Organização de Computadores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Organização de Computadores"

Transcrição

1 Organização de Computadores Aula 19 Barramentos: Estruturas de Interconexão Rodrigo Hausen 14 de outubro de /40

2 Apresentação 1. Bases Teóricas 2. Organização de computadores 2.1. Introdução 2.2. Execução de instruções 2.3. Estruturas de Interconexão 3. Histórico, evolução e performance Aula de hoje: Stallings (5a. edição), 3.3. Estruturas de Interconexão e 3.4. Interconexão de Barramentos 2/40

3 Arquitetura Exemplo R1... Rn Memória Principal Barramento do Sistema ULA Módulo de E/S 3/40

4 Conexões Todas as unidades de um sistema computacional precisam estar conectadas Tipo diferente de conexão para tipo diferente de módulo: Memória Módulo de Entrada/Saída CPU 4/40

5 Módulos de um Computador 5/40

6 Conexão da Memória Principal Tipicamente, a memória principal é composta de N palavras de mesmo tamanho. Recebe e envia palavras Recebe endereços (de posições) Recebe sinais de controle: Leitura Escrita Temporização (para sincronizar operação com CPU) 6/40

7 ... Subsistema de Entrada/Saída Similar à memória, do ponto de vista da CPU Interface 0 dados endereço Módulo de E/S Interface 1 controle Interface n-1 Dispositivo externo n-1 Cada interface (porta) é identificada por um endereço 7/40

8 Conexão de Entrada/Saída Operação de Saída Recebe dados do computador Envia dados para a interface de um dispositivo externo 8/40

9 Conexão de Entrada/Saída Operação de Entrada Recebe dados da interface de um dispositivo externo Envia dados para o computador 9/40

10 Conexão de Entrada/Saída Recebe signais de controle do computador Envia sinais de controle para os dispositivos externos (também chamados periféricos) p. ex. ligar motor do disco rígido (HD) Recebe endereços do computador p. ex. número da porta para identificar periférico Envia sinais de interrupção (controle) 10/40

11 Conexão da CPU Lê instruções e dados Escreve dados (após processamento) Envia sinais de endereçamento para outras unidades Envia sinais de controle para outras unidades Recebe (e processa) as interrupções 11/40

12 Tipos de Transferência (1) Memória principal para processador R1... Rn Memória Principal Barramento do Sistema ULA Módulo de E/S 12/40

13 Tipos de Transferência (2) Processador para memória principal R1... Rn Memória Principal Barramento do Sistema ULA Módulo de E/S 13/40

14 Tipos de Transferência (3) Subsistema de E/S para processador R1... Rn Memória Principal Barramento do Sistema ULA Módulo de E/S 14/40

15 Tipos de Transferência (4) Processador para subsistema de E/S R1... Rn Memória Principal Barramento do Sistema ULA Módulo de E/S 15/40

16 Tipos de Transferência (5) (Opcional) Entre memória e subsistema de E/S (DMA) R1... Rn Memória Principal Barramento do Sistema ULA Módulo de E/S 16/40

17 Barramento (Bus) Há diversas maneiras de se projetar um sistema de interconexão Mais comuns: Barramento separado em linhas de dados, endereço e controle: Master System (proc. Z-80), PCs atuais Barramento compartilhado (multiplexado) para vários tipos de informação: PC-XT, baseado no processador Intel 8086/8088, tinha barramento multiplexado para dados e endereço. 17/40

18 Que é um Barramento? Meio de comunicação entre dois ou mais dispositivos Geralmente, sinais colocados em um barramento são recebidos por todos os dispositivos (broadcast) Apenas um módulo pode escrever em um barramento em um dado instante! Geralmente é agrupado: Vários canais de comunicação em um só barramento (barramento paralelo) p. ex. Barramento de dados de 32 bits é um conjunto de 32 canais de um só bit. Geralmente, não se representam as conexões para a bateria/fonte de tensão. 18/40

19 Diagrama de Interconexão No diagrama acima o barramento está dividido em: Barramento de dados: transmite dados Barramento de endereço: identifica a fonte/destino dos dados Barramento de controle: transmite informações de controle e temporização 19/40

20 Barramento de dados Transmite dados Observe que não há distinção entre dado e instrução neste nível (estamos fora da CPU) Largura do barramento é um fator determinante no desempenho (via de regra, quanto mais largo, melhor) Larguras de barramento de dados comuns: 8 bits (Z-80, Intel 8088) 16 bits (Intel 8086) 32 bits (Intel Pentium) 64 bits (Intel Xeon) 20/40

21 Barramento de Endereço Usado para identificar a fonte e o destino dos dados que trafegam no barramento de dados. p. ex. CPU precisa ler uma instrução (dado) de uma determinada posição na memória Largura do barramento de endereço determina a capacidade de memória máxima do sistema 21/40

22 Barramento de Endereço Usado para identificar a fonte e o destino dos dados que trafegam no barramento de dados. p. ex. CPU precisa ler uma instrução (dado) de uma determinada posição na memória Largura do barramento de endereço determina a capacidade de memória máxima do sistema p. ex. Z-80 tem um barramento de endereço de 16 bits. Memória máxima: 2 16 = posições de memória 22/40

23 Barramento de Endereço Usado para identificar a fonte e o destino dos dados que trafegam no barramento de dados. p. ex. CPU precisa ler uma instrução (dado) de uma determinada posição na memótia Largura do barramento de endereço determina a capacidade de memória máxima do sistema p. ex. Z-80 tem um barramento de endereço de 16 bits. Memória máxima: 2 16 = posições de memória (de 8 bits, cada) 23/40

24 Barramento de Controle Controle e temporização da informação Sinais de leitura e escrita para a memória principal ou para dispositivos de E/S Requisições de interrupção Sinais de clock Sinais de controle gerais, tais como: requisição de uso do barramento por um módulo, término de uso do barramento, inicialização (reset) de dispositivos, etc. 24/40

25 Aspecto de um Barramento Linhas paralelas em placas de circuito impresso 25/40

26 Aspecto de um Barramento Linhas paralelas em placas de circuito impresso Cabos paralelos (ribbon cable) 26/40

27 Aspecto de um Barramento Linhas paralelas em placas de circuito impresso Cabos paralelos (ribbon cable) Conectores de borda de placa de expansão (p. ex. PCI) 27/40

28 Aspecto de um Barramento Linhas paralelas em placas de circuito impresso Cabos paralelos (ribbon cable) Conectores de borda de placa de expansão (p. ex. PCI) Conjuntos de fios unidos 28/40

29 Realização Física de um Barramento Único de Sistema Estrutura em backplane 29/40

30 Barramento Único Apesar de ser mais simples de implementar, há desvantagens de se usar um único barramento de sistema. Condutores longos: tempo maior de propagação Muitos dispositivos ligados no mesmo meio de transmissão significa que a coordenação do uso do barramento pode afetar o desempenho geral do sistema Se houver dispositivos com diferentes velocidades de transmissão ligados ao barramento? Taxa de transferência total de dados é limitada à taxa de transferência no barramento do sistema Solução: usar múltiplos barramentos 30/40

31 Arquitetura em Mezanino Memória Principal CPU Barramento do Sistema Interface de Interface Interface expansão do Interface Interface de rede de disco barramento de modem serial Barramento de Expansão 31/40

32 Arquitetura de Alto Desempenho Memória Principal CPU Barramento do Sistema Interface Ponte de Interface Interface de disco Barramento de vídeo de rede Barramento de Alta Velocidade Interface de fax Interface de expansão do barramento Interface de modem Interface serial Barramento de Expansão 32/40

33 Classificação de Barramentos Dedicado Linhas separadas para dados e endereços Multiplexado Linhas compartilhadas Necessita de mais uma linha de controle, para indicar se há dados ou endereços trafegando no barramento naquele instante Vantagem: necessita de menos condutores Desvantagens Controle mais complexo Pode diminuir o desempenho (pois compartilha um só canal para endereços e dados) 33/40

34 Arbitragem do Barramento Confome já dissemos, apenas um módulo pode controlar o barramento por vez (apesar de mais de um módulo poder ler o que está sendo transmitido). O que acontecer se mais de um módulo solicitar o controle do barramento? Claramente, precisamos estabelecer regras para ceder o controle do barramento: arbitragem do barramento. As regras definem mestre (que controla) e escravo(s) (que é/são controlado/os) A arbitragem pode ser centralizada ou distribuída. 34/40

35 Tipos de Arbitragem Centralizada Somente um módulo controla o acesso ao barramento Controlador de barramento ou árbitro decide quem poderá controlar o barramento Pode ser parte da CPU, ou um dispositivo dedicado a essa tarefa Distribuída Cada módulo pode decidir controlar o barramento Necessária logica de controle em todos os módulos 35/40

36 Temporização Coordenação de eventos no barramento Síncrona Eventos determinados por um sinal de controle Barramento de controle inclui uma linha de clock Uma transmissão de 1 seguido de 0 define um ciclo do barramento Todos os dispositivos têm acesso à linha de clock Geralmente, sincronismo é dado pela borda de subida do clock (sync on leading edge) Geralmente, apenas um ciclo por evento 36/40

37 Diagrama: Temporização Síncrona (do barramento) (fornecido pelo mestre) (fornecido pelo mestre) (fornecidas pelo mestre) (retornadas pelo escravo) (retornada pelo escravo) 37/40

38 Temporização Assíncrona Mais complexo, porém mais flexível Permite que dispositivos mais lentos e mais rápidos compartilhem o mesmo barramento, sem degradação de desempenho aos mais rápidos (permite melhor a mistura de tecnologias mais novas com mais antigas) Evento no barramento depende de evento ocorrido anteriormente MSYN: sincronismo mestre, de quem controla o barramento SSYN: sincronismo escravo, de quem está sendo controlado 38/40

39 Diagrama: Temporização Assíncrona (fornecido pelo mestre) (retornado pelo escravo) (fornecido pelo mestre) (fornecidas pelo mestre) (retornadas pelo escravo) 39/40

40 Para Casa Ler seções 3.3 e 3.4 e o apêndice do capítulo Ler seção 3.5, sobre o barramento PCI, para ver como a teoria se aplica na prática Fazer exercícios do capítulo Cultura geral: 40/40

Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert

Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 3 Visão de alto nível da função e interconexão do computador Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert

Leia mais

Organização de Computadores

Organização de Computadores Organização de Computadores Aula 23 Entrada e Saída (I/O) Rodrigo Hausen 03 de novembro de 2011 http://cuco.pro.br/ach2034 1/62 Apresentação 1. Bases Teóricas 2. Organização de computadores... 2.3. Estruturas

Leia mais

Barramento. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Barramento. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Barramento Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Componentes do Computador; Funções dos Computadores; Estrutura de Interconexão; Interconexão de Barramentos Elementos de projeto de barramento;

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES

ARQUITETURA DE COMPUTADORES ARQUITETURA DE COMPUTADORES Arquitetura de Von Newmann Prof Daves Martins Msc Computação de Alto Desempenho Email: daves.martins@ifsudestemg.edu.br Vídeos Vídeo aula RNP http://edad.rnp.br/rioflashclient.php?xmlfile=/ufjf/licenciatura_com

Leia mais

Sistema de entrada e saída (E/S)- Módulos de E/S; tipos de operações de E/S

Sistema de entrada e saída (E/S)- Módulos de E/S; tipos de operações de E/S Sistema de entrada e saída (E/S)- Módulos de E/S; tipos de operações de E/S Explicitar aos alunos os modelos de entrada e saída em um computador e quais barramentos se aplicam a cada componente: memória,

Leia mais

Organização de computadores. Segundo Bimestre CNAT Prof. Jean Galdino

Organização de computadores. Segundo Bimestre CNAT Prof. Jean Galdino Organização de computadores Segundo Bimestre CNAT 2015.2 Prof. Jean Galdino Sistemas de Interconexão BARRAMENTOS 2 Alguns pontos Um ciclo de instrução consiste: de uma busca de instrução seguida por zero

Leia mais

Chips Processadores (2) Nível da Lógica Digital (Aula 9) Barramentos. Chips Processadores (3)

Chips Processadores (2) Nível da Lógica Digital (Aula 9) Barramentos. Chips Processadores (3) Nível da Lógica Digital (Aula 9) Barramentos Roberta Lima Gomes - LPRM/DI/UFES Sistemas de Programação I Eng. Elétrica 2007/2 Chips Processadores (1) Cada processador possui uma pinagem característica.

Leia mais

PLACA MÃE. Hardware de Computadores

PLACA MÃE. Hardware de Computadores PLACA MÃE Hardware de Computadores Introdução Placa-mãe, também denominada mainboard ou motherboard, é uma placa de circuito impresso eletrônico. É considerado o elemento mais importante de um computador,

Leia mais

Introdução a Tecnologia da Informação

Introdução a Tecnologia da Informação Introdução a Tecnologia da Informação Arquitetura de Computadores Hardware e Software Prof. Jeime Nunes p Tipos de memória n RAM (random access memory) - memória de acesso aleatório, é volátil e permite

Leia mais

O Sistema de Computação

O Sistema de Computação O Sistema de Computação Arquitetura de Computadores Prof. Vilson Heck Junior O Sistema de Computação INTRODUÇÃO Introdução Sistemas Computacionais podem ser divididos em camadas: Aplicativos Sistema Operacional

Leia mais

Dispositivos de Entrada e Saída

Dispositivos de Entrada e Saída Departamento de Ciência da Computação - UFF Dispositivos de Entrada e Saída Prof. Marcos A. Guerine mguerine@ic.uff.br 1 Dipositivos periféricos ou simplesmente periféricos permitem a comunicação da máquina

Leia mais

Organização de Computadores (revisão) André Tavares da Silva

Organização de Computadores (revisão) André Tavares da Silva Organização de Computadores (revisão) André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Conceitos Básicos Microcomputador é um sistema computacional que possua como CPU um microprocessador. Microprocessador

Leia mais

Montagem e Manutenção de Computadores

Montagem e Manutenção de Computadores Montagem e Manutenção de Computadores Organização dos Computadores Aula de 04/03/2016 Professor Alessandro Carneiro Introdução Um computador consiste de vários dispositivos referidos como hardware: o teclado,

Leia mais

SSC510 Arquitetura de Computadores 1ª AULA

SSC510 Arquitetura de Computadores 1ª AULA SSC510 Arquitetura de Computadores 1ª AULA REVISÃO DE ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Arquitetura X Organização Arquitetura - Atributos de um Sistema Computacional como visto pelo programador, isto é a estrutura

Leia mais

PCS-2529 Introdução aos Processadores. Prof. Dr. Paulo Sérgio Cugnasca

PCS-2529 Introdução aos Processadores. Prof. Dr. Paulo Sérgio Cugnasca PCS-2529 Introdução aos Processadores Prof. Dr. Paulo Sérgio Cugnasca 1 2 Existem 4 esquemas diferentes de E/S possíveis, cada um se aplicando em uma determinada situação. E/S Programada. E/S Acionada

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto

Sistemas Operacionais. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto Sistemas Operacionais Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Princípios básicos de hardware Periférico é um dispositivo conectado a um computador de forma a possibilitar sua interação

Leia mais

- Arquitetura de sistemas digitais- Cap 2 Arquitetura de computadores

- Arquitetura de sistemas digitais- Cap 2 Arquitetura de computadores - Arquitetura de sistemas digitais- Cap 2 Arquitetura de computadores Prof. Alan Petrônio - www.ufsj.edu.br/alan Evolução e desempenho do computador Primeira geração: ENIAC 20 acumuladores de 10 dígitos

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Revisão Volnys Bernal. Agenda. Revisão: Arquitetura de Computadores. Sobre esta apresentação

Arquitetura de Computadores. Revisão Volnys Bernal. Agenda. Revisão: Arquitetura de Computadores. Sobre esta apresentação 1998-2010 - Volnys Bernal 1 1998-2010 - Volnys Bernal 2 Agenda Revisão: Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~volnys Arquitetura Geral Espaço de Endereçamento Processador e s Laboratório

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar - Aula 1-1. ENTRADAS E SAIDAS Uma das principais funções dos sistemas operacionais é controlar os dispositivos de entrada e saída (E/S ou I/O). O Sistema Operacional (SO) deve ser capaz de enviar comando

Leia mais

Capítulo 2 Livro do Mário Monteiro Componentes Representação das informações. Medidas de desempenho

Capítulo 2 Livro do Mário Monteiro Componentes Representação das informações. Medidas de desempenho Capítulo 2 Livro do Mário Monteiro Componentes Representação das informações Bit, Caractere, Byte e Palavra Conceito de Arquivos e Registros Medidas de desempenho http://www.ic.uff.br/~debora/fac! 1 2

Leia mais

Circuitos Lógicos Aula 26

Circuitos Lógicos Aula 26 Circuitos Lógicos Aula 26 Aula passada Mais adição Circuito com maior largura Subtração Mais ULA Aula de hoje Memória Funcionamento e arquitetura ROM, RAM e variações Processador Intel Memória Memória:

Leia mais

Organização de Computadores II

Organização de Computadores II Universidade Estácio de Sá Curso de Informática Organização de Computadores II Entrada e Saída Prof. Gabriel P. Silva 24.11.2004 Comunicação com o Processador A comunicação dos periféricos com o processador

Leia mais

Arquitetura de Computadores (Placa Mãe)

Arquitetura de Computadores (Placa Mãe) Arquitetura de Computadores (Placa Mãe) Agenda Apresentar e explicar as funcionalidades da placa mãe Apresentar e explicar os principais componentes da placa mãe Fonte Interfaces e/ou portas Barramentos

Leia mais

Aula 01 - Introdução. Prof. Fernando F. Costa

Aula 01 - Introdução. Prof. Fernando F. Costa Aula 01 - Introdução Prof. Fernando F. Costa nando@fimes.edu.br Arquitetura e Organização Ao se descrever um sistema de computação, é feita uma distinção entre a arquitetura e a organização do computador.

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais. Sistemas Operacionais. Aula 19. Sistema de Entrada/Saída

Universidade Federal de Minas Gerais. Sistemas Operacionais. Aula 19. Sistema de Entrada/Saída Aula 19 Sistema de Entrada/Saída Sistema de E/S Por que estudar? Essenciais! Muitos tipos: - mouse - discos - impressora - scanner - rede - modem Cada fabricante complica de um jeito diferente. Tempos

Leia mais

Escola Secundária de Emídio Navarro

Escola Secundária de Emídio Navarro Escola Secundária de Emídio Navarro Curso Secundário de Carácter Geral (Agrupamento 4) Introdução às Tecnologias de Informação Bloco I 11.º Ano Ficha de avaliação sumativa n.º 1 Duração: 50 min. + 50 min.

Leia mais

MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE COMPUTADORES

MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE COMPUTADORES Álvaro Elias Flôres alvaro.flores@sc.senai.br MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE COMPUTADORES Introdução A atividade de um computador pode ser definida por um modelo simples: Introdução Na etapa de processamento

Leia mais

Caracterização de Sistemas Distribuídos

Caracterização de Sistemas Distribuídos Caracterização de Sistemas Distribuídos Roteiro Conceitos de Hardware Conceitos de Software Classificação de Flynn Classificação baseada no acesso a memória 2 Conceitos de HW Múltiplas CPUs Diferentes

Leia mais

Registradores de Deslocamento e Memórias

Registradores de Deslocamento e Memórias Registradores de eslocamento e Memórias Rodrigo Hausen 1 Registradores de deslocamento Exercício 1 Usando flip-flops do tipo, projete uma máquina de estado com duas entradas, (clock) e d (um bit de dado),

Leia mais

MICROPROCESSADORES. Unidade de Entrada/Saída (I/O) Nuno Cavaco Gomes Horta. Universidade Técnica de Lisboa / Instituto Superior Técnico

MICROPROCESSADORES. Unidade de Entrada/Saída (I/O) Nuno Cavaco Gomes Horta. Universidade Técnica de Lisboa / Instituto Superior Técnico MICROPROCESSADORES (I/O) Nuno Cavaco Gomes Horta Universidade Técnica de Lisboa / Instituto Superior Técnico Sumário Introdução Unidade de Processamento Unidade de Controlo Conjunto de Instruções Unidade

Leia mais

Arquitetura de Computadores

Arquitetura de Computadores Arquitetura de Computadores Prof. Eduardo Simões de Albuquerque Instituto de Informática UFG 1o. Semestre / 2006 Adaptado do material do prof. Fábio Moreira Costa Programa e Introdução Assunto do curso

Leia mais

SISTEMAS MICROCONTROLADOS

SISTEMAS MICROCONTROLADOS SISTEMAS MICROCONTROLADOS UTFPR Código: EL54E Turma: N11/E11 Prof. Sérgio Moribe Colaboração: Prof. Heitor S. Lopes Prof. Rubens Alexandre de Faria Email: smoribe@utfpr.edu.br Site: pessoal.utfpr.edu.br/smoribe

Leia mais

Introdução aos Sistemas de Computação (ISC) Curso de Administração de Negócios Eletrônicos Professor :

Introdução aos Sistemas de Computação (ISC) Curso de Administração de Negócios Eletrônicos Professor : Introdução aos Sistemas de Computação (ISC) Curso de Administração de Negócios Eletrônicos Professor : Marco Antônio Chaves Câmara Lista de Exercícios II Nome do Aluno : 1) Considerando-se a representação

Leia mais

Organização de Computadores Processadores. Professor: Francisco Ary

Organização de Computadores Processadores. Professor: Francisco Ary Organização de Computadores Processadores Professor: Francisco Ary Introdução O que vimos no último encontro: O que é um computador; Arquitetura Três partes principais: Processador; Memória; e Sistema

Leia mais

Arquitectura de Computadores MEEC (2013/14 2º Sem.)

Arquitectura de Computadores MEEC (2013/14 2º Sem.) Arquitectura de Computadores MEEC (2013/14 2º Sem.) Unidades de Entrada/Saída (I/O) Prof. Nuno Horta PLANEAMENTO Introdução Unidade de Processamento Unidade de Controlo Arquitectura do Conjunto de Instruções

Leia mais

AULA 2. Prof.: Jadiel Mestre. Introdução à Informática. Introdução à Informática Componentes de um Sistema de Informação

AULA 2. Prof.: Jadiel Mestre. Introdução à Informática. Introdução à Informática Componentes de um Sistema de Informação AULA 2 Prof.: Jadiel Mestre. Componentes de um Sistema de Informação Os componentes de um sistema de informação são divididos em três partes 2 1 Componentes físicos do computador Dispositivos de Entrada/Saída

Leia mais

Barramentos. Prof: André Luiz da Costa Carvalho h6p://scufam.wordpress.com

Barramentos. Prof: André Luiz da Costa Carvalho h6p://scufam.wordpress.com Barramentos Prof: André Luiz da Costa Carvalho h6p://scufam.wordpress.com Hierarquia de Barramentos Princípio da Localidade de Referência Dados e programa que estão sendo usados devem ficar próximos ao

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Organização e Arquitetura de Computadores I Memória Cache Slide 1 Introdução Tamanho Função de Mapeamento Política de Escrita Tamanho da Linha Número de Memórias Cache Cache em Níveis Slide 2 Introdução

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO. Cristina Boeres

FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO. Cristina Boeres FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO Cristina Boeres Sistema de Computação! Conjunto de componentes integrados com o objetivo de manipular dados e gerar informações úteis.

Leia mais

Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores

Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores. Organização Básica de Computadores Ciência da Computação Arq. e Org. de Computadores Processadores Prof. Sergio Ribeiro Composição básica de um computador eletrônico digital: Processador Memória Memória Principal Memória Secundária Dispositivos

Leia mais

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA

INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA 1 Conteúdo 1. Tipos de computadores 2. Representação da informação 3. Hardware Hardware (componentes de um computador) Gabinete Placa-mãe Unidade Central de Processamento 2 1)

Leia mais

2ª Lista de Exercícios de Arquitetura de Computadores

2ª Lista de Exercícios de Arquitetura de Computadores 2ª Lista de Exercícios de Arquitetura de Computadores 1. Descreva as funções desempenhadas pelos escalonadores de curto, médio e longo prazo em um SO. 2. Cite três motivos pelos quais o controle do processador

Leia mais

Mapeamento em posição de Memória Interface com visor LCD 6

Mapeamento em posição de Memória Interface com visor LCD 6 Mapeamento em posição de Memória 6 Objectivos - Compreender os mapeamentos em Portos de I/O e de Memória dados externa. - Identificar os endereços na memória de dados externa em que se encontra o visor

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO DISCIPLINA: ORGANIZAÇÃO E ARQ. DE COMPUTADORES PROFESSOR: RÔMULO CALADO PANTALEÃO CAMARA BARRAMENTO AMBA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO DISCIPLINA: ORGANIZAÇÃO E ARQ. DE COMPUTADORES PROFESSOR: RÔMULO CALADO PANTALEÃO CAMARA BARRAMENTO AMBA UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO DISCIPLINA: ORGANIZAÇÃO E ARQ. DE COMPUTADORES PROFESSOR: RÔMULO CALADO PANTALEÃO CAMARA BARRAMENTO AMBA ALUNOS: ALLISSON PIERRE CAROLINE CARVALHO ESRON DTAMAR

Leia mais

Arquitectura de Computadores (ACom)

Arquitectura de Computadores (ACom) Arquitectura de Computadores (ACom) MEAer Acetatos das Aulas Teóricas Versão 5.0 - Português Aula N o 27: Título: Sumário: Estrutura interna de um PC Estrutura interna de um PC; Sistema de entradas e saídas

Leia mais

14/3/2016. Prof. Evandro L. L. Rodrigues

14/3/2016. Prof. Evandro L. L. Rodrigues SEL 433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I SEL-433 APLICAÇÕES DE MICROPROCESSADORES I Prof. Evandro L. L. Rodrigues Tópicos do curso Conceitos básicos - Aplicações e utilizações dos microcontroladores

Leia mais

Organização de Computadores

Organização de Computadores Organização de Computadores Aula 25 Conjunto de Instruções: Modos de Endereçamento e Formatos Rodrigo Hausen 11 de novembro de 2011 http://cuco.pro.br/ach2034 1/26 Apresentação 1. Bases Teóricas 2. Organização

Leia mais

Componentes constituintes de uma motherboard

Componentes constituintes de uma motherboard Uma placa-mãe típica e seus componentes (neste exemplo uma placa-mãe modelo A7N8X- Deluxe da Asus) 32 1 - Socket do processador (CPU) é neste socket que o processador é encaixado. O desenho das actuais

Leia mais

LIC. Organização e Estrutura Básica Computacional. Prof. Marcelo Costa Oliveira 2006, Marcelo Costa oliveira

LIC. Organização e Estrutura Básica Computacional. Prof. Marcelo Costa Oliveira 2006, Marcelo Costa oliveira LIC Organização e Estrutura Básica Computacional Prof. Marcelo Costa Oliveira licufal@gmail.com História 1946 Inventado o 1º computador eletrônico de grande porte ENIAC Universidade da Pensilvania: 18.000

Leia mais

Conceitos sobre Computadores

Conceitos sobre Computadores Conceitos sobre Computadores Prof. UNESP - São José do Rio Preto Linguagem Computacional Neste tópico veremos: Os Componentes físicos dos computadores O hardware: principais partes dos computadores atuais.

Leia mais

18/10/2010. Unidade de Controle Controle. UC Microprogramada

18/10/2010. Unidade de Controle Controle. UC Microprogramada Arquitetura de Computadores Unidade de Controle Controle Microprogramado Prof. Marcos Ribeiro Quinet de Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF Pólo Universitário de Rio das Ostras - PURO UC Microprogramada

Leia mais

ARDUINO. Profº. Engº. Robson Dias Ramalho

ARDUINO. Profº. Engº. Robson Dias Ramalho ARDUINO Profº. Engº. Robson Dias Ramalho 3. Microprocessador (E/S) 4. Memória RAM (E/S) 5. Placa de vídeo (E/S) 8. Disco Rígido (E/S) 9. Mouse (Saída) 10. Teclado (E/S) 2. Placa mãe (barramento de dados)

Leia mais

Principais Componentes e Tecnologias

Principais Componentes e Tecnologias Infra-Estrutura de Hardware Principais Componentes e Tecnologias Prof. Edilberto Silva www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Sumário Barramentos Placa Mãe Processadores Armazenamento Vídeo Rede Outras Tecnologias

Leia mais

Barramento compartilhado

Barramento compartilhado Barramento compartilhado A organização de rede de barramento compartilhado usa um único caminho de comunicação entre todos os processadores e módulos de memória: a rota pela qual as mensagens transitam.

Leia mais

Sistemas de Entrada e Saídas

Sistemas de Entrada e Saídas Sistemas de Entrada e Saídas José Costa Introdução à Arquitetura de Computadores Departamento de Engenharia Informática (DEI) Instituto Superior Técnico 2013-12-06 José Costa (DEI/IST) Sistemas de Entrada

Leia mais

Multiplexadores e Demultiplexadores

Multiplexadores e Demultiplexadores Multiplexadores e Demultiplexadores Multiplexador (MUX) é um circuito combinacional dedicado com a finalidade de selecionar, por meio de variáveis de seleção, uma de suas entradas, conectando-a à uma saída.

Leia mais

Prof. Benito Piropo Da-Rin. Arquitetura, Organização e Hardware de Computadores - Prof. B. Piropo

Prof. Benito Piropo Da-Rin. Arquitetura, Organização e Hardware de Computadores - Prof. B. Piropo Prof. Benito Piropo Da-Rin UCP ou microprocessador: Circuito Integrado inteligente (capaz de cumprir diferentes funções determinadas por instruções ) CI capaz de efetuar todas as operações necessárias

Leia mais

Lista de Exercícios sobre Conceitos de Informática. Exercício 1: Correspondência

Lista de Exercícios sobre Conceitos de Informática. Exercício 1: Correspondência Lista de Exercícios sobre Conceitos de Informática Exercício 1: Correspondência Relacione os termos da tabela 1 abaixo com as definições da tabela 2. Para facilitar, os termos da tabela 1 estão colocados

Leia mais

speedup aprimorado aprimorado Fração aprimorada speedup aprimorado Fração aprimorada speedup aprimorado Tempo original Fração aprimorada aprimorado

speedup aprimorado aprimorado Fração aprimorada speedup aprimorado Fração aprimorada speedup aprimorado Tempo original Fração aprimorada aprimorado Multiprocessadores - A evolução tecnológica dos processadores iria diminuir drasticamente. 2- O caminho para o aumento de desempenho é de unir mais de um processador para realizar a mesma tarefa em menos

Leia mais

Introdução à Informática. Alexandre Meslin

Introdução à Informática. Alexandre Meslin Introdução à Informática Alexandre Meslin (meslin@nce.ufrj.br) Aula Anterior Componentes de um computador Exercícios de fixação Esta Aula Especificando um Computador Montando um Computador Placa Mãe e

Leia mais

Capítulo 14. Expandindo as portas de comunicação 8031 com a PPI Interface PPI 8255

Capítulo 14. Expandindo as portas de comunicação 8031 com a PPI Interface PPI 8255 Capítulo 14 Expandindo as portas de comunicação 8031 com a PPI 8255 Como discutido ao longo do livro, o 8031 deixa 8 bits para controle genérico de dispositivos. Em situações nas quais se necessita um

Leia mais

Multiplexação por Divisão de Tempo UNIP. Renê Furtado Felix.

Multiplexação por Divisão de Tempo UNIP. Renê Furtado Felix. Multiplexação por Divisão de Tempo UNIP rffelix70@yahoo.com.br Comunicação Serial Como funciona a comunicação serial? Você sabe que a maioria dos PCs têm portas seriais e paralelas. Você também sabe que

Leia mais

KIT DIDÁTICO PIC-2377

KIT DIDÁTICO PIC-2377 KIT DIDÁTICO PIC-77... Módulo PIC-77 Recursos internos da MCU Encapsulamento DIP40. 5 instruções (RISC). pinos de I/O configuráveis. 56 bytes de EEPROM para dados de 8 bits. 8k de memória flash para o

Leia mais

Unidade Central de Processamento 2. Registradores

Unidade Central de Processamento 2. Registradores Unidade Central de Processamento 2 Registradores Conceitos Fundamentais Arquitetura da CPU Unidade de Controle Registradores Barramento interno Unidade lógica e Aritmética Registradores Conjunto de unidades

Leia mais

Processador: Conceitos Básicos e Componentes

Processador: Conceitos Básicos e Componentes Processador: Conceitos Básicos e Componentes Cristina Boeres Instituto de Computação (UFF) Fundamentos de Arquiteturas de Computadores Material baseado nos slides de Fernanda Passos Cristina Boeres (IC/UFF)

Leia mais

http://www.ic.uff.br/~debora/fac! 1 Capítulo 4 Livro do Mário Monteiro Introdução Hierarquia de memória Memória Principal Organização Operações de leitura e escrita Capacidade 2 Componente de um sistema

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores Arquitetura e Organização de Computadores Conjunto de Instruções Givanaldo Rocha de Souza http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br Material do prof. Sílvio Fernandes - UFERSA

Leia mais

Capítulo 4. Discos. Disco rígido

Capítulo 4. Discos. Disco rígido Capítulo 4 Discos Disco rígido Um PC bem equipado deve ter um processador rápido, uma boa quantidade de RAM, e um disco rígido de alta capacidade. Também é necessário que o disco rígido tenha um bom desempenho.

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Arquitetura e Organização de Computadores Conjunto de Instruções Prof. Sílvio Fernandes

Leia mais

Sistemas Operacionais Abertos. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto

Sistemas Operacionais Abertos. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto Sistemas Operacionais Abertos Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com CHIPSET Conjunto de circuitos integrados da placa-mãe que controla a transmissão de dados nos barramentos. Está

Leia mais

AGT0001 Algoritmos Aula 01 O Computador

AGT0001 Algoritmos Aula 01 O Computador AGT0001 Algoritmos Aula 01 O Computador Karina Girardi Roggia karina.roggia@udesc.br Departamento de Ciência da Computação Centro de Ciências Tecnológicas Universidade do Estado de Santa Catarina 2016

Leia mais

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE DE CONTROLE E A INTERPRETAÇÃO DE INSTRUÇÕES. Prof. MSc. Tiago Alves de Oliveira

ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE DE CONTROLE E A INTERPRETAÇÃO DE INSTRUÇÕES. Prof. MSc. Tiago Alves de Oliveira ARQUITETURA E ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES A UNIDADE DE CONTROLE E A INTERPRETAÇÃO DE INSTRUÇÕES Prof. MSc. Tiago Alves de Oliveira Lembretes Compreender a função da unidade de controle Apresentar o ciclo

Leia mais

Computadores e Programação (DCC/UFRJ)

Computadores e Programação (DCC/UFRJ) Computadores e Programação (DCC/UFRJ) Aula 3: 1 2 3 Abstrações do Sistema Operacional Memória virtual Abstração que dá a cada processo a ilusão de que ele possui uso exclusivo da memória principal Todo

Leia mais

Célula, Palavra, Ciclo de Instruções e Lógica Temporizada

Célula, Palavra, Ciclo de Instruções e Lógica Temporizada Célula, Palavra, Ciclo de Instruções e Lógica Temporizada IFBA Instituto Federal de Educ. Ciencia e Tec Bahia Curso de Analise e Desenvolvimento de Sistemas Arquitetura de Computadores 20 e 21/30 Prof.

Leia mais

2º Estudo Dirigido CAP 3

2º Estudo Dirigido CAP 3 2º Estudo Dirigido CAP 3 1. Cite três exemplos de aspecto na definição e implementação de uma arquitetura que são influenciados pelas características do conjunto de instruções? R.: Operações lógicas e

Leia mais

Barramentos internos/externos

Barramentos internos/externos Barramentos Uma das características principais de um processador são os seus barramentos. Os barramentos são auto-estradas por onde circula a informação, seja no interior do CPU ou do interior para o exterior,

Leia mais

Projeto de Algoritmos

Projeto de Algoritmos Projeto de Algoritmos Introdução aos Sistemas Computacionais Prof. Ernani Viriato de Melo / Reginaldo Costa http://www.ernani.eti.br http://reginaldofazu.blogspot.com 2º Semestre - 2008 Conceitos Básicos

Leia mais

Dr. Joaquim de Carvalho

Dr. Joaquim de Carvalho Planificação Anual 2016/2017 Curso Profissional de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Sistemas Digitais e Arquitectura de Computadores (SDAC) 12º ano 1 MÓDULO 7: Arquitectura de Computadores

Leia mais

Exercícios de Sistemas Operacionais 3 B (1) Gerência de Dispositivos de Entrada e Saída

Exercícios de Sistemas Operacionais 3 B (1) Gerência de Dispositivos de Entrada e Saída Nome: Exercícios de Sistemas Operacionais 3 B (1) Gerência de Dispositivos de Entrada e Saída 1. A gerência de dispositivos de entrada e saída é uma das principais e mais complexas funções de um sistema

Leia mais

Documento: Descritivo Simplificado do Projeto SPDMAI

Documento: Descritivo Simplificado do Projeto SPDMAI 1/5 Descritivo Simplificado do Projeto SPDMAI O Sistema de Processamento Digital para Medição e Automação Industrial (SPDMAI) é baseado no kit de desenvolvimento DSP TMS320C6711 DSK da Texas Instruments,

Leia mais

COMPUTADOR. Adão de Melo Neto

COMPUTADOR. Adão de Melo Neto COMPUTADOR Adão de Melo Neto 1 Modelo Barramento de Sistema É uma evolução do Modelo de Von Newman Processador = UCP = unidade de controle + unidade lógica aritmética Memória; Barramento (novo elemento):

Leia mais

DISCO MAGNÉTICO Cabeçote Trilha

DISCO MAGNÉTICO Cabeçote Trilha 1 São os componentes mais importantes da memória externa. É formado por um prato circular coberto de um material que pode ser magnetizado. Os dados são gravados e posteriormente lidos por meio de uma bobina

Leia mais

Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert

Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 1 Introdução Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert slide 1 Organização e arquitetura Arquitetura são

Leia mais

Sistemas Operacionais. Rodrigo Rubira Branco

Sistemas Operacionais. Rodrigo Rubira Branco Sistemas Operacionais Rodrigo Rubira Branco rodrigo@kernelhacking.com rodrigo@fgp.com.br Dispositivos de E/S O acesso aos registradores de dispositivo apresenta se como uma questao do projeto da CPU e

Leia mais

Aula 3 Redes de Interconexão

Aula 3 Redes de Interconexão Aula 3 Redes de Interconexão As redes de interconexão são de fundamental importância nas arquiteturas paralelas Não importa o tipo da arquitetura, todo computador paralelo necessita de uma rede de interconexão

Leia mais

Interconexão de redes locais. Repetidores. Hubs. Existência de diferentes padrões de rede

Interconexão de redes locais. Repetidores. Hubs. Existência de diferentes padrões de rede Interconexão de redes locais Existência de diferentes padrões de rede necessidade de conectá-los Interconexão pode ocorrer em diferentes âmbitos LAN-LAN LAN: gerente de um determinado setor de uma empresa

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Organização de Computadores ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Curso: Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação Ano: 2011 Conhecida como Processador ou é o cerebro do computador Unifica todo sistema e

Leia mais

Informática para o MPU. Prof. Jefferson Moreira 1

Informática para o MPU. Prof. Jefferson Moreira 1 Informática para o MPU Prof. Jefferson Moreira 1 Sites e contato Email e msn: jefferson.jbsm@hotmail.com www.projetofuturoservidor.wordpress.com Twitter: @jeff_bala Orkut: Jefferson Moreira Prof. Jefferson

Leia mais

Desenvolvendo aplicações com LabVIEW FPGA. Rogério Rodrigues Engenheiro de Marketing Técnico Marcos Cardoso Engenheiro de Vendas

Desenvolvendo aplicações com LabVIEW FPGA. Rogério Rodrigues Engenheiro de Marketing Técnico Marcos Cardoso Engenheiro de Vendas Desenvolvendo aplicações com LabVIEW FPGA Rogério Rodrigues Engenheiro de Marketing Técnico Marcos Cardoso Engenheiro de Vendas Agenda O que são FPGAs e por que eles são úteis? Programando FPGAs Hardware

Leia mais

Redes de Computadores.

Redes de Computadores. Redes de Computadores www.profjvidal.com REDES PONTO-A-PONTO E CLIENTE-SERVIDOR REDES DE COMPUTADORES Uma rede de computadores é formada por um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES MEMÓRIA PRINCIPAL CAPÍTULO 4. Cristina Boeres

FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES MEMÓRIA PRINCIPAL CAPÍTULO 4. Cristina Boeres FUNDAMENTOS DE ARQUITETURAS DE COMPUTADORES MEMÓRIA PRINCIPAL CAPÍTULO 4 Cristina Boeres Memória! É um dos componentes de um sistema de computação! Sua função é armazenar informações que são ou serão manipuladas

Leia mais

Profª Danielle Casillo

Profª Danielle Casillo UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Automação e Controle Aula 05 Introdução ao CLP Profª Danielle Casillo CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL -CLP 2 CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL

Leia mais

FTC Faculdade de Tecnologia e Ciências Engenharia Civil 1º Semestre. Conceitos Básicos. Rafael Barbosa Neiva

FTC Faculdade de Tecnologia e Ciências Engenharia Civil 1º Semestre. Conceitos Básicos. Rafael Barbosa Neiva FTC Faculdade de Tecnologia e Ciências Engenharia Civil 1º Semestre Conceitos Básicos Rafael Barbosa Neiva rafael@prodados.inf.br SUMÁRIO Introdução e conceitos básicos Hardware Software 2 Tecnologia da

Leia mais

PROCESSADORES Unidade de Controle Unidade Aritmética e Lógica efetua memória de alta velocidade registradores Program Counter Instruction Register

PROCESSADORES Unidade de Controle Unidade Aritmética e Lógica efetua memória de alta velocidade registradores Program Counter Instruction Register PROCESSADORES Um computador digital consiste em um sistema interconectado de processadores, memória e dispositivos de entrada e saída. A CPU é o cérebro do computador. Sua função é executar programas armazenados

Leia mais

BARRAMENTO I2C. Esta transmissão requer apenas duas linhas seriais; uma para os dados e outra para o clock.

BARRAMENTO I2C. Esta transmissão requer apenas duas linhas seriais; uma para os dados e outra para o clock. BARRAMENTO I2C Barramento simples e bi-direcional para controle entre CIs ("Inter-IC"). O barramento I2C desenvolvido pela PHILIPS, foi estruturado para compor uma interface simples e padronizada. Os dados

Leia mais

Sistemas Operacionais Aula 3

Sistemas Operacionais Aula 3 Sistemas Operacionais Aula 3 Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@recife.ifpe.edu.br http://dase.ifpe.edu.br/~alsm Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas de Informação Recife - PE O que fazer

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Ciências da Computação

Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Ciências da Computação Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Graduação em Ciências da Computação Aula 7-T 2. Máquinas Sequencias Síncronas. Estudo de Caso:

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO/ PROCESSAMENTO DE DADOS DISCIPLINA: ADM e PROJETO DE REDES PROFESSOR: Msc Walter Augusto Varella

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO/ PROCESSAMENTO DE DADOS DISCIPLINA: ADM e PROJETO DE REDES PROFESSOR: Msc Walter Augusto Varella CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO/ PROCESSAMENTO DE DADOS DISCIPLINA: ADM e PROJETO DE REDES PROFESSOR: Msc Walter Augusto Varella Lista de Exercícios 1 1. Diga com suas palavras o que vem a ser uma rede

Leia mais

Capítulo VII Elementos de Memória

Capítulo VII Elementos de Memória Capítulo VII Elementos de Memória 1 Introdução Neste capítulo estudaremos dispositivos lógicos com dois estados estáveis, o estado SET e o estado RESET. Por isto, tais dispositivos são denominados dispositivos

Leia mais

CONECTORES DE VÍDEO. Montagem e Manutenção de Microcomputadores (MMM) Escola Técnica Estadual República FAETEC Rio de Janeiro - RJ MM - ETER - FAETEC

CONECTORES DE VÍDEO. Montagem e Manutenção de Microcomputadores (MMM) Escola Técnica Estadual República FAETEC Rio de Janeiro - RJ MM - ETER - FAETEC CONECTORES DE VÍDEO Montagem e Manutenção de Microcomputadores (MMM) Escola Técnica Estadual República FAETEC Rio de Janeiro - RJ CONECTORES DE VÍDEO Existem vários tipos de conectores de vídeo que você

Leia mais