SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO em EDIFÍCIOS NOTAS TÉCNICAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO em EDIFÍCIOS NOTAS TÉCNICAS"

Transcrição

1 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO em EDIFÍCIOS NOTAS TÉCNICAS Edição

2 NT 16 Sistemas Automáticos de Extinção Incêndio por Água Ed. 2015

3 EDIÇÃO ANTERIOR EDIÇÃO 2015 Consequência P1532/2008 EN NFPA 13 Objetivo Aplicação Referências Define. Mantendo o anterior. Dá âmbito e limite. Mantendo o anterior. Tem fins pedagógicos. Introduz novos referenciais. Assegura adequação de critérios técnicos, com as necessidades dos promotores/investidores e entidades detentoras, gestoras e exploradoras. Estabelece as referências aceitáveis, com base em referenciais de inquestionável qualidade técnica, cumpridos que estejam os mínimos definidos pelo quadro legal vigente. Introduz maior liberdade ao projectista. Torna toda a cadeia de projecto mais fácil de escrutinar. Incrementa o nível de responsabilidade do projectista.

4 EDIÇÃO ANTERIOR EDIÇÃO 2015 Consequência P1532/2008 EN NFPA 13 Referências Critérios de dimensionamento de sistemas fixos de extinção automática por água. Utilização-tipo Densidade de descarga Área de operação N.º de aspersores em funcionamento simultâneo Calibre dos aspersores Tempo de descarga (min.) (l/ min/ m 2 ) (m 2 ) (mm) II III, VI*, VII, VIII XII

5 EDIÇÃO ANTERIOR EDIÇÃO P1532/2008 EN NFPA 13 NFPA 15 NFPA 20 NFPA 69 NFPA 750 NFPA 1964 CEN-TS 14972

6 EDIÇÃO ANTERIOR EDIÇÃO 2015 Consequência Conceitos Gerais Parte pedagógica. Conceitos básicos. Introduz novos conceitos s de terminologia e acrónimos. Confere maior abrangência aos S.A.E.I. por Água. Aborda os S.A.E.I por Água/Espuma.

7 EDIÇÃO ANTERIOR EDIÇÃO 2015 Consequência Configurações dos Sistemas Automáticos Enriquecimento de descrição. Introdução de esquemas de princípio dos arranjos de válvulas de alarme. Caracterização mais objectiva dos Sprinkler s. Aprofunda características hidráulicas das condições de instalação e prestações dos sprinkler s. Alarga a abrangência dos diferentes tipos de sprinkler s. Caracterização e composição dos Postos de Comando de Sprinkler s de uso corrente.

8 EDIÇÃO ANTERIOR EDIÇÃO 2015 Quadro Comparativo de Autonomias Classificação de risco Normativo utilizado e autonomia requerida (min.) Portaria 1532/2008 EN NFPA 13 1ª e 2ª categoria 60 3ª categoria 90 4ª categoria 120 Risco LH 30 Risco OH 60 Risco HHp (Produção) 90 Risco HHs (Armazenamento) 90 Light Hazard (LH) 30 Ordinary Hazard GRI (OH GRI) 60 Ordinary Hazard GRII (OH GRII) 90 Extra Hazard GRI 90 Extra Hazard GRII 120

9 EDIÇÃO ANTERIOR EDIÇÃO Configurações das redes Não referido.

10 EDIÇÃO ANTERIOR EDIÇÃO Configurações das redes Não referido.

11 EDIÇÃO ANTERIOR EDIÇÃO Projecto de execução Não era abordado a) O projeto de execução deve indicar: Especificação do normativo aplicável; Classificação da instalação de acordo com os grupos de risco, incluindo categoria de armazenamento e a representação do armazenamento em altura; Pormenores construtivos dos pisos, tetos, coberturas, paredes, etc.; Cortes dos pisos, mostrando o afastamento dos sprinklers ao teto, elementos estruturais, etc., que possam afetar a distribuição de água pelos sprinklers; Indicação da posição de maquinaria, gabinetes, aberturas no teto, etc. que possam prejudicar a distribuição dos sprinklers; Tipos de sprinklers e respetivas temperaturas de ativação; Tipo e localização aproximada dos suportes da tubagem; Localização e detalhes dos indicadores de fluxo, interruptores de alarme de ar ou água caso existam; Localização e o dimensionamento de válvulas adicionais e dos pontos de purga da tubagem; Indicação da inclinação das tubagens; Lista ordenada dos números de sprinklers por área de proteção; Localização de todos os postos de comando e controlo e das válvulas de teste; Localização e detalhes de painéis de alarme; Localização e detalhes da boca de alimentação exterior para serviço dos bombeiros (siamesa); Simbologia de projecto adotada nas peças desenhadas.

12 EDIÇÃO ANTERIOR EDIÇÃO Projecto de execução Não era abordado c) Para cada projeto, acerca da área de operação, deve indicar-se: A identificação da área de operação; A classificação de risco; A densidade de descarga, em mm/min ou l/min./m 2 ; A área máxima de operação, em m 2 ; O número de sprinklers na área de operação; O fator de escoamento K; A área máxima de cobertura do sprinkler, em m 2. d) Devem indicar-se, ainda, os seguintes detalhes e parâmetros de dimensionamento: Posição da área de operação hidraulicamente mais desfavorável; Posição da área de operação hidraulicamente mais favorável; O s sprinklers dentro da área de operação mais desfavorável cuja densidade de descarga serviu de base para o cálculo; Para cada sprinkler deve ser indicado: O número do nó ou do sprinkler; O fator de escoamento K; O caudal através do sprinkler, em l/min; A pressão de descarga de um sprinkler ou de um conjunto em bar;

13 NOVA TECNOLOGIA CONSAGRADA EDIÇÃO 2015 NFPA 750 CEN-TS Baixa Pressão 12,1 bar WATER MIST 12,1 bar Média Pressão 34, 5 bar Alta Pressão 34,5 bar

14 WATER MIST Baixa Pressão 12,1 bar

15 WATER MIST Baixa Pressão 12,1 bar

16 WATER MIST Alta Pressão 34,5 bar

17 WATER MIST Alta Pressão 34,5 bar Dados Comparativos ASPERSSÃO & PULVERIZAÇÃO Vs. NEBULIZAÇÃO Ø médio de gota (mm) Nº médio gotas/litro Sprinkler convencional 1 a 5 15.K a 2.M Sprinkler LO Press Watar Spray 0.2 a 1,0 2.M a 250 M Sprinkler Pressure High 0,025 a 0,2 250 M a 150 B

18 WATER MIST Tipologia de Sistemas Húmidos Sêcos Pré-Acção Dilúvio

19 WATER MIST Fontes de Energia de escoamento & Arquitectura de Sistemas

20 WATER MIST Fontes de Energia de escoamento & Arquitectura de Sistemas ACUMULADORES

21 WATER MIST Fontes de Energia de escoamento & Arquitectura de Sistemas BOMBA ACTUADA POR GÁS

22 WATER MIST Fontes de Energia de escoamento & Arquitectura de Sistemas BOMBAS ELÉCTRICAS

23 QUADRO IV SEMINÁRIO SOBRE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFÍCIOS EDIÇÃO ANTERIOR EDIÇÃO 2015 Consequência Não estava contemplada qualquer acção. Manutenção dos Reservatórios Especificam-se em quadro síntese, as ações de manutenção mínimas a realizar e sua periodicidade.

24 FIM

NOTA TÉCNICA nº 18 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 18 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 18 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO Descrever a especificidade deste sistema complementar de compartimentação cujas caracteristicas de funcionamento são equivalentes às

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 03 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 03 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 03 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO De acordo com o Artigo 17.º do DL 220/2008 (Regime Jurídico de SCIE), descrever e detalhar como devem ser instruídos e apresentados

Leia mais

Sinalização de segurança aplicada aos Sistemas de Extinção de Incêndio para a Indústria. Ricardo Moreira

Sinalização de segurança aplicada aos Sistemas de Extinção de Incêndio para a Indústria. Ricardo Moreira Sinalização de segurança aplicada aos Sistemas de Extinção de Incêndio para a Indústria Ricardo Moreira Comunicação Formas e Cores Cores Formas Significado Cor do símbolo Equipamentos de alarme e combate

Leia mais

Dimensionamento de Chuveiros Autom ticos

Dimensionamento de Chuveiros Autom ticos Dimensionamento de Chuveiros Autom ticos O dimensionamento será por cálculo hidráulico, para efeito dos cálculos será considerado diâmetro nominal mínimo para tubulações de aço de 25 mm. Passo 1: O método

Leia mais

SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA. Decreto Regulamentar nº 23/95 Artigo 21º / Critérios de velocidade

SISTEMAS DE ABASTECIMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA. Decreto Regulamentar nº 23/95 Artigo 21º / Critérios de velocidade Redes de Distribuição / Dimensionamento Hidráulico Decreto Regulamentar nº 23/95 Artigo 21º / Critérios de velocidade 1 - No dimensionamento hidráulico deve ter-se em conta a minimização dos custos, que

Leia mais

18.1 ROCIADOR DE INCÊNDIOS

18.1 ROCIADOR DE INCÊNDIOS UNIDADE: 18 SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS 18. SISTEMAS DE CHUVEIROS AUTOMÁTICOS 18.1 ROCIADOR DE INCÊNDIOS Um Rociador de incêndios (em inglês Sprinkler) é um dispositivo para a extinção de incêndios.

Leia mais

ÍNDICE DO TEXTO. Nota prévia Nomenclatura. I.1 Enquadramento 1 I.2 Ciclo Hidrológico 4

ÍNDICE DO TEXTO. Nota prévia Nomenclatura. I.1 Enquadramento 1 I.2 Ciclo Hidrológico 4 ÍNDICE DO TEXTO Nota prévia Nomenclatura xv xvii CAPÍTULO I INTRODUÇÃO I.1 Enquadramento 1 I.2 Ciclo Hidrológico 4 CAPÍTULO II ELEMENTOS DE BASE II.1 Introdução 7 II.2 Horizonte de Projecto ou Período

Leia mais

Roteiro para dimensionamento do. Sistema de Sprinkler

Roteiro para dimensionamento do. Sistema de Sprinkler Roteiro para dimensionamento do Sistema de Sprinkler Sumário Introdução O Roteiro... 3 1 - Estudo da legislação onde o projeto será executado... 3 2 - Análise da arquitetura e estudo do risco da obra...

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 00 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 00 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 00 Complementar do Regime Jurídico de SCIE OBJECTIVO Estabelecer um critério de classificação de todas as notas técnicas que permita listá-las. APLICAÇÃO ÍNDICE Para interpretar ou complementar

Leia mais

Requerimento. sujeitas a licenciamento

Requerimento. sujeitas a licenciamento Requerimento Comunicação Prévia para alterações ao projecto Licenciado ou com Admissão de Comunicação Prévia durante a execução da obra Alterações que se fossem obra nova estariam sujeitas a licenciamento

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E ARQUITECTURA

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E ARQUITECTURA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E ARQUITECTURA SECÇÃO DE HIDRÁULICA E DOS RECURSOS HÍDRICOS E AMBIENTAIS MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL INSTALAÇÕES DE TRATAMENTO 5º ANO / 2º SEMESTRE DO ANO LECTIVO 2007/2008

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DE S. PEDRO DO SUL

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DE S. PEDRO DO SUL L ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DE S. PEDRO DO SUL 2008 LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA IDENTIFICAÇÃO EM PLANTA DE: ESPAÇO ESCOLAR VIAS DE ACESSO DE VIATURAS DE SOCORRO QUARTEL DOS BOMBEIROS DA ÁREA ESQUADRA DA GUARDA NACIONAL

Leia mais

as 2017 EM ATUALIZAÇÃO

as 2017 EM ATUALIZAÇÃO 2017 EM ATUALIZAÇÃO CURSOS CATÁLOGO DE FORMAÇÃO 2017 CATÁLOGO DE FORMAÇÃO 2017 Portfólio com 37 cursos de formação Mais de 2.900 formandos desde 2008 Mais de metade dos nossos formandos realizam mais do

Leia mais

Sistemas de Chuveiros Automáticos. Janeiro de 2016

Sistemas de Chuveiros Automáticos. Janeiro de 2016 Sistemas de Chuveiros Automáticos Janeiro de 2016 Referências Básicas: Sistemas de Chuveiros Automáticos, Orestes M. Gonçalves e Edson P. Feitosa, USP http://www.pcc.usp.br/files/text/publications/tt_00019.pdf

Leia mais

Segurança Contra Incêndio em Edifícios Regime Jurídico, Normas e Notas Técnicas

Segurança Contra Incêndio em Edifícios Regime Jurídico, Normas e Notas Técnicas António Augusto Araújo Gomes Henrique Jorge de Jesus Ribeiro da Silva Instituto Superior de Engenharia do Porto Segurança Contra Incêndio em Edifícios Regime Jurídico, Normas e Notas Técnicas Resumo 1.

Leia mais

AULAS 11 e 12 SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA ÓRGÃOS DE MANOBRA E CONTROLO CÂMARAS DE PERDA DE CARGA, ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS E SOBREPRESSORAS EXEMPLOS

AULAS 11 e 12 SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA ÓRGÃOS DE MANOBRA E CONTROLO CÂMARAS DE PERDA DE CARGA, ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS E SOBREPRESSORAS EXEMPLOS SANEAMENTO Aulas 11 e 12 - Sumário AULAS 11 e 12 ÓRGÃOS DE MANOBRA E CONTROLO Tipos, função e localização. Exemplos CÂMARAS DE PERDA DE CARGA, ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS E SOBREPRESSORAS Disposições dos órgãos

Leia mais

Sistemas de Aquecimento Solar COLETORES SOLARES

Sistemas de Aquecimento Solar COLETORES SOLARES Sistemas de Aquecimento Solar Qualidade e normas Aquecimento solar no Brasil Início mercado: 70 s Mercado crescido nos anos 80 Alguns fabricantes, projetistas e instaladores sem capacitação Descrédito

Leia mais

Sistemas de proteção contra incêndios por espuma

Sistemas de proteção contra incêndios por espuma DESCRIÇÃO: Freqüentemente é necessário instalar um sistema de proteção contra incêndios fixo para proteger instalações de depósitos onde são armazenados ou utilizados líquidos inflamáveis durante um processo

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO NA ÁREA ESPECÍFICA DE SCIE

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO NA ÁREA ESPECÍFICA DE SCIE CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO NA ÁREA ESPECÍFICA DE SCIE ASPECTOS GERAIS O curso com uma duração de 128 horas é constituído pelas sessões a seguir indicadas. 1 Parte I Teórico prática 1.1

Leia mais

Segurança Contra Incêndio em Edifícios Dificuldades Frequentes dos Projectistas na Aplicação do RJSCIE

Segurança Contra Incêndio em Edifícios Dificuldades Frequentes dos Projectistas na Aplicação do RJSCIE Segurança Contra Incêndio em Edifícios Dificuldades Frequentes dos Projectistas na Aplicação do RJSCIE Ordem dos Engenheiros, 21 de Novembro de 2011 Mário Grilo DECRETO LEI nº 220/2008, de 12 de Novembro

Leia mais

TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários

TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Aula 29 Sistema Predial de Prevenção e Combate ao Incêndio Profª Heloise G. Knapik 1 Projetos e especificações

Leia mais

REMODELAÇÃO DO ESTALEIRO MUNICIPAL VIANA DO ALENTEJO

REMODELAÇÃO DO ESTALEIRO MUNICIPAL VIANA DO ALENTEJO REMODELAÇÃO DO ESTALEIRO MUNICIPAL VIANA DO ALENTEJO ÍNDICE 1 CADERNO DE ENCARGOS 2 PROJECTO DE EXECUÇÃO A ARQUITECTURA 1.1.2 Solução Proposta 1.1.2.1 - Introdução 1.1.2.2 Caracterização do Espaço 1.1.2.2.1

Leia mais

Órgãos de manobra e controlo. Tipos, função e localização. Válvulas de seccionamento. Ventosas. Válvulas de descarga.

Órgãos de manobra e controlo. Tipos, função e localização. Válvulas de seccionamento. Ventosas. Válvulas de descarga. DISCIPLINA DE SANEAMENTO AULA 8 / SUMÁRIO AULA 8 ÓRGÃOS E ACESSÓRIOS Órgãos de manobra e controlo. Tipos, função e localização. Válvulas de seccionamento. Ventosas. Válvulas de descarga. SANEAMENTO / FEVEREIRO

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia ANEXO VIII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS 1. Os projetos de instalações hidrossanitárias deverão atender às recomendações e especificações

Leia mais

Nome empresa: Criado por: Telefone:

Nome empresa: Criado por: Telefone: Posição Quantid. Descrição 1 SQF 2.5-2 Nota! Imagem do produto pode diferir do prod. real Código: 952733 A bomba SQF de 3", com rotor helicoidal, é adequada para alturas manométricas elevadas e caudais

Leia mais

Método de Gretener. Método de Cálculo Simplificado de Avaliação do Risco de Incêndio

Método de Gretener. Método de Cálculo Simplificado de Avaliação do Risco de Incêndio Método de Gretener Método de Cálculo Simplificado de Avaliação do Risco de Incêndio INTRODUÇÃO Um método com estas características, ágil, de fácil aplicação e rápida utilização, tem que aglutinar muita

Leia mais

Sinalização de segurança aplicada aos equipamentos e sistemas de proteção ativa

Sinalização de segurança aplicada aos equipamentos e sistemas de proteção ativa Sinalização de segurança aplicada aos equipamentos e sistemas de proteção ativa Extintores 2,1m 3 Os extintores devem ser convenientemente distribuídos, sinalizados sempre que necessário e instalados em

Leia mais

Anexo A Dimensionamento

Anexo A Dimensionamento Anexo A Dimensionamento A.1. Cálculo das Potências de Aquecimento e Arrefecimento O cálculo das potências de aquecimento (ambiente e/ou águas quentes sanitárias) e arrefecimento é da inteira responsabilidade

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA CBMMG Nº 14, de 28/04/2017 Sistemas de detecção e alarme de Incêndio. 2ª Edição 1 OBJETIVOS

INSTRUÇÃO TÉCNICA CBMMG Nº 14, de 28/04/2017 Sistemas de detecção e alarme de Incêndio. 2ª Edição 1 OBJETIVOS INSTRUÇÃO TÉCNICA CBMMG Nº 14, de 28/04/2017 Sistemas de detecção e alarme de Incêndio. 2ª Edição 1 OBJETIVOS 1.1 Estabelecer os requisitos mínimos necessários para o dimensionamento dos sistemas de detecção

Leia mais

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL NORMA TÉCNICA Nº 012-CBMDF

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL NORMA TÉCNICA Nº 012-CBMDF GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL Sumário 1 Objetivo 2 Referências 3 Definições 4 Condições gerais 5 Condições específicas NORMA TÉCNICA Nº 012-CBMDF Padronização

Leia mais

Venho por este meio solicitar a V. Ex.ª que se digne aprovar o respetivo projeto de arquitetura que se apresenta, em anexo.

Venho por este meio solicitar a V. Ex.ª que se digne aprovar o respetivo projeto de arquitetura que se apresenta, em anexo. Requerimento Licenciamento de Obras de Edificação Processo n.º: Data de Receção: Requerimento n.º: Recebido Por: Ex.mo Senhor Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima Identificação do Titular Página

Leia mais

Licenciamento de Obras de Edificação Alterações ao projecto licenciado durante a execução da obra que envolvam alterações da implantação ou ampliação

Licenciamento de Obras de Edificação Alterações ao projecto licenciado durante a execução da obra que envolvam alterações da implantação ou ampliação Requerimento Licenciamento de Obras de Edificação Alterações ao projecto licenciado durante a execução da obra que envolvam alterações da implantação ou ampliação Ex.mo Senhor Presidente da Câmara Municipal

Leia mais

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFÍCIOS ESCOLARES

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFÍCIOS ESCOLARES SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM EDIFÍCIOS ESCOLARES ELABORAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DAS MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO NOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO RJ-SCIE Regime Jurídico de Segurança Contra Incêndio em Edifícios

Leia mais

ABNT NBR / Editada 11/08/2008 Valida 11/09/2008. CENTRAL DE Gás LP

ABNT NBR / Editada 11/08/2008 Valida 11/09/2008. CENTRAL DE Gás LP ABNT NBR 13523 / 2008 Editada 11/08/2008 Valida 11/09/2008 CENTRAL DE Gás LP CENTRAL DE GÁS LP O QUE É? ÁREA DESTINADA A CONTER OS RECIPIENTES DE ARMAZENAMENTO DO GLP PARA USO DA INSTALAÇÃO e os demais

Leia mais

PROJECTO DE REDES DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS E PLUVIAIS MEMÓRIA DESCRITIVA. Processo: Data: Outubro 10 Rev: A

PROJECTO DE REDES DE DRENAGEM DE ÁGUAS RESIDUAIS DOMÉSTICAS E PLUVIAIS MEMÓRIA DESCRITIVA. Processo: Data: Outubro 10 Rev: A Mod. (09) CP1_00 SOCIEDADE POLIS LITORAL RIA FORMOSA, S.A. Elaboração de Projectos de Execução para a requalificação de espaços ribeirinhos, de parques públicos e percursos pedonais - Parque Ribeirinho

Leia mais

A CFSISTEMAS. VALORES Valorização da vida; Ética; Sustentabilidade; Compromisso com o cliente; Qualidade; Inovação e tecnologia.

A CFSISTEMAS. VALORES Valorização da vida; Ética; Sustentabilidade; Compromisso com o cliente; Qualidade; Inovação e tecnologia. A CFSISTEMAS MISSÂO Prover soluções em sistemas de proteção contra incêndio aliando tecnologia, qualidade e confiabilidade, protegendo vidas, preservando patrimônios e contribuindo para a sociedade de

Leia mais

Nome empresa: Criado por: Telefone:

Nome empresa: Criado por: Telefone: Posição Quantid. Descrição 1 SQF 2.5-2 Nota! Imagem do produto pode diferir do prod. real Código: A pedido A bomba SQF de 3", com rotor helicoidal, é adequada para alturas manométricas elevadas e caudais

Leia mais

(atualizada em 11/2006) NBR 5667-1:06 Hidrantes urbanos de incêndio de ferro fundido dúctil - Parte 1 - Hidrantes de Coluna NBR 5667-2:06 Hidrantes urbanos de incêndio de ferro dúctil - Parte 2 - Hidrantes

Leia mais

Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo

Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo Elementos instrutórios do pedido Projetos de especialidades, nos termos do n.º 16, Portaria n.º 113/2015, de 22/04 16-a) 16-b) 16-c) 16-d) 16-e) 16-f)

Leia mais

Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016. Errata No item da Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016, substituir por:

Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016. Errata No item da Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016, substituir por: Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016 Errata 01 1. No item 6.2.2 da Resolução Técnica CBMRS n.º 05, Parte 03/2016, substituir por: 6.2.2 O recurso de 1ª instância deverá ser encaminhado à AAT ou

Leia mais

PROJETO DE SEGURANÇA

PROJETO DE SEGURANÇA PROJETO DE SEGURANÇA FATORES DE SUCESSO 1 Carlos Ferreira de Castro Objetivo do projeto de Objetivo do projeto de : Contribuir para que a do edifício seja efectuada em condições de. O projeto de, elaborado

Leia mais

MEDIDAS DE AUTOPROTEÇÃO EXEMPLOS TIPO DE REGISTOS DE SEGURANÇA

MEDIDAS DE AUTOPROTEÇÃO EXEMPLOS TIPO DE REGISTOS DE SEGURANÇA MEDIDAS DE AUTOPROTEÇÃO EXEMPLOS TIPO DE REGISTOS DE SEGURANÇA Mapa dos relatórios de Vistorias, Inspeções e Fiscalizações Ref.ª relatório ¹ () Vistorias Inspeções Fiscalizações Outros anexos ² Vistorias/Inspeções/Fiscalizações

Leia mais

SANEAMENTO. Projecto 1: Estudo Prévio de um Sistema Adutor (semana 1) Aula Prática da Semana:

SANEAMENTO. Projecto 1: Estudo Prévio de um Sistema Adutor (semana 1) Aula Prática da Semana: Projecto 1: Estudo Prévio de um Sistema Adutor (semana 1) Constituição do Grupo; Impressão do enunciado; receber o enunciado; receber os dados de base para o cálculo dos caudais de projecto dos aglomerados

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 22 Complementar do Regulamento Geral de SCIE Ref.ª VIII.I.02/

NOTA TÉCNICA nº 22 Complementar do Regulamento Geral de SCIE Ref.ª VIII.I.02/ [ NT 22 : NOTA TÉCNICA Complementar do RG-SCIE / Ref.ª VIII.I.02 / 2007-05-31 ] NOTA TÉCNICA nº 22 Complementar do Regulamento Geral de SCIE Ref.ª VIII.I.02/2007-05-31 RESUMO Definir a estrutura das plantas

Leia mais

Gama AQUASET AQUASET-PHTJ. Aplicações. Soluções domésticas com bombas de calor ar/água. Bombas de Calor Ar/Água monobloco ON/OFF Alta temperatura 65 C

Gama AQUASET AQUASET-PHTJ. Aplicações. Soluções domésticas com bombas de calor ar/água. Bombas de Calor Ar/Água monobloco ON/OFF Alta temperatura 65 C Soluções domésticas com bombas de calor ar/ Bombas de Calor Ar/ monobloco ON/OFF Alta temperatura Gama AQUASET ÁGUA GAS R40A T ext. -6 C T Máx. 65 C AQUASET-PHTJ PHTJ 4/9 Consulte os esquemas hidráulicos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO MODELO COMPLETO

MEMORIAL DESCRITIVO MODELO COMPLETO 1 ANEXO B ESTADO DE GOIÁS CORPO DE BOMBEIROS MILITAR MEMORIAL DESCRITIVO MODELO COMPLETO Ocupação/Uso: Divisão: Descrição: Endereço: Finalidade: ( ) Aprovação ( ) Substituição ( ) Atualização Espaço reservado

Leia mais

manualredesprediais anexos simbologia

manualredesprediais anexos simbologia manualredesprediais anexos B simbologia Anexo B G R U P O 1 CANALIZAÇÕES 1.1 Água fria destinada a consumo 1.2 Água quente destinada a consumo (em caso de existir circuito de retorno, este traço corresponde

Leia mais

FICHA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

FICHA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO A ANEXAR AOS PROJECTOS DE ARQUITECTURA DE EDIFÍCIOS DE OCUPAÇÃO EXCLUSIVA OU MISTA COM UTILIZAÇÕES TIPO DA 1ª E 2ª CATEGORIAS DE RISCO Ficha a ser apreciada pela Câmara Municipal (1ª Categoria) ou pelos

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 14/2017 2ª Edição SISTEMAS DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO

INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 14/2017 2ª Edição SISTEMAS DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 14/2017 2ª Edição SISTEMAS DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências Normativas 4 Definições 5 Procedimentos DIRETORIADEATIVIDADESTÉCNICAS Rodovia

Leia mais

PARTE II REGRAS PARA CONSTRUÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE NAVIOS IDENTIFICADOS POR SUAS MISSÕES CAPÍTULOS ABRANGÊNCIA

PARTE II REGRAS PARA CONSTRUÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE NAVIOS IDENTIFICADOS POR SUAS MISSÕES CAPÍTULOS ABRANGÊNCIA PARTE II REGRAS PARA CONSTRUÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE NAVIOS IDENTIFICADOS POR SUAS MISSÕES TÍTULO 22 ROLL ON/ROLL OFF SEÇÃO 6 TUBULAÇÃO CAPÍTULOS A B C D E F G H T ABRANGÊNCIA MATERIAIS E MÃO DE OBRA PRINCÍPIOS

Leia mais

Bancada Hidráulica P6100

Bancada Hidráulica P6100 ÍNDICE ENSAIOS EXPERIMENTAIS NA BANCADA HIDRÁULICA ----------------------- 1. ALGUNS COMPONENTES DA BANCADA HIDRÁULICA P6100 --------------4. INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO --------------------------------------------------------

Leia mais

BRAGA PORTO LISBOA REGULAMENTO FUNCIONAMENTO CURSO DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA EM SCIE-ELABORAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PROJETOS E PLANOS SEGURANÇA CONTRA

BRAGA PORTO LISBOA REGULAMENTO FUNCIONAMENTO CURSO DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA EM SCIE-ELABORAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PROJETOS E PLANOS SEGURANÇA CONTRA REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CURSO DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA EM SCIE-ELABORAÇÃO E CERTIFICAÇÃO BRAGA PORTO LISBOA DE PROJETOS E PLANOS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS DE EDIFÍCIOS homologado: DE 3ª E 4ª

Leia mais

Versões. Folha técnica associada T 5800 Edição de Setembro de Fig. 1: Tipo 3260/5857 Tipo 3260/ Fig.

Versões. Folha técnica associada T 5800 Edição de Setembro de Fig. 1: Tipo 3260/5857 Tipo 3260/ Fig. Válvulas de Controlo Eléctricas Tipo 3260/5857, 3260/5824, 3260/5825, 3260/3374, 3260/3274, 3260/5757-7, 3260/5725-7 Válvulas de Controlo Pneumáticas Tipo 3260/2780, 3260/3372, 3260-1, 3260-7 Válvula de

Leia mais

Curso: a) 24 b) 12 c) 6,5 d) 26,5 e) 97

Curso: a) 24 b) 12 c) 6,5 d) 26,5 e) 97 IST / DEQ Mestrado Integrado em Engenharia Química Mestrado Integrado em Engenharia Biológica Mestrado em Engenharia e Gestão da Energia Fenómenos de Transferência I 2014-2015 1º Semestre 1º Exame / 15.01.2015

Leia mais

Pneumática e Hidráulica

Pneumática e Hidráulica Pneumática e Hidráulica Nível III Exercícios adicionais Exercícios de Aplicação e Avaliação 1- Os Compressores pneumáticos: Transformam energia eléctrica em pneumática. Transformam energia mecânica em

Leia mais

Válvula de Governo Modelo: 200-FM-VGRA

Válvula de Governo Modelo: 200-FM-VGRA Válvula de Governo Modelo: 200-FM-VGRA 1 Geral: A Válvula de Alarme, Modelo 200-FM-VGRA atua como uma válvula de retenção, mantendo a água sob pressão abaixo da portinhola e evitando o fluxo de água no

Leia mais

Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo

Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo Elementos instrutórios do pedido Elementos comuns aos procedimentos de controlo prévio (Informação Prévia), nos termos da Portaria n.º 113/2015, de 22/04 1) 2) 3) 4) 5) 6) Certidão da descrição e de todas

Leia mais

flucon Valvulas Automáticas de controlo

flucon Valvulas Automáticas de controlo Valvulas Automáticas de controlo PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO Tomando como área de obturação A, a área do diafragma será de aproximadamente 3A. Este valor de 3A só é considerado na situação de modulação,

Leia mais

PA BIOMASSA. Central de Biomassa ESTUDO PRÉVIO. Drenagem de Águas Pluviais FRADELOS

PA BIOMASSA. Central de Biomassa ESTUDO PRÉVIO. Drenagem de Águas Pluviais FRADELOS PA BIOMASSA Central de Biomassa FRADELOS ESTUDO PRÉVIO Drenagem de Águas Pluviais MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA ANEXOS DE CÁLCULO LISTA DE PEÇAS DESENHADAS PEÇAS DESENHADAS INDICE 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

Normas Técnicas sobre os Sistemas de Deposição de Resíduos Sólidos em Edificações (NTRS) Município do Funchal

Normas Técnicas sobre os Sistemas de Deposição de Resíduos Sólidos em Edificações (NTRS) Município do Funchal Normas Técnicas sobre os Sistemas de Deposição de Resíduos Sólidos em Edificações (NTRS) No Município do Funchal 1. Disposições Gerais 1.1 Os projectos dos sistemas de deposição de resíduos sólidos que,

Leia mais

ESGUICHO PARA CANHÃO MONITOR WILLIAMS DESCRIÇÃO: WILLIAMS FIRE - EQUIPAMENTOS CARACTERÍSTICAS/BENEFÍCIOS. Williams Fire - Ranger 3

ESGUICHO PARA CANHÃO MONITOR WILLIAMS DESCRIÇÃO: WILLIAMS FIRE - EQUIPAMENTOS CARACTERÍSTICAS/BENEFÍCIOS. Williams Fire - Ranger 3 ESGUICHO PARA CANHÃO MONITOR WILLIAMS DESCRIÇÃO: O esguicho Ranger 3, com a tecnologia Smart Nozzle, foi projetado para as necessidades atuais de bombeiros em serviço público e industrial, com desempenho

Leia mais

CALDEIRAS DE CONDENSAÇÃO A GÁS FIABILIDADE E TRANQUILIDADE

CALDEIRAS DE CONDENSAÇÃO A GÁS FIABILIDADE E TRANQUILIDADE CALDEIRAS DE CONDENSAÇÃO A GÁS FIABILIDADE E TRANQUILIDADE CALDEIRAS DE CONDENSAÇÃO A GÁS DAIKIN: UMA NOVA GERAÇÃO DE CALDEIRAS DE ALTA EFICIÊNCIA PARA UM CONFORTO SUPERIOR E BAIXA FATURA ENERGÉTICA A

Leia mais

Programa Detalhado de Máquinas Térmicas e Hidráulicas

Programa Detalhado de Máquinas Térmicas e Hidráulicas Programa Detalhado de Máquinas Térmicas e Hidráulicas 1. Generalidades 1.1. Dimensões e unidades de medida 1.1.1. Dimensões e homogeneidade dimensional 1.1.2. Sistemas de unidades 2. Máquinas Hidráulicas

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XXIV Listas de verificação. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XXIV Listas de verificação. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XXIV Listas de verificação um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem

Leia mais

Chaminé Parede dupla para caldeiras

Chaminé Parede dupla para caldeiras 3.4 Chaminé rede dupla para caldeiras Terminal saída cónica (DWECO 32C) ra todas as aplicações indicadas utiliza-se o sistema nas diferentes versões em (gás natural e gasóleo em condições secas) e 316

Leia mais

ANEXO VII (a que se refere o artigo 17.º do programa do procedimento) Metodologia de Avaliação das Propostas

ANEXO VII (a que se refere o artigo 17.º do programa do procedimento) Metodologia de Avaliação das Propostas ANEXO VII (a que se refere o artigo 17.º do programa do procedimento) Metodologia de Avaliação das Propostas METODOLOGIA GERAL De acordo com o Programa do Procedimento, o critério de adjudicação da empreitada

Leia mais

Memoria Descritiva DPQ ESTUDO PRELIMINAR EQUIPAMENTO EDUCATIVO. DRAFT21 URBANISMO & ARQUITECTURA Lda

Memoria Descritiva DPQ ESTUDO PRELIMINAR EQUIPAMENTO EDUCATIVO. DRAFT21 URBANISMO & ARQUITECTURA Lda DPQ 25-03-2013 PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DE CARCAVELOS-SUL DRAFT21 URBANISMO & ARQUITECTURA Lda Memoria Descritiva ESTUDO PRELIMINAR EQUIPAMENTO EDUCATIVO Índice 1 Introdução

Leia mais

BB-DIESEL BIODIESEL SOLUTIONS

BB-DIESEL BIODIESEL SOLUTIONS Unidade de neutralização de óleo BB1000-NTA O óleo de frituras usado (WVO) é uma boa matéria prima para a produção de biodiesel. Infelizmente, muitas vezes esse óleo vem com valores de acidez superiores

Leia mais

Ficha Técnica Sistema de Drenagem Rainplus

Ficha Técnica Sistema de Drenagem Rainplus Identificação do Produto PB200; PB210 Sistema de drenagem sifónico de águas pluviais RAINPLUS Definição e Aplicação O sistema Rainplus utiliza a altura do edifício como força motriz para a drenagem das

Leia mais

Vasos de Pressão. Desenvolvimento do projeto e da construção dos vasos de pressão

Vasos de Pressão. Desenvolvimento do projeto e da construção dos vasos de pressão Vasos de Pressão Desenvolvimento do projeto e da construção dos vasos de pressão Etapas do Projeto e Construção Gestão de Projetos Etapas sugeridas, na sequência: Definição dos dados gerais de projeto

Leia mais

Metalúrgica do Eucalípto Nesprido - Viseu Tel /

Metalúrgica do Eucalípto Nesprido - Viseu Tel / www.metlor.com Caldeira a Pellets aqualuxo Informações de segurança Atenção: o interior da máquina pode atingir em funcionamento elevadas temperaturas que provocam queimaduras graves, manter crianças afastadas

Leia mais

MUNICÍPIO DE VILA VERDE

MUNICÍPIO DE VILA VERDE Documentos de Identificação Designação do ficheiro: REQ_DOC_V2.PDF Documentos comprovativos da qualidade de titular de qualquer direito que lhe confira a faculdade de realização da operação ou da atribuição

Leia mais

Descrição Geral: Conexões disponíveis:

Descrição Geral: Conexões disponíveis: Descrição Geral: Conexões disponíveis: - 3 - Instalação em banheiras de hidromassagem: Erros comuns de instalação: - 4 - Instalação elétrica: A montagem e instalação elétrica para a motobomba devem ser

Leia mais

Nº COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 174426 Qualidade dos sistemas de proteção contra incêndio Antônio Fernando Berto Palestra apresentado no SEMINÁRIO NACIONAL DE BOMBEIROS, 2016, Florianópolis. Palestra...47 slides.

Leia mais

ESQUENTADORES SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE

ESQUENTADORES SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE ESQUENTADORES Sensor Compacto SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE Sensor Compacto O novo grau de exigência Tecnologia, conforto e poupança Há um novo grau de exigência na gama de esquentadores Vulcano: o Sensor Compacto.

Leia mais

4 DEFINIÇÕES BÁSICAS APLICÁVEIS AOS GASES COMBUSTÍVEIS

4 DEFINIÇÕES BÁSICAS APLICÁVEIS AOS GASES COMBUSTÍVEIS Agradecimentos Nota a 1.ª Edição Nota a 2.ª Edição Como utilizar este manual Abreviaturas e Acrónimos Capítulo I Grandezas, Definições e Simbologia 1 INTRODUÇÃO 1.1 Breve Resumo Histórico 1.2 O Gás nas

Leia mais

VASOS DE EXPANSÃO E ACESSÓRIOS. Código * * Certificado CE. Código. Código /4 13,

VASOS DE EXPANSÃO E ACESSÓRIOS. Código * * Certificado CE. Código. Código /4 13, VASOS DE EXPANSÃO E ACESSÓRIOS 5557 cat. 0079 Vaso de expansão para instalações sanitárias. Certificado CE. Membrana atóxica em butilo. Pressão máx.: 0 bar. Temperatura máx.: 99 C. 5558 cat. 0079 Vaso

Leia mais

HyTronic Concebida com um propósito

HyTronic Concebida com um propósito HyTronic Concebida com um propósito Concebida para durar 1,75 milhões de utilizações e continua As novas torneiras HyTronic: a nova geração de torneiras electrónicas, accionadas por sensores, para lavatório.

Leia mais

SEQUÊNCIA BÁSICA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO PARA O CORPO DE BOMBEIROS DE SÃO PAULO. Decreto 56818/11 e ITs

SEQUÊNCIA BÁSICA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO PARA O CORPO DE BOMBEIROS DE SÃO PAULO. Decreto 56818/11 e ITs SEQUÊNCIA BÁSICA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO PARA O CORPO DE BOMBEIROS DE SÃO PAULO Decreto 56818/11 e ITs CLASSIFIQUE A ALTURA Decreto, artigo 3º nº I ; I Altura da Edificação: a. para fins de exigências

Leia mais

Problemas em Projetos e Instalações de Sistemas de Sprinklers. Felipe Melo

Problemas em Projetos e Instalações de Sistemas de Sprinklers. Felipe Melo Problemas em Projetos e Instalações de Sistemas de Sprinklers Felipe Melo O que é um projeto de Sprinkler? Conjunto de documentos, incluindo, mas não limitado à: ü Plantas em escala com layout definido

Leia mais

Ao proporcionar esse tipo de informação a COMGÁS reafirma o seu compromisso com a segurança e a qualidade das instalações de gás.

Ao proporcionar esse tipo de informação a COMGÁS reafirma o seu compromisso com a segurança e a qualidade das instalações de gás. Março / 2014 Introdução Muito além do que fornecer o gás natural aos seus clientes, a COMGÁS se preocupa em oferecer orientação sobre os procedimentos para projeto e execução das instalações internas de

Leia mais

Hote de exaustão. Benefícios: Altura variável Otimização e integração em cozinhas profissionais Iluminação encastrada

Hote de exaustão. Benefícios: Altura variável Otimização e integração em cozinhas profissionais Iluminação encastrada 4.6 HOTES PROFISSIONAIS HD Hote de exaustão Aplicação/ Uso: em cozinhas de média dimensão, onde se pretende o controlo dos parâmetros de custo, conforto e higiene. A Hote HD da SODECA será fabricada em

Leia mais

Bateria de aquecimento eléctrica MBE (devem instalar-se na descarga do ventilador)

Bateria de aquecimento eléctrica MBE (devem instalar-se na descarga do ventilador) Conjunto de ventilador helicocentrifugo e bateria de calor Sistema CALOR Sistema utilizado quando existe a necessidade introduzir ar quente no local. É composto por, um ventilador da série (a partir do

Leia mais

Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo

Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo Elementos instrutórios do pedido Elementos comuns aos procedimentos de controlo prévio (Licença), nos termos da Portaria n.º 113/2015, de 22/04 1) 2) 3) 4) 5) 6) Certidão da descrição e de todas as inscrições

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOCUMENTAÇÃO LEGAL, REGULAMENTAR E NORMATIVA APLICÁVEL Manual ITED (1ª, 2ª e 3ª Edição) Prescrições e Especificações Técnicas das Infra-estruturas de Telecomunicações em Edifícios. DL 123/2009, de 21 Maio,

Leia mais

Anexo sobre o sistema de exaustão de gases queimados para

Anexo sobre o sistema de exaustão de gases queimados para Anexo sobre o sistema de exaustão de gases queimados para Caldeira mural a gás AQUASTAR ZWC 4/8-3 MFA M ZSC 4-3 MFA M 6 70 63 897-00.O 6 70 63 87 PT (007/) OSW Índice Índice Indicações de segurança e esclarecimentos

Leia mais

Instalações Eléctricas

Instalações Eléctricas ENUNCIADOS DE PROBLEMAS DE CIRCUITOS DE COMANDO DE CONTACTORES ELECTROMAGNÉTICOS Baseados nos problemas propostos por : José L. Pereira da Silva José Mário T. Oliveira Manuel Fernando Izidoro Revistos,

Leia mais

ACUMULADORES DE ÁGUA QUENTE BE-SSP-2R

ACUMULADORES DE ÁGUA QUENTE BE-SSP-2R ACUMULADORES DE ÁGUA QUENTE DESCRIÇÃO DO PRODUTO Acumulador solar de água quente com dois registos Os acumuladores solares de água quente da gama BE-SSP são aquecedores de água esmaltados em aço (S 235

Leia mais

ACUMULADORES DE CAMADAS PRO-HEAT

ACUMULADORES DE CAMADAS PRO-HEAT ACUMULADOES DE CAMADAS PO-HEAT DESCIÇÃO DO PODUTO DADOS TÉCNICOS Acumulador de camadas Pro-Heat com conexão do permutador de esfera Acumulador de camadas de alta qualidade, em aço (S 235 J), para o modo

Leia mais

Engº J. Jorge Chaguri Jr. Sistema de aquecimento solar de água em circuito direto ABNT NBR 15569: 2008

Engº J. Jorge Chaguri Jr. Sistema de aquecimento solar de água em circuito direto ABNT NBR 15569: 2008 Engº J. Jorge Chaguri Jr Sistema de aquecimento solar de água em circuito direto ABNT NBR 15569: 2008 Introdução Apresentação 1 Conceito das Norma instalações 2A 3Questões A Norma aplicada 1 Conceito das

Leia mais

9 IRRIGAÇÃO POR ASPERSÃO CONVENCIONAL

9 IRRIGAÇÃO POR ASPERSÃO CONVENCIONAL 9 IRRIGAÇÃO POR ASPERSÃO CONVENCIONAL 9.1 TIPOS DE SISTEMAS FIXOS PERMANENTES FIXOS TEMPORÁRIOS SEMIFÍXOS PORTÁTEIS 9.2 VANTAGENS, LIMITAÇÕES E PESRPECTIVAS VANTAGENS Dispensa sistematização ou uniformização

Leia mais

Módulo EasyDan 150 l / 200 l / 300 l

Módulo EasyDan 150 l / 200 l / 300 l Memória Descritiva Módulo EasyDan 150 l / 200 l / 300 l O sistema ECODAN / EASYDAN proporciona mais do que o conforto ambiente. O sistema foi projectado para assegurar o fornecimento das águas quentes

Leia mais

PLANO DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO NT-16

PLANO DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO NT-16 Sumário 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Definições 4 Referências normativas 5 Procedimentos ANEXOS A Planilha de levantamento de dados B Fluxograma do Plano de Intervenção de Incêndio 1 Objetivo Esta Norma Técnica

Leia mais

Estudo e Levantamento das Melhores Soluções Técnicas para uma Unidade de Valorização de Biomassa como Combustível

Estudo e Levantamento das Melhores Soluções Técnicas para uma Unidade de Valorização de Biomassa como Combustível Estudo e Levantamento das Melhores Soluções Técnicas para uma Unidade de Valorização de Biomassa como Combustível 1. Enquadramento De acordo com a prestação de serviços para o Desenvolvimento de uma unidade

Leia mais

PHD 313 HIDRÁULICA E EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS

PHD 313 HIDRÁULICA E EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA POLITÉCNICA PHD 313 HIDRÁULICA E EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS Aula 12: Instalações de Água Quente Prof. Miguel Gukovas Prof. Rodolfo S Martins Prof. Ronan Cleber Contrera PHD

Leia mais

1 - Elementos Caracterizadores do Curso

1 - Elementos Caracterizadores do Curso 1 - Elementos Caracterizadores do Curso 1.1. Denominação: O curso terá a seguinte designação: Formação na área específica de SCIE para elementos dos corpos de bombeiros 90 horas 1.2. Objectivos gerais

Leia mais

DISCIPLINA DE PROJECTO DE SANEAMENTO AULA 3 / SUMÁRIO AULA 3

DISCIPLINA DE PROJECTO DE SANEAMENTO AULA 3 / SUMÁRIO AULA 3 DISCIPLINA DE PROJECTO DE SANEAMENTO AULA 3 / SUMÁRIO AULA 3 Caudais de dimensionamento. Dimensionamento hidráulico de sistemas adutores. Dimensionamento das condutas à pressão. Características e materiais

Leia mais

Aplicações. DN 15 a 250 PN 16 a 40 Temperaturas até 220 C

Aplicações. DN 15 a 250 PN 16 a 40 Temperaturas até 220 C Válvulas eléctricas de regulação Tipos 3213/5857, 3213/5824, 3213/5757-3, 3213/5757-7, 3213/5724 e 3214/5824, 3214/3374, 3214/3274, 3214/5724 Válvulas pneumáticas de regulação Tipos 3213/2780 e 3214/2780

Leia mais

Os produtos da LG Electronics têm liderado o mercado global de sistemas de ar condicionado através do desempenho excelente e do design inovador.

Os produtos da LG Electronics têm liderado o mercado global de sistemas de ar condicionado através do desempenho excelente e do design inovador. Os produtos da LG Electronics têm liderado o mercado global de sistemas de ar condicionado através do desempenho excelente e do design inovador. LG Ar Condicionado 11 GAMA DOMÉSTica Fluxo de Ar Potente

Leia mais

Formação Profissional na área de Caldeiras, Cogeração e Electricidade

Formação Profissional na área de Caldeiras, Cogeração e Electricidade I - CARACTERIZAÇÃO DA ENTIDADE FORMADORA Denominação Social: Sindicato dos Fogueiros, Energia e Industrias Transformadoras - SIFOMATE Endereço: Rua Chã, 132-1º - 4000-165 PORTO Telef: 22 3393120 - Fax:

Leia mais