ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA"

Transcrição

1

2 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. OBJETIVO 1 2. CAMPO DE APLICAÇÃO 1. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 1 4. CONDIÇÕES GERAIS 1 5. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS Caixas em Policarbonato Barra Chata para Fixação do Parafuso de Segurança ANEXO A TABELA 4 TABELA 1 TIPO DE CAIXA DE MEDIÇÃO 4 ANEXO B DESENHOS 5 DESENHO 1 MONOFÁSICO 280 X 175 X DESENHO 1-A MONOFÁSICO TAMPA 6 DESENHO 1-B MONOFÁSICO CORPO 7 DESENHO 1-C MONOFÁSICO ACESSÓRIOS 8 DESENHO 2 POLIFÁSICO 525 X 275 X DESENHO 2-A POLIFÁSICO TAMPA 10 DESENHO 2-B POLIFÁSICO CORPO 11 DESENHO 2-C POLIFÁSICO ACESSÓRIOS 12 DESENHO CURVA BOX 1 DESENHO -A CURVA BOX DETALHE DE MONTAGEM 14 DESENHO 4 SUPORTE PARA A CAIXA 15 DESENHO 5 SUPORTE PARA O ELETRODUTO 16 DESENHO 6 PARAFUSO AUTOTARRAXANTE 17 DESENHO 7 BUCHA 18 DESENHO 8 ARRUELA 19 CT-0/18 NORMATIZAÇÃO TÉCNICA E DESENHOS DE REDE

3 1. OBJETIVO O presente comunicado técnico visa apresentar os novos modelos de caixas de medição que serão utilizadas em conjunto com os cabos concêntricos. 2. CAMPO DE APLICAÇÃO A caixa padronizada neste comunicado destina-se a utilização pelos clientes do Grupo B monofásicos ou polifásicos na área de concessão da CELG D.. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES Para o projeto, construção e ensaios das caixas e seus acessórios deverão ser seguidas as prescrições das seguintes normas, em suas últimas revisões. ABNT NBR IEC ABNT NBR IEC ABNT NBR IEC Graus de proteção para invólucros de equipamentos elétricos (código IP). Ensaios relativos aos riscos de fogo - Parte 2-10: Ensaio de fio incandescente/aquecido - Aparelhagem e método comum de ensaio. Ensaios relativos ao risco de fogo - Parte 2-11: Métodos de ensaio de fio incandescente/aquecido - Método de ensaio de inflamabilidade para produtos acabados. NTC-2 Caixas em Policarbonato para Equipamentos de Medição e Proteção - Especificação e Padronização. 4. CONDIÇÕES GERAIS Para fins de fabricação, inspeção e ensaios, acondicionamento, identificação e garantia, a caixa de policarbonato padronizada por este comunicado técnico deve atender às exigências da NTC-2. As caixas padronizadas possuem as dimensões e características constantes nos Desenhos 01, 01-A, 01-B e 01-C; 02, 02-A, 02-B e 02-C; A caixa monofásica ou polifásica em policarbonato deve ser fornecida com 2 (duas) Curvas Box, dois parafusos autotarraxantes, duas buchas e arruelas. Itens conforme desenho, 6, 7 e 8. A caixa de medição deve ser fornecida com folheto ilustrativo, contento instruções detalhadas para instalação e montagem do padrão de medição, e do termo de garantia. Materiais ou modelos de caixas diferentes dos constantes neste comunicado técnico devem ser previamente submetidos à análise e aceitação da CELG D. CT 0/18 NORMATIZAÇÃO TÉCNICA E DESENHOS DE REDE 1

4 5. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Caixas em Policarbonato Corpo da Caixa O corpo da caixa deve ser de policarbonato cinza, possuir características antichama, proteção contra raios ultravioleta e espessura adequada para suportar os esforços mecânicos aplicados durante os ensaios de tipo e de recebimento Tampa da Caixa A tampa da caixa deve ser em policarbonato transparente e incolor, possuir características antichama, proteção contra raios ultravioleta e espessura adequada para suportar os esforços mecânicos aplicados durante os ensaios de tipo e de recebimento. Especial cuidado deve ser dado ao encaixe da parte superior da tampa com o corpo da caixa, de tal forma que não seja possível forçar as superfícies, provocando o desencaixe do corpo da caixa com a tampa. A área destinada ao visor deve ser moldada diretamente na tampa Placa para Fixação do Medidor A placa para fixação do medidor e o seu sistema de fixação a caixa deve ser fabricado do mesmo material do corpo da caixa e permitir a fixação do medidor através de parafuso Dispositivo de Aterramento O corpo da caixa deve possuir sistema de fixação do condutor de aterramento que garanta sua conexão com o medidor, mesmo após esforços mecânicos aplicados a este condutor. Os componentes metálicos do dispositivo devem ser de latão, aço inox ou aço bicromatizado e os não metálicos devem ser do mesmo material da caixa. Recomenda-se a utilização do sistema de fixação instalado perpendicularmente ao fundo da caixa do medidor com as seguintes características: a) terminal - cilindro com rosca interna de 1/4 e comprimento de 19 ± 1, com diâmetro de 10 ± 0,5 ; b) 2 arruelas - lisas, diâmetro interno de 6,6 ± 0,5, diâmetro externo mínimo de 14,4 e máximo de 19, espessuras de 1, ± 0,2 ; c) parafuso - cabeça abaulada com fenda central, rosca de 1/4 e comprimento de 16 ± Luva para Alojamento do Parafuso de Segurança Parte integrante da tampa da caixa cuja forma cilíndrica possui a função de alojar o parafuso que fixa a tampa ao corpo da caixa de medição. As dimensões da luva estão definidas nos desenhos específicos de cada caixa. CT 0/18 NORMATIZAÇÃO TÉCNICA E DESENHOS DE REDE 2

5 5.1.6 Suporte para Disjuntor O suporte deve possibilitar o perfeito encaixe da parte superior do disjuntor ao rasgo do nicho existente na tampa e ser próprio para instalação de disjuntores com sistema de fixação por trilho (padrão DIN europeu) ou por presilha (padrão UL americano). Todos os acessórios necessários à instalação do disjuntor devem ser fornecidos pelo fabricante da caixa, tais como porcas, parafusos, arruelas, presilhas, trilhos, etc. Os componentes metálicos do suporte devem ser de latão, aço inox ou aço bicromatizado e os não metálicos devem ser do mesmo material da caixa Nicho para Disjuntor Parte integrante da tampa da caixa cuja forma permite o encaixe da parte de acionamento do disjuntor, padrão UL ou DIN, através de pré-cortes. O nicho deve ser projetado de tal forma que permita o encaixe do disjuntor com folgas máximas de 1 entre a parede do nicho e o disjuntor. O nicho deve possuir tampa que garanta o grau de proteção IP especificado nos ensaios de tipo, e lingueta com orifício de 5 de diâmetro. A tampa do nicho deve, quando fechada e travada, impedir o acesso à manopla do disjuntor. Não deve ser possível acessar partes energizadas, através do nicho para disjuntor, quando o disjuntor estiver instalado, mesmo que a tampa do nicho esteja aberta. O encaixe entre o nicho e o disjuntor não deve impedir a abertura e retirada da tampa da caixa enquanto o disjuntor estiver instalado Fixação da Caixa As caixas de policarbonato para medição monofásica e a caixa de proteção devem ser fornecidas com parafuso, arruela e bucha para fixação a parede, acondicionados em saco plástico, conforme descrição abaixo: a) três arruelas redondas, dimensões 16x1x6, conforme Desenho 8; b) três parafusos autoatarraxantes, cabeça cilíndrica, conforme Desenho 6; c) três buchas de nylon, conforme Desenho Barra Chata para Fixação do Parafuso de Segurança O fabricante deve apresentar modelo de fixação do parafuso ao corpo da caixa, conforme modelos no ANEXO B. CT 0/18 NORMATIZAÇÃO TÉCNICA E DESENHOS DE REDE

6 Código CELG D ANEXO A TABELA TABELA 1 TIPO DE CAIXA DE MEDIÇÃO Descrição Caixa de policarbonato, com tampa com ressalto, para medição monofásica de energia elétrica, 280x175x75 Caixa de policarbonato, com tampa com ressalto, para medição trifásica de energia elétrica, 525x275x155 Desenho Desenho 1 Desenho 2 Tipo de Montagem Aparente Aparente CT 0/18 NORMATIZAÇÃO TÉCNICA E DESENHOS DE REDE 4

7 4 ANEXO B - DESENHOS DESENHO VER DETALHE 1 VISTA FRONTAL COM TAMPA VISTA LATERAL COM TAMPA LEGENDA: 1 - Tampa em policarbonato transparente. 2 - Nome CELG D em alto-relevo transparente. - Nicho do disjuntor. 4 - Janela transparente de acesso ao disjuntor. 5 - Nome do fabricante em alto-relevo transparente. 6 - Lingueta transparente para instalação de cadeado. 7 - Luva para alojamento do parafuso de segurança. 8 - Lingueta transparente com orifício para selagem da caixa. 9 - Data de fabricação em alto-relevo Número de série ou lote. DETALHE 1 DISTÂNCIA MÍNIMA LIVRE PARA A OPERAÇÃO DE INSTALAÇÃO OU RETIRADA DO PARAFUSO DE SEGURANÇA COM O USO DA CHAVE MAGNÉTICA 11 - Suporte para fixação do parafuso de segurança, com rosca de 1/4" e fios de rosca por polegada, com 15 de comprimento Marcação para encaixe do eletroduto de aterramento. 1 - Fixador do aterramento Suporte do disjuntor Quatro suportes para fita de aço inox de 19 para fixação da caixa ao poste marcação de entrada/saida lateral de condutores: - lado inferior esquerdo : entrada CELG D. - lado inferior direito : saída consumidor 17 - Suporte da placa de fixação (chassi) Placa de fixação (chassi) Corpo da caixa, em policarbonato, cor cinza. - Reforços para fechamento da caixa. R= 12 NOTAS: 1) Fabricação, inspeção, ensaios e demais características, conforme NTC-2. 2) O desenho é orientativo. ) Dimensões aproximadas. DATA: JAN/18 MONOFÁSICO X 175 X 175 SUBST.: NORMA: CT 0/18 REF.: 05

8 4 DESENHO 1-A Ø14 Ø 0, Ø5 VER DETALHE 1 Ø VISTA FRONTAL VISTA LATERAL 4 LINGUETA COM ORIFÍCIO PARA SELAGEM DA CAIXA ,5 87,5 175 VISTA SUPERIOR Ø7,5 Ø14 DETALHE 1 LUVA PARA ALOJAMENTO DO PARAFUSO DE SEGURANÇA DATA: DEZ/17 MONOFÁSICO - TAMPA SUBST.: NORMA: CT 02/17 REF.: 06

9 DESENHO 1-B ,5 76, MARCAÇÃO: "ENTRADA CELG" LADO ESQUERDO "SAÍDA CLIENTE" ,5 87, FIXADOR DE ATERRAMENTO 5 VISTA LATERAL VISTA FRONTAL 175 Ø MARCAÇÃO PARA ENCAIXE DO ELETRODUTO DE ATERRAMENTO VISTA INFERIOR NOTAS: 1) As marcações para entrada e saída lateral e para aterramento devem possuir guia central para serra-corpo, circunscrita por marcação em baixo-relevo de 21 de diâmetro. 2) O desenho é orientativo. ) Dimensões aproximadas. DATA: DEZ/17 MONOFÁSICO - CORPO SUBST.: NORMA: CT 02/17 REF.: 07

10 DESENHO 1-C Ø7 5 7Ø 8 Ø Ø VISTA FRONTAL PLACA DE FIXAÇÃO (CHASSI) VISTA LATERAL PLACA DE FIXAÇÃO (CHASSI) VISTA INFERIOR SUPORTE COM DISJUNTOR NA POSIÇÃO INSTALADA NOTAS: 1) O suporte do disjuntor deve ser próprio para instalação de disjuntores com o sistema de fixação por trilho (padrão din europeu) ou presilha (padrão ul americano), todos os acessórios necessários à instalação do disjuntor devem ser fornecidos pelo fabricante. 2) O desenho é orientativo. ) Dimensões aproximadas. DATA: DEZ/17 MONOFÁSICO - ACESSÓRIOS SUBST.: NORMA: CT 02/17 REF.: 08

11 DESENHO VISTA FRONTAL VISTA LATERAL LEGENDA: VISTA INFERIOR Tampa em policarbonato transparente. 2 - Nome celg em alto-relevo transparente. - Nicho do disjuntor. 4 - Janela transparente de acesso ao disjuntor. 5 - Nome do fabricante em alto-relevo transparente. 6 - Lingueta transparente com orifício para selagem da caixa. 7 - Luva para alojamento do parafuso de segurança. 8 - Lingueta transparente com orifício para selagem da caixa. 9 - Data de fabricação em alto-relevo Número de série ou lote Suporte para fixação do parafuso de segurança, com rosca de 1/4" e fios de rosca por polegada, com 15 de comprimento Marcação para encaixe do eletroduto de aterramento. 1 - Fixador do aterramento Suporte do disjuntor Seis suportes para fita de aço inox de 19 para fixação da caixa ao poste Marcação de entrada/saida lateral de condutores: - lado inferior esquerdo : entrada celg. - lado inferior direito : saída consumidor 17 - Suporte da placa de fixação (chassi) Placa de fixação (chassi) Corpo da caixa, em policarbonato, cor cinza. - Reforços para fechamento da caixa Ressalto para reforço do embutimento na parede Marcação para embutir na parede. NOTAS: 1) Fabricação, inspeção, ensaios e demais características, conforme NTC-2. 2) O desenho é orientativo. ) Dimensões aproximadas. DATA: DEZ/17 POLIFÁSICO x 275 x 155 SUBST.: NORMA: CT 02/17 REF.: 09

12 DESENHO 2-A VISTA FRONTAL VISTA LATERAL VISTA INFERIOR DATA: DEZ/17 POLIFÁSICO - TAMPA SUBST.: NORMA: CT 02/17 REF.: 10

13 DESENHO 2-B ,5 128, MARCAÇÃO: "ENTRADA CELG" LADO ESQUERDO "SAÍDA CONSUMIDOR" LADO DIREITO ON OFF FIXADOR DE ATERRAMENTO Ø ,5 17,5 EMBUTIR ATÉ AQUI VISTA FRONTAL COM CHASSI VISTA LATERAL COM CHASSI Ø EMBUTIR ATÉ AQUI VISTA INFERIOR COM CHASSI NOTAS: 1) As marcações para entrada e saída lateral e para aterramento devem possuir guia central para serra-corpo, circunscrita por marcação em baixo-relevo de 60 de diâmetro. 2) A marcação para entrada de aterramento deve possuir guia central para serra-corpo circunscrita por marcação em baixo-relevo de 21 de diâmetro. ) O desenho é orientativo. 4) Dimensões aproximadas. DATA: DEZ/17 POLIFÁSICO - CORPO SUBST.: NORMA: CT 02/17 REF.: 11

14 DESENHO 2-C ,5 0,5 0, , , VISTA FRONTAL 10 2 VISTA POSTERIOR VISTA LATERAL 7 4 PARAFUSO CABEÇA ABAULADA PARA A FIXAÇÃO DO CHASSI 6 7 VISTA INFERIOR 60 Ø RASGO OBLONGO VERTICAL TIPO 1 RASGO OBLONGO VERTICAL TIPO 2 RASGO OBLONGO HORIZONTAL VISTA FRONTAL SUPORTE DO DISJUNTOR VISTA LATERAL SUPORTE DO DISJUNTOR VISTA INFERIOR SUPORTE DO DISJUNTOR NOTAS: 1) O suporte do disjuntor deve ser próprio para instalação de disjuntores com sistema de fixação por trilho (padrão din europeu) ou presilha (padrão UL americano). Todos os acessórios necessários à instalação do disjuntor devem ser fornecidos pelo fabricante. 2) O desenho é orientativo. ) Dimensões aproximadas. DATA: DEZ/17 POLIFÁSICO - ACESSÓRIOS SUBST.: NORMA: CT 02/17 REF.: 12

15

16

17 DESENHO 4 Ø Espaço para fixar ao poste Notas: Dimensões em milímetros (). Material: Chapa USG 14 (2 ) em aço 1008, galvanizado. Deverá ser fornecido com parafusos e porcas para o seu perfeito funcionamento. Para poste de 7 metros, considerar o diâmetro nominal de 100. CÓDIGO DIÂMETRO () DATA: JAN/18 SUPORTE PARA CAIXA MONOFÁSICA SUBST.: NORMA: CT 0/18 REF.: 15

18 DESENHO 5 Espaço para fixar ao Poste Ø4 158 Espaço para fixar o eletroduto 76 CÓDIGO DIÂMETRO () Notas: 1) Dimensões em milímetros (). 2) Material: Chapa USG 14 (2 ) em aço 1008, galvanizado. ) Deverá ser fornecido com parafusos e porcas para o seu perfeito funcionamento. 4) Para poste de 7 metros, considerar o diâmetro nominal de ) O Suporte do eletroduto deverá possuir características técnicas construtivas de forma a suportar o esforço mecânico necessário para apoio da escada. DATA: JAN/18 SUPORTE PARA ELETRODUTO APARENTE SUBST.: NORMA: CT 0/18 REF.: 16

19

20 DESENHO 7 ABA EXTERNA 2 50 VISTA FRONTAL VISTA LATERAL Ø12 Ø8 Ø6 VISTA SUPERIOR VISTA INFERIOR NOTAS 1) Material: nylon ou plástico de engenharia na cor cinza ou bege. 2) A bucha deve ser do tipo ux, possuir aba externa e ser própria para parafuso de aço auto atarraxante com diâmetro de 4,5 a 6. ) Resistência da bucha: - térmica: de -40 c a +80 c; - mecânica: a bucha quando instalada com o parafuso de maior diâmetro recomendado deve suportar em: - concreto: mínimo 60 dan; - parede de tijolo furado: mínimo de 50 dan. 4) A bucha deve possuir boa elasticidade. 5) O fornecimento à CELG D está condicionado à previa aprovação do protótipo. 6) Identificação: a peça deve ser identificada com o modelo e nome ou marca do fabricante, em auto relevo. 7) O desenho é orientativo. 8) Dimensões aproximadas. DATA: JAN/18 BUCHA SUBST.: NORMA: CT 0/18 REF.: 18

21

Caixa concentradora de disjuntores

Caixa concentradora de disjuntores FIGURA 1 - CAIXA COM TAMPA 532 15 4 2,5 162 120 42 DETALHE 1 VISTA SUPERIOR DETALHE 2 49 ALINHAMENTO ENTRE A JANELA PARA DISJUNTOR E O TRILHO PARA DISJUNTOR TAMPA DA JANELA PARA DISJUNTOR JANELA VENEZIANA

Leia mais

Caixa para Medidor Monofásico

Caixa para Medidor Monofásico N O Data Revisões Visto Vanderlei Robadey Aprov. Antônio C.Alves Página 1 de 6 75± 75±5 N O Data Revisões Visto Vanderlei Robadey Aprov. Antônio C.Alves Página 2 de 6 N O Data Revisões Visto Vanderlei

Leia mais

Caixa para Medidor Monofásico Eletrônico

Caixa para Medidor Monofásico Eletrônico Código 6783261 N O Data Revisões Aprov. Vanderlei Robadey Página 1 de 7 N O Data Revisões Aprov. Vanderlei Robadey Página 2 de 7 N O Data Revisões Aprov. Vanderlei Robadey Página 3 de 7 1 Material 1.1

Leia mais

agrupados Nº DET 1

agrupados Nº DET 1 CAIXA COM TAMPA VISTA SUPERIOR 22 100 27 53 FURO PARA LACRE Ø2 20 VISTA LATERAL DIREITA ROSCA W 1/4" PARA PARAFUSO DE SEGURANÇA 11 DET 1 VISTA INFERIOR DET 1 Código 6790320 Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei

Leia mais

Caixa para medidor polifásico

Caixa para medidor polifásico FIRUGA 1: CAIXA COM TAMPA 252 VISTA SUPERIOR 132 74 A 385 PRÉ-FURO Ø5 48 A Ø2 FURO PARA LACRE MÍN. 10,5 15 LUVA W1/4 VISTA LATERAL ESQUERDA VISTA FRONTAL VISTA LATERAL DIREITA 35 39 51 VISTA INFERIOR Código

Leia mais

Eletrocalhas. Telefones: (11) , (11) Eletrocalhas

Eletrocalhas.  Telefones: (11) , (11) Eletrocalhas Telefones: (11) 2126-3333, (11) 5641-5090 Eletrocalhas s eletrocalhas são bandejas metálicas fabricadas em chapas de aço SE 1008/1010, conforme a NR 11888-2 e NR 7013. Dobradas em forma de U, podendo ser

Leia mais

HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Alterações e Inclusão de ensaios.

HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Alterações e Inclusão de ensaios. Processo Planejar, Ampliar e Melhorar a Rede Elétrica Atividade Obras de Distribuição Código Edição Data VR01.02-00.003 Folha 5ª 1 DE 33 28/09/2007 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA CONFECÇÃO DA CAIXA TERMOPLÁSTICA

INSTRUÇÕES PARA CONFECÇÃO DA CAIXA TERMOPLÁSTICA O padrão tipo caixa termoplástica para assentamento na parede é utilizado para instalação de hidrômetro em ligações com expectativa de consumo de até 270 m3 por mês, e poderá ser empregado nas seguintes

Leia mais

CONHEÇA AQUI O PADRÃO PARA NOVA LIGAÇÃO

CONHEÇA AQUI O PADRÃO PARA NOVA LIGAÇÃO CONHEÇA AQUI O PADRÃO PARA NOVA LIGAÇÃO Para que a Celpa ligue a sua luz pela primeira vez, você precisa estar com o padrão de entrada de energia instalado corretamente. Chamamos de Padrão de Entrada Celpa

Leia mais

SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0044 ILUMINAÇÃO PÚBLICA 1/20 1.

Leia mais

ETEM 11. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE CHAVE DE AFERIÇÃO Revisão, 04 de agosto de 2011.

ETEM 11. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE CHAVE DE AFERIÇÃO Revisão, 04 de agosto de 2011. DIVISÃO DE MEDIÇÃO E PROTEÇÃO DA RECEITA Departamento de Tecnologia ETEM 11 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE CHAVE DE AFERIÇÃO Revisão, 04 de agosto de 2011. SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 NORMAS APLICÁVEIS... 3 3

Leia mais

Linha de Quadros BELBOX. um novo conceito no segmento de instalações elétricas

Linha de Quadros BELBOX. um novo conceito no segmento de instalações elétricas um novo conceito no segmento de instalações elétricas Apresentação A Linha de Quadros Belbox possui ampla aplicação em projetos para os segmentos industrial, comercial e predial. Sua versatilidade possibilita

Leia mais

PAINÉIS MODULARES. Central de Relacionamento : (11)

PAINÉIS MODULARES. Central de Relacionamento : (11) KITS - representam uma economia de 50% de mão de obra e de 40% de transporte, maior rotatividade de estoque com um ganho de 47% de espaço. CPD - acessórios modulares que garantem flexibilidade de instalação,

Leia mais

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado.

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado. 1 OBJETIVO Esta Norma padroniza as dimensões e estabelece as condições gerais e específicas da caixa de medição a ser utilizada para alojar TCs e TPs empregados na medição de unidades consumidoras do Grupo

Leia mais

Caixa de passagem e ligação

Caixa de passagem e ligação Caixa de passagem e ligação AR14 A prova de tempo e jatos potentes d água Características Construtivas Caixa de passagem e ligação fabricada em liga de alumínio fundido copper free de alta resistência

Leia mais

Caixa de Derivação e Caixa de proteção e Derivação

Caixa de Derivação e Caixa de proteção e Derivação ETA 006 Rev. 0 Setembro / 2001 Caixa de Derivação e Caixa de proteção e Derivação Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com Diretoria Técnica Gerência de Planejamento

Leia mais

1. FINALIDADE. Estabelecer os requisitos a serem atendidos para o fornecimento de medidor eletrônico de energia elétrica. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO

1. FINALIDADE. Estabelecer os requisitos a serem atendidos para o fornecimento de medidor eletrônico de energia elétrica. 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE SERVIÇOS E CONSUMIDORES SUBSISTEMA MEDIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-321.0015 MEDIDOR ELETRÔNICO DE ENERGIA ELÉTRICA COM SAÍDA RS485 1/8 1. FINALIDADE Estabelecer os requisitos a

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO FOLHA MEDIDOR ELETRÔNICO DE ENERGIA ELÉTRICA COM SAÍDA RS485 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO

CÓDIGO TÍTULO FOLHA MEDIDOR ELETRÔNICO DE ENERGIA ELÉTRICA COM SAÍDA RS485 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE SERVIÇOS E CONSUMIDORES SUBSISTEMA MEDIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-321.0015 MEDIDOR ELETRÔNICO DE ENERGIA ELÉTRICA COM SAÍDA RS485 1/10 1. FINALIDADE Estabelecer os requisitos

Leia mais

CONJUNTO DE EMENDA REENTRÁVEL E TERMINAL DE ACESSO CERTA

CONJUNTO DE EMENDA REENTRÁVEL E TERMINAL DE ACESSO CERTA CONJUNTO DE EMENDA REENTRÁVEL E TERMINAL DE ACESSO CERTA CONJUNTO DE EMENDA REENTRÁVEL E TERMINAL DE ACESSO - CERTA : 1. APLICAÇÃO: O Conjunto CERTA é aplicado no abrigo de emenda de cabos aéreos com condutores

Leia mais

Caixa de passagem e ligação

Caixa de passagem e ligação Caixa de passagem e ligação AR14 A prova de tempo e jatos potentes d água Características Construtivas Caixa de passagem e ligação fabricada em liga de alumínio fundido copper free de alta resistência

Leia mais

Padrão Técnico Distribuição Caixa de Medição Tipo IV

Padrão Técnico Distribuição Caixa de Medição Tipo IV 1- ÂMBITO DE APLICAÇÃO: Esta padronização se aplica a entradas de consumidores polifásicos onde o padrão de entrada tem medição voltada para a calçada, atendidos em tensão secundária de distribuição das

Leia mais

Linha de Quadros BELBOX. Apresentação

Linha de Quadros BELBOX. Apresentação Apresentação A Linha de Quadros Belbox possui ampla aplicação em projetos para os segmentos industrial, comercial e predial. Sua versatilidade possibilita a utilização como quadros para distribuição, comandos

Leia mais

Prefeitura Municipal de Não-Me-Toque Secretaria da Fazenda [daianeluisa] Anexo Itens Página : 1 de 4 Tomada de Preços N 9/2015 ITEM QTD UN ESPECIFICAÇÃO DO MATERIAL/SERVIÇO MARCA PR.UN TOTAL 1 3 UN CENTRO

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00038/

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00038/ 91081 - EMPRESAS DE ENERGIA 926137 - GER. DE CENTRO DE SER.COMP.ESCRITóRIOCENTRAL RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00038/2017-000 1 - Itens da Licitação 1 - CABO REDE COMPUTADOR 350 Bobina em caixa

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos Especificação Sucinta de Caixa Modelo F5 Uso Interno Processo Planejamento, Ampliação e Melhoria da Rede Elétrica Atividade Planeja o Desenvolvimento da Rede Código Edição Data VR.-00.197 2ª Folha 1 DE

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos Especificação Sucinta de Caixa Modelo F5 Uso Externo Processo Planejamento, Ampliação e Melhoria da Rede Elétrica Atividade Planeja o Desenvolvimento da Rede Código Edição Data VR.-00.198 2ª Folha 1 DE

Leia mais

MATERIAIS DE INSTALAÇÃO DE TELECOMUNICAÇÔES - SNSG

MATERIAIS DE INSTALAÇÃO DE TELECOMUNICAÇÔES - SNSG DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO GERÊNCIA REGIONAL NORTE GRN SERVIÇO NORTE DE TELECOMUNICAÇÕES SNTL ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-SNTL-001/2012 MATERIAIS DE INSTALAÇÃO DE TELECOMUNICAÇÔES - SNSG COMPANHIA HIDRO ELÉTRICA

Leia mais

1. FINALIDADE. Estabelecer os requisitos a serem atendidos para o fornecimento de medidor eletrônico de energia elétrica para tarifa branca.

1. FINALIDADE. Estabelecer os requisitos a serem atendidos para o fornecimento de medidor eletrônico de energia elétrica para tarifa branca. MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE SERVIÇOS E CONSUMIDORES SUBSISTEMA MEDIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-321.0019 MEDIDOR ELETRÔNICO PARA TARIFA BRANCA 1/9 1. FINALIDADE Estabelecer os requisitos a serem atendidos

Leia mais

NORMA TÉCNICA NTE PADRÃO PRÉ-FABRICADO. Cuiabá Mato Grosso - Brasil

NORMA TÉCNICA NTE PADRÃO PRÉ-FABRICADO. Cuiabá Mato Grosso - Brasil NORMA TÉCNICA NTE - 011 PADRÃO PRÉ-FABRICADO Cuiabá Mato Grosso - Brasil 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo padronizar, especificar e fixar os critérios e as exigências técnicas mínimas relativas

Leia mais

Padrão Técnico Distribuição Caixa de Medição Tipo V

Padrão Técnico Distribuição Caixa de Medição Tipo V 1- ÂMBITO DE APLICAÇÃO: Esta padronização se aplica a entradas de consumidores polifásicos onde o padrão de entrada tem medição voltada para a calçada atendidos em tensão secundária de distribuição das

Leia mais

Quadro para Instrumentos para Medição Agrupada de Consumidor

Quadro para Instrumentos para Medição Agrupada de Consumidor CARACATERÍSTICAS DOS QUADROS ITEM FUNÇÃO CÓDIGO 01 PROTEÇÃO GERAL 300A E MEDIÇÃO DIRETA DO SERVIÇO 6797335 02 PROTEÇÃO GERAL 800A E MEDIÇÃO DIRETA DO SERVIÇO 6797338 03 PROTEÇÃO GERAL 800A E MEDIÇÃO INDIRETA

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO STRINGUETO & CIA LTDA. FONES: (11) / site:

CATÁLOGO TÉCNICO STRINGUETO & CIA LTDA. FONES: (11) / site: CATÁLOGO TÉCNICO STRINGUETO & CIA LTDA. FONES: () 4606-3663 / 4606-3673 site: www.stringueto.com.br e-mail: stringueto@stringueto.com.br APRESENTAÇÃO Página 1 A STRINGUETO & Cia Ltda. foi fundada em julho

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ETD - 07 CRUZETA DE CONCRETO ARMADO PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO E PADRONIZAÇÃO EMISSÃO: julho/2003 REVISÃO: janeiro/2004 FOLHA : 1 / 7 OBS : 1 Dimensões

Leia mais

ELETROCALHAS CKE / 50 / 3000 PZ REFERÊNCIA LARGURA ALTURA COMPRIMENTO ACABAMENTO ALTURA

ELETROCALHAS CKE / 50 / 3000 PZ REFERÊNCIA LARGURA ALTURA COMPRIMENTO ACABAMENTO ALTURA ELETROCLHS ELETROCLHS LISS Como solicitar: ex.: Eletrocalha Lisa Tipo U Larg. 100x50x CKE 500 100 / 50 / 3000 PZ REFERÊNCI LRGUR LTUR COMPRIMENTO CMENTO Dimensão dos Furos: 7x25mm Comprimento padrão: cabamento:

Leia mais

Sistema de Telecomunicações. Especificação Técnica para Distribuidor Geral de Telemática

Sistema de Telecomunicações. Especificação Técnica para Distribuidor Geral de Telemática TOTAL DISTRIBUIÇÃO AUTOMÁTICA DE CÓPIAS Sistema de Telecomunicações Especificação Técnica para Distribuidor Geral de Telemática DIST. QTDE/TIP ÓRGÃO d c b a GEDOC Rev. Data Feito Visto Aprov Data Descrição

Leia mais

Nas exigências de um determinado material deve prevalecer, respectivamente, o exigido:

Nas exigências de um determinado material deve prevalecer, respectivamente, o exigido: MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0048 EQUIPAMENTOS 1/16 1. FINALIDADE

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD - 3.06 PADRÃO DE CAIXAS DE MEDIÇÃO, PROTEÇÃO E DERIVAÇÃO PARA MEDIÇÃO INDIVIDUAL E AGRUPADA 2ª EDIÇÃO JULHO - 2012 DIRETORIA DE ENGENHARIA SUPERINTENDÊNCIA DE PLANEJAMENTO

Leia mais

DIRETORIA FINANCEIRA CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO

DIRETORIA FINANCEIRA CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO GERÊNCIA DE SUPRIMENTOS 01 CARRETEL DE MADEIRA PARA EXPORTAÇÃO FICAP OPTEL CONTROLE DE DISTRIBUIÇÃO ÁREA SIGLA DATA DISTRIBUIÇÃO Suprimentos Tecnologia Cabos Ópticos Fs Tto GERÊNCIA DE SUPRIMENTOS 1/18

Leia mais

O que é Padrão de Entrada?

O que é Padrão de Entrada? 1 O que é Padrão de Entrada? O padrão de entrada é o conjunto de condutores, eletrodutos, poste, caixa de medição e demais acessórios utilizados na sua montagem, padronizados pela Cosern e de acordo com

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos Especificação Sucinta de Centro de Distribuição CD (Tipo 02) Processo Planejamento, Ampliação e Melhoria da Rede Elétrica Atividade Planeja o Desenvolvimento da Rede Código Edição Data VR01.01-00.5 1ª

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG D Caixas em Policarbonato para Equipamentos de Medição e Proteção Especificação e Padronização NTC-32 Revisão 3

NORMA TÉCNICA CELG D Caixas em Policarbonato para Equipamentos de Medição e Proteção Especificação e Padronização NTC-32 Revisão 3 NORMA TÉCNICA CELG D Caixas em Policarbonato para Equipamentos de Medição e Proteção Especificação e Padronização NTC- Revisão ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. OBJETIVO 1. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES.

Leia mais

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono.

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Definição ( montado): é uma combinação de dispositivos e equipamentos de manobra,

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CAPACETE DE SEGURANÇA E.P.I. ACS Nº 0056 VISTA LATERAL DO CAPACETE DE SEGURANÇA VISTA INTERNA DO CAPACETE DE SEGURANÇA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CAPACETE DE SEGURANÇA E.P.I. ACS Nº 0056 VISTA LATERAL DO CAPACETE DE SEGURANÇA VISTA INTERNA DO CAPACETE DE SEGURANÇA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CAPACETE DE SEGURANÇA E.P.I. ACS Nº 0056 VISTA LATERAL DO CAPACETE DE SEGURANÇA VISTA INTERNA DO CAPACETE DE SEGURANÇA VISTA FRONTAL DO CAPACETE DE SEGURANÇA 1 - APLICAÇÃO: 1.1 -

Leia mais

DIRETORIA GERAL NÚMERO EEM TECNOLOGIA FOLHA 1/23 ESPECIFICAÇÃO DE EMBALAGEM REV DATA 03-27/01/05

DIRETORIA GERAL NÚMERO EEM TECNOLOGIA FOLHA 1/23 ESPECIFICAÇÃO DE EMBALAGEM REV DATA 03-27/01/05 TECNOLOGIA FOLHA 1/23 ÍNDICE DE REVISÕES REVISÃO DATA MOTIVO/DESCRIÇÃO 00 18/03/97 EMISSÃO ORIGINAL. 01 15/08/01 ALT. NO EMITENTE; EXCL. DO CARIMBO ESPECIFICAÇÃO SOB CONSIDERAÇÃO; ALT. ITEM 5 GARANTIA

Leia mais

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA Notas: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA A fiação do ramal de saída deve ser a mesma fiação do ramal de entrada; O padrão de entrada na zona rural deverá ficar no mínimo de 10 metros e no máximo

Leia mais

Perfilados e Ferragens

Perfilados e Ferragens Telefones: (11) 2126-3333, (11) 5641-5090 Perfilados e Ferragens Perfil estrutural conformado em chapas de aço carbono SE 1008/1010, conforme normas NBR 11888-2 e NBR 7013. Dimensões padrões que podem

Leia mais

3 REFERÊNCIAS 4 DISPOSIÇÕES GERAIS

3 REFERÊNCIAS 4 DISPOSIÇÕES GERAIS Elaborador: Mário Sérgio de Medeiros Damascena ET - 05.117.01 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de pino de isolador para utilização

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos Especificação Sucinta de Centro de Distribuição CD (Tipo 04) Processo Planejamento, Ampliação e Melhoria da Rede Elétrica Atividade Planeja o Desenvolvimento da Rede Código Edição Data VR.-00.252 1ª Folha

Leia mais

Ferragem de rede aérea que se fixa numa superfície, em geral a face superior de uma cruzeta, na qual, por sua vez, é fixado um isolador de pino.

Ferragem de rede aérea que se fixa numa superfície, em geral a face superior de uma cruzeta, na qual, por sua vez, é fixado um isolador de pino. 26 / 07 / 2011 1 de 10 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis do pino de isolador para utilização nas Redes de Distribuição da CEMAR. 2 CAMPO

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CAIXAS EM CHAPA DE AÇO OU ALUMÍNIO PARA UTILIZAÇÃO EM ENTRADAS DE UNIDADES CONSUMIDORAS

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CAIXAS EM CHAPA DE AÇO OU ALUMÍNIO PARA UTILIZAÇÃO EM ENTRADAS DE UNIDADES CONSUMIDORAS SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ESPECIFICAÇÃO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN.01.01.161 UTILIZAÇÃO EM ENTRADAS DE UNIDADES 01 APROVADO POR JOSELINO SANTANA FILHO ENGENHARIA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO SUMÁRIO

Leia mais

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE IX MONTAGEM ELÉTRICA

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE IX MONTAGEM ELÉTRICA MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE IX MONTAGEM ELÉTRICA Montagem Elétrica Os serviços de montagens elétricas estão presentes em todas as instalações que produzem ou utilizam energia, compreendendo: Geração nas

Leia mais

Projetor Ex nr / Ex tb (com alojamento p/ reator e auxiliares)

Projetor Ex nr / Ex tb (com alojamento p/ reator e auxiliares) Projetor Ex nr / Ex tb (com alojamento p/ reator e auxiliares) AZnR16 Respiração restrita e jatos potentes d água Características Construtivas Projetor industrial com corpo e tampa fabricado em liga de

Leia mais

Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal

Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal DDI/SCD/SED Maio/2010 Notas sobre esta revisão (maio/2010) Este manual, originalmente desenvolvido para Entrada

Leia mais

QB-01. Quadro branco. Mobiliário. Obs.: Item que depende de instalação Utilizar o serviço Instalação de quadro branco (QB-01) Atenção

QB-01. Quadro branco. Mobiliário. Obs.: Item que depende de instalação Utilizar o serviço Instalação de quadro branco (QB-01) Atenção 2500 DETALHE 1 0 6 00 DETALHE 2 ( VER DETALHE CONSTRUTIVO MDF (mm) REVESTIDO EM LAMINADO MELAMÍNICO LOUSA QUADRICULADO COR: BRANCO BRILHANTE PISO ACABADO VISTA FRONTAL ESC. 1: ASSEGURAR QUADRICULADO COMPLETO

Leia mais

GE Industrial Solutions. Fix-o-Rail. Quadros de embutir e sobrepor. GE imagination at work

GE Industrial Solutions. Fix-o-Rail. Quadros de embutir e sobrepor. GE imagination at work GE Industrial Solutions Fix-o-Rail Quadros de embutir e sobrepor GE imagination at work Fix-o-Rail Quadros de distribuição de baixa tensão em conformidade com a Norma NBR IEC 60439-3. Fix-o-Rail são quadros

Leia mais

Produtos para potência elétrica, comando, automação e encaminhamento de cabos.

Produtos para potência elétrica, comando, automação e encaminhamento de cabos. Produtos e sistemas [ INDUSTRIAL ] Produtos para potência elétrica, comando, automação e encaminhamento de cabos. Produtos para infra-estrutura elétrica e automação, de utilização nos disversos ambientes

Leia mais

Caixas Plásticas, Quadros e Acessórios

Caixas Plásticas, Quadros e Acessórios Caixas Plásticas, Quadros e Acessórios Caixas Plásticas Fabricadas em plástico de engenharia Na cor cinza claro Grau de Externa Interna Proteção 3050 85 x 85 x 65 80 x 80 x 60 IP 42 3020 123 x 85 x 65

Leia mais

MANUAL DE INFRA-ESTRUTURA MEDLIQ MMD1 CONDIÇÕES DE INFRA-ESTRUTURA INDISPENSÁVEIS PARA UMA CORRETA INSTALAÇÃO DO APARELHO MEDIDOR MEDILIQ MODELO MMD1.

MANUAL DE INFRA-ESTRUTURA MEDLIQ MMD1 CONDIÇÕES DE INFRA-ESTRUTURA INDISPENSÁVEIS PARA UMA CORRETA INSTALAÇÃO DO APARELHO MEDIDOR MEDILIQ MODELO MMD1. 1/5 CONDIÇÕES DE INFRA-ESTRUTURA INDISPENSÁVEIS PARA UMA CORRETA INSTALAÇÃO DO APARELHO MEDIDOR MEDILIQ MODELO MMD1. REQUISITOS INDISPENSÁVEIS: 1. Todas as linhas de tubulações, e caixas de passagem, deverão

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos Especificação Sucinta de Quadro de Distribuição Geral - QDG -(Tipo 02) Processo Planejamento, Ampliação e Melhoria da Rede Elétrica Atividade Planeja o Desenvolvimento da Rede Código Edição Data VR01.01-00.226

Leia mais

Latão Parafuso Sextavado Rosca Inteira

Latão Parafuso Sextavado Rosca Inteira PA SX LT Dimensões: ANSI B 8.. Rosca: - UNC ASME B.-A - BSW BS 84 - média Parafuso Sextavado Rosca Inteira Código da Linha - UNC: 90 - BSW: 9 TABELA DE PREÇOS Nº 0 (3/6 ) /4 /6 / F.P.P. UNC BSW 4 0 8 6

Leia mais

Perfilados e Ferragens

Perfilados e Ferragens PERFILDOS E FERRGENS Perfilados e Ferragens Perfil estrutural conformado em chapas de aço carbono SE 1008/1010, conforme normas NBR 11888-2 e NBR 7013. Dimensões padrões que podem ser de 19x38 mm, 38x38

Leia mais

CAIXAS PARA EQUIPAMENTOS DE MEDIÇÃO. Características básicas e exigências mínimas para fabricação

CAIXAS PARA EQUIPAMENTOS DE MEDIÇÃO. Características básicas e exigências mínimas para fabricação ' CAIXAS PARA EQUIPAMENTOS DE MEDIÇÃO Características básicas e exigências mínimas para fabricação 1. Objetivo Estabelecer os aspectos relativos a caixas metálicas para equipamentos de medição, quanto

Leia mais

[1] NBR 5426:1989 Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos;

[1] NBR 5426:1989 Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos; 17 / 05 / 2012 1 de 8 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para o parafuso de cabeça abaulada utilizado nas Redes de Distribuição da CEMAR.

Leia mais

QDETG-X e QDETG-UX quadros de distribuição de 150A e 225A

QDETG-X e QDETG-UX quadros de distribuição de 150A e 225A QDETG-X e QDETG-UX quadros de distribuição de 150A e 225A 903954 904004 903902 903902 exemplo montado Dimensões (pág. 130) principal 150/225A. derivações 40/32A. Cor Bege RAL 7032. Padrão DIN: Quadros

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 26 / 04 / 2013 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para grampo de linha viva utilizado nas Redes de Distribuição Aéreas da Companhia

Leia mais

1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO. Aplica-se ao Departamento de Gestão Técnica Comercial, fabricantes e fornecedores da empresa. 3.

1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO. Aplica-se ao Departamento de Gestão Técnica Comercial, fabricantes e fornecedores da empresa. 3. MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE SERVIÇOS E CONSUMIDORES SUBSISTEMA MEDIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-321.0016 MEDIDOR ELETRÔNICO MULTIFUNÇÃO PARA MEDIÇÃO INDIRETA PARA CLIENTES DO GRUPO B 1/9 1. FINALIDADE Estabelecer

Leia mais

uso externo Nº 2117 1

uso externo Nº 2117 1 Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 1 de 12 DESENHO 2 - CORPO DA CAIXA DISPOSITIVO PARA LACRE DE SEGURANÇA A B ROSCA M6 x 1 TORRE DE FIXAÇÃO ROSCA M10 x 1,5 C TORRE DE FIXAÇÃO ROSCA M10 x

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0021 RELÉ FOTOELÉTRICO E BASE PARA

Leia mais

ET-SE -030 TRAVESSIAS COM LUMINÁRIAS À LED

ET-SE -030 TRAVESSIAS COM LUMINÁRIAS À LED Sumário 1 OBJETIVO 2 2 DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 2 3 DEFINIÇÃO 3 4 REQUISITOS ESPECÍFICOS 5 5 DOCUMENTAÇÃO 9 6 GARANTIA 11 Superintendência de Engenharia de Sinalização - SSI Página 1 1 OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

produtos com características modernas para o seu projeto. Seu portfólio conta com uma linha

produtos com características modernas para o seu projeto. Seu portfólio conta com uma linha Aliado a um design inovador e um acabamento diferenciado, a IP METAL apresenta ao mercado produtos com características modernas para o seu projeto. Seu portfólio conta com uma linha completa de Racks de

Leia mais

Painel com disjuntores

Painel com disjuntores Painel com disjuntores AR Tomadas/Plugs Painéis A prova de tempo e jatos potentes d água Características Construtivas Painel de distribuição, alimentação, proteção, etc. montados em invólucros fabricados

Leia mais

COMPANHIA ESPÍRITO SANTENSE DE SANEAMENTO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA MONTAGEM DE QUADROS E PAINEIS ELÉTRICOS ODMN-VIT-ET

COMPANHIA ESPÍRITO SANTENSE DE SANEAMENTO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA MONTAGEM DE QUADROS E PAINEIS ELÉTRICOS ODMN-VIT-ET COMPANHIA ESPÍRITO SANTENSE DE SANEAMENTO DE QUADROS E PAINEIS ELÉTRICOS ODMN-VIT-ET-2015-002 1 1. ESCOPO Esta Prescrição Técnica estabelece os requisitos técnicos gerais para execução da montagem, testes

Leia mais

Projetor Ex de AZW45. (sem alojamento p/ reator e auxiliares)

Projetor Ex de AZW45. (sem alojamento p/ reator e auxiliares) Projetor Ex de (sem alojamento p/ reator e auxiliares) AZW45 Tomadas/Plugs Painéis A prova de explosão, segurança aumentada e jatos potentes d água Características Construtivas Projetor industrial. Corpo,

Leia mais

POSTES DE DIVISA - ALTERNATIVAS E ORIENTAÇÕES

POSTES DE DIVISA - ALTERNATIVAS E ORIENTAÇÕES 1. Objetivo Complementar as normas referentes ao atendimento e ao fornecimento de energia elétrica em baixa tensão, quanto aos aspectos de localização e disposição dos materiais e equipamentos nas montagens

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA Folha: 1/10 (As propostas serão abertas para julgamento às 09:15 horas do dia 23/05/2011). Fornecedor:... Endereço:... Cidade:... Estado:... Telefone: CNPJ / CPF:... Inscrição Estadual:... Fax: Validade

Leia mais

EQUIPAMENTOS À PROVA DE TEMPO

EQUIPAMENTOS À PROVA DE TEMPO CAIXAS DE PASSAGEM Para derivações aparentes ou embutidas, as Caixas de Passagem WETZEL representam uma ótima solução. Por sua resistência à corrosão, garantem excepcional durabilidade. Opcionalmente,

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00062/

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00062/ 26237 - UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA 153061 - MEC/UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00062/2017-000 1 - Itens da Licitação 1 - CHUMBADOR PADRONIZADO CHUMBADOR

Leia mais

CT Caixas de Policarbonato para Padrão de Entrada de Baixa Tensão com Leitura Voltada para a Via Pública. Comunicado Técnico

CT Caixas de Policarbonato para Padrão de Entrada de Baixa Tensão com Leitura Voltada para a Via Pública. Comunicado Técnico CT - 67 Caixas de Policarbonato para Padrão de Entrada de Baixa Tensão com Leitura Voltada para a Via Pública Comunicado Técnico Diretoria de Engenharia Gerência de Serviços Técnicos Página 2 de 24 FOLHA

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 09 / 04 / 2013 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de fio de cobre isolado para utilização em circuitos de iluminação/tomadas e aterramento

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG D. Ligações Especiais para Atendimento em Baixa Tensão NTC-74

NORMA TÉCNICA CELG D. Ligações Especiais para Atendimento em Baixa Tensão NTC-74 NORMA TÉCNICA CELG D Ligações Especiais para Atendimento em Baixa Tensão NTC-74 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 3 4. CONDIÇÕES GERAIS DE

Leia mais

Caixa de passagem Ex e / Ex tb

Caixa de passagem Ex e / Ex tb Tomadas/Plugs Painéis Caixa de passagem Ex e / Ex tb Segurança aumentada, tempo e jatos potentes d água. Características Construtivas Caixa de passagem e ligação fabricada em liga de alumínio fundido copper

Leia mais

Padrão Técnico Distribuição Caixa de Medição Tipo II

Padrão Técnico Distribuição Caixa de Medição Tipo II 1- ÂMBITO DE APLICAÇÃO: Esta padronização se aplica a entradas de consumidores monofásicos e bifásicos onde o padrão de entrada tem medição voltada para o terreno, atendidos em tensão secundária de distribuição

Leia mais

Manual de Instalação Adelift Light com Divisória de Lona

Manual de Instalação Adelift Light com Divisória de Lona Página 1 de 13 Objetivo: O objetivo desse manual é ajudar na identificação dos componentes e orientar os procedimentos para instalação do sistema Adelift Light, e sua divisória, no implemento rodoviário.

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0049 ISOLADORES 1/19 1. FINALIDADE

Leia mais

CO-18. Corrimão duplo. Componentes. Código de listagem. Atenção. Elaboração Data 12/06/07 Página 1/11

CO-18. Corrimão duplo. Componentes. Código de listagem. Atenção. Elaboração Data 12/06/07 Página 1/11 1/11 2/11 3/11 4/11 5/11 6/11 7/11 8/11 9/11 10/11 DESCRIÇÃO Constituintes CORRIMÃO (galvanizado a fogo e com pintura eletrostática): - Tubo de aço carbono, tipo industrial, Ø=41,27mm (1 5/8 ), e=2,5mm.

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA FORNECIMENTO DE TRANSFORMADOR DE CORRENTE 15 kv 25X50/5 A MONDALIDADE ATA DE REGISTRO DE PREÇO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA FORNECIMENTO DE TRANSFORMADOR DE CORRENTE 15 kv 25X50/5 A MONDALIDADE ATA DE REGISTRO DE PREÇO SME.ET.006/00 Pág. 1/11 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA FORNECIMENTO DE TRANSFORMADOR DE CORRENTE 15 kv 25X50/5 A MONDALIDADE ATA DE REGISTRO DE PREÇO CELG D CELG Distribuição S.A. Setor de Medição Rua 2, Quadra

Leia mais

QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO

QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO perfeitos para o seu projeto www.alumbra.com.br beleza e segurança agora em uma linha completa em uma instalação elétrica, toda escolha é muito importante: seja na etapa de infraestrutura,

Leia mais

Postes e Caixas para Medição de Energia Elétrica de Unidades Consumidoras. Norma. Revisão 04A 11/2017 NORMA ND.16

Postes e Caixas para Medição de Energia Elétrica de Unidades Consumidoras. Norma. Revisão 04A 11/2017 NORMA ND.16 Postes e Caixas para Medição de Energia Elétrica de Unidades Consumidoras Norma 04A 11/2017 NORMA ELEKTRO REDES S.A. Diretoria de Processos e Tecnologia. Rua Ary Antenor de Souza, 321 Jd. Nova América

Leia mais

S I G A E S S A E N E RG I A

S I G A E S S A E N E RG I A LINHA DE PRODUTOS 2016 S I G A E S S A E N E RG I A CONHEÇA A TAF MISSÃO Desenvolvimento de soluções na área de medição e distribuição de energia elétrica e hidráulica. VISÃO Ser referência de qualidade

Leia mais

ECX/AR ECX/BF ECX/BT ECX/BRD. Conexões. para fixação de eletrodutos à caixa em conjunto com bucha.

ECX/AR ECX/BF ECX/BT ECX/BRD. Conexões. para fixação de eletrodutos à caixa em conjunto com bucha. 73 ECX/AR para fixação de eletrodutos à caixa em conjunto com bucha. ECX/BF fixação de eletroduto à caixa, proporcionando proteção de fios e cabos. ECX/BT Bucha com terminal de aterramento fabricada em

Leia mais

SUMÁRIO Pág. 1. Objetivo Referências Condições gerais Geral Condições de serviço Garantia Acondicionamento 2

SUMÁRIO Pág. 1. Objetivo Referências Condições gerais Geral Condições de serviço Garantia Acondicionamento 2 SUMÁRIO Pág. 1. Objetivo 1 2. Referências 1 3. Condições gerais 1 3.1 Geral 1 3.2 Condições de serviço 1 3.3 Garantia 2 3.4 Acondicionamento 2 DISTRIBUIÇÃO AUTOMÁTICA DE CÓPIAS 02.118-CONEM-003 ND-2.6

Leia mais

Elementos de máquina. Curso Técnico Concomitante em Mecânica 3º módulo. Diego Rafael Alba

Elementos de máquina. Curso Técnico Concomitante em Mecânica 3º módulo. Diego Rafael Alba E Curso Técnico Concomitante em Mecânica 3º módulo Diego Rafael Alba 1 Roscas É um conjunto de filetes em torno de uma superfície cilíndrica; Podem ser internas e externas. 2 Perfil de rosca Triangular;

Leia mais

Maçaneta tamanho grande Instalação embutida. M6 x 20 (4) 211,3. 35 (1.4) Corpo, maçaneta e componentes rotativos: nylon com fibra de vidro, preto

Maçaneta tamanho grande Instalação embutida. M6 x 20 (4) 211,3. 35 (1.4) Corpo, maçaneta e componentes rotativos: nylon com fibra de vidro, preto AC-10 - Acionadores 264 218 (8.6) Maçaneta tamanho grande Instalação embutida Fixação pela parte traseira Modelo com instalação embutida Capacidade de acionamento de ponto único, multipontos ou tração

Leia mais

Disjuntor NEDJ À prova de explosão

Disjuntor NEDJ À prova de explosão Equipamento de distribuição DISJUNTORES PARA ÁREAS CLASSIFICADAS COMO ZONA NBR IEC Aplicações Este é um sistema para proteção contra contatos acidentais, sobrecargas e curtos-circuitos. Usado em áreas

Leia mais

HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Alterações e Inclusão de ensaios.

HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Alterações e Inclusão de ensaios. Processo Planejar, Ampliar e Melhorar o Sistema Elétrico Atividade Obras de Distribuição Código Edição Data VR01.02-00.003 Folha 9ª 1 DE 43 04/07/2013 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em

Leia mais

QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO. Quadro de distribuição de embutir Número de filas. Capacidade em módulos de 18mm

QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO. Quadro de distribuição de embutir Número de filas. Capacidade em módulos de 18mm O quadro de distribuição (para uso interno) foi desenvolvido para instalação de dispositivos modulares DIN no setor residencial. Design ergonômico e facilidade de instalação. Com porta opaca, opções de

Leia mais

Instalação do Kit da Chave do Sensor da Porta do NetShelter AP9513

Instalação do Kit da Chave do Sensor da Porta do NetShelter AP9513 Instalação do Kit da Chave do Sensor da Porta do NetShelter AP9513 Este kit é para utilização com o NetShelter VX, NetShelter SX, ou outros gabinetes padrão de 19 polegadas. Componentes Chave (2) Ímã (2)

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SAFETYMAX

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SAFETYMAX DOCUMENTAÇÃO (LEGAL) REGULAMENTAR E NORMATIVA APLICÁVEL REGRAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE BAIXA TENSÃO - Portaria 949-A/2006 de 11 de Setembro. DIRECTIVA DE BAIXA TENSÃO 2006/95/CE - Decreto

Leia mais