ESTATUTOS DA ASSOCIAÇAO DE PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO DA ESCOLA DO 1º CICLO DE MOUTIDOS. Rua de Moutidos 4445 ÁGUAS SANTAS PORTUGAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTATUTOS DA ASSOCIAÇAO DE PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO DA ESCOLA DO 1º CICLO DE MOUTIDOS. Rua de Moutidos 4445 ÁGUAS SANTAS PORTUGAL"

Transcrição

1 ESTATUTOS DA ASSOCIAÇAO DE PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO DA ESCOLA DO 1º CICLO DE MOUTIDOS Rua de Moutidos 4445 ÁGUAS SANTAS PORTUGAL

2 CAPÍTULO I Da Denominação, Sede, Âmbito da Acção e Fins ARTIGO UM - Denominação A Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola do 1º Ciclo de Moutidos é uma Associação sem fins lucrativos e que se rege pelos presentes estatutos. ARTIGO DOIS - Objectivo 1. A Associação tem como objectivo: estabelecer a acção coordenada dos pais e encarregados de educação, de modo a aproximar de forma ampla e articulada os alunos e a Escola. 2. Para o desenvolvimento da acção descrita no número anterior, entre outras acções, deverão ser desenvolvidas actividades nas seguintes áreas: a) Tempos Livres/Cantina; b) Cultura e Recreio; c) Desporto; d) Informática; e) Educação Musical; f) Sensibilização a uma Língua Estrangeira. 3. A Associação para atingir os fins acima descritos, poderá, através dos seus corpos sociais e ou associados, relacionar-se com outras entidades públicas ou privadas, sempre que tal se mostre útil ou necessário. ARTIGO TRES - Sede A Associação tem a sua sede na Escola do 1º Ciclo de Moutidos, Freguesia de Águas Santas, Concelho da Maia.

3 CAPÍTULO 2 Dos Associados ARTIGO QUATRO - Associados 1. Serão associados todos os pais e encarregados de educação de alunos, regularmente inscritos na Escola do 1º Ciclo de Moutidos, que manifestem vontade de adquirir essa qualidade. Podendo ainda, adquirir a Qualidade de associado, as individualidades e ou instituições, que tenham sido convidadas para o efeito. 2. A qualidade de associado é provada pela inscrição em ficheiro, na posse da Associação, sendo promovida pela Direcção. ARTIGO CINCO - Tipos de Associado Haverá as seguintes categorias de associados: 1. Efectivos - pais e encarregados de educação dos alunos da Escola do 1º Ciclo de Moutidos. 2. Honorários - as pessoas que, através de serviços ou donativos, dêem contribuirão relevante para a realização dos fins da Associação, como tal reconhecida e proclamada pela Assembleia Geral. ARTIGO SEIS - Dos Direitos dos Associado São direitos dos associados: 1. Efectivos a) Participar nas reuniões da Assembleia Geral; b) Eleger e ser eleito para os corpos sociais, nos termos deste estatuto; dezoito c) Requerer a convocação da Assembleia Geral Extraordinária, nos termos do número três do artigo d) Dar o seu contributo na dinamização das actividades de Associação; e) Usufruir dos benefícios e iniciativas criadas no âmbito da Associação. 2. Honorários a) Participar nas reuniões da Assembleia Geral; b) Dar o seu contributo na dinamização das actividades da Associação; c) Usufruir dos benefícios e iniciativas criadas no âmbito da Associação, de acordo com o estipulado pela Direcção. ARTIGO SETE - Dos deveres dos Associados

4 São deveres dos associados: 1. Pagar as quotas, aprovadas em reunião de Direcção e caso os educandos frequentem os tempos livres, pagar a respectiva mensalidade de acordo com os prazos estabelecidos pela Direcção. 2. Comparecer às reuniões da Assembleia Geral. 3. Observar as disposições estatutárias, regulamentos e as deliberações dos corpos sociais. 4. Desempenhar com zelo, dedicação e eficiência o cargo para que for eleito. ARTIGO OITO - Das Sanções 1. Os associados que violem os deveres estabelecidos no artigo número sete ficam sujeitos às seguintes sanções: a) Repreensão; b) Suspensão de direitos até noventa dias; c) Demissão. 2. São demitidos os associados que por actos dolosos tenham prejudicado moralmente ou materialmente a instituição. 3. As sanções previstas nas alíneas a) e b) do número um são da competência da Direcção. 4. A demissão é da exclusiva competência da Assembleia Geral, sob proposta da Direcção. 5. A aplicação de sanções previstas nas alíneas b) e c) do número um só se efectivará mediante notificação prévia ao associado, ao qual é reconhecido o direito de ser ouvido e de se justificar, se assim o entender. ARTIGO NOVE - Da Perda da Qualidade de Associado Perdem a qualidade de associado: 1. Os que pedirem a exoneração. 2. Os de que por qualquer forftla deixem de pertencer à Associação, não tendo direito a reaver as mensalidades que hajam pago, continuando no entanto responsáveis, por quaisquer danos ou prejuízos causados enquanto membros da mesma.

5 CAPÍTULO 3 Dos Corpos Sociais SECÇÃO I - DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO DEZ Os corpos sociais são a Assembleia Geral, a Direcção e o Conselho Fiscal. ARTIGO ONZE O exercício de qualquer cargo nos corpos sociais é gratuito. ARTIGO DOZE - Da Duração do Mandato A duração do mandato dos corpos sociais é de um ano. ARTIGO TREZE - Das Deliberações As deliberações serão tomadas por maioria dos associados presentes, salvo quando o presente estatuto preveja outra forma de deliberação, ou os corpos sociais deliberem em sentido diferente, excepto alteração dos estatutos sendo necessária a maioria de três quartos dos associados presentes e na extinção da Associação é necessária a maioria de três quartos do total dos associados. ARTIGO QUATORZE 1. Das reuniões dos corpos sociais serão lavradas actas, que serão obrigatoriamente assinadas paios membros presentes, ou quando disserem respeito a reuniões da Assembleia Geral, pelos membros da respectiva Mesa. 2. A Associação vincula-se com duas assinaturas, de entre os membros da Direcção. 3. Na componente financeira é obrigatória, a assinatura do tesoureiro. 4. Existe um cartão de identificação, para os membros dos corpos sociais.

6 SECÇÃO 2 - DA ASSEMBLEIA GERAL ARTIGO QUINZE - Da Constituição A Assembleia Geral é constituída por todos os associados, em pleno gozo dos seus direitos. ARTIGO DEZASSEIS - Constituição e Competência da Mesa da Assembleia Geral 1. A Mesa da Assembleia Geral é composta por um presidente, um primeiro e um segundo secretários. 2. Compete à Mesa da Assembleia Geral dirigir, orientar e disciplinar os trabalhos da Assembleia. 3. Na falta ou impedimento de qualquer dos membros da Assembleia Geral, competirá a esta eleger os respectivos substitutos de entre os associados presentes, os quais cessarão as suas funções no termo da mesma. ARTIGO DEZASSETE - Da Competência da Assembleia Geral Compete à Assembleia deliberar, sobre todas as matérias não compreendidas nas atribuições legais, ou estatutárias dos outros órgãos e necessariamente: 1. Definir as linhas fundamentais da Associação. 2. Eleger e destituir por votação secreta os membros dos corpos sociais. 3. Debater, apreciar e votar anualmente o plano e orçamento para o exercício seguinte, bem como o relatório e contas da Associação. 4. Deliberar sobre a alteração dos estatutos e sobre a extinção da Associação. 5. O plano e orçamento e o relatório e contas da Associação deverão ser aprovados por maioria dos associados presentes.

7 ARTIGO DEZOITO - Das Sessões Ordinárias e Extraordinárias 1. A Assembleia Geral reunirá em sessões ordinárias e extraordinárias. 2. A Assembleia Geral reunirá ordinariamente: a) Para eleição dos corpos sociais; b) No início de cada mandato, para apreciação do plano e orçamento de actividades para esse ano; c) No final de cada mandato, para discussão e aprovação do relatório e contas do ano anterior, bem como do parecer do Conselho Fiscal. 3. A Assembleia Geral reunirá em sessão extraordinária quando convocada pela Direcção, a pedido do Conselho Fiscal, ou a requerimento de pelo menos um quinto dos associados em pleno gozo dos seus direitos. ARTIGO DEZANOVE - Da Convocatória da Assembleia Geral 1. A Assembleia Geral deve ser convocada com, pelo menos, oito dias de antecedência, pela Direcção. 2. A convocatória deverá, ser afixada na sede e noutros locais de acesso público, dela constando obrigatoriamente o dia, a hora, o local e a ordem de trabalhos. ARTIGO VINTE - Da Realização das Reuniões da Assembleia Geral 1. A Assembleia Geral reunirá à hora marcada na convocatória se estiver presente mais de metade dos associados, ou em segunda convocação trinta minutos após, com qualquer número de presentes. 2. A Assembleia Geral Extraordinária que seja convocada a requerimento dos associados só poderá reunir se estiver três quartos dos requerentes.

8 SECÇÃO 3 - DA DIRECÇÃO ARTIGO VINTE E UM Constituição A Direcção é constituída sempre com número ímpar. ARTIGO VINTE E DOIS - Da Direcção A Direcção estabelecerá as suas normas de funcionamento e a atribuição dos cargos de Presidente, Secretário, Tesoureiro e Vogais. ARTIGO VINTE E TRES - Das Competências da Direcção Compete à Direcção gerir a Associação, incumbindo-lhe designadamente: 1. Representar, através do seu Presidente, quem este designar na sua impossibilidade, ou de outro membro da Direcção. 2. Elaborar anualmente o plano e orçamento e o relatório e contas, de forma a garantir de modo planeado e faseado, um conjunto de actividades que se enquadrem no número dois do artigo dois, fazendo acompanhar estes de parecer favorável do Conselho Fiscal, sobre as matérias neles insertas. da lei. 3. Assegurar a organização e funcionamento dos serviços, assim como a escrituração dos livros nos termos 4. Organizar o quadro de pessoal, contratar e gerir o pessoal da Associação. 5. Representar a Associação em Juízo, ou fora dele. 6. Zelar pelo cumprimento da lei, dos estatutos e das deliberações dos corpos sociais. da Associação. 7. Promover e Coordenar o funcionamento de grupos de trabalho, na persecução dos diversos objectivos

9 SECÇÃO IV - DO CONSELHO FISCAL ARTIGO VINTE E QUATRO - Constituição 1. O Conselho Fiscal é composto por três membros, um Presidente e dois Vogais. 2. No caso de vacatura do cargo de Presidente, será à mesmo preenchido pelo primeiro vogal. ARTIGO VINTE E CINCO - Competências Compete ao Conselho Fiscal vigiar, peto cumprimento da lei e dos estatutos designadamente: conveniente. 1. Exercer a fiscalização sobre a escrituração e documentos da Associação, sempre que se julgue 2. Fazer-se representar pelos seus membros nas reuniões do órgão executivo. 3. Dar parecer sobre o plano e orçamento e o relatório e contas, e ainda sobre todos os assuntos, que o órgão executivo submeta à sua apreciação.

10 CAPÍTULO 4 Das Eleições ARTIGO VINTE E SEIS - Das Eleições 1. As candidaturas para os corpos sociais serão feitas por listas nominais a apresentar até oito dias antes do Início da realização das eleições, nas mesmas deverão constar no mínimo 11 (onze) pais e ou encarregados de educação. 2. A eleição será feita por maioria dos associados presentes, por escrutínio directo e secreto. 3. Os corpos sociais cessantes continuam em exercício até à tomada de, posse dos novos eleitos que iniciarão as suas funções até quinze dias após a realização do acto eleitoral. 4. A Direcção pode propor candidaturas. ARTIGO VINTE E SETE Não serão elegíveis, para qualquer cargo, os associados que tenham sido alvo de sanção, prevista na alínea b, número um do artigo oito. CAPÍTULO 5 Disposições Gerais ARTIGO VINTE E OITO - Dos Meios Financeiros 1. Constituem receitas da Associação: a) As quotas pagas pelos associados; b) As mensalidades pagas pelos associados; c) Os subsídios e donativos oficiais e particulares; d) Outras receitas. 2. A quota e a mensalidade são fixadas pela Direcção. 3. As despesas da Associação são as necessárias para a realização dos seus objectivos de acordo com o orçamento anual aprovado.

ESTATUTOS PARA ASSOCIAÇÕES DE SOLIDARIEDADE SOCIAL. Capítulo I Da denominação, sede e âmbito de acções e fins. Artigo 1.º

ESTATUTOS PARA ASSOCIAÇÕES DE SOLIDARIEDADE SOCIAL. Capítulo I Da denominação, sede e âmbito de acções e fins. Artigo 1.º ESTATUTOS PARA ASSOCIAÇÕES DE SOLIDARIEDADE SOCIAL Capítulo I Da denominação, sede e âmbito de acções e fins Artigo 1.º A Associação... é uma instituição particular de solidariedade social com sede em...

Leia mais

Modelo de estatutos para associações de solidariedade social

Modelo de estatutos para associações de solidariedade social Capítulo I Da denominação, sede e âmbito de acções e fins Artigo 1 A Associação... é uma instituição particular de solidariedade social com sede em... Artigo 2 A Associação... tem por objectivos2...e o

Leia mais

Estatutos da Associação Portuguesa de Geomorfólogos (publicados em Diário da República - III Série, nº 297, de 27 de Dezembro de 2000)

Estatutos da Associação Portuguesa de Geomorfólogos (publicados em Diário da República - III Série, nº 297, de 27 de Dezembro de 2000) Estatutos da Associação Portuguesa de Geomorfólogos (publicados em Diário da República - III Série, nº 297, de 27 de Dezembro de 2000) CAPÍTULO I CONSTITUIÇÃO, SEDE, DURAÇÃO, OBJECTIVOS, ÂMBITO Art.º 1º

Leia mais

CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, ÂMBITO DE ACÇÃO E FINS. Artigo 1º

CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, ÂMBITO DE ACÇÃO E FINS. Artigo 1º CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, ÂMBITO DE ACÇÃO E FINS Artigo 1º 1. A Associação denominada Associação Recreativa Desportiva Cultural e Social da Malta, adiante designada por Associação, é uma instituição

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CORAÇÕES COM COROA ESTATUTOS

ASSOCIAÇÃO CORAÇÕES COM COROA ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO CORAÇÕES COM COROA ESTATUTOS Estatutos aprovados em Acta de fundação em 4 de Janeiro de 2012 Alterações estatutárias aprovadas em 28 de Fevereiro de 2012 Publicados e disponíveis no site publicacoes.mj.pt

Leia mais

ESTATUTOS. Associação de Trabalhadores e Reformados da Portugal Telecom ----------------- Aprovados em Assembleia Geral de 22.07.

ESTATUTOS. Associação de Trabalhadores e Reformados da Portugal Telecom ----------------- Aprovados em Assembleia Geral de 22.07. ESTATUTOS Associação de Trabalhadores e Reformados da Portugal Telecom ----------------- Aprovados em Assembleia Geral de 22.07.99 ESTATUTOS Capitulo I Da Denominação, Sede, Ambito de acções e Fins Artigo

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS ANTIGOS ALUNOS E AMIGOS DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA RIO DE MOURO ESTATUTOS

ASSOCIAÇÃO DOS ANTIGOS ALUNOS E AMIGOS DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA RIO DE MOURO ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO DOS ANTIGOS ALUNOS E AMIGOS DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA RIO DE MOURO ESTATUTOS ARTIGO 1º (Constituição) A Associação dos Antigos Alunos e Amigos da Escola Secundária de Leal da Câmara,

Leia mais

DOCUMENTO COMPLEMENTAR, elaborado nos termos do art.º 64.º n.º 2 do Código do Notariado, contendo os estatutos da associação denominada APIPSIQ - ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE INTERNOS DE PSIQUIATRIA. ESTATUTOS

Leia mais

ESTATUTOS. CAPÍTULO I Da Denominação, Sede e Âmbito de Acção e Fins

ESTATUTOS. CAPÍTULO I Da Denominação, Sede e Âmbito de Acção e Fins CAPÍTULO I Da Denominação, Sede e Âmbito de Acção e Fins Artigo 1º A Associação Grãos de Gente Creche e Jardim-de-Infância do Campus da Quinta do Marquês é uma instituição particular de solidariedade social

Leia mais

ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO PARA A PARTILHA ALIMENTAR DE VIANA DO CASTELO

ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO PARA A PARTILHA ALIMENTAR DE VIANA DO CASTELO ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO PARA A PARTILHA ALIMENTAR DE VIANA DO CASTELO Capítulo Primeiro Denominação, sede e âmbito de acção Artigo Primeiro Denominação, Natureza e Duração A Associação adopta a denominação

Leia mais

Regulamento Interno. Capítulo I (Constituição e âmbito) Capítulo II ( Dos sócios, seus direitos e deveres )

Regulamento Interno. Capítulo I (Constituição e âmbito) Capítulo II ( Dos sócios, seus direitos e deveres ) Regulamento Interno Capítulo I (Constituição e âmbito) Art. 1.º - O presente Regulamento Interno, tem como finalidade completar pormenorizadamente os Estatutos da ASTA Associação de Artes e Sabores do

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO DA ESCOLA E. B. 1 DE VALE CARNEIROS ESTATUTOS

ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO DA ESCOLA E. B. 1 DE VALE CARNEIROS ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO DA ESCOLA E. B. 1 DE VALE CARNEIROS ESTATUTOS CAPÍTULO I Da denominação, sede, duração, âmbito de acção e fins ARTIGO 1.º Denominação, sede e duração A associação

Leia mais

CAPÍTULO I. Da denominação, sede, âmbito da acção e fins. Artigo Primeiro. Artigo Segundo

CAPÍTULO I. Da denominação, sede, âmbito da acção e fins. Artigo Primeiro. Artigo Segundo CAPÍTULO I Da denominação, sede, âmbito da acção e fins Artigo Primeiro A Associação para o Desenvolvimento de Miragaia, é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, com sede na Rua do Clube,

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE DE FERREL

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE DE FERREL ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL DE FERREL APROVADOS PELO DECRETO LEI N.º 119/ 83 DE 25 DE FEVEREIRO DE 2000 ALTERADOS PELO DECRETO LEI N.º 402/ 85 DE

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CAPITULO I OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO

REGIMENTO INTERNO CAPITULO I OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO REGIMENTO INTERNO CAPITULO I OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO 1. O presente Regimento tem por objetivo regulamentar as questões internas de funcionamento dos órgãos de direção, dos grupos de trabalho, assim

Leia mais

Estatutos da ALFA Associação Livre Fotógrafos do Algarve

Estatutos da ALFA Associação Livre Fotógrafos do Algarve Estatutos da ALFA Associação Livre Fotógrafos do Algarve Aprovados em Assembleia Geral Extraordinária realizada no dia 2 de Junho de 2010. ESTATUTOS CAPÍTULO I Da denominação, âmbito, sede, objecto e actividades

Leia mais

Estatutos do Centro de Estudos em Administração Pública

Estatutos do Centro de Estudos em Administração Pública Estatutos do Centro de Estudos em Administração Pública Artigo 1º ( Designação e Sede) A associação adopta a designação de Centro de Estudos em Administração Pública e tem a sua sede no Campus universitário

Leia mais

Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas Professor Paula Nogueira

Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas Professor Paula Nogueira Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas Professor Paula Nogueira Capítulo I Da denominação, natureza e fins Artigo 1.º Denominação A Associação de Pais e Encarregados

Leia mais

Sítio de Sons Associação Cultural

Sítio de Sons Associação Cultural Sítio de Sons Associação Cultural Estatutos * CAPÍTULO PRIMEIRO (Da denominação, sede, objecto e afins) Artigo primeiro (Da denominação, natureza jurídica, lei aplicável e duração) UM A Associação adopta

Leia mais

ESTATUTOS DA LIGA PARA O ESTUDO E APOIO À INSERÇÃO SOCIAL (LINADEM) Capítulo I (Constituição, denominação, sede, âmbito social e fins)

ESTATUTOS DA LIGA PARA O ESTUDO E APOIO À INSERÇÃO SOCIAL (LINADEM) Capítulo I (Constituição, denominação, sede, âmbito social e fins) ESTATUTOS DA LIGA PARA O ESTUDO E APOIO À INSERÇÃO SOCIAL (LINADEM) Capítulo I (Constituição, denominação, sede, âmbito social e fins) Artigo 1º. - A Liga para o Estudo e Apoio à Inserção Social, designada

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO SER BEBÉ

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO SER BEBÉ ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO SER BEBÉ Associação Portuguesa para a Saúde Mental da Primeira Infância (versão corrigida de acordo com as indicações da Procuradoria da República) Artigo 1º 1 - Denominação e natureza

Leia mais

Regulamento Interno da Associação dos Bolseiros de Investigação Científica

Regulamento Interno da Associação dos Bolseiros de Investigação Científica Regulamento Interno da Associação dos Bolseiros de Investigação Científica A Associação dos Bolseiros de Investigação Científica (ABIC) rege-se pelos seus estatutos, regulamento eleitoral e por um regulamento

Leia mais

APGC. Associação Portuguesa de Gestão Cultural. Pacto Social

APGC. Associação Portuguesa de Gestão Cultural. Pacto Social APGC Associação Portuguesa de Gestão Cultural Pacto Social Constituída por escritura pública a 09 de Novembro de 2001 Capítulo I Denominação, Natureza, Sede, Objecto, Missão e Objectivos Artigo 1.º - Denominação

Leia mais

MODELO REGULAMENTO GERAL INTERNO PARA ASSOCIAÇÕES JUVENIS

MODELO REGULAMENTO GERAL INTERNO PARA ASSOCIAÇÕES JUVENIS MODELO REGULAMENTO GERAL INTERNO PARA ASSOCIAÇÕES JUVENIS Capítulo I Princípios Gerais Artigo 1.º Denominação e Sede Social 1 - A Associação tem a denominação..., com sede social... A Associação tem como

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO Clube de Canoagem de Ovar

REGULAMENTO INTERNO Clube de Canoagem de Ovar REGULAMENTO INTERNO Clube de Canoagem de Ovar CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS Artigo 1º Denominação e sede Social 1. A Associação tem a denominação de Clube de Canoagem de Ovar, com sede social na Rua Ferreira

Leia mais

CENTRO DE DIA - CASA DE IDOSOS DE SÃO JOSÉ DAS MATAS

CENTRO DE DIA - CASA DE IDOSOS DE SÃO JOSÉ DAS MATAS CENTRO DE DIA - CASA DE IDOSOS DE SÃO JOSÉ DAS MATAS ESTATUTOS DO CENTRO DE DIA - CASA DE IDOSOS DE SÃO JOSÉ DAS MATAS CAPITULO I Da denominação, sede, âmbito de ação e fins Artigo 1.º Denominação, sede

Leia mais

Regulamento interno da Caminhar com rumo - Associação Juvenil

Regulamento interno da Caminhar com rumo - Associação Juvenil Regulamento interno da Caminhar com rumo - Associação Juvenil Capítulo I PRINCÍPIOS GERAIS Artigo 1º Denominação e sede social 1. A Associação tem a denominação Caminhar com rumo - Associação Juvenil,

Leia mais

Estatutos do Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores da Câmara Municipal de Gondomar

Estatutos do Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores da Câmara Municipal de Gondomar Estatutos do Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores da Câmara Municipal de Gondomar CAPÍTULO I Da Constituição Denominação e Símbolo Sede, Âmbito de Acções e Fins Duração Artigo 1º. (Constituição,

Leia mais

Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação Dos Alunos do Agrupamento de Escolas de Atouguia da Baleia CAPITULO I

Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação Dos Alunos do Agrupamento de Escolas de Atouguia da Baleia CAPITULO I Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação Dos Alunos do Agrupamento de Escolas de Atouguia da Baleia CAPITULO I DENOMINAÇÃO, NATUREZA E FINS ARTIGO I A Associação de Pais e Encarregados

Leia mais

Estatutos da Associação Integrar

Estatutos da Associação Integrar ---------------------------------------------------------ESTATUTOS---------------------------------------------------------- ---------------------------------------------------------------DA----------------------------------------------------------------

Leia mais

CLUBE CABRIO PORTUGAL

CLUBE CABRIO PORTUGAL CLUBE CABRIO PORTUGAL REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I (Denominação, natureza jurídica, sede e âmbito, fins e atribuições) Artigo 1.º Descrição 1. O CCPT Clube Cabrio Portugal é uma Associação sem fins lucrativos

Leia mais

ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO CORAÇÃO AMARELO APROVADOS EM ASSEMBLEIA - GERAL DE 13.11.2009

ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO CORAÇÃO AMARELO APROVADOS EM ASSEMBLEIA - GERAL DE 13.11.2009 ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO CORAÇÃO AMARELO APROVADOS EM ASSEMBLEIA - GERAL DE 13.11.2009 Revistos conforme instruções da Procuradoria da República de Lisboa em Dezembro de 2010 ~~~~ ENTRADA EM VIGOR A 15

Leia mais

MP SOLIDÁRIO ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL

MP SOLIDÁRIO ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL Estatutos da MP SOLIDÁRIO ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL CAPÍTULO I Da denominação, âmbito, sede, objecto e actividades Artigo 1.º (Denominação) MP Solidário Associação de Solidariedade Social, abreviadamente

Leia mais

CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, ÂMBITO DE ACÇÃO E FINS ARTIGO 1.º

CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, ÂMBITO DE ACÇÃO E FINS ARTIGO 1.º CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, ÂMBITO DE ACÇÃO E FINS ARTIGO 1.º A ASSOCIAÇÃO DE SURDOS DE ÉVORA, é uma Instituição Particular de Solidariedade Social com sede em Évora, na Av. do Escurinho B.º Cruz

Leia mais

ESTATUTOS CAPÍTULO I

ESTATUTOS CAPÍTULO I ESTATUTOS CAPÍTULO I ARTIGO PRIMEIRO 1. A ASSOCIAÇÃO DOS SERVIÇOS SOCIAIS DOS TRABALHADORES DAS AUTARQUIAS DO SEIXAL é uma Associação de Solidariedade Social / Instituição Particular de Solidariedade Social

Leia mais

NÚCLEO DE MEDICINA INTERNA DOS HOSPITAIS DISTRITAIS ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTIVOS

NÚCLEO DE MEDICINA INTERNA DOS HOSPITAIS DISTRITAIS ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTIVOS ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTIVOS Art. 1 - O Núcleo de Medicina Interna dos Hospitais Distritais, também designado abreviadamente por N. M. I. H. D., é uma Associação sem fins lucrativos

Leia mais

A.F.S.D. ASSOCIAÇÃO DE FAMÍLIAS SOLIDÁRIAS COM A DEFICIÊNCIA ESTATUTOS. Capítulo I. Denominação, sede, âmbito de acção e afins. Artigo 1.

A.F.S.D. ASSOCIAÇÃO DE FAMÍLIAS SOLIDÁRIAS COM A DEFICIÊNCIA ESTATUTOS. Capítulo I. Denominação, sede, âmbito de acção e afins. Artigo 1. A.F.S.D. ASSOCIAÇÃO DE FAMÍLIAS SOLIDÁRIAS COM A DEFICIÊNCIA ESTATUTOS Capítulo I Denominação, sede, âmbito de acção e afins. Artigo 1.º 1. A.F.S.D. - Associação de Famílias Solidárias com a Deficiência,

Leia mais

A Associação é uma Instituição de Solidariedade Social sem fins lucrativos e durará por tempo indeterminado.

A Associação é uma Instituição de Solidariedade Social sem fins lucrativos e durará por tempo indeterminado. ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DIABÉTICO FEIRA Artigo 1º A associação denomina-se ASSOCIAÇÃO DIABÉTICO FEIRA, com sede no Hospital de São Sebastião, EPE,, concelho de Santa Maria da Feira, podendo ser transferida

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JOVENS AUTARCAS SOCIALISTAS

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JOVENS AUTARCAS SOCIALISTAS ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE JOVENS AUTARCAS SOCIALISTAS Capítulo I Da denominação, Fins, Duração e Sede Artigo 1.º Designação É constituída uma associação denominada Associação Nacional de Jovens

Leia mais

Associação Vidas Cruzadas

Associação Vidas Cruzadas Associação Vidas Cruzadas Associação de Desenvolvimento Pessoal e Comunitário Instituição Particular de Solidariedade Social ESTATUTOS Capitulo I Da denominação, sede, âmbito, acção e fins Artigo 1º A

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO PORTA DO MAIS CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FINS, DURAÇÃO E SEDE

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO PORTA DO MAIS CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FINS, DURAÇÃO E SEDE ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO PORTA DO MAIS CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FINS, DURAÇÃO E SEDE Artigo 1º Denominação, sede e duração 1. A Associação Porta do Mais é uma Associação sem fins lucrativos e existe por

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EPIDEMIOLOGIA ESTATUTOS CAPÍTULO PRIMEIRO ÂMBITO E OBJECTIVOS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EPIDEMIOLOGIA ESTATUTOS CAPÍTULO PRIMEIRO ÂMBITO E OBJECTIVOS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EPIDEMIOLOGIA ESTATUTOS CAPÍTULO PRIMEIRO ÂMBITO E OBJECTIVOS ARTIGO 1º 1. É constituida uma associação portuguesa científica e técnica, por tempo indeterminado e sem fins lucrativos,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO Capítulo I Princípios Gerais Artigo 1º Denominação e sede Social 1. A Associação tem a denominação Associação JB Juventude

REGULAMENTO INTERNO Capítulo I Princípios Gerais Artigo 1º Denominação e sede Social 1. A Associação tem a denominação Associação JB Juventude REGULAMENTO INTERNO Capítulo I Princípios Gerais Artigo 1º Denominação e sede Social 1. A Associação tem a denominação Associação JB Juventude Barcarense, com sede social na Junta de Freguesia Rua Padre

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO RURAL DE LAFÕES

ASSOCIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO RURAL DE LAFÕES ADRL ASSOCIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO RURAL DE LAFÕES ESTATUTOS CAPÍTULO I Da associação ARTIGO PRIMEIRO Constituição 1 É constituída uma associação sem fins lucrativos, denominada ADRL Associação de Desenvolvimento

Leia mais

Da denominação, natureza e fins

Da denominação, natureza e fins REGULAMENTO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AFONSO DE ALBUQUERQUE Capítulo I Da denominação, natureza e fins Artigo 1.º Denominação A Associação de Pais e Encarregados

Leia mais

WWOOF - ASSOCIAÇÃO PARA A PROMOÇÃO DE OPORTUNIDADES MUNDIAIS EM AGRICULTURA BIOLÓGICA

WWOOF - ASSOCIAÇÃO PARA A PROMOÇÃO DE OPORTUNIDADES MUNDIAIS EM AGRICULTURA BIOLÓGICA WWOOF - ASSOCIAÇÃO PARA A PROMOÇÃO DE OPORTUNIDADES MUNDIAIS EM AGRICULTURA BIOLÓGICA O presente Regulamento Interno destina-se a explicitar os princípios de funcionamento da Associação WWOOF. CAPITULO

Leia mais

A.P.P.D.A. Algarve Associação Portuguesa para Perturbações do Desenvolvimento e Autismo do Algarve. ESTATUTOS

A.P.P.D.A. Algarve Associação Portuguesa para Perturbações do Desenvolvimento e Autismo do Algarve. ESTATUTOS A.P.P.D.A. Algarve Associação Portuguesa para Perturbações do Desenvolvimento e Autismo do Algarve. ESTATUTOS Capítulo primeiro DA ASSOCIAÇÃO Artº 1º 1. A A.P.P.D.A. Algarve - Associação Portuguesa para

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE CUIDADOS PALIATIVOS. Núcleo da Região Autónoma dos Açores Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos NRA - APCP

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE CUIDADOS PALIATIVOS. Núcleo da Região Autónoma dos Açores Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos NRA - APCP ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE CUIDADOS PALIATIVOS Núcleo da Região Autónoma dos Açores Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos NRA - APCP abril de 2012 Núcleo Regional dos Açores da Associação Portuguesa

Leia mais

ESTATUTOS DA APBA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA BLONDE D AQUITAINE

ESTATUTOS DA APBA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA BLONDE D AQUITAINE ESTATUTOS DA APBA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA BLONDE D AQUITAINE CAPÍTULO I ARTIGO PRIMEIRO (Constituição e denominação) Entre os bovinicultores fundadores da presente associação e os que queiram aderir aos

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL OS AMIGOS DA LANDEIRA

ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL OS AMIGOS DA LANDEIRA ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL OS AMIGOS DA LANDEIRA CAPITULO I NATUREZA, DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJETO Artigo 1º Denominação e natureza jurídica A Associação de Solidariedade Social Os Amigos da Landeira

Leia mais

CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ARTIGO 1º

CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ARTIGO 1º ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS ARTIGO 1º (Denominação, constituição e duração) É constituída e reger-se-á pelos presentes Estatutos e pela Lei aplicável, uma Associação de âmbito nacional,

Leia mais

Associação Francesa do Norte de Portugal Estatutos. Capítulo Primeiro Da denominação, natureza e fins. Artigo 1º

Associação Francesa do Norte de Portugal Estatutos. Capítulo Primeiro Da denominação, natureza e fins. Artigo 1º Associação Francesa do Norte de Portugal Estatutos Capítulo Primeiro Da denominação, natureza e fins Artigo 1º 1.1. A Associação Francesa do Norte de Portugal, também designada abreviadamente por «AFNP»,

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO ILGA PORTUGAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objectivos e Disposições Patrimoniais. Artigo 1º. (Definição e Princípios Gerais)

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO ILGA PORTUGAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objectivos e Disposições Patrimoniais. Artigo 1º. (Definição e Princípios Gerais) ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO ILGA PORTUGAL CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objectivos e Disposições Patrimoniais Artigo 1º. (Definição e Princípios Gerais) 1- A Associação ILGA Portugal é uma Instituição Particular

Leia mais

ESTATUTOS CAPÍTULO I (DA DENOMINAÇÃO, SEDE E ÂMBITO DE AÇÃO E AFINS)

ESTATUTOS CAPÍTULO I (DA DENOMINAÇÃO, SEDE E ÂMBITO DE AÇÃO E AFINS) ESTATUTOS CAPÍTULO I (DA DENOMINAÇÃO, SEDE E ÂMBITO DE AÇÃO E AFINS) Art.º 1º O Grupo de Acção Comunitária, abreviadamente designado por G.A.C., é uma Instituição Privada de Solidariedade Social, constituída

Leia mais

Regulamento Interno da PROMUNDO Associação de Educação, Solidariedade e Cooperação Internacional

Regulamento Interno da PROMUNDO Associação de Educação, Solidariedade e Cooperação Internacional Regulamento Interno da PROMUNDO Associação de Educação, Solidariedade e Cooperação Internacional Capítulo I Objecto e Âmbito do Regulamento Interno Artigo 1º O presente Regulamento tem como objecto a PROMUNDO

Leia mais

ESTATUTOS DA ADRUSE ARTIGO 1.º

ESTATUTOS DA ADRUSE ARTIGO 1.º ESTATUTOS DA ADRUSE ARTIGO 1.º CONSTITUIÇÃO E DENOMINAÇÃO É constituída a Associação, sem fins lucrativos, denominada ADRUSE Associação de Desenvolvimento Rural da Serra da Estrela, abreviadamente designada

Leia mais

ESTATUTOS. IPSS inscrita sob o nº 5/95 a folhas 22, no Livro das Associações de Solidariedade Social

ESTATUTOS. IPSS inscrita sob o nº 5/95 a folhas 22, no Livro das Associações de Solidariedade Social CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E ÂMBITO DE AÇÃO E FINS ARTIGO 1º A ASSOCIAÇÃO SANTO MAMEDE, adiante designada por Associação, Pessoa Coletiva de Utilidade Pública número 503 123 668, é uma Instituição

Leia mais

Estatutos da Casa do Juiz

Estatutos da Casa do Juiz Estatutos da Casa do Juiz (TEXTO COMPLETO DE HARMONIA COM AS ALTERAÇÕES INTRODUZIDAS PELA ASSEMBLEIA GERAL DE 27/11/2009) A Associação de Solidariedade Social «Casa do Juiz» foi constituída no dia 16 de

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL CAPITULO I. Da denominação, sede, âmbito de acção e fins. Artigo 1º Denominação, sede e âmbito de acção

ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL CAPITULO I. Da denominação, sede, âmbito de acção e fins. Artigo 1º Denominação, sede e âmbito de acção ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL CAPITULO I Da denominação, sede, âmbito de acção e fins Artigo 1º Denominação, sede e âmbito de acção 1. A Associação... é uma instituição particular de solidariedade

Leia mais

Estatutos Associação Voluntariado Hospital S. João. Capítulo I

Estatutos Associação Voluntariado Hospital S. João. Capítulo I Estatutos Associação Voluntariado Hospital S. João Capítulo I (Natureza, Denominação, Sede e Objecto) Artigo 1º (Denominação, natureza jurídica e sede) 1. A Associação Voluntariado Hospital S. João, adiante

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO CIENTÍFICO DO INSTITUTO DE INVESTIGAÇÃO CIENTIFICA TROPICAL. Artigo 1. Composição

REGULAMENTO DO CONSELHO CIENTÍFICO DO INSTITUTO DE INVESTIGAÇÃO CIENTIFICA TROPICAL. Artigo 1. Composição REGULAMENTO DO CONSELHO CIENTÍFICO DO INSTITUTO DE INVESTIGAÇÃO CIENTIFICA TROPICAL Artigo 1. Composição A composição do conselho científico do Instituto de Investigação Científica Tropical, I.P., abreviadamente

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA ASCC CAPITULO I - DA COMPOSIÇÃO E FINS DA ASCC. Artigo 1.º

REGULAMENTO INTERNO DA ASCC CAPITULO I - DA COMPOSIÇÃO E FINS DA ASCC. Artigo 1.º REGULAMENTO INTERNO DA ASCC CAPITULO I - DA COMPOSIÇÃO E FINS DA ASCC. Artigo 1.º A ASCC é composta pela Direcção, Conselho Fiscal e Assembleia Geral e tem por finalidade a realização dos seus fins estatutários.

Leia mais

ESTATUTOS CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, ÂMBITO DE ACÇÃO E FINS ARTIGO 1.º

ESTATUTOS CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, ÂMBITO DE ACÇÃO E FINS ARTIGO 1.º ESTATUTOS CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE, ÂMBITO DE ACÇÃO E FINS ARTIGO 1.º 1. A Associação Teatro Construção, designada por ATC, é uma instituição privada dotada de personalidade jurídica com duração

Leia mais

ESTATUTOS DO PORSCHE CLUBE PORTUGAL

ESTATUTOS DO PORSCHE CLUBE PORTUGAL 1 ESTATUTOS DO PORSCHE CLUBE PORTUGAL CAPÍTULO I Denominação, Objecto e Sede Artigo 1 Denominação 1 - O "PORSCHE CLUBE PORTUGAL" adiante designado por "CLUBE", integra uma pessoa colectiva de direito privado

Leia mais

ESTATUTOS DAASSOCIAÇÃO LAÇO - ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL

ESTATUTOS DAASSOCIAÇÃO LAÇO - ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL ESTATUTOS DAASSOCIAÇÃO LAÇO - ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL CAPITULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E OBJECTO Artigo 1º (Denominação, Natureza e Duração) 1. A Associação adopta a denominação Laço - Associação

Leia mais

ESTATUTOS DE ASSOCIAÇÃO

ESTATUTOS DE ASSOCIAÇÃO ESTATUTOS DE ASSOCIAÇÃO CAPÍTULO PRIMEIRO ARTIGO PRIMEIRO Denominação, natureza e duração Um A Associação adopta a denominação de Entrajuda Associação para o Apoio a Instituições de Solidariedade Social.

Leia mais

ESTATUTOS DO AMERICAN CLUB OF LISBON. (Escriturados em 2014) CAPÍTULO I. Denominação, sede, duração e objectivos. Artigo Primeiro

ESTATUTOS DO AMERICAN CLUB OF LISBON. (Escriturados em 2014) CAPÍTULO I. Denominação, sede, duração e objectivos. Artigo Primeiro 1 ESTATUTOS DO AMERICAN CLUB OF LISBON (Escriturados em 2014) CAPÍTULO I Denominação, sede, duração e objectivos Artigo Primeiro Denominação, duração e sede 1. É constituído o AMERICAN CLUB OF LISBON,

Leia mais

CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E ÂMBITO DE ACÇÃO E FINS. Artigo 1.º

CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E ÂMBITO DE ACÇÃO E FINS. Artigo 1.º Associação de Apoio aos Doentes Depressivos e Bipolares ESTATUTOS ADEB IPSS de utilidade pública com fins de Saúde CAPITULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E ÂMBITO DE ACÇÃO E FINS Artigo 1.º A Associação de Apoio

Leia mais

PLATAFORMA SALVAR O TUA ASSOCIAÇÃO DE DEFESA DO AMBIENTE REGULAMENTO INTERNO. Capítulo Primeiro - Da Associação. Artigo 1.º - Denominação e Natureza

PLATAFORMA SALVAR O TUA ASSOCIAÇÃO DE DEFESA DO AMBIENTE REGULAMENTO INTERNO. Capítulo Primeiro - Da Associação. Artigo 1.º - Denominação e Natureza PLATAFORMA SALVAR O TUA ASSOCIAÇÃO DE DEFESA DO AMBIENTE REGULAMENTO INTERNO Capítulo Primeiro - Da Associação Artigo 1.º - Denominação e Natureza 1. A Plataforma Salvar o Tua - Associação de Defesa do

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO. CAPÍTULO I Da denominação, sede, objecto e fins. 2. A Associação é instituída por tempo indeterminado.

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO. CAPÍTULO I Da denominação, sede, objecto e fins. 2. A Associação é instituída por tempo indeterminado. 1 ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO EVITA-ASSOCIAÇÃO DE APOIO A PORTADORES DE ALTERAÇÕES NOS GENES RELACIONADOS COM CANCRO HEREDITÁRIO CAPÍTULO I Da denominação, sede, objecto e fins Artigo 1º (Da denominação, natureza

Leia mais

GRACE GRUPO DE REFLEXÃO E APOIO À CIDADANIA EMPRESARIAL - ASSOCIAÇÃO ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE, OBJECTO, PRINCÍPIOS E VALORES

GRACE GRUPO DE REFLEXÃO E APOIO À CIDADANIA EMPRESARIAL - ASSOCIAÇÃO ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE, OBJECTO, PRINCÍPIOS E VALORES GRACE GRUPO DE REFLEXÃO E APOIO À CIDADANIA EMPRESARIAL - ASSOCIAÇÃO ESTATUTOS CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE, OBJECTO, PRINCÍPIOS E VALORES Art. 1º 1. GRACE GRUPO DE REFLEXÃO E APOIO À CIDADANIA

Leia mais

ESTATUTOS DO CLUBE PAN EUROPEAN DE PORTUGAL

ESTATUTOS DO CLUBE PAN EUROPEAN DE PORTUGAL ESTATUTOS DO CLUBE PAN EUROPEAN DE PORTUGAL CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E MARCAS DA HONDA ARTIGO 1º É constituída uma associação sem fins lucrativos denominada "Clube Pan European de Portugal", adiante

Leia mais

Artigo Quarto Após deliberação favorável de Assembleia Geral poderá a Associação, observados os requisitos

Artigo Quarto Após deliberação favorável de Assembleia Geral poderá a Associação, observados os requisitos Estatutos da Associação De Professores de Expressão e Comunicação Visual (Versão atualizada conforme as alterações efetuadas em Assembleia Geral no dia 14 de junho de 2013) Da Associação Artigo Primeiro

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA ESTUDOS SOBRE AS MULHERES. Estatutos

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA ESTUDOS SOBRE AS MULHERES. Estatutos ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA ESTUDOS SOBRE AS MULHERES Estatutos CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, FINS, DURAÇÃO E SEDE Artigo 1 É constituída uma Associação, de carácter científico, sem fins lucrativos, denominada

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO BANDA DE MÚSICA DE SANGUINHEDO

REGULAMENTO INTERNO BANDA DE MÚSICA DE SANGUINHEDO REGULAMENTO INTERNO BANDA DE MÚSICA DE SANGUINHEDO CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS Artigo 1º - Denominação e sede Social 1. A Associação tem a denominação de Banda de Música de Sanguinhedo Associação Recreativa,

Leia mais

Sacerdotes do Coração de Jesus Dehonianos. Província Portuguesa. Estatutos da Associação dos Leigos Voluntários Dehonianos

Sacerdotes do Coração de Jesus Dehonianos. Província Portuguesa. Estatutos da Associação dos Leigos Voluntários Dehonianos Sacerdotes do Coração de Jesus Dehonianos Província Portuguesa Estatutos da Associação dos Leigos Voluntários Dehonianos CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS Artigo 1º Denominação A ASSOCIAÇÃO DOS LEIGOS

Leia mais

ESTATUTOS. C a p í t u l o I Princípios Gerais

ESTATUTOS. C a p í t u l o I Princípios Gerais ESTATUTOS C a p í t u l o I Princípios Gerais Artigo 1º - Denominação e Princípios Com a denominação de PCI Paramédicos de Catástrofe Internacional, constitui-se, como associação, por tempo indeterminado,

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO ESTATUTOS CAPÍTULO I. Artigo 1º. Artigo 2º. (Sede) Artigo 3º. (Fim)

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO ESTATUTOS CAPÍTULO I. Artigo 1º. Artigo 2º. (Sede) Artigo 3º. (Fim) ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO LUSAPME ASSOCIAÇÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS ESTATUTOS CAPÍTULO I Artigo 1º (Denominação, natureza e duração) A Associação adota a denominação LUSAPME ASSOCIAÇÃO DE PEQUENAS

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO Associação Regional de Ciclismo de Vila Real (ARCVR)

REGULAMENTO INTERNO Associação Regional de Ciclismo de Vila Real (ARCVR) REGULAMENTO INTERNO Associação Regional de Ciclismo de Vila Real (ARCVR) CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS Artigo 1º Denominação e sede Social 1. A Associação tem a denominação de Associação Regional de Ciclismo

Leia mais

ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO JUVENIL INSCRITA NO RNAJ ONG SEM FINS LUCRATIVOS COM ESTATUTO DE UTILIDADE PÚBLICA

ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO JUVENIL INSCRITA NO RNAJ ONG SEM FINS LUCRATIVOS COM ESTATUTO DE UTILIDADE PÚBLICA ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO JUVENIL INSCRITA NO RNAJ ONG SEM FINS LUCRATIVOS COM ESTATUTO DE UTILIDADE PÚBLICA CAPITULO I Disposições Gerais Artigo 1º Natureza e Sede ESTATUTOS - 2015 1 A Associação Movimento

Leia mais

Associação The K-Evolution

Associação The K-Evolution Associação The K-Evolution ESTATUTOS CAPÍTULO I - DA ASSOCIAÇÃO Artigo 1º (Denominação e Objecto) A K Evolution ( KE ) é uma associação sem fins lucrativos que se constitui por tempo indeterminado, tendo

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PESSOAS COM DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM ESPECÍFICAS ESTATUTOS CAPÍTULO PRIMEIRO. (Denominação, Sede, Objecto e Duração)

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PESSOAS COM DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM ESPECÍFICAS ESTATUTOS CAPÍTULO PRIMEIRO. (Denominação, Sede, Objecto e Duração) ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE PESSOAS COM DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM ESPECÍFICAS ESTATUTOS CAPÍTULO PRIMEIRO (Denominação, Sede, Objecto e Duração) Artigo Primeiro A APPDAE - Associação Portuguesa de Pessoas

Leia mais

ESTATUTOS CAPITULO I. Disposições Gerais. Artigo 1º

ESTATUTOS CAPITULO I. Disposições Gerais. Artigo 1º ESTATUTOS CAPITULO I Disposições Gerais Artigo 1º 1 É constituída a partir desta data e por tempo indeterminado uma associação de solidariedade social que adopta a denominação Associação de Idosos de Santa

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO A CASA DO CAMINHO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA E FINS ARTIGO 1º. (Denominação)

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO A CASA DO CAMINHO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA E FINS ARTIGO 1º. (Denominação) ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO A CASA DO CAMINHO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA E FINS ARTIGO 1º (Denominação) A Associação A Casa do Caminho, adiante designada abreviadamente por Associação, é uma associação

Leia mais

ESTATUTOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

ESTATUTOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ESTATUTOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º DENOMINAÇÃO, NATUREZA E SEDE 1. A Associação para o Desenvolvimento da Medicina Tropical, adiante designada por ADMT é uma associação cientifica e tecnológica,

Leia mais

Estatutos da Associação iisbe Portugal iisbe Portugal By Law

Estatutos da Associação iisbe Portugal iisbe Portugal By Law Estatutos da Associação iisbe Portugal iisbe Portugal By Law Capítulo I Constituição, Âmbito, Objecto e Atribuição Artigo 1.º (Denominação e natureza) É constituída por tempo indeterminado, uma associação

Leia mais

ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE AJUDA HUMANITÁRIA INTERNACIONAL. Capítulo I. Denominação, sede, âmbito, duração e objecto ARTIGO PRIMEIRO

ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE AJUDA HUMANITÁRIA INTERNACIONAL. Capítulo I. Denominação, sede, âmbito, duração e objecto ARTIGO PRIMEIRO ESTATUTOS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE AJUDA HUMANITÁRIA INTERNACIONAL Capítulo I Denominação, sede, âmbito, duração e objecto ARTIGO PRIMEIRO (Denominação) A ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE AJUDA HUMANITÁRIA INTERNACIONAL,

Leia mais

Associação de Estudantes

Associação de Estudantes DIREÇÃO GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES DIREÇÃO DE SERVIÇOS DA REGIÃO CENTRO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ESCALADA, PAMPILHOSA DA SERRA Ano Letivo 2014/2015 Associação de Estudantes Objetivos A. Representar

Leia mais

Os sócios da Liga são ordinários ou honorários, designando-se por «Amigos».

Os sócios da Liga são ordinários ou honorários, designando-se por «Amigos». CAPÍTULO I (Denominação, natureza e fins) Artigo 1º 1 A Liga dos Amigos do Hospital Geral de Santo António é uma associação apolítica e inconfessional com sede na Cidade do Porto, Largo Professor Abel

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DE PROFESSORES DE FILOSOFIA. Capitulo I DA ASSOCIAÇÃO. Artigo 1º

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DE PROFESSORES DE FILOSOFIA. Capitulo I DA ASSOCIAÇÃO. Artigo 1º ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO DE PROFESSORES DE FILOSOFIA Capitulo I DA ASSOCIAÇÃO Artigo 1º 1- A Associação de Professores de Filosofia é uma associação portuguesa de professores ligados ao ensino da Filosofia,

Leia mais

ESTATUTOS DA A.S.A. Proposta de Alteração dos Estatutos CAPÍTULO I Artigo 1º Da Denominação, sede, e âmbito de ação Artigo 2º Vinculação

ESTATUTOS DA A.S.A. Proposta de Alteração dos Estatutos CAPÍTULO I Artigo 1º Da Denominação, sede, e âmbito de ação Artigo 2º Vinculação ESTATUTOS DA A.S.A. Proposta de Alteração dos Estatutos CAPÍTULO I Artigo 1º Da Denominação, sede, e âmbito de ação 1 - A Associação Assistência Social Adventista é uma instituição particular de solidariedade

Leia mais

REGIMENTO DA ASSEMBLEIA GERAL DA ASSOCIAÇAO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA

REGIMENTO DA ASSEMBLEIA GERAL DA ASSOCIAÇAO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA REGIMENTO DA ASSEMBLEIA GERAL DA ASSOCIAÇAO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA CAPÍTULO I Da Assembleia Geral Artigo 1 Natureza A Assembleia Geral é constituída por todos os associados no pleno gozo dos seus

Leia mais

CENTRO COMUNITÁRIO DE ESMORIZ INSTITUIÇÃO PARTICULAR DE SOLIDARIEDADE SOCIAL ESTATUTOS CAPITULO I. Da denominação, sede e âmbito de ação e fins

CENTRO COMUNITÁRIO DE ESMORIZ INSTITUIÇÃO PARTICULAR DE SOLIDARIEDADE SOCIAL ESTATUTOS CAPITULO I. Da denominação, sede e âmbito de ação e fins CENTRO COMUNITÁRIO DE ESMORIZ INSTITUIÇÃO PARTICULAR DE SOLIDARIEDADE SOCIAL ESTATUTOS CAPITULO I Da denominação, sede e âmbito de ação e fins Artigo 1º - O Centro Comunitário de Esmoriz, criado por iniciativa

Leia mais

Regimento da Assembleia Geral do Fórum Académico para a Informação e Representação Externa

Regimento da Assembleia Geral do Fórum Académico para a Informação e Representação Externa Regimento da Assembleia Geral do Fórum Académico para a Informação e Representação Externa CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Natureza A Assembleia Geral é o órgão deliberativo máximo do Fórum Académico

Leia mais

MUTUALIDADE DE CRÉDITO DE QUELELE REGULAMENTO INTERNO

MUTUALIDADE DE CRÉDITO DE QUELELE REGULAMENTO INTERNO MUTUALIDADE DE CRÉDITO DE QUELELE REGULAMENTO INTERNO MUTUALIDADE DE CRÉDITO DE QUELELE REGULAMENTO INTERNO CAPITULO I DOS MEMBROS, DIREITOS E DEVERES ARTIGO 1 Dos Membros 1- Podem ser membros da MUTUALIDADE

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO CLUBE GALP ENERGIA

REGULAMENTO ELEITORAL DO CLUBE GALP ENERGIA REGULAMENTO ELEITORAL DO CLUBE GALP ENERGIA Artigo 1º (Das Eleições) 1. Os Corpos Sociais Regionais do Clube Galp Energia são eleitos em cada Núcleo Regional para um mandato de três anos, conforme disposto

Leia mais

Nós Servimos ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE INTER-LIONS. Distrito Múltiplo 115 de Lions Clubes ESTATUTOS

Nós Servimos ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE INTER-LIONS. Distrito Múltiplo 115 de Lions Clubes ESTATUTOS Nós Servimos ASSOCIAÇÃO DE SOLIDARIEDADE INTER-LIONS Distrito Múltiplo 115 de Lions Clubes ESTATUTOS Associação de Solidariedade Inter - Lions ESTATUTOS Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1.º Denominação,

Leia mais

Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Grupo escolaglobal. Capítulo Primeiro. Da denominação, natureza e fins

Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Grupo escolaglobal. Capítulo Primeiro. Da denominação, natureza e fins Estatutos da Associação de Pais e Encarregados de Educação do Grupo escolaglobal Capítulo Primeiro Da denominação, natureza e fins Artigo 1.º A Associação de Pais e Encarregados de Educação do Grupo escolaglobal,

Leia mais

associação académica da universidade de aveiro Regulamento Interno Genérico para Núcleos Desportivos

associação académica da universidade de aveiro Regulamento Interno Genérico para Núcleos Desportivos Regulamento Interno Genérico para Núcleos Desportivos 1 Regulamento Interno do Núcleo XXXXX da Associação Académica da Universidade de Aveiro CAPÍTULO I Princípios Gerais ARTIGO 1º (Denominação, âmbito

Leia mais

POPULAR DA PÓVOA DE VARZIM

POPULAR DA PÓVOA DE VARZIM REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL POPULAR DA PÓVOA DE VARZIM Denominação, caracterização jurídica e sede Capitulo I Disposições Gerais Artigo 1º 1) A Associação de Futebol Popular da Póvoa de

Leia mais