Caixa de Derivação e Caixa de proteção e Derivação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Caixa de Derivação e Caixa de proteção e Derivação"

Transcrição

1 ETA 006 Rev. 0 Setembro / 2001 Caixa de Derivação e Caixa de proteção e Derivação Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep Diretoria Técnica Gerência de Planejamento e Engenharia Processo de Engenharia e Obras 8 Páginas

2 CAIXA DE DERIVAÇÃO E CAIXA DE PROTEÇÃO E DERIVAÇÃO NOTA: No DATA DISCRIMINAÇÃO DA REVISÃO REVISOR APROVAÇÃO ELABORAÇÃO DATA : 18/09/2001 RESPONSÁVEL TÉCNICO (NOME E CREA) EDUARDO R. DE MORAES RJ /D RUBRICA NOTAS DE CRÉDITO ESTA ETA FOI ELABORADA PELA ÁREA DE NORMALIZAÇÃO VISTO EMISSÃO APROVAÇÃO VANDERLEI ROBADEY CARVALHO JORGE RICARDO DE CARVALHO CESAR PEREIRA FERNANDES

3 SUMÁRIO 1 - OBJETIVO 2 - CONDIÇÕES GERIAS 3 - DEFINIÇÕES 4 - CARACTERÍSTICAS 5 - APROVAÇÃO DE PROTÓTIPO 6 - INSPEÇÃO 7 - EMBALAGEM 8 - GARANTIA 9 - APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA Processo de Engenharia e Obras Página 1 de 8

4 1. OBJETIVO Esta ETA fixa as condições mínimas para fornecimento e recebimento de caixas de derivação e de caixas de proteção e derivação. 2. CONDIÇÕES GERAIS 2.1. Condições Normais de Serviço Os materiais deverão ser adequados para operar em clima tropical, a uma altitude de até 1000 m, com temperatura de 5ºC a 45ºC, e média diária de 35ºC, umidade relativa do ar até a saturação, precipitação pluviométrica anual de 1,5 a 3,0 m e ambiente exposto a poeira e atmosfera salina Normas Complementares Além do disposto nesta ETA, ou em conjunto com ela, deverão ser atendidos os preceitos pertinentes das normas abaixo, em suas últimas revisões aprovadas: NBR 5426: Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos - Procedimento NBR 6146: Invólucros de equipamentos elétricos - proteção - Especificação AFNOR (NF C ): Degrées de protection procurez para les enveloper (CODE IP) ASTM - G - 26 : Operating light-exposure apparatus (xenon-arc type) with and without water for exposure of nonmetalic materials. 3. DEFINIÇÕES 3.1. Caixa de Derivação Dispositivo instalado na baixa tensão do transformador destinado a conexão dos ramais de ligação dos consumidores, através do barramento existente em seu interior Caixa de Proteção e Derivação Dispositivo instalado na baixa tensão do transformador em redes com cabos concêntricos, destinado a conexão dos ramais de ligação dos consumidores, através do barramento existente em seu interior e a proteção da BT do transformador através do disjuntor, também, existente em seu interior. 4. CARACTERÍSTICAS 4.1. Características Dimensionais Todas as unidades deverão ter o mesmo projeto e ser essencialmente iguais, permitindo a perfeita intercambialidade entre suas peças. Processo de Engenharia e Obras Página 2 de 8

5 As características visuais e dimensionais das caixas estão indicadas nos seguintes desenhos: Desenho n DQN 1977 Caixa de proteção e derivação; Desenho n DQN 1905 Caixa de derivação Características Construtivas Corpo e tampa da caixa a) O material do corpo e tampa da caixa deverá ser policarbonato, resistente aos raios ultravioleta, nas cores branca, ou cinza claro, ou bege claro. b) Deverá possuir índice de proteção mecânica 9. c) O ensaio de proteção contra ultravioleta e umidade deverá ser realizado conforme Norma ASTM-G-26, método A, 1440 horas de exposição. d) A espessura mínima de qualquer superfície da caixa é de 3,0 mm, mas a espessura efetiva deverá ser determinada pelo fabricante de forma a resistir ao ensaio de impacto, que será sempre realizado após o ensaio de raios ultravioleta e umidade. e) Reforços ( nervuras ) na face interna da superfície posterior (fundo) do corpo da caixa, poderão ser usados devendo entretanto ter altura máxima de 1,5 mm. f) Nos furos para passagem dos condutores deverão ser utilizados passa-fios, em borracha sintética, resistente aos raios ultra-violeta e próprios para utilização com condutores isolados em XLPE e/ou PVC, com temperatura máxima de operação em regime permanente de 90 C Suporte de fixação do disjuntor a) Os disjuntores serão fixados através de suporte constituído do mesmo material da caixa e presilhas metálicas, para o padrão NEMA. b) Todos os parafusos do suporte (diâmetro de 1/4 ) deverão ser de latão ou aço inoxidável Fixação dos barramentos à caixa a) Será realizada pelos parafusos internos à caixa (3/16 x 45 mm) e os parafusos de rosca interna ( 3/16 x 10 mm ), que deverão ser fornecidos rosqueados aos parafusos internos. b) Ambos os parafusos deverão ser de latão ou aço inoxidável. Processo de Engenharia e Obras Página 3 de 8

6 Luva para alojamento do parafuso de segurança (tampa da caixa) A luva deverá ter comprimento de 10 mm e diâmetro nominal de 11 mm Luva para fixação do parafuso de segurança (corpo da caixa) a) O corpo da caixa deverá possuir um cilindro (luva) de rosca interna W 1/4, destinado a receber o parafuso de segurança de 20 mm de comprimento de rosca. Este cilindro deverá ser de latão ou aço inoxidável, e possuir ranhuras que, após a injeção, não permitam o seu arrancamento da caixa. b) O cilindro deverá resistir a um esforço de arrancamento de no mínimo 40 dan, sem espanamento da rosca interna Suporte de fixação da caixa a) O suporte de fixação da caixa deverá ser constituído do mesmo material do corpo e tampa da mesma. b) O corpo da caixa deverá possuir cilindros (luvas) de rosca interna W 1/4 de 6 mm de comprimento. Estes cilindros deverão ser de latão ou aço inoxidável, e possuir ranhuras que após a injeção, não permitam o seu arrancamento da caixa. c) Os cilindros deverão resistir a um esforço de arrancamento de no mínimo 40 dan, sem espanamento da rosca interna. d) Os parafusos utilizados deverão ser de latão ou aço inoxidável Características Gerais Deverão ser gravados na caixa, em alto relevo, o nome do fabricante e a data de fabricação. Logomarca e outras inscrições ficarão a critério do fabricante As caixas serão fabricadas segundo os desenhos citados no inciso Poderão ser introduzidas pequenas alterações que não diminuam a espessura e o espaço interno da caixa, nem prejudiquem a aplicação das mesmas para os objetivos a que se destinam, e que sejam previamente justificadas à AMPLA e por esta aprovadas As caixas montadas com todos os seus acessórios deverão possuir índice de proteção IP 5 para penetração de corpos sólidos e IP 4 para a penetração de líquidos. 5. APROVAÇÃO DE PROTÓTIPO 5.1. O fornecedor deverá apresentar um protótipo da caixa a ser aprovada, juntamente com 3 vias dos seus respectivos desenhos e cópias dos relatórios dos ensaios descritos no itens 6.1 e 6.2. Os desenhos, também, poderão ser apresentados para análise prévia, independente do protótipo. Processo de Engenharia e Obras Página 4 de 8

7 5.2. Caso sejam exigidas pela AMPLA alterações nos desenhos e/ou no protótipo, o fornecedor deverá proceder às correções solicitadas e submetê-los novamente para análise. 6. INSPEÇÃO 6.1. Ensaios de Tipo Ensaio de proteção contra raios uiltravioleta a) Deverá ser realizado conforme ASTM-G-26, método A: 720 ciclos de 102 minutos de exposição ao ultravioleta, sem umidade, seguidos de 18 minutos de exposição ao ultravioleta com umidade, num total de 1440 horas de ensaio. b) Após o ensaio, todas as inscrições da tampa e do corpo da caixa deverão estar perfeitamente identificáveis Ensaio de proteção mecânica (impacto) a) A caixa deverá apresentar índice de proteção mecânica IP 9 (IK 10), quando ensaiada conforme AFNOR (NF C ). b) O ensaio deverá ser realizado com impacto de 20 joules com peso basculante de aço de 5 kg a 40 cm de altura em relação ao ponto de impacto. A temperatura de referência para este ensaio é de, no máximo, 25ºC. c) Após os ensaios, as superfícies planas não poderão apresentar ranhuras ou outros danos que comprometam a operacionalidade da caixa, tais como retirada e colocação do parafuso de segurança, encaixe da tampa ao corpo e nível de vedação original do conjunto tampa/caixa. d) Poderão ser aceitas, após análise, outras normas de ensaio equivalentes, com a exigência de impacto mínimo de 20 joules. e) As unidades para este ensaio deverão ser as mesmas já submetidas, anteriormente, ao ensaio de proteção contra raios ultravioleta e umidade Ensaio do grau de proteção contra a penetração de corpos sólidos e de líquidos O ensaio deverá ser realizado conforme NBR 6146 sendo verificadas as características descritas no inciso Ensaios de Recebimento Inspeção Visual e Dimensional Verificação da adequação de todos os componentes das caixas ao especificado nesta ETA. Processo de Engenharia e Obras Página 5 de 8

8 Ensaio de proteção mecânica Será realizado conforme inciso desta ETA Ensaio de Arrancamento da Luva do Parafuso de Segurança e do Suporte de Fixação da Caixa Será realizado conforme subinciso C desta ETA Inspeção da embalagem Será realizado conforme item 7 desta ETA O fornecedor deverá avisar à AMPLA, com antecedência mínima de 10 (quinze) dias, a data em que as caixas estarão prontas para inspeção O fornecedor tomará, às suas expensas, todas as providências para que as inspeções e ensaios se realizem em condições adequadas, proporcionando o livre acesso do inspetor da AMPLA às suas dependências específicas, bem como fornecendo instrumentos, dispositivos e pessoal necessários à execução dos ensaios e à prestação de informações pertinentes No caso da AMPLA dispensar a presença de seu inspetor ou preposto durante os ensaios, o fornecedor deverá apresentar, além dos relatórios destes ensaios e inspeções, a garantia de autenticidade dos resultados Amostragem Os ensaios de recebimento (rotina) serão realizados conforme tabela à seguir: 7. EMBALAGEM Quantidade de Amostra Aceitação Rejeição unidades do lote 2 a a a a a a O acondicionamento deverá ser efetuado de modo a garantir um transporte seguro até o local de entrega A embalagem será considerada satisfatória se o equipamento estiver em perfeito estado na chegada ao destino. Processo de Engenharia e Obras Página 6 de 8

9 7.3. As caixas deverão ser embaladas individualmente com o respectivo suporte, que será fornecido desmontado, para efeito de facilidade no acondicionamento. Os parafusos de fixação do suporte à caixa deverão ser fornecidos em sacos plásticos e embalados junto com as respectivas caixas Se as embalagens individuais forem acondicionadas em volumes maiores, estes deverão apresentar peso e dimensões adequados ao manuseio, armazenamento e transporte Toda embalagem deverá conter, na sua parte externa e frontal, no mínimo as seguintes identificações: Nome do fabricante; Tipo de material : Caixa de Derivação ; N da Ordem de compra. 8. GARANTIA 8.1. As caixas devem ser garantidas pelo fornecedor contra defeitos de fabricação por um período de 36 (trinta e seis) meses a partir da data de recebimento das mesmas pela AMPLA No caso de constatação de alguma deficiência dentro do período de garantia, o fornecedor será obrigado a substituir a caixa, responsabilizando-se por todos os custos de material, mão-de-obra e transporte. 9. APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA 9.1. Cada proponente deverá fornecer junto com sua oferta, a informação solicitada nesta especificação e qualquer outra informação necessária que permita ao cliente poder selecionar os materiais a adquirir O fornecedor deverá referenciar, em sua proposta, o seu modelo aprovado e/ou os números dos desenhos aprovados A AMPLA poderá solicitar informações adicionais caso se considerem insuficientes as informações enviadas, para que se possa então ser realizada uma melhor análise técnica da oferta A AMPLA poderá descartar uma proposta caso a informação enviada não possua grau de detalhamento e clareza suficientes O proponente deverá indicar claramente em sua proposta todos os pontos que apresentem diferenças com respeito a esta Especificação. Processo de Engenharia e Obras Página 7 de 8

10 ÍNDICE ITEM TÍTULO PAG. 1 Objetivo 2 2 Condições Gerais Condições Normais de Serviço Normas Complementares 2 3 Definições Caixa de Derivação Caixa de Derivação e Proteção 2 4 Características Características Dimensionais Características Construtivas Características Gerais 4 5 Aprovação de Protótipo 4 6 Inspeção Ensaios de Tipo Ensaios de Recebimento Amostragem 6 7 Embalagem 6 8 Garantia 7 9 Apresentação da Proposta 7 Processo de Engenharia e Obras Página 8 de 8

11

agrupados Nº DET 1

agrupados Nº DET 1 CAIXA COM TAMPA VISTA SUPERIOR 22 100 27 53 FURO PARA LACRE Ø2 20 VISTA LATERAL DIREITA ROSCA W 1/4" PARA PARAFUSO DE SEGURANÇA 11 DET 1 VISTA INFERIOR DET 1 Código 6790320 Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei

Leia mais

Caixa concentradora de disjuntores

Caixa concentradora de disjuntores FIGURA 1 - CAIXA COM TAMPA 532 15 4 2,5 162 120 42 DETALHE 1 VISTA SUPERIOR DETALHE 2 49 ALINHAMENTO ENTRE A JANELA PARA DISJUNTOR E O TRILHO PARA DISJUNTOR TAMPA DA JANELA PARA DISJUNTOR JANELA VENEZIANA

Leia mais

Caixa para medidor polifásico

Caixa para medidor polifásico FIRUGA 1: CAIXA COM TAMPA 252 VISTA SUPERIOR 132 74 A 385 PRÉ-FURO Ø5 48 A Ø2 FURO PARA LACRE MÍN. 10,5 15 LUVA W1/4 VISTA LATERAL ESQUERDA VISTA FRONTAL VISTA LATERAL DIREITA 35 39 51 VISTA INFERIOR Código

Leia mais

Caixa para Medidor Monofásico

Caixa para Medidor Monofásico N O Data Revisões Visto Vanderlei Robadey Aprov. Antônio C.Alves Página 1 de 6 75± 75±5 N O Data Revisões Visto Vanderlei Robadey Aprov. Antônio C.Alves Página 2 de 6 N O Data Revisões Visto Vanderlei

Leia mais

Caixa para Medidor Monofásico Eletrônico

Caixa para Medidor Monofásico Eletrônico Código 6783261 N O Data Revisões Aprov. Vanderlei Robadey Página 1 de 7 N O Data Revisões Aprov. Vanderlei Robadey Página 2 de 7 N O Data Revisões Aprov. Vanderlei Robadey Página 3 de 7 1 Material 1.1

Leia mais

Indicador de Falta para Redes Aéreas até 72,5 kv

Indicador de Falta para Redes Aéreas até 72,5 kv ETA 004 Rev. 2 Maio / 2001 Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com Indicador de Falta para Redes Aéreas até 72,5 kv Diretoria Técnica Gerência de Planejamento

Leia mais

Fornecimento Provisório de Energia Elétrica em Baixa Tensão (Procedimento Interno Uso Exclusivo da Ampla)

Fornecimento Provisório de Energia Elétrica em Baixa Tensão (Procedimento Interno Uso Exclusivo da Ampla) ITA - 010 Rev. 0 MAIO / 2005 Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com Fornecimento Provisório de Energia Elétrica em Baixa Tensão (Procedimento Interno Uso Exclusivo

Leia mais

Conector Bimetálico para Condutor Concêntrico de Alumínio

Conector Bimetálico para Condutor Concêntrico de Alumínio TIPO 1 Tabela 1 Item Seção do condutor (mm²) Diâmetro Condutor (mm) Dimensões (mm) A (máx.) B C Código 1 6 3,1 6790664 2 10 4,1 7,93 0,05 20 1,0 18 1,0 6797691 3 16 5,1 6797692 Nº Data Revisões Aprov.:

Leia mais

Conector perfurante isolado com estribo para aterramento

Conector perfurante isolado com estribo para aterramento Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 1 de 5 ITEM PRINCIPAL AL / CU (mm2) CONDUTOR DERIVAÇÃO Estribo Diâmetro (mm) Torque Máximo (dan x m) Código de Estoque 01 16-70 20 6805467 6,35 02 95-150

Leia mais

uso externo Nº 2117 1

uso externo Nº 2117 1 Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 1 de 12 DESENHO 2 - CORPO DA CAIXA DISPOSITIVO PARA LACRE DE SEGURANÇA A B ROSCA M6 x 1 TORRE DE FIXAÇÃO ROSCA M10 x 1,5 C TORRE DE FIXAÇÃO ROSCA M10 x

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 26 / 04 / 2013 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para grampo de linha viva utilizado nas Redes de Distribuição Aéreas da Companhia

Leia mais

DIRETORIA TÉCNICA GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT ET-762/2008 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-762/2008 R-02 PRENSA-CABO ROSQUEÁVEL

DIRETORIA TÉCNICA GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT ET-762/2008 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-762/2008 R-02 PRENSA-CABO ROSQUEÁVEL DIRETORIA TÉCNICA GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT /2008 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA /2008 R- FOLHA DE CONTROLE I APRESENTAÇÃO Este documento encerra requisitos, recomendações e diretrizes para

Leia mais

1 Introdução 2. 2 Descrição do fornecimento 2. 3 Ensaios de tipo e/ou especiais Embalagem Garantia Inspeção 4

1 Introdução 2. 2 Descrição do fornecimento 2. 3 Ensaios de tipo e/ou especiais Embalagem Garantia Inspeção 4 SUMÁRIO Item Pág. 1 Introdução 2 DISTRIBUIÇÃO AUTOMÁTICA DE CÓPIAS APROV: MAMF 046.382 2 Descrição do fornecimento 2 3 Ensaios de tipo e/ou especiais 3 4. Embalagem 3 5. Garantia 4 6. Inspeção 4 7. Reservas

Leia mais

Condutor de cobre nu

Condutor de cobre nu Item Seção nominal (mm²) Nº mín. de fios Formação Diâm. nom. (mm) Classe Diâm. nom. (mm) Corrente nominal (1) (A) Têmpera Peso nominal (kg/km) 1 6 1 2,8 1A 2,8 77 meio dura 54,7 2 10 1 3,55 1A 3,55 103

Leia mais

Número: EMP Rev.: 0 Fl. 1/7

Número: EMP Rev.: 0 Fl. 1/7 Número: EMP-82301 Rev.: 0 Fl. 1/7 REV DATA HISTÓRICO DAS REVISÕES EMITIDO APROVADO 0 11/06/2013 Emissão inicial Sebastião Carvalho Engª de Produto Daniel Pedrosa Engª de Processo Número: EMP-82301 Rev.:

Leia mais

Quadro para Instrumentos para Medição Agrupada de Consumidor

Quadro para Instrumentos para Medição Agrupada de Consumidor CARACATERÍSTICAS DOS QUADROS ITEM FUNÇÃO CÓDIGO 01 PROTEÇÃO GERAL 300A E MEDIÇÃO DIRETA DO SERVIÇO 6797335 02 PROTEÇÃO GERAL 800A E MEDIÇÃO DIRETA DO SERVIÇO 6797338 03 PROTEÇÃO GERAL 800A E MEDIÇÃO INDIRETA

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA CONFECÇÃO DA CAIXA TERMOPLÁSTICA

INSTRUÇÕES PARA CONFECÇÃO DA CAIXA TERMOPLÁSTICA O padrão tipo caixa termoplástica para assentamento na parede é utilizado para instalação de hidrômetro em ligações com expectativa de consumo de até 270 m3 por mês, e poderá ser empregado nas seguintes

Leia mais

PADRONIZAÇÃO PAD

PADRONIZAÇÃO PAD PADRONIZAÇÃO PAD-05.05.105 Bypass Temporário para Chave Fusível Grupo: Ferramentas e Equipamentos das Equipes das Regionais Subgrupo: Uso Coletivo Versão: 00 Vigência: 16-10-2017 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO COBERTURA TIPO MANTA PARA REPARO DE CONDUTORES COBERTOS CLASSE TENSÃO 15 e 35 kv

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO COBERTURA TIPO MANTA PARA REPARO DE CONDUTORES COBERTOS CLASSE TENSÃO 15 e 35 kv EMD-.014 1/06 DESENHO MANTA COBERTURA- CLASSE 15 kv Código Tensão Dimensões (mm) CEB (kv) Largura Comprimento 92020176 13,8 140 200 92020174 13,8 200 400 DESENHO MANTA COBERTURA CLASSE 35 kv Código Tensão

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO FOLHA MEDIDOR ELETRÔNICO DE ENERGIA ELÉTRICA COM SAÍDA RS485 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO

CÓDIGO TÍTULO FOLHA MEDIDOR ELETRÔNICO DE ENERGIA ELÉTRICA COM SAÍDA RS485 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE SERVIÇOS E CONSUMIDORES SUBSISTEMA MEDIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-321.0015 MEDIDOR ELETRÔNICO DE ENERGIA ELÉTRICA COM SAÍDA RS485 1/10 1. FINALIDADE Estabelecer os requisitos

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA VERSÃO Nº ATA Nº DATAA DATA DA VIGÊNCIA 00-30/07/2012 30/07/2012 APROVADO POR Edson Hideki Takauti SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

1. FINALIDADE. Estabelecer os requisitos a serem atendidos para o fornecimento de medidor eletrônico de energia elétrica. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO

1. FINALIDADE. Estabelecer os requisitos a serem atendidos para o fornecimento de medidor eletrônico de energia elétrica. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE SERVIÇOS E CONSUMIDORES SUBSISTEMA MEDIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-321.0015 MEDIDOR ELETRÔNICO DE ENERGIA ELÉTRICA COM SAÍDA RS485 1/8 1. FINALIDADE Estabelecer os requisitos a

Leia mais

SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0072 EMENDAS E TERMINAIS UNIPOLARES

Leia mais

CONJUNTO DE EMENDA REENTRÁVEL E TERMINAL DE ACESSO CERTA

CONJUNTO DE EMENDA REENTRÁVEL E TERMINAL DE ACESSO CERTA CONJUNTO DE EMENDA REENTRÁVEL E TERMINAL DE ACESSO CERTA CONJUNTO DE EMENDA REENTRÁVEL E TERMINAL DE ACESSO - CERTA : 1. APLICAÇÃO: O Conjunto CERTA é aplicado no abrigo de emenda de cabos aéreos com condutores

Leia mais

Ferragem de rede aérea que se fixa numa superfície, em geral a face superior de uma cruzeta, na qual, por sua vez, é fixado um isolador de pino.

Ferragem de rede aérea que se fixa numa superfície, em geral a face superior de uma cruzeta, na qual, por sua vez, é fixado um isolador de pino. 26 / 07 / 2011 1 de 10 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis do pino de isolador para utilização nas Redes de Distribuição da CEMAR. 2 CAMPO

Leia mais

[1] NBR 5426:1989 Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos;

[1] NBR 5426:1989 Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos; 17 / 05 / 2012 1 de 8 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para o parafuso de cabeça abaulada utilizado nas Redes de Distribuição da CEMAR.

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 03 / 04 / 2013 1 de 1 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para parafuso tipo J utilizado na fixação de células capacitivas na montagem de

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 28/06/2005 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para manilhasapatilha utilizada nas Redes de Distribuição da Companhia Energética do

Leia mais

HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Alterações e Inclusão de ensaios.

HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Alterações e Inclusão de ensaios. Processo Planejar, Ampliar e Melhorar a Rede Elétrica Atividade Obras de Distribuição Código Edição Data VR01.02-00.003 Folha 5ª 1 DE 33 28/09/2007 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 26 / 07 / 2013 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de suporte L para fixação de Chave Fusível e para-raios em cruzeta para utilização

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 09 / 04 / 2013 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de fio de cobre isolado para utilização em circuitos de iluminação/tomadas e aterramento

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A. CERON PREGÃO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A. CERON PREGÃO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL Eletrobrás MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL Anexo XIII do Pregão Eletrônico n 029/2009 Página 1 de 11 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA TRANSFORMADORES DE CORRENTE AUXILIARES 0,6 KV USO INTERIOR

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 16 / 04 / 2013 1 de 18 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza os requisitos mínimos exigíveis para o fornecimento de Caixas Poliméricas de Medição e Proteção, destinadas ao abrigo de medidores

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 12 / 04 / 2013 1 de 1 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis do poste de aço, com seção transversal quadrada, para utilização em padrões de entrada

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SINALIZAÇÃO VERTICAL Página 1 de 5 1. OBJETIVO Esta especificação técnica fixa condições exigíveis para o fornecimento de placas de orientação, simples e moduladas para sinalização vertical de trânsito,

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0021 RELÉ FOTOELÉTRICO E BASE PARA

Leia mais

4.1 Grampo de suspensão

4.1 Grampo de suspensão 29 / 07 / 2011 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para grampo de suspensão monoarticulado utilizado nas Linhas de Distribuição da

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AMPLA ETA-134/2015 R-01

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AMPLA ETA-134/2015 R-01 DIRETORIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE REDE /25 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AMPLA /25 R- FOLHA DE CONTROLE I JUN/25 APRESENTAÇÃO Esta Especificação Técnica encerra requisitos,

Leia mais

1. FINALIDADE. Estabelecer os requisitos a serem atendidos para o fornecimento de medidor eletrônico bidirecional de energia elétrica.

1. FINALIDADE. Estabelecer os requisitos a serem atendidos para o fornecimento de medidor eletrônico bidirecional de energia elétrica. MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE SERVIÇOS E CONSUMIDORES SUBSISTEMA MEDIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-321.0010 MEDIDOR ELETRÔNICO BIDIRECIONAL 1/9 1. FINALIDADE Estabelecer os requisitos a serem atendidos para o

Leia mais

DIRETORIA FINANCEIRA CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO

DIRETORIA FINANCEIRA CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO GERÊNCIA DE SUPRIMENTOS 01 CARRETEL DE MADEIRA PARA EXPORTAÇÃO FICAP OPTEL CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO ÁREA SIGLA DATA DISTRIBUIÇÃO Suprimentos Tecnologia Cabos Ópticos Fs Tto GERÊNCIA DE SUPRIMENTOS 1/18

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 01 / 04 / 2013 1 de 8 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para parafuso de cabeça quadrada utilizado nas Redes e Linhas de Distribuição da

Leia mais

[1] NBR 5426:1989 Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos;

[1] NBR 5426:1989 Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos; 11 / 09 / 2012 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de elos de ligação para utilização nas Linhas de Transmissão da CEMAR. 2 CAMPO DE

Leia mais

DIRETORIA GERAL NÚMERO EEM TECNOLOGIA FOLHA 1/23 ESPECIFICAÇÃO DE EMBALAGEM REV DATA 03-27/01/05

DIRETORIA GERAL NÚMERO EEM TECNOLOGIA FOLHA 1/23 ESPECIFICAÇÃO DE EMBALAGEM REV DATA 03-27/01/05 TECNOLOGIA FOLHA 1/23 ÍNDICE DE REVISÕES REVISÃO DATA MOTIVO/DESCRIÇÃO 00 18/03/97 EMISSÃO ORIGINAL. 01 15/08/01 ALT. NO EMITENTE; EXCL. DO CARIMBO ESPECIFICAÇÃO SOB CONSIDERAÇÃO; ALT. ITEM 5 GARANTIA

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 12 / 04 / 2013 1 de 1 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis do isolador pilar de porcelana para sua utilização nas Redes de Distribuição da

Leia mais

FITA DE SINALIZAÇÃO E DELIMITAÇÃO DE ÁREA COM RECOLHEDOR - Especificação Técnica

FITA DE SINALIZAÇÃO E DELIMITAÇÃO DE ÁREA COM RECOLHEDOR - Especificação Técnica FITA DE SINALIZAÇÃO E DELIMITAÇÃO - Especificação Técnica CELG Distribuição S/A SESMT- Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho 1 de 5 ÍNDICE ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3

Leia mais

CAIXA PADRÃO DAE PARA HIDRÔMETROS

CAIXA PADRÃO DAE PARA HIDRÔMETROS CAIXA PADRÃO DAE PARA HIDRÔMETROS ETM 007 VERSÃO 2 Jundiaí 2014 ETM-007 Sumário 1 Objetivo...2 2 Referências normativas...2 3 Definições...2 4 Requisitos gerais...2 Requisitos da caixa padrão DAE S/A para

Leia mais

Dispositivo metálico que exerce função mecânica e/ou elétrica em uma linha aérea.

Dispositivo metálico que exerce função mecânica e/ou elétrica em uma linha aérea. 10 / 05 / 2011 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis do engate concha olhal 90º para utilização nas Subestações da CEMAR. 2 CAMPO DE

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ES.DT.PDN ISOLADORES TIPO ROLDANA EM PORCELANA 01

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ES.DT.PDN ISOLADORES TIPO ROLDANA EM PORCELANA 01 SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN.01.01.093 01 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA-ES PAULO J. TAVARES LIMA ENGENHARIA-SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

SUMÁRIO. CÓDIGO: ETD DATA DE VIGÊNCIA: 20/07/2009 TÍTULO: Parafuso Cabeça Sextavada VERSÃO NORMA: 1.0

SUMÁRIO. CÓDIGO: ETD DATA DE VIGÊNCIA: 20/07/2009 TÍTULO: Parafuso Cabeça Sextavada VERSÃO NORMA: 1.0 SUMÁRIO ETD 001.005.001 PARAFUSO COM ROSCA TOTAL E CABEÇA SEXTAVADA... 2 1. Objetivo... 2 2. Normas e documentos complementares... 2 3. Características Específicas... 2 3.1 Material... 2 3.2 Acabamento...

Leia mais

3 REFERÊNCIAS 4 DISPOSIÇÕES GERAIS

3 REFERÊNCIAS 4 DISPOSIÇÕES GERAIS Elaborador: Mário Sérgio de Medeiros Damascena ET - 05.117.01 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de pino de isolador para utilização

Leia mais

001 Branco / 002 Verde / 003 Cinza / 004 Azul Marinho / 005 Marrom Cacau / Amarelo

001 Branco / 002 Verde / 003 Cinza / 004 Azul Marinho / 005 Marrom Cacau / Amarelo 1 OBJETIVO Estabelecer as condições mínimas para fornecimento de capacete de segurança para uso dos trabalhadores da Superintendência do Porto do Rio Grande, em atividades com exposição a riscos durante

Leia mais

Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis do engate garfo-garfo para utilização nas Subestações da CEMAR.

Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis do engate garfo-garfo para utilização nas Subestações da CEMAR. 09 / 05 / 2011 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis do engate garfo-garfo para utilização nas Subestações da CEMAR. 2 CAMPO DE APLICAÇÃO

Leia mais

DISPOSITIVO PARA FIXAÇÃO DA LINHA DE VIDA - GANCHO

DISPOSITIVO PARA FIXAÇÃO DA LINHA DE VIDA - GANCHO 1. Objetivo Esta especificação tem por objetivo estabelecer a padronização e as características mínimas do dispositivo para fixação da linha de vida - tipo gancho - nos trabalhos de redes e linhas de distribuição.

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0071 FUSÍVEIS TIPO NH DE BAIXA TENSÃO

Leia mais

SUPORTE DE SUSTENTAÇÃO PARA CABOS ÓPTICOS AÉREOS TIPO FDS PRL - ACS Nº 0020 ILUSTRAÇÃO VISTA SUPERIOR SUPORTE FDS TIPO 2 PARAFUSOS'

SUPORTE DE SUSTENTAÇÃO PARA CABOS ÓPTICOS AÉREOS TIPO FDS PRL - ACS Nº 0020 ILUSTRAÇÃO VISTA SUPERIOR SUPORTE FDS TIPO 2 PARAFUSOS' SUPORTE DE SUSTENTAÇÃO PARA CABOS ÓPTICOS AÉREOS TIPO FDS PRL - ACS Nº 0020 ILUSTRAÇÃO VISTA SUPERIOR SUPORTE FDS TIPO 2 PARAFUSOS' ILUSTRAÇÃO VISTA LATERAL SUPORTE FDS TIPO 2 PARAFUSOS' ILUSTRAÇÃO ILUSTRAÇÃO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 26 / 07 / 2013 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de Suporte de Topo Para Isolador Pilar para utilização nas Redes de Distribuição

Leia mais

Suporte de Suspensão de Cabo Óptico

Suporte de Suspensão de Cabo Óptico Suporte de Suspensão de Cabo Óptico 1 - APLICAÇÃO: 1.1 - Produto desenvolvido de forma a proporcionar aplicação e sustentação de até 2 cabos ópticos aéreos CFOA, em vãos máximos de 200,0 metros, para diâmetros

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CAPACETE DE SEGURANÇA E.P.I. ACS Nº 0056 VISTA LATERAL DO CAPACETE DE SEGURANÇA VISTA INTERNA DO CAPACETE DE SEGURANÇA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CAPACETE DE SEGURANÇA E.P.I. ACS Nº 0056 VISTA LATERAL DO CAPACETE DE SEGURANÇA VISTA INTERNA DO CAPACETE DE SEGURANÇA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CAPACETE DE SEGURANÇA E.P.I. ACS Nº 0056 VISTA LATERAL DO CAPACETE DE SEGURANÇA VISTA INTERNA DO CAPACETE DE SEGURANÇA VISTA FRONTAL DO CAPACETE DE SEGURANÇA 1 - APLICAÇÃO: 1.1 -

Leia mais

1. FINALIDADE. Estabelecer os requisitos a serem atendidos para o fornecimento de medidor eletrônico de energia elétrica para tarifa branca.

1. FINALIDADE. Estabelecer os requisitos a serem atendidos para o fornecimento de medidor eletrônico de energia elétrica para tarifa branca. MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE SERVIÇOS E CONSUMIDORES SUBSISTEMA MEDIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-321.0019 MEDIDOR ELETRÔNICO PARA TARIFA BRANCA 1/9 1. FINALIDADE Estabelecer os requisitos a serem atendidos

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 18 / 02 / 2014 1 de 8 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padronizam as dimensões e as características mínimas exigíveis para a haste de aterramento e acessórios utilizados nas Redes de Distribuição,

Leia mais

Dispositivo metálico que exerce função mecânica e/ou elétrica em uma linha aérea.

Dispositivo metálico que exerce função mecânica e/ou elétrica em uma linha aérea. 11 / 05 / 2011 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de engate concha garfo para utilização nas subestações de energia da CEMAR. 2 CAMPO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 10 / 04 / 2013 1 de 1 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para cabos de potência isolado 0,6/1kV utilizados nas Redes de Distribuição da Companhia

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CORDOALHA DE AÇO

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CORDOALHA DE AÇO ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CORDOALHA DE AÇO Código ETD-00.010 Data da emissão 24.11.1986 Data da última revisão 31.03.2008 Folha 1 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Normas Complementares 3 Definições 4 Condições

Leia mais

1. FINALIDADE. Estabelecer os requisitos a serem atendidos para o fornecimento de medidor eletrônico de energia elétrica 30(200)A.

1. FINALIDADE. Estabelecer os requisitos a serem atendidos para o fornecimento de medidor eletrônico de energia elétrica 30(200)A. MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE SERVIÇOS E CONSUMIDORES SUBSISTEMA MEDIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-321.0006 MEDIDOR ELETRÔNICO DE ENERGIA ELÉTRICA 30(200)A 1/8 1. FINALIDADE Estabelecer os requisitos a serem

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE PASSAGEM DE DUTOS MPD 01

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE PASSAGEM DE DUTOS MPD 01 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE PASSAGEM DE DUTOS MPD 01 NÚMERO: 132019 DESENHO: DT-576 EMISSÃO: MARÇO /2013 VALIDADE: MARÇO /2018 REVOGA: 112006 CÓDIGO ERP: Modelo A: 11990197-8 (CON) 10900153-2 (PER)

Leia mais

Cabo não seccionado que é ligado ao BMI através de cabo derivação.

Cabo não seccionado que é ligado ao BMI através de cabo derivação. MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0061 BARRAMENTO MÚLTIPLO ISOLADO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO EMD -.001 1/8 Fotos meramente ilustrativas, para aquisição EMD -.001 2/8 NTD CÓDIGO CEB-D DESCRIÇÃO 4.17 E 4.12 1 OBJETIVO 12095161 121162 Detetor de tensão por contato para baixa tensão BT para utilização

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 24/09/2013 1 de 1 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para Cantoneira para Braço C, utilizados nas Redes de Distribuição da Companhia Energética

Leia mais

Caixa de passagem e ligação

Caixa de passagem e ligação Caixa de passagem e ligação AR14 A prova de tempo e jatos potentes d água Características Construtivas Caixa de passagem e ligação fabricada em liga de alumínio fundido copper free de alta resistência

Leia mais

1. Objetivo Referências 1

1. Objetivo Referências 1 SUMÁRIO Pág. 1. Objetivo 1 2. Referências 1 3. Condições gerais 1 3.1 Geral 1 3.2 Tubos 2 3.3 Barra 2 3.4 Acondicionamento 2 3.5 Apresentação de propostas 3 DISTRIBUIÇÃO AUTOMÁTICA DE CÓPIAS 02.118-TNNT-150

Leia mais

Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para cabo de aço utilizado nas Redes de Distribuição da CEMAR.

Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para cabo de aço utilizado nas Redes de Distribuição da CEMAR. 12 / 11 / 2012 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para cabo de aço utilizado nas Redes de Distribuição da CEMAR. 2 CAMPO DE APLICAÇÃO

Leia mais

SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0044 ILUMINAÇÃO PÚBLICA 1/20 1.

Leia mais

Número: EEM Rev.: 0 Fl. 1/6

Número: EEM Rev.: 0 Fl. 1/6 Número: EEM 80998 Rev.: 0 Fl. 1/6 REV DATA HISTÓRICO DAS REVISÕES EMITIDO APROVADO 00 06/10/2015 Emissão inicial em substituição a especificação EEM 80998 Rev07 Gerson Andreoti Coordenador CQ Mário Alonso

Leia mais

Caixa de passagem e ligação

Caixa de passagem e ligação Caixa de passagem e ligação AR14 A prova de tempo e jatos potentes d água Características Construtivas Caixa de passagem e ligação fabricada em liga de alumínio fundido copper free de alta resistência

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CONJUNTO BLINDADO PARA SUBESTAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CONJUNTO BLINDADO PARA SUBESTAÇÃO DE ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ESPECIFICAÇÃO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN.01.10.004 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA - SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 3

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-134/2014 R-02

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-134/2014 R-02 DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DA REDE /2014 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA /2014 R- FOLHA DE CONTROLE I APRESENTAÇÃO Esta Especificação Técnica encerra requisitos, recomendações e diretrizes para

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 24/09/2013 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para Braço Tipo L, utilizados nas Redes de Distribuição da Companhia Energética do Maranhão-CEMAR

Leia mais

Número: EMP Rev.: 0 Fl. 1/7

Número: EMP Rev.: 0 Fl. 1/7 Número: EMP-84130 Rev.: 0 Fl. 1/7 REV DATA HISTÓRICO DAS REVISÕES EMITIDO APROVADO 0 05/05/2016 Emissão inicial F. Barbosa Eng. Produto J. Marcondes Eng. Produto Número: EMP-84130 Rev.: 0 Fl. 2/7 1 - OBJETIVO

Leia mais

DIRETORIA GERAL NÚMERO EEM TECNOLOGIA FOLHA 1/06 ESPECIFICAÇÃO DE EMBALAGEM REV DATA 02-02/08/05

DIRETORIA GERAL NÚMERO EEM TECNOLOGIA FOLHA 1/06 ESPECIFICAÇÃO DE EMBALAGEM REV DATA 02-02/08/05 TECNOLOGIA FOLHA 1/06 ÍNDICE DE REVISÕES REVISÃO DATA MOTIVO/DESCRIÇÃO 00 23/03/01 EMISSÃO ORIGINAL. 01 08/06/05 INCL. CPC 81591, REVISÃO GERAL E ALT. EMITENTE 02 02/08/05 ALT. DO MÉTODO DE ENSAIO DE E2-16-231

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 09 / 04 / 2013 1 de 1 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de luva de emenda à compressão para cabos de alumínio nas Redes de Distribuição

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 01 / 04 / 2013 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padronizam as dimensões e as características mínimas exigíveis para a haste de aterramento e acessórios utilizados nas Redes de Distribuição,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SINALIZAÇÃO VERTICAL Página 1 de 5 1. OBJETIVO Esta especificação técnica fixa condições exigíveis para o fornecimento de placas de regulamentação, advertência ou indicativas para sinalização vertical

Leia mais

Selo de Segurança para Medição de Cliente

Selo de Segurança para Medição de Cliente ETA 003 Rev. 0 Maio / 2001 Selo de Segurança para Medição de Cliente Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com Diretoria Técnica Gerência de Planejamento e Engenharia

Leia mais

Painel com disjuntores

Painel com disjuntores Painel com disjuntores AR Tomadas/Plugs Painéis A prova de tempo e jatos potentes d água Características Construtivas Painel de distribuição, alimentação, proteção, etc. montados em invólucros fabricados

Leia mais

DECISÃO TÉCNICA DT-206/2007 R-00 PLACA DE CODIFICAÇÃO OPERACIONAL DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS DE SUBESTAÇÃO

DECISÃO TÉCNICA DT-206/2007 R-00 PLACA DE CODIFICAÇÃO OPERACIONAL DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS DE SUBESTAÇÃO DT-206/2007 R-00 DOCUMENTO NORMATIVO Código Página Revisão Emissão DT-206 I 0 MAR/2007 Í N D I C E 1 OBJETIVO...1 2 REFERÊNCIA NORMATIVA...1 3 CARACTERÍSTICAS GERAIS E CONSTRUTIVAS DA PLACA DE CODIFICAÇÃO...1

Leia mais

SUMÁRIO Pág. 1. Objetivo Referências Condições gerais Geral Condições de serviço Garantia Acondicionamento 2

SUMÁRIO Pág. 1. Objetivo Referências Condições gerais Geral Condições de serviço Garantia Acondicionamento 2 SUMÁRIO Pág. 1. Objetivo 1 2. Referências 1 3. Condições gerais 1 3.1 Geral 1 3.2 Condições de serviço 1 3.3 Garantia 2 3.4 Acondicionamento 2 DISTRIBUIÇÃO AUTOMÁTICA DE CÓPIAS 02.118-CONEM-003 ND-2.6

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 09 / 04 / 2013 1 de 1 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para parafuso olhal utilizado nas Redes e Linhas de Distribuição da Companhia Energética

Leia mais

DIRETORIA SUPERINTENDENTE EIP GERÊNCIA DE SUPRIMENTOS 01 ESPECIFICAÇÃO DE IDENTIFICAÇÃO 02-18/03/96 PRODUTO CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO

DIRETORIA SUPERINTENDENTE EIP GERÊNCIA DE SUPRIMENTOS 01 ESPECIFICAÇÃO DE IDENTIFICAÇÃO 02-18/03/96 PRODUTO CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO GERÊNCIA DE SUPRIMENTOS 01 CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO ÁREA SIGLA DATA DISTRIBUIÇÃO Compras Suc GERÊNCIA DE SUPRIMENTOS 02 GERÊNCIA DE SUPRIMENTOS 01/01 ÍNDICE DE REVISÕES REVISÃO DATA MOTIVO/DESCRIÇÃO 0

Leia mais

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado.

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado. 1 OBJETIVO Esta Norma padroniza as dimensões e estabelece as condições gerais e específicas da caixa de medição a ser utilizada para alojar TCs e TPs empregados na medição de unidades consumidoras do Grupo

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CONECTOR GRAMPO DE LINHA VIVA GLV 100 E 400 AMPÉRES - CLASSE 15 kv

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CONECTOR GRAMPO DE LINHA VIVA GLV 100 E 400 AMPÉRES - CLASSE 15 kv EMD-.035 1/5 Conector Grampo de Linha Viva - GLV 400 Ampéres - Desenho orientativo - NOTA: Pequenas variações de forma, nas partes não cotadas, são admissíveis, desde que mantidas as características mecânicas

Leia mais

ETEM 11. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE CHAVE DE AFERIÇÃO Revisão, 04 de agosto de 2011.

ETEM 11. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE CHAVE DE AFERIÇÃO Revisão, 04 de agosto de 2011. DIVISÃO DE MEDIÇÃO E PROTEÇÃO DA RECEITA Departamento de Tecnologia ETEM 11 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE CHAVE DE AFERIÇÃO Revisão, 04 de agosto de 2011. SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 NORMAS APLICÁVEIS... 3 3

Leia mais

DIRETORIA GERAL NÚMERO EMP TECNOLOGIA FOLHA 1/6 ESPECIFICAÇÃO DE MATÉRIA PRIMA ÍNDICE DE REVISÕES

DIRETORIA GERAL NÚMERO EMP TECNOLOGIA FOLHA 1/6 ESPECIFICAÇÃO DE MATÉRIA PRIMA ÍNDICE DE REVISÕES TECNOLOGIA FOLHA 1/6 ÍNDICE DE REVISÕES REVISÃO DATA MOTIVO/DESCRIÇÃO 01 25/04/94 REVISÃO GERAL DA ESPECIFICAÇÃO. 02 04/11/94 INCL. ITEM 2.2, ALT. EXIGIDO EME-231; EXCLUSÃO DO MESMO. 03 17/01/95 ALTERAÇÃO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE ACESSIBILIDADE- MAC- 01 ERG. Especificação Técnica revisada conforme FSET nº 175/2011 acordado com o DERAT.

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE ACESSIBILIDADE- MAC- 01 ERG. Especificação Técnica revisada conforme FSET nº 175/2011 acordado com o DERAT. EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÓDULO DE ACESSIBILIDADE- MAC- 01 ERG NÚMERO: 132008 DESENHO: DT- 494/7 EMISSÃO: MARÇO/2013 VALIDADE: MARÇO/2015 REVOGA: 082104 REVOGA

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 24/09/2013 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para porcaolhal utilizada nas Redes de Distribuição da Companhia Energética do Maranhão

Leia mais

CÓDIGO: ETD DATA DE VIGÊNCIA: 20/12/2016 TÍTULO: Termo de Ocorrência e Inspeção SUMÁRIO

CÓDIGO: ETD DATA DE VIGÊNCIA: 20/12/2016 TÍTULO: Termo de Ocorrência e Inspeção SUMÁRIO SUMÁRIO Objetivo... 2 Características Gerais... 2 Material... 2 Gravações... 2 Vida Útil... 2 Homologação... 2 Inspeções e Ensaios... 3 Aceitação ou rejeição no recebimento... 3 Apresentação... 3 Blocos...

Leia mais

ET-SE -030 TRAVESSIAS COM LUMINÁRIAS À LED

ET-SE -030 TRAVESSIAS COM LUMINÁRIAS À LED Sumário 1 OBJETIVO 2 2 DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 2 3 DEFINIÇÃO 3 4 REQUISITOS ESPECÍFICOS 5 5 DOCUMENTAÇÃO 9 6 GARANTIA 11 Superintendência de Engenharia de Sinalização - SSI Página 1 1 OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos Especificação Sucinta de Quadro de Distribuição Geral - QDG -(Tipo 02) Processo Planejamento, Ampliação e Melhoria da Rede Elétrica Atividade Planeja o Desenvolvimento da Rede Código Edição Data VR01.01-00.226

Leia mais

NBR 7170/1983. Tijolo maciço cerâmico para alvenaria

NBR 7170/1983. Tijolo maciço cerâmico para alvenaria NBR 7170/1983 Tijolo maciço cerâmico para alvenaria OBJETIVO: Fixar condições no recebimento de tijolos maciços cerâmicos destinados a obras de alvenaria, com ou sem revestimento; DEFINIÇÕES: 1. Tijolo

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CAIXAS EM CHAPA DE AÇO OU ALUMÍNIO PARA UTILIZAÇÃO EM ENTRADAS DE UNIDADES CONSUMIDORAS

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CAIXAS EM CHAPA DE AÇO OU ALUMÍNIO PARA UTILIZAÇÃO EM ENTRADAS DE UNIDADES CONSUMIDORAS SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ESPECIFICAÇÃO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN.01.01.161 UTILIZAÇÃO EM ENTRADAS DE UNIDADES 01 APROVADO POR JOSELINO SANTANA FILHO ENGENHARIA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO SUMÁRIO

Leia mais

Linha de Quadros BELBOX. Apresentação

Linha de Quadros BELBOX. Apresentação Apresentação A Linha de Quadros Belbox possui ampla aplicação em projetos para os segmentos industrial, comercial e predial. Sua versatilidade possibilita a utilização como quadros para distribuição, comandos

Leia mais