Faremos um passeio através de uma mesa de som como se fóssemos o sinal de áudio que por ela passa.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Faremos um passeio através de uma mesa de som como se fóssemos o sinal de áudio que por ela passa."

Transcrição

1 Mesas para PA Caros amigos, falaremos um pouco sobre os recursos encontrados nas mesas de mixagens direcionadas para utilização em PA (Public Adress = sonorização direcionada ao público, mas que hoje engloba todo o sistema de PA e Monitor). Atualmente, já é comum encontrarmos na maioria das empresas que locam equipamento para sonorização no Brasil, mesas muito completas, sendo as mesm as marcas e modelos das utilizadas em grandes eventos mundiais. O console ( mesa de som ) utilizado na FOH ( front of house = central de controle do PA ) é o coração do sistema. Por ele passam todos os sinais dos microfones, dos instrumentos, além dos processadores de efeitos e de sinais. Faremos um passeio através de uma mesa de som como se fóssemos o sinal de áudio que por ela passa. Encontramos os módulos de entrada da mesa. Temos a entrada com conector XLR ( que até pouco tempo ficou popularizado como cannon, porém já estamos nos habituando com seu correto nome ), que recebe sinais de baixa impedância e balanceados, normalmente para microfones. Temos, também, a entrada com Jack de 1/4 ( popularmente conhecido como banana ), podendo ou não ser balanceada, mas geralmente de alta impedância. Devemos atentar para estas impedâncias ao conectarmos equipamentos ou microfones na mesa para evitarmos distorções ou sobrecargas de sinal em suas entradas. Agora já estamos dentro da mesa de som. O primeiro controle que vamos encontrar é o Phanton Power. Sendo acionado, ele fornece através do cabo de microfone uma tensão contínua, normalmente 48 volts, que serve para alimentar circuitos eletrônicos dos microfones ou dos direct boxes ( podem ser ativos ou passivos e tem como finalidade balancear o sinal recebido ). O controle seguinte é o PAD. Ele serve para diminuir o sinal de entrada. Geralmente reduz o sinal em 20 dbs, para que sinais muito altos não saturem a entrada e nem a queime por excesso de tensão os circuitos. Continuando, encontramos um seletor de MIC-LINE. Como já diz o próprio nome é um seletor de linha e microfone. Em algumas mesas esta chave funciona como o PAD, reduzindo o sinal, independente de ter vindo pela entrada de microfone ou linha. Vemos agora um símbolo: ø. Este é o inversor de fase que faz uma inversão de 180 graus no sinal de entrada. Muito útil quando temos, por exemplo, dois canais de teclado enviando o programa musical e por algum problema no cabo, direct box ou mesmo do sistema dos teclados, um dos sinais está com fase invertida do outro. Podemos perceber esta inversão facilmente na seguinte situação: Aumentamos o volume de um canal e o som está bom, aumentamos o outro canal e o som também está bom; porém, ao aumentarmos os dois canais simultaneamente perdemos nitidamente os graves e a definição do programa musical. Basta a inversão desta chave para que tenhamos a soma dos sinais e não o seu cancelamento. Em alguns casos, utilizamos este recurso na mesa de monitor para termos uma somatória acústica do sinal do PA com o do monitor. Chegamos agora no Ganho que é o responsável pelo ajuste do nível do sinal de áudio já na entrada da mesa. Não se deve confundir ganho com volume. Pa ra ajustarmos o ganho podemos monitora-lo no VU da mesa, atraves do solo, levando sempre em consideração os possíveis picos que venham a ocorrer. Se temos um sinal saturado na entrada da mesa, nada que se faça depois poderá reconstituir o sinal original. 1

2 Agora estamos dentro do equalizador da mesa. São quatro os tipos de equalizador: Fixo, Shelving, Sweep e paramétricos. No equalizador fixo os controles apenas alteram o ganho das frequências pré estabelecidas e a amplitude ( Q ) destas frequências são estipuladas por cada fabricante. Encontramos até cinco bandas de equalização fixa. Nesta configuração os filtros são Peaking, com excessão do grave e agudo que geralmente são shelving. O Shelving possui frequência fixa e a amplitude ( Q ) neste caso já é bem mais ampla, fazendo uma varredura a partir da frequência fundamental para baixo (graves) ou a partir da frequência fundamental para cima (agudos). No Sweep temos um recurso a mais que no fixo e no shelving. Agora já podemos escolher a frequência e variarmos o seu ganho. Podemos selecionar, por exemplo, 600 Hz e aumentarmos 6 db. Na grande maioria das mesas encontraremos o grave e o agudo, Peak ou Shelving e o médio grave e o médio agudo, Sweep. Os equalizadores paramétricos são, com certeza, os mais completos, nos permitindo selecionar a frequência desejada, variar o seu ganho e a sua amplitude. Algumas mesas fazem a seleção do Q através de chaves, mas a maioria vem controlada por potenciômetro ( variando entre 0,5 e 3,0 oitavas ). Temos em geral mesas com quatro controles de paramétricos para: grave, médio grave, médio agudo e agudo. Continuando a nossa viagem, vemos uma switch ( chave ) denominada EQ que aciona ou não o equalizador. Ao desligar esta chave temos um sinal sem equalização, ou seja, flat ( plana ). Em seguida vêm o HPF ( High Pass Filter ) que filtra as baixas frequências, podendo ser fixo ( 70 Hz, 80Hz ou 100 Hz ) ou variável ( em torno de 20 Hz a 400 Hz ). Sendo variável podemos ter ainda uma chave de acionamento do filtro. Em alguns consoles teremos também o LPF ( Low Pass Filter ). Este recurso é menos encotrado. Ele filtra os agudos permitindo a passagem dos graves e médios. Este filtro como o HPF pode ser fixo (12 KHz, 10 KHz ou 8 KHz ) ou variável ( em torno de 20KHz a 6 KHz ). Sendo variável podemos ter tambem uma chave de acionamento. O Switch INS, seleciona se o insert será ou não ativado. Podemos ter através da conecção do insert, equipamentos externos ligados em determinado canal,master ou subgrupo, podendo ser um compressor, equalizador, gate ou efeito. Para cada tipo d }e mesa teremos este ponto de insert localizado em lugares diferentes. Por exemplo: Antes do equalizador e depois do ganho ou após ganho e equalizador. Algumas mesas oferecem a possibilidade de seleção via chave ou internamente, trocando-se os Jumpers. Algumas apresentam o insert com dois Jacks de 1/4 ( Send = saida e Return = retorno ) ou com apenas um Jack stereo ( send - return ), aqui utilizamos um único cabo em " Y". Vejo um grande corredor com várias portas chamadas de AUXILIARES, e o mais engraçado é que aqui podemos sair por várias portas só que ao mesmo tempo. A quantidade destas portas varia de mesa para mesa. Em geral são oito as saídas de auxiliar. Podem ter como controles chaves de acionamento ( Liga - Desliga ), seletoras Pré ou Pos Fader ( Potenciometro deslizante de volume ). Estes auxiliares endereçam o sinal de áudio para efeitos, gravadores ( direct out ), È ou sistemas de caixas de som, como: torres de delay, center fill e etc. Se selecionado Pré Fader a saída de auxiliar fica com controle independente do volume do canal. Pós Fader ele estará eletricamente ligado após o potenciometro de volume, só atuando quando este estiver aberto e claro, variando sua intensidade proporcionalmente ao volume do canal. Os Subgrupos servem para agruparmos vários canais e termos assim um volume geral para todos. 2

3 Encontramos, em geral, nas mesas oito subgrupos (podendo ser quatro ou dezesseis). Podemos ter, assim, oito sub mixagens de grupos de instrumentos, como por exemplo: 1 - Bateria, 2 - Baixo, 3 - Guitarras, 4 - Percursão, 5 - Vocais e 6 - Voz principal. Estes subgrupos podem ser Stéreos ou monos. Sendo mono, para que tenhamos sinais em stéreo, utilizaremos dois subgrupos: Um endereçado para o lado Left (esquerdo) e outro para o lado Right ( direito ). Além de podermos endereçar os canais para os subgrupos, podemos também enviá-los diretamente par )a o Master ( L-R ). Visualizamos agora tres opções de saída o PAN ( Panorâmico ), este é o controle de balanço do sinal entre os lados esquerdo e direito e centro ( quando a mesa possuir este recurso), podendo ou não ter uma chave de acionamento. Além disso, podemos encontrar também uma chave de endereçamento para o master mono. Vejo uma saída para o MASTER MONO, esta é uma terceira saída que pode receber sinal de determinados subgrupos ( ou de todos ) e ainda dos masters. Podendo esta saída ser destinada a subgraves ou mesmo para torres de delay. Outras mesas possuem uma saída Central que é diferente da saída mono, por que se temos um sistema de som central, além dos laterais, conseguiremos uma melhor noção de espaço, equilibrando o sinal entre L, R e C através do controle de PAN e ainda só / endereçar os canais que nos interessam. Estão vendo aquele grandalhão? ele detesta barulho seu nome é MUTE ( on & off ). Esta chave comanda o acionamento do canal bem como de todo o seu endereçamento para auxiliares e subgrupos. Enfim, é uma chave liga-desliga. Alguns consoles possuem comando MIDI ( Musical Instrument Digital Interface ) para esta função. Nestes consoles, teremos até 128 memórias para armazenamento dos programas. Porém, na grande maioria das mesas ( sem MIDI ), teremos oito canais de programação do mute. Nos deparamos agora com um "salvador" que nos permite sair para qualquer lugar mesmo que o mute não queira. O SAFE nos permite retirar o canal do chaveamento de mute. Esta chave possui um led ( light emissor diod - diodo emissor de luz ) que têm a função de nos mostrar a próxima pr íogramação de mute a ser chamada para que possamos conferi-la. Durante todo o tempo estamos sendo vigiados pelo METER ( medidor ) - Podendo ter de um até um barramento de leds, que mostram o nível do sinal de entrada no canal. Através dele monitoramos o nível do programa de entrada e regulamos o ganho do canal, sempre levando em consideração a possibilidade de eventuais picos, deixando assim uma reserva. Devemos ter cuidado com o que falarmos por que a qualquer momento podemos ser ouvidos pelo SOLO. Ele alimenta o circuito de monitoração ( podendo ser o PA ou os phones de acordo com a seleção ) ouvindo o sinal pré ou pós fader. Alguns amigos nos encontrarão mais tarde só que viráo por outro caminho que é pelo STEREO INPUT MODULE - Este módulo de entrada se difere do anterior a princípio porque é stereo ( dois canais ) e por possuir menos recursos. Normalmente sua equalização é mais simples ( por exemplo: grave e agudo fixos e médio variável ). Possui uma seleção de qual canal queremos selecionar para mono, isto é, se temos sinal entrando apenas no lado L deste módulo podemos endereçá-lo para o L/R e assim também se o sinal entrar somente no R nos o endereçamos para o L/R. 3

4 Neste módulo temos tambem os endereçamentos de auxiliares. Seus conectores de entrada podem ser tanto em XLR quanto em 1/4. Bem, acredito que por aqui nos módulos de entrada do sinal já percorremos todos os caminhos (será?). Vamos agora percorrer pelos subgrupos e masters, mas antes tomem um copo d'agua façam uma pequena caminhada e tomem ar puro. Aqui sim é nosso ponto de encontro com vários amigos que estão passando pela mesma mesa, porém vem de outros canais, são os SUBMASTERS ( subgrupos ). Os subgrupos nos permitem selecionar diversos canais para termos um controle geral de volume. Assim podemos ter por exemplo 10 canais selecionados para o subgrupo 01, 04 canais para o 02, 07 canais para o 03 e assim por diante até completarmos, ou não, os subgrupos que temos normalmente em 04, 08 e 16 canais. No exemplo acima teríamos então o subgrupo 01 comandando a bateria, o subgrupo 02 a percursão e o 03 para as vozes. Se quizermos variar o volume de toda a bateria sem mudarmos a mixagen das peças individualmente basta usarmos o subgrupo. Mas em alguns consoles não temos a possibilidade de não usarmos o subgrupo por não possuirem seleção direta para o master ( mas isto é muito raro hoje em dia ). Os subgrupos possuem controle de panorâmico para que seu sinal seja endereçãdo para os masters, além de uma chave seletora de mono que envia o sinal para o master mono. Alguns consoles oferecem como recurso, a possibilidade de usarmos os controles dos seus subgrupos para comandarem voltas de sinais. Nestes consoles encontraremos, em geral, controles de panorâm "ico e equalização nestes módulos de entrada de sinal auxiliar. As saídas de subgrupos podem ser tanto com conectores XLR como Jacks de 1/4. Temos a possibilidade de sermos levados por um outro guia que é mais técnio chamado de VCA (amplificador controlado por tensão). Alguns consoles possuem grupos de VCA que são masters de comando dos sinais dos canais que são para eles endereçados. Funcionam como os subgrupos, porém com a diferença básica de não variarem o ganho do sinal de áudio através da realimentação deste ao circuito de entrada com fase invertida para que seja cancelado variando o ganho. Ele atua diretamente, variando a tensão, em outra entrada do circuito do amplificador operacional que amplifica o sinal, não alterando, desta forma, o programa musical. Estes circuitos são onerosos e por isso só os encontramos em mesas de maior porte. Como os módulos de entrada, os VCAs possuem comando do mute programável e uma chave de acionamento deste VCA. Quando entramos no corredor com várias portas chamadas de auxiliar e cada porta saia em um novo corredor e cada corredor saiu em uma porta de AUX-MASTER, mas tudo muito organizado por que eram todas numeradas. Estes são os volumes gerais de saída dos auxiliares. Em alguns consoles estas saídas possuem conectores XLR e ou Jacks de 1/4. Pisiuuuuu!!! calem-se que eles estão conversando ali dentro daquela sala de TALKBACK ( comunicação ). Nos permite fazer a comunicação entre a mesa de PA e monitor, além de podermos endereçar o sinal do microfone, nesta entrada ligado, para os auxiliares, subgrupos e masters. Alguns consoles nos permitem, automaticamente ao acionarmos a comunicação do PA para o monitor, falar com a banda no palco em todas as vias de monitoração e como se não bastasse ainda reduz o volume de todas estas vias para que quem estiver falando seja claramente ouvido sem disputas de volume, principalmente atualmente em que alguns sistemas de monitoração são bem mais potentes que todo o PA. Sua conexão é feita com conectores XLR, tanto para as interligações das mesas quanto para os microfones. 4

5 Algumas mesas possuem o recurso de não endereçarmos para algumas saídas o sinal do talkback, para que não atrapalhe, por exemplo, um sinal de gravação. Enquanto caminhamos passamos por um lugar que se parece com a casa de máquinas, tamanho o barulho que ha ali dentro e têm uma placa na porta escrito AUDIO GENERATOR. O gerador de áudio é outro recurso interessante nas consoles. Eles nos oferecem sinais de áudio com frequências fixas, em geral são de 100 Hz, 1KHz e 10KHz, também o Pink Noise ( Ruido Rosa ) que é uma fonte de sinal com igual amplitude em todas as frequências, muito utilizado para equalização e calibragem do sistema de PA e monitor. Temos uma switch de acionamento e um controle de volume. Quando saímos pela porta de solo chegamos aos HEADPHONES - As saídas para phones de ouvido nos permitem monitorar todos os sinais que passam pelo console. Alguns consoles possuem o comando AFL ( audio fade listen ) que nos permite monitorar os sinais antes dos Faders. Assim não há a necessidade do canal estar aberto para que possamos monitorá-lo. Outro recurso é o solo ADD que nos permite ouvir um canal por vez ou acrescentar mais canais na monitoração. Sempre que acionamos o solo o led correspondente irá acender-se nos indicando que foi selecionado. É muito interessante por que em algumas mesas o VU de master ou de auxiliar também monitora o solo, e assim, com o led aceso sabemos qual o sinal que está sendo modulado no VU ( ou bargraph ). Sua saída é com jack de 1/4 Stéreo. Parece que nosso passeio está chegando ao fim vejo uma pequena luz bem a frente iluminando uma placa escrito MASTERS. Eles são os controles principais da console que comanda o sinal de saída. Além dos masters esquerdo e direito temos o master mono. Eles possuem controles de acionamento ( liga e desliga ) programação de mute. Os masters possuem também uma chave de endereçamento pré e pós para o módulo mono. Suas saídas são balanceadas e utilizam conectores XLR. Nos medidores encontraremos, em alguns consoles, um trinpot para sua calibragem. Temos outra opção de saída que é pelo MATRIX. Este é um recurso excelente que nos permite endereçar os sinais vindos dos subgrupos, masters e auxiliares para outras saídas como por exemplo: torres de delay, center fills, gravadores, rádios, TVs e etc. Seus conectores de saída em geral são os XLR. Como temos controles individuais das fontes podemos fazer uma mixagem diferenciada em cada saída de Matrix. Muita atenção ao fornecer sinais de áudio principalmente quando quem recebe o sinal utiliza outra rede elétrica. Isto coloca em risco seu console e pode acrescentar ruído ao sistema. Nestes casos são aconselhaveis transformadores isoladores. Enfim um lugar para o lazer com vários brinquedos se movimentando chamados de MOVING FADERS. Alg «uns consoles possuem ainda o recurso de seus canais e subgrupos terem os potenciômetros deslizantes motorizados. Podemos assim memorizar varias mixagens, para várias músicas ou bandas. Outras possuem computadores internos que monitoram o posicionamento de todos os controles e armazenam estes dados para que quando esta memória for chamada o computador nos comunica através do headphone o posicionamento de cada controle. E temos também as mesas digitais que possuem internamente gates, compressores e efeitos e todos seus controles são memorizados e chamados em real time. Olhem, uma placa enorme cheia de luzes escrito console de monitor! 5

6 Bem, este já é um próximo passeio. Grande abraço, Denio Costa. 6

novamente nos encotramos através da M&T. Desta vez veremos os recursos encontrados nas mesas para utilização no monitor.

novamente nos encotramos através da M&T. Desta vez veremos os recursos encontrados nas mesas para utilização no monitor. Mesas Para Monitor Olá amigos, novamente nos encotramos através da M&T. Desta vez veremos os recursos encontrados nas mesas para utilização no monitor. Antes de entrarmos no assunto proposto, gostaria

Leia mais

Lendo Diagrama de Blocos

Lendo Diagrama de Blocos Lendo Diagrama de Blocos Olá amigos, Ficamos felizes em saber que todos as locadoras e estúdios de gravação estão nadando em dinheiro após esta riquíssima campanha política. Antes de gastarem seus milhões

Leia mais

Subgrupos e endereçamentos encontre o seu caminho na mesa de som

Subgrupos e endereçamentos encontre o seu caminho na mesa de som Subgrupos e endereçamentos encontre o seu caminho na mesa de som Autor: Fernando Antônio Bersan Pinheiro Já se perguntaram como é que um único operador pode tomar conta de uma grande mesa de som com 40,

Leia mais

Sistema portátil PA Entretainer 3 Manual Simplificado

Sistema portátil PA Entretainer 3 Manual Simplificado Introdução Sistema portátil PA Entretainer 3 Manual Simplificado 2 X 150W estéreo Processador de efeitos incorporado com 99 efeitos 4 Entradas de Linha/Micro 2 Entradas estéreo, 2 receptores UHF de microfones

Leia mais

Relação entre os diversos níveis na amplificação de sinais

Relação entre os diversos níveis na amplificação de sinais Relação entre os diversos níveis na amplificação de sinais Caros amigos, Um sistema de sonorização têm basicamente a função de transformar energias. Capta-se a energia acústica, através dos microfones

Leia mais

Autor: Rafael Gonçalves da Penha

Autor: Rafael Gonçalves da Penha Reunião de Jovens da Ig. Cristã Maranata Autor: Rafael Gonçalves da Penha A Ig. Maranata, no dia 15 de novembro, fez grandes reuniões com os jovens. Esta aqui foi a reunião de Vitória/ES, realizada no

Leia mais

O mixer Folio Notepad deve ser conectado unicamente a fonte de alimentação fornecida.

O mixer Folio Notepad deve ser conectado unicamente a fonte de alimentação fornecida. Guia do Usuário Introdução Obrigado por adquirir um mixador Folio Notepad, criado com orgulho para você pela equipe Spirit formada por Andy, Colin, Chris, James, Simon, Mukesh, Graham, Martin, Paul, Matt,

Leia mais

habro.com.br/alto habro.com.br/alto

habro.com.br/alto habro.com.br/alto habro.com.br/alto Caixas Acústicas PS2TWA* Caixa bi-amplificada com 150 watts (EIAJ), 2 alto-falantes de 8, resposta 65Hz-20KHz, 118dB SPL máximo. MS154* Caixa passiva 3 vias, 2 alto-falantes de 15, DSP

Leia mais

catálogo de produtos

catálogo de produtos catálogo de produtos Caixas Acústicas PS2TWA Caixa bi-amplificada com 150 watts (EIAJ), 2 altofalantes de 8, resposta 65Hz-20KHz, 118dB SPL máximo. PS2TW Caixa acústica passiva 150W 2 vias, 2 alto-falantes

Leia mais

Guia do Usuário. Sumário

Guia do Usuário. Sumário Sumário Introdução... 2 Iniciando... 4 Utilizando o Folio LX7... 6 Ajustes e Solução de Problemas...20 Aplicações... 22 Diagrama de Bloco de Sistema... 27 Informação Técnica... 28 Guia do Usuário Precauções

Leia mais

Sistema de Gerenciamento de Externa. Manual de Instalação e Operação Versão 1.0 Março de 2007

Sistema de Gerenciamento de Externa. Manual de Instalação e Operação Versão 1.0 Março de 2007 CL-10 Sistema de Gerenciamento de Externa Manual de Instalação e Operação Versão 1.0 Março de 2007 SELECT MODE PORTUGUÊS TALK RETURN CL-10 Line Communication System INSTALAÇÃO! A Billy Broadcasting comunica

Leia mais

Ligação áudio balanceado com conector P10 estéreo

Ligação áudio balanceado com conector P10 estéreo O Power Click modelo MX 4x4 é um sistema de audição por headphone com 4 entradas de som (inputs) e 4 conexões para headphones. Cada headphone recebe todos os inputs. Portanto, os 4 inputs são ouvidos simultâneamente

Leia mais

M7 DUAL ACTIVE DIRECT BOX (Direct Box Ativo Dois Canais)

M7 DUAL ACTIVE DIRECT BOX (Direct Box Ativo Dois Canais) M7 DUAL ACTIVE DIRECT BOX (Direct Box Ativo Dois Canais) O M7 é um dispositivo balanceador de linhas, casador de impedância, isolador galvânico e atenuador, popularmente conhecido como D.I.. É composto

Leia mais

MÓDULOS PLUG & PLAY. MÓDULO ADL Manual de referência

MÓDULOS PLUG & PLAY. MÓDULO ADL Manual de referência MÓDULOS PLUG & PLAY MÓDULO ADL Manual de referência Parabéns pela aquisição de um produto STUDIO R! Eles foram projetados para anos de operação confiável sob as mais rigorosas condições. Seu STUDIO R deverá

Leia mais

Além de operador, também trabalho na área de eletrônica, assim acho que o multímetro é um bom começo para o kit de uma case.

Além de operador, também trabalho na área de eletrônica, assim acho que o multímetro é um bom começo para o kit de uma case. Case Técnica Com certeza, a maleta do agente 007 não ficou famosa apenas pelo charme de James Bond. Ela continha um verdadeiro arsenal, bem como recursos inimagináveis capaz de livrar qualquer um do sufôco.

Leia mais

ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES

ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES Antes de ligar este aparelho pela primeira vez, leia atentamente este manual de instruções. Ele é completo e contém todas as informações necessárias para o bom e seguro funcionamento

Leia mais

Parabéns, você agora tem em seu setup:

Parabéns, você agora tem em seu setup: 2 Parabéns, você agora tem em seu setup: Pedal desenvolvido em parceira com o guitarrista Edu Ardanuy, é o segundo pedal da linha Signature da FireCustom Shop. Com dois canais (WARM e HOT) oferece versatilidade

Leia mais

ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES

ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES Antes de ligar este aparelho pela primeira vez, leia atentamente este manual de instruções. Ele é completo e contém todas as informações necessárias para o bom e seguro funcionamento

Leia mais

FM Consultoria em Áudio Montagem e Manutenção de Sistema de Áudio

FM Consultoria em Áudio Montagem e Manutenção de Sistema de Áudio TREINAMENTO DE ÁUDIO MÓDULO 03 MESA DE SOM ANALÓGICA Mesa de som, console ou mixer querem dizer a mesma coisa. São misturadores de sons. Costumamos chamar de mixers as mesas dos DJs e pequeninas mesas,

Leia mais

EQ EQ EQ EQ EQ EQ EQ EQ HIGH HIGH HIGH HIGH HIGH HIGH HIGH HIGH MID MID MID MID MID MID MID MID LOW LOW LOW LOW LOW LOW LOW LOW

EQ EQ EQ EQ EQ EQ EQ EQ HIGH HIGH HIGH HIGH HIGH HIGH HIGH HIGH MID MID MID MID MID MID MID MID LOW LOW LOW LOW LOW LOW LOW LOW POWEED MIXE POWEED MIXE MID MID MID MID MID MID MID MID ET IM db 2 3 -db -db -db -db MASTE INE INE INE INE HI-Z (Guitar) HI-Z (Bass) MASTE OUT PHONES MIC 1 MIC 2 MIC 3 MIC 4 MIC 5 MIC 6 MIC 7 MIC 8 IN

Leia mais

O presente material se baseia nos equipamentos fornecidos pelo PES às ICM, um kit composto pelos seguinte equipamentos: ( que chamaremos de KIT )

O presente material se baseia nos equipamentos fornecidos pelo PES às ICM, um kit composto pelos seguinte equipamentos: ( que chamaremos de KIT ) Prefácio O presente material se baseia nos equipamentos fornecidos pelo PES às ICM, um kit composto pelos seguinte equipamentos: ( que chamaremos de KIT ) 1 mesa de som 6 canais ( MXS6 ou MXS6II Wattsom

Leia mais

Equalização: Corrigir ou Criar

Equalização: Corrigir ou Criar Equalização: Corrigir ou Criar Equalizar Equalizar O termo equalizar pode ser entendido como "tornar igual". Mas, o que isso quer dizer exatamente? Se tomarmos como ponto de partida o comportamento do

Leia mais

Para se obter o melhor resultado deste produto, aconselhamos a ler atentamente este manual.

Para se obter o melhor resultado deste produto, aconselhamos a ler atentamente este manual. 0d +3d ON 0 0 série µp de amplificadores destaca-se por um design inovador, baixo perfil (2U rack) e alta confiabilidade. Dentre suas principais características podemos citar:ventilação forçada independente

Leia mais

SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS

SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS 1.1 INTRODUÇÃO... 3 1.2 APRESENTAÇÃO... 3 1.3 ASSISTÊNCIA TÉCNICA... 3 1.4 INSPEÇÃO NO ATO DO RECEBIMENTO... 3 1.5 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROCESSADOR DE ÁUDIO PARA FM FMP-300...4

Leia mais

Audio Control. Enhanced Stereo Audio Equalizer and 3 way crossover LEIA COM ATENÇÃO ESTE MANUAL!

Audio Control. Enhanced Stereo Audio Equalizer and 3 way crossover LEIA COM ATENÇÃO ESTE MANUAL! Audio Control Enhanced Stereo Audio Equalizer and 3 way crossover LEIA COM ATENÇÃO ESTE MANUAL! APRESENTAÇÃO: Parabéns! Você adquiriu um produto SounDigital de ótima qualidade! Obrigado por confiar na

Leia mais

HEADPHONE MONITOR. Monitor de áudio para uso com headphone. Modelo individual (1 headphone), para monitoração de 2 sinais de áudio.

HEADPHONE MONITOR. Monitor de áudio para uso com headphone. Modelo individual (1 headphone), para monitoração de 2 sinais de áudio. MONTOR Monitor de áudio para uso com headphone. Modelo individual (1 headphone), para monitoração de 2 sinais de áudio. O Power Click modelo MC 01 é indicado para cantores e locutores que necessitem de

Leia mais

INTERFACES DE ÁUDIO USB

INTERFACES DE ÁUDIO USB Focusrite 1 SCARLETT 2i2 - Interface de áudio com 2 entradas e 2 saídas - Conversão 96kHz/24-bit com 2 pré-amplificadores Focusrite - 2 Combo Jack (Mic/Linha) com chave seletora (Iinha/Inst) - Controles

Leia mais

Professional 24 and 32-Input, 4-Bus Studio/Live Mixing Console Krystal Preamps Digital FX Processor Premium EQs USB Interface.

Professional 24 and 32-Input, 4-Bus Studio/Live Mixing Console Krystal Preamps Digital FX Processor Premium EQs USB Interface. Professional 24 and 32-Input, 4-Bus Studio/Live Mixing Console Krystal Preamps Digital FX Processor Premium EQs USB Interface Manual do Usuário Instruções de Segurança Siga todas as instruções e avisos

Leia mais

RIDER TÉCNICO. SISTEMA DE ÁUDIO P.A. = 01 Console de áudio marca Yamaha LS9

RIDER TÉCNICO. SISTEMA DE ÁUDIO P.A. = 01 Console de áudio marca Yamaha LS9 SISTEMA DE ÁUDIO P.A. = 01 Console de áudio marca Yamaha LS9 RIDER TÉCNICO EQUIPAMENTOS DE APOIO 01 DVD PLAYER; 02 CD player; 01 MINIDISC MD; 01 Projetor Multimídia marca Sanyo 4500 Ansi Lumens "FIXO";

Leia mais

P P O O W W E E R R C C L L I I C C K K

P P O O W W E E R R C C L L I I C C K K POWER CLCK POWER CLCK Pag 2 POWER CLCK POWER CLCK Power Click modelo COLOR LNE é um potente amplificador de áudio acoplado a um mixer de dois canais. O seu sistema é monofônico, isto é: os dois sons são,

Leia mais

M12 Mixer Splitter Ativo - 12x48

M12 Mixer Splitter Ativo - 12x48 M12 Mixer Splitter Ativo - 12x48 Um novo e revolucionário produto, que distribui sinais de microfones e instrumentos musicais para até 4 consoles de áudio. - 1 - O Mixer Splitter M12 é um produto único

Leia mais

Nova linha. Tudo o que você gostaria está aqui!

Nova linha. Tudo o que você gostaria está aqui! Nova linha Multiuso Voxstorm Tudo o que você gostaria está aqui! Multiuso USB Multiuso USB * Códigos 289/291/389/388/389 não tem conexão bluetooth. PSG 120 potência: 20 Watts RMS 01 alto falante de 6 02

Leia mais

Desenhos das ligações

Desenhos das ligações Desenhos das ligações Para uma melhor complementação do entendimento deste manual é necessário à visualização da "Instrução de Montagem de Cabos e Conectores", a qual pode ser baixada pelo link "http://teletx.tk/instrucaoconsole"

Leia mais

Montando seu Estúdio Digital

Montando seu Estúdio Digital Montando seu Estúdio Digital 1. Definição da configuração ideal Antes de tudo, é preciso saber o que você pretende fazer em seu estúdio, para podermos definir os componentes necessários para a realização

Leia mais

Monitores. Ver.14/Abr/2004

Monitores. Ver.14/Abr/2004 MONITORES DE ÁUDIO E VÍDEO E GERADORES DE ÁUDIO Linha de Monitores de Vídeo e Áudio e Gerador de Tons de Áudio para: Emissoras de Rádio e TV, Headends, Produtoras, Copiadoras, Estúdios, Centros de Áudio

Leia mais

Agradecemos a colaboração no desenvolvimento deste produto aos seguintes parceiros: Cláudio - Revolusom - MG Gustavo - Representante - CE e RN José

Agradecemos a colaboração no desenvolvimento deste produto aos seguintes parceiros: Cláudio - Revolusom - MG Gustavo - Representante - CE e RN José MANUAL DO USUÁRIO Agradecemos a colaboração no desenvolvimento deste produto aos seguintes parceiros: Cláudio - Revolusom - MG Gustavo - Representante - CE e RN José Virgílio - Acusticar - BA Romério -

Leia mais

Primeiramente, muito obrigado por escolher a mesa digital da Série Si da Soundcraft.

Primeiramente, muito obrigado por escolher a mesa digital da Série Si da Soundcraft. GUIA RÁPIDO Guia Rápido INTRODUÇÃO Primeiramente, muito obrigado por escolher a mesa digital da Série Si da Soundcraft. Esse Guia Rápido dará uma grande noção das principais funções da console e permitirá

Leia mais

G u i a R á p i d o d e I n s t a l a ç ã o

G u i a R á p i d o d e I n s t a l a ç ã o C r o C r s o s o s v o v e e r r E l e t r ô n i c i c o o 2 2 V i V a s i a s G u i a R á p i d o d e I n s t a l a ç ã o Se desejar um rápido esclarecimento sobre a instalação do crossover eletrônico

Leia mais

AMPLIFICADOR HD 1600 HD 2200 HD 2800 MANUAL DE INSTRUÇÕES INTRODUCÃO INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO - 1 - 1 CANAL - CLASSE D - 2 Ohms

AMPLIFICADOR HD 1600 HD 2200 HD 2800 MANUAL DE INSTRUÇÕES INTRODUCÃO INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO - 1 - 1 CANAL - CLASSE D - 2 Ohms INTRODUCÃO AMPLIFICADOR MANUAL DE INSTRUÇÕES HD 1600 HD 2200 HD 2800 Nós da HURRICANE agradecemos pela escolha dos nossos produtos. Nossos amplificadores são projetados para oferecer a mais alta performance.

Leia mais

PowerClick modelo XLR S foi desenvolvido para oferecer alta qualidade de som em monitoração de áudio por fones de ouvido.

PowerClick modelo XLR S foi desenvolvido para oferecer alta qualidade de som em monitoração de áudio por fones de ouvido. Modelo XLR S PowerClick modelo XLR S foi desenvolvido para oferecer alta qualidade de som em monitoração de áudio por fones de ouvido. Este modelo é um equipamento estéreo, oferecendo opção MONO, por chave

Leia mais

Seu manual do usuário SOUNDCRAFT FIVE http://pt.yourpdfguides.com/dref/2995026

Seu manual do usuário SOUNDCRAFT FIVE http://pt.yourpdfguides.com/dref/2995026 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para SOUNDCRAFT FIVE. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do

Leia mais

Manual de Instruções. Crossover 4 Vias HD-X4W. Especificações Técnicas (Crossover 4 Vias) Nível máximo de entrada

Manual de Instruções. Crossover 4 Vias HD-X4W. Especificações Técnicas (Crossover 4 Vias) Nível máximo de entrada Especificações Técnicas (Crossover 4 Vias) Nível máximo de entrada 9V RMS Tweeter CH Crossover /octave 2K, 4K, 6K, 8K Mid CH Crossover /octave Low: 0, 0, 0Hz em Flat High:,, 1,Hz Mid Bass Crossover /octave

Leia mais

APOSTILA MÓDULO - 4. figura 2 HALL. figura 3. tomada de entrada balanceada CANON

APOSTILA MÓDULO - 4. figura 2 HALL. figura 3. tomada de entrada balanceada CANON APOSTILA MÓDULO 4 AULA 4 AMPLIFICADORES OPERACIONAIS 2 Amplificação de sinais diferenciais bobina magnética e HALL O circuito Schmitt Trigger analisado detalhadamente Os pontos NSD e NID (Nível Superior

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. A plataforma de controle deverá necessariamente possuir a facilidade de adição de "plug-ins, com

MEMORIAL DESCRITIVO. A plataforma de controle deverá necessariamente possuir a facilidade de adição de plug-ins, com Anexo I MEMORIAL DESCRITIVO Trata o presente memorial descritivo da locação de equipamentos para sonorização e iluminação nas dependências internas e externas do Theatro Pedro II, para a 14ª Feira Nacional

Leia mais

Esta ilustração mostra como utilizar o pedal Nova Modulator em uma configuração Mono (1 amplificador)

Esta ilustração mostra como utilizar o pedal Nova Modulator em uma configuração Mono (1 amplificador) Manual do usuário 1 Características do Nova Modulator Sete efeitos de modulação com qualidade de estúdio Pedal com duplo circuito 9/18 Presets programáveis pelo usuário Sincronizador LFO LFO trigger Tap

Leia mais

Consoles de Áudio Teletronix. Instruções para montagem dos cabos e conectores. Entradas da Mesa/Console. Saídas da Mesa/Console.

Consoles de Áudio Teletronix. Instruções para montagem dos cabos e conectores. Entradas da Mesa/Console. Saídas da Mesa/Console. Índice Entradas da Mesa/Console Ligação dos conectores do MIC. 0 Ligação dos conectores do MIC. 0 (com Processador/Gerador) Ligação dos conectores do MIC. 0 Ligação dos conectores do MIC. 0 (com Processador/Gerador)

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES E CERTIFICADO DE GARANTIA 1 2 INTRODUÇÃO Obrigado por adquirir nosso produto e confiar na marca BOOG. Esteja certo de que você acaba de adquirir um produto de eficiente desempenho,

Leia mais

PARA SUA SEGURANÇA 1- DISPLAY. - Indica aparelho em "espera" ( Stand - By) DISPLAY NORMAL- Indica o número do canal, frequência, etc.

PARA SUA SEGURANÇA 1- DISPLAY. - Indica aparelho em espera ( Stand - By) DISPLAY NORMAL- Indica o número do canal, frequência, etc. 1 Parabéns pela aquisição da mais moderna tecnologia em receptores de sinais de TV via satélite. Estamos certos de que o receptor Century USR 1900 lhe proporcionará a melhor imagem e também bons momentos

Leia mais

SISTEMA DE MONITORAMENTO ESTÉREO PERSONALIZADO PSM 300

SISTEMA DE MONITORAMENTO ESTÉREO PERSONALIZADO PSM 300 Sistemas de monitoramento pessoal PSM 300 SISTEMA DE MONITORAMENTO ESTÉREO PERSONALIZADO PSM 300 O sistema de monitoramento estéreo personalizado PSM 300 oferece áudio digital definido de 24 bits e liberdade

Leia mais

Número PE042/2013. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega

Número PE042/2013. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega Folha 1 UNIVERSIDADE DO SUDOESTE DA - CAMPUS VITORIA DA C 1 CAIA, de som, bi-amplificadanas. - Duas vias para alta potencia (ativo e passivo); - Chave seletora ativo/passivo; - Ressonancia: 40 Hz; - Conexao:

Leia mais

Manual de Operações AC12A. Console de Áudio. Central de Atendimento: 35 3473.3710. contato@teletronix.com.br www.teletronix.com.br

Manual de Operações AC12A. Console de Áudio. Central de Atendimento: 35 3473.3710. contato@teletronix.com.br www.teletronix.com.br Manual de Operações AC12A Console de Áudio Central de Atendimento: 35 3473.3710 contato@teletronix.com.br Desenhos das ligações P a r a u m a m e l h o r c o m p l e m e n t a ç ã o d o e n t e n d i m

Leia mais

Guia do Usuário. Sumário. Precauções de Segurança... 3. Iniciando... 9. Usando o Folio F1... 10. Regulando & Solucionando Problemas..

Guia do Usuário. Sumário. Precauções de Segurança... 3. Iniciando... 9. Usando o Folio F1... 10. Regulando & Solucionando Problemas.. Sumário Precauções de Segurança... 3 Iniciando... 9 Usando o Folio F1... 10 Regulando & Solucionando Problemas.. 24 Aplicações... 26 Diagrama de Sistema de Bloco... 31 Informação Técnica... 32 Folha de

Leia mais

ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES

ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES Antes de ligar este aparelho pela primeira vez, leia atentamente este manual de instruções. Ele é completo e contém todas as informações necessárias para o bom e seguro funcionamento

Leia mais

ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES

ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES A DIVISION OF ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES Antes de ligar este aparelho pela primeira vez, leia atentamente este manual de instruções. Ele é completo e contém todas as informações necessárias para o bom

Leia mais

Por favor, leia atentamente este manual para obter detalhes quanto o correto equipamento.

Por favor, leia atentamente este manual para obter detalhes quanto o correto equipamento. TIME USB MP3 / WMA PLAYER MODE FD - FD+ MIC 1 LEVEL MIC 2 LEVEL LINE LEVEL L / R MIC2 INPUT LINE INPUT TREBLE BASS MP3/WMA LEVEL LINE OUT CLIP CORD AUTOMATIC VOLTAGE SELECTOR 100-240Vac 50 / 60Hz Nur Sicherung

Leia mais

1 1 - Headphone/Speaker Button Usado o botão do audio para o headset/speaker quando o botão Headphone/Speaker Led acender a luz verde e todo o áudio

1 1 - Headphone/Speaker Button Usado o botão do audio para o headset/speaker quando o botão Headphone/Speaker Led acender a luz verde e todo o áudio HEADPHONE 5.1 1- Controle de volume frontal Utilizado para controlar o nível do volume dos autofalantes frontais através do Headphone. Gire no sentido horário, para aumentar o volume frontal dos auto falantes

Leia mais

TSA TSA TSA TSA 7.- ESPECIFICAÇÕES FÍSICAS PESO: DIMENSÕES: A B C TSA 210 590 405 420 TSA 420 660 430 445 ACTIVE STAGE MONITOR ACTIVE STAGE MONITOR

TSA TSA TSA TSA 7.- ESPECIFICAÇÕES FÍSICAS PESO: DIMENSÕES: A B C TSA 210 590 405 420 TSA 420 660 430 445 ACTIVE STAGE MONITOR ACTIVE STAGE MONITOR Designed by Gil Santos 212 POWE VOTAGE SEECTO 22 T A 2V T A 2V SE S/N BA/ MIC BAANCED INPUTS. ESPECIFICAÇÕES FÍSICAS PESO: 21 42 1, Kg 22,Kg DIMENSÕES: A B C 21 4 42 42 4 44 A B Medidas em mm ACTIVE STAGE

Leia mais

Guia do Usuário http://www.spirit.by.soundcraft.co.uk CONTEÚDO

Guia do Usuário http://www.spirit.by.soundcraft.co.uk CONTEÚDO CONTEÚDO Vista Superior 1 Introdução 3 Instalação & Precaução de Segurança 3 Conectando 4 Instalando 5 Conhecendo seu console 9 Usando seu Console Folio SX 16 Características Avançadas 18 Aplicações 20

Leia mais

Manual do usuário Vídeo Porteiro Sem Fio VPV-800

Manual do usuário Vídeo Porteiro Sem Fio VPV-800 Manual do usuário Vídeo Porteiro Sem Fio VPV-800 Atenção: Antes de operar o equipamento, leia o manual do usuário, qualquer dano causado decorrente de utilização errônea do mesmo implicará na perda imediata

Leia mais

APRESENTAÇÃO AVISOS DE SEGURANÇA

APRESENTAÇÃO AVISOS DE SEGURANÇA ASENTAÇÃO A série PALLAS é o resultado do compromisso contínuo da STANE em projetar, desenvolver e fabricar console de mixagem profissional de alto desempenho a fim de atender às necessidades dos profissionais

Leia mais

Sumário. Capítulo 2 COMPONENTES... 5

Sumário. Capítulo 2 COMPONENTES... 5 Sumário Capítulo 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 Apresentação... 3 1.2 Sobre este manual... 3 1.3 Instruções de segurança... 3 1.4 Instruções de instalação... 4 1.4.1 Fixação... 4 1.4.2 Ventilação... 4 1.4.3 Proteção

Leia mais

TÍTULO: OSCILOSCÓPIO - TEORIA

TÍTULO: OSCILOSCÓPIO - TEORIA TÍTULO: OSCILOSCÓPIO - TEORIA Uma das grandes dificuldades que os técnicos enfrentam na reparação de circuitos eletrônicos é esta: os fenômenos que ocorrem nos componentes eletrônicos são abstratos; ou

Leia mais

Equalizador duplo tipo gráfico 2/3 de oitava com 15 faixas de

Equalizador duplo tipo gráfico 2/3 de oitava com 15 faixas de OVR 20 200 0 10 20 Hz 200 0 10 OVR 20 200 0 10 20 Hz 200 0 10 OVR OVR ON ON H.P.F. V 25Hz 40Hz 63Hz 100Hz 160Hz 250Hz 400Hz 630Hz 1KHz 1,6KHz 2,5KHz 4KHz 6,3KHz 10KHz 16KHz + + 0 0 RNG Y-PSS CHNN 25Hz

Leia mais

Soundcraft. Guia do Usuário

Soundcraft. Guia do Usuário Soundcraft Guia do Usuário Indústrias Harman International Ltda., 1997. Todos os direitos reservados Peças do design deste produto podem ser protegidas pelas patentes mundiais. Peça No. ZM0203 Edição 4

Leia mais

ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES

ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES Antes de ligar este aparelho pela primeira vez, leia atentamente este manual de instruções. Ele é completo e contém todas as informações necessárias para o bom e seguro funcionamento

Leia mais

Amplificador Operacional Básico. Amplificador Operacional Básico

Amplificador Operacional Básico. Amplificador Operacional Básico Amplificador Operacional Básico Eng.: Roberto Bairros dos Santos. Um empreendimento Bairros Projetos didáticos www.bairrospd.kit.net Este artigo descreve como identificar o amplificador operacional, mostra

Leia mais

RIDER TÉCNICO LEO JAIME COM BANDA (7 MÚSICOS) EQUIPE LOCAL

RIDER TÉCNICO LEO JAIME COM BANDA (7 MÚSICOS) EQUIPE LOCAL RIDER TÉCNICO LEO JAIME COM BANDA (7 MÚSICOS) Para realizar o espetáculo serão necessários: EQUIPE LOCAL Três carregadores na chegada e na saída do show. A equipe deve receber o equipamento que chegará

Leia mais

CJ50TUBE AMPLIFIER MANUAL DO USUÁRIO. REV. A - Pg 1

CJ50TUBE AMPLIFIER MANUAL DO USUÁRIO. REV. A - Pg 1 CJ50TUBE AMPLIFIER MANUAL DO USUÁRIO REV. A - Pg 1 APRESENTAÇÃO Agradecemos a aquisição de um produto da Rotstage. O amplificador CJ50 foi desenvolvido para o guitarrista que tem estilo e faz estilos.

Leia mais

TRC-340 MANUAL DO USUÁRIO

TRC-340 MANUAL DO USUÁRIO TRC-340 MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE SOM 2.0 CANAIS HI-FI ÍNDICE Prefacio...2 Conteúdo da Embalagem...2 Informações de segurança...3 Funções do Painel Frontal...4 Funções Painel Traseiro...4 Conexões do

Leia mais

SUMÁRIO 2.1 CUIDADOS INICIAIS...7 2.2 ATIVAÇÃO...7 2.3 DESCRIÇÃO DOS CONTROLES MLM-500...8 2.3.1 PAINEL FRONTAL...8 2.3.2 PAINEL TRASEIRO...

SUMÁRIO 2.1 CUIDADOS INICIAIS...7 2.2 ATIVAÇÃO...7 2.3 DESCRIÇÃO DOS CONTROLES MLM-500...8 2.3.1 PAINEL FRONTAL...8 2.3.2 PAINEL TRASEIRO... SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS 1.1 INTRODUÇÃO...3 1.2 APRESENTAÇÃO...3 1.3 ASSISTÊNCIA TÉCNICA...4 1.4 INSPEÇÃO NO ATO DO RECEBIMENTO...4 1.5 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MISTURADOR DE LINHAS DE MICROFONE MLM-500...4

Leia mais

SISTEMA DE TREINAMENTO EM COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA Modelo: ED-2950

SISTEMA DE TREINAMENTO EM COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA Modelo: ED-2950 SISTEMA DE TREINAMENTO EM COMUNICAÇÃO ELETRÔNICA Modelo: DESCRIÇÃO O sistema de treinamento em comunicação apresenta experimentos planejados para desenvolver comunicações eletrônicas fundamentais. O é

Leia mais

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia Automação Industrial Módulo Controlador P7C - HI Tecnologia 7C O conteúdo deste documento é parte do Manual do Usuário do controlador P7C da HI tecnologia (PMU10700100). A lista de verbetes consta na versão

Leia mais

Manual de Operação do USR - 1950

Manual de Operação do USR - 1950 Manual de Operação do USR - 1950 A Century se reserva todos os direitos sobre este Manual podendo alterar seu conteúdo sem aviso prévio. Parabéns pela aquisição da mais moderna tecnologia em receptores

Leia mais

DIGITAL AUDIO PROCESSOR

DIGITAL AUDIO PROCESSOR ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Número de Canais de Entrada: Número de Canais de Saída: Equalizador Gráfico: Equalizador Paramétrico: Crossover com frequência variável: Roteamento entre Entradas e Saídas: Delay:

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO DMX MASTER II Tecnologia de Iluminação Profissional

MANUAL DO USUÁRIO DMX MASTER II Tecnologia de Iluminação Profissional MANUAL DO USUÁRIO DMX MASTER II Tecnologia de Iluminação Profissional CONTEÚDO 1. Características 2. Instruções gerais 3. Visão geral 3.1. Visão frontal 3.2. Visão de trás 4. Guia de operação 4.1. Ativar

Leia mais

Acabando com a "Guerra do Volume"

Acabando com a Guerra do Volume Acabando com a "Guerra do Volume" Autor: Fernando A. B. Pinheiro Desde que comecei a trabalhar com sonorização em igrejas, há 15 anos, sempre vi uma guerra ser travada a cada culto e evento realizado.

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO LDP-CX2496. Processador Digital para Gerenciamento de Transdutores

MANUAL DO USUÁRIO LDP-CX2496. Processador Digital para Gerenciamento de Transdutores MANUAL DO USUÁRIO LDP-CX2496 Processador Digital para Gerenciamento de Transdutores CONTEÚDO 1. Introdução 2. Características 3. Instruções de Segurança 4. Elementos de controle 5. Conexões 6. Controle

Leia mais

Híbrida Telefônica Modular. Manual de Instalação e Operação Versão 1.0 Março de 2008

Híbrida Telefônica Modular. Manual de Instalação e Operação Versão 1.0 Março de 2008 HD-3 Híbrida Telefônica Modular Manual de Instalação e Operação Versão 1.0 Março de 2008 PORTUGUÊS INTRODUÇÃO O MANUAL O manual foi concebido de modo a obter uma panorâmica geral dos elementos de comando

Leia mais

ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES

ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES A DIVISION OF ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES Antes de ligar este aparelho pela primeira vez, leia atentamente este manual de instruções. Ele é completo e contém todas as informações necessárias para o bom

Leia mais

1 de 7 TOUR 2013. Rider técnico

1 de 7 TOUR 2013. Rider técnico 1 de 7 Rider técnico Esse rider é formado de 7 páginas. Favor entrar em contato acusando o recebimento deste e afim de evitar alguns contra-tempos pedimos que a equipe de sonorização ou o técnico responsável

Leia mais

Sinais Desbalanceados/Balanceados e Sinais Mono/Estéreo

Sinais Desbalanceados/Balanceados e Sinais Mono/Estéreo Sinais Desbalanceados/Balanceados e Sinais Mono/Estéreo - Introdução Compilado por: Eng. Adriano uiz Spada Attack do Brasil Os sinais s s possuem características bem diferenciadas, o que nos permite identificá-los

Leia mais

Model 5 A3 A Terceira Geração Model 5

Model 5 A3 A Terceira Geração Model 5 1 Obrigado por adquirir um AUDIOPAX Model 5 A3, a terceira geração de nosso pré amplificador de referência que foi projetado para ser o mais revelador e musical atualmente disponível. Ele evoluiu a partir

Leia mais

Instruções de Utilização. Pré-amplificador de 8 vias 0530 00

Instruções de Utilização. Pré-amplificador de 8 vias 0530 00 Instruções de Utilização Pré-amplificador de 8 vias 0530 00 Descrição das funções O pré-amplificador de 8 vias amplifica os sinais de áudio de 8 fontes como, p. ex., o rádio, o leitor de CD, etc., para

Leia mais

ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES

ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES A DIVISION OF ATENÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES Antes de ligar este aparelho pela primeira vez, leia atentamente este manual de instruções. Ele é completo e contém todas as informações necessárias para o bom

Leia mais

CINEMA SB100 alto-falante de barra de som com energia própria

CINEMA SB100 alto-falante de barra de som com energia própria CINEMA SB100 alto-falante de barra de som com energia própria Manual de consulta rápida Obrigado por escolher este produto da JBL O alto-falante de barra de som energizado JBL Cinema SB100 é um sistema

Leia mais

ELABORADA POR OLYMPIKUSBRASIL CURSOS

ELABORADA POR OLYMPIKUSBRASIL CURSOS ELABORADA POR OLYMPIKUSBRASIL CURSOS Todos os direitos reservados. ÍNDICE Mesa de som 04 Visão Geral 04 Superfície de controle 04 Controle de ganho 06 Equalização 10 Equalização subtrativa 14 Ajustando

Leia mais

Estúdio de Gravação - Mixagem e Masterização

Estúdio de Gravação - Mixagem e Masterização Um mixer é um dispositivo capaz de misturar sons provenientes de várias fontes em uma única. Nesta mistura podem ser estabelecidos os volumes de áudio destas fontes. A omissão de algumas delas, e a aplicação

Leia mais

HD5S. Manual de Instruções. 5 Band Equalizer + Chromatic Tuner. HD5S-5Band equalizer. b # Chromatic Tuner. Volume. Treb. Pres. Mid.1. Mid.2.

HD5S. Manual de Instruções. 5 Band Equalizer + Chromatic Tuner. HD5S-5Band equalizer. b # Chromatic Tuner. Volume. Treb. Pres. Mid.1. Mid.2. HD5S 5 Band Equalizer + HD5S-5Band equalizer Bass Mid.1 Mid.2 Treb. Pres. Low battery Power ModeNote Volume Manual de Instruções Apresentação Parabéns por ter adquirido um instrumento Hofma, uma marca

Leia mais

MESA DMX 512 MANUAL DE OPERAÇÃO

MESA DMX 512 MANUAL DE OPERAÇÃO MESA DMX 512 MANUAL DE OPERAÇÃO 1 - INSTRUÇÕES INICIAIS IMPORTANTE LEIA COM ATENÇÃO!. Certifique-se de que a voltagem no equipamento é compatível com a tensão da rede elétrica. Este equipamento foi desenvolvido

Leia mais

Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro. Manual do Usuário Versão 3.9f

Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro. Manual do Usuário Versão 3.9f Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro Manual do Usuário Versão 3.9f 2 ÍNDICE PÁG. 1 APRESENTAÇÃO...03 2 DESCRIÇÃO DO EQUIPAMENTO...04 2.1 ROTINA INICIAL DE AVALIAÇÃO DA REDE ELÉTRICA...04 2.2 TROCA DE

Leia mais

TOUR 2010-2011. Tecnico. Raphael - 7720-3112 id 104*198286 Kiko Cupelo - 9932-5930 produtor Nado - 9136-4766 produtor

TOUR 2010-2011. Tecnico. Raphael - 7720-3112 id 104*198286 Kiko Cupelo - 9932-5930 produtor Nado - 9136-4766 produtor 1 de 6 RIDER TÉCNICO Esse rider é formado de 6 páginas. Favor entrar em contato acusando o recebimento deste e afim de evitar alguns contratempos pedimos que a equipe de sonorização ou o técnico responsável

Leia mais

Manual de Instruções Versão 1.0 novembro 2002 www.behringer.com PORTUGUÊS Bem Vindo à BEHRINGER! Agradecemos a confiança que depositou nos produtos da BEHRINGER ao adquirir a ULTRA-DI DI20. Quer seja no

Leia mais

P á g i n a 2. Avisos Importantes

P á g i n a 2. Avisos Importantes P á g i n a 1 P á g i n a 2 Avisos Importantes Todas as instruções contidas neste manual devem ser seguidas, caso contrário o produto perderá a garantia. Faça primeiro as conexões dos cabos de alimentação

Leia mais

Multímetro, um grande amigo do operador de som

Multímetro, um grande amigo do operador de som Multímetro, um grande amigo do operador de som Autor: Fernando Antônio Bersan Pinheiro O multímetro, ou multitester, é um equipamento utilizado para medições de componentes elétricos, mas muitos dos seus

Leia mais

MANUAL DMX-192. DMX controller

MANUAL DMX-192. DMX controller MANUAL DMX-192 DMX controller Por favor, leia com atenção este manual de instruções! CONTEÚDO 1. INTRODUÇÃO 2. FUNÇÕES 3. Operação e Instruções 4. Resolução de problemas 1. INTRODUCÃO Obrigado por escolher

Leia mais

ANEXO I RELAÇÃO DOS ITENS DA LICITAÇÃO

ANEXO I RELAÇÃO DOS ITENS DA LICITAÇÃO Nr.: - PR Folha: 1/7 1 1,000 UN LOCAÇÃO, MONTAGEM E DESMONTAGEM DE PALCO 12.000,0000 12.000,0000 16MX14M, PISO COM CHAPAS DE COMPENSADO NAVAL 25,00MM, ALTURA MÍNIMA DE 1,60M, COM ESCADA DE ACESSO, HOUSE

Leia mais

TubePRE. Pré Amplificador Valvulado de Um canal c/ medidor VU. Manual do Usuário VERSÃO 1.0

TubePRE. Pré Amplificador Valvulado de Um canal c/ medidor VU. Manual do Usuário VERSÃO 1.0 TubePRE Pré Amplificador Valvulado de Um canal c/ medidor VU Manual do Usuário VERSÃO 1.0 Garantia Limitada PreSonus PreSonus Áudio Electronics Inc. garante o material e a mão-de-obra necessários para

Leia mais

Capítulo 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 Apresentação... 3 1.2 Sobre este manual... 3 1.3 Instruções de segurança... 3

Capítulo 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 Apresentação... 3 1.2 Sobre este manual... 3 1.3 Instruções de segurança... 3 Sumário Capítulo 1 INTRODUÇÃO... 3 1.1 Apresentação... 3 1.2 Sobre este manual... 3 1.3 Instruções de segurança... 3 Capítulo 2 COMPONENTES... 4 Capítulo 3 CONTROLE REMOTO... 5 Capítulo 4 CONFIGURAÇÃO...

Leia mais

Meteoro. Nitrous GS160 ELG

Meteoro. Nitrous GS160 ELG Meteoro Nitrous GS160 ELG Manual do Proprietário Desenvolvido pelo Especialista de Produtos Eduardo Parronchi Conteúdo Início /Apresentação...3 Notas Importantes...4 Descrição do Painel...5 Ligando o NITROUS

Leia mais

SUMMIT. Guia do Usuário. Português. Mixer Digital de 16 Canais e 8 sub grupos SUMMIT

SUMMIT. Guia do Usuário. Português. Mixer Digital de 16 Canais e 8 sub grupos SUMMIT SUMMIT Mixer Digital de 16 Canais e 8 sub grupos SUMMIT Português Guia do Usuário INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA O aparelho não deve ser exposto ao contato com líquidos e nem pode servir como apoio a recipientes

Leia mais