I. O Regime Jurídico de Urbanização e Edificação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I. O Regime Jurídico de Urbanização e Edificação"

Transcrição

1 I. O Regime Jurídico de Urbanização e Edificação 1 Edificação Urbanização Loteamento 1. As operações urbanísticas Remodelação de terrenos Utilização de edifícios 2 Utilização dos solos para fins não agrícolas, pecuários, mineiros ou de abastecimento público de água

2 2. Os objectivos da alteração de Medida do Programa Simplex 2007 (visa simplificar o procedimento de licenciamento urbanístico); Eliminação do procedimento de autorização e nova delimitação do âmbito de aplicação dos procedimentos de licenciamento e de comunicação prévia; Diminuição do controlo prévio, o qual é contrabalançado pelo reforço da fiscalização municipal e da responsabilização dos técnicos subscritores dos projectos e responsáveis técnicos pela direcção das obras. 4 Isenção de qualquer controlo ou comunicação prévia das pequenas obras de escassa relevância urbanística, bem como as obras de conservação e de alteração no interior dos edifícios ou suas fracções autónomas que não impliquem modificações da estrutura dos edifícios, das cérceas e das fachadas. Sujeição a simples comunicação prévia, dispensando-se a actual exigência de autorização municipal quando existam instrumentos que disciplinem suficientemente as condições da construção a realizar.

3 5 Simplificação do licenciamento urbanístico assente: na utilização de tecnologias da informação na criação de uma nova figura, o gestor do procedimento. II. Os procedimentos/actos de gestão urbanística 6

4 1. Evolução das formas de controlo 1. Antes do RJUE: controlo prévio através de actos de licenciamento e, nas situações mais simples, comunicação prévia 2. O RJUE e as licenças para os casos normais, as autorizações para casos que justifiquem procedimentos simples e as comunicações prévias para casos muito simples 3. As licenças e as autorizações: a diferente densidade do controlo preventivo e o diferente grau de concretização da posição subjectiva dos particulares: a evolução da figura das autorizações em

5 2. Delimitação do âmbito dos procedimentos de controlo 10 O procedimento de licenciamento como o procedimento regra; As autorizações reservadas para a utilização dos edifícios (ou sujeitas também a comunicação prévia?); A comunicação prévia para as situações expressamente previstas; As isenções de controlo em função da operação urbanística da entidade que promove a operação

6 As operações sujeitas a comunicação prévia 11 As operações de loteamento, se tiverem sido antecedidas de informação prévia favorável emitida nos termos do n.º 2 do artigo 14.º (artigo 17.º, n.º 2) As obras de urbanização, quando em área abrangida por operação de loteamento ou tenham sido antecedidas de informação prévia favorável emitida nos termos do n.º 2 do artigo 14.º Os trabalhos de remodelação de terrenos, quando em área abrangida por operação de loteamento ou tenham sido antecedidas de informação prévia favorável emitida nos termos do n.º 2 do artigo 14.º As obras de construção, alteração ou ampliação, se realizadas em área abrangida por operação de loteamento ou plano de pormenor que contenha as menções referidas nas alíneas c) d) e f) do artigo 91.º do RJIGT, ou se realizem em zona urbana consolidada nas condições referidas na alínea f) do n.º 1 do artigo 6.º, ou, ainda, caso tenham sido antecedidas de informação prévia favorável emitida nos termos do n.º 2 do artigo 14.º As obras de reconstrução sem manutenção das fachadas, quando antecedidas de informação prévia favorável emitida nos termos do n.º 2 do artigo 14.º As obras de reconstrução com manutenção das fachadas. 12 A demolição, quando não esteja prevista em licença de reconstrução. As piscinas associadas a edifício principal

7 13 o procedimento de comunicação prévia é afastado quando em causa estejam obras em imóveis classificados ou em vias de classificação, ou situados em zona de protecção de imóveis classificados, bem como imóveis integrados em conjuntos ou sítios classificados ou em áreas sujeitas a servidão administrativa ou restrição de utilidade pública. Nestes casos apenas estarão sujeitas a comunicação prévia se forem antecedidas de informação prévia favorável emitida nos termos do n.º 2 do artigo 14.º. 3. Isenções de controlo

8 As alternativas em termos de controlo 15 Sujeição a licença versus isenção de licença Sujeição a controlo preventivo versus isenção de controlo preventivo A. Objectivas: em função da operação urbanística e sem qualquer tipo de controlo prévio Artigo 6.º, alínea a), b) Artigo 6.º, n.º 4 e ss (destaques) Artigo 6.º-A, (por remissão da alínea i) do n.º 1 do artigo 6.º): obras de escassa relevância urbanística Significa isenção de qualquer controlo municipal: os problemas e a solução para os problemas 16

9 B. Subjectivas: em função da entidade promotora Artigo 7.º Procedimento de licenciamento 18

10 19 No caso do procedimento de licenciamento de obra: duas fases do procedimento, com uma fase inicial de aprovação do projecto de arquitectura Função da aprovação do projecto de arquitectura Efeitos jurídicos da aprovação do projecto de arquitectura Natureza jurídica (acto parcial) A jurisprudência O acto final do procedimento 20 A licença urbanística como acto administrativo de gestão

11 5. Comunicação prévia 21 A comunicação prévia tradicional 22 Um procedimento sem decisão final De deferimento da pretensão De indeferimento da pretensão

12 A nova formatação procedimental da comunicação prévia a) Um procedimento com decisão final 23 b) Os passos procedimentais do procedimento de comunicação prévia c) Natureza jurídica do acto de admissão da comunicação prévia a) Um procedimento administrativo com decisão final 24 Decisão final expressa de rejeição (que equivale, considerando os fundamentos, a um indeferimento) A não rejeição equivale a uma admissão:

13 b) Os passos procedimentais da comunicação prévia Entrega do pedido (artigo 9.º e 35.º), Publicitação no local de execução da obra (artigo 12.º); Saneamento e apreciação liminar (artigo 11.º); Consulta a entidades exteriores ao município (artigos 13.º a 13.º-B) Decisão final expressa (!), 25 rejeição da comunicação - acto de indeferimento da pretensão - (artigo 36.º) não rejeição que equivale a uma admissão Acto de deferimento Audiência prévia dos interessados para esta rejeição que aprecia o pedido e não questões meramente formais e procedimentais? Fase de apreciação do projecto de arquitectura separada das especialidades ou tudo apreciado em simultâneo? Motivos de rejeição? 26 Contradição com informação prévia favorável [rejeição ou conversão do procedimento nos termos do artigo 11.º, n.º 11, alínea a)?] Cfr. artigo 24.º: violação dos pareceres e existência de declaração de utilidade pública também como motivos de rejeição?

14 c). Natureza jurídica da admissão de comunicação prévia: acto administrativo invalidade e a nulidade do acto de admissão (artigos 67.º e 68.º), a declaração da sua caducidade (artigo 71.º), a possibilidade da respectiva revogação (artigo 73.º), a sua sujeição ao pagamento de taxas (artigo 116.º), 27 publicidade da admissão nos termos do artigo 78.º, com as devidas adaptações. Mas, pressupondo inexistência de acto. 28 As condições para a execução das obras deverão ser fixadas em regulamento municipal (cfr. artigos 53.º n.º 1e 57.º n.º 1). As condições de ocupação da via pública ou a colocação de tapumes ou vedações serão as estabelecidas na comunicação excepto, designadamente, quando for necessário articulalas com outras ocupações previstas ou existentes. Como fazer neste caso? Rejeição do pedido?

15 Os títulos Os alvarás Os recibos da comunicação prévia Alguns aspectos do regime 30

16 31 A noção de loteamentos urbanos [alínea i) do artigo 2º] O pedido de informação prévia: alguns esclarecimento (artigos 14º a 17º) Discussão pública dos projectos relativos a algumas operações urbanísticas (artigo 22º) 32 Licença parcial para a construção da estrutura: o problema da natureza jurídica do aprovação do projecto de arquitectura (artigos 23º, nº 6) Alterações à licença ou autorização: (artigos 27º, 48º e 48.-A) Os encargos nas operações urbanísticas Regime jurídico aplicável às edificações existentes. Alargamento do mesmo regime nas situações de licença especial para a conclusão das obras (artigos 60º e 88º).

17 Regime especial das caducidades 33 Regime especial da nulidade

Fernanda Paula Oliveira

Fernanda Paula Oliveira Regime Jurídico Edificação de Urbanização e Fernanda Paula Oliveira 1 TIPOS DE PROCEDIMENTOS 2 1. Objectivos da alteração legislativa 3 CEDOUA 1 Medida do Programa Simplex 2007 (visa simplificar o procedimento

Leia mais

Regime jurídico da urbanização e da edificação

Regime jurídico da urbanização e da edificação Regime jurídico da urbanização e da edificação A Lei dos Solos (Decreto-Lei nº 794/76, de 5 de Novembro) distingue o direito da propriedade do direito de urbanizar. O direito de urbanizar e edificar é

Leia mais

MUNICÍPIO DE S. JOÃO DA MADEIRA

MUNICÍPIO DE S. JOÃO DA MADEIRA TABELA DE TAXAS OPERAÇÕES DE URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO QUADRO I Licença ou admissão de comunicação prévia de loteamento e ou de obras de urbanização e/ou trabalhos de remodelação de terrenos 1. Emissão

Leia mais

Processo de Urbanização da Área Residencial de Camama

Processo de Urbanização da Área Residencial de Camama Processo de Urbanização da Área Residencial de Camama Foi com a aprovação do Decreto Presidencial n.º 190/2011, de 30 de Junho, diploma que criou o Gabinete Técnico para a Implementação e Gestão do Plano

Leia mais

Regime Jurídico da Requalificação Urbana Enquadramento Jurídico

Regime Jurídico da Requalificação Urbana Enquadramento Jurídico Enquadramento Jurídico Decreto-Lei n.º 307/2009 de 23 de Outubro - Regime Jurídico da Reabilitação Urbana Legislação relacionada Decreto-Lei n.º 152/82 de 3 de Maio - Regime de criação de ADUP's e ACP's

Leia mais

TABELA TAXAS 2015 ARTIGO 1º - ALVARÁ DE LICENÇA OU ADMISSÃO DE COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE LOTEAMENTO (COM OBRAS DE URBANIZAÇÃO)

TABELA TAXAS 2015 ARTIGO 1º - ALVARÁ DE LICENÇA OU ADMISSÃO DE COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE LOTEAMENTO (COM OBRAS DE URBANIZAÇÃO) TABELA TAXAS 2015 ARTIGO 1º - ALVARÁ DE LICENÇA OU ADMISSÃO DE COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE LOTEAMENTO (COM OBRAS DE URBANIZAÇÃO) VALOR 1 Emissão alvará de licença 602,66 a) Acresce por tipo de utilização I)

Leia mais

Regime Jurídico da Urbanização e da Edificação

Regime Jurídico da Urbanização e da Edificação Regime Jurídico da Urbanização e da Edificação ÍNDICE LEI N.º 60/2007 - REGIME JURÍDICO DA URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO... 7 Artigo 1.º - Alteração ao Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro... 7 Artigo

Leia mais

REGIME JURÍDICO DA URBANIZAÇÃO E DA EDIFICAÇÃO

REGIME JURÍDICO DA URBANIZAÇÃO E DA EDIFICAÇÃO REGIME JURÍDICO DA URBANIZAÇÃO E DA EDIFICAÇÃO (Decreto-Lei 555/99, de 16 de Dezembro, com a redacção do Decreto-Lei n.º 177/2001, de 4 de Junho) CAPÍTULO I Disposições preliminares Artigo 1.º Objecto

Leia mais

Licenciamento/ autorização das operações

Licenciamento/ autorização das operações Licenciamento/autorização das operações Licenciamento/ autorização das operações Introdução / Enquadramento Condições gerais de admissão e aceitação dos beneficiários (Artigo 12.º) Cumprirem as condições

Leia mais

Novo Regime Jurídico de Urbanização e Edificação (RJUE)

Novo Regime Jurídico de Urbanização e Edificação (RJUE) Presidência do Conselho de Ministros Secretário Estado Adjunto e da Administração Local 9 de Junho de 2008 Novo Regime Jurídico de Urbanização e Edificação (RJUE) Âmbito do Sistema Integrado de Informação

Leia mais

Quadro I Emissão do alvará de licença ou admissão de comunicação prévia de loteamento com obras de urbanização

Quadro I Emissão do alvará de licença ou admissão de comunicação prévia de loteamento com obras de urbanização Quadro I Emissão do alvará de licença ou admissão de comunicação prévia de loteamento com obras de urbanização 1 1 - Emissão do alvará ou admissão de comunicação prévia 75,35 2 a) Por lote 3 b) Por fogo

Leia mais

GUIA DO MUNÍCIPE DE ARRUDA DOS VINHOS - EDIFICAÇÃO E URBANIZAÇÃO - Câmara Municipal de Arruda dos Vinhos

GUIA DO MUNÍCIPE DE ARRUDA DOS VINHOS - EDIFICAÇÃO E URBANIZAÇÃO - Câmara Municipal de Arruda dos Vinhos GUIA DO MUNÍCIPE DE ARRUDA DOS VINHOS - EDIFICAÇÃO E URBANIZAÇÃO - Câmara Municipal de Arruda dos Vinhos Divisão de Planeamento e Gestão Urbanística Novembro de 2010 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 CAPÍTULO I...

Leia mais

Assim, propõe-se a isenção de formas de controlo prévio das obras de alteração de

Assim, propõe-se a isenção de formas de controlo prévio das obras de alteração de Exposição de Motivos O Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 Dezembro, respeitante ao regime jurídico do licenciamento municipal das operações de loteamento, das obras de urbanização e das obras particulares,

Leia mais

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica Concordo. Envie-se a presente informação ao Sr. Director Municipal do Departamento de Gestão Urbanística, Arq. Aníbal caldas. Anabela Moutinho Monteiro Chefe da 111.02.2011 N/Inf.: (...) N/Ref.ª: (...)

Leia mais

MANUAL DE Data: 30/09/2009 PROCEDIMENTOS Página 1 de 10 LICENCIAMENTO

MANUAL DE Data: 30/09/2009 PROCEDIMENTOS Página 1 de 10 LICENCIAMENTO OBJECTIVO: DEPARTAMENTO DE URBANISMO Capítulo: II Secção: 3 PROCEDIMENTOS Página 1 de 10 Definir o modo de tratar o pedido de autorização de operação urbanística, ao abrigo do artigo 4.º e dos artigos

Leia mais

Regime Jurídico da Urbanização e Edificação

Regime Jurídico da Urbanização e Edificação Regime Jurídico da Urbanização e Edificação Decreto-Lei n.º 555/99 de 16 de Dezembro (Alterado pelo Decreto-Lei n.º 177/2001, de 4 de Junho e pela Lei n.º 15/2002, de 22 de Fevereiro) Disposições preliminares...8

Leia mais

15,50 15, por fogo ou unidade de ocupação. 10,50 10, prazo - por cada mês ou fracção

15,50 15, por fogo ou unidade de ocupação. 10,50 10, prazo - por cada mês ou fracção izaç ARTIGO 41º Quadro I Alvará de licença ou autorização de loteamento e de obras de urbanização 1. Emissão do alvará de licença ou de autorização 1.1 Acresce, ao montante referido no número anterior:

Leia mais

TABELA DE TAXAS PARTE B - OPERAÇÕES URBANÍSTICAS QUADRO I. Taxa devida pela apreciação de projectos de loteamento

TABELA DE TAXAS PARTE B - OPERAÇÕES URBANÍSTICAS QUADRO I. Taxa devida pela apreciação de projectos de loteamento TABELA DE TAXAS PARTE B - OPERAÇÕES URBANÍSTICAS 1. Loteamento sem obras de urbanização QUADRO I Taxa devida pela apreciação de projectos de loteamento 1.1 Informação prévia 101,15 d) 1.2 Licenciamento

Leia mais

NORMA TÉCNICA ELEMENTOS PARA A INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENCIAMENTO DE ALTERAÇÃO À LICENÇA DE LOTEAMENTO

NORMA TÉCNICA ELEMENTOS PARA A INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENCIAMENTO DE ALTERAÇÃO À LICENÇA DE LOTEAMENTO NORMA TÉCNICA ELEMENTOS PARA A INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENCIAMENTO DE ALTERAÇÃO À LICENÇA DE LOTEAMENTO Já conhece as regras de instrução de processos em formato digital? Consulte toda a informação em

Leia mais

Regime jurídico da urbanização e da edificação

Regime jurídico da urbanização e da edificação Regime jurídico da urbanização e da edificação Decreto-Lei n.º 177/2001, de 4 de Junho O Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, introduziu uma alteração substancial no regime jurídico do licenciamento

Leia mais

ACTOS PRÓPRIOS RESERVADOS E OUTROS ACTOS EM QUE PODEM INTERVIR OS ARQUITECTOS

ACTOS PRÓPRIOS RESERVADOS E OUTROS ACTOS EM QUE PODEM INTERVIR OS ARQUITECTOS ACTOS PRÓPRIOS RESERVADOS E OUTROS ACTOS EM QUE PODEM INTERVIR OS ARQUITECTOS INSCRIÇÃO EFECTIVA ACTIVA NA ORDEM DOS ARQUITECTOS DECLARAÇÃO GENÉRICA EMITIDA PELA OA - Elaborar e apreciar estudos, projectos

Leia mais

ANEXO TABELA DE TAXAS. Quadro I. Taxa geral

ANEXO TABELA DE TAXAS. Quadro I. Taxa geral ANEXO TABELA DE TAXAS Quadro I Taxa geral 1. Apreciação e análise de pedido de licenciamento 38,30 2. Apreciação e análise de pedido de admissão de comunicação prévia 38,30 3. Em operações de loteamento

Leia mais

APROVA OS MODELOS DE AVISO A FIXAR PELO TITULAR DE ALVARÁ DE LICENCIAMENTO. (Portaria n.º 1108/2001, de 18 de Setembro)

APROVA OS MODELOS DE AVISO A FIXAR PELO TITULAR DE ALVARÁ DE LICENCIAMENTO. (Portaria n.º 1108/2001, de 18 de Setembro) APROVA OS MODELOS DE A FIXAR PELO TITULAR DE ALVARÁ DE LICENCIAMENTO (Portaria n.º 1108/2001, de 18 de Setembro) O Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, que aprovou o novo regime jurídico da urbanização

Leia mais

ANEXO TABELA DE TAXAS. Quadro I. Taxa geral

ANEXO TABELA DE TAXAS. Quadro I. Taxa geral ANEXO TABELA DE TAXAS Quadro I Taxa geral 1. Apreciação e análise de pedido de licenciamento 38,10 2. Apreciação e análise de pedido de admissão de comunicação prévia 38,10 3. Em operações de loteamento

Leia mais

ASSEMBLEIA NACIONAL 904 I SÉRIE N O 28 «B. O.» DA REPÚBLICA DE CABO VERDE 23 DE ABRIL DE 2014

ASSEMBLEIA NACIONAL 904 I SÉRIE N O 28 «B. O.» DA REPÚBLICA DE CABO VERDE 23 DE ABRIL DE 2014 904 I SÉRIE N O 28 «B. O.» DA REPÚBLICA DE CABO VERDE 23 DE ABRIL DE 2014 ASSEMBLEIA NACIONAL Lei n.º 60/VIII/2014 de 23 de Abril Por mandato do Povo, a Assembleia Nacional decreta, nos termos da alínea

Leia mais

Ex.mo Senhor: Presidente da Câmara Municipal de Mortágua. ASSUNTO: LOTEAMENTO URBANO: Com / Sem, Obras de Urbanização Licenciamento Comunicação Prévia

Ex.mo Senhor: Presidente da Câmara Municipal de Mortágua. ASSUNTO: LOTEAMENTO URBANO: Com / Sem, Obras de Urbanização Licenciamento Comunicação Prévia REGISTO DE ENTRADA Registado em SPO Procº. / / Reqº. / / Em / / O Assist. Técnico TAXA DE APRECIAÇÃO Paga a taxa no valor de Guia n.º / Em / / O Assist. Técnico DESPACHO Em / / O Presidente da Câmara Ex.mo

Leia mais

GUIAS PARA INSTRUÇÃO DE PEDIDOS DE AUTORIZAÇÃO OU DE LICENCIAMENTO DE OBRAS (NA ÁREA DE COMPETÊNCIAS DA APSS, S.A.)

GUIAS PARA INSTRUÇÃO DE PEDIDOS DE AUTORIZAÇÃO OU DE LICENCIAMENTO DE OBRAS (NA ÁREA DE COMPETÊNCIAS DA APSS, S.A.) 1. De acordo com a legislação em vigor (Decreto-Lei n.º 338/98, de 3 de Novembro), na sua área de jurisdição, compete à APSS, S.A. conceder licenças para a execução de obras directamente relacionadas com

Leia mais

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE LICENÇA/AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE LICENÇA/AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS Registo de entrada RESERVADO AOS SERVIÇOS PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE LICENÇA/AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS (Art.º 76º do D.L. 555/99 de 16 de Dezembro, com a redacção conferida pelo D.L. 177/2001

Leia mais

NORTE TERRITÓRIO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL

NORTE TERRITÓRIO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL NORTE TERRITÓRIO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL LICENCIAMENTO E REABILITAÇÃO URBANA AS OPERAÇÕES DE REABILITAÇÃO URBANA E O NOVO RJUE AS OPERAÇÕES DE REABILITAÇÃO URBANA E O NOVO RJUE 1. ENQUADRAMENTO Lei

Leia mais

TABELA DE URBANIZAÇÃO EDIFICAÇÃO E TAXAS ANO 2017

TABELA DE URBANIZAÇÃO EDIFICAÇÃO E TAXAS ANO 2017 TABELA DE URBANIZAÇÃO EDIFICAÇÃO E TAXAS ANO 2017 Descrição Taxa proposta (em euros) Taxa devida pela emissão de alvará de licença ou admissão de comunicação prévia de loteamento e obras de urbanização

Leia mais

PARCERIA ESTRATÉGICA LICENCIAMENTO DA ACTIVIDADE INDUSTRIAL. Industria do Vinho. Julho 2008

PARCERIA ESTRATÉGICA LICENCIAMENTO DA ACTIVIDADE INDUSTRIAL. Industria do Vinho. Julho 2008 PARCERIA ESTRATÉGICA LICENCIAMENTO DA ACTIVIDADE INDUSTRIAL Industria do Vinho Procedimentos no âmbito de: Normas Disciplinadoras do Exercício da Actividade Industrial - Dec. Lei 69/2003, de 10 Abril,

Leia mais

Instrumentos de simplificação administrativa no RJUE

Instrumentos de simplificação administrativa no RJUE Instrumentos de simplificação administrativa no RJUE A revisão do regime jurídico da urbanização e da edificação Instituto de Ciências Jurídico Políticas da Faculdade de Direito de Lisboa 3 de outubro

Leia mais

PLANO DIRECTOR MUNICIPAL DE BENAVENTE - PRIMEIRA REVISÃO - RELATÓRIO 5 COMPROMISSOS URBANÍSTICOS MAIO 2014

PLANO DIRECTOR MUNICIPAL DE BENAVENTE - PRIMEIRA REVISÃO - RELATÓRIO 5 COMPROMISSOS URBANÍSTICOS MAIO 2014 PLANO DIRECTOR MUNICIPAL DE BENAVENTE - PRIMEIRA REVISÃO - MAIO 2014 COMPROMISSOS URBANÍSTICOS Os trabalhos para a elaboração do processo de revisão do Plano Director Municipal de Benavente decorreram

Leia mais

TAXAS MUNICIPAIS MUNICÍPIO DE MONFORTE

TAXAS MUNICIPAIS MUNICÍPIO DE MONFORTE TAXAS MUNICIPAIS APLICAÇÃO DA LEI E / 006 DE 9 DE DEZEMBRO TABELAS DE APURAMENTO DOS CUSTOS ADMINISTRATIVOS DAS TAXAS URBANÍSTICAS Artigo 1º Apresentação do requerimento de operação de loteamento 1 A taxa

Leia mais

Empreendimentos Turísticos

Empreendimentos Turísticos Empreendimentos Turísticos Procedimentos associados ao processo de licenciamento Os conceitos e os requisitos mínimos de instalação e funcionamento dos vários grupos e categorias de cada um destes tipos

Leia mais

Requerimento. sujeitas a licenciamento

Requerimento. sujeitas a licenciamento Requerimento Comunicação Prévia para alterações ao projecto Licenciado ou com Admissão de Comunicação Prévia durante a execução da obra Alterações que se fossem obra nova estariam sujeitas a licenciamento

Leia mais

Termos de Referência. 4. Enquadramento nos Instrumentos de Gestão Territorial. Página 1 de 5

Termos de Referência. 4. Enquadramento nos Instrumentos de Gestão Territorial. Página 1 de 5 Termos de Referência 1. Oportunidade da elaboração do Plano de Pormenor do Parque Empresarial para Novas Estratégias de Localização do Investimento O Plano Director Municipal de Penela, em processo de

Leia mais

O Papel das Câmaras Municipais no Licenciamento das Explorações Leiteiras. O caso da Câmara Municipal da Trofa

O Papel das Câmaras Municipais no Licenciamento das Explorações Leiteiras. O caso da Câmara Municipal da Trofa O Papel das Câmaras Municipais no Licenciamento das Explorações Leiteiras O caso da Câmara Municipal da Trofa Diagnóstico das Explorações Bovinas no Concelho da Trofa Trofa - Representatividade das explorações

Leia mais

PREÂMBULO. Nota justificativa

PREÂMBULO. Nota justificativa PREÂMBULO O texto do foi submetido a apreciação pública, durante 30 dias úteis, tendo sido publicado para o efeito no Edital n.º 124/2002, de 23 de maio, em jornal local, regional e nacional, bem como

Leia mais

MUNICÍPIO DE CABECEIRAS DE BASTO

MUNICÍPIO DE CABECEIRAS DE BASTO Capitulo I Assuntos Administrativos 2009 1. Averbamentos: a) Em procedimento de licenciamento ou autorização de operações urbanísticas 48,21 b) Estabelecimentos de restauração e bebidas 40,00 c) Estabelecimentos

Leia mais

A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte:

A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Lei n.º 60/2007 - de 4 de Setembro Procede à sexta alteração do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, que estabelece o regime jurídico da urbanização e da edificação. A Assembleia da República decreta,

Leia mais

COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO

COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO Documentos instrutórios (preenchimento obrigatório) Pág. 0. Requerimento... a Acompanhado de cópia do documento de identificação do requerente 1. Documento comprovativo

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE EDIFICAÇÃO

REGULAMENTO MUNICIPAL DE EDIFICAÇÃO REGULAMENTO MUNICIPAL DE EDIFICAÇÃO Com o presente Regulamento, elaborado no exercício de poder regulamentar próprio conferido pelo artº 3º, n.º 1 do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, visa-se

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO, EDIFICAÇÃO E TAXAS DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS

REGULAMENTO MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO, EDIFICAÇÃO E TAXAS DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA REGULAMENTO MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO, EDIFICAÇÃO E TAXAS DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS 1 25 Regulamento Municipal de Urbanização, Edificação e Taxas de Operações Urbanísticas Nota

Leia mais

1 de 6 11-06-2009 19:23 Portaria n.º 216-E/2008, de 3 de Março Enuncia todos os elementos que devem instruir os pedidos de emissão dos alvarás de licença ou autorização de utilização das diversas operações

Leia mais

OBRAS PARTICULARES (OBP)

OBRAS PARTICULARES (OBP) CÓDIGO DESCRIÇÃO/DESIGNAÇÃO DA PRESTAÇÃO TRIBUTÁVEL U N. O C. TAXA EM VIGOR 2016 OBRAS PARTICULARES (OBP) QUADRO 1 (Q1) Licenciamento de operações de loteamento Informação prévia, licenciamento e comunicação

Leia mais

ELEMENTOS INSTRUTÓRIOS DOS PROCEDIMENTOS PREVISTOS NO REGIME JURÍDICO DA URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO

ELEMENTOS INSTRUTÓRIOS DOS PROCEDIMENTOS PREVISTOS NO REGIME JURÍDICO DA URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO ELEMENTOS INSTRUTÓRIOS DOS PROCEDIMENTOS PREVISTOS NO REGIME JURÍDICO DA URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO Aprovado pela Portaria n.º 113/2015, de 22 de abril. Entrada em vigor: produz efeitos no dia 23-04-2015.

Leia mais

JOSÉ AGOSTINHO RIBAU ESTEVES, PRESIDENTE DA CÂMARA

JOSÉ AGOSTINHO RIBAU ESTEVES, PRESIDENTE DA CÂMARA CÂMARA MUNICIPAL DE AVEIRO EDITAL N. 155 /2015 JOSÉ AGOSTINHO RIBAU ESTEVES, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE AVEIRO: Faz público, ao abrigo da competência que lhe confere a alínea t) do n. 1 do artigo

Leia mais

Diploma. Estabelece o regime jurídico da urbanização e edificação

Diploma. Estabelece o regime jurídico da urbanização e edificação Diploma Estabelece o regime jurídico da urbanização e edificação A revisão dos regimes jurídicos do licenciamento municipal de loteamentos urbanos e obras de urbanização e de obras particulares constitui

Leia mais

8912 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o

8912 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 8912 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 291 16-12-1999 MINISTÉRIO DO EQUIPAMENTO, DO PLANEAMENTO E DA ADMINISTRAÇÃO DO TERRITÓRIO Decreto-Lei n. o 555/99 de 16 de Dezembro A revisão dos regimes jurídicos

Leia mais

Habitação, Construção e Obras Públicas. Anexo nº 2 - Sistema Conceptual completo

Habitação, Construção e Obras Públicas. Anexo nº 2 - Sistema Conceptual completo Bens e serviços imobiliários Alojamento Alojamento colectivo Alojamento de convivência Estabelecimento hoteleiro e similar Alojamento familiar Alojamento familiar clássico Alojamento sobrelotado Alojamento

Leia mais

Decreto-Lei n.º140/2009, de 15 de Junho

Decreto-Lei n.º140/2009, de 15 de Junho Decreto-Lei n.º140/2009, de 15 de Junho 1. Que intervenções ou obras estão sujeitos à obrigatoriedade de elaboração de relatórios? O presente diploma abrange os bens culturais móveis e imóveis, assim como

Leia mais

TABELA GERAL DE TAXAS MUNICIPAIS ANEXO I

TABELA GERAL DE TAXAS MUNICIPAIS ANEXO I TABELA GERAL DE TAXAS MUNICIPAIS ANEXO I Código Descrição Taxas Valor Resultante Base RGTM TITULO I TAXAS EM GERAL CAPITULO I Taxas pela apreciação de pedidos 1 1.1 1.2 1.3 1.4 1.5 1.6 1.7 1.7.1 1.7.2

Leia mais

ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO DO PLANO DE PORMENOR DE PÊRO GIL

ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO DO PLANO DE PORMENOR DE PÊRO GIL ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO DO PLANO DE PORMENOR DE PÊRO GIL De acordo com as alterações introduzidas aos demais elementos do Plano Pormenor de Pêro Gil, determinadas pelo ponto 4 dos termos de referência

Leia mais

Alteração ao Regime Jurídico dos Empreendimentos Turísticos. Decreto-Lei nº 15/2014, de 23 de janeiro

Alteração ao Regime Jurídico dos Empreendimentos Turísticos. Decreto-Lei nº 15/2014, de 23 de janeiro Alteração ao Regime Jurídico dos Empreendimentos Turísticos Decreto-Lei nº 15/2014, de 23 de janeiro OBJETIVOS Eficiência Simplificação Redução de custos de contexto Liberalização de procedimentos Principais

Leia mais

REGIME JURÍDICO DA URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO

REGIME JURÍDICO DA URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO REGIME JURÍDICO DA URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO APROVADO PELO DECRETO-LEI N.º 555/99, DE 16 DE DEZEMBRO ALTERADO/A PELOS SEGUINTES DIPLOMAS: - LEI N.º 13/2000, DE 20 DE JULHO; - DECRETO-LEI N.º 177/2001, DE

Leia mais

Oper e a r çõ ç e õ s e s U r U baníst s i t ca c s s e e Lo L t o e t a e men e t n o t s o s a o o Abrigo g o d o o RJUE U E Rui Resende

Oper e a r çõ ç e õ s e s U r U baníst s i t ca c s s e e Lo L t o e t a e men e t n o t s o s a o o Abrigo g o d o o RJUE U E Rui Resende Operações Urbanísticas e Loteamentos ao Abrigo do RJUE Rui Resende Tradicionalmente Operação de divisão ou fraccionamento fundiário: divisão de prédios para efeitos de construção. Noção de loteamento

Leia mais

Plano Diretor Municipal do concelho de Manteigas

Plano Diretor Municipal do concelho de Manteigas Proposta de Revisão do Plano Diretor Municipal do concelho de Relatório de Identificação dos Compromissos Urbanísticos Novembro de 2014 Relatório com Identificação dos Compromissos Urbanísticos na Área

Leia mais

NORMAS PARA OPERACIONALIZAÇÃO DAS ISENÇÕES E / OU REDUÇÕES DE TAXAS E BENEFICIOS FISCAIS

NORMAS PARA OPERACIONALIZAÇÃO DAS ISENÇÕES E / OU REDUÇÕES DE TAXAS E BENEFICIOS FISCAIS ANEXO III NORMAS PARA OPERACIONALIZAÇÃO DAS ISENÇÕES E / OU REDUÇÕES DE TAXAS E BENEFICIOS FISCAIS No âmbito da estratégia de reabilitação urbana serão concedidos os seguintes apoios: 1. TAXAS MUNICIPAIS

Leia mais

Projecto de alteração ao Regulamento Municipal de Taxas Relacionadas com a Actividade Urbanística e Operações Conexas. Preâmbulo/Nota Justificativa

Projecto de alteração ao Regulamento Municipal de Taxas Relacionadas com a Actividade Urbanística e Operações Conexas. Preâmbulo/Nota Justificativa Projecto de alteração ao Regulamento Municipal de Taxas Relacionadas com a Actividade Urbanística e Operações Conexas Preâmbulo/Nota Justificativa O Regulamento Municipal de Taxas Relacionadas com a Actividade

Leia mais

PLANEAMENTO e GESTÃO da CONSTRUÇÃO

PLANEAMENTO e GESTÃO da CONSTRUÇÃO Instituto Superior Técnico MESTRADO em CONSTRUÇÃO e REABILITAÇÃO 2013/2014 PLANEAMENTO e GESTÃO da CONSTRUÇÃO Pedro Gameiro Henriques pgameiro@civil.ist.utl.pt ENQUADRAMENTO LEGAL Livro de obra e responsabilidades

Leia mais

qualidade de: Proprietário Mandatário Usufrutuário Superficiário Promitente Outro (especificar)

qualidade de: Proprietário Mandatário Usufrutuário Superficiário Promitente Outro (especificar) 1/12 REQUERIMENTO PARA: LICENCIAMENTO DE OUTRAS OBRAS NO ÂMBITO DA EDIFICAÇÃO APRESENTAÇÃO DE COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OUTRAS OBRAS NO ÂMBITO DA EDIFICAÇÃO Despacho: Espaço reservado aos serviços Nº Reg.

Leia mais

até 5 lotes para fins habitacionais e ou 21,59 + 2,70 p/lote + 2,70 p/fogo 149,67 serviços e comércio: 60,79; restantes loteamentos: 157,20

até 5 lotes para fins habitacionais e ou 21,59 + 2,70 p/lote + 2,70 p/fogo 149,67 serviços e comércio: 60,79; restantes loteamentos: 157,20 URBANISMO Amarante Baião Felgueiras Gondomar Lousada Maia Marco de Canaveses Matosinhos Paços de Ferreira Paredes Penafiel Porto Póvoa de Varzim Santo Tirso Trofa Valongo Vila do Conde Vila Nova de Gaia

Leia mais

Ex.mo(a) Sr.(a) Presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira

Ex.mo(a) Sr.(a) Presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira Requerimento n.º Processo de Obras n.º (quadro a preencher pelos serviços) (n.º 4 do artigo 4º do D.L.555/99 de 16 de Dezembro) Ex.mo(a) Sr.(a) Presidente da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira Identificação

Leia mais

MUNICÍPIO DE MONTALEGRE CÂMARA MUNICIPAL NIPC

MUNICÍPIO DE MONTALEGRE CÂMARA MUNICIPAL NIPC EDITAL N 56 /2017/DAGF Manuel Orlando Fernandes Alves, Presidente da Câmara Municipal de Montalegre, torna público que no dia 23 de outubro do ano em curso exarou despacho consubstanciado na delegação

Leia mais

MUNICÍPIO DE MONTALEGRE CÂMARA MUNICIPAL NIPC

MUNICÍPIO DE MONTALEGRE CÂMARA MUNICIPAL NIPC EDITAL N 56 /2017/DAGF Manuel Orlando Fernandes Alves, Presidente da Câmara Municipal de Montalegre, torna público que no dia 23 de outubro do ano em curso exarou despacho consubstanciado na delegação

Leia mais

UNIDADE DE EXECUÇÃO DE S. BARTOLOMEU. Proposta de Delimitação e Fundamentação. 1. Introdução. Fundamentação

UNIDADE DE EXECUÇÃO DE S. BARTOLOMEU. Proposta de Delimitação e Fundamentação. 1. Introdução. Fundamentação UNIDADE DE EXECUÇÃO DE S. BARTOLOMEU Proposta de Delimitação e Fundamentação 1. Introdução Fundamentação Com a revisão efetuada ao Plano Diretor Municipal de Proença a Nova, cuja aprovação foi publicada

Leia mais

Acta n.º

Acta n.º LEGALIZAÇÃO DE VACARIA - Presente o processo de legalização de vacaria, no lugar de Giestinha, freguesia de Friande, em nome de Joaquim Nogueira Teixeira, residente no mesmo lugar. A Assessoria Jurídica

Leia mais

Regulamento Municipal de Toponímia e Numeração de Polícia do Concelho de Leiria

Regulamento Municipal de Toponímia e Numeração de Polícia do Concelho de Leiria 1 Regulamento Municipal de Toponímia e Numeração de Polícia do Concelho de Leiria Preâmbulo Para além do seu significado e importância como elemento de identificação, orientação, comunicação e localização

Leia mais

LEGISLAÇÃO APLICÁVEL À EDIFICAÇÃO E URBANIZAÇÃO CÓDIGO CIVIL. Lei n.º 150/2015, de 10 de Setembro ACESSIBILIDADES

LEGISLAÇÃO APLICÁVEL À EDIFICAÇÃO E URBANIZAÇÃO CÓDIGO CIVIL. Lei n.º 150/2015, de 10 de Setembro ACESSIBILIDADES LEGISLAÇÃO APLICÁVEL À EDIFICAÇÃO E URBANIZAÇÃO CÓDIGO CIVIL Lei n.º 150/2015, de 10 de Setembro Altera o Código Civil, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 47 344, de 25 de Novembro de 1966, e procede à primeira

Leia mais

Tem como objetivo a defesa e a promoção dos interesses dos empresários, nas áreas da Restauração, Bebidas e Hotelaria;

Tem como objetivo a defesa e a promoção dos interesses dos empresários, nas áreas da Restauração, Bebidas e Hotelaria; Maior associação do setor no Algarve; Fundada em 1971; Tem como objetivo a defesa e a promoção dos interesses dos empresários, nas áreas da Restauração, Bebidas e Hotelaria; Disponibiliza ao associado:

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO

REGULAMENTO MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO REGULAMENTO MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA A Lei nº 60/2007, de 4 de Setembro, procedeu à sexta alteração ao Decreto-Lei nº 555/99, de 16 de Dezembro, o qual estabelece o Regime

Leia mais

LEGISLAÇÃO DE CONSTRUÇÃO CIVIL. Principais conceitos (revisão 5) 2008 / Março - José Amorim Faria

LEGISLAÇÃO DE CONSTRUÇÃO CIVIL. Principais conceitos (revisão 5) 2008 / Março - José Amorim Faria LEGISLAÇÃO DE CONSTRUÇÃO CIVIL Principais conceitos (revisão 5) 2008 / Março - José Amorim Faria 1 LEGISLAÇÃO DE CONSTRUÇÃO CIVIL Principais conceitos ÍNDICE : 1. Legislação fundamental Lista resumida

Leia mais

Segurança Contra Incêndio em Edifícios Dificuldades Frequentes dos Projectistas na Aplicação do RJSCIE

Segurança Contra Incêndio em Edifícios Dificuldades Frequentes dos Projectistas na Aplicação do RJSCIE Segurança Contra Incêndio em Edifícios Dificuldades Frequentes dos Projectistas na Aplicação do RJSCIE Ordem dos Engenheiros, 21 de Novembro de 2011 Mário Grilo DECRETO LEI nº 220/2008, de 12 de Novembro

Leia mais

PEDIDO DE LICENCIAMENTO DE ALTERAÇÃO DE LICENÇA/AUTORIZAÇÃO DE LOTEAMENTO

PEDIDO DE LICENCIAMENTO DE ALTERAÇÃO DE LICENÇA/AUTORIZAÇÃO DE LOTEAMENTO Registo de entrada RESERVADO AOS SERVIÇOS PEDIDO DE LICENCIAMENTO DE ALTERAÇÃO DE LICENÇA/AUTORIZAÇÃO DE LOTEAMENTO ( Art.º27º e Art.º 33º do D.L. 555/99 de 16 de Dezembro, com a redacção conferida pelo

Leia mais

Pagamento da taxa através da guia n.º de / /

Pagamento da taxa através da guia n.º de / / Registo de Entrada N.º Proc.º Em / / Funcionário: Informação - Prosseguir seus termos Em / / A Responsável da U.O.F.U.O.S.U. Despacho - Prosseguir seus termos Em / / O Vereador do Pelouro Exm.º Senhor:

Leia mais

MUNICÍPIO DE BEJA. Mapa VII - Calculo das Taxas. A) Taxas Gerais

MUNICÍPIO DE BEJA. Mapa VII - Calculo das Taxas. A) Taxas Gerais A) Taxas Gerais Para o apuramento do valor final das taxas procedeu-se à conversão dos custos em valores por minuto e a sua multiplicação pelo número de minutos dispendidos na execução de cada acto. O

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DA TAXA PELA REALIZAÇÃO E REFORÇO DE INFRA-ESTRUTURAS URBANÍSTICAS. Preâmbulo

REGULAMENTO MUNICIPAL DA TAXA PELA REALIZAÇÃO E REFORÇO DE INFRA-ESTRUTURAS URBANÍSTICAS. Preâmbulo REGULAMENTO MUNICIPAL DA TAXA PELA REALIZAÇÃO E REFORÇO DE INFRA-ESTRUTURAS URBANÍSTICAS Preâmbulo O texto do Regulamento Municipal das Taxas pela Realização e Reforços de Infra-Estruturas Urbanísticas

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO

MINISTÉRIO DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO N. o 152 4 de Julho de 2000 DIÁRIO DA REPÚBLICA ISÉRIE-A 2893 Artigo 2. o Celebração de contratos a termo certo Aos novos contratos de trabalho a termo certo a celebrar pelo Serviço de Prevenção e Tratamento

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO, EDIFICAÇÃO E TAXAS POR OPERAÇÕES URBANÍSTICAS Projecto de Alteração PREÂMBULO

REGULAMENTO MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO, EDIFICAÇÃO E TAXAS POR OPERAÇÕES URBANÍSTICAS Projecto de Alteração PREÂMBULO REGULAMENTO MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO, EDIFICAÇÃO E TAXAS POR OPERAÇÕES URBANÍSTICAS Projecto de Alteração PREÂMBULO A entrada em vigor do Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, (com a versão que lhe

Leia mais

Tabela de Taxas SECÇÃO I TAXAS GERAIS. Artigo 1.º Prestação de serviços administrativos

Tabela de Taxas SECÇÃO I TAXAS GERAIS. Artigo 1.º Prestação de serviços administrativos SECÇÃO I TAXAS GERAIS Artigo 1.º Prestação de serviços administrativos Averbamentos, em procedimento de licença ou comunicação prévia, por cada 32.54 Emissão de certidão da aprovação de edifício em regime

Leia mais

Processo N.º / / CML REQUERENTE

Processo N.º / / CML REQUERENTE Espaço reservado aos serviços do Município EXMO. SENHOR PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE LAMEGO PROJECTOS DE ESPECIALIDADES Processo N.º / / CML REQUERENTE Nome Morada Freguesia N.º Identificação Fiscal

Leia mais

REQUERIMENTO PARA: COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OUTRAS OPERAÇÕES URBANÍSTICAS. Despacho: Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra.

REQUERIMENTO PARA: COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OUTRAS OPERAÇÕES URBANÍSTICAS. Despacho: Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra. 1/8 REQUERIMENTO PARA: Despacho: Espaço reservado aos serviços COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OUTRAS OPERAÇÕES URBANÍSTICAS Nº Reg. DUR Data: / / Nº Guia: Valor: Rubrica: Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal

Leia mais

Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo

Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo Elementos instrutórios do pedido Elementos comuns aos procedimentos de controlo prévio (Comunicação Prévia), nos termos da Portaria n.º 113/2015, de

Leia mais

6,70 NS 5,36 1,34 6,70 0,00 1,00 6,70 11,20 NS 8,96 2,24 11,20 0,00 1,00 11,20 16,30 NS 13,04 3,26 16,30 0,00 1,00 16,30

6,70 NS 5,36 1,34 6,70 0,00 1,00 6,70 11,20 NS 8,96 2,24 11,20 0,00 1,00 11,20 16,30 NS 13,04 3,26 16,30 0,00 1,00 16,30 CAPÍTULO I ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS Artigo 1.º - PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS 1. Alvarás não especialmente contemplados na presente tabela, exceto os de nomeação ou de exoneração nos termos do art. 62º da Lei

Leia mais

LICENCIAMENTO DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO APRESENTAÇÃO DE COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO

LICENCIAMENTO DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO APRESENTAÇÃO DE COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO 1/11 REQUERIMENTO PARA: Despacho: Espaço reservado aos serviços LICENCIAMENTO DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO APRESENTAÇÃO DE COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO Nº Reg. DUR Data: / / Nº Guia: Valor: Rubrica:

Leia mais

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica Despacho: Despacho: Despacho: Concordo. Remeta-se a presente Informação ao Sr. Director do DMGUF, Arq.º Aníbal Caldas. Cristina Guimarães Chefe da Divisão de Estudos e Assessoria Jurídica 2010.04.05 N.º

Leia mais

Decreto n.º 80/06, de 30 de Outubro

Decreto n.º 80/06, de 30 de Outubro Decreto n.º 80/06, de 30 de Outubro Página 1 de 51 Convindo regular de forma unitária o regime procedimental de realização das operações urbanísticas de loteamentos, obras de urbanização e obras de construção;

Leia mais

Câmara Municipal MUNICÍPIO DE MATOSINHOS

Câmara Municipal MUNICÍPIO DE MATOSINHOS MUNICÍPIO DE MATOSINHOS Câmara Municipal PLANO DE PORMENOR PARA O TERRENO ENTRE A AV. DOS COMBATENTES DA GRANDE GUERRA E A RUA NOGUEIRA PINTO - LEÇA DA PALMEIRA R E G U L A M E N TO NOGUEIRA PINTO LEÇA

Leia mais

Nota Introdutória. Artigo 1.º Instrução dos Pedidos de Emissão de Certidão de Destaque

Nota Introdutória. Artigo 1.º Instrução dos Pedidos de Emissão de Certidão de Destaque NORMAS PARA INSTRUÇÃO DE PEDIDOS PARA A Nota Introdutória Os elementos instrutórios dos procedimentos previstos no Regime Jurídico da Urbanização e Edificação (RJUE) estão definidos na Portaria nº 113/2015,

Leia mais

Direito do Urbanismo e da Construção

Direito do Urbanismo e da Construção Direito do Urbanismo e da Construção Programa O ordenamento do território e as alterações climáticas Conferência inaugural do curso sobre O ordenamento do território e as alterações climáticas (Auditório

Leia mais

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica Despacho: Despacho: Despacho: N/Ref.ª: I//12/CMP S/Ref.: /05/CMP Porto, Autor: Paula Melo Assunto: Legitimidade procedimental num pedido de alteração de utilização de determinada fracção autónoma (artigo

Leia mais

O ARQUITECTO NA ADMINISTRAÇÃO LOCAL PATRÍCIA GONÇALVES COSTA

O ARQUITECTO NA ADMINISTRAÇÃO LOCAL PATRÍCIA GONÇALVES COSTA O ARQUITECTO NA ADMINISTRAÇÃO LOCAL PATRÍCIA GONÇALVES COSTA O ARQUITECTO NA ADMINISTRAÇÃO LOCAL PATRÍCIA GONÇALVES COSTA Ordem dos Arquitectos, Conselho Diretivo Nacional 1. ESTATUTO DA ORDEM DOS ARQUITECTOS

Leia mais

Correspondência entre articulados: CPA'15/CPA'91. Disposições gerais PARTE I. Princípios gerais da atividade administrativa CAPÍTULO II

Correspondência entre articulados: CPA'15/CPA'91. Disposições gerais PARTE I. Princípios gerais da atividade administrativa CAPÍTULO II Disposições gerais PARTE I Disposições preliminares CAPÍTULO I Definições Artigo 1.º Âmbito de aplicação Artigo 2.º Princípios gerais da atividade administrativa CAPÍTULO II Princípio da legalidade Artigo

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA POSTO DE ABASTECIMENTO DE A CANDIDATURA A PROMOTOR DA ÁREA RESIDENCIAL DE CAMAMA PRODUTOS PETROLÍFEROS

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA POSTO DE ABASTECIMENTO DE A CANDIDATURA A PROMOTOR DA ÁREA RESIDENCIAL DE CAMAMA PRODUTOS PETROLÍFEROS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA A CANDIDATURA A PROMOTOR DA ÁREA RESIDENCIAL DE CAMAMA POSTO DE ABASTECIMENTO DE PRODUTOS PETROLÍFEROS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA A CANDIDATURA A PROMOTOR DA ÁREA RESIDENCIAL

Leia mais

Licenciamento de Obras de Edificação Alterações ao projecto licenciado durante a execução da obra que envolvam alterações da implantação ou ampliação

Licenciamento de Obras de Edificação Alterações ao projecto licenciado durante a execução da obra que envolvam alterações da implantação ou ampliação Requerimento Licenciamento de Obras de Edificação Alterações ao projecto licenciado durante a execução da obra que envolvam alterações da implantação ou ampliação Ex.mo Senhor Presidente da Câmara Municipal

Leia mais

4 QUADRO DOS BENEFÍCIOS FISCAIS/INCENTIVOS ASSOCIADOS À REABILITAÇÃO URBANA

4 QUADRO DOS BENEFÍCIOS FISCAIS/INCENTIVOS ASSOCIADOS À REABILITAÇÃO URBANA 4 QUADRO DOS BENEFÍCIOS FISCAIS/INCENTIVOS ASSOCIADOS À REABILITAÇÃO URBANA Na delimitação de área de reabilitação urbana, nos termos da alínea c) do n.º2 do artigo 13º e da alínea a) do artigo 14º do

Leia mais

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA

PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA Registo de entrada RE SERVADO AOS SERVIÇOS PEDIDO DE EMISSÃO DE ALVARÁ DE AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE FRACÇÃO AUTÓNOMA (Art.º 63 do D.L. 555/99 de 16 de Dezembro, com a redacção conferida pelo D.L. 177/2001

Leia mais

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica

Departamento Municipal Jurídico e de Contencioso Divisão Municipal de Estudos e Assessoria Jurídica Despacho: Despacho: Despacho: Concordo. Envie-se a presente informação à Senhora Chefe da Divisão Municipal de Gestão de Procedimentos, Arq. Lara Salgado. Anabela Moutinho Monteiro Chefe da Divisão de

Leia mais

NORMA TÉCNICA ELEMENTOS PARA A INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LEGALIZAÇÃO

NORMA TÉCNICA ELEMENTOS PARA A INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LEGALIZAÇÃO NORMA TÉCNICA ELEMENTOS PARA A INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LEGALIZAÇÃO Já conhece as regras de instrução de processos em formato digital? Consulte toda a informação em www.gaiurb.pt/nopaper. Desde o dia 1 de

Leia mais