LEI Nº 391/2010, DE 13 DE OUTUBRO DE 2010.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEI Nº 391/2010, DE 13 DE OUTUBRO DE 2010."

Transcrição

1 LEI Nº 391/2010, DE 13 DE OUTUBRO DE INSTITUI NO ÂMBITO DO MUNICÍPIO DE ITAIÓPOLIS, O REGIME JURÍDICO -TRIBUTÁRIO DIFERENCIADO, FAVORECIDO E SIMPLIFICADO CONCEDIDO ÀS MICROEMPRESAS ME, E ÀS EMPRESAS DE PEQUENO PORTE - EPP, INSTITUÍDO PELA LEI COMPLEMENTAR Nº.123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006, PARA RECEPCIONAR A LEI COMPLEMENTAR Nº.128, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2008, NO QUE SE REFERE AO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI. HELIO CÉSAR WENDT, Prefeito Municipal de Itaiópolis, Estado de Santa Catarina, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela legislação em vigor, faz saber que a Câmara de Vereadores aprovou e ele sanciona e promulga a seguinte Lei: Art. 1º Fica recepcionada no âmbito do Município de Itaiópolis, a Lei Complementar nº.128, de 19 de dezembro de 2008, que alterou a Lei Complementar nº.123, de 14 de dezembro de 2006, no que se refere ao Microempreendedor Individual - MEI. Art. 2º Em consonância com a Lei Complementar nº.123, de 14 de dezembro de 2006 e Lei Complementar nº.128, de 22 de dezembro de 2008, considera-se Microempreendedor Individual - MEI, o empresário individual a que se refere o art.966 da Lei Federal nº de 10 de janeiro de Código Civil, que tenha auferido receita bruta no ano calendário anterior, de até R$ ,00 (trinta e seis mil reais), e atenda aos requisitos a ele relativos, previstos na Lei Complementar nº.123/2006, art. 18-A, 18-B e 18-C, na redação da Lei Complementar nº.128/ º No caso de constituição da empresa no decorrer do exercício, esta receita bruta será proporcional aos meses em que a empresa foi constituída até o final do exercício, considerados as frações de meses como um mês inteiro, sendo que a receita mensal não poderá exceder a R$ 3.000,00 (três mil reais). 2º Aos empreendedores que já possuem inscrição no CNPJ, a opção somente poderá ser feita no mês de janeiro de cada ano. Art. 3º O processo de registro do Microempreendedor Individual deverá ter trâmite especial, opcional para o empreendedor na forma a ser disciplinada pela Legislação Federal e, pelo Comitê para Gestão da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios. 1º Exceto nos casos em que o grau de risco da atividade seja considerado alto, poderá o Município conceder Alvará de Funcionamento Provisório para o Microempreendedor Individual, para Microempresas e para Empresas de Pequeno Porte:

2 I - instaladas em áreas desprovidas de regulação fundiária legal ou com regulamentação precária; II - em residência do microempreendedor individual ou do titular ou sócio da microempresa ou empresa de pequeno porte, na hipótese em que a atividade não gere grande circulação de pessoas, devendo o mesmo efetivar junto ao órgão municipal consulta de viabilidade; III - o ambulante que trabalha em lugar fixo deverá consultar o órgão do Município antes de fazer o registro, em relação ao tipo de atividade a ser desenvolvida e ao local onde será ocupado provisoriamente e/ou definitivamente, em estrita observância as Normas Municipais de Uso e Ocupação do Solo e Posturas Municipais, para que não ocorra prejuízo à coletividade e ao próprio Microempreendedor Individual. 2º Caso o Município verifique que os requisitos legais não foram atendidos pelo Microempreendedor Individual, poderá no prazo de 180 (cento e oitenta dias) após a inscrição, proceder ao cancelamento de todas as inscrições e opções do Microempreendedor Individual. 3º Na hipótese do Microempreendedor Individual não ser fiel ao cumprimento das normas por este declaradas, ficará o mesmo sujeito a multas, apreensões, e até ao fechamento e cancelamento do registro do empreendimento. Art. 4º Ficam os Escritórios Contábeis enquadrados no Simples Nacional, individualmente ou por meio de suas entidades representativas de classe, nos termos do 22-B do Artigo 18 da Lei Complementar Federal nº.123/06, obrigados a promover atendimento gratuito relativo a inscrição, à opção de que trata o artigo 18-A desta Lei Complementar Federal, bem como à primeira Declaração Anual do Microempreendedor Individual. 1º Na hipótese de descumprimento das obrigações previstas no caput deste artigo, o Escritório Contábil será excluído do Simples Nacional, a partir do mês subseqüente ao do descumprimento, na forma regulamentada pelo Comitê Gestor do Simples Nacional. Art. 5º Ficam reduzidos a 0 (zero) os valores referentes as Taxas Municipais (Taxa de Fiscalização Instalação e Funcionamento, Taxa Vistoria Alvará Sanitário, Taxa Municipal do Fummpom e, Taxa Municipal do Funrebom), emolumentos e demais custos relativos à concessão do alvará inicial, à inscrição, ao registro, à licença, ao cadastro e aos demais itens relativos ao disposto neste artigo. 1º A partir da renovação do alvará de licença as Taxas Municipais serão devidas nos mesmos termos para os demais contribuintes estabelecidos no âmbito do Município de Itaiópolis. 2º Como forma de incentivo fiscal, o Município de Itaiópolis, efetuará o lançamento do Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU como sendo residencial, desde que requerido pelo Microempreendedor Individual no ato de formalização de sua inscrição e antes do vencimento das parcelas do respectivo tributo.

3 Art. 6º O Microempreendedor Individual - MEI deverá recolher os impostos e contribuições abrangidos pelo Simples Nacional em valores fixos mensais, independentemente da receita bruta por ele auferida no mês, obedecidas as normas específicas previstas nos artigos 18-A, 18-B e 18-C da Lei Complementar nº.123/2006, na redação da Lei Complementar nº.128/2008, e na forma regulamentada pelo Comitê Gestor. 1º Em relação ao disposto no "caput", o valor relativo ao ISSQN - Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza, caso o Microempreendedor Individual - MEI seja contribuinte desse imposto, será devido no valor de R$ 5,00 (cinco reais), independentemente da receita bruta por ele auferida no mês. 2º O recolhimento em atraso dos tributos estará sujeito aos acréscimos legais previstos na legislação do Imposto sobre a Renda - Lei Federal nº.9.430/96 - e conforme 3º, do artigo 23 da Lei Complementar Federal nº.123/2006, sendo: a) Multa de 0,33% ao dia de atraso, calculada a partir do primeiro dia subseqüente ao do vencimento do prazo previsto para o pagamento do tributo até o dia em que ocorrer o seu pagamento, limitada a 20,00%; b) Juros equivalentes à Taxa Referencial do Sistema Especial de Liquidação e Custódia - SELIC acumulada mensalmente, calculados a partir do primeiro dia do mês subseqüente ao vencimento do prazo até o mês anterior ao pagamento e de 1,00% no mês de pagamento. Art. 7ºExceto em relação ao ISSQN devido mensalmente, ao Microempreendedor Individual aplicam-se todos os benefícios fiscais concedidos pela Legislação Municipal às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. Art. 8º O recolhimento dos valores constantes no artigo 5º. Desta Lei será através do Documento de Arrecadação do Simples Nacional - DAS. 1º: Ao Microempreendedor Individual será possível gerar, de uma só vez, os DAS, relativo ao exercício correspondente, devendo ser recolhido mensalmente, devendo o pagamento ser efetuado na rede bancária e casas lotéricas até o dia 20 (vinte) de cada mês, ou nos prazos definidos pelo CGSN. Art. 9º Ao Microempreendedor Individual será permitido contratar apenas 01 (um) empregado, com remuneração exclusiva de 01 (um) salário mínimo e / ou piso da categoria profissional. Art. 10º Ao Microempreendedor Individual é proibido realizar cessão ou locação de mão - de -obra, tendo em vista que o benefício fiscal criado pela Lei Complementar Federal nº.128/2008 destina-se apenas ao empreendedor e não a empresa que o contrata. 1º: Constitui cessão de mão - de - obra, quando os serviços:

4 I - constitua necessidade contínua do contratante, ligados ou não à sua atividade - fim; II - sejam executados nas dependências do contratante ou de terceiros por ele indicados; 2º: É permitido ao Microempreendedor Individual prestar serviços à pessoa jurídica desde que: I - os serviços constituam necessidade contínua da contratante, ligados ou não à sua atividade - fim; II - os serviços constituam necessidade contínua da contratante, ligados ou não a sua atividade - fim, mas que sejam executados nas dependências do estabelecimento do microempreendedor individual. Art.11 As atividades permitidas para enquadramento como Microempreendedor Individual são aquelas definidas na Legislação Federal para o Simples Nacional. Art. 12 O Microempreendedor Individual cujo faturamento exceder o valor da Receita Bruta Anual de R$ ,00 (trinta e seis mil reais), estará sujeito aos critérios estabelecidos no artigo 18- A da Lei Complementar Federal nº.123/2006, devendo ser considerado as seguintes situações: I - O faturamento excedeu R$ ,00 (trinta e seis mil reais), porém não ultrapassou o limite de 20,00% (vinte por cento), o Microempreendedor Individual será incluído no regime de recolhimento previsto para as Microempresas do Simples Nacional, sendo que o valor do excesso será acrescido ao faturamento do mês de janeiro do ano - calendário subseqüente, recolhidos no DAS - Documento de Arrecadação do Simples Nacional deste mês sem acréscimos legais de multa de mora, devendo ser em parcela única; II - O faturamento excedeu os 20,00% sobre o valor da Receita Bruta Anual de R$ ,00 (trinta e seis mil reais), será o Microempreendedor Individual incluído no regime de recolhimento pelo faturamento bruto previsto para as Microempresas do Simples Nacional, e será retroativo ao início de suas atividades e no mesmo ano do excesso de faturamento, sendo devido os acréscimos legais de multa de mora e juros de mora previstos na legislação, conforme dispõe o 2º do artigo 6º desta Lei Municipal, os quais deverão ser recolhidos no DAS- Documento de Arrecadação do Simples Nacional. Art. 13º Os Microempreendedores Individuais com receita bruta acumulada no ano - calendário de até R$ ,00 (trinta e seis mil reais), farão a comprovação da receita bruta mediante apresentação do registro de vendas ou de prestação de serviços, ficando dispensados da emissão do documento fiscal de venda ou prestações de serviço, devendo observar os seguintes critérios: I - deverão ser anexados ao registro de vendas ou de prestação de serviços, os documentos fiscais comprobatórios das entradas de mercadorias e serviços tomados referente ao período, bem como os documentos fiscais relativos às operações ou prestações realizadas eventualmente emitidos;

5 II - será obrigatória a emissão de documento fiscal nas vendas e nas prestações de serviços realizadas para destinatários inscritos no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), ficando dispensado desta emissão para consumidor final inscrito no Cadastro Nacional de Pessoas Físicas (CPF). Art. 14 Ao Microempreendedor Individual é obrigatório o registro mensal, em formulário simplificado, do total da receita bruta auferida no período, mantendo em seu poder as notas fiscais de entradas de mercadorias e de serviços. Art. 15 Ficam os Microempreendedores Individuais, em relação às Obrigações Acessórias a seguir as mesmas normas já estabelecidas na Legislação Municipal para os demais contribuintes do Município. Art. 16 Os valores devidos de ISSQN previsto no 1º do artigo 6º, desta Lei, serão atualizados monetariamente anualmente, na mesma data e nos mesmos percentuais aplicados aos demais tributos municipais. Art. 17.Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, e seus efeitos jurídicos - tributários são retroativos a Itaiópolis, 13 de outubro de HELIO CÉSAR WENDT Prefeito Municipal Registrada e publicada a presente Lei na Secretaria Municipal de Administração e Finanças, nesta data. RAUL FERREIRA Secretário Municipal de Administração e Finanças

Edinando Luiz Brustolin Assessor Jurídico da FECAM

Edinando Luiz Brustolin Assessor Jurídico da FECAM Edinando Luiz Brustolin Assessor Jurídico da FECAM Natureza jurídica do MEI Microempreendedor Individual é a pessoa natural que exerce atividade econômica de maneira profissional e habitual, individual

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CLÁUDIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CLÁUDIA LEI Nº 559/2015 DATA: 12 DE FEVEREIRO DE 2015 INSTITUI A COBRANÇA DE TAXA DE SERVIÇOS SOBRE ATIVIDADES DE LICENCIAMENTO E FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL NO ÂMBITO DO MUNICÍPIO DE CLÁUDIA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

Microempreendedor Individual Aspectos Tributários

Microempreendedor Individual Aspectos Tributários Microempreendedor Individual Aspectos Tributários SILAS SANTIAGO CÂMARA DOS DEPUTADOS/CFT Audiência PúblicaP Brasília, 26 de maio de 2009. Gestão o do Simples Nacional Gestão o do Simples Nacional Comitê-Gestor

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA DECRETO Nº 16406, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011 PUBLICADO NO DOE Nº 1876, DE 15 DE DEZEMBRO 2011

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA DECRETO Nº 16406, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011 PUBLICADO NO DOE Nº 1876, DE 15 DE DEZEMBRO 2011 DECRETO Nº 16406, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2011 PUBLICADO NO DOE Nº 1876, DE 15 DE DEZEMBRO 2011 CONSOLIDADO ALTERADO PELO DECRETO: 16753 DOE Nº 1977, de 17.05.12 Dispõe sobre a exclusão do Simples Nacional.

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil COMO UTILIZAR A TABELA PRÁTICA NO CÁLCULO DE CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS EM ATRASO

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil COMO UTILIZAR A TABELA PRÁTICA NO CÁLCULO DE CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS EM ATRASO MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil COMO UTILIZAR A TABELA PRÁTICA NO CÁLCULO DE CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS EM ATRASO Orientação para divulgação na Internet e Intranet Prezados

Leia mais

PROPOSIÇÃO DE LEI Nº 760/CMSR/2015

PROPOSIÇÃO DE LEI Nº 760/CMSR/2015 DISPÕE SOBRE A CONTRIBUIÇÃO PARA CUSTEIO DO SERVIÇO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O povo de Santana do Riacho, através de seus legítimos representantes, aprova e eu, André Ferreira Torres,

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N 059, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2009.

LEI COMPLEMENTAR N 059, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2009. LEI COMPLEMENTAR N 059, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2009. Institui a Lei Geral Municipal da Microempresa, Empresa de Pequeno Porte e Microempreendedor Individual, e dá outras providências. PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL EMPREENDEDOR INDIVIDUAL 1 Oportunidade de regularização para os empreendedores individuais, desde a vendedora de cosméticos, da carrocinha de cachorro-quente ao pipoqueiro. 2 Receita Bruta de até R$ 36

Leia mais

Orientações ao Microempreendedor Individual - MEI Qua, 01 de Julho de :09 - Última atualização Qua, 01 de Julho de :30

Orientações ao Microempreendedor Individual - MEI Qua, 01 de Julho de :09 - Última atualização Qua, 01 de Julho de :30 Abordaremos neste trabalho as regras gerais aplicáveis ao Microempreendedor Individual (MEI), no âmbito do Simples Nacional, tomando como base a publicação da Resolução CGSN nº 58, de 27 de abril de 2009,

Leia mais

R.: A contribuição sindical é devida por todos aqueles que participarem de uma determinada categoria econômica ou profissional.

R.: A contribuição sindical é devida por todos aqueles que participarem de uma determinada categoria econômica ou profissional. DÚVIDAS FREQÜENTES: 1. QUEM DEVE PAGAR A CONTRIBUIÇÃO R.: A contribuição sindical é devida por todos aqueles que participarem de uma determinada categoria econômica ou profissional. 2. EMPRESA NÃO FILIADA

Leia mais

CARTILHA DE INFORMAÇÕES SOBRE O BENEFÍCIO CREDITÍCIO

CARTILHA DE INFORMAÇÕES SOBRE O BENEFÍCIO CREDITÍCIO SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO Programa de Apoio ao Empreendimento Produtivo do Distrito Federal CARTILHA DE INFORMAÇÕES SOBRE

Leia mais

Workshop Simples Nacional Regime Jurídico e Gestão do ISSQN. Programa: O que a Fazenda anda fazendo 9 de Dezembro de 2014 Prédio da PBH

Workshop Simples Nacional Regime Jurídico e Gestão do ISSQN. Programa: O que a Fazenda anda fazendo 9 de Dezembro de 2014 Prédio da PBH Workshop Simples Nacional Regime Jurídico e Gestão do ISSQN Programa: O que a Fazenda anda fazendo 9 de Dezembro de 2014 Prédio da PBH Cobrança do ISSQN Inscrição em Dívida Ativa A Inscrição dos débitos

Leia mais

Microempreendedor Individual MEI

Microempreendedor Individual MEI Universidade Estadual de Goiás - UNUCSEH Núcleo Interdisciplinar de Estudos Independentes NIEI 3º ano Aluna: Christiane Rocha Cunha Microempreendedor Individual MEI V. OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS 1. Principais

Leia mais

Estado de Santa Catarina GOVERNO MUNICIPAL DE IPUMIRIM

Estado de Santa Catarina GOVERNO MUNICIPAL DE IPUMIRIM LEI COMPLEMENTAR Nº 84, de 20 de Maio de 2010. Dispõe sobre a Lei Geral do Simples Nacional, em conformidade com a Lei Complementar Federal nº 123, de 14 de dezembro de 2006 e alterações; dá outras providências.

Leia mais

Caso não consiga visualizar este , acesse o link: 0231/11

Caso não consiga visualizar este  , acesse o link:  0231/11 Página 1 de 5 Caso não consiga visualizar este e-mail, acesse o link: 0231/11 05/12/2011 SIMPLES NACIONAL - CONSOLIDAÇÃO DAS NORMAS E REGULAMENTAÇÃO DA LC 139/2011 Senhor Presidente, No dia 1º de dezembro

Leia mais

Roteiro para o Microempreendedor Individual (MEI)

Roteiro para o Microempreendedor Individual (MEI) Roteiro para o Microempreendedor Individual (MEI) (atualizado em 05/10/2009) 1. O que é Microempreendedor Individual? Considera-se MEI o empresário individual a que se refere o art. 966 da Lei nº 10.406,

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO. Professora: Renata Salles Mesquita

DIREITO PREVIDENCIÁRIO. Professora: Renata Salles Mesquita DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Renata Salles Mesquita EMPREGADO, TRABALHADOR AVULSO E EMPREGADO DOMÉSTICO: ESSES CONTRIBUEM COM UM PERCENTUAL SOBRE OS SEUS SALÁRIOS-DE-CONTRIBUIÇÃO, DEVENDO SER RESPEITADOS

Leia mais

Projeto de lei 4330/ quadro comparativo entre as redações aprovadas na Câmara dos Deputados

Projeto de lei 4330/ quadro comparativo entre as redações aprovadas na Câmara dos Deputados Projeto de lei 4330/2004 - quadro comparativo entre as redações aprovadas na Câmara dos Deputados PL 4330 - projeto original apresenta à Ementa: Dispõe sobre o contrato de prestação de serviços e as relações

Leia mais

RESOLUÇÃO CGSN Nº 60, DE 22 DE JUNHO DE 2009

RESOLUÇÃO CGSN Nº 60, DE 22 DE JUNHO DE 2009 DOU 24.06.2009 RESOLUÇÃO CGSN Nº 60, DE 22 DE JUNHO DE 2009 Altera as Resoluções CGSN n 4, de 30 de maio de 2007, n 10, de 28 de junho de 2007, n 18, de 10 de agosto de 2007, n 51, de 22 de dezembro de

Leia mais

PORTARIA Nº 077/2013-GS/SEMUT NATAL(RN), 25 DE NOVEMBRO DE 2013.

PORTARIA Nº 077/2013-GS/SEMUT NATAL(RN), 25 DE NOVEMBRO DE 2013. Publicado no DOM Nº 2655 de 27/11/2013 PORTARIA Nº 077/2013-GS/SEMUT NATAL(RN), 25 DE NOVEMBRO DE 2013. Disciplina o procedimento de indeferimento de opção e de exclusão de ofício ao Regime Especial Unificado

Leia mais

LEI N Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono e promulgo a. seguinte lei:

LEI N Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono e promulgo a. seguinte lei: LEI N. 6.869 Altera, acrescenta e revoga dispositivos e tabelas que especifica, da Lei Municipal nº 1.389, de 27 de dezembro de 1966, que instituiu o Código Tributário do Município de Poços de Caldas,

Leia mais

Obrigações Acessórias Hipóteses e limites. Efeitos do descumprimento.

Obrigações Acessórias Hipóteses e limites. Efeitos do descumprimento. Simples Nacional em Debate Obrigações Acessórias Hipóteses e limites. Efeitos do descumprimento. Patrícia Lenz Koinaski Porto Alegre, 1º/10/2007 INSCRIÇÃO, OPÇÃO E CADASTRO Obrigação de inscrição nos entes

Leia mais

DECRETO N.º 026/2015 DE 22 DE MAIO DE 2015

DECRETO N.º 026/2015 DE 22 DE MAIO DE 2015 DECRETO N.º 026/2015 DE 22 DE MAIO DE 2015 Regulamenta o sistema de preços públicos no Município de Madre de Deus, aprova as tabelas de valores e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE MADRE DE

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SMF Nº 01, DE 08 DE FEVEREIRO DE 2013.

INSTRUÇÃO NORMATIVA SMF Nº 01, DE 08 DE FEVEREIRO DE 2013. INSTRUÇÃO NORMATIVA SMF Nº 01, DE 08 DE FEVEREIRO DE 2013. Estabelece procedimentos a serem adotados pelos estabelecimentos bancários quanto à arrecadação de tributos e demais receitas do município. CAPÍTULO

Leia mais

Art. 1º O Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana - IPTU, a Taxa de Limpeza Pública - TLP,

Art. 1º O Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana - IPTU, a Taxa de Limpeza Pública - TLP, DECRETO nº 311, de 03 de fevereiro de 2006 Dispõe sobre o lançamento e a cobrança do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana IPTU, da Taxa de Limpeza Pública TLP, da Taxa de Conservação

Leia mais

O Microempreendedor Individual MEI é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário.

O Microempreendedor Individual MEI é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. 1) O QUE É? O Microempreendedor Individual MEI é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. A Lei Complementar nº 128 de 19/12/2008 que criou condições especiais

Leia mais

Dispensa da retenção referente ao INSS nos pagamentos realizados as empresas constituídas como EI

Dispensa da retenção referente ao INSS nos pagamentos realizados as empresas constituídas como EI Dispensa da retenção referente ao INSS nos pagamentos realizados as empresas constituídas como EI Brasília, 01 de agosto de 211 Unidade de Políticas Públicas Nota Técnica 02/2011 1 Nota Técnica UPP 02/2011

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre o parcelamento do Simples Nacional

Perguntas e Respostas sobre o parcelamento do Simples Nacional Perguntas e Respostas sobre o parcelamento do Simples Nacional 1. Quem pode parcelar? Todos os contribuintes que tenham débitos de ICMS declarados e apurados (DASN) no período de 07/2007 a 12/2011 no Portal

Leia mais

Altera a Lei nº ,de 27 de dezembro de 1999, que dispõe sobre a Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos.

Altera a Lei nº ,de 27 de dezembro de 1999, que dispõe sobre a Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos. GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Gabinete Civil da Governadoria Superintendência de Legislação LEI Nº 16.653, DE 23 DE JULHO DE 2009 Altera a Lei nº 13.569,de 27 de dezembro de 1999, que dispõe sobre a Agência

Leia mais

I mediante solicitação da instituição financeira que efetivar a quitação antecipada da operação;

I mediante solicitação da instituição financeira que efetivar a quitação antecipada da operação; COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROJETO DE LEI N o 1.150, DE 2011 Dispõe sobre o Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários IOF. Autora: Deputada

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL DIRETORIA DE ATENDIMENTO. Programa de Educação Previdenciária

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL DIRETORIA DE ATENDIMENTO. Programa de Educação Previdenciária Ministério da Previdência Social INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL DIRETORIA DE ATENDIMENTO Todos que se inscrevem na Previdência Social podem escolher como vão contribuir. Isso permite que o segurado

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA N 6419, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007.

RESOLUÇÃO CONJUNTA N 6419, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007. RESOLUÇÃO CONJUNTA N 6419, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2007. Dispõe sobre a comprovação da condição de Pequena Empresa nas aquisições públicas do Estado de Minas Gerais, o compartilhamento de informações entre

Leia mais

Programa de Estímulo à Cidadania Fiscal do Estado de São Paulo Projeto Nota Fiscal Paulista

Programa de Estímulo à Cidadania Fiscal do Estado de São Paulo Projeto Nota Fiscal Paulista Programa de Estímulo à Cidadania Fiscal do Estado de São Paulo Projeto Nota Fiscal Paulista 14/08/07 OBJETIVO Incentivar os adquirentes de mercadorias, bens e serviços de transporte interestadual e intermunicipal

Leia mais

PREFEITURA DO ALEGRETE-RS ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE GOVERNO SEÇÃO DE LEGISLAÇÃO DECRETO Nº. 251, DE 26 DE MAIO DE 2014.

PREFEITURA DO ALEGRETE-RS ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DE GOVERNO SEÇÃO DE LEGISLAÇÃO DECRETO Nº. 251, DE 26 DE MAIO DE 2014. DECRETO Nº. 251, DE 26 DE MAIO DE 2014. Dá nova regulamentação ao gerenciamento eletrônico do ISSQN - Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza, a Escrituração Econômico-Fiscal e a emissão de Documento

Leia mais

Pergunte à CPA Decreto /2015

Pergunte à CPA Decreto /2015 Pergunte à CPA Decreto 61.084/2015 Alterações no artigo 132-A: Artigo 132-A - Ressalvado o disposto no artigo 132, nas demais hipóteses previstas na legislação, tais como não-obrigatoriedade de uso de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº03/2014. I para a anuidade do ano de inscrição, 50% (cinquenta por cento) = R$ 300,00(Trezentos Reais) ;

RESOLUÇÃO Nº03/2014. I para a anuidade do ano de inscrição, 50% (cinquenta por cento) = R$ 300,00(Trezentos Reais) ; RESOLUÇÃO Nº03/2014 Fixa o valor das contribuições obrigatórias para o ano de 2015 e dá outras providências. O CONSELHO SECCIONAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL EM ALAGOAS, no uso das atribuições legais,

Leia mais

O que houve? A Resolução nº 590/2013 alterou os dispositivos da Resolução SEFAZ nº 194/

O que houve? A Resolução nº 590/2013 alterou os dispositivos da Resolução SEFAZ nº 194/ Rio de Janeiro, 18 de fevereiro de 2013 Of. Circ. Nº 065/13 Ref.: Resolução SEFAZ-RJ nº 590/2013. Senhor Presidente, Seguem, para conhecimento, as informações pertinentes à Resolução SEFAZ-RJ nº 590/2013,

Leia mais

REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº C DE O CONGRESSO NACIONAL decreta:

REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº C DE O CONGRESSO NACIONAL decreta: REDAÇÃO FINAL PROJETO DE LEI Nº 5.230-C DE 2013 Altera a Lei nº 12.592, de 18 de janeiro 2012, para dispor sobre o contrato de parceria entre os profissionais que exercem as atividades de Cabeleireiro,

Leia mais

GRCS CONTRIBUIÇÃO SINDICAL

GRCS CONTRIBUIÇÃO SINDICAL GRCS CONTRIBUIÇÃO SINDICAL O MTE Ministério do Trabalho e Emprego em http://portal.mte.gov.br/co nt_sindical/, descreve que: A contribuição sindical está prevista nos artigos 578 a 591 da CLT. Possui natureza

Leia mais

Lauro de Freitas DECRETO Nº DE 20 DE JANEIRO DE 2015.

Lauro de Freitas DECRETO Nº DE 20 DE JANEIRO DE 2015. 2 - Ano III - Nº 291 Decretos DECRETO Nº 3.824 DE 20 DE JANEIRO DE 2015. Institui a Certidão de Regularidade Fiscal da Construção Civil CRFCC. O PREFEITO MUNICIPAL DE LAURO DE FREITAS, Estado da Bahia,

Leia mais

Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu, Paulo César Silva, Prefeito Municipal, sanciono e promulgo a seguinte lei:

Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu, Paulo César Silva, Prefeito Municipal, sanciono e promulgo a seguinte lei: Institui o Programa Temporário de Pagamento Incentivado de Débitos para com a Fazenda Pública do Município de Poços de Caldas- POÇOS EM DIA II e dá outras providências. Faço saber que a Câmara Municipal

Leia mais

10. Instrução Normativa AGE Nº 001, de 25 de Abr. de DOE

10. Instrução Normativa AGE Nº 001, de 25 de Abr. de DOE 10. Instrução Normativa AGE Nº 001, de 25 de Abr. de 2008. DOE 28.04.2008 Instrução Normativa AGE nº 001, de 25 de abril de 2008. Institui normas e rotinas para padronização e uniformização dos procedimentos

Leia mais

A retenção previdenciária em face das recentes mudanças legais na contratação de serviço: MEI, empresas, desoneração e contribuintes individuais

A retenção previdenciária em face das recentes mudanças legais na contratação de serviço: MEI, empresas, desoneração e contribuintes individuais com Alexandre Matias Silva A retenção previdenciária em face das recentes mudanças legais na contratação de serviço: MEI, empresas, desoneração e contribuintes individuais Das 09h às 11h - Sede do Sindcont-SP

Leia mais

INFORMATIVO DO SIMPLES NACIONAL COMISSÃO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS OAB/RO

INFORMATIVO DO SIMPLES NACIONAL COMISSÃO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS OAB/RO INFORMATIVO DO SIMPLES NACIONAL COMISSÃO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS OAB/RO 2014 INTRODUÇÃO: A necessária inclusão no Simples Nacional, e a vitória da advocacia! Foi aprovada recentemente a inclusão das sociedades

Leia mais

.Título V Das obrigações comuns..capítulo I Das disposições preliminares

.Título V Das obrigações comuns..capítulo I Das disposições preliminares .Título V Das obrigações comuns.capítulo I Das disposições preliminares Art. 98. É obrigação de todo contribuinte exibir os livros fiscais e comerciais, comprovantes da escrita e documentos instituídos

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Redução do montante do impostos recolhido nas operações de importação - PE

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Redução do montante do impostos recolhido nas operações de importação - PE Redução do montante do impostos recolhido nas operações de importação - PE 24/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4

Leia mais

Ao clicar no botão NOVO, o contribuinte deverá fazer o preenchimento da BASE LEGAL, seguinte forma:

Ao clicar no botão NOVO, o contribuinte deverá fazer o preenchimento da BASE LEGAL, seguinte forma: ORIENTAÇÕES SOBRE O PREENCHIMENTO DA DMS PARA OS OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL Conforme a Resolução CGSN Nº 010 de 28/06/2007 do Comitê Gestor do Simples Nacional, as microempresas (ME) e as empresas de

Leia mais

PORTARIA Nº 290, DE 09 DE NOVEMBRO DE 2009

PORTARIA Nº 290, DE 09 DE NOVEMBRO DE 2009 Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal PORTARIA Nº 290, DE 09 DE NOVEMBRO DE 2009 Estabelece normas para emissão dos Atestados de Implantação Provisório e Definitivo para os empreendimentos

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA Consolidado, alterado pelo Decreto: 18829, de 05.05.14 DOE nº 2450, de 05.05.14 GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA DECRETO N. 18426, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2013. PUBLICADO NO DOE Nº 2358, DE 10.12.13 Institui

Leia mais

*Lei Complementar 374/2009: CAPÍTULO I DA INSCRIÇÃO, LEGALIZAÇÃO E BAIXA

*Lei Complementar 374/2009: CAPÍTULO I DA INSCRIÇÃO, LEGALIZAÇÃO E BAIXA *Lei Complementar 374/2009: LEI COMPLEMENTAR Nº 374, DE 23 DE SETEMBRO DE 2009. REGULAMENTA O TRATAMENTO DIFERENCIADO E FAVORECIDO ÀS MICROEMPRESAS, ÀS EMPRESAS DE PEQUENO PORTE E AOS MICROEMPRESÁRIOS

Leia mais

LEI Nº 716 DE 11 DE JULHO DE 1985.

LEI Nº 716 DE 11 DE JULHO DE 1985. LEI Nº 716 DE 11 DE JULHO DE 1985. Define microempresa e estabelece o tratamento administrativo-tributário adequado ao Estatuto da Microempresa no Município do Rio de Janeiro. Autor: Poder Executivo O

Leia mais

SOBRE O MEI. EXPERIENCIA Quem supera grandes desafios tem muito a ensinar. GUIA DEFINITIVO GRADUAÇÃO TRADICIONAL DIREITO ADMINISTRAÇÃO

SOBRE O MEI. EXPERIENCIA Quem supera grandes desafios tem muito a ensinar. GUIA DEFINITIVO GRADUAÇÃO TRADICIONAL DIREITO ADMINISTRAÇÃO VESTIBULAR 2017/1 EXPERIENCIA Quem supera grandes desafios tem muito a ensinar. GUIA DEFINITIVO SOBRE O MEI 1 GRADUAÇÃO TRADICIONAL DIREITO ADMINISTRAÇÃO vestibulararnaldo.com.br 3524-5151 / 99391-1115

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N O, DE 2016

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N O, DE 2016 PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR N O, DE 2016 (Do Sr. EDUARDO CURY) Institui o Programa de Incentivo à Regularização Fiscal do Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas

Leia mais

Os Municípios e o Microempreendedor Individual (MEI) ações e procedimentos

Os Municípios e o Microempreendedor Individual (MEI) ações e procedimentos Maio / 2011 Finanças Os Municípios e o Microempreendedor Individual (MEI) ações e procedimentos 1 Conheça melhor o que é o microempreendedor individual Kenia Ribeiro Microempreendedor individual (MEI)

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Venâncio Aires

Estado do Rio Grande do Sul Município de Venâncio Aires LEI Nº 5.520, DE 23 DE MAIO DE 2014 Autoriza o Poder Executivo a conceder repasse de recursos financeiros, constituído de auxílio financeiro, à Associação Telefônica Arroio Grande. AIRTON LUIZ ARTUS, PREFEITO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUAÇU ESTADO DE GOIÁS PODER EXECUTIVO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO CNPJ /

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUAÇU ESTADO DE GOIÁS PODER EXECUTIVO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO CNPJ / Lei nº 1.589/2010 Regulamenta a implantação de CONDOMÍNIO RESIDENCIAL HORIZONTAL e CONDOMÍNIO RESIDENCIAL VERTICAL e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE URUAÇU, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

RESOLUÇÃO SMF Nº 2.670, DE 27 DE JUNHO DE [Publicada no D.O. Rio de 28 de junho de 2011]

RESOLUÇÃO SMF Nº 2.670, DE 27 DE JUNHO DE [Publicada no D.O. Rio de 28 de junho de 2011] RESOLUÇÃO SMF Nº 2.670, DE 27 DE JUNHO DE 2011. [Publicada no D.O. Rio de 28 de junho de 2011] Altera a Resolução SMF nº 2.617, de 17 de maio de 2010, estabelecendo novas regras relativas à emissão da

Leia mais

INFORMATIVO GFIP/SEFIP

INFORMATIVO GFIP/SEFIP PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSS Diretoria de Receitas Previdenciárias DIREP Coordenação Geral de Arrecadação CGA Divisão de Declarações INFORMATIVO GFIP/SEFIP Nº 002 CONTRIBUINTE

Leia mais

DECISÃO da Diretoria Executiva em sua 8ª reunião realizada no dia 11 de novembro de 2015, ad-referendum do Plenário,

DECISÃO da Diretoria Executiva em sua 8ª reunião realizada no dia 11 de novembro de 2015, ad-referendum do Plenário, Publicado no D.O.U. nº 223 de 23/11/2015, Seção 1 pag. 138 e 139 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 472, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2015, (Alterada pela RN 482,09/06/2016) Dispõe sobre os valores das anuidades, taxas

Leia mais

LEI 8.849, DE 28 DE JANEIRO DE 1994

LEI 8.849, DE 28 DE JANEIRO DE 1994 LEI 8.849, DE 28 DE JANEIRO DE 1994 Altera a legislação do Imposto sobre a Renda e proventos de qualquer natureza, e dá outras providências. Faço saber que o presidente da República adotou a Medida Provisória

Leia mais

"24. soluções à base de acetona, em embalagens de conteúdo igual ou inferior a 500 ml, ;" (NR);

24. soluções à base de acetona, em embalagens de conteúdo igual ou inferior a 500 ml, ; (NR); Decreto nº 59.619, de 18.10.2013 - DOE SP de 19.10.2013 Introduz alterações no Regulamento do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº /07

RESOLUÇÃO CFC Nº /07 RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.115/07 Aprova a NBC T 19.13 Escrituração Contábil Simplificada para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais

Leia mais

LEI Nº. 1.361/2010 14 de abril de 2010. Autoria: Poder Executivo Municipal

LEI Nº. 1.361/2010 14 de abril de 2010. Autoria: Poder Executivo Municipal LEI Nº. 1.361/2010 14 de abril de 2010. Autoria: Poder Executivo Municipal ALTERA DISPOSITIVOS NA LEI Nº.1.303, DE 08 DE JULHO DE 2009, QUE REGULAMENTA NO MUNICIPIO DE CAMPO NOVO DO PARECIS O TRATAMENTO

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIAA DE ESTADO DA FAZENDA GERÊNCIA TRIBUTÁRIA SUBGERÊNCIA DE LEGISLAÇÃO E ORIENTAÇÃO TRIBUTÁRIA

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIAA DE ESTADO DA FAZENDA GERÊNCIA TRIBUTÁRIA SUBGERÊNCIA DE LEGISLAÇÃO E ORIENTAÇÃO TRIBUTÁRIA PARECER N 266/2015 ASSUNTO: PARECER INFORMATIVO EMENTA: OBRIGATORIEDADE OU DISPENSA DA EMISSÃO DO CTRC E RECOLHIMENTO DE ICMS NAS OPERAÇÕES DE ENTREGA DE MERCADORIAS RELATÓRIO Versam os autos sobre solicitação

Leia mais

SEBRAE SEBRAE DA LEI GERAL DAS. Quem são os Pequenos Negócios?

SEBRAE SEBRAE DA LEI GERAL DAS. Quem são os Pequenos Negócios? A IMPLEMENTAÇÃO DA LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS EM MATO GROSSO Quem são os Pequenos Negócios? PRODUTOR RURAL Pessoa física ou jurídica que explora a terra, com fins econômicos ou de subsistência

Leia mais

Curso á B sico Simples Nacional Edinando Brustolin

Curso á B sico Simples Nacional Edinando Brustolin Curso Básico ái Simples Nacional Simples Nacional Edinando Brustolin Sumário Aspectos tributários do Estatuto Nacionalda Microempresa e Empresa de Pequeno Porte Portal do Simples Nacional (aspectos operacionais)

Leia mais

1. Quem deve pagar a Contribuição Sindical (C.S.)? R.: Todas as empresas que participarem de uma determinada categoria econômica ou profissional.

1. Quem deve pagar a Contribuição Sindical (C.S.)? R.: Todas as empresas que participarem de uma determinada categoria econômica ou profissional. 1. Quem deve pagar a Contribuição Sindical (C.S.)? R.: Todas as empresas que participarem de uma determinada categoria econômica ou profissional. 2. Empresa não filiada ao sindicato é obrigada a pagar

Leia mais

Prefeitura do Município de Piracicaba Secretaria Municipal de Administração Departamento de Material e Patrimônio Divisão de Compras

Prefeitura do Município de Piracicaba Secretaria Municipal de Administração Departamento de Material e Patrimônio Divisão de Compras O, por intermédio da, comunica que, de acordo com o que dispõe a Lei Federal nº 8.666/93 e suas alterações, os Srs. Fornecedores da Prefeitura do Município de Piracicaba que desejarem se inscrever no CERTIFICADO

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS Substituição Tributação por CNAE

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS Substituição Tributação por CNAE ICMS Substituição Tributação por CNAE 18/10/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 6 5. Informações

Leia mais

DSPJ INATIVA Regras para Apresentação. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 15/01/2013. Sumário:

DSPJ INATIVA Regras para Apresentação. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 15/01/2013. Sumário: DSPJ INATIVA 2013 - Regras para Apresentação Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 15/01/2013. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - OBRIGATORIEDADE DE APRESENTAÇÃO 3 - ENTREGA DA DECLARAÇÃO 3.1 -

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Construção Civil possui IE e não é contribuinte de ICMS

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Construção Civil possui IE e não é contribuinte de ICMS Construção Civil possui IE e não é contribuinte de ICMS 29/10/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão...

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 1.217, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013

LEI COMPLEMENTAR Nº 1.217, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013 LEI COMPLEMENTAR Nº 1.217, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2013 Altera a Lei Complementar nº 1.111, de 25 de maio de 2010, que institui o Plano de Cargos e Carreiras dos servidores do Tribunal de Justiça do Estado

Leia mais

IRPF - Extrato do Processamento 2016

IRPF - Extrato do Processamento 2016 14/12/2016 Secretaria da Receita Federal do Brasil - Sistema desenvolvido pelo SERPRO IRPF - Extrato do Processamento 2016 CPF: 828.126.675-91 Nome: ALEXANDRA MARIA SANTOS GONCALVES Declaração: Ajuste

Leia mais

esocial Sistema de Escrituração das Obrigações Fiscais, Previdênciárias e Trabalhistas

esocial Sistema de Escrituração das Obrigações Fiscais, Previdênciárias e Trabalhistas esocial Sistema de Escrituração das Obrigações Fiscais, Previdênciárias e Trabalhistas O que é o esocial? O que é o esocial? O Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e

Leia mais

Quinta-feira, 31 de Março de 2016 Edição N 913 Caderno I

Quinta-feira, 31 de Março de 2016 Edição N 913 Caderno I DECRETO N. 016 DE 16 DE MARÇO DE 2016. Institui e regulamenta o uso da Nota Fiscal de Serviços Eletrônica NFS-e e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE PARATINGA, no uso das suas atribuições

Leia mais

Novo valor da UPF e entrada em vigor do Fethab Regional

Novo valor da UPF e entrada em vigor do Fethab Regional INFORME TÉCNICO APROSOJA Nº 125/2016 30 de junho de 2016 Novo valor da UPF e entrada em vigor do Fethab Regional A Aprosoja informa que, com a publicação da Portaria n. 122/2016 da Secretaria de Estado

Leia mais

SUCATA E LINGOTES E TARUGOS DE METAIS NÃO-FERROSOS

SUCATA E LINGOTES E TARUGOS DE METAIS NÃO-FERROSOS SUCATA E LINGOTES E TARUGOS DE METAIS NÃO-FERROSOS atualizado em 29/03/2016 ÍNDICE 1. CONCEITOS INICIAIS...4 1.1. Sucata...4 1.2. Diferimento...4 2. SISTEMA DE TRIBUTAÇÃO...4 3. NA AQUISIÇÃO DA SUCATA

Leia mais

GFIP - Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social OUTUBRO/2016

GFIP - Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social OUTUBRO/2016 Previdência Dia: 07 Trabalhista/Previdenciária Mês: 11/2016 GFIP - Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social Envio da Guia de Recolhimento do Fundo

Leia mais

IRPF 2013 Imposto de Renda Pessoa Física

IRPF 2013 Imposto de Renda Pessoa Física CIRCULAR Nº 10/2013 São Paulo, 21 de Fevereiro de 2013. IRPF 2013 Imposto de Renda Pessoa Física Ano-Base 2012 Prezado cliente, No dia 19 de Fevereiro de 2013 a Receita Federal publicou a Instrução Normativa

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 232 - Data 25 de agosto de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CONTRIBUIÇÃO SUBSTITUTIVA. LEI

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.000, DE 25 DE AGOSTO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 4.000, DE 25 DE AGOSTO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 4.000, DE 25 DE AGOSTO DE 2011 Altera e consolida as normas que dispõem sobre a realização de operações de microcrédito destinadas à população de baixa renda e a microempreendedores. O Banco

Leia mais

PLANO DE CAPITALIZAÇÃO VIP 300 CIA ITAÚ DE CAPITALIZAÇÃO PROCESSO SUSEP

PLANO DE CAPITALIZAÇÃO VIP 300 CIA ITAÚ DE CAPITALIZAÇÃO PROCESSO SUSEP PLANO DE CAPITALIZAÇÃO VIP 300 CIA ITAÚ DE CAPITALIZAÇÃO PROCESSO SUSEP 15414.001168.2002-18 CONDIÇÕES GERAIS VIP 300 GLOSSÁRIO Subscritor é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 732, DE 2011

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 732, DE 2011 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 732, DE 2011 Altera o 2º do art. 4º da Lei nº 10.522, de 19 de julho de 2002, que dispõe sobre o cadastro informativo dos créditos não quitados de órgãos e entidades

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 282/20104

PROJETO DE LEI Nº 282/20104 PROJETO DE LEI Nº 282/20104 Concede adicional de periculosidade para o servidor do poder legislativo municipal e dá outras providências. Art. 1 Fica instituído no Poder Legislativo Municipal de Jaboticabal,

Leia mais

CONSELHO DE GESTÃO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RESOLUÇÃO N.º 9, DE 27 DE JUNHO DE 2002

CONSELHO DE GESTÃO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RESOLUÇÃO N.º 9, DE 27 DE JUNHO DE 2002 CONSELHO DE GESTÃO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR RESOLUÇÃO N.º 9, DE 27 DE JUNHO DE 2002 Dispõe sobre o instituto da portabilidade em planos de benefícios de entidades fechadas de previdência complementar

Leia mais

PORTARIA Nº 129/2016-SEFAZ

PORTARIA Nº 129/2016-SEFAZ PORTARIA Nº 129/2016-SEFAZ Altera a Portaria n 005/2014-SEFAZ, de 30/01/2014 (DOE 31/01/2014), que dispõe sobre o Cadastro de Contribuintes do ICMS do Estado de Mato Grosso e dá outras providências. O

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ENTRE RIOS ESTADO DA BAHIA C.G.C. nº / DECRETO Nº. 729/2016 DE 04 DE JANEIRO DE 2016.

PREFEITURA MUNICIPAL DE ENTRE RIOS ESTADO DA BAHIA C.G.C. nº / DECRETO Nº. 729/2016 DE 04 DE JANEIRO DE 2016. 13 1 DECRETO Nº. 729/2016 DE 04 DE JANEIRO DE 2016. Institui o Calendário Fiscal de Arrecadação de Tributos do Município de Entre Rios, para o exercício de 2016 e dá outras providências O PREFEITO DO MUNICÍPIO

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA DE ESPIGÃO DO OESTE Procuradoria Geral do Município LEI Nº 1.532/2011

ESTADO DE RONDÔNIA PREFEITURA DE ESPIGÃO DO OESTE Procuradoria Geral do Município LEI Nº 1.532/2011 LEI Nº 1.532/2011 Dispõe sobre a autonomia financeira das unidades escolares urbanas e rurais da rede pública municipal de Ensino, orienta sua implantação, e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO

Leia mais

Lei Complementar Municipal Nº , de 28 de maio de 2014.

Lei Complementar Municipal Nº , de 28 de maio de 2014. Lei Complementar Municipal Nº. 1.463, de 28 de maio de 2014. Da nova redação a artigos que menciona e dá outras providências. O Povo do Município de Águas Formosas, Estado de Minas Gerais, por seus representantes

Leia mais

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Foi publicado no DOM de 10 de julho de 2010 o Decreto Nº 14.032/10 que autorizou a emissão de guias de recolhimento de Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis por

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE PARAGUAÇU PAULISTA Estado de São Paulo DECRETO Nº 5.574, DE 7 DE OUTUBRO DE 2013

PREFEITURA MUNICIPAL DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE PARAGUAÇU PAULISTA Estado de São Paulo DECRETO Nº 5.574, DE 7 DE OUTUBRO DE 2013 DECRETO Nº 5.574, DE 7 DE OUTUBRO DE 2013 Regulamenta a Lei Complementar Municipal nº 057/2005, Código Tributário do Município, e institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e). EDINEY TAVEIRA QUEIROZ,

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 76 75 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 72 - Data 24 de maio de 2016 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS PRESTADORES DE SERVIÇOS DA FIFA. APRESENTAÇÃO

Leia mais

A necessidade de normatizar a emissão da NFS-e para os estacionamentos de veículos; DETERMINA:

A necessidade de normatizar a emissão da NFS-e para os estacionamentos de veículos; DETERMINA: Instrução de Serviço GETM nº 002, de 17 de agosto de 2012. Estabelece regime especial para a emissão de Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) destinada a acobertar os serviços prestados por estacionamentos

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 6571 DE 31 DE OUTUBRO DE 2013 Insere dispositivos na lei nº 5.147/07, dispondo sobre a apresentação de denúncia espontânea por microempresa e empresa de pequeno porte optante pelo simples nacional,

Leia mais

Simples Nacional - microempreendedor individual (MEI)

Simples Nacional - microempreendedor individual (MEI) Simples Nacional - microempreendedor individual (MEI) por Leonardo Ribeiro Pessoa Sumário: 1. Introdução; 2. Opção; 2.1. Limite da receita bruta; 2.2. Recolhimento da contribuição para Seguridade Social

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SETOR DE LICITAÇÕES

PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SETOR DE LICITAÇÕES PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SETOR DE LICITAÇÕES EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO 009/2011 Secretaria Municipal de Administração Processos: 100094/2011 ROMILDO BOLZAN

Leia mais

Edição Número 217 de 13/11/2015 Ministério da Educação Secretaria de Educação Superior EDITAL Nº 33, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2015

Edição Número 217 de 13/11/2015 Ministério da Educação Secretaria de Educação Superior EDITAL Nº 33, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2015 Edição Número 217 de 13/11/2015 Ministério da Educação Secretaria de Educação Superior EDITAL Nº 33, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2015 PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS PROUNI PROCESSO SELETIVO - PRIMEIRO SEMESTRE

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº. 669, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2015

MEDIDA PROVISÓRIA Nº. 669, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2015 MEDIDA PROVISÓRIA Nº. 669, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2015 Altera a Lei nº 12.546, de 14 de dezembro de 2011, quanto à contribuição previdenciária sobre a receita bruta; a Lei nº 12.469, de 26 de agosto de

Leia mais

Janeiro-Dezembro/2014

Janeiro-Dezembro/2014 IRRF - Décimo terceiro salário 2014 - Roteiro Aqui serão analisados os aspectos gerais relacionados à retenção do Imposto de Renda incidente no pagamento do décimo terceiro salário. Introdução Os rendimentos

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Venâncio Aires

Estado do Rio Grande do Sul Município de Venâncio Aires PROJETO-DE-LEI Nº 075, DE 20 DE JUNHO DE 2012 Poder Executivo Dispõe sobre normas e procedimentos de parcelamento de créditos tributários do Município, relativos ao SIMPLES NACIONAL apurados mediante ações

Leia mais