Conector perfurante isolado com estribo para aterramento

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conector perfurante isolado com estribo para aterramento"

Transcrição

1 Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 1 de 5

2 ITEM PRINCIPAL AL / CU (mm2) CONDUTOR DERIVAÇÃO Estribo Diâmetro (mm) Torque Máximo (dan x m) Código de Estoque , Estribo Nota: 1- O Estribo será adquirido separado do conector. 2- O conector será utilizado nos condutores pré-reunido com as seguinte seções: Alumínio: 2x16+1x25 mm², 3x25+1x35 mm², 3x35+1x50 mm², 3x50+1x50 mm², 3x95+1x50 mm², 3x150+1x70 mm² Cobre: 3x16+1x16 mm², 2x25+1x25 mm², 3x35+1x35 mm², 3x70+1x50 mm², 3x95+1x50 mm² 1 Material a) Corpo isolado: material polimérico resistente a intempéries e aos raios ultravioletas, na cor preta. b) Contato dentado: liga de cobre estanhado (camada mínima de 8 µm) e condutividade elétrica mínima de 98% IACS a 20 o C. c) Estribo: Cobre estanhado (camada mínima de 8 µm), têmpera dura, com condutividade elétrica mínima de 96% IACS d) Parafuso torquimétrico: liga de alumínio, com cabeça hexagonal de 13 mm. e) Junta isolante, capuz de estribo e tampão de vedação da conexão do estribo: material elastomérico, incorporados ao corpo de forma imperdível, na cor preta. 2 Características mecânicas a) O contato elétrico deverá ser efetuado até o valor de 0,7 vezes o torque nominal indicado pelo fabricante. b) A ruptura do limitador de torque deverá ser efetuada até o valor de 1,5 vezes o torque nominal indicado pelo fabricante. Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 2 de 5

3 c) O conector deve possuir superfície isenta de inclusões, trincas, lascas, rachaduras, porosidades, saliências, arestas cortantes, cantos vivos ou outras imperfeições compatíveis com sua utilização. d) O conector deve possuir uma luva em liga de cobre para conexão do estribo que tem rosca métrica M 10. e) Após a retirada do aterramento e remoção do estribo, esta luva, citada no item anterior, deve ser isolada através de tampão, que acompanha o conector. f) O parafuso torquimétrico deverá ser resistente ao torque final sem apresentar deformações. g) A impermeabilidade e a estanqueidade da junta isolante devem ser asseguradas através de materiais elastoméricos apropriados, sem o emprego de produtos como graxas, pastas, gel, etc., os quais deverão ser removidos para realização do ensaio de tensão aplicada. h) Cada conector deverá conter, duas juntas isolantes de material elastomérico, que deverá se auto ajustar ao isolante do condutor durante a conexão, tornando-a estanque e a prova d água. i) Resistência a tração: o conector devidamente instalado no condutor, deve suportar a tração especificada na tabela do item da norma C , nas condições indicada no referido item da norma. 3 Características Elétricas Elevação de Temperatura: o conector devidamente instalado no condutor, circulando a corrente correspondente a do estribo, não deverá apresentar elevação de temperatura superior a do condutor de derivação, após a estabilização térmica do ensaio. 4 Identificação O material deve conter as seguintes informações gravadas sobre o seu corpo de forma legível e indelével: a) nome ou marca do fabricante; b) referência do material; c) seções mínimas e máximas de aplicação dos condutores em mm2; mês e ano de fabricação. 5 Fornecimento Para fornecimento à Ampla, deve-se ter protótipo previamente aprovado. Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 3 de 5

4 6 Ensaios 6.1 Ensaios de tipo a) Verificação visual e dimensional; b) Resistência de isolamento (no ar) (conforme item 8.4 da EN 50393); c) Impacto a temperatura ambiente (conforme item 8.5 da EN 50393); d) Tensão aplicada imerso em água, inclusive com o capuz instalado (imerso), de 6kV a 60 Hz, durante 60 segundos (conforme item 8.3 da EN 50393); e) Resistência de isolamento (imerso) (conforme item 8.4 da EN 50393); f) Ciclo térmico com curto circuito (Classe A, conforme IEC ); g) Névoa salina (500h, conforme IEC ); h) Resistência mecânica (conforme C ); i) Resistência ao intemperismo UV, conforme ASTM G-155, ciclo horas. 6.2 Ensaios de recebimento Deverão ser realizados os ensaios abaixo relacionados, obedecendo à mesma metodologia e sequência aplicadas na realização dos respectivos ensaios de tipo: a) inspeção visual e dimensional; b) Resistência mecânica (conforme C ); c) Tensão aplicada imerso em água, inclusive com o capuz instalado (imerso), de 6kV a 60 Hz, durante 60 segundos (conforme item 8.3 da EN 50393); d) Resistência de isolamento (no ar) (conforme item 8.4 da EN 50393); e) Condutividade elétrica da liga do contato dentado, mínima de 98% IACS a 20 o C. 6.3 Amostragem Amostragem dupla normal, nível de inspeção I, NQA 1,5%, conforme NBR Embalagem O material deve ser embalado individualmente em sacos plásticos, com as devidas identificações especificadas no item 3. Os conectores, assim acondicionados, deverão ser embalados em caixas de papelão, e após, paletizadas. Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 4 de 5

5 8 Garantia O material deve ser garantido pelo período de 18 meses a partir de sua de entrada em operação ou 24 meses a partir da sua data de entrega, prevalecendo o que ocorrer primeiro. Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 5 de 5

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO COBERTURA TIPO MANTA PARA REPARO DE CONDUTORES COBERTOS CLASSE TENSÃO 15 e 35 kv

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO COBERTURA TIPO MANTA PARA REPARO DE CONDUTORES COBERTOS CLASSE TENSÃO 15 e 35 kv EMD-.014 1/06 DESENHO MANTA COBERTURA- CLASSE 15 kv Código Tensão Dimensões (mm) CEB (kv) Largura Comprimento 92020176 13,8 140 200 92020174 13,8 200 400 DESENHO MANTA COBERTURA CLASSE 35 kv Código Tensão

Leia mais

uso externo Nº 2117 1

uso externo Nº 2117 1 Nº Data Revisões Aprov.: Vanderlei Robadey Página 1 de 12 DESENHO 2 - CORPO DA CAIXA DISPOSITIVO PARA LACRE DE SEGURANÇA A B ROSCA M6 x 1 TORRE DE FIXAÇÃO ROSCA M10 x 1,5 C TORRE DE FIXAÇÃO ROSCA M10 x

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 18 / 02 / 2014 1 de 8 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padronizam as dimensões e as características mínimas exigíveis para a haste de aterramento e acessórios utilizados nas Redes de Distribuição,

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0049 ISOLADORES 1/19 1. FINALIDADE

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DISTRIBUIÇÃO ETD - 07 CRUZETA DE CONCRETO ARMADO PARA REDES DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO E PADRONIZAÇÃO EMISSÃO: julho/2003 REVISÃO: janeiro/2004 FOLHA : 1 / 7 OBS : 1 Dimensões

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0071 FUSÍVEIS TIPO NH DE BAIXA TENSÃO

Leia mais

Dispositivo metálico que exerce função mecânica e/ou elétrica em uma linha aérea.

Dispositivo metálico que exerce função mecânica e/ou elétrica em uma linha aérea. 11 / 05 / 2011 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de engate concha garfo para utilização nas subestações de energia da CEMAR. 2 CAMPO

Leia mais

Dispositivo metálico que exerce função mecânica e/ou elétrica em uma linha aérea.

Dispositivo metálico que exerce função mecânica e/ou elétrica em uma linha aérea. 10 / 05 / 2011 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis do engate concha olhal 90º para utilização nas Subestações da CEMAR. 2 CAMPO DE

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 10 / 04 / 2013 1 de 1 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para cabos de potência isolado 0,6/1kV utilizados nas Redes de Distribuição da Companhia

Leia mais

SUPORTE DE SUSTENTAÇÃO PARA CABOS ÓPTICOS AÉREOS TIPO FDS PRL - ACS Nº 0020 ILUSTRAÇÃO VISTA SUPERIOR SUPORTE FDS TIPO 2 PARAFUSOS'

SUPORTE DE SUSTENTAÇÃO PARA CABOS ÓPTICOS AÉREOS TIPO FDS PRL - ACS Nº 0020 ILUSTRAÇÃO VISTA SUPERIOR SUPORTE FDS TIPO 2 PARAFUSOS' SUPORTE DE SUSTENTAÇÃO PARA CABOS ÓPTICOS AÉREOS TIPO FDS PRL - ACS Nº 0020 ILUSTRAÇÃO VISTA SUPERIOR SUPORTE FDS TIPO 2 PARAFUSOS' ILUSTRAÇÃO VISTA LATERAL SUPORTE FDS TIPO 2 PARAFUSOS' ILUSTRAÇÃO ILUSTRAÇÃO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CAPACETE DE SEGURANÇA E.P.I. ACS Nº 0056 VISTA LATERAL DO CAPACETE DE SEGURANÇA VISTA INTERNA DO CAPACETE DE SEGURANÇA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CAPACETE DE SEGURANÇA E.P.I. ACS Nº 0056 VISTA LATERAL DO CAPACETE DE SEGURANÇA VISTA INTERNA DO CAPACETE DE SEGURANÇA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CAPACETE DE SEGURANÇA E.P.I. ACS Nº 0056 VISTA LATERAL DO CAPACETE DE SEGURANÇA VISTA INTERNA DO CAPACETE DE SEGURANÇA VISTA FRONTAL DO CAPACETE DE SEGURANÇA 1 - APLICAÇÃO: 1.1 -

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 24/09/ 2013 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para o gancho olhal utilizadas nas Redes de Distribuição Aéreas da Companhia Energética

Leia mais

LUVAS DE CORRER DE PVC 12 DEFOFO

LUVAS DE CORRER DE PVC 12 DEFOFO LUVAS DE CORRER DE PVC 12 DEFOFO ETM 002 VERSÃO 0 Jundiaí 2013 Aplicação: GAE e GME ETM-002 Sumário 1 Objetivo...3 2 Referências normativas...3 3 Definições...3 4 Requisitos gerais...4 4.1 Condições de

Leia mais

Materiais em Liga de Alumínio para Redes Aéreas de Distribuição de Energia Elétrica. Padronização. Revisão 04 08/2014 NORMA ND.09

Materiais em Liga de Alumínio para Redes Aéreas de Distribuição de Energia Elétrica. Padronização. Revisão 04 08/2014 NORMA ND.09 Materiais em Liga de Alumínio para Redes Aéreas de Distribuição de Energia Elétrica Padronização 08/2014 NORMA ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. Diretoria de Operações Gerência Executiva de Engenharia,

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Nome dos grupos Especificação Sucinta de Caixa Modelo F5 Uso Externo Processo Planejamento, Ampliação e Melhoria da Rede Elétrica Atividade Planeja o Desenvolvimento da Rede Código Edição Data VR.-00.198 2ª Folha 1 DE

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A. CERON PREGÃO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S.A. CERON PREGÃO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL Eletrobrás MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA ANEXO XIII DO EDITAL Anexo XIII do Pregão Eletrônico n 029/2009 Página 1 de 11 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA TRANSFORMADORES DE CORRENTE AUXILIARES 0,6 KV USO INTERIOR

Leia mais

Caixa para medidor polifásico com trava na tampa e visor

Caixa para medidor polifásico com trava na tampa e visor FIRUGA 1: CAIXA COM TAMPA 227 VISTA SUPERIOR 114 57 A 14 209 345 45 LENTE 46 171 PRÉ-FURO Ø5 53 VISTA LATERAL ESQUERDA Ø2 FURO PARA LACRE A VISTA FRONTAL MÍN. 10,5 15 LUVA W1/4 VISTA LATERAL DIREITA 48

Leia mais

Rede de Distribuição Aérea de Média Tensão em condutores nus para áreas com Poluição Salina PARTE 3 SEÇÃO 3-B

Rede de Distribuição Aérea de Média Tensão em condutores nus para áreas com Poluição Salina PARTE 3 SEÇÃO 3-B Rede de Distribuição Aérea de Média Tensão em condutores nus para áreas com Poluição Salina PARTE 3 SEÇÃO 3-B Rede de Distribuição Aérea de Média Tensão em condutores nus para áreas com Poluição Salina

Leia mais

NTE Especificação Técnica DIRETORIA DE ENGENHARIA. Gerência de Serviços Técnicos ELABORADO POR: COLABORADORES:

NTE Especificação Técnica DIRETORIA DE ENGENHARIA. Gerência de Serviços Técnicos ELABORADO POR: COLABORADORES: NTE-8.463 Conector tipo Perfurante para ligação de Luminária de Iluminação Pública em Rede de Distribuição Aérea Secundária envolvendo Condutores Nus, Multiplexados Flexíveis e Rígidos de Alumínio e Cobre

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO. CABOS DE ALUMÍNIO MULTIPLEXADOS COLORIDOS (AUTOSSUSTENTÁVEL DE 0,6/1,0 kv)

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO. CABOS DE ALUMÍNIO MULTIPLEXADOS COLORIDOS (AUTOSSUSTENTÁVEL DE 0,6/1,0 kv) EMD - 0.005 1/10 NTD 2.07 CÓDIGO CEB-D ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E TIPO DE CABO FORMAÇÃ O SEÇÃO NOMINAL (mm 2 ) Nº MÍN. DE FIOS TABELA 1 CONDUTOR FASE DIÂMETRO DO ESPES CONDUTOR (mm) SURA DA ISOLAÇ

Leia mais

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado.

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado. 1 OBJETIVO Esta Norma padroniza as dimensões e estabelece as condições gerais e específicas da caixa de medição a ser utilizada para alojar TCs e TPs empregados na medição de unidades consumidoras do Grupo

Leia mais

Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal

Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal DDI/SCD/SED Maio/2010 Notas sobre esta revisão (maio/2010) Este manual, originalmente desenvolvido para Entrada

Leia mais

Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para cabo de aço utilizado nas Redes de Distribuição da CEMAR.

Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para cabo de aço utilizado nas Redes de Distribuição da CEMAR. 12 / 11 / 2012 1 de 6 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis para cabo de aço utilizado nas Redes de Distribuição da CEMAR. 2 CAMPO DE APLICAÇÃO

Leia mais

Aplica-se aos órgãos usuários, empreiteiras e aos fornecedores dos materiais.

Aplica-se aos órgãos usuários, empreiteiras e aos fornecedores dos materiais. MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0077 TERMINAIS E EMENDAS PRÉ ISOLADAS

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO EMD -.038 1/13 Foto meramente ilustrativa EMD -.038 2/13 CÓDIGO CEB D DESCRIÇÃO 32020025 Adaptador de Cabo 600 A 15 kv cabo cobre 95 mm². 35060039 Adaptador de Cabo 600 A.15 kv, cabo de cobre de 185/240

Leia mais

Seção 6 Armaduras, Emendas, Reparos e Protetores Preformados

Seção 6 Armaduras, Emendas, Reparos e Protetores Preformados Transmissão: Seção 6 PLP BRASIL Seção 6 Armaduras, Emendas, Reparos e Protetores Preformados Índice Página Armadura Preformada para Condutor de Alumínio e Cordoalha de Aço AR 6-2 Emenda Preformada para

Leia mais

KMAT 400ºC 1KV PROJETOS ESPECIAIS. Dados Construtivos: Valores Nominais. Peso (kg/km) Diâmetro Externo Nominal (mm) Formação Classe 4 (mm) Seção (mm²)

KMAT 400ºC 1KV PROJETOS ESPECIAIS. Dados Construtivos: Valores Nominais. Peso (kg/km) Diâmetro Externo Nominal (mm) Formação Classe 4 (mm) Seção (mm²) Quando o assunto é equipamentos ou processos seguros, contar com uma solução personalizada em cabos elétricos pode ser fundamental para o sucesso de sua empresa, seja para suprir suas necessidades técnicas

Leia mais

Diretrizes de Projeto de Revestimento de Fachadas com Argamassa

Diretrizes de Projeto de Revestimento de Fachadas com Argamassa Diretrizes de Projeto de Revestimento de Fachadas com Argamassa 6. Procedimento de Execução Elaboração Estruturas de Concreto e Revestimentos de Argamassa 92 Instruções para a contratação de mão-de-obra

Leia mais

Caixa de passagem e ligação

Caixa de passagem e ligação Caixa de passagem e ligação AR14 A prova de tempo e jatos potentes d água Características Construtivas Caixa de passagem e ligação fabricada em liga de alumínio fundido copper free de alta resistência

Leia mais

Chave Fusível. Tecnologia com melhor Custo / Benefício!

Chave Fusível. Tecnologia com melhor Custo / Benefício! Chave Tecnologia com melhor Custo / Benefício! Chave Base C Suporte L (1) 264 mm -Polimérica 300A 15kV Normas NBR 8124 (PB 995) IEC 060282-2 ANSI C37-41 Consulte-nos sobre outras normas e tipos. Cartucho

Leia mais

GAMA AMBICABOS CD26R02

GAMA AMBICABOS CD26R02 GAMA AMBICABOS ÍNDICE 1. Apresentação do Tubo... 3 2. Materiais e Plano de Inspecção e Ensaio de Recepção...3-4 3. Especificações Técnicas... 4-5 4. Acessórios... 6 5. Instalação / Utilização... 6 Data.

Leia mais

3 Boletim Técnico Terminal Contrátil a Frio QTIII Série 7672 S8 (RW)

3 Boletim Técnico Terminal Contrátil a Frio QTIII Série 7672 S8 (RW) Boletim Técnico Terminal Contrátil a Frio QTIII Série 7672 S8 (RW) 1- Descrição do produto: O Terminal Contrátil a Frio M MR QTIII 7672-S-8 é um produto que atende os requisitos da norma IEEE 48 classe

Leia mais

INTRODUÇÃO - LEIA TODO MANUAL DE INSTRUÇÕES ANTES DA MONTAGEM

INTRODUÇÃO - LEIA TODO MANUAL DE INSTRUÇÕES ANTES DA MONTAGEM INSTRUÇÕES DE MONTAGEM ELOS ACESSÓRIOS PARA CABO REDE SUBTERRÂNEA PÁG. 1 / 7 EMCF 36kV TAM. 3 Edição: JUN 14 DESCRIÇÃO: A EMENDA ELOS COMPACTA FRIA é um acessório de cabo de média tensão isolado com EPR

Leia mais

RETIFICAÇÃO nº 1 ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS TACHAS E TACHÕES

RETIFICAÇÃO nº 1 ANEXO I ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS TACHAS E TACHÕES PROCESSO CPL N 761/2009 PREGÃO ELETRÔNICO Nº 001/2010 DESTINADO À CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA O FORNECIMENTO DE TACHAS E TACHÕES, A SEREM UTILIZADOS NA SINALIZAÇÃO HORIZONTAL EM VIAS PÚBLICAS NO MUNICIPIO

Leia mais

Instalações Elétricas

Instalações Elétricas Instalações Elétricas Condutores Elétricos (Parte 2) Prof. Gilmário Lima SELEÇÃO E DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES Chama-se de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR

Leia mais

Soluções inovadoras em fios e cabos elétricos.

Soluções inovadoras em fios e cabos elétricos. 1 Soluções inovadoras em fios e cabos elétricos. Somos um dos maiores fabricantes mundiais de fios e cabos, com mais de 170 anos de história de progresso contínuo em nível global e mais de 40 anos no Brasil.

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG D

NORMA TÉCNICA CELG D NORMA TÉCNICA CELG D Acessórios Desconectáveis Especificação e Padronização NTC-33 Revisão 1 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. OBJETIVO 1 2. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 2 3. TERMINOLOGIA E DEFINIÇÕES

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA ILUMINAÇÃO PÚBLICA CONEXÃO A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

ORIENTAÇÃO TÉCNICA ILUMINAÇÃO PÚBLICA CONEXÃO A REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA 1/6 1. Objetivo Estabelecer orientações técnicas da conexão dos condutores de alimentação da estrutura de iluminação pública com a rede de distribuição de energia elétrica. 2. Aplicação Iluminação pública.

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE MATERIAL DE SEGURANÇA EMS 091 DISPOSITIVO DE ATERRAMENTO TEMPORÁRIO PARA LINHAS E REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO DE MATERIAL DE SEGURANÇA EMS 091 DISPOSITIVO DE ATERRAMENTO TEMPORÁRIO PARA LINHAS E REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO DE MATERIAL DE SEGURANÇA EMS 091 DISPOSITIVO DE ATERRAMENTO TEMPORÁRIO EMISSÃO: MAI/ 2007 REVISÃO: - ÓRGÃO RESPONSÁVEL: DSSO / DRH DISPOSITIVO DE ATERRAMENTO TEMPORÁRIO PARA LINHAS E REDES

Leia mais

Principais características DADOS TÉCNICOS Características elétricos Características mecânicas

Principais características DADOS TÉCNICOS Características elétricos Características mecânicas Botões de Comando e Sinalização Ø 22mm HB2-E (Plastico) A linha de Botões de comando e Sinalizações HB2-E com seu design moderno, alta confiabilidade e baixo custo, com grandes variedades de configurações,

Leia mais

CTP APL SN ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. Tipo do Produto. Construção. Descrição. Aplicação

CTP APL SN ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. Tipo do Produto. Construção. Descrição. Aplicação CTP APL SN Tipo do Produto Construção 10 a 600 pares Cabos Telefônicos Núcleo seco Descrição Cabo telefônico constituído por condutores de cobre eletrolítico maciço e estanhado, isolação em termoplástico,

Leia mais

4 Recomendações. Instalações Elétricas Prediais - Geraldo Cavalin e Severino Cervelin - Ed. Érica 1

4 Recomendações. Instalações Elétricas Prediais - Geraldo Cavalin e Severino Cervelin - Ed. Érica 1 4 Recomendações 1. Remover a isolação do condutor, de tal forma que seja o suficiente para que, no ato de emendá-los, não ocorra falta nem sobra. 2. Após remover a isolação, o condutor de cobre deve estar

Leia mais

Terminais e Emendas para Cabos Elétricos

Terminais e Emendas para Cabos Elétricos Terminais e Emendas para Cabos Elétricos Jul. 2015 QUEM SOMOS: A KIT Acessórios, com sede no Rio de Janeiro, vem se dedicando exclusivamente a produção de acessórios para cabos elétrico desde 1991. Em

Leia mais

CABOS DE POTÊNCIA MULTIPLEXADOS AUTO- SUSTENTADOS, COM ISOLAÇÃO SÓLIDA EXTRUDADA DE POLIETILENO TERMOFIXO XLPE, PARA TENSÕES ATÉ 0,6 / 1,0 kv

CABOS DE POTÊNCIA MULTIPLEXADOS AUTO- SUSTENTADOS, COM ISOLAÇÃO SÓLIDA EXTRUDADA DE POLIETILENO TERMOFIXO XLPE, PARA TENSÕES ATÉ 0,6 / 1,0 kv CABOS DE POTÊNCIA MULTIPLEXADOS AUTO- SUSTENTADOS, COM ISOLAÇÃO SÓLIDA EXTRUDADA DE POLIETILENO TERMOFIXO XLPE, PARA TENSÕES ATÉ 0,6 / 1,0 kv INS-ESP-028 DEC-DT 064/95 Vigência: 13.10.95 Índice ITEM ASSUNTO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 12 / 04 / 2013 1 de 1 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis do poste de aço, com seção transversal quadrada, para utilização em padrões de entrada

Leia mais

Número: EMP Rev.: 3 Fl. 1/11

Número: EMP Rev.: 3 Fl. 1/11 Número: EMP-81650 Rev.: 3 Fl. 1/11 REV DATA HISTÓRICO DAS REVISÕES EMITIDO APROVADO 0 11/06/2013 Emissão inicial, em substituição ao documento EMP81650 revisão 62. Felippe Aguiar Tec. De Materiais Álvaro

Leia mais

ET-SE -030 TRAVESSIAS COM LUMINÁRIAS À LED

ET-SE -030 TRAVESSIAS COM LUMINÁRIAS À LED Sumário 1 OBJETIVO 2 2 DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 2 3 DEFINIÇÃO 3 4 REQUISITOS ESPECÍFICOS 5 5 DOCUMENTAÇÃO 9 6 GARANTIA 11 Superintendência de Engenharia de Sinalização - SSI Página 1 1 OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

DE DISTRIBUIÇÃO COMPACTO (QDC)

DE DISTRIBUIÇÃO COMPACTO (QDC) Sistema Normativo Corporativo ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ES.PN.01.24.0004 VERSÃO Nº ATA Nº DATAA DATA DA VIGÊNCIA 01 - /12/2011 /12/2011 APROVADO POR Edson Hideki Takauti SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO PARA-RAIOS DE DISTRIBUIÇÃO DE 12, 15 E 27 kv 10 ka

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DA DISTRIBUIÇÃO PARA-RAIOS DE DISTRIBUIÇÃO DE 12, 15 E 27 kv 10 ka EMD -.008 1/5 Obs: Medidas em milímetros. EMD -.008 2/5 CÓDIGO CEB TENSÃO NOMINAL CEB TABELA 1 TENSÃO DO PÁRA-RAIOS DIMENSÕES (mm) A (máx.) H (mín.) 2 3 4 5 6 12050008 13,8 12 400 80 12050009 13.8 15 450

Leia mais

Divisão Cabos Energia Cabos Isolados e Cobertos para Redes Aéreas

Divisão Cabos Energia Cabos Isolados e Cobertos para Redes Aéreas CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS Os cabos MULTIPLEXADOS para Baixa Tensão 0,6/1kV são formados pela reunião de 1, 2, ou 3 condutores fase em torno de um condutor mensageiro, neutro, para sustentação. 1 - Condutor

Leia mais

Luminárias Outdoor. UrbanStep. Iluminando o futuro. Segurança para os moradores

Luminárias Outdoor. UrbanStep. Iluminando o futuro. Segurança para os moradores Luminárias Outdoor UrbanStep Iluminando o futuro Segurança para os moradores Oferecendo para você a melhor relação custo-benefício em iluminação viária. Com design otimizado para uso em vias públicas e

Leia mais

FieldLink MC. para controle de movimentos

FieldLink MC. para controle de movimentos FieldLink MC para controle de movimentos A LEONI Business Unit Industrial Solutions oferece uma grande variedade de produtos para cabeamento de acionamento, atendendo às tendências em relação à complexidade

Leia mais

Serviço Autônomo de Água e Esgotos de Itapira (ISO 9001 Em Processo de Implantação) ANEXO II TERMO DE REFERÊCIA E LAUDO DE INSPEÇÃO

Serviço Autônomo de Água e Esgotos de Itapira (ISO 9001 Em Processo de Implantação) ANEXO II TERMO DE REFERÊCIA E LAUDO DE INSPEÇÃO (ISO Em Processo de Implantação) ANEXO II TERMO DE REFERÊCIA E LAUDO DE INSPEÇÃO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA FORNECIMENTO DE CAIXAS DE ABRIGO PARA HIDRÔMETRO E KIT CAVALETE REFERÊNCIA NORMATIVA: NBR5688/

Leia mais

1. Objetivo Estabelecer os procedimentos a serem seguidos na inspeção, ensaios e manutenção em banco de capacitores e seus componentes.

1. Objetivo Estabelecer os procedimentos a serem seguidos na inspeção, ensaios e manutenção em banco de capacitores e seus componentes. 1/7 1. Objetivo Estabelecer os procedimentos a serem seguidos na inspeção, ensaios e manutenção em banco de capacitores e seus componentes. 2. Aplicação Distribuição. 3. Documentos de Referência OT-CPFL

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 16 / 04 / 013 1 de 3 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de elos fusíveis para utilização nas Redes de Distribuição da Companhia Energética

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA SINALIZAÇÃO VERTICAL Página 1 de 5 1. OBJETIVO Esta especificação técnica fixa condições exigíveis para o fornecimento de placas de regulamentação, advertência ou indicativas para sinalização vertical

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-710/2008 R-02 CONECTORES PARA REDES, LINHAS E SUBESTAÇÕES

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-710/2008 R-02 CONECTORES PARA REDES, LINHAS E SUBESTAÇÕES ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-710/2008 R-02 CONECTORES PARA REDES, LINHAS E SUBESTAÇÕES DOCUMENTO NORMATIVO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CONECTORES PARA REDES, LINHAS E SUBESTAÇÕES Código Página Revisão Emissão ET-710

Leia mais

Catálogo de Produtos. Soluções 3M. para Instalações Elétricas

Catálogo de Produtos. Soluções 3M. para Instalações Elétricas Catálogo de Produtos Soluções 3M para Instalações Elétricas Índice Pág. Fitas Isolantes Premium...3 Fitas Isolantes Uso Geral...5 Acessórios para Instalações Elétricas...6 Fitas Elétricas Especiais....9

Leia mais

Índice. N.Documento: Categoria: Versão: Aprovado por: Data Publicação: Página: 11518 Instrução 1.1 Ronaldo Antônio Roncolatto 03/07/2008 1 de 13

Índice. N.Documento: Categoria: Versão: Aprovado por: Data Publicação: Página: 11518 Instrução 1.1 Ronaldo Antônio Roncolatto 03/07/2008 1 de 13 Índice 1. OBJETIVO...3 2. CAMPO DE APLICAÇÃO...3 3. TERMINOLOGIA...3 4. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES...3 5. CONDIÇÕES GERAIS...4 6. TRANSFORMADOR...4 Condições Normais de Funcionamento... 4 Potências

Leia mais

1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO. Aplica-se ao Departamento de Gestão Técnica Comercial, fabricantes e fornecedores da empresa. 3.

1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO. Aplica-se ao Departamento de Gestão Técnica Comercial, fabricantes e fornecedores da empresa. 3. MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE SERVIÇOS E CONSUMIDORES SUBSISTEMA MEDIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-321.0011 MEDIDOR ELETRÔNICO QUATRO QUADRANTES COM SAÍDA ETHERNET 1/11 1. FINALIDADE Estabelecer os requisitos

Leia mais

PADRÃO KIT CAVALETE (PKC) DIÂMETRO NOMINAL

PADRÃO KIT CAVALETE (PKC) DIÂMETRO NOMINAL Laboratório de Hidrometria Certificação ISO 9001 e PEA PCE82 TERMO DE REFERÊNCIA PADRÃO KIT CAVALETE (PKC) DIÂMETRO NOMINAL (dn) ¾, 1, 1 ½ e 2 Setembro / 2012 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PADRÃO KIT CAVALETE

Leia mais

3.5 mm distância entre pinos 1 contato 12 A Para c.i. ou base série 95 A2 A

3.5 mm distância entre pinos 1 contato 12 A Para c.i. ou base série 95 A2 A .3 =.7.3 =.7.3 =.7 Série 4 - Mini relé para circuito impresso 8 - - 6 A Características 4.3 4.5 4.6 e contatos - Baixo perfil (altura 5.7 mm) 4.3 - contato A (3.5 mm de distância entre pinos dos contatos)

Leia mais

Acessórios Desconectáveis 200A

Acessórios Desconectáveis 200A 200A APLICAÇÃO Os Acessórios da Prysmian possuem uma concepção de projeto baseada no sistema plugue - tomada, porém para tensões, permitindo fácil conexão e desconexão de um cabo de potência, de um equipamento,

Leia mais

Principais características DADOS TÉCNICOS Características elétricos Características mecânicas

Principais características DADOS TÉCNICOS Características elétricos Características mecânicas Botões de Comando e Sinalização Ø 22mm HB2-E (Plastico) A linha de Botões de comando e Sinalizações HB2-E com seu design moderno, alta confiabilidade e baixo custo, com grandes variedades de configurações,

Leia mais

Por meio deste, esclarecemos o que segue:

Por meio deste, esclarecemos o que segue: Esclarecimento nº 01 Tomada de preços nº 15/02067 Objeto: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A - Contratação de empresa para a construção de alimentadores da Subestação Tangará na Agência Regional de Videira. Data:

Leia mais

GE Industrial Solutions. Fix-o-Rail. Quadros de embutir e sobrepor. GE imagination at work

GE Industrial Solutions. Fix-o-Rail. Quadros de embutir e sobrepor. GE imagination at work GE Industrial Solutions Fix-o-Rail Quadros de embutir e sobrepor GE imagination at work Fix-o-Rail Quadros de distribuição de baixa tensão em conformidade com a Norma NBR IEC 60439-3. Fix-o-Rail são quadros

Leia mais

2. Ligações com Parafusos

2. Ligações com Parafusos 2. Ligações com Parafusos 2.1. Tipos de conectores 2.1.1. Rebites São conectores instalados a quente, o produto final possui duas cabeças. São calculados: - Pelos esforços transmitidos por apoio do fuste

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Versão 1.0 XXX.YY 22 a 25 Novembro de 2009 Recife - PE GRUPO III GRUPO DE ESTUDO DE LINHAS DE TRANSMISSÃO - GLT VALIDAÇÃO DE ENSAIOS

Leia mais

ESTRUTURAS METÁLICAS DE AÇO

ESTRUTURAS METÁLICAS DE AÇO ESTRUTURAS METÁLICAS DE AÇO LIGAÇÕES POR CONECTORES Edson Cabral de Oliveira TIPOS DE CONECTORES E DE LIGAÇÕES O conector é um meio de união que trabalha através de furos feitos nas chapas. Tipos de conectores:

Leia mais

Barra de Cobre Flexível Isolada - Tyco-Simel

Barra de Cobre Flexível Isolada - Tyco-Simel Barra de Cobre Flexível Isolada - Tyco-Simel Aprovações: LLOYD N 93/30023 CSA N 099903 / UL105 C N E113407 Aplicações: Distribuição de energia de B.T Alta rigidez dielétrica Material isolante retardante

Leia mais

Acessório acoplado às extremidades da mangueira para conexão desta.

Acessório acoplado às extremidades da mangueira para conexão desta. 1 ESPECIFICAÇÃO / SEMPLA/ COBES/ DGSS-3 CÓD.SUPRI: 51.105.001.001. 105.001.001.- ( ) CATMAT / BEC VER TABELA UN. MOVIMENTAÇÃO: UNIDADE MANGUEIRA DE INCÊNDIO ( 1 E 2) - ESPECIFICAÇÃO CONFORME NBR 11861/98

Leia mais

REDE COMPACTA PARA-RAIOS. Sumário

REDE COMPACTA PARA-RAIOS. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas de Transição Rede Compacta Rede Nua com Para-Raios 6.1. Estrutura CE3.N3

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC ENSAIO ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 12 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO IPT INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO

Leia mais

34.51 A2 A Vista lado cobre. 1 reversível 6/10 250/ /0.2/ (12/10) AgNi /0.

34.51 A2 A Vista lado cobre. 1 reversível 6/10 250/ /0.2/ (12/10) AgNi /0. Série 34 - Relé eletromacânico para circuito impresso 6 A Características 34. Pequenas dimensões com contato - 6 A Montagem em circuito impresso - direta em PCI ou em base para circuito impresso Montagem

Leia mais

Materiais para Redes Aéreas Isoladas de Distribuição de Energia Elétrica. Revisão 04 Julho/2014 NORMA ND.06

Materiais para Redes Aéreas Isoladas de Distribuição de Energia Elétrica. Revisão 04 Julho/2014 NORMA ND.06 Materiais para Redes Aéreas Isoladas de Distribuição de Energia Elétrica Julho/2014 NORMA ELEKTRO Eletricidade e Serviços S.A. Diretoria de Operações, Planejamento e Operação Rua Ary Antenor de Souza,

Leia mais

Ensaios Mecânicos de Materiais. Dobramento. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Ensaios Mecânicos de Materiais. Dobramento. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Ensaios Mecânicos de Materiais Aula 4 Ensaio de Dobramento Tópicos Abordados Nesta Aula Ensaio de Dobramento. Definição do Ensaio O ensaio de dobramento fornece somente uma indicação qualitativa da ductilidade

Leia mais

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA.

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA. PROJETO DE INSTALAÇÕES ELETRICAS DE BAIXA TENSÃO MERCADO DO SÃO JOAQUIM BAIRRO SÃO JOAQUIM, TERESINA - PI TERESINA PI AGOSTO/2014 MEMORIAL DESCRITIVO INST. ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO 1.0 IDENTIFICAÇÃO Obra:

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AMPLA ETA-161/2015 R-00

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AMPLA ETA-161/2015 R-00 DIRETORIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE REDE /2015 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AMPLA /2015 R- FOLHA DE CONTROLE I APRESENTAÇÃO Este documento encerra requisitos, recomendações

Leia mais

QUALIDADE - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO

QUALIDADE - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO PLUG TERMINAL COM CAPA (PTC) 600 A 8,7 / 15 KV OPERAÇÃO SEM CARGA SUMÁRIO ITEM CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Condições

Leia mais

Relé Bloqueio RB-86 ANSI ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5

Relé Bloqueio RB-86 ANSI ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Relé de Bloqueio pode ser utilizado nos mais diversos circuitos de CA ou CC que tenham por finalidade bloquear o funcionamento de um equipamento

Leia mais

SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN QUADRO DE DISTRIBUIÇÃO COMPACTO (QDC) 01

SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN QUADRO DE DISTRIBUIÇÃO COMPACTO (QDC) 01 SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO ES.DT.PDN.01.10.002 01 APROVADO POR PAULO J. TAVARES LIMA ENGENHARIA - SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 4 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 4 3. APLICAÇÃO... 4 4.

Leia mais

NBR (1992) Aditivos para concreto de cimento Portland

NBR (1992) Aditivos para concreto de cimento Portland NBR 11768 (1992) Aditivos para concreto de cimento Portland Objetivo Esta Norma fixa as condições exigíveis dos materiais a serem utilizados como aditivos para concreto de cimento Portland, de acordo com

Leia mais

Tipo Contator de Potência

Tipo Contator de Potência Fabricante de relés e temporizadores desde 1954 Tipo Contator de Potência Características Contator de Potência Contatos NA com abertura > 3mm com dupla abertura Energização contínua para bobina e contatos

Leia mais

Normas Ensaios e Verificações de Desempenho de Esquadrias. Enga. Michele Gleice ITEC Instituto Tecnológico da Construção Civil

Normas Ensaios e Verificações de Desempenho de Esquadrias. Enga. Michele Gleice ITEC Instituto Tecnológico da Construção Civil Normas Ensaios e Verificações de Desempenho de Esquadrias Enga. Michele Gleice ITEC Instituto Tecnológico da Construção Civil NBR 15575 Edificações Habitacionais 2000 2013 2008 ABNT NBR 15575-4 NBR 15575:2013

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-203/2007 R-02. CABOS DE POTÊNCIA MULTIPLEXADOS DE ALUMÍNIO 15 kv

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-203/2007 R-02. CABOS DE POTÊNCIA MULTIPLEXADOS DE ALUMÍNIO 15 kv /007 R-0 DOCUMENTO NORMATIVO I APRESENTAÇÃO Este documento encerra requisitos, recomendações e diretrizes para nortear os interessados no fornecimento de Cabos de Potência Multiplexados de Alumínio, destinados

Leia mais

Propriedades dos Aços e sua Classificação

Propriedades dos Aços e sua Classificação O uso do Aço na Arquitetura 1 Aluízio Fontana Margarido Propriedades dos Aços e sua Classificação Objetivo Conhecer as características mecânicas, principalmente em termos de tensões e deformações Propriedades

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO LINHA DURS

BOLETIM TÉCNICO LINHA DURS BT 0003 BOLETIM TÉCNICO LINHA DURS LINHA DURS Fixadores autoperfurantes em aço carbono. Descrição Fixador autoperfurante com design exclusivo em aço carbono e marca H na cabeça. Tem como acessório uma

Leia mais

Norma Técnica SABESP NTS 187

Norma Técnica SABESP NTS 187 Norma Técnica SABESP NTS 187 Tubos e conexões de PVC Exigências de desempenho complementares à NBR 5647-1, NBR 5648, NBR 5685, NBR 7362-1 e NBR 7665 Especificação São Paulo Abril - 2014 - revisão 1 NTS

Leia mais

MULTILAN CAT.5e F/UTP 24AWGx4P

MULTILAN CAT.5e F/UTP 24AWGx4P MULTILAN CAT.5e F/UTP 24AWGx4P Tipo do Produto Cabos LAN Família do Produto Construção MultiLan RoHS Compliant Categoria 5e F/UTP (blindado) PVC - CM, CMR Características Gerais Descritivo Ambiente de

Leia mais

CABO ICE-ALARME DE INCÊNDIO 600V BC

CABO ICE-ALARME DE INCÊNDIO 600V BC CABO ICE-ALARME DE INCÊNDIO 600V BC Condutor: Fios de cobre eletrolitíco nu, têmpera mole, encordoamento classe 2 ou 5. Isolação: Composto extrudado de policloreto de vinila PVC/E para temperatura no condutor

Leia mais

COMPRASNET - O SITE DE COMPRAS DO GOVERNO

COMPRASNET - O SITE DE COMPRAS DO GOVERNO COMPRASNET O SITE DE COMPRAS DO GOVERNO Página 1 de 12 PODER LEGISLATIVO Senado Federal Termo de Homologação do Pregão Eletrônico Nº 00011/2015 Às 15:15 horas do dia 06 de março de 2015, após constatada

Leia mais

NORMA TÉCNICA NTE 043 TRANSFORMADORES DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO/PADRONIZAÇÃO. Cuiabá Mato Grosso - Brasil

NORMA TÉCNICA NTE 043 TRANSFORMADORES DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO/PADRONIZAÇÃO. Cuiabá Mato Grosso - Brasil NORMA TÉCNICA NTE 043 TRANSFORMADORES DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO/PADRONIZAÇÃO Cuiabá Mato Grosso - Brasil SUMÁRIO Página 1. OBJETIVO... 3 2. CAMPO DE APLICAÇÃO... 3 3. RESPONSABILIDADES... 3 4. NORMAS

Leia mais

Principais características

Principais características Botões de Comando e Sinalização Ø 22mm HB5-A (Plástico) A linha de Botões de comando e Sinalizações HB5-A com seu design moderno, alta confiabilidade e com grandes variedades de configurações, são perfeitamentes

Leia mais

Disjuntor NEDJ À prova de explosão

Disjuntor NEDJ À prova de explosão Equipamento de distribuição DISJUNTORES PARA ÁREAS CLASSIFICADAS COMO ZONA NBR IEC Aplicações Este é um sistema para proteção contra contatos acidentais, sobrecargas e curtos-circuitos. Usado em áreas

Leia mais

1.1 Apresentação 1.2 Assistência técnica 1.3 Inspeção no ato do recebimento 1.4 Especificações técnicas. 2.1 Introdução 2.

1.1 Apresentação 1.2 Assistência técnica 1.3 Inspeção no ato do recebimento 1.4 Especificações técnicas. 2.1 Introdução 2. ÍNDICE SEÇÃO 1 Dados Gerais 1.1 Apresentação 1.2 Assistência técnica 1.3 Inspeção no ato do recebimento 1.4 Especificações técnicas SEÇÃO 2 Funcionamento 2.1 Introdução 03 2.2 Funcionamento 03 SEÇÃO 3

Leia mais

LINHA Bt100. Conjunto de Manobra e Controle de Baixa Tensão. Bt100

LINHA Bt100. Conjunto de Manobra e Controle de Baixa Tensão. Bt100 LINHA LINHA CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS Dimensões Altura: 2200mm., Largura: 700/900/1100mm., Profundidade: 400/600/800mm. Outras configurações conforme consulta; Estrutura fabricada em chapa de 1,90mm.

Leia mais

GIGALAN CAT. 6 U/UTP 23AWGx4P - RoHS

GIGALAN CAT. 6 U/UTP 23AWGx4P - RoHS GIGALAN CAT. 6 U/UTP 23AWGx4P - RoHS Tipo do Produto Cabos LAN Família do Produto Construção GigaLan RoHS Compliant Categoria 6 U/UTP (não blindado) PVC (CM/CMR) Características Gerais Descritivo Ambiente

Leia mais

(Produto descontinuado) CTP-APL-AS

(Produto descontinuado) CTP-APL-AS (Produto descontinuado) Tipo do Produto Construção 10 até 300 pares Cabos Telefônicos Cóbre Sólido Isolamento Sólido Nucleo seco Capa em Polietileno Instalação Aérea Descrição Cabo telefônico constituído

Leia mais

e) ABNT NBR IEC Luminárias - Parte 1: Requisitos gerais e ensaios;

e) ABNT NBR IEC Luminárias - Parte 1: Requisitos gerais e ensaios; MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0084 REATOR ELETRÔNICO PARA LÂMPADA

Leia mais

PARA RAIOS SURGE ARRESTERS

PARA RAIOS SURGE ARRESTERS PARA RAIOS SURGE ARRESTERS Nexans, líder mundial na indústria de cabos Total de venda de 6,2 bilhões de euros em 201 A mais completa variedade de cabos e sistema de cabeamento Plantas em mais de 40 países

Leia mais