Relatório de Gestão 2012/2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório de Gestão 2012/2013"

Transcrição

1

2 Ministério da Educação Universidade Federal de Mato Grosso Relatório de Gestão 2012/2013 SECOMM Cuiabá 2013

3 Relatório de Gestão 2012/2013 Reitora Maria Lúcia Cavalli Neder Vice-Reitor João Carlos de Souza Maia Divisão de Serviços Técnicos Catalogação da Publicação na Fonte: UFMT/Biblioteca Central M665r Brasil. Ministério da Educação. Universidade Federal de Mato Grosso. Relatório de gestão : 2012/2013 / Universidade Federal de Mato Grosso. Cuiabá : Universidade Federal de Mato Grosso, Secretaria de Comunicação e Multimeios, p. : il. color. ; 28 cm. 1. Universidade Federal de Mato Grosso - Relatórios de atividades 2. Universidade Federal de Mato Grosso - Relatórios administrativos. 3. Ensino superior - Universidades. I. Título. CDU 378.4(817.2)(047.32) Relatório de Gestão 2012/2013 Editado pela Secretaria de Comunicação e Multimeios Secretário: Benedito Dielcio Moreira Coordenação de Jornalismo e Imprensa Maria Santíssima de Lima Edição: Benedito Dielcio Moreira Redação: Benedito Dielcio Moreira e Maria Santíssima de Lima Revisão: Maria Santíssima de Lima e Tinho Costa Marques Supervisão de Design Jéssica da Graça Bastos Projeto Gráfico: Javier Eduardo López Díaz Diagramação: Javier Eduardo López Díaz e Mikhail Baraniuk de Queiroz Fotografia: Luiz Carlos Sayão, João Conceição, Nilza Guirado, Isadora Veloso (estagiária) e fotos cedidas pelas unidades. Universidade Federal de Mato Grosso Av. Fernando Correa da Costa nº Boa Esperança Cuiabá-MT Tel: (65) Fax: (65) UFMT CAMINHA A PASSOS LARGOS A Universidade Federal de Mato Grosso vem avançando nos últimos anos na Pós-Graduação, na Pesquisa e na ampliação de cursos. Nas páginas seguintes estão organizadas as atividades de cada órgão da Administração Central, desenvolvidas entre os meses de outubro de 2012 a agosto de 2013, primeiro ano da segunda gestão da Reitora professora Maria Lucia Cavalli Neder. Neste relatório, o leitor encontra informações sobre todos os campi da UFMT, das secretarias e pró-reitorias. Nas páginas iniciais destacamos os principais números da Instituição e atualizamos informações sobre o novo campus de Engenharias em Várzea Grande e o Campus II de Cuiabá, na rodovia Palmiro Paes de Barros, que liga Cuiabá a Santo Antonio de Leverger, área onde estão sendo construídos o Novo Hospital Universitário e a Faculdade de Medicina. Assim, com este relatório, oferecemos ao leitor uma visão geral das atividades da UFMT.

4 Universidade Federal de Mato Grosso Dirigentes Gestão Administração Superior REITORA Maria Lúcia Cavalli Neder VICE-REITOR João Carlos de Souza Maia PRÓ-REITORA ADMINISTRATIVA Valéria Calmon Cerisara PRÓ-REITORA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL Myrian Thereza de Moura Serra PRÓ-REITOR DE CULTURA, EXTENSÃO E VIVÊNCIA Luis Fabrício Cirillo de Carvalho PRÓ-REITORA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO Irene Cristina de Mello PRÓ-REITOR DE PESQUISA Joanis Tilemahos Zerwoudakis PRÓ-REITORA DE PLANEJAMENTO Elisabeth Aparecida Furtado de Mendonça PRÓ-REITORA DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO Leny Caselli Anzai PRÓ-REITOR DO CAMPUS DE RONDONÓPOLIS Javert Melo Vieira PRÓ-REITOR DO CAMPUS DE SINOP Marco Antônio Araújo Pinto PRÓ-REITOR DO CAMPUS DO ARAGUAIA José Marques Pessoa PREFEITO DO CAMPUS DE CUIABÁ Paulino Simão de Barros SECRETÁRIO DE ARTICULAÇÃO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS Sergio Henrique Allemand Motta SECRETÁRIO DE COMUNICAÇÃO E MULTIMEIOS Benedito Dielcio Moreira SECRETÁRIO DE GESTÃO DE PESSOAS Domingos Sálvio Santana SECRETÁRIO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS Paulo Teixeira de Sousa Junior SECRETÁRIO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO Alexandre Martins dos Anjos DIRETOR DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MÜLLER Elias Nogueira Peres DIRETORA DO HOSPITAL VETERINÁRIO (CUIABÁ) Luciana D Ambrósio Guimarães DIRETORES (AS) DE FACULDADES E INSTITUTOS CAMPUS DE CUIABÁ Faculdade de Administração e Ciências Contábeis Ávilo Roberto de Magalhães Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária Emílio Azevedo Faculdade de Arquitetura, Engenharia e Tecnologia Sérgio Luiz Moraes Magalhães Faculdade de Medicina Antônio José de Amorim Faculdade de Direito Saul Duarte Tibaldi Faculdade de Economia Benedito Pereira Faculdade de Educação Física Evando Carlos Moreira Faculdade de Enfermagem Áurea Christina de Paula Faculdade de Engenharia Florestal Reginaldo Brito da Costa Faculdade de Nutrição Roberto Vilela Veloso Instituto de Biociências Marcos André de Carvalho Instituto de Ciências Exatas e da Terra Martinho da Costa Araújo Instituto de Ciências Humanas e Sociais Imar Domingos Queiroz Instituto de Computação Josiel Maimone Instituto de Educação Silas Borges Monteiro Instituto de Física Alberto Sebastião de Arruda Instituto de Linguagens Maria de Jesus das Dores Alves Carvalho Patatas Instituto de Saúde Coletiva Marta Gislene Pignati CAMPUS DE RONDONÓPOLIS Instituto de Ciências Agrárias e Tecnológicas Analy Castilho Polizel Instituto de Ciências Exatas e Naturais Reinaldo José de Castro Instituto de Ciências Humanas e Sociais Antônia Marília Medeiros Nardes CAMPUS DO ARAGUAIA Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde Adenilda Cristina Honório França Instituto de Ciências Exatas e da Terra Paulo Jorge da Silva Instituto de Ciências Humanas e Sociais Anna Maria Penalva Mancini CAMPUS DE SINOP Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Frederico Terra de Almeida Instituto de Ciências Naturais, Humanas e Sociais Ricardo Lopes Tortorela Andrade Instituto de Ciências da Saúde Paulo Sérgio Andrade Moreira Sumário Avançar ainda mais, este é o nosso desafio... 8 Indicadores...10 Órgãos colegiados superiores...12 HospitalUniversitário Júlio Müller...13 Novo Hospital Universitário...15 Campus de Engenharia em Várzea Grande...16 Comissão Permanente de Pessoal Docente...17 Auditoria Interna...18 Vice-reitoria Hospital Veterinário...21 Escritório de Inovação Tecnológica Editora da UFMT Biblioteca Central Biotério Pró-reitoria de Ensino de Graduação - Proeg Pró-reitoria de Assistência Estudantil - Prae Pró-reitoria de Ensino de Pós-graduação - Propg Pró-reitoria de Pesquisa - Propeq...40 Pró-reitoria de Cultura, Extenção e Vivência Procev...44 Pró-reitoria Administrativa Proad...48 Pró-reitoria de Planejamento Proplam Campus Universitário de Rondonópolis...60 Campus Universitário do Araguaia Campus Universitário de Sinop...66 Secretaria de Articulação e Relações Institucionais Secretaria de Tecnologias da Informação e da Comunicação Secretaria de Relações Internacionais Secretaria de Comunicação e Multimeios Cerimonial... 82

5 AVANÇAR AINDA MAIS: ESTE É O NOSSO DESAFIO 8 Ao fazermos o balanço deste primeiro ano de gestão, iniciado em outubro de 2012, observamos que são significativas as ações já empreendidas para cumprir os princípios estabelecidos nas discussões com a comunidade. Buscando atender às políticas definidas para o aprimoramento administrativo e acadêmico, foram criadas duas novas secretarias diretamente vinculados à Reitoria - a de Articulação e Relações Institucionais (Sari) e a de Relações Internacionais (Secri) - e duas pró-reitorias - a de Assistência Estudantil (Prae) e a do Campus de Várzea Grande. Com essa medida demos mais um passo para intensificar a relação da UFMT com os órgãos públicos e privados; para facilitar a interação com os organismos e instituições de ensino superior internacionais; para assegurar a permanência dos nossos alunos na Universidade e iniciar a implantação do campus na segunda maior cidade de Mato Grosso. A nossa Universidade apresenta um crescimento de mais de 100% na pós-graduação, verificado nos últimos anos, o que significa também um salto na pesquisa. E, com a finalidade de fortalecer essa produção, foi criado o Fórum de Pesquisadores da UFMT, que vem discutindo proposições para infraestrutura física e humana, fontes de financiamentos e internacionalização, entre outras. Estamos a passos largos trabalhando para consolidar nossa universidade como instituição de referência. Como resultado do esforço de todos da UFMT, em 2014 teremos mais dois cursos de Medicina, um em Rondonópolis e outro em Sinop, e um campus voltado exclusivamente para as engenharias, no município de Várzea Grande. O fortalecimento da pesquisa, do ensino de graduação e de pós-graduação e maior envolvimento com a comunidade são objetivos primeiros de nossa universidade. Neste processo estamos todos comprometidos. Este relatório demonstra o que foi até agora realizado. Sabemos que temos um longo caminho pela frente. Vamos percorrê-lo com os olhos voltados para o que nos compete enquanto trabalhadores de uma instituição social. Maria Lucia Cavalli Neder Reitoria

6 INDICADORES UFMT Estudantes, Cursos, Bolsas e Biblioteca Cursos e alunos Cursos de Graduação 2013 Campus de Cuiabá 52 Campus de Rondonópolis 18 Campus do Araguaia 16 Campus de Sinop 10 Cursos a distância 05 Fonte: Edital de Vagas - Sisu 2013 Total 101 Cursos de mestrado e doutorado em 2013 Curso/ Campus CUIABÁ RONDONÓPOLIS ARAGUAIA SINOP REDE TOTAL Mestrado Doutorado Dinter Total Fonte: Relatório da Propg Alunos na Pós-Graduação Alunos matriculados nos cursos de Pós-Graduação 2013 Campus Mestrado Doutorado Campus de Cuiabá Campus de Rondonópolis 78 - Campus do Araguaia 71 - Campus de Sinop 85 - Fonte: STI/CAE/UFMT Total Cursos de especialização em 2013 Ano Cursos iniciados Vagas abertas Matriculados Cursos em andamento Concluintes Certificados expedidos Fonte: Relatório da Propg Bolsas de Graduação e de Extensão Bolsas de Graduação 2013 Programas Bolsistas Voluntários Pibid Monitoria PET 68 - Tutoria Fonte: Relatório da Proeg Total Alunos Matriculados nos Cursos de Graduação 2013/2 Campus de Cuiabá Campus de Rondonópolis Campus do Araguaia Fonte: STI/CAE/UFMT Campus de Sinop Cursos a distância Total Defesas Realizadas de Outubro de 2012 a Setembro de 2013 Fonte: Relatório da Propg Dissertações 945 Teses 61 Total 1006 Bolsas de Extensão Cuiabá Rondonópolis Araguaia Sinop Fonte: Relatório Procev Total Assistência Estudantil Assistência e Apoio Estudantil Número de estudantes* Acompanhamento acadêmico 1003 Bolsa Permanência Auxílio Alimentação Auxílio Moradia 410 Auxílio Evento 329 Apoio à promoção da Saúde 50 Apoio Pedagógico 234 Moradia Estudantil (CEU) 102 Proind, PEC-G, Apoio à Inclusão 137 Fonte: Prae (criada em outubro de 2012) *Atendidos até agosto de 2013 Iniciação Científica Fonte: Relatório da Propeq Programas TOTAL Iniciação Científica Contemplados Bolsas Programas de Iniciação Científica 517 Projetos de Pesquisa Fonte: Relatório da Propeq VIC 183 Jovens Talentos 26 Total 726 Total de Projetos Registrados 575 Indicadores da Biblioteca Central em 2013 Empréstimo domiciliar Consulta local Projetos de Pesquisa Out. de 2012 a Set. de 2013 Comutações bibliográficas em 2013 Usuários capacitados para uso das tecnologias disponíveis Valor Total de Projetos Aprovados R$ ,52 Usuários cadastrados no período Acervo de Livros (Catalogados em 2013) Títulos Exemplares * Fonte: Dados do Sistema Pergamum e da Biblioteca Central (dados de 01/01/2013 a 17/09/2013). * Dados aproximados. Indicadores Gerais da Biblioteca Central Usuários Ativos Títulos Acervo Geral de Livros Exemplares

7 HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MÜLLER-HUJM ÓRGÃOS COLEGIADOS SUPERIORES Integrado ao SUS, é essencialmente público O HUJM é um hospital de médio porte com 118 leitos, essencialmente público, vinculado à Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Está localizado na Rua Luis Philippe Pereira Leite, S/N CEP , Bairro Alvorada, Cuiabá/MT. Está integrado 100% à rede do Sistema de Saúde (SUS), é referência para o atendimento em média e alta complexidade ambulatorial e hospitalar para a população residente e referenciada e tem como compromisso garantir o acesso aos serviços pactuados com a rede. Sua missão é: Assistir, ensinar e preservar a saúde. Conselho Diretor Consepe - Consuni Os Órgãos Colegiados Superiores englobam os três conselhos superiores: Conselho Diretor, presidido pela reitora, ao qual compete gerir a administração da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso (FUFMT); Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe), última instância de deliberação para recursos sobre matéria acadêmica, científica, tecnológica, cultural e artística, bem como também, criação, expansão, modificação e extinção de cursos; ampliação e diminuição de vagas; elaboração da programação dos cursos; programação das pesquisas e atividades de extensão; contratação e dispensa de professor; planos de carreira docente; Conselho Universitário (Consuni), que delibera sobre matéria administrativa, econômica, financeira e de desenvolvimento de pessoal e dentro do que dispuser o Regimento Geral ou Resoluções dos Conselhos Superiores. A Secretaria dos Órgãos Colegiados Superiores tem como competência: preparar a agenda dos trabalhos; convocar os membros por determinação do(a) Presidente; detalhar os itens de pautas relativos a procedimentos para Relator; secretariar as sessões dos Conselhos; redigir os atos e demais documentos referentes às decisões tomadas pelos Conselhos; guardar todo o material dos Conselhos e manter atualizados os respectivos registros e correspondências dos conselhos. Conselho Diretor: 11 sessões. Destaques: aprovação da nova estrutura administrativa e acadêmica da UFMT; relatório de gestão da FUFMT do exercício de 2012; aprovação do orçamento programa para o exercício de 2013; criação da Corregedoria-Geral da Universidade Federal de Mato Grosso, homologação de convênios e termos de cooperação, entre outros. Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe): 16 sessões. Destaques: aprovação dos primeiros cursos de Graduação no campus de Várzea Grande; aprovação dos cursos de Medicina nos Campi de Rondonópolis e Sinop; aumento dos cursos de mestrado e doutorado; reestruturações curriculares; aprovação do calendário acadêmico 2013 entre outras. Conselho Universitário (Consuni): 06 Sessões. Destaques: instituição da Política de Segurança da Informação; aprovação do Plano de Desenvolvimento Institucional da UFMT - PDI, 2013 a 2018; Aprovação do Programa de Bolsas Expandindo Fronteiras, destinado à mobilidade acadêmica internacional, entre outros. Enfermaria Reformada Em números, apresentamos a produção de alguns serviços que o HUJM oferece aos usuários SUS conforme tabela e gráficos abaixo relacionados: INDICADOR Período de outubro/2012 a setembro/2013 Consultas Consultas de Pronto Atendimento Internações Cirurgias Exames Laboratoriais Exames Radiológicos Fonte: Sistema MV 2000i 12 13

8 NOVO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO 228 leitos de Internação e 25 leitos de UTI Festa de Natal 2012 Ações concretizadas no período compreendido entre 26/out/2012 a 15/set/2013: Adesão do HUJM à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh); Criação da Diretoria Técnica Assistencial para melhor atender às demandas do HUJM, através da Reitoria Consuni Conselho Diretor da UFMT; Participação na promoção do Projeto de Capacitação Superando as barreiras para prover atenção integral a mulheres que sofrem violência sexual, de acordo com a Norma Técnica do Ministério da Saúde: avaliação de uma intervenção, através da Cemicamp; Adesão ao Projeto Controlando a Infecção, sobrevivendo à Sepse, do Ministério da Saúde, para diminuição e controle de infecção hospitalar; Recebimento, por meio de convênio com o Ministério da Saúde e Secretaria Estadual de Saúde do Estado de Mato Grosso, de um Caminhão e dois baús, destinados para consultório itinerante em oftalmologia e laboratório para fabricação de óculos; Reforma de uma enfermaria da Clínica Cirúrgica pelo Projeto Abraça HUJM - ProUnin/Unimed; Alteração, por meio do Primeiro Termo Aditivo ao Convênio Assistencial nº 005/2012 entre a Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá e o HUJM, do valor orçamentário anual da contratualização firmada entre as partes no valor anual de ,88(dois milhões, oitocentos e sessenta e oito mil, duzentos e sessenta e nove reais e oitenta e oito centavos), referentes a incentivos da Rede de Urgência (UTI Adulto), Rede Cegonha (Gestante de Alto Risco e Custeio da Triagem Neonatal (Fase III do Teste do Pezinho III - Fibrose Cística); Conclusão do Estacionamento interno do HUJM; Empenho, em 2012, por meio de recursos da FUFMT, do valor de R$ ,63 (sessenta e quatro mil, seiscentos e trinta e cinco reais e sessenta e três centavos), para reforma e adequação do Almoxarifado Central do HUJM; Empenho, em 2012, por meio de recursos da FUFMT, do valor de R$ ,33(trezentos e vinte e nove mil, quatrocentos e quinze reais e trinta e três centavos), para reforma e adequação da Unidade II de Distribuição de Energia (transformador) do HUJM; Aquisição de equipamentos e mobiliários hospitalares no ano 2012 com recursos de Emenda Parlamentar no montante de R$ ,00 (treze milhões, seiscentos e sessenta e nove mil, duzentos e trinta e sete reais), viabilizados pela Reitoria da UFMT. Destacamos os seguintes itens adquiridos: - Ressonância magnética; - Estação de Tratamento de Esgoto; - Equipamentos de Lavanderia; - Equipamento de Videocirurgias; - Veículos - Duas ambulâncias e um minicaminhão utilitário. O novo Hospital Universitário está sendo construído na Unidade II do Campus de Cuiabá, situado na rodovia Palmiro Paes de Barros, caminho para Santo Antônio de Leverger, onde já está quase pronta a sede da Faculdade de Medicina e laboratórios. O complexo hospitalar em andamento está dividido em três grandes blocos: uma torre com oito andares, ao fundo, onde ficará a internação; dois blocos de três andares que abrigarão o serviço de nutrição e a administração; e um grande prédio na frente, com dois pavimentos, para o atendimento assistencial, além da área destinada aos gases medicinais e controle de elétrica e hidráulica. A estrutura de atendimento contará com de 228 leitos de internação; 25 leitos de UTI adulto; 18 leitos de UTI pediátrica; 20 leitos de UTI neonatal, totalizando 291 leitos. Haverá ainda 16 salas cirúrgicas, sendo seis salas de cirurgias gerais; três de cirurgias de endoscopia, quatro salas de parto natural humanizado e três salas de parto cirúrgico. O prazo de execução é de 720 dias contados da ordem de serviço emitida em 10 de dezembro de Em construção, prédios da Faculdade de Medicina Área do novo hospital, anexo à Faculdade de Medicina 14 15

9 CAMPUS DE ENGENHARIA EM VÁRZEA GRANDE A implantação começa em 2014 Aárea de implantação do campus está localizada na região denominada Chapéu do Sol e tem um total de 80 ha. O projeto urbanístico definido contempla a manutenção das Áreas de Preservação Permanente (APP) existentes e ainda reserva grandes extensões de áreas verdes contornadas por ciclovias. Três blocos serão inicialmente construídos, contendo: salas de aulas, laboratórios, administração, biblioteca e restaurante. COMISSÃO PERMANENTE DE PESSOAL DOCENTE Mais de mil resoluções sobre carreira de docentes foram concluídas A Comissão Permanente de Pessoal Docente, criada pelo Art. 30 do Decreto nº , de 11/12/80, têm a competência de executar a política de pessoal docente da Universidade, conforme as normas estabelecidas pela legislação federal, Ministério da Educação e conselhos superiores da Instituição. A comissão tem como atribuições: Apreciar os assuntos concernentes: a) à alteração do regime de trabalho dos docentes; b) à avaliação do desempenho para a progressão funcional dos docentes; c) aos processos de ascensão funcional por titulação; d) à solicitação de afastamento para Aperfeiçoamento, Especialização, Mestrado e Doutorado. Desenvolver estudos e análises que permitam fornecer subsídios para fixação, aperfeiçoamento e modificação da política de pessoal docente e de seus instrumentos; Prestar assessoramento ao colegiado competente na instituição de ensino superior e ao dirigente para formulação e acompanhamento da execução da política de pessoal docente; Além de outras atribuições a serem definidas pela UFMT. Resoluções concluídas pela Comissão Permanente de Pessoal docente no período de outubro de 2012 a outubro de Cursos Cinco cursos serão implantados na UFMT Campus de Várzea Grande, no segundo semestre de 2014 e irão suprir demandas ainda não atendidas pela Instituição e considerados essenciais para subsidiar a garantia da diversidade de ecossistemas e o posicionamento do Estado. Estes cursos abrem um leque de oportunidades de investimentos e suprem lacunas ainda presentes nas diversas atividades, tais como: agricultura, indústria metal-mecânica, pecuária, agroindústria, turismo e de infraestrutura. A despeito do crescimento econômico e competitividade agrícola, a região central do país defronta-se ainda com a necessidade premente de aumento da escolaridade média de sua população, de melhoria e consolidação da infraestrutura de transportes e saneamento, de redução das desigualdades sociais e regionais e de preservação ambiental, sob pena de comprometer a auto-sustentabilidade econômico-social pretendida pela sociedade local. São estes os cursos: Engenharia Química, Engenharia de Minas, Engenharia de Transporte, Engenharia de Automação e Controle, Engenharia de Computação. Tipo de Resolução Quant. Auxiliar para Assistente por Titulação 13 Assistente para Adjunto por Titulação 29 Progressão de Adjunto para Associado 81 Mudança de nível na classe de Auxiliar 3 Mudança de nível na classe de Assistente 157 Mudança de nível na classe de Adjunto 382 Mudança de nível na classe de Associado 114 Mudança de regime de trabalho 7 Estágio Probatório 1º ano 41 Estágio Probatório 2º ano 110 Estágio Probatório 3º ano 188 Incentivo de Especialista 5 Incentivo de Mestrado 2 Incentivo de Doutorado 118 Total

10 AUDITORIA INTERNA Órgão de controle, assessoramento e orientação 18 A Auditoria Interna da Universidade Federal de Mato Grosso é o órgão técnico de controle interno, assessoramento, orientação, acompanhamento e avaliação de resultados quanto à economicidade, eficácia e eficiência dos atos e fatos da gestão. Foi organizada pela Resolução do Conselho Diretor nº 041, de 10/10/1983, como Auditoria Geral e transformada em Auditoria Interna pela Resolução CD n.º 64, de 07 de outubro de 2005, que disciplina a sua organização e funcionamento. É vinculada diretamente ao Conselho Diretor da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso, órgão superior da Instituição e tem por finalidades básicas fortalecer a gestão, racionalizar as ações de controle e prestar apoio aos órgãos do Sistema de Controle Interno do Poder Executivo Federal (CGU) e do Controle Externo (TCU). No período compreendido entre 28 de outubro de 2012 a 31 de agosto de 2013, a Auditoria Interna elaborou 23 (vinte e três) relatórios. Nesse mesmo período analisou e emitiu 116 (cento e dezesseis) despachos em processos administrativos. Os Relatórios de Auditoria Interna, encaminhados à Administração Superior e à Controladoria Geral da União, versam sobre os atos da gestão administrativa nas áreas orçamentária, financeira, patrimonial, recursos humanos e de suprimento de bens e serviços, previstos no Plano Anual de Atividades de Auditoria Interna. Dentre as inúmeras atividades desenvolvidas, a Auditoria Interna, no período de outubro de 2012 a agosto de 2013, prestou assessoramento à administração superior na coleta de informações e elaboração de justificativas, em cumprimento às determinações contidas nos acórdãos, audiências e diligências advindos do Tribunal de Contas da União e nas solicitações de auditoria, plano de providências permanente e relatórios de auditoria de gestão emitidos pela Controladoria Geral da União. Prestou, também, assessoramento às pró-reitorias de Planejamento e Administrativa na elaboração do processo de prestação de contas anual, de acordo com as exigências contidas na Instrução Normativa /TCU e Norma de Execução/CGU. Vice-Reitoria 19

11 HOSPITAL VETERINÁRIO DA UFMT CAMPUS DE CUIABÁ Aprendizagem e atendimento à comunidade Foi inaugurado em 09 de setembro de 1999 para servir como um ambiente de aprendizagem teórico-prático aos cursos de graduação e pós-graduação (lato e stricto sensu) em Medicina Veterinária, nas áreas de Clínica, Cirurgia e Apoio e Diagnóstico. Vice-Reitor (à direita) com representantes da área de esportes. VICE-REITORIA Inovação tecnológica, editora, biblioteca e Hovet A Vice Reitoria da UFMT, em suas ações de desenvolvimento institucional, assume um papel de articulação junto à sociedade mato-grossense e organismos nacionais e internacionais no intuito de produzir ciência, tecnologia e inovação nos mais diferentes setores da instituição, cujas ações a seguir, têm levado, além dos debates, ao encaminhamento de consolidação de políticas e programas estratégicos da UFMT como referências ao seu desenvolvimento. Vale ressaltar as ações mais importantes: Programa de apoio ao desenvolvimento do esporte na UFMT com o apoio do Ministério dos Esportes em duas propostas básicas: a) construção de uma pista de alta performance na UFMT no Araguaia e criação de um laboratório de ponta para avaliação de atletas de alto rendimento. Coordenação do Fórum de Pesquisadores e Coordenadores de Pós-Graduação da UFMT, que vêm discutindo uma proposta de política institucional para a UFMT com a participação de pesquisadores e coordenadores dos programas de pós graduação stricto sensu e contribuição de diversos Grupos de Trabalho do Fórum. Coordenação dos programas estratégicos da UFMT de acordo com a proposta de nucleação das ações institucionais como Biodiversidade e Biotecnologia,Programa de Agricultura Sustentável e Agroenergia. Ações junto ao BNDES (Fundo Amazônia) para financiamento de um grande projeto na área da Biodiversidade e Biotecnologia, cuja ação está sendo coordenada e orientada pela Vice-Reitoria na formatação da proposta a ser submetida ao Banco. Diversas articulações para cooperações técnicas, científicas e de inovação. Acordo com o MT fomento: EIT prestará apoio técnico aos projetos empresarias de micro e pequeno porte através do Programa de Financiamento Inovatec da Finep; Recebimento de 20 laboratórios da Secitec para apoiar todos os campi da UFMT na área da tecnologia da informação. Articulações em parceria com a Propeq junto à Finep para concretização do apoio aos projetos estruturantes da UFMT principalmente aqueles advindos do CT-Infra, Programa Tecnova. Negociações com a Superintendência para o Desenvolvimento do Centro-Oeste Sudeco para apoiar uma série de ações nas áreas de agricultura, pecuária e energia. O bloco de Grandes Animais e de Laboratórios foi inaugurado em março de 2012, em área anexa ao Hospital já existente. O bloco de Grandes Animais conta com salas para paramentação, indução e recuperação anestésica, sala de cirurgia, área para atendimento clínico com troncos específicos para bovinos e equinos, baias de internação, entre outras. Já os laboratórios tiveram sua área física ampliada de modo a proporcionar melhores condições para realização dos exames de rotina e pesquisa. Além do espaço físico, o Hovet está com novos equipamentos para a realização de atendimento clínico, cirúrgico e laboratorial de excelência, como endoscópio/colonoscópio, aparelho de ultrassom, ultrassom portátil transretal, microscópio cirúrgico, monitores multiparamétricos, cardioversores, aparelho de anestesia inalatória e mesa cirúrgica elétrica para grandes animais, focos cirúrgicos, processador automático de tecidos e vários modelos de microscópios. Em agosto foram iniciadas as atividades de sequenciamento de DNA e genomas. Em relação à pós-graduação, o ano de 2012 foi de grande importância devido à criação do curso de doutorado em Ciências Veterinárias e ao reconhecimento da residência Médica-Veterinária pelo MEC. Comunidade O atendimento à comunidade é realizado pelos médicos veterinários residentes e mestrandos, que são supervisionados pelos docentes de cada setor (no total são 18 docentes do curso de Medicina Veterinária atuantes no Hovet), e por dois médicos veterinários. Auxiliam nos atendimentos os alunos bolsistas dos projetos de extensão e estagiários curriculares, e os bolsistas Pibic. Fazem parte do corpo técnico 18 servidores e 13 funcionários terceirizados. O atendimento à comunidade é realizado 20 21

12 de segunda a sexta feira, das 7h às 19h, sendo que no período da noite e finais de semana há plantão para os animais já internados. A abertura de prontuário é realizada por ordem de chegada na recepção e o atendimento pelos médicos veterinários é por ordem de chegada e por setor. Atendimento emergencial é sempre prioridade. ESCRITÓRIO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Principais ações desenvolvidas pelo EIT Pré-Incubação e Incubação de 14 empreendimentos econômico-solidários no portfólio Tecnologia Social e seis empreendimentos no portfólio de Base Tecnológica, no formato do método Cerne (Sebrae/Anprotec); Firmadas sete parcerias institucionais com entidades externas; Visitas técnicas nos três campi (Sinop, Rondonópolis e Araguaia) da UFMT com o objetivo de prospectar pesquisadores, discentes e técnicos administrativos para integração da Rede de Inovação; Observatório da Inovação com dois bolsistas de pós-doutoramento com 60 casos investigados em estudo recursivo desde 2009; Capacitação em Gestão Estratégica de Projetos Inovadores para 37 colaboradores das seguintes unidades: EIT, Uniselva, Proplan, Sari, PROPEq, FAeCC, Empresas Juniores e Instituto de Computação; Capacitação do Programa Gestão Financeira para Empreendimentos Incubados com a participação de 20 pessoas das comunidades interna e externa; Capacitação em Bioenergética, ofertas I e II, em parceria com a Associação Bioenergética Mato-grossense Abem, com 50 pessoas capacitadas; Participação na Feira do Empreendedor 2013 (Sebrae-MT) com estande institucional e estande de três empreendimentos pré-incubados e duas empresas graduadas; Processo de Depósito de Registro de Patente junto ao INPI: um; Processo de Transferência de Tecnologia: dois

13 EDITORA DA UFMT Missão: publicar o conhecimento gerado na UFMT A Editora da Universidade Federal de Mato Grosso (EdUFMT) vem, nos últimos anos, comemorando o aumento no número de publicações, a qualidade delas e a oportunidade de financiamento institucional e pelas agências de fomento aos autores. Neste ano foram publicadas 32 obras: 30 livros impressos e duas revistas. A principal função desta Editora é a de publicizar a produção de conhecimento científico dos professores e servidores desta universidade, de outras universidades, de instituições em geral e iniciativas de escritores locais, regionais e nacionais, cujas obras sejam literárias. Além dessa finalidade precípua, a EdUFMT, no ano de 2013, vem realizando os seguintes projetos: O AUTOR E A OBRA: um dedo de prosa com os autores. Iniciativa que percorre os campi do interior (Sinop, Rondonópolis e Araguaia). Os autores reúnem-se para apresentação de suas obras, em sua maioria resultado de pesquisa de mestrado e de doutorado. Em Cuiabá, a convite da Seplan-MT, esse projeto realiza mensalmente reuniões com os autores de obras publicadas pela EdUFMT sob a iniciativa da Secretaria. São obras derivadas de dissertações de mestrado e de pesquisas que se referem às questões econômicas de Mato Grosso. FICA A DICA: Tem o objetivo de divulgar, via página da UFMT, boletins semanais via Internet, informações referentes às atividades da editora. Este projeto é de caráter extensionista e também de integração com a graduação. É realizado pela Coordenação da Editora, juntamente com alunos bolsistas do Curso de Comunicação Social. A Editora teve participação efetiva em eventos, expondo e comercializando obras, destacando-se o Seminário de História da Educação de Mato Grosso, realizado em maio de 2013; o SemiEdu 2013, com sessão especial de lançamento de 22 obras de autoria individual e coletâneas da área de Educação e de áreas afins. Encontra-se em processo de fortalecimento e melhoria de infraestrutura a Livraria da EdUFMT. No prédio novo, em ambiente adequado, estão expostas obras para comercialização e divulgação, a maioria fomentada, de várias áreas de conhecimento. A EdUFMT recebe visitas de alunos, professores e da comunidade em geral, que encontram, na livraria, ambiente de leitura, mais uma opção para pesquisa, além, é claro, da compra. A venda é realizada também pela Internet. Na página da Editora podem ser encontradas as informações sobre as obras e suas condições de compra. O Conselho Editorial constitui-se na instância de apoio à Coordenação, propondo e analisando políticas, analisando o mérito das obras, para aprovação. A Supervisão Técnica, a Revisão, a Secretaria e a Livraria compõem a Editora e colaboram para que os objetivos e metas sejam alcançados anualmente. Uma conquista da EdUFMT foi a instalação de representação do Escritório de Direitos Autorais (EDA) na UFMT, aprovada pelo Conselho Editorial, que aprovou também o código QR de acesso ao site da Editora. Um dos projetos para o próximo ano é o de publicar livros em formato e-book. A publicação não substitui, mas, sim, soma-se à edição impressa. A par destas ações a Editora promove dois concursos literários: Sergio Dalate e de Literatura Infantil. Os resultados premiarão os primeiros colocados nas categorias contos, poemas e infantil. Presidem o Júri o Professor Dr. Mario Cesar Silva Leite e a Professora Dra. Simone de Jesus Padilha, do Curso de Letras da UFMT. BIBLIOTECA CENTRAL DA UFMT Acervo de livros No ano de 2013, a Biblioteca Central deu segmento às atividades de atualização do acervo e de desenvolvimento de serviços informacionais, incluindo o atendimento aos usuários. A aquisição de material bibliográfico tem sido, assim, um serviço contínuo ao longo dos anos. Indicadores da Biblioteca Central no Ano de Empréstimo domiciliar Consulta local Comutações bibliográficas em 2013 Usuários capacitados para uso das tecnologias disponíveis Usuários cadastrados no período Acervo de Livros (Catalogados em 2013) Títulos Exemplares * Fonte: Dados do Sistema Pergamum e da Biblioteca Central (dados de 01/01/2013 a 17/09/2013). * Dados aproximados. Indicadores Gerais da Biblioteca Central Usuários Ativos Acervo Geral de Livros Títulos Exemplares Fonte: Sistema Pergamum. No mês de agosto foi realizado, na Faculdade de Arquitetura, Engenharia e Tecnologia (Faet) um treinamento de uso do Portal de Periódicos da Capes, que contou com a presença de representante da Capes e de várias bases de dados disponíveis no Portal de Periódicos, tendo mais de 130 participantes inscritos. Além disso, ainda nesse ano, a Biblioteca Central também tem desenvolvido treinamentos constantemente na Unidade visando à capacitação de usuários, bem como ao aprimoramento do uso do Portal de Periódicos. Convém destacar que em 2013 a Biblioteca Central também tem recebido várias comissões do MEC que avaliam cursos ofertados pela Instituição, entre os quais os cursos de Saúde Coletiva, Ciências Sociais, História, Física, Química (Licenciatura e Bacharelado) e Enfermagem (em processo de Acreditação no Mercosul).

14 BIOTÉRIO Apoio à Pesquisa na UFMT O Biotério da Universidade Federal de Mato Grosso desenvolveu durante o exercício de 2013 uma série de ações relacionadas às suas atividades fins, conforme relatório que se segue. Realizações O Biotério da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) apoia pesquisadores e alunos no desenvolvimento de suas atividades de pesquisa. Durante o exercício de 2013 realizou uma série de ações relacionadas às suas atividades fins, tais como: Elaboração do Termo de Referência , de Manutenção de Máquinas e Equipamentos do Biotério/UFMT; Elaboração do Termo de Referência , referente à Aquisição de Grupo Gerador; Elaboração do Termo de Referência , para Aquisição de Ração para Animais de Laboratório; Realização de Treinamento Técnico dos servidores pelo coordenador; Fornecimento de animais aos laboratórios e outras unidades de pesquisa; Realização de reunião com os diretores da empresa Sadia (Campo Verde) com o objetivo de rever a assinatura do Acordo de Cooperação Técnica entre a UFMT e Sadia S/A (Processo /10-7, aprovado pelo Conselho Diretor em 23/10); Carregamento de um caminhão de Pinus em Campo Verde/UFMT para montagem de cama de animais de laboratório; Elaboração de projeto junto à Uniselva, em andamento; Realização de Reunião Extraordinária com pesquisadores/ Biotério Central no dia 16 de maio de 2013; Elaboração de Plano de Ação para o período de janeiro a dezembro de 2013, de autoria do professor Benedito Luiz Figueiredo. No período de janeiro a outubro de 2013, com a finalidade de pesquisa, o Biotério recebeu demandas de oito laboratórios da UFMT para fornecimento de ratos Wistar, totalizando unidades solicitadas até dezembro. Sete deles retiraram, de janeiro a agosto, exemplares. A mesma quantidade de laboratórios solicitou 9190 camundongos Swiss, de janeiro a outubro deste ano, e retiraram, até agosto, O Biotério também contribuiu para a realização de pesquisa sobre hanseníase mediante o fornecimento de 270 ml de sangue de coelho de janeiro a outubro de O Biotério produz a maravalha que serve de cama para os animais. A produção de maravalha em 2013 foi de 5.881quilos. 26 Pró-Reitorias

15 PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO - PROEG Ensino e formação docente A Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (Proeg) é uma instância da Universidade Federal de Mato Grosso responsável pela gestão acadêmica dos cursos de graduação dos quatro campi: Cuiabá, Rondonópolis, Sinop e Araguaia. A Pró-reitoria de Ensino de Graduação (Proeg) é constituída pelas Coordenações de Ensino de Graduação e de Formação Docente. Principais Ações (Dezembro 2012 a setembro de 2013) Estudo e elaboração de relatório técnico sobre a situação de encargos de ensino dos docentes da UFMT; Coordenação de comissão para concepção e realização do Projeto Piloto de Avaliação Informatizada da Docência de Disciplinas, atingindo cerca de 40 cursos de graduação dos quatro campi da UFMT; Coordenação de comissão para concepção e realização de Projeto Piloto de Informatização do Programa Monitoria da UFMT; Elaboração de Orientações Curriculares para a reformulação curricular dos cursos de graduação da UFMT; Elaboração do Manual do Coordenador de Curso de Graduação da UFMT (no prelo); Proposição de minuta de Resolução, ao Consepe, para regulamentar os cursos de graduação da UFMT; Proposta ao Consepe de Regulamentação da permuta interinstitucional de acadêmicos no âmbito da Universidade Federal de Mato Grosso (resolução aprovada); Participação na elaboração de proposta de Minuta de Resolução de Ocupação de Vagas na UFMT; Elaboração de Proposta de Minuta de Resolução de Aula de Campo a ser encaminhada ao Consepe ainda em 2013; Elaboração de Edital de Transferência Facultativa 2013 e, juntamente com a STI, execução em sistema informatizado. Coordenação de Ensino de Graduação Objetivos: auxiliar nas ações de gestão acadêmica e acompanhamento do ensino de graduação. Organização: Gerência de Regulação e Avaliação, Gerência de Estágio e Mobilidade e Supervisão de Aula de Campo. Atividades: Acompanhou a criação, elaboração e reestruturação de 14 cursos de graduação em 2012, 14 em 2013 e 28 Resoluções do Consepe; Elaboração dos quesitos para vagas remanescentes. Gerência de Regulação e Avaliação: Deflagra e acompanha os processos de regulação dos cursos; avaliação de desempenho dos estudantes (Enade); Orienta e mobiliza os Colegiados dos Cursos para a eficácia da operacionalização das inscrições dos estudantes; Potencializa suas ações nos procedimentos de autoavaliação; Trabalha para a institucionalização da autoavaliação; Acompanha e orienta aos colegiados de cursos para o recebimento das comissões de avaliação in loco do Inep: 12 Colegiados, em 2012 e 11 Colegiados em Em 2012 foram publicadas portarias de autorização, reconhecimento e renovação de reconhecimento para 53 cursos de graduação e em 2013 para 13 cursos. Gerência de Estágio e Mobilidade: Orientação aos coordenadores de curso, professores, alunos e IES conveniadas quanto aos trâmites dos processos de mobilidade acadêmica nacional; encaminhamento e acompanhamento dos acadêmicos que participam do programa. Mobilidade Acadêmica Nacional 2012 Mobilidade Acadêmica Nacional 2012 Total de alunos da UFMT para outras IES: 48 alunos Total de alunos da UFMT para outras IES: 25 alunos Total de alunos entre campi: 11 alunos Total de alunos entre campi: 08 Total de alunos de outras IES para UFMT: 07 alunos Total de alunos de outras IES para UFMT: 07 Total Geral: 66 Alunos Total Geral: 40 Alunos Total de Bolsas em 2012 para Mobilidade Total de Bolsas em 2013 para Mobilidade Bolsas oferecidas pela UFMT: 40 (20 para cada semestre) Bolsas oferecidas pela UFMT: 21 Bolsas Andifes/Santander: 06 Bolsas Bolsas Andifes/Santander: 06 Bolsas Reitora abre a Semana do Calouro FAET Convênios para Concessão de Estágio em 2012 Convênios para Concessão de Estágio em Convênios 73 Convênios Supervisão de Aula de Campo Sinop: 07 Cursos 299 aulas Araguaia: 08 Cursos 68 aulas Rondonópolis: 09 Cursos 170 aulas Cuiabá: 14 Cursos 409 aulas Coordenação de Formação Docente Objetivos: Implementar, coordenar, assessorar, avaliar e articular os programas/projetos de formação docente da UFMT. Atividades: Implementação de novos modelos de formação voltados ao atendimento das demandas da escola pública no estado de Mato Grosso, estabelecendo um diálogo permanente entre as diversas áreas do conhecimento facilitando a interdisciplinaridade; melhor compreensão das parcerias entre Universidade e Secretarias de Estado e Municipais de Educação; a adoção de medidas curriculares que aproximam os cursos de licenciaturas da realidade dos estudantes e o sentido de formação para qualidade da escola pública. A CFD, em 2013, conseguiu assento no Fórum Permanente de Formação Docente/Seduc; Atuação junto às coordenações de Programas de Formação Inicial e Continuada, como o Novos Talentos/Capes; Coordenação do Comitê Gestor Institucional (Comfor-UFMT), responsável, no âmbito da UFMT, por assegurar a indução, a articulação, a coordenação e a organização de programas e ações ligados à formação docente. Propostas: Implantar e acompanhar os Programas de Pibid, PET, Monitoria, Tutoria e Prodocência, todos relativos ao processo de formação dos futuros docentes que atenderão à Rede Pública de Educação Básica; Também é da sua responsabilidade, o oferecimento do curso de Docência no Ensino Superior, destinado aos professores em estágio probatório na UFMT, além da publicação de obras e periódicos dedicados ao universo da formação inicial e continuada de professores. Sob a demanda das Unidades Acadêmicas, a CFD propicia cursos, oficinas e palestras no âmbito pedagógico a gestores e a docentes. Assim, considerando o período de outubro de 2012 a setembro de 2013, a Proeg, por meio dos Programas internos, publicou os editais de chamada à Monitoria e a Tutoria; gerenciou o pagamento das bolsas e analisou relatórios dos bolsistas. Uma expressiva produção acadêmica foi revelada durante o 3º Seminário do Programa de Tutoria e o 5º Seminário Integrador do Pibid, realizado em junho, no Campus de Cuiabá. Os seminários reuniram alunos dos campi de Cuiabá, Rondonópolis, Araguaia e Sinop, docentes da UFMT, tutores e professores de escolas onde o Pibid atua. Em junho de 2013, a CFD organizou a Conferência Livre da UFMT, onde se discutiu o Documento Referência para a preparatória para a Conae Cerca de 80 pessoas participaram, envolvendo todos os segmentos da Universidade. Foram realizadas palestras e organizaram-se grupos de trabalho para discussão e proposições sobre os sete eixos que compõem o documento

16 Projetos/Programas executados pela Coordenação de Formação Docente CFD Projeto/ Programa Ações Resultados Comitê Gestor Institucional Implantação; fortalecimento da articulação entre os Projetos/ Programas de Formação Docente; Adesão a Renafor Acompanhar do Fórum Estadual de Educação; Submissão de 16 Projetos com aporte de R$ ,00 para seu desenvolvimento, sendo 10 financiados pela Secadi e 6 pela Secretaria de Educação Básica/MEC Coordenação CFD Gerência de Docência do Ensino Superior Políticas Institucionais de Formação Docente Conae Cursos Eventos Produção de Material Constituição de redes interdisciplinares entre os campus da UFMT Estímulo e apoio à instalação de laboratórios interdisciplinares de formação docente Palestras Oficina sobre a Educação e Afetividade Organização da Conferência Livre da UFMT Organização financeira da etapa intermunicipal, com atendimento a 15 pólos Cefapros/Seduc Organização financeira da etapa estadual Orientação, no contexto dos Editais da Capes, Secadi e SEB, para a formação da rede de Formação Docente Participação, com aprovação do Edital Life 2012 Palestrante externo convidado. Atendimento a cerca de 100 participantes do Ecodeq/2013 Professor externo convidado Atendimento a 63 participantes 80 participantes 1400 participantes 480 participantes Docência no Ensino Superior Uma edição no mês de outubro de 2013 Apoio Pedagógico aos cursos de graduação Quatro cursos foram atendidos sob demanda Organização geral, avaliação dos III Semana Acadêmica trabalhos, confecção, registro e entrega de certificados. Fórum das licenciaturas Acompanhar e avaliar os cursos Publicação do Boletim das Três edições em 2013 Licenciaturas Programa Prodocência - Publicações A Prática como Componente Curricular Estágio Supervisionado na UFMT Livro Iniciação à Docência na UFMT -Lançado em dez/2012 Livro Iniciação à Docência no Ensino Superior na UFMT - no prelo (previsão de lançamento em outubro/13) Em preparação Em preparação Buscar garantir financiamento em órgãos Cadernos Pedagógicos do PIBID externos e parcerias com empresas e órgãos governamentais; Organizar os Cadernos Prodocência Aprovação no Edital 2013 Realização do Fórum das Licenciaturas; Abertura dos seminários dos programas Pibid e Tutoria. CFD Gerência de Iniciação à Docência Projeto/ Programa Tutoria Monitoria PET Pibid - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência Eventos Ações Edital anual e trabalho mais próximo aos cursos visando ampliação do atendimento aos acadêmicos que precisam de apoio didático-pedagógico Edital anual e trabalho mais próximo aos cursos, orientando sobre o papel do monitor Constituição Constituição do Comitê Local de Acompanhamento PET Licenciaturas: quase todas as licenciaturas presenciais da UFMT participam do Pibid Constituição do Comitê do PIBID Cadernos do Pibid Reuniões de acompanhamento dos Subprojetos Pibid e Oficina Pedagógica Palestra sobre Interdisciplinaridade 3º Seminário do Programa de Tutoria e o 5º Seminário Integrador do Pibid Resultados De out a dez/2012, o programa atendeu 14 cursos. Para tanto, contou com: 62 alunos-tutores 22 professores tutores No ano de 2013 (até outubro) o Programa tem trabalhado com 18 cursos atendidos por: 84 alunos-tutores, sendo 76 remunerados; 27 professores tutores Participaram em 2012/2: 478 bolsistas 294 voluntários 398 professores orientadores Participam em 2013: 629 bolsistas 336 voluntários 851 professores orientadores 14 grupos 68 bolsistas Nº de alunos licenciandos Pibidianos: 275 Nº de Profs. coordenadores de área: 8 Nº de Profs. da rede Supervisores: 12 Nº de escolas conveniadas:5 Em elaboração 1 reunião em Cuiabá com participação dos coordenadores de Sinop; 1 reunião em Barra do Garças, 1 reunião em Rondonópolis no ano de 2013 Em Cuiabá, Barra do Garças e Rondonópolis 350 participantes 23 mesas de comunicações Pibid e Tutoria e 77 painéis Pibid e Tutoria, totalizaram 100 trabalhos apresentados. 19 estudantes receberam menção honrosa, sendo sete alunos destaque, um por mesa de comunicação e um painel por área

17 PRÓ-REITORIA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL - PRAE Acolhimento e atenção aos estudantes A Pró-Reitoria de Assistência Estudantil (Prae), criada em dezembro de 2012, tem por objetivo desenvolver ações institucionais no âmbito da assistência estudantil, que garantam o acesso, a permanência e o sucesso acadêmico do estudante no curso desde o seu ingresso até a sua conclusão, tanto nos programas de graduação, como nos de pós-graduação ofertados pela UFMT. A reserva de 50% de vagas em todos os cursos de graduação, para estudantes de escolas públicas, com o recorte étnico-racial e social, instituído pelo Programa de Ação Afirmativa da UFMT, requer estratégias de acompanhamento, o estabelecimento de programas e de gestão de políticas voltadas à formação de excelência e de sucesso acadêmico. A Prae constitui-se numa instância de articulação e promoção que busca a vivência universitária com qualidade na UFMT. O Fórum de Assistência Estudantil, realizado uma vez ao ano, é um espaço coletivo de discussão, construção de propostas e encaminhamentos de Políticas de Assistência Estudantil na UFMT, que conta com a participação de estudantes e suas representações de todos os campi. Cabe destacar, entre as ações desenvolvidas pela Prae, a realização do 1º Edital de Assistência Estudantil destinado aos estudantes de pós-graduação strito sensu, o 1º Edital on line de Renovação de Bolsas e Auxílios para o período letivo de 2013/2 e o apoio à realização do I Encontro de Estudantes Ingressantes por Ações Afirmativas. Programas e Políticas da Prae Acolhimento institucional Estratégia de afiliação à vida acadêmica e universitária, por meio da qual a Prae organiza atividades destinadas à recepção de calouros na UFMT. No início do período letivo de 2013/1, a Prae participou de eventos nos quatro campi a partir da articulação dos DCEs, Centros Acadêmicos e Unidades Acadêmicas e Administrativas. Prepara e divulga folderes, cartazes e comunicados eletrônicos com o intuito de orientar o ingressante no seu cotidiano universitário. O acolhimento institucional é uma ação contínua e permanente estendida a todos os estudantes da UFMT e considerada, pela Pró-Reitoria, como o eixo norteador de suas ações. O Programa de Acolhimento Imediato (PAI) é uma ação que tem como finalidade a recepção e a permanência dos calouros nos primeiros dias letivos. Como um programa com caráter transitório e emergencial, propicia ao estudante selecionado o apoio à moradia e alimentação. Tal programa atendeu 33 calouros no período letivo de 2013/1. Acompanhamento Acadêmico Trata-se de uma ação demandada, inicialmente, pelos estudantes que ingressaram no Programa de Inclusão Indígena (Proind), que atualmente é estendida aos demais estudantes atendidos pelos programas desenvolvidos pela Prae. Tem como principal objetivo apoiar e acompanhar o estudante que requer a equiparação de estudos em algumas áreas de conhecimento que são essenciais a sua formação acadêmica. Além das atividades mencionadas, o programa trabalha as diferenças étnicas, culturais e lingüísticas dos estudantes indígenas e do convênio Programa Estudante Convênio (PEC-G). Alunos chegam à Casa do Estudante. A partir de um diagnóstico realizado em conjunto com a Secretaria de Tecnologia da Informação (STI), no qual foram identificados 44 estudantes autodeclarados deficientes, a Prae realiza o estudo sobre as suas necessidades e a possibilidade de apoio, tanto no sentido da acessibilidade quanto da necessidade acadêmica. Desses, oito estudantes foram atendidos e têm acompanhamento pela Prae. Nos semestres 2012/2 e 2013/1 foram acompanhados, regularmente, 710 estudantes de diferentes cursos. A tabela a seguir apresenta um panorama dos acompanhamentos realizados nesse período: Acompanhamento Acadêmico Número de estudantes Estudantes indígenas (Proind) 64 Estudantes convênio PEC-G 13 Estudantes Bolsistas Permanência em acompanhamento acadêmico* 91 Estudantes com deficiências 44 Estudantes apoiados pelo Programa de Apoio à Inclusão 796 TOTAL * Apenas os estudantes com Termo de Compromisso de Acompanhamento Acadêmico com a Prae Permanência Estudantil A Prae conta com um conjunto de programas destinados aos estudantes, prioritariamente em situação de vulnerabilidade socioeconômica e ingressantes por meio de ações afirmativas, auxiliando-os em sua permanência na instituição, de forma a garantir o sucesso acadêmico. Os programas desenvolvidos são: Moradia (Auxílio Moradia e Casa do Estudante Universitário), Auxílio Alimentação, Bolsa Permanência, Auxílio Evento, Apoio Pedagógico, Apoio à promoção da saúde e Apoio à realização de eventos estudantis nos campi. A partir de maio de 2013, os estudantes indígenas, quilombolas e de cursos com carga horária semanal igual ou superior a cinco horas passaram a receber a bolsa permanência do MEC. O acompanhamento acadêmico e a homologação do cadastro desses estudantes são de responsabilidade da Prae. O Programa de Bolsa Permanência (PBP/MEC) considera as diferenças étnicas e culturais e concede benefícios diferenciados aos estudantes indígenas e quilombolas. Até junho de 2013, os estudantes indígenas recebiam apoio a permanência por meio de convênio entre a UFMT e Funai e a UFMT e FNDE/MEC. A bolsa permanência consiste em auxílio financeiro que tem por finalidade minimizar as desigualdades sociais e contribuir para a permanência e a diplomação dos estudantes de graduação em situação de vulnerabilidade socioeconômica. Para 2013, são ofertadas 1500 bolsas no valor de R$ 400,00 cada. O programa prevê a realização de 12 horas semanais de atividades acadêmicas. Está prevista a apresentação de aproximadamente 200 painéis resultantes dessas atividades. O Auxílio Alimentação consiste no repasse mensal do valor correspondente ao almoço e ao jantar no restaurante universitário acrescido de um valor para as refeições do fim de semana, 32 33

18 exceto o sábado no almoço. Em 2013, são ofertados 1500 auxílios no valor de R$ 100,00 cada. O Programa de Moradia atende os estudantes da UFMT em duas modalidades: Casa do Estudante Universitário (CEU) e Auxílio Moradia. Para participar do programa, o estudante deve residir fora do município onde o campus da UFMT está instalado. Atualmente, existem três Casas do Estudante, sendo duas em Cuiabá (Casa Campus e Casa Jardim Itália) e uma em Rondonópolis, todas elas mantidas pela UFMT. Em 2013, a UFMT passou a contar com 64 vagas de moradia estudantil na Casa do Campus Cuiabá, inaugurada em dezembro de A casa possui 32 vagas femininas e 32 vagas masculinas. O principal investimento realizado na casa foi a instalação de 34 aparelhos de ar-condicionado em todos os quartos dos estudantes. No tocante à casa do Jardim Itália, a UFMT disponibiliza 36 vagas masculinas e, investiu, prioritariamente, em reformas, tais como a construção de muro, manutenção de piso entre outros. Quanto à Casa do Campus Rondonópolis, a UFMT disponibiliza 24 vagas, sendo 12 femininas e 12 masculinas. Assim como na casa do Campus Cuiabá, a UFMT instalou 10 aparelhos de ar-condicionado nos quartos e nos espaços coletivos. Está em fase de construção o regimento de cada casa e a revisão do regimento geral de moradia da UFMT. No total, a UFMT disponibiliza 124 vagas para a moradia estudantil, das quais 102 estão ocupadas. A partir da inauguração da Casa do Campus Cuiabá, cinco casas alugadas pela UFMT tiveram seus contratos encerrados e os estudantes, suas vagas garantidas nas casas estudantis do Campus Cuiabá e/ou pelo programa de Auxílio Moradia. O Auxílio Moradia consiste na transferência de recurso financeiro que deverá ser utilizado exclusivamente para esse fim. Em 2013, são atendidos 450 estudantes com o auxílio no valor de R$ 400,00. O Auxílio Evento é destinado a estudantes de graduação e de pós-graduação para apoiar a apresentação de trabalhos científicos, culturais, esportivos e políticos em eventos no país. Até agosto de 2013, 329 estudantes foram atendidos. Em 2013, a Prae, em parceria com a Prefeitura do Campus, viabilizou a participação dos quatro DCEs da UFMT nos eventos nacionais da UNE. Em janeiro, cinco ônibus foram disponibilizados para os quatro DCEs, o que viabilizou a participação dos estudantes no evento nacional da UNE, em Recife/PE. Em julho, foram disponibilizados três ônibus para o evento nacional da UNE, em Goiânia/GO. O apoio pedagógico consiste no atendimento aos estudantes assistidos pela Prae em curso de idiomas e de informática. Até agosto de 2013, 242 estudantes foram atendidos. O apoio à promoção da saúde se dá por meio da articulação e do encaminhamento dos estudantes à rede pública de saúde. Cinquenta estudantes foram atendidos nas seguintes áreas da rede pública: psicologia, oftalmologia, odontologia, dermatologia, saúde mental e urgência e emergência. O apoio à realização de eventos nos campi ocorre por meio de transferência de recursos financeiros à comissão organizadora do evento no sentido de viabilizar a participação de palestrantes, o apoio ao alojamento e à alimentação. Em 2013, a Prae apoiou a realização de dois encontros da Regional Centro-Oeste de moradores estudantis, um em Rondonópolis e outro em Cuiabá. Além disso, apoiou a realização de semanas acadêmicas, encontros regionais e nacionais de estudantes dos quatro campi. Todas essas ações foram viabilizadas com recursos provenientes do Programa Nacional de Assistência Estudantil (PNAES), criado pelo Ministério da Educação (Portaria Normativa Nº 39/2007 e Decreto nº 7.234/2010) e do custeio da UFMT. PEC-G - Programa de cooperação, cujo objetivo é a formação de recursos humanos, a fim de possibilitar aos cidadãos de países em desenvolvimento com os quais o Brasil mantém acordos educacionais ou culturais realizarem estudos universitários no país, em nível de graduação, nas Instituições de Ensino Superior (IES) brasileiras. Em 2013, 13 estudantes oriundos de Guiné-Bissau, Porto Príncipe, Haiti, Benin e Cabo Verde fazem parte do convênio PEC-G na UFMT. Proind - é um programa de ação afirmativa que tem a finalidade de promover o acesso, a permanência e o sucesso acadêmico dos estudantes indígenas das diferentes etnias do Estado de Mato Grosso nos cursos de graduação da UFMT. Estão matriculados 64 estudantes indígenas em 23 cursos de graduação e, até o momento, sete colaram grau nos cursos de Enfermagem (Cuiabá, Rondonópolis e Sinop), Farmácia (Araguaia) e Nutrição (Cuiabá). O acompanhamento acadêmico desses estudantes se dá por meio de várias reuniões periódicas com os estudantes, coordenadores de curso, diretores, orientadores dos estudantes entre outros, equiparação de estudos, visitas pedagógicas às aldeias, articulação com os órgãos públicos indigenistas (Funai, Secadi/MEC, Sesai/ MT, CEEI/MT e OPRIMT). O acolhimento dos estudantes indígenas ocorre por meio de ações que possibilitam a vivência acadêmica do estudante no campus e na cidade, uma vez que todos os estudantes matriculados na UFMT são oriundos de terras indígenas, bilíngues e com formação escolar específica e diferenciada. Nesse sentido, a língua portuguesa é considerada uma segunda língua, o que demanda da UFMT a oferta de cursos e grupos de estudos em língua portuguesa. Programa de Apoio à Inclusão - compreende o desenvolvimento de atividades de gestão e acompanhamento das Ações Afirmativas e de Inclusão na política educacional na UFMT. A Prae atende 796 estudantes que necessitam de apoio mais próximo no desenvolvimento de suas atividades acadêmicas. Programas de Assistência Estudantil sob a gestão da Prae, até agosto de Programas Acompanhamento acadêmico Estudantes Atendidos Cuiabá Rondonópolis Sinop Araguaia Total Bolsa Permanência Auxílio Alimentação Moradia Estudantil - CEU Auxílio Moradia Auxílio Evento Apoio pedagógico Apoio a promoção da Saúde PEC-G (Programa de Estudantes Convênio de Graduação) Proind (Programa de Inclusão Indígena) Programa de Apoio à Inclusão TOTAL 4.800

19 PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO-PROPG Meta: Consolidar mestrados e doutorados A Pró-Reitoria de Ensino de Pós-Graduação (Propg) é a instância responsável na UFMT pelo gerenciamento da oferta à sociedade mato-grossense de todos os cursos de pós-graduação stricto e lato sensu, assim como pela qualificação stricto sensu de seus servidores docentes e técnicos administrativos. Cursos de Pós-Graduação 1. Stricto sensu Atividades da Propg em foi de R$ ,00 (Hum milhão, quinhentos e quarenta e seis mil e oitocentos e vinte reais). A Capes também concede cotas de bolsas a mestrandos e doutorandos, através do Programa Demanda Social, normatizado pela Portaria Capes 76/2010. O total de bolsas concedidas pela Capes em 2013 para a UFMT foi de 491, sendo 408 bolsas de mestrado e 83 de doutorado. Recentemente, a Capes concedeu uma cota de bolsa PNPD para cada programa de pós-graduação em funcionamento. 46 Cursos: 35 Mestrados e 11 Doutorados. Em termos numéricos, o aumento dos programas stricto sensu de fins de 2008 até setembro de 2013 chega a quase 100%: dos 24 cursos existentes em 2008, contabilizamos atualmente 46 cursos. Programa Dinter/Capes de doutorado interinstitucional: 8 cursos. Os cursos são ofertados pela USP, UFMG, UFPE, UFPA, UFRN, UFCG e UFRJ. A UFMT é a instituição receptora. Esses cursos, além de propiciar o doutoramento coletivo de docentes da instituição sem o afastamento de quatro anos da modalidade tradicional, estimula a nucleação de pesquisadores através da criação e fortalecimento de grupos de pesquisa e cursos de pósgraduação, ampliando a capacidade de atendimento das demandas regionais. Em 2013, o PPG em Física Ambiental deu início ao primeiro Dinter da UFMT como instituição ofertante, neste caso, para a Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Dissertações e Teses defendidas entre outubro de 2012 e setembro de 2013: 945 dissertações de mestrado - uma média de 3,5 dissertações por dia útil - e 61 teses de doutorado. Meta Principal Atualmente, a UFMT já disponibiliza um leque de cursos de mestrado que cobre todas as grandes áreas de conhecimento, o que significa que passamos à segunda fase de uma política de pós-graduação que consiste, mais que a ampliação numérica, na consolidação de seus cursos. Distribuição de Cursos por Campus: Rondonópolis: Dinter em Recursos Naturais, ofertado pela UFCG; Mestrados em Educação, Engenharia Agrícola e Geografia. Sinop: Mestrados em Agronomia, Ciências Ambientais e Zootecnia Araguaia: Dinter em Imunologia e Parasitologia Básicas e Aplicadas. Promotora: UFMG; Mestrados em Imunologia e Parasitologia Básicas e Aplicadas, Ciência de Materiais e Mestrado Nacional Profissional em Física, da Sociedade Brasileira de Física (Profis). Cuiabá: concentra a maior quantidade de cursos: 26 mestrados e 11 Doutorados Além dos investimentos da UFMT, cada programa conta com recursos oriundos do Programa de Apoio à Pós-Graduação (Proap) da Capes/MEC, cujo valor total, em 2013, Outro importante programa anual de apoio à pós-graduação da Capes é o Pró- Equipamentos, que em 2012 possibilitou à UFMT a aquisição de equipamentos para pesquisa no valor total de R$ ,66 (Hum milhão duzentos e cinquenta e quatro mil, seiscentos e seis reais e sessenta e seis centavos), atingindo em 2013 o valor de R$ ,02 (Hum milhão, setecentos e quarenta e um mil, quinhentos e cinquenta e três reais e dois centavos) que irão beneficiar 17 programas. A política de pós-graduação da Propg na atual gestão, cujo objetivo principal é consolidar os mestrados e doutorados existentes, tem orientado várias ações com vistas a auxiliar os programas na superação de eventuais dificuldades, na realização de atividades acadêmicas, no apoio à produção científica, entre outras, que vão do simples atendimento às questões específicas de cada programa, do apoio à tomada de decisões acadêmico-administrativas, aos auxílios financeiros diversos - do custeio das bancas externas ao pagamento de tradução de textos científicos para publicação em revistas internacionais. Como parte da mesma Política de Pós-Graduação, a Semana Acadêmica da UFMT, no que compete à Propg - a Mostra da Pós-Graduação -, coloca-se como ação efetiva de consolidação dos programas mediante a visibilidade das pesquisas por eles tuteladas, através da apresentação dos resultados parciais das dissertações e teses em andamento dos pós-graduandos dos cursos stricto sensu. Acompanha anualmente esta atividade, uma Comissão de Avaliação formada por pesquisadores de diferentes áreas de conhecimento que, ao final da Mostra, oportuniza um relatório consistente da pesquisa no âmbito da pós-graduação na UFMT. No que se refere à organização administrativa e acadêmica dos programas, houve considerável avanço no Sistema de Informações da Pós-graduação (SIPG) com a disponibilização de novas funcionalidades como controle de bolsistas, controle de bancas de defesas de dissertações e teses, emissão de atas e declarações, controle de alunos especiais, além de relatórios gerenciais. É ainda importante salientar que todos os dados inseridos no SIPG são auditáveis, tornando possível, em qualquer tempo, a geração de complexos relatórios exigidos pela própria UFMT, pelo MEC e pela Capes, com informações precisas sobre a situação real dos Programas. O SIPG, pela sua atual configuração, tem merecido elogios em todas as auditorias Pingifes. A Propg, nos últimos doze meses, expediu e registrou 329 diplomas de pós-graduação stricto sensu, sendo 324 de mestrado e 05 de doutorado

20 2. Lato Sensu Estão em andamento na UFMT 31 cursos de Especialização ainda sob a supervisão da Propg, uma vez que já tramita no Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) a proposta de alteração da Resolução 75/2005, que rege a oferta de cursos de pósgraduação lato sensu, que destinará às unidades a responsabilidade pelos cursos por elas ofertados. Enquanto responsabilidade da Propg, em 2013 foram certificados 1107 especialistas, encontrando-se mais 313 em fase de certificação. Nos 11 cursos inicados em 2013, contabiliza-se matriculados, totalizando no último biênio 4055 matrículas efetuadas. Ano Cursos iniciados Vagas abertas Matriculados Cursos andamento Concluintes Certificados expedidos Programa Campus Nível Conceito 2010 Conceito Educação Cuiabá Dr/Ms Agricultura Tropical Cuiabá Dr/Ms Ecologia e Conservação da Biodiversidade Cuiabá Dr/Ms História Cuiabá Dr/Ms Estudos de Linguagem Cuiabá Ms Geografia Cuiabá Ms Saúde Coletiva Cuiabá Ms Ciências da Saúde Cuiabá Dr/Ms Agronegócios e Desenvolvimento Regional Cuiabá Ms Física Cuiabá Ms Geociências Cuiabá Ms Ciência Animal Cuiabá Dr/Ms Ciências Florestais e Ambientais Cuiabá Ms Ciências Veterinárias Cuiabá Dr/Ms Enfermagem Cuiabá Ms Biociências Cuiabá Ms Estudos de Cultura Contemporânea Cuiabá Ms Física Ambiental Cuiabá Dr/Ms Recursos Hídricos Cuiabá Ms Engenharia de Edificações e Ambiental Cuiabá Ms Política Social Cuiabá Ms Ciência de Materiais Médio Araguaia Ms Direito Agroambiental Cuiabá Ms Educação Rondonópolis Ms Ensino de Ciências Naturais Cuiabá Ms Prof Engenharia Agrícola Rondonópolis Ms Ensino de Ciências e Matemática REAMEC Rede Dr Matemática Profmat Rede Ms Prof Química Cuiabá Ms Agronomia Sinop Ms Ciências Ambientais Sinop Ms Educação Física Cuiabá Ms Imunologia e Parasitologias Básicas e Aplicadas Araguaia Ms Zootecnia Sinop Ms Biotecnologia Bionorte Dr Biotecnologia e Biodiversidade Pró Centro Oeste Dr Geografia Rondonópolis Ms Física Profis Rede Ms Prof Antropologia Social Cuiabá Ms CTC 38 39

I FÓRUM DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL NA UFMT

I FÓRUM DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL NA UFMT MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL I FÓRUM DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL NA UFMT 4 a 6 de março de 2013 O I Fórum de Assistência Estudantil

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 36, DE 04 DE ABRIL DE 2005. Dispõe sobre alterações à Resolução CONSEPE n. 57, de 14 de maio de 2001. R E S O L V E: I DA CONCEITUAÇÃO

RESOLUÇÃO N.º 36, DE 04 DE ABRIL DE 2005. Dispõe sobre alterações à Resolução CONSEPE n. 57, de 14 de maio de 2001. R E S O L V E: I DA CONCEITUAÇÃO RESOLUÇÃO N.º 36, DE 04 DE ABRIL DE 2005. Dispõe sobre alterações à Resolução CONSEPE n. 57, de 14 de maio de 2001. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO, no

Leia mais

Calendário 2015 Calendário Acadêmico de 2015, aprovado em RESOLUÇÃO CONSEPE Nº. 119, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2014.

Calendário 2015 Calendário Acadêmico de 2015, aprovado em RESOLUÇÃO CONSEPE Nº. 119, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2014. Calendário 2015 Calendário Acadêmico de 2015, aprovado em RESOLUÇÃO CONSEPE Nº. 119, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2014. Em destaque as principais datas para os Programas de Pós-Graduação da UFMT, salientando que

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SÍNTESE DE RELATORIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E DE AVALIAÇÃO EXTERNA PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA

Leia mais

Anexo 1 - Resolução 016/2011 - CONSUN. Plano de Desenvolvimento Institucional PDI

Anexo 1 - Resolução 016/2011 - CONSUN. Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Plano de Desenvolvimento Institucional PDI 13 I ENSINO DE GRADUAÇÃO Objetivo 1 - Buscar continuamente a excelência nos cursos de graduação 1. Avaliar continuamente o processo educativo, em consonância

Leia mais

Anuário Estatístico da UFMT 2013 Ano base 2012

Anuário Estatístico da UFMT 2013 Ano base 2012 Anuário Estatístico da UFMT 2013 Ano base 2012 Campus Universitário de Cuiabá Campus Universitário de Rondonópolis Campus Universitário do Araguaia Unidade Pontal do Araguaia Unidade Barra do Garças Campus

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE FORMAÇÃO DOCENTE GERÊNCIA DE INICIAÇÃO À DOCENCIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE FORMAÇÃO DOCENTE GERÊNCIA DE INICIAÇÃO À DOCENCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE FORMAÇÃO DOCENTE GERÊNCIA DE INICIAÇÃO À DOCENCIA I FÓRUM DE AVALIAÇÃO DOS CURSOS DO COMITE GESTOR INSTITUCIONAL DE

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Esperidião Amin Helou Filho

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Esperidião Amin Helou Filho PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Esperidião Amin Helou Filho 1 PROJETO DE LEI Nº 8.035, DE 2010. Ementa: Aprova o Plano Nacional de Educação para o decênio 2011-2020 e dá outras providências. 2 PROJETO DE LEI

Leia mais

Universidade Federal do Maranhão Reitor Dr. Natalino Salgado Filho. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Pró-Reitor Dr. Fernando Carvalho Silva

Universidade Federal do Maranhão Reitor Dr. Natalino Salgado Filho. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Pró-Reitor Dr. Fernando Carvalho Silva 1 Universidade Federal do Maranhão Reitor Dr. Natalino Salgado Filho Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Pró-Reitor Dr. Fernando Carvalho Silva Diretora do Departamento de Pós-Graduação Dra. Maria

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROPOSTA DE TRABALHO PARA FINS DE INSCRIÇÃO NO PROCESSO DE CONSULTA PRÉVIA PARA DIRETOR E VICE-DIRETOR DA FACULDADE

Leia mais

Aprovado pelo CONSUNI - UFRJ - 25 de agosto de 2011

Aprovado pelo CONSUNI - UFRJ - 25 de agosto de 2011 REGIMENTO DO INSTITUTO ALBERTO LUIZ COIMBRA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DE ENGENHARIA (COPPE) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. Aprovado por unanimidade pelo Conselho Deliberativo da COPPE em

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO REITORIA. EDITAL N.º 001/2015 de 07/01/2015 PROCESSO SELETIVO 2015

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO REITORIA. EDITAL N.º 001/2015 de 07/01/2015 PROCESSO SELETIVO 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO REITORIA EDITAL N.º 001/2015 de 07/01/2015 PROCESSO SELETIVO 2015 O reitor em exercício da reitoria da Universidade Federal de Mato Grosso

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA ADMINISTRATIVA ANEXO II

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA ADMINISTRATIVA ANEXO II ANEXO II CRITÉRIOS PARA ATRIBUIÇÃO DE PONTOS PARA AVALIAÇÃO DE MEMORIAL CRITÉRIOS PARA ATRIBUIÇÃO DE PONTOS PARA AVALIAÇÃO DE MEMORIAL 1.1 Aulas ATIVIDADES DE ENSINO PONTUAÇÃO REFERÊNCIA 1.1.1 Graduação

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 Sete Lagoas Março de 2014 Sumário 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO... 4 1.1. Composição da Comissão

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO As ações de pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas constituem um processo educativo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES FACULDADE DE MATEMÁTICA REGIMENTO INTERNO DA FACULDADE DE MATEMÁTICA, CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ BREVES, UFPA.

Leia mais

Plano de gestão 2016-2019 Chapa Consolidação

Plano de gestão 2016-2019 Chapa Consolidação Plano de gestão 2016-2019 Chapa Consolidação 1. Apresentação Em novembro a comunidade do IFSC Câmpus Canoinhas elegerá seus novos dirigentes: Diretor Geral, Chefe de Departamento de Ensino, Pesquisa e

Leia mais

Planos de Classificação de Documentos Atividades - Fim Atividades

Planos de Classificação de Documentos Atividades - Fim Atividades Anexo II Planos de Classificação de Documentos Atividades - Fim Atividades 100 GRADUAÇÃO 110 Políticas e Planejamento de Cursos REUNI 111 Fomentação e Implementação de Política de Ensino política de implementação

Leia mais

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas.

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas. Extensão ETENSÃO A implementação da politica de Extensão, no Instituto Federal do Amazonas reafirma a missão deste Instituto e seu comprometimento com o desenvolvimento local e regional promovendo a integração

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO EDITAL nº 01/ 2013 - PROCESSO SELETIVO (Publicado em11/11/2013) EDITAL DE ABERTURA

Leia mais

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI ANEXO III Cronograma detalhado do PROAVI 65 PROGRAMA DE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA PUC-CAMPINAS CRONOGRAMA COMPLEMENTAR DETALHANDO AS ATIVIDADES E AS AÇÕES DE DIVULGAÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

Leia mais

03 eixos de atuação: ENSINO PESQUISA - EXTENSÃO

03 eixos de atuação: ENSINO PESQUISA - EXTENSÃO A Universidade de Cruz Alta, possui uma área construída de 35.785,92m² em seu Campus Universitário, abrigando, nesse espaço, 26 cursos de graduação, cursos de especialização e mestrado, 119 laboratórios,

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Grupo Nobre de Ensino Ltda. UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Nobre de Feira de Santana, a ser instalada

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO IFPR CÂMPUS CAMPO LARGO DESDOBRAMENTO DAS DIRETRIZES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PARA O CÂMPUS DOCUMENTO FINAL

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO IFPR CÂMPUS CAMPO LARGO DESDOBRAMENTO DAS DIRETRIZES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PARA O CÂMPUS DOCUMENTO FINAL PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO IFPR CÂMPUS CAMPO LARGO DESDOBRAMENTO DAS DIRETRIZES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PARA O CÂMPUS DOCUMENTO FINAL EIXO: ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E INOVAÇÃO Objetivos Específicos

Leia mais

CONSU. Conselho Universitário CONSEPE UNEB UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA. Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão.

CONSU. Conselho Universitário CONSEPE UNEB UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA. Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão. CONSU Conselho Universitário CONSEPE Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão UNEB UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA Boletim Primeiras reuniões de 2014 #1 CONSU aprova criação de Pró-Reitoria, Secretarias

Leia mais

RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 013 / 2015

RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 013 / 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG Pró-Reitoria de Graduação Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700 - Alfenas/MG - CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1329 Fax: (35) 3299-1078 grad@unifal-mg.edu.br

Leia mais

Art. 1º - A concessão de bolsas de estudo para os alunos regularmente matriculados no PPgCO terá a vigência de doze (12) meses.

Art. 1º - A concessão de bolsas de estudo para os alunos regularmente matriculados no PPgCO terá a vigência de doze (12) meses. RESOLUÇÃO N O 01/201 PPgCO Regulamenta a distribuição de bolsas de estudo no Programa de Pós-Graduação em Clínica Odontológica, quanto à concessão, manutenção, duração e cancelamento da bolsa. O Colegiado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO UFMT

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO UFMT UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO UFMT RELATÓRIO DE GESTÃO 2013-2014 Este arquivo contém um sistema de links interativos Para navegar, basta escolher no Sumário a página que deseja consultar Em cada

Leia mais

RESOLUÇÃO CONEPE Nº 007/2012

RESOLUÇÃO CONEPE Nº 007/2012 RESOLUÇÃO CONEPE Nº 007/2012 Institui as Diretrizes de Pesquisa e Pós-graduação da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul UERGS e providências pertinentes. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO Art. 1º O Laboratório de Línguas é um órgão complementar de fomento ao ensino, pesquisa, extensão, e prestação de serviços vinculado ao Centro de Letras e Ciências Humanas sob

Leia mais

República Federativa do Brasil Ministério da Educação BOLETIM DE SERVIÇOS. Boletim Oficial de Atos Administrativos Internos

República Federativa do Brasil Ministério da Educação BOLETIM DE SERVIÇOS. Boletim Oficial de Atos Administrativos Internos República Federativa do Brasil Ministério da Educação Fundação Universidade Federal de Mato Grosso BOLETIM DE SERVIÇOS Boletim Oficial de Atos Administrativos Internos ANO IX Nº 132 REITORIA PORTARIAS

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

64 pontos não remunerada.

64 pontos não remunerada. UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL RESOLUÇÃO 001/2015 ESTABELECE PROCEDIMENTOS E PARÂMETROS AVALIATIVOS PARA PROGRESSÃO DE DOCENTES À CLASSE E PROFESSOR TITULAR ANEXO

Leia mais

Elizabeth Fontoura Dorneles Reitora

Elizabeth Fontoura Dorneles Reitora Elizabeth Fontoura Dorneles Reitora Sirlei De Lourdes Lauxen Vice-Reitora de Graduação Fábio Dal-Soto Vice-Reitor de Administração Cléia Rosani Baiotto Vice-Reitora de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - CED REGIMENTO INTERNO TÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES E DOS OBJETIVOS

CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - CED REGIMENTO INTERNO TÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES E DOS OBJETIVOS RESOLUÇÃO CONSU Nº. 06/2015, DE 24 DE MARÇO DE 2015 O Vice-Reitor, no exercício da Presidência do Conselho Superior Universitário da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, no uso de suas

Leia mais

1. OBJETIVO 2. CONSIDERAÇÕES INICIAIS

1. OBJETIVO 2. CONSIDERAÇÕES INICIAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA CHAMADA INTERNA DA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA 01/2014 A Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade Federal de Mato Grosso

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2009-2012 1 - APRESENTAÇÃO

PLANO DE GESTÃO 2009-2012 1 - APRESENTAÇÃO PLANO DE GESTÃO 2009-2012 1 - APRESENTAÇÃO Os objetivos desse Plano de Gestão estão pautados na missão da Faculdade de Ciências Farmacêuticas como escola pública de excelência, que tem suas atividades

Leia mais

Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização

Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização Comissão da Câmara de Educação Superior Erasto Fortes

Leia mais

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Superior

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Superior Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará Eixo Temático Educação Superior Ceará, 2015 1 Socioeconômico Diagnóstico Para compreender a situação da educação no estado do Ceará é necessário também

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA EM SAÚDE REGIMENTO INTERNO I DOS OBJETIVOS E DA ESTRUTURAÇÃO GERAL DO MESTRADO Art.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 30/5/2012, Seção 1, Pág. 33. Portaria n 708, publicada no D.O.U. de 30/5/2012, Seção 1, Pág. 32. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

Programa de Incentivo ao Aumento da Taxa de Sucesso dos Cursos de Graduação (PITS) 2013

Programa de Incentivo ao Aumento da Taxa de Sucesso dos Cursos de Graduação (PITS) 2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA GABINETE DA REITORA COMITÊ GESTOR BOLSAS REUNI / DEMANDA SOCIAL Programa de Incentivo ao Aumento da Taxa de Sucesso dos Cursos de Graduação (PITS) 2013 O Problema A retenção

Leia mais

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017)

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017) Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017) Setembro de 2014 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. JUSTIFICATIVA... 5 3. OBJETIVOS DA AVALIAÇÃO...

Leia mais

PLA O DE AÇÃO 2011 - REITORIA

PLA O DE AÇÃO 2011 - REITORIA Eficiência da Instituição 70% de eficiência, com meta satisfatória de 75% e meta ideal de 85%, com relação ao quantitativo inicial de alunos ingressantes. Índice de Eficiência O índice de eficiência da

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO PARA REGULAMENTAÇÃO E MANUTENÇÃO DO REGIME DE TRABALHO EM DEDICAÇÃO EXCLUSIVA DA UNEMAT RESOLUÇÃO Nº. - CONEPE

MINUTA DE RESOLUÇÃO PARA REGULAMENTAÇÃO E MANUTENÇÃO DO REGIME DE TRABALHO EM DEDICAÇÃO EXCLUSIVA DA UNEMAT RESOLUÇÃO Nº. - CONEPE MINUTA DE RESOLUÇÃO PARA REGULAMENTAÇÃO E MANUTENÇÃO DO REGIME DE TRABALHO EM DEDICAÇÃO EXCLUSIVA DA UNEMAT RESOLUÇÃO Nº. - CONEPE Regulamenta o regime de trabalho de Tempo Integral, em Dedicação Exclusiva

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO I FÓRUM DE GRADUAÇÃO DA UEG CENÁRIOS DA GRADUAÇÃO: DESAFIOS PARA A UEG CARTA DA GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO I FÓRUM DE GRADUAÇÃO DA UEG CENÁRIOS DA GRADUAÇÃO: DESAFIOS PARA A UEG CARTA DA GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO I FÓRUM DE GRADUAÇÃO DA UEG CENÁRIOS DA GRADUAÇÃO: DESAFIOS PARA A UEG CARTA DA GRADUAÇÃO Diretores de Unidades Universitárias, coordenadores pedagógicos

Leia mais

SEMINÁRIO DE GRADUAÇÃO ENADE 2015

SEMINÁRIO DE GRADUAÇÃO ENADE 2015 SEMINÁRIO DE GRADUAÇÃO ENADE 2015 ROTEIRO SINAES Princípios e concepções Os Ciclos Avaliativos do Enade e os Indicadores de Qualidade Enade 2015 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO SINAES Responsabilidade : responsabilidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior DEPEM Programa de Educação Tutorial PET 2006 MEC/SESu/DEPEM ANEXO I Proposta

Leia mais

PROF. DR. CLODIS BOSCARIOLI

PROF. DR. CLODIS BOSCARIOLI PROF. DR. CLODIS BOSCARIOLI PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO GERAL DO CAMPUS DE CASCAVEL QUADRIÊNIO 2012-2015 Cascavel set/2011. APRESENTAÇÃO Nasci em Umuarama/PR em 31/07/1973. Sou técnico em Contabilidade pelo

Leia mais

O Presidente do Conselho Superior de Acadêmico (CONSEA) da Fundação Universidade

O Presidente do Conselho Superior de Acadêmico (CONSEA) da Fundação Universidade Resolução nº 200/CONSEA, de 19 de fevereiro de 2009. Altera normas para o oferecimento de cursos de pós-graduação Stricto Sensu e lato sensu, pelos Departamentos da Fundação Universidade Federal de Rondônia

Leia mais

REGULAMENTO 1- DOS OBJETIVOS E DA ORGANIZAÇÃO GERAL

REGULAMENTO 1- DOS OBJETIVOS E DA ORGANIZAÇÃO GERAL REGULAMENTO 1- DOS OBJETIVOS E DA ORGANIZAÇÃO GERAL 1.1 - O Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Comunicação: Imagens e Culturas Midiáticas constitui-se em atividade de Ensino do Departamento de Comunicação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUCAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO UNIAFRO) POLÍTICA DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL DA ESCOLA - MODALIDADE A DISTÂNCIA CHAMADA

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 101/2008

RESOLUÇÃO N.º 101/2008 MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 101/2008 EMENTA: Aprovação do Regimento Interno do Curso de Pós-graduação, nível Especialização, em SMS em Obras de Engenharia

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2015

PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2015 PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2015 O reitor do Centro Universitário de Brasília UniCEUB, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

Leia mais

I SEMINÁRIO NACIONAL DO PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE II

I SEMINÁRIO NACIONAL DO PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE II Ministério da Educação Secretaria de Ensino Superior Diretoria de Hospitais Univ ersitários e Residências em Saúde A articulação da Graduação em Saúde, dos Hospitais de Ensino e das Residências em Saúde

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 45ª Reunião Ordinária, realizada no dia 26 de setembro de 2013, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 31, DE 30 DE JUNHO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 31, DE 30 DE JUNHO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 31, DE 30 DE JUNHO DE 2011 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sessão de 30 de junho de 2011, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 16 e pelo

Leia mais

EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO

EIXO VI VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO: FORMAÇÃO, REMUNERAÇÃO, CARREIRA E CONDIÇÕES DE TRABALHO PROPOSIÇÕES ESTRATÉGIAS E RESPONSABILIDADE* UNIÃO DF ESTADOS MUNICÍPIOS 1. Profissionais da educação:

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Cruzada Maranata de Evangelização UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Batista Brasileira, com sede no

Leia mais

U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B

U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO

Leia mais

REGULAMENTO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

REGULAMENTO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU REGULAMENTO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU Res. Consun nº 96/10, de 24/11/10. Art. 1º Art. 2º Art. 3º Art. 4º TÍTULO I DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONGREGAÇÃO DO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS RESOLUÇÃO Nº 11 - IG, DE 17 DE ABRIL DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONGREGAÇÃO DO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS RESOLUÇÃO Nº 11 - IG, DE 17 DE ABRIL DE 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONGREGAÇÃO DO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS RESOLUÇÃO Nº 11 - IG, DE 17 DE ABRIL DE 2015 Estabelece normas para efeito de registro e alocação de carga horária

Leia mais

Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização

Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Texto orientador para a audiência pública sobre o marco regulatório dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu Especialização Comissão da Câmara de Educação Superior Erasto Fortes

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

setores administrativos Barreiro

setores administrativos Barreiro setores administrativos Barreiro PUC Minas no atualização março de 2010 Pró-reitoria Adjunta Local: Prédio 4, sala 102 Telefone: 3328 9508 E-mail: proreitoriasec.bar@pucminas.br Diretoria Acadêmica Local:

Leia mais

Regulamento Geral dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu

Regulamento Geral dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu VICE-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA Regulamento Geral dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu CAPÍTULO I DA FINALIDADE E DA ORGANIZAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO Art. 1º Os Programas de

Leia mais

Na lista das realizações destacadas, os PROFESSORES podem relembrar:

Na lista das realizações destacadas, os PROFESSORES podem relembrar: Professor: Muitas razões para votar em Scolforo e Édila O QUE FOI FEITO! Quando um membro de sua comunidade seja professor (a), técnico (a) administrativo ou estudante - apresentar uma crítica sobre algo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CONSUN Nº 029 DE 1º DE OUTUBRO DE 2014 Aprova as Diretrizes da Política de Mobilidade Acadêmica da Universidade Federal da Integra ção Latino-Americana UNILA. O Conselho Universitário da Universidade

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 028/2011 CONSEPE (Revogada pela Resolução n 026/2012 CONSEPE)

RESOLUÇÃO Nº 028/2011 CONSEPE (Revogada pela Resolução n 026/2012 CONSEPE) RESOLUÇÃO Nº 028/2011 CONSEPE (Revogada pela Resolução n 026/2012 CONSEPE) Regulamenta as Atividades Complementares nos Cursos de Graduação da UDESC. A Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (EPECIALIZAÇÃO) EM EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS PARA A JUVENTUDE MODALIDADE A DISTÂNCIA

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (EPECIALIZAÇÃO) EM EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS PARA A JUVENTUDE MODALIDADE A DISTÂNCIA 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA Coordenação do Curso de Especialização

Leia mais

Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional

Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional Osvaldo Casares Pinto Pró-Reitor Des. Institucional José Eli S. Santos Diretor Dep. Planej. Estratégico junho de 2015 Plano de Desenvolvimento Institucional

Leia mais

A Função da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em uma Instituição de Ensino Superior. Prof. Marcílio A. F. Feitosa

A Função da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em uma Instituição de Ensino Superior. Prof. Marcílio A. F. Feitosa A Função da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em uma Instituição de Ensino Superior Prof. Marcílio A. F. Feitosa Avaliação das Instituições de Educação Superior A Avaliação Institucional é um dos componentes

Leia mais

SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR

SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR SALA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO SUPERIOR Metas PNE - Meta 12 Elevar a taxa bruta de matrícula na Educação Superior para 50% (cinquenta por cento) e a taxa líquida para 33% (trinta e três por cento) da população

Leia mais

CAPÍTULO I Das definições preliminares, das e dos objetivos.

CAPÍTULO I Das definições preliminares, das e dos objetivos. Resolução n.º 03/2010 Regulamenta os Cursos de Pós-Graduação da Faculdade Campo Real. O CONSU Conselho Superior, por meio do Diretor Geral da Faculdade Campo Real, mantida pela UB Campo Real Educacional

Leia mais

Plano de Ação da CPA

Plano de Ação da CPA Centro Universitário do Estado do Pará - CESUPA Plano de Ação da CPA Ano 2014 CPA/CESUPA 2014 C o m i s s ã o P r ó p r i a d e A v a l i a ç ã o C P A / C E S U P A APRESENTAÇÃO O plano de ações da CPA

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADES ESTADUAIS PARANAENSES - 2012 a 2021 Instituição: ENSINO DE GRADUAÇÃO Programas/Projetos/Ações Ano Natureza Valores Fonte de Recursos Beneficiado Manutenção

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO SUBCOMISSÃO DOS NAUs RELATÓRIO DO NÚCLEO DE AVALIAÇÃO DA UNIDADE DO INSTITUTO DE QUÍMICA (NAU-IQ)

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO SUBCOMISSÃO DOS NAUs RELATÓRIO DO NÚCLEO DE AVALIAÇÃO DA UNIDADE DO INSTITUTO DE QUÍMICA (NAU-IQ) COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO SUBCOMISSÃO DOS NAUs RELATÓRIO DO NÚCLEO DE AVALIAÇÃO DA UNIDADE DO INSTITUTO DE QUÍMICA (NAU-IQ) Relatório elaborado com base nas dimensões avaliativas contempladas no Instrumento

Leia mais

EDITAL 1. APRESENTAÇÃO

EDITAL 1. APRESENTAÇÃO VII SEREX Seminário Regional de Extensão Universitária da Região Centro-Oeste Extensão: fortalecimento, integração e desenvolvimento para Região Centro-Oeste Memorial Darcy Ribeiro, UnB - Campus Universitário

Leia mais

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRA ALGUNS INDICADORES¹ 2.314 IES 245 públicas (10,6%) e 2.069

Leia mais

As nossas propostas de atuação para a Gestão 2013-2017 estão pautadas na Consolidação e expansão do Campus Centro-Oeste Dona Lindu.

As nossas propostas de atuação para a Gestão 2013-2017 estão pautadas na Consolidação e expansão do Campus Centro-Oeste Dona Lindu. As nossas propostas de atuação para a Gestão 2013-2017 estão pautadas na Consolidação e expansão do Campus Centro-Oeste Dona Lindu. Nosso Compromisso é trabalhar, junto à Reitoria, Discentes, Docentes

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 026/2012 CONSEPE (Alterada pela Resolução nº 019/2013 - CONSEPE) (Alterada pela Resolução n 043/2014 CONSEPE)

RESOLUÇÃO Nº 026/2012 CONSEPE (Alterada pela Resolução nº 019/2013 - CONSEPE) (Alterada pela Resolução n 043/2014 CONSEPE) RESOLUÇÃO Nº 026/2012 CONSEPE (Alterada pela Resolução nº 019/2013 - CONSEPE) (Alterada pela Resolução n 043/2014 CONSEPE) Regulamenta as atividades complementares nos cursos de graduação da UDESC. O Presidente

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 824, DE 31 DE MARÇO DE 2006

RESOLUÇÃO Nº 824, DE 31 DE MARÇO DE 2006 RESOLUÇÃO Nº 824, DE 31 DE MARÇO DE 2006 Reconhece e regulamenta a Residência Médico- Veterinária e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA CFMV, no uso da atribuição que lhe

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO GABINETE DA REITORIA Secretaria de Relações Internacionais SECRI

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO GABINETE DA REITORIA Secretaria de Relações Internacionais SECRI EDITAL SECRI 002/2013 Seleção para o Programa de Bolsas Luso-Brasileiras A Secretaria de Relações Internacionais (SECRI), no uso de suas atribuições legais, torna público o PROCESSO DE SELEÇÃO para o Programa

Leia mais

EDITAL Nº 08/2012 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIFICAÇÃO - PIQ

EDITAL Nº 08/2012 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIFICAÇÃO - PIQ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA SETEC INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS EDITAL Nº 08/2012 PROGRAMA INSTITUCIONAL

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO RESOLUÇÃO CONSEPE N. o 69, DE 19 DE OUTUBRO 2015. Dispõe sobre alteração do calendário acadêmico 2015. CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO da Universidade Federal de Mato Grosso, no uso de suas atribuições

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2012 PRÓ-REITORIA DE ENSINO/IFMG/SETEC/MEC, DE 05 DE JUNHO DE 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2012 PRÓ-REITORIA DE ENSINO/IFMG/SETEC/MEC, DE 05 DE JUNHO DE 2012. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE ENSINO Av. Professor Mario Werneck, nº 2590,

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação de Ensino Superior de Ibaiti UF: PR ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade de Educação, Administração

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ABERTA DO TRABALHADOR

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ABERTA DO TRABALHADOR FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SÃO CARLOS REGIMENTO INTERNO UNIVERSIDADE ABERTA DO TRABALHADOR SÃO CARLOS 2011 SUMÁRIO TÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º a 3... 3 Capítulo I Da Natureza (art. 1º)... 3 Capítulo II

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL. Sumário

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL. Sumário REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL Sumário Capítulo I: DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA... Capítulo II: DA ADMINISTRAÇÃO DO PROGRAMA...

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA Av. Mamoré, nº 1520, Bairro Três Marias CEP: 78919-541 Tel: (69) 3733-5000 Porto Velho - RO 1 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

2005, um ano de ações a de iniciativas

2005, um ano de ações a de iniciativas 2005, um ano de ações a e de iniciativas 9 de dezembro de 2005 Principais ações e iniciativas Principais ações a e iniciativas em 2005 Acadêmicas Programa de Capacitação Docente Plano de Credenciamento

Leia mais

Original assinado Vicente Pereira de Almeida Presidente do CS

Original assinado Vicente Pereira de Almeida Presidente do CS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 037/2013 DE 27

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 015/2008 CONSUNI

RESOLUÇÃO Nº 015/2008 CONSUNI RESOLUÇÃO Nº 015/2008 CONSUNI Aprova a Estrutura Organizacional da Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT. O Presidente do Conselho Universitário CONSUNI, da Universidade do Estado de Mato Grosso

Leia mais

O ordenamento da Pós- Graduação no Brasil: possibilidades para os IFET

O ordenamento da Pós- Graduação no Brasil: possibilidades para os IFET CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Câmara de Educação Superior O ordenamento da Pós- Graduação no Brasil: possibilidades para os IFET IFET-RS Bento Gonçalves (RS), 15 de junho de 2009 Maria Beatriz Luce Conselheira

Leia mais

CONSELHO UNIVERSITÁRIO

CONSELHO UNIVERSITÁRIO P R O P O S T A D E P A R E C E R CONSELHO UNIVERSITÁRIO PROCESS0 Nº: 007/2014 ASSUNTO: Proposta de texto Construção de Políticas e Práticas de Educação a Distância a ser incluído no Plano de Desenvolvimento

Leia mais

Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes - ENADE. Coordenadoria de Avaliação Institucional Comissão Própria de Avaliação - CPA ENADE 2011

Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes - ENADE. Coordenadoria de Avaliação Institucional Comissão Própria de Avaliação - CPA ENADE 2011 Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes - ENADE Coordenadoria de Avaliação Institucional Comissão Própria de Avaliação - CPA ENADE 2011 SOBRE O ENADE O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes -

Leia mais