JOSÉ LINS DO REGO E A MODERNIZAÇÃO DA ECONOMIA AÇUCAREIRA NORDESTINA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "JOSÉ LINS DO REGO E A MODERNIZAÇÃO DA ECONOMIA AÇUCAREIRA NORDESTINA"

Transcrição

1 JOSÉ LINS DO REGO E A MODERNIZAÇÃO DA ECONOMIA AÇUCAREIRA NORDESTINA

2

3 GLADSON DE OLIVEIRA SANTOS JOSÉ LINS DO REGO E A MODERNIZAÇÃO DA ECONOMIA AÇUCAREIRA NORDESTINA 1ª Edição 2014

4 José Lins do Rego e a Modernização DA Economia Açucareira Nordestina. SANTOS, Gladson de Oliveira 1ª Edição Junho de 2014 Revisão, Capa e Diagramação Asè Criações Editoriais Maria Inês Santana Oliveira Imagem da Capa Crédito/Atribuição Impressão Can Stock Photo Inc./ bhofack2 Impressão e Acabamento PerSe 2014 por Gladson de Oliveira Santos Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução deste livro com fins comerciais sem prévia autorização do autor.

5

6

7 A Hortência Maria de Oliveira, menina de usina que motivou esta pesquisa.

8

9 AGRADECIMENTOS A Deus, por sempre facilitar a superação dos obstáculos que surgem no decorrer da minha jornada pela vida. Hortência Maria de Oliveira, pelo apoio e orientação prestados em todos os momentos da minha vida. Prof. Dr. Alexsandro Galeno Araújo Dantas, pela importante orientação e por ter me apresentado novas possibilidades no universo da pesquisa acadêmica. Luzia Almeida de Oliveira que gentilmente acompanhou todas as etapas da produção deste trabalho. Maria Inês Santana Oliveira e a Alisson Henrique Oliveira Santos, por suas importantes colaborações. Prof. Me. Fernando Aguiar, Prof. Me. Lourival Santana Santos, Prof. Me. Claudefranklin Monteiro, Profª. Drª. Terezinha Alves de Oliva, Profª. Drª. Ana Laudelina Ferreira Gomes e Prof. Dr. Hermano Machado Ferreira Lima, por suas importantes contribuições. Clodoaldo Messias dos Santos, Roberto Sousa, Rildo César Mendonça por toda ajuda prestada. Todos que, direta ou indiretamente, contribuíram para a realização deste trabalho.

10

11 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 13 ESPACIALIDADE I CIÊNCIA E LITERATURA: POSSIBILIDADES DE DIÁLOGO SOBRE A REALIDADE SOCIAL 23 I JOSÉ LINS DO REGO E O REGIONALISMO 45 ESPACIALIDADE II OS ENGENHOS: RESISTÊNCIA E ADESÃO AO PROCESSO DE MODERNIZAÇÃO I O ENGENHO SANTA FÉ E AS FORMAS TRADICIONAIS DE PRODUÇÃO II O ENGENHO SANTA ROSA E O PROCESSO EMBRIONÁRIO DE MODERNIZAÇÃO ESPACIALIDADE III A USINA BOM JESUS E O IMPACTO DO PROCESSO DE MODERNIZAÇÃO CONSIDERAÇÕES FINAIS 159 REFERÊNCIAS 175 FONTES DOCUMENTAIS 175 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 177

12 12

13 APRESENTAÇÃO Ao produzir, em 2004, a monografia intitulada Os operários do Povoado Central, pré-requisito para a conclusão do curso de História-Licenciatura da Universidade Federal de Sergipe, em que analisava a vida dos operários do Povoado Central em Riachuelo - SE no período de 1940 a 1968, trabalhadores de usina de açúcar e fábrica de tecido localizadas em espaço rural, entrei em contato com referenciais teóricos sobre a economia açucareira nordestina. Esse trabalho objetivava dar voz aos operários, registrar as condições de trabalho e vida destes indivíduos que prestaram serviços durante longos anos em uma das maiores usinas de açúcar sergipanas. Tal desejo foi estimulado pelo silêncio acadêmico existente em Sergipe no tocante aos operários do açúcar e mais decisivamente pela busca do entendimento de minhas origens, uma vez que minha avó materna, Eurides Santana de Oliveira e vários tios-avós foram operários da usina e da fábrica de tecido, vivendo na vila operária, local de nascimento de Hortência Maria de Oliveira Santos, minha mãe, que durante a infância foi uma menina de usina. No decorrer das leituras de diversos estudos sobre a agroexportação do açúcar, chamaram-me a atenção as sucessivas referências de vários autores sobre a contribuição da produção literária de José Lins do Rego, para o entendimento das transformações da sociedade açucareira em 13

14 fins do século XIX. No decorrer da pesquisa, realizei a leitura das obras Fogo Morto e Usina e dialoguei de forma, ainda tímida, com o discurso do referido autor. Após a conclusão do trabalho, debrucei-me sobre significativa parcela da obra de José Lins do Rego. Com isso, percebi a existência de um fio condutor envolvendo quatro obras: Fogo Morto, Menino de Engenho, Bangüê e Usina. Suas narrativas se entrelaçam em vários momentos, iniciam e finalizam o ciclo do processo de modernização da economia açucareira, e promovem o contato do leitor com a maneira cotidiana que os indivíduos que vivenciaram este processo reagiram às mudanças geradas pelas intensas transformações sofridas pelo nordeste açucareiro entre 1870 a 1920, principalmente. Ao propor um estudo sobre a origem da Usina Central, em 2005, ao curso de História-Bacharelado da Universidade Federal de Sergipe, entre os referenciais teóricos estava José Lins do Rego. Fui instigado pelo Prof. Me. Fernando Aguiar, que fazia parte da banca de análise do projeto de pesquisa, a demonstrar para a academia como José Lins do Rego retratava o processo de modernização. Em 2006 produzi um artigo intitulado José Lins do Rego e o processo de modernização da economia açucareira publicado no Caderno Estudante, periódico de Ciências Humanas da Universidade Federal de Sergipe. A partir de então, passei a inscrever o artigo enquanto proposta de comunicação em encontros, seminários e congressos locais, regionais e nacionais de História e áreas afins. As contribuições dos comentadores presentes nestes eventos 14

15 foram de suma importância para o aprofundamento teórico e definição do objeto de pesquisa, uma vez que nesse período eu não possuía a colaboração de um orientador. Em 2008, com a aceitação da proposta de pesquisa pelo Mestrado em Ciências Sociais, a pesquisa sofreu uma ampliação significativa, embora conservasse o objeto inalterado. As leituras sobre a relação entre literatura e sociedade, orientadas pelo Prof. Dr. Alexsandro Galeno forneceram ao trabalho, a base estrutural fundamental para a interpretação do objeto de pesquisa. A partir da bibliografia recomendada, foi possível observar que as reflexões sobre o discurso literário e o científico revelam relacionamentos permeados por aproximações e distanciamentos em relação as suas formas de produção discursiva. Entretanto, há de se considerar que tanto a Literatura, quanto a Ciência correspondem a discursos de época, que se debruçam sobre a realidade e ao se articularem sobre esta, de forma discursiva, criam um outro real: o real possível. Assim, os dois campos disciplinares revelam possibilidades em torno da realidade estudada. Com isso, é perfeitamente viável a produção de pesquisas acadêmicas destinadas à religação dos saberes específicos de campos disciplinares diferentes. A realidade constitui o objeto em que as disciplinas se debruçam. Ela originalmente não é disjunta, mas corresponde a um campo complexo de relacionamentos entrelaçados. Durante a produção de discursos estritamente disciplinares, uma gama importante de relações também constituintes da realidade são condenadas ao esquecimento. 15

DOCUMENTO DE PROPRIEDADE DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC

DOCUMENTO DE PROPRIEDADE DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC DOCUMENTO DE PROPRIEDADE DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC Nos termos da legislação sobre direitos autorais, é proibida a reprodução total ou parcial deste documento, por qualquer forma

Leia mais

JOSÉ LINS DO REGO E A MODERNIZAÇÃO DA ECONOMIA AÇUCAREIRA NORDESTINA

JOSÉ LINS DO REGO E A MODERNIZAÇÃO DA ECONOMIA AÇUCAREIRA NORDESTINA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE - UFRN CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES - CCHLA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DCS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS GLADSON DE OLIVEIRA

Leia mais

OFERTA DE DISCIPLINAS ALUNOS REGULARES

OFERTA DE DISCIPLINAS ALUNOS REGULARES UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO OFERTA DE DISCIPLINAS 2015.1 ALUNOS REGULARES DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS (ALUNOS REGULARES): MESTRADO

Leia mais

Como Elaborar Artigos para Publicação?

Como Elaborar Artigos para Publicação? Material compilado pelo Prof. Dr. Luiz Alberto Pilatti do Programa de Mestrado em Engenharia de Produção da UTFPR Campus Ponta Grossa Como Elaborar Artigos para Publicação? Apresentar a norma NBR 6022

Leia mais

Componente Curricular: Metodologia da Pesquisa Científica

Componente Curricular: Metodologia da Pesquisa Científica CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11. Componente Curricular: Metodologia da Pesquisa Científica Código: CTB-190 Pré-requisito: ----------

Leia mais

Observar a característica da economia de agricultura tropical; Estudar a característica da economia extrativista mineira;

Observar a característica da economia de agricultura tropical; Estudar a característica da economia extrativista mineira; 1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: PERÍODO: IV CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: Formação Econômica do Brasil. NOME DO CURSO: Economia. 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60

Leia mais

STJ PfRICIA CRI INAI. foco. FLAVIO CARVALHO DE VASCONCElOS JOAQUIM RUBENS fontes filho MÁRCIA AlHO TSUNODA mro.

STJ PfRICIA CRI INAI. foco. FLAVIO CARVALHO DE VASCONCElOS JOAQUIM RUBENS fontes filho MÁRCIA AlHO TSUNODA mro. PfRICIA CRI INAI foco FGV FGV I ~:RA:E FLAVIO CARVALHO DE VASCONCElOS JOAQUIM RUBENS fontes filho MÁRCIA AlHO TSUNODA mro.j Copyright Flavio Carvalho de Vasconcelos, e Márcia Aiko Tsunoda Direitos desta

Leia mais

Elementos Pré-textuais. Elementos Textuais. O Relatório de Pesquisa (adaptado para artigo) Elementos Pós-textuais. Elementos Pré-textuais

Elementos Pré-textuais. Elementos Textuais. O Relatório de Pesquisa (adaptado para artigo) Elementos Pós-textuais. Elementos Pré-textuais ELEMENTOS ESTRUTURAIS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO Elementos Pré-textuais O Relatório de Pesquisa (adaptado para artigo) Elementos Pós-textuais Profª. Drª. Berenice Gonçalves Hackmann Elementos Pré-textuais

Leia mais

A RECEPÇÃO DOS TEXTOS E IDEIAS DE DARWIN NO ACERVO BIBLIOGRÁFICO DA UEM: UMA QUESTÃO DE CIRCULAÇÃO DO CONHECIMENTO

A RECEPÇÃO DOS TEXTOS E IDEIAS DE DARWIN NO ACERVO BIBLIOGRÁFICO DA UEM: UMA QUESTÃO DE CIRCULAÇÃO DO CONHECIMENTO A RECEPÇÃO DOS TEXTOS E IDEIAS DE DARWIN NO ACERVO BIBLIOGRÁFICO DA UEM: UMA QUESTÃO DE CIRCULAÇÃO DO CONHECIMENTO Vitor Góis Ferreira (PIBIC/FA/UEM), Cristina de Amorim Machado(Orientadora, DFE-UEM),

Leia mais

Sueli Baptista da Silva

Sueli Baptista da Silva Sueli Baptista da Silva O Serviço Social frente à questão da violência doméstica: a realidade social revelada nas ações judiciais da Vara da Infância, da Juventude e do Idoso da Comarca da Capital do Rio

Leia mais

Sumário. Introdução, 1

Sumário. Introdução, 1 Sumário Introdução, 1 1 Como tomar o estudo e a aprendizagem mais eficazes, 5 1 Eficácia nos estudos, 5 2 Anotação, 8 2.1 Anotações corridas, 9 2.2 Anotações esquemáticas, 10 2.3 Anotações resumidas, 12

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE RELATO DE EXPERIÊNCIA OU ESTUDO DE CASO

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE RELATO DE EXPERIÊNCIA OU ESTUDO DE CASO Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria Municipal de Saúde Subsecretaria de Gestão Coordenadoria de Gestão de Pessoas Coordenação de Desenvolvimento Pessoal Gerência de Desenvolvimento Técnico

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Filosofia e Ciências Humanas Departamento de Ciências Geográficas

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Filosofia e Ciências Humanas Departamento de Ciências Geográficas SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Filosofia e Ciências Humanas Departamento de Ciências Geográficas CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 42,

Leia mais

CADERNO DE ENCENAÇÃO. Publicação do Curso de Graduação em Teatro Escola de Belas Artes/ UFMG

CADERNO DE ENCENAÇÃO. Publicação do Curso de Graduação em Teatro Escola de Belas Artes/ UFMG CADERNO DE ENCENAÇÃO Publicação do Curso de Graduação em Teatro Escola de Belas Artes/ UFMG Volume 2 - número 9 2009 CADERNO DE ENCENAÇÃO / publicação do Curso de Graduação em Teatro. - v. 2, n. 9 ( set.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA NOME COLEGIADO CÓDIGO SEMESTRE HISTÓRIA DAS CIÊNCIAS I CCINAT/SBF CIEN0017 2016.1 CARGA HORÁRIA TEÓRICA: 60 h/a = 72 encontros PRÁT: 0 HORÁRIOS: Quinta-Feira: de 18:00 às 19:40 horas

Leia mais

Métodos e Técnicas do Trabalho Científico e da Pesquisa

Métodos e Técnicas do Trabalho Científico e da Pesquisa 2014. 1 Métodos e Técnicas do Trabalho Científico e da Pesquisa FACULDADE POLIS DAS ARTES Professor: Tiago Silva de Oliveira E-mail: psicotigl@yahoo.com.br Noturno/2014.1 Carga Horária 80h 1 Dia da Semana

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TEORIA GERAL DO PODER PÚBLICO Ano Lectivo 2016/2017

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular TEORIA GERAL DO PODER PÚBLICO Ano Lectivo 2016/2017 Programa da Unidade Curricular TEORIA GERAL DO PODER PÚBLICO Ano Lectivo 2016/2017 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular TEORIA GERAL DO PODER

Leia mais

05 a 08 de outubro de Pólo de Estremoz da Universidade de Évora. 1 a circular III Congresso Jovens Investigadores em Geociências

05 a 08 de outubro de Pólo de Estremoz da Universidade de Évora. 1 a circular III Congresso Jovens Investigadores em Geociências 05 a 08 de outubro de 2013 Pólo de Estremoz da Universidade de Évora III Congresso Jovens Investigadores em Geociências, organização: APRESENTAÇÃO O Congresso Jovens Investigadores em Geociências, realizado

Leia mais

COLÉGIO INTEGRADO DE GUARULHOS CURSO DE ARTE Ensino Fundamental/Médio APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS E CIENTÍFICOS (TÍTULO DA PESQUISA)

COLÉGIO INTEGRADO DE GUARULHOS CURSO DE ARTE Ensino Fundamental/Médio APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS E CIENTÍFICOS (TÍTULO DA PESQUISA) 1 DIRETRIZES PARA ELEBORAÇÃO DE TRABALHOS - ABNT Modelo de estrutura de um trabalho simples e completo. 1. capa 2. página de rosto 3. agradecimentos (*) 4. índice 5. introdução 6. desenvolvimento 7. conclusão

Leia mais

Patrimônio Cultural, Identidade e Turismo

Patrimônio Cultural, Identidade e Turismo Patrimônio Cultural, Identidade e Turismo Definição de Patrimônio l Patrimônio cultural é um conjunto de bens materiais e imateriais representativos da cultura de um grupo ou de uma sociedade. Problematização

Leia mais

CURSO: JORNALISMO EMENTAS º PERÍODO

CURSO: JORNALISMO EMENTAS º PERÍODO CURSO: JORNALISMO EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: TEORIAS DA COMUNICAÇÃO Estudo do objeto da Comunicação Social e suas contribuições interdisciplinares para constituição de uma teoria da comunicação.

Leia mais

REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO PARAÍBA 27 e 28 DE OUTUBRO DE 2016

REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO PARAÍBA 27 e 28 DE OUTUBRO DE 2016 REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO PARAÍBA 27 e 28 DE OUTUBRO DE 2016 Realização: UNESP- Guaratinguetá Parcerias: Escolas Públicas Estaduais DRE- Guaratinguetá Comissão Acadêmica UNESP Reitor Prof. Dr. Júlio

Leia mais

Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14

Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 C U R S O D E O D O N T O L O G I A Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: Metodologia da Pesquisa Científica Código: ---

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Direito (1º Ciclo) 2. Curso Direito 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular DIREITO CONSTITUCIONAL (02308)

Leia mais

Licenciatura em Design e Tecnologia das Artes Gráficas

Licenciatura em Design e Tecnologia das Artes Gráficas Feriado FREQUÊNCIAS 2014/2015 Avaliação Contínua até 13 de junho 00-jan 01-jun 02-jun 03-jun 04-jun 08-jun 09-jun 10-jun 11-jun 12-jun 13-jun 2ª F 2ª F 3ª F 4ª F 5ª F 2ª F 3ª F 4ª F 5ª F 6ª F SÁB Análise

Leia mais

Principais Livros e Capítulos Publicados em Docentes:

Principais Livros e Capítulos Publicados em Docentes: Principais Livros e Capítulos Publicados em 2010. Docentes: Organizadoras Ana Maria Carvalho dos Santos Oliveira e Isabel Cristina Ferreira dos Reis História Regional e Local: discussões e práticas. Organizadores

Leia mais

Aprendi a fazer Sexo na Bíblia. Entenda o plano de Deus para sua vida sexual

Aprendi a fazer Sexo na Bíblia. Entenda o plano de Deus para sua vida sexual Aprendi a fazer Sexo na Bíblia Entenda o plano de Deus para sua vida sexual Salomão Silva Aprendi a fazer Sexo na Bíblia Entenda o plano de Deus para sua vida sexual 1ª Edição Salvador 2014 Aprendi a fazer

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS DISCIPLINAS 1. Introdução à Pesquisa em Letras 2. Metodologia de ensino de línguas estrangeiras I: perspectivas teóricas e abordagens

Leia mais

MÚSICA E GEOGRAFIA NA E.E.E.F. NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO: EXPERIMENTANDO RITMOS NORDESTINOS.

MÚSICA E GEOGRAFIA NA E.E.E.F. NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO: EXPERIMENTANDO RITMOS NORDESTINOS. MÚSICA E GEOGRAFIA NA E.E.E.F. NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO: EXPERIMENTANDO RITMOS NORDESTINOS. Erivelton da Cunha Nóbrega (UFCG); Gustavo dos Santos Araújo (UFCG); Felipe Anderson dos Santos Oliveira (UFCG);

Leia mais

A POESIA ARCANGÉLICA DE GEORGES BATAILLE

A POESIA ARCANGÉLICA DE GEORGES BATAILLE Maria Graciema Aché de Andrade A POESIA ARCANGÉLICA DE GEORGES BATAILLE Dissertação de Mestrado Dissertação de Mestrado apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre em Letras do Departamento

Leia mais

IX SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL, COOPERATIVISMO E ECONOMIA SOLIDÁRIA Práticas e Saberes da Agricultura Familiar

IX SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL, COOPERATIVISMO E ECONOMIA SOLIDÁRIA Práticas e Saberes da Agricultura Familiar NORMAS PARA ENVIO E APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS 1. INFORMAÇÕES GERAIS O Seminário Internacional de Desenvolvimento Rural Sustentável, Cooperativismo e Economia Solidária é um evento no âmbito

Leia mais

REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO BACHARELADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS LINHA DE FORMAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA

REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO BACHARELADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS LINHA DE FORMAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA 1 REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO BACHARELADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS LINHA DE FORMAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA Em conformidade com o que estabelece o Projeto Pedagógico do Curso de Ciências Sociais

Leia mais

IHGRGS. Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul. Origens Oficina de Genealogia. APERS, 19 de julho de 2014

IHGRGS. Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul. Origens Oficina de Genealogia. APERS, 19 de julho de 2014 Origens Oficina de Genealogia APERS, 19 de julho de 2014 Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul IHGRGS Vanessa Gomes de Campos Arquivista Rua Riachuelo, 1317 http://www.ihgrgs.org.br Atendimento

Leia mais

CERTIFICADO. Prof. Dr. João Claudio Arendt Coordenador do Evento

CERTIFICADO. Prof. Dr. João Claudio Arendt Coordenador do Evento Certifico que BRUNO MISTURINI apresentou a comunicação intitulada Sertão e região: a representação de regionalidade em O sertanejo, de José de Alencar, na 27ª Semana de Letras Shakespeare e Cervantes 400

Leia mais

O CARRO-BIBLIOTECA DA ECI/UFMG: 38 ANOS

O CARRO-BIBLIOTECA DA ECI/UFMG: 38 ANOS Adriana Bogliolo Sirihal Duarte Cíntia de Azevedo Lourenço Organizadoras O CARRO-BIBLIOTECA DA ECI/UFMG: 38 ANOS Rona Editora Belo Horizonte 2012 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Escola de Ciência

Leia mais

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DO CARGO DA CARREIRA DO MAGISTÉRIO SUPERIOR

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DO CARGO DA CARREIRA DO MAGISTÉRIO SUPERIOR SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Anexo I da Resolução 02/2010 - ICED PROVA ESCRITA MATÉRIA: CANDIDATO(A): AVALIADOR(A): VALORAÇÃO PONTUAÇÃO ATRIBUIDOS 01. Inclui os elementos fundamentais (introdução, desenvolvimento

Leia mais

RESULTADO FINAL DOS CANDIDATOS APROVADOS

RESULTADO FINAL DOS CANDIDATOS APROVADOS DO CAMPUS II/ALAGOINHAS MESTRADO SELEÇÃO PARA ALUNO REGULAR 2013 RESULTADO FINAL DOS CANDIDATOS APROVADOS Linha 1: Margens da Literatura XAVIER, Leila Pinheiro Por uma Política de Formação de Escritores

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇAO DE PROJETO DE PESQUISA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL

MANUAL PARA ELABORAÇAO DE PROJETO DE PESQUISA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO MANUAL PARA ELABORAÇAO DE PROJETO DE PESQUISA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL Colegiado Alex Martins Varela de Arruda Alex

Leia mais

DADOS PESSOAIS. Nome: Elisabete da Conceição de Fátima de Ceita Vera Cruz. Naturalidade: Luanda. Nacionalidade Angolana.

DADOS PESSOAIS. Nome: Elisabete da Conceição de Fátima de Ceita Vera Cruz. Naturalidade: Luanda. Nacionalidade Angolana. CURRICULUM VITAE 1 DADOS PESSOAIS Nome: Elisabete da Conceição de Fátima de Ceita Vera Cruz Naturalidade: Luanda Nacionalidade Angolana e-mail: ecveracruz@gmail.com Telemóvel # 00244-927 20 24 87 HABILITAÇÕES

Leia mais

Referências. Prof. Sérgio Henrique Braz

Referências. Prof. Sérgio Henrique Braz Referências Bibliográficas Prof. Sérgio Henrique Braz Segundo a ABNT-NBR 6023:2002 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Relação de obras citadas pelo autor em livros, artigos de periódicos, teses, relatórios técnicos,

Leia mais

A Influência do Risco-País no Custo de Captação Externo de Empresas com Grau de Investimento Um Estudo de Caso do Brasil

A Influência do Risco-País no Custo de Captação Externo de Empresas com Grau de Investimento Um Estudo de Caso do Brasil Camila Hersbach Nagem de Moraes A Influência do Risco-País no Custo de Captação Externo de Empresas com Grau de Investimento Um Estudo de Caso do Brasil Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada

Leia mais

1ª Circular - Chamada de Trabalhos

1ª Circular - Chamada de Trabalhos 1ª Circular - Chamada de Trabalhos Datas: Local de Realização: De 22 a 26 de Junho de 2011 (quarta - domingo) Universidade Federal Fluminense, Campus Gragoatá, Bloco O (ICHF), Niterói, Rio de Janeiro.

Leia mais

1.a Edição. Diagramação, revisão e capa: Renato J. Oliveira.

1.a Edição. Diagramação, revisão e capa: Renato J. Oliveira. 1 1.a Edição 2016 Diagramação, revisão e capa: Renato J. Oliveira Proibida a reprodução por quaisquer meios (mecânicos, eletrônicos, xerográficos, etc.), exceto em citações breves com indicação da fonte.

Leia mais

Geomorfologia Estrutural. Hélio Mário de Araújo Ana Claudia da Silva Andrade

Geomorfologia Estrutural. Hélio Mário de Araújo Ana Claudia da Silva Andrade Geomorfologia Estrutural Hélio Mário de Araújo Ana Claudia da Silva Andrade São Cristóvão/SE 2011 Geomorfologia Estrutural Elaboração de Conteúdo Hélio Mário de Araújo Ana Claudia da Silva Andrade Hermeson

Leia mais

III Seminário de Iniciação Científica Júnior e I Seminário docente de Iniciação Científica na Educação Básica

III Seminário de Iniciação Científica Júnior e I Seminário docente de Iniciação Científica na Educação Básica III Seminário de Iniciação Científica Júnior e I Seminário docente de Iniciação Científica na Educação Básica Pesquisadores e educadores têm defendido que a experiência com a produção do conhecimento científico

Leia mais

Elementos de Anatomia Humana. José Aderval Aragão

Elementos de Anatomia Humana. José Aderval Aragão Elementos de Anatomia Humana José Aderval Aragão São Cristóvão/SE 2007 Elementos de Anatomia Humana Elaboração de Conteúdo José Aderval Aragão Karina Conceição Gomes Machado Araújo Danilo Ribeiro Guerra

Leia mais

NORMAS PARA REDAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO (TCC) DE ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA.

NORMAS PARA REDAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO (TCC) DE ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA. ANEXO 02 DA RESOLUÇÃO CGESA Nº 001, DE 27 DE MARÇO DE 2013. NORMAS PARA REDAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO (TCC) DE ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA. A estrutura do TCC deverá ser composta por pré-texto,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Resolução NDE/GESTÃO DA INFORMAÇÃO/FIC nº 01/2014

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Resolução NDE/GESTÃO DA INFORMAÇÃO/FIC nº 01/2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO GESTÃO DA INFORMAÇÃO Resolução NDE/GESTÃO DA INFORMAÇÃO/FIC nº 01/2014 Normatiza os arts. 14 e 89 do Regulamento Geral de Cursos

Leia mais

RESOLUÇÃO CPG/IESA Nº 01/2012

RESOLUÇÃO CPG/IESA Nº 01/2012 RESOLUÇÃO CPG/IESA Nº 01/2012 Normatiza o ingresso no pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Geografia. A Coordenadoria do Programa de Pós-Graduação em Geografia (CPG) do Instituto de Estudos Socioambientais

Leia mais

Educação, Experiência e o Hiato Salarial entre o Setor Público e Privado no Brasil

Educação, Experiência e o Hiato Salarial entre o Setor Público e Privado no Brasil Breno Gomide Braga Educação, Experiência e o Hiato Salarial entre o Setor Público e Privado no Brasil Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do título de Mestre

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: DR. JOSÉ LUIZ VIANA COUTINHO Código: 073 Município: JALES/ SP Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: HABILITAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

O DIVERTIDO PRAZER DE LER

O DIVERTIDO PRAZER DE LER O DIVERTIDO PRAZER DE LER Para aprofundar nossos conhecimentos acadêmicos e aperfeiçoamento profissional, desenvolver competência, habilidades de leitura formamos leitores críticos e capacitados para lutar

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL NA FASE DA ADOLESCÊNCIA ALEXANDRA SCHÜTZ

A IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL NA FASE DA ADOLESCÊNCIA ALEXANDRA SCHÜTZ 1 UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE EDUCAÇÃO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE PSICOLOGIA A IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL NA FASE DA ADOLESCÊNCIA ALEXANDRA SCHÜTZ Itajaí, (SC) 2007 ALEXANDRA

Leia mais

FUNDAÇÃO LUSÍADA Centro Universitário Lusíada Regulamento TCC-Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Relações Internacionais

FUNDAÇÃO LUSÍADA Centro Universitário Lusíada Regulamento TCC-Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Relações Internacionais 1.1. Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Como o curso de Relações Internacionais não possui, até este momento, uma resolução aprovada, utilizamos a Resolução CNE nº 04 de 13 de junho de 2005, que institui

Leia mais

PROFESSOR(A): ANA CAROLINA GALVÃO

PROFESSOR(A): ANA CAROLINA GALVÃO PROFESSOR(A): ANA CAROLINA GALVÃO 5010 Estágio em Pesquisa II 60 2 M/D 1 52001 Estudo Independente: Temas emergentes em Educação: subsídios para constituição da problemática de pesquisa 60 2 M/D Estágio

Leia mais

ciências biológicas e da saúde

ciências biológicas e da saúde ciências biológicas e da saúde Grupo tiradentes Luiz Alberto de Castro Falleiros Mozart Neves Ramos Richard Doern Conselho de Administração Jouberto Uchôa de Mendonça Júnior Superentendente Geral Eduardo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA VEGETAL A interação entre inundação e fogo influencia

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DO ESTÁGIO

RELATÓRIO FINAL DO ESTÁGIO RELATÓRIO FINAL DO ESTÁGIO A pasta do estágio será composta pelas fichas referentes ao estágio profissional supervisionado, deverão ser elaborados segundo os padrões das normas ABNT e entregue à Coordenação

Leia mais

Sumário. Introdução, 1. 1 Português jurídico, 5 1 Linguagem, sistema, língua e norma, 5 2 Níveis de linguagem, 11 Exercícios, 24

Sumário. Introdução, 1. 1 Português jurídico, 5 1 Linguagem, sistema, língua e norma, 5 2 Níveis de linguagem, 11 Exercícios, 24 Sumário Introdução, 1 1 Português jurídico, 5 1 Linguagem, sistema, língua e norma, 5 2 Níveis de linguagem, 11 Exercícios, 24 2 Como a linguagem funciona, 31 1 Análise do discurso, 31 2 O estudo da linguagem,

Leia mais

CENTRO PAULA SOUZA FACULDADE DE TECNOLOGIA DA ZONA LESTE PROJETO DE PESQUISA: ESTATÍSTICA NA PRÁTICA

CENTRO PAULA SOUZA FACULDADE DE TECNOLOGIA DA ZONA LESTE PROJETO DE PESQUISA: ESTATÍSTICA NA PRÁTICA CENTRO PAULA SOUZA FACULDADE DE TECNOLOGIA DA ZONA LESTE PROJETO DE PESQUISA: ESTATÍSTICA NA PRÁTICA Orientadora: Profª. Drª. Rosângela M. C. Bonici Disciplina: Estatística Aplicada SÃO PAULO PROJETO DE

Leia mais

PERMANECEI NO MEU AMOR PARA DAR MUITOS FRUTOS (15,8-9) entendendo o evangelho de João

PERMANECEI NO MEU AMOR PARA DAR MUITOS FRUTOS (15,8-9) entendendo o evangelho de João PERMANECEI NO MEU AMOR PARA DAR MUITOS FRUTOS (15,8-9) entendendo o evangelho de João Coleção DO POVO PARA O POVO Preparada pela equipe de assessores e assessoras do Centro Bíblico Verbo Da comunidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB RECONHECIDA PELA PORTARIA MINISTERIAL Nº 909 DE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO/CAMPUS II ALAGOINHAS

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB RECONHECIDA PELA PORTARIA MINISTERIAL Nº 909 DE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO/CAMPUS II ALAGOINHAS UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB RECONHECIDA PELA PORTARIA MINISTERIAL Nº 909 DE 31 07 95 DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO/CAMPUS II ALAGOINHAS PROJETO DE EXTENSÃO CURSO: O ENSINO DE LEITURA E PRODUÇÃO DE

Leia mais

Cinema, televisão e história

Cinema, televisão e história Cinema, televisão e história Coleção PASSO-A-PASSO CIÊNCIAS SOCIAIS PASSO-A-PASSO Direção: Celso Castro FILOSOFIA PASSO-A-PASSO Direção: Denis L. Rosenfield PSICANÁLISE PASSO-A-PASSO Direção: Marco Antonio

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA CÓDIGO DISCIPLINA CENTRO QA-133 Pesquisa em Química I e Monografia CIÊNCIAS E TECNOLOGIA CRÉDTOS C.H. PRÉ-REQUISITO DEPARTAMENTO T P o 90h/a 2 2 QA-117

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Ensino de Física. Equipamentos Didáticos. Condução de Calor.

PALAVRAS-CHAVE Ensino de Física. Equipamentos Didáticos. Condução de Calor. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO

Leia mais

CAMPUS DE SOBRAL. Ano XLVI Nº 278 novembro/2011. Editado pelo Gabinete do Diretor Geral

CAMPUS DE SOBRAL. Ano XLVI Nº 278 novembro/2011. Editado pelo Gabinete do Diretor Geral Ano XLVI Nº 278 novembro/2011 CAMPUS DE SOBRAL Editado pelo Gabinete do Diretor Geral Av. Dr. Guarani, 317, Derby Clube CEP: 62042-030 Sobral CE Fone/Fax: (88) 3112-8100 www.ifce.edu.br 2 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...

Leia mais

Assinalar a importancia da proximidade do académico do estudo da filosofía do direito;

Assinalar a importancia da proximidade do académico do estudo da filosofía do direito; 1 IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: PERÍODO: II CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: FILOSOFIA JURÍDICA NOME DO CURSO: DIREITO 2 EMENTA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 Filosofia, Direito

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SERGIPE

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SERGIPE CNSP - COLEGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Número 1040 AV PRESIDENTE KENNEDY, S/N CENTRO Lagarto 49000 PRÓXIMO A SECRETARIA DE EDUCAÇÃO de /Seção 10 10 2.889 15 COLÉGIO CENECISTA LAUDELINO FREIRE Número 1015

Leia mais

ANEXO III REGULAMENTO DE ATIVIDADE DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA - LICENCIATURA

ANEXO III REGULAMENTO DE ATIVIDADE DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA - LICENCIATURA ANEXO III REGULAMENTO DE ATIVIDADE DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SOCIOLOGIA - LICENCIATURA REGULAMENTO DE ATIVIDADE DE CONCLUSÃO DE CURSO SEÇÃO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este dispositivo

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS Manual para a elaboração do TCC em formato Monografia Curso de Publicidade e Propaganda 1º/2015. Monografia: disposições gerais Monografia é uma das alternativas oferecidas pela UPM como Trabalho de Conclusão

Leia mais

Criar e desenvolver projetos grafico- visuais, utilizando tecnicas de desenho manual ou eletronico.

Criar e desenvolver projetos grafico- visuais, utilizando tecnicas de desenho manual ou eletronico. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 001639 - ARTES VISUAIS-BACHARELADO EM DESIGN GRAFICO Nivel: Superior Area Profissional: 0009 - DESIGN Area de Atuacao: 0240 - ARTE PROJ.DESENHO/DESIGN

Leia mais

Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução deste livro com fins comerciais sem prévia autorização do autor

Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução deste livro com fins comerciais sem prévia autorização do autor CAPA, DIAGRAMAÇÃO e ILUSTRAÇÃO Reginaldo Paz Mulheres Maravilhosas PAZ, Reginaldo 1ª Edição 2015 ISBN: 978-85-919101-6-8 Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução deste livro com fins comerciais

Leia mais

PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE CURSOS NOVOS MESTRADO ACADÊMICO

PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE CURSOS NOVOS MESTRADO ACADÊMICO PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE CURSOS NOVOS MESTRADO ACADÊMICO Os projetos de cursos novos serão julgados pela Comissão de Avaliação da área de Educação com base nos dados obtidos pela aplicação dos critérios

Leia mais

Normas para formatação de Artigo Científico

Normas para formatação de Artigo Científico Normas para formatação de Artigo Científico Cursos Cinema de Animação e Cinema e Audiovisual Profa. Dra. Ivonete Pinto 1 As normas a seguir foram aprovadas pelo colegiado dos cursos de Cinema de Animação

Leia mais

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2016/2017 DEPARTAMENTO DE PASTORAL DISCIPLINA: EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO DE 7º ANO

COLÉGIO DE SANTA DOROTEIA LISBOA ANO LETIVO 2016/2017 DEPARTAMENTO DE PASTORAL DISCIPLINA: EDUCAÇÃO MORAL E RELIGIOSA CATÓLICA PLANIFICAÇÃO DE 7º ANO 1º PERÍODO UL1 - As origens ÉTICA E MORAL Calendarização - 26 aulas A. Construir uma chave de leitura religiosa Os dados da ciência sobre a origem do Diálogo com os alunos, relacionado da pessoa, da vida

Leia mais

UNIVERSIDADE DE COIMBRA IDENTIFICAÇÃO E ANÁLISE DAS PRÁTICAS LÚDICAS E RECREATIVAS EM IDOSOS

UNIVERSIDADE DE COIMBRA IDENTIFICAÇÃO E ANÁLISE DAS PRÁTICAS LÚDICAS E RECREATIVAS EM IDOSOS UNIVERSIDADE DE COIMBRA FACULDADE DE CIÊNCIAS DO DESPORTO E DE EDUCAÇÃO FÍSICA IDENTIFICAÇÃO E ANÁLISE DAS PRÁTICAS LÚDICAS E RECREATIVAS EM IDOSOS JOGOS, BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS DE OUTROS TEMPOS Monografia

Leia mais

REGULAMENTO DAS DISCIPLINAS PROJETOS DE BIOLOGIA I E II DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CPAQ/UFMS

REGULAMENTO DAS DISCIPLINAS PROJETOS DE BIOLOGIA I E II DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CPAQ/UFMS REGULAMENTO DAS DISCIPLINAS PROJETOS DE BIOLOGIA I E II DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CPAQ/UFMS I - DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º O presente Regulamento tem por objetivo definir as normas das disciplinas

Leia mais

FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC -

FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC - REGULAMENTO INSTITUCIONAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES FACULDADE METROPOLITANA DE CAMAÇARI FAMEC - SUMÁRIO CAPITULO I... 3 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 CAPÍTULO II... 3 DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES...

Leia mais

Periódicos Online - Matemática

Periódicos Online - Matemática APRESENTAÇÃO Dadas às dificuldades de assinatura de periódicos científicos por instituições de ensino público no Brasil, e reconhecendo que, existe uma gama de periódicos disponibilizados online sem custos

Leia mais

Profa. Dra. Maria da Conceição Lima de Andrade

Profa. Dra. Maria da Conceição Lima de Andrade Profa. Dra. Maria da Conceição Lima de Andrade Conceitos de pesquisa A Pesquisa é: procedimento reflexivo sistemático, controlado e crítico, que permite descobrir novos fatos ou dados, relações ou leis,

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO ENGENHO E A SAUDADE NA LITERATURA DE JOSÉ LINS DO REGO

A CONSTRUÇÃO DO ENGENHO E A SAUDADE NA LITERATURA DE JOSÉ LINS DO REGO A CONSTRUÇÃO DO ENGENHO E A SAUDADE NA LITERATURA DE JOSÉ LINS DO REGO Roger R. Diniz Costa 1 Resenha recebida em: setembro/2015 Resenha aceita em: outubro/2015 A obra aqui resenhada, Contando o passado,

Leia mais

SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ELIANE CALHEIROS

SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ELIANE CALHEIROS SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ELIANE CALHEIROS OLIVIA EVANGELISTA BENEVIDES THIANE ARAUJO COSTA TRABALHANDO A MATEMÁTICA DE FORMA DIFERENCIADA A

Leia mais

E.E. Professora Lurdes Penna Carmelo Sala 1/ Sessão 1

E.E. Professora Lurdes Penna Carmelo Sala 1/ Sessão 1 Debate Regrado - desenvolvendo a argumentação e promovendo o protagonismo dos alunos E.E. Professora Lurdes Penna Carmelo Sala 1/ Sessão 1 Professor Apresentador: Celina Aparecida Rodrigues Machado dos

Leia mais

EX LIBRIS: ESTUDOS JURÍDICOS DA ULBRA CAMPUS CACHOEIRA DO SUL

EX LIBRIS: ESTUDOS JURÍDICOS DA ULBRA CAMPUS CACHOEIRA DO SUL EX LIBRIS: ESTUDOS JURÍDICOS DA ULBRA CAMPUS CACHOEIRA DO SUL DANIEL DOTTES DE FREITAS FELIPE DALENOGARE ALVES JOÃO ALEXANDRE NETTO BITTENCOURT Organizadores EX LIBRIS: ESTUDOS JURÍDICOS DA ULBRA CAMPUS

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA ESPECIAL DOS DIREITOS HUMANOS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA ESPECIAL DOS DIREITOS HUMANOS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA ESPECIAL DOS DIREITOS HUMANOS TERMO DE REFERÊNCIA OEI/BR08-006/SEDH/PR ATUALIZAÇÃO DE PROCESSOS POLÍTICOS E INSTITUCIONAIS PARA A IMPLANTAÇÃO DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

JOSÉ CARLOS DE ALMEIDA PERNAMBUCO

JOSÉ CARLOS DE ALMEIDA PERNAMBUCO JOSÉ CARLOS DE ALMEIDA PERNAMBUCO ARTROPATIA INFLAMATÓRIA HANSÊNICA ESTUDO CLÍNICO - EVOLUTIVO, LABORATORIAL E RADIOGRÁFICO Dissertação apresentada à Escola Paulista de Medicina para obtenção do título

Leia mais

Era uma vez uma horta na escola...

Era uma vez uma horta na escola... Escola Estadual Santa Rita de Cassia Universidade Federal de Viçosa Era uma vez uma horta na escola... UFV 2015 1 PARTICIPARAM NA ELABORAÇÃO DESTA CARTILHA Estudantes da UFV Marco Paulo Andrade Bruno Geovany.

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO

CURSO DE PEDAGOGIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO CURSO DE PEDAGOGIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO DAS CONDIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este Regulamento apresenta a definição, os objetivos, a caracterização e a explicitação das condições

Leia mais

A PESQUISA. Prof. M.Sc Janine Gomes da Silva, Arq.

A PESQUISA. Prof. M.Sc Janine Gomes da Silva, Arq. A PESQUISA Prof. M.Sc Janine Gomes da Silva, Arq. A pesquisa Etapas da pesquisa científica Tipos de trabalhos científicos O projeto de pesquisa A PESQUISA Conceitos e definições Prof. M.Sc Janine Gomes

Leia mais

ANEXO II FICHA DE AVALIAÇÃO DO CURRÍCULO DO PROPONENTE Pontuação Comprovante Válido Por item Máxima Obtida Formação acadêmica (não cumulativo)

ANEXO II FICHA DE AVALIAÇÃO DO CURRÍCULO DO PROPONENTE Pontuação Comprovante Válido Por item Máxima Obtida Formação acadêmica (não cumulativo) Item de avaliação 1. Diploma de doutorado, obtido em programa de pós-graduação reconhecido pela CAPES ANEXO II FICHA DE AVALIAÇÃO DO CURRÍCULO DO PROPONENTE Pontuação Comprovante Válido Por item Máxima

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR MIGUEL TORGA

INSTITUTO SUPERIOR MIGUEL TORGA INSTITUTO SUPERIOR MIGUEL TORGA ESCOLA SUPERIOR DE ALTOS ESTUDOS Sandra Filipa Alexandre Louro Fernandes O Grito Edward Munch As Perdas Na Toxicodependência Coimbra 2007 INSTITUTO SUPERIOR MIGUEL TORGA

Leia mais

PROJETO DAS FACULDADES FIP/MAGSUL 2016

PROJETO DAS FACULDADES FIP/MAGSUL 2016 Administração: (Bacharel) Direito: (Bacharel) Mantida pela A.E.S.P. R: Tiradentes, 322 Centro Tel.: (67) 3437-8820 Ponta Porã MS Home Page: www.magsul-ms.com.br E-mail: magsul@terra.com.br PROJETO DAS

Leia mais

4ª ÉPOCA ESPECIAL DE EXAMES DE 2010/2011 CALENDÁRIO

4ª ÉPOCA ESPECIAL DE EXAMES DE 2010/2011 CALENDÁRIO 4ª ÉPOCA ESPECIAL DE EXAMES DE 2010/2011 CALENDÁRIO Nome Turma Disciplina Nº Módulo Nome do módulo Ano Dia Hora Instrumento de avaliação Guiludson Cravid Guiludson Cravid Física e Química 1 Força e Movimento

Leia mais

Empreender Manual do Participante

Empreender Manual do Participante Empreender Manual do Participante MP_oficina_sei_empreender.indd 1 13/03/15 12:16 MP_oficina_sei_empreender.indd 2 13/03/15 12:16 Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Unidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 43, DE 13 DE MAIO DE 2013 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO, tendo em vista a decisão tomada em sua 266ª Reunião Extraordinária, realizada em 13 de maio de 2013, R E S O

Leia mais

GRUPO DISCIPLINAR DE HISTÓRIA - Ano Letivo 2016/ º ciclo do Ensino Básico

GRUPO DISCIPLINAR DE HISTÓRIA - Ano Letivo 2016/ º ciclo do Ensino Básico DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS GRUPO DISCIPLINAR DE HISTÓRIA - Ano Letivo 2016/2017 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 1. A avaliação é contínua e sistemática.

Leia mais

Pesquisadora encontra e estuda Meu ABC, um abecedário escrito por Erico Verissimo e publicado pela Editora Globo em 1936.

Pesquisadora encontra e estuda Meu ABC, um abecedário escrito por Erico Verissimo e publicado pela Editora Globo em 1936. Pesquisadora encontra e estuda Meu ABC, um abecedário escrito por Erico Verissimo e publicado pela Editora Globo em 1936. O Abecedário Meu ABC foi escrito por Erico Verissimo e integrou uma coleção (a

Leia mais

Faculdade Pio Décimo. Curso de Engenharia Civil

Faculdade Pio Décimo. Curso de Engenharia Civil Faculdade Pio Décimo Curso de Engenharia Civil EDITAL DE SELEÇÃO DE ALUNOS PARA O PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DA FACULDADE PIO DÉCIMO (PIC/FPD) A Faculdade

Leia mais