Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física CONTRATO DE ASSINANTE A1

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física CONTRATO DE ASSINANTE A1"

Transcrição

1 TERMO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CERTIFICAÇÃO DIGITAL que entre si fazem, de um lado, como contratada a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, Empresa Pública de Direito Privado, inscrita no CNPJ/MF sob nº / , com sede em Brasília-DF, no SBS - Quadra 04, lote 3/4, por seu representante legal que assina o Termo de Adesão e Responsabilidade AC CAIXA PF A1, doravante designada simplesmente CAIXA ou CONTRATADA e de outro PESSOA FÍSICA contratante identificada no Termo de Adesão e Responsabilidade AC CAIXA PF A1, doravante denominado CONTRATANTE pactuam o presente Contrato de Prestação de Serviços que se rege pela Medida Provisória nº /2001, Resoluções do Comitê Gestor da ICP-BRASIL, Declaração de Praticas de Certificação da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física (DPC), Política de Certificado de Assinatura A1 da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física (PC) e pelas cláusulas e condições seguintes: OBJETO CLÁUSULA PRIMEIRA Constitui objeto do presente contrato a emissão de certificado digital do tipo A1, pela Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física conforme estabelecido na Política de Certificado de Assinatura Digital do Tipo A1 (PC A1 AC CAIXA PF). PARÁGRAFO PRIMEIRO O contratante concorda com as regras adotadas na referida PC e na DPC, publicadas no endereço Web PARÁGRAFO SEGUNDO O certificado emitido destina-se à utilização em aplicações relacionadas à confirmação de identidade na Web, correio eletrônico, transações on-line, redes privadas virtuais, cifração de chaves de sessão e assinatura de documentos eletrônicos com verificação da integridade de suas informações. PARÁGRAFO TERCEIRO A leitura e compreensão do presente Contrato, bem como dos documentos acima mencionados, dos termos e das instruções publicadas no endereço Web é pré-requisito para a assinatura do Termo de Adesão e Responsabilidade AC CAIXA PF A1. PARÁGRAFO QUARTO O Termo de Adesão e Responsabilidade AC CAIXA PF A1 será assinado perante a Autoridade de Registro (AR) vinculadas a Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física. OBRIGAÇÕES DO CONTRATANTE TITULAR DO CERTIFICADO CLÁUSULA SEGUNDA O contratante obriga-se a: I - fornecer, de modo completo e preciso, todas as informações necessárias para sua identificação; II - assinar o Termo de Adesão e Responsabilidade e o Termo de Titularidade; III - garantir a proteção e o sigilo de suas chaves privadas, senhas e dispositivos criptográficos de acordo com as recomendações previstas na PC - Políticas de Certificação; IV - notificar imediatamente a Autoridade de Registro sobre qualquer erro ou defeito no certificado ou de qualquer mudança subseqüente na informação do certificado; V - utilizar os seus certificados e chaves privadas de modo apropriado, conforme o previsto na PC - Políticas de Certificação; VI - conhecer os seus direitos e obrigações, contemplados na PC - Políticas de Certificação, na DPC - Declaração de Prática de Certificação da AC CAIXA PF e por outros documentos aplicáveis da ICP- Brasil; VII - informar à Autoridade Certificadora da CAIXA Pessoa Física, através de suas Autoridades de Registro ou por meio eletrônico, através do formulário disponibilizado para este fim na página Web qualquer comprometimento de sua chave privada e solicitar a imediata revogação do certificado correspondente. 1

2 OBRIGAÇÕES DA AUTORIDADE CERTIFICADORA CAIXA PESSOA FÍSICA CLÁUSULA TERCEIRA - A Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física obriga-se a: I - operar de acordo com a PC Políticas de Certificação da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa II - operar de acordo com a DPC Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa III - operar de acordo com a PS - Política de Segurança da ICP-Brasil; IV - operar de acordo com a PS - Política de Segurança da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa V - operar de acordo com os Procedimentos Operacionais da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa VI - tomar as medidas cabíveis para assegurar que usuários e demais entidades envolvidas tenham conhecimento de seus respectivos direitos e obrigações; VII - gerar e gerenciar o seu par de chaves criptográficas; VIII - assegurar a proteção de suas chaves privadas; IX - notificar a Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física, emitente do seu certificado, quando ocorrer comprometimento de sua chave privada e solicitar a imediata revogação desse certificado; X - notificar os seus usuários quando ocorrer suspeita de comprometimento de sua chave, emissão de novo par de chaves e correspondente certificado, ou o encerramento de suas atividades; XI - distribuir o seu próprio certificado; XII - emitir, expedir e distribuir os certificados de usuários finais; XIII - informar a emissão do certificado ao respectivo solicitante; XIV - revogar, quando necessário, os certificados por ela emitidos; XV - emitir, gerenciar e publicar suas Listas de Certificados Revogados (LCR) e, quando for o caso, disponibilizar consulta on-line de situação de certificado; XVI - publicar em sua página Web a DPC Declaração de Práticas de Certificação e a PC Políticas de Certificação da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa XVII - investigar comprometimento e suspeitas de comprometimento de sua chave privada; XVIII - identificar e registrar todas as ações executadas, conforme as normas, práticas e regras estabelecidas pelo Comitê Gestor da ICP-Brasil; XIX - adotar as medidas de segurança e controle previstas na PC Políticas de Certificação, na DPC Declaração de Práticas de Certificação e na Política de Segurança da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física, que envolvem seus processos, procedimentos e atividades, observadas as normas, critérios, práticas e procedimentos da ICP-Brasil; XX - manter a conformidade dos seus processos, procedimentos e atividades com as normas, práticas e regras da ICP-Brasil e com a legislação vigente; XXI - manter e garantir a integridade, o sigilo e a segurança da informação por ela tratada; XXII - manter e testar regularmente seu Plano de Continuidade do Negócio conforme definido na PC; XXIII - informar às terceiras partes e titulares de certificado acerca das garantias, coberturas, condicionantes e limitações estipuladas pela Apólice de Seguro de responsabilidade civil contratada pela Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa XXIV - não emitir certificado com prazo de validade que se estenda além do prazo de validade de seu próprio certificado. OBRIGAÇÕES DAS AUTORIDADES DE REGISTRO (AR) VINCULADAS À AUTORIDADE CERTIFICADORA CAIXA PESSOA FÍSICA CLÁUSULA QUARTA As Autoridades de Registro vinculadas à Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física obrigam-se a: I - operar de acordo com a PC Políticas de Certificação da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa II - operar de acordo com a DPC Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa III - operar de acordo com a PS - Política de Segurança da ICP-Brasil; IV - operar de acordo com a PS - Política de Segurança da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa V - operar de acordo com os Procedimentos Operacionais aprovados pela Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa VI - receber solicitações de emissão ou de revogação de certificados; 2

3 VII - receber e guardar as cópias dos documentos de identificação solicitados dos titulares de certificados, conforme indicado no item da PC Políticas de Certificação da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa VIII - confirmar a identidade dos solicitantes de certificado com a documentação acima citada e a validade da solicitação, de acordo com os requisitos estabelecidos pelos itens 3 e 4 da PC Políticas de Certificação da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa IX - encaminhar a solicitação de emissão ou de revogação de certificado à Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física utilizando SSL (secure socket layer protocolo de comunicação seguro); X - utilizar SSL (secure socket layer protocolo de comunicação seguro), ao disponibilizar serviços para os solicitantes ou usuários de certificados digitais via Web; XI - receber e guardar o Termo de Adesão e Responsabilidade e o Termo de Titularidade assinado pelo titular do certificado; XII - informar aos respectivos titulares a emissão ou a revogação de seus certificados; XIII - disponibilizar os certificados emitidos pela Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física aos seus respectivos solicitantes; XIV - identificar e registrar todas as ações executadas, conforme as normas, práticas e regras estabelecidas pelo Comitê Gestor da ICP-Brasil; XV - manter a conformidade dos seus processos, procedimentos e atividades com as normas, práticas e regras estabelecidas pela Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa XVI - manter e garantir a segurança da informação por elas tratada, de acordo com o estabelecido nas normas, critérios, práticas e procedimentos da ICP-Brasil; XVII - oferecer treinamento aos agentes de registro, especialmente quanto ao reconhecimento de assinaturas e validade dos documentos apresentados na forma do item da PC Políticas de Certificação da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física. DO USO E SIGILO DA INFORMAÇÃO CLÁUSULA QUINTA O CONTRATANTE reconhece que as declarações subscritas com o uso das chaves privadas certificadas pela Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física presumem-se verdadeiras e emitidas pelos signatários que lhe são titulares, em conformidade com o disposto no artigo 10, 1º, da Medida Provisória nº /2001, e no artigo 219 da Lei , de 10 de janeiro de 2002 (Novo Código Civil). CLÁUSULA SEXTA A Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física utilizará as informações fornecidas por ocasião da Solicitação de Emissão de Certificado exclusivamente para geração do certificado digital, fornecimento de serviços diretamente relacionados à administração do certificado e autenticação do usuário. PARÁGRAFO PRIMEIRO As informações fornecidas pela contratante não serão comercializadas ou cedidas pela Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física para qualquer outro fim. CLÁUSULA SÉTIMA A Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física poderá utilizar as informações fornecidas para contatar o cliente, a fim de efetuar pesquisas de satisfação relacionadas exclusivamente ao serviço de infra-estrutura de chaves públicas fornecido pela CAIXA. PARÁGRAFO PRIMEIRO As respostas às pesquisas de satisfação serão facultativas. CLÁUSULA OITAVA - A Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física poderá utilizar o endereço eletrônico fornecido pelo contratante como meio de comunicação para fins de suporte, renovação de certificado e divulgação de outros serviços referentes à infra-estrutura de chave pública. PARÁGRAFO PRIMEIRO O contratante poderá manifestar seu desejo de não mais receber tal tipo de informação, com exceção daquelas relacionadas diretamente à utilização do serviço de certificação digital, mediante solicitação enviada por para o endereço eletrônico informado na mensagem. CLÁUSULA NONA As informações fornecidas pelo Contratante constantes no certificado serão passíveis de publicação pela Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física, conforme descrito na DPC, de forma que terceiros poderão acessá-los para a validação do Certificado Digital emitido. CLÁUSULA DÉCIMA Não são consideradas sigilosas pela Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física e pelas Autoridades de Registro a ela vinculadas as seguinte informações: 3

4 I os certificados e as Listas de Certificados Revogados (LCR) emitidas pela Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa II informações corporativas ou pessoais que façam parte de certificados ou de diretórios públicos; III as Políticas de Certificados implementadas pela Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa IV a Declaração de Prática de Certificação da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa V versões públicas de Políticas de Segurança; VI resultados finais de auditorias. CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA Todos os documentos, informações ou registros sob a guarda da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física e das Autoridades de Registro a ela vinculadas, que não constem na relação da cláusula anterior, são considerados sigilosos nos termos da DPC e não serão divulgados, exceto por ordem judicial. CLAUSULA DÉCIMA SEGUNDA O contratante deverá solicitar à Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física, de modo presencial, e devidamente identificado, qualquer alteração de informação contida no certificado, caso em que considerar-se-á revogado o certificado em vigor. PARÁGRAFO PRIMEIRO Na hipótese de revogação prevista no caput, um novo certificado deverá ser gerado. PARÁGRAFO SEGUNDO - Não será admitida a suspensão de certificados no âmbito da ICP-Brasil. CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA O Titular de Certificado emitido pela Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física poderá ter acesso a quaisquer dos seus dados ou identificações, ou poderá autorizar por escrito e com firma reconhecida, a divulgação de seus registros a outras pessoas. DA RESPONSABILIDADE DA AUTORIDADE CERTIFICADORA CAIXA PESSOA FÍSICA CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA - A Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física responde pelos danos a que der causa. CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA A Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física responderá solidariamente pelos atos das Autoridades de Registro a ela vinculadas. RESPONSABILIDADE DA AUTORIDADE DE REGISTRO CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA A AR será responsável pelos danos a que der causa. GARANTIA CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA A Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física e as Autoridades de Registro a elas vinculadas respondem pelos danos a que derem causa, nas condições e limites definidos nas normas que regem a ICP-Brasil. TARIFAS DE SERVIÇO CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA A CONTRATANTE pagará à CONTRATADA, como tarifa pela emissão e para cada renovação do seu Certificado Digital do Tipo A1, o valor estabelecido pela Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física. VIGÊNCIA CLÁUSULA DÉCIMA NONA - A vigência do contrato deverá estar adstrita à validade do certificado digital. PARÁGRAFO PRIMEIRO O certificado emitido pela Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física será considerado aceito no prazo máximo de 3 dias úteis após sua emissão, caso não haja manifestação neste período por parte do contratante em relação à incorreção na emissão do certificado. 4

5 PARÁGRAFO SEGUNDO O cliente deverá comunicar, no prazo de até 3 (três) dias, à Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física, as irregularidades no certificado emitido, relacionadas aos erros na identificação do titular e na emissão defeituosa do certificado. PARÁGRAFO TERCEIRO Os certificados emitidos pela Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física e as respectivas chaves criptográficas geradas por seus titulares possuem prazo de validade de 01 (um) ano a partir do momento da geração do certificado. PARÁGRAFO QUARTO O Titular de Certificado válido poderá solicitar à Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física um novo certificado digital, por meio de mensagem eletrônica assinada digitalmente com o uso de seu certificado. PARÁGRAFO QUINTO A solicitação de um novo certificado, antes da expiração do certificado válido, estará limitada a três ocorrências sucessivas. PARÁGRAFO SEXTO O novo certificado emitido estará sujeito aos mesmos prazos de validade previstos para o originalmente emitido. PARÁGRAFO SÉTIMO O Titular de Certificado expirado poderá gerar novo par de chaves mediante nova solicitação de certificado à Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física, através das Autoridades de Registro vinculadas. PARÁGRAFO OITAVO A Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física informará ao contratante, 30 dias antes, a data de expiração do certificado, para que o mesmo solicite a emissão de novo certificado, conforme estabelecido na PC. REVOGAÇÃO CLÁUSULA VIGÉSIMA A Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física poderá revogar o certificado por ela emitido nas seguintes hipóteses: I emissão imprópria ou defeituosa do certificado digital; II necessidade de alteração de qualquer informação constante no certificado emitido; III - solicitação pelo titular do certificado devidamente identificado; IV dissolução da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física ou Autoridade Certificadora CAIXA; V perda ou roubo da mídia armazenadora; VI revogação do certificado da Autoridade Certificadora CAIXA, Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física ou da Autoridade Certificadora Raiz da ICP-Brasil; VII comprometimento ou suspeita de comprometimento da chave privada correspondente ou de sua mídia armazenadora; VIII inobservância das políticas, normas e regras estabelecidas para a ICP Brasil; PARÁGRAFO PRIMEIRO A solicitação de revogação deverá ser feita imediatamente à ocorrência das circunstâncias definidas no caput. CLÁUSULA VIGÉSIMA PRIMEIRA A revogação de um certificado poderá ser solicitada pelas seguintes pessoas ou órgãos: I o titular do certificado; II o responsável pelo certificado de equipamentos servidores ou aplicações; III a pessoa jurídica ou órgão da administração pública, quando o titular do certificado por eles fornecidos for seu empregado, funcionário ou servidor; IV a Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física ou Autoridade Certificadora CAIXA; V a Autoridades de Registro vinculadas à Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa VI o Comitê Gestor da ICP-Brasil ou da Autoridade Certificadora RAIZ. CLÁUSULA VIGÉSIMA SEGUNDA A conclusão do processo de revogação do certificado, após o recebimento da respectiva solicitação, observará o prazo máximo de 72 horas para o certificado tipo A1, conforme especificado no documento Requisitos Mínimos para Políticas de Certificado na ICP-Brasil para os certificados de assinatura tipo A1. 5

6 PARÁGRAFO PRIMEIRO A Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física responde plenamente por todos os danos causados pelo uso de um certificado no período compreendido entre a solicitação de sua revogação e a emissão da correspondente LCR. RESCISÃO CLÁUSULA VIGÉSIMA TERCEIRA - O presente contrato considerar-se-á rescindido, de pleno direito, quando revogado e não renovado o certificado emitido pela Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física, independente de notificação ou interpelação judicial ou extrajudicial. DOCUMENTOS INTEGRANTES CLÁUSULA VIGÉSIMA QUARTA - Integram o presente Contrato, para todos os efeitos de direito, a Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física, a Política de Certificado CAIXA Pessoa Física para Certificados de Assinatura A1 e a Política de Segurança da Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Física. FORO CLÁUSULA VIGÉSIMA QUINTA - É competente o foro da Justiça Federal, seção judiciária do Distrito Federal, para dirimir quaisquer questões relacionadas a este contrato. 6

Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Jurídica CONTRATO DE ASSINANTE A1

Autoridade Certificadora CAIXA Pessoa Jurídica CONTRATO DE ASSINANTE A1 TERMO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE CERTIFICAÇÃO DIGITAL que entre si fazem, de um lado, como contratada a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, Empresa Pública de Direito Privado, inscrita no CNPJ/MF sob

Leia mais

CONTRATO DE ARMAZENAMENTO, HOSPEDAGEM, DISPONIBILIZAÇÃO RESTRITA E MANDATO

CONTRATO DE ARMAZENAMENTO, HOSPEDAGEM, DISPONIBILIZAÇÃO RESTRITA E MANDATO CONTRATO DE ARMAZENAMENTO, HOSPEDAGEM, DISPONIBILIZAÇÃO RESTRITA E MANDATO FÁBRICA DE SUCESSOS LTDA. ME, pessoa jurídica de direito privado, inscrita no CNPJ sob Nº 14.464.760/0001-64, com sede na Alameda

Leia mais

I T I. AC Raiz. Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, órgão do Governo Federal. Receita Federal SERASA SERPRO CAIXA CERT PRIVADA

I T I. AC Raiz. Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, órgão do Governo Federal. Receita Federal SERASA SERPRO CAIXA CERT PRIVADA I T I AC Raiz Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, órgão do Governo Federal Receita Federal SERASA SERPRO CAIXA CERT AC PRIVADA AR Autoridade Registradora AR Autoridade Registradora Certificado

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 02/2009

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 02/2009 INSTRUÇÃO NORMATIVA N 02/2009 Regulamenta os procedimentos relativos à certificação digital, para garantir a segurança das transações eletrônicas realizadas por meio dos sistemas, das aplicações e dos

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RESOLUÇÃO N. 20 DE 9 DE AGOSTO DE 2012. Dispõe sobre a certificação digital no Superior Tribunal de Justiça e dá outras providências. O PRESIDENTE DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA, usando da atribuição

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 26, DE 24 DE OUTUBRO DE 2003

RESOLUÇÃO Nº 26, DE 24 DE OUTUBRO DE 2003 Casa Civil da Presidência da República Presidência da República Comitê Gestor da Infra-Estrutura de Chaves Públicas Secretaria Executiva RESOLUÇÃO Nº 26, DE 24 DE OUTUBRO DE 2003 Altera os Critérios e

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX OUTROS. CAC-Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da SRF - e-cac

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX OUTROS. CAC-Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da SRF - e-cac VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX OUTROS Orientador Empresarial CAC-Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte da SRF - e-cac INSTRUÇÃO NORMATIVA SRF nº 580/2005

Leia mais

INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO

INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO CERTIFICADO DIGITAL O certificado digital é um arquivo eletrônico que contém dados de uma pessoa ou instituição, utilizados para comprovar sua identidade. Este arquivo pode

Leia mais

CONVÊNIO Nº 015/2009

CONVÊNIO Nº 015/2009 ESTADO DE SERGIPE PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE CONVÊNIO Nº 015/2009 CONVÊNIO QUE ENTRE SI CELEBRAM O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE E A CAIXA ECONÔMICA FEDERAL. O

Leia mais

PORTARIA Nº 126, DE 12 DE MARÇO DE 2014.

PORTARIA Nº 126, DE 12 DE MARÇO DE 2014. PORTARIA Nº 126, DE 12 DE MARÇO DE 2014. Dispõe sobre a implantação e o funcionamento do processo eletrônico no âmbito do Ministério das Comunicações. O MINISTRO DE ESTADO DAS COMUNICAÇÕES, no uso das

Leia mais

VALECARDLOGÍSTICA. Contrato para Geração Gratuita do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT

VALECARDLOGÍSTICA. Contrato para Geração Gratuita do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT VALECARDLOGÍSTICA Contrato para Geração Gratuita do Código Identificador da Operação de Transporte CIOT Por este instrumento particular, as PARTES, de um lado como CONTRATADA, a Empresa autorizada a utilizar

Leia mais

PORTARIA TC Nº 382, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014. CAPÍTULO I

PORTARIA TC Nº 382, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014. CAPÍTULO I PORTARIA TC Nº 382, DE 29 DE SETEMBRO DE 2014. Disciplina a utilização dos certificados digitais no âmbito interno, pelos funcionários do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco TCE-PE e demais usuários

Leia mais

Declaração de Práticas de Certificação. da Autoridade Certificadora. Imprensa Oficial SP

Declaração de Práticas de Certificação. da Autoridade Certificadora. Imprensa Oficial SP Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora Imprensa Oficial SP DPC DA AC Imprensa Oficial - SP Versão 1.0-09 de Março de 2005 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...6 1.1. VISÃO GERAL... 6 1.2.

Leia mais

ANEXO 3 CONDIÇÕES DE COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA PARA INTERCONEXÃO

ANEXO 3 CONDIÇÕES DE COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA PARA INTERCONEXÃO ANEXO 3 CONDIÇÕES DE COMPARTILHAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA PARA INTERCONEXÃO 1. CLÁUSULA PRIMEIRA - CONDIÇÕES GERAIS 1.1. A PARTE proprietária dos itens de infra-estrutura cedidos e a PARTE a qual será feita

Leia mais

Bairro Cidade CEP UF. Agência Nome da Agência Operação Conta Dígito. Bairro Cidade CEP UF. Bairro Cidade CEP UF

Bairro Cidade CEP UF. Agência Nome da Agência Operação Conta Dígito. Bairro Cidade CEP UF. Bairro Cidade CEP UF SACADO ELETRÔNICO ADESÃO EXCLUSÃO Nome ou Razão Social Agência Nome da Agência Operação Conta Dígito AGREGADOS Nome ou Razão Social (I) Nome ou Razão Social (II) 1 Pelo presente instrumento, a CAIXA ECONÔMICA

Leia mais

CONTRATO DE ACREDITAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DE LABORATÓRIOS CLÍNICOS

CONTRATO DE ACREDITAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE DE LABORATÓRIOS CLÍNICOS CONTRATO DE ACREDITAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE CONTRATO DICQ Nº / (à ser preenchido pelo DICQ) DE LABORATÓRIOS CLÍNICOS CONTRATO DE ACREDITAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALI- DADE DE LABORATÓRIO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CG ICP-BRASIL COMITÊ GESTOR DA ICP-BRASIL

TERMO DE REFERÊNCIA CG ICP-BRASIL COMITÊ GESTOR DA ICP-BRASIL Presidência da República Casa Civil da Presidência da República TERMO DE REFERÊNCIA CG ICP-BRASIL COMITÊ GESTOR DA ICP-BRASIL 1 1. Introdução O Comitê Gestor da ICP-Brasil (CG ICP-Brasil) é a entidade

Leia mais

25/01/2015 PROF. FABIANO TAGUCHI. http://fabianotaguchi.wordpress.com CRIPTOGRAFIA E SEGURANÇA DE DADOS AULA 12 ICP-BRASIL

25/01/2015 PROF. FABIANO TAGUCHI. http://fabianotaguchi.wordpress.com CRIPTOGRAFIA E SEGURANÇA DE DADOS AULA 12 ICP-BRASIL 25/01/2015 PROF. FABIANO TAGUCHI http://fabianotaguchi.wordpress.com CRIPTOGRAFIA E SEGURANÇA DE DADOS AULA 12 ICP-BRASIL 1 CONFIAR EM CERTIFICADOS DIGITAIS? ITI O Instituto Nacional de Tecnologia da Informação

Leia mais

CONTRATO DE REVENDA WINCONNECTION

CONTRATO DE REVENDA WINCONNECTION CONTRATO DE REVENDA WINCONNECTION Pelo presente instrumento particular, de um lado: Winco Sistemas Ltda., pessoa jurídica de direito privado, com sede estabelecida à Rua Amazonas, 669 sala 37, Centro da

Leia mais

RESOLUÇÃO CNSP N o 294, DE 2013.

RESOLUÇÃO CNSP N o 294, DE 2013. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 294, DE 2013. Dispõe sobre a utilização de meios remotos nas operações relacionadas a planos de seguro e de previdência complementar

Leia mais

Política de Certificados. SERPROACF do tipo A1 (PC SERPROACFA1)

Política de Certificados. SERPROACF do tipo A1 (PC SERPROACFA1) Política de Certificados SERPROACF do tipo A1 (PC SERPROACFA1) Credenciada pela ICP-Brasil Versão 1.2 de 12 de dezembro de 2005 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 7 1.1 Visão Geral... 7 1.2 Identificação... 7 1.3

Leia mais

Contrato. 22/01/2015 Registro.br Contrato. $Revision: 873 $ $Date: 2011 09 16 11:35:12 0300 (Fri, 16 Sep 2011) $

Contrato. 22/01/2015 Registro.br Contrato. $Revision: 873 $ $Date: 2011 09 16 11:35:12 0300 (Fri, 16 Sep 2011) $ Contrato $Revision: 873 $ $Date: 2011 09 16 11:35:12 0300 (Fri, 16 Sep 2011) $ CONTRATO PARA REGISTRO DE NOME DE DOMÍNIO SOB O ".BR" O NÚCLEO DE INFORMAÇÃO E COORDENAÇÃO DO PONTO BR NIC.br, inscrito no

Leia mais

Termo de Cooperação Nº XXX/2015. especificam.

Termo de Cooperação Nº XXX/2015. especificam. Termo de Cooperação Nº XXX/2015 Termo de Cooperação que entre si celebram a Secretaria de Estado da Fazenda e a XXXXXXXXXXXXXXX, para fins que especificam. A SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA SEFA/PR, com

Leia mais

CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO

CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO PROTOCOLO DE ENTENDIMENTOS QUE ENTRE SI CELEBRAM ÓRGÃOS PÚBLICOS E ENTIDADES PARA O COMPARTILHAMENTO E A INTEGRAÇÃO DE DADOS AGRÁRIOS, FUNDIÁRIOS E AMBIENTAIS NO ESTADO DO PARÁ. Os Órgãos Públicos e Entidades

Leia mais

PARÁGRAFO QUARTO: O processo de implantação do ssotica constará das seguintes atividades:

PARÁGRAFO QUARTO: O processo de implantação do ssotica constará das seguintes atividades: CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Pelo presente instrumento particular de contrato de prestação de serviços, de um lado a IPÊ TECNOLOGIA EM SISTEMAS LTDA, pessoa jurídica com sede na cidade de Uberlândia-MG,

Leia mais

Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora Certisign Soluções Corporativas

Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora Certisign Soluções Corporativas Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora Certisign Soluções Corporativas DPC DA AC Certisign Soluções Corporativas Versão 1.0-20 de Julho de 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 7 1.1.

Leia mais

AC CNDL RFB Declaração de Práticas de Certificação

AC CNDL RFB Declaração de Práticas de Certificação Autor: CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE DIRIGENTES E LOGISTAS SPC BRASIL Edição: 20/10/2014 Versão: 1.0 1. INTRODUÇÃO 1.1 Visão Geral 1.1.1. As informações contidas neste documento estabelecem os requisitos mínimos,

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Pelo presente instrumento, de um lado, Avatar Soluções para Internet Ltda., empresa da área de informática, com sede à Av. Paulista, 509 cj. 711, CEP 01311-910, São Paulo,

Leia mais

CONTRATO DE ACESSO AO IEPREV ON LINE

CONTRATO DE ACESSO AO IEPREV ON LINE CONTRATO DE ACESSO AO IEPREV ON LINE Pelo presente instrumento particular entre as partes, de um lado o Instituto de Estudos Previdenciários IEPREV, com endereço na Rua Timbiras, 1940, salas 510, 511 e

Leia mais

INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO

INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO CERTIFICADO DIGITAL O certificado digital é um arquivo eletrônico que contém dados de uma pessoa ou instituição, utilizados para comprovar sua identidade. Este arquivo pode

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº 9431/2015

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº 9431/2015 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Nº 9431/2015 TERMO DE CONTRADO QUE ENTRE SÍ CELEBRAM A [EMPRESA CLIENTE] E A PBSYS AUTOMAÇÃO COMERCIAL LTDA ME PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE IMPLANTAÇÃO

Leia mais

MANUAL DE NORMAS CERTIFICADO REPRESENTATIVO DE CONTRATO MERCANTIL DE COMPRA E VENDA A TERMO DE ENERGIA ELÉTRICA

MANUAL DE NORMAS CERTIFICADO REPRESENTATIVO DE CONTRATO MERCANTIL DE COMPRA E VENDA A TERMO DE ENERGIA ELÉTRICA MANUAL DE NORMAS CERTIFICADO REPRESENTATIVO DE CONTRATO MERCANTIL DE COMPRA E VENDA A TERMO DE ENERGIA ELÉTRICA VERSÃO: 01/7/2008 2 / 10 MANUAL DE NORMAS CERTIFICADO REPRESENTATIVO DE CONTRATO MERCANTIL

Leia mais

ATO Nº 195/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

ATO Nº 195/2011. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, ATO Nº 195/2011 Institui a Norma de Segurança dos Recursos de Tecnologia da Informação - NSRTI, do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 7ª REGIÃO,

Leia mais

Política de Certificado de Assinatura Digital Tipo A2 da Autoridade Certificadora Imprensa Oficial SP

Política de Certificado de Assinatura Digital Tipo A2 da Autoridade Certificadora Imprensa Oficial SP Política de Certificado de Assinatura Digital Tipo A2 da Autoridade Certificadora Imprensa Oficial SP PC_AC IO SP A2i.indd I 12/20/04 4:40:48 PM PC A2 DA AC IMPRENSA OFICIAL SP Política de Certificado

Leia mais

PORTARIA Nº 16, DE 27 DE MARÇO DE 2012. (DOU 28/03/2012) (Compilada com alterações da Portaria nº 31, de 18 de junho de 2012)

PORTARIA Nº 16, DE 27 DE MARÇO DE 2012. (DOU 28/03/2012) (Compilada com alterações da Portaria nº 31, de 18 de junho de 2012) PORTARIA Nº 16, DE 27 DE MARÇO DE 2012. (DOU 28/03/2012) (Compilada com alterações da Portaria nº 31, de 18 de junho de 2012) Estabelece procedimentos para adesão ao acesso e utilização do Sistema Integrado

Leia mais

POLÍTICA DE GARANTIA AUTORIDADE DE REGISTRO PRONOVA

POLÍTICA DE GARANTIA AUTORIDADE DE REGISTRO PRONOVA POLÍTICA DE GARANTIA AUTORIDADE DE REGISTRO PRONOVA Obrigado por adquirir um produto e/ou serviço da AR PRONOVA. Nossa Política de Garantia foi desenvolvida com objetivo de fornecer produtos e serviços

Leia mais

MANUAL DE NORMAS ESTRATÉGIA DE RENDA FIXA COM OPÇÕES FLEXÍVEIS SOBRE TAXA DE CÂMBIO

MANUAL DE NORMAS ESTRATÉGIA DE RENDA FIXA COM OPÇÕES FLEXÍVEIS SOBRE TAXA DE CÂMBIO MANUAL DE NORMAS ESTRATÉGIA DE RENDA FIXA COM OPÇÕES FLEXÍVEIS SOBRE TAXA DE CÂMBIO VERSÃO: 01/7/2008 MANUAL DE NORMAS ESTRATÉGIA DE RENDA FIXA COM OPÇÕES FLEXÍVEIS SOBRE TAXA DE CÂMBIO 01/7/2008 2/8 ÍNDICE

Leia mais

TERMOS DE USO DA PLATAFORMA BRASMS CONTRATO DE CESSÃO DE DIREITO DE USO DE SOFTWARE

TERMOS DE USO DA PLATAFORMA BRASMS CONTRATO DE CESSÃO DE DIREITO DE USO DE SOFTWARE TERMOS DE USO DA PLATAFORMA BRASMS CONTRATO DE CESSÃO DE DIREITO DE USO DE SOFTWARE Pelo presente instrumento particular, a MKM TECNOLOGIA LTDA ME com sede na Capital do Estado de São Paulo, Rua Planeta,

Leia mais

CONTRATO Nº 104/2014

CONTRATO Nº 104/2014 CONTRATO Nº 104/2014 TERMO DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, QUE CELEBRAM O MUNICÍPIO DE SANTANA DA BOA VISTA/RS E A EMPRESA POLYTEK COMERCIO E SERVIÇOS DE INFORMATICA LTDA. O MUNICÍPIO DE SANTANA

Leia mais

CONTRATO DE REVENDA DO ANTIVÍRUS AVG

CONTRATO DE REVENDA DO ANTIVÍRUS AVG CONTRATO DE REVENDA DO ANTIVÍRUS AVG Pelo presente instrumento particular, de um lado: Winco Sistemas Ltda., pessoa jurídica de direito privado, com sede estabelecida à Rua Amazonas, 669 sala 37, Centro

Leia mais

Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora do PRODERJ (DPC ACPRODERJ)

Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora do PRODERJ (DPC ACPRODERJ) Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora do PRODERJ () Controle de Versão Versão Data Motivo Descrição 1.0 01/04/2009 Criação Versão Inicial 2.0 22/09/2011 Atualizações e Criação

Leia mais

SE Brasília/DF Jan./2013 24.000 ex. 10,5x29,7cm Editora MS/CGDI/SAA OS 2013/0124

SE Brasília/DF Jan./2013 24.000 ex. 10,5x29,7cm Editora MS/CGDI/SAA OS 2013/0124 1 12 SE Brasília/DF Jan./2013 24.000 ex. 10,5x29,7cm Editora MS/CGDI/SAA OS 2013/0124 SE Brasília/DF Jan./2013 24.000 ex. 10,5x29,7cm Editora MS/CGDI/SAA OS 2013/0124 12 Em 2013, o registro de dados no

Leia mais

Em 2013, o registro de dados no SIOPS passará a ser obrigatório.

Em 2013, o registro de dados no SIOPS passará a ser obrigatório. Em 2013, o registro de dados no SIOPS passará a ser obrigatório. Fique atento aos procedimentos e prazos estabelecidos pela Lei para declaração de despesas com saúde. art certificado digital-siops-10,5x29,7.indd

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO CONDIÇÕES GERAIS ÍNDICE I Informações Iniciais... 4 II Glossário... 4 III Objetivo... 5 IV Natureza do Título... 5 V Vigência... 5 VI Pagamento... 5 VII Carência...

Leia mais

Contrato para Geração Gratuita do Código Identificador da Operação de Transporte - CIOT

Contrato para Geração Gratuita do Código Identificador da Operação de Transporte - CIOT Contrato para Geração Gratuita do Código Identificador da Operação de Transporte - CIOT Pelo presente instrumento particular, de um lado POLICARD SYSTEMS E SERVIÇOS S.A., inscrita no CNPJ/MF sob o nº 00.904.951/0001-95,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO

CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS II. GLOSSÁRIO CONDIÇÕES GERAIS I. INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: CARDIF CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ Nº. : 11.467.788/0001-67 PRODUTO: PR_PU_POPULAR1_S100_1S_CS0834 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº:

Leia mais

Modelos de Garantia Contratual

Modelos de Garantia Contratual Modelos de Garantia Contratual CONDIÇÕES MÍNIMAS PARA CONTRATOS DE SEGUROS E PRESTAÇÃO DE GARANTIAS Termos e Condições Mínimas do Seguro-Garantia 1 Tomador 1.1 Concessionária 2 Segurado 2.1 COMPANHIA ESPÍRITO

Leia mais

O presente Contrato fica vinculado a Apólice apresentada pela CONTRATADA.

O presente Contrato fica vinculado a Apólice apresentada pela CONTRATADA. CONTRATO Nº 003/2013 - PARANACIDADE CONTRATO DE SEGURO, POR PREÇO GLOBAL FIXO QUE ENTRE SI CELEBRAM O SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO PARANACIDADE E A EMPRESA MARÍTIMA SEGUROS S/A, NA FORMA ABAIXO: O Serviço Social

Leia mais

1. DO PRAZO E DA ABRANGÊNCIA GEOGRÁFICA DA PROMOÇÃO

1. DO PRAZO E DA ABRANGÊNCIA GEOGRÁFICA DA PROMOÇÃO A PANAMERICANA DE SEGUROS S.A. que é subscritora dos Títulos de Capitalização emitidos e administrados pela CARDIF CAPITALIZAÇÃO S.A., inscrita no CNPJ sob o n 11.467.788/0001-67, cuja Nota Técnica e respectiva

Leia mais

CONTRATO PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE CALL CENTER 2013 DAS PARTES

CONTRATO PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE CALL CENTER 2013 DAS PARTES CONTRATO PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE CALL CENTER 2013 DAS PARTES YOU TELECOM ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES LTDA ME, CNPJ nº 14.450.742/0001-23 com sede no endereço SRTV/s, quadra 701, conjunto E, edifício

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL

CONDIÇÕES GERAIS DO BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL I INFORMAÇÕES INICIAIS CONDIÇÕES GERAIS DO BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 33.010.851/0001-74 BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL PLANO PU 15/15 A - MODALIDADE:

Leia mais

TERMO DE ADESÃO A ANTECIPAÇÃO DE PREMIAÇÃO PARA INVESTIMENTO EM MÍDIA

TERMO DE ADESÃO A ANTECIPAÇÃO DE PREMIAÇÃO PARA INVESTIMENTO EM MÍDIA TERMO DE ADESÃO A ANTECIPAÇÃO DE PREMIAÇÃO PARA INVESTIMENTO EM MÍDIA A FAEL E O POLO (NOME FANTASIA) CELEBRAM O PRESENTE TERMO VISANDO A ANTECIPAÇÃO DE VALORES, PARA UTILIZAÇÃO EXCLUSIVA EM MÍDIA, COMO

Leia mais

SOLICITAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL

SOLICITAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL SOLICITAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL 1. Como é feita a entrega do Certificado Digital? Resposta: O certificado digital é entregue ao cliente após o procedimento de Validação Presencial, o qual consiste na

Leia mais

POLÍTICA DE CARIMBO DO TEMPO DA AUTORIDADE DE CARIMBO DO TEMPO VALID (PCT da ACT VALID)

POLÍTICA DE CARIMBO DO TEMPO DA AUTORIDADE DE CARIMBO DO TEMPO VALID (PCT da ACT VALID) POLÍTICA DE CARIMBO DO TEMPO DA AUTORIDADE DE CARIMBO DO TEMPO VALID (PCT da ACT VALID) Versão 1.0 de 09/01/2014 Política de Carimbo do Tempo da ACT VALID - V 1.0 1/10 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 4 1.1. Visão

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA-TCU Nº 68, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA-TCU Nº 68, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA-TCU Nº 68, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011 Dispõe sobre o recebimento de documentos a serem protocolados junto ao Tribunal de Contas da União. O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Cartilha: Certificado Digital

Cartilha: Certificado Digital Certificação de Entidades Beneficientes de Assistência Social - CEBAS - 1 - Ministério da Educação Secretaria Executiva Secretaria de Educação Continuada, Alfabetizada e Diversidade Diretoria de Tecnologia

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Tópicos Avançados II 5º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 3: Políticas e Declaração de

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DIGITAL

CERTIFICAÇÃO DIGITAL CERTIFICAÇÃO DIGITAL 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVOS 3.CNES - LEGISLAÇÃO EM VIGOR PARA UTILIZAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO DIGITAL 4.CERTIFICAÇÃO DIGITAL - COMO OBTER E INICIAR UMA SOLICITAÇÃO 5.CNES - COMO INICIAR

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PU 12 MESES

CONDIÇÕES GERAIS DO PU 12 MESES CONDIÇÕES GERAIS DO PU 12 MESES I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Sul América Capitalização S.A. SULACAP CNPJ: Nº 03.558.096/0001-04 PU 12 MESES - MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO SUSEP

Leia mais

Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora da Ordem dos Advogados do Brasil - OAB

Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora da Ordem dos Advogados do Brasil - OAB Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora da Ordem dos Advogados do Brasil - OAB DPC DA AC OAB Versão 6.0-30 de Outubro de 2012 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 7 1.1. VISÃO GERAL... 7

Leia mais

Manual de Registro de Saída. Procedimentos e Especificações Técnicas

Manual de Registro de Saída. Procedimentos e Especificações Técnicas Manual de Registro de Saída Procedimentos e Especificações Técnicas Versão 1.0 Dezembro 2010 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO GERAL... 3 2 INTRODUÇÃO AO MÓDULO REGISTRO DE SAÍDA - SIARE... 3 2.1 SEGURANÇA... 4 2.2

Leia mais

ANEXO II. MINUTA DE CONTRATO Aquisição de Gêneros Alimentícios sem Licitação da Agricultura Familiar para Alimentação Escolar

ANEXO II. MINUTA DE CONTRATO Aquisição de Gêneros Alimentícios sem Licitação da Agricultura Familiar para Alimentação Escolar ANEXO II MINUTA DE CONTRATO Aquisição de Gêneros Alimentícios sem Licitação da Agricultura Familiar para Alimentação Escolar O MUNICÍPIO DE Caçapava do Sul, pessoa jurídica de direito público, inscrito

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA Nº 001 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2004. SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA - STJ E DO CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL CJF

RESOLUÇÃO CONJUNTA Nº 001 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2004. SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA - STJ E DO CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL CJF RESOLUÇÃO CONJUNTA Nº 001 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2004. SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA - STJ E DO CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL CJF Cria a Autoridade Certificadora do Sistema Justiça Federal (AC-JUS) e dispõe

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE PARCERIA COMERCIAL E OUTRAS AVENÇAS

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE PARCERIA COMERCIAL E OUTRAS AVENÇAS INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE PARCERIA COMERCIAL E OUTRAS AVENÇAS LIVRE TELECOM COM. E SERV. EM TELECOMUNICAÇÕES LTDA., sociedade regularmente constituída com sede na Av. Cásper Líbero, 383 8 andar

Leia mais

MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO

MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO VERSÃO: 31/3/2011 2/12 MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO

Leia mais

Declaração de Práticas de Certificação. da Autoridade Certificadora Instituto Fenacon. DPC DA AC Instituto Fenacon

Declaração de Práticas de Certificação. da Autoridade Certificadora Instituto Fenacon. DPC DA AC Instituto Fenacon Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora Instituto Fenacon DPC DA AC Instituto Fenacon Versão 2.3-24 de Julho de 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 7 1.1. VISÃO GERAL... 7 1.2. IDENTIFICAÇÃO...

Leia mais

Política de Certificados. Serpro-SRF. Certificados tipo A3. (PCSerpro-SRFA3)

Política de Certificados. Serpro-SRF. Certificados tipo A3. (PCSerpro-SRFA3) Política de Certificados Serpro-SRF Certificados tipo A3 (PCSerpro-SRFA3) Credenciada pela ACSRF e ICP-Brasil ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 7 1.1 Visão Geral... 7 1.2 Identificação... 7 1.3 Comunidade e Aplicabilidade...

Leia mais

Declaração de Práticas de Certificação. da Autoridade Certificadora Imprensa Oficial. DPC DA AC Imprensa Oficial

Declaração de Práticas de Certificação. da Autoridade Certificadora Imprensa Oficial. DPC DA AC Imprensa Oficial Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora Imprensa Oficial DPC DA AC Imprensa Oficial Versão 1.1-21 de Outubro de 2011 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...6 1.1. VISÃO GERAL...6 1.2. IDENTIFICAÇÃO...6

Leia mais

MANUAL DE NORMAS REGISTRO DE CONDIÇÕES DE CONTRATO DE COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OBRIGAÇÕES NO ÂMBITO DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL

MANUAL DE NORMAS REGISTRO DE CONDIÇÕES DE CONTRATO DE COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OBRIGAÇÕES NO ÂMBITO DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL MANUAL DE NORMAS REGISTRO DE CONDIÇÕES DE CONTRATO DE COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OBRIGAÇÕES NO ÂMBITO DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL VERSÃO: 01/7/2008 2/7 MANUAL DE NORMAS REGISTRO DE CONDIÇÕES DE CONTRATO

Leia mais

MANUAL DE NORMAS TERMO DE ÍNDICE DI

MANUAL DE NORMAS TERMO DE ÍNDICE DI MANUAL DE NORMAS TERMO DE ÍNDICE DI VERSÃO: 20/7/2009 2/8 MANUAL DE NORMAS TERMO DE ÍNDICE DI ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO TERCEIRO DOS PARTICIPANTES

Leia mais

RESOLVEM: CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO

RESOLVEM: CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICO- CIENTÍFICA QUE ENTRE SI CELEBRAM A FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS FILHO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FAPERJ E INSTITUIÇÃO SIGLA, NA FORMA ABAIXO. A INSTITUIÇÃO,

Leia mais

www.grupoequatorial.com.br

www.grupoequatorial.com.br Versão: 1 Data de Vigência: 10.10.2013 Página 1 de 6 1. Objetivo Este documento contém todas as informações necessárias para a concessão de empréstimos aos Servidores Públicos Estaduais do Governo de Minas

Leia mais

Condições Gerais. I Informações Iniciais

Condições Gerais. I Informações Iniciais Condições Gerais I Informações Iniciais Sociedade de Capitalização: MAPFRE Capitalização S.A. CNPJ: 09.382.998/0001-00 Nome Fantasia do Produto: Mc-T-04- Pu 12 Meses Modalidade: Tradicional Processo Susep

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS INSTRUÇÃO SUSEP N.º 79, DE 28 DE MARÇO DE 2016.

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS INSTRUÇÃO SUSEP N.º 79, DE 28 DE MARÇO DE 2016. SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS INSTRUÇÃO SUSEP N.º 79, DE 28 DE MARÇO DE 2016. Dispõe sobre o uso do certificado digital no âmbito da Superintendência de Seguros Privados Susep. O SUPERINTENDENTE

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 64/2008 ESCLARECIMENTO 4

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 64/2008 ESCLARECIMENTO 4 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento 4 Referência: Pregão Eletrônico n. 64/2008 Data: 17/11/2008 Objeto: Aquisição de certificado digital, na hierarquia da ICP-Brasil, do tipo A3 para pessoa física (e-cpf)

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO INSTITUTO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (INIT/UFES)

REGIMENTO INTERNO DO INSTITUTO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (INIT/UFES) REGIMENTO INTERNO DO INSTITUTO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (INIT/UFES) Da caracterização, dos fins e dos objetivos Art. 1º. Este Regimento regulamenta a estrutura,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ INSTRUÇÃO NORMATIVA SGA Nº. 007/2011 DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS DE RECEBIMENTO, REGISTRO, TRAMITAÇÃO, CONTROLE E EXPEDIÇÃO DE DOCUMENTOS NA. Versão: 01 Aprovação: 13/06/2011 Ato de aprovação: 13/06/2011

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA COMITÊ DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA COMITÊ DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA COMITÊ DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES NORMA OPERACIONAL/DTI/ Nº 01, DE 1 DE SETEMBRO DE 2014. Dispõe sobre a governança e

Leia mais

REF.: PROPOSTA COMERCIAL DE SOLUÇÃO DE PBX IP PARLABOX ( SOFTWARE )

REF.: PROPOSTA COMERCIAL DE SOLUÇÃO DE PBX IP PARLABOX ( SOFTWARE ) REF.: PROPOSTA COMERCIAL DE SOLUÇÃO DE PBX IP PARLABOX ( SOFTWARE ) São partes neste CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE, na qualidade de LICENCIANTE, a empresa PARLACOM TELECOMUNICAÇÕES E INFORMÁTICA

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE BRAZABRANTES PODER EXECUTIVO

ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE BRAZABRANTES PODER EXECUTIVO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS N. / Contrato de Prestação de Serviços que entre si celebram a PREFEITURA MUNCIPAL DE BRAZABRANTES e a empresa DM SOLUÇÕES WEB - MARIA APARECIDA DIAS 64496643120. Contrato

Leia mais

CONTRATO DE DESENVOLVIMENTO DE WEBSITE

CONTRATO DE DESENVOLVIMENTO DE WEBSITE CONTRATO DE DESENVOLVIMENTO DE WEBSITE 1 - IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE: Entende-se como contratante toda pessoa, física ou jurídica, independente de sua localização residencial, que solicitar

Leia mais

CONTRATO 035/2014 CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO

CONTRATO 035/2014 CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO CONTRATO 035/2014 A Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência (FATEC), inscrita no CNPJ n.º 89.252.431/0001-59, sediada na Cidade Universitária, em Santa Maria /RS, neste ato representada pelo Diretor Presidente,

Leia mais

Diretrizes Gerais para uso dos recursos de Tecnologia da Informação

Diretrizes Gerais para uso dos recursos de Tecnologia da Informação DIRETRIZES GERAIS PARA USO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Data: 17 de dezembro de 2009 Pág. 1 de 6 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1. INTRODUÇÃO 3 2. FINALIDADE 3 3. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3 4. DIRETRIZES GERAIS

Leia mais

DECRETO EXECUTIVO nº. 014/2012 D E C R E T A:

DECRETO EXECUTIVO nº. 014/2012 D E C R E T A: DECRETO EXECUTIVO nº. 014/2012 INSTITUI A NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE UBAPORANGA, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o disposto

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PU 15 MESES

CONDIÇÕES GERAIS DO PU 15 MESES CONDIÇÕES GERAIS DO PU 15 MESES I INFORMAÇÕES INICIAIS II - GLOSSÁRIO SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Sul América Capitalização S.A. SULACAP CNPJ: 03.558.096/0001-04 (PU 15 MESES) - MODALIDADE: TRADICIONAL

Leia mais

Declaração de Práticas de Certificação. da Autoridade Certificadora SINCOR DPC DA AC SINCOR

Declaração de Práticas de Certificação. da Autoridade Certificadora SINCOR DPC DA AC SINCOR Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora SINCOR DPC DA AC SINCOR Versão 6.0 27 de Setembro de 2012 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 6 1.1. VISÃO GERAL... 6 1.2. IDENTIFICAÇÃO... 6 1.3.

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS Troca Premiável Bradesco Seguros

CONDIÇÕES GERAIS Troca Premiável Bradesco Seguros I INFORMAÇÕES INICIAIS CONDIÇÕES GERAIS Troca Premiável Bradesco Seguros SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 33.010.851/0001-74 PLANO PU 12/12 T MODALIDADE POPULAR PROCESSO SUSEP

Leia mais

Declaração de Práticas de Certificação. da Autoridade Certificadora SINCOR DPC DA AC SINCOR

Declaração de Práticas de Certificação. da Autoridade Certificadora SINCOR DPC DA AC SINCOR Declaração de Práticas de Certificação da Autoridade Certificadora SINCOR DPC DA AC SINCOR Versão 5.1 30 de Novembro de 2011 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...6 1.1. VISÃO GERAL...6 1.2. IDENTIFICAÇÃO...6 1.3. COMUNIDADE

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO CARREFOUR GARANTIA ESTENDIDA TELEMARKETING

REGULAMENTO PROMOÇÃO CARREFOUR GARANTIA ESTENDIDA TELEMARKETING REGULAMENTO PROMOÇÃO CARREFOUR GARANTIA ESTENDIDA TELEMARKETING Dados da Promotora: Cardif do Brasil Seguros e Garantias S.A. CNPJ: 08.279.191/0001-84 Rua Campos Bicudo, 98 1º ao 7º andar, São Paulo -

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO E DE LICENÇA DE USO

TERMO DE COMPROMISSO E DE LICENÇA DE USO TERMO DE COMPROMISSO E DE LICENÇA DE USO O NÚCLEO DE INFORMAÇÃO E COORDENAÇÃO DO PONTO BR - NIC.br, inscrito no CNPJ/MF sob o nº 05.506.560/0001-36, com sede na Avenida das Nações Unidas, nº 11541, 7º

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010

PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010 Edição Número 18 de 27/01/2010 Ministério da Educação Gabinete do Ministro PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010 Institui e regulamenta o Sistema de Seleção Unificada, sistema informatizado

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE A FUNDAÇÃO PARA A COMPUTAÇÃO CIENTÍFICA TERENA CERTIFICATE SERVICE NA FCCN

PROTOCOLO ENTRE A FUNDAÇÃO PARA A COMPUTAÇÃO CIENTÍFICA TERENA CERTIFICATE SERVICE NA FCCN PROTOCOLO ENTRE A FUNDAÇÃO PARA A COMPUTAÇÃO CIENTÍFICA NACIONAL E RELATIVO AO TERENA CERTIFICATE SERVICE NA FCCN Considerando que a Fundação para a Computação Científica Nacional (FCCN) celebrou com a

Leia mais

MINISTÉRIO DA CULTURA FUNDAÇÃO NACIONAL DE ARTES FUNARTE COMISSÃO DE COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA HABILITAÇÃO Nº. 01/2014

MINISTÉRIO DA CULTURA FUNDAÇÃO NACIONAL DE ARTES FUNARTE COMISSÃO DE COLETA SELETIVA SOLIDÁRIA HABILITAÇÃO Nº. 01/2014 A Fundação Nacional de Artes FUNARTE realizará, das 9 horas do dia 23 de janeiro de 2014 às 16 horas do dia 28 de janeiro de 2014, procedimento de HABILITAÇÃO das associações e cooperativas de catadores

Leia mais

1. A SPECTOS GERAIS 1.1 APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS

1. A SPECTOS GERAIS 1.1 APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS C A P Í T U L O I - C A D A S T R O D E P A R T I C I P A N T E S E I N V E S T I D O R E S 1. A SPECTOS GERAIS A CBLC administra dois sistemas de cadastro: o Sistema de Cadastro de Participantes e o Sistema

Leia mais

Soluti Orientações SIOPS 22/03/2013 SOLUTI

Soluti Orientações SIOPS 22/03/2013 SOLUTI SOLUTI Orientações para a Emissão do Certificado Digital, tipo A3, Pessoa Física, com Financiamento pelo Ministério da Saúde para Operadores da Funcionalidade Restrita do Sistema de Informações sobre Orçamentos

Leia mais

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO O presente Regulamento institui a normatização adotada pelo Conselho

Leia mais

119ª CONFAZ Manaus, AM, 30.09.05 P. AJ. 07/05

119ª CONFAZ Manaus, AM, 30.09.05 P. AJ. 07/05 119ª CONFAZ Manaus, AM, 30.09.05 P. AJ. 07/05 AJUSTE SINIEF /05 Institui a Nota Fiscal Eletrônica e o Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica. O Conselho Nacional de Política Fazendária CONFAZ e o

Leia mais