SEMPRE HOJE. By Susana Martins

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SEMPRE HOJE. By Susana Martins"

Transcrição

1 SEMPRE HOJE By Susana Martins

2 01 - INT./SALA DA PENSÃO/DIA A fechadura da porta gira e Bia entra, com várias malas, coloca-as no chão. Dona Idiotilde entra atrás. DONA IDIOTILDE (com um cachimbo na mão) Aqui é casa de família. Nada de drogas, bebidas ou cigarro. Odeio cigarro!(bia olha para o cachimbo na mão dela e ela continua...) som alto, pia da cozinha suja (aproximando o rosto no de Bia, que se assusta. A velha grita) e nada de servegonhice aqui ou coisa parecida! (assustada)sem problema, Dona... (esquece o nome da velha) DONA IDIOTILDE Idiotilde. E tenta fazer graça com meu nome! experimenta! Imagina! 02 - INT./QUARTO DA PENSÃO/DIA Bia está arrumando suas roupas numa gaveta. O rádio está ligado. Chega Cris, apressada, depara-se com a nova inquilina, mede da cabeça aos pés, mas, não perde muito tempo olhando-a. joga um case em sua cama e corre para o banheiro. Bia assiste tudo com o olhar. Passa um tempo, escuta-se o som da descarga. Cris retorna. Oi... Cris nada responde, desliga o rádio. Abre o case, tira o violino. arma a estante da partitura. Senta-se e toca uma canção. Bia, admirada coloca uma mala embaixo da cama. DONA IDIOTILDE (off) Pára com esta porcaria! Carcomida! Bia sorri, Cris não lhe dá atenção e continua tocando INT./BANHEIRO PENSÃO/NOITE Bia toma banho.

3 04 - INT./QUARTO DA PENSÃO/NOITE Bia sai do banheiro. Olha para a cama de Cris. Esta abre o olho, seu olhar encontra o olhar de Bia. Indiferente, vira-se para o lado da parede. Bia se deita INT./QUARTO DA PENSÃO/DIA Bia levanta e a cama faz barulho. Cris se mexe. No caminho para o banheiro tropeça numa caixa de sapatos. Cris se mexe novamente. Bia abre a porta do banheiro com cuidado, mesmo assim ela faz barulho, e Cris se mexe de novo. Bia volta de toalha, mexe numa sacolinha de plástico. Cris, muito irritada, cobre a se mexe outra vez cobrindo a cabeça INT./PORTA LADO DE FORA DO QUARTO DA PENSÃO/DIA Bia fecha a porta com cuidado,mas, ela também faz barulho EXT./RUA/DIA (off) Mas, que merrrrrda! Inferno! Bia anda num calçadão, com um jornal na mão. Olha as placas de "precisa-se" EXT./RUA/ ORELHÃO/DIA Bia, com o jornal na mão e um papel com várias anotações. Bom dia. Por favor, gostaria de saber sobre a vaga de assistente administrativo. Ah... ok... obrigada. Tchau EXT./RUA/ ORELHÃO/DIA Bia ao telefone. Já foi preenchida? Tá certo... obrigada EXT./RUA/ ORELHÃO/DIA Bia, nervosa, ao telefone. Não minha senhora! Só queria uma informação. Ah! É assim que você trata uma cliente? e daí, minha senhora? E se eu fosse uma cliente? hein? Então, pois agora sou! é isso mesmo! Sou uma cliente! Chama, agora, seu superior! (ela percebe que desligaram na cara, indignada coloca o telefone no gancho)

4 11 - EXT./RUA/ ORELHÃO/DIA Bia desliga várias vezes o telefone, mais irritada a medida que desliga EXT./RUA/ ORELHÃO/ ENTARDECER Bia cansada, quase chorando. Ok... (já impaciente) obrigada. (desliga o telefone) 13 - INT./QUARTO DA PENSÃO/NOITE Cris está escrevendo no seu diário. Bia entra. Boa noite. É o seguinte. Aqui existem regras. Além das regras da Carcomida, existem as regras interior do quarto, ok? Uma dessas regras é não acordar quem está dormindo, ok? Mas, não tenho culpa se a cama e a porta fazem barulho... (é interrompida) Cada um no seu quadrado. A regra é essa e ponto final. E nada de calcinha pendurada no registro do chuveiro. Eu não deixei calcinha ali. Mas, é bom adiantar essa regra. (silêncio das duas) E muito menos toalha molhada jogada em qualquer lugar. (indignada) Mas, eu não deixei minha toalha jogada! (interrompe) Mas, é bom adiantar essa regra também INT./BANHEIRO PENSÃO/NOITE Bia bate a porta do banheiro. Recosta na porta INT./BANHEIRO PENSÃO/NOITE Debaixo do chuveiro, Bia chora.

5 16 - INT./QUARTO DA PENSÃO/NOITE Bia sai do banheiro enxugando o cabelo. Você já jantou? Não. Eu costumo comer num lugar legal e barato, aqui embaixo. Quer dividir? Uhum INT./RESTAURANTE/NOITE As duas jantam. (quebra o silêncio)você tem conhecidos aqui em São Paulo? Não. Salva aí meu celular, vai que você precise. Ok. Pode falar. (Bia pega o celular para anotar) INT./QUARTO DA PENSÃO/DIA Cris sai do banheiro fazendo muito barulho. Bia acorda, fica irritada. Cris abre uma gaveta e Bia vai se irritando mais ainda. Cris liga o rádio. E as regras? Que regras? E as regras que você me passou ontem? Hoje é a exceção. Mas, o quê? Você tá tirando uma com a minha cara? HÃ?

6 Toca o celular de Cris e ela começa a procurá-lo. Você só pode estar de brincadeira! (levanta-se e desliga o rádio) Dá pra parar com esse barulho? Cris continuando a procurar o celular que não pára de tocar. Já disse que é uma exceção. Escuta aqui! (o celular tocando) você acaba comigo, dizendo que eu sou sem educação; que não sei o que é regra. Me humilha e agora vem dizer que quando é você é uma exceção? (Cris acha o telefone debaixo do travesseiro, atende). Alô. Oi mãe. Não... Tô indo... Era só o que me faltava. Como se não bastasse, ela ignora o que eu tô falando! (simultaneamente e sem prestar atenção ao que Bia fala)... é a nova inquilina da Carcomida. mal educada... (Bia, indignada, toma o telefone e desliga). Você tá pensando que é quem? Ou melhor, o quê? porque "quem" a gente usa para pessoas e não para (Cris lhe arranca o celular da mão) Nunca mais faça isso.(o celular toca novamente ela atende). Não, mãe... (olha para Bia) a Ligação caiu. Eu sei mãe... Ok...(entra no banheiro falando ao telefone) 19 - EXT./RUA/ENTARDECER Bia anda, cansada na rua, com um jornal na mão. Vê, num poste, um cartaz "precisa-se de acompanhante de cachorro" INT./SALA/APARTAMENTO DE /DIA Seu Eugenio sentando na frente de Bia com um cachorro no colo. E você é de onde?

7 São José. São José de onde, minha filha? Rio Pardo. Seu Eugenio a mensura com um olhar. Bia empolgada. Tem telefone pra referência? Claro. O DDD é... (é interrompida bruscamente por seu Eugenio) De São Paulo, alguém daqui. Quero saber de referências aqui na cidade. Essa história de DDD não me convence. Esses dias mesmo ligaram para mim do código 45. Dizendo que estavam com meu filho num cativeiro. Agora, que filho é esse é que eu não sei! Só se eu tenho útero e não to sabendo... Tenho sim. Útero? Não, o número. E o útero? Não tem? Tenho. O útero e o número de referência em São Paulo. Anota nesse bloco aí na mesa. O seu e o da referência que você tem. Qualquer coisa eu te ligo. Seu Eugenio espera impaciente enquanto Bia anota no papel. Ele a acompanha até a porta. Obrigada... Até. Seu Eugene fecha a porta na cara de Bia.

8 21 - EXT./RUA/NOITE Bia anda numa calçada INT./QUARTO DA PENSÃO/NOITE Bia está deitada e Cris entra, coloca o case ao lado da cama e senta-se. O cara do emprego me ligou perguntando de você. ele te ligou? Ligou sim. Valeu. Ok. To morrendo de fome. Já comeu? 23 - INT./RESTAURANTE/NOITE Bia e Cris jantam. Você é de onde? Sou de São José do Rio Pardo. (O celular de Cris toca). Oi mãe... Não mãe... eu... eu já falei pra você que depois eu vejo... que saco! afff... já to indo... to comendo com a nova inquilina. (para Bia) qual seu nome? Bianca. Bianca. Tá... chegando em casa eu te ligo... beijo... tchau... (Continuam comendo. Toca o celular dela de novo. Cris olha o celular e com tom seco diz) Fala. Você quem sabe, Carlos. Tudo bem. Tá... tá bom... amanhã não dá, tenho ensaio. Eu te ligo. Tá bipando aqui, deixa eu atender. Espera. (atende a outra chamada) Alô, oi... Não... não cheguei no quarto ainda... ô mãe... afeee... Tchau. (volta a ligação de Carlos) Oi Carlos, tá... beijo (desliga e continuam a comer) INT./QUARTO DA PENSÃO/DIA Bia está lendo.

9 DONA IDIOTILDE (off) Eu não quero saber! (off) Pois vai ter que esperar! DONA IDIOTILDE (off) Eu quero o meu dinheiro! Se vira! Quero até amanhã ao meio dia! (off) Espera sentada! Bia escuta a porta da sala bater. Fecha o livro, levanta-se e vê o diário de Cris na cama. Vai até a cômoda, coloca água num copo, bebe, volta o olhar para o diário EXT./PRAÇA/DIA Bia passeia com seu Eugenio e o cachorrinho. A vida é uma caixa de surpresa. Quem diria que eu me apaixonaria novamente?! Ai... ai... (pensativa) Seu Eugenio, posso fazer uma hora e meia de almoço hoje? Tenho um problema para resolver. Eu fico até mais tarde para compensar... Meia hora, nem um minuto a mais! (o cachorro urina nele) Droga! Cretino! 26 - INT./CAIXA ELETRÔNICO/DIA Bia saca uma quantia em dinheiro. INT./PORTA LADO DE FORA DE UM QUARTO DA PENSÃO/DIA Bia coloca um envelope por baixo da porta do quarto de Dona Idiotilde INT./SALA/APARTAMENTO DE /DIA Bia entra pela porta da cozinha. Seu Eugenio com o cachorrinho no colo. Pontualidade britânica hein, amapôa. Vamos! Sente aí. Sabe jogar Canastra? Não. Aprende! Vamos, senta aí. Bia senta e seu Eugenio começa a embaralhar as cartas.

10 28 - INT./SALA/APARTAMENTO DE /NOITE Bia e o cachorro exaustos, seu Eugenio disposto e feliz. Toca o celular de Bia. Quem é essa hora? Só pra atrapalhar o jogo. (fingindo que concorda com ele) Pois é, seu Eugenio... (atende) Alô. Oi INT./QUARTO DA PENSÃO/NOITE Você me quebrou uma!putz... valeu mesmo! 30 - INT./SALA/APARTAMENTO DE /NOITE Imagine. Aposto que você, no meu lugar, faria o mesmo INT./QUARTO DA PENSÃO/NOITE Fico lhe devendo essa. Obrigada mais uma vez. Té mais tarde... (desliga o telefone) 32 - INT./SALA/APARTAMENTO DE /NOITE Bia finge estar falando ainda com Cris ao telefone. Claro, claro que eu posso... Já acabou meu expediente e eu tava pagando o atraso do almoço (Seu Eugenio começa a desconfiar da conversa) Ah! O seu Eugenio?.. Ah! Ele é um amor, nem me cobrou o atraso não, fiz porque admiro demais ele! (seu Eugenio começa a sorrir de satisfação) Tá... já to indo embora... Claro que te ajudo! Tchau. Beijo... (desliga o telefone) Seu Eugenio, posso ir? 33 - INT./QUARTO DA PENSÃO/NOITE As duas deitadas no escuro. Bianca? Fala. Mais uma vez, obrigada.

11 Tudo bem... Bianca? Oi. Você vai fazer alguma coisa sábado? É que eu vou no Ibirapuera... Legal. eu quero ir sim. Eu nunca fui no MAM. Dizem que é maravilhoso e que melhor ainda são as exposições. Você tem idéia do que tá rolando lá? Bia olha para Cris, ela já está dormindo. Bia se ajeita na cama para dormir EXT./IBIRAPUERA/DIA As duas caminham... Você não se sente muito sozinha, aqui em São Paulo? As vezes, mas, quem não se sente? É verdade. Aqui, até casado, com filhos, cachorro, papagaio e periquito... mesmo assim é provável que alguém ainda sinta solidão. Sei lá... mas, acho que ser sozinha não é ser solitária. E qual a diferença? Não sei... Nunca senti solidão... Acho que o sozinho escolheu ser sozinho. O solitário não escolheu a solidão. Cris sorri. As duas sentam. Pior, o solitário pode não estar sozinho e sentir solidão. Pode ser... (Carlos vem ao encontro das duas) Por falar em solidão acompanhada...

12 CARLOS Olá (beija Cris) Oi...Bianca, esse é o Carlos. Carlos essa é a Bianca. CARLOS Oi... (se cumprimentam) Oi... prazer... CARLOS (para Cris) Vamos? Vamos. Bia, a gente se vê mais tarde (as duas se abraçam). Certo, até. Os dois levantam-se e vão embora. Bia deita-se na grama e coloca os óculos escuros EXT./RUA/NOITE Bia anda pela calçada INT./QUARTO PENSÃO/NOITE Bia entra no quarto, Cris já está lá,sentada na cama. Chorando. Hei... o que aconteceu? (senta-se ao lado de Cris) Aquele imbecil. Ah... mas, dessa vez não tem volta.(chora) Ele vai ver. Dessa vez vai ver. (chora mais ainda) Tá... Amanhã você resolve isso. Melhor dormir agora Bia faz Cris deitar cama, cobre com o edredom, levanta-se INT./QUARTO DA PENSÃO/DIA Cris, empolgada, acorda Bia. Vamos! Vamos que hoje você vai conhecer São Paulo! (acordando) o que tá acontecendo?

13 Vai... Levanta que hoje você vai conhecer a terra da garoa! Bia sorri. (música) 38 - EXT./IBIRAPUERA/DIA As duas andando de bicicleta EXT./TEATRO MUNICIPAL/DIA As duas tirando foto em frente ao teatro municipal EXT./PRAÇA DO CORREIO/DIA As duas tirando foto fazendo caretas, nas estátuas da praça INT./MERCADÃO/DIA As duas comendo pastel EXT./ESQUINA/DIA Vimos a placa da Ipiranga com a São João. (acabando a música) 43 - INT./TERRAÇO ITÁLIA/ANOITECER As duas olhando a cidade do alto. Sabe... Diz... Hoje é um dia que é parte da minha vida... Como assim? Têm dias que fazem parte da nossa vida e outros que são parte da nossa vida. Esse dia é uma parte da minha vida. (encara Cris) Obrigada por hoje... Toca o telefone de Cris. Ai... Bruhhh... (Bia ri) Oi... mãe... to indo já... aham... tá... tchau... manda beijo pro pai. (desliga) meus pais vão se mudar para cá, vamos morar juntos de novo. Puxa que bom! Assim você se livra da

14 dona Idiotilde... Nem fale! desgranhenta! Agora me livro daquela carcomida de vez! (as duas riem). (Cris imita a velha fumando cachimbo e as duas riem mais ainda) Paga meu aluguel... Mas, vou sentir sua falta. Muita? Imensa! Não sabe o quanto... Sei o quanto... (olhando a cidade) não... Não sabe... Tanto quanto o tamanho dessa cidade? Multiplica... Por quanto? (sorri) Por quanto você achar necessário para não conseguir imaginar o quanto. Boa! (as duas se olham novamente) touche! E você? Eu o quê? SEIS MESES DEPOIS 44 - EXT./PRAÇA/DIA Quanto gosta de mim? Gosto tanto da sua amizade que chega doer. Um gostar que dói enquanto vai nascendo e crescendo... Você entende?(as duas se olham). Bia passeia com o cachorro ao telefone.

15 Oie! Hum... Como você tá? Hein? Fala de você! 45 - INT./CARRO DE /DIA Cris com o carro parado EXT./PRAÇA/DIA (sorri) Ai que saudade! Bia senta-se e esquece do cachorro. Ai... também, muita! muita! O cachorro vai embora INT./CARRO DE /DIA Cris colocando o sinto de segurança e dando a partida EXT./PRAÇA/DIA Bia sorri. Liguei pra dizer o quanto sua amizade me faz bem. Te adoro sabia? É... Eu também te amo! 49 - INT./CARRO DE /DIA (emocionada) É... (off) Ai meu Deus! Ai... o que foi? 50 - EXT./PRAÇA/DIA (off) O cachorro sumiu! Bia, desesperada, procurando o cachorro. Eu vou saber como sumiu, Cris? Inferno! E agora? (off) Calma! Calma! Onde você está?

16 Naquela praça que passeio com ele! Ai... e agora? Seu Eugenio vai me matar! (off) Senta aí e fica me esperando. Fica tranquila que eu tenho um plano. Eu to indo praí. Bia desliga o telefone e senta-se, desolada EXT./PRAÇA/DIA Cris procurando Bia, encontra-se sentada totalmente desesperada. O que aconteceu com seu telefone que não consigo falar com você? A bateria dessa merda acabou. Ai, Cris! Tô perdida! Seu Eugenio agora me mata! (abraçando-a) Não fica assim, vai dar certo. O cachorro tem identificação na coleira? Tem. o número do apartamento e do meu celular. Onde foi que você perdeu ele? Já nem me lembro... Ai... Droga! Droga! Droga. Calma eu tenho um plano. A gente compra um cachorro igual. Quê? 52 - INT. / LOJA PETSHOP/DIA Bia sentada ao lado da Cris. Vendedora mostra vários cachorros. Vai... Deixa de ser pessimista! Esse até que lembra ele! Lembra o que Cris? Isso é um cocker! o cachorro é poodle! Ou era... já nem

17 sei mais... Aff... Me lasquei agora. Inferno. (suspira fundo) empresta seu celular, vou colocar meu chip e ligar pro seu Eugenio. (Cris dá o celular, Bia troca o chip e assim que liga o celular toca) Alô. Seu Oscar... tudo bem? Ah... jura??! (abre um sorriso) To indo praí. (desliga o telefone) Acharam o cachorro, ele está com o seu Oscar, o jornaleiro. (Toca o telefone de novo ela olha) Ah... essa não! O seu Eugenio! (atende, seu Eugenio histérico do outro lado) Calma, seu Eugenio... To chegando... fica tranquilo INT./APARTAMENTO DE /SALA/NOITE Sua seqüestradora de animais!já queria dar a Elza no meu pobre Márcio! Calma que ela não fez nada com ele. E você quem é? Travesti em fim de carreira! Ah... Seu... (para Cris) Calma. (vira-se para o homem) Seu Eugenio. O Marcio está muito bem e tranquilo. Amanha a gente se vê, ok? Tenho de ir. Tenho compromisso amanhã. Vê se não se atrasa! Cris está olhando feio para seu Eugenio. Até amanhã. (Cris continua encarando o homem) Vamos, Cris (Bia puxa Cris para fora do apartamento) Até amanhã seu Eugenio INT. /RUA SEM SAÍDA/NOITE -- As duas rindo. A bicha tava nervosa! E a cara do Marcio?

18 Ele gostou de ficar longe daquela coisa. Ele faria um par perfeito com a Carcomida (toca seu celular) Oi mãe! Que saco! Afff.. eu já sei... Vamos, já tá na hora mesmo. Tá... a gente já tá indo... Beijo... tchau... (desliga o celular) Esse tempo não dá trégua! Temos pouco tempo mesmo! Ele voa! Olha só... Vai rolar uma festa na casa de uma menina lá do conservatório. Vai ser sábado. Vamos? (Bia faz cara de que não sabe se vai) Ê... não faz essa cara... Vamos? é mais tempo juntas... Tá certo. Boa menina! (pisca pra Bia) 55 - EXT. /APARTAMENTO DE /SALA/DIA Seu Eugenio sentando de frente a uma muda de bonsai. Anda, bicha. Não vai crescer? (vira-se para Bia) a sua ainda tá pequena? (com o celular na mão) É assim mesmo, seu Eugenio. Demora alguns meses...alô... oi... liguei pra saber de você... saudade... bjo... (desliga o telefone) (desesperado para o bonsai) cresce, vai? (zangado) to cansado de ficar esperando... Demonia! Toca o telefone de Bia, ela atende apressada. Alô! (sorri) eu também... Vai ficar aí fritando ou vai me ajudar aqui? (vira-se para a muda) Árvore nojenta, nem pra crescer não presta!

19 56 - INT. / QUARTO DA PENSÃO / TARDE-- Bia sentada, desanimada. Cris tentando levantá-la. Vai... Você prometeu... To desprometendo agora... Você não vai fazer isso comigo. Vamos, levanta (vai mexer nas roupas de Bia, encontra um vestido) você vai com esse. Vai levanta INT. / QUARTO DA PENSÃO / TARDE-- Bia de pé e desanimada, já com o vestido. Agora é só se maquiar. Ai... não levo jeito com isso. Senta aqui que eu faço. Bia senta enquanto Cris pega maquiagem da sua bolsa. Senta-se na frente de Bia. Admirando-a. Que foi? Você é linda. Ah... pelo amorrr! Ok... você é horrível. tá bom assim? Cris a maqueia ao mesmo tempo que a admira. Os olhares se cruzam INT. / QUARTO DA PENSÃO / NOITE As duas entram quase bêbadas no quarto. Preciso dormir. (se joga na cama). Dorme urso! (sorri e se joga na outra cama).

20 59 - INT. / QUARTO DA PENSÃO / DIA Cris está olhando Bia na dormir. Bia acorda. Bia sorri. Faz tempo que acordou? Nada... Você dorme quietinha, sabia? nem se mexe durante o sono INT. / QUARTO DA PENSÃO / DIA Cris escovando os dentes e Bia na porta do banheiro. Sabe que eu encontrei um caroço estranho no meu seio? (vindo até a porta) Sério? Marcou consulta? Ainda não. Você ligou pra sua mãe? Ela sabia que você ia dormir aqui? Não desconversa dona moça INT./ DE /SALA/DIA Seu Eugenio ouvindo Mozart e desesperado na frente do Bonsai. Bia ao telefone. Porque você não cresce? (fica olhando a muda, diz friamente) hein? Demônia! (off) Eu já marquei a consulta. O quê? 62 - INT. / CARRO / TRÂNSITO/DIA Isso mesmo. A gente vai amanhã no horário do seu almoço INT./ DE /SALA/DIA Você só pode estar brincando. Secretária minha agora?

21 Bia fica muda. (off) fale o que quiser. reclame, xingue. Até amanhã, no horário do almoço. Tchau. (off) Falei tchau... Tchau INT. / CONSULTÓRIO/ DIA MÉDICA Os exames apontaram um nódulo no seio direito. nem toda alteração é necessariamente um tumor. Mas é claro que tudo deve ser investigado.você fará uma biópsia para eu poder diagnosticar, com precisão, o caráter desse nódulo; mas, fique despreocupada, ok? A recepcionista lhe dará o encaminhamento para o exame. Ok. obrigada doutora. Disponha. MÉDICA A médica a acompanha até a porta. Se despedem EXT. IBIRAPUERA/TARDE Bia e Cris tomando sorvete. Dessa vez não tem volta. To cansada do Carlos. E você já tem resultado da biópsia? Pego o exame depois de amanhã e já tenho consulta no mesmo dia. vou com você. Tá. Agora, conta mais essa lorota de que agora é para sempre que vocês terminaram... Duvida? você vai ver?

22 66 - EXT. /CALÇADA DO HOSPITAL/ TARDE Bia anda com um envelope do exame na mão. Aparentemente ela está preocupada. A medida que começa andar ela se esvai em choro INT. / CARRO / DIA -- Cris no celular, disca e chama. Ninguém atende. Ela tenta uma segunda vez. Droga! (esmurra o volante) 68 - EXT. / CARRO / DIA -- Cris no celular disca novamente. Ouve a caixa postal. Bianca, pelo amor de D'us, atende! (silêncio) Que merda! (quase chorando) Onde você está? (desliga o celular e entra no carro) 69 - INT. / CARRO / TRÂNSITO/ENTARDECER Pensativa. Pega novamente o celular, disca e desliga o telefone. É lógico! (joga o celular no banco do passageiro) EXT. /RUA SEM SAÍDA/ NOITE Cris estaciona o carro com violência. Bia se assusta. Cris sai do carro. Você se acha auto-suficiente, né? Egoísta! Me fez de palhaça o dia inteiro. (encara Bia que continua calada) Não tem nada pra dizer? Hã! Sabia! Fica aí no seu mundinho, onde só você é importante! Os outros que se danem, não? Não vai responder? Lógico que não! (O celular da Cris começa a tocar) Inferno! (vai até o carro, pega o celular, desliga e joga com violência dentro do carro e esmurra o carro) Droga! Droga! Pro inferno, tudo! E você? Vai ficar calada? Claro que sim! A "sabe tudo" não é obrigada a dividir sua vida comigo né? (grita) Pro inferno, você e sua vida! Cris vai para o carro e sai rapidamente. Bia permanece ali.

23 71 - EXT. /RUA SEM SAÍDA/ DIA -- Amanhece, Bia está no mesmo lugar INT. / QUARTO DA PENSÃO / NOITE Bia entra no quarto e encontra Cris sentada na cama, chorando. Não consegui ir para casa... O que aconteceu, Bia? Qual foi o resultado? Bia joga a bolsa no chão. Senta-se ao lado de Cris e a abraça. As duas choram desesperadas, o choro vai acalmando. O abraço vai se transformando em aconchego, os rostos começam a se roçar. Elas se beijam. Deixa eu cuidar de você? (Bia continua muda) Por que essa resistência? Eu preciso ficar sozinha. Não é assim que eu quero você. Não para cuidar de uma defunta em potencial. Você entendeu o que quis dizer... (silêncio de Bia) Por favor... Não faz assim... Preciso ficar sozinha. Se eu melhorar, se tudo correr bem... Eu te procuro. (ri ironicamente) Você me procura. Sei... Quando "você" decidir, "você" querer. Ok... Quando "você" quiser, será tarde demais. Ou pensa que tudo isso é fácil pra mim? Hem? Minha família, minha profissão? O preconceito que eu teria de sofrer com nossa história. Não tô te pedindo sacrifício nenhum, não percebeu? Aliás, estou te livrando de tudo isso! Não quero que "sofra" nada por mim. Aliás, não há "nossa história". Como queira, Bianca! Permaneça aí... no seu altar cheio de egoísmo! Cris levanta-se, Bia segura sua mão, mas Cris, sem olhar para ela, tira a mão e sai do quarto.

24 74 - EXT. IBIRAPUERA/TARDE Bia sentada no Ibirapuera, olhando o celular INT. QUARTO DE /TARDE Cris está olhando pela janela. Chove. Toca seu telefone na cama, ela olha para ele e não pega. retorna a fixar o olhar pela janela, o telefone toca até parar. (silêncio). Toca novamente o telefone. Cris atende. Alô. (off) Posso falar com você? Tô ocupada. Outro dia nos falamos. (off) Pára com isso INT. QUARTO DA PENSÃO/TARDE... preciso falar com você... (off) Pensasse nisso antes de me dispensar. Eu não te dispensei! 77 - INT. QUARTO DE /TARDE Por favor. Quem precisa ficar sozinha agora sou eu INT. QUARTO DA PENSÃO/TARDE (visivelmente abalada) Ok INT. QUARTO DE /TARDE Ok... Tchau. (desliga o telefone e chora) 80 - EXT. CALÇADA/TARDE-CHOVE Cris sai do consultório do analista, está chovendo. Quando pisa na calçada, depara-se com Bia. Fala comigo?

25 Deu pra perseguir as pessoas agora? É. Agora que sei que vou morrer, vivo radicalmente. Cris começa a andar. Bia começa a caminhar atrás. Fala comigo... Você não vai morrer, não se morre de câncer de mama hoje em dia. De mais a mais, por que eu falaria com alguém que só fala comigo quando quer? E para de ser ridícula e entra embaixo do guarda-chuva. Vai ficar doente assim... (não vai para baixo do guarda-chuva) Já estou doente. Esqueceu? Aparentemente pareço ser uma pessoa saudável, mas me dê mais duas ou três semana e visivelmente vai me ver morrendo... Oh! Que pena de você! Vai... vamos conversar. Não me deu nenhum argumento convincente para fazer isso. Porque eu preciso falar com você. Porque há uma coisa me corroendo por dentro que dói mais que o câncer. (lança-se na frente de Cris, que pára bruscamente)porque sinto sua falta. Porque depois de você eu sei o que é sentir solidão. (Cris fica atônita) Porque eu... Eu... amo você INT. QUARTO DA PENSÃO/TARDE Cris e Bia entram bruscamente no quarto e batem a porta. Bia recostada na parede e Cris poucos centímetros de sua frente. DONA IDIOTILDE (off) Cambada de animal! Vão me pagar uma porta nova! (grita) Carcomida! (Bia faz sinal de silêncio para Cris,

26 as duas riem) "shiiii" As duas se beijam e vão para cama. Se amam INT. QUARTO DA PENSÃO/TARDE As duas deitadas na cama. E o tratamento? Tudo sobre controle. (Cris seriamente em silêncio, Bia com cara de patife) Tá... vou falar sério. Ok... Decidi voltar para São José morar com meus pais. Vou vir a São Paulo toda semana para o tratamento. Quando você vai? Depois de amanhã? O quê? Você fez isso então premeditado? Não! Calma. Eu vou ficar por lá. Já pedi as contas do seu Eugenio. Não posso me sustentar aqui, nem tenho condições de trabalhar! Vou vir toda semana. E vamos nos ver? Claro. Seu pai vem te buscar? Não. Vou de ônibus. Deixa eu te levar, então. Não precisa. Você e o seu não precisa. Até a rodoviária ao menos? Tá...

27 Já que você viaja depois de amanhã... me deixa te fazer uma surpresa hoje? O que você vai aprontar? Confia? Bia faz cara de que não está entendendo INT. CARRO/NOITE O meu lugar... Sim o seu lugar! 84 - EXT. RUA SEM SAÍDA/NOITE Cris e Bia saem do carro. Cris pega na mão de Bia e a leva até a calçada. Depois ela volta no carro, liga os faróis e pega o violino, senta-se no capô do carro. Nosso lugar, agora! Fecha os olhos. Cris, que viagem é essa? (ri) Tá... fechei (fecha os olhos) Cris toca a música que tocou a primeira vez que viu Bia. Cris segura o choro e continua tocando mesmo com lágrimas caindo. Bia também. chora INT. QUARTO DA PENSÃO/DIA Cris e Bia terminam de arrumar as malas dela para viagem. colocam-nas no chão e se sentam na cama. Se abraçam. Vou sentir tanto sua falta... Eu também... Vou dormir aqui hoje. Assim, amanhã nós vamos daqui mesmo... Não precisa... (toca o celular da Cris) Ê... mãe! já não disse que vou dormir aqui (Bia faz sinal que não) Afff... amanhã eu vou pra casa depois que levar a Bia na rodoviária. (Bia

28 As duas se beijam. insiste em gestos para Cris ouvi-la) Tá... espera um minuto que já te ligo. Beijo. (desliga o telefone) hei! que foi? Pode ir para casa. Amanhã você vem para cá. (faz cara de desaprovação) Tá... Liga pra ela e diz que daqui três horas você vai pra casa... (Cris disca no celular) Oi mãe... eu vou pra casa... mas, daqui umas quatro horas tá??? Uhum... Té... Beijo (desliga) Será que eu agüento ficar longe de você? (olhando nos olhos da Cris) Eu sempre estarei perto de você. Sempre EXT. CARRO Não quer meu sempre? Quero. Ainda que seu sempre seja apenas hoje. (se beijam novamente e depois se abraçam) Transição da noite para o amanhecer. Começa a mesma música do passeio que fizeram pela cidade INT. CARRO/DIA (música) Cris dirigindo. (off)mas, que raio nos acontece? Por que essa angústia? 88 - INT. QUARTO DA PENSÃO/DIA (música) Bia coloca, dentro de uma caixa o vestido que usou na festa.

29 89 - INT. CARRO/DIA (off)... essa vontade de chorar, contraída, jogada no baú do equilíbrio... (música) Cris estacionando o carro. (off)...daquilo que pensamos estar sobre controle... 9O - INT. QUARTO DA PENSÃO/DIA (música) Bia coloca, dentro da caixa a muda do bonsai. (off) Mas, que raio há com a gente? 91 - INT. QUARTO DA PENSÃO/DIA (música) Cris entra e o quarto está vazio com uma caixa em cima da cama. (off)...que racionaliza os sentimentos e cobra sentimentalismo INT. QUARTO DA PENSÃO/DIA (música) Bia coloca, dentro da caixa uma foto. (off) Daqueles que nos têm no pensamento INT. ÔNIBUS/DIA Bia olhando pela janela do ônibus. (off)... Eu... até tentei... Mas, não deu FLASH BACK INT./TERRAÇO ITÁLIA/ANOITECER As duas se olhando. (off)... sou covarde o bastante para desistir. Desse raio! 95 - INT. QUARTO DA PENSÃO/DIA (música) Bia dobra uma carta e coloca dentro caixa. (off)... fujo da dor, de você...

30 dessa doença e de mim INT. QUARTO DE /DIA (música) Chove e Cris lê uma carta, chorando. (off)... corro pra dentro do meu dentro. Tranco-me no meu mais profundo abismo INT. QUARTO DA PENSÃO/DIA (música) Bia olha seu celular e o coloca dentro caixa. (off)... e lá fora... te escondo dentro desse meu dentro FLASHBACK INT. / QUARTO DA PENSÃO / NOITE Bia & Cris, no primeiro beijo. (off)... e você, sempre será eu mesma pelo meu avesso FLASHBACK EXT./PRAÇA DO CORREIO/DIA As duas tirando foto fazendo caretas, nas estátuas da praça....no lado direito de mim INT. QUARTO DE /DIA (música) Chove e Cris coloca a muda de bonsai no parapeito da janela. Com você eu deixo, meus limites e o meu infinito. Ainda nos encontraremos INT. QUARTO DE /DIA (música) Chove e Cris dobra a carta e continua com o olhar perdido na chuva.... Dentro do meu sempre, ainda que meu sempre seja hoje. De quem te ama EXT. CARRO /DIA

31 Cri passa por uma placa São José do Rio Pardo... Que te amará sempre. Afinal, o que amo hoje é sempre. SOBEM OS CRÉDITOS

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque Fantasmas da noite Uma peça de Hayaldo Copque Peça encenada dentro de um automóvel na Praça Roosevelt, em São Paulo-SP, nos dias 11 e 12 de novembro de 2011, no projeto AutoPeças, das Satyrianas. Direção:

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Autora: Tell Aragão Personagens: Carol (faz só uma participação rápida no começo e no final da peça) Mãe - (só uma voz ela não aparece) Gigi personagem

Leia mais

FUGA de Beatriz Berbert

FUGA de Beatriz Berbert FUGA de Beatriz Berbert Copyright Beatriz Berbert Todos os direitos reservados juventudecabofrio@gmail.com Os 13 Filmes 1 FUGA FADE IN: CENA 1 PISCINA DO CONDOMÍNIO ENTARDECER Menina caminha sobre a borda

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta

MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta Copyright Betina Toledo e Thuany Motta Todos os direitos reservados juventudecabofrio@gmail.com Os 13 Filmes 1 MERGULHO FADE IN: CENA 1 PRAIA DIA Fotografia de

Leia mais

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar 1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar nosso amor 4. Porque a gente discute nossos problemas

Leia mais

DIANA + 3. Roteiro de Henry Grazinoli

DIANA + 3. Roteiro de Henry Grazinoli DIANA + 3 Roteiro de Henry Grazinoli EXT. CALÇADA DO PORTINHO DIA Sombra de Pablo e Dino caminhando pela calçada do portinho de Cabo Frio. A calçada típica da cidade, com suas ondinhas e peixes desenhados.

Leia mais

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série.

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. EE Bento Pereira da Rocha HISTÓRIA DE SÃO PAULO Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. História 1 CENA1 Mônica chega

Leia mais

Efêmera (título provisório) Por. Ana Julia Travia e Mari Brecht

Efêmera (título provisório) Por. Ana Julia Travia e Mari Brecht Efêmera (título provisório) Por Ana Julia Travia e Mari Brecht anaju.travia@gmail.com mari.brecht@gmail.com INT. SALA DE - DIA. VÍDEO DE Números no canto da tela: 00 horas Vídeo na TV., 22, com seus cabelos

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com

QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com Antônio, Sara, Vânia e César. Sala da casa de Antônio e Sara. 1 Um longo silêncio. ANTÔNIO. Vai me deixar falando sozinho? Sara o fita e fica

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

INTERTÍTULO: DIANA + 1 FADE IN EXT. PRAIA/BEIRA MAR DIA

INTERTÍTULO: DIANA + 1 FADE IN EXT. PRAIA/BEIRA MAR DIA DIANA + 3 INTERTÍTULO: DIANA + 1 FADE IN EXT. PRAIA/BEIRA MAR DIA Pablo, rapaz gordinho, 20 anos, está sentado na areia da praia ao lado de Dino, magrinho, de óculos, 18 anos. Pablo tem um violão no colo.

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Escola Municipal de Ensino Fundamental David Canabarro Florianópolis, 3892 Mathias Velho/Canoas Fone: 34561876/emef.davidcanabarro@gmail.com DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nome: Stefani do Prado Guimarães Ano

Leia mais

O Convite. Roteiro de Glausirée Dettman de Araujo e. Gisele Christine Cassini Silva

O Convite. Roteiro de Glausirée Dettman de Araujo e. Gisele Christine Cassini Silva O Convite Roteiro de Glausirée Dettman de Araujo e Gisele Christine Cassini Silva FADE OUT PARA: Int./Loja de sapatos/dia Uma loja de sapatos ampla, com vitrines bem elaboradas., UMA SENHORA DE MEIA IDADE,

Leia mais

Roteiro para curta-metragem. Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO

Roteiro para curta-metragem. Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO Roteiro para curta-metragem Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO SINOPSE Sérgio e Gusthavo se tornam inimigos depois de um mal entendido entre eles. Sérgio

Leia mais

ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE? um roteiro. Fábio da Silva. 15/03/2010 até 08/04/2010

ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE? um roteiro. Fábio da Silva. 15/03/2010 até 08/04/2010 ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE? um roteiro de Fábio da Silva 15/03/2010 até 08/04/2010 Copyright 2010 by Fábio da Silva Todos os direitos reservados silver_mota@yahoo.com.br 2. ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE?

Leia mais

INVERNO Um roteiro de Mikael Santiago 25/05/2009

INVERNO Um roteiro de Mikael Santiago 25/05/2009 INVERNO Um roteiro de Mikael Santiago 25/05/2009 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS COPYRIGHT MIKAEL SANTIAGO mikael@mvirtual.com.br RUA ITUVERAVA, 651/305 JACAREPAGUÁ RIO DE JANEIRO - RJ (21)9879-4890 (21)3186-5801

Leia mais

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos Lição 3: Alegria LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos RESUMO BÍBLICO Gálatas 5:23; Gálatas 6:1; 2 Timóteo 2:25; Tito 3; 1 Pedro 3:16 Como seres humanos estamos sempre à mercê de situações sobre

Leia mais

TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA. (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico)

TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA. (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico) TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico) Januária setembro/2011 CENÁRIO: Livre, aberto, porém, deve se haver por opção uma cadeira, uma toalha e uma escova

Leia mais

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento Eu e umas amigas íamos viajar. Um dia antes dessa viagem convidei minhas amigas para dormir na minha casa. Nós íamos para uma floresta que aparentava ser a floresta do Slender-Man mas ninguém acreditava

Leia mais

- Se for pra mim, eu não estou. - Ah. Oi... Está sim. Espera um minutinho.

- Se for pra mim, eu não estou. - Ah. Oi... Está sim. Espera um minutinho. 1 AMAR... dir: Carlos Gregório CASA DE LAURA... - Você não vai dizer nada? - O que você quer que eu diga? - Qualquer coisa. - Olha,... Não foi tão importante pra mim... - Não... foi!!? - É... É isso mesmo.

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME CENA 1. HOSPITAL. QUARTO DE. INTERIOR. NOITE Fernanda está dormindo. Seus pulsos estão enfaixados. Uma enfermeira entra,

Leia mais

Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho

Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho Não saia de seu Caminho! Sinopse: Uma Menina, indo atrasada da casa da avó para a escola. No caminho seu ônibus quebra e ela tem que tomar um caminho alternativo, onde encontra com um sujeito estranho.

Leia mais

HISTÓRIA DE LINS. - Nossa que cara é essa? Parece que ficou acordada a noite toda? Confessa, ficou no face a noite inteira?

HISTÓRIA DE LINS. - Nossa que cara é essa? Parece que ficou acordada a noite toda? Confessa, ficou no face a noite inteira? HISTÓRIA DE LINS EE PROF.PE. EDUARDO R. de CARVALHO Alunos: Maria Luana Lino da Silva Rafaela Alves de Almeida Estefanny Mayra S. Pereira Agnes K. Bernardes História 1 Unidas Venceremos É a história de

Leia mais

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Autora: Tell Aragão Personagens: Voz - não aparece mendigo/pessoa Nervosa/Ladrão faz os três personagens Menina 1 Menina 2 Voz: Era uma vez, duas irmãs que ganharam dois

Leia mais

Criado por Mario Madureira

Criado por Mario Madureira Criado por Mario Madureira Ep. #: 108 Meninas Grandes Não Choram Escrito por Mario Madureira e Karina Bittencourt 28 de agosto de 2015 São Paulo, Brasil 1 ATO UM Anteriormente em Estrada das Lágrimas.

Leia mais

Titulo - VENENO. Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas).

Titulo - VENENO. Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas). Titulo - VENENO Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas). Corta para dentro de um apartamento (O apartamento é bem mobiliado. Estofados

Leia mais

A Última Carta. Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead)

A Última Carta. Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead) A Última Carta Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead) E la foi a melhor coisa que já me aconteceu, não quero sentir falta disso. Desse momento. Dela. Ela é a única que

Leia mais

JANELA SOBRE O SONHO

JANELA SOBRE O SONHO JANELA SOBRE O SONHO um roteiro de Rodrigo Robleño Copyright by Rodrigo Robleño Todos os direitos reservados E-mail: rodrigo@robleno.eu PERSONAGENS (Por ordem de aparição) Alice (já idosa). Alice menina(com

Leia mais

O Menino do futuro. Dhiogo José Caetano Uruana, Goiás Início da história

O Menino do futuro. Dhiogo José Caetano Uruana, Goiás Início da história O Menino do futuro Dhiogo José Caetano Uruana, Goiás Início da história Tudo começa em uma cidade pequena do interior de Goiás, com o nome de Uruana. Havia um garoto chamado Dhiogo San Diego, um pequeno

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

Qual o Sentido do Natal?

Qual o Sentido do Natal? Qual o Sentido do Natal? Por Sulamita Ricardo Personagens: José- Maria- Rei1- Rei2- Rei3- Pastor 1- Pastor 2- Pastor 3-1ª Cena Uma música de natal toca Os personagens entram. Primeiro entram José e Maria

Leia mais

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO.

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. Roteiro de Telenovela Brasileira Central de Produção CAPÍTULO 007 O BEM OU O MAL? Uma novela de MHS. PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. AGENOR ALBERTO FERNANDO GABRIELE JORGE MARIA CLARA MARIA CAMILLA MARÍLIA

Leia mais

MARIANA: Fátima? Você tem certeza que seu pai vai gostar? Ele é meio careta, apesar de que é uma linda homenagem.

MARIANA: Fátima? Você tem certeza que seu pai vai gostar? Ele é meio careta, apesar de que é uma linda homenagem. Pais e filhos 1º cena: música ambiente (início da música pais e filhos legião urbana - duas pessoas entram com um mural e começam a confeccionar com frases para o aniversário do pai de uma delas (Fátima),

Leia mais

Os dois foram entrando e ROSE foi contando mais um pouco da história e EDUARDO anotando tudo no caderno.

Os dois foram entrando e ROSE foi contando mais um pouco da história e EDUARDO anotando tudo no caderno. Meu lugar,minha história. Cena 01- Exterior- Na rua /Dia Eduardo desce do ônibus com sua mala. Vai em direção a Rose que está parada. Olá, meu nome é Rose sou a guia o ajudara no seu projeto de história.

Leia mais

Ato Único (peça em um ato)

Ato Único (peça em um ato) A to Ú nico Gil V icente Tavares 1 Ato Único (peça em um ato) de Gil Vicente Tavares Salvador, 18 de agosto de 1997 A to Ú nico Gil V icente Tavares 2 Personagens: Mulher A Mulher B Minha loucura, outros

Leia mais

QUARTO VAZIO. 4º tratamento 3.09.2012

QUARTO VAZIO. 4º tratamento 3.09.2012 QUARTO VAZIO 4º tratamento 3.09.2012 Escrito por Filipe Matzembacher, João Gabriel de Queiroz e Marcio Reolon 1 CENA 1 BANHEIRO INT/ DIA Preto. Ouvimos o barulho de uma máquina de cortar cabelo. Vemos

Leia mais

Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44)

Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44) Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44) Autora: Tell Aragão Colaboração: Marise Lins Personagens Menina Zé Bonitinho +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Leia mais

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br Alô, alô Quero falar com o Marcelo. Momento. Alô. Quem é? Marcelo. Escuta aqui. Eu só vou falar uma vez. A Adriana é minha. Vê se tira o bico de cima dela. Adriana? Que Adriana? Não se faça de cretino.

Leia mais

MEUS 20 ANOS. Por. André Helal e Claudio Feitosa

MEUS 20 ANOS. Por. André Helal e Claudio Feitosa MEUS 20 ANOS Por André Helal e Claudio Feitosa Copyright 2014 All rights reserved andrehelal@globo.com claudio_feitosa@hotmail.com.br 1 INT. CASA DE E /QUARTO DE - TARDE Folhas, cadernos e livros estão

Leia mais

UM SOL ALARANJADO. Roteiro de Eduardo Valente, a partir de argumento e com a colaboração de Rubio Campos. SEQUÊNCIA 1 - INTERIOR - DIA QUARTO

UM SOL ALARANJADO. Roteiro de Eduardo Valente, a partir de argumento e com a colaboração de Rubio Campos. SEQUÊNCIA 1 - INTERIOR - DIA QUARTO SEQUÊNCIA 1 - INTERIOR - DIA UM SOL ALARANJADO Roteiro de Eduardo Valente, a partir de argumento e com a colaboração de Rubio Campos. Por uma janela, vemos o sol nascendo ao fundo de uma série de casas

Leia mais

WebNovela Ligadas pelo Coração Capítulo 21

WebNovela Ligadas pelo Coração Capítulo 21 WebNovela Ligadas pelo Coração Capítulo 21 Cena 17 Jardim da casa dos Di Biasi/ Dia/ Externa O noivo já está no altar junto com os padrinhos e seus pais. Eis que a marcha nupcial toca e lá do fundo do

Leia mais

Eu, Você, Todos Pela Educação

Eu, Você, Todos Pela Educação Eu, Você, Todos Pela Educação Um domingo de outono típico em casa: eu, meu marido, nosso filho e meus pais nos visitando para almoçar. Já no final da manhã estava na sala lendo um livro para tentar relaxar

Leia mais

Roteiro para curta-metragem. Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM

Roteiro para curta-metragem. Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM Roteiro para curta-metragem Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM SINOPSE José é viciado em drogas tornando sua mãe infeliz. O vício torna José violento, até que

Leia mais

UM SOL ALARANJADO. Vemos de cima uma pequena vila de subúrbio com suas casas baixas. Amanhece, e pessoas começam a sair das casas.

UM SOL ALARANJADO. Vemos de cima uma pequena vila de subúrbio com suas casas baixas. Amanhece, e pessoas começam a sair das casas. SEQUÊNCIA 1 - EXTERIOR - DIA VILA UM SOL ALARANJADO Roteiro de Eduardo Valente, a partir de argumento e com a colaboração de Rubio Campos. Vemos de cima uma pequena vila de subúrbio com suas casas baixas.

Leia mais

"ATIROU PARA MATAR" Um roteiro de. Nuno Balducci (6º TRATAMENTO)

ATIROU PARA MATAR Um roteiro de. Nuno Balducci (6º TRATAMENTO) "ATIROU PARA MATAR" Um roteiro de Nuno Balducci (6º TRATAMENTO) Copyright 2013 de Nuno Balducci Todos os direitos reservados. balducci.vu@gmail.com (82) 96669831 1 INT. DIA. LANCHONETE CHINESA Uma GAROTA

Leia mais

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada.

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Cláudia Barral (A sala é bastante comum, apenas um detalhe a difere de outras salas de apartamentos que se costuma ver ordinariamente: a presença de uma câmera de vídeo

Leia mais

A DOMÉSTICA (FILME CURTA) Final 2

A DOMÉSTICA (FILME CURTA) Final 2 A DOMÉSTICA (FILME CURTA) Final 2 Roteiro de Alcir Nicolau Pereira Versão de NOVEMBRO DE 2012. 1 A DOMÉSTICA (FILME-CURTA) --------------------------------------------------------------- PERSONAGENS Empregada

Leia mais

O Coração Sujo. Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse? Tuca Parece cheiro de gambá morto afogado no esgoto.

O Coração Sujo. Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse? Tuca Parece cheiro de gambá morto afogado no esgoto. O Coração Sujo Personagens - Tuca - Teco - Tatá - Tia Tuca e Tatá estão conversando. Teco chega. Teco Oi, meninas, sobre o que vocês estão falando? Tuca Estávamos falando sobre... hm, que cheiro é esse?

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

ANTES DE OUVIR A VERDADE. Plano fechado em uma mão masculina segurando um revólver.

ANTES DE OUVIR A VERDADE. Plano fechado em uma mão masculina segurando um revólver. ANTES DE OUVIR A VERDADE FADE IN: CENA 01 - INT. SALA DE ESTAR NOITE Plano fechado em uma mão masculina segurando um revólver. Plano aberto revelando o revólver nas mãos de, um homem de 35 anos, pele clara

Leia mais

BRINCADEIRA. por. Vinícius Bernardes

BRINCADEIRA. por. Vinícius Bernardes BRINCADEIRA por Vinícius Bernardes baseado na crônica "Brincadeira" de Luís Fernando Veríssimo oliverplentz@gmail.com Copyright (c) 2015 This screenplay may not be used or reproduced without the express

Leia mais

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe?

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Trecho do romance Caleidoscópio Capítulo cinco. 05 de novembro de 2012. - Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Caçulinha olha para mim e precisa fazer muita força para isso,

Leia mais

CANTIGA DE NINAR SLEEPING SONGS

CANTIGA DE NINAR SLEEPING SONGS CANTIGA DE NINAR SLEEPING SONGS Glória Magalhães 1 RESUMO: "Cantiga de ninar" é um monólogo que fala da relação mãe e filha tendo como ponto de vista a posição da mãe. Durante a peça a personagem principal

Leia mais

ALICE DIZ ADEUS 4º TRATAMENTO* Escrito e dirigido por. Simone Teider

ALICE DIZ ADEUS 4º TRATAMENTO* Escrito e dirigido por. Simone Teider DIZ ADEUS 4º TRATAMENTO* Escrito e dirigido por Simone Teider SEQUENCIA 1 Uma mulher, (46), está sentada num sofá vendo TV e lixando as unhas. Ela veste um vestido florido e um brinco grande. (16), de

Leia mais

O Menino do Futuro. Dhiogo José Caetano

O Menino do Futuro. Dhiogo José Caetano O Menino do Futuro Dhiogo José Caetano 1 Início da história Tudo começa em uma cidade pequena do interior de Goiás, com o nome de Uruana. Havia um garoto chamado Dhiogo San Diego, um pequeno inventor que

Leia mais

PEDRA NO RIM. Por ABRAÃO AGUIAR BAÊTA. Feito de 05/05/2010 a 08/05/2010

PEDRA NO RIM. Por ABRAÃO AGUIAR BAÊTA. Feito de 05/05/2010 a 08/05/2010 PEDRA NO RIM Por ABRAÃO AGUIAR BAÊTA Feito de 05/05/2010 a 08/05/2010 E-mails: baeta99@hotmail.com abraaoab@globo.com Telefones: (21) 7576-6771 HOMEM: tem aproximadamente trinta anos, bonito, atraente,

Leia mais

Belo reparo. capítulo um. No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas. Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor

Belo reparo. capítulo um. No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas. Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor capítulo um Belo reparo Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas preciosas com ouro. O resultado é uma peça que nitidamente foi quebrada,

Leia mais

PORQUE É QUE NÃO DANÇAM?

PORQUE É QUE NÃO DANÇAM? PORQUE É QUE NÃO DANÇAM? Na cozinha, ele serviu se de mais uma bebida e olhou para a mobília de quarto de cama que estava no pátio da frente. O colchão estava a descoberto e os lençóis às riscas estavam

Leia mais

Só que tem uma diferença...

Só que tem uma diferença... Só que tem uma diferença... Isso não vai ficar assim! Sei. Vai piorar. Vai piorar para o lado dela, isso é que vai! Por enquanto, só piorou para o seu, maninho. Pare de me chamar de maninho, Tadeu. Você

Leia mais

www.rockstarsocial.com.br

www.rockstarsocial.com.br 1 1 Todos os Direitos Reservados 2013 Todas As Fotos Usadas Aqui São Apenas Para Descrição. A Cópia Ou Distribuição Do Contéudo Deste Livro É Totalmente Proibida Sem Autorização Prévia Do Autor. AUTOR

Leia mais

A BOLINHA. por RODRIGO FERRARI. Versão finalíssima

A BOLINHA. por RODRIGO FERRARI. Versão finalíssima A BOLINHA por RODRIGO FERRARI Versão finalíssima rodrigoferrari@gmail.com (21) 9697.0419 Do lado direito do palco, CLÁUDIA está sentada numa cadeira. Ela segura um teste de gravidez. Ela abre a caixa e

Leia mais

Central de Produção Capítulo 002 FOGO E GASOLINA. Novela de Otávio Sarti. Escrita por Otávio Sarti

Central de Produção Capítulo 002 FOGO E GASOLINA. Novela de Otávio Sarti. Escrita por Otávio Sarti Roteiro de Telenovela Brasileira Central de Produção Capítulo 002 FOGO E GASOLINA Novela de Otávio Sarti Escrita por Otávio Sarti Direção Marcos Schechtman, Fred Mayrink, Paulo Silvestrini, Gustavo Fernandez

Leia mais

Historinhas para ler durante a audiência dos pais. Pio Giovani Dresch

Historinhas para ler durante a audiência dos pais. Pio Giovani Dresch Historinhas para ler durante a audiência dos pais Pio Giovani Dresch Historinhas para ler durante a audiência dos pais Pio Giovani Dresch Ilustrações: Santiago Arte: www.espartadesign.com.br Contatos

Leia mais

SARAMAU. Carolina Pereira Rodrigues e Milena da Silva

SARAMAU. Carolina Pereira Rodrigues e Milena da Silva SARAMAU Carolina Pereira Rodrigues e Milena da Silva CENA 1 Saramau entra no palco leve e com um ar de alegria e paz. ela acaba de compreender que ama de verdade José o seu marido. Ela entra chamando pelo

Leia mais

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação...

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação... Sumário Agradecimentos... 7 Introdução... 9 1 - Um menino fora do seu tempo... 13 2 - O bom atraso e o vestido rosa... 23 3 - O pequeno grande amigo... 35 4 - A vingança... 47 5 - O fim da dor... 55 6

Leia mais

O LAVA JATO MACABRO. Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA

O LAVA JATO MACABRO. Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA O LAVA JATO MACABRO Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA Rua alameda dom Pedro II n 718 Venda da cruz São Gonçalo. e-mail:jfigueiredo759@gmail.com TEL: (21)92303033 EXT.LAGE DA CASA.DIA Renam está sentado na

Leia mais

Olga, imigrante de leste, é empregada nessa casa. Está vestida com um uniforme de doméstica. Tem um ar atrapalhado e está nervosa.

Olga, imigrante de leste, é empregada nessa casa. Está vestida com um uniforme de doméstica. Tem um ar atrapalhado e está nervosa. A Criada Russa Sandra Pinheiro Interior. Noite. Uma sala de uma casa de família elegantemente decorada. Um sofá ao centro, virado para a boca de cena. Por detrás do sofá umas escadas que conduzem ao andar

Leia mais

INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA

INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA Carolina e, acompanhados de, estão na biblioteca, no mesmo lugar em que o segundo episódio se encerrou.os jovens estão atrás do balcão da biblioteca,

Leia mais

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar CATEGORIAS OBJECTIVOS ESPECÍFICOS S. C. Sim, porque vou para a beira de um amigo, o Y. P5/E1/UR1 Vou jogar à bola, vou aprender coisas. E,

Leia mais

Super.indd 5 6/1/2010 17:05:16

Super.indd 5 6/1/2010 17:05:16 Super é o meu primeiro livro escrito inteiramente em São Paulo, minha nova cidade. A ela e às fantásticas pessoas que nela vivem, o meu enorme obrigado. E esse livro, como toda ficção, tem muito de realidade.

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

Marcos Tolentino revela como se tornou o presidente da Rede Brasil de Televisão - RBTV

Marcos Tolentino revela como se tornou o presidente da Rede Brasil de Televisão - RBTV DINO - Divulgador de Notícias Marcos Tolentino revela como se tornou o presidente da Rede Brasil de Televisão - RBTV Marcos Tolentino conta sua trajetória e revela como o filho de um vendedor de carros

Leia mais

Criado por Mario Madureira

Criado por Mario Madureira Criado por Mario Madureira Ep. #: 106 Deixa Ele Entrar Escrito por Mario Madureira 14 de agosto de 2015 São Paulo, Brasil. 1 ATO UM Anteriormente em Estrada das Lágrimas. promete a TOMAS que contaria aos

Leia mais

MALDITO. de Kelly Furlanetto Soares. Peça escritadurante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR.Teatro Guaíra, no ano de 2012.

MALDITO. de Kelly Furlanetto Soares. Peça escritadurante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR.Teatro Guaíra, no ano de 2012. MALDITO de Kelly Furlanetto Soares Peça escritadurante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR.Teatro Guaíra, no ano de 2012. 1 Em uma praça ao lado de uma universidade está sentado um pai a

Leia mais

Este testemunho é muito importante para os Jovens.

Este testemunho é muito importante para os Jovens. Este testemunho é muito importante para os Jovens. Eu sempre digo que me converti na 1ª viagem missionária que fiz, porque eu tinha 14 anos e fui com os meus pais. E nós não tínhamos opção, como é o pai

Leia mais

Ideionildo. E a Chave Azul. Pelo Espírito Vovó Amália. Robson Dias

Ideionildo. E a Chave Azul. Pelo Espírito Vovó Amália. Robson Dias Ideionildo E a Chave Azul Robson Dias Pelo Espírito Vovó Amália Livrinho da Série - As Histórias Que a Vovó Gosta de Contar (http:\www.vovoamalia.ubbi.com.br - Distribuição Gratuita) - A venda deste produto

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

Alguma vez você já se viu em alguma situação assim embaraçosa?

Alguma vez você já se viu em alguma situação assim embaraçosa? Primeiro eu gostaria de saber.. eh se você tem namorado? Namorado, tenho não. Já tive muito mais agora faz treis meses que eu moro com um rapaz é um argentino qui qui primeiro quando eu conheci estava

Leia mais

Solidão PROCURA-SE MULHER PROCURA-SE MULHER

Solidão PROCURA-SE MULHER PROCURA-SE MULHER Edna estava caminhando pela rua com sua sacola de compras quando passou pelo carro. Havia um cartaz na janela lateral: Ela parou. Havia um grande pedaço de papelão grudado na janela com alguma substância.

Leia mais

Três Marias Teatro. Noite (Peça Curta) Autor: Harold Pinter

Três Marias Teatro. Noite (Peça Curta) Autor: Harold Pinter Distribuição digital, não-comercial. 1 Três Marias Teatro Noite (Peça Curta) Autor: Harold Pinter O uso comercial desta obra está sujeito a direitos autorais. Verifique com os detentores dos direitos da

Leia mais

Vamos falar de amor? Amornizando!

Vamos falar de amor? Amornizando! Vamos falar de amor? Amornizando! Personagens 1) Neide Tymus (Regente); 2) Sérgio Tymus (Marido Neide); 3) Nelida (Filha da Neide); 4) Primeiro Coralista; 5) Segundo Coralista; 6) Terceiro Coralista; 7)

Leia mais

- Mas eu, gosto. Feliz aniversário! Luis já estava com uma nova namorada, e Cecília já estava pensando em ir embora, quando encontrou Nilo.

- Mas eu, gosto. Feliz aniversário! Luis já estava com uma nova namorada, e Cecília já estava pensando em ir embora, quando encontrou Nilo. NILO Esta história que vou lhes contar é sobre paixões. A paixão acontece, não se sabe quando nem porquê, e não podemos escolher os protagonistas da história. Seria tão bom se mandássemos no coração! Mas

Leia mais

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23.

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23. Tema: DEUS CUIDA DE MIM. Texto: Salmos 23:1-6 Introdução: Eu estava pesando, Deus um salmo tão poderoso até quem não está nem ai prá Deus conhece uns dos versículos, mas poderosos da bíblia e o Salmo 23,

Leia mais

Poder Invisível Use sua mente a seu favor!

Poder Invisível Use sua mente a seu favor! Poder Invisível Use sua mente a seu favor! Lucyana Mutarelli Poder Invisível Use sua mente a seu favor! 1 Edição Abril de 2013 "Concentre-se naquilo que tem na sua vida e terá sempre mais. Concentre-se

Leia mais

início contos e poemas que não deveriam ser esquecidos na gaveta Mariana Pimenta

início contos e poemas que não deveriam ser esquecidos na gaveta Mariana Pimenta início contos e poemas que não deveriam ser esquecidos na gaveta Mariana Pimenta Início contos e poemas que não deveriam ser esquecidos na gaveta Mariana Pimenta Lagoa Santa, 2015 Mariana Pimenta 2015

Leia mais

RECADO AOS PROFESSORES

RECADO AOS PROFESSORES RECADO AOS PROFESSORES Caro professor, As aulas deste caderno não têm ano definido. Cabe a você decidir qual ano pode assimilar cada aula. Elas são fáceis, simples e às vezes os assuntos podem ser banais

Leia mais

ROTEIRO: O LUGAR ONDE EU VIVO

ROTEIRO: O LUGAR ONDE EU VIVO ROTEIRO: O LUGAR ONDE EU VIVO Ideia: Produção realizada a partir de um fato marcante e em algumas situações ocorre a mesclagem entre narrações e demonstrações de cenas. Personagens: A filha da doméstica

Leia mais

Facilitando a criação e distribuição de conteúdos, a SaferNet Brasil licencia seus materiais de forma aberta através do Creative Commons.

Facilitando a criação e distribuição de conteúdos, a SaferNet Brasil licencia seus materiais de forma aberta através do Creative Commons. Olá, você esta acessando um dos materiais vencedores no concurso InternÉtica 2011, realizado pela SaferNet Brasil e o Instituto Childhood Brasil. Facilitando a criação e distribuição de conteúdos, a SaferNet

Leia mais

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares BOLA NA CESTA Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares 25/04/2012 SINOPSE Essa é a história de Marlon Almeida. Um adolescente que tem um pai envolvido com a criminalidade. Sua salvação está no esporte.

Leia mais

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal.

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal. -...eu nem te conto! - Conta, vai, conta! - Está bem! Mas você promete não contar para mais ninguém? - Prometo. Juro que não conto! Se eu contar quero morrer sequinha na mesma hora... - Não precisa exagerar!

Leia mais

RIO DE JANEIRO. Edição do Autor. O conteúdo desta obra é de

RIO DE JANEIRO. Edição do Autor. O conteúdo desta obra é de Antônio Carlos ALÉM DO AMOR JANEIRO RIO DE Edição do Autor 2013 O conteúdo desta obra é de responsabilida de do autor. Edição do Autor Impressão e encadernação: Portal PerSe (www.perse.com.br) Uma jovem

Leia mais

Fuga. v_06.02 (julho/2011) Por Laura Barile

Fuga. v_06.02 (julho/2011) Por Laura Barile Fuga v_06.02 (julho/2011) Por Laura Barile laurabarile@gmail.com CENA 1 - EXT. RUA - DIA DORA sai do carro, bate a porta. Usa um vestido sem mangas, de algodão, comprido e leve, o cabelo levemente desarrumado,

Leia mais

A ABDUZIDA. CELIORHEIS Página 1

A ABDUZIDA. CELIORHEIS Página 1 CELIORHEIS Página 1 A Abduzida um romance que pretende trazer algumas mensagens Mensagens estas que estarão ora explícitas ora implícitas, dependendo da ótica do leitor e do contexto em que ela se apresentar.

Leia mais

Charles é um ser totalmente atrasado em relação à sociedade em que vive. Veio do interior e fica admirado com a imensidão da cidade grande.

Charles é um ser totalmente atrasado em relação à sociedade em que vive. Veio do interior e fica admirado com a imensidão da cidade grande. TEMPOS MODERNOS UM FILME DE Jeander Cristian, baseado na obra original de Charlie Chaplin. Pessoas apressadas andam pela cidade grande Tempo é dinheiro! Pessoas acessam informações em tempo recorde na

Leia mais

DIANTE DA LEI O ROTEIRO Baseado em conto homônimo de Franz Kafka - DIANTE DA LEI ROTEIRO DE: ALYSON LACERDA E-MAIL: ALYSONLACERDA@YAHOO.COM.

DIANTE DA LEI O ROTEIRO Baseado em conto homônimo de Franz Kafka - DIANTE DA LEI ROTEIRO DE: ALYSON LACERDA E-MAIL: ALYSONLACERDA@YAHOO.COM. 1 - DIANTE DA LEI ROTEIRO DE: ALYSON LACERDA E-MAIL: ALYSONLACERDA@YAHOO.COM.BR SEQ.01 A RECEPÇÃO DA LEI 2 (CENA 01 - INT. PORTARIA DA LEI.INDIFERENTE) O camponês toca uma campainha que está sobre um balcão.

Leia mais