Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade Federal de Minas Gerais Pró-Reitoria de Recursos Humanos Departamento de Administração de Pessoal"

Transcrição

1 GRATIFICAÇÃO POR ENCARGO DE CURSO OU CONCURSO Cód.: GEC Nº: - Versão: 01 Data: 01/04/2016 DEFINIÇÃO É a gratificação devida ao servidor em razão de desempenho de atividades relacionadas à instrutoria, concursos, cursos e treinamentos, dentre outras situações estabelecidas em lei. REQUISITOS BÁSICOS 1. A Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso é devida ao servidor que, em caráter eventual: a. atuar como instrutor em curso de formação, de desenvolvimento ou de treinamento regularmente instituído no âmbito da administração pública federal; b. participar de banca examinadora ou de comissão para exames orais, para análise curricular, para correção de provas discursivas, para elaboração de questões de provas ou para julgamento de recursos intentados por candidatos; c. participar da logística de preparação e de realização de concurso público envolvendo atividades de planejamento, coordenação, supervisão, execução e avaliação de resultado, quando tais atividades não estiverem incluídas entre as suas atribuições permanentes; d. aplicar, fiscalizar ou avaliar provas de exame vestibular ou de concurso público ou supervisionar essas atividades. Obs.: Para fins de desempenho das atividades de que tratam os itens a. e b., o servidor deverá possuir formação acadêmica compatível ou comprovada experiência profissional na área de atuação a que se propuser. (Art. 4º do Decreto nº 6.114/2007). 2. Até que seja implementado sistema de controle das horas trabalhadas, pelo Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal - SIPEC, o servidor deverá assinar declaração de execução de atividades, previamente à aceitação para exercer a atividade definida. (Art. 6º, 2º, do Decreto nº 6.114/2007) DOCUMENTAÇÃO 1. Ofício do setor no qual o servidor encontra-se alocado contemplando DAP 237: a. planejamento de compensação de horas, atestado pelo chefe imediato (quando as atividades forem desempenhadas durante a jornada de trabalho); b. a atividade que será realizada de acordo com os critérios estabelecidos pelo órgão; c. devida comprovação de formação acadêmica compatível ou comprovada experiência profissional na área de atuação a que se propuser (quando for o caso). 2. Declaração de execução das atividades de curso ou concurso assinada pelo servidor 1

2 INFORMAÇÕES GERAIS 1. Considera-se como atividade de instrutoria, ministrar aulas, realizar atividades de coordenação pedagógica e técnica não enquadráveis nos itens 1.b, 1.c, 1.d citados nos REQUISITOS BÁSICOS, elaborar material didático e atuar em atividades similares ou equivalentes em outros eventos de capacitação, presenciais ou a distância. (Art. 2º, 1º, do Decreto nº 6.114/2007). 2. A Gratificação não será devida pela realização de treinamentos em serviço ou por eventos de disseminação de conteúdos relativos às competências das unidades organizacionais. (Art. 2, 2º, do Decreto nº 6.114/2007). 3. Eventos de disseminação de conteúdos relativos às competências das unidades organizacionais tratam das atribuições do órgão/entidade, suas diretrizes, seu regimento interno; a descrição de sua missão, cargos, funções, estrutura, organograma; a posição hierárquica de cada unidade organizacional, suas nomenclaturas/siglas, seus fluxogramas, bem como a execução de atividades rotineiras desenvolvidas em cada Diretoria, Coordenação, Divisão, Setor, Área ou Serviço; a composição dos trabalhos segundo os assuntos ou áreas afins, tais como, recursos humanos, logística, áreas técnicas/operacionais ou gerais. (Item 6 da Nota Técnica nº 767 /2009/COGES/DENOP/SRH/MP). 4. A Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso somente será paga se as atividades referidas nesta norma forem exercidas sem prejuízo das atribuições do cargo de que o servidor for titular, devendo ser objeto de compensação de carga horária quando desempenhadas durante a jornada de trabalho. (Art. 76-A, 2º, da Lei nº 8.112/90) 5. Entende-se que os servidores afastados das atribuições de seu cargo, em decorrência de afastamentos e licenças legalmente instituídos, não poderão participar de eventos ensejadores do pagamento da referida gratificação, em virtude da natureza de tais institutos. (Item 5, alínea l, da Nota Informativa nº 270/2011/CGNOR/DENOP/SRH/MP) 6. Quando a realização das atividades ocorrerem durante o horário de trabalho a liberação do servidor deverá ser solicitada ao dirigente máximo do órgão ou entidade de exercício, ou a quem o dirigente delegar. (Art. 7º, inciso III, do Decreto nº 6.114/2007) Compensação de horas 7. As horas trabalhadas em atividades inerentes a cursos, concursos públicos ou exames vestibulares, quando desempenhadas durante a jornada de trabalho, deverão ser compensadas no prazo de até um ano. (Art. 8º do Decreto nº 6.114/2007). 8. No caso dos servidores que estão dispensados do registro de ponto, cujas atividades estejam sujeitas à percepção da gratificação, deverá haver a compensação das horas de acordo com as normas de cada órgão ou entidade. A comprovação, portanto, depende da normatização interna de cada órgão ou entidade. (Item 5, alínea d, da Nota Informativa nº 270/2011/CGNOR/DENOP/SRH/MP) 9. O servidor que exercer atividades ensejadoras do pagamento da gratificação em comento não poderá abdicar de sua percepção, tendo em vista o disposto no art. 4º da Lei nº 8.112/90, devendo efetuar a compensação de horas, caso as atividades tenham sido realizadas no seu horário de trabalho. (Item 5, alínea f, da Nota Informativa nº 270/2011/CGNOR/DENOP/SRH/MP) 10. A compensação de horário deverá ser realizada após a concretização do evento, pois é ele o fato gerador que enseja a necessidade de compensação, em observância ao art. 44 da Lei nº 8.112, de (Nota Informativa nº 270/2011/CGNOR/DENOP/SRH/MP) 2

3 11. Será concedido horário especial ao servidor que atue como instrutor em curso de formação, de desenvolvimento ou de treinamento regularmente instituído no âmbito da administração pública federal, ou participar de banca examinadora, ou de comissão para exames orais, para análise curricular, para correção de provas discursivas, para elaboração de questões de provas, ou para julgamento de recursos intentados por candidatos; (Art. 98º, 4º, da Lei nº 8.112/90) Critérios de concessão e os limites da gratificação 12. Os critérios de concessão e os limites da gratificação serão fixados em regulamento, observados os seguintes parâmetros (Art. 76-A, 1º da Lei nº 8.112/90): a. O valor da gratificação será calculado em horas, observadas a natureza e a complexidade da atividade exercida; b. A retribuição não poderá ser superior ao equivalente a 120 (cento e vinte) horas de trabalho anuais, ressalvada situação de excepcionalidade, devidamente justificada e previamente aprovada pela autoridade máxima do órgão ou entidade, que poderá autorizar o acréscimo de até 120 (cento e vinte) horas de trabalho anuais independentemente de as atividades serem realizadas no horário de trabalho ou não. (Art. 76-A, 1º da Lei nº 8.112/90 e item 5, alínea c, da Nota Informativa nº 270/2011/CGNOR/DENOP/SRH/MP) c. O valor máximo da hora trabalhada corresponderá aos seguintes percentuais, incidentes sobre o maior vencimento básico da administração pública federal: i. 2,2% (dois inteiros e dois décimos por cento), em se tratando de atividades previstas nos incisos itens 1.a. e 1.b. citados nos REQUISITOS BÁSICOS. ii. 1,2% (um inteiro e dois décimos por cento), em se tratando de atividade prevista nos incisos itens 1.c. e 1.d. citados nos REQUISITOS BÁSICOS. 13. A Gratificação será paga ao servidor por hora trabalhada, conforme limites estabelecidos conforme ANEXO I desta norma. (Art. 3º do Decreto nº 6.114/2007). 14. O valor a ser pago será definido levando-se em consideração a natureza e a complexidade da atividade, a formação acadêmica, a experiência comprovada ou outros critérios estabelecidos pelo órgão ou entidade. (Art. 3º, 2º, do Decreto nº 6.114/2007). Pagamento 15. O valor da Gratificação será apurado pela instituição executora no mês de realização da atividade e informado, até o quinto dia útil do mês seguinte, ao sistema utilizado para processamento da folha de pagamento. (Art. 5º do Decreto nº 6.114/2007). 16. O pagamento da Gratificação deverá ser efetuado por meio do sistema utilizado para processamento da folha de pagamento de pessoal. Na impossibilidade de processamento do pagamento da Gratificação na forma estabelecida no caput, será admitido o pagamento por meio de ordem bancária pelo Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal - SIAFI. (Art. 9º do Decreto nº 6.114/2007). 17. Em relação à possibilidade de pagamento da Gratificação por meio de ordem bancária pelo Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal SIAFI, tal procedimento constitui medida excepcional para os casos em que não for possível efetuar o pagamento por meio 3

4 do sistema utilizado para processamento da folha de pagamento de pessoal, haja vista dificuldades de cunho operacional e sistêmico. (Item 12 da Nota Técnica Nº 402/2010-COGES/DENOP/SRH/MP) 18. A Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso não se incorpora ao vencimento ou salário do servidor para qualquer efeito e não poderá ser utilizada como base de cálculo para quaisquer outras vantagens, inclusive para fins de cálculo dos proventos da aposentadoria e das pensões. (Art. 76-A, 3º, da Lei nº 8.112/90) 19. Há apenas incidência de imposto de renda sobre os valores pagos a servidores públicos a título de GECC. Não incide, portanto, contribuição previdenciária e nem ISS. (Parecer PGFN/CAT nº 2283/2013) Deveres do órgão 20. Cabe aos órgãos ou entidades executoras elaborar tabela de valores da Gratificação, selecionar os servidores observando os critérios estabelecidos e efetuar o pagamento da Gratificação relativa às horas trabalhadas.(art. 7º, incisos I, II e IV, do Decreto nº 6.114/2007) 21. Os valores da gratificação devem estar estabelecidos na regulamentação interna do órgão ou entidade, seja para pagamento por meio do SIAPE ou do SIAFI, ou seja, não importa qual o meio utilizado para o pagamento, a Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso deve observar os valores estabelecidos nas Portarias publicadas por cada órgão ou entidade, nos termos previstos pelo Decreto nº 6.114/2007. (Nota Técnica nº 402/2010-COGES/DENOP/SRH/MP) 22. O órgão ou entidade de exercício do servidor providenciará a guarda da documentação nos seus assentamentos funcionais e, quando se tratar de servidor cedido ou requisitado, encaminhará cópia ao órgão ou entidade de origem. (Art. 7º, único, do Decreto nº 6.114/2007) FUNDAMENTAÇÃO 1. Artigos 76º-A e 98º da Lei nº 8.112, de 11/12/90 (DOU 12/12/90), alterado pela Lei nº 9.527, de 10/12/97 (DOU 11/12/97). 2. Decreto nº 6.114, de 15/05/ Nota Técnica COGES/DENOP/SRH/MP nº 767, de 15/12/ Nota Técnica COGES/DENOP/SRH/MP nº 402 de 26/04/ Nota Informativa CGNOR/DENOP/SRH/MP nº 270, de 16/03/ Parecer PGFN/CAT nº 2283, de 10/12/ Portaria SEGEP/MP nº 2, de 09/01/

5 ANEXO I TABELAS DE DA GRATIFICAÇÃO POR ENCARGO DE CURSO OU CONCURSO, INCIDENTES SOBRE O MAIOR VENCIMENTO BÁSICO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FEDERAL a) Instrutoria em curso de formação, ou instrutoria em cursos de desenvolvimento ou de treinamento para servidores, regularmente instituído no âmbito da administração pública federal. Instrutoria em curso de formação de carreiras Até 2,20 Instrutoria em curso de desenvolvimento e aperfeiçoamento Até 2,20 Instrutoria em curso de treinamento Até 1,45 Tutoria em curso a distância Até 1,45 Instrutoria em curso gerencial Até 2,20 Instrutoria em curso de pós-graduação Até 2,20 Orientação de monografia Até 2,20 Instrutoria em curso de educação de jovens e adultos Até 0,75 Coordenação técnica e pedagógica Até 1,45 Elaboração de material didático Até 1,45 Elaboração de material multimídia para curso a distância Até 2,20 Atividade de conferencista e de palestrante em evento de capacitação Até 2,20 b) Banca examinadora ou de comissão para exames orais, análise curricular, correção de provas discursivas, elaboração de questões de provas ou para julgamento de recursos intentados por candidatos. Exame oral Até 2,05 Análise curricular Até 1,20 Correção de prova discursiva Até 2,20 Elaboração de questão de prova Até 2,20 Julgamento de recurso Até 2,20 Prova prática Até 1,75 Análise crítica de questão de prova Até 2,20 Julgamento de concurso de monografia Até 2,20 c) Logística de preparação e de realização de curso, concurso público ou exame vestibular - planejamento, coordenação, supervisão e execução. Planejamento Até 1,20 Coordenação Até 1,20 Supervisão Até 0,90 Execução Até 0,75 d) Aplicação, fiscalização ou supervisão de provas de exame vestibular ou de concurso público. Aplicação Até 0,45 Fiscalização Até 0,90 Supervisão Até 1,20 5

CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 112/2015 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2015

CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 112/2015 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas - Secretaria Geral CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 112/2015 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2015 (Resolução referendada pelo Consuni em sua 150ª reunião

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 031/2011, DE 05 DE AGOSTO DE 2011

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 031/2011, DE 05 DE AGOSTO DE 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Conselho Superior Rua Ciomara Amaral de Paula, 167 Bairro Medicina 37550-000 - Pouso Alegre/MG Fone: (35)

Leia mais

DECRETO Nº 33.871, DE 23 DE AGOSTO DE 2012.

DECRETO Nº 33.871, DE 23 DE AGOSTO DE 2012. Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF DECRETO Nº 33.871, DE 23 DE AGOSTO DE 2012. Dispõe sobre o pagamento da Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso aos servidores públicos

Leia mais

RESOLUÇÃO N 017/2014/CONSUP/IFAP, DE 28 DE MAIO DE 2014.

RESOLUÇÃO N 017/2014/CONSUP/IFAP, DE 28 DE MAIO DE 2014. RESOLUÇÃO N 017/2014/CONSUP/IFAP, DE 28 DE MAIO DE 2014. Aprova os CRITÉRIOS PARA CONCESSÃO E PAGAMENTO DA GRATIFICAÇÃO POR ENCARGO DE CURSO E CONCURSO - GECC do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

DECRETO Nº 6.114, DE 15 DE MAIO DE

DECRETO Nº 6.114, DE 15 DE MAIO DE DECRETO Nº 6.114, DE 15 DE MAIO DE 2007. Regulamenta o pagamento da Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso de que trata o art. 76-A da Lei n o 8.112, de 11 de dezembro de 1990. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO CONSELHO SUPERIOR

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO CONSELHO SUPERIOR SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 19/2015 Fixa as bases de concessão e valores a serem pagos

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR Resolução nº 005, de 12 de junho de 2017 O Presidente do Conselho Diretor da Fundação Universidade Federal do Acre, Prof. Dr. Minoru Martins Kinpara, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR Resolução n.º 01, de 14 de fevereiro de 2008 A Presidente do Conselho Diretor da Fundação Universidade Federal do Acre, em exercício, no uso das atribuições

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014/REITORIA/IFTO, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014/REITORIA/IFTO, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014//IFTO, DE 23 DE SETEMBRO DE 2014. Estabelece os critérios para pagamento de Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso no âmbito do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Gra ficação de Encargo de Curso ou Concursos (GECC) Entendimentos

Gra ficação de Encargo de Curso ou Concursos (GECC) Entendimentos Gra ficação de Encargo de Curso ou Concursos (GECC) Entendimentos Junho/2015 Sumário 1. O que é a GECC?... 1 2. Quais são instrumentos legais que normatizam seu pagamento?... 1 3. Quais são as atividades

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 56/2017 Fixa os critérios para pagamento da Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso no âmbito da Universidade Federal de Juiz de Fora. O Conselho Superior da Universidade

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 31 - CONSUP/IFAM, 11 de novembro de 2011.

RESOLUÇÃO Nº. 31 - CONSUP/IFAM, 11 de novembro de 2011. RESOLUÇÃO Nº. 31 - CONSUP/IFAM, 11 de novembro de 2011. Estabelece Regulamento para o Pagamento da Gratificação por Encargo de Cursos ou Concursos no âmbito do Instituto Federal de Educação, Ciência e

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO CONSELHO SUPERIOR

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO CONSELHO SUPERIOR SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 42/2014 Fixa as bases de concessão e valores a serem pagos

Leia mais

REVOGADA pela Resolução n , de 23 de novembro de R E S O L U Ç Ã O :

REVOGADA pela Resolução n , de 23 de novembro de R E S O L U Ç Ã O : SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO N. 1.274, DE 24 DE AGOSTO DE 2009 REVOGADA pela Resolução n. 1.277, de 23 de novembro de 2009. Regulamenta

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 25/2012/CS Florianópolis, 23 de agosto de Considerando a apreciação do Conselho Superior na reunião ordinária realizada no dia

RESOLUÇÃO Nº 25/2012/CS Florianópolis, 23 de agosto de Considerando a apreciação do Conselho Superior na reunião ordinária realizada no dia MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 25/2012/CS Florianópolis, 23

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 08/2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 08/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 08/2013 Regulamenta os critérios de concessão, no âmbito da UFBA, da gratificação por encargos de cursos e concursos e dá outras providencias.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 25, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2006

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 25, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 25, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2006 Aprovar normas para pagamento da Gratificação por Encargo

Leia mais

PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de Processo: /

PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de Processo: / PORTARIA R N.º 080/2009, de 18 de maio de 2009 : 23000.091441/2009-33 O Reitor Pro Tempore do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Sudeste de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 003 / 2015

RESOLUÇÃO Nº 003 / 2015 RESOLUÇÃO Nº 003 / 2015 EMENTA: Dispõe sobre os Planos Individuais de Trabalho (PIT) Docente, o Regimes e Horários de Trabalho e a distribuição da Carga Horária do Docentes da Faculdade de Comunicação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 33, DE 27 DE AGOSTO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 33, DE 27 DE AGOSTO DE 2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA RESOLUÇÃO Nº 33, DE 27 DE AGOSTO DE 21 Dispõe sobre a Gratificação de Encargo de Curso ou Concurso no âmbito do Instituto Federal

Leia mais

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 003 DIREH, DE 08 DE NOVEMBRO DE 2007.

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 003 DIREH, DE 08 DE NOVEMBRO DE 2007. FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 003 DIREH, DE 08 DE NOVEMBRO DE 2007. Dispõe sobre o pagamento da Gratificação por Encargo de Concurso Público para Seleção de Cargo

Leia mais

LICENÇA POR ACIDENTE EM SERVIÇO

LICENÇA POR ACIDENTE EM SERVIÇO LICENÇA POR ACIDENTE EM SERVIÇO DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES PROCEDIMENTO FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO Licença concedida em decorrência de dano físico ou

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL PORTARIA Nº. 479, DE 13 DE MAIO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL PORTARIA Nº. 479, DE 13 DE MAIO DE 2015 O REITOR do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense, no uso das atribuições legais que lhe conferem a Lei 11.892 de 29/12/2008, publicada no D.O.U. de 30/12/2008; a Portaria MEC

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GABINETE DO SECRETÁRIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GABINETE DO SECRETÁRIO EDITAL N 006/2011 Processo Seletivo Simplificado para preenchimento de cargos em caráter temporário, para compor a Rede Municipal de Saúde, com fulcro na Lei n 4.302/1994 alterada pela Lei nº 6.690/2005,

Leia mais

PORTARIA N.º 1.148, DE 23 DE SETEMBRO DE 2016.

PORTARIA N.º 1.148, DE 23 DE SETEMBRO DE 2016. Altera as bases de concessão e valores a serem pagos aos servidores públicos federais pelo desempenho eventual de atividades desenvolvidas na execução de processos seletivos, no âmbito do IFFluminense.

Leia mais

ADICIONAL DE INSALUBRIDADE

ADICIONAL DE INSALUBRIDADE ADICIONAL DE INSALUBRIDADE Cód.: AIN Nº: 5 Versão: 8 Data: 16/02/2016 DEFINIÇÃO É uma vantagem pecuniária, de caráter transitório, concedida como uma forma de compensação ao servidor que trabalhe permanente

Leia mais

DECRETO Nº 3739-12/11/2008

DECRETO Nº 3739-12/11/2008 DECRETO Nº 3739-12/11/2008 Publicado no Diário Oficial Nº 7848 de 12/11/2008 Súmula: Dispõe sobre o regulamento da promoção para os servidores ativos, das Carreiras do Quadro Próprio do Poder Executivo-QPPE...

Leia mais

ATOS DO PODER EXECUTIVO

ATOS DO PODER EXECUTIVO ATOS DO PODER EXECUTIVO DECRETO Nº 43.538 DE 03 DE ABRIL DE 2012 INSTITUI O REGIME ADICIONAL DE SERVIÇOS (RAS) PARA POLICIAIS CIVIS, POLICIAIS MILITARES, BOMBEIROS MILITARES E AGENTES PENITENCIÁRIOS -

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARANÁ PROPOSTA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARANÁ PROPOSTA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO Resolução nº /2012, CONSUP/IFPR PROPOSTA Fixa os critérios para pagamento de Gratificação de encargo de Curso ou Concurso GECC,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GABINETE DO SECRETÁRIO EDITAL Nº. 002/2010

PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GABINETE DO SECRETÁRIO EDITAL Nº. 002/2010 Processo Seletivo Simplificado para preenchimento de cargos em caráter temporário, com fulcro na Lei Municipal nº 6.690/2005 que alterou o art. 4º, da Lei Municipal nº 4.302/1994 e no Decreto 5727/2008,

Leia mais

Orientações para o Estágio

Orientações para o Estágio Orientações para o Estágio DIREC 2015 Câmpus Guarapuava LEI Nº 11.788, DE 25 DE SETEMBRO DE 2008 Estágio Disponível em: http://www.utfpr.edu.br/estrutura-universitaria/proreitorias/prograd/legislacao/arquivos/lei11788_estagio.pdf

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento de Monitoria para os cursos de graduação das Faculdades Integradas Sévigné.

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado, conforme anexo, o Regulamento de Monitoria para os cursos de graduação das Faculdades Integradas Sévigné. RESOLUÇÃO CSA 08/2009 APROVA O REGULAMENTO DE MONITORIA PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DAS. O Presidente do Conselho Superior de Administração CSA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 6º, II, do

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 193-CONSELHO SUPERIOR, de 2 de março de 2015.

RESOLUÇÃO Nº 193-CONSELHO SUPERIOR, de 2 de março de 2015. RESOLUÇÃO Nº 193-CONSELHO SUPERIOR, de 2 de março de 2015. APROVA O REGULAMENTO DO PAGAMENTO DA GRATIFICAÇÃO POR ENCARGO DE CURSOS E CONCURSOS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE

Leia mais

Professor Jaime Arturo Ramírez Presidente do Conselho Universitário

Professor Jaime Arturo Ramírez Presidente do Conselho Universitário RESOLUÇÃO COMPLEMENTAR N o 02/2014, DE 10 DE JUNHO DE 2014 Dispõe sobre regimes de trabalho docente; encargos docentes; concessão, reversão de classe e alteração de regime de trabalho de vaga de magistério

Leia mais

EDITAL Nº 001 / 2008

EDITAL Nº 001 / 2008 PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS EDITAL Nº 001 / 2008 A comunica aos interessados que estão abertas as inscrições para seleção simplificada de candidatos(as) para preencher cadastro reserva para contratação

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 01/2016 CONCURSO PARA INGRESSO DE MONITOR

CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 01/2016 CONCURSO PARA INGRESSO DE MONITOR 1 CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 01/2016 A Coordenação do Curso de Engenharia de Produção da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições

Leia mais

EDITAL Nº 001/2016 PROCESSO SELETIVO DE BOLSA DE TUTORIA INCLUSIVA

EDITAL Nº 001/2016 PROCESSO SELETIVO DE BOLSA DE TUTORIA INCLUSIVA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO PEDAGÓGICO COMISSÃO PERMANENTE DE APOIO A ESTUDANTES COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS EDITAL Nº

Leia mais

Brasília Posição: Julho/2007. Brasília

Brasília Posição: Julho/2007. Brasília Brasília Posição: Julho/2007 60 Brasília Posição: Julho/2007 09. M INISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIM ENTO - M APA * Carreira de Fiscal Federal Agropecuário Cargo: Fiscal Federal Agropecuário

Leia mais

MENSAGEM Nº 072 /2013. Senhor Presidente, Senhores Vereadores,

MENSAGEM Nº 072 /2013. Senhor Presidente, Senhores Vereadores, MENSAGEM Nº 072 /2013 Senhor Presidente, Senhores Vereadores, Submeto à análise de Vossas Excelências e à superior deliberação desse Poder Legislativo o anexo Projeto de Lei que FIXA os níveis salariais

Leia mais

CIRCULAR GEPE N.º 007/2005. Gerências Regionais de Recursos Humanos, Unidades de Controle de Pessoal das demais Secretarias, gerências da GEPE.

CIRCULAR GEPE N.º 007/2005. Gerências Regionais de Recursos Humanos, Unidades de Controle de Pessoal das demais Secretarias, gerências da GEPE. CIRCULAR GEPE N.º 007/2005 De: Para: Gerências Regionais de Recursos Humanos, Unidades de Controle de Pessoal das demais Secretarias, gerências da GEPE. ASSUNTOS 1. PRESTAÇÃO DE SERVIÇO EXTRAORDINÁRIO

Leia mais

REGULAMENTO DE LICENÇA DE DISPENSA DE SERVIÇO DOCENTE

REGULAMENTO DE LICENÇA DE DISPENSA DE SERVIÇO DOCENTE REGULAMENTO DE LICENÇA DE DISPENSA DE SERVIÇO DOCENTE (aprovado em reunião de CTC de 2014/10/15) Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto ISCAP/IPP CAPITULO I Disposições gerais Artigo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE RESOLUÇÃO N o XX/0xx-CONSUP Natal (RN), xx de xx de 0xx. Aprova as Normas relativas à carga horária docente

Leia mais

Conselho da Justiça Federal

Conselho da Justiça Federal RESOLUÇÃO N o 213, DE 30 DE SETEMBRO DE 1999 Dispõe sobre a concessão do auxílio-transporte aos servidores do Conselho da Justiça Federal Justiça Federal de Primeiro e Segundo Graus. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

ANEXO DA RESOLUÇÃO Nº 304/CNSELHO SUPERIOR, DE 28 DE AGOSTO DE TABELAS DE GRATIFICAÇÕES POR ENCARGO DE CURSOS, CONCURSOS E PROCESSOS SELETIVOS

ANEXO DA RESOLUÇÃO Nº 304/CNSELHO SUPERIOR, DE 28 DE AGOSTO DE TABELAS DE GRATIFICAÇÕES POR ENCARGO DE CURSOS, CONCURSOS E PROCESSOS SELETIVOS ANEXO DA RESOLUÇÃO Nº 304/CNSELHO SUPERIOR, DE 28 DE AGOSTO DE 2017. TABELAS DE GRATIFICAÇÕES POR ENCARGO DE CURSOS, CONCURSOS E PROCESSOS SELETIVOS VALOR FINANCEIRO DE REFERÊNCIA: Maior vencimento básico

Leia mais

DIRETRIZES PARA ESTRUTURAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

DIRETRIZES PARA ESTRUTURAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DIRETRIZES PARA ESTRUTURAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO INTRODUÇÃO O curso de Engenharia de Produção da Escola Superior de Tecnologia e Educação de

Leia mais

NOTA INFORMATIVA Nº 01/2015-DIGPE Natal, 14 de janeiro de 2015.

NOTA INFORMATIVA Nº 01/2015-DIGPE Natal, 14 de janeiro de 2015. DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS NOTA INFORMATIVA Nº 01/2015-DIGPE Natal, 14 de janeiro de 2015. Divulga os valores de referência para fins de pagamento da Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso.

Leia mais

REDENOMINA A CARREIRA GUARDA PENITENCIÁRIA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

REDENOMINA A CARREIRA GUARDA PENITENCIÁRIA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 14.582, 21 de dezembro de 2009. REDENOMINA A CARREIRA GUARDA PENITENCIÁRIA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ. Faço saber que a Assembleia Legislativa decretou e eu sanciono

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2015.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2015. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2015. Dispõe sobre o Plano Anual de Auditoria Interna (PAINT), os trabalhos de auditoria realizados pelas unidades de auditoria interna e o Relatório Anual

Leia mais

Art. 1º Estabelecer orientações para a implementação no âmbito do Projeto Bolsa- Formação dos ciclos especiais de capacitação:

Art. 1º Estabelecer orientações para a implementação no âmbito do Projeto Bolsa- Formação dos ciclos especiais de capacitação: PORTARIA MJ Nº 183, DE 9 DE FEVEREIRO DE 2010 Regulamenta os arts. 9º, 10 e 15 do Decreto nº 6.490, de 19 de junho de 2008, alterados pelo Decreto nº 7.081, de 26 de janeiro de 2010, e dá outras providências.

Leia mais

REGIMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGIMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES FACULDADE MARECHAL RONDON REGIMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES ENFERMAGEM São Manuel 2016 1 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DA FMR As Atividades Complementares, conforme

Leia mais

Perguntas e respostas sobre a instituição do Regime de Previdência Complementar para os servidores públicos da União

Perguntas e respostas sobre a instituição do Regime de Previdência Complementar para os servidores públicos da União Perguntas e respostas sobre a instituição do Regime de Previdência Complementar para os servidores públicos da União 1) O que é o Regime de Previdência Complementar? É um dos regimes que integram o Sistema

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA CADASTRO DE INSTRUTORES CURSO REDES DE TELECOMUNICAÇÕES EDITAL Nº 81/2014-AFPE6/AFPE

PROCESSO SELETIVO PARA CADASTRO DE INSTRUTORES CURSO REDES DE TELECOMUNICAÇÕES EDITAL Nº 81/2014-AFPE6/AFPE PROCESSO SELETIVO PARA CADASTRO DE INSTRUTORES CURSO REDES DE TELECOMUNICAÇÕES EDITAL Nº 81/2014-AFPE6/AFPE A Gerente Substituta de Administração e Desenvolvimento de Pessoas da Anatel - AFPE, no uso de

Leia mais

CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Versão final MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA O ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA DA UNOESC CAPÍTULO I DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Art. 1º O Estágio Curricular Supervisionado

Leia mais

ANEXO II ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA TÉCNICA E ECONÔMICA

ANEXO II ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA TÉCNICA E ECONÔMICA ANEXO II ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA TÉCNICA E ECONÔICA Introdução Entende-se que a Proposta Técnica e Econômica é a demonstração do conjunto dos elementos necessários e suficientes, com nível

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DA FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DA FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DA FACULDADE EDUCACIONAL ARAUCÁRIA CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E FINALIDADES DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1 - O Estágio Supervisionado,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCIONAL GUAXUPÉ CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. Regulamento das Atividades Complementares

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCIONAL GUAXUPÉ CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. Regulamento das Atividades Complementares CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCIONAL GUAXUPÉ CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Regulamento das s Complementares Capítulo 1 Diretrizes Preliminares Art. 1º As atividades complementares, constantes nas Diretrizes

Leia mais

RESOLUÇÃO CGRAD 020/08, DE 16 DE JULHO DE 2008

RESOLUÇÃO CGRAD 020/08, DE 16 DE JULHO DE 2008 RESOLUÇÃO CGRAD 020/08, DE 16 DE JULHO DE 2008 Aprova o Regulamento Geral dos Estágios Curriculares dos Cursos de Graduação do CEFET-MG A PRESIDENTE DO DO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS

Leia mais

CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO R E S O L U Ç Ã O nº. 072/2009 Regulamenta, no âmbito da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), o serviço de Professor Colaborador Voluntário,

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE VOLUNTÁRIOS PARA DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES NO NÚCLEO DE PROJETOS COMUNITÁRIOS DA PUCPR

EDITAL DE SELEÇÃO DE VOLUNTÁRIOS PARA DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES NO NÚCLEO DE PROJETOS COMUNITÁRIOS DA PUCPR EDITAL DE SELEÇÃO DE VOLUNTÁRIOS PARA DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES NO NÚCLEO DE PROJETOS COMUNITÁRIOS DA PUCPR O Núcleo de Projetos comunitários (NPC) da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR),

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO- SEDUC

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO- SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO- SEDUC EDITAL DE CONCURSOS PÚBLICOS N 1/013 DIVULGA O PRAZO E LOCAL DE ENTREGA DOS DOCUMENTOS COMPROBATÓRIOS PARA A PROVA DE TÍTULOS E PRESTA OUTROS ESCLARECIMENTOS O Secretário

Leia mais

Políticas Corporativas

Políticas Corporativas 1 IDENTIFICAÇÃO Título: POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS ADMINISTRADORES Restrições para Uso: Livre Acesso Controle Reservado Confidencial Controlada Não Controlada Em Revisão 2 - RESPONSÁVEIS Etapa Área Responsável

Leia mais

REGIMENTO. Objeto. Art.1º. O presente regimento disciplinará o funcionamento do Comitê de Capacitação e Qualificação de

REGIMENTO. Objeto. Art.1º. O presente regimento disciplinará o funcionamento do Comitê de Capacitação e Qualificação de Este documento foi elaborado por uma Comissão instituída para discutir a proposta de criação de um comitê responsável pelo planejamento institucional de um plano de capacitação e qualificação para os técnico-administrativos

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Rendimentos Recebidos Acumuladamente x Licença Maternidade

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Rendimentos Recebidos Acumuladamente x Licença Maternidade 02/01/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares... 5 6. Referências... 6 7.

Leia mais

REDE METODISTA DE EDUCAÇÃO DO SUL CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO

REDE METODISTA DE EDUCAÇÃO DO SUL CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO REDE METODISTA DE EDUCAÇÃO DO SUL CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO PORTO ALEGRE 2014 SUMÁRIO CAPÍTULO I DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES E SUAS

Leia mais

Anexo 03 Normas para a realização de Estágio

Anexo 03 Normas para a realização de Estágio Anexo 03 Normas para a realização de Estágio REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Capítulo I DA NATUREZA Art. 1º. O Projeto Pedagógico do Curso de Engenharia Civil do Setor de Tecnologia

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.373/2011 Regulamenta o Exame de Suficiência como requisito para obtenção ou restabelecimento de Registro Profissional em Conselho Regional de Contabilidade (CRC). O CONSELHO FEDERAL

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º Este Regulamento estabelece a normatização das disciplinas de

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Bragança Paulista, 30 de maio de 2016. Profa. Márcia Aparecida Antônio Presidente

R E S O L U Ç Ã O. Bragança Paulista, 30 de maio de 2016. Profa. Márcia Aparecida Antônio Presidente RESOLUÇÃO CONSEACC/BP 16/2016 APROVA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVIONADO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO, DO CAMPUS BRAGANÇA PAULISTA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. A Presidente do Conselho Acadêmico

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI Nº 6.370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 1993 - D.O. 13.12.93.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI Nº 6.370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 1993 - D.O. 13.12.93. Autor: Poder Executivo LEI Nº 6.370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 1993 - D.O. 13.12.93. * Cria a Carreira de Tecnologia Ambiental. (*Revogada pela Lei n 7.290 D.O..06.00). A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE

Leia mais

Art. 2º A responsabilidade pelo cumprimento desta Instrução Normativa é da Gerência de Recursos Humanos ou equivalente.

Art. 2º A responsabilidade pelo cumprimento desta Instrução Normativa é da Gerência de Recursos Humanos ou equivalente. INSTRUÇÃO NORMATIVA N o 008/ DGRH/SEA Orienta os procedimentos relativos a elaboração dos Planos de Capacitação no âmbito da Administração Direta, Autárquica e Fundacional mencionados no Decreto 3.917,

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA, no uso de suas atribuições legais e regimentais, Publicado no Diário da Justiça n 176/2012, de 21.9.2012, p. 1-5 INSTRUÇÃO N. 006/2012-PR Revoga a Instrução n. 008/96-PR Alterada pela Instrução n. 007/2013-PR Dispõe sobre a prestação de serviço extraordinário

Leia mais

orientações sobre Licença Capacitação

orientações sobre Licença Capacitação orientações sobre Licença Capacitação O que é... Licença Capacitação A Licença Capacitação é um direito garantido aos servidores pelo artigo 87 da Lei 8.112/1990. 1 6 A licença capacitação não é cumulativa,

Leia mais

NOTA INFORMATIVA Nº 01/2017-DIGPE Natal, 23 de janeiro de 2017.

NOTA INFORMATIVA Nº 01/2017-DIGPE Natal, 23 de janeiro de 2017. DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS NOTA INFORMATIVA Nº 01/2017-DIGPE Natal, 23 de janeiro de 2017. Divulga os valores de referência para fins de pagamento da Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso.

Leia mais

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EDITAL Nº 02/PPGEDU/2016

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EDITAL Nº 02/PPGEDU/2016 UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EDITAL Nº 02/PPGEDU/2016 CONTRATAÇÃO DE DOCENTE PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO O Pró-Reitor Acadêmico

Leia mais

DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO SUL-3

DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO SUL-3 DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO SUL-3 INSCRIÇÕES PARA CEL EDITAL 2015 O Dirigente Regional de Ensino da Diretoria de Ensino Região Sul-3, em atendimento às disposições da Resolução SE 03, de 28/01/2011, Resolução

Leia mais

UNESPAR EDITAL N.º 005/2014-CEC

UNESPAR EDITAL N.º 005/2014-CEC UNESPAR EDITAL N.º 005/2014-CEC A Comissão Eleitoral Central (CEC) para Eleição para vagas remanescentes dos Membros dos Conselhos Superiores da Universidade Estadual do Paraná Unespar, nomeada pela Portaria

Leia mais

Edital Interno Nº 14/2016 CADASTRO INTERNO DE INSTRUTORES PARA CURSOS DE CAPACITAÇÃO, REFERENTE AO PLANO DE CAPACITAÇÃO DO IF SERTÃO-PE

Edital Interno Nº 14/2016 CADASTRO INTERNO DE INSTRUTORES PARA CURSOS DE CAPACITAÇÃO, REFERENTE AO PLANO DE CAPACITAÇÃO DO IF SERTÃO-PE Edital Interno Nº 14/2016 CADASTRO INTERNO DE INSTRUTORES PARA CURSOS DE CAPACITAÇÃO, REFERENTE AO PLANO DE CAPACITAÇÃO DO IF SERTÃO-PE A REITORA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

CAPÍTULO II DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO II DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente instrumento dispõe sobre as normas e procedimentos a serem observados

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA BOLSAS DE ESTUDOS DA CAPES

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA BOLSAS DE ESTUDOS DA CAPES EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA BOLSAS DE ESTUDOS DA CAPES Retificação ao Edital N 05/2015-PPGFIS Boa Vista-RR, 03 de março de 2015. A Comissão de Seleção de concessão de Bolsas de Estudo da CAPES

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO ISEC

REGULAMENTO DOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO ISEC REGULAMENTO DOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO ISEC Artigo 1.º Âmbito O presente Regulamento estabelece o regime de funcionamento dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) ministrados

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA PORTARIA Nº 323, DE 3 DE JULHO DE 2008

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA PORTARIA Nº 323, DE 3 DE JULHO DE 2008 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA EXECUTIVA PORTARIA Nº 323, DE 3 DE JULHO DE 2008 Estabelece a Tabela de Valores da Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso - GECC e o correspondente

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO LC 150 - ESQUEMATIZADA Prof. Antonio Daud Jr (www.facebook.com/adaudjr)

DIREITO DO TRABALHO LC 150 - ESQUEMATIZADA Prof. Antonio Daud Jr (www.facebook.com/adaudjr) Questão 1 FCC/TRT23 Técnico Judiciário - Área Administrativa - 2016 (FCC_TRT23_TÉCNICO_JUDICIÁRIO_ÁREA_ADMINISTRATIVA_2016) De acordo com a Lei Complementar no 150 de 2015, no tocante às férias do empregado

Leia mais

Regulamento dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais do IPA. 2014Jul29. Documento. Data. Conselho Pedagógico. Científico.

Regulamento dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais do IPA. 2014Jul29. Documento. Data. Conselho Pedagógico. Científico. Documento Data Regulamento dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais do IPA 2014Jul29 Conselho Pedagógico Conselho Científico Conselho Direção Técnico- de REVISÃO DO DOCUMENTO Versão Alteração Por Data

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DE DOCENTES PARA CURSOS DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EDITAL Nº005/2011 PROCEDIMENTOS

PROCESSO DE SELEÇÃO DE DOCENTES PARA CURSOS DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EDITAL Nº005/2011 PROCEDIMENTOS PROCESSO DE SELEÇÃO DE DOCENTES PARA CURSOS DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EDITAL Nº005/2011 PROCEDIMENTOS A Faculdade Estácio de Natal divulga a abertura de inscrições, normas e programas do processo de seleção

Leia mais

BOLETIM DE SERVIÇO FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 001-DIREH, DE 08 DE JUNHO DE 2005.

BOLETIM DE SERVIÇO FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 001-DIREH, DE 08 DE JUNHO DE 2005. PÁG: 33 FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS NORMA OPERACIONAL Nº 001-DIREH, DE 08 DE JUNHO DE 2005. Dispõe sobre o Abono de Permanência instituído pela Emenda Constitucional nº 41/2003.

Leia mais

Fundação Oswaldo Cruz FIOCRUZ Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz - CPqGM Pós-Graduação em Biotecnologia em Saúde e Medicina Investigativa - PGBSMI

Fundação Oswaldo Cruz FIOCRUZ Centro de Pesquisas Gonçalo Moniz - CPqGM Pós-Graduação em Biotecnologia em Saúde e Medicina Investigativa - PGBSMI PROCESSO SELETIVO - PÓS-DOUTORADO EM BIOTECNOLOGIA EM SAÚDE E MEDICINA INVESTIGATIVA - PNPD/CAPES (PORTARIA Nº 086, DE 03 DE JULHO DE 2013) O Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia e Medicina Investigativa

Leia mais

Secretaria de Defesa Social POLÍCIA CIVIL DE PERNAMBUCO Gabinete do Chefe de Polícia PORTARIA GAB/PCPE Nº 686/2011

Secretaria de Defesa Social POLÍCIA CIVIL DE PERNAMBUCO Gabinete do Chefe de Polícia PORTARIA GAB/PCPE Nº 686/2011 2011. Recife, 21 de junho de PORTARIA GAB/PCPE Nº 686/2011 Dis ciplina o processo de programação e controle de férias dos servidores da Polícia Civil de Pernambuco para o exercício de 2012, e dá outras

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. A empresa contratada deverá providenciar local para a realização das provas escritas e pessoal para fiscalização.

MEMORIAL DESCRITIVO. A empresa contratada deverá providenciar local para a realização das provas escritas e pessoal para fiscalização. MEMORIAL DESCRITIVO Contratação de empresa especializada para realização de concurso público, visando a formação de banco de concursados para diversos cargos efetivos do Município, através da Secretaria

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES PORTARIA Nº 246, DE 10 DE ABRIL 2013

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES PORTARIA Nº 246, DE 10 DE ABRIL 2013 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES PORTARIA Nº 246, DE 10 DE ABRIL 2013 Estabelece os procedimentos para pagamento da Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso GECC no âmbito da Agência Nacional

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA PARÂMETROS DE FIXAÇÃO DE PREÇOS EM OBRAS PÚBLICAS

CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA PARÂMETROS DE FIXAÇÃO DE PREÇOS EM OBRAS PÚBLICAS CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA PARÂMETROS DE FIXAÇÃO DE PREÇOS EM OBRAS PÚBLICAS Audiência Pública - CMA/SENADO 13.04.2010 - BRASILIA-DF LDO 2010 (LEI Nº 12.017, DE 12 DE AGOSTO

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO CFM Nº 1.975/2011 (Publicada no D.O.U. de 29 de julho de 2011, Seção I, p. 336-337) Revogada pela Resolução CFM nº 1979/2011 Fixa os valores das anuidades e taxas

Leia mais

SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO, SALÁRIO DE BENEFÍCIO E RENDA MENSAL INICIAL CONCEITOS Professor: Anderson Castelucio CONCEITOS DE SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO Art. 214. Entende-se por salário-de-contribuição: I -

Leia mais

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now. DECRETO Nº 297, de 21 de maio de 2007 Regulamenta o Programa Novos Valores, para o estágio de estudantes em órgãos e entidades da Administração Direta, Autárquica e Fundacional do Poder Executivo Estadual,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO - UFOP PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO - UFOP PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO - UFOP PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL EDITAL PROGRAD/PET nº 16/2015, de 11 de março de 2015 Dispõe sobre o processo de seleção de tutor

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 001 - CPG, DE 17 DE MAIO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº. 001 - CPG, DE 17 DE MAIO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº. 001 - CPG, DE 17 DE MAIO DE 2013. Estabelece critérios para o credenciamento, descredenciamento, recredenciamento, enquadramento e habilitação de docentes, bem como a coorientação no âmbito

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 767/2009/COGES/DENOP/SRH/MP

NOTA TÉCNICA Nº 767/2009/COGES/DENOP/SRH/MP MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Coordenação-Geral de Elaboração, Sistematização e Aplicação das Normas NOTA

Leia mais

PSPN PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL E CARREIRA

PSPN PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL E CARREIRA PSPN PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL E CARREIRA MARTA VANELLI Secretária Geral da CNTE Conselheira do CEE/SC Professora da Rede Pública Estadual de SC Ex-Presidenta do SINTE/SC Ex-Conselheira do Conselho

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 03/2008

EDITAL PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 03/2008 EDITAL PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 03/2008 O Uni-FACEF Centro Universitário de Franca, representado por seu Vice-Reitor, Prof. Dr. Alfredo José Machado Neto, no exercício da Reitoria, no uso das

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 912 de 13 de dezembro de 2011.

LEI COMPLEMENTAR Nº 912 de 13 de dezembro de 2011. LEI COMPLEMENTAR Nº 912 de 13 de dezembro de 2011. ANEXO VIII TABELAS DE FORMAS DE AVALIAÇÃO PARA FINS DE CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS PARA EVOLUÇÃO VERTICAL Agente Administrativo funções no cargo; cargo

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 2.270, DE 31 DE MARÇO DE 2010 Institui vantagens e altera a Lei Complementar n. 84, de 28 de fevereiro de 2000, que trata do Plano de Carreira, Cargos e Remuneração para os servidores públicos da

Leia mais