ESCOLA DE FUTEBOL DO CLUBE CONCÓRDIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESCOLA DE FUTEBOL DO CLUBE CONCÓRDIA"

Transcrição

1 ESCOLA DE FUTEBOL DO CLUBE CONCÓRDIA REGULAMENTO INTERNO REGULAMENTO INTERNO DA ESCOLA DE FUTEBOL DO CLUBE CONCÓRDIA 1. INTRODUÇÃO Serve este Regulamento Interno como instrumento de orientação definindo o regime de funcionamento da Escola de Futebol do Clube Concórdia no seu conjunto de cada um dos seus elementos, das relações que entre eles se estabelecem sendo também o documento que define os direitos e deveres de cada um dos intervenientes da Escola de Futebol do Clube Concórdia. Aplica-se a todos os elementos da Escola a partir do momento em que esta se inicia. - Pretende-se assim através deste Regulamento Interno ter um documento que oriente a ação de todos os intervenientes da Escola, ficando aberta a possibilidade de ajustamentos futuros, pois a operacionabilidade de qualquer regulamento deve ser confirmada pela prática. 2. IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLA - A Escola de Futebol do Clube Concórdia segue as diretrizes do estatuto do Clube Concórdia. SIMBOLO DA ESCOLA - A Escola de Futebol do Clube Concórdia segue o brasão oficial do clube e suas cores. 3. INSTALAÇÕES A Escola de Futebol do Clube Concórdia desenvolve a sua atividade no Complexo Desportivo do Clube, situado na Rodovia Heitor Penteado Km 6 Caixa Postal 0877 CEP: Campinas / S.P, usufruindo um campo de futebol oficial, quadra coberta (Ginásio Poliesportivo), campo soçaite de grama, campo soçaite de areia, duas quadras descobertas, vestiários e banheiros. UTILIZAÇÃO DOS ESPAÇOS - O acesso aos campos e quadras é condicionado aos tempos efetivos de treino (horário do treino), contudo aconselha-se a chegada ao recinto com a antecedência necessária. - Os praticantes só entram no campo de futebol após a presença do Prof./Tr. pelo treino, devendo aguardar a sua chegada, de forma disciplinada.

2 4. REGIME DE FUNCIONAMENTO DA ESCOLA, TEMPORADA, TREINOS E HORÁRIOS. - A Escola de Futebol do Clube Concórdia tem sua atividade (treinos) o ano todo, guardando um mês de férias (30 dias corridos) que sempre acontecera no final de dezembro e inicio de janeiro. - Nos feriados e pontes a escola não desenvolve as suas atividades sendo comunicado antecipadamente. Dia, horário e espaço dos treinos (previstos). 2ª feira 19:00 as 21:50hs Campo Gramado Oficial 3ª feira 19:00 as 21:50hs Futsal Quadra Coberta do Ginásio Poliesportivo 4ª feira 19:00 as 21:50hs Campo Soçaite ou Quadra Coberta do Ginásio Poliesportivo em caso de Chuva e Frio 5ª feira 19:00 as 21:50hs Futsal Quadra Coberta do Ginásio Poliesportivo Sábado 8:00 as 12:00hs Campo Gramado Oficial e Campo Soçaite Se por razões de força maior, os Prof./Tr. se virem impossibilitados de comparecer no treino à hora definida, a escola providenciará para que seja informado os praticantes e/ou os pais dos praticantes com a devida antecedência. - Qualquer atraso do praticante deverá ser sempre justificado ao seu Prof./Tr. - Qualquer atraso ou falta do Prof./Tr. deverá ser sempre justificado por escrito ao seu superior e este repassar ao departamento de esporte do Clube. CUSTO SEMESTRAL DA ESCOLA DE FUTEBOL - Será cobrada taxa semestral dos alunos, para a manutenção dos equipamentos, que devera ser paga como forma de matricula, diretamente a comissão organizadora. 5. ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DESTINATÁRIOS - A Escola de Futebol do Clube Concórdia destina-se a todos os jovens do sexo masculino e feminino com idades compreendidas entre os 5 e os 16 anos, divididos tecnicamente pelos professores responsáveis.

3 RESPONSAVEIS PELA ESCOLA DE FUTEBOL DO CLUBE CONCORDIA - A Escola de Futebol do Clube Concórdia e de responsabilidade da Diretoria atual do Clube. - Para sua organização e melhor desempenho é formado uma Comissão de pais, sempre por sócios com filhos(as) matriculados na Escola de Futebol. Esta comissão é formada através de indicação e pais que desejam ajudar, sendo necessária sempre sua renovação, ficando então aberto à mudança dos integrantes. A Comissão dos Pais é constituída da seguinte maneira: - Presidente, Vice Presidente, Secretario, 2º Secretario, Tesoureiro, 2º Tesoureiro e Conselheiros. 6. ELEMENTOS DA ESCOLA DISPOSIÇÕES COMUNS - Todos os elementos da Escola de Futebol do Clube Concórdia devem: a) Promover entre si um bom convívio, de modo a que na escola se viva um clima de harmonia e sã camaradagem; b) Colaborar ativamente para que a ação educativa e formativa seja de todos; c) Ser assíduos e pontuais no cumprimento dos horários; d) Zelar pela conservação do material de treino, do campo de futebol, das quadras, bem como de todo o que é propriedade do Clube e da Escola e, portanto, do interesse comum; e) Respeitar as regras de higiene quando permanecerem ou circularem nos espaços desportivos; f) Adotar atitudes e comportamentos dignos dentro do recinto desportivo; g) Proceder com correção para com todos os elementos da escola; h) Cumprir e zelar pelo cumprimento do regulamento interno; i) O clube não é responsável por objetos deixados nos seus recintos. Trazer somente o necessário.

4 7. PRATICANTES - Á inscrição do praticante na Escola de Futebol do Clube Concórdia correspondem direitos e deveres: DIREITOS DO PRATICANTE a) Usufruir de um ensino e de um treino de qualidade de forma a proporcionar a realização de aprendizagens bem sucedidas; b) Usufruir de um ambiente proporcionado pelo Prof./Tr. que permita condições ótimas para o seu desenvolvimento físico, técnico, táctico, psicológico, intelectual, moral, cultural e cívico, como também para a formação da sua personalidade; c) Ver reconhecido e valorizado o mérito, a dedicação, o esforço no treino e ser estimulado nesse sentido; d) Ser assistido de forma pronta e adequada em caso de lesão manifestada no decorrer dos treinos. Tratado com respeito e correção por qualquer elemento da escola; f) Ver salvaguardada a sua segurança na escola e respeitada a sua integridade. DEVERES DO PRATICANTE a) Ser assíduo e pontual. Em relação à assiduidade, existirá um mapa de presenças aos treinos que será fundamental para possíveis escolhas dos praticantes em outras atividades da escola (convívios desportivos, intercâmbios escolares, campos de férias, etc.); b) Seguir as orientações do Prof./Tr. relativas ao seu processo de treino (ensino aprendizagem); c) Tratar com respeito e correção qualquer elemento da escola; d) Ser leal para com o seu Prof./Tr. e colegas; e) Respeitar as instruções do Prof./Tr. e outros elementos da escola; f) Respeitar as decisões e atitudes dos árbitros, adversários e de qualquer outro elemento presente no treino e/ou jogo; g) Contribuir para a harmonia da convivência no seio da escola; h) Respeitar a integridade física e moral de todos os elementos da escola;

5 i) Zelar pela preservação, conservação e asseio das instalações bem como do material de treino fazendo uso correto dos mesmos; j) Respeitar a propriedade dos bens de todos os elementos da escola; k) Conhecer as normas de funcionamento da secretaria e do regulamento interno cumprindo-as integralmente; l) Fazer-se acompanhar sempre do seguinte material: Uniforme de treino composto por camisa, calção, meias, caneleira, chuteira adequada a modalidade e mochila. Nos dias de frio não esquecer do agasalho m) Respeitar os prazos estipulados pela escola para efetuar a inscrição e pagamento da semestralidade; n) Ser responsável por seus objetos deixados nos recintos de treinamento da escola e quando esquecidos ou perdidos, devem ser procurados com o professor ou algum membro da comissão de pais. n) Ser diariamente portador do documento de identidade. REGIME DE FALTAS - É através de uma prática desportiva regular e sistemática que podemos elevar a qualidade de trabalho dos nossos praticantes, num processo adequado de formação desportiva, provocando, assim, desenvolvimento nos domínios motor, cognitivo e sócio afetivo. Para que isso aconteça, é necessário e indispensável que o praticante seja responsável e assíduo. Assim sendo, a escola estabelecerá um limite de seis faltas por mês. O praticante, ultrapassando esse limite sem justificação, poderá ser excluído da escola, sendo a sua vaga ocupada por um praticante em lista de espera. DISCIPLINA (NORMAS DE CONDUTA) - A violação pelo praticante de alguns deveres previstos no regulamento interno em termos que se revelem perturbadores do funcionamento normal da escola (treinos/jogos), constitui infração disciplinar a qual pode levar à aplicação de medidas disciplinares (advertência, ordem de saída do treino/jogo, repreensão e suspensão da Escola de Futebol do Clube Concórdia). Sendo que, neste caso, não haverá direito ao retorno da semestralidade. - Atos indisciplinares serão julgados pela comissão de pais e quando necessário pela Diretoria do Clube.

6 8. REUNIÔES COM OS PAIS, RESPONSAVEIS, PROFESSORES E COMISSÃO. - Poderão estabelecer-se reuniões periódicas a nível geral/grupo, como também a nível individual. Ficará ao critério da comissão junto com professor/treinador o estabelecimento das datas propícias a essas mesmas reuniões e as suas formas de contato (pessoal, telefone, carta, ). - No final de cada semestre haverá uma reunião entre equipe técnica, praticantes e respectivos pais, para poderem realizar um balanço do trabalho até aí desenvolvido na escola de futebol, obterem informações do comportamento e aproveitamento do praticante e, assim, conseguirem estabelecer e planear todo o trabalho futuro. 9. INFORMAÇÕES - Os alunos não devem levar para os treinos/jogos, objetos de valor. Tudo o que for perdido ou estragado será da inteira responsabilidade dos pais/praticantes. - Em caso de lesão (acidente) a escola contata a família e, se for caso disso, levará o praticante para o local mais adequado (hospital, consultório médico/massagista). 10. CASOS OMISSOS - A Escola de Futebol do Clube Concórdia reserva-se ao direito de decidir os casos omissos, após auscultação dos intervenientes e com o bom senso adequado. 11. MATRICULA - A matricula na Escola de Futebol do Clube Concórdia será efetuada semestralmente mediante ao pagamento da taxa de manutenção, cujo o valor será informado a cada inicio da semestralidade. Deverá também haver o preenchimento completo da ficha de matricula e anexar atestado medico autorizando a freqüentar as aulas da escolar. 12. ANEXOS SEMESTRAIS - Anexo 01: Lista dos integrantes da Comissão de Pais e contato geral. - Anexo 02: Tabela com os dias da semana, horários, local de treino, modalidade. - Anexo 03: Lista dos integrantes da Comissão de Pais presentes durante as aulas. - Anexo 04: Lista geral dos alunos matriculados. - Anexo 05: Lista de chamada por turma. - Anexo 06: Calendário Semestral

7 ANEXO 01 / 2ºSEMESTRE / 2010: Lista dos integrantes da Comissão de Pais e contato geral. Contato geral através do Presidente: Wellington Luís Ifanger da Silva Telefone: Vice Presidente: Telefone: Secretário: Wanderlei Sartorelli Telefone: ºSecretário: Jaderson S. Carlos Telefone: Tesoureiro: Dagoberto Telefone: ºTesoureiro Telefone: Conselheiros: Luis Adamo Telefone: Conselheiros: Geraldo Telefone: Conselheiros: Roberto Horta de Lima Telefone: Conselheiros: Vanderlei Andrade Telefone: Conselheiros: Gustavo Henrique Scafi Telefone:

8 ANEXO 02 / 2ºSEMESTRE / 2010: Tabela com as categorias, os dias da semana, horários, local de treino. Categoria, dia da semana, horários, local de treino. (93/94) e (95/96) 2ª feira - 19h30 ás 21h50 campo oficial. (98/99/00/01/02/03/04) 3º feira - 19h00 ás 20h30 ginásio. (93/94/95/96/97) 3º feira - 20h30 ás 22h00 ginásio. (01/02/03/04) 4ª feira - 19h00 ás 20h15 soçaite (frio e chuva aula no ginásio). (97/98/99/00) 4ª feira - 20h15 ás 21h30 soçaite (frio e chuva aula no ginásio). (98/99/00/01/02/03/04) 5º feira - 19h00 ás 20h30 ginásio. (93/94/95/96/97) 5º feira - 20h30 ás 22h00 ginásio. (01/02/03/04) sábado 9h00 ás 10h00 soçaite. (97/98/99/00) sábado 10h00 ás 11h30 soçaite. (93/94/95/96) sábado 9h30 ás 12h00 campo oficial. ANEXO 03 / 2ºSEMESTRE / 2010: Lista dos integrantes da Comissão de Pais presentes durante as aulas. - Segunda: Gustavo e Wanderley. - Terça: Dagoberto e Geraldo. - Quarta: Jaderson. - Quinta: Wellington. - Sábado: Gustavo e Wanderley. - para contato:

Regulamento. Interno

Regulamento. Interno CENTRO CULTURAL DESPORTIVO DE SANTA EULÁLIA DEPARTAMENTO DE FUTEBOL DE FORMAÇÃO Regulamento Interno Época 2016-2017 1- INTRODUÇÃO Serve este Regulamento Interno como instrumento de orientação definindo

Leia mais

1. Princípios e Normas Gerais. As Escolas Academia AROUND THE FUTURE orientam-se pelos seguintes princípios gerais:

1. Princípios e Normas Gerais. As Escolas Academia AROUND THE FUTURE orientam-se pelos seguintes princípios gerais: Regulamento Interno Escolas I. INTRODUÇÃO O regulamento interno das Escolas Academia de Futebol AROUND THE FUTURE é o documento que define o seu regime de funcionamento bem como os direitos e os deveres

Leia mais

Normas do Programa Municipal de Férias e Tempos Livres para Crianças e Jovens do Concelho de Aljustrel

Normas do Programa Municipal de Férias e Tempos Livres para Crianças e Jovens do Concelho de Aljustrel MUNICÍPIO DE ALJUSTREL CÂMARA MUNICIPAL Normas do Programa Municipal de Férias e Tempos Livres para Crianças e Jovens do Concelho de Aljustrel 1- Definição a) O Programa Municipal de Férias e Tempos livres

Leia mais

REGULAMENTO DAS FÉRIAS DESPORTIVAS NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DAS FÉRIAS DESPORTIVAS NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO DAS FÉRIAS DESPORTIVAS NOTA JUSTIFICATIVA Considerando a necessidade de promover a ocupação saudável dos tempos livres dos jovens, durante os períodos de férias escolares e pausas pedagógicas;

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO ESCOLA DE MUSICA

REGULAMENTO INTERNO ESCOLA DE MUSICA REGULAMENTO INTERNO DA ESCOLA DE MUSICA Artigo 1º Objecto A Associação Cultural Musimax é uma Escola do Ensino Artístico Especializado em Música, e tem como principal objecto o ensino da música. Artigo

Leia mais

Regulamento Escola de Futebol os Melrinhos Época 2016/2017

Regulamento Escola de Futebol os Melrinhos Época 2016/2017 Artigo 1º (Entidade reguladora) A entidade reguladora da Escola de Futebol os Melrinhos é o departamento de futebol de formação do Melres Desporto e Cultura, que apresenta como principal objetivo ser autosustentável.

Leia mais

Regulamento Interno das Férias Desportivas do Estádio Universitário de Lisboa 2013

Regulamento Interno das Férias Desportivas do Estádio Universitário de Lisboa 2013 Regulamento Interno das Férias Desportivas do Estádio Universitário de Lisboa 2013 Regulamento Interno das Férias Desportivas O presente regulamento tem como objetivo dar a conhecer a todos os intervenientes

Leia mais

SECÇÃO I ALUNOS. RI direitos e deveres alunos CGT versão consulta pública Página 1

SECÇÃO I ALUNOS. RI direitos e deveres alunos CGT versão consulta pública Página 1 SECÇÃO I ALUNOS Artigo 49.º Quadro regulamentar 1. Os direitos, deveres e faltas a aplicar aos alunos dos ensinos básico e secundário estão conforme o previsto na Lei nº 51/2012 de 5 de setembro que estabelece

Leia mais

FUTSAL (Certificado ISO 9001/2008)

FUTSAL (Certificado ISO 9001/2008) FUTSAL (Certificado ISO 9001/2008) Objetivos: Promover o aprendizado e o aperfeiçoamento do aluno nos fundamentos básicos e conhecimento das regras, oferecendo-lhe a oportunidade de praticar a modalidade

Leia mais

Normas e Regulamento Interno da Escolinha de Esportes da Associação Recreativa dos Empregados dos Correios São Paulo Metropolitana - ARCO/SPM

Normas e Regulamento Interno da Escolinha de Esportes da Associação Recreativa dos Empregados dos Correios São Paulo Metropolitana - ARCO/SPM Normas e Regulamento Interno da Escolinha de Esportes da Associação Recreativa dos Empregados dos Correios São Paulo Metropolitana - ARCO/SPM 01 INTRODUÇÃO 1.1. Este manual é um instrumento de orientação

Leia mais

Campos de Férias Parque dos Monges. Regulamento Interno

Campos de Férias Parque dos Monges. Regulamento Interno Fundo Desenvol vimento Europeu de Regional Campos de Férias Parque dos Monges Regulamento Interno O presente Regulamento Interno do Campo de Férias Não Residencial do Parque dos Monges, visa definir todos

Leia mais

CONHECER OS DIREITOS E DEVERES DOS ALUNOS

CONHECER OS DIREITOS E DEVERES DOS ALUNOS ESTATUTO DO ALUNO DIREITOS E DEVERES LEI 3/2008, DE 18 DE JANEIRO Artigo 7.º Responsabilidade dos alunos Os alunos são responsáveis, em termos adequados à sua idade e capacidade de discernimento, pela

Leia mais

Normas. Departamento de Cultura, Juventude e Desporto Divisão de Desporto e Juventude Núcleo de Actividades Desportivas

Normas. Departamento de Cultura, Juventude e Desporto Divisão de Desporto e Juventude Núcleo de Actividades Desportivas Normas Departamento de Cultura, Juventude e Desporto Núcleo de Actividades Desportivas Índice 1 Organização... 3 2 Calendarização e Local de Realização dos Jogos... 3 3 Inscrição... 3 3.1 Período de Inscrição...

Leia mais

Regulamento Interno Férias Desportivas Verão 15

Regulamento Interno Férias Desportivas Verão 15 2015 Regulamento Interno Férias Desportivas Verão 15 Junta de Freguesia de Fermentelos Índice NOTA JUSTIFICATIVA... 2 CAPÍTULO I... 3 Missão... 3 Artigo 1º... 3 CAPÍTULO II... 3 Objeto... 3 Artigo 2º...

Leia mais

REGULAMENTOS DA ESCOLA LXTRIATHLON

REGULAMENTOS DA ESCOLA LXTRIATHLON REGULAMENTOS DA ESCOLA LXTRIATHLON SETEMBRO 2016 NORMAS DE CONDUTA A OBSERVAR POR TODOS OS AGENTES LIGADOS À MODALIDADE NO CLUBE 1. INTRODUÇÃO Consideram-se agentes os atletas, pais, técnicos, dirigentes

Leia mais

Regulamento Interno Competição

Regulamento Interno Competição Regulamento Interno Competição O presente regulamento destina-se a definir os direitos e deveres dos intervenientes nas atividades desportivas de competição. [1] Índice 1. DESPORTISTA:...3 1.1 DIREITOS:...3

Leia mais

CARTA DOS DIREITOS E DEVERES COMUNIDADE EDUCATIVA

CARTA DOS DIREITOS E DEVERES COMUNIDADE EDUCATIVA MMA CARTA DOS DIREITOS E DEVERES CENTRO SOCIAL NOSSA SENHORA DO AMPARO Aprovado em Reunião de Direção a 07 /01 /2014 INTRODUÇÃO O CSNSA focaliza todo o seu trabalho no cliente, individualizando e personalizando

Leia mais

Agrupamento de Escolas Verde Horizonte Regulamento Interno (Anexo 5)

Agrupamento de Escolas Verde Horizonte Regulamento Interno (Anexo 5) Agrupamento de Escolas Verde Horizonte Regulamento Interno (Anexo 5) 2016-2017 Anexo 5 (Regulamento AEC(s)) Considerando a importância do desenvolvimento de atividades de enriquecimento curricular no 1º

Leia mais

Guia do Encarregado de Educação

Guia do Encarregado de Educação Guia do Encarregado de Educação Ano letivo 2011/2012 Calendário Escolar pode ser consultado sítio Web da escola. Prazos de reclamação: Avaliação: 3 dias úteis após a afixação das pautas Turmas: 3 dias

Leia mais

JOGOS DO JOÃO ontem/hoje/sempre

JOGOS DO JOÃO ontem/hoje/sempre UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA - UFJF Reitor Henrique Duque de Miranda Chaves Filho COLÉGIO DE APLICAÇÃO JOÃO XXIII UFJF Diretor Geral Diretora de Ensino Prof. José Luiz Lacerda Prof a. Andréa Vassallo

Leia mais

Natação Sporting Clube Campomaiorense

Natação Sporting Clube Campomaiorense Regulamento Interno Natação Sporting Clube Campomaiorense CAPITULO PRIMEIRO (ORGANIZAÇÃO ORGANIZAÇÃO) 1. Este regulamento interno destina-se a todos os atletas, pais e aos respetivos técnicos da escola

Leia mais

ROSÁRIO. Regulamento Interno CAPÍTULO III DOS EDUCADORES. Colégio de Nossa Senhora do Rosário Porto

ROSÁRIO. Regulamento Interno CAPÍTULO III DOS EDUCADORES. Colégio de Nossa Senhora do Rosário Porto ROSÁRIO Colégio de Nossa Senhora do Rosário Porto Regulamento Interno CAPÍTULO III DOS EDUCADORES Edição: maio 2016 Capítulo III Dos Educadores Edição maio de 2016 Índice do Capítulo III Secção I Docentes

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BELÉM RESTELO. Regimento / Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BELÉM RESTELO. Regimento / Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BELÉM RESTELO Regimento / Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular 1º CICLO 2011 2012 ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR 1º Ciclo Ano Letivo 2011 / 2012 Regimento

Leia mais

II COPA NIPPON DE FUTSAL INTERNIKKEIS REGULAMENTO

II COPA NIPPON DE FUTSAL INTERNIKKEIS REGULAMENTO 1. FINALIDADE: A II COPA NIPPON DE FUTSAL INTERNIKKEYS é um evento de caráter desportivo e social, tendo como objetivo proporcionar maior integração entre os clubes participantes. 2. ORGANIZACÃO: A organização

Leia mais

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno)

REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno) REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR NO 1º CICLO (AEC) (Anexo do Regulamento Interno) Novembro/2015 Capítulo I Introdução Considerando a importância do desenvolvimento

Leia mais

ESCOLA DE FUTEBOL PAULETA

ESCOLA DE FUTEBOL PAULETA ESCOLA DE FUTEBOL PAULETA setembro de 2013 ÍNDICE 1 Introdução------------------------------------------------------------------------------------------ 3 2 Identificação da Escola--------------------------------------------------------------------------

Leia mais

JUDÔ - (Certificado ISO 9001/2008)

JUDÔ - (Certificado ISO 9001/2008) JUDÔ - (Certificado ISO 9001/2008) Objetivos: Promover e desenvolver a prática do judô, contribuindo para a formação integral da criança, proporcionando-lhe melhor qualidade de vida. No tatame, o aluno

Leia mais

REGULAMENTO. HELVETIA LEAGUE 2016 Torneio Interno de Futebol

REGULAMENTO. HELVETIA LEAGUE 2016 Torneio Interno de Futebol REGULAMENTO HELVETIA LEAGUE 2016 Torneio Interno de Futebol O objetivo do Torneio é proporcionar momentos de integração, sociabilização e lazer para os sócios e participantes do Clube Esportivo Helvetia.

Leia mais

HORÁRIO DAS AULAS. * O horário da saída dos alunos deve ser obedecido, salvo em casos excepcionais. SAÍDA DO ALUNO DO COLÉGIO

HORÁRIO DAS AULAS. * O horário da saída dos alunos deve ser obedecido, salvo em casos excepcionais. SAÍDA DO ALUNO DO COLÉGIO O Mediterrâneo Kids, prepara a criança para atuar no presente e futuro, de forma ativa e participativa, estimulando-a e acreditando sempre que ela é capaz, sem exigir dela um esforço maior do que ela pode

Leia mais

REGULAMENTO HIDROTERAPIA - AFA

REGULAMENTO HIDROTERAPIA - AFA REGULAMENTO HIDROTERAPIA - AFA Página 1 de 5 Regulamento Terapia Aquática - AFA O presente Regulamento Interno aplica-se à frequência de Terapia Aquática na Piscina Municipal de Oliveira de Bairro podendo

Leia mais

REGULAMENTO DO ESPAÇO ESPORTIVO RSGQ-10.01

REGULAMENTO DO ESPAÇO ESPORTIVO RSGQ-10.01 REGULAMENTO DO ESPAÇO ESPORTIVO RSGQ-10.01 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. INFRAESTRUTURA... 3 3. UTILIZAÇÃO... 3 4. HORÁRIOS E AGENDAMENTO... 4 5. RESPONSABILIDADE E COMPORTAMENTO... 5 5.1 DEVERES E RESPONSABILIDADES...

Leia mais

REGULAMENTO. Praia de Carcavelos Bar do Moinho / Praia da Cresmina, Guincho (Junto ao Restaurante Meste Zé)

REGULAMENTO. Praia de Carcavelos Bar do Moinho / Praia da Cresmina, Guincho (Junto ao Restaurante Meste Zé) REGULAMENTO 1 Princípios Gerais Este regulamento tem como objectivo definir as principais linhas orientadoras que regem a Wanted Surf School, para que os alunos e pais saibam quais os seus deveres e direitos,

Leia mais

DIREITOS E DEVERES DOS MEMBROS DA COMINUDADE EDUCATIVA

DIREITOS E DEVERES DOS MEMBROS DA COMINUDADE EDUCATIVA DIREITOS E DEVERES DOS MEMBROS DA COMINUDADE EDUCATIVA Todos os membros da comunidade educativa (Alunos, Pais, Encarregados de Educação, Docentes e Não Docentes) devem conhecer, compreender e participar

Leia mais

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA REGULAMENTO DA DISCIPLINA PRÁTICA DESPORTIVA OPCIONAL

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA REGULAMENTO DA DISCIPLINA PRÁTICA DESPORTIVA OPCIONAL UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA REGULAMENTO DA DISCIPLINA PRÁTICA DESPORTIVA OPCIONAL Prof. Luiz Antonio Alcantara Cembraneli Junior Taubaté SP 2015 Considerando que: A atividade

Leia mais

Regulamento Interno do Goianos Rugby Clube no ano de 2017

Regulamento Interno do Goianos Rugby Clube no ano de 2017 Regulamento Interno do Goianos Rugby Clube no ano de 2017 Cláusula 01 - Introdução I - Este Regulamento Interno é regido pelos valores e princípios do Rugby. É um instrumento de orientação que definirá

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO Ao viajar pela Europa, vais conhecer a magia de uma nova cultura e outra cidadania

REGULAMENTO INTERNO Ao viajar pela Europa, vais conhecer a magia de uma nova cultura e outra cidadania REGULAMENTO INTERNO Ao viajar pela Europa, vais conhecer a magia de uma nova cultura e outra cidadania JANEIRO, 2010 ÍNDICE Regulamento Interno....... 3 Objectivos do Regulamento...... 3 Regras e Funcionamento

Leia mais

REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL

REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL Época 2010/11 Masculino e Feminino Página 1 de 9 ÍNDICE I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito II. ORGANIZAÇÃO DE PROVAS Artigo 2º - Modelo Competitivo Artigo 3º - Sistema

Leia mais

Serviços de Saúde e Bem-estar REGULAMENTO INTERNO

Serviços de Saúde e Bem-estar REGULAMENTO INTERNO Serviços de Saúde e Bem-estar REGULAMENTO INTERNO Verão 2016 REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DO EGOlias ATELIER DE SAÚDE ARTIGO 1º Denominação e Natureza 1. O EGOlias Atelier de Saúde é um programa

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO ABAMBRES SPORT CLUB

REGULAMENTO INTERNO DO ABAMBRES SPORT CLUB ABAMBRES SPORT CLUB REGULAMENTO INTERNO DO ABAMBRES SPORT CLUB E-mail - abambressportclub@sapo.pt Site http://abambres-sc.pt facebook.com/abambressportclub REGULAMENTO INTERNO DO ABAMBRES SPORT CLUB O

Leia mais

Índice Apresentação Regulamentação Sub

Índice Apresentação Regulamentação Sub 2 Indice Índice... 3 1. Apresentação... 6 2. Regulamentação... 6 3. Sub 13... 7 Data... 7 Horário... 7 Local da realização dos jogos... 7 Pontuação... 7 Quadro Competitivo... 7 Duração dos jogos e intervalos...

Leia mais

Cursos Profissionais - nível Curso Técnico de Turismo Ambiental e Rural

Cursos Profissionais - nível Curso Técnico de Turismo Ambiental e Rural Cursos Profissionais - nível Curso Técnico de Turismo Ambiental e Rural REGULAMENTO DA FORMAÇÃO EM CONTEXTO DE TRABALHO Despacho nº 14758/2004 (2ª série), de 23 de Julho, Portaria nº 550-C/2004, de 21

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO ATELIER DE ARTES PLÁSTICAS

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO ATELIER DE ARTES PLÁSTICAS NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO ATELIER DE ARTES PLÁSTICAS O Atelier de Artes Plásticas é um serviço que se encontra ao dispor de todos os interessados, visando instruí-los e dotá-los das ferramentas básicas

Leia mais

REGULAMENTO do GRUPO DISCIPLINAR EDUCAÇÃO FÍSICA. Ano Letivo 2013/2014

REGULAMENTO do GRUPO DISCIPLINAR EDUCAÇÃO FÍSICA. Ano Letivo 2013/2014 REGULAMENTO do GRUPO DISCIPLINAR EDUCAÇÃO FÍSICA Ano Letivo 2013/2014 Tendo como referência as normas que são comuns aos vários sectores que integram a estrutura pedagógica e administrativa da Escola,

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA CÓDIGO DE CONDUTA. A disciplina é a mãe do sucesso. Ésquilo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ SANCHES E SÃO VICENTE DA BEIRA

CÓDIGO DE CONDUTA CÓDIGO DE CONDUTA. A disciplina é a mãe do sucesso. Ésquilo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ SANCHES E SÃO VICENTE DA BEIRA CÓDIGO DE CONDUTA CÓDIGO DE CONDUTA. A disciplina é a mãe do sucesso Ésquilo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOSÉ SANCHES E SÃO VICENTE DA BEIRA Índice Código de conduta dos alunos Pág.3 digo de conduta de docentes

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 9ª COPA UNIVATES/DCE 2016 REGULAMENTO GERAL

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 9ª COPA UNIVATES/DCE 2016 REGULAMENTO GERAL CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES COMPLEXO ESPORTIVO 9ª COPA UNIVATES/DCE 2016 REGULAMENTO GERAL DA PROMOÇÃO E ORGANIZAÇÃO: A promoção e a organização são do Centro Universitário UNIVATES/Complexo Esportivo

Leia mais

Regulamento Interno. Centro de Estudos e Atividades

Regulamento Interno. Centro de Estudos e Atividades Regulamento Interno Centro de Estudos e Atividades Índice Objetivos... 3 Funcionamento ESTUDO ACOMPANHADO... 3 Funcionamento EXPLICAÇÕES... 3 Atividades Extra... 3 Atividades de FÉRIAS... 4 Calendarização

Leia mais

Regulamento Interno. Centro de Estudos e Atividades

Regulamento Interno. Centro de Estudos e Atividades Regulamento Interno Centro de Estudos e Atividades Índice Objetivos... 3 Funcionamento ESTUDO ACOMPANHADO... 3 Funcionamento EXPLICAÇÕES... 3 Atividades Extra... 3 Atividades de FÉRIAS... 4 Calendarização

Leia mais

EDITAL E REGULAMENTO DO INTER NEWTON 2017 LUEN Liga Universitária Esportiva da Newton

EDITAL E REGULAMENTO DO INTER NEWTON 2017 LUEN Liga Universitária Esportiva da Newton EDITAL E REGULAMENTO DO INTER NEWTON 2017 LUEN Liga Universitária Esportiva da Newton A Liga Universitária Esportiva da Newton, no uso de suas atribuições, estabelece os objetivos e as diretrizes que regerão

Leia mais

Regulamento Ser Cientista

Regulamento Ser Cientista Regulamento Ser Cientista 1- Objetivos 1.1 - "Ser Cientista" é um programa que tem por objetivo proporcionar aos alunos do ensino secundário uma aproximação à realidade da investigação científica pela

Leia mais

REGULAMENTO CONCENTRAÇÕES MINIBASQUETE

REGULAMENTO CONCENTRAÇÕES MINIBASQUETE REGULAMENTO CONCENTRAÇÕES 2015 / 2016 1 Concentrações de Minibasquete da ABB Regulamento Nota: Os intervenientes, não devem esquecer que estamos a promover uma actividade para jovens praticantes, a qual

Leia mais

2º Torneio Universitário Projeção de Futsal

2º Torneio Universitário Projeção de Futsal PROJEÇÃO E ESPORTES 2º Torneio Universitário Projeção de Futsal REGULAMENTO I DOS VALORES Artigo 1º - Valores e princípios que norteiam a 2º Torneio Universitário Projeção de Futsal. a) Estimular a prática

Leia mais

Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso. Referencial para organização das Atividades de Enriquecimento Curricular

Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso. Referencial para organização das Atividades de Enriquecimento Curricular Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso Referencial para organização das Atividades de Enriquecimento Curricular 2015 / 2016 1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AMADEO DE SOUZA-CARDOSO ENSINO DO INGLÊS AAA

Leia mais

PROJEÇÃO ESPORTES 1º TORNEIO UNIVERSITÁRIO DE FUTSAL LENÍSIO TEIXEIRA / PROJEÇÃO REGULAMENTO I DOS VALORES

PROJEÇÃO ESPORTES 1º TORNEIO UNIVERSITÁRIO DE FUTSAL LENÍSIO TEIXEIRA / PROJEÇÃO REGULAMENTO I DOS VALORES PROJEÇÃO ESPORTES 1º TORNEIO UNIVERSITÁRIO DE FUTSAL LENÍSIO TEIXEIRA / PROJEÇÃO REGULAMENTO I DOS VALORES Artigo 1º - Valores e princípios que norteiam a 1º TORNEIO UNIVERSITÁRIO DE FUTSAL LENÍSIO TEIXEIRA

Leia mais

Normas de utilização das Piscinas Municipais

Normas de utilização das Piscinas Municipais CÂMARA MUNICIPAL DE REDONDO Normas de utilização das Piscinas Municipais Artigo 1º A Administração das Piscinas Municipais será exercida pela Câmara Municipal Artigo 2º 2.1. As Piscinas manter-se-ão abertas

Leia mais

Normas de utilização do Pavilhão Desportivo

Normas de utilização do Pavilhão Desportivo CÂMARA MUNICIPAL DE REDONDO Normas de utilização do Pavilhão Desportivo CAPÍTULO I DA ADMINISTRAÇÃO, DO FUNCIONAMENTO, DA UTILIZAÇÃO E DA CEDÊNCIA Artigo 1º. O Pavilhão Desportivo é um meio que tem como

Leia mais

REGULAMENTO. Art. 1 - Têm direito à Assistência Social, os associados e seus dependentes, nas condições previstas neste Regulamento.

REGULAMENTO. Art. 1 - Têm direito à Assistência Social, os associados e seus dependentes, nas condições previstas neste Regulamento. www.securitariosp.org.br SINDICATO DOS SECURITÁRIOS DO ESTADO DE SÃO PAULO REGULAMENTO Art. 1 - Têm direito à Assistência Social, os associados e seus dependentes, nas condições previstas neste Regulamento.

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA CÓDIGO DE CONDUTA. Por uma escola com valores. Equipa Promotora da disciplina

CÓDIGO DE CONDUTA CÓDIGO DE CONDUTA. Por uma escola com valores. Equipa Promotora da disciplina CÓDIGO DE CONDUTA Por uma escola com valores Equipa Promotora da disciplina 2012-2013 1 Índice Introdução Pág.3 Código de conduta dos alunos... Pág.4 Código de conduta de docentes e não docentes Pág.6

Leia mais

Regulamento Geral de Participação nos Cursos Esportivos/ Culturais Oferecidos pela AABB-SP

Regulamento Geral de Participação nos Cursos Esportivos/ Culturais Oferecidos pela AABB-SP Regulamento Geral de Participação nos Cursos Esportivos/ Culturais Oferecidos pela AABB-SP I) Inscrição a) Dirigir-se a Secretaria Geral para efetuar sua matrícula nos cursos e agendar o exame médico para

Leia mais

Colégio Nomelini Cirandinha Código Disciplinar e de Conduta

Colégio Nomelini Cirandinha Código Disciplinar e de Conduta Colégio Nomelini Cirandinha Código Disciplinar e de Conduta Versão de 09.10.14 Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio Sumário Sumário 1. Pontualidade... 2 2 Uso do Uniforme... 3 3 Saída Antecipada...

Leia mais

REGIMENTO DO CORAL DA FACULDADE ASCES

REGIMENTO DO CORAL DA FACULDADE ASCES REGIMENTO DO CORAL DA FACULDADE ASCES DO CORAL DA ASCES Art. 1 o. O Coral da Faculdade Asces é uma atividade de extensão que exerce atividade de caráter artístico e cultural. É formado por alunos, ex-alunos,

Leia mais

CONTACTOS: Divisão de Desenvolvimento Ambiental C.M. Gondomar Centro de Educação Ambiental da Quinta do Passal

CONTACTOS: Divisão de Desenvolvimento Ambiental C.M. Gondomar Centro de Educação Ambiental da Quinta do Passal Colónias Páscoa 2014 CONTACTOS: Divisão de Desenvolvimento Ambiental C.M. Gondomar Centro de Educação Ambiental da Quinta do Passal Telefone: 22 4837065 / 22 4662650 Fax: 22 466 26 69 Email: quintadopassal@cm-gondomar.pt

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE CASTELO BRANCO REGULAMENTO DAS SELECÇÕES DISTRITAIS

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE CASTELO BRANCO REGULAMENTO DAS SELECÇÕES DISTRITAIS ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE CASTELO BRANCO REGULAMENTO DAS SELECÇÕES DISTRITAIS ÍNDICE Capítulo I página 3 Participação na Selecção Distrital Artigo 1º - Principio geral Artigo 2º - Participação na Selecção

Leia mais

CLUBE COMERCIAL DE LORENA

CLUBE COMERCIAL DE LORENA TORNEIO INTERNO DE FUTSAL 2014 I - Dos Objetivos: REGULAMENTO Art. 1 - O evento tem por finalidade promover o intercambio social e esportivo entre os associados do Clube Comercial de Lorena e desenvolver

Leia mais

Junta de Freguesia de Ançã

Junta de Freguesia de Ançã III TORNEIO FUTSAL INTER-FREGUESIAS DO CONCELHO DE CANTANHEDE REGULAMENTO 1. INTRODUÇÃO 1.1 O presente regulamento aplica-se ao III Torneio de Futsal Inter-Freguesias do concelho de Cantanhede. 1.2. A

Leia mais

Carta de Direitos e Deveres do Cliente do Centro de Actividades Ocupacionais

Carta de Direitos e Deveres do Cliente do Centro de Actividades Ocupacionais Carta de Direitos e Deveres do Cliente do Centro de Actividades Ocupacionais APPACDM de Braga 2010 Tendo como pano de fundo a Convenção aprovada pelos Estados membros da ONU sobre os Direitos das Pessoas

Leia mais

CEA Quinta Do Passal

CEA Quinta Do Passal Colónias Páscoa 2014 Férias ambientais de Natal 2016 CEA Quinta Do Passal CONTACTOS: Divisão de Desenvolvimento Ambiental C.M. Gondomar Centro de Educação Ambiental da Quinta do Passal Telefone: 22 4837065

Leia mais

YARA CLUBE DE MARÍLIA DEPARTAMENTO DE FUTSAL

YARA CLUBE DE MARÍLIA DEPARTAMENTO DE FUTSAL YARA CLUBE DE MARÍLIA DEPARTAMENTO DE FUTSAL REGULAMENTO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 01 O Yara Clube de Marília promoverá a cada semestre, um Torneio de Futsal, em conformidade com os

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO (cursos presenciais e à distância)

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO (cursos presenciais e à distância) FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DE CACOAL DIREÇÃO ACADÊMICA REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO (cursos presenciais e à distância) CACOAL 2015 CAPÍTULO I DO CONCEITO, FINALIDADE

Leia mais

REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO

REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO I. Disposições Gerais: Artigo 1º Objeto 1. O presente documento regulamenta a organização e o funcionamento da Sala de Estudo (SE) do Colégio São Filipe (CSF). Artigo 2º Âmbito

Leia mais

ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA BANCO DO BRASIL SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ESPORTES, MODALIDADE: ATLETISMO

ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA BANCO DO BRASIL SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ESPORTES, MODALIDADE: ATLETISMO REGULAMENTO INTERNO Introdução: Este regulamento tem, como objetivo principal, subsidiar o Departamento de Esportes, modalidade Atletismo e a Vice-Presidência de Esportes na função de regular a modalidade

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO DESPORTIVO MUNICIPAL DE VILA PRAIA DE ÂNCORA (PELOURO DO DESPORTO)

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO DESPORTIVO MUNICIPAL DE VILA PRAIA DE ÂNCORA (PELOURO DO DESPORTO) REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO DESPORTIVO MUNICIPAL DE VILA PRAIA DE ÂNCORA (PELOURO DO DESPORTO) 1993 1 REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO A prática do desporto para todos é uma divisa de essência social

Leia mais

CAPÍTULO I DA EQUIPE DE ARBITRAGEM

CAPÍTULO I DA EQUIPE DE ARBITRAGEM V COPA Sinttelrs de Futsal 2013 REGULAMENTO CAPÍTULO I DA EQUIPE DE ARBITRAGEM Art. 01 - Os jogos do torneio serão regulamentados pelas Regras Oficiais de Futsal da Confederação Brasileira de Futebol de

Leia mais

COPA INTERESCOLAR DE FUTSAL UNOCHAPECÓ/FOLHA DE CHAPECÓ REGULAMENTO

COPA INTERESCOLAR DE FUTSAL UNOCHAPECÓ/FOLHA DE CHAPECÓ REGULAMENTO COPA INTERESCOLAR DE FUTSAL UNOCHAPECÓ/FOLHA DE CHAPECÓ REGULAMENTO REGULAMENTO GERAL DA COPA INTERESCOLAR DE FUTSAL UNOCHAPECÓ/FOLHA DE CHAPECÓ O Presidente da Associação de Arbitragem de Chapecó e Região

Leia mais

Atividades Extracurriculares 2015/16

Atividades Extracurriculares 2015/16 Atividades Extracurriculares 2015/16 As Atividades Extracurriculares têm carácter facultativo e de natureza lúdica, desportiva e cultural, visando a utilização criativa e formativa dos tempos livres do

Leia mais

REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL

REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL Época 2010/11 Basquetebol Masculino e Feminino Página 1 de 8 ÍNDICE I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito II. ORGANIZAÇÃO DE PROVAS Artigo 2º - Modelo Competitivo Artigo

Leia mais

Os alunos serão admitidos e poderão começar a frequentar o apoio aos tempos livres após completo todo o processo de inscrição:

Os alunos serão admitidos e poderão começar a frequentar o apoio aos tempos livres após completo todo o processo de inscrição: O Colégio Alfa-Beta tem como grande preocupação o crescimento harmonioso e saudável das crianças. Oferecemos apoio aos tempos livres, férias escolares, atividades Lúdico-Pedagógicas e complemento pré -escolar

Leia mais

Férias Desportivas + Verão 2011 PROJECTO FÉRIAS DESPORTIVAS +

Férias Desportivas + Verão 2011 PROJECTO FÉRIAS DESPORTIVAS + Férias s + Verão 2011 PROJECTO FÉRIAS DESPORTIVAS + S. JOÃO DA PESQUEIRA 2011 1 - Entidade Promotora A entidade promotora do projecto FERIAS DESPORTIVAS + (mais) Verão 2011 é o Município de S. João da

Leia mais

REGULAMENTO: CAMPEONATO INTERNO DE FUTEBOL DE CAMPO 2015

REGULAMENTO: CAMPEONATO INTERNO DE FUTEBOL DE CAMPO 2015 REGULAMENTO: CAMPEONATO INTERNO DE FUTEBOL DE CAMPO 2015 Parágrafo Único O campeonato tem por finalidade: A congregação de associados, o fortalecimento dos laços de amizade e a camaradagem sadiamente disputada.

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO /

REGULAMENTO INTERNO / REGULAMENTO INTERNO 91 349 8992 / 96 272 1222 geral@astuciasaber.com www.astuciasaber.com 1 Índice Objectivos... 3 Funcionamento APOIO ESCOLAR... 3 Funcionamento EXPLICAÇÕES... 3 Actividades Extra... 3

Leia mais

REGULAMENTO DO II TORNEIO DE VÔLEI DE AREIA GRUPO MASCARELLO 2017

REGULAMENTO DO II TORNEIO DE VÔLEI DE AREIA GRUPO MASCARELLO 2017 REGULAMENTO DO II TORNEIO DE VÔLEI DE AREIA GRUPO MASCARELLO 2017 Art. 1º FINALIDADE O Torneio de Vôlei de Areia da Associação Atlética do Grupo Mascarello tem por finalidade a congregação dos associados,

Leia mais

REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL

REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL REGULAMENTO DE PROVA OFICIAL Época 2010/11 Voleibol Feminino e Masculino Página 1 de 8 ÍNDICE I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito II. ORGANIZAÇÃO DE PROVAS Artigo 2º - Modelo Competitivo Artigo

Leia mais

Comissão de Esporte e Lazer

Comissão de Esporte e Lazer REGULAMENTO GERAL DO ESPORTE E LAZER DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO RESIDENCIAL PORTAL DO SOL II DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - A Associação dos Amigos do Residencial Portal do Sol II integra harmoniosamente

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE REDONDO

CÂMARA MUNICIPAL DE REDONDO CÂMARA MUNICIPAL DE REDONDO Normas de utilização do Pavilhão Desportivo CAPÍTULO I DA ADMINISTRAÇÃO, DO FUNCIONAMENTO, DA UTILIZAÇÃO E DA CEDÊNCIA Artigo 1º. O Pavilhão Desportivo é um meio que tem como

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE REAL REGULAMENTO OFERTAS EDUCATIVAS ALTERNATIVAS AO ENSINO REGULAR ANEXO II

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE REAL REGULAMENTO OFERTAS EDUCATIVAS ALTERNATIVAS AO ENSINO REGULAR ANEXO II Ofertas Educativas Artigo 1.º Âmbito O presente regulamento estabelece as diretrizes essenciais ao funcionamento do curso vocacional, adequando, esclarecendo e integrando as normas legais presentes na

Leia mais

NIB Transferência: NOTAS: CENTRO DE APOIO AO ESTUDO

NIB Transferência: NOTAS: CENTRO DE APOIO AO ESTUDO 7 NOTAS: NIB Transferência: 0010 0000 3434 9410 0063 0 REGULAMENTO INTERNO CENTRO DE APOIO AO ESTUDO RAÍZES ASSOCIAÇÃO DE APOIO À CRIANÇA E AO JOVEM 2013/2014 Capitulo I Disposições Gerais 1 Artigo 1º

Leia mais

Época 2014/15. Associação de Futebol da Guarda Gabinete Técnico e de Formação. Regulamento e normas de conduta

Época 2014/15. Associação de Futebol da Guarda Gabinete Técnico e de Formação. Regulamento e normas de conduta Época 2014/15 Associação de Futebol da Guarda Regulamento e normas de conduta FILOSOFIA: As Escolas de Futebol, deverão ter como principal objetivo, proporcionar momentos lúdicodesportivos orientados e

Leia mais

Carta. de Direitos e Deveres. do Cliente

Carta. de Direitos e Deveres. do Cliente Carta de Direitos e Deveres do Cliente Índice 1 - PREÂMBULO 3 2 - ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3 3 - DIREITOS DOS IDOSOS 3 4 - DIREITOS DOS FAMILIARES 4 5 - DEVERES DOS IDOSOS 5 6 - DEVERES DOS FAMILIARES 6 7 -

Leia mais

ARES Associação Recreativa e Esportiva Sanjoanense Atividades Sociais e Esportivas

ARES Associação Recreativa e Esportiva Sanjoanense Atividades Sociais e Esportivas ARES Associação Recreativa e Esportiva Sanjoanense Atividades Sociais e Esportivas Regimento Interno do Clube REGIMENTO INTERNO DO CLUBE 1 HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO CLUBE: - De Terça-Feira a Domingo.

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO CAMPEONATO NACIONAL XCO 2009

REGULAMENTO GERAL DO CAMPEONATO NACIONAL XCO 2009 REGULAMENTO GERAL DO CAMPEONATO NACIONAL XCO 2009 1- INTRODUÇÃO 1.1- O Campeonato Nacional Cross Country Olímpico (XCO) é um troféu oficial da UVP/Federação Portuguesa de Ciclismo e consta de uma prova

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTUDANTE ATLETA

REGULAMENTO DO ESTUDANTE ATLETA REGULAMENTO DO ESTUDANTE ATLETA Preâmbulo A atividade física e desportiva é, no quotidiano, um fator primordial na formação do ser humano enquanto indivíduo que busca a integração plena na sociedade contemporânea.

Leia mais

JOGOS DO JOÃO DOS EGRESSOS Ontem, hoje e sempre

JOGOS DO JOÃO DOS EGRESSOS Ontem, hoje e sempre JOGOS DO JOÃO DOS EGRESSOS Ontem, hoje e sempre UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA - UFJF Reitor Marcus Vinicius David COLÉGIO DE APLICAÇÃO JOÃO XXIII UFJF Diretora Geral Diretor de Ensino Prof a. Andréa

Leia mais

União das Freguesias de Alcácer do Sal. (Santa Maria do Castelo e Santiago) e Santa Susana

União das Freguesias de Alcácer do Sal. (Santa Maria do Castelo e Santiago) e Santa Susana União das Freguesias de Alcácer do Sal (Santa Maria do Castelo e Santiago) e Santa Susana CERCART ATL 1. ÂMBITO O espaço de Atividades de Tempos Livres destina-se a proporcionar atividades de lazer, lúdicas,

Leia mais

XIV COPA SMEL DE FUTSAL 2016

XIV COPA SMEL DE FUTSAL 2016 XIV COPA SMEL DE FUTSAL 2016 Regulamento Geral XIV COPA SMEL DE FUTSAL CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS Art. 1º - A XIV COPA SMEL DE FUTSAL tem por objetivo principal o congraçamento geral dos participantes

Leia mais

PANELINHAS XXIV Campeonato Interno de Futebol de Base.

PANELINHAS XXIV Campeonato Interno de Futebol de Base. PANELINHAS 2016 XXIV Campeonato Interno de Futebol de Base. I Objetivos: - Desenvolver o interesse do associado pela prática do futebol. - Promover o entretenimento e a sociabilização através do futebol.

Leia mais

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO PROGRAMA DE MINI FÉRIAS DE NATAL 2014

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO PROGRAMA DE MINI FÉRIAS DE NATAL 2014 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO PROGRAMA DE MINI FÉRIAS DE NATAL 2014 A criação do Programa de Mini Férias de Natal 2014 foi pensada para o fortalecimento e melhoramento da qualidade de vida dos seus munícipes,

Leia mais

Regulamento Piscina do Centro Cénico Cela

Regulamento Piscina do Centro Cénico Cela Regulamento Piscina do Centro Cénico Cela Norma I Plano de atividade interrupções das aulas Inicio das aulas setembro Fim das aulas julho Interrupções: -Véspera de Natal -Véspera de Ano Novo Norma II Condições

Leia mais

Regulamento Municipal do Projeto VIVER mais, VIVER melhor. Nota Justificativa

Regulamento Municipal do Projeto VIVER mais, VIVER melhor. Nota Justificativa Regulamento Municipal do Projeto VIVER mais, VIVER melhor Nota Justificativa Consciente de que no concelho de Mesão Frio o envelhecimento da população é uma realidade que conduz ao isolamento da pessoa

Leia mais

INSTRUÇÕES DE INSCRIÇÃO

INSTRUÇÕES DE INSCRIÇÃO ESCOLA DE TÉNIS - PROCESSO DE INSCRIÇÃO INSTRUÇÕES DE INSCRIÇÃO DOCUMENTOS PRIMEIRA INSCRIÇÃO: Ficha de inscrição; 2 Fotografias; Fotocopia do BI ou Cartão de Cidadão do Atleta; Fotocopia do BI ou Cartão

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO ALAGOANO DE FUTEBOL FEMININO 2014

REGULAMENTO DO CAMPEONATO ALAGOANO DE FUTEBOL FEMININO 2014 REGULAMENTO DO CAMPEONATO ALAGOANO DE FUTEBOL FEMININO 2014 CAPÍTULO I DOS PARTICIPANTES Art. 1º - O CAMPEONATO ALAGOANO DE FUTEBOL FEMININO DE 2014, que será realizado de acordo com calendário definido

Leia mais

Museu Nacional de História Natural e da Ciência. Programa Férias no Museu (Módulos Pedagógicos de Férias com Caráter não Residencial)

Museu Nacional de História Natural e da Ciência. Programa Férias no Museu (Módulos Pedagógicos de Férias com Caráter não Residencial) Museu Nacional de História Natural e da Ciência Regulamento Interno Programa Férias no Museu (Módulos Pedagógicos de Férias com Caráter não Residencial) O presente Regulamento Interno do Programa Férias

Leia mais