V M V A L L O U R E C & M A N N E S M A N N T U B E S. V & M do BRASIL. Tubos Condutores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "V M V A L L O U R E C & M A N N E S M A N N T U B E S. V & M do BRASIL. Tubos Condutores"

Transcrição

1 V M V A L L O U R E C & M A N N E S M A N N T U B E S V & M do BRASIL Tubos Condutores

2

3 NOSSA EMPRESA Fundada em 1952 pela Mannesmannröhren-Werke, a ex-mannesmann instalou-se no Brasil para atender às necessidades da emergente indústria petrolífera nacional. Em junho de 2000 a empresa foi incorporada ao Grupo VALLOUREC & MANNESMANN TUBES (V & M TUBES), passando ser denominada V & M do BRASIL S.A. O Complexo Industrial da Empresa, a Usina Integrada Barreiro, está localizado em Belo Horizonte (MG) e possui três milhões de metros quadrados de área. Sua capacidade é de cerca de 600 mil toneladas de tubos de aço sem costura por ano. Juntamente com a Usina Barreiro, integram o grupo V & M do BRASIL, a V & M FLORESTAL e a V & M MINERAÇÃO. Estas empresas trabalham para fornecer as matérias-primas essenciais ao processo siderúrgico: carvão vegetal e minério de ferro, viabilizando, assim, a sustentabilidade da produção do aço. Com essa independência em relação a outras indústrias, a empresa está em posição de oferecer prazos de entregas competitivos e também de produzir diferentes graus de aço, de acordo com as demandas individuais de cada cliente. A V & M do BRASIL visa ter a melhor oferta de tubos de aço sem costura, liderando o mercado nacional e sendo um diferencial decisivo do grupo VALLOUREC & MANNESMANN TUBES no mercado internacional. Para isso, é preciso excelência em cada etapa do processo integrado. Trabalhamos para sermos benchmark desde a produção de carvão vegetal e do minério de ferro até a entrega do produto final aos nossos clientes. Sistema Integrado de Gestão A V & M do BRASIL tem como política operar com elevado padrão de qualidade e modernas tecnologias, visando manter-se na liderança do mercado, com produtos e serviços que atendam às necessidades de seus clientes, além de promover a saúde e segurança no trabalho e a preservação do meio ambiente, prevenir a poluição, cumprir a legislação e as normas aplicáveis e buscar sempre a melhora de seu desempenho. Responsabilidade Ambiental Ocupando cerca de 127 mil hectares, equivalente à campos de futebol, as florestas em crescimento, da V & M FLORESTAL, contribuem para a redução do efeito estufa por fixarem o gás carbônico e emitirem oxigênio na atmosfera Os tubos de aço sem costura da V & M do BRASIL são fabricados com aço cujo processo de produção utiliza o carvão vegetal como termo-redutor. Isso significa que, para cada tonelada de aço fabricada na Usina Barreiro com carvão vegetal, fornecido pela V & M FLORESTAL, deixa-se de acumular 1,8 toneladas de CO2. Com este processo produtivo ambientalmente correto, economicamente viável e socialmente justo, os produtos V & M do BRASIL são identificados com o selo "Tubo Verde". Tubos Condutores V & M do BRASIL 01

4 V & M TUBES NO MUNDO LOCAIS DE PRODUÇÃO DA DIVISÃO DE TUBOS LAMINADOS A QUENTE NO MUNDO Duisburg Mulheim/Ruhr Düsseldorf - Rath Düsseldorf - Reisholz Saint Saulve Deville BOULOGNE/Paris (headquarters) Aulnoye Montbard Youngstown, Ohio Changzhou Belo Horizonte Headquarters Aciarias Fábrica de tubos A VALLOUREC & MANNESMANN TUBES ocupa posição de liderança mundial na fabricação de tubos em aço sem costura, com aciarias e fábricas no Brasil, França, Alemanha, Estados Unidos e China. Desta forma, a linha de tubos condutores da V & M do BRASIL é complementada pelos produtos fabricados pelas demais empresas do grupo. PRINCIPAIS CERTIFICAÇÕES ISO/TS API-Q1 ISO 9001 ISO OHSAS DNV Shell Certificate Sistema de Gestão da Qualidade para a Indústria Automotiva Sistema de Gestão da Qualidade para o Setor Petrolífero Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão Ambiental Sistema de Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional Approval of Manufacturer Sistema de Gestão 02 V & M do BRASIL Tubos Condutores

5 DIFERENCIAL NA FABRICAÇÃO DO AÇO O ferro gusa líquido proveniente dos altos-fornos é transformado em aço no Conversor LD, através da injeção de oxigênio puro. Medições automáticas de temperatura durante o processo e a utilização da tecnologia de sopro submerso (com nitrogênio ou argônio) resultam em altos níveis de confiabilidade e rendimento do sistema, assim como na qualidade do aço líquido produzido. METALURGIA SECUNDÁRIA A Metalurgia Secundária inclui um Forno Panela, uma Estação de Desgaseificação a Vácuo e uma Estação de Rinsagem. No Forno Panela, os ajustes de temperatura e análise química são controlados por um moderno sistema supervisório, garantindo excelente repetibilidade, controle do processo e da qualidade desejada. O equipamento dispõe das seguintes funcionalidades: injeção de ligas em arame, tratamento com CaSi e agitação do aço por borbulhamento de argônio. O tratamento no Forno Panela contribui, assim, para a melhoria do nível de pureza e homogeneidade do aço. A estação de Desgaseificação a Vácuo, permite a retirada de gases como oxigênio, nitrogênio e hidrogênio do aço líquido. Na seqüência da produção, os aços são tratados na estação de rinsagem onde, através da suave passagem de argônio, a alta pureza do metal líquido é o objetivo maior. LINGOTAMENTO CONTÍNUO O aço líquido é finalmente solidificado na máquina de lingotamento contínuo de quatro veios, resultando em barras maciças de 180, 194 e 230 milímetros de diâmetro. O lingotamento contínuo é ainda equipado com um sistema de dupla agitação eletromagnética, que contribui para uma maior homogeneidade interna da barra solidificada, melhorando assim a qualidade do aço bruto. Convertedor LD - V & M do BRASIL Tubos Condutores V & M do BRASIL 03

6 DIFERENCIAL NO PROCESSO DE LAMINAÇÃO DE TUBOS A V & M do BRASIL dispõe de dois laminadores de tubos sem costura, cobrindo uma faixa de diâmetros desde 26,7 mm (3/4 ) até 355,6 mm (14 ). As matérias-primas são blocos de aço maciços de 180 a 230 mm de diâmetro, aquecidos a uma temperatura de 1.280oC. Laminador Contínuo (RK) Laminação Automática (LA) A perfuração dos blocos ocorre no Laminador Oblíquo, presente em ambas as instalações. O giro dos dois cilindros de forma duplo-cônica provoca tensões de cisalhamento no centro do bloco, formando uma cavidade axial. Esta é então expandida e sua superfície alisada pela ponta de perfuração, posicionada na extremidade da biela. O bloco perfurado, denominado "lupa", é então conformado nos laminadores subseqüentes, transformando-se em um tubo com suas dimensões definitivas. Todo o processo é monitorado por sistemas de rastreamento automatizados. A Laminação Automática conta também com uma moderna instalação de têmpera e revenimento de tubos. 04 V & M do BRASIL Tubos Condutores

7 DIFERENCIAL NOS TESTES NÃO DESTRUTIVOS Para assegurar o elevado grau de qualidade e de uniformidade nos seus produtos, a V & M do BRASIL realiza controles de processos e inspeções posicionadas ao longo dos fluxos produtivos. Desta forma, acompanhando a evolução tecnológica e de mercado, a V & M do BRASIL dispõe em suas linhas de produção de avançados sistemas automatizados e informatizados de medição, controle de processo e inspeção por Ensaios Não Destrutivos, considerados estado da arte em termos de tecnologia. Estes sistemas utilizam técnicas eletromagnéticas (fluxo de dispersão magnética e correntes parasitas), de ultrassom, partículas magnéticas, medições a laser e raios gama. Além disso, destacam-se os equipamentos multifuncionais de teste e de medição denominados multitestblocks, onde diversos equipamentos com diferentes funções são montados em uma única plataforma. Os equipamentos de Ensaios Não Destrutivos são operados de forma centralizada e possuem painéis de controle únicos, totalmente automatizados e computadorizados, seja para ajustes mecânicos ou bancas de alimentação, como para ajustes dos parâmetros de teste para seleção de marcação das peças. Os registros de qualidade são disponibilizados pelo sistema como evidência da conformidade do produto, visando prover as informações técnicas que permitam melhorar a confiabilidade e promover o aprimoramento dos processos produtivos, ampliando a garantia da qualidade dos tubos produzidos pela V & M do BRASIL. A localização dos equipamentos ao longo do fluxo produtivo está ilustrada na figura a seguir: US1 Processamento Metalúrgico + Lingotamento Contínuo US7 MPB4 MPB5 HWS Trefilaria de Tubos Automotivos e de Precisão US6 CP US2 US3 US4 UNIDADE MULTITESTE (EMI, LASER, US PAREDE) Tubos Condutores V & M do BRASIL 05

8 LAMINADOR COM MA FLUXOGRAMA DE PRODUÇÃO MINÉRIO DE FERRO CARVÃO VEGETAL PRODUÇÃO FERRO-GUSA SUCATA (20% max.) H DESGASEIFICADOR A VÁCUO FORNO-PANELA 70 ton ALTO-FORNO BOF Converterdor LD LEITO DE RESFRIAMENTO DESCAREPADOR HIDRÁULICO LEITO DE R LAMINADOR ACABADOR FORNO DE REAQUECIMENTO DE SOLEIRA CAMINHANTE 06 V & M do BRASIL Tubos Condutores

9 ÇÃO DE AÇO HOMOGENEIZAÇÃO COM ARGÔNIO BARRA BARRA LINGOTAMENTO CONTÍNUO M MANDRIS (6" a 14") O DE RESFRIAMENTO LAMINADOR COM MANDRIS FORNO DE SOLEIRA CAMINHANTE DUPLA REELER LAMINADOR PERFURADOR Tubos Condutores V & M do BRASIL 07

10 DIFERENCIAL NO VALOR AGREGADO 1 Tratamento Térmico A V & M do BRASIL dispõe de equipamentos em linha e off-line que conferem um largo espectro de propriedades mecânicas e características micro estruturais aos tubos condutores. Os seguintes tratamentos térmicos podem ser aplicados aos diferentes graus de aço: X42 e abaixo: normalização X52 e X56: normalização ou têmpera e revenimento X60 e acima: têmpera e revenimento As Têmperas da V & M do BRASIL realizam o tratamento térmico com resfriamento em água ou em ar, no caso de tubos de graus de aço especiais (13%Cr). Tratamentos de normalização off-line também são realizados nessa instalação. A V & M do BRASIL conta com a possibilidade de calibração a frio das extremidades dos seus tubos. Com esse recurso, particularmente importante na linha de produtos temperados e revenidos, obtêm-se faixas de tolerância dimensional mais restritas nas pontas dos tubos que permitem uma melhor produtividade nas operações de soldagem de topo em campo. Têmpera Têmpera 08 V & M do BRASIL Tubos Condutores

11 SERVIÇOS AGREGADOS A V & M do BRASIL, através de parceiros altamente qualificados e criteriosamente selecionados, oferece soluções personalizadas que atendem às demandas especificas de cada cliente. Dentre às diversas soluções destacamos: Revestimento Para tubulações enterradas ou submersas. Fornecemos nossos produtos com os seguintes tipos de revestimentos: 1 REVESTIMENTO DE JUNTA DE CAMPO EM POLIPROPILENO E POLIETILENO SPRAY GUN 1 Dupla camada de FBE PE/PP APLICADO ATRAVÉS DE SISITEMA SPRAY GUN 1 Fusion Bonded Epoxy TUBO DE AÇO FBE APLICADO ELETROSTATICAMENTE TRIPLA CAMADA PE/PP MANTAS TERMOCONTRÁTEIS 1 FBE 2 Adesivo 3 Polipropileno FBE 2 Adesivo 3 Polipropileno 4 Espuma 5 Capa protetora sólido de externa Polipropileno MANTA TERMOCONTRÁTIL PRIMER EPÓXI LÍQUIDO (RECOMENDADO) 1 TUBO DE AÇO 1 FBE 2 Adesivo 3 Polipropileno 1 Revestimento de eficiência de fluxo TRIPLA CAMADA POLIETILENO > Revestimento Anti Corrosivo: FBE, 3CPP e Dupla camada FBE > Revestimento de Garantia de Fluxo: Thermotite, Sistema de Isolamento em Polipropileno > Revestimento Interno: Flowcoat e Sureflow FEC, revestimento interno em camada fina de Epoxy. Diâmetro nominal dos tubos: Comprimento: Peso máximo por tubo: Tipo de aplicação: Normas e especificações: de 2" (60,3 mm) a 14" (355,6 mm) de 8 a 14 metros kg Revestimentos externos em fusion Bonded Epoxy (FBE) e sistemas multicamada utilizando Polietileno ou Polipropileno, além de isolamento térmico em polipropileno sólido ou sintático, ULTRA. Poderão ser aplicados conforme normas e especificações Brasileiras (Petrobras), Alemã (DIN), Francesa (NFA), Canadense ou outras especificações mediante análise prévia. Jateamento e Pintura: Poderão ser aplicadas conforme normas e especificações Brasileiras (Petrobras) outras especificações mediante análise prévia. Tubos Condutores V & M do BRASIL 09

12 SERVIÇOS AGREGADOS Curvamento por Indução à quente Com modernos softwares desenvolvemos soluções tubulares ( Elbow) que interferem diretamente nos projetos reduzindo consideravelmente o prazo de entrega e os custos da obra. Para garantir a qualidade técnica e a confiabilidade do material, utilizamos o moderno equipamento denominado Braço de Medição Tridimensional, que realiza de forma rápida e precisa a medição do raio, ângulo e ovalização do spool. A grande vantagem do spool está na redução dos pontos de soldas, de conexões e END (Ensaios Não Destrutivos). - Relação Raio/Diâmetro: spools com raios de curvatura a partir de 1,5D. - Diâmetro nominal dos tubos: De 4 (Ø114,30 mm) a 14 (Ø355,60 mm). - Norma dos tubos:astm-a-106 GRAe B / API 5L / ABNT NBR-5590 /ABNT NBR Elbow-Sistema usual de Spools Elbow-Spool nova solução (menos solda) 10 V & M do BRASIL Tubos Condutores

13 SERVIÇOS AGREGADOS Field Solution Ao adquirir os produtos V & M do BRASIL o cliente recebe orientações sobre a utilização eficiente das soluções tubulares, além da assistência técnica necessária com pontualidade, agilidade e flexibilidade. Toda essa assessoria é gratuita e fornecida pela Equipe Field Solution, criada especialmente para satisfazer o cliente. Áreas de Atuação: - Gestão de Projetos - Inspeção de qualidade - Logística e armazenagem - Metalurgia - Rastreabilidade dimensional e documental - Soldagem - Tratamento Térmico Segmentos de Atuação - Construção civil - Geração de energia - Indústria Mecânica - Indústria Naval - Indústrias químicas - Mineração - Refinarias e petroquímicas - Siderurgia - Usinas de Açúcar e Álcool Ganhos Adicionais - Gestão logística integrada com planejamento de produção, menor volume em estoque e flexibilidade nas entregas. - Analise de aplicação do material para melhor definição de qualidade, inspeção e testes necessários para o processo. Excelência no desempenho e qualidade na gestão. Tubos Condutores V & M do BRASIL 11

14 38,1 Bitolas laminadas produzidas na V & M do BRASIL Bitolas produzidas tanto na Laminação Contínua quanto na Laminação Automática da V & M do BRASIL Bitolas produzidas na V & M Europa (França e Alemanha) Outros diâmetros/paredes podem ser fabricados mediante consulta, já que a nossa trefilaria pode produzir tubos com diâmetros de 6,0 a 235,0 mm e paredes de 0,5 a 23 mm de espessura, dependendo da relação diâmetro externo/ espessura da parede. 12 V & M do BRASIL Tubos Condutores

15 Tubos Condutores V & M do BRASIL 13

16 TUBOS DE AÇO SEM COSTURA PARA CONDUÇÃO DE PRODUTOS PETROLÍFEROS E OUTROS FINS P X46/ X52/ X56 X60 / X65 / X70 A25 / A25P MPa MPa 2 1" (33,40), V & M do BRASIL Tubos Condutores

17 Grau C Si (máx) Mn P S V (máx) Nb (máx) Ti Outros BN 0,24 1,20 0,025 0,015 c c 0,040 e X42N 0,24 1,20 0,025 0,015 0,06 0,05 0,040 e X46N 0,24 1,40 0,025 0,015 0,07 0,05 0,040 d, e X52N 0,24 0,45 1,40 0,025 0,015 0,10 0,05 0,040 d, e X56N 0,24 0,45 1,40 0,025 0,015 0,10 0,05 0,040 d, e X60Q/X65Q 0,18 0,45 1,70 0,025 0,015 f f f g X70Q 0,18 0,45 1,80 0,025 0,015 f f f g X80Q 0,18 0,45 1,90 0,025 0,015 f f f h, i CE (Pcm) 0,25% para percentual de Carbono 0,12%, calculado usando a fórmula: CE (Pcm)= C+ Si + Mn+ Cu+ Ni+ Cr + Mo+ V+ 5B CE (IIW) 0,43% para percentual de Carbono > 0,12%, calculado usando a fórmula: CE (IIW)=C+ Mn + (Cr + Mo + V) + (Ni + Cu) Grau Limite de escoamento (mín.) Resistência a Tração (mín.) psi MPa psi MPa psi MPa psi MPa BN (a) X42N X46N X52N X56N X60Q X65Q X70Q X80Q Norma API 5L Fabricação Fixos ou Faixas 6m (20 pés): 2,74 a 6,86m (9,0 a 22,5 pés), com média mínima de 5,33m (17,5 pés). 12m (40 pés):4,27 a 13,72m (14,0 a 45,0pés), com média mínima de10,67m (35,0 pés) 4,0 a 8,0 metros ou 8,0 a 13,0 metros. Mediante consulta. 1" (33,40) Diâmetro Externo Espessura da parede Até 48,3 mm (1,9"): + mm ( pol). - 0,80 mm ( pol). 4,0mm (0.157"): + 0,6mm (0.024") - 0,5mm (0.020") 25,0mm (0.984"): + 3,7mm (0.146") ou + 10% o que for maior - 3,0mm (0.120") ou - 10% o que for maior 60,3mm (2.3/8") e maior: +/- 0,75% > 4,0mm (0.157") a < 25,0mm (0.984"): + 15% - 12,5% Peso Por Tubo : + 10% - 3,5% Por Lote : -1,75%

18 - Ex: 168,3 x 7,11 mm MPa MPa 3 1" (33,40)

19 TUBOS DE AÇO SEM COSTURA PARA CONDUÇÃO DE PRODUTOS PETROLÍFEROS E OUTROS FINS DIMENSÕES API-5L / LINE PIPE e BI-NORMA Diametro externo Espessura da parede Peso Comprimento Diametro externo Espessura da parede Peso Comprimento pol mm pol mm kg/m 20 pés 40 pés pol mm pol mm kg/m 20 pés 40 pés , , , , , , ,3 2 3/8 60,3 2 7/8 73,0 3 1/2 88, , ,20 0,62 x x ,00 10,88 x x ,00 0,79 x x ,40 11,92 x x ,30 0,84 x x ,80 12,96 x x ,20 1,10 x x ,20 13,99 x x ,40 1,12 x x ,60 15,01 x x ,80 1,28 x x ,00 16,02 x x ,70 1,61 x x 4 1/2 114, ,40 17,03 x x ,80 1,95 x x ,10 18,77 x x ,90 1,70 x x ,90 20,73 x x ,90 2,19 x x ,60 22,42 x x ,40 2,52 x x ,10 28,25 x x ,50 3,21 x x ,50 33,56 x x ,60 3,43 x x ,10 40,99 x x ,90 4,51 x x ,80 16,16 x x ,70 7,77 x x ,60 18,74 x x ,70 4,07 x x ,60 21,92 x x ,10 5,43 x x ,10 23,50 x x ,20 9,58 x x ,90 25,99 x x 5 9/16 141, ,20 4,51 x x ,70 28,45 x x ,60 5,03 x x ,50 30,88 x x ,90 5,42 x x ,70 40,28 x x ,40 6,07 x x ,90 49,17 x x ,80 6,57 x x ,10 57,56 x x ,50 7,43 x x ,80 19,35 x x ,40 8,51 x x ,20 20,91 x x ,10 9,31 x x ,60 22,47 x x ,10 13,47 x x ,40 25,55 x x ,60 6,16 x x ,10 28,22 x x ,00 6,81 x x ,90 31,25 x x ,40 7,44 x x ,70 34,24 x x ,80 8,07 x x ,50 37,20 x x 6 5/8 168, ,20 8,69 x x ,00 42,67 x x ,50 9,16 x x ,70 48,73 x x ,40 10,51 x x ,30 54,31 x x ,00 11,39 x x ,90 59,76 x x ,00 20,37 x x ,30 67,69 x x ,60 7,57 x x ,10 70,27 x x ,00 8,37 x x ,90 79,06 x x ,40 9,17 x x ,20 79,98 x x ,80 9,95 x x ,50 11,31 x x ,40 13,02 x x ,10 14,32 x x ,60 15,24 x x ,20 27,63 x x ,60 8,70 x x ,00 9,63 x x ,40 10,55 x x ,80 11,46 x x ,70 13,48 x x ,40 15,02 x x ,10 16,55 x x ,10 18,68 x x Diâmetro/paredes fornecidos como trefilados a frio NOTA: Outros diâmetros/paredes poderão ser fabricados mediante consulta. V & M do BRASIL Tubos Condutores 17

20 TUBOS DE AÇO SEM COSTURA PARA CONDUÇÃO DE PRODUTOS PETROLÍFEROS E OUTROS FINS DIMENSÕES API-5L / LINE PIPE e BI-NORMA Diametro externo Espessura da parede Peso Comprimento Diametro externo Espessura da parede Peso Comprimento pol mm pol mm kg/m 20 pés 40 pés pol mm pol mm kg/m 20 pés 40 pés ,40 33,57 x x ,00 36,61 x x ,90 41,14 x x ,20 42,65 x x ,70 45,14 x x ,50 49,10 x x ,10 56,94 x x ,70 64,64 x x 8 5/8 219, ,30 72,22 x x 12 3/4 323, ,90 79,67 x x ,30 90,62 x x ,10 94,20 x x ,60 100,84 x x ,20 107,79 x x ,40 121,33 x x ,00 147,64 x x ,40 42,09 x x ,10 46,57 x x ,80 51,03 x x ,70 56,72 x x ,30 60,50 x x ,10 71,72 x x 10 3/4 273, ,70 81,55 x x ,30 91,26 x x ,90 100,85 x x ,30 114,99 x x , ,60 128,27 x x ,20 137,36 x x ,80 146,32 x x ,40 155,15 x x NOTA: Outros diâmetros/paredes poderão ser fabricados mediante consulta ,40 50,11 x x ,10 55,47 x x ,90 61,56 x x ,40 65,35 x x ,70 67,62 x x ,50 73,65 x x ,30 79,65 x x ,10 85,62 x x ,70 97,46 x x ,30 109,18 x x ,90 120,76 x x ,50 132,23 x x ,10 143,56 x x ,60 154,08 x x ,20 165,17 x x ,80 176,13 x ,40 186,97 x ,00 197,68 x ,60 208,27 x ,90 61,56 x x ,70 74,42 x x ,50 81,08 x x ,30 87,71 x x ,10 94,30 x x ,90 100,86 x x ,70 107,39 x x ,30 120,36 x x ,90 133,19 x x ,50 145,91 x x ,10 158,49 x x ,60 170,18 x ,20 182,52 x ,80 194,74 x ,40 206,83 x 18 V & M do BRASIL Tubos Condutores

21 TUBOS DE AÇO SEM COSTURA PARA CONDUÇÃO DE FLUIDOS E OUTROS FINS NBR Com requisitos de qualidade 1 - Composição química (%) Grau C Mn. P S Cr Cu Mo Ni V A 0,25 0,95 0,05 0,045 0,15 0,08 B 0,30 1,20 0,05 0,045 0,15 0,08 Obs: Para cada 0,01% de redução sobre o Carbono máximo especificado, é permitido um acréscimo de 0,06% sobre o Manganês máximo especificado de 1,35%. 2 - Propriedades mecânicas Grau Limite de Escoamento - mín. Resistência à Tração - mín. psi MPa psi MPa A B Obs.: Alongamento conforme a norma 3 - Comprimentos Single random lengths De 4,88 a 6,71 m com até 5% de 3,66 a 4,88 Double random lengths Média mínima de 10,67 e comprimento mínimo de 6,71m Fabricação Fixos ou Faixas 4 a 8 m ou 8 a 13 m Mediante consulta Não poderão ser fornecidos tubos em "double random lengths" para bitola 10" e Observação parede 28,58 mm, para bitola 12" e parede 23,83 mm para bitola de 14" e parede 20,62 mm. 4 - Acabamento das pontas 1" (33,40) 5 - Tolerâncias Diâmetro Externo Espessura da parede Peso Até 1 1/2" (48,3mm) +/- 0,4mm A partir de 2" (60,3mm) +/- 1% A espessura de parede mínima não estará em nenhum ponto mais que 12,5% abaixo da espessura de parede nominal especificada +/- 10% 6 - Ensaios e testes Além dos ensaios físicos e tecnológicos executados, cada tubo é submetido a um teste elétrico não destrutivo ou hidrostático de acordo com a bitola e o aço. V & M do BRASIL Tubos Condutores 19

22 TUBOS DE AÇO SEM COSTURA PARA SERVIÇOS A ALTA TEMPERATURA ASTM A Para altas temperaturas 1 - Composição química (%) Grau C Mn. Si (mín.) P S Cr Cu Mo Ni V A 0,25 0,27 / 0,93 0,10 0,035 0,035 0,15 0,08 B C 0,30 0,35 0,29 / 1,06 0,29 / 1,06 0,10 0,10 Obs: Para cada 0,01% de redução sobre o Carbono máximo especificado, é permitido um acréscimo de 0,06% sobre o Manganês máximo especificado, para o grau A até um máximo de 1,35%, para os graus B e C máximo de 1,65%. 0,035 0,035 0,035 0,035 0,15 0,15 0,08 0, Propriedades mecânicas Grau Limite de Escoamento - mín. Resistência à Tração - mín. psi MPa psi MPa A B C Obs.: Alongamento conforme a norma 3 - Comprimentos Single random lengths De 4,8 a 6,7 m com até 5% de 3,7 a 4,8 m Double random lengths Média mínima de 10,7 m e comprimento mínimo de 6,7 m com até 5% de 4,8 a 6,7m Fabricação Fixos ou Faixas 4 a 8 m ou 8 a 13 m Mediante consulta Não poderão ser fornecidos tubos em "double random lengths" para bitola 10" e Observação parede 28,58 mm, para bitola 12" e parede 23,83 mm para bitola de 14" e parede 20,62 mm. 4 - Acabamento das pontas 1" (33,40) 5 - Tolerâncias Diâmetro Externo de 1/8" até 1 1/2" +/- 0,4mm > 1 1/2" até 4" +/- 0,8mm > 4" até 8" + 1,6mm - 0,8mm > 8" + 2,4mm - 0,8mm Espessura da parede Peso A espessura de parede mínima não estará em nenhum ponto mais que 12,5% abaixo da espessura de parede nominal especificada. + 10% - 3,5% 6 - Ensaios e testes Além dos ensaios físicos e tecnológicos executados, cada tubo é submetido a um teste elétrico não destrutivo ou hidrostático de acordo com a bitola e o aço. 20 V & M do BRASIL Tubos Condutores

23 ASTM A Para baixas temperaturas 1 - Composição química (%) TUBOS DE AÇO SEM COSTURA PARA SERVIÇOS A BAIXA TEMPERATURA Grau C Si (mín) Mn. P S 1 0,30 / 1,06 0,025 0, ,30 0,10 0,29 / 1,06 0,025 0,025 Obs.: 1) Para cada 0,01% de redução sobre o Carbono máximo especificado, é permitido um acréscimo de 0,05% sobre o Manganês máximo especificado, até um máximo de 1,35%. 2 - Propriedades mecânicas Grau Limite de Escoamento - mín. Resistência à Tração - mín. psi MPa psi MPa Obs.: Alongamento conforme a norma 3 - Comprimentos Single random lengths De 4,88 a 6,71 m com até 5% de 3,66 a 4,88 Double random lengths Média mínima de 10,67 e comprimento mínimo de 6,71m, com até 5% de 4,80 a 6,70m Fabricação Fixos ou faixas Observação 4 a 8 m ou 8 a 13 m Mediante consulta Não poderão ser fornecidos tubos em "double random lengths" para bitola 10" e parede 28,58 mm, para bitola 12" e parede 23,83 mm para bitola de 14" e parede 20,62 mm. 4 - Acabamento das pontas 5 - Tolerâncias 1" (33,40) Diâmetro externo 48,3mm > 48,3 114,3mm > 114,3mm 219,1mm > 219,1mm + 0,4 / - 0,8mm + 0,8 / - 0,8mm + 1,6 / - 0,8mm + 2,4 / - 0,8mm Espessura da parede A espessura de parede mínima não estará em nenhum ponto mais que 12,5% abaixo da espessura de parede nominal especificada. Peso diâm. ext. 323,8mm + 10,0% / - 3,5% diâm. ext. > 323,8mm + 10,0% / - 5,0% 6 - Ensaios e testes Além dos ensaios físicos e tecnológicos executados, cada tubo é submetido a um teste eletromegnético não destrutivo ou hidrostático de acordo com a bitola e o aço. V & M do BRASIL Tubos Condutores 21

24 TUBOS DE AÇO SEM COSTURA DIMENSÕES NBR / ASTM-A-106 / ASTM-A-333 Diam. Nom. Diametro externo Espessura da parede Peso ESP. Comprimento Diam. Nom. Diametro externo Espessura da parede Peso ESP. Comprimento pol pol mm pol mm kg/m lb/ft SCH SRL DRL pol pol mm pol mm kg/m lb/ft SCH SRL DRL 1/ ,7 3/ ,1 1/ ,3 3/ , ,4 1 1/ ,2 1 1/ , ,3 2 1/ , ,24 0,63 0,43 STD/40 x x ,02 0,80 0,54 XS/80 X x ,85 0,70 0,47 30 x x ,31 0,84 0,57 STD/40 x x ,20 1,10 0,74 XS/80 x x ,41 1,12 0,76 30 x x ,77 1,27 0,85 STD/40 x x ,73 1,62 1,09 XS/80 x x ,78 1,95 1, x x ,47 2,55 1,72 XXS x x ,41 1,44 0,97 30 x x ,87 1,69 1,13 STD/40 x x ,91 2,20 1,48 XS/80 x x ,56 2,90 1, x x ,82 3,64 2,44 XXS x x ,90 2,18 1,46 30 x x ,38 2,50 1,68 STD/40 x x ,55 3,24 2,17 XS/80 x x ,35 4,24 2, x x ,09 5,45 3,66 XXS x x ,97 2,87 1,93 30 x x ,20 3,08 2,07 x x ,56 3,39 2,27 STD/40 x x ,85 4,47 3,00 XS/80 x x ,35 5,61 3, x x ,70 7,77 5,22 XXS x x ,18 3,53 2,37 30 x x ,68 4,06 2,72 STD/40 x x ,08 5,41 3,63 XS/80 x x ,14 7,25 4, x x ,15 9,55 6,41 XXS x x ,18 4,48 3,01 30 x x ,58 5,01 3,37 x x ,91 5,44 3,66 STD/40 x x ,37 6,03 4,05 x x ,78 6,54 4,40 x x ,54 7,48 5,03 XS/80 x x ,35 8,45 5,68 x x ,14 9,36 6,29 x x ,74 11,11 7, x x ,07 13,44 9,04 XXS x x ,18 5,48 3,67 x x ,58 6,13 4,12 x x ,96 6,74 4,53 x x ,37 7,40 4,97 x x ,78 8,04 5,40 30 x x ,16 8,63 5,80 STD/40 x x ,49 9,14 6,14 x x ,35 10,44 7,02 x x ,01 11,41 7,67 XS/80 x x ,53 14,92 10, x x ,02 20,39 13,71 XXS x x ,9 3 1/ , , , ,58 7,53 5,06 x x ,96 8,30 5,58 x x ,37 9,11 6,12 x x ,78 9,92 6,66 30 x x ,49 11,29 7,58 STD/40 x x ,35 12,93 8,69 x x ,14 14,40 9,67 x x ,62 15,27 10,26 XS/80 x x ,13 21,35 14, x x ,24 27,68 18,60 XXS x x ,58 8,65 5,82 x x ,96 9,54 6,41 x x ,37 10,48 7,04 x x ,78 11,41 7,66 30 x x ,74 13,57 9,12 STD/40 x x ,35 14,92 10,02 x x ,14 16,63 11,17 x x ,08 18,64 12,52 XS/80 x x ,96 10,78 7,24 x x ,37 11,85 7,96 x x ,78 12,91 8,67 30 x x ,16 13,89 9,32 x x ,56 14,91 10,02 x x ,02 16,08 10,80 STD/40 x x ,35 16,91 11,36 x x ,14 18,87 12,67 x x ,92 20,78 13,97 x x ,56 22,32 15,00 XS/80 x x ,13 28,32 19, x x ,49 33,54 22, x x ,12 41,03 27,57 XXS x x ,78 16,09 10,80 x x ,56 18,61 12,51 x x ,55 21,77 14,63 STD/40 x x ,14 23,62 15,87 x x ,92 26,05 17,51 x x ,74 28,57 19,19 x x ,53 30,97 20,80 XS/80 x x ,7 40,28 27, x x ,88 49,12 32, x x ,05 57,43 38,59 XXS x x Diâmetro / paredes fornecidos como trefilados a frio NOTA: Outros diâmetros / paredes poderão ser fabricados mediante consulta. 22 V & M do BRASIL Tubos Condutores

25 TUBOS DE AÇO SEM COSTURA DIMENSÕES NBR / ASTM-A-106 / ASTM-A-333 Diam. Nom. Diametro externo Espessura da parede Peso ESP. Comprimento Diam. Nom. Diametro externo Espessura da parede Peso ESP. Comprimento pol pol mm pol mm kg/m lb/ft SCH SRL DRL ,3 219,1 273, ,78 19,28 12,94 x x ,16 20,76 13,94 x x ,56 22,31 15,00 x x ,35 25,36 17,04 x x ,11 28,26 18,99 STD/40 x x ,92 31,33 21,06 x x ,74 34,39 23,10 x x ,53 37,31 25,05 x x ,97 42,56 28,60 XS/80 x x ,70 48,73 32,74 x x ,27 54,21 36, x x ,88 59,69 40,09 x x ,26 67,57 45, x x ,05 70,12 47,10 x x ,95 79,22 53,21 XXS x x ,23 80,08 53,78 x x ,35 33,31 22,38 20 x x ,04 36,82 24,72 30 x x ,92 41,25 27,23 x x ,18 42,55 28,58 STD/40 x x ,74 45,34 30,45 x x ,53 49,25 33,07 x x ,31 53,09 35,67 60 x x ,13 57,08 38,33 x x ,70 64,64 43,43 XS/80 x x ,27 72,08 48,44 x x ,09 75,92 51, x x ,88 79,59 53,45 x x ,26 90,44 60, x x ,05 93,98 63,14 x x ,62 100,93 67, x x ,23 107,92 72,49 XXS x x ,01 111,27 74, x x ,40 121,33 81,51 x x ,00 147,64 99,22 x x ,35 41,76 28,06 20 x x ,09 46,49 31,23 x x ,80 51,01 34,27 30 x x ,74 56,96 38,27 x x ,27 60,29 40,52 STD/40 x x ,13 71,88 48,28 x x ,70 81,53 54,79 XS/60 x x ,27 91,05 61,21 x x ,09 95,98 64,49 80 x x ,88 100,69 67,65 x x ,26 114,71 77,1 100 x x ,62 128,34 86,26 x x ,44 133,01 89, x x ,23 137,48 92,37 x x ,83 146,43 98,39 x x ,40 155,10 104,23 XXS/140 x x ,58 172,27 115, x ,75 188,90 126,96 x pol pol mm pol mm kg/m lb/ft SCH SRL DRL , , ,35 49,71 33,41 20 x x ,14 55,76 37,46 x x ,92 61,70 41,48 x x ,38 65,19 43,81 30 x x ,74 67,91 45,62 x x ,53 73,86 49,61 STD x x ,31 79,71 53,57 40 x x ,13 85,82 57,65 x x ,70 97,44 65,48 XS x x ,27 108,93 73,22 60 x x ,88 120,59 81,01 x x ,48 132,05 88,71 80 x x ,05 143,17 96,21 x x ,62 154,17 103,63 x x ,44 159,87 107, x x ,23 165,33 111,08 x x ,83 176,29 118,40 x ,40 186,92 125,61 XXS/12 x ,97 197,43 132,69 0 x ,58 208,08 139, x ,90 67,73 45,52 20 x x ,74 74,76 50,22 x x ,53 81,33 54,62 STD/30 x x ,31 87,79 59,00 x x ,13 94,55 63,50 40 x x ,91 100,95 67,84 x x ,70 107,40 72,16 XS x x ,27 120,12 80,73 x x ,09 126,72 85,14 60 x x ,88 133,04 89,36 x x ,48 145,76 97,91 x x ,05 158,11 106,23 80 x x ,62 170,34 114,48 x ,23 182,76 122,77 x ,83 194,98 130, x ,40 206,84 138,97 x NOTA: Outros diâmetros/paredes poderão ser fabricados mediante consulta. V & M do BRASIL Tubos Condutores 23

26 PRINCIPAIS NORMAS INTERNACIONAIS As principais normas internacionais para tubos condutores de aço sem costura são API-5L, ASTM A-106, NBR , ASTM A-333. MEDIDAS CONFORME NORMAS ASTM - A-106 / A-333 E NBR DIMENSÕES E PESO TEÓRICO CONFORME NORMA ANSI B36. 10M DN DE Espes. Parede NÚMERO SCHEDULE pol. mm pol. mm Peso/ Metro STD XS XXS 1/4-0,540 13,7 3/8 10 0,675 17,1 1/2 15 0,840 21,3 3/4 20 1,05 26, ,315 33,4 1 1/4 32 1,66 42,2 1 1/2 40 1,9 48, ,375 60,3 2 1/2 65 2,875 73, ,500 88,9 3 1/ , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,0 mm - 2,24-3, ,24 3,02 kg/m - 0,63-0, mm - 1,85 2,31-3, ,31 3,20 kg/m - 0,70 0,84-1, ,84 1,10 - mm - 2,41 2,77-3, ,78 2,77 3,73 7,47 kg/m - 1,12 1,27-1, ,95 1,27 1,62 2,55 mm - 2,41 2,87-3, ,56 2,87 3,91 7,82 kg/m - 1,44 1,69-2, ,90 1,69 2,20 3,64 mm - 2,90 3,38-4, ,35 3,38 4,55 9,09 kg/m - 2,18 2,50-3, ,24 2,50 3,24 5,45 mm - 2,97 3,56-4, ,35 3,56 4,85 9,70 kg/m - 2,87 3,39-4, ,61 3,39 4,47 7,77 mm - 3,18 3,68-5, ,14 3,68 5,08 10,15 kg/m - 3,53 4,05-5, ,25 4,05 5,41 9,55 mm - 3,18 3,91-5, ,74 3,91 5,54 11,07 kg/m - 4,48 5,44-7, ,11 5,44 7,48 13,44 mm - 4,78 5,16-7, ,53 5,16 7,01 14,02 kg/m - 8,04 8,63-11, ,92 8,63 11,41 20,39 mm - 4,78 5,49-7, ,13 5,49 7,62 15,24 kg/m - 9,92 11,29-15, ,35 11,29 15,27 27,68 mm - 4,78 5,74-8, ,74 8,08 - kg/m - 11,41 13,57-18, ,57 18,64 - mm - 4,78 6,02-8,56-11,13-13,49 6,02 8,56 17,12 kg/m - 12,91 16,07-22,32-28,32-33,54 16,07 22,32 41,03 mm - - 6,55-9,53-12,70-15,88 6,55 9,53 19,05 kg/m ,77-30,97-40,28-49,12 21,77 30,97 57,43 mm - - 7,11-10,97-14,27-18,26 7,11 10,97 21,95 kg/m ,26-42,56-54,20-67,56 28,26 42,56 79,22 mm 6,35 7,04 8,18 10,31 12,70 15,09 18,26 20,62 23,01 8,18 12,70 22,23 kg/m 33,31 36,81 42,55 53,08 64,64 75,92 90,44 100,92 111,27 42,55 64,64 107,92 mm 6,35 7,80 9,27 12,70 15,09 18,26 21,44 25,40 28,58 9,27 12,70 25,40 kg/m 41,77 51,00 60,30 81,55 96,01 114,75 133,06 155,15 172,33 60,30 81,55 155,15 mm 6,35 8,38 10,31 14,27 17,48 21,44 25,40 28,58 33,32 9,53 12,70 25,40 kg/m 49,73 65,20 79,73 108,93 132,08 159,91 186,97 208,08 238,76 73,88 97,48 186,97 mm 7,92 9,53 11,13 15,09 19,05 23,83 27,79 31,75 35,71 9,53 12,70 - kg/m 67,90 81,33 94,55 126,71 158,10 194,96 224,65 253,56 281,70 81,33 107,39 - mm 7,92 9,53 12,70 16,66 21,44 26,19 30,96 36,53 40,49 9,53 12,70 - kg/m 77,83 93,27 123,31 160,13 203,54 245,57 286,66 333,21 365,38 93,27 123,31 - mm 7,92 11,13 14,27 19,05 23,83 29,36 34,93 39,67 45,24 9,53 12,70 - kg/m 87,71 122,38 155,81 205,75 254,57 309,64 363,58 408,28 459,39 105,17 139,16 - mm 9,53 12,70 15,09 20,62 26,19 32,54 38,10 44,45 50,01 9,53 12,70 - kg/m 117,15 155,13 183,43 247,84 311,19 381,55 441,52 508,15 564,85 117,15 155,13 - mm 9,53 12,70-22,23 28,58 34,93 41,28 47,63 53,98 9,53 12,70 - kg/m 129,14 171,10-294,27 373,85 451,45 527,05 600,67 672,30 129,14 171,10 - mm 9,53 14,27 17,48 24,61 30,96 38,89 46,02 52,37 59,54 9,53 12,70 - kg/m 141,12 209,65 255,43 355,28 442,11 547,74 640,07 720,19 808,27 141,12 187, ,63 0, V & M do BRASIL DN -Diâmetro Nominal do Tubo DE -Diâmetro Externo V & M TUBES STD - Standard XS - Extra Strong XXS - Double Extra Strong CONFORME TABELAS DAS PÁGINAS ANTERIORES, PRODUZIMOS OUTRAS MEDIDAS ALÉM DAS APRESENTADAS NAS NORMAS INTERNACIONAIS. 24 V & M do BRASIL Tubos Condutores

27 OUTROS PRODUTOS V & M do BRASIL TUBOS INDUSTRIAIS :: TUBOS PARA TERMOGERAÇÃO São utilizados para grandes variações de temperatura, altas pressões de trabalho e em ambientes corrosivos. :: TUBOS SEMI-ACABADOS Utilizados na fabricação de cilindros de alta pressão com aplicações em: GNV (Gás Natural Veicular), Gases do AR e CO. 2 :: TUBOS MECÂNICOS São utilizados pelas indústrias de múltiplos segmentos na fabricação de peças, máquinas e equipamentos diversos. :: TUBOS PARA GASODUTOS Utilizados no transporte e distribuição do gás natural - GASODUTOS. São essenciais nos seguintes seguimentos de consumo: industrial, residencial e termoelétrico. PARA MAIORES INFORMAÇÕES CONSULTE UM DOS NOSSOS VENDEDORES. TEL: (31)

28 V M V A L L O U R E C & M A N N E S M A N N T U B E S V & M do BRASIL Setembro/2010 V & M do BRASIL S.A. Av. Olinto Meireles, nº 65 Barreiro de Baixo Belo Horizonte - MG Caixa Postal Telefone: Fax: Site: V & M MINERAÇÃO Ltda. Mina Pau Branco - Rodovia BR 040 Km 562, Brumadinho - MG Telefone: Fax: V & M FLORESTAL Ltda. Rua Onduras, Curvelo - MG Telefone: Fax: Escritórios de Vendas São Paulo Av. Paulista, º andar São Paulo - SP Telefone: Fax: / Belo Horizonte Av. Olinto Meireles, nº 65 Barreiro de Baixo Belo Horizonte - MG Telefone: Fax: Rio de Janeiro Rua Lauro Müller, nº sala 1906 Edifício Rio Sul Center - Botafogo Rio de Janeiro - RJ Telefone: Fax: Porto Alegre Av. Dr. Nilo Peçanha, Cj Bela Vista Porto Alegre - RS Telefone: Fax:

Tubos Estruturais sem Costura Graus de Aço, Propriedades Mecânicas e Aplicações

Tubos Estruturais sem Costura Graus de Aço, Propriedades Mecânicas e Aplicações Tubos Estruturais sem Costura Graus de Aço, Propriedades Mecânicas e Aplicações Vallourec é líder mundial em soluções tubulares premium, presente nos setores de energia, petrolífero, automotivo e construção,

Leia mais

TUBOS DE AÇO INOX PADRÃO OD COM COSTURA REDONDOS

TUBOS DE AÇO INOX PADRÃO OD COM COSTURA REDONDOS TUBOS DE AÇO INOX PADRÃO OD COM COSTURA REDONDOS Item # 0,40mm 0,50mm 0,70mm 0,89mm 1,00mm 1,20mm 1,50mm 1,65mm 2,00mm 2,50mm 3,00mm ØExt.6,35 0,073 0,122 0,134 0,155 ØExt.7,50 0,071 ØExt.8,00 0,175 0,204

Leia mais

DITUAL TUBOS E AÇOS CATÁLOGO TÉCNICO DE PRODUTOS

DITUAL TUBOS E AÇOS CATÁLOGO TÉCNICO DE PRODUTOS DITUAL TUBOS E AÇOS CATÁLOGO TÉCNICO DE PRODUTOS ÍNDICE Sobre a Ditual... 3 Tubos Industriais / Estruturais... 5 Tubos Redondos... 6 Tubos Retangulares... 8 Tubos Quadrados... 10 Tubos de Condução... 11

Leia mais

UM MUNDO DE SOLUÇÕES PARA VOCÊ. TUBOS TREFILADOS CALDEIRARIA

UM MUNDO DE SOLUÇÕES PARA VOCÊ. TUBOS TREFILADOS CALDEIRARIA UM MUNDO DE SOLUÇÕES PARA VOCÊ. TUBOS TREFILADOS CALDEIRARIA APRESENTAÇÃO 2015 Conte com o mundo de soluções da Tubos Ipiranga Com matriz localizada em Ribeirão Pires SP, sete filiais, uma unidade industrial

Leia mais

Aços Longos. Barras Trefiladas

Aços Longos. Barras Trefiladas Aços Longos Barras Trefiladas Soluções em aço seguro e sustentável. Resultado da união dos dois maiores fabricantes mundiais de aço, a ArcelorMittal está presente em mais de 60 países, fabricando Aços

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO Aços e Metais

CATÁLOGO TÉCNICO Aços e Metais CATÁLOGO TÉCNICO Aços e Metais A GGD Metals garante a qualidade do produto que você recebe! O maior e mais diversificado distribuidor de aços e metais da América Latina. Um Grupo nascido da fusão de três

Leia mais

APOLO TUBOS E EQUIPAMENTOS

APOLO TUBOS E EQUIPAMENTOS APOLO TUBOS E EQUIPAMENTOS A Apolo Tubos e Equipamentos S.A, fundada em 1938 na cidade do Rio de janeiro, foi a primeira empresa industrial do Grupo Peixoto de Castro. Pioneira no Brasil na fabricação

Leia mais

LAMINAÇÃO LAMINAÇÃO. Prof. MSc: Anael Krelling

LAMINAÇÃO LAMINAÇÃO. Prof. MSc: Anael Krelling LAMINAÇÃO Prof. MSc: Anael Krelling 1 DEFINIÇÃO DO PROCESSO É um processo de conformação que consiste na deformação de um metal pela passagem entre dois cilindros rotatórios que giram em sentidos opostos,

Leia mais

ALTO FORNO E ACIARIA. Curso: Engenharia Mecânica Disciplina: Tecnologia Metalúrgica Período: Prof. Ms. Thayza Pacheco dos Santos Barros

ALTO FORNO E ACIARIA. Curso: Engenharia Mecânica Disciplina: Tecnologia Metalúrgica Período: Prof. Ms. Thayza Pacheco dos Santos Barros ALTO FORNO E ACIARIA Curso: Engenharia Mecânica Disciplina: Tecnologia Metalúrgica Período: 2017.1 Prof. Ms. Thayza Pacheco dos Santos Barros 1 Alto forno Serve para produzir o ferro gusa, que é uma forma

Leia mais

ESTRUTURAS METÁLICAS DIMENSIONAMENTO SEGUNDO A NBR-8800:2008. O Processo Siderúrgico. Prof Marcelo Leão Cel Prof Moniz de Aragão Maj

ESTRUTURAS METÁLICAS DIMENSIONAMENTO SEGUNDO A NBR-8800:2008. O Processo Siderúrgico. Prof Marcelo Leão Cel Prof Moniz de Aragão Maj ESTRUTURAS METÁLICAS DIMENSIONAMENTO SEGUNDO A NBR-8800:2008 O Processo Siderúrgico Prof Marcelo Leão Cel Prof Moniz de Aragão Maj O Processo Siderúrgico É o processo de obtenção do aço, desde a chegada

Leia mais

Sorocaba - São Paulo m 2

Sorocaba - São Paulo m 2 Sorocaba - São Paulo 10.800m 2 PRODUTOS E SERVIÇOS A CARMAR SOLUTIONS participa em +32 anos no desenvolvimento industrial do Brasil, oferecendo soluções integradas para os principais segmentos de mercado:

Leia mais

CENTRO DE SERVIÇOS DE TRATAMENTO TÉRMICO. Soluções completas em tratamento térmico.

CENTRO DE SERVIÇOS DE TRATAMENTO TÉRMICO. Soluções completas em tratamento térmico. CENTRO DE SERVIÇOS DE TRATAMENTO TÉRMICO Soluções completas em tratamento térmico. Muito além do aço. Na indústria metal-mecânica, a demanda por aços com propriedades mecânicas e tribológicas é cada vez

Leia mais

AÇO INOXIDÁVEL. Tubos Barras Chapas Bobinas Cantoneiras

AÇO INOXIDÁVEL. Tubos Barras Chapas Bobinas Cantoneiras AÇO INOXIDÁVEL Tubos Barras Chapas Bobinas Cantoneiras Empresa Certificada C R C C PETROBRAS www.elinox.com.br ÍNDICE Empresa...2 Visão, Missão e Valores... 3 Qualidade...4 Produtos...5 Chapas/Bobinas...6

Leia mais

CENTRO DE SERVIÇOS DE TRATAMENTO TÉRMICO. Soluções completas em tratamento térmico.

CENTRO DE SERVIÇOS DE TRATAMENTO TÉRMICO. Soluções completas em tratamento térmico. CENTRO DE SERVIÇOS DE TRATAMENTO TÉRMICO Soluções completas em tratamento térmico. Muito além do aço. Na indústria metal-mecânica, a demanda por aços com propriedades mecânicas e tribológicas é cada vez

Leia mais

Arame de aço de baixo teor de carbono, zincado, para gabiões

Arame de aço de baixo teor de carbono, zincado, para gabiões REPRODUÇÃO LIVRE NBR 8964 JUL 1985 Arame de aço de baixo teor de carbono, zincado, para gabiões Origem: Projeto 01:022.05-004/1985 CB-01 - Comitê Brasileiro de Mineração e Metalurgia CE-01:022.05 - Comissão

Leia mais

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio. Habilitação Técnica de Nível Médio: Técnico em Metalurgia

Matriz de Especificação de Prova da Habilitação Técnica de Nível Médio. Habilitação Técnica de Nível Médio: Técnico em Metalurgia : Técnico em Metalurgia Descrição do Perfil Profissional: O profissional Técnico em Metalurgia deverá ser capaz de realizar controle visual, dimensional e laboratorial de materiais e substâncias utilizadas

Leia mais

Produtos para Construção Civil

Produtos para Construção Civil Produtos para Construção Civil VS 50 Construção Civil VERGALHÕES VS 50 Fabricados por laminação a quente, com superfície nervurada que garante alta aderência ao concreto, na forma de rolos com 830 kg amarrados

Leia mais

Introdução ao estudo das Estruturas Metálicas

Introdução ao estudo das Estruturas Metálicas Introdução ao estudo das Estruturas Metálicas Processos de produção Propriedades físicas e mecânicas do aço estrutural FTC-116 Estruturas Metálicas Eng. Wagner Queiroz Silva UFAM Composição do aço O elemento

Leia mais

TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE

TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE BARRAS E PERFIS AÇO PARA INDÚSTRIA TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE Quando você usa a ampla linha de barras e perfis Gerdau, você coloca mais qualidade no seu trabalho. Cada produto foi desenvolvido

Leia mais

Grupo Açotubo. Uma completa linha de produtos TUBOS DE AÇO. acotubo.com.br

Grupo Açotubo. Uma completa linha de produtos TUBOS DE AÇO. acotubo.com.br Grupo Açotubo. Uma completa linha de produtos TUBOS DE AÇO acotubo.com.br Pensar a frente é superar expectativas. Fundada em 1974, o Grupo Açotubo tem a melhor estrutura técnica operacional do ramo siderúrgico.

Leia mais

Gasvit Ind. e Com. de Válvulas e Conexões Ltda. - Rua Diepe, Cep: Vila Metalúrgica - Sto. André - SP

Gasvit Ind. e Com. de Válvulas e Conexões Ltda. - Rua Diepe, Cep: Vila Metalúrgica - Sto. André - SP Gasvit Válvulas e Acessórios Industriais APRESENTAÇÃO ----------------------------------------------------------------------------------------------- 4, 5 e 6 CERTIFICADO "ISO 9001" ------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Produtos para Construção Mecânica

Produtos para Construção Mecânica Produtos para Construção Mecânica FIO-MÁQUINA Construção Mecânica FIO-MÁQUINA Produto obtido por laminação a quente com seção transversal circular. Este produto é fornecido em rolos com 830 kg amarrados

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAL PARA TUBOS

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAL PARA TUBOS ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAL PARA TUBOS ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAL COMPOSICÃO QUÍMICA PROCESSO DE FABRICAÇÃO PROPRIEDADES MECÂNICAS ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA CONTROLE DE QUALIDADE TENSÕES ADMISSÍVEIS EMPREGO

Leia mais

TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE

TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE BARRAS E PERFIS AÇO PARA INDÚSTRIA TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE Quando você usa a ampla linha de barras e perfis Gerdau, você coloca mais qualidade no seu trabalho. Cada produto foi desenvolvido

Leia mais

Este artigo fornece as informações básicas que os profissionais devem ter sobre os tubos de aço com costura.

Este artigo fornece as informações básicas que os profissionais devem ter sobre os tubos de aço com costura. NOÇÕES SOBRE TUBOS DE AÇO CARBONO COM COSTURA Siderurgia Brasil Edição 37 Processos e Produtos em 19 Set 2007 Este artigo fornece as informações básicas que os profissionais devem ter sobre os tubos de

Leia mais

Soluções tubulares para aplicações estruturais

Soluções tubulares para aplicações estruturais Soluções tubulares para aplicações estruturais Tenaris Tenaris é líder global na produção de tubos de aço e serviços para perfuração, terminação e produção em poços de petróleo e gás, e líder no fornecimento

Leia mais

Tubos de cobre, pancake e drysealed

Tubos de cobre, pancake e drysealed Tubos de cobre, pancake e drysealed Empresa classificada entre as maiores indústrias privadas brasileiras, é líder no setor de transformação de metais nãoferrosos cobre e suas ligas em produtos semielaborados

Leia mais

MOLA MECÂNICA. Arames de Alto Teor de Carbono

MOLA MECÂNICA. Arames de Alto Teor de Carbono MOLA MECÂNICA Arames de Alto Teor de Carbono Belgo Bekaert Arames. Qualidade que faz a diferença. Produto A linha de produtos de arames para mola mecânica da Belgo Bekaert Arames é indicada para aplicações

Leia mais

CENTRAL DE AÇO S.A.

CENTRAL DE AÇO S.A. R CENTRAL DE AÇO S.A. 1 Cedisa Central de Aço S.A A Cedisa é destaque no cenário nacional pelo elevado padrão de qualidade de seus produtos e serviços. Sua unidade industrial no Espírito Santo possui certificação

Leia mais

ELETRODUTOS E CONEXÕES DE AÇO

ELETRODUTOS E CONEXÕES DE AÇO ELETRODUTOS E CONEXÕES DE AÇO Eletrodutos Rígidos e Conexões PréZincados (Equivalente à Norma NBR 07) Os Eletrodutos e Conexões PréZincados são produzidos para serem aplicados na proteção de Fabricados

Leia mais

Disciplina: Projeto de Ferramentais I

Disciplina: Projeto de Ferramentais I Aula 04: Processos de Fundição em Moldes Metálicos por Gravidade (Coquilhas) 01: Introdução - Características do processo - Etapas envolvidas. - Fatores econômicos e tecnológicos - Ligas empregadas 02:

Leia mais

Curvadores e Flangeadores

Curvadores e Flangeadores es Tipos es Serviço Pesado de Catraca Triplo es de Conduíte Parede Grossa Parede Fina Número de s 9 (). / 6 / 7 8 ¼ ¼ Pág. Hidráulico 7.4 Alargador de Tubos Flangeadores Flangeadores de Concepção Avançada

Leia mais

CANTONEIRAS DE ABAS IGUAIS GERDAU

CANTONEIRAS DE ABAS IGUAIS GERDAU CANTONEIRAS DE ABAS IGUAIS GERDAU CANTONEIRA DE ABAS IGUAIS GERDAU Por sua ampla gama de bitolas e pela qualidade de seu aço, proporciona flexibilidade no dimensionamento das mais diversas estruturas,

Leia mais

GERDAU AÇOS ESPECIAIS

GERDAU AÇOS ESPECIAIS AÇOS ESPECIAIS GERDAU AÇOS ESPECIAIS A Gerdau está entre os maiores fornecedores mundiais de aços especiais, com diversas usinas localizadas no Brasil, na Espanha, nos Estados Unidos e na Índia. Essa diversificação

Leia mais

TECNOLOGIA SOB MEDIDA PARA SUA EMPRESA

TECNOLOGIA SOB MEDIDA PARA SUA EMPRESA TECNOLOGIA SOB MEDIDA PARA SUA EMPRESA DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS E PROCESSOS E EQUIPAMENTOS Projetos Turn Key Assessoria na otimização de produtos e processos Assessoria na certificação de produtos CÁLCULO

Leia mais

Aços Longos. Lâminas ArcelorMittal

Aços Longos. Lâminas ArcelorMittal Aços Longos Lâminas ArcelorMittal Soluções em Aço Seguro e Sustentável A ArcelorMittal está presente em mais de 60 países, fabricando Aços Longos, Planos e Inoxidáveis que correspondem a cerca de 10% da

Leia mais

NBR 5580 STEEL PIPES FOR FLUIDS AND GASES TRANSPORTATION TUBOS DE AÇO PARA CONDUÇÃO DE GASES E FLUIDOS

NBR 5580 STEEL PIPES FOR FLUIDS AND GASES TRANSPORTATION TUBOS DE AÇO PARA CONDUÇÃO DE GASES E FLUIDOS STEEL PIPES FOR FLUIDS AND GASES TRANSPORTATION TUBOS DE AÇO PARA CONDUÇÃO DE GASES E FLUIDOS STEEL PIPES FOR FLUIDS AND OTHER APPLICATIONS They are used to transport solid, liquid, viscous material or

Leia mais

Tubos e conexões para Transporte de polpa. DN 80 a 1200

Tubos e conexões para Transporte de polpa. DN 80 a 1200 Tubos e conexões para Transporte de polpa DN 80 a 1200 TUBOS E CONEXÕES DE FERRO FUNDIDO DÚCTIL PARA TRANSPORTE DE POLPA DURABILIDADE RAPIDEZ NA INSTALAÇÃO REVESTIMENTO INTERNO CUSTOMIZADO FÁCIL MANUTENÇÃO

Leia mais

Tubos de Aço com Costura

Tubos de Aço com Costura Tubos de ço com ostura ão elaborados a partir de bobinas de: aço carbono; aços estruturais de alta resistência; aços microligados; aços patináveis (tipo OR); outros aços especiais, sob consulta. Estruturas

Leia mais

Metalurgia da Soldagem Particularidades Inerentes aos Aços Carbono

Metalurgia da Soldagem Particularidades Inerentes aos Aços Carbono Metalurgia da Soldagem Particularidades Inerentes aos Aços Carbono A partir do estudo deste texto você conhecerá as particularidades inerentes a diferentes tipos de aços: aços de médio carbono (para temperaturas

Leia mais

Loctite Composite Repair System Pipe Repair Extendendo a vida da tubulação em até 20 anos

Loctite Composite Repair System Pipe Repair Extendendo a vida da tubulação em até 20 anos Loctite Composite Repair System Pipe Repair Extendendo a vida da tubulação em até 20 anos Indíce 1. Visão Geral 2. A Norma ISO/TS 24817 3. Processo de Certificação 4. Loctite Composite Repair System Pipe

Leia mais

CC-MD 24 RESERVATORIO ELEVADO 16agosto17

CC-MD 24 RESERVATORIO ELEVADO 16agosto17 CC-MD 24 RESERVATORIO ELEVADO 16agosto17 INTRODUÇÃO: O presente Memorial descreve e especifica os requisitos mínimos para fornecimento e instalação de reservatório de agua potável e incêndio, para a Escola

Leia mais

DEFINIÇÃO DE FUNDIÇÃO. Processo metalúrgico de fabricação que envolve a. fusão de metais ou ligas metálicas, seguida do

DEFINIÇÃO DE FUNDIÇÃO. Processo metalúrgico de fabricação que envolve a. fusão de metais ou ligas metálicas, seguida do Dr. Eng. Metalúrgica Aula 01: 1. Introdução - Definição de fundição. - Características e potencialidades dos processos de fundição. - Princípios fundamentais. 2. Classificação dos Processos de Fundição

Leia mais

Tubos mecânicos Vallourec. facilitam o seu trabalho e aumentam o seu retorno. www.vallourec.com/br

Tubos mecânicos Vallourec. facilitam o seu trabalho e aumentam o seu retorno. www.vallourec.com/br Tubos mecânicos Vallourec. facilitam o seu trabalho e aumentam o seu retorno. www.vallourec.com/br Tubos mecânicos: Aço VMec134AP Diferencial nas Condições de Fornecimento do VMec134AP. Análise Química

Leia mais

Grupo Açotubo. Uma completa linha de produtos CONEXÕES. acotubo.com.br

Grupo Açotubo. Uma completa linha de produtos CONEXÕES. acotubo.com.br Grupo Açotubo. Uma completa linha de produtos CONEXÕES acotubo.com.br Pensar a frente é superar expectativas. Fundada em 1974, o Grupo Açotubo tem a melhor estrutura técnica operacional do ramo siderúrgico.

Leia mais

VÁLVULA DE BLOQUEIO ABSOLUTO. Descrição Geral

VÁLVULA DE BLOQUEIO ABSOLUTO. Descrição Geral VÁLVULA DE BLOQUEIO ABSOLUTO Descrição Geral As válvulas de bloqueio absoluto são primordiais em muitas instalações industriais para segurança do pessoal que trabalha ao redor do bloqueio, principalmente

Leia mais

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM PROGRAMA DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL POR SOLDAGEM Siderurgia Know-How no Segmento Industrial de Siderurgia A Eutectic Castolin acumulou vasto conhecimento dos principais setores industrias do Brasil e possui

Leia mais

Noções de siderurgia. Materiais metálicos, processos de fabricação de ligas ferrosas

Noções de siderurgia. Materiais metálicos, processos de fabricação de ligas ferrosas Noções de siderurgia Materiais metálicos, processos de fabricação de ligas ferrosas Resumo do processo MINÉRIO+ CARVÃO(Coque ou carvão vegetal) + FUNDENTE (calcário) são adicionados ao ALTO FORNO que produz

Leia mais

K-FLEX K-FLEX TWIN SOLAR SYSTEM 32 UMA NOVA GERAÇÃO DE MATERIAIS DE ISOLAMENTO

K-FLEX K-FLEX TWIN SOLAR SYSTEM 32 UMA NOVA GERAÇÃO DE MATERIAIS DE ISOLAMENTO K-FLEX 32 UMA NOVA GERAÇÃO DE MATERIAIS DE ISOLAMENTO K-FLEX TWIN SOLAR SYSTEM K-FLEX SOLAR R Acoplamento rápido à compressão Sistema completo para instalações de painéis solares térmicos Fácil e rápido

Leia mais

Aços para Construção Mecânica

Aços para Construção Mecânica Aços Longos Aços pa Construção Mecânica ARCE10090201_Aços pconst. Mecanica.indd 1 20/01/14 15:44 Aços pa Construção Mecânica Os processos de conformação mecânica alteram a geometria do material por meio

Leia mais

Grupo Açotubo. Uma completa linha de produtos BARRAS DE AÇO. acotubo.com.br

Grupo Açotubo. Uma completa linha de produtos BARRAS DE AÇO. acotubo.com.br Grupo Açotubo. Uma completa linha de produtos BARRAS DE AÇO acotubo.com.br Pensar a frente é superar expectativas. Fundada em 1974, o Grupo Açotubo tem a melhor estrutura técnica operacional do ramo siderúrgico.

Leia mais

A Empresa. Soluções Integradas. Qualidade de Gestão

A Empresa. Soluções Integradas. Qualidade de Gestão A Empresa A ES Engenharia, empresa dedicada à engenharia de equipamentos surgiu, em 2009, da união de engenheiros e técnicos qualificados e experientes, oriundos de indústrias químicas e petroquímicas.

Leia mais

A Empresa. Entre em contato conosco: Fundada em 1991, a Açoplano Indústria e Comércio de Aços LTDA, atua na industrialização

A Empresa.  Entre em contato conosco: Fundada em 1991, a Açoplano Indústria e Comércio de Aços LTDA, atua na industrialização A Empresa Fundada em 1991, a Açoplano Indústria e Comércio de Aços LTDA, atua na industrialização e distribuição de aços para indústrias em geral, fábricas de estruturas metálicas, construtoras e serralherias.

Leia mais

EQUIPAMENTOS FLAME-SPRAY (ARAMES E PÓS) EQUIPAMENTOS ARC-SPRAY (ARCO ELÉTRICO)

EQUIPAMENTOS FLAME-SPRAY (ARAMES E PÓS) EQUIPAMENTOS ARC-SPRAY (ARCO ELÉTRICO) EQUIPAMENTOS FLAME-SPRAY (ARAMES E PÓS) Na metalização pelo processo FLAME-SPRAY (Chama Oxiacetilênica), utiliza-se oxigênio e gás combustível para gerar uma chama que é responsável por fundir o material

Leia mais

Aula 01: Introdução à Metalurgia

Aula 01: Introdução à Metalurgia Disciplina : - MFI Professor: Guilherme Ourique Verran - Dr. Eng. Metalúrgica Fundamentos da Metalurgia Introdução à Fundamentos da Metalurgia O que é Metalurgia? Metalurgia é o ramo da Engenharia dos

Leia mais

Processos de corte. Figura 2. Corte via plasma e maçarico.

Processos de corte. Figura 2. Corte via plasma e maçarico. Processos de corte Mecânicos: corte por cisalhamento através de guilhotinas, tesouras ou similares e por remoção de cavacos através de serras ou usinagem. Figura 1. Guilhotina, serra automática e corte

Leia mais

PRODUTOS SIDERÚRGICOS MCC1001 AULA 11

PRODUTOS SIDERÚRGICOS MCC1001 AULA 11 PRODUTOS SIDERÚRGICOS MCC1001 AULA 11 Disciplina: Materiais de Construção I Professora: Dr. a Carmeane Effting 1 o semestre 2014 Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Engenharia Civil 1. PRODUTOS

Leia mais

INFLUÊNCIA DE ASPECTOS MICROESTRUTURAIS NA RESISTÊNCIA À FRATURA DE AÇO ESTRUTURAL COM APLICAÇÕES OFFSHORE

INFLUÊNCIA DE ASPECTOS MICROESTRUTURAIS NA RESISTÊNCIA À FRATURA DE AÇO ESTRUTURAL COM APLICAÇÕES OFFSHORE INFLUÊNCIA DE ASPECTOS MICROESTRUTURAIS NA RESISTÊNCIA À FRATURA DE AÇO ESTRUTURAL COM APLICAÇÕES OFFSHORE Bernardo Soares Engelke 1 Marcos Venicius Soares Pereira 2 1 Aluno de Graduação do curso de Engenharia

Leia mais

3 Empresa de Gases Alfa

3 Empresa de Gases Alfa 3 Empresa de Gases Alfa A Empresa de Gases Alfa é a maior empresa de gases industriais da América do Sul e está presente em nove países do continente. A empresa é fornecedora de gases de processo (gás

Leia mais

P A P E L E C E L U L O S E

P A P E L E C E L U L O S E P A P E L E C E L U L O S E 2 0 1 5 02 02 www.alvenius.ind.br Sistemas tubulares revestidos: Criando conexões, estabelecendo alianças Após décadas de atuação em diversos mercados, com significativos investimentos

Leia mais

Placa de orifício, modelo FLC-OP Flange de orifício, modelo FLC-FL Câmara anular, modelo FLC-AC

Placa de orifício, modelo FLC-OP Flange de orifício, modelo FLC-FL Câmara anular, modelo FLC-AC Medição de vazão Placa de orifício, modelo FLC-OP Flange de orifício, modelo FLC-FL Câmara anular, modelo FLC-AC Folha de dados WIKA FL 10.01 Aplicações Geração de energia Produção de óleo e refino Tratamento

Leia mais

Aula 10 - Laminação. Para ter acesso a esse material acesse:

Aula 10 - Laminação. Para ter acesso a esse material acesse: Aula 10 - Laminação Para ter acesso a esse material acesse: http://professores.chapeco.ifsc.edu.br/keli Classificação Processos de Fabricação Processos de Fabricação Com remoção de cavaco Sem remoção de

Leia mais

APLICAÇÃO ÁGUA SALGADA INDÚSTRIA

APLICAÇÃO ÁGUA SALGADA INDÚSTRIA 1. Introdução A Saint-Gobain Canalização possui uma gama completa de produtos para transporte de fluidos, como: Tubos, Conexões, Válvulas Tampões e Acessórios, fabricados em ferro fundido dúctil conforme

Leia mais

FOLHA DE CAPA CONTROLE DE REVISÃO DAS FOLHAS

FOLHA DE CAPA CONTROLE DE REVISÃO DAS FOLHAS FOLHA DE CAPA TÍTULO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA TUBOS EM AÇO CARBONO NÚMERO ORIGINAL NÚMERO COMPAGAS FOLHA ET-6000-6520-200-TME-001 ET-65-200-CPG-001 1 / 8 CONTROLE DE REVISÃO DAS FOLHAS ESTA FOLHA DE CONTROLE

Leia mais

Aços Planos Gerdau Chapas Grossas

Aços Planos Gerdau Chapas Grossas Aços Planos Gerdau Produção de 1 Tesoura Divisora Características Técnicas Largura Mínima Largura Máxima Espessura Mínima Espessura Máxima 1. mm 3.6 mm 6 mm 15 mm 4 Laminador Equipamento de última geração,

Leia mais

CastoLab Services. Revestimento de caldeiras Solucoes contra desgaste por erosao e corrosao

CastoLab Services. Revestimento de caldeiras Solucoes contra desgaste por erosao e corrosao CastoLab Services Revestimento de caldeiras Solucoes contra desgaste por erosao e corrosao Redução de custos de manutenção Redução nas paradas de manutenção Ampla gama de soluções contra o desgaste / corrosão

Leia mais

Mangueiras Perfis Técnicos

Mangueiras Perfis Técnicos Produtos de Qualidade Mangueiras Perfis Técnicos Mangueiras Apresentação NASHA, fundada em 1990, possui ex- tubos e perfis técnicos extrudados em PVC periência no mercado industrial e neste perío- (policloreto

Leia mais

Existem vários motivos para você escolher a Lumegal. como parceira no tratamento de superfície de peças metálicas.

Existem vários motivos para você escolher a Lumegal. como parceira no tratamento de superfície de peças metálicas. Existem vários motivos para você escolher a Lumegal como parceira no tratamento de superfície de peças metálicas. Reunimos 10 razões para justificar a sua escolha. Confiança De todas as vantagens que podemos

Leia mais

Aços Longos. Telas Soldadas Nervuradas

Aços Longos. Telas Soldadas Nervuradas Aços Longos Telas Soldadas Nervuradas Registro Compulsório 272/2011 Telas Soldadas Nervuradas Qualidade As Telas Soldadas de Aço Nervurado ArcelorMittal são armaduras pré-fabricadas constituídas por fios

Leia mais

HARDBOLT Chumbador mecânico, estrutural tipo parafuso

HARDBOLT Chumbador mecânico, estrutural tipo parafuso HARDBOLT Chumbador mecânico, estrutural tipo parafuso 1. APRESENTAÇÃO: 1.1 Descrição HARDBOLT é um chumbador mecânico, tipo parafuso e sem expansão. Devido ao desenho de rosca, consegue atarraxar ao concreto.

Leia mais

Aços Longos. Telas Soldadas Nervuradas

Aços Longos. Telas Soldadas Nervuradas Aços Longos Telas Soldadas Nervuradas Registro Compulsório 272/2011 Telas Soldadas Nervuradas Qualidade As Telas Soldadas Nervuradas da ArcelorMittal são armaduras pré-fabricadas constituídas por fios

Leia mais

Por isso, busca jovens que tenham interesse no seu autodesenvolvimento dentro de uma empresa global.

Por isso, busca jovens que tenham interesse no seu autodesenvolvimento dentro de uma empresa global. A GERDAU acredita que as pessoas são o seu maior diferencial! Por isso, busca jovens que tenham interesse no seu autodesenvolvimento dentro de uma empresa global. O comprometimento, qualidade do trabalho

Leia mais

TECNOLOGIA SOB MEDIDA PARA SUA EMPRESA

TECNOLOGIA SOB MEDIDA PARA SUA EMPRESA TECNOLOGIA SOB MEDIDA PARA SUA EMPRESA DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS E PROCESSOS E EQUIPAMENTOS Projetos Turn Key Assessoria na otimização de produtos e processos Assessoria na certificação de produtos

Leia mais

Caleiras em PVC para o encaminhamento de águas nas habitações.

Caleiras em PVC para o encaminhamento de águas nas habitações. Caleira Caleiras em PVC para o encaminhamento de águas nas habitações. Especificações técnicas do produto Caleiras 102 E 150 Condução de águas pluviais Tubo em PVC rígido Cor: cinza (existe ainda a possibilidade

Leia mais

Apresentação dos produtos

Apresentação dos produtos Apresentação dos produtos Tubo de Polietileno Reticulado com Barreira à Difusão de Oxigénio Marca: DOUBLE; Formatos: Redondo; Medidas: Comprimentos: a 600 metros; Diâmetros: 12 a 32 mm (diâmetro exterior);

Leia mais

MULTITUBO DE COBRE REVESTIDO

MULTITUBO DE COBRE REVESTIDO MULTITUBOS MULTITUBO DE COBRE REVESTIDO MATERIAIS Tubo interno: Cobre recozido e maleável sem costura Revestimento: PVC ou PEBD na cor preta Instrumentação à distância. Excelente resistência externa a

Leia mais

Pré-tratamento do gusa

Pré-tratamento do gusa Fabricação de aço Pré-tratamento do gusa Dessulfuração de gusa em carro Torpedo Dessulfuração de gusa na panela Fluxo do Processo de Aciaria LD Processo L.D. - Operação do Conversor O ciclo de operações

Leia mais

COMPORTAS DE CANAL ( AWWA C513) - VCO-17

COMPORTAS DE CANAL ( AWWA C513) - VCO-17 FKB INDÚSTRIA DE EQUIPAMENTOS LTDA. DESCRIÇÃO GERAL As Comportas de Canal Aberto FKB, são desenvolvidas conforme norma AWWA C513 e tem como função o controle e bloqueio na vazão de fluidos em canais. São

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO LAMINADOS

BOLETIM TÉCNICO LAMINADOS A BOLETIM TÉCNICO LAMINADOS Última atualização Dez/2009 VERSÃO DEZ/2009 ACABAMENTOS NATURAL: O acabamento padrão da chapa possui baia reflectância e pode apresentar variações de brilho. BRILHANTE: Esse

Leia mais

O que é Tratamento Térmico de Aços?

O que é Tratamento Térmico de Aços? O que é Tratamento Térmico de Aços? Definição conforme norma NBR 8653 Operação ou conjunto de operações realizadas no estado sólido compreendendo o aquecimento, a permanência em determinadas temperaturas

Leia mais

Aços Longos. Aços Especiais

Aços Longos. Aços Especiais Aços Longos Aços Especiais Transformar o amanhã. Mais do que um desafio, um compromisso ArcelorMittal. A Belgo agora é ArcelorMittal. Essa nova denominação é o resultado da união dos dois maiores fabricantes

Leia mais

MEDIDOR DE VAZÃO TERMAL SÉRIE 800 HGRS.

MEDIDOR DE VAZÃO TERMAL SÉRIE 800 HGRS. MEDIDOR DE VAZÃO TERMAL SÉRIE 800 HGRS ESPECIFICAÇÕES GERAIS Marca: ENGINSTREL ENGEMATIC Série: 800 HGRS Aplicações: Gás Natural, recepção de gás da distribuidora na entrada da fábrica e ramificações internas

Leia mais

ASTM A-36. NBR ASTM APLICAÇÕES

ASTM A-36. NBR ASTM APLICAÇÕES Perfis Cantoneiras de Abas Iguais Principais aplicações: Estruturas metálicas; Torres de linhas de transmissão de energia elétrica; Torres de telecomunicações; Máquinas e implementos agrícolas; Indústria

Leia mais

Tubos em polietileno de baixa densidade destinados a sistemas de rega, escoamento de águas, entre outros.

Tubos em polietileno de baixa densidade destinados a sistemas de rega, escoamento de águas, entre outros. PEBD Tubos em polietileno de baixa densidade destinados a sistemas de rega, escoamento de águas, entre outros. Especificações técnicas do produto Documento Produto Aplicação Especificação Técnica Tubos

Leia mais

TRATAMENTOS EMPREGADOS EM MATERIAIS METÁLICOS

TRATAMENTOS EMPREGADOS EM MATERIAIS METÁLICOS Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira ELEMENTOS ORGÂNICOS DE MÁQUINAS I AT-096 Dr. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br TRATAMENTOS EMPREGADOS EM 1 INTRODUÇÃO: Existem

Leia mais

Telas Soldadas Nervuradas Belgo

Telas Soldadas Nervuradas Belgo Telas Soldadas Nervuradas Belgo As Telas Soldadas de Aço Nervurado são uma armadura pré-fabricada, constituída por fios de aço Belgo 60 nervurado longitudinais e transversais, de alta resistência mecânica,

Leia mais

Processos de Conformação Metalúrgica

Processos de Conformação Metalúrgica Processos de Conformação Metalúrgica Se caracterizam por trabalharem o metal através da aplicação de pressão ou choque Estes processos visam duas coisas: 1. Obtenção do metal na forma desejada 2. Melhoria

Leia mais

SUMÁRIO. 1 Introdução Obtenção dos Metais Apresentação do IBP... xiii. Apresentação da ABENDI... Apresentação da ABRACO...

SUMÁRIO. 1 Introdução Obtenção dos Metais Apresentação do IBP... xiii. Apresentação da ABENDI... Apresentação da ABRACO... SUMÁRIO Apresentação do IBP... xiii Apresentação da ABENDI... xv Apresentação da ABRACO... xvii Prefácio... xix 1 Introdução... 1 1.1 Exercícios... 3 2 Obtenção dos Metais... 5 2.1 Minérios... 5 2.1.1

Leia mais

Tubos em polietileno de baixa densidade e alta densidade destinados a sistemas de rega, escoamento de águas, entre outros.

Tubos em polietileno de baixa densidade e alta densidade destinados a sistemas de rega, escoamento de águas, entre outros. Mar.13 PEBD / PEAD Tubos em polietileno de baixa densidade e alta densidade destinados a sistemas de rega, escoamento de águas, entre outros. Especificações técnicas do produto Documento Produto Aplicação

Leia mais

TRATAMENTOS TÉRMICOS: AÇOS E SUAS LIGAS. Os tratamentos térmicos em metais ou ligas metálicas, são definidos como:

TRATAMENTOS TÉRMICOS: AÇOS E SUAS LIGAS. Os tratamentos térmicos em metais ou ligas metálicas, são definidos como: TRATAMENTOS TÉRMICOS: AÇOS E SUAS LIGAS Os tratamentos térmicos em metais ou ligas metálicas, são definidos como: - Conjunto de operações de aquecimento e resfriamento; - Condições controladas de temperatura,

Leia mais

Aços Elétricos de Grão Orientado de Grão Não-Orientado. TT catalogo acos eletricos.indd 1

Aços Elétricos de Grão Orientado de Grão Não-Orientado. TT catalogo acos eletricos.indd 1 Aços Elétricos de Grão Orientado de Grão Não-Orientado 1 TT-0014-11-catalogo acos eletricos.indd 1 2 A Aperam Bioenergia administra um patrimônio de florestas de eucalipto no Vale do Jequitinhonha, em

Leia mais

consiste em forçar a passagem de um bloco de metal através do orifício de uma matriz mediante a aplicação de pressões elevadas

consiste em forçar a passagem de um bloco de metal através do orifício de uma matriz mediante a aplicação de pressões elevadas consiste em forçar a passagem de um bloco de metal através do orifício de uma matriz mediante a aplicação de pressões elevadas é o processo em que a peça é empurrada contra a matriz conformadora, com redução

Leia mais

Propriedades típicas e algumas aplicações das ligas de alumínio conformadas

Propriedades típicas e algumas aplicações das ligas de alumínio conformadas 1 Propriedades típicas e algumas aplicações das ligas de alumínio conformadas Liga / tratamento resistência escoamento Alongamento em 50mm 1 [%] Resistência à corrosão (geral) 2 Conformação a frio 3 Usinagem

Leia mais

Aço Inoxidável Ferrítico com 11% de Cromo para Construção Soldada. Columbus Stainless. Nome X2CrNil2. Elementos C Mn Si Cr Ni N P S

Aço Inoxidável Ferrítico com 11% de Cromo para Construção Soldada. Columbus Stainless. Nome X2CrNil2. Elementos C Mn Si Cr Ni N P S Aço Inoxidável Ferrítico com 11% de Cromo para Construção Soldada ArcelorMittal Inox Brasil S.A. Ugine S.A. Columbus Stainless P410D F12N 3CR12 * equivalência aproximada Designação Européia NF EN 10088-2

Leia mais

consumíveis de solda

consumíveis de solda consumíveis de solda TOTALFIX APRESENTA HYUNDAI WELDING TOTALFIX, uma empresa especializada na distribuição exclusiva de marcas que representam qualidade e alto padrão tecnológico, apresenta mais uma inovação.

Leia mais

Avaliação de processos de produção de rodas ferroviárias fundidas. Denilson José do Carmo

Avaliação de processos de produção de rodas ferroviárias fundidas. Denilson José do Carmo Avaliação de processos de produção de rodas ferroviárias fundidas Denilson José do Carmo Fundição em molde de grafite AmstedMaxion. Cruzeiro, São Paulo. A AmstedMaxion justifica a mudança para o molde

Leia mais

Metalúrgica Golin S/A

Metalúrgica Golin S/A 1 2 Referência no mercado nacional 4 Solidez através da história 6 Empreendedorismo 6 Tradição em Trefilação de Tubos 6 Profissionais capacitados 7 Evolução sustentável 7 Mundialmente 7 Gestão de Qualidade

Leia mais

Instalações Hidráulicas: Água Quente. Prof. Fabiano de Sousa Oliveira Curso: Engenharia Civil FTC/VC

Instalações Hidráulicas: Água Quente. Prof. Fabiano de Sousa Oliveira Curso: Engenharia Civil FTC/VC Instalações Hidráulicas: Água Quente Prof. Fabiano de Sousa Oliveira Curso: Engenharia Civil FTC/VC INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS: ÁGUA QUENTE Primeiro ponto: Apresentação da norma técnica, vigente. Projeto

Leia mais

9. Análise de Tensões de Tubulações Curvadas

9. Análise de Tensões de Tubulações Curvadas 9.1) Introdução O curvamento de tubos por Indução vem se desenvolvendo desde 1960 pela Dai-Ichi Higt Frequency do Japão. No Brasil, este processo é utilizado unicamente pela Protubo. Ele consiste basicamente

Leia mais

C R E E M SOLDAGEM DOS MATERIAIS. UNESP Campus de Ilha Solteira. Prof. Dr. Vicente A. Ventrella

C R E E M SOLDAGEM DOS MATERIAIS. UNESP Campus de Ilha Solteira. Prof. Dr. Vicente A. Ventrella C R E E M 2 0 0 5 SOLDAGEM DOS MATERIAIS Prof. Dr. Vicente A. Ventrella UNESP Campus de Ilha Solteira C R E E M 2 0 0 5 SOLDAGEM DOS MATERIAIS 1. Introdução 2. Terminologia de Soldagem 3. Simbologia de

Leia mais