Universidade Federal de Alagoas Unidade Acadêmica Centro de Tecnologia Coordenação de Engenharia Ambiental

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade Federal de Alagoas Unidade Acadêmica Centro de Tecnologia Coordenação de Engenharia Ambiental"

Transcrição

1 Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso da Graduação em Engenharia Ambiental da UFAL Capítulo I Das disposições preliminares Art. 1º - Este regulamento define as diretrizes técnicas, procedimentos de acompanhamento e critérios de avaliação do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de acordo com a Resolução N o 25/2005 CEPE, de 26 de outubro de Art. 2º - O TCC é componente curricular obrigatório do Curso de Graduação em Engenharia Ambiental e tem como parâmetro a missão institucional da Universidade Federal de Alagoas de contribuir com o desenvolvimento sócio-econômico do país. Art. 3º - O TCC será elaborado no último ano da graduação, por meio de duas etapas: A primeira etapa consiste no Cadastro de TCC e plano de TCC, realizados no 9º período. A segunda etapa consiste no Relatório parcial e Monografia, realizados no 10º período, Parágrafo Único - O TCC poderá ser iniciado em período anterior, desde que seja comprovado, por meio de apresentação de histórico escolar, a possibilidade de integralização do curso, em dois semestres, com uma carga horária máxima de 450 horas por semestre. Art. 4º - O TCC consiste em um trabalho individual em que o aluno deverá aplicar o conhecimento adquirido ao longo do curso na análise de problemas de Engenharia Ambiental concretos e na busca de sua solução. O TCC refere-se a uma dissertação científica, do cunho monográfico iniciático, que os alunos concluintes devem elaborar. Capítulo II Das atribuições Artigo 5º - São partes diretamente envolvidas no desenvolvimento do TCC: I o Colegiado do Curso de Graduação, doravante denominado Colegiado; II - a Coordenação de Trabalho de Conclusão de Curso, doravante denominada Coordenação de TCC; III - os professores orientadores, doravante denominados orientadores; IV - os alunos orientandos do 9º e 10º períodos, doravante denominados orientandos; V - a Secretaria das Coordenações dos colegiados dos cursos de Graduação, doravante denominada Secretaria. Art. 6º - Compete ao Colegiado: I - Aprovar o Calendário de TCC; II - decidir, em instância recursal, todas as questões relacionadas ao Trabalho de Conclusão de Curso; III - Homologar as bancas examinadoras de todas as etapas de TCC; 1

2 IV Acompanhar todas as etapas inerentes ao TCC. Art. 7º - Compete à Coordenação de TCC a gestão dos procedimentos de acompanhamento e de avaliação do TCC, definidos por este Regulamento, especialmente, as seguintes atribuições: I elaborar, propor ao Colegiado e divulgar o Calendário de TCC; II - processar as inscrições, homologar e divulgar a relação dos alunos orientandos com seu respectivo orientador; III - organizar e divulgar o calendário das bancas examinadoras de todas as etapas de TCC; IV Propor ao Colegiado a composição das bancas examinadoras de todas as etapas do TCC; V- Atribuir nota ao Relatório Parcial, considerando parecer escrito elaborado pelo orientador bem como o parecer escrito de pelo menos um dos membros da banca; VI- Acompanhar tramitação de todos os documentos referentes ao TCC; VII- Deliberar sobre os encaminhamentos oriundos da Coordenação de TCC. Parágrafo Único No caso em que o Coordenador de TCC seja orientador, a nota do Relatório Parcial poderá ser atribuída por um dos membros do Colegiado; Art. 8º - Compete ao orientador, no processo de TCC, especialmente, as seguintes atribuições: I - orientar individualmente o orientando; II - realizar encontros com cada orientando no decorrer do desenvolvimento do TCC, conforme art.3º; III - preencher juntamente com o orientando o Formulário de cadastro do TCC; IV - Elaborar e encaminhar à Secretaria parecer do Relatório Parcial, conforme modelo disponibilizado pela mesma. V - Presidir a banca examinadora do Plano de TCC e da Monografia; VI - entregar na Secretaria os pareceres de avaliação do Plano de TCC e Monografia. Art. 9º - Compete ao orientando as seguintes atribuições: I - preencher juntamente com o orientador e entregar na Secretaria o Formulário de cadastro do TCC, na data prevista no Calendário de TCC; II depositar na Secretaria o Plano de TCC, respeitando os prazos do Calendário do TCC; III depositar o Relatório parcial, conforme as exigências expressas nas Diretrizes de TCC, obedecendo os prazos fixados no calendário do TCC; IV depositar a Monografia, conforme as exigências expressas nas Diretrizes de TCC, observando os prazos fixados no calendário do TCC; V Cumprir todas as atividades referentes à elaboração do TCC; VI apresentar, perante banca examinadora, o Plano e a Monografia de TCC, conforme Calendário do TCC; 2

3 1º. O aluno que não entregar o formulário de cadastro no prazo fixado no calendário do TCC receberá nota 0,0 (zero) e o aluno que respeitar os prazos desta etapa receberá nota 10,0 (dez). 2º Em caso de não cumprimento do prazo, configurando um atraso, o aluno deverá entregar o formulário de cadastro até a data estipulada para entrega do plano de TCC; Art No que diz respeito ao TCC, compete à Secretaria : I elaborar, receber, protocolar e encaminhar à Coordenação de TCC os Formulários de cadastro; II elaborar e disponibilizar os formulários para os pareceres de avaliação da banca examinadora; III receber, protocolar e encaminhar para a banca examinadora as cópias dos planos de TCC e das Monografias; IV- elaborar modelo, disponibilizar e receber o parecer do Relatório parcial; V receber, protocolar e encaminhar à Coordenação de TCC todos os requerimentos relacionados ao TCC; VI - arquivar todos os documentos relacionados ao TCC; VII realizar a expedição dos certificados de participação dos membros das bancas examinadoras e dos orientadores. Capítulo III Do Calendário de TCC, da definição de linha de pesquisa e do orientador e do orientando Art. 11 A Coordenação de TCC publicará um Calendário de TCC, no início de cada semestre letivo, contendo os prazos para cada atividade do processo de elaboração do TCC. Art A escolha pelos alunos da linha de pesquisa e dos orientadores a que se vincularão, realizar-se-á no 9º (nono) semestre do curso de graduação por meio de preenchimento do Cadastro de TCC. Art Em cada semestre letivo a Coordenação de TCC divulgará a relação dos orientandos, a partir do Cadastro de TCC. Art. 14 O orientador deverá ser obrigatoriamente um professor lotado na Unidade Acadêmica Centro de Tecnologia (CTEC). 1º - um Co-orientador, com atuação na linha de pesquisa do TCC, poderá ser convidado pelo orientador para auxiliar na orientação do TCC. 2º - O Orientador não poderá ultrapassar 4 (quatro) orientações simultâneas, independentemente do período em que o aluno esteja matriculado, previsto no art. 3º. 3º Os professores terão direito a um aluno para cada 10 horas de seu regime de trabalho, por ano. Assim, professores de regimes 40 (quarenta) horas ou dedicação exclusiva terão direito a, no máximo 4 (quatro) orientandos; professores de regime de 20 (vinte) horas terão direito a, no máximo, 2 orientandos. 3

4 Art. 15 São considerados orientandos os alunos com inscrição no TCC homologada. Capítulo IV Do Plano de TCC Art. 16 O Plano de TCC deverá ser elaborado de acordo com as diretrizes da Norma Editorial para Elaboração das Atividades dos Trabalhos de Conclusão de Curso (NEEA- TCC). Art O Plano de TCC deverá ser depositado pelo aluno na Secretaria de acordo com o prazo fixado no calendário do TCC previsto no Art. 11 deste Regulamento. 1º - No ato do depósito do plano de TCC o aluno deverá entregar quatro cópias impressas, sendo uma delas para a Coordenação do TCC; 2º - Em caso da existência do co-orientador, o orientando deverá entregar uma cópia adicional; 3º - Não serão aceitos depósitos de Plano de TCC sem a assinatura do orientador e/ou co-orientador. Art. 18 O aluno deverá apresentar o Plano de TCC em sessão pública perante banca examinadora. 1º - a banca examinadora será composta por pelo menos três membros, sendo dois deles professores do CTEC/UFAL, sob a presidência do orientador; 2º - Os membros da banca examinadora serão indicados pela Coordenação de TCC ; 3º A indicação de que trata o parágrafo anterior deverá ser aprovada pelo Colegiado. 4º As datas, horários, locais e composição das apresentações do Plano de TCC serão divulgados pela Coordenação de TCC, que observará o calendário do TCC. 5º Na apresentação o aluno terá até 15 (quinze) minutos para apresentar seu trabalho. Art A banca examinadora estabelecerá uma nota final de 0 (zero) a 10 (dez) pontos para o Plano de TCC. 1º - A nota final do Plano de TCC será obtida de uma média que será calculada a partir das notas atribuídas ao conteúdo do Plano de TCC, à apresentação e às arguições. 2º - Na avaliação do conteúdo do Plano de TCC serão considerados os seguintes critérios: I - delimitação adequada do objeto; II - relevância do desenvolvimento do objeto; III abordagem adequada do problema objeto da pesquisa; IV - domínio do conteúdo; V - abordagem crítica, analítica e propositiva; VI - clareza e objetividade; VII - coesão e unidade do trabalho; VIII - análise interdisciplinar; IX - observância dos aspectos formais da língua; X - respeito às diretrizes técnicas e formais definidas pelo NEEA-TCC. 4

5 3º - Na avaliação da apresentação e das argüições orais serão considerados os seguintes critérios: I - controle e organização do tempo; II - domínio do conteúdo; III - clareza e objetividade; IV - adequação formal do discurso; V - consistência das respostas às manifestações da banca examinadora. 4º - Os integrantes da banca examinadora deverão preencher e entregar ao Presidente da banca o parecer de avaliação e a nota final do Plano de TCC. 5º - Das decisões da banca examinadora não caberão recursos. Parágrafo Único O orientando somente poderá efetuar a entrega do plano de TCC, com a condição de ter cumprido a etapa de cadastro, mesmo que tenha recebido nota 0,0 (zero) na etapa de cadastramento. O orientando que não entregar o Plano de TCC no prazo previsto no Calendário de TCC perderá 1,0 (um) ponto por dia de atraso, sendo descontados da nota final do Plano de TCC. O atraso poderá ser de no máximo 7 (sete) dias em relação à data de entrega do Plano de TCC. No caso em que o atraso supere os 7 (sete) dias, o Plano de TCC receberá automaticamente nota 0,0 (zero). Capítulo V Do Relatório Parcial Art A atividade do Relatório Parcial, deverá ser elaborado de acordo com as diretrizes do NEEA-TCC em Engenharia Ambiental UFAL Art O Relatório Parcial deverá ser depositado pelo orientando na Secretaria de acordo com o prazo fixado no Calendário do TCC previsto no Art. 11, deste Regulamento. Art No ato do depósito do Relatório Parcial o orientando deverá entregar: I - 1 (uma) cópia impressa do Relatório Parcial, com seus respectivos anexos; II 1 (uma) cópia do Relatório Parcial em meio magnético, em formato pdf. Art. 23 A critério da Coordenação de TCC, poderá ser solicitada uma apresentação oral do Relatório Parcial. 1º As datas, horários e locais das apresentações do Relatório Parcial serão divulgados pela Coordenação de TCC, que observará o Calendário do TCC. 2º Na apresentação o aluno terá até 20 (vinte) minutos para apresentar seu trabalho. Art. 24 Será atribuída nota de 0 (zero) a 10 (dez) pontos para o conteúdo do Relatório Parcial. 1º - Na avaliação do conteúdo do Relatório parcial serão considerados os seguintes critérios: 5

6 I - delimitação adequada do objeto; II - relevância do desenvolvimento do objeto; III abordagem adequada do problema objeto da pesquisa; IV - domínio do conteúdo; V - abordagem crítica, analítica e propositiva; VI - clareza e objetividade; VII - coesão e unidade do trabalho; VIII - análise interdisciplinar; IX - observância dos aspectos formais da língua; X - respeito às diretrizes técnicas e formais definidas pelo NEEA-TCC. XI Atendimento aos condicionantes colocados pela banca examinadora através do parecer elaborado na etapa referente ao Plano de TCC; XII- Resultados, ainda que preliminares, obtidos. XIII- Parecer técnico emitido pelo orientador 2º - Em caso de existência da apresentação oral e arguições, será calculada uma média a partir das notas atribuídas ao conteúdo do Relatório Parcial, da apresentação e das arguições; 3º - A nota do Relatório Parcial será prioritariamente atribuída por um dos membros da banca examinadora do Plano de TCC, com exceção do orientador. 4º - Na impossibilidade de atendimento ao parágrafo anterior, a atribuição da nota do Relatório Parcial passa a ser do Coordenador de TCC, em primeira instância, e em segunda instância para um membro do Colegiado. Parágrafo Único O orientando deverá efetuar a entrega do Relatório Parcial na data estipulada pelo Calendário de TCC, com a condição de ter cumprida a etapa de Plano de TCC, mesmo que tenha recebido nota 0,0 (zero) naquela atividade. O orientando que não entregar o Relatório Parcial no prazo previsto no Calendário de TCC perderá 1,0 (um) ponto por dia de atraso, sendo descontados da nota atribuída ao Relatório Parcial. O atraso poderá ser de no máximo 7 (sete) dias em relação à data de entrega do Relatório Parcial. No caso em que o atraso supere os 7 (sete) dias, o Relatório Parcial receberá automaticamente nota 0,0 (zero). Capítulo VI Da Monografia Art A atividade de Monografia deverá ser elaborada de acordo com as diretrizes do NEEA-TCC. Art A Monografia deverá ser depositada pelo orientando na Secretaria de acordo com o prazo fixado no Calendário do TCC previsto no Art. 11, deste Regulamento. Art No ato do depósito da Monografia o orientando deverá entregar: I - 3 (três) cópias impressas da Monografia, com seus respectivos anexos; II Em caso da existência do co-orientador, o orientando deverá entregar uma cópia adicional. 6

7 Art. 28 O aluno deverá apresentar a Monografia em sessão pública perante banca examinadora. 1º - a Banca Examinadora será composta por pelo menos três membros, sendo dois deles professores do CTEC/UFAL, sob a presidência do orientador; 2º - Os membros da banca examinadora serão indicados pela Coordenação de TCC ; 3º A indicação de que trata o parágrafo anterior deverá ser aprovada pelo Colegiado. 4º As datas, horários, locais e composição das apresentações do Plano de TCC serão divulgados pela Coordenação de TCC, que observará o calendário do TCC. 5º Na apresentação o aluno terá até 30 (trinta) minutos para apresentar seu trabalho. Art A banca examinadora estabelecerá uma nota final de 0 (zero) a 10 (dez) pontos para a Monografia. 1º - A nota final da Monografia será obtida de uma média que será calculada a partir das notas atribuídas ao conteúdo da Monografia, à apresentação e às argüições; 2º - Na avaliação da Monografia serão considerados os seguintes critérios: I - delimitação adequada do objeto; II - relevância do desenvolvimento do objeto; III abordagem adequada do problema objeto da pesquisa; IV - domínio do conteúdo; V - abordagem crítica, analítica e propositiva; VI - clareza e objetividade; VII - coesão e unidade do trabalho; VIII - análise interdisciplinar; IX - observância dos aspectos formais da língua; X - respeito às diretrizes técnicas e formais definidas pelo NEEA-TCC. XI Atendimento aos condicionantes colocados pela banca examinadora através do parecer elaborado na etapa referente ao Relatório Parcial; XII- Resultados obtidos. 3º - Na avaliação da apresentação e das respostas às argüições orais serão considerados os seguintes critérios: I - controle e organização do tempo; II - domínio do conteúdo; III - clareza e objetividade; IV - adequação formal do discurso; V - consistência das respostas às manifestações da banca. 4º - Os integrantes da banca examinadora deverão preencher e entregar ao Presidente da banca o parecer de avaliação e a Nota Final da Monografia; 5º - A banca examinadora poderá aprovar ou reprovar o aluno. Será considerado aprovado o aluno que obtiver nota final da Monografia igual ou maior a 7 (sete) e reprovado aquele que obtiver nota final menor que 7 (sete). 6º - Das decisões da banca examinadora não caberão recursos. 7

8 Parágrafo Único O orientando deverá efetuar a entrega da Monografia no período estipulado pelo Calendário de TCC, com a condição de ter cumprida a etapa do Relatório Parcial, mesmo que tenha recebido nota 0,0 (zero) naquela atividade. O aluno que não entregar a Monografia no prazo previsto no Calendário de TCC perderá 1,0 (um) ponto por dia de atraso, sendo descontados da nota final da Monografia. O atraso poderá ser de no máximo 7 (sete) dias em relação à data de entrega da Monografia. No caso em que o atraso supere os 7 (sete) dias, a Monografia receberá automaticamente nota 0,0 (zero). Capítulo VII Da entrega da versão final da Monografia Art. 30 A versão final da Monografia deverá ser depositada pelo orientando na Secretaria de acordo com o prazo fixado no Calendário do TCC previsto no Art. 11, deste Regulamento, sendo uma cópia em meio magnético e uma cópia impressa. 1º - A versão final da Monografia em meio magnético deverá ser entregue em formato pdf, com as devidas correções e/alterações recomendadas (se for o caso); 2º - A versão impressa deverá ser entregue, com as devidas correções e/alterações recomendadas (se for o caso) contendo obrigatoriamente a Ficha Catalográfica emitida pela Biblioteca Central. O exemplar a ser entregue deve ser encadernado em capa dura cor verde, conforme solicitado pelo Sistema de Bibliotecas - SiBi através da Circular n o 001/2011/SiBi/BC/UFAL. Capítulo VIII Da nota final do TCC Art. 31 O TCC será dividido em duas etapas, cada uma delas com sua nota. 1º - A primeira etapa, que envolve as atividades de Cadastro e Plano de TCC, comporão uma média ponderada para a primeira nota parcial (NP1) e a segunda etapa, envolvendo as atividades de Relatório Parcial e Monografia, comporão outra média ponderada para a segunda nota parcial (NP2). 2º - Para a NP1, os pesos serão de 20% para a atividade de Cadastro (NC) e 80% para o Plano de TCC (NPL). O cálculo será realizado de acordo com a seguinte expressão: NP1 = 0,20 x NC + 0,80 x NPL. 3º - Para a NP2, os pesos serão de 30% para a atividade de Relatório Parcial (NR) e 70% para a atividade de Monografia (NM). O cálculo será realizado de acordo com a seguinte expressão: NP2 = 0,30 x NR + 0,70 x NM. 8

9 4º - A nota final do TCC (NF-TCC) será uma média ponderada das notas NP1 e NP2, com os pesos 20% e 80%, respectivamente, calculada de acordo com a seguinte expressão: NF-TCC = 0,20 x NP1 + 0,80 x NP2. Art Em caso de reprovação no TCC, NF-TCC inferior a 7,0 (sete), porém com NP1 superior a 7,0 (sete)-primeira etapa, o aluno poderá refazer apenas as atividades correspondentes à segunda etapa. 1º - Se o aluno decidir mudar de tema deverá retornar à primeira etapa; 2º - O orientando poderá solicitar o reinício na primeira etapa; 3º - Essas decisões deverão ser solicitadas com antecedência à Coordenação de TCC que encaminhará para apreciação do Colegiado. Art A conclusão do TCC dar-se-á apenas após a entrega da versão final da Monografia à Secretaria, conforme disposto no Cap. VII. Parágrafo Único - a Nota Final do orientando só será cadastrada no sistema de notas da UFAL após o cumprimento do que está disposto no caput deste Artigo. Capítulo IX Disposições finais e transitórias Art. 34 os orientandos deverão seguir as diretrizes da NEEA-TCC, contendo o detalhamento da estrutura do Cadastro de TCC, Plano de TCC, Relatório Parcial e Monografia. Art. 35 São impedidos de atuar como orientadores ou membros de bancas examinadoras qualquer parente do orientando, consangüíneo ou afim, em linha reta, ou na linha colateral até o 3º grau. Art Casos omissos serão resolvidos pelo Colegiado. Maceió-AL, 18 de maio de

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Normas para realização do Trabalho de Conclusão de Curso do Curso de Graduação em Engenharia Ambiental

Leia mais

NORMAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE MONOGRAFIAS DO DCIEN/FFP. I. Considerações Iniciais

NORMAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE MONOGRAFIAS DO DCIEN/FFP. I. Considerações Iniciais NORMAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE MONOGRAFIAS DO DCIEN/FFP I. Considerações Iniciais I.1) O aluno do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da Faculdade de Formação de Professores da UERJ, deverá

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE FISIOTERAPIA Art.1 o Trabalho de Conclusão de Curso é elemento obrigatório à formação dos alunos regularmente matriculados no Curso de Fisioterapia,

Leia mais

REGRAS E PROCEDIMENTOS PARA A ELABORAÇÃO DO TCC NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FESPSP

REGRAS E PROCEDIMENTOS PARA A ELABORAÇÃO DO TCC NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FESPSP REGRAS E PROCEDIMENTOS PARA A ELABORAÇÃO DO TCC NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FESPSP A apresentação de trabalhos acadêmicos é normalizada pela ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas. Sendo o TCC

Leia mais

RESOLUÇÃO CCEA Nº 02/2011

RESOLUÇÃO CCEA Nº 02/2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AMBIENTAL CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL RESOLUÇÃO CCEA Nº 02/2011 Aprova

Leia mais

RESOLUÇÃO CEAMB 03/14, DE 20 DE OUTUBRO DE 2014.

RESOLUÇÃO CEAMB 03/14, DE 20 DE OUTUBRO DE 2014. MNSTÉRO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGCA DE MNAS GERAS COLEGADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARA AMBENTAL E SANTÁRA RESOLUÇÃO CEAMB 03/14, DE 20 DE OUTUBRO DE 2014. Aprova as Normas

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso TCC é uma atividade curricular obrigatória para

Leia mais

FACULDADE DE HORTOLÂNDIA Ato de Recredenciamento: Port. 673, 25/05/2011, D.O.U, de 26/05/2011, Seção 1, págs. 18/19

FACULDADE DE HORTOLÂNDIA Ato de Recredenciamento: Port. 673, 25/05/2011, D.O.U, de 26/05/2011, Seção 1, págs. 18/19 INSTITUTO EDUCACIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO Faculdade de Hortolândia REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Hortolândia 2015 1 TRABALHO DE CONCLUSÃO DO

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA 1 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA 2 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA O Trabalho de Conclusão de

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO EM ENGENHARIA FLORESTAL (TCC EF)

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO EM ENGENHARIA FLORESTAL (TCC EF) TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO EM ENGENHARIA FLORESTAL (TCC EF) I. DEFINIÇÃO Em atendimento às Diretrizes Curriculares do Ministério da Educação, todo aluno do Curso de Engenharia Florestal deverá, obrigatoriamente,

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE FARMÁCIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE FARMÁCIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE FARMÁCIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Port.R-076/12, de 26/04/2012 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º O presente regulamento estabelece as

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS

REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO - PROEN CENTRO DE CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO E SÓCIO-ECONÔMICAS CCA/ESAG DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO E

Leia mais

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE AIMORÉS SUMÁRIO

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE AIMORÉS SUMÁRIO REGULAMENTO DO PROJETO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO AIMORÉS/MG SUMÁRIO REGULAMENTO DO PROJETO EMPRESARIAL... 1 Objetivos... 4 Objetivos Específicos... 4 Duração do Projeto Empresarial... 5 Disciplina

Leia mais

Estabelecer o Regulamento do TFCC, que se regerá pelas seguintes disposições: II. Número de orientandos por docente e remuneração por orientação.

Estabelecer o Regulamento do TFCC, que se regerá pelas seguintes disposições: II. Número de orientandos por docente e remuneração por orientação. AVISO/INFORME Nº 02/2013 CURSO DE DIREITO. REGULAMENTA O TFCC - TRABALHO FINAL DE CONCLUSÃO DE CURSO, DO CURSO DE DIREITO DA FACULDADE PEDRO LEOPOLDO - FPL. O Coordenador do Curso e o Coordenador do TFCC

Leia mais

CURSO: FISIOTERAPIA I DA CARACTERIZAÇÃO:

CURSO: FISIOTERAPIA I DA CARACTERIZAÇÃO: REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I e II CURSO: FISIOTERAPIA I DA CARACTERIZAÇÃO: Art.1º Estágio Supervisionado é disciplina oferecida aos alunos regularmente matriculados no oitavo e nono período

Leia mais

REGULAMENTO DAS DISCIPLINAS PROJETOS DE BIOLOGIA I E II DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CPAQ/UFMS

REGULAMENTO DAS DISCIPLINAS PROJETOS DE BIOLOGIA I E II DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CPAQ/UFMS REGULAMENTO DAS DISCIPLINAS PROJETOS DE BIOLOGIA I E II DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CPAQ/UFMS I - DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º O presente Regulamento tem por objetivo definir as normas das disciplinas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE CIÊNCIAS DE SAÚDE COLEGIADO DO CURSO BACHARELADO INTERDISCIPLINAR EM SAÚDE EDITAL 02/2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE CIÊNCIAS DE SAÚDE COLEGIADO DO CURSO BACHARELADO INTERDISCIPLINAR EM SAÚDE EDITAL 02/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE CIÊNCIAS DE SAÚDE COLEGIADO DO CURSO BACHARELADO INTERDISCIPLINAR EM SAÚDE EDITAL 02/2013 Processo de acompanhamento de avaliação do Trabalho de Conclusão

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento visa normatizar as Atividades Complementares do Curso de História. Parágrafo único As Atividades Complementares

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS Faculdade de Direito do Recife Colegiado de Graduação

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS Faculdade de Direito do Recife Colegiado de Graduação UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS Faculdade de Direito do Recife Colegiado de Graduação Resolução NO. 01/2014 CGFDR/CCJ Disciplina as atividades do Trabalho de Conclusão do

Leia mais

Art. 1º - Estabelecer as normas para implementação de Cursos e Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu.

Art. 1º - Estabelecer as normas para implementação de Cursos e Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Av. Ville Roy, 5315 Bairro São Pedro 69.301-001 - Boa Vista/RR Fone (095)621-3108 Fax (095)621-3101 Resolução

Leia mais

EXTRATO DO EDITAL N 069/2016 UEPA PRÊMIO MELHOR TCC 2015

EXTRATO DO EDITAL N 069/2016 UEPA PRÊMIO MELHOR TCC 2015 EXTRATO DO EDITAL N 069/2016 UEPA PRÊMIO MELHOR TCC 2015 A Universidade do Estado do Pará, por meio de sua Pró-Reitoria de Graduação, torna público, no âmbito desta Instituição, o Processo de Seleção de

Leia mais

REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO - BACHARELADO EM ESTATÍSTICA

REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO - BACHARELADO EM ESTATÍSTICA Anexo II REGULAMENTO DO COMPONENTE CURRICULAR TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE GRADUAÇÃO - BACHARELADO EM ESTATÍSTICA Capítulo I Constituição e Objetivos Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso,

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENGENHARIA ELÉTRICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI TÍTULO I

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENGENHARIA ELÉTRICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI TÍTULO I REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENGENHARIA ELÉTRICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI TÍTULO I DAS CARACTERÍSTICAS DO PROGRAMA E SEUS OBJETIVOS Art. 1º - Este Regulamento complementa

Leia mais

FUNDAÇÃO LUSÍADA Centro Universitário Lusíada Regulamento TCC-Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Relações Internacionais

FUNDAÇÃO LUSÍADA Centro Universitário Lusíada Regulamento TCC-Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Relações Internacionais 1.1. Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Como o curso de Relações Internacionais não possui, até este momento, uma resolução aprovada, utilizamos a Resolução CNE nº 04 de 13 de junho de 2005, que institui

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E TECNOLÓGICOS DE NÍVEL SUPERIOR

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E TECNOLÓGICOS DE NÍVEL SUPERIOR REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E TECNOLÓGICOS DE NÍVEL SUPERIOR Canoas, RS 2012 CAPÍTULO I DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º - O Estágio Supervisionado dos alunos

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Praia Grande São Paulo Outubro de 2009 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Artigo 1º - O presente Regulamento disciplina a organização e as atividades

Leia mais

Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado ENGENHARIA ELÉTRICA - TELECOMUNICAÇÕES

Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado ENGENHARIA ELÉTRICA - TELECOMUNICAÇÕES Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado ENGENHARIA ELÉTRICA - TELECOMUNICAÇÕES CAMPO LIMPO PAULISTA 2014 Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica - Telecomunicações

Leia mais

Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação

Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação da Universidade do Estado de Minas Gerais Campus de Frutal/MG

Leia mais

EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014

EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014 EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014 O Diretor da Faculdade de Tecnologia de São Roque no uso de suas atribuições legais torna público que estão abertas as inscrições para participação

Leia mais

FUNDAÇÃO LUSÍADA Centro Universitário Lusíada Regulamento TCC-Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Administração

FUNDAÇÃO LUSÍADA Centro Universitário Lusíada Regulamento TCC-Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Administração 1.1. Trabalho de Conclusão de Curso - TCC A Resolução CNE nº 04 de 13 de junho de 2005, institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Administração, bacharelado, em seu artigo

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE ESTUDANTIL DO SISTEMA ACAFE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE ESTUDANTIL DO SISTEMA ACAFE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MOBILIDADE ESTUDANTIL DO SISTEMA ACAFE CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Programa de Mobilidade Estudantil têm o objetivo de regular a relação de reciprocidade

Leia mais

Resolução nº 002/2015

Resolução nº 002/2015 Resolução nº 002/2015 Dispõe sobre o processo de composição das bancas de qualificação e defesa final da dissertação de Mestrado e dá outras providências. Considerando a necessidade de aprimorar o Programa

Leia mais

NORMAS PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO DE BACHARELADO EM ODONTOLOGIA DO IMMES. Capítulo I

NORMAS PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO DE BACHARELADO EM ODONTOLOGIA DO IMMES. Capítulo I NORMAS PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO DE BACHARELADO EM ODONTOLOGIA DO IMMES. Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 - Este Regulamento dispõe sobre o Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 206 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº. 206 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. RESOLUÇÃO Nº. 206 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer nº.

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente conjunto de normas da Faculdade Católica do Tocantins (Facto), mantida pela União

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Este Regulamento dispõe sobre as Atividades Complementares do Curso de Direito. CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, NATURAIS E DA SAÚDE - CCENS CURSO DE FARMÁCIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, NATURAIS E DA SAÚDE - CCENS CURSO DE FARMÁCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, NATURAIS E DA SAÚDE - CCENS CURSO DE FARMÁCIA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA 2016 Regulamento

Leia mais

FACULDADE DE ARARAQUARA CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO

FACULDADE DE ARARAQUARA CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CURSO ARARAQUARA 2015 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CURSO DE DIREITO Dispõe sobre a forma de operacionalização do Trabalho de Curso. CAPÍTULO I DAS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 114/2001-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 114/2001-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 114/2001-CEPE/UNICENTRO Aprova o Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Engenharia de Alimentos da UNICENTRO. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO:

Leia mais

Normas para realização de Estágio Supervisionado Curso de Graduação em Administração

Normas para realização de Estágio Supervisionado Curso de Graduação em Administração UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS Departamento de Administração e Economia Caixa Postal 3037- Lavras MG 37200-000 Fone (35) 3829-1441 Fax (35)3829-1772 Normas para realização de Estágio Supervisionado Curso

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE CENECISTA DE VARGINHA Administração e Ciências Contábeis: Reconhecimento pelo Decreto Federal Nº 76177/75 - D.O. 02/09/75 Ciências Econômicas: Reconhecimento através da Portaria Ministerial Nº

Leia mais

NÚCLEO DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA NUPIC. Regulamento para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

NÚCLEO DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA NUPIC. Regulamento para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) CLARETIANO FACULDADE RIO CLARO/SP NÚCLEO DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA NUPIC Regulamento para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) 2015 Rio Claro/SP 1 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

Leia mais

aprovação do pleno, ocorrida na sessão ordinária de 7 de outubro de 2014;

aprovação do pleno, ocorrida na sessão ordinária de 7 de outubro de 2014; 1 RESOLUÇÃO CONSU Nº. 13/2014, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014. Regulamenta o processo de revalidação de diploma de cursos de graduação em Medicina obtido em instituição estrangeira de ensino superior. A Presidente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA REGULAMENTO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM JUIZ DE FORA, JULHO DE 2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA

Leia mais

Regulamento de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do Bacharelado em Engenharia Mecânica

Regulamento de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do Bacharelado em Engenharia Mecânica Regulamento de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do Bacharelado em Engenharia Mecânica Organização: Colegiado do Curso de Engenharia Mecânica Coordenador: Eider Lúcio de Oliveira Goiânia, Fevereiro

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Este regulamento disciplina o Trabalho de Conclusão de Curso - TCC dos Cursos das Faculdades Integradas Hélio Alonso,

Leia mais

Regulamento para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Regulamento para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Regulamento para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) 2015 Curitiba/PR REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO T.C.C. Dispõe sobre as normas gerais para elaboração dos Trabalhos de Conclusão de

Leia mais

UNIVERSIDADE POSITIVO

UNIVERSIDADE POSITIVO UNIVERSIDADE POSITIVO CHAMADA DE PROJETOS PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PIC) CICLO 2012-2013 EDITAL N o 117 de 03/04/2012 Art. 1 o A Reitoria da Universidade Positivo (UP) torna público o presente

Leia mais

UNIVERSIDADEFEDERAL DO AMAPÁ UNIFAP. DEPARTAMENTO DE ARTES, LETRAS e COMUNICAÇÃO CURSO DE JORNALISMO REGIMENTO DE TCC DO CURSO DE JORNALISMO.

UNIVERSIDADEFEDERAL DO AMAPÁ UNIFAP. DEPARTAMENTO DE ARTES, LETRAS e COMUNICAÇÃO CURSO DE JORNALISMO REGIMENTO DE TCC DO CURSO DE JORNALISMO. 1 UNIVERSIDADEFEDERAL DO AMAPÁ UNIFAP DEPARTAMENTO DE ARTES, LETRAS e COMUNICAÇÃO CURSO DE JORNALISMO REGIMENTO DE TCC DO CURSO DE JORNALISMO Título I Das Disposições preliminares Art. 1 - O presente regimento

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE -NDE. Procedimentos para o Trabalho de Conclusão de Curso

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE -NDE. Procedimentos para o Trabalho de Conclusão de Curso UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Campus Arapiraca CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE -NDE Arapiraca-AL, 15 de Dezembro de 2011 Procedimentos para o Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

EDITAL N. 11 /2013. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores. Curitiba, 15 de abril de 2013

EDITAL N. 11 /2013. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores. Curitiba, 15 de abril de 2013 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ Reconhecida pelo Decreto Governamental n.º 70.906 de 01/08/72 e Portaria n.º 1.062

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA CENTRO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS E ECONÔMICAS DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Boa Vista Outubro de 2013

Leia mais

REGULAMENTO N. 001 /2010 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA

REGULAMENTO N. 001 /2010 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA REGULAMENTO N. 001 /2010 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE ESTÁGIO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA Simone da Silva Gomes Cardoso, Diretora da FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS

Leia mais

Assunto: Regulamento da Colação de Grau da Faculdade do Litoral Catarinense - FLC

Assunto: Regulamento da Colação de Grau da Faculdade do Litoral Catarinense - FLC RESOLUÇÃO N o 086/2014 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Faculdade do Litoral Catarinense - FLC Assunto: Regulamento da Colação de Grau da Faculdade do Litoral Catarinense - FLC O Diretor da

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I Disposições Preliminares

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I Disposições Preliminares REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PUBLICIDADE E PROPAGANDA CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º As Atividades Complementares são exigidas para integralização da do

Leia mais

Edital PROGRAD nº 26, de 14 de julho de Chamada para o Programa de Iniciação à Docência (PID-2015)

Edital PROGRAD nº 26, de 14 de julho de Chamada para o Programa de Iniciação à Docência (PID-2015) Edital PROGRAD nº 26, de 14 de julho de 2014 Chamada para o Programa de Iniciação à Docência (PID-2015) Com base na Resolução 35/2011 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, que estabelece as Normas

Leia mais

Capítulo IV Da Entrega da Versão Final

Capítulo IV Da Entrega da Versão Final UNIVERSIDADEFEDERAL DO AMAPÁ UNIFAP DEPARTAMENTO DE ARTES, LETRAS E COMUNICAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM GÊNERO E DIVERSIDADE NA ESCOLA REGIMENTO DE TCC DO CURSO CAPÍTULO I Do Trabalho Art. 1. O Trabalho de conclusão

Leia mais

Versão: Dezembro/2012. O aluno poderá integralizar os créditos referentes às disciplinas ACH 2017 e ACH 2018 das seguintes formas:

Versão: Dezembro/2012. O aluno poderá integralizar os créditos referentes às disciplinas ACH 2017 e ACH 2018 das seguintes formas: Normas para Realização do Projeto Supervisionado ou Trabalho de Graduação para o Curso de Sistemas de Informação da Escola de Artes, Ciências e Humanidades, da Universidade de São Paulo Versão: Dezembro/2012

Leia mais

Resolução 028/99 - CONSEPE

Resolução 028/99 - CONSEPE Resolução 028/99 - CONSEPE Aprova Regulamentação para a admissão de Professores Colaboradores para atuação no Programa Magister. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE da Fundação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS APLICADAS E EDUCAÇÃO COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS APLICADAS E EDUCAÇÃO COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS APLICADAS E EDUCAÇÃO COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA Portaria nº. 01/10 - CCE Regulamenta os conteúdos complementares flexíveis, fixados no

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE DIREITO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA Art. 1. Este Regulamento normatiza as atividades relacionadas com o Trabalho de Conclusão de Curso da Escola

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE FILOSOFIA DA USJT CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE FILOSOFIA DA USJT CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE FILOSOFIA DA USJT CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este Regulamento estabelece as normas para o cumprimento da carga horária mínima em Estágio

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO PPGED Fone:(77)

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO PPGED Fone:(77) Norma interna Nº 01 2014 PPGEd 7 de janeiro de 2014 Dispõe sobre a Disciplina iniciação à docência no ensino superior, a admissão, transferência, desligamento e readmissão do discente e a avaliação do

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE PEDAGOGIA

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE PEDAGOGIA 2016.1 MANTENEDORA Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão LTDA MANTIDA Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão Facema DIRETORIA Maria

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 088-CONSET/SES/G/UNICENTRO, DE 31 DE AGOSTO DE 2012. Aprova o Regulamento das Atividades Complementares do Curso de Farmácia. A PRESIDENTE DO CONSELHO SETORIAL DO SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE,

Leia mais

CAPITULO I Disposições Gerais

CAPITULO I Disposições Gerais REGULAMENTO da Unidade Curricular Dissertação/Projeto/Estágio dos Cursos de Mestrado em Contabilidade, Mestrado em Contabilidade e Administração Pública e Mestrado em Marketing, do Instituto Superior de

Leia mais

FACULDADE SÃO FRANCISCO DE JUAZEIRO-BA

FACULDADE SÃO FRANCISCO DE JUAZEIRO-BA EDITAL N. 1 SELEÇÃO DE ALUNOS PARA MONITORIA DA EMPRESA JÚNIOR, ESCRITÓRIO MODELO E LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FACULDADE SÃO FRANCISCO DE

Leia mais

Universidade Federal da Paraíba Centro de Comunicação, Turismo e Artes Coordenação do Curso de Relações Públicas

Universidade Federal da Paraíba Centro de Comunicação, Turismo e Artes Coordenação do Curso de Relações Públicas Universidade Federal da Paraíba Centro de Comunicação, Turismo e Artes Coordenação do Curso de Relações Públicas Portaria CCRP / nº 04/2014 Regulamenta a realização do Trabalho de Conclusão de Curso, fixados

Leia mais

REDAÇÃO MODELO EDITAL N. º 066/2011. ( Somente alunos a partir do 3º ao 7º períodos do Curso de Jornalismo)

REDAÇÃO MODELO EDITAL N. º 066/2011. ( Somente alunos a partir do 3º ao 7º períodos do Curso de Jornalismo) CONCURSO DE MONITORIA REDAÇÃO MODELO EDITAL N. º 066/2011 ( Somente alunos a partir do 3º ao 7º períodos do Curso de Jornalismo) I. DAS VAGAS, BOLSA DE MONITORIA, REGIME JURÍDICO E CARGA HORÁRIA. 1- Número

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS RESOLUÇÃO Nº. 203 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS RESOLUÇÃO Nº. 203 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. RESOLUÇÃO Nº. 203 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer nº.

Leia mais

NORMAS COMPLEMENTARES AO REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA REGIONAL E LOCAL CAMPUS V

NORMAS COMPLEMENTARES AO REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA REGIONAL E LOCAL CAMPUS V Universidade do Estado da Bahia UNEB Reconhecida pela portaria ministerial n º 909 de 31 07 95 Departamento de Ciências Humanas/Campus V Santo Antonio de Jesus Programa de Pós-Graduação em História Regional

Leia mais

GUIA DO TRABALHO FINAL DO CURSO DE DIREITO

GUIA DO TRABALHO FINAL DO CURSO DE DIREITO GUIA DO TRABALHO FINAL DO CURSO DE DIREITO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. O presente regulamento tem por finalidade normatizar as atividades referentes à elaboração e apresentação da Disciplina

Leia mais

Regimento do Programa de Pós-Graduação em Psicologia em nível de Mestrado da Universidade Tuiuti do Paraná. Título I Objetivos

Regimento do Programa de Pós-Graduação em Psicologia em nível de Mestrado da Universidade Tuiuti do Paraná. Título I Objetivos Regimento do Programa de Pós-Graduação em Psicologia em nível de Mestrado da Universidade Tuiuti do Paraná Título I Objetivos Art 1º. O Programa de Pós-Graduação em Psicologia, em nível de Mestrado, visa

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística RESOLUÇÃO N o 01/2011, DO COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ESTATÍSTICA Regulamenta a composição, as competências

Leia mais

FACULDADE JAUENSE REGULAMENTO PROJETO INTEGRADOR

FACULDADE JAUENSE REGULAMENTO PROJETO INTEGRADOR FACULDADE JAUENSE REGULAMENTO PROJETO INTEGRADOR JAÚ/ SP - 2014 REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADOR DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA TATUAPÉ VICTOR CIVITA REGULAMENTO PARA O TRABALHO DE GRADUAÇÃO (TG) DOS CURSOS DA

FACULDADE DE TECNOLOGIA TATUAPÉ VICTOR CIVITA REGULAMENTO PARA O TRABALHO DE GRADUAÇÃO (TG) DOS CURSOS DA FACULDADE DE TECNOLOGIA TATUAPÉ VICTOR CIVITA REGULAMENTO PARA O TRABALHO DE GRADUAÇÃO (TG) DOS CURSOS DA FACULDADE DE TECNOLOGIA TATUAPÉ VICTOR CIVITA SÃO PAULO/SP 2013 SUMÁRIO DAS CARACTERÍSTICAS E OBJETIVOS...

Leia mais

EDITAL PROGRAD nº 35 de 09 de novembro de 2012 PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA INTERNA

EDITAL PROGRAD nº 35 de 09 de novembro de 2012 PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA INTERNA EDITAL PROGRAD nº 35 de 09 de novembro de 2012 PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA INTERNA A Pró-Reitoria de Graduação da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), no uso de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 108, DE 24 DE JUNHO DE 2014 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO, tendo em vista a decisão tomada em sua 327ª Reunião Ordinária, realizada em 24 de junho de 2014, e considerando

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIC FACULDADE DAS AMÉRICAS EDITAL 2016/2

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIC FACULDADE DAS AMÉRICAS EDITAL 2016/2 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIC FACULDADE DAS AMÉRICAS EDITAL 2016/2 Abertura do Processo Seletivo para o Programa de Iniciação Científica da Faculdade das Américas Artigo 1 o A Diretoria

Leia mais

Regulamento para Projeto Final e Artigo Científico

Regulamento para Projeto Final e Artigo Científico Regulamento para Projeto Final e Artigo Científico PROJETO FINAL EM ENGENHARIA MECÂNICA e ARTIGO CINTÍFICO Regulamento. 1 - DOS OBJETIVOS: Orientar os acadêmicos em relação às normas adotadas pela Faculdade

Leia mais

Estágios curriculares obrigatórios de curta duração Disciplina: Atividade Acadêmico-Profissional versão: maio 2009

Estágios curriculares obrigatórios de curta duração Disciplina: Atividade Acadêmico-Profissional versão: maio 2009 Informações Gerais Estágios curriculares obrigatórios de curta duração Disciplina: Atividade Acadêmico-Profissional versão: maio 2009 A realização de estágios curriculares (obrigatórios) e extracurriculares

Leia mais

MANUAL DE NORMALIZAÇÃO PARA SESSÕES PÚBLICAS DE QUALIFICAÇÃO, DEFESA DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO E TESE DE DOUTORADO

MANUAL DE NORMALIZAÇÃO PARA SESSÕES PÚBLICAS DE QUALIFICAÇÃO, DEFESA DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO E TESE DE DOUTORADO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ MANUAL DE NORMALIZAÇÃO PARA SESSÕES PÚBLICAS DE QUALIFICAÇÃO, DEFESA DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO E TESE DE DOUTORADO Programa de Pós-Graduação em Odontologia. 06/10/2007 Página

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA MECATRÔNICA RESOLUÇÃO Nº 03/2013-CMCA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA MECATRÔNICA RESOLUÇÃO Nº 03/2013-CMCA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA MECATRÔNICA RESOLUÇÃO Nº 03/2013-CMCA Regulamenta as Atividade Complementares do Curso de Engenharia Mecatrônica

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DE CLASSE

REGULAMENTO DO CONSELHO DE CLASSE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, SOCIAIS E AGRÁRIAS COLÉGIO AGRÍCOLA VIDAL DE NEGREIROS REGULAMENTO DO

Leia mais

Manual de Atividades Complementares

Manual de Atividades Complementares CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manual de Atividades Complementares Belo Horizonte 1 Prezado(a) aluno(a): Este é o Manual de Atividades Complementar

Leia mais

1. PROCESSO DE PREPARAÇÃO PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO OU TESE

1. PROCESSO DE PREPARAÇÃO PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO OU TESE PROCEDIMENTOS PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO/TESE E DIPLOMAÇÃO STRICTO SENSU 1. PROCESSO DE PREPARAÇÃO PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO OU TESE Aluno: Após integralizar os requisitos necessários para obtenção do

Leia mais

GUIA DE SOLICITAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1º semestre de 2016

GUIA DE SOLICITAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1º semestre de 2016 GUIA DE SOLICITAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1º semestre de 2016 FACULDADE DE TECNOLOGIA DE BOTUCATU Fevereiro 2016 R0 Objetivo do Guia: Demonstrar o processo para elaboração de

Leia mais

MANUAL DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

MANUAL DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MANUAL DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU APRESENTAÇÃO A disputa por uma vaga no mercado de trabalho está cada vez mais intensa, tornando os cursos de Pós-Graduação Lato Sensu indispensáveis. Fazê-los em uma

Leia mais

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA REGIONAL DE CHAPECÓ UNOCHAPECÓ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA REGIONAL DE CHAPECÓ UNOCHAPECÓ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA REGIONAL DE CHAPECÓ UNOCHAPECÓ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES CURRICULARES COMPLEMENTARES DO CURSO DE

Leia mais

Faculdade Adventista da Bahia. Regulamento de Monitoria Acadêmica Fisioterapia

Faculdade Adventista da Bahia. Regulamento de Monitoria Acadêmica Fisioterapia Faculdade Adventista da Bahia Regulamento de Monitoria Acadêmica Fisioterapia Cachoeira BA Abril de 2011 Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento disciplina o Programa de Monitoria

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO DE C.S.T. EM PROCESSOS QUÍMICOS PORTARIA NORMATIVA Nº 1, 14 DE SETEMBRO DE 2009

COORDENAÇÃO DO CURSO DE C.S.T. EM PROCESSOS QUÍMICOS PORTARIA NORMATIVA Nº 1, 14 DE SETEMBRO DE 2009 COORDENAÇÃO DO CURSO DE C.S.T. EM PROCESSOS QUÍMICOS PORTARIA NORMATIVA Nº 1, 14 DE SETEMBRO DE 2009 Institui as normas e as atividades aprovadas para o aproveitamento de carga horária para compor atividades

Leia mais

EDITAL DE TRANSFERÊNCIA FATEC TAUBATÉ Nº. 01/2016 DE 01 DE JUNHO DE REMANEJAMENTO ENTRE FATEC s

EDITAL DE TRANSFERÊNCIA FATEC TAUBATÉ Nº. 01/2016 DE 01 DE JUNHO DE REMANEJAMENTO ENTRE FATEC s EDITAL DE TRANSFERÊNCIA FATEC TAUBATÉ Nº. 01/2016 DE 01 DE JUNHO DE 2016. REMANEJAMENTO ENTRE FATEC s O Diretor da, no uso de suas atribuições legais, faz saber que serão abertas as inscrições para participação

Leia mais

ANATOMIA HUMANA EDITAL N. º 011/2015. I. DAS VAGAS, REMUNERAÇÃO, REGIME JURÍDICO E CARGA HORÁRIA.

ANATOMIA HUMANA EDITAL N. º 011/2015. I. DAS VAGAS, REMUNERAÇÃO, REGIME JURÍDICO E CARGA HORÁRIA. CONCURSO DE MONITORIA ANATOMIA HUMANA EDITAL N. º 011/2015. I. DAS VAGAS, REMUNERAÇÃO, REGIME JURÍDICO E CARGA HORÁRIA. 1- Número de vagas: 01 vaga 2- O aluno no exercício da função de monitor receberá

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 139/2009/CONEPE Aprova alteração nas Normas Específicas do Estágio

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Conselho Superior

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Conselho Superior RESOLUÇÃO Nº 045 CONSUPER/2015 Dispõe sobre Normas para o estabelecimento de Acordos/Convênios de Cooperação Internacional do IFC. O Presidente do do IFC, Professor Francisco José Montório Sobral, no uso

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO SÃO JUDAS TADEU ISESJT. RESOLUÇÃO CONSUP Nº 03/2014 Floriano, 10 de janeiro de 2014.

INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO SÃO JUDAS TADEU ISESJT. RESOLUÇÃO CONSUP Nº 03/2014 Floriano, 10 de janeiro de 2014. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO SÃO JUDAS TADEU ISESJT RESOLUÇÃO CONSUP Nº 03/2014 Floriano, 10 de janeiro de 2014. Fixa normas para o Programa de Iniciação Científica, no Instituto Superior de Educação

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CAMPUS VI POETA PINTO DO MONTEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E EXATAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CAMPUS VI POETA PINTO DO MONTEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E EXATAS PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR POR PRAZO DETERMINADO O coordenador do Curso de Letras, do Centro de Ciências Humanas e Exatas, da Universidade Estadual da Paraíba - UEPB, no uso de suas

Leia mais

Edital para Candidatura à Bolsa PPSIG/UFF-PDSE/CAPES

Edital para Candidatura à Bolsa PPSIG/UFF-PDSE/CAPES Edital para Candidatura à Bolsa PPSIG/UFF-PDSE/CAPES - 2017 EMENTA: Normatiza os procedimentos para inscrição e seleção de alunos do PPSIG-UFF interessados na candidatura à Bolsa do Programa Institucional

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 001/2016 BAC

RESOLUÇÃO Nº 001/2016 BAC RESOLUÇÃO Nº 001/2016 BAC Estabelece normas para orientar o registro de Atividades Complementares (AC) no Curso Bacharelado em Artes Cênicas da UNESPAR Campus Curitiba II FAP. Considerando a Lei nº. 9394/96

Leia mais

EDITAL DE BOLSA DO PROJETO MILTON SANTOS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ( PROMISAES 2013)

EDITAL DE BOLSA DO PROJETO MILTON SANTOS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ( PROMISAES 2013) UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS COORDENAÇÃO DE APOIO SOCIAL PROGRAMA ESTUDANTE CONVÊNIO DE GRADUAÇÃO PEC G EDITAL DE BOLSA DO PROJETO MILTON SANTOS DE ACESSO AO ENSINO

Leia mais