ATA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA 2014"

Transcrição

1 ATA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA 2014 Aos vinte e dois dias do mês de março de dois mil e catorze, pelas quinze horas e dez minutos, reuniu, em segunda convocatória, a Assembleia Geral Ordinária da Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação (CNIPE), no auditório da Escola Secundária de São Pedro do Sul, com a seguinte Ordem de Trabalhos, conforme convocatória de 7 de março de dois mil e catorze: Um - Apresentação, análise e votação do Relatório de Atividades e Relatório de Contas referente ao ano de 2013/2014; Dois - Parecer do Conselho Fiscal; Três - Apresentação, análise e votação do Orçamento Ordinário para o ano de 2014/2015; Quatro - Apresentação, discussão e aprovação de Associados/as de Mérito; Cinco - Apresentação, análise e ratificação das nomeações propostas para substituição dos membros dos Órgãos Sociais que ficaram impedidos por razões profissionais; Seis - Conselho Consultivo e Grupos de Trabalho; Sete - Análise da política educativa; Oito - Diversos. No início dos trabalhos e por não se encontrar constituída a mesa da Assembleia Geral, por ausência do segundo secretário, procedeu-se à nomeação de um substituto de entre os membros presentes na assembleia, tendo sido proposta como segunda secretária Alda Casais, que foi aprovada por O presidente da mesa deu aberta a sessão, cumprimentando todos os presentes e agradecendo à direção do Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul a disponibilidade das instalações para a realização da presente reunião. De seguida, deu a palavra à Sr.ª Vereadora responsável pelo pelouro da educação da Câmara Municipal de São Pedro do Sul, a qual se congratulou com o facto da assembleia geral decorrer no seu concelho, desejando, também, uma boa sessão de trabalho. Para a apresentação do Relatório de Atividades, o presidente da mesa deu a palavra à presidente da direção. A presidente da direção apresentou o Relatório de Atividades, documento que consta como anexo 1 a esta ata, sendo de destacar os seguintes pontos:

2 - Esta direção está a trabalhar com e para as Associações de Pais e Encarregados de Educação ; - Neste momento, a CNIPE encontra-se devidamente legalizada, após atribuição de número de identificação fiscal, sendo também detentora de uma conta bancária; - Os membros dos Orgãos Sociais da CNIPE têm participado em diversas reuniões da 8ª Comissão Parlamentar, onde têm sido transmitidas posições sobre o ensino profissional, entre outras. Também está representada no grupo de trabalho para a revisão do quadro normativo do ensino especial e no Júri do Prémio Escola 2013; - Aguarda-se a tomada de posse dos representantes da CNIPE no Conselho Nacional de Educação; - Em reunião de direção, foi aprovada a quota de 5,00 anual, por associada. Porém, por ciscunstâncias diversas, deixava à consideração da assembleia que esse valor pudesse passar para 10,00; O presidente da mesa agradeceu a apresentação do Relatório de Atividades, referindo de seguida que, sea assembleia etivesse de acordo, a questão da quota passaria para análise no ponto oito - Diversos da Ordem de Trabalhos. Não havendo inscrições para debate sobre o Relatório de Atividades, o mesmo foi colocado à votação, tendo sido aprovado por Passou-se à apresentação e análise do Relatório de Contas, pelo tesoureiro da direção e correspondente ao período de 14 de dezembro de 2013 a 21 de março de Por este foi referido que a atual direção herdou um saldo negativo de22.624,34 por dividas à FAP Sintra, FERLEI, FRAP Viseu e AP Milagres. Como entretanto, houve donativos no valor de 100,00, depois de deduzidas as despesas, no exercício em análise verifica-se um saldo positivo de 79,30. O Relatório de Contas constitui o anexo 2 a esta ata. O Conselho Fiscal deu um parecer positivo ao Relatório de Contas, deixando a indicação de que deveria ser aprovado. O parecer do Conselho Fiscal constitui o anexo 3 a esta ata. Colocado o assunto a debate, a assembleia manifestou as seguintes posições em relação à situação económica da CNIPE apresentada neste Relatório de Contas: - preocupação com a atual situação financeira da CNIPE, mais concretamente com o valor da dívida à FAP Sintra (21.174,34 );

3 - a direção foi questionada sobre a existência de documentos que suportavam a mesma. A presidente da direção referiu que não tinha conhecimento desses documentos, mas que esta situação teve origem desde a altura da criação da CNIPE; - não querendo escamotear a questão dos valores em dívida, as contas do atual exercício deveriam ser apresentadas e as mesmas deveriam ser aprovadas pela assembleia; - o passivo, embora assumido, será liquidado a seu devido tempo; - a CNIPE deverá envidar todos os esforços para obter documentos comprovativos da dívida e amortizar a mesma, sem compromisso de pagamento total durante o presente mandato. O presidente da mesa, sobre este assunto, e uma vez que a assembleia manifestou o seu desconhecimento sobre os valores em divida e exige saber pormenorizadamente quais os valores, referiu que irá envidar todos os esforços no sentido de obter descriminação das despesas que suportem a mesma. Foi apresentada uma proposta à assembleia no sentido de que todos os membros dos órgãos sociais da CNIPE devem apresentar as despesas por si suportadas, concretamente ao nível da alimentação, alojamento e deslocações, em impresso a criar pela direção, para assim se poder ter uma ideia, o mais próxima possível da realidade, das despesas da CNIPE. Procedeu-se de seguida à votação do presente Relatório de Contas, tendo sido aprovado por maioria, com uma abstenção. Sobre a proposta da criação de um impresso para registo das despesas suportadas pelos membros dos Orgãos Sociais da CNIPE, conforme proposta apresentada, a assembleia recomendou à direção da CNIPE a criação do referido impresso. De seguida, o presidente da mesa deu a palavra novamente ao tesoureiro da direção para este apresentar o Orçamento Ordinário para o exercício de 2014/2015. O orçamento apresentado prevê proveitos e gastos no valor de ,00, conforme documento que contitui o anexo 4 à presente ata. De acordo com o orçamento agora apresentado, prevê-se que a maior fatia deste orçamento, em termos de proveitos, será proveniente do Ministério da Educação e Ciência, após assinatura de protocolo. A assembleia tomou a palavra para dizer que apoia a proposta de orçamento agora apresentada. Contudo, reforça a ideia de que é necessário estabelecer um grande diálogo com o Ministério da Educação e Ciência para se poder obter a comparticipação prevista, bem como outras. É necessário que a CNIPE continue a trabalhar no terreno, mostrando a sua existência, trabalho esse que irá levar o Ministério da Educação e Ciência a reconhecê-la como entidade e parceiro credível.

4 Colocada à votação pelo presidente da mesa, a proposta de orçamento foi aprovada por Para análise do ponto quatro da Ordem de Trabalhos, o presidente da mesa deu a palavra ao vice-presidente da direção, que apresentou os nomes propostos para Sócios de Mérito da CNIPE, a saber: Maria José Viseu, Joaquim Ribeiro, Vitor Nunes, Rui Martins, José Marques e Carlos Rainho. Colocado à votação, estes nomes foram aprovados por maioria com uma abstenção. O presidente da mesa tomou a palavra e propôs, para sócio de mérito, Homero Silvestre Nascimento. Esta proposta foi aprovada por maioria com uma abstenção. Para a análise e discussão do ponto cinco da Ordem de Trabalhos, o presidente da mesa referiu que, dado a FERLEI ainda não se ter pronunciado sobre a substituição dos elementos que apresentaram impedimentos para fazerem parte dos Orgãos Sociais por razões profissionais, este ponto da Ordem de Trabalho fica adiado para a próxima assembleia geral. Dando seguimento à Ordem de Trabalhos, o presidente da mesa deu a palavra ao vicepresidente da direção para apresentação da proposta de criação do Conselho Consultivo e dos Grupos de Trabalho. A direção da CNIPE pretende criar um Conselho Consultivo, de onde farão parte os presidentes de todas as federações distritais que fazem parte da CNIPE e as seguintes individualidades a convidar: Herminia Gomes, Maria José Viseu, Joaquim Ribeiro, Homero Nascimento e José Marques. Este conselho terá a vigência de um ano. Colocada esta a proposta à votação pelo presidente da mesa, a mesma foi aprovada por Ainda no mesmo ponto da Ordem de Trabalhos foi apresentada a proposta de criação de Grupos de Trabalho para se debruçarem sobre diversas temáticas relacionadas com a escola e a educação. Cada grupo será constituído, no mínimo, por um elemento dos Orgãos Sociais da CNIPE, que coordenaráo respetivo grupo, ou outros que venham a ser cooptados junto das associadas da CNIPE. Os Grupos de Trabalho a constituir são: Ensino Pré-escolar, 1º ciclo, 2º ciclo, 3º ciclo e secundário, Ensino Profissional, Ensino Especial e Desporto Escolar. Colocada esta propota à votação, foi aprovada por De seguida, deu-se início à análise da política educativa, tendo a assembleia referido os seguites aspetos a ter em consideração pela CNIPE: - de acordo com declaração recente proferida pelo Sr. Ministro Poiares Maduro, no ano letivo de 2014/2015 dez municípios deverão tomar a responsabilidade da gestão das escolas/agrupamentos do respetivo concelho. Nesta questão, a assembleia considera ser

5 essencial que os pais e encarregados de educação tenham conhecimento de quais são os municípios que vão fazer essa gestão, pelo que a CNIPE deve questionar a 8ª Comissão e o Ministério da Educação e Ciência sobre este assunto; - questão das intervenções efetuadas nas escolas por parte da Parque Escolar, S.A., e estas entretanto terem ficado paradas e sem solução à vista. Devido a isso, os alunos têm agora piores condições do que as que tinham antes do início das obras; - a questão do ensino profissional, nível de ensino que está a ser descurado pelo Ministério da Educação e Ciência, concretamente nas escolas públicas, em detrimento das escolas privadas; - o ensino especial está a ser esvaziado em termos de recursos, principalmente humanos, pelo que os alunos, que dele necessitam, não estão a ter os apoios devidos; - algumas autarquias, em cooperação com o Ministérios da Educação e Ciência estão a retirar o amianto de escolas, sem disso darem conhecimento à comunidade educativa, e depois vêm afirmar que não existe amianto nas escolas do concelho; Para terminar, o presidente da mesa sintetizou as questões apresentadas, preocupações legítimas dos pais e encarregados de educação, e referiu que as mesmas devem ser encaminhadas para os grupos de trabalho aprovados nesta assembleia e que a direção da CNIPE deve tomar boa nota destas questões e debruçar-se sobre elas no futuro. A Sra. Vereadora da Câmara Municipal de S. Pedro do Sul presente, alertou para o fato de algumas das questõe aqui abordadas poderem ter acolhimento em termos do novo quadro de apoio comunitário (QREN), assunto esse que a direção da CNIPE deveria averiguar e explorar. Dando seguimento à Ordem de Trabalhos, foi posto á discussão a proposta da direção sobre o valor da quota anual. Após diversas intervenções aprovou-se por unanimidade o valor da quota anual de dez euros. No entanto, a FRAP Viseu apresentou uma declaração de voto com o seguinte teor : Tendo em conta as dificuldades financeiras que as associadas atravessam, assim como, a nossa intenção de alargar a abrangência de atuação da CNIPE junto das associações de pais, e não querendo que o valor da quota seja um entrave á filiação de mais associadas, propõe-se que se isente as suas associadas do seu pagamento nos próximos dois anos. Perante esta posição da assembleia, a direção da CNIPE deverá informar as associadas desta decisão. O Presidente da Mesa deu por encerrada a reunião pelas dezassete horas e trinta minutos, da qual se lavrou a presente ata que vai ser assinada nos termos da lei.

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Cascais

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Cascais Regimento do Conselho Municipal de Educação de Cascais Índice Natureza e Objetivos 2 Competências 2 Composição 3 Comissão Permanente 4 Presidência 5 Periodicidade 5 Convocação das reuniões 6 Quórum 6 Uso

Leia mais

Regulamento. Conselho Municipal de Desporto

Regulamento. Conselho Municipal de Desporto Regulamento Conselho Municipal de Desporto 30.abril.2015 CÂMARA MUNICIPAL DE SANTARÉM CONSELHO MUNICIPAL DE DESPORTO Preâmbulo Considerando que as autarquias, pela sua proximidade com a população, são

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA

PROJETO DE REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA PROJETO DE REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA Em conformidade com os poderes regulamentares que lhes são atribuídos pelo artigo 241.º, da Lei Constitucional, devem os municípios

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTA MARIA DA FEIRA

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTA MARIA DA FEIRA REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTA MARIA DA FEIRA O Decreto-Lei nº7/2003, de 15 de Janeiro, com as alterações introduzidas pela Lei nº 41/2003, de 22 de Agosto, retificada pela

Leia mais

R E G I M E N T O. Preâmbulo

R E G I M E N T O. Preâmbulo R E G I M E N T O Preâmbulo A Lei de Bases do Sistema Educativo (Lei n.º 46/86, de 14 de outubro, com a redação que lhe foi dada pela Lei n.º 115/97, de 19 de setembro) e de acordo com as alterações introduzidas

Leia mais

---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor:

---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor: - Conselho Municipal de Educação de Vila Real - Proposta de Regulamento ---------- 23. - Presente à reunião proposta do Vereador José Maria Magalhães do seguinte teor: A Lei de Bases do Sistema Educativo

Leia mais

ATA DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

ATA DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ATA DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Ao décimo primeiro dia do mês de março de dois mil e treze, pelas nove horas e trinta minutos, no edifício da Junta de Freguesia de Viana do Alentejo, reuniu o Conselho

Leia mais

Câmara Municipal de Resende REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO

Câmara Municipal de Resende REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO Câmara Municipal de Resende REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO A Lei n.º 159/99, de 14 de setembro estabelece no seu artigo 19º, nº 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SESIMBRA. Artigo 1º Noção e Objetivos

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SESIMBRA. Artigo 1º Noção e Objetivos REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SESIMBRA Artigo 1º Noção e Objetivos O Conselho Municipal de Educação de Sesimbra, adiante designado por CME, é uma instância de coordenação e consulta, a

Leia mais

Da denominação, natureza e fins

Da denominação, natureza e fins REGULAMENTO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AFONSO DE ALBUQUERQUE Capítulo I Da denominação, natureza e fins Artigo 1.º Denominação A Associação de Pais e Encarregados

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Viana do Alentejo Preâmbulo

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Viana do Alentejo Preâmbulo Regimento do Conselho Municipal de Educação de Viana do Alentejo Preâmbulo A Lei nº 159/99, de 14 de setembro, visou estabelecer um quadro de transferências de atribuições e competências da Administração

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Considerando que: 1. A experiência do Conselho Local de Educação em Palmela procurou fomentar a valorização da educação como motor de desenvolvimento do local,

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS

JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS MINUTA DA ATA NR.8/2014 MINUTA DA ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA REALIZADA NO DIA DEZASSETE DE ABRIL DO ANO DE DOIS MIL E QUINZE ---------------------------------------------------------------------- ---------

Leia mais

Associação de Estudantes

Associação de Estudantes DIREÇÃO GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES DIREÇÃO DE SERVIÇOS DA REGIÃO CENTRO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ESCALADA, PAMPILHOSA DA SERRA Ano Letivo 2014/2015 Associação de Estudantes Objetivos A. Representar

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO GERAL. fevereiro 2014

REGIMENTO DO CONSELHO GERAL. fevereiro 2014 REGIMENTO DO CONSELHO GERAL fevereiro 2014 Agrupamento de Escolas Monte da Lua Regimento do Conselho Geral Capítulo I Enquadramento Legal Índice Artigo 1º Fundamento legal do Conselho Geral...... 2 Capítulo

Leia mais

ATA NÚMERO CENTO E TRINTA E DOIS

ATA NÚMERO CENTO E TRINTA E DOIS ATA NÚMERO CENTO E TRINTA E DOIS Aos vinte e dois dias de Abril de dois mil e catorze, pelas vinte e uma horas e trinta minutos, reuniram-se em sessão ordinária, os membros da Assembleia de Freguesia de

Leia mais

Câmara Municipal Gondomar REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GONDOMAR

Câmara Municipal Gondomar REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GONDOMAR Câmara Municipal Gondomar REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GONDOMAR Aprovado pela Câmara em 6/02/2003, alterado em Reunião de Câmara de 18/09/2003 Aprovado pela Assembleia Municipal em

Leia mais

Mandato Autárquico 2013-2017

Mandato Autárquico 2013-2017 CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE PENICHE (Regimento) Mandato Autárquico 2013-2017 PREÂMBULO A democraticidade de um sistema ou de um modelo organizacional traduz-se pelo nível/grau de participação que

Leia mais

Ficha de candidatura para os representantes docentes do Conselho Municipal de Educação - download aqui ( 98.62KB)

Ficha de candidatura para os representantes docentes do Conselho Municipal de Educação - download aqui ( 98.62KB) Ficha de candidatura para os representantes docentes do Conselho Municipal de Educação - download aqui ( 98.62KB) Candidaturas ao Conselho Municipal de Educação - download aqui ( 864KB) Resultados das

Leia mais

Regulamento do Conselho Municipal de Educação do Fundão. Preâmbulo

Regulamento do Conselho Municipal de Educação do Fundão. Preâmbulo REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO FUNDÃO Publicação II SÉRIE N.º 98 20 de Maio de 2010 Regulamento do Conselho Municipal de Educação do Fundão Preâmbulo A Lei de Bases do Sistema Educativo

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO PEDAGÓGICO

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO PEDAGÓGICO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO PEDAGÓGICO TRIÉNIO 2014/2017 Artigo 1º Princípios Gerais 1. O Conselho Pedagógico é o órgão de coordenação e orientação educativa da unidade orgânica, nomeadamente nos domínios

Leia mais

Conselho Municipal de Educação de Arganil REGIMENTO

Conselho Municipal de Educação de Arganil REGIMENTO Conselho Municipal de Educação de Arganil REGIMENTO 1 Conselho Municipal de Educação de Arganil Regimento Preâmbulo A democraticidade de um sistema ou de um modelo organizacional traduz-se pelo nível/grau

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE REDONDO REGIMENTO

CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE REDONDO REGIMENTO y Câmara Municipal de Redondo CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE REDONDO REGIMENTO O DL 7/2003, de 15 de Janeiro, que prevê a constituição do Conselho Municipal de Educação, regulou as suas competências

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO VICENTE

CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO VICENTE (MANDATO 20132017) ATA DA VIGÉSIMA REUNIÃO DE 2015 Aos vinte e quatro dias do mês de setembro do ano dois mil e quinze, pelas dez horas, em cumprimento de convocatória emanada nos termos do disposto n.º

Leia mais

MUNICÍPIO DE VAGOS Câmara Municipal Rua da Saudade 3840-420 VAGOS

MUNICÍPIO DE VAGOS Câmara Municipal Rua da Saudade 3840-420 VAGOS --------------------------ATA DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO-------------------------- -----------------------------------------------------ATA Numero Quatro-------------------------------------------

Leia mais

Ata nº2/7 de fevereiro2014 Página 1 / 7

Ata nº2/7 de fevereiro2014 Página 1 / 7 ----------------------------- ATA N.º 2/7 fevereiro 2014 ----------------------------------- ----- Aos sete dias do mês de fevereiro de dois mil e catorze, pelas vinte e uma horas e trinta minutos, no

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE MONTIJO (CMEM) PERÍODO 2013-2017

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE MONTIJO (CMEM) PERÍODO 2013-2017 REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE MONTIJO (CMEM) PERÍODO 2013-2017 Aprovado em reunião do CMEM realizada em 9 de abril de 2014 Artigo 1º Noção e Objetivos O Conselho Municipal de Educação,

Leia mais

REGIMENTO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE ALANDROAL

REGIMENTO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE ALANDROAL REGIMENTO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE ALANDROAL REGIMENTO PREÂMBULO Considerando que: 1- No Município de Alandroal, a construção de um futuro melhor para os cidadãos deve passar pela promoção de

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL REGULAMENTO. Artigo 1º. (Natureza) Artigo 2º. (Objectivos)

CONSELHO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL REGULAMENTO. Artigo 1º. (Natureza) Artigo 2º. (Objectivos) CONSELHO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL REGULAMENTO Artigo 1º (Natureza) O Conselho Municipal de Desenvolvimento Económico e Social (CMDES) é um órgão de reflexão e consulta no domínio

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO GERAL

REGIMENTO DO CONSELHO GERAL REGIMENTO DO CONSELHO GERAL Janeiro de 2015 PREÂMBULO O presente regimento tem por finalidade regular os procedimentos administrativos e modo de funcionamento do Conselho Geral, garantindo a eficiente

Leia mais

160945 Agrupamento de Escolas de Esgueira ÍNDICE

160945 Agrupamento de Escolas de Esgueira ÍNDICE ÍNDICE Artigo 1.... 4 Finalidades... 4 Artigo 2.... 4 Composição... 4 Artigo 3.... 4 Competências do Conselho Geral... 4 Artigo 4º... 5 Duração do Mandato... 5 Artigo 5º... 5 Perda do Mandato... 5 Artigo

Leia mais

- CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE LAGOS - PREÂMBULO

- CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE LAGOS - PREÂMBULO PREÂMBULO A Lei de Bases do Sistema Educativo (Lei nº 46/86 de 14 de Outubro) consagrou a interacção com a comunidade educativa local como um pilar fundamental da política educativa. Por essa razão o nº

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTARÉM. Preâmbulo

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTARÉM. Preâmbulo REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SANTARÉM Preâmbulo A Lei n.º 159/99, de 14 de Setembro estabelece, no seu artigo 19.º, n.º 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os

Leia mais

Conselho Municipal de Educação

Conselho Municipal de Educação 1 Regimento do (CME) do Município de Vila Nova de Paiva A Lei 159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo 19, n.º2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos locais

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA NOTA JUSTIFICATIVA Em conformidade com os poderes regulamentares que lhes são atribuídos pelos artigos 112º n.º 8 e 241º da Lei Constitucional, devem os Municípios aprovar os respectivos regulamentos municipais,

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO CIENTÍFICO DO LABORATÓRIO NACIONAL DE ENERGIA E GEOLOGIA, I.P. CAPÍTULO I Disposições Gerais. Artigo 1º Definição e regime

REGULAMENTO DO CONSELHO CIENTÍFICO DO LABORATÓRIO NACIONAL DE ENERGIA E GEOLOGIA, I.P. CAPÍTULO I Disposições Gerais. Artigo 1º Definição e regime REGULAMENTO DO CONSELHO CIENTÍFICO DO LABORATÓRIO NACIONAL DE ENERGIA E GEOLOGIA, I.P. CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º Definição e regime O Conselho Científico do Laboratório Nacional de Energia

Leia mais

Regulamento Interno. Capítulo I (Constituição e âmbito) Capítulo II ( Dos sócios, seus direitos e deveres )

Regulamento Interno. Capítulo I (Constituição e âmbito) Capítulo II ( Dos sócios, seus direitos e deveres ) Regulamento Interno Capítulo I (Constituição e âmbito) Art. 1.º - O presente Regulamento Interno, tem como finalidade completar pormenorizadamente os Estatutos da ASTA Associação de Artes e Sabores do

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALCOUTIM

MUNICÍPIO DE ALCOUTIM MUNICÍPIO DE ALCOUTIM ATA N.º 18/2013 Da reunião pública Ordinária da Câmara Municipal de Alcoutim Realizada em 28 de outubro de 2013 ---------- Aos vinte e oito dias do mês de outubro de dois mil e treze,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ARBITRAGEM

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE ARBITRAGEM ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE LEIRIA COMUNICADO OFICIAL N.º 051 Data: 2012.09.26 Para conhecimento dos Clubes filiados, Comunicação Social e demais interessados, se comunica: REGIMENTO INTERNO DO Cumprindo

Leia mais

Divisão de Gestão Administrativa e Financeira ATA Nº 02/2014

Divisão de Gestão Administrativa e Financeira ATA Nº 02/2014 ATA Nº 02/2014 ----- ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DESTA CÂMARA MUNICIPAL DE VINTE QUATRO DE JANEIRO DE DOIS MIL E CATORZE. -------------------------------------------------- ----- Aos vinte e quatro dias do

Leia mais

MINUTA DA ATA NÚMERO SESSENTA E SEIS

MINUTA DA ATA NÚMERO SESSENTA E SEIS MINUTA DA ATA NÚMERO SESSENTA E SEIS Aos vinte e nove dias do mês de março de dois mil e quinze, pelas onze horas, reuniu n o Pavilhão Desport ivo Municipal Engenheiro Ministro dos Santos, sito no Parque

Leia mais

Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas Professor Paula Nogueira

Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas Professor Paula Nogueira Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas Professor Paula Nogueira Capítulo I Da denominação, natureza e fins Artigo 1.º Denominação A Associação de Pais e Encarregados

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPITULO I OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO

REGIMENTO INTERNO CAPITULO I OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO REGIMENTO INTERNO CAPITULO I OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO 1. O presente Regimento tem por objetivo regulamentar as questões internas de funcionamento dos órgãos de direção, dos grupos de trabalho, assim

Leia mais

Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Grupo escolaglobal. Capítulo Primeiro. Da denominação, natureza e fins

Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Grupo escolaglobal. Capítulo Primeiro. Da denominação, natureza e fins Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Grupo escolaglobal Capítulo Primeiro Da denominação, natureza e fins Artigo 1.º A Associação de Pais e Encarregados de Educação do Grupo escolaglobal,

Leia mais

CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO ATA Nº 106

CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO ATA Nº 106 CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO ATA Nº 106 (4ª Reunião Extraordinária 03/ Março / 2015) De acordo com a deliberação nº2 do Conselho de Gestão, de 28 de outubro de 2010, o Conselho Técnico-Científico da ESSA

Leia mais

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE CONDEIXA-A-NOVA ACTA Nº 2/2009 REUNIÃO ORDINÁRIA DE 2009/04/27

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE CONDEIXA-A-NOVA ACTA Nº 2/2009 REUNIÃO ORDINÁRIA DE 2009/04/27 ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE CONDEIXA-A-NOVA ACTA Nº 2/2009 REUNIÃO ORDINÁRIA DE 2009/04/27 mod. EXP 14.1 Aos vinte e sete dias do mês de Abril do ano de dois mil e nove, reuniu no Salão Nobre dos Paços do

Leia mais

ACTA N.º 05/2014 REUNIÃO ORDINÁRIA DA JUNTA DE FREGUESIA DE BENAVENTE

ACTA N.º 05/2014 REUNIÃO ORDINÁRIA DA JUNTA DE FREGUESIA DE BENAVENTE INÍCIO: 18,30 HORAS ENCERRAMENTO:21,00 HORAS No dia três de Março de dois mil e catorze, na Sala de Reuniões do edifício da Junta de Freguesia de Benavente, onde se encontrava pelas dezoito horas e trinta

Leia mais

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA NOTA JUSTIFICATIVA A Lei 159/99, de 14 de Setembro, estabelece no seu artigo 19.º, n.º 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os Conselhos locais de Educação. A Lei 169/99, de 18

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Braga

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Braga Regimento do Conselho Municipal de Educação de Braga A lei de bases do sistema educativo assume que o sistema educativo se organiza de forma a descentralizar, desconcentrar e diversificar as estruturas

Leia mais

ATA N.º 20/2015. Ata da Reunião Ordinária de 5/10/2015 Página 1 de 7

ATA N.º 20/2015. Ata da Reunião Ordinária de 5/10/2015 Página 1 de 7 ATA N.º 20/2015 ----- ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DESTA CÂMARA MUNICIPAL DE CINCO DE OUTUBRO DE DOIS MIL E QUINZE. ------------------------------------------------------- ----- Aos cinco dias do mês de outubro

Leia mais

Ano Letivo 2011/2012. Ata de Reunião nº 3. Aos quinze dias do mês de novembro de dois mil e onze, reuniu o Grupo de

Ano Letivo 2011/2012. Ata de Reunião nº 3. Aos quinze dias do mês de novembro de dois mil e onze, reuniu o Grupo de Ano Letivo 2011/2012 Ata de Reunião nº 3 Aos quinze dias do mês de novembro de dois mil e onze, reuniu o Grupo de Trabalho da Rede Concelhia de Bibliotecas Escolares, pelas catorze horas, no auditório

Leia mais

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA 1 REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA MADEIRA ACTA Nº 26/2006 - DEZEMBRO --- DATA DA REUNIÃO: Sete de Dezembro de dois mil e seis. ------------------------- --- LOCAL DA REUNIÃO: Sala

Leia mais

Comunidade Intermunicipal do Oeste. Conselho Executivo

Comunidade Intermunicipal do Oeste. Conselho Executivo 79 ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO EXECUTIVO DA COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DO OESTE, REALIZADA NO DIA NOVE DE MAIO DE DOIS MIL E DOZE -----Aos nove dias do mês de maio de dois mil e doze, pelas catorze

Leia mais

-------- Aos três dias do mês de Março do ano de dois mil e três reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila Pouca de

-------- Aos três dias do mês de Março do ano de dois mil e três reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila Pouca de -------- Aos três dias do mês de Março do ano de dois mil e três reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, em reunião ordinária para apreciação e deliberação

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DE PROFESSORES DE FILOSOFIA. Capitulo I DA ASSOCIAÇÃO. Artigo 1º

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DE PROFESSORES DE FILOSOFIA. Capitulo I DA ASSOCIAÇÃO. Artigo 1º ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DE PROFESSORES DE FILOSOFIA Capitulo I DA ASSOCIAÇÃO Artigo 1º 1- A Associação de Professores de Filosofia é uma associação portuguesa de professores ligados ao ensino da Filosofia,

Leia mais

Junta de Freguesia da Marinha Grande ACTA NÚMERO CINCO

Junta de Freguesia da Marinha Grande ACTA NÚMERO CINCO ACTA NÚMERO CINCO Aos quatro dias do mês de Março de dois mil e dez, pelas vinte e uma horas e quarenta e cinco minutos, deu-se início à reunião ordinária do Executivo da Junta de Freguesia, sob a presidência

Leia mais

MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA CÂMARA MUNICIPAL REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIDIGUEIRA

MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA CÂMARA MUNICIPAL REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIDIGUEIRA REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIDIGUEIRA A Lei nº.159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo 19º, n.º. 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇAO DE PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO DA ESCOLA DO 1º CICLO DE MOUTIDOS. Rua de Moutidos 4445 ÁGUAS SANTAS PORTUGAL

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇAO DE PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO DA ESCOLA DO 1º CICLO DE MOUTIDOS. Rua de Moutidos 4445 ÁGUAS SANTAS PORTUGAL ESTATUTOS DA ASSOCIAÇAO DE PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO DA ESCOLA DO 1º CICLO DE MOUTIDOS Rua de Moutidos 4445 ÁGUAS SANTAS PORTUGAL CAPÍTULO I Da Denominação, Sede, Âmbito da Acção e Fins ARTIGO UM

Leia mais

ATA DA 2.ª REUNIÃO DO CONSELHO DAS ESCOLAS 6 de fevereiro de 2014

ATA DA 2.ª REUNIÃO DO CONSELHO DAS ESCOLAS 6 de fevereiro de 2014 ATA DA 2.ª REUNIÃO DO CONSELHO DAS ESCOLAS 6 de fevereiro de 2014 Nos termos do n.º 2 do art.º 12.º do Decreto-Regulamentar n.º 5/2013, de 29 de agosto, reuniu o Plenário do Conselho das Escolas na 5ª

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013 Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013 O Decreto-Lei n.º 7/2003, de 15 de Janeiro, tem por objecto os Conselhos Municipais de Educação, regulando as suas competências e composição,

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS

JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS MINUTA DA ATA NR.27/2014 --------------- MINUTA DA ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS REALIZADA NO DIA VINTE E DOIS DE DEZEMBRO DO ANO DE DOIS MIL E CATORZE ----------------------

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO SEM FINS LUCRATIVOS INOVA-RIA. Artigo 1º Denominação, Natureza e Duração

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO SEM FINS LUCRATIVOS INOVA-RIA. Artigo 1º Denominação, Natureza e Duração ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO SEM FINS LUCRATIVOS INOVA-RIA Artigo 1º Denominação, Natureza e Duração A Associação adota a denominação INOVA-RIA: Associação de Empresas para uma Rede de Inovação em Aveiro e

Leia mais

MUNICÍPIO DE CASTRO VERDE CÂMARA MUNICIPAL

MUNICÍPIO DE CASTRO VERDE CÂMARA MUNICIPAL MUNICÍPIO DE CASTRO VERDE CÂMARA MUNICIPAL ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE CASTRO VERDE, REALIZADA NO DIA 23 DE OUTUBRO DE 2013. Nº. 24/2013 Estiveram presentes para o efeito os eleitos:

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO A Lei 159/99, de 14 de Setembro, estabelece no seu artigo 19, nº2., alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os Conselhos Locais de Educação.

Leia mais

Divisão de Gestão Administrativa e Financeira ATA N.º 27/2014

Divisão de Gestão Administrativa e Financeira ATA N.º 27/2014 ATA N.º 27/2014 ----- ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DESTA CÂMARA MUNICIPAL DE 23 DE DEZEMBRO DE 2014. ----------------------------------------------------------------------- ----- Aos vinte e três dias do mês

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE PAREDES

CÂMARA MUNICIPAL DE PAREDES CÂMARA MUNICIPAL DE PAREDES QUADRIÉNIO 2006/2009 ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL 2009/08/05 ÍNDICE REUNIÃO DE 2009/08/05 JUSTIFICAÇÃO DE FALTA 5 APROVAÇÃO DA ACTA DA REUNIÃO DE 29/07/2009

Leia mais

Estatutos da Caixa Geral de Depósitos

Estatutos da Caixa Geral de Depósitos Estatutos da Caixa Geral de Depósitos Conforme aprovado em Assembleia Geral de 22 de julho de 2011 e posterior alteração pela Deliberação Unânime por Escrito de 27 de junho de 2012. CAPÍTULO I Natureza,

Leia mais

Ata da Assembleia-geral extraordinária

Ata da Assembleia-geral extraordinária Ata da Assembleia-geral extraordinária 16 de outubro de 2014, 15h00 Lisboa Auditório do Centro de Medicina Desportiva (Estádio Universitário de Lisboa) Aos dezasseis dias do mês de outubro do ano de Dois

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE LAJES DO PICO. Acta Assembleia Geral

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE LAJES DO PICO. Acta Assembleia Geral SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE LAJES DO PICO Acta Assembleia Geral ---- Aos vinte e um dias do mês de Novembro do ano dois mil e doze, reuniu no Auditório Municipal, a Assembleia Geral da Santa Casa das

Leia mais

Município de Vieira do Minho

Município de Vieira do Minho CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIEIRA DO MINHO REGIMENTO INTERNO A lei nº 159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo19º, nº 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos

Leia mais

Às dezasseis horas e quarenta e dois minutos a Assembleia Geral deu por findada.

Às dezasseis horas e quarenta e dois minutos a Assembleia Geral deu por findada. ATA NÚMERO QUATRO Ao décimo terceiro dia do mês de Maio de dois mil e quinze, pelas quatorze horas realizou-se, nos termos do artigo 25 dos estatutos da AEFEUP, a Assembleia Geral Ordinária número quatro

Leia mais

ACTA N.º 27/2009 REUNIÃO ORDINÁRIA DE CÂMARA DE 25 / 11 / 2009 RESUMO DIÁRIO DE TESOURARIA REFERENTE AO DIA 19 / 11 / 2009

ACTA N.º 27/2009 REUNIÃO ORDINÁRIA DE CÂMARA DE 25 / 11 / 2009 RESUMO DIÁRIO DE TESOURARIA REFERENTE AO DIA 19 / 11 / 2009 CÂMARA MUNICIPAL DE VIANA DO ALENTEJO _ ACTA N.º 27/2009 REUNIÃO ORDINÁRIA DE CÂMARA DE 25 / 11 / 2009 PRESENÇAS PRESIDENTE : BERNARDINO ANTÓNIO BENGALINHA PINTO VEREADORES : JOÃO ANTÓNIO MERCA PEREIRA

Leia mais

ESTATUTOS CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1.º ARTIGO 2. ARTIGO 3.

ESTATUTOS CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1.º ARTIGO 2. ARTIGO 3. ESTATUTOS CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1.º Denominação e Regime Jurídico 1 - A empresa adota a denominação de RESIALENTEJO TRATAMENTO E VALORIZAÇÃO DE RESÍDUOS, E.I.M., adiante designada por RESIALENTEJO,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE PAMPILHOSA DA SERRA ACTA Nº 15

CÂMARA MUNICIPAL DE PAMPILHOSA DA SERRA ACTA Nº 15 DE PAMPILHOSA DA SERRA ACTA Nº 15 DA REUNIÃO ORDINÁRIA REALIZADA NO DIA 18/07/2001 (Contém 6 folhas) Estiveram presentes os seguintes membros: Presidente: (PSD) Vereador: José Augusto Veiga Nunes de Almeida

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA ASSEMBLEIA GERAL DA FPAS DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º (Objeto)

REGULAMENTO INTERNO DA ASSEMBLEIA GERAL DA FPAS DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º (Objeto) REGULAMENTO INTERNO DA ASSEMBLEIA GERAL DA FPAS DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º (Objeto) O funcionamento da Assembleia Geral rege-se pelo disposto no presente Regulamento e pelas demais disposições dos Estatutos

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 05 FEVEREIRO DE 2014

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 05 FEVEREIRO DE 2014 REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 05 FEVEREIRO DE 2014 A Câmara deliberou, por unanimidade, justificar a falta da Vice-Presidente, Senhora Dr.ª Felícia Maria Cavaleiro

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO GERAL

REGIMENTO DO CONSELHO GERAL Agrupamento de Escolas Henriques Nogueira Torres Vedras REGIMENTO DO CONSELHO GERAL 2015/2019 abril 2015 ÍNDICE PREÂMBULO 2 CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS 2 Artigo 1º - Natureza 2 Artigo 2º - Composição

Leia mais

Regulamento Genérico dos Núcleos da Associação Académica do Instituto Politécnico de Setúbal

Regulamento Genérico dos Núcleos da Associação Académica do Instituto Politécnico de Setúbal Regulamento Genérico dos Núcleos da Associação Académica do Instituto Politécnico de Setúbal Capítulo I Núcleos Artigo 1.º Definição 1 Os Núcleos da (AAIPS) são grupos de estudantes com um interesse comum

Leia mais

ESTATUTOS (Aprovados em Assembleia Geral Extraordinária a 24 de maio de 2014)

ESTATUTOS (Aprovados em Assembleia Geral Extraordinária a 24 de maio de 2014) ESTATUTOS (Aprovados em Assembleia Geral Extraordinária a 24 de maio de 2014) Página 1 de 12 ESTATUTOS DA SOCIEDADE PORTUGUESA DA TERAPIA DA FALA - ASSOCIAÇÃO (SPTF SOCIEDADE PORTUGUESA DE TERAPIA DA FALA)

Leia mais

Escola E. B. 2,3 Miguel Torga S. Brás. Regimento do Departamento de Ciências Sociais e Humanas 2014/2018

Escola E. B. 2,3 Miguel Torga S. Brás. Regimento do Departamento de Ciências Sociais e Humanas 2014/2018 Escola E. B. 2,3 Miguel Torga S. Brás Regimento do Departamento de Ciências Sociais e Humanas 2014/2018 O presente Regimento tem por referência o anexo I do Decreto Lei nº 200/2007 de 22 de Maio e o Regulamento

Leia mais

Regulamento do Conselho Municipal de Juventude de Miranda do Douro

Regulamento do Conselho Municipal de Juventude de Miranda do Douro Regulamento do Conselho Municipal de Juventude de Miranda do Douro Preâmbulo A Lei 8/2009, de 18 de Fevereiro, com as alterações introduzidas pela Lei nº 6/2012, de 10 de Fevereiro, estabelece, no artigo

Leia mais

Regulamento do Conselho Local de Educação

Regulamento do Conselho Local de Educação Regulamento do Conselho Local de Educação Nos termos e para os efeitos previstos no artigo 2º., do Decreto-Lei nº. 115-A/98, de 04 de Maio, deliberação da Câmara Municipal de Águeda de 08 de Fevereiro

Leia mais

ATA N.º 17/2015. Ata da Reunião Ordinária de 7/09/2015 Página 1 de 7

ATA N.º 17/2015. Ata da Reunião Ordinária de 7/09/2015 Página 1 de 7 ATA N.º 17/2015 ----- ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DESTA CÂMARA MUNICIPAL DE SETE DE SETEMBRO DE DOIS MIL E QUINZE. ------------------------------------------------------ ----- Aos sete dias do mês de setembro

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL. Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete

MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL. Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete MUNICÍPIO DE ALCOCHETE CÂMARA MUNICIPAL Regimento do Conselho Municipal de Educação de Alcochete A construção de um futuro impõe que se considere fundamental investir na capacitação e formação das pessoas,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO REDE PROCURA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PROTEÓMICA

REGULAMENTO INTERNO REDE PROCURA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PROTEÓMICA REGULAMENTO INTERNO REDE PROCURA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PROTEÓMICA CAPITULO I PREÂMBULO Artigo 1º Objeto 1. O presente Regulamento vem complementar e executar as normas estatutárias da Rede Procura Associação

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE BAIÃO PELOURO DA EDUCAÇÃO

CÂMARA MUNICIPAL DE BAIÃO PELOURO DA EDUCAÇÃO CÂMARA MUNICIPAL DE BAIÃO PELOURO DA EDUCAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ATA TRINTA (MINUTA) ---------Aos quatro dias do mês de maio de dois mil e doze, pelas catorze horas e trinta minutos, reuniu-se

Leia mais

Sacerdotes do Coração de Jesus Dehonianos. Província Portuguesa. Estatutos da Associação dos Leigos Voluntários Dehonianos

Sacerdotes do Coração de Jesus Dehonianos. Província Portuguesa. Estatutos da Associação dos Leigos Voluntários Dehonianos Sacerdotes do Coração de Jesus Dehonianos Província Portuguesa Estatutos da Associação dos Leigos Voluntários Dehonianos CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Artigo 1º Denominação A ASSOCIAÇÃO DOS LEIGOS

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO NACIONAL PARA A ECONOMIA SOCIAL

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO NACIONAL PARA A ECONOMIA SOCIAL REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO NACIONAL PARA A ECONOMIA SOCIAL CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS Artigo 1. (Natureza) O Conselho Nacional para a Economia Social, adiante também identificado como CNES,

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE JUVENTUDE DE SOBRAL DE MONTE AGRAÇO Reunião de Câmara: Reunião da Assembleia: Entrada em vigor: CAPITULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Lei Habilitante O presente

Leia mais

A Associação é uma Instituição de Solidariedade Social sem fins lucrativos e durará por tempo indeterminado.

A Associação é uma Instituição de Solidariedade Social sem fins lucrativos e durará por tempo indeterminado. ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DIABÉTICO FEIRA Artigo 1º A associação denomina-se ASSOCIAÇÃO DIABÉTICO FEIRA, com sede no Hospital de São Sebastião, EPE,, concelho de Santa Maria da Feira, podendo ser transferida

Leia mais

Regimento Interno do Conselho Municipal de Juventude de Odivelas

Regimento Interno do Conselho Municipal de Juventude de Odivelas Regimento Interno do Conselho Municipal de Juventude de Odivelas Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º Objeto O presente Regimento tem como objeto a definição das regras que instituem o Conselho Municipal

Leia mais

ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO JUVENIL INSCRITA NO RNAJ ONG SEM FINS LUCRATIVOS COM ESTATUTO DE UTILIDADE PÚBLICA

ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO JUVENIL INSCRITA NO RNAJ ONG SEM FINS LUCRATIVOS COM ESTATUTO DE UTILIDADE PÚBLICA ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO JUVENIL INSCRITA NO RNAJ ONG SEM FINS LUCRATIVOS COM ESTATUTO DE UTILIDADE PÚBLICA CAPITULO I Disposições Gerais Artigo 1º Natureza e Sede ESTATUTOS - 2015 1 A Associação Movimento

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DA JUVENTUDE. Município de Soure

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DA JUVENTUDE. Município de Soure REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DA JUVENTUDE Município de Soure 2014 1 Nota justificativa É hoje inquestionável a transversalidade das políticas públicas dirigidas à juventude. São inegáveis as vantagens

Leia mais

----------------------------------------------- ACTA Nº. 24 ----------------------------------------------------- Aos vinte e nove dias do mês de

----------------------------------------------- ACTA Nº. 24 ----------------------------------------------------- Aos vinte e nove dias do mês de ----------------------------------------------- ACTA Nº. 24 ----------------------------------------------------- Aos vinte e nove dias do mês de Janeiro de dois mil e dez, pelas quinze horas, reuniu no

Leia mais

Comunidade Intermunicipal do Oeste. Conselho Executivo

Comunidade Intermunicipal do Oeste. Conselho Executivo 104 ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO EXECUTIVO DA COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DO OESTE, REALIZADA NO DIA VINTE E OITO DE JUNHO DE DOIS MIL E DOZE -----Aos vinte e oito dias do mês de Junho de dois mil

Leia mais

Estatutos da Associação Portuguesa de Geomorfólogos (publicados em Diário da República - III Série, nº 297, de 27 de Dezembro de 2000)

Estatutos da Associação Portuguesa de Geomorfólogos (publicados em Diário da República - III Série, nº 297, de 27 de Dezembro de 2000) Estatutos da Associação Portuguesa de Geomorfólogos (publicados em Diário da República - III Série, nº 297, de 27 de Dezembro de 2000) CAPÍTULO I CONSTITUIÇÃO, SEDE, DURAÇÃO, OBJECTIVOS, ÂMBITO Art.º 1º

Leia mais

M U N I C Í P I O D E S Á T Ã O

M U N I C Í P I O D E S Á T Ã O DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÁTÃO REALIZADA NO DIA 16-01-2015 PRESENTES ATA Nº. 2/2015 PRESIDENTE Alexandre Vaz VICE- PRESIDENTE Paulo Santos VEREADORES Zélia Silva Rosa Carvalho Fernando

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE SEGURANÇA * Ata da Reunião de 11.03.2014. Ata N.º1 /2014

CONSELHO MUNICIPAL DE SEGURANÇA * Ata da Reunião de 11.03.2014. Ata N.º1 /2014 Ata N.º1 /2014 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SEGURANÇA, REALIZADA NO DIA 11 DE MARÇO DE 2014: Aos onze dias do mês de março do ano dois mil e catorze, na Cidade de Peniche e no Auditório do Edifício

Leia mais

Regimento da Assembleia Geral do Fórum Académico para a Informação e Representação Externa

Regimento da Assembleia Geral do Fórum Académico para a Informação e Representação Externa Regimento da Assembleia Geral do Fórum Académico para a Informação e Representação Externa CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Natureza A Assembleia Geral é o órgão deliberativo máximo do Fórum Académico

Leia mais