JOSÉ LINS DO REGO E A MODERNIZAÇÃO DA ECONOMIA AÇUCAREIRA NORDESTINA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "JOSÉ LINS DO REGO E A MODERNIZAÇÃO DA ECONOMIA AÇUCAREIRA NORDESTINA"

Transcrição

1 JOSÉ LINS DO REGO E A MODERNIZAÇÃO DA ECONOMIA AÇUCAREIRA NORDESTINA

2

3 GLADSON DE OLIVEIRA SANTOS JOSÉ LINS DO REGO E A MODERNIZAÇÃO DA ECONOMIA AÇUCAREIRA NORDESTINA 1ª Edição 2014

4 José Lins do Rego e a Modernização DA Economia Açucareira Nordestina. SANTOS, Gladson de Oliveira 1ª Edição Junho de 2014 Revisão, Capa e Diagramação Asè Criações Editoriais Maria Inês Santana Oliveira Imagem da Capa Crédito/Atribuição Impressão Can Stock Photo Inc./ bhofack2 Impressão e Acabamento PerSe 2014 por Gladson de Oliveira Santos Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução deste livro com fins comerciais sem prévia autorização do autor.

5

6

7 A Hortência Maria de Oliveira, menina de usina que motivou esta pesquisa.

8

9 AGRADECIMENTOS A Deus, por sempre facilitar a superação dos obstáculos que surgem no decorrer da minha jornada pela vida. Hortência Maria de Oliveira, pelo apoio e orientação prestados em todos os momentos da minha vida. Prof. Dr. Alexsandro Galeno Araújo Dantas, pela importante orientação e por ter me apresentado novas possibilidades no universo da pesquisa acadêmica. Luzia Almeida de Oliveira que gentilmente acompanhou todas as etapas da produção deste trabalho. Maria Inês Santana Oliveira e a Alisson Henrique Oliveira Santos, por suas importantes colaborações. Prof. Me. Fernando Aguiar, Prof. Me. Lourival Santana Santos, Prof. Me. Claudefranklin Monteiro, Profª. Drª. Terezinha Alves de Oliva, Profª. Drª. Ana Laudelina Ferreira Gomes e Prof. Dr. Hermano Machado Ferreira Lima, por suas importantes contribuições. Clodoaldo Messias dos Santos, Roberto Sousa, Rildo César Mendonça por toda ajuda prestada. Todos que, direta ou indiretamente, contribuíram para a realização deste trabalho.

10

11 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 13 ESPACIALIDADE I CIÊNCIA E LITERATURA: POSSIBILIDADES DE DIÁLOGO SOBRE A REALIDADE SOCIAL 23 I JOSÉ LINS DO REGO E O REGIONALISMO 45 ESPACIALIDADE II OS ENGENHOS: RESISTÊNCIA E ADESÃO AO PROCESSO DE MODERNIZAÇÃO I O ENGENHO SANTA FÉ E AS FORMAS TRADICIONAIS DE PRODUÇÃO II O ENGENHO SANTA ROSA E O PROCESSO EMBRIONÁRIO DE MODERNIZAÇÃO ESPACIALIDADE III A USINA BOM JESUS E O IMPACTO DO PROCESSO DE MODERNIZAÇÃO CONSIDERAÇÕES FINAIS 159 REFERÊNCIAS 175 FONTES DOCUMENTAIS 175 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 177

12 12

13 APRESENTAÇÃO Ao produzir, em 2004, a monografia intitulada Os operários do Povoado Central, pré-requisito para a conclusão do curso de História-Licenciatura da Universidade Federal de Sergipe, em que analisava a vida dos operários do Povoado Central em Riachuelo - SE no período de 1940 a 1968, trabalhadores de usina de açúcar e fábrica de tecido localizadas em espaço rural, entrei em contato com referenciais teóricos sobre a economia açucareira nordestina. Esse trabalho objetivava dar voz aos operários, registrar as condições de trabalho e vida destes indivíduos que prestaram serviços durante longos anos em uma das maiores usinas de açúcar sergipanas. Tal desejo foi estimulado pelo silêncio acadêmico existente em Sergipe no tocante aos operários do açúcar e mais decisivamente pela busca do entendimento de minhas origens, uma vez que minha avó materna, Eurides Santana de Oliveira e vários tios-avós foram operários da usina e da fábrica de tecido, vivendo na vila operária, local de nascimento de Hortência Maria de Oliveira Santos, minha mãe, que durante a infância foi uma menina de usina. No decorrer das leituras de diversos estudos sobre a agroexportação do açúcar, chamaram-me a atenção as sucessivas referências de vários autores sobre a contribuição da produção literária de José Lins do Rego, para o entendimento das transformações da sociedade açucareira em 13

14 fins do século XIX. No decorrer da pesquisa, realizei a leitura das obras Fogo Morto e Usina e dialoguei de forma, ainda tímida, com o discurso do referido autor. Após a conclusão do trabalho, debrucei-me sobre significativa parcela da obra de José Lins do Rego. Com isso, percebi a existência de um fio condutor envolvendo quatro obras: Fogo Morto, Menino de Engenho, Bangüê e Usina. Suas narrativas se entrelaçam em vários momentos, iniciam e finalizam o ciclo do processo de modernização da economia açucareira, e promovem o contato do leitor com a maneira cotidiana que os indivíduos que vivenciaram este processo reagiram às mudanças geradas pelas intensas transformações sofridas pelo nordeste açucareiro entre 1870 a 1920, principalmente. Ao propor um estudo sobre a origem da Usina Central, em 2005, ao curso de História-Bacharelado da Universidade Federal de Sergipe, entre os referenciais teóricos estava José Lins do Rego. Fui instigado pelo Prof. Me. Fernando Aguiar, que fazia parte da banca de análise do projeto de pesquisa, a demonstrar para a academia como José Lins do Rego retratava o processo de modernização. Em 2006 produzi um artigo intitulado José Lins do Rego e o processo de modernização da economia açucareira publicado no Caderno Estudante, periódico de Ciências Humanas da Universidade Federal de Sergipe. A partir de então, passei a inscrever o artigo enquanto proposta de comunicação em encontros, seminários e congressos locais, regionais e nacionais de História e áreas afins. As contribuições dos comentadores presentes nestes eventos 14

15 foram de suma importância para o aprofundamento teórico e definição do objeto de pesquisa, uma vez que nesse período eu não possuía a colaboração de um orientador. Em 2008, com a aceitação da proposta de pesquisa pelo Mestrado em Ciências Sociais, a pesquisa sofreu uma ampliação significativa, embora conservasse o objeto inalterado. As leituras sobre a relação entre literatura e sociedade, orientadas pelo Prof. Dr. Alexsandro Galeno forneceram ao trabalho, a base estrutural fundamental para a interpretação do objeto de pesquisa. A partir da bibliografia recomendada, foi possível observar que as reflexões sobre o discurso literário e o científico revelam relacionamentos permeados por aproximações e distanciamentos em relação as suas formas de produção discursiva. Entretanto, há de se considerar que tanto a Literatura, quanto a Ciência correspondem a discursos de época, que se debruçam sobre a realidade e ao se articularem sobre esta, de forma discursiva, criam um outro real: o real possível. Assim, os dois campos disciplinares revelam possibilidades em torno da realidade estudada. Com isso, é perfeitamente viável a produção de pesquisas acadêmicas destinadas à religação dos saberes específicos de campos disciplinares diferentes. A realidade constitui o objeto em que as disciplinas se debruçam. Ela originalmente não é disjunta, mas corresponde a um campo complexo de relacionamentos entrelaçados. Durante a produção de discursos estritamente disciplinares, uma gama importante de relações também constituintes da realidade são condenadas ao esquecimento. 15

JOSÉ LINS DO REGO E A MODERNIZAÇÃO DA ECONOMIA AÇUCAREIRA NORDESTINA

JOSÉ LINS DO REGO E A MODERNIZAÇÃO DA ECONOMIA AÇUCAREIRA NORDESTINA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE - UFRN CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES - CCHLA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DCS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS GLADSON DE OLIVEIRA

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PARA ABERTURA DO GRUPO DE TRABALHO (GT) E PESQUISA EM HUMANIDADES, DIREITO E INTERDISCIPLINARIDADE

EDITAL DE CHAMADA PARA ABERTURA DO GRUPO DE TRABALHO (GT) E PESQUISA EM HUMANIDADES, DIREITO E INTERDISCIPLINARIDADE Edital 06/2016 EDITAL DE CHAMADA PARA ABERTURA DO GRUPO DE TRABALHO (GT) E PESQUISA EM HUMANIDADES, DIREITO E INTERDISCIPLINARIDADE A Coordenação do Curso de Direito da Fanor Faculdades Nordeste, no uso

Leia mais

Faculdade de Ciências Empresariais Colegiado Curso de Administração

Faculdade de Ciências Empresariais Colegiado Curso de Administração EDITAL DE SELEÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS PARA PUBLICAÇÃO NA REVISTA ADMINISTRAÇÃO EM FOCO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS EMPRESARIAIS FACEMP 3ª EDIÇÃO EDIÇÃO 2016 ADMINISTRAÇÃO EM FOCO

Leia mais

DOCUMENTO DE PROPRIEDADE DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC

DOCUMENTO DE PROPRIEDADE DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC DOCUMENTO DE PROPRIEDADE DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA - UDESC Nos termos da legislação sobre direitos autorais, é proibida a reprodução total ou parcial deste documento, por qualquer forma

Leia mais

MERENDA ESCOLA. Wilma Amâncio da Silva

MERENDA ESCOLA. Wilma Amâncio da Silva MERENDA ESCOLA Wilma Amâncio da Silva São Paulo 2014 Merenda escolar Wilma Amâncio da Silva Copyright 2012, Wellington Amancio Copyright desta edição 2014: Edições Parresia Rua Allan Kardec, 48 Centro

Leia mais

TCC DE LETRAS LICENCIATURA E BACHARELADO MANUAL DE ORIENTAÇÕES

TCC DE LETRAS LICENCIATURA E BACHARELADO MANUAL DE ORIENTAÇÕES TCC DE LETRAS LICENCIATURA E BACHARELADO MANUAL DE ORIENTAÇÕES 2014 TCC LETRAS BACHARELADO PORTUGUÊS/INGLÊS O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) dos alunos que cursam o Bacharelado constituise como trabalho

Leia mais

CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA Reconhecido (renovado) pela Portaria SERES/MEC nº 01, de 06/01/2012, Publicada no DOU, de 09/01/2012

CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA Reconhecido (renovado) pela Portaria SERES/MEC nº 01, de 06/01/2012, Publicada no DOU, de 09/01/2012 RESOLUÇÃO Nº 002/ CONSELHO DO CURSO - MEDICINA VETERINÁRIA Regulamento para validação e registro das horas de Atividades Complementares Curso de Medicina Veterinária. O Conselho do Curso de Medicina Veterinária,

Leia mais

STJ PfRICIA CRI INAI. foco. FLAVIO CARVALHO DE VASCONCElOS JOAQUIM RUBENS fontes filho MÁRCIA AlHO TSUNODA mro.

STJ PfRICIA CRI INAI. foco. FLAVIO CARVALHO DE VASCONCElOS JOAQUIM RUBENS fontes filho MÁRCIA AlHO TSUNODA mro. PfRICIA CRI INAI foco FGV FGV I ~:RA:E FLAVIO CARVALHO DE VASCONCElOS JOAQUIM RUBENS fontes filho MÁRCIA AlHO TSUNODA mro.j Copyright Flavio Carvalho de Vasconcelos, e Márcia Aiko Tsunoda Direitos desta

Leia mais

Renato Matoso Ribeiro Gomes Brandão. O Problema da Falsidade no Discurso. Ontologia e Linguagem em Parmênides e Platão. Dissertação de Mestrado

Renato Matoso Ribeiro Gomes Brandão. O Problema da Falsidade no Discurso. Ontologia e Linguagem em Parmênides e Platão. Dissertação de Mestrado Renato Matoso Ribeiro Gomes Brandão O Problema da Falsidade no Discurso Ontologia e Linguagem em Parmênides e Platão Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Secretaria Acadêmica Processamento de Dissertações e Teses

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Secretaria Acadêmica Processamento de Dissertações e Teses 1 Procedimentos para depósito dos exemplares de Dissertação e Tese 1. Da apresentação do Trabalho 1.1. Capa A capa deverá conter os elementos essenciais para a identificação do trabalho, a saber: I. -

Leia mais

LEITURA E PRODUÇÃO TEXTUAL

LEITURA E PRODUÇÃO TEXTUAL COLEÇÃO CADERNOS DE AULA LEITURA E PRODUÇÃO TEXTUAL Gessilene Silveira Kanthack Eliuse Sousa Silva Organizadoras 10 Ilhéus-Bahia 2012 Universidade Estadual de Santa Cruz GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA JAQUES

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Hortaliças Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Pós-colheita de Hortaliças

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Hortaliças Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Pós-colheita de Hortaliças Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Hortaliças Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Pós-colheita de Hortaliças Embrapa Informação Tecnológica Brasília, DF 2007 Coleção Saber,

Leia mais

Aprendi a fazer Sexo na Bíblia. Entenda o plano de Deus para sua vida sexual

Aprendi a fazer Sexo na Bíblia. Entenda o plano de Deus para sua vida sexual Aprendi a fazer Sexo na Bíblia Entenda o plano de Deus para sua vida sexual Salomão Silva Aprendi a fazer Sexo na Bíblia Entenda o plano de Deus para sua vida sexual 1ª Edição Salvador 2014 Aprendi a fazer

Leia mais

Observar a característica da economia de agricultura tropical; Estudar a característica da economia extrativista mineira;

Observar a característica da economia de agricultura tropical; Estudar a característica da economia extrativista mineira; 1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: PERÍODO: IV CRÉDITO: 04 NOME DA DISCIPLINA: Formação Econômica do Brasil. NOME DO CURSO: Economia. 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60

Leia mais

Programa de Acesso à Informação Eletrônica PAI-e Capacitação de Usuários em Informação Científica e Tecnológica

Programa de Acesso à Informação Eletrônica PAI-e Capacitação de Usuários em Informação Científica e Tecnológica Programa de Acesso à Informação Eletrônica PAI-e Capacitação de Usuários em Informação Científica e Tecnológica Semana da Economia - 2010 Palestra: As fontes de Informação em meio eletrônico disponíveis

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO: HISTÓRIA E LITERATURA: COMPREENDENDO O CICLO DA CANA-DE-AÇÚCAR ATRAVÉS DAS OBRAS DE JOSÉ LINS DO REGO ANDREZA RODRIGUES DOS SANTOS

PROJETO PEDAGÓGICO: HISTÓRIA E LITERATURA: COMPREENDENDO O CICLO DA CANA-DE-AÇÚCAR ATRAVÉS DAS OBRAS DE JOSÉ LINS DO REGO ANDREZA RODRIGUES DOS SANTOS PROJETO PEDAGÓGICO: HISTÓRIA E LITERATURA: COMPREENDENDO O CICLO DA CANA-DE-AÇÚCAR ATRAVÉS DAS OBRAS DE JOSÉ LINS DO REGO ANDREZA RODRIGUES DOS SANTOS Andreza Rodrigues Dos Santos Projeto Pedagógico História

Leia mais

1.7 Parágrafo Utilizar uma (1) tabulação (tab.) para iniciar os parágrafos, ou seja, 1,25 cm. Não deixar espaço em branco entre os parágrafos.

1.7 Parágrafo Utilizar uma (1) tabulação (tab.) para iniciar os parágrafos, ou seja, 1,25 cm. Não deixar espaço em branco entre os parágrafos. INFORMAÇÕES GERAIS PARA ENTREGA DE TCC Versão final Assunto: Elaboração dos volumes do TCC aprovado. 1 Diagramação Capítulo I Formatação Aspectos Gráficos 1.1 Tamanho do papel A4 (210 X 297 mm) 1.2 Gramatura

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado pela Portaria nº de 04/07/01 DOU de 09/07/01 PLANO DE CURSO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado pela Portaria nº de 04/07/01 DOU de 09/07/01 PLANO DE CURSO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado pela Portaria nº 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: Metodologia da Pesquisa Científic Código: ADM 290 Pré-requisito: Período Letivo: 2013.1 Professor:

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Colegiado do curso de Estatística

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Colegiado do curso de Estatística Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Colegiado do curso de Estatística Normas para o Trabalho de Conclusão de Curso TCC do Curso de Bacharelado em Estatística Uberlândia 2012 Sumário

Leia mais

Serviço Público Federal Universidade Federal do Pará Campus Universitário de Altamira PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIODIVERSIDADE E CONSERVAÇÃO

Serviço Público Federal Universidade Federal do Pará Campus Universitário de Altamira PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIODIVERSIDADE E CONSERVAÇÃO Serviço Público Federal Universidade Federal do Pará Campus Universitário de Altamira PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIODIVERSIDADE E CONSERVAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA 02/2016 O colegiado do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA COMPARADA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOLOGIA COMPARADA RESOLUÇÃO Nº 078/2016-PGB Altera Normas para Realização da Seleção de Doutorado. Considerando a Resolução nº 089/15-PGB que alterava e estabelecia as normas para exame de seleção de doutorado. 29/07/2016.

Leia mais

Sumário. Introdução, 1

Sumário. Introdução, 1 Sumário Introdução, 1 1 Como tomar o estudo e a aprendizagem mais eficazes, 5 1 Eficácia nos estudos, 5 2 Anotação, 8 2.1 Anotações corridas, 9 2.2 Anotações esquemáticas, 10 2.3 Anotações resumidas, 12

Leia mais

Metodologia da redacção e apresentação de trabalhos académicos (científicos)

Metodologia da redacção e apresentação de trabalhos académicos (científicos) Metodologia da redacção e apresentação de trabalhos académicos (científicos) Princípios e disposições orientadores para a apresentação de monografias Aspectos formais de monografias Estrutura de uma monografia

Leia mais

História e História da Educação O debate teórico-metodológico atual*

História e História da Educação O debate teórico-metodológico atual* História e História da Educação O debate teórico-metodológico atual* Nadia Gaiofatto** Como o próprio título bem define, o livro em questão reúne importantes contribuições para a reflexão sobre a relação

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO DA CNEC/IESA MATRIZ 2016

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO DA CNEC/IESA MATRIZ 2016 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO DA CNEC/IESA MATRIZ 2016 CAPÍTULO I OBJETO DE REGULAMENTAÇÃO Art. 1º O presente conjunto de normas tem por finalidade formalizar a oferta,

Leia mais

Componente Curricular: Metodologia da Pesquisa Científica

Componente Curricular: Metodologia da Pesquisa Científica CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11. Componente Curricular: Metodologia da Pesquisa Científica Código: CTB-190 Pré-requisito: ----------

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº.01 de 07 de abril de 2015.

RESOLUÇÃO Nº.01 de 07 de abril de 2015. ANO XLV N. 143 30/09/2015 SEÇÃO IV PÁG. 024 RESOLUÇÃO Nº.01 de 07 de abril de 2015. EMENTA: Estabelece Normas para o Trabalho de Conclusão do Curso de Bacharelado Em Segurança Pública e Social. O COORDENADOR

Leia mais

MANUAL TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

MANUAL TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MANUAL TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ORGANIZAÇÃO: Andréia Barbosa de Faria Arlete Santana Pereira Fernando Dório Anastácio MANUAL TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO BELO HORIZONTE 2017 2017 Os organizadores

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SERGIPE

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SERGIPE CNSP - COLEGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Número 1040 AV PRESIDENTE KENNEDY, S/N CENTRO Lagarto 49000 PRÓXIMO A SECRETARIA DE EDUCAÇÃO de /Seção 10 10 2.889 15 COLÉGIO CENECISTA LAUDELINO FREIRE Número 1015

Leia mais

LIMITES E DERIVADAS COM O SOFTWARE MATHEMATICA 10.3

LIMITES E DERIVADAS COM O SOFTWARE MATHEMATICA 10.3 Sociedade Brasileira de Matemática Matemática na Contemporaneidade: desafios e possibilidades LIMITES E DERIVADAS COM O SOFTWARE MATHEMATICA 10.3 Cláudio Firmino Arcanjo Secretaria de Estado da de Alagoas

Leia mais

Métodos e Técnicas do Trabalho Científico e da Pesquisa

Métodos e Técnicas do Trabalho Científico e da Pesquisa 2014. 1 Métodos e Técnicas do Trabalho Científico e da Pesquisa FACULDADE POLIS DAS ARTES Professor: Tiago Silva de Oliveira E-mail: psicotigl@yahoo.com.br Noturno/2014.1 Carga Horária 80h 1 Dia da Semana

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA BAHIA-IFBA PRÓ-REITORIA DE ENSINO PESQUISADOR INSTITUCIONAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA BAHIA-IFBA PRÓ-REITORIA DE ENSINO PESQUISADOR INSTITUCIONAL ADMINISTRAÇÃO Grau Bacharelado Turno Noturno 1º LUISA SILVEIRA FONTES 16****351182 723,84 2º CARLOS MARQUES DOS SANTOS 16****996543 709,38 3º DANIEL NUNES BRASIL 16****284012 687,64 4º ISABELLA RUIZ NASCIMENTO

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DE RIBEIRÃO PRETO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DE RIBEIRÃO PRETO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DE RIBEIRÃO PRETO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA Template para Monografias em LaTeX Orientador/Orientadora: Prof./Prof.ª X X RIBEIRÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO* Nº 001/2015, DO COLEGIADO DO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS LINGUÍSTICOS CURSOS DE MESTRADO E DOUTORADO

RESOLUÇÃO* Nº 001/2015, DO COLEGIADO DO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS LINGUÍSTICOS CURSOS DE MESTRADO E DOUTORADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA INSTITUTO DE LETRAS E LINGUÍSTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS LINGUÍSTICOS CURSOS DE MESTRADO E DOUTORADO Av. João Naves de Ávila, 2121 Campus Sta. Mônica, Bl.G

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 5º semestre

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 5º semestre EIXO TECNOLÓGICO: Ensino Superior Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU:( )integrado( )subsequente( ) concomitante ( ) bacharelado( x )licenciatura( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE TRABALHO

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE TRABALHO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMO ÁREA: TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE TRABALHO 1. INTRODUÇÃO A

Leia mais

Faces da cultura e da comunicação organizacional

Faces da cultura e da comunicação organizacional Faces da cultura e da comunicação organizacional SÉRIE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL Volume 1 Marlene Marchiori Organizadora Faces da cultura e da comunicação organizacional 2ª Edição Autores Adriano Maricato

Leia mais

Como Elaborar Artigos para Publicação?

Como Elaborar Artigos para Publicação? Material compilado pelo Prof. Dr. Luiz Alberto Pilatti do Programa de Mestrado em Engenharia de Produção da UTFPR Campus Ponta Grossa Como Elaborar Artigos para Publicação? Apresentar a norma NBR 6022

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Colegiado de Ciências Contábeis 1º SEMESTRE (138)

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Colegiado de Ciências Contábeis 1º SEMESTRE (138) 1º SEMESTRE (138) CHF822 Técnicas de Trabalho Científico T01 50 3ª 19:00/21:00 ISAC PIMENTEL GUIMARÃES CIS247 Economia T01 45 2ª 19:00/21:00 LUIZ CARLOS RIBEIRO 4ª SANTOS CIS301 Introdução à Administração

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Introdução

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. Introdução REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Introdução O presente regulamento constitui um documento interno do curso de Ciências Contábeis e tem por objetivo reger as atividades relativas ao Estágio Supervisionado.

Leia mais

Normas da disciplina TCC (Trabalho de Conclusão de Curso)

Normas da disciplina TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) 1. Aluno Normas da disciplina TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) Manual do Aluno 1.1 O TCC é o produto de uma atividade a ser desenvolvida individualmente. 1.2 É de responsabilidade do aluno procurar

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS - FISE TEMPO DE TRABALHO

CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS - FISE TEMPO DE TRABALHO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS - FISE Total de vagas Anuais: 100 vagas anuais Carga Horária Total do Curso: 4.240 horas-aula Integralização do Curso: Mínimo 08 semestres Turno: Noturno Portaria de Reconhecimento

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇAO DE PROJETO DE PESQUISA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL

MANUAL PARA ELABORAÇAO DE PROJETO DE PESQUISA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO MANUAL PARA ELABORAÇAO DE PROJETO DE PESQUISA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL Colegiado Alex Martins Varela de Arruda Alex

Leia mais

RELATÓRIO DE QUALIFICAÇÃO

RELATÓRIO DE QUALIFICAÇÃO RELATÓRIO DE QUALIFICAÇÃO Conteúdo resumido Elementos pré-textuais Capa Folha de rosto Resumo da pesquisa com palavras chave Lista de quadros, gráficos, tabelas, abreviaturas e siglas (se houver) Sumário

Leia mais

Viana do Castelo, 9 de maio de 2014

Viana do Castelo, 9 de maio de 2014 ACTA NÚMERO UM Aos nove dias do mês de maio de dois mil e catorze, pelas catorze horas e trinta minutos reuniu, na sala de reuniões da Direção da Escola Superior de Educação de Viana do Castelo, o Júri

Leia mais

RESOLUÇÃO CPG/IESA Nº 01/2012

RESOLUÇÃO CPG/IESA Nº 01/2012 RESOLUÇÃO CPG/IESA Nº 01/2012 Normatiza o ingresso no pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Geografia. A Coordenadoria do Programa de Pós-Graduação em Geografia (CPG) do Instituto de Estudos Socioambientais

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de , DOU de PLANO DE CURSO

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de , DOU de PLANO DE CURSO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21.10.11, DOU de 24.10.11 Componente Curricular: Trabalho de Conclusão de Curso II Código: CH Total: 72 horas Pré-requisitos:

Leia mais

CAMPUS REALENGO II PLANO DE AÇÃO 2016

CAMPUS REALENGO II PLANO DE AÇÃO 2016 CAMPUS REALENGO II PLANO DE AÇÃO 2016 Meta Prioritária 1: Integração do Trabalho Pedagógico Objetivo geral: Integrar os diferentes setores do campus visando à adequação do atendimento às necessidades pedagógicas

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2º TRIMESTRE

PLANO DE ENSINO 2º TRIMESTRE Componente História Professor: Caroline, Daniela, Eveline, Glória Curricular: Segmento: Ensino Fundamental I Ano/Série: 4 ano Apresentação da disciplina O ensino de História deveria ser ponto de partida

Leia mais

Iniciação às práticas científicas

Iniciação às práticas científicas Iniciação às práticas científicas Mariza Lima Gonçalves INICIAÇÃO ÀS PRÁTICAS CIENTÍFICAS Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura Cátedra UNESCO José Reis de Divulgação Científica

Leia mais

COLÉGIO INTEGRADO DE GUARULHOS CURSO DE ARTE Ensino Fundamental/Médio APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS E CIENTÍFICOS (TÍTULO DA PESQUISA)

COLÉGIO INTEGRADO DE GUARULHOS CURSO DE ARTE Ensino Fundamental/Médio APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS E CIENTÍFICOS (TÍTULO DA PESQUISA) 1 DIRETRIZES PARA ELEBORAÇÃO DE TRABALHOS - ABNT Modelo de estrutura de um trabalho simples e completo. 1. capa 2. página de rosto 3. agradecimentos (*) 4. índice 5. introdução 6. desenvolvimento 7. conclusão

Leia mais

José Elias Gomes A ÚLTIMA UNÇÃO. 2ª Edição

José Elias Gomes A ÚLTIMA UNÇÃO. 2ª Edição A ÚLTIMA UNÇÃO 1 A ÚLTIMA UNÇÃO 2 José Elias Gomes A ÚLTIMA UNÇÃO 2ª Edição PerSe Volta Redonda, RJ Fevereiro 2013 3 A ÚLTIMA UNÇÃO Título A ÚLTIMA UNÇÃO Todos os direitos reservados; É proibida a reprodução

Leia mais

COLÉGIO SÃO JOAQUIM NORMAS PARA TRABALHOS CIENTÍFICOS

COLÉGIO SÃO JOAQUIM NORMAS PARA TRABALHOS CIENTÍFICOS COLÉGIO SÃO JOAQUIM NORMAS PARA TRABALHOS CIENTÍFICOS LORENA 2015 COLÉGIO SÃO JOAQUIM Ensinar é um exercício de imortalidade. De alguma forma continuamos a viver naqueles cujos olhos aprenderam a ver o

Leia mais

18 CONGRESSO DE TECNOLOGIA DA FATEC-SP

18 CONGRESSO DE TECNOLOGIA DA FATEC-SP 18 CONGRESSO DE TECNOLOGIA DA FATEC-SP A FATEC-SP realizou no período de 17 a 20 de outubro de 2016 o 18º Congresso de Tecnologia com o tema Tecnologia superando a adversidade. O congresso foi composto

Leia mais

OS BENEFÍCIOS E AS DIFICULDADES DE PROJETOS DE PESQUISA E EXTENSÃO NA ÁREA DA QUÍMICA NO NÍVEL MÉDIO TÉCNICO

OS BENEFÍCIOS E AS DIFICULDADES DE PROJETOS DE PESQUISA E EXTENSÃO NA ÁREA DA QUÍMICA NO NÍVEL MÉDIO TÉCNICO OS BENEFÍCIOS E AS DIFICULDADES DE PROJETOS DE PESQUISA E EXTENSÃO NA ÁREA DA QUÍMICA NO NÍVEL MÉDIO TÉCNICO Taís Lima Sousa (1); Magna Macêdo Fernandes (1); Rodson Regi de Sousa Correia (2) Instituto

Leia mais

Literatura Brasileira Código HL ª: 10h30-12h30

Literatura Brasileira Código HL ª: 10h30-12h30 Código HL 012 Nome da disciplina VI Turma A 3ª: 07h30-09h30 6ª: 10h30-12h30 Pedro Dolabela Programa resumido Falaremos do romance no Brasil entre 1964 e 1980 sob uma série de perspectivas simultâneas:

Leia mais

Ana Beatriz Frischgesell Fonseca. O Simbolismo Alquímico na Obra de C. G. Jung DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

Ana Beatriz Frischgesell Fonseca. O Simbolismo Alquímico na Obra de C. G. Jung DISSERTAÇÃO DE MESTRADO Ana Beatriz Frischgesell Fonseca O Simbolismo Alquímico na Obra de C. G. Jung DISSERTAÇÃO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica Rio de Janeiro Março de

Leia mais

REGULAMENTO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CNEC/IESA MATRIZ 2016 CAPÍTULO I OBJETO DE REGULAMENTAÇÃO

REGULAMENTO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CNEC/IESA MATRIZ 2016 CAPÍTULO I OBJETO DE REGULAMENTAÇÃO REGULAMENTO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CNEC/IESA MATRIZ 2016 CAPÍTULO I OBJETO DE REGULAMENTAÇÃO Art. 1º O presente conjunto de normas tem por finalidade formalizar

Leia mais

GRUPO DE ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (GAEPE) Maria Leonor Espinosa Enéas Camila Cruz Rodrigues

GRUPO DE ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (GAEPE) Maria Leonor Espinosa Enéas Camila Cruz Rodrigues GRUPO DE ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (GAEPE) GAEPE: Avaliação Psicológica COORDENADOR(ES): Santuza F. S. Cavalini e Sonia Maria da Silva PARTICIPANTES: Maria Leonor Espinosa Enéas Camila

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Arroz e Feijão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Arroz e Feijão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. ISSN 1678-9644 Dezembro, 2008 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Arroz e Feijão Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos 228 Perfil da Pesquisa Agropecuária Voltada

Leia mais

Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14

Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 C U R S O D E O D O N T O L O G I A Autorizado pela Portaria no 131, de 13/01/11, publicada no DOU no 11, de17/01/11, seção 1, pág.14 Componente Curricular: Metodologia da Pesquisa Científica Código: ---

Leia mais

ANEXO VI PORTARIA CONJUNTA SAD/UPE Nº 70, DE 03 DE JULHO DE 2012 TABELA DE PONTUAÇÃO PARA JULGAMENTO DE TÍTULOS E DE CURRÍCULO. Títulos Acadêmicos

ANEXO VI PORTARIA CONJUNTA SAD/UPE Nº 70, DE 03 DE JULHO DE 2012 TABELA DE PONTUAÇÃO PARA JULGAMENTO DE TÍTULOS E DE CURRÍCULO. Títulos Acadêmicos 1 ANEXO VI PORTARIA CONJUNTA SAD/UPE Nº 70, DE 03 DE JULHO DE 2012 TABELA DE PONTUAÇÃO PARA JULGAMENTO DE TÍTULOS E DE CURRÍCULO Julgamento dos Títulos e do Currículo. Essa prova tem peso 02 (dois). Pontuação

Leia mais

BAREMA - PROFESSOR TITULAR

BAREMA - PROFESSOR TITULAR 1. TITULOS ACADÊMICOS 1.1 Pós-Doutorado 1.2 Curso de Doutorado 1.3 Curso de Mestrado 1.4 Curso de Especialização ou Aperfeiçoamento BAREMA - PROFESSOR TITULAR Departamento de Geografia Edital 04/2011 DESCRIÇÃO

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFSM/CESNORS

ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFSM/CESNORS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFSM/CESNORS 1 - Disposições introdutórias A formação do enfermeiro prevê, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso

Leia mais

DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA

DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CÓDIGO: EDU260 DISCIPLINA: ENSINO DA GEOGRAFIA CARGA HORÁRIA: 90h EMENTA: Geografia: conceitos

Leia mais

Regulamento do Estágio e Projecto Final de Curso

Regulamento do Estágio e Projecto Final de Curso Regulamento do Estágio e Projecto Final de Curso 1. Introdução O presente regulamento refere-se ao Estágio e Projecto Individual, previsto nos planos curriculares dos cursos de licenciatura da Escola Superior

Leia mais

Regulamento das Atividades Complementares

Regulamento das Atividades Complementares Serviço Público Federal Universidade Federal de Goiás - UFG Campus Catalão - CAC Curso de Química Regulamento das Atividades Complementares Artigo 1 o - As atividades complementares (AC) é o conjunto de

Leia mais

A RECEPÇÃO DOS TEXTOS E IDEIAS DE DARWIN NO ACERVO BIBLIOGRÁFICO DA UEM: UMA QUESTÃO DE CIRCULAÇÃO DO CONHECIMENTO

A RECEPÇÃO DOS TEXTOS E IDEIAS DE DARWIN NO ACERVO BIBLIOGRÁFICO DA UEM: UMA QUESTÃO DE CIRCULAÇÃO DO CONHECIMENTO A RECEPÇÃO DOS TEXTOS E IDEIAS DE DARWIN NO ACERVO BIBLIOGRÁFICO DA UEM: UMA QUESTÃO DE CIRCULAÇÃO DO CONHECIMENTO Vitor Góis Ferreira (PIBIC/FA/UEM), Cristina de Amorim Machado(Orientadora, DFE-UEM),

Leia mais

ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A

ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A É ofertado no 7º semestre, compreende uma carga horária de 120 horas, totalizando 8 créditos, conforme as normas específicas para a realização do referido

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DA CNEC/IESA MATRIZ 2016 CAPÍTULO I

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DA CNEC/IESA MATRIZ 2016 CAPÍTULO I REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DA CNEC/IESA MATRIZ 2016 CAPÍTULO I OBJETO DE REGULAMENTAÇÃO Art. 1º O presente conjunto

Leia mais

A LITERATURA PORTUGUESA CONTEMPORÂNEA NA REVISTA COLÓQUIO/LETRAS - SEÇÃO RECENSÃO CRÍTICA RESUMO

A LITERATURA PORTUGUESA CONTEMPORÂNEA NA REVISTA COLÓQUIO/LETRAS - SEÇÃO RECENSÃO CRÍTICA RESUMO A LITERATURA PORTUGUESA CONTEMPORÂNEA NA REVISTA COLÓQUIO/LETRAS - SEÇÃO RECENSÃO CRÍTICA Amanda Mendes Talita Rugna Beltran Dias (G FCL - UNESP) Rosane Gazolla Alves Feitosa (Orientadora FCL - UNESP)

Leia mais

Paula Accioly de Andrade. El Discreto e A Arte da Prudência: Dissertação de Mestrado. A contribuição de Baltasar Gracián na formação do homem de corte

Paula Accioly de Andrade. El Discreto e A Arte da Prudência: Dissertação de Mestrado. A contribuição de Baltasar Gracián na formação do homem de corte Paula Accioly de Andrade El Discreto e A Arte da Prudência: A contribuição de Baltasar Gracián na formação do homem de corte Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pós-graduação

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC. Regulamento de Atividades Complementares

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC. Regulamento de Atividades Complementares Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Regulamento de Atividades Complementares Aplicável aos cursos e alunos matriculados nas estruturas curriculares implementadas a partir do 1º semestre de

Leia mais

ESTRUTURA DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

ESTRUTURA DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ESTRUTURA DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO O trabalho científico deverá ser organizado de acordo com a estrutura abaixo, NBR 14724/2006: capa; folha de rosto; verso da folha de rosto (ficha catalográfica)

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO: PRIMEIRAS MANIFESTAÇÕES DA LEITURA E ESCRITA NA CRIANÇA

ALFABETIZAÇÃO: PRIMEIRAS MANIFESTAÇÕES DA LEITURA E ESCRITA NA CRIANÇA ALFABETIZAÇÃO: PRIMEIRAS MANIFESTAÇÕES DA LEITURA E ESCRITA NA CRIANÇA Ana Paula Martins de Sousa 1 Adrielle Alves Pereira Vilela 2 Jorge Luiz Tolentino de Almeida 3 Yasmin de Jesus Araújo 4 Irondina de

Leia mais

Regulamento da Dissertação conducente à obtenção do grau de Mestre em Arquitectura do Mestrado Integrado em Arquitectura. Consideração Prévia

Regulamento da Dissertação conducente à obtenção do grau de Mestre em Arquitectura do Mestrado Integrado em Arquitectura. Consideração Prévia Regulamento da Dissertação conducente à obtenção do grau de Mestre em Arquitectura do Mestrado Integrado em Arquitectura Consideração Prévia A Dissertação para Conclusão do Mestrado Integrado em Arquitectura

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Filosofia e Ciências Humanas Departamento de Ciências Geográficas

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Filosofia e Ciências Humanas Departamento de Ciências Geográficas SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Centro de Filosofia e Ciências Humanas Departamento de Ciências Geográficas CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 42,

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ENFERMAGEM

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ENFERMAGEM REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ENFERMAGEM CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento disciplina o processo de elaboração, apresentação e avaliação do Trabalho

Leia mais

Uso de Metáforas em Poesia e Canção

Uso de Metáforas em Poesia e Canção Uso de Metáforas em Poesia e Canção Ângela Gonçalves Trevisol Tamara dos Santos A partir de observações em sala de aula para a disciplina de Seminário para o ensino de literatura brasileira percebemos

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1- Orientações gerais; 2- Estrutura de TCC (monografia); 3- Estrutura de TCC (artigo); 4- Anexo 01: modelo de capa de TCC 1 Orientações Gerais:

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA PIO DÉCIMO FACULDADE PIO DÉCIMO

ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA PIO DÉCIMO FACULDADE PIO DÉCIMO ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E CULTURA PIO DÉCIMO FACULDADE PIO DÉCIMO MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA DOS CURSOS DE ENGENHARIA NÚCLEO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ARACAJU 2012 NÚCLEO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA CÓDIGO DISCIPLINA CENTRO QA-133 Pesquisa em Química I e Monografia CIÊNCIAS E TECNOLOGIA CRÉDTOS C.H. PRÉ-REQUISITO DEPARTAMENTO T P o 90h/a 2 2 QA-117

Leia mais

REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO PARAÍBA 27 e 28 DE OUTUBRO DE 2016

REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO PARAÍBA 27 e 28 DE OUTUBRO DE 2016 REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO PARAÍBA 27 e 28 DE OUTUBRO DE 2016 Realização: UNESP- Guaratinguetá Parcerias: Escolas Públicas Estaduais DRE- Guaratinguetá Comissão Acadêmica UNESP Reitor Prof. Dr. Júlio

Leia mais

UMA ANÁLISE DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PEDAGOGIA NA PERSPECTIVA DO TRABALHO DOS PEDAGOGOS (2010) 1

UMA ANÁLISE DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PEDAGOGIA NA PERSPECTIVA DO TRABALHO DOS PEDAGOGOS (2010) 1 UMA ANÁLISE DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PEDAGOGIA NA PERSPECTIVA DO TRABALHO DOS PEDAGOGOS (2010) 1 RIBEIRO, Eliziane. Tainá. Lunardi. 2 ; ALVES, Bruna. Pereira.³; SIQUEIRA, Gabryely. Muniz. 4 ;

Leia mais

POSSIBILIDADES SUPERADORAS DE UMA REALIDADE DE ENSINO-APRENDIZAGEM DO FUTSAL PARA CRIANÇAS DE 7 A 12 ANOS DE IDADE, EM ESPAÇO EXTRA-ESCOLAR.

POSSIBILIDADES SUPERADORAS DE UMA REALIDADE DE ENSINO-APRENDIZAGEM DO FUTSAL PARA CRIANÇAS DE 7 A 12 ANOS DE IDADE, EM ESPAÇO EXTRA-ESCOLAR. UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADE DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA CURSO LATO SENSO ESPECIALIZAÇÃO EM METODOLOGIA DO ENSINO E DA PESQUISA EM EDUCAÇÃO

Leia mais

OFERTA DE DISCIPLINAS ALUNOS REGULARES

OFERTA DE DISCIPLINAS ALUNOS REGULARES UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO OFERTA DE DISCIPLINAS 2015.1 ALUNOS REGULARES DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS (ALUNOS REGULARES): MESTRADO

Leia mais

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no de 05/12/02 DOU de 06/12/02 PLANO DE CURSO

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no de 05/12/02 DOU de 06/12/02 PLANO DE CURSO COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no 3.355 de 05/12/02 DOU de 06/12/02 Componente Curricular: Trabalho de Conclusão de Curso Código: DIR - 591 CH Total: 60 horas Pré-requisito: Orientação

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2012 Conteúdos Habilidades Avaliação

PLANEJAMENTO ANUAL / TRIMESTRAL 2012 Conteúdos Habilidades Avaliação COLÉGIO LA SALLE BRASÍLIA Associação Brasileira de Educadores Lassalistas ABEL SGAS Q. 906 Conj. E C.P. 320 Fone: (061) 3443-7878 CEP: 70390-060 - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL Disciplina: Língua Portuguesa

Leia mais

ANEXO II FICHA DE AVALIAÇÃO DO CURRÍCULO DO PROPONENTE Pontuação Comprovante Válido Por item Máxima Obtida Formação acadêmica (não cumulativo)

ANEXO II FICHA DE AVALIAÇÃO DO CURRÍCULO DO PROPONENTE Pontuação Comprovante Válido Por item Máxima Obtida Formação acadêmica (não cumulativo) Item de avaliação 1. Diploma de doutorado, obtido em programa de pós-graduação reconhecido pela CAPES ANEXO II FICHA DE AVALIAÇÃO DO CURRÍCULO DO PROPONENTE Pontuação Comprovante Válido Por item Máxima

Leia mais

UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO. Manual de suporte à redação do Relatório sobre a Atividade

UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO. Manual de suporte à redação do Relatório sobre a Atividade UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO Manual de suporte à redação do Relatório sobre a Atividade Profissional para os licenciados pré-bolonha, com vista à obtenção do grau de Mestre ao abrigo da

Leia mais

Regysane Botelho Cutrim Alves. A crítica de traduções na teoria e na prática: o caso da Versão Brasileira. Dissertação de mestrado

Regysane Botelho Cutrim Alves. A crítica de traduções na teoria e na prática: o caso da Versão Brasileira. Dissertação de mestrado Regysane Botelho Cutrim Alves A crítica de traduções na teoria e na prática: o caso da Versão Brasileira Dissertação de mestrado Dissertação apresentada ao programa de Pós-graduação em Letras da PUC-Rio

Leia mais

Resultado dos Aprovados Seleção de Estágio Diversos Cursos. Curso - Artes Visuais. Curso Ciências Biológicas

Resultado dos Aprovados Seleção de Estágio Diversos Cursos. Curso - Artes Visuais. Curso Ciências Biológicas PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO 2017 RESULTADO DA 2ª ETAPA ENTREVISTA Resultado dos Aprovados Seleção de Estágio Diversos Cursos Curso - Artes Visuais 01. SESC SIQUEIRA CAMPOS - CULTURA Noêmia dos Santos

Leia mais

PERMANECEI NO MEU AMOR PARA DAR MUITOS FRUTOS (15,8-9) entendendo o evangelho de João

PERMANECEI NO MEU AMOR PARA DAR MUITOS FRUTOS (15,8-9) entendendo o evangelho de João PERMANECEI NO MEU AMOR PARA DAR MUITOS FRUTOS (15,8-9) entendendo o evangelho de João Coleção DO POVO PARA O POVO Preparada pela equipe de assessores e assessoras do Centro Bíblico Verbo Da comunidade

Leia mais

C O M A R C A D E C U R I T I B A PRIMEIRO TABELIONATO DE PROTESTO DE TITULOS Edital de Intimacao

C O M A R C A D E C U R I T I B A PRIMEIRO TABELIONATO DE PROTESTO DE TITULOS Edital de Intimacao C O M A R C A D E C U R I T I B A PRIMEIRO TABELIONATO DE PROTESTO DE TITULOS Edital de Intimacao Encontram-se neste Tabelionato, sito a R. Carlos de Carvalho,603-9o.Andar, na cidade de Curitiba, para

Leia mais

No final do estágio, o estudante deverá realizar um balanço global do mesmo (cf. Anexo 3) que deverá anexar no seu relatório final.

No final do estágio, o estudante deverá realizar um balanço global do mesmo (cf. Anexo 3) que deverá anexar no seu relatório final. No final do estágio, o estudante deverá realizar um balanço global do mesmo (cf. Anexo 3) que deverá anexar no seu relatório final. 2.1. Relatório de Estágio O relatório final do estágio tem uma dimensão

Leia mais

Trigonometria: Fórmulas de Adição e Subtração de Arcos

Trigonometria: Fórmulas de Adição e Subtração de Arcos Humberto Gullo de Barros Trigonometria: Fórmulas de Adição e Subtração de Arcos Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre pelo Programa de Pós-graduação

Leia mais

MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA Unidades Curriculares Opcionais aprovadas para o ano Letivo de

MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA Unidades Curriculares Opcionais aprovadas para o ano Letivo de MESTRADO INTEGRADO EM MEDICINA Unidades Curriculares Opcionais aprovadas para o ano Letivo de 2016-2017 Os estudantes, do 1º ao 5º ano, no momento da sua inscrição, devem escolher duas unidades curriculares

Leia mais