Single-Chip Cloud Computer

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Single-Chip Cloud Computer"

Transcrição

1 IME-USP Departamento de Ciência da Computação Single-Chip Cloud Computer Diogo de Jesus Pina Everton Topan da Silva Disciplina: Organização de Computadores Ministrada por: Prof. Dr. Alfredo Goldman Dezembro/2010

2 Índice Resumo... 3 Palavras-chaves... 3 Abstract... 4 Keywords... 4 Introdução Single-Chip Cloud Computer Programa de Pesquisa Tera-Scale Arquitetura do Processador Consumo de Energia Vantagens Desvantagens Mas por que Cloud Computer? Perspectivas da Intel Conclusão Referencias Bibliograficas... 17

3 Resumo Neste artigo apresentaremos as características do Single-Chip Cloud Computer desenvolvido pela Intel Labs, bem como todos benefícios e paradigmas que esta nova plataforma trará para a computação. Palavras-Chaves Multi-Processadores, Cloud Computing, Programação Paralela.

4 Abstract In this paper we present the characteristics of Single-Chip Computer Cloud developed by Intel Labs, as well as all benefits and paradigms that will bring this new platform for computing. Keywords Multi-Core, Cloud Computing, Parallel Programming.

5 Introdução O Single-Chip Cloud Computer é um processador desenvolvido pela Intel Labs e possui recursos que podem ser comparados com a Cloud Computing. Um dos destaques deste processador é o baixo consumo de energia comparado ao desempenho, outro destaque é que ele pode ser escalável, podendo chegar até 1000 núcleos. Essa é a aposta da Intel para o futuro dos computadores.

6 1. Single-Chip Cloud Computer Nos dias de hoje muito se fala em Cloud Computer, que é o uso de recursos de hardware e/ou de software de outro computador por meio de uma rede, seguindo o modelo da computação em grade, é possível até mesmo usar um sistema operacional exclusivo fornecido por um servidor da nuvem. A computação nas nuvens, vem se difundindo muito devido ao aumento de banda, ao baixo custo e pelo fato de ser on demand, ou seja, pagar apenas pela aquilo que usar. Para não ficar fora do céu, a Intel Labs desenvolveu experimentalmente um processador denominado de Single-Chip Cloud Computer (SCC). Este chip é feito de silício e possui 48 núcleos, sendo este o maior número de núcleos que a Intel já colocou em um único processador até hoje. Este dispositivo incorpora tecnologias destinadas a processadores multi-core, tais como: uma rede dentro do chip, controle de gestão de energia e suporte a passagem de mensagens. A pesquisa com este chip faz parte da linha Tera-Scale da Intel e esta sendo realizada nos Estados Unidos, na Alemanha e na Índia.

7 1.1. Programa de Pesquisa Tera-Scale O programa de pesquisa Tera-scale é um esforço mundial para avançar a tecnologia dos computadores para a próxima década. Este programa visa aumentar o desempenho e a capacidade dos computadores atuais. Ao escalar arquiteturas de multiplos núcleos de 10 para 100 núcleos e aceitar a mudança para a programação paralela a Intel visa melhorar o desempenho e aumentar a eficiência energética. Fazer com que os computadores cheguem a uma escala tera requer um novo modo de construir processadores que podem ser pensados como uma rede de poderosos computadores em apenas um chip. A pesquisa tera-scale Computing está investigando a tecnologia necessária para que a Intel possa construir novos processadores com centenas de núcleos em entre 5 e 10 anos, assim como o uso eficiente de plataformas e softwares sobre esses processadores. Existem mais de 100 projetos desse programa (tera-scale) sendo feitos pela Intel em todo o mundo. A pesquisa desse chip visa estudar o uso de processadores de multiplos cores e suas arquiteturas, além de desenvolver técnicas para programá-los.

8 1.2. Arquitetura do Processador Arquiteturalmente o chip assemelha-se a uma nuvem de computadores integradas em um chip de silício. A nova arquitetura multi-core inclui inovações para escalabilidade em termos de eficiência de energia, incluindo uma comunicação entre os núcleos melhorada e técnicas que permitem softwares a configurarem a voltagem e a frequencia do chip para economizar energia de 125W a 25W. Isso representa a maior realização do programa de pesquisa da intel na escala tera. O chip é composto basicamente de: - 48 núcleos; - 24 "tiles" com dois núcleos cada; - Uma rede de 24 roteadores com uma banda de 256 GB/s da bissecção; - 4 controladores de memória DDR3 e - Hardware que suporta a transmissão de mensagem. Um dos mais importantes aspectos da arquitetura de rede do SCC é que ela suporta expansão. Cada núcleo tem 2 níveis de cache, porém não há suporte de hardware para de coerência entre núcleos, pois com isso foi possível simplificar o desenho, economizar energia e encorajar a exploração de modelos de memoria distribuída nos datacenters. As pesquisas da Intel tem demonstrado que a passagem de mensagens é tão boa quanto o compartilhamento de memoria no SCC. Os núcleos do SCC são baseados no núcleo do P54C, que lida com todas as requisições de memória e mensagens. Os tiles são conectadas por uma rede 2D totalmente síncrona, com um rigoroso controle de desempenho e energia. A única interface entre o tile e o router é o mesh interface unit (MIU), e o router é a única interface entre os tiles. Os 4 controladores de memória DDR3-800 x8 integrados capazes de endereçar até 64GB de memória externa com 1, 2 ou 4GB por slot, com um canal com capacidade para até 16GB e um pouco de memória em cada tile, destinado a passagem de mensagens e

9 O cache não é muito eficiente, pois durante um evento de cache miss o controlador de cache manda o endereço para o MIU, para decodificação e recuperação. Cada core pode ter apenas uma solicitação pendente e irá parar com miss reads até o dado ter chegado. Em miss write o processador continua operando até que qualquer outro tipo de miss ocorra. Assim que o dado chega o processador continua com sua operação normal. O memory bufferd do chip é capaz de fazer rapidamente operações de leitura e gravação. Tendo 16kB e equivale a 512 linhas de cache. O principal uso do Memory buffer é a passagem de mensagem.

10 1.3. Consumo de Energia Uma boa gestão de energia é um dos principais focos do chip. Para isso, ele permite que as aplicações tenham o controle de desligar cores e mudar os níveis de desempenho, adaptando o uso para a energia mínima necessária no momento. O SCC pode rodar todos os 48 cores de uma vez sobre a faixa de 25W a 125W e escolher varias voltagens e frequencia da malha de rede, assim como o conjunto de cores. Cada telha pode ter sua própria frequencia e grupos de 4 telhas podem ter sua própria voltagem e com isso, permite que o chip consuma pouca energia se comparado a outros chips de vários núcleos, permitindo assim o seu enquadramento na computação verde. Uma parte dos múltiplos domínios de voltagem e frequencia do SCC são configuráveis na inicialização (BIOS) e os outros podem variar dinamicamente com o controle fino feito pelas aplicações.

11

12 1.4. Vantagens As vantagens do SCC é que ele é um micro datacenter, podendo ser escalável e de auto poder de processamento. Além disso, cada processador pode rodar um sistema operacional, com isso, podemos ter 48 SO's rodando ao mesmo tempo, permitindo assim, uma interoperabilidade de sistemas sem precisar de virtualização ou abstração de hardware. O SCC trata a pilha de execução de programas como sendo única para cada só, individualizando-as. Outra grande vantagem deste processador é o gerenciamento de energia avançado, permitindo ter um chip de alto desempenho com um baixo consumo de energia.

13 1.5. Desvantagens A grande desvantagem do SCC é que o cache não é muito eficiente, fazendo com que os núcleos sejam utilizados sem necessidade ou fiquem esperando respostas do cache, o que para grande volume de dados e SO's podem fazer o chip perder muito o desempenho. O acesso a memória e ao disco rígido podem ser gargalos em caso de muitos sistemas operacionais rodando ao mesmo tempo, ou de programas que busquem muitos dados. Apesar da simplicidade de uso, o processador exige que muitas coisas sejam gerenciadas por meio de software, podendo perder desempenho ou dificultar a implementação de softwares eficientes.

14 1.6. Mas por que Cloud Computer? O nome SCC reflete o fato de que a arquitetura do chip assemelha-se a um cluster de computadores escalável, tais como achamos na nuvens. De algum modo o SCC é um pequeno espelho de um datacenter da nuvem. Permitindo que cada núcleo possa rodar um sistema operacional separado, a pilha de execução age como em um computador individual e se comunica com outros computadores por passagem de pacotes pela rede.

15 1.7. Perspectivas da Intel A Intel acredita que o SCC é a plataforma de pesquisa ideal para ajudar a acelerar o desenvolvimento de software para múltiplos núcleos. Os pesquisadores já portaram uma variedade de aplicações para o SCC, incluindo web servers, modelos físicos e analise de finanças. A pesquisa feita nesse chip esta em um estágio avançada, e está em fase de pesquisa um novo chip com 80 cores que usa basicamente as mesmas tecnologias do SCC (divisão em tiles, rede dentro do chip para aumentar a escalabilidade, e gerenciamento de energia). Esse novo chip será o primeiro a atingir 1 teraflop usando apenas 62W, enquanto o primeiro computador a conseguir alcançar um teraflop (ASCI Red ), tinha aproximadamente processadores pentium rodando a 200MHz, e gastava 500kW para rodar e 500kW com refrigeração. Outra aposta da Intel é que cresça rapidamente o uso da plataforma SCC para fins acadêmicos, o que ajudara ainda mais, o avanço rápido desta tecnologia.

16 Conclusão Com este trabalho pudemos conhecer o futuro dos processadores Intel e também dos prováveis processadores em geral. A tendencia do futuro é que os processadores trabalhem de forma paralela a fim de aumentar a velocidade de processamento e conseguir evoluir cada vez mais a computação. Observamos também, que a linha tera-scale da Intel além do desempenho se preocupa com a eficiência energética, conseguindo que seu processador consuma pouca energia elétrica, principalmente quando não esta sendo usado. Este processador possui diversos recursos interessantes tais como o uso de mensagens para a comunicação entre núcleos, uso de tiles para separar grupos de núcleos e a possibilidade de alterar a voltagem e a frequencia do processador. Apesar da variedade de recursos que este processador possibilitará, ele ainda não possui muitos recursos que facilitem seu uso, dificultando o estudo dessa nova plataforma.

17 Referencias Bibliograficas Intel Labs WikiPédia Cloud Computing

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Aula 1 Conceitos da Computação em Nuvem A computação em nuvem ou cloud computing

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I. de Computadores

Organização e Arquitetura de Computadores I. de Computadores Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de I Organização Básica B de (Parte V, Complementar)

Leia mais

Relatório de Pesquisa

Relatório de Pesquisa Relatório de Pesquisa A Vantagem da Virtualização de Mainframe: Como Economizar Milhões de Dólares Utilizando um IBM System z como um Servidor em Nuvem Linux Sumário Executivo Os executivos de TI (Tecnologia

Leia mais

Cisco UCS Mini: solução avançada com recursos corporativos

Cisco UCS Mini: solução avançada com recursos corporativos Resumo da solução Cisco UCS Mini: solução avançada com recursos corporativos Você deseja uma solução de computação unificada para a sua empresa de médio ou pequeno porte ou para o padrão avançado do seu

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET

Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET Hardware de Computadores Questionário II 1. A principal diferença entre dois processadores, um deles equipado com memória cache o

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Professor: Vilson Heck Junior

Arquitetura de Computadores. Professor: Vilson Heck Junior Arquitetura de Computadores Professor: Vilson Heck Junior Agenda Conceitos Estrutura Funcionamento Arquitetura Tipos Atividades Barramentos Conceitos Como já discutimos, os principais componentes de um

Leia mais

Sistemas Operacionais 2014 Introdução. Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com

Sistemas Operacionais 2014 Introdução. Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com Sistemas Operacionais 2014 Introdução Alexandre Augusto Giron alexandre.a.giron@gmail.com Roteiro Sistemas Operacionais Histórico Estrutura de SO Principais Funções do SO Interrupções Chamadas de Sistema

Leia mais

Arquitetura de Von Neumann e os Computadores Modernos

Arquitetura de Von Neumann e os Computadores Modernos Arquitetura de Von Neumann e os Computadores Modernos Arquitetura de Computadores e Software Básico Aula 5 Flávia Maristela (flaviamsn@ifba.edu.br) Arquitetura de Von Neumann e as máquinas modernas Onde

Leia mais

MEMÓRIA. A memória do computador pode ser dividida em duas categorias:

MEMÓRIA. A memória do computador pode ser dividida em duas categorias: Aula 11 Arquitetura de Computadores - 20/10/2008 Universidade do Contestado UnC/Mafra Sistemas de Informação Prof. Carlos Guerber MEMÓRIA Memória é um termo genérico usado para designar as partes do computador

Leia mais

Tendências em TI Aula: 01 versão: 1.1 30/06/2014

Tendências em TI Aula: 01 versão: 1.1 30/06/2014 Tendências em TI Aula: 01 versão: 1.1 30/06/2014 Robson Vaamonde http://www.vaamonde.com.br http://www.procedimentosemti.com.br Professor do Curso Prof. Robson Vaamonde, consultor de Infraestrutura de

Leia mais

O que é RAID? Tipos de RAID:

O que é RAID? Tipos de RAID: O que é RAID? RAID é a sigla para Redundant Array of Independent Disks. É um conjunto de HD's que funcionam como se fosse um só, isso quer dizer que permite uma tolerância alta contra falhas, pois se um

Leia mais

RISC X CISC - Pipeline

RISC X CISC - Pipeline RISC X CISC - Pipeline IFBA Instituto Federal de Educ. Ciencia e Tec Bahia Curso de Analise e Desenvolvimento de Sistemas Arquitetura de Computadores 25 e 26/30 Prof. Msc. Antonio Carlos Souza Referências

Leia mais

Organização de Computadores 1

Organização de Computadores 1 Organização de Computadores 1 SISTEMA DE INTERCONEXÃO (BARRAMENTOS) Prof. Luiz Gustavo A. Martins Arquitetura de von Newmann Componentes estruturais: Memória Principal Unidade de Processamento Central

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Questões Em uma rede de sobreposição (overlay), mensagens são roteadas de acordo com a topologia da sobreposição. Qual uma importante desvantagem

Leia mais

Capítulo 8 Arquitetura de Computadores Paralelos

Capítulo 8 Arquitetura de Computadores Paralelos Capítulo 8 Arquitetura de Computadores Paralelos Necessidade de máquinas com alta capacidade de computação Aumento do clock => alta dissipação de calor Velocidade limitada dos circuitos => velocidade da

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Cluster, Grid e computação em nuvem Slide 8 Nielsen C. Damasceno Introdução Inicialmente, os ambientes distribuídos eram formados através de um cluster. Com o avanço das tecnologias

Leia mais

Maestro. Arthur Kazuo Tojo Costa 317497. Universidade Federal de São Carlos Campus Sorocaba Bacharelado em Ciência da Computação

Maestro. Arthur Kazuo Tojo Costa 317497. Universidade Federal de São Carlos Campus Sorocaba Bacharelado em Ciência da Computação Maestro Arthur Kazuo Tojo Costa 317497 Universidade Federal de São Carlos Campus Sorocaba Bacharelado em Ciência da Computação Introdução Sistema Operacional de Redes Detalhes do hardware Multiplexação

Leia mais

Admistração de Redes de Computadores (ARC)

Admistração de Redes de Computadores (ARC) Admistração de Redes de Computadores (ARC) Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina - Campus São José Prof. Glauco Cardozo glauco.cardozo@ifsc.edu.br RAID é a sigla para Redundant

Leia mais

Exercícios de revisão V2. FAT: 300 GB / 2KB = 150MB X 8 bytes (64 bits / 8) = 1.2GB

Exercícios de revisão V2. FAT: 300 GB / 2KB = 150MB X 8 bytes (64 bits / 8) = 1.2GB Exercícios de revisão V2 1 Uma empresa que possui partições FAT em seus servidores, estava impressionada com um processo em específico na memória, onde o mesmo ocupava um espaço grande. Este servidor dedicado

Leia mais

Sistemas Operacionais Introdução. Professora: Michelle Nery

Sistemas Operacionais Introdução. Professora: Michelle Nery Sistemas Operacionais Introdução Professora: Michelle Nery Área de Atuação do Sistema Operacional Composto de dois ou mais níveis: Tipo de Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Monotarefas Sistemas

Leia mais

O que é Arquitetura de Computadores?

O que é Arquitetura de Computadores? O que é Arquitetura de Computadores? Forças Coordenação de um conjunto de níveis de abstração de um computador sobre um grande conjunto de forças de mudança Arquitetura de Computadores = Arquitetura de

Leia mais

Gestão em Sistemas de Informação. Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br

Gestão em Sistemas de Informação. Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br Gestão em Sistemas de Informação Profa.: Me. Christiane Zim Zapelini E-mail: christianezapelini@nwk.edu.br Gestão em Sistemas de Informação Cloud Computing (Computação nas Nuvens) 2 Cloud Computing Vocês

Leia mais

Organização Básica de Computadores. Memória. Memória. Memória. Memória. Memória Parte I. Computador eletrônico digital. Sistema composto por

Organização Básica de Computadores. Memória. Memória. Memória. Memória. Memória Parte I. Computador eletrônico digital. Sistema composto por Ciência da Computação Arq. e Org. de Computadores Parte I Organização Básica de Computadores Computador eletrônico digital Sistema composto por processador memória dispositivos de entrada e saída interligados.

Leia mais

MCC - Mobile Cloud Computing

MCC - Mobile Cloud Computing MCC - Mobile Cloud Computing MAC0463/5743 - Computação Móvel Thiago de Gouveia Nunes 11 de junho de 2013 O que é Cloud Computing??!! O que é Cloud Computing??!! É. não. Tá mais pra algo assim... O que

Leia mais

Virtualização de Desktops NComputing

Virtualização de Desktops NComputing NComputing Resumo Todos já nos acostumamos ao formato do PC, que permite que cada usuário tenha sua própria CPU, seu próprio disco rígido e sua própria memória para rodar seus aplicativos. Mas os computadores

Leia mais

Tecnologia PCI express. Introdução. Tecnologia PCI Express

Tecnologia PCI express. Introdução. Tecnologia PCI Express Tecnologia PCI express Introdução O desenvolvimento de computadores cada vez mais rápidos e eficientes é uma necessidade constante. No que se refere ao segmento de computadores pessoais, essa necessidade

Leia mais

Unidade III FUNDAMENTOS DE SISTEMAS. Prof. Victor Halla

Unidade III FUNDAMENTOS DE SISTEMAS. Prof. Victor Halla Unidade III FUNDAMENTOS DE SISTEMAS OPERACIONAIS Prof. Victor Halla Conteúdo Arquitetura de Processadores: Modo Operacional; Velocidade; Cache; Barramento; Etc. Virtualização: Maquinas virtuais; Gerenciamento

Leia mais

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código)

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Roteiro Processos Threads Virtualização Migração de Código O que é um processo?! Processos são programas em execução. Processo Processo Processo tem

Leia mais

Arquiteturas Multi e Many cores baseadas em redes-em-chip

Arquiteturas Multi e Many cores baseadas em redes-em-chip Arquiteturas Multi e Many cores baseadas em redes-em-chip Laboratório de Arquitetura e Redes de Computadores Departamento de Engenharia de Compuatação e Sistemas Digitais Escola Politécnica Universidade

Leia mais

Prof. Esp. Lucas Cruz

Prof. Esp. Lucas Cruz Prof. Esp. Lucas Cruz O hardware é qualquer tipo de equipamento eletrônico utilizado para processar dados e informações e tem como função principal receber dados de entrada, processar dados de um usuário

Leia mais

Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor

Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor Desenvolvimento de Sistemas Cliente Servidor Prof. Esp. MBA Heuber G. F. Lima Aula 1 Ciclo de Vida Clássico Aonde estamos? Page 2 Análise O que fizemos

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS Ciência da Computação 5ª série Sistemas Operacionais A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto

Leia mais

CLOUD COMPUTING NAS EMPRESAS: NUVEM PÚBLICA OU NUVEM PRIVADA? nubeliu.com

CLOUD COMPUTING NAS EMPRESAS: NUVEM PÚBLICA OU NUVEM PRIVADA? nubeliu.com CLOUD COMPUTING NAS EMPRESAS: NUVEM PÚBLICA OU NUVEM PRIVADA? nubeliu.com SUMÁRIO Introdução... 4 Nuvem pública: quando ela é ideal... 9 Nuvem privada: quando utilizá-la... 12 Alternativas de sistemas

Leia mais

6 - Gerência de Dispositivos

6 - Gerência de Dispositivos 1 6 - Gerência de Dispositivos 6.1 Introdução A gerência de dispositivos de entrada/saída é uma das principais e mais complexas funções do sistema operacional. Sua implementação é estruturada através de

Leia mais

Arquitetura de Computadores Pentium 4 e PCIe

Arquitetura de Computadores Pentium 4 e PCIe Pentium 4 Arquitetura de Computadores Pentium 4 e PCIe O Pentium 4 é um descendente direto da CPU 8088 usada no IBM PC original. O primeiro Pentium 4 foi lançado em novembro de 2000 com uma CPU de 42 milhõcs

Leia mais

Virtualização de Sistemas Operacionais

Virtualização de Sistemas Operacionais Virtualização de Sistemas Operacionais Felipe Antonio de Sousa 1, Júlio César Pereira 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil felipeantoniodesousa@gmail.com, juliocesarp@unipar.br Resumo.

Leia mais

CONCEITOS E APLICAÇÕES DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM

CONCEITOS E APLICAÇÕES DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM CONCEITOS E APLICAÇÕES DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM Rogério Schueroff Vandresen¹, Willian Barbosa Magalhães¹ ¹Universidade Paranaense(UNIPAR) Paranavaí-PR-Brasil rogeriovandresen@gmail.com, wmagalhaes@unipar.br

Leia mais

Palavras-chave: Tecnologia da Informação, Armazenamento, Nuvem, Internet.

Palavras-chave: Tecnologia da Informação, Armazenamento, Nuvem, Internet. 1 COMPUTAÇÃO EM NUVEM Leonardo André Junges 1 Neimar Sierota 2 Palavras-chave: Tecnologia da Informação, Armazenamento, Nuvem, Internet. 1 INTRODUÇÃO Nos dias atuais encontramos tudo ou praticamente tudo

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina - Sistemas Distribuídos Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 12 Computação em Nuvem Sumário Introdução Arquitetura Provedores

Leia mais

Cloud Computing. Andrêza Leite. andreza.lba@gmail.com

Cloud Computing. Andrêza Leite. andreza.lba@gmail.com Cloud Computing Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Roteiro O que é cloud computing? Classificação O que está 'por traz' da cloud? Exemplos Como montar a sua? O que é cloud computing? Cloud Computing O

Leia mais

Paradigma Cliente/Servidor

Paradigma Cliente/Servidor Paradigma Cliente/Servidor Mário Meireles Teixeira UFMA Departamento de Informática Dezembro, 2012 Comunicação em Sistemas Distribuídos! Os processos em um SD estão lógica e fisicamente separados. Precisam

Leia mais

Sistemas IBM Flex & PureFlex

Sistemas IBM Flex & PureFlex Eduardo (Edu) Pacini Líder Plataforma PureFlex Brasil IBM Systems & Technology Group Sistemas IBM Flex & PureFlex A Tecnologia está liderando as mudanças que impactam os negócios 1 Fatores de impacto:

Leia mais

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Este artigo demonstra como configurar uma rede virtual para ser usada em testes e estudos. Será usado o VirtualBox

Leia mais

BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EaD UAB/UFSCar Sistemas de Informação - prof. Dr. Hélio Crestana Guardia

BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EaD UAB/UFSCar Sistemas de Informação - prof. Dr. Hélio Crestana Guardia O Sistema Operacional que você usa é multitasking? Por multitasking, entende-se a capacidade do SO de ter mais de um processos em execução ao mesmo tempo. É claro que, num dado instante, o número de processos

Leia mais

A história do Processadores O que é o processador Características dos Processadores Vários tipos de Processadores

A história do Processadores O que é o processador Características dos Processadores Vários tipos de Processadores A história do Processadores O que é o processador Características dos Processadores Vários tipos de Processadores As empresas mais antigas e ainda hoje no mercado que fabricam CPUs é a Intel, AMD e Cyrix.

Leia mais

Gerência de Entrada/Saída

Gerência de Entrada/Saída Gerência de Entrada/Saída Prof Clodoaldo Ap Moraes Lima 1 Princípios básicos de hardware Periférico é um dispositivo conectado a um computador de forma a possibilitar sua interação com o mundo externo

Leia mais

R S Q 0 0 1 0 1 0 1 0 0 1 1 0 Tabela 17 - Tabela verdade NOR

R S Q 0 0 1 0 1 0 1 0 0 1 1 0 Tabela 17 - Tabela verdade NOR 19 Aula 4 Flip-Flop Flip-flops são circuitos que possuem a característica de manter os bits de saída independente de energia, podem ser considerados os princípios das memórias. Um dos circuitos sequenciais

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Processos I: Threads, virtualização e comunicação via protocolos Prof. MSc. Hugo Souza Nesta primeira parte sobre os Processos Distribuídos iremos abordar: Processos e a comunicação

Leia mais

Escola. Europeia de. Ensino. Profissional ARQUITETURA DE COMPUTADORES

Escola. Europeia de. Ensino. Profissional ARQUITETURA DE COMPUTADORES Escola Europeia de t Ensino Profissional ARQUITETURA DE COMPUTADORES TRABALHO REALIZADO: ANDRÉ RIOS DA CRUZ ANO LETIVO: 2012/ 2013 TÉCNICO DE GESTÃO DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS 2012 / 2013 3902 Escola

Leia mais

Tipos de Computadores. Sediane Carmem Lunardi Hernandes

Tipos de Computadores. Sediane Carmem Lunardi Hernandes Tipos de Computadores Sediane Carmem Lunardi Hernandes 1 Introdução Objetivo Apresentar a Lei de Moore e mostrar os vários tipos de computadores 2 a) Lei de Moore Processadores (maioria) são um conjunto

Leia mais

REPROJETO DA ORGANIZAÇÃO COM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

REPROJETO DA ORGANIZAÇÃO COM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Capítulo 12 REPROJETO DA ORGANIZAÇÃO COM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 12.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS De que forma o desenvolvimento de um novo sistema poderia mudar a maneira de uma organização trabalhar?

Leia mais

Sistemas de Informação Gerenciais

Sistemas de Informação Gerenciais Faculdade Pitágoras de Uberlândia Pós-graduação Sistemas de Informação Gerenciais Terceira aula Prof. Me. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com Maio -2013 Governança

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 3.1 EXECUÇÃO DAS INSTRUÇÕES A UCP tem duas seções: Unidade de Controle Unidade Lógica e Aritmética Um programa se caracteriza por: uma série de instruções

Leia mais

Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos

Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos Introdução Os processadores (ou CPUs, de Central Processing Unit) são chips responsáveis pela execução de cálculos, decisões lógicas e instruções

Leia mais

Pré-requisitos para Instalação Física e Lógica do SISLOC

Pré-requisitos para Instalação Física e Lógica do SISLOC Pré-requisitos para Instalação Física e Lógica do SISLOC Sumário Pré-Requisitos de Instalação Física e Lógica do SISLOC...3 Servidores de Dados...3 Servidores de Aplicação (Terminal Service)...3 Estações

Leia mais

ARQUITETURA DE COMPUTADORES Prof. João Inácio

ARQUITETURA DE COMPUTADORES Prof. João Inácio ARQUITETURA DE COMPUTADORES Prof. João Inácio Memórias Memória: é o componente de um sistema de computação cuja função é armazenar informações que são, foram ou serão manipuladas pelo sistema. Em outras

Leia mais

Hardware de Computadores

Hardware de Computadores Placa Mãe Hardware de Computadores Introdução Placa-mãe, também denominada mainboard ou motherboard, é uma placa de circuito impresso eletrônico. É considerado o elemento mais importante de um computador,

Leia mais

Sistema IBM PureApplication

Sistema IBM PureApplication Sistema IBM PureApplication Sistema IBM PureApplication Sistemas de plataforma de aplicativos com conhecimento integrado 2 Sistema IBM PureApplication A TI está vindo para o centro estratégico dos negócios

Leia mais

Introdução. Em se tratando de computador, entendemos que memória são dispositivos que armazenam dados com os quais o processador trabalha.

Introdução. Em se tratando de computador, entendemos que memória são dispositivos que armazenam dados com os quais o processador trabalha. Memorias Introdução Em se tratando de computador, entendemos que memória são dispositivos que armazenam dados com os quais o processador trabalha. Necessariamente existe dois tipos de memórias: -Memória

Leia mais

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos MÓDULO 7 Modelo OSI A maioria das redes são organizadas como pilhas ou níveis de camadas, umas sobre as outras, sendo feito com o intuito de reduzir a complexidade do projeto da rede. O objetivo de cada

Leia mais

Computação nas Nuvens

Computação nas Nuvens Computação nas Nuvens TÓPICOS Introdução Internet: O fundamento principal O que é Computação em Nuvens Vantagens Dúvidas Corrida pela tecnologia Trabalhos Futuros Conclusão Referências 2 TÓPICOS Introdução

Leia mais

ILHA I GERENCIAMENTO DE CONTEÚDO CMS DISCIPLINA: Introdução à Computação MÓDULO II Memórias e Processamento

ILHA I GERENCIAMENTO DE CONTEÚDO CMS DISCIPLINA: Introdução à Computação MÓDULO II Memórias e Processamento MÓDULO II Memórias e Processamento Esse módulo irá relatar sobre as memórias seus tipos e a ligação com os tipos variados de processamento. Leia atentamente todo o conteúdo e participe dos fóruns de discursão,

Leia mais

Sistemas Operacionais. Roteiro. Hardware. Marcos Laureano

Sistemas Operacionais. Roteiro. Hardware. Marcos Laureano Sistemas Operacionais Marcos Laureano 1/25 Roteiro Estrutura de um sistema operacional Interrupções Proteção do núcleo Níveis de privilégio Chamadas de sistema 2/25 Mono-processadores atuais seguem um

Leia mais

Conceitos Básicos de Rede. Um manual para empresas com até 75 computadores

Conceitos Básicos de Rede. Um manual para empresas com até 75 computadores Conceitos Básicos de Rede Um manual para empresas com até 75 computadores 1 Conceitos Básicos de Rede Conceitos Básicos de Rede... 1 A Função de Uma Rede... 1 Introdução às Redes... 2 Mais Conceitos Básicos

Leia mais

ÁREA: CV ( ) CHSA ( ) ECET ( )

ÁREA: CV ( ) CHSA ( ) ECET ( ) ADAPTAÇÃO E INTEGRAÇÃO DO PROCESSADOR RISCO A UMA ARQUITETURA MULTI-CORE PARA SISTEMAS EMBARCADOS DE PROPOSITO GERAL Laysson Oliveira Luz (Bolsista PIBIC/CNPq), Ivan Saraiva Silva (Orientador, Departamento

Leia mais

Microprocessadores. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Microprocessadores. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Microprocessadores Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Arquitetura de Microprocessadores; Unidade de Controle UC; Unidade Lógica Aritméticas ULA; Arquitetura de von Neumann; Execução de

Leia mais

Aluno: Tiago Castro da Silva

Aluno: Tiago Castro da Silva Faculdade Tecnodohms I Mostra de Ciência e Tecnologia Tecnologias de Virtualização para CLOUD COMPUTING Aluno: Tiago Castro da Silva CURSO: REDES DE COMPUTADORES A Computação evoluiu e Cloud Computing

Leia mais

Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 03 Conceitos de Hardware e Software parte 01. Cursos de Computação

Sistemas Operacionais. Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira. Aula 03 Conceitos de Hardware e Software parte 01. Cursos de Computação Cursos de Computação Sistemas Operacionais Prof. M.Sc. Sérgio Teixeira Aula 03 Conceitos de Hardware e Software parte 01 Referência: MACHADO, F.B. ; MAIA, L.P. Arquitetura de Sistemas Operacionais. 4.ed.

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais SISTEMAS COM MÚLTIPLOS PROCESSADORES LIVRO TEXTO: CAPÍTULO 13, PÁGINA 243 Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional INTRODUÇÃO Arquiteturas que possuem duas ou mais CPUs interligadas

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores. Hugo Barros email@hugobarros.com.br

Organização e Arquitetura de Computadores. Hugo Barros email@hugobarros.com.br Organização e Arquitetura de Computadores Hugo Barros email@hugobarros.com.br RISC X SISC RISC: Reduced Instruction Set Computer Nova Tecnologia para máquinas de alta performance; Máquina com um conjunto

Leia mais

- Aula 2 ESTÁGIOS DA EVOLUÇÃO DA ARQUITETURA DOS COMPUTADORES

- Aula 2 ESTÁGIOS DA EVOLUÇÃO DA ARQUITETURA DOS COMPUTADORES - Aula 2 ESTÁGIOS DA EVOLUÇÃO DA ARQUITETURA DOS COMPUTADORES 1. INTRODUÇÃO Centenas de tipos diferentes de computadores foram projetados e construídos ao longo do ciclo evolutivo dos computadores digitais.

Leia mais

Programação Concorrente Processos e Threads

Programação Concorrente Processos e Threads Programação Concorrente Processos e Threads Prof. Eduardo Alchieri Processos O conceito mais central em qualquer sistema operacional é o processo Uma abstração de um programa em execução Um programa por

Leia mais

Estudo de Caso 2: Windows Vista

Estudo de Caso 2: Windows Vista Faculdades Integradas de Mineiros Curso de Sistemas de Informação Sistemas Operacionais II Estudo de Caso 2: Windows Vista Grupo 4 Helder / Wagner / Frantyeis Junho/2010 O Windows usa uma estratégia Just-In-Time

Leia mais

UMA INTRODUÇÃO SIGNIFICATIVA SOBRE COMPUTAÇÃO NAS NUVENS (CLOUD COMPUTING)

UMA INTRODUÇÃO SIGNIFICATIVA SOBRE COMPUTAÇÃO NAS NUVENS (CLOUD COMPUTING) UMA INTRODUÇÃO SIGNIFICATIVA SOBRE COMPUTAÇÃO NAS NUVENS (CLOUD COMPUTING) Thiago Batista de Oliveira¹, Júlio César Pereira¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil thiagoolyveira@gmail.com,juliocesarp@unipar.br

Leia mais

REPROJETO DA ORGANIZAÇÃO COM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

REPROJETO DA ORGANIZAÇÃO COM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REPROJETO DA ORGANIZAÇÃO COM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 OBJETIVOS 1. De que forma o desenvolvimento de um novo sistema poderia mudar a maneira de uma organização trabalhar? 2. Como uma empresa pode certificar-se

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 8

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 8 ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES MÓDULO 8 Índice 1. A Organização do Computador - Continuação...3 1.1. Processadores - II... 3 1.1.1. Princípios de projeto para computadores modernos... 3 1.1.2. Paralelismo...

Leia mais

ROM e RAM. Memórias 23/11/2015

ROM e RAM. Memórias 23/11/2015 ROM e RAM Memórias Prof. Fabrício Alessi Steinmacher. Para que o processador possa executar suas tarefas, ele busca na memória todas as informações necessárias ao processamento. Nos computadores as memórias

Leia mais

Um cluster de servidores de email pode ser usado para servir os emails de uma empresa.

Um cluster de servidores de email pode ser usado para servir os emails de uma empresa. CLUSTERS Pode-se pegar uma certa quantidade de servidores e juntá-los para formar um cluster. O serviço então é distribuído entre esses servidores como se eles fossem uma máquina só. Um cluster de servidores

Leia mais

Infraestrutura de Hardware. Memória Virtual

Infraestrutura de Hardware. Memória Virtual Infraestrutura de Hardware Memória Virtual Perguntas que Devem ser Respondidas ao Final do Curso Como um programa escrito em uma linguagem de alto nível é entendido e executado pelo HW? Qual é a interface

Leia mais

Comunicação em Sistemas Distribuídos. Conceitos: Paradigma C/S. Conceitos: Paradigma C/S. Paradigma Cliente/Servidor

Comunicação em Sistemas Distribuídos. Conceitos: Paradigma C/S. Conceitos: Paradigma C/S. Paradigma Cliente/Servidor Comunicação em Sistemas Distribuídos Paradigma / Os processos em um SD estão lógica e fisicamente separados. Precisam se comunicar para que possam interagir O desempenho de um SD depende criticamente do

Leia mais

CLOUD COMPUTING PEDRO MORHY BORGES LEAL. MAC0412 - Organização de Computadores Prof. Alfredo Goldman 7 de dezembro de 2010

CLOUD COMPUTING PEDRO MORHY BORGES LEAL. MAC0412 - Organização de Computadores Prof. Alfredo Goldman 7 de dezembro de 2010 CLOUD COMPUTING PEDRO MORHY BORGES LEAL MAC0412 - Organização de Computadores Prof. Alfredo Goldman 7 de dezembro de 2010 0 CLOUD COMPUTING 1 1. Introdução Com o grande avanço da tecnologia de processadores,

Leia mais

Virtualização. O conceito de VIRTUALIZAÇÃO

Virtualização. O conceito de VIRTUALIZAÇÃO Virtualização A virtualização está presente tanto no desktop de um entusiasta pelo assunto quanto no ambiente de TI de uma infinidade de empresas das mais variadas áreas. Não se trata de "moda" ou mero

Leia mais

Contil Informática. Curso Técnico em Informática Processadores Core

Contil Informática. Curso Técnico em Informática Processadores Core Contil Informática Curso Técnico em Informática Processadores Core Quais as diferenças entre os processadores Intel Core i3, i5 e i7? A tecnologia avançada na área de hardware possibilita um avanço desenfreado

Leia mais

ESTUDO DE CASO WINDOWS VISTA

ESTUDO DE CASO WINDOWS VISTA ESTUDO DE CASO WINDOWS VISTA História Os sistemas operacionais da Microsoft para PCs desktop e portáteis e para servidores podem ser divididos em 3 famílias: MS-DOS Windows baseado em MS-DOS Windows baseado

Leia mais

Visão geral das placas-mãe

Visão geral das placas-mãe IDENTIFICAÇÃO DOS PRICIPAIS COMPONENTES DA PLACA-MÃE Professor Marlon Marcon Visão geral das placas-mãe Conhecida como: Motherboard Mainboard Responsável pela interconexão de todas as peças que formam

Leia mais

ANÁLISE DE DESEMPENHO ENTRE SOFTWARES VIRTUALIZADORES

ANÁLISE DE DESEMPENHO ENTRE SOFTWARES VIRTUALIZADORES ANÁLISE DE DESEMPENHO ENTRE SOFTWARES VIRTUALIZADORES Vitor Rodrigues Tanamachi 1, Weber Poli de Oliveira 1, Alexandre Galvani 1. 1 Departamento de Informática Faculdade de Tecnologia de Bauru (FATEC)

Leia mais

Serial Paralela USB FireWire(IEEE1394)

Serial Paralela USB FireWire(IEEE1394) Serial Paralela USB FireWire(IEEE1394) histórico Tudo começou em 1980 quando a IBM estava desenvolvendo seu primeiro micro PC. Já haviam definido que o barramento ISA seria usado para permitir que o IBM

Leia mais

7 Processamento Paralelo

7 Processamento Paralelo 7 Processamento Paralelo Yes, of course, who has time? Who has time? But then if we do not ever take time, how can we ever have time? (The Matrix) 7.1 Introdução Classificação de Sistemas Paralelos Diversas

Leia mais

Disciplina: Introdução à Engenharia da Computação

Disciplina: Introdução à Engenharia da Computação Colegiado de Engenharia de Computação Disciplina: Introdução à Engenharia da Computação Aulas 10 (semestre 2011.2) Prof. Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto, M.Sc. rosalvo.oliveira@univasf.edu.br 2 Hardware

Leia mais

FIREWALL. Prof. Fabio de Jesus Souza. fabiojsouza@gmail.com. Professor Fabio Souza

FIREWALL. Prof. Fabio de Jesus Souza. fabiojsouza@gmail.com. Professor Fabio Souza FIREWALL Prof. Fabio de Jesus Souza fabiojsouza@gmail.com Professor Fabio Souza O que são Firewalls? Os firewalls são sistemas de segurança que podem ser baseados em: um único elemento de hardware; um

Leia mais

TRIBUTAÇÃO NAS NUVENS Uma Regulação em Debate

TRIBUTAÇÃO NAS NUVENS Uma Regulação em Debate TRIBUTAÇÃO NAS NUVENS Uma Regulação em Debate Workshop Divisão Tributária 18.04.2013 CIESP - CAMPINAS PROGRAMA 1. BREVE INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO EM NUVEM 2. PRINCIPAIS OPERAÇÕES E ASPECTOS TRIBUTÁRIOS POLÊMICOS

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Processos- Clientes, Servidores, Migração Capítulo 3 Agenda Clientes Interfaces de usuário em rede Sistema X Window Software do lado cliente para

Leia mais

Conceitos Básicos sobre Sistema de Computação

Conceitos Básicos sobre Sistema de Computação Conceitos Básicos sobre Sistema de Computação INFORMÁTICA -É Ciência que estuda o tratamento automático da informação. COMPUTADOR Equipamento Eletrônico capaz de ordenar, calcular, testar, pesquisar e

Leia mais

FAT32 ou NTFS, qual o melhor?

FAT32 ou NTFS, qual o melhor? FAT32 ou NTFS, qual o melhor? Entenda quais as principais diferenças entre eles e qual a melhor escolha O que é um sistema de arquivos? O conceito mais importante sobre este assunto, sem sombra de dúvidas,

Leia mais

Aula 1: Introdução à Disciplina Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 1: Introdução à Disciplina Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 1: Introdução à Disciplina Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Identificar os princípios que se destacam como características da Web 2.0. INTRODUÇÃO

Leia mais

Manual de Vendas. Chegou a oportunidade de aumentar os lucros com o Windows Server 2012 R2

Manual de Vendas. Chegou a oportunidade de aumentar os lucros com o Windows Server 2012 R2 Manual de Vendas Chegou a oportunidade de aumentar os lucros com o Windows Server 2012 R2 O Windows Server 2012 R2 fornece soluções de datacenter e de nuvem híbrida de classe empresarial que são simples

Leia mais

Computação em Nuvem. Alunos: Allan e Clayton

Computação em Nuvem. Alunos: Allan e Clayton Computação em Nuvem Alunos: Allan e Clayton 1 - Introdução 2 - Como Funciona? 3 - Sistemas Operacionais na Nuvem 4 - Empresas e a Computação em Nuvem 5 - Segurança da Informação na Nuvem 6 - Dicas de Segurança

Leia mais

CONHEÇA MELHOR SEU COMPUTADOR

CONHEÇA MELHOR SEU COMPUTADOR CONHEÇA MELHOR SEU COMPUTADOR Por: Pedro ( Lan House Viagem Virtual ) Sacie sua fome de conhecimento, veja em ordem alfabética os principais termos sobre hardware. Como muitos devem saber, os computadores

Leia mais

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO Intranets FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO As intranets são redes internas às organizações que usam as tecnologias utilizadas na rede mundial

Leia mais