

4 1.10 (DOMINGO) - tarde 5 SALAS SALAS SEGÓVIA III SEGÓVIA IV ALVORADA I ALVORADA II ITAMARATY IMPERIAL LIBERDADE BANDEIRANTES ORIENTE ÁREAS RIM COORDENAÇÃO ÉTICA FÍGADO ENFERMAGEM ABH IMNUNOBIOLOGIA RIM / PANCREAS PULMÃO CORAÇÃO PEDIATRIA 1h00 14h0 Plenária II: CTS registry view of the evolution of transplantation Gerhard Opelz (Alemanha) 14h0 16h00 LIVRES ORAIS - RIM III Infecção viral pós tranplante (CMV, EBV, BK) LIVRES ORAIS - COORDENAÇÃO ÉTICA II - Modelos de procura de órgãos Gerenciamento de informações de doadores: Modelo Americano de Registros (UNOS) SESSÃO DE ORAIS - FÍGADO III Preservação de órgãos SESSÃO DE ORAIS - ENFERMAGEM III Desafios da enfermagem em tranplantes SESSÃO DE ORAIS - HISTOCOMPATIBILIDADE II Avaliação imunológica pré-transplante SIMPÓSIO: Manejo intraoperatório no Transplante de coração e de pulmão Disfunção aguda do enxerto no coração Disfunção aguda do enxerto no pulmão Avanços na proteção miocárdica Avanços na proteção pulmonar Peculiaridades da anestesia no Transplante de órgãos torácicos 16h00 17h00 17h00 18h0 SIMPOSIO ORGAN RECOVERY Resultados preliminares da experiência com Máquina de Perfusão Renal no Brasil SIMPÓSIO: BIOMARCADORES / MONITORIZAÇÃO IMUNOLÓGICA Rejeição Humoral Rejeição aguda Disfunção crônica SIMPÓSIO: Modelos de procura de órgãos: MODELOS DE CAPTAÇÃO Modelo Americano com ênfase na logística de procura e alocação dos órgãos Modelo Espanhol com ênfase na logística de procura e alocação dos órgãos Modelo Português com ênfase na logística de procura e alocação dos órgãos SIMPÓSIO: TRANSPLANTE DE FÍGADO NO DOENTE CRÍTICO (MELD>0) Custo vs Benefício Imunossupressão Alocação local vs regional Limites de indicação SIMPÓSIO: QUALIDADE E DESENVOLVIMENTO EM ENFERMAGEM Quality assurance programs Findings physician champions SIMPÓSIO: AVANÇOS NO MANEJO DE INFECÇÕES VIRAIS PÓS-TRANSPLANTE Impacto da Infecção Viral no Transplante Vírus Epstein-Barr: infecção como marcador de imunossupressão Poliomavírus: o que há além do BK vírus? 17h0 às 20h0 - PROVA DE TÍTULO DE ESPECIALISTA ABH SIMPOSIO: CORAÇÃO E PULMÃO III Is there a place for heart lung tranplantation? History of heart transplantation Doença vascular do enxerto SIMPÓSIO: TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA Transplante de Medula Óssea em Portugal Transplante de Medula Óssea no Brasil - A Visão do Sistema Nacional de Transplantes Transplante de Medula Óssea no Brasil - Sociedade Brasileira de Transplantes de Medula Óssea Uso de células tronco Hematopoéticas de sangue de cordão umbilical e os bancos no Brasil - Rede BrasilCord 18h0 A responsabilidade do conteúdo científico dos simpósios patrocinados é de cada indústria

5 14.10 (SEGUNDA-FEIRA) - manhã 7 SALAS SALAS SEGÓVIA III SEGÓVIA IV ALVORADA I ALVORADA II ITAMARATY IMPERIAL LIBERDADE BANDEIRANTES ORIENTE ÁREAS RIM COORDENAÇÃO ÉTICA FÍGADO ENFERMAGEM ABH IMNUNOBIOLOGIA RIM / PANCREAS PULMÃO CORAÇÃO TECIDOS 08h00 08h50 Plenária III: Vascular Composite Tissue Transplantation - State of the Art Stefan Tullius (EUA) 09h00 10h0 LIVRES ORAIS - RIM IV Transplante renal com doador de critério expandido LIVRES ORAIS - COORDENAÇÃO ÉTICA IV - Dilemas éticos e bioéticos na doação de órgãos e tecidos para transplantes Apresentação do receptor à família do doador: É ético? SESSÃO DE ORAIS - FÍGADO IV Infecções por bactérias multiresistentes no transplante de fígado SESSÃO DE ORAIS - ENFERMAGEM IV Gestão do processo operacional de doação de órgãos Modelo de Santa Catarina SESSÃO DE ORAIS - HISTOCOMPATIBILIDADE III Padronização da citometria de fluxo SESSÃO DE ORAIS - RIM / PÂNCREAS III Controvérsias no transplante pâncreasrim Complicações no transplante pâncreasrim: como eu trato SIMPÓSIO: CORAÇÃO E PULMÃO IV Perspectivas do transplante pulmonar Transplante de pulmão em Portugal: estado atual e perspectivas Transplante pulmonar intervivos Transplante de coração em Portugal e na Europa SIMPÓSIO: BANCOS E TRANSPLANTE DE TECIDOS Os Bancos de Tecidos no Século XXI: Legislação e Segurança Porque é necessário um Sistema de Qualidade num Banco de Tecidos Transplante de Tecidos no Brasil - A Visão do Sistema Nacional de Transplantes Transplante de Tecidos no Brasil - A Visão da ANVISA Bancos de Células e Tecidos Vinculados à Hemocentro - Uma Proposta Pioneira no Brasil 10h0 11h0 11h0 1h00 LIVRES ORAIS - RIM V Imunossupressão em receptores de transplante combinado de pâncreas-rim LIVRES ORAIS - COORDENAÇÃO ÉTICA V - Dilemas éticos e bioéticos na doação de órgãos e tecidos para transplantes A entrevista familiar para a doação de órgãos: estamos no caminho certo? SESSÃO DE ORAIS - FÍGADO V Transplante de fígado no colangiocarcinoma: A favor ou contra? SESSÃO DE ORAIS - ENFERMAGEM V Motivação como fator de qualidade para os transplantes SESSÃO DE ORAIS - HISTOCOMPATIBILIDADE IV Monitoramento imunológico pós transplante SESSÃO DE ORAIS - RIM / PÂNCREAS IV Logística de alocação do pâncreas no Brasil Transplante isolado de pâncreas: como estamos? SIMPÓSIO: CORAÇÃO E PULMÃO V Papel das citocinas inflamatórias no transplante pulmonar Retransplante pulmonar SIMPÓSIO: CORAÇÃO E PULMÃO VI Terapia de indução. Análise crítica Rejeição humoral. Quando tratar? SIMPÓSIO: CAPTAÇÃO DE TECIDOS PARA TRANSPLANTE Entrevista familiar para Doação de Tecidos Avaliação Clínica do Candidato a Doador de Tecidos Técnica de Coleta Sanguínea do Doador Coração Parado Avaliação Laboratorial do Candidato a Doação de Tecidos A responsabilidade do conteúdo científico dos simpósios patrocinados é de cada indústria

6 14.10 (SEGUNDA-FEIRA) - tarde 9 SALAS SALAS SEGÓVIA III SEGÓVIA IV ALVORADA I ALVORADA II ITAMARATY IMPERIAL LIBERDADE BANDEIRANTES ORIENTE ÁREAS RIM COORDENAÇÃO ÉTICA FÍGADO ENFERMAGEM ABH IMNUNOBIOLOGIA RIM / PANCREAS PULMÃO CORAÇÃO TECIDOS 1h00 14h0 SIMPÓSIO NOVARTIS Necessidades não atendidas e novas terapias imunossupressoras no transplante hepático 14h0 16h00 LIVRES ORAIS - RIM VI Tuberculose após o transplante renal Dilemas éticos e bioéticos na doação de órgãos e tecidos para transplantes: Simpósio ABTO - STALYC: Ética em transplantes Registro Latino Americano de Transplantes Ética de doação pareada Declaração de Istambul, Águas Calientes e Doha: a evolução bioética em transplantes Abordagem ética da pesquisa translacional em transplantes Ética da alocação de órgãos para transplantes SESSÃO DE ORAIS - FÍGADO VI Anatomopatologia no transplante de fígado SESSÃO DE ORAIS - ENFERMAGEM VI Root cause analysis in determining why a graft failed or patient died ASSEMBLEIA ABH SESSÃO DE ORAIS - IMUNOBIOLOGIA V Co-estimulção na resposta imune SIMPÓSIO: CORAÇÃO E PULMÃO VII Rejeição pulmonar mediada por anticorpos Rejeição celular do transplante de coração. O que há de novo? Limite de tratamento clínico. Mais cedo ou mais tarde? Assistência circulatória: Pneumática ou Axial? Micardiopatia dilatada e infecção Qual é a melhor proteção para o enxerto cardíaco? SIMPÓSIO: APLICAÇÃO TERAPÊUTICA DE TECIDOS PARA TRANSPLANTE Tecidos Oculares - Córnea e Esclera Membrana Aminiótica em Oftalmologia Tecidos Musculoesqueléticos Pele e Membrana Amniótica em Cirurgia Plástica Banco de Pele - O que aprendemos com o acidente em Santa Maria Tecidos Cardiovasculares - Valvulas cardíacas, artérias e veias 16h00 17h00 17h00 18h0 SIMPÓSIO: DOENÇAS INFECCIOSAS E PARASITÁRIAS Estrongilodiase sistêmica - Prevenção e tratamento Fatores de risco para leishimaniose visceral Infecção bacteriana multiresistente Dilemas éticos e bioéticos na doação de órgãos e tecidos para transplantes - SIMPÓSIO: EDUCACIONAL SOBRE O CONCEITO DE MORTE E DOAÇÃO DE ÓRGÃOS Suspensão do suporte terapêutico após o diagnóstico de morte encefálica: é uma prática no Brasil? Incentivos para a doação de órgãos: prós e contras Doador com o coração parado: o Brasil está pronto? SIMPÓSIO: TRANSPLANTE DUPLO FÍGADO-RIM Critérios de indicação Simultâneo ou sequencial Imunologia MELD e transplante duplo fígadorim SIMPÓSIO: ADESÃO AO TRATAMENTO Adesão ao tratamento SIMPÓSIO: INFECÇÕES EMERGENTES EM TRANSPLANTES Tuberculose: Prevenção Diarreias: investigação diagnóstica Infecções por protozoários: manejo diagnóstico e terapêutico Discussão SIMPÓSIO: ASPECTOS MEDICO- JURIDICOS EM TRANSPLANTES SIMPÓSIO: CORAÇÃO E PULMÃO VIII Insuficiência tricúspide após transplante cardíaco Assistência circulatória mecânica na realidade brasileira Particularidades do transplante pediátrico 18h0 ASSEMBLEIA ABTO A responsabilidade do conteúdo científico dos simpósios patrocinados é de cada indústria

7 15.10 (TERÇA-FEIRA) - manhã 11 SALAS SALAS SEGÓVIA III SEGÓVIA IV ALVORADA I ALVORADA II ITAMARATY IMPERIAL LIBERDADE BANDEIRANTES ORIENTE ÁREAS RIM COORDENAÇÃO ÉTICA FÍGADO ENFERMAGEM ABH IMNUNOBIOLOGIA RIM / PANCREAS PULMÃO CORAÇÃO TECIDOS 08h00 08h50 Plenária IV: Joseph Tector (EUA) 09h00 10h0 SESSÃO DE ORAIS - RIM VII Imunossupressão após transplante renal SESSÃO DE ORAIS - COORDENAÇÃO ÉTICA VI - Estratégias para melhorias no processo doação e transplante Como melhorar a qualidade dos doadores por meio da manutenção do potencial doador de órgãos - AMIB SESSÃO DE ORAIS - FÍGADO VII Transplante na polineuropatia amiloidótica familiar SESSÃO DE ORAIS - ENFERMAGEM VII Vivência de profissionais de captação de órgãos no processo de doação de órgãos e tecidos para transplante SESSÃO DE ORAIS - HISTOCOMPATIBILIDADE VI Tipificação HLA Perfil genômico do REDOME/REREME SESSÃO DE ORAIS - MODELOS EXPERIMENTAIS I SESSÃO DE ORAIS - INFECÇÕES BACTERIANAS SESSÃO DE ORAIS - TECIDOS I - Transplante de Tecidos Musculoesqueléticos Transplante de Tecidos Musculoesqueléticos em Portugal 10h0 11h0 11h0 1h00 SESSÃO DE ORAIS - RIM VIII BANFF 201 SESSÃO DE ORAIS - COORDENAÇÃO ÉTICA VII - Estratégias para melhorias no processo doação e transplante Núcleo de Captação de Órgãos - NCAP: Uma estratégia públicoprivada para incremento da doação SESSÃO DE ORAIS - FÍGADO VIII Tratamento do hepatocarcinoma no cirrótico: ressecção ou tranplante? SESSÃO DE ORAIS - ENFERMAGEM VIII Modelo assistencial para receptores de transplante REUNIÃO DE AUDITORES DO PROGRAMA ABH DE CERTIFICAÇÃO DOS LABORATÓRIOS SESSÃO DE ORAIS - MODELOS EXPERIMENTAIS II SESSÃO DE ORAIS - TRANSPLANTE E HIV SESSÃO DE ORAIS - TECIDOS II - Transplante de Córnea Transplante de Tecidos Oculares em Portugal A responsabilidade do conteúdo científico dos simpósios patrocinados é de cada indústria

8 15.10 (TERÇA-FEIRA) - tarde 1 SALAS SALAS SEGÓVIA III SEGÓVIA IV ALVORADA I ALVORADA II ITAMARATY IMPERIAL LIBERDADE BANDEIRANTES ORIENTE ÁREAS RIM COORDENAÇÃO ÉTICA FÍGADO ENFERMAGEM ABH IMNUNOBIOLOGIA RIM / PANCREAS PULMÃO CORAÇÃO TECIDOS 1h00 14h0 SIMPÓSIO SANOFI Protegendo o enxerto no transplante renal 14h0 16h00 SESSÃO DE ORAIS - RIM IX SESSÃO DE ORAIS - COORDENAÇÃO ÉTICA VIII - Estratégias para melhorias no processo doação e transplante Estratégias educacionais para a doação de órgãos SESSÃO DE ORAIS - FÍGADO IX Imunossupressão no transplante de fígado SESSÃO DE ORAIS - ENFERMAGEM IX Transplantes e a atuação do enfermeiro no cuidado pós operatório SIMPÓSIO: Controle de qualidade ABH SESSÃO DE ORAIS - INFECÇÕES VIRAIS (CMV) SESSÃO DE ORAIS - TECIDOS III - Transplante de Medula Óssea Aplicação de Células Tronco em Transplantação 16h00 17h00 17h00 18h0 SIMPÓSIO: Paciente sensibilizado e preservação do enxerto renal Transplantabilidade do hipersensibilizado Otimização do tratamento de pacientes sensibilizados Experiência nacional com máquina de perfusão SIMPÓSIO: Estratégias para melhorias no processo doação e transplante: NOVAS PERSPECTIVAS EM DOAÇÃO DE ÓRGÃOS Máquina de perfusão de órgãos - qual a logística do uso e de quem são as responsabilidades Modificações no protocolo diagnóstico de morte encefálica no Brasil: perspectivas para publicação Tecnologia aplicada à saúde: o que há de novo na doação e transplantes de órgãos? (aplicativos para smartphones e mídias sociais) SIMPÓSIO: APLICAÇÃO DO MELD NO BRASIL Discrepâncias regionais Como pontuar as situações especiais? Critérios de avaliação nas situações não previstas Resultados SIMPÓSIO: PROCESSOS DE ENFERMAGEM EM TRANSPLANTE Informed consent throught patient Process improvement project to improve outcomes Perspectivas futuras nos transplantes: sonhos e possibilidades para a enfermagem A responsabilidade do conteúdo científico dos simpósios patrocinados é de cada indústria

9 COMISSÕES PALESTRANTES INTERNACIONAIS DIRETORIA Presidente Vice-Presidente: Secretário: 2º Secretário: Tesoureiro: 2º Tesoureiro: José O. Medina Pestana Lúcio Pacheco Marilda Mazzali Eliana Régia Barbosa de Almeida Alfredo Inácio Fiorelli Roberto Ceratti Manfro CONSELHO CONSULTIVO Presidente Secretário: Valter Duro Garcia Ben-Hur Ferraz Neto Maria Cristina Ribeiro de Castro Jorge Neumann Henry de Holanda Campos Elias David-Neto ROBERT STEFAN LIWSKI Medical Director, HLA Laboratory, Department of Pathology and Laboratory Medicine Staff Hematopathologist, Department of Pathology and Laboratory Medicine Associate Professor in Pathology and Microbiology & Immunology, Dalhousie University Canada COMISSÃO ORGANIZADORA DO CONGRESSO Presidente do Congresso: Presidente de Honra do Congresso: Lúcio Pacheco Deise de Boni Monteiro de Carvalho RODRIGO VIANNA Diretor dos serviços de transplante Chefe do setor de transplantegastrointestinal e de fígado Miami Transplant Institute - Miller School of Medicine & Jackson Memorial Hospital Miami, FL - Estados Unidos COMISSÃO CIENTÍFICA Presidente do Conselho consultivo da ABTO Presidente da SPT Presidente da ABH COMISSÃO CIENTÍFICA Depto. de Transplante Renal Depto. de Transplante Pediátrico Depto. de Coordenação de Transplantes Depto. de Transplante de Coração Depto. de Transplante de Tecidos Depto. de Transplante de Pulmão Depto. de Transplante de Fígado Depto. de Transplante de Pâncreas Depto. de Imunobiologia Depto. de Enfermagem em Transplante Depto. de Ética Depto. de Anestesiologia e Terapia Intensiva Valter Duro Garcia Fernando Macário Margareth Torres Álvaro Pacheco e Silva Filho Clotilde Druck Garcia Joel de Andrade Noedir Stolf Márcia Regina Salomão Libânio Spencer Camargo Paulo Massarollo Santo Pascoal Vitola Niels Olsen Câmara Malvina Maria Duarte Mário Abbud Filho Alexandre Teruya STEFAN TULLIUS Professor associado de cirurgia na Harvard Medical School Investigador principal do Transplant Surgery Research Lab at Brigham & Women s Hospital Chefe de cirurgia em transplant no Brigham and Women s Hospital, Harvard Medical School Boston - Estados Unidos STUART JAMIESON Chefe do Departamento de cirurgia torácica Professor de cirurgia Universidade da Califórnia Faculdade de Medicina - San Diego Estados Unidos 15 16

10 INSCRIÇÕES PRÉ-CONGRESSO 12/10/201 (sábado) VAGAS LIMITADAS CONGRESSO 1 a 15/10/201 (domingo e terça-feira) CATEGORIA ATÉ 20/09 NO LOCAL CATEGORIA ATÉ 20/09 NO LOCAL III Simpósio de Reações Humorais R$ 50,00 MÉDICO E PÓS-GRADUANDO SÓCIO QUITE ABTO, ABH E SPT R$ 500,00 R$ 600,00 II Simpósio de Infecção em Transplantes da ABTO R$ 50,00 MÉDICO E PÓS-GRADUANDO NÃO SÓCIO R$ 800,00 R$ 900,00 II Simpósio de Odontologia em Transplantes R$ 50,00 OUTRO PROFISSIONAL SÓCIO QUITE R$ 00,00 R$ 400,00 Enfermagem - Educação em Saúde em Transplante de Órgãos R$ 50,00 OUTRO PROFISSIONAL NÃO SÓCIO R$ 450,00 R$ 500,00 Ligas acadêmicas de transplante R$ 50,00 ACADÊMICO SÓCIO QUITE ABTO R$ 100,00 Revisão de Diretrizes Transplante Renal Pediátrico R$ 50,00 ACADÊMICO NÃO SÓCIO R$ 120,00 R$ 150,00 Transplante de tecidos R$ 50,00 RESIDENTE MÉDICO SÓCIO QUITE ABTO R$ 100,00 Capacitação em manutenção do potencial doador por meio da simulação realística Informações no site do evento RESIDENTE MÉDICO NÃO SÓCIO RESIDENTE ENFERMEIRO SÓCIO QUITE ABTO R$ 120,00 R$ 150,00 R$ 100,00 Se você já está inscrito no congresso e agora quer inscrever-se em alguma atividade do dia 12, acesse o site do evento e entre com seu já cadastrado em nosso sistema no ato de sua inscrição no quadro JÁ ESTOU INSCRITO. Ao entrar nesta tela, no menu INSCRIÇÕES, clique em Inscrição. RESIDENTE ENFERMEIRO NÃO SÓCIO RESIDENTE MULTIPROFISSIONAL SÓCIO QUITE ABTO RESIDENTE MULTIPROFISSIONAL NÃO SÓCIO R$ 120,00 R$ 120,00 R$ 150,00 R$ 100,00 R$ 150,00 Se você ainda não está inscrito no congresso, quer fazer sua inscrição e agregar alguma atividade do dia 12, acesse o site do evento e faça as duas inscrições ao mesmo tempo, no mesmo formulário. Ao clicar, preencha o quadro NÃO ESTOU INSCRITO NO CONGRESSO. MEMBRO CIHDOTT SÓCIO MEMBRO CIHDOTT NÃO SÓCIO R$ 120,00 R$ 100,00 R$ 150,00 Se você deseja participar somente de atividade do dia 12, sem inscrever-se no congresso, acesse o site do evento e utilize o quadro NÃO ESTOU INSCRITO NO CONGRESSO; preencha o formulário indicando a opção SOMENTE PRÉ CONGRESSO. MEMBRO DE CNCDO SÓCIO MEMBRO DE CNCDO NÃO SÓCIO R$ 120,00 R$ 100,00 R$ 150,00 FORMA DE PAGAMENTO: Boleto bancário. ACOMPANHANTES: Não haverá inscrição no congresso para acompanhantes. A Agência Oficial de Turismo oferecerá passeios aos acompanhantes, que poderão ser adquiridos, fazendo adesão através do site ou durante o evento com pagamento direto à agência

11 HOSPEDAGEM E TURISMO HOTEL CATEGORIA DIÁRIA SGL DIÁRIA DBL DIÁRIA TPL DISTÂNCIA WINDSOR BARRA 5 SUÍTE JÚNIOR R$ 1.150,00 R$ 1.150,00 R$ 1.48,00 Local do Evento SHERATON BARRA HOTEL & SUITES 5 PREFERRED R$ 840,00 R$ 896,00 R$ 1.19, m SUPERIOR R$ 710,00 R$ 750,00 TRANSAMÉRICA PRIME BARRA 4 LUXO R$ 827,00 R$ 864,00 R$ 1.070,00 ROYALTY BARRA HOTEL 4 LUXO R$ 579,00 R$ 65,00 R$ 89,00,0 km TROPICAL BARRA STANDARD R$ 97,00 R$ 422,00 R$ 507,00 2,7 km SOL DA BARRA STANDARD R$ 617,00 R$ 617,00 ENTREMARES STANDARD R$ 447,00 R$ 471,00 PROMENADE BARRA FIRST 5,6 km 800 m R$ 556,00 1,8 km STANDARD R$ 41,00 R$ 462,00 PROMENADE CASA DEL MAR STANDARD R$ 41,00 R$ 482,00 4,8 km PROMENADE PARADISO STANDARD R$ 420,00 R$ 484,00 4,1 km PRAIA LINDA SUPERIOR LATERAL R$ 400,00 R$ 400,00 A diária inclui: Café da manhã e taxas Política de Cancelamento 1 Cancelamentos serão aceitos somente com 90 dias de antecedência e serão feitos mediante retenção de 0% do valor pago a título de despesas operacionais. Após esta data não serão feitos reembolsos devido a compromissos com os fornecedores; 2 O não comparecimento ao hotel por motivo de força maior e caso fortuito que não dependa da Activia Turismo, como por exemplo: atrasos aeroportuários e rodoviários, fortes chuvas ou outros desastres naturais, os valores pagos não serão reembolsados, devido a compromissos contratuais assumidos com os fornecedores. 10,2 km R$ 447,00 1,4 km * Sujeito a disponibilidade nos hotéis informados acima. ** Tarifas sujeitas a alteração sem prévio aviso. *** Contratação mínima de 4 diárias. **** Todos os hotéis ficam de 5 a 10 minutos do HOTEL OFICIAL WINDSOR BARRA Forma de Pagamento: Boleto Bancário (à vista) Cartão de Crédito Visa, Mastecard e American Express em até 0 vezes sem juros. Política de CHD (criança): A consultar ACTIVIA VIAGENS E CONGRESSOS Praça Mahatma Gandhi, 02 Grupo 621 a 624 CEP: Edifício Odeon Cinelândia Rio de Janeiro Telefone: 0xx

12 INFORMAÇÕES GERAIS LOCAL DO EVENTO Windsor Barra Hotel & Congressos Av. Lucio Costa, 2.60 Barra da Tijuca Rio de Janeiro, RJ REALIZAÇÃO Associação Brasileira de Transplante de Órgãos Av. Paulista º Andar - Conjuntos 1704/07 Cerqueira César , São Paulo, SP SECRETARIA EXECUTIVA Fernanda Prestes Gerenciamento e Eventos Ltda Tel: +55 (11) AGÊNCIA DE TURISMO Activia Praça Mahatma Gandhi, 2 Grupo 621 a 624 Cinelândia Rio de Janeiro, RJ Tel.: SOCIAL FESTA DE CONFRATERNIZAÇÃO DO XIII CONGRESSO BRASILEIRO DE TRANSPLANTES ABTO 201 A C O N T E C E R Á N O D I A 14 DE OUTUBRO DE 201 NO HOTEL WINDSOR BARRA 21

13 PLANTA COMERCIAL ORS SES/RJ ROCHE PFIZER IGL CONTATTI BALIEIRO ABTO LIBBS NOVARTIS SANOFI BIOMETRIX Midia Desk e Sala dos Palestrantes 2 24

14 PATROCINADOR DIAMANTE

Mesa redonda: TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS E TECIDOS

Mesa redonda: TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS E TECIDOS VI CONGRESSO DE BIOÉTICA DE RIBEIRÃO PRETO Mesa redonda: TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS E TECIDOS Maria Cristina Komatsu Braga Massarollo Escola de Enfermagem- USP massaro@usp.br TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS Modalidade

Leia mais

RBT. Ano XX Nº 2. Registro Brasileiro de Transplantes Veículo Oficial da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos

RBT. Ano XX Nº 2. Registro Brasileiro de Transplantes Veículo Oficial da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos RBT Registro Brasileiro de Transplantes Veículo Oficial da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos Ano XX Nº 2 Dados Númericos da doação de órgãos e transplantes realizados por estado e instituição

Leia mais

Dr. Fernando Ganem Doutor pela Faculdade de Medicina da USP Diretor do Serviço de Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libanês

Dr. Fernando Ganem Doutor pela Faculdade de Medicina da USP Diretor do Serviço de Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libanês Coordenação Dr. Fernando Ganem Doutor pela Faculdade de Medicina da USP Diretor do Serviço de Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libanês Prof. Dr. Augusto Scalabrini Neto Professor Associado pela Faculdade

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS E REGULAÇÃO GERÊNCIA DE TRANSPLANTES

ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS E REGULAÇÃO GERÊNCIA DE TRANSPLANTES PROJETO do I FORUM INTERNACIONAL DE COORDENADORES DE TRANSPLANTE DO BRASIL Dezembro de 2008 Objeto I Fórum Internacional de Coordenadores de Transplante do Brasil. Público Alvo 250 profissionais de saúde

Leia mais

PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 Aprova o Regulamento Técnico do Sistema Nacional de Transplantes. [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE ACADÊMICOS PARA A LIGA ACADÊMICA ACRIANA DE ENFERMAGEM EM TRANSPLANTES

EDITAL PARA SELEÇÃO DE ACADÊMICOS PARA A LIGA ACADÊMICA ACRIANA DE ENFERMAGEM EM TRANSPLANTES EDITAL PARA SELEÇÃO DE ACADÊMICOS PARA A LIGA ACADÊMICA ACRIANA DE ENFERMAGEM EM TRANSPLANTES A (LAAET), fundada em 23 de Setembro de 2011, afiliada à Universidade Federal do Acre, Grupo HEPATO, Central

Leia mais

Apresentação. É uma iniciativa da Fundação Ecarta para contribuir na formação de uma cultura de solidariedade

Apresentação. É uma iniciativa da Fundação Ecarta para contribuir na formação de uma cultura de solidariedade Apresentação Projeto Cultura Doadora É uma iniciativa da Fundação Ecarta para contribuir na formação de uma cultura de solidariedade e uma atitude proativa para a doação de órgãos e tecidos, bem como na

Leia mais

Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Banco de Tecidos Salvador Arena BANCO DE TECIDOS MÚSCULO-ESQUELÉTICOS Nº SNT 35205 SP 17

Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Banco de Tecidos Salvador Arena BANCO DE TECIDOS MÚSCULO-ESQUELÉTICOS Nº SNT 35205 SP 17 Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo BANCO DE TECIDOS MÚSCULO-ESQUELÉTICOS Nº SNT 35205 SP 17 ORIENTAÇÕES PARA CREDENCIAMENTO DE ESTABELECIMENTO PARA TRANSPLANTES Formular o processo de

Leia mais

COMISSÃO INTRAHOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES

COMISSÃO INTRAHOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES COMISSÃO INTRAHOSPITALAR DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS E TECIDOS PARA TRANSPLANTES A Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes-CIHDOTT tem por objetivo a organizar todo o processo

Leia mais

Dimensionamento dos Transplantes no Brasil e em cada estado

Dimensionamento dos Transplantes no Brasil e em cada estado RBT Registro Brasileiro de Transplantes Veículo Oficial da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos 2013 Ano XIX Nº 4 Dimensionamento dos Transplantes no Brasil e em cada estado (2006-2013) A doação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO. Capítulo I

REGIMENTO INTERNO. Capítulo I REGIMENTO INTERNO Capítulo I Da constituição, localização, finalidade e missão da Comissão Intra- Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes Art. 1º A Comissão Intra-Hospitalar de Doação

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ORTOPEDIA MULTIDISCIPLINAR Unidade Dias

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM EM EMERGÊNCIA E URGÊNCIA Unidade

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM ONCOLOGIA - CURITIBA Unidade

Leia mais

PORTARIA No- 845, DE 2 DE MAIO DE 2012

PORTARIA No- 845, DE 2 DE MAIO DE 2012 PORTARIA No- 845, DE 2 DE MAIO DE 2012 Estabelece estratégia de qualificação e ampliação do acesso aos transplantes de órgãos sólidos e de medula óssea, por meio da criação de novos procedimentos e de

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM NEUROLOGIA CLÍNICA E INTENSIVA Unidade

Leia mais

3 a 5 de dezembro de 2009 Rio de Janeiro - RJ

3 a 5 de dezembro de 2009 Rio de Janeiro - RJ 3 a 5 de dezembro de 2009 Rio de Janeiro - RJ Windsor Barra Hotel & Congressos Av. Sernambetiba, 2630 Barra da Tijuca José Gomes Temporão Presidente de Honra Marcos Moraes Presidente do Congresso Luiz

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM NO SUPORTE À CIRURGIA ROBÓTICA

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM TERAPIA INTENSIVA ADULTO Unidade Dias

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM CARDIOLOGIA PARA MÉDICOS

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM ONCOLOGIA Unidade Dias

Leia mais

05-TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS

05-TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS 05-TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS Grupo: Sub-Grupo: 05-TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS 01-EXAMES LABORATORIAIS PARA IDENTIFICACAO DE DOADOR E RECEPTOR DE CELULAS-TRONCO HEMATOPOETICAS

Leia mais

CÓDIGO DOS PROCEDIMENTOS

CÓDIGO DOS PROCEDIMENTOS CÓDIGO DOS PROCEDIMENTOS Coração 0505020041 TRANSPLANTE DE CORACAO Fígado 0505020050 TRANSPLANTE DE FIGADO (ORGAO DE DOADOR FALECIDO) 0505020068 TRANSPLANTE DE FIGADO (ORGAO DE DOADOR VIVO) Pâncreas 0505020076

Leia mais

Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante

Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante POR QUE CRIAR CIHDOTTs? 6294 hospitais no país Necessidade de descentralização Equipes localizadas dentro do hospital notificante

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 8 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM DOR Unidade Dias e Horários

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CLÍNICA Unidade Dias e Horários

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO NAS DOENÇAS CRÔNICAS

Leia mais

Prof. Dr. José O Medina Pestana. Hospital do Rim e Hipertensão Disciplina de Nefrologia, Universidade Federal de São Paulo

Prof. Dr. José O Medina Pestana. Hospital do Rim e Hipertensão Disciplina de Nefrologia, Universidade Federal de São Paulo INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA APÓS O TRANSPLANTE Prof. Dr. José O Medina Pestana Hospital do Rim e Hipertensão Disciplina de Nefrologia, Universidade Federal de São Paulo FUNÇÃO RETARDADA DO ENXERTO RENAL

Leia mais

EDUCAÇÃO EM TRANSPLANTES PROMOVIDA POR UMA LIGA ACADÊMICA

EDUCAÇÃO EM TRANSPLANTES PROMOVIDA POR UMA LIGA ACADÊMICA EDUCAÇÃO EM TRANSPLANTES PROMOVIDA POR UMA LIGA ACADÊMICA ALARCON, Bruna Santana 1 ; SANTOS, Dênis Ferreira dos 2 ; MAYNARDE, Israel Guilharde 2 ; DIAS, Raquel Vieira 2 ; ALMEIDA, Ricardo Araújo Meira

Leia mais

Departamento Científico Benedicto Montenegro

Departamento Científico Benedicto Montenegro Cronograma XL COMUT 2012 (Congresso Médico Universitário de Taubaté) TEMA: Transplantes: dificuldades, avanços e superação DATA: 16 a 19 de outubro *O primeiro dia do XL COMUT será no Campus Bom Conselho

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CLÍNICA Unidade Dias e Horários

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2009/prt2620_21_10_2009_rep.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2009/prt2620_21_10_2009_rep.html Page 1 of 8 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 2.620, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009(*) Inclui habilitação na Tabela

Leia mais

rim medula óssea familiar tecidos córneas tecidos órgãos fígado fígado pulmão pulmão pâncreas pâncreas intestino intestino pâncreas pâncreas

rim medula óssea familiar tecidos córneas tecidos órgãos fígado fígado pulmão pulmão pâncreas pâncreas intestino intestino pâncreas pâncreas familiar rim medula óssea fígado fígado pulmão pulmão pâncreas pâncreas intestino intestino tecidos córneas rim rim pâncreas pâncreas fígado fígado pulmão pulmão órgãos tecidos órgãos rins rins coração

Leia mais

APAR e CNCDO-SC. Estatísticas de Captação e Transplantes de Órgãos e Tecidos em Santa Catarina - 2006

APAR e CNCDO-SC. Estatísticas de Captação e Transplantes de Órgãos e Tecidos em Santa Catarina - 2006 APAR e CNCDO-SC Estatísticas de Captação e Transplantes de Órgãos e Tecidos em Santa Catarina - 26 Notificações Notificações ME e ME Doações e Doações em SC em / 26 SC / até 26 JULHO 26 Nro. De Notificações

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA HOSPITALAR Unidade Dias

Leia mais

A morte cerebral é diferente da morte cardíaca: a primeira permite a doação de órgãos e tecidos; a segunda, só a doação de tecidos.

A morte cerebral é diferente da morte cardíaca: a primeira permite a doação de órgãos e tecidos; a segunda, só a doação de tecidos. Doação de órgãos A doação de órgãos é um ato de caridade e amor ao próximo. A cada ano, muitas vidas são salvas por esse gesto altruísta. A conscientização da população sobre a importância da doação de

Leia mais

Observações: enviar documentos scaneados todos em PDF em pasta compactada formato zip.

Observações: enviar documentos scaneados todos em PDF em pasta compactada formato zip. EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA AUXÍLIO FINANCEIRO DO PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DO SUS (PROADI-SUS) PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU EM CAPTAÇÃO, DOAÇÃO E TRANSPLANTES DE

Leia mais

Regulamento Técnico do Sistema Nacional de Transplantes

Regulamento Técnico do Sistema Nacional de Transplantes 2. Gestão dos Regulamento Técnico do Sistema Nacional de Transplantes O Ministro da Saúde assinou hoje (21/10/2009) o novo Regulamento Técnico do Sistema Nacional de Transplantes (SNT). Veja aqui os pontos

Leia mais

LEI Nº 9.434, DE 04 DE FEVEREIRO DE 1997

LEI Nº 9.434, DE 04 DE FEVEREIRO DE 1997 LEI Nº 9.434, DE 04 DE FEVEREIRO DE 1997 Dispõe sobre a remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para fins de transplante e tratamento e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

Leia mais

CIRCULAÇÃO EXTRACORPÓREA

CIRCULAÇÃO EXTRACORPÓREA Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia CIRCULAÇÃO EXTRACORPÓREA e Assistência Circulatória Mecânica Organização: Diretor da Divisão de Cirurgia: Luiz Carlos Bento Souza Coordenação Médica: Magaly Arrais

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM AUDITORIA EM SERVIÇOS DE SAÚDE Unidade

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO ENFERMAGEM EM TERAPIA INTENSIVA - RIO Unidade

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM ACONSELHAMENTO GENÉTICO

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA INSCRIÇÃO DE TRABALHOS:

ORIENTAÇÕES PARA INSCRIÇÃO DE TRABALHOS: ORIENTAÇÕES PARA INSCRIÇÃO DE TRABALHOS: Início: 10/03/2014 Término: 30/05/2014 INFORMAÇÔES GERAIS: 1) Todo participante do congresso poderá inscrever trabalhos. 2) O link para inscrições de trabalhos

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO CONTINUADA E

Leia mais

REVALIDAÇÃO DO DIPLOMA INTERNACIONAL DE MEDICINA ESTÉTICA

REVALIDAÇÃO DO DIPLOMA INTERNACIONAL DE MEDICINA ESTÉTICA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MEDICINA ESTÉTICA Segundo as normas para o Programa de Formação Continuada em Medicina Estética, a pontuação será de: PARTICIPANTES EFETIVOS DOS EVENTOS CURSOS WORKSHOPS 150 créditos

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO DE ENFERMAGEM EM CENTRO

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTADO DA ARTE EM DIAGNÓSTICO

Leia mais

Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS

Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Ministério da Saúde Sistema Único de Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Grupo: 05 - TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS Sub-Grupo: - COLETA E EXAMES PARA FINS DE DOACAO DE ORGAOS,

Leia mais

DO FIM AO RENASCIMENTO

DO FIM AO RENASCIMENTO Foto: Arquivo Sistema de Procura de Órgãos e Tecidos do Hospital das Clínicas (SPOT-HC) DO FIM AO RENASCIMENTO A MORTE DE UNS PODE SALVAR A VIDA DE OUTROS QUE ESTÃO EM RISCO 6 Não há lado bom quando uma

Leia mais

1. Grupo 1 Remuneração das CIHDOTT s

1. Grupo 1 Remuneração das CIHDOTT s 1. Grupo 1 Remuneração das CIHDOTT s 1.1 Remuneração Fixa podendo ser ajustável conforme o potencial gerador de doadores de cada hospital; 1.2 Durante o trabalho na CIHDOTT a carga horária será exclusiva

Leia mais

TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS: CONTRIBUIÇÃO DO IDOSO

TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS: CONTRIBUIÇÃO DO IDOSO Área temática: Qualidade de vida, envelhecimento ativo e bem sucedido. TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS: CONTRIBUIÇÃO DO IDOSO Ana Elza O. Mendonça 1 ; Izaura Luzia Silvério Freire 2 ; Gilson de Vasconcelos Torres

Leia mais

Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS

Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Ministério da Saúde Sistema Único de Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos e OPM do SUS Grupo: 05 - TRANSPLANTES DE ORGAOS, TECIDOS E CELULAS Sub-Grupo: - COLETA E EXAMES PARA FINS DE DOACAO DE ORGAOS,

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 6 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 9 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM BASES DA MEDICINA INTEGRATIVA

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ATIVIDADE FÍSICA PARA PREVENÇÃO, TRATAMENTO

Leia mais

Tipos de Transplantes

Tipos de Transplantes TRANSPLANTADOS Tipos de Transplantes Doador Vivo Um dos Rins Parte dos Pulmões Parte do Fígado Medula Óssea Doador Falecido Diagnóstico de Morte Encefálica Rins, Pulmões, Coração, Valvas Cardíacas, Fígado

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 7. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 7. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 6 Etapas do Processo Seletivo Pág. 7 Matrícula 9 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA NO DIAGNÓSTICO

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM OPERAÇÃO DE EQUIPAMENTOS EM RADIOTERAPIA

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA EM REABILITAÇÃO

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 6 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 9 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM AUDITORIA EM SERVIÇOS

Leia mais

Atuação do Enfermeiro na Coordenação de Sala, Perfusão e Acondicionamento de Enxertos

Atuação do Enfermeiro na Coordenação de Sala, Perfusão e Acondicionamento de Enxertos Curso Prático de Extração, Perfusão e Acondicionamento de Múltiplos Órgãos para Transplantes Atuação do Enfermeiro na Coordenação de Sala, Perfusão e Acondicionamento de Enxertos Fluxo da Captação Atuações

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM RADIOFARMÁCIA Unidade Dias e Horários

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE Portaria nº 270 de 24 de junho de 1999

MINISTÉRIO DA SAÚDE. SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE Portaria nº 270 de 24 de junho de 1999 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE Portaria nº 270 de 24 de junho de 1999 O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, e: Considerando as disposições da Lei

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DE SAÚDE CARACTERÍSTICAS DO ESTABELECIMENTO

IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DE SAÚDE CARACTERÍSTICAS DO ESTABELECIMENTO I SOLICITAÇÃO DE: INSCRIÇÃO REGISTRO CADASTRO ATUALIZAÇÃO DE DADOS: (a cargo do CRM) II 1 Razão Social IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO DE SAÚDE 2 Designação de Fantasia / Nome Usual 3 Endereço 4 Município

Leia mais

Curso Preparatório à Distância (EAD)

Curso Preparatório à Distância (EAD) Curso Preparatório à Distância (EAD) Ensino à Distância (EAD): um compromisso firmado pela SOBECC CURSO EAD De acordo com a legislação educacional brasileira, Educação à Distância é uma forma de ensino

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA EM REABILITAÇÃO AQUÁTICA

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DO PARANÁ CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANÁ

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DO PARANÁ CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DO PARANÁ CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANÁ MANUAL DO PACIENTE TRANSPLANTE DE CORAÇÃO CURITIBA 2012 Índice 1. Objetivo... 3 2. O que é a Central Estadual

Leia mais

REGIMENTO INTERNO Da constituição, localização, finalidade e missão do Banco de Olhos capítulo III 1º.

REGIMENTO INTERNO Da constituição, localização, finalidade e missão do Banco de Olhos capítulo III 1º. REGIMENTO INTERNO Da constituição, localização, finalidade e missão do Banco de Olhos O Banco de Olhos da Santa Casa de Campo Grande é constituído de uma estrutura administrativa, conforme o capítulo III

Leia mais

Dimensionamento dos Transplantes no Brasil e em cada estado

Dimensionamento dos Transplantes no Brasil e em cada estado RBT Registro Brasileiro de Transplantes Veículo Oficial da Associação Brasileira de Transplante de Órgãos 2014 Ano XX Nº 4 Dimensionamento dos Transplantes no Brasil e em cada estado (2007-2014) A doação

Leia mais

PORTARIA Nº 356, DE 10 DE MARÇO DE 2014

PORTARIA Nº 356, DE 10 DE MARÇO DE 2014 PORTARIA Nº 356, DE 10 DE MARÇO DE 2014 Publica a proposta de Projeto de Resolução "Boas Práticas em procedimentos para organização e funcionamento dos serviços de transplante de órgãos". O MINISTRO DE

Leia mais

COMISSÃO CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA - CCEx Av. Dr. Arnaldo, 455 10. Andar,sala 1301. Formulário de PROGRAMA DE COMPLEMENTAÇÃO ESPECIALIZADA

COMISSÃO CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA - CCEx Av. Dr. Arnaldo, 455 10. Andar,sala 1301. Formulário de PROGRAMA DE COMPLEMENTAÇÃO ESPECIALIZADA COMISSÃO CULTURA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA - CCEx Av. Dr. Arnaldo, 455 10. Andar,sala 1301 Formulário de PROGRAMA DE COMPLEMENTAÇÃO ESPECIALIZADA Nome do Estágio Programa de Complementação Especializada

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM HOTELARIA HOSPITALAR Unidade Dias e Horários

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO ENFERMAGEM EM TERAPIA INTENSIVA - BH Unidade

Leia mais

2. Quais os objetivos do Programa Nacional de Segurança do Paciente?

2. Quais os objetivos do Programa Nacional de Segurança do Paciente? O tema Segurança do Paciente vem sendo desenvolvido sistematicamente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) desde sua criação, cooperando com a missão da Vigilância Sanitária de proteger

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 8 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CLÍNICA Unidade

Leia mais

Informações Gerais. Data 26 a 29 de setembro de 2014 (sexta-feira a segunda-feira)

Informações Gerais. Data 26 a 29 de setembro de 2014 (sexta-feira a segunda-feira) Informações Gerais Local CICB - Centro Internacional de Convenções do Brasil Setor de Clubes Esportivos Sul Trecho 02 Conj.63, Lote 50 Brasília/ DF 70200-002 55 61 3226-1268 www.cicb.com.br Data 26 a 29

Leia mais

Mini-conferência Detecção de agentes infecciosos em hemocomponentes não plasmáticos. Discussão

Mini-conferência Detecção de agentes infecciosos em hemocomponentes não plasmáticos. Discussão Foto: Marcelo Rosa 8h30 8h40-9h 9h-9h50 9h50-10h 10h-10h20 Entrega do material Abertura Conferência: A doação de sangue na América Latina 10h20-10h50 10h50-11h 11h-12h30 11h-11h20 11h20-11h40 11h40-12h

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DO PARANÁ CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANÁ

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DO PARANÁ CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DO PARANÁ CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANÁ MANUAL DO PACIENTE TRANSPLANTE DE RIM CURITIBA 2012 Índice 1. Objetivo... 3 2. O que é a Central Estadual de

Leia mais

www.transplante.rj.gov.br

www.transplante.rj.gov.br f AMOR E DOAÇÃO DE ÓRGÃOS S A N D R O M O N T E Z A N O 2 5 / 1 0 / 1 4 O que é transplante? O transplante é um procedimento cirúrgico que consiste na troca de um órgão (coração, rins, pulmão, e outros)

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM COLOPROCTOLOGIA Unidade Dias e Horários

Leia mais

- Busca Ativa de Doador de Órgãos e Tecidos

- Busca Ativa de Doador de Órgãos e Tecidos Portaria n.º 92/GM Em 23 de janeiro de 2001. O Ministro de Estado da Saúde no uso de suas atribuições legais, Considerando a Lei nº 9.434, de 04 de fevereiro de 1997, que dispõe sobre a remoção de órgãos,

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DO PARANÁ CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANÁ

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DO PARANÁ CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DO PARANÁ CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANÁ MANUAL DO PACIENTE TRANSPLANTE DE FÍGADO CURITIBA 2012 Índice 1. Objetivo... 3 2. O que é a Central Estadual

Leia mais

ÍNDICE MENSAGEM QUICK VIEW PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA PÔSTERES INFORMAÇÕES GERAIS ÍNDICE REMISSIVO MAPA DE LOCALIZAÇÃO 159. PALESTRANTES INTERNACIONAIS.

ÍNDICE MENSAGEM QUICK VIEW PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA PÔSTERES INFORMAÇÕES GERAIS ÍNDICE REMISSIVO MAPA DE LOCALIZAÇÃO 159. PALESTRANTES INTERNACIONAIS. PROGRAMA OFICIAL ÍNDICE MENSAGEM QUICK VIEW PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA PÔSTERES INFORMAÇÕES GERAIS PALESTRANTES INTERNACIONAIS. COMISSÕES. ORIENTAÇÕES AO CONGRESSISTA. PROGRAMAÇÃO SOCIAL. ÍNDICE REMISSIVO

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM GERONTOLOGIA Unidade Dias e Horários

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA EM TERAPIA INTENSIVA Unidade

Leia mais

EDUCAÇÃO EM TRANSPLANTES PROMOVIDA POR UMA LIGA ACADÊMICA FARIA,

EDUCAÇÃO EM TRANSPLANTES PROMOVIDA POR UMA LIGA ACADÊMICA FARIA, EDUCAÇÃO EM TRANSPLANTES PROMOVIDA POR UMA LIGA ACADÊMICA FARIA, William Macedo Lourenço de 1 ; SANTOS, Dênis Ferreira dos 1 ; MAYNARDE, Israel Guilharde 1 ; DIAS, Raquel Vieira 1 ; ALMEIDA, Ricardo Araújo

Leia mais

Dados preliminares 2011

Dados preliminares 2011 Dados preliminares 2011 Os seguintes dados referem se à atividade de colheita e transplantação 2011 Agradecimentos: Gabinetes Coordenadores de Colheita e Transplantação Coordenadores d Hospitalares de

Leia mais

III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA

III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA DOAÇÃO DE MEDULA ÓSSEA, O TRABALHO DE CAPTAÇÃO DE CANDIDATOS E A POSSIBILIDADE DE ENVOLVIMENTO DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA Déborah Carvalho Gerência

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE: ABORDAGEM

Leia mais

ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CREDENCIAMENTO DE DOCENTE ESP-MG Nº 015/2011

ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CREDENCIAMENTO DE DOCENTE ESP-MG Nº 015/2011 ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CREDENCIAMENTO DE DOCENTE ESP-MG Nº 015/2011 PROJETO: Curso Técnico em Hemoterapia DOCENTE DE CONCENTRAÇÃO Atribuições: ministrar aulas teóricas Habilitação

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM EM CARDIOLOGIA HEMODINÂMICA

Leia mais

CURSO DE HABILIDADES PRÁTICAS EM MEDICINA INTENSIVA 8 e 9 de agosto de 2014 03 e 04 de outubro de 2014

CURSO DE HABILIDADES PRÁTICAS EM MEDICINA INTENSIVA 8 e 9 de agosto de 2014 03 e 04 de outubro de 2014 CURSO DE HABILIDADES PRÁTICAS EM MEDICINA INTENSIVA 8 e 9 de agosto de 2014 03 e 04 de outubro de 2014 Coordenação Dr. Luciano Cesar Pontes Azevedo Doutor em medicina pela Universidade de São Paulo - USP

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM DOENÇAS FUNCIONAIS E MANOMETRIA

Leia mais

Ato Normativo PORTARIA Nº 511, DE 27 DE SETEMBRO DE 2010

Ato Normativo PORTARIA Nº 511, DE 27 DE SETEMBRO DE 2010 Ato Normativo PT SAS nº 511 Publicação DOU Diário Oficial da União Data: 27/09/2010 Data: 28/09/2010 PORTARIA Nº 511, DE 27 DE SETEMBRO DE 2010 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições,

Leia mais

I Curso de Transplantação para Medicina Geral e Familiar

I Curso de Transplantação para Medicina Geral e Familiar PROGRAMA PROVISÓRIO 05 de Dezembro de 2013 - (5ª feira) 08:30 Abertura do 08:50-09:00 Sessão de Abertura. Boas Vindas. 09:00-09:30 A Transplantação em Portugal e no Mundo (algumas notas históricas) Domingos

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 7. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 7. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 4 5 6 Etapas do Processo Seletivo Pág. 7 Matrícula 9 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PESQUISADOR CIENTÍFICO LABORATÓRIOS DE INVESTIGAÇÃO MÉDICA HCFMUSP

CONCURSO PÚBLICO PESQUISADOR CIENTÍFICO LABORATÓRIOS DE INVESTIGAÇÃO MÉDICA HCFMUSP CONCURSO PÚBLICO PESQUISADOR CIENTÍFICO LABORATÓRIOS DE INVESTIGAÇÃO MÉDICA HCFMUSP Período de inscrições 04/08 a 05/09/08, das 8 às 16 horas Local de inscrições Serviço de Seleção do Hospital das Clínicas

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA

PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA DATA: 1 a 3 de SETEMBRO LOCAL: HOTEL GOLDEN TULIP / VITÓRIA-ES Realização: Tema: O Envolvimento Interdisciplinar na Qualidade de Assistência e na Segurança do Paciente COMISSÃO ORGANIZADORA

Leia mais

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO Art. 1º - Corpo Clínico é o conjunto de médicos que se propõe a assumir solidariamente a responsabilidade de prestar atendimento aos usuários que

Leia mais