Desenvolvimento de uma Prancha Eletrônica Portátil para Comunicação Alternativa Aumentativa (CAA) para crianças com deficiência

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Desenvolvimento de uma Prancha Eletrônica Portátil para Comunicação Alternativa Aumentativa (CAA) para crianças com deficiência"

Transcrição

1 Desenvolvimento de uma Prancha Eletrônica Portátil para Comunicação Alternativa Aumentativa (CAA) para crianças com deficiência Gustavo Moura Costa *, Xisto Lucas Travassos Júnior **, Cleber Vinícius Ribeiro De Almeida*** * Bolsista de Iniciação Tecnológica da Faculdade de Tecnologia SENAI CIMATEC, ** Engenheiro Eletricista, Doutor em Engenharia Elétrica, Orientador de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia SENAI CIMATEC, *** Engenheiro Eletricista, Mestre em Engenharia Elétrica, Orientador de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia SENAI CIMATEC. Resumo O projeto Sistema Eletrônico Portátil Baseado na Comunicação Alternativa Aumentativa (CAA) para Portadores de Necessidades Especiais, viabilizado pelo Edital 008/2008 Apoio a Projeto em Temas Estratégicos, da FAPESB, visa o desenvolvimento de um dispositivo eletrônico que facilite a comunicação e o aprendizado de portadores de necessidades especiais. Até o momento, têm-se o software de comunicação testado e validado por pacientes do CEPRED. Na fase atual, pretende-se desenvolver o hardware da versão final e comercial do dispositivo supracitado. Este é o objetivo principal das atividades desenvolvidas ao longo deste trabalho. Serão descritas a seguir as atividades desenvolvidas, bem como os resultados obtidos. Este artigo está estruturado em três tópicos: uma Introdução, com uma breve contextualização do problema e do projeto como um todo, a Metodologia, onde serão descritas as tarefas realizadas e os resultados alcançados, e, encerrando o documento, uma Conclusão. Palavras chave: Projeto de Sistemas Embarcados, Tecnologias Assistivas, Comunicação Alternativa Aumentativa, tablets. 1. Introdução O projeto consiste no desenvolvimento de um sistema eletrônico, portátil, adaptável, dinâmico, interativo e acessível de Comunicação Alternativa Aumentativa (CAA), aplicável em situações de comprometimento da expressão e compreensão lingüística associado à deficiência intelectual, transtornos específicos da linguagem, problemas sensoriais e/ou motores. Conta com o apoio da FAPESB (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia) e as parcerias do SENAI CIMATEC, do CEPRED (Centro Estadual de Prevenção e Reabilitação de Deficiências), da Faculté Polytechnique de Mons (Bélgica) e da empresa Distak Computadores Ltda. O sistema facilitará o desenvolvimento lingüístico, emocional, cognitivo e social de pessoas com transtornos comunicativos e/ou linguagem de natureza congênita, adquirida, degenerativa ou temporária.essas portadoras de necessidades especiais normalmente precisam de auxílio para executar tarefas básicas do dia-a-dia. Visando aumentar a inserção na sociedade destas pessoas o projeto propõe um equipamento inovador e de baixo custo baseado na comunicação alternativa e aumentativa para diminuir a dependência e aumentar a auto-estima objetivando uma maior inclusão na sociedade. A técnica atual baseia-se na confecção de pranchas de papel com figuras do padrão PCS (Picture Communication Symbols) ilustradas na 1

2 Figura 1. A confecção é feita com xerox das páginas de livros com figuras PCS ilustradas na Figura 2, que posteriormente são recortadas, montadas e coladas em uma folha de papel em branco. É um processo trabalhoso, que resulta em um material facilmente e rapidamente degradável, preto-e-branco e de baixo acamamento. Diferente do sistema eletrônico proposto, o qual fornece o material necessário para a comunicação efetiva e possui uma vida útil estendida. Figura 1 Figuras PCS adaptada do software Editor de Prancha Livre. Figura 2 Livro de figuras PCS. O objetivo é construir uma prancha eletrônica portátil resistente a manuseio abrupto com uma tela sensível ao toque (touchscreen) de 15 polegadas e espessura de 20 milímetros aproximadamente, alimentado por uma bateria de íon de lítio. O dispositivo se assemelha a um tablet, porém mais enxuto no que concernem os recursos de hardware. Antecedendo o período de vigência da bolsa, o desenvolvimento do software da Prancha Eletrônica Portátil de Comunicação (PEPC), proposta neste projeto e que será utilizado no sistema eletrônico a ser projetado, encontrava-se finalizado. O objetivo desse trabalho visa o estudo e concepção dos sistemas e circuitos que atendam aos requisitos mínimos para suprir as necessidades já conhecidas de hardware, de forma a compor as especificações do dispositivo. Assim, criando um sistema portátil. Viabilizando, dessa forma, o desenvolvimento da versão final de um produto de baixo custo e competitivo comercialmente, que possa ser distribuído como mais um dos recursos de Tecnologias Assistivas na rede pública de saúde em unidades como o CEPRED, parceira deste projeto. 2. Revisão bibliográfica Os componentes são organizados na placa de acordo com alguns critérios para evitar interferência entre sinais (crosstalk), bem como facilitar o roteamento. Os componentes são agrupados primeiramente pelo grupo funcional, Ethernet, USB, memória, etc. Depois são posicionados de acordo com o tipo de sinal, digital, analógico, alimentação, e por último são arrumados de modo a colocar os componentes que possuem o mesmo tipo de alimentação, próximos um do outro para poder gerar um plano de alimentação (MONTROSE, 2000). O roteamento, etapa onde são traçadas as trilhas de cobre por onde passaram os sinais do circuito eletrônico, ou seja, a definição de rotas, é uma etapa trabalhosa devido ao fato da quantidade significativa de trilhas e do fato de ser realizado, preferencialmente, de forma manual, aplicando os conhecimentos de compatibilidade eletromagnética (EMC) descritos em (MONTROSE, 2000). Os algoritmos de roteamento automático mais poderosos 2

3 existentes no mercado ainda não superam o discernimento humano (MONTROSE, 2000). Para os sinais de alimentação e terra são gerados planos de alimentação e terra que fornecem um isolamento entre as trilhas evitando a interferência produzida pelo campo magnético gerado pelo fio condutor além de manter o retorno do sinal mais próximo a ele, o que é importante. Existe um plano de terra para cada tipo de sinal, planos de terra analógicos e digitais, e existe um plano de alimentação para cada tipo de alimentação, 3.3V, 5V etc. O layout foi realizado com o auxílio do livro Printed Circuit Board Design Techniques for EMC Compliace, segunda edição, de Montrose publicado em Devido ao fato da tecnologia dos tablets, dispositivo o qual mais se aproxima do dispositivo proposto, ser recente, há ainda uma escassez de literatura técnica de desenvolvimento sobre o tema. 3. Metodologia Seguindo o fluxograma apresentado na Figura 3, as atividades realizadas neste trabalho estão representadas pelos itens destacados em amarelo, os quais correspondem a concepção do hardware do produto final. O projeto consiste de duas placas, a placa principal, onde está posicionado o processador e as memórias, e uma placa secundária, com processador próprio, responsável de gerenciamento de bateria e da alimentação do sistema: monitoramento, carga e descarga da bateria, efetuar os processos de turnon (ligar) e o shutdown (desligamento) do dispositivo. A placa de gerenciamente de baterias foi desenvolvida de acordo com as referências: (IPENS, 1998), (IEEE, 2008), (Electric Vehicles, 2005) e (PASSOLD et al., 2006). Figura 3 Fluxograma do projeto. Uma bancada de múltipla exibição, representada pela Figura 4, foi utilizada para a construção do hardware e criação do layout das PICs (Placas de Circuito Impresso) que 3

4 foram desenvolvidas, além de duas estações de montagem de placa onde os protótipos foram montados sendo uma delas dedicada para componentes BGA (Ball Grid Array), componentes que possuem os pads, terminais no formato de esferas feitas de solda, na parte inferior, representados pelas Figuras 5 e 6. Figura 4 Estação de múltipla exibição utilizada no projeto do hardware e layout da PCI. Figura 5 Bancada de montagem das Placas eletrônicas do protótipo. Figura 6 Estação de retrabalho para BGA. Inicialmente foi feito um estudo de sistemas que possuiam ferramentas semalhantes às que poderiam ser impregadas no projeto com atenção especial a placa dedicadas para desenvolvimento. Após algum estudo e pesquisas de topologias diferentes de sistemas e com algumas considerações de requisitos básicos para o projeto, foram definidos quais serias as especificações necessário para serem implemantados no hardware. Com as especificações do sistema definidas foram criadas bibliotecas dos componentes que fariam parte da mecânica da placa. A biblioteca de componente possui duas partes: o símbolo, representação do componente que o identificará no esquemático do circuito, e o encapsulamento, representação do componente físico no ambiente de desenvolvimento digital. Para o projeto da PCI foi utilizado como ferramenta computacional de CAD (Computer Aided Design) o software EAGLE (Easily Applicable Graphical Layout Editor) da CadService (SENAI CIMATEC, 2008), um software específico para a elaboração do layout de placas de circuito impresso que integra as funções do desenho do circuito elétrico (esquemático) ao projeto da PCI. Após a criação das bibliotecas iniciou-se o desenvolvimento do esquemático do circuito do projeto. O esquemático possui circuitos de alimentação, controlador, memória, configuração de boot e periféricos que incluem uma porta micro usb host e uma USB devise, uma entrada para SD-Card dedicada para boot do sistema e uma outra para utilização normal, comunicação ethernete e serial via RS-232 para comunicação com o módulo GSM e memória RAM de 256Mb. Boa parte do circuito é baseada na placa de desenvolvimento imx515-evk, a qual utiliza o procerssador adotado no projeto (imx515), sugerida pela fabricante Freescale, com algumas adaptações específicas para o atendimento dos requisitos do projeto (Freescale, 2009). A construção do layout da placa iniciou-se com um estudo da mecânica que envolve a placa e os outros componentes que integram o sistema. O componente principal a ser analisado é a tela de LCD (Liquid Crystal Display - Mostrador de Cristal Líquido) que será utilizada no protótipo, pois será a referência dimensional do produto. Baseado nas dimensões da tela definiu-se as dimensões da placa do circuito. Assim, as restrições mecânicas levaram às primeiras considerações para o projeto da placa: quais as áreas 4

5 onde não poderiam haver componentes, como superfícies de contato e localização de conectores, as quais podem depender de outro objeto que se juntará a este, e pontos de fixação. Neste protótipo a placa ficará na extremidade inferior do LCD na parte traseira, logo, os conectores só poderão ser disponibilizados externamente se estiverem posicionados na lateral da PCI. As placas eletrônicas foram concebidas utilizando componentes com encapsulamentos (invólucros) para montagem em superfície (Surface Mounted Devices ou SMD), pertencentes à tecnologia SMT (Surface Mounted Technology) em 90% da área, sendo os 10% restantes utilizando a tecnologia convencional ou PTH (Pin-Thought Hole). Foi adotada a estratégia de multilayer (multicamada) para a placa do dispositivo, permitindo o aumento de densidade de componentes e redução das dimensões físicas (MONTROSE, 2000). Os sinais foram separados por funcionalidade em oito camadas: duas de alimentação, duas de terra e quatro de sinal de dados e controle, sendo que em alguns momentos quando há um congestionamento de sinais devido ao número muito grande de trilhas em um mesmo lugar é preciso passar alguns sinais de dados para uma camada de terra. 4. Resultados e Discussão O andamento do projeto se encontra avançado. As bibliotecas de componentes e o esquemático dos circuitos estão prontos, faltando apenas a conclusão do layout da placa. O estudo da mecânica da placa foi feito com sucesso, os componentes distribuídos e as trilhas de sinal roteadas faltando apenas a criação dos planos de alimentação e terra e a revisão geral. A conclusão do layout da placa finaliza a criação do primeiro protótipo da prancha eletrônica de comunicação alternativa aumentativa. Após a aprovação do protótipo algumas alterações já estão previstas para as próximas versões do dispositivo. Será incluído nas versões futuras conexão wi-fi, aumento da memória para 1Gb, atualização do processador e ferramenta GSM integrada. O protótipo utilizado nos teste foi implementado em uma placa de desenvolvimento e apresentava um porte mais robusto como mostra a Figura 7. Figura 7 Protótipo utilizado para testes de software. 5

6 5 Conclusão Neste texto foram descritas as atividades voltadas as desenvolvimento do hardware do dispositivo que constituirá o Sistema Eletrônico Portátil Baseado na Comunicação Alternativa Aumentativa (CAA) para Portadores de Necessidades Especiais. Trata-se de um desenvolvimento complexo, pois sistemas similares aos tablets apresentam um nível de integração de componetes eletrônicos, redução de tamanho e peso e recursos de software elevados. A complexidade da placa requer um sólido conhecimento em layout de PCI e aplicação de muito conceitos de compatibilidade eletromagnética (EMC). A participação nesse projeto agrega experiências relevantes no desenvolvimento de produtos eletrônicos, na programação estruturada, utilzando principalmente a linguagem C/C++, além de noções layout de placa com considerações de EMC. 6. Referências Freescale. i.mx51 Generic Reference Design, 2009, SCH IPENZ Transactions, Vol. 25, No.1/EMCh, 1998 IEEE Transactions on Industrial Electronics, Vol. 55, n. O 6, June 2008 Journal of Asian Electric Vehicles, Vol. 3, n. O 1, June 2005 MONTROSE, Mark I; Printed Circuit Board Design Techniques For EMC Compliance. 2 ND Ed ISBN PASSOLD, F., POSSA, Paulo Ricardo. Recarregador inteligente de Baterias In: INDUSCON 2006 (Conferência Internacional de Aplicações Industriais), 2006, Recife, PE. Proceedings. Recife: UFPE, SENAI CIMATEC. Layout de Placas Eletrônicas no software CAD EAGLE, Salvador, Bahia, Brasil,

Software modular para sistema eletrônico baseado na Comunicação Alternativa Aumentativa (CAA)

Software modular para sistema eletrônico baseado na Comunicação Alternativa Aumentativa (CAA) Software modular para sistema eletrônico baseado na Comunicação Alternativa Aumentativa (CAA) João Venâncio Abreu Santos Filho *, Xisto Lucas Travassos Júnior **, Cleber Vinícius Ribeiro De Almeida***

Leia mais

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA: INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA PROFESSOR: LUCIANO FONTES CAVALCANTI CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA LOTE 01 Projeto 6689. Qt Unidade Especificação detalhada

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA LOTE 01 Projeto 6689. Qt Unidade Especificação detalhada ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA LOTE 01 Projeto 6689 Ite m Qt Unidade Especificação detalhada 01 01 Serviço de Layout Empresa para realização de serviços de leiaute de uma placa de circuito impresso multilayer,

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA CCET CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO Fabiano Burakoski Ribeiro Elias Marcus Vinicius Roecker Petri Renan Moris Ferreira

Leia mais

Os Sistemas Electrónicos

Os Sistemas Electrónicos Os Sistemas Electrónicos Helena Sarmento 1 Sistema Electrónico Equipamento Electrónico Componentes Electrónicos Placa de Circuito Impresso Transístor Lei de Moore Sumário Projecto de Sistemas Electrónicos

Leia mais

Conceitos básicos de Componentes SMD. Eng. Décio Rennó de Mendonça Faria

Conceitos básicos de Componentes SMD. Eng. Décio Rennó de Mendonça Faria Conceitos básicos de Componentes SMD Eng. Décio Rennó de Mendonça Faria Maio de 2014 Componentes em SMD Atualmente, nos equipamentos eletrônicos modernos, a utilização de resistores e capacitores convencionais

Leia mais

PARÂMETROS TÉCNICOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS IMPRESSOS.

PARÂMETROS TÉCNICOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS IMPRESSOS. PARÂMETROS TÉCNICOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS IMPRESSOS. Código Documento: MA-1.2.00.03 Aprovado em: 18/03/2009 Revisão: 03 Página: 1/31 1 INTRODUÇÃO As informações contidas neste manual são

Leia mais

LABORATÓRIO N.º 1 Uso do Módulo Digital e Iniciação a Eletrônica Digital

LABORATÓRIO N.º 1 Uso do Módulo Digital e Iniciação a Eletrônica Digital 2014.02 LABORATÓRIO N.º 1 Uso do Módulo Digital e Iniciação a Eletrônica Digital Nome do Aluno(a) I PRIMEIROS CONTATOS COM A I.1- Introdução Na primeira parte das atividades deste roteiro o aluno entrará

Leia mais

Vitor Amadeu Souza Desenvolvimento de Layouts no Eagle

Vitor Amadeu Souza Desenvolvimento de Layouts no Eagle Vitor Amadeu Souza Desenvolvimento de Layouts no Eagle 2010 by Cerne Tecnologia e Treinamento Ltda. 2010 by Vitor Amadeu Souza Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida sem autorização prévia

Leia mais

Simplifique a complexidade do sistema

Simplifique a complexidade do sistema 1 2 Simplifique a complexidade do sistema Com o novo controlador de alto desempenho CompactRIO Rodrigo Schneiater Engenheiro de Vendas National Instruments Leonardo Lemes Engenheiro de Sistemas National

Leia mais

3. Cite o nome e características do ponto mais alto e do ponto mais baixo de uma onda?

3. Cite o nome e características do ponto mais alto e do ponto mais baixo de uma onda? Exercícios: 1. Sobre:Ondas Responda: a. O que é a Natureza de Ondas? b. O que origina as Ondas Mecânicas? c. As Ondas Mecânicas se propagam no vácuo? Explique a sua resposta. d. Quais são os elementos

Leia mais

Introdução ao Projeto de Placas de Circuito Impresso

Introdução ao Projeto de Placas de Circuito Impresso Objetivo: Introdução ao Projeto de Placas de Circuito Impresso Prof. Stefano Apresentar algumas considerações iniciais para permitir ao estudante se familiarizar com a placa de circuito impresso (PCI),

Leia mais

O Conversor Serial Ethernet MUX-10

O Conversor Serial Ethernet MUX-10 O Conversor Serial Ethernet MUX-10 M. B. Pereira, E. Araujo, ENAUTEC e F. Santana, COELBA Resumo - O Conversor Serial Ethernet MUX-10 é um protótipo destinado a interconectar equipamentos baseados em porta

Leia mais

TÍTULO: SISTEMA DE ACESSIBILIDADE E AUTOMATIZAÇÃO PARA PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADE ESPECIAIS

TÍTULO: SISTEMA DE ACESSIBILIDADE E AUTOMATIZAÇÃO PARA PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADE ESPECIAIS TÍTULO: SISTEMA DE ACESSIBILIDADE E AUTOMATIZAÇÃO PARA PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADE ESPECIAIS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE TECNOLOGIA

Leia mais

Microcontroladores ARM Cortex-M3 - XM 700 -

Microcontroladores ARM Cortex-M3 - XM 700 - T e c n o l o g i a Microcontroladores ARM Cortex-M3 - XM 700 - Os melhores e mais modernos MÓDULOS DIDÁTICOS para um ensino tecnológico de qualidade. INTRODUÇÃO Microcontroladores ARM Cortex-M3 - XM 700

Leia mais

PROJETO DE PLACAS DE CIRCUITO IMPRESSO

PROJETO DE PLACAS DE CIRCUITO IMPRESSO PROJETO DE PLACAS DE CIRCUITO IMPRESSO COM O SOFTWARE EAGLE 2 A PARTE: O SOFTWARE EAGLE EWALDO LUIZ DE MATTOS MEHL DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Esta obra é licenciada

Leia mais

AULA 2. Informática Básica. Gustavo Leitão. gustavo.leitao@ifrn.edu.br. Disciplina: Professor: Email:

AULA 2. Informática Básica. Gustavo Leitão. gustavo.leitao@ifrn.edu.br. Disciplina: Professor: Email: AULA 2 Disciplina: Informática Básica Professor: Gustavo Leitão Email: gustavo.leitao@ifrn.edu.br Índice Continuação aula anterior... Memória Barramento Unidades de armazenamento Periféricos Interfaces

Leia mais

D. PROJETO DE PLACAS DE CIRCUITO IMPRESSO - BÁSICO

D. PROJETO DE PLACAS DE CIRCUITO IMPRESSO - BÁSICO D. PROJETO DE PLACAS DE CIRCUITO IMPRESSO - BÁSICO Tab. D.1 Relação entre unidade imperial e métrica. Imperial (polegada) Métrica (mm) Nome usual 1 25,4 (2,54cm) 1 inch pitch ou pitch 0.2 5,08 0.2 inch

Leia mais

Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação. Resumo Expandido

Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação. Resumo Expandido Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação Resumo Expandido Título da Pesquisa: Painel Braille para deficientes visuais: interface computacional. Palavras-chave: Painel Braille, Tecnologia Assistiva,

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA. Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores.

PROJETO DE PESQUISA. Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores. PROJETO DE PESQUISA 1. Título do projeto Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores. 2. Questão ou problema identificado Controlar remotamente luminárias, tomadas e acesso

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO CONSULTA PÚBLICA Nº 04, DE 04 DE MARÇO DE 2015.

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO CONSULTA PÚBLICA Nº 04, DE 04 DE MARÇO DE 2015. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO CONSULTA PÚBLICA Nº 04, DE 04 DE MARÇO DE 2015. O Secretário do Desenvolvimento da Produção do Ministério

Leia mais

Placa Principal (Motherboard)

Placa Principal (Motherboard) Placa Principal (Motherboard) Placa mãe placa de circuito impresso. Slots de expansão conectores onde se ligam as placas de expansão. Barramento ou bus fios condutores dispostos em paralelo. Constituição

Leia mais

Software para dispositivo eletrônico baseado em Comunicação Aumentativa Alternativa (CAA) para pessoas com deficiência

Software para dispositivo eletrônico baseado em Comunicação Aumentativa Alternativa (CAA) para pessoas com deficiência Software para dispositivo eletrônico baseado em Comunicação Aumentativa Alternativa (CAA) para pessoas com deficiência João V. Abreu Santos Filho 1, Rafael de Brito T. De Lima 1, Cleber Vinícius Ribeiro

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO

DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO Aluno: Joaquim Masset Lacombe Dias Garcia Aluna: Ana Sofia Viotti Daker Aranha Orientador: Guilherme Penello Temporão

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DA USP. 1) Laboratório de Neuropsicolingüística Cognitiva Experimental

A EXPERIÊNCIA DA USP. 1) Laboratório de Neuropsicolingüística Cognitiva Experimental O Uso do Computador por Pessoas com Deficiência Sensorial (Surdez Congênita), Distúrbios Motores (Paralisia Cerebral, Esclerose Múltipla e Lateral Amiotrófica, Tetraplegia), e Distúrbios de Processamento

Leia mais

Inove com Interfaces Compactas Magelis. Magelis STO e Magelis STU IHMs gráficas com tela sensível ao toque

Inove com Interfaces Compactas Magelis. Magelis STO e Magelis STU IHMs gráficas com tela sensível ao toque Inove com Interfaces Compactas Magelis Magelis STO e Magelis STU IHMs gráficas com tela sensível ao toque Magelis STO e Magelis STU Uma nova geração de Interfaces Homem-máquina A Schneider Electric está

Leia mais

*Foto Ilustrativa. Cód. : 694-9. MANUAL DO USUÁRIO TABLET QUAD core 7 DZ-6949

*Foto Ilustrativa. Cód. : 694-9. MANUAL DO USUÁRIO TABLET QUAD core 7 DZ-6949 *Foto Ilustrativa. Cód. : 694-9 MANUAL DO USUÁRIO TABLET QUAD core 7 DZ-6949 ÍNDICE 1 - Conteúdo da embalagem 3 2 - Especificações Técnicas 3 3 - Características 3 4 - Conhecendo o Produto 4 5 - Carregamento

Leia mais

Retificadores (ENG - 20301) Tutorial do Proteus Parte B - PCB 1

Retificadores (ENG - 20301) Tutorial do Proteus Parte B - PCB 1 2 GND 2 GND CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETRÔNICA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS ELETRÔNICOS Retificadores (ENG - 20301) Tutorial do Proteus

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DOS COMPUTADORES

CLASSIFICAÇÃO DOS COMPUTADORES 1 CLASSIFICAÇÃO DOS COMPUTADORES Desktop: São os computadores pessoais, os PC s. São chamados de desktop por serem considerados micros de mesa, veja a figura ao lado. Muito cobrado em concurso é ter uma

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ - PUCPR CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA - CCET ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO DRUM MACHINE

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ - PUCPR CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA - CCET ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO DRUM MACHINE PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ - PUCPR CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA - CCET ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO DRUM MACHINE CURITIBA 2011 2 ADRIANNO ESNARRIAGA SERENO GUSTAVO HENRIQUE FURLAN

Leia mais

Circuito impresso para protótipos. Introdução

Circuito impresso para protótipos. Introdução Introdução O desenvolvimento de placas de circuito impresso (PCIs ou PCBs) para protótipos pode ser abordado através dos seguintes tópicos: - Conceitos básicos sobre PCIs; - Aplicativo de CAD para PCIs;

Leia mais

Monitoramento, Controle, Registro e Supervisão de Processos Industriais

Monitoramento, Controle, Registro e Supervisão de Processos Industriais L I N H A D E P R O D U T O S PA R A Monitoramento, Controle, Registro e Supervisão de Processos Industriais Índice Apresentação 03 Características Individuais Controlador de Processos C702 Aquisitor de

Leia mais

Por razões, é requerido um módulo de E/S, que deve desempenhar duas funções principais:

Por razões, é requerido um módulo de E/S, que deve desempenhar duas funções principais: Entrada e Saída Além do processador e da memória, um terceiro elemento fundamental de um sistema de computação é o conjunto de módulos de E/S. Cada módulo se conecta com o barramento do sistema ou com

Leia mais

Manual de instalação e operação

Manual de instalação e operação Manual de instalação e operação Central de alarme de incêndio endereçável INC 2000 Central de alarme de incêndio INC 2000 Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Engesul.

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO RELATÓRIO TÉCNICO FINAL

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO RELATÓRIO TÉCNICO FINAL CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO RELATÓRIO TÉCNICO FINAL CURITIBA JULHO DE 2008 ANDRÉ GELASCO MALSCHITZKY JOFFER JOSE NOVAK DE ALBUQUERQUE INTEGRAÇÃO DE MÓDULOS ELETRÔNICOS

Leia mais

1. Ementa 2. Objetivos Gerais: 3. Objetivos Específicos 4. Estruturação do conteúdo da disciplina e sistemática as ser desenvolvida:

1. Ementa 2. Objetivos Gerais: 3. Objetivos Específicos 4. Estruturação do conteúdo da disciplina e sistemática as ser desenvolvida: 1. Ementa Gerenciamento e desenvolvimento de um projeto que acompanhe as etapas do ciclo de vida do software e ou hardware, com ênfase em: documentação, determinação dos requisitos, projeto lógico, projeto

Leia mais

FIREWIRE. O logotipo padronizado: Suas principais vantagens:

FIREWIRE. O logotipo padronizado: Suas principais vantagens: FIREWIRE O barramento Firewire, também conhecido como IEEE 1394 ou como i.link, foi desenvolvido inicialmente pela Apple Computer em 1996, como um barramento serial de alta velocidade, e transfere um grande

Leia mais

LABORATORIOS DE INFORMÁTICA. prof. André Aparecido da Silva Disponível em: www.oxnar.com.br/2015/profuncionario

LABORATORIOS DE INFORMÁTICA. prof. André Aparecido da Silva Disponível em: www.oxnar.com.br/2015/profuncionario LABORATORIOS DE INFORMÁTICA prof. André Aparecido da Silva Disponível em: www.oxnar.com.br/2015/profuncionario 1 O conhecimento da humanidade só evoluiu em virtude da incessante busca do ser humano em

Leia mais

Ronaldo Luis Ferreira de Siqueira, Vitor Gabriel Coimbra Farias

Ronaldo Luis Ferreira de Siqueira, Vitor Gabriel Coimbra Farias Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial E.E.P. Senac Pelotas Centro Histórico Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego Curso Técnico em Informática Ronaldo Luis Ferreira de Siqueira,

Leia mais

AUTOMAÇÃO PREDIAL INTRODUÇÃO

AUTOMAÇÃO PREDIAL INTRODUÇÃO AUTOMAÇÃO PREDIAL 1 INTRODUÇÃO A evolução da computação e dos sistemas digitais tem viabilizados aplicações, que se tornam presentes no cotidiano das pessoas, sendo hoje referenciais de conforto e praticidade

Leia mais

Projeto de controle e Automação de Antena

Projeto de controle e Automação de Antena Projeto de controle e Automação de Antena Wallyson Ferreira Resumo expandido de Iniciação Tecnológica PUC-Campinas RA: 13015375 Lattes: K4894092P0 wallysonbueno@gmail.com Omar C. Branquinho Sistemas de

Leia mais

Modelo Tecnologia de Identificação Display Impressora. Gráfico; Gráfico; Alfanumérico; Gráfico; Alfanumérico; Alfanumérico; Alfanumérico;

Modelo Tecnologia de Identificação Display Impressora. Gráfico; Gráfico; Alfanumérico; Gráfico; Alfanumérico; Alfanumérico; Alfanumérico; O Velti Ponto está homologado de acordo com a Portaria nº 1.510/2009 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) em 10 modelos que se diferenciam pela tecnologia de identificação (leitores), tipo de display

Leia mais

Aplicações. Principais aplicações TRACEABILITY M A R K I N G PAR TS N S

Aplicações. Principais aplicações TRACEABILITY M A R K I N G PAR TS N S SERIALS N S Aplicações 5 10 15 20 25 30 35 40 5 10 TRACEABILITY 15 20 25 PAR TS N S IDENTIFICATION 30 35 40 M A R K I N G Principais aplicações - Mecânica Geral - Mecânica de Precisão - Automotiva - Metais

Leia mais

Desenvolvimento de Hardware utilizando ferramentas CAD/CAE

Desenvolvimento de Hardware utilizando ferramentas CAD/CAE Desenvolvimento de Hardware utilizando ferramentas CAD/CAE Gilson Yukio Sato Objetivo Estudando este texto, participando do fórum de discussão, da videoconferência e da sala de bate-papo você vai: Conhecer

Leia mais

UniRitter tecnológica: integrando Engenharias para desenvolvimento de um robô humanoide

UniRitter tecnológica: integrando Engenharias para desenvolvimento de um robô humanoide - SEPesq UniRitter tecnológica: integrando Engenharias para desenvolvimento de um robô humanoide 1. Introdução Diego Augusto de Jesus Pacheco Giovani Geremia Segundo Vargas (2012) é perceptível que uma

Leia mais

Conhecendo a Inova. Conheça mais sobre a Inova visitando nosso site: www.inova.ind.br

Conhecendo a Inova. Conheça mais sobre a Inova visitando nosso site: www.inova.ind.br Conhecendo a Inova Fundada em 1997, a Inova Sistemas Eletrônicos, é especializada no desenvolvimento e fabricação de controladores eletrônicos para os segmentos industrial e automotivo. O grande diferencial

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Webinar Freescale Desenvolvimento de sistemas embarcados em Linux com a Thunderboard 11/12/2013

Webinar Freescale Desenvolvimento de sistemas embarcados em Linux com a Thunderboard 11/12/2013 Webinar Freescale Desenvolvimento de sistemas embarcados em Linux com a Thunderboard 11/12/2013 Índice Sobre a Thunderboard Descrição do produto System on Module (SoM) MDP i.mx28 Aplicações Vantagens BSP

Leia mais

(21) BR 10 2013 005511-5 A2 111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111

(21) BR 10 2013 005511-5 A2 111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111 (21) BR 10 2013 005511-5 A2 111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111111 * B R 1 O 2 O 1 3 O O 5 5 1 1 A 2 * Rbf}Ltb:iGo. F&:.ie~;s;\ivo; fio 8ra~~! 1-.. Fi::...,oi::-.

Leia mais

1. Marcelo Politzer Couto 2. Raul Almeida Nunes 3. Dado Sutter

1. Marcelo Politzer Couto 2. Raul Almeida Nunes 3. Dado Sutter 1. Marcelo Politzer Couto 2. Raul Almeida Nunes 3. Dado Sutter 1. Aluno de Engenharia de controle e Automação 2. Prof. Dr. do DCMM Orientador dos projetos 3. Pesquisador Visitante da PUC-Rio Co-Orientador

Leia mais

Microregistradora TMS-44

Microregistradora TMS-44 Microregistradora TMS-44 MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.0 Manual do Usuário Microregistradora TMS-44 Edição de Outubro de 2008 Este manual tem caráter técnico-informativo, sendo propriedade da SWEDA. Todos

Leia mais

RECEPTOR GPS ME1513 ANTENA. 1 ME Componentes e Equipamentos Eletrônicos Ltda

RECEPTOR GPS ME1513 ANTENA. 1 ME Componentes e Equipamentos Eletrônicos Ltda RECEPTOR GPS ME1513 ANTENA 1 ME Componentes e Equipamentos Eletrônicos Ltda Prefácio Obrigado por escolher o Receptor GPS ME-1513. Este manual mostra o layout para ligação da antena do módulo ME1513, de

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Monsenhor Antônio Magliano. Código: 088 Município: Garça. Eixo Tecnológico: Controle e Processos Industriais. Habilitação Profissional: Técnica

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 237, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2008

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 237, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2008 PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 237, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2008 O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR E O MINISTRODE ESTADO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA no uso das atribuições

Leia mais

Retrabalhando o Componente SMD

Retrabalhando o Componente SMD Os aparelhos celulares utilizam a técnica de montagem por superfície ou SMT (Surface Mounting Technology) com emprego de componentes ultra-miniaturizados para a montagem em superfície chamados SMD (Surface

Leia mais

Alessandro F. Cunha O que são sistemas embarcados?

Alessandro F. Cunha O que são sistemas embarcados? Alessandro F. Cunha O que são sistemas embarcados? 1. Introdução Alguma vez você já se deu conta que o microondas de sua casa tem uma capacidade computacional maior do que tinha o projeto Apolo, que levou

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO O que é a Informática? A palavra Informática tem origem na junção das palavras: INFORMAÇÃO + AUTOMÁTICA = INFORMÁTICA...e significa, portanto, o tratamento da informação

Leia mais

Data Sheet FBEE IEEE 802.15.4 SUPORTA PROTOCOLOS ZIGBEE E MIWI REV 03. - 1 - Rev02

Data Sheet FBEE IEEE 802.15.4 SUPORTA PROTOCOLOS ZIGBEE E MIWI REV 03. - 1 - Rev02 Data Sheet FBEE IEEE 802.15.4 SUPORTA PROTOCOLOS ZIGBEE E MIWI REV 03 Este equipamento opera em caráter secundário, isto é, não tem direito a proteção contra interferência prejudicial, mesmo de estações

Leia mais

MCA - Uma Tecnologia Versátil

MCA - Uma Tecnologia Versátil Soluções MCA A família de soluções MCA reforça a consolidada linha CATRAX de catracas e periféricos para controle de acesso. O coração destas soluções é a tecnologia MCA, que consiste em uma placa de controle

Leia mais

COMUNICADO PREGÃO Nº 048/2007

COMUNICADO PREGÃO Nº 048/2007 COMUNICADO PREGÃO Nº 048/2007 OBJETO: Fornecimento, configuração, testes e assistência técnica, durante período de garantia, de 28 (vinte e oito) microcomputadores portáteis (notebooks) de alta mobilidade,

Leia mais

CAPTURAS DE VÍDEO CONHECENDO :: PLACAS DE CAPTURAS

CAPTURAS DE VÍDEO CONHECENDO :: PLACAS DE CAPTURAS CAPTURAS DE VÍDEO CONHECENDO :: PLACAS DE CAPTURAS MODALIDADES : US, ECO, ENDO E COLO. CAPTURA DE IMAGENS. Criamos uma linha de produtos denominado PROCapVG para a utilização em serviços de captura de

Leia mais

Laboratório de Processadores. Dicas para elaborar um layout de um placa de circuito impresso (PCI)

Laboratório de Processadores. Dicas para elaborar um layout de um placa de circuito impresso (PCI) Laboratório de Processadores Prof. Anderson Royes Terroso www.aterroso.com Dicas para elaborar um layout de um placa de circuito impresso (PCI) Este material foi desenvolvido com o objetivo de apresentar

Leia mais

ATIVIDADE 1. Definição de redes de computadores

ATIVIDADE 1. Definição de redes de computadores ATIVIDADE 1 Definição de redes de computadores As redes de computadores são criadas para permitir a troca de dados entre diversos dispositivos estações de trabalho, impressoras, redes externas etc. dentro

Leia mais

PEN DRIVE. pequenas memórias portáteis, em vários formatos e tipos para o armazenamento de informações.

PEN DRIVE. pequenas memórias portáteis, em vários formatos e tipos para o armazenamento de informações. PEN DRIVE pequenas memórias portáteis, em vários formatos e tipos para o armazenamento de informações. Os Pen drive são dispositivos USB. Bastando ser conectado na porta USB do computador e pronto, a unidade

Leia mais

PLACA DE AQUISIÇÃO DE DADOS PARA REGISTRO E MONITORAMENTO EM TEMPO REAL

PLACA DE AQUISIÇÃO DE DADOS PARA REGISTRO E MONITORAMENTO EM TEMPO REAL PLACA DE AQUISIÇÃO DE DADOS PARA REGISTRO E MONITORAMENTO EM TEMPO REAL Bruno Bezerra Siqueira - brunobs@ee.ufpe.br Laboratório de Dispositivos e Nanoestruturas Departamento de Eletrônica e Sistemas Universidade

Leia mais

PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO

PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO Wilker Luiz Machado Barros¹, Wyllian Fressatti¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil wilkermachado1@hotmail.com,

Leia mais

Toolkit para Linux Embarcado. Autor: Thiago Waltrik Orientador: Miguel Alexandre Wisintainer

Toolkit para Linux Embarcado. Autor: Thiago Waltrik Orientador: Miguel Alexandre Wisintainer Toolkit para Linux Embarcado Autor: Thiago Waltrik Orientador: Miguel Alexandre Wisintainer Roteiro Introdução Fundamentação Teórica Objetivos Trabalhos Correlatos Desenvolvimento Requisitos Especificação

Leia mais

IEEE 1394 PORQUE OUTRO BARRAMENTO? Grande crescimento do número de conectores no PC. Equipamentos analógicos migrando para digital

IEEE 1394 PORQUE OUTRO BARRAMENTO? Grande crescimento do número de conectores no PC. Equipamentos analógicos migrando para digital Histórico IEEE 1394 1986 - primeiras idéias concretas trazidas pela Apple Computers que adotou a denominação FireWire. 1987 - primeira especificação do padrão. 1995 adoção pelo IEEE do padrão IEEE 394.

Leia mais

PORTFOLIO DOS PRINCIPAIS PROJETOS REALIZADOS ENTRE 2005 E 2011. Bruno Márcio Diogo Venâncio bruno@venancio.ind.br PROJETOS NA ÁREA DE AUTOMAÇÃO

PORTFOLIO DOS PRINCIPAIS PROJETOS REALIZADOS ENTRE 2005 E 2011. Bruno Márcio Diogo Venâncio bruno@venancio.ind.br PROJETOS NA ÁREA DE AUTOMAÇÃO PORTFOLIO DOS PRINCIPAIS PROJETOS REALIZADOS ENTRE 2005 E 2011 Bruno Márcio Diogo Venâncio bruno@venancio.ind.br PROJETOS NA ÁREA DE AUTOMAÇÃO Projeto: Placa mãe STD-7100 UAC (unidade de Aquisição e Controle).

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE UM ROBÔ TERRESTRE CONTROLADO REMOTAMENTE UTILIZANDO A PLATAFORMA ARDUINO

CONSTRUÇÃO DE UM ROBÔ TERRESTRE CONTROLADO REMOTAMENTE UTILIZANDO A PLATAFORMA ARDUINO CONSTRUÇÃO DE UM ROBÔ TERRESTRE CONTROLADO REMOTAMENTE UTILIZANDO A PLATAFORMA ARDUINO Leopoldo Jacobsen¹, Wyllian Fressatti¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil leopoldojacobsen@gmail.com,

Leia mais

Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência

Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência Santa Maria, 11 de março de 2014. RETIFICAÇÃO DE EDITAL CONCORRENCIA Nº 2015/5040001- A Comissão de Licitações, no uso de suas atribuições legais, torna publico a seguinte retificação ao edital supracitado,

Leia mais

- SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ENXOVAL HOSPITALAR - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMAS

- SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ENXOVAL HOSPITALAR - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMAS - SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ENXOVAL HOSPITALAR - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMAS I - Aspectos gerais: 1. Sistema eletrônico para gestão e rastreamento do enxoval hospitalar, composto por etiquetas dotadas

Leia mais

Sistema de Inteligência Carcerária com Identificação Biométrica

Sistema de Inteligência Carcerária com Identificação Biométrica Sistema de Inteligência Carcerária com Identificação Biométrica Descrição SISBIOID é um software de controle e inteligência carcerária desenvolvido para ser uma poderosa ferramenta de combate ao crime

Leia mais

Simulação de Circuitos Microcontrolados com o Proteus

Simulação de Circuitos Microcontrolados com o Proteus Universidade Federal do Pará Laboratório de Processamento de Sinais (LaPS) Simulação de Circuitos Microcontrolados com o Proteus Flávio Hernan Figueiredo Nunes flaviohernanfnunes@gmail.com 25 de janeiro

Leia mais

Histórico. n n. n n. n n

Histórico. n n. n n. n n Agosto 2015 Histórico 1994 Zetax abre centro de P&D em Campinas 1997 Batik abre centro de P&D em Belo Horizonte 1999 Lucent adquire Zetax e Batik 2000 Unificação dos centros de P&D como FITec 2001 FITec

Leia mais

O NOVO tablet Toughpad FZ-M1 Windows de 7 polegadas. Estamos projetando um mundo melhor, ao oferecer o poder de um PC na palma de sua mão.

O NOVO tablet Toughpad FZ-M1 Windows de 7 polegadas. Estamos projetando um mundo melhor, ao oferecer o poder de um PC na palma de sua mão. O NOVO tablet Toughpad FZ-M1 Windows de 7 polegadas. Estamos projetando um mundo melhor, ao oferecer o poder de um PC na palma de sua mão. APRESENTANDO O PRIMEIRO TABLET ROBUSTO DE 7 POLEGADAS, WINDOWS

Leia mais

UTP Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado atualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes

UTP Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado atualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes Definição Cabeamento para uso integrado em comunicações de voz, dados e imagem preparado de maneira a atender diversos layouts de instalações, por um longo período de tempo, sem exigir modificações físicas

Leia mais

Desenvolvimento de um Sistema de Telemedição de Energia Elétrica com Controle por Demanda e Monitoramento de Faltas em BT

Desenvolvimento de um Sistema de Telemedição de Energia Elétrica com Controle por Demanda e Monitoramento de Faltas em BT XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Desenvolvimento de um Sistema de Telemedição de Energia Elétrica com Controle por

Leia mais

3. PCB de múltiplas camadas operando em altas freqüências.

3. PCB de múltiplas camadas operando em altas freqüências. 34 3. PCB de múltiplas camadas operando em altas freqüências. Ao longo do presente capítulo os substratos e condutores empregados em placas de circuito impresso, em taxas muito elevadas, serão introduzidos.

Leia mais

TI Aplicada. Aula 03 Componentes Básicos Hardware e Rede. Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti.

TI Aplicada. Aula 03 Componentes Básicos Hardware e Rede. Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti. TI Aplicada Aula 03 Componentes Básicos Hardware e Rede Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti.br Principais Componentes Barramentos Placa Mãe Processadores Armazenamento

Leia mais

Sensores Next. Duodigit. www.duodigit.com.br (11) 2062-1821 contato@duodigit.com.br NB1010-U 75000223 NB1010-S 75000221

Sensores Next. Duodigit. www.duodigit.com.br (11) 2062-1821 contato@duodigit.com.br NB1010-U 75000223 NB1010-S 75000221 Sensores Next NB1010-U 75000223 NB1010-S 75000221 INTERFACE USB OU SPI EXCLUSIVO SISTEMA NEXT ACTIVE THERMAL RESOLUÇÃO DE 385DPI DURABILIDADE DE 1 MILHÃO DE TOQUES Em um mundo cada vez mais conectado,

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

AUTOMAÇÃO DE INSTRUMENTAÇÃO DE LABORATÓRIO

AUTOMAÇÃO DE INSTRUMENTAÇÃO DE LABORATÓRIO AUTOMAÇÃO DE INSTRUMENTAÇÃO DE LABORATÓRIO Téo Ferraz Benjamin ¹ Raul Almeida Nunes ² Dado Sutter ³ ¹ Aluno de Engenharia de Controle e Automação da PUC-Rio ² Prof. Dr. do DCMM Orientador dos projetos

Leia mais

Cabeamento Estruturado

Cabeamento Estruturado Cabeamento Estruturado Definição Cabeamento para uso integrado em comunicações de voz, dados e imagem preparado de maneira a atender diversos layouts de instalações, por um longo período de tempo, sem

Leia mais

Saulo Finco, Cordenador da DH-CTI, saulo.finco@cti.gov.br Tel.: +55 19 3746-6246 - Fax: +55 19 3746-6028. www.cti.gov.br

Saulo Finco, Cordenador da DH-CTI, saulo.finco@cti.gov.br Tel.: +55 19 3746-6246 - Fax: +55 19 3746-6028. www.cti.gov.br Saulo Finco, Cordenador da DH-CTI, saulo.finco@cti.gov.br Tel.: +55 19 3746-6246 - Fax: +55 19 3746-6028 www.cti.gov.br DH-CTI Introdução Missão Prover o mercado com soluções inovadoras em desenvolvimento

Leia mais

Noções de Hardware. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com)

Noções de Hardware. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Hardware André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Gerações de hardware Tipos de computadores Partes do Microcomputador Periféricos Armazenamento de

Leia mais

Laboratório de Processadores Confecção das PCIs

Laboratório de Processadores Confecção das PCIs Laboratório de Processadores Confecção das PCIs Para a confecção das PCIs (Placa de Circuito Impresso) foram compiladas algumas sugestões práticas para o bom desenvolvimento das mesmas. Estas recomendações

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EEL5105 Circuitos e Técnicas Digitais Prof. Eduardo L. O. Batista

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EEL5105 Circuitos e Técnicas Digitais Prof. Eduardo L. O. Batista UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EEL5105 Circuitos e Técnicas Digitais Prof. Eduardo L. O. Batista EXPERIMENTO 1 INTRODUÇÃO AO LABORATÓRIO A. Introdução O Quartus II é um software utilizado para

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE RETRABALHO SMD - MODELO TS-870D rev.01

MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE RETRABALHO SMD - MODELO TS-870D rev.01 MANUAL DE INSTRUÇÕES DA ESTAÇÃO DE RETRABALHO SMD - MODELO TS-870D rev.01 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...1 2. ESPECIFICAÇÕES...1

Leia mais

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Redes de Computadores. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Novembro de 2011 1 / 41

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Redes de Computadores. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Novembro de 2011 1 / 41 Informática Prof. Macêdo Firmino Redes de Computadores Macêdo Firmino (IFRN) Informática Novembro de 2011 1 / 41 Sistema Computacional Macêdo Firmino (IFRN) Informática Novembro de 2011 2 / 41 O que é

Leia mais

www.microgenios.com.br

www.microgenios.com.br Manual (versão 2.0) Microgenios Soluções Eletrônicas Ltda. ME - ano 2009 Todos os direitos reservados Proibida cópia integral ou parcial do material aqui contido.br Índice Apresentação...3 Características

Leia mais

Wireless Solutions BROCHURE

Wireless Solutions BROCHURE Wireless Solutions BROCHURE JUNHO 203 info@novus.com.br www.novus.com.br REV0803 Produto beneficiado pela Legislação de Informática. Transmissor de Temperatura e Umidade RHT-Air ISO 900 EMPRESA CERTIFICADA

Leia mais

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/7 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MASTERTEMP foi desenvolvido para monitorar a temperatura de óleo e enrolamento, comandar a ventilação e proteger transformadores

Leia mais

Discrete Automation & Motion. IHM Interface Homem-Máquina Linha CP400

Discrete Automation & Motion. IHM Interface Homem-Máquina Linha CP400 Discrete Automation & Motion IHM Interface Homem-Máquina Linha CP400 IHM Interface Homem-Máquina CP400 Desempenho e conforto em terminais de operação A linha de IHMs da ABB oferece excelente diversidade

Leia mais

Características. Hexa Controle de ponto

Características. Hexa Controle de ponto Características Os modelos são: o HEXA A - BIOMETRIA/CÓDIGO DE BARRAS/PROXIMIDADE/MIFARE o HEXA B - BIOMETRIA/PROXIMIDADE o HEXA C - BIOMETRIA/CÓDIGO DE BARRAS o HEXA D - BIOMETRIA/MIFARE o HEXA E - CÓDIGO

Leia mais

Instrumentos portáteis e não destrutivos para ensaio em bobinas

Instrumentos portáteis e não destrutivos para ensaio em bobinas Instrumentos portáteis e não destrutivos para ensaio em bobinas Made in Switzerland Ensaios de dureza de bobinas de papel, película e de filme metalizado Método de ensaio Aplicações Display e interface

Leia mais

Conceitos Básicos de Informática. Antônio Maurício Medeiros Alves

Conceitos Básicos de Informática. Antônio Maurício Medeiros Alves Conceitos Básicos de Informática Antônio Maurício Medeiros Alves Objetivo do Material Esse material tem como objetivo apresentar alguns conceitos básicos de informática, para que os alunos possam se familiarizar

Leia mais

II Seminário de Resultados da Lei de Informática: A Experiência LESC - Solectron

II Seminário de Resultados da Lei de Informática: A Experiência LESC - Solectron DETI GTEL II Seminário de Resultados da Lei de Informática: A Experiência LESC - Solectron Departamento de Engenharia de Teleinformática (DETI) Universidade Federal do Ceará (UFC) Prof. Helano de Sousa

Leia mais

linguagem técnica de informática; Perceber os sinais de pontuação e identificar sua função no texto; Ler siglas e identificar seus significados;

linguagem técnica de informática; Perceber os sinais de pontuação e identificar sua função no texto; Ler siglas e identificar seus significados; PLANO DE CURSO Disciplina Competências Habilidades Bases Tecnológicas INGLÊS TÉCNICO Aumentar e consolidar o seu vocabulário ativo e passivo, através da fixação de novas palavras e expressões contidas

Leia mais

SYSLOG - Sistema de Logística

SYSLOG - Sistema de Logística Integrantes (Grupo 3) Douglas Antony (Gerente) Bruno Sout Erika Nascimento Horácio Grangeiro Isaque Jerônimo Paulo Roriz Rodrigo Lima Versão:01.00 Data:18/05/2011 Identificador do documento:lr Versão do

Leia mais