Clipping Nacional. Educação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Clipping Nacional. Educação"

Transcrição

1 Clipping Nacional de Educação Terça-feira, 23 de Julho de 2013 Capitare Assessoria de Imprensa SHN, Quadra 2 Bloco F Edifício Executive Tower - Brasília Telefones: (61) (61)

2 Valor Econômico 24/07/13 00 POLÍTICA Residência pode embutir 2 anos no SUS Por Caio Junqueira e Luciano Máximo De Brasília e São Paulo O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, disse ontem que o governo negocia alteração na medida provisória (MP) que institui o programa federal Mais Médicos no que se refere à proposta de dois anos adicionais da graduação em medicina. Pelo texto da MP, o estudante de medicina terá, a partir de 2015, um segundo ciclo de graduação de dois anos no qual prestará serviços, como bolsista, ao Sistema Único de Saúde (SUS). Esses dois anos poderiam ser contados como residência, mas isso não estava garantido. Segundo Mercadante, a negociação é conduzida por uma comissão de especialistas presidida pelo médico e ex-ministro da Saúde Adib Jatene e com participação da Associação Brasileira de Ensino Médico e por um grupo de reitores de universidades federais. O objetivo é fazer com que os dois anos adicionais da formação sejam contados como residência médica. "Sempre é possível fazer aperfeiçoamentos. Podemos fazer ajustes em relação a esse estágio de dois anos", disse Mercadante. "As conversas estão avançadas nesse sentido. Os especialistas devem apresentar uma proposta até o fim desta semana." O segundo ciclo previsto na MP é um dos principais pontos de rejeição das entidades médicas ao programa, assim como a "importação" de médicos estrangeiros sem a necessidade de revalidação do diploma no país. Apesar dos ajustes na MP, as inscrições para o Mais Médicos seguem abertas até o meio-dia desta quinta-feira, tanto para profissionais interessados como para municípios com carência de doutores. Quase 1,9 mil cidades aderiram em todo o país. No Estado de São Paulo, 139 das 645 prefeituras se inscreveram. A capital paulista solicitou a convocação de 158 profissionais para trabalhar em regiões periféricas com carência de doutores. De acordo com Jorge Harada, coordenador da atenção básica da Secretaria Municipal de Saúde, o município priorizou os distritos censitários 4 e 5, que englobam principalmente as zonas sul e leste. Questionado sobre a carência conhecida de 2,8 mil médicos na cidade, Harada explicou que os profissionais pedidos são só para atuar em unidades básicas de saúde (UBS) com atenção básica e saúde da família. "Dentro dos 2,8 mil estão médicos de várias especialidades, como cirurgiões, ortopedistas, ginecologistas", explicou o gestor, acrescentando que poderá solicitar mais profissionais até o prazo final das inscrições. "Estamos analisando melhor a demanda das áreas mais carentes, mas não podemos esquecer que esse é um programa nacional e que temos que ser solidários com regiões metropolitanas mais necessitadas e as cidades do interior mais necessitadas. Assim deve funcionar o Sistema Único de Saúde, tem muito mercado para médico em São Paulo", pontuou Harada.

3 Valor Econômico 24/07/13 00 EU & CARREIRA Alunos estrangeiros têm mais dificuldade para achar trabalho Por Louis Lavelle Bloomberg Businessweek Não é segredo que alunos estrangeiros de MBA têm mais dificuldade do que seus colegas locais na hora de encontrar trabalho. Questões de visto ou pouca experiência por parte dos departamentos de carreira das escolas em colocar profissionais em empresas estrangeiras são apenas alguns dos desafios. Agora, no entanto, sabemos de fato o quão difícil é para eles. Menos de metade dos alunos internacionais da turma de 2013 conseguiram ofertas de emprego em meados de março, em comparação com quase dois terços dos alunos com cidadania no país da escola de negócios, de acordo com novos dados do Graduate Management Admission Council (Gmac), que administra a prova de admissão para programas de MBA, o Gmat. As descobertas são de um estudo com recém-formados de 159 escolas de todo o mundo. Nos EUA, 46% dos alunos estrangeiros em programas de tempo integral receberam ofertas da emprego, ante 66% dos estudantes americanos. Na Ásia, o que inclui a China e a Índia, os números foram de 54% para alunos internacionais, e 67% para os locais. Só na Europa os estrangeiros se saíram melhor do que os colegas europeus, com 59% recebendo ofertas de emprego na comparação com 39% dos alunos locais. O destino de estudantes internacionais na busca por emprego depende bastante dos setores onde eles buscam vagas. Estrangeiros se saíram melhor em consultorias, onde 55% receberam ofertas, e pior no mercado financeiro e no segmento de contabilidade, onde 42% conseguiram empregos. Em empresas de tecnologia, os estrangeiros conseguiram vagas em 52% dos casos, comparado com 81% dos locais. No setor industrial, a diferença foi ainda maior: 43% dos estrangeiros com vagas, ante 83% dos locais. Deve-se ressaltar que a grande maioria dos alunos de MBA que estuda em países onde não têm cidadania - quase três de cada quatro - dizem ter como plano após o curso voltar para o país de origem. Assim, a variedade dos cenários torna difícil identificar uma razão principal para o desempenho pior desses profissionais na hora de conseguir uma colocação no mercado. No entanto, o Gmac diz que problemas com visto, no caso daqueles que pretendem ficar no país da escola, e a dificuldade logística de coordenar uma busca por emprego a distância, para os que querem voltar, explicam boa parte dos casos. Além disso, não conseguir um emprego até meados de março não significa que a oferta não vá chegar, especialmente se o aluno completar o curso em escolas de renome. Quando a "Bloomberg Businessweek" fez uma enquete informal com os 25 principais programas de MBA full-time em dezembro, todas as escolas disseram que a taxa de colocação dos alunos estrangeiros era de pelo menos 70% cerca de três meses após a formatura - o que é um semestre mais tarde do que o período usado pelo estudo do Gmat. Cinco escolas reportaram que esses índices eram de 100%.

4 24/07/13 00 O PAÍS Contrapartida para o SUS Para abrir cursos médicos, instituições de ensino terão de fazer doações para rede pública de saúde Demétrio Weber BRASÍLIA O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, anunciou ontem que as instituições privadas de ensino que estiverem dispostas a fazer doações ao Sistema Único de Saúde (SUS), na forma de investimentos em prédios ou equipamentos, terão vantagens na disputa para abrir novas faculdades de Medicina no país. As doações ao SUS e o preço das mensalidades serão critérios para o governo estabelecer os vencedores dos editais que serão abertos para a criação de cursos privados de Medicina. Mercadante sinalizou também que os dois anos a mais de duração nos cursos de Medicina previstos no programa Mais Médicos - período em que os estudantes terão de trabalhar em unidades do SUS - poderão ser transformados em residência médica e não mais serem considerados mera ampliação do tempo de graduação, como divulgado inicialmente pelo governo. Segundo o ministro, um préedital para abertura de faculdades de Medicina será submetido a consulta pública a partir do próximo dia 16 de agosto, indicando os municípios onde o MEC permitirá a criação de faculdades. A meta é criar novas vagas de Medicina em 60 municípios até 2017, sendo em instituições privadas e em universidades federais. Como anunciado no início do ano, o MEC mudou o sistema de criação de faculdades de Medicina. Pelo modelo anterior, considerado pelo MEC um balcão de negócios, cabia às instituições de ensino indicar o local onde gostariam de abrir cursos, e o ministério se limitava a avaliar a qualidade das propostas. Pelo novo sistema, só poderão ser criadas faculdades de Medicina em municípios determinados pelo governo, que levará em conta a demanda por médicos e a infraestrutura de saúde disponível. Exemplo: para abrigar um curso, a cidade deverá ter pelo menos cinco leitos do SUS para cada estudante. CFM: país não precisa de mais vagas Mercadante explicou que os editais terão mecanismos para garantir a qualidade dos futuros cursos. Inicialmente, as propostas das instituições de ensino serão avaliadas em termos do projeto pedagógico, do corpo docente e da infraestrutura. Só depois é que passarão pela análise econômica, que levará em conta o preço das mensalidades e o valor que a respectiva instituição doará ao SUS a fim de melhorar a rede pública de saúde. Segundo o ministro, não há problema em exigir que faculdades privadas deem dinheiro ao SUS, uma vez que a formação prática dos estudantes dessas instituições ocorre em hospitais e ambulatórios da rede pública de saúde. - Por quê, se o empresário está ganhando dinheiro? Ele está utilizando a rede SUS - disse Mercadante. Ele afirmou que apenas 57 cidades brasileiras têm hoje faculdades de Medicina. A intenção é oferecer cursos em outras 60. Em princípio, instituições públicas de ensino também deverão disputar os editais, especialmente em municípios onde a iniciativa privada não demonstrar interesse. Para isso, segundo Mercadante, serão construídos mais cinco hospitais universitários, a fim de atender aos critérios de número mínimo de leitos por estudante. O vice-presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Carlos Vital, avaliou que as medidas anunciadas pelo MEC são um "equívoco na sua essência". Segundo ele, o Brasil já possui número suficiente de médicos e não há necessidade de mais vagas. Para Vital, isso levará à oferta exagerada de vagas. Continua

5 Continuação 24/07/13 - Hoje, o número disponível de vagas já é mais que suficiente para a projeção do crescimento demográfico - afirmou Carlos Vital, acrescentando: - É uma irresponsabilidade (do governo) abrir vagas nos cursos médicos quando deveria qualificar a formação profissional. Vital também criticou os critérios para a abertura de vagas no ensino superior privado: - É como um balcão de negócios, onde quem oferece menor preço vai ter a preferência. O custo é relativo. Posso ter algo de alto custo e baixa qualidade. Mas posso ter algo de custo maior e boa qualidade. Não posso colocar o custo como critério para seleção. Mercadante, porém, disse estar otimista quanto à possibilidade de construção de um consenso com as instituições de ensino e as entidades médicas acerca da ampliação dos cursos de Medicina dos atuais seis anos para oito anos, como prevê o Mais Médicos. Segundo ele, uma proposta de acordo está em discussão num fórum que reúne o MEC, a Associação Brasileira de Ensino Médico e uma comissão de especialistas comandada pelo exministro da Saúde Adib Jatene. "Sempre há espaço para negociação" - Segundo Mercadante, o fórum deverá formalizar a proposta até o início da semana que vem. A ideia é que o período de dois anos em que o estudante trabalhará no SUS seja cursado na forma de uma residência médica. O ministro afirmou que a medida provisória que instituiu o Mais Médicos já prevê essa possibilidade, mas que o governo está aberto a negociar mudanças se for possível chegar a um consenso: - Se precisar, não tem problema. Sempre há espaço para negociação - disse Mercadante. Desse modo, segundo o ministro, o estudante poderia contabilizar o período de dois anos a mais como tempo de residência. Assim, se optasse por uma residência diretamente relacionada à atividade desenvolvida nesses dois anos de atuação no SUS, o médico já poderia receber um certificado de residência. Caso optasse por uma residência mais longa, o período de dois anos seria contabilizado de modo a encurtar a duração da residência. Mercadante lembrou que a ampliação do curso de Medicina, na forma como está prevista na medida provisória, entrará em vigor só em 2021, afetando, portanto, estudantes que ingressarem no curso a partir de 2015.

6 24/07/13 00 O PAÍS Enem: redação este ano terá 50% a mais de corretores Mercadante diz que todos os malotes com provas terão chip de localização BRASÍLIA O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, anunciou ontem que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) este ano terá 50% a mais de profissionais encarregados de corrigir as redações, em relação a Em 2013, profissionais farão a correção. Em 2012, foram Mercadante informou que todos os malotes com as provas do Enem serão equipados com chip eletrônico, dispositivo que registra a localização do malote, via GPS, e o horário de abertura do malote. Segundo o ministro, o objetivo é aumentar a segurança. Na edição de 2012, 10 mil malotes já tinham sido fechados com lacres eletrônicos, de um total de 50 mil malotes. Em 2013, todos os malotes estarão equipados com o dispositivo. O número de inscritos no Enem em 2013 foi recorde: 7,1 milhões de pessoas. Isso levou o MEC a aumentar o número de municípios onde a prova será aplicada. Em 2013, o exame poderá ser feito em cidades. Mercadante anunciou a criação de uma comissão de especialistas, todos doutores com notório saber em avaliação de textos, para orientar os corretores e supervisores. O número de supervisores passou de 230 para 280. O número de coordenadores também, de 12 para 15. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao MEC, lançará na segunda quinzena de agosto o Guia do Participante 2013, com exemplos de redações nota 1.000, pontuação máxima possível. Mercadante disse que os profissionais contratados para corrigir redações farão treinamento presencial e à distância com duração de 136 horas. Eles serão avaliados antes e durante a correção. Na fase de treinamento, os que receberem nota abaixo de 7 serão substituídos. Segundo o ministro, o crescimento do número de inscritos elevará os gastos do governo com o Enem, mas, proporcionalmente, o custo por inscrito permanecerá na faixa de R$ Isso corresponde a um terço do custo da inscrição num vestibular - disse.

7 24/07/13 00 METRÓPOLE Só 3 cursos de Medicina de SP farão Revalida Médicos reclamam de pré-teste de exame a estrangeiro; critério foi região, diz Inep Fernanda Bassette Paulo Saldaña Os principais cursos de Medicina de São Paulo - Unicamp, USP, Unesp e Unifesp - estão fora da lista de instituições que terão alunos inscritos para realizar o pré-teste do Revalida, aplicado pelo Ministério da Educação (MEC) para revalidar diplomas de médicos formados no exterior. Também ficaram de fora cursos tradicionais como o da Santa Casa e o da PUC-SP. O Estado teve acesso à lista de instituições, como antecipou ontem a coluna Direto da Fonte. O Estado de São Paulo tem. 38 cursos de Medicina, mas só 3 participarão do exame, todos de instituições particulares: os das universidades de Ribeirão Preto, Marília e Oeste Paulista. As duas primeiras têm nota 3 (regular) no Conceito Preliminar de Curso (CPC), índice de qualidade do MEC, publicado em A do Oeste Paulista teve nota 2, o que significa nível insatisfatório (mais informações nesta página). O objetivo do MEC ao aplicar o Revalida para brasileiros é "calibrar" a prova e entender se ela está adequada às diretrizes dos cursos de Medicina do País. Entidades médicas e especialistas criticam o pré-teste, sob o argumento de que o diagnóstico serviria para baixar a dificuldade do Revalida. Criado em 2011, o exame registrou índices de reprovação entre 90% e 91%. Milton Arruda Martins, professor titular de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da USP, diz que as três escolas paulistas escolhidas não têm representatividade. "A amostra não me parece adequada. São instituições medianas", diz. O Estado de São Paulo tem 18% do total de vagas de Medicina no País, mas, entre os que farão o Revalida, só 10% são do Estado. Bráulio Luna Filho, coordenador do exame aplicado pelo Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) aos formandos, também diz que a amostra de São Paulo não é representativa. "Escolheram escolas que não estão entre as dez melhores, que têm problemas de desempenho do ponto de vista da avaliação feita pelo Cremesp. Não tem nenhuma pública e nenhuma particular de qualidade", avalia Luna. O Cremesp realiza o exame há oito anos e, em 2012,54,8% dos alunos foram reprovados. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), ligado ao MEC, é o órgão responsável pelo Revalida. O presidente do Inep, Luiz Cláudio Costa, diz que os resultados não serão divulgados e não há objetivo de comparação. Segundo ele, a escolha de instituições foi feita por região, e não por Estado. "A amostra é bem representativa. Foi levada em conta a proporção de concluintes por curso e níveis de qualidade." As 17 instituições privadas e 15 públicas foram escolhidas em uma lista inicial de 144 cursos - que haviam registrado participação de ao menos dois alunos no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), que avalia os estudantes do ensino superior e compõe o CPC. Houve universidades que, convidadas, recusaram participar, como a Unicamp, que reclamou não ter feito parte dos debates sobre o exame. "Não participamos de nada das discussões, da metodologia para elaboração das questões. Estamos abertos à prova, desde que a universidade esteja envolvida na formatação", diz Maurício Etchebehe-re, coordenador do internato do curso de Medicina da Unicamp. Costa nega que tenha havido boicote ao pré-teste. USP, Unesp e Unifesp negam que tenham sido consultadas. O diretor da escola de Medicina da Unifesp, Antonio Carlos Lopes, diz que é provável que a unidade recusasse. "A impressão é que a congregação se oporia a isso,já que está totalmente contra todo o projeto (Mais Médicos)." A USP informou que não concorda com o pré-teste. Continua

8 Continuação 24/07/13 Na lista de32 instituições brasileiras que terão alunos no Revalida, apenas 9 estão entre as consideradas boas pelos critérios do MEC. São instituições que tiveram nota 4 no CPC. Incentivo. Uma das preocupações de professores de Medicina é que, por ser voluntário, os alunos não se empenhem na provado Revalida. "O processo de calibração dó exame é muito importante, mas é preciso escolher escolas cujos alunos darão o máximo de si no exame, senão corremos o risco de os alunos irem mal e isso acabar tendo um uso político", diz Martins. O Inep estuda oferecer, como incentivo aos participantes, gratuidade na inscrição para a prova de residência - especialização feita após a formatura. A sugestão teria vindo das próprias instituições. Segundo Costa, a participação já demonstraria comprometimento. "Como só ele poderá ver o resultado, a autoavaliação é mais um incentivo." / Colaborou Mirella D"Elia

9 24/07/13 00 METRÓPOLE Trabalho obrigatório no SUS pode virar residência É o que prevê proposta que sairá de comissão formada pelo MEC para analisara mudança no curso de Medicina Lisandra Paraguassu Brasília Os dois anos de trabalho obrigatório no Sistema Único de Saúde (SUS), proposta pelo governo, poderão ser transformados em uma residência médica obrigatória. Essa é a principal iniciativa que sairá de uma comissão. formada pelo Ministério da Educação para analisar a mudança nos currículos dos cursos de Medicina, como antecipou a coluna Direto da Fonte. "O que estamos discutindo é como fazer esses dois anos no SUS, e a proposta de transformá-lo em uma residência foi a que unificou a comissão", revelou o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. Formada por representantes das escolas nacionais de medicina, pela Associação Brasileira de Ensino Médico e pela comissão de especialistas do MEC, presidida por Adib Jatene, a comissão precisa acertar os detalhes de como funcionaria essa residência. A proposta final deverá ser apresentada na próxima semana. De acordo com Mercadante, a ideia até agora é que a residência médica passe a ser obrigatória no SUS. Mas, em vez de funcionar como uma espécie de especialização em medicina pública é generalista, os futuros médicos poderiam escolher já a área em que gostariam de trabalhar, como pediatria, clínica médica ou ginecologia. O ministro afirma que, atualmente, existem vagas em programas de residência para apenas metade dos alunos que se formam nos cursos de medicina existentes, a maioria pública. Se a proposta for aceita, o governo passaria a oferecer vagas para todos os formandos com uma bolsa nos mesmos moldes do oferecido pelos dois anos de trabalho obrigatório propostos originalmente. "Basicamente é o que os especialistas recomendam até agora." Todo o período seria feito no SUS. Se a especialidade tiver um tempo de residência de dois anos, o médico termina o período formado. Se for maior, terá que complementálo - e é nesse ponto que faltam os detalhes de como funcionaria o processo. Se, por exemplo, a bolsa seria estendida, se o estudante poderia então trocar o SUS por outro curso.

10 24/07/13 00 METRÓPOLE Cientistas querem foco na qualidade em avaliações Líderes da comunidade científica pedem em reunião da SBPC que se mudem os critérios centrados na quantidade Herton Escobar Enviado Especial/ Recife Lideranças da comunidade científica fizeram ontem uma forte cobrança por mudanças nos critérios de avaliação de pesquisadores e instituições, pedindo que elas sejam mais baseadas em qualidade e menos em quantidade. "Premiar só a quantidade sinaliza na direção errada; desencaminha a juventude e acomoda os (pesquisadores) seniores", disse o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Glaucius Oliva, na reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), no Recife. "Não produzir nada ou muito pouco é sempre mim, mas publicar muito não é necessariamente bom", afirmou Oliva. O número de trabalhos publicados anualmente por cientistas brasileiros cresceu substancialmente nos últimos anos, mas o impacto dessa produção científica - medido pelo número de vezes que esses trabalhos são citados por outros pesquisadores - cresceu muito pouco. "O fato é que, historicamente, a ciência brasileira tem pouca repercussão no mundo", disse Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). A Argentina, comparativamente, publica menos trabalhos do que o Brasil, mas tem um fator de impacto maior. Mesmo nas grandes universidades do Sul e Sudeste, segundo Brito, a influência da ciência produzida não se compara à das grandes dos EUA e da Europa. Uma das razões para isso, segundo Oliva, é que a agenda científica dos pesquisadores e instituições brasileiras é fortemente pautada pelas políticas de avaliação das agências de fomento - como CNPq, Fapesp e Capes -, que, por sua vez, ainda são moldadas por critérios quantitativos, apesar dos esforços iniciados recentemente para mudar essa "cultura". A comunidade ainda trabalha olhando muito para o passado", disse Oliva ao Estado. "É um processo educativo. Precisamos começar a olhar mais para o futuro." ""Precisamos mudar uma mentalidade que nós mesmos criamos", disse a presidente da SBPC, Helena Nader. "Temos de repensar e nos reeducar sobre como avaliar."

11 24/07/13 00 METRÓPOLE Enem terá dobro de corretores e provas com lacre eletrônico Exame que será aplicado em outubro recebeu 24% mais inscritos neste ano que em 2012; mais 29 cidades aplicarão prova Brasília O Ministério da Educação decidiu dobrar o número de corretores para as provas de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e aplicará a prova deste ano em mais 29 municípios* As mudanças, apresentadas ontem, foram decididas para dar conta do crescimento de participantes no exame. Este ano são 7,2 milhões, 24% maior do que no ano passado. "O aumento é proporcional ao crescimento da demanda, porque houve um crescimento extraordinário. Por isso temos de aumentar a coordenação, a supervisão. Onde demos mais reforço foi na correção", disse o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. No total, as provas serão aplicadas em municípios, com novos locais em nove Estados. O número de corretores passou de 5,6 mil para 8,4 mil, principalmente porque o ministério incluiu um terceiro para o caso de as duas notas iniciais das redações terem uma discrepância maior do que 100 pontos. Também foi criada uma comissão de nove especialistas com doutorado em avaliação textual que fizeram a matriz de correção das redações, a capacitação dos corretores e também servirão de apoio online em caso de dúvidas. A correção das redações foi a maior polêmica da última edição do Enem, quando se descobriu que textos com receitas de macarrão instantâneo e hinos de clubes de futebol haviam recebido a nota máxima. A prova, que acontece nos dias 26 e 27 de outubro, será aplicada em locais. Os 63,3 mil malotes que contém as provas terão lacres eletrônicos, que permitirão ao MEC ver onde e em qual horário serão abertos. Em 2012, apenas parte dos malotes -10 mil, em lugares mais críticos - teve os lacres. De acordo com Mercadante, o sistema foi aprovado e tem custo baixo. Por isso, o governo decidiu ampliar seu uso. /L.P.

12 24/07/13 00 DIRETO DA FONTE SÔNIA RACY

13 JORNAL DE BRASÍLIA 24/07/13 00 CIDADES

14 METRO - BRASÍLIA 24/07/13 00 BRASIL

15 DESTAKjornal (DF) 24/07/13 00 BRASÍLIA

16 CLÁUDIO HUMBERTO 24/07/13 00 JORNAL DA MÍDIA.COM UNIVERSIDADE FEDERAL NO AM HUMILHA PROFESSORES Três professores da Universidade Federal do Amazonas esperam há meses a conclusão dos inquéritos administrativos para apurar supostas denúncias de assédio moral, nos quais uma delas chegou a ser agredida por reclamar das condições de trabalho: mestre em Geologia, concursada, Maria do Rosário Carmo foi obrigada a dar aula de enfermagem e fisioterapia; doutora em Genética Molecular Humana, Izabel Heckmann não pôde entrar no laboratório para trabalhar. VISTA GROSSA Elas se dizem alvos não só de colegas, mas também da direção da universidade, que faz vista grossa a uma prática que se generaliza. DURO OFÍCIO Dizem também que perseguição, sobrecarga de trabalho, humilhações a professores são frequentes na Ufam em Coari e Manaus. IGUAL À DITADURA A Associação de Docentes da universidade vai entrar com ação no Ministério Público Federal, caso a reitoria não puna os responsáveis. NOVENA Menor que o de Dilma, o discurso de Lula a Bento 16 em 2007 citou prioridades : ampliar a atenção especial à juventude, principalmente às suas parcelas mais pobres e dar uma educação de qualidade.

17 INFORME ON LINE 24/07/2013 Inep não pode reconhecer proficiência por causa do Enem Por Gabriel Mandel O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), órgão do Ministério da Educação e responsável pelo Enem, não tem competência para emitir certificado de proficiência baseado em resultado do exame. Com este entendimento, o juiz Euler de Almeida Silva Júnior, da 9ª Vara da Seção Judiciária de Goiás, confirmou decisão liminar e determinou que o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás conceda declaração parcial de proficiência a uma jovem goiana que, mesmo sem concluir o ensino médio, participou do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) em 2011 e teve bom desempenho nas provas, mas não foi aprovada por conta de sua redação. O documento foi expedido pelo instituto após decisão liminar sobre o caso. A decisão aponta que há ilegimitidade passiva em relação à União e ao Inep, que também foram incluídos na ação, pois não é competência do órgão emitir a certificação, algo que cabe aos institutos federais e às secretarias de Educação. Por outro lado, como a Portaria 144/2012, do próprio Inep, regulamenta a emissão do certificado de proficiência, não há justificativa para que o instituto goiano não emita o documento. A estudante requeria a emissão da proficiência porque a faculdade que cursa pedia o diploma do ensino médio e não aceitava a complementação da nota através do EJA (Educação de Jovens e Adultos). A jovem pedia a declaração parcial de proficiência nas quatro áreas em que obteve nota suficiente para tanto (Matemática e suas Tecnologias, Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e suas Tecnologias), com o objetivo de evitar a possibilidade de desligamento por parte da faculdade que cursava. A Advocacia-Geral da União alegou que a concessão do certificado de proficiência faria com que o Enem perdesse a característica de exame de avaliação, transformando-se em um formulário para o pedido de certificação sem o intuito de selecionar os candidatos habilitados. Além disso, a candidata não solicitou a obtenção do certificado junto à Secretaria de Educação, mas sim junto ao IFG, o que impediria a emissão do documento pela Secretaria de Educação.

18 Agência VEJA ON LINE 24/07/2013 Faculdades privadas de medicina terão de investir no SUS Instituições que ajudarem o Sistema Único de Saúde e oferecerem mensalidades mais baixas terão prioridade para abrir mais vagas O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, afirmou nesta terçafeira que terão prioridade no programa de expansão dos cursos de medicina os centros de ensino privados que investirem financeiramente no Sistema Único de Saúde (SUS) e oferecerem a menor mensalidade aos estudantes. "Tem de haver a contrapartida financeira, disse o ministro. Mercadante apresentou, em entrevista coletiva, os critérios para a criação de novos cursos de medicina no país. Por meio da Política Nacional de Expansão das Escolas Médicas das Instituições Federais de Educação Superior (IFES), portaria publicada no Diário Oficial desta terça, o MEC planeja expandir o número de vagas na graduação em medicina em 60 cidades brasileiras. A meta é criar novas vagas até na rede pública, e o restante no ensino privado. O pré-edital para a abertura de novas vagas estará aberto para consulta pública no próximo dia 16. Terão prioridade na seleção as faculdades privadas que destinarem mais recursos ao SUS e, ao mesmo tempo, oferecerem mensalidades mais baixas. Nada mais apropriado do que as faculdades devolverem o que utilizaram do SUS (infraestrutura, equipamentos), de forma a melhorar a estrutura hospitalar. Já há universidades que oferecem esse reembolso. Agora é regra, afirmou Mercadante. Mercadante disse ainda que o sistema de contrapartida financeira não vai impor barreiras para que as faculdades privadas ingressem na política de expansão, já que medicina é o curso que apresenta maior demanda no país. O programa de expansão depende da adesão das instituições particulares para atingir a meta de 2,7 médicos por mil habitantes, média na Grã- Bretanha referência para as ações brasileiras. O Ministério da Educação também vai exigir a atuação dos estudantes no Sistema Único de Saúde ao longo do curso. Para isso, será necessário que o campo prático ofereça em hospitais pelo menos cinco leitos para os alunos, com número máximo de estudantes por equipe de atenção básica menor ou igual a três e a existência de estrutura de urgência e emergência adequada. Além disso, serão exigidos pelo menos três programas de residência médica nas seguintes especialidades: clínica médica, cirurgia geral, ginecologiaobstetrícia, pediatria, medicina de família e comunidade. Para garantir a qualidade dos serviços, foi criada uma comissão para avaliar in loco a estrutura e o serviço dos cursos. Nós vamos exigir o mesmo rigor para faculdades públicas e privadas. A exigência nova é que os estudantes tenham um campo de aprendizado no SUS para terem um aprendizado humanizado, explicou o ministro. A medida se aproxima da MP dos Médicos, enviada ao Congresso Nacional no início do mês, ao instituir a presença de estudantes da rede pública. A diferença é que os estudantes atuarão junto à comunidade ao longo dos seis anos de curso, enquanto a medida provisória prevê que sejam acrescentados ao currículo dois anos de atuação exclusiva no SUS.

Clipping Nacional. Educação

Clipping Nacional. Educação Clipping Nacional de Educação Sexta-feira, 22 de Agosto de 2014 Capitare Assessoria de Imprensa SHN, Quadra 2 Bloco F Edifício Executive Tower - Brasília Telefones: (61) 3547-3060 (61) 3522-6090 www.capitare.com.br

Leia mais

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem?

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem? SAIBA TUDO SOBRE O ENEM 2009 Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem? Até 2008, o Enem era uma prova clássica com 63 questões interdisciplinares, sem articulação direta com os

Leia mais

Fiscalização do Cremesp aponta falhas e irregularidades no Programa Mais Médicos na capital

Fiscalização do Cremesp aponta falhas e irregularidades no Programa Mais Médicos na capital Fiscalização do Cremesp aponta falhas e irregularidades no Programa Mais Médicos na capital Mais de um terço dos intercambistas do Programa Mais Médicos ou 35,7% deles - nunca teve contato com seu tutor,

Leia mais

Clipping de Notícias Educacionais

Clipping de Notícias Educacionais Os resultados do Enade são utilizados pelo MEC na elaboração do Índice Geral de Cursos (IGC) e do Conceito Preliminar de Curso (CPC), indicadores de qualidade de instituições de ensino e de seus cursos

Leia mais

M a n u a l E n e m 2 0 1 5 P á g i n a 1. Manual do Enem 2015

M a n u a l E n e m 2 0 1 5 P á g i n a 1. Manual do Enem 2015 M a n u a l E n e m 2 0 1 5 P á g i n a 1 Manual do Enem 2015 Criado em 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), segundo o INEP, tinha o objetivo de avaliar o desempenho do aluno ao término da escolaridade

Leia mais

Pacto Nacional pela Saúde. Mais hospitais e unidades de saúde Mais Médicos Mais Formação

Pacto Nacional pela Saúde. Mais hospitais e unidades de saúde Mais Médicos Mais Formação Pacto Nacional pela Saúde Mais hospitais e unidades de saúde Mais Médicos Mais Formação 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Conheça mais: Programa Mais Médicos Faltam médicos no Brasil De 2003 a 2011, o número de postos

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

Faculdade de Ciências Médicas - UNICAMP. 1º Edital Para Chamada de Candidatos a Tutores e Supervisores. Programa Mais Médicos Brasil - PMMB

Faculdade de Ciências Médicas - UNICAMP. 1º Edital Para Chamada de Candidatos a Tutores e Supervisores. Programa Mais Médicos Brasil - PMMB Faculdade de Ciências Médicas - UNICAMP 1º Edital Para Chamada de Candidatos a Tutores e Supervisores I Introdução. Programa Mais Médicos Brasil - PMMB Junho/2015 O Programa Mais Médicos Brasil, criado

Leia mais

No Brasil, número de escolas privadas de Medicina cresce duas vezes mais rápido que o de cursos públicos

No Brasil, número de escolas privadas de Medicina cresce duas vezes mais rápido que o de cursos públicos RADIOGRAFIA DO ENSINO MÉDICO No Brasil, número de escolas privadas de Medicina cresce duas vezes mais rápido que o de cursos públicos Do início de 2003 a 2015, a quantidade de cursos particulares de Medicina

Leia mais

M a n u a l E n e m 2 0 1 4 P á g i n a 1

M a n u a l E n e m 2 0 1 4 P á g i n a 1 M a n u a l E n e m 2 0 1 4 P á g i n a 1 Criado em 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), segundo o próprio INEP, tinha o objetivo de avaliar o desempenho do aluno ao término da escolaridade básica,

Leia mais

CONCURSO VESTIBULAR 2016.1 EDITAL

CONCURSO VESTIBULAR 2016.1 EDITAL CONCURSO VESTIBULAR 2016.1 EDITAL A REITORA do Centro Universitário de João Pessoa UNIPÊ faz saber, pelo presente EDITAL, que estão sendo abertas durante o período, de 15 de setembro de 2015 a 11 de março

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES EDITAL Nº 1/GM/MS, DE 4 DE AGOSTO DE 2015. ADESÃO DE ENTES FEDERADOS E INSTITUIÇÕES À CONCESSÃO DE BOLSAS DO MINISTÉRIO DA SAÚDE PARA PROGRAMAS DE RESIDÊNCIA MÉDICA 1.

Leia mais

ENEM, o que é, o que objetiva?

ENEM, o que é, o que objetiva? ENEM, o que é, o que objetiva? Enem Exame Nacional do Ensino Médio Criado em 1998 com o objetivo de diagnosticar a qualidade do ensino médio no país. Em 2009, o exame ganhou uma nova função: selecionar

Leia mais

Dúvidas sobre ampliação do Mais Médicos e incorporação do Provab

Dúvidas sobre ampliação do Mais Médicos e incorporação do Provab Dúvidas sobre ampliação do Mais Médicos e incorporação do Provab 1. Quais são as principais novidades desse edital? A partir de agora, os profissionais que estão no Provab poderão ingressar no Mais Médicos

Leia mais

UENF é a melhor do Rio

UENF é a melhor do Rio Jornal: Cidade: Data: Página: Seção: O Globo, Extra Rio de Janeiro 7/12/2012 WEB UENF é a melhor do Rio Com a maioridade atingida em 2011, já que está apenas com 19 anos, a Universidade Estadual do Norte

Leia mais

Programa Mais Médicos Perguntas e respostas

Programa Mais Médicos Perguntas e respostas Programa Mais Médicos Perguntas e respostas 1) Faltam médicos no Brasil? Sim, nos últimos oito anos o número de postos de emprego formal criados para médicos ultrapassa em 54 mil o de graduados em Medicina

Leia mais

REQUERIMENTO. (Do Sr. Edson Silva) Senhor Presidente:

REQUERIMENTO. (Do Sr. Edson Silva) Senhor Presidente: REQUERIMENTO (Do Sr. Edson Silva) Requer o envio de Indicação ao Poder Executivo, sugerindo ao Ministério da Educação que a disciplina língua inglesa seja incluída nos currículos dos cursos de graduação

Leia mais

Secretaria de EDUCAÇÃO vai propor parcerias com instituições particulares e públicas; duração do ensino médio pode aumentar em 1 ano

Secretaria de EDUCAÇÃO vai propor parcerias com instituições particulares e públicas; duração do ensino médio pode aumentar em 1 ano SP quer ampliar ensino técnico estadual Data:10/05/2011 Veículo: O ESTADO DE S. PAULO SP Mariana Mandelli Secretaria de EDUCAÇÃO vai propor parcerias com instituições particulares e públicas; duração do

Leia mais

CALENDÁRIO 2º SEMESTRE 2011 3º ANO DO ENSINO MÉDIO

CALENDÁRIO 2º SEMESTRE 2011 3º ANO DO ENSINO MÉDIO CALENDÁRIO 2º SEMESTRE 2011 3º ANO DO ENSINO MÉDIO DATA ATIVIDADE AGOSTO 01 Início das aulas-2º Semestre 1/8 à 15/9 Inscrições no ITA 8/8 à 12/8 Início da Apostila 01 13/8 à 15/10 A Hora do Vestibular-Biblioteca

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES PS 2014

PERGUNTAS FREQUENTES PS 2014 1) Como funciona o vestibular da UFPA? PERGUNTAS FREQUENTES PS 2014 A partir do Processo Seletivo 2014 (PS 2014), a UFPA passa a adotar o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) como única fase do vestibular.

Leia mais

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO

UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO UNIARA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ARARAQUARA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO: PROCESSOS DE ENSINO, GESTÃO E INOVAÇÃO REGULAMENTO SUMÁRIO TÍTULO I - APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA... 1 TÍTULO II - DOS OBJETIVOS...

Leia mais

PRONATEC Oferta de Cursos Técnicos Subsequentes

PRONATEC Oferta de Cursos Técnicos Subsequentes PRONATEC Oferta de Cursos Técnicos Subsequentes Por Instituições Privadas de Ensino Superior e Escolas Técnicas de Nível Médio Ministério da Educação, 2013 Público-alvo para Cursos Técnicos Subsequentes

Leia mais

MESTRADO 2010/2. As aulas do Mestrado são realizadas no Campus Liberdade, já as matrículas na área de Relacionamento.

MESTRADO 2010/2. As aulas do Mestrado são realizadas no Campus Liberdade, já as matrículas na área de Relacionamento. MESTRADO 2010/2 GERAL 1. Onde são realizadas as aulas do Mestrado? E as matrículas? As aulas do Mestrado são realizadas no Campus Liberdade, já as matrículas na área de Relacionamento. 2. Qual a diferença

Leia mais

Dúvidas Frequentes sobre o programa Ciência Sem Fronteiras. Coordenação Institucional do programa Ciência sem Fronteiras na UFRJ

Dúvidas Frequentes sobre o programa Ciência Sem Fronteiras. Coordenação Institucional do programa Ciência sem Fronteiras na UFRJ Dúvidas Frequentes sobre o programa Ciência Sem Fronteiras Coordenação Institucional do programa Ciência sem Fronteiras na UFRJ Texto: Paulo Henrique Schau Guerra Colaboração: Erika Noel Ribas Dantas,

Leia mais

As Formas de Ingresso em Universidades Públicas e Privadas através do ENEM

As Formas de Ingresso em Universidades Públicas e Privadas através do ENEM As Formas de Ingresso em Universidades Públicas e Privadas através do ENEM Prof. Ph. D. João Benedito dos Santos Jr. Prof. M. Sc. Will Ricardo dos Santos Machado Curso de Bacharelado em Ciência da Computação

Leia mais

A modalidade de ensino que cresce a passos largos no Brasil, ainda provoca desconfiança em muita gente. VOCÊ ESTUDARIA A DISTÂNCIA?

A modalidade de ensino que cresce a passos largos no Brasil, ainda provoca desconfiança em muita gente. VOCÊ ESTUDARIA A DISTÂNCIA? O formato é bem antigo, mas ele voltou a ganhar notoriedade na década de 90, com o avanço da tecnologia e, principalmente, devido ao alcance da internet pela população. Ainda assim, ele está longe de ser

Leia mais

Prepare-se para Faculdade. Leticia Bechara Pedagoga e Coordenadora Trevisan Escola de Negócios

Prepare-se para Faculdade. Leticia Bechara Pedagoga e Coordenadora Trevisan Escola de Negócios Prepare-se para Faculdade Leticia Bechara Pedagoga e Coordenadora Trevisan Escola de Negócios Sucesso $$$ sonho habilidade Passos para Faculdade 1- Conhecer você mesmo. 2- Características da faculdade.

Leia mais

Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas da FMRPUSP

Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas da FMRPUSP Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência do Hospital das Clínicas da FMRPUSP Conteúdo DISPOSIÇÕES GERAIS 3 APOIO AO APRIMORAMENTO DE RECURSOS HUMANOS 4 Participação em congressos e eventos científicos

Leia mais

Novo curso da Univesp inicia processo seletivo

Novo curso da Univesp inicia processo seletivo Edição 12 de 1 a 7 de junho de 2010 VISITE A PÁGINA DA SALA DE IMPRENSA DA EACH. ALÉM DO CLIPPING SEMANAL, VOCÊ PODERÁ ENCONTRAR OUTRAS NOTÍCIAS IMPORTANTES SOBRE A NOSSA ESCOLA http://each.uspnet.usp.br/each/sala-imprensa.php

Leia mais

INFORME DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

INFORME DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS INFORME DO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE A Direção Geral da Faculdade Independente do Nordeste, com vistas à chamada para seleção de alunos para o Programa Ciência

Leia mais

INSTITUTO LOJAS RENNER

INSTITUTO LOJAS RENNER 2011 RELATÓRIO DE ATIVIDADES INSTITUTO LOJAS RENNER Instituto Lojas Renner Inserção de mulheres no mercado de trabalho, formação de jovens e desenvolvimento da comunidade fazem parte da essência do Instituto.

Leia mais

PROUNI. Desde 2007, o Prouni - e sua articulação com o FIES - é uma das ações integrantes do Plano de Desenvolvimento da Educação PDE.

PROUNI. Desde 2007, o Prouni - e sua articulação com o FIES - é uma das ações integrantes do Plano de Desenvolvimento da Educação PDE. PROUNI O Programa O Prouni - Programa Universidade para Todos tem como finalidade a concessão de bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições

Leia mais

EDITAL SWG 01/2011 - Bolsas Sanduíche na Graduação

EDITAL SWG 01/2011 - Bolsas Sanduíche na Graduação EDITAL SWG 01/2011 - Bolsas Sanduíche na Graduação O programa Ciência sem Fronteiras, CNPq, busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade

Leia mais

Processo Seletivo 2011 1º Semestre. Programa de Mestrado em Ciências Contábeis

Processo Seletivo 2011 1º Semestre. Programa de Mestrado em Ciências Contábeis Processo Seletivo 2011 1º Semestre Programa de Mestrado em Ciências Contábeis A FECAP Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado de maneira especial foca suas atividades no Programa de Mestrado em Ciências

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 6 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 9 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM AUDITORIA EM SERVIÇOS

Leia mais

EDITAL 34/2013 EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇAO PARA INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DE GRADUAÇÃO PARA 2014/1

EDITAL 34/2013 EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇAO PARA INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DE GRADUAÇÃO PARA 2014/1 EDITAL 34/2013 EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇAO PARA INTERCÂMBIO INTERNACIONAL DE GRADUAÇÃO PARA 2014/1 O Reitor da Universidade Vila Velha ES faz saber a todos os alunos regularmente matriculados em cursos

Leia mais

Programa Unificado de Bolsas de Estudo para Estudantes de Graduação EDITAL 2015-2016

Programa Unificado de Bolsas de Estudo para Estudantes de Graduação EDITAL 2015-2016 EDITAL 2015-2016 PROGRAMA UNIFICADO DE BOLSAS DE ESTUDO PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO DISPÕE SOBRE O EDITAL DO PROGRAMA UNIFICADO DE BOLSAS DE ESTUDO PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE SÃO

Leia mais

FACULDADE MONTES BELOS FISIOTERAPIA

FACULDADE MONTES BELOS FISIOTERAPIA FACULDADE MONTES BELOS FISIOTERAPIA PROJETO DE IMPLANTAÇÃO DA LIGA ACADÊMICA DE REABILITAÇÃO EM ORTOPEDIA DA FACULDADE MONTES BELOS Francisco Dimitre Rodrigo Pereira Santos Marillia Pereira Cintra Sintia

Leia mais

Edital nº 001/15 Processo Seletivo 2015/1

Edital nº 001/15 Processo Seletivo 2015/1 Vestibular Edital nº 001/15 Processo Seletivo 2015/1 Comissão do Processo Seletivo - CoProS A Diretora Geral da Faculdade Integrada de Goiás FIG, com base em dispositivos constantes em seu Regimento, de

Leia mais

O curso de biblioteconomia da UFRGS: ponto de vista dos alunos

O curso de biblioteconomia da UFRGS: ponto de vista dos alunos O curso de biblioteconomia da UFRGS: ponto de vista dos alunos Samile Andréa de Souza Vanz 1 Glória Isabel Sattamini Ferreira 2 Patrícia Mallman Souto Pereira 3 Geraldo Ribas Machado 4 Universidade Federal

Leia mais

Curso de Especialização em GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR

Curso de Especialização em GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR Curso de Especialização em GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR ÁREA DO CONHECIMENTO: Administração e Saúde. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Gestão e Logística Hospitalar.

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Exame Nacional do Ensino Médio ENEM 2013

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Exame Nacional do Ensino Médio ENEM 2013 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Exame Nacional do Ensino Médio ENEM 2013 Balanço ENEM 2012 ENEM 2012 INSCRITOS / PARTICIPANTES (milhões) ENEM

Leia mais

Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT

Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT Objetivos Avanço da ciência brasileira em tecnologia, inovação e competitividade, através da expansão da mobilidade internacional:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Seleção de Bolsista Professor-Tutor para os Cursos de Especialização em Gestão Pública Municipal

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Seleção de Bolsista Professor-Tutor para os Cursos de Especialização em Gestão Pública Municipal UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Seleção de Bolsista Professor-Tutor para os Cursos de Especialização em Gestão Pública Municipal O reitor da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

EDITAL 2016 Manual do Candidato

EDITAL 2016 Manual do Candidato PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM PSIQUIATRIA EDITAL 2016 Manual do Candidato Estarão abertas as inscrições para o PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM PSIQUIATRIA, no período e condições abaixo especificadas:

Leia mais

Mais Fatos e Menos Propaganda A verdade sobre os Médicos no Brasil. Uma tentativa de breve texto para elucidar a realidade dos Médicos no Brasil.

Mais Fatos e Menos Propaganda A verdade sobre os Médicos no Brasil. Uma tentativa de breve texto para elucidar a realidade dos Médicos no Brasil. Por João Paulo Gonzaga de Faria* - 24 Ago 2013 Mais Fatos e Menos Propaganda A verdade sobre os Médicos no Brasil Uma tentativa de breve texto para elucidar a realidade dos Médicos no Brasil. No dia 06

Leia mais

Clipping Nacional. Educação

Clipping Nacional. Educação Clipping Nacional de Educação Quarta-feira, 17 de Julho de 2013 Capitare Assessoria de Imprensa SHN, Quadra 2 Bloco F Edifício Executive Tower - Brasília Telefones: (61) 3547-3060 (61) 3522-6090 www.capitare.com.br

Leia mais

EXTRATO DO EDITAL N 47/2013 UEPA. PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CAPES/CNPq/UEPA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE.

EXTRATO DO EDITAL N 47/2013 UEPA. PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CAPES/CNPq/UEPA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE. EXTRATO DO EDITAL N 47/2013 UEPA CAPES/CNPq/UEPA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE. A Universidade do Estado do Pará (UEPA), por meio de sua Coordenadoria do Programa Ciência sem Fronteiras UEPA (PCsF-UEPA) e com o

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU R E G I M E N T O G E R A L PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Regimento Geral PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Este texto foi elaborado com as contribuições de um colegiado de representantes da Unidades Técnico-científicas,

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Engenharia Biomédica

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP Programa de Estudos Pós-Graduados em Engenharia Biomédica EDITAL PARA O PROCESSO SELETIVO 2º/2014 Coordenador: Prof. Dr. Luiz Carlos de Campos Vice-Coordenadora: Profa. Dra. Annie France Frere Slaets Estarão abertas, no período de 14/04/2014 a 05/05/2014, as

Leia mais

Programas de Bolsa de Estudos ENEM PROUNI FIES - SISU

Programas de Bolsa de Estudos ENEM PROUNI FIES - SISU Programas de Bolsa de Estudos ENEM PROUNI FIES - SISU O ENEM Criado em 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tem o objetivo de avaliar o desempenho do estudante ao fim da escolaridade básica. Podem

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE DOUTORADO TURMA 2013 EDITAL Nº

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE DOUTORADO TURMA 2013 EDITAL Nº PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE DOUTORADO TURMA 2013 EDITAL Nº 24/12 O Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj) da Universidade Candido

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO AMAZONAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS Gabinete da Reitora EDITAL Nº 27/2009

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO AMAZONAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS Gabinete da Reitora EDITAL Nº 27/2009 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO AMAZONAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS Gabinete da Reitora EDITAL Nº 27/2009 A FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO AMAZONAS torna público que o Processo Seletivo para preenchimento de

Leia mais

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE À BOLSA DE ESTUDOS PELO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM TURISMO E HOSPITALIDADE

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE À BOLSA DE ESTUDOS PELO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM TURISMO E HOSPITALIDADE CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE À BOLSA DE ESTUDOS PELO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM TURISMO E HOSPITALIDADE INSTRUÇÕES GERAIS O QUE É Chamada de Seleção Interna para

Leia mais

Faculdade de Medicina Universidade de Brasília

Faculdade de Medicina Universidade de Brasília [1] Brasília, 24 de julho de 2013. Ofício/FMD/34/2013 Carta do Conselho da Faculdade de Medicina da UnB Ao Magnífico Reitor da, Prof. Dr. Ivan Marques de Toledo Camargo Magnífico Reitor da UnB, Ao cumprimentá-lo

Leia mais

Guia de Certificação do Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM

Guia de Certificação do Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA DAEB GUIA DE CERTIFICAÇÃO Exame Nacional do Ensino Médio Brasília,

Leia mais

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO N DE 2014. (Do Sr. Izalci)

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO N DE 2014. (Do Sr. Izalci) REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO N DE 2014 (Do Sr. Izalci) Requer informações ao Ministro da Educação Senhor José Henrique Paim sobre o retorno ao País de bolsistas ligados ao Programa Ciência Sem Fronteiras.

Leia mais

UNIOESTE -Universidade Estadual do Oeste do Paraná 2º PSS - PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO NÍVEL SUPERIOR

UNIOESTE -Universidade Estadual do Oeste do Paraná 2º PSS - PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO NÍVEL SUPERIOR UNIOESTE -Universidade Estadual do Oeste do Paraná 2º PSS - PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO NÍVEL SUPERIOR Candidato: inscrição - nome do candidato Opção: código - nome / turno - cidade Local de Prova:

Leia mais

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA. Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n.

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA. Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n. CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n. 118/2012 O QUE É GESTOR Processo de seleção de candidatos de

Leia mais

Entendendo a organização do sistema acadêmico brasileiro

Entendendo a organização do sistema acadêmico brasileiro Entendendo a organização do sistema acadêmico brasileiro Não é todo estudante que entende bem a organização do sistema educacional brasileiro e seus níveis de ensino. Nem todos sabem, por exemplo, a diferença

Leia mais

Cabe destacar que cada candidato interessado deverá escolher apenas 1 (hum) Centro de Referência ou Colaborador para realizar sua inscrição.

Cabe destacar que cada candidato interessado deverá escolher apenas 1 (hum) Centro de Referência ou Colaborador para realizar sua inscrição. Edital para Seleção de Preceptores Centro Colaborador da Universidade Federal do Amazonas Processo Seletivo para o Curso de Aperfeiçoamento Desenvolvimento de Competência Pedagógica para a prática da Preceptoria

Leia mais

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional*

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* 1. Natureza do mestrado profissional A pós-graduação brasileira é constituída, atualmente, por dois eixos claramente distintos: o eixo acadêmico, representado

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES TÍTULO I DO CONCURSO E DOS CANDIDATOS

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES TÍTULO I DO CONCURSO E DOS CANDIDATOS UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC REGULAMENTO DO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES TÍTULO I DO CONCURSO E DOS CANDIDATOS Art. 1º O ingresso como docente na UNISC faz-se mediante Concurso Público de

Leia mais

Perguntas Frequentes. Quem é o aluno da UFPI?

Perguntas Frequentes. Quem é o aluno da UFPI? Perguntas Frequentes Quem é o aluno da UFPI? É o indivíduo que está regularmente matriculado em uma disciplina ou curso ou, ainda, que já ingressou na UFPI, embora não esteja cursando nenhuma disciplina

Leia mais

Especialidade para a qual será exigida a comprovação de pré-requisito na seguinte área: Clínica Médica, credenciada pela CNRM.

Especialidade para a qual será exigida a comprovação de pré-requisito na seguinte área: Clínica Médica, credenciada pela CNRM. FUNDAÇÃO PIO XII - HOSPITAL DE CÂNCER DE BARRETOS UNIDADE PORTO VELHO PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM CANCEROLOGIA CLÍNICA EDITAL DE SELEÇÃO PARA O ANO DE 2015 EDITAL N.º 01/2015/HCB

Leia mais

AS MAIS COMUNS PERGUNTAS E RESPOSTAS

AS MAIS COMUNS PERGUNTAS E RESPOSTAS Programa Ciência sem Fronteiras (CsF) Modalidade: Graduação Sanduíche no Exterior AS MAIS COMUNS PERGUNTAS E RESPOSTAS Prezados candidatos à bolsa do Programa CsF: Desempenhamos o papel de Coordenador

Leia mais

Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1

Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1 Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1 1. Quais são os tipos de instituições de ensino superior? De acordo com sua organização acadêmica, as instituições de ensino

Leia mais

Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF)

Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF) FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF) Introdução O Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de

Leia mais

CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA VISCONDE DE CAIRU CEPPEV CURSO: GESTÃO DE DATACENTER E COMPUTAÇÃO EM NUVEM 2013.2

CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA VISCONDE DE CAIRU CEPPEV CURSO: GESTÃO DE DATACENTER E COMPUTAÇÃO EM NUVEM 2013.2 NÚMERO DE VAGAS: 25 (Vinte e Cinco) Vagas. PREVISÃO DE INÍCIO DAS AULAS 01 de Novembro de 2013 CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA VISCONDE DE CAIRU CEPPEV APRESENTAÇÃO / JUSTIFICATIVA A Fundação Visconde

Leia mais

MAIS MÉDICOS MP 621 Uma visão jurídica

MAIS MÉDICOS MP 621 Uma visão jurídica MAIS MÉDICOS MP 621 Uma visão jurídica Em 8 de julho de 2013, entrou em vigor no sistema jurídico posto a Medida Provisória 621 Mais Médicos - com a finalidade de formar recursos humanos na área médica

Leia mais

2 - DA DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA PARA INSCRIÇÃO NO EXAME DE SELEÇÃO E ADMISSÃO

2 - DA DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA PARA INSCRIÇÃO NO EXAME DE SELEÇÃO E ADMISSÃO EDITAL A - FOP, unidade de Educação da Universidade de Pernambuco UPE, na forma regimental e de acordo com o estabelecido na Resolução CEPE nº. 033/2008 torna público o presente edital estabelecendo as

Leia mais

Mestrado em Ciências Contábeis Centro Universitário Álvares Penteado

Mestrado em Ciências Contábeis Centro Universitário Álvares Penteado Processo Seletivo 1º Semestre de 2016 Programa de Mestrado em Ciências Contábeis A FECAP Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado de maneira especial foca suas atividades no Programa de Mestrado em

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E LOGÍSTICA HOSPITALAR ÁREA DO CONHECIMENTO Administração e Saúde. NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Gestão e Logística Hospitalar. AMPARO

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO. Guia de Certificação

EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO. Guia de Certificação EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO Guia de Certificação MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA DAEB GUIA DE

Leia mais

ALGUMAS RESPOSTAS A PERGUNTAS FREQUENTES

ALGUMAS RESPOSTAS A PERGUNTAS FREQUENTES ALGUMAS RESPOSTAS A PERGUNTAS FREQUENTES O que é a semestralidade? É o valor que deve ser pago por cada aluno durante os 6 (seis) meses de cada período letivo. Este valor depende da faixa de créditos (isto

Leia mais

Processos Seletivos 2016 Graduação Presencial Edital de Vestibular de 02 de setembro de 2015

Processos Seletivos 2016 Graduação Presencial Edital de Vestibular de 02 de setembro de 2015 Processos Seletivos 2016 Graduação Presencial Edital de Vestibular de 02 de setembro de 2015 Aditivo nº 1 Define as normas específicas do Vestibular Seleção 2016.1 (Aprovado pela Resolução nº 061/2015,

Leia mais

DADOS ESTATÍSTICOS DOS CURSOS DE BACHARELADO E DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIAS EM DETERMINADAS ÁREAS DA ADMINISTRAÇÃO

DADOS ESTATÍSTICOS DOS CURSOS DE BACHARELADO E DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIAS EM DETERMINADAS ÁREAS DA ADMINISTRAÇÃO Resultados do ENADE 2012 e do Censo da Educação Superior 2013 dos Cursos de Bacharelado em Administração e dos Cursos Superiores de Tecnologia em determinadas áreas da Administração Bahia Janeiro de 2015

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM CARDIOLOGIA PARA MÉDICOS

Leia mais

Palavras-chave: Projeto de ensino; reprovação em Matemática; monitoria.

Palavras-chave: Projeto de ensino; reprovação em Matemática; monitoria. REPROVAÇÃO EM MATEMÁTICA NO ENSINO SUPERIOR: UMA TENTATIVA DE REDUZIR OS ALTOS ÍNDICES Profa. Dra. Camila Pinto da Costa Universidade Federal de Pelotas camila.ufpel@gmail.com Profa. Dra. Rejane Pergher

Leia mais

Processos Seletivos 2014 Graduação Presencial Edital de Vestibular de 02 de outubro de 2013

Processos Seletivos 2014 Graduação Presencial Edital de Vestibular de 02 de outubro de 2013 Processos Seletivos 2014 Graduação Presencial Edital de Vestibular de 02 de outubro de 2013 Aditamento nº 10 Define as normas específicas do Vestibular Seleção RN 2014.2 da graduação presencial (Aprovado

Leia mais

EDITAL 02/2012 - SELEÇÃO PÚBLICA

EDITAL 02/2012 - SELEÇÃO PÚBLICA EDITAL 02/2012 - SELEÇÃO PÚBLICA A Comissão de Residência Médica do Hospital Universitário Dr. Miguel Riet Corrêa Jr. da Universidade Federal do Rio Grande FURG torna público para o conhecimento dos interessados,

Leia mais

Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira- REVALIDA

Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira- REVALIDA Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira- REVALIDA Secretaria de Educação Superior (SESu) Diretoria de Avaliação da Educação Superior

Leia mais

Diagnóstico da realidade médica no país

Diagnóstico da realidade médica no país Diagnóstico da realidade médica no país Médicos por mil habitantes Peru 0,9 Chile 1,0 Paraguai 1,1* Bolívia 1,2* Colômbia 1,4* Equador 1,7 Brasil 1,8 Venezuela 1,9* México 2,0 Canadá 2,0 Estados Unidos

Leia mais

Processos Seletivos 2016 Graduação Presencial Edital de Vestibular de 02 de setembro de 2015

Processos Seletivos 2016 Graduação Presencial Edital de Vestibular de 02 de setembro de 2015 Processos Seletivos 2016 Graduação Presencial Edital de Vestibular de 02 de setembro de 2015 Aditivo nº 6 Define as normas específicas do Vestibular TOP 2016.1 (Aprovado pela Resolução nº 074/2015, de

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA. EDITAL Nº 009/2014-PROPPG, de 22 de abril de 2014

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA. EDITAL Nº 009/2014-PROPPG, de 22 de abril de 2014 PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA EDITAL Nº 009/2014-PROPPG, de 22 de abril de 2014 A, por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPPG/IFG), torna público o processo

Leia mais

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais

FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES. Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Departamento de Ciências Exatas e Gerenciais CURSOS : ADMINISTRAÇÃO CIÊNCIAS ATUARIAIS CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO CIÊNCIAS CONTÁBEIS CIÊNCIAS

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS TECNÓLOGO SANDUÍCHE NO CANADÁ CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS/ ACCC Nº 107 /2011

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS TECNÓLOGO SANDUÍCHE NO CANADÁ CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS/ ACCC Nº 107 /2011 PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS TECNÓLOGO SANDUÍCHE NO CANADÁ CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS/ ACCC Nº 107 /2011 O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação MCTI, o Ministério da Educação

Leia mais

PROFMAT - Programa de Mestrado Profissional em Matemática. Regimento. Coordenação do ensino de matemática nas escolas;

PROFMAT - Programa de Mestrado Profissional em Matemática. Regimento. Coordenação do ensino de matemática nas escolas; Capítulo I Objetivos Regimento Artigo 1º - O Objetivo do Programa de Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional é proporcionar ao aluno formação matemática aprofundada, relevante ao exercício

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE EDITAL DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) EM ASSISTÊNCIA INTERDISCIPLINAR EM SAÚDE

Leia mais

Perguntas e respostas sobre o Pronatec

Perguntas e respostas sobre o Pronatec Perguntas e respostas sobre o Pronatec 1 O que é o Pronatec? Pronatec é o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego. Foi criado em 26 de outubro de 2011 por meio da Lei 12.513. Seu funcionamento

Leia mais

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA NACIONAL DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CENTRO UNIVERSITÁRIO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE DESATRES CEPED/RS CURSO DE EXTENSÃO

Leia mais

8. Excelência no Ensino Superior

8. Excelência no Ensino Superior 8. Excelência no Ensino Superior PROGRAMA: 08 Órgão Responsável: Contextualização: Excelência no Ensino Superior Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI O Programa busca,

Leia mais

Reunião do dia 06 de dezembro de 2012 para tirar dúvidas sobre o programa Ciência sem Fronteiras.

Reunião do dia 06 de dezembro de 2012 para tirar dúvidas sobre o programa Ciência sem Fronteiras. Reunião do dia 06 de dezembro de 2012 para tirar dúvidas sobre o programa Ciência sem Fronteiras. 1. Faço mais de um curso pós BCT. Posso me inscrever por qualquer um deles? R. Na inscrição da UFABC você

Leia mais

FAC PERGUNTAS FREQUENTES

FAC PERGUNTAS FREQUENTES FAC PERGUNTAS FREQUENTES Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Divisão de Temas Educacionais (DCE) Departamento Cultural

Leia mais

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom Entrevista esclarece dúvidas sobre acúmulo de bolsas e atividadess remuneradas Publicada por Assessoria de Imprensa da Capes Quinta, 22 de Julho de 2010 19:16 No dia 16 de julho de 2010, foi publicada

Leia mais

RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS*

RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS* RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS* * Release elaborado pela BM&FBOVESPA baseado nos dados informados pelo Banco Mundial para o 2º Workshop de Divulgação

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO INTERUNIDADES EM ENSINO DE CIÊNCIAS (ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO: ENSINO DE BIOLOGIA, ENSINO DE FÍSICA E ENSINO DE QUÍMICA)

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO INTERUNIDADES EM ENSINO DE CIÊNCIAS (ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO: ENSINO DE BIOLOGIA, ENSINO DE FÍSICA E ENSINO DE QUÍMICA) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO INTERUNIDADES EM ENSINO DE CIÊNCIAS (ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO: ENSINO DE BIOLOGIA, ENSINO DE FÍSICA E ENSINO DE QUÍMICA) PROCESSO DE SELEÇÃO PARA INGRESSO NO MESTRADO EM ENSINO DE

Leia mais

CHAMADA PUBLICA PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIVULGAÇÃO DA CIÊNCIA, DA TECNOLOGIA E DA SAÚDE.

CHAMADA PUBLICA PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIVULGAÇÃO DA CIÊNCIA, DA TECNOLOGIA E DA SAÚDE. CHAMADA PUBLICA PARA O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIVULGAÇÃO DA Periodicidade: anual Coordenação: Luisa Medeiros Massarani CIÊNCIA, DA TECNOLOGIA E DA SAÚDE. Objetivos do Curso Formação de especialistas

Leia mais

EDITAL BRANETEC UFES Nº 001/2015

EDITAL BRANETEC UFES Nº 001/2015 EDITAL BRANETEC UFES Nº 001/2015 PROCESSO SELETIVO PARA PARTICIPAÇÃO EM PROGRAMA DE INTERCÂMBIO RECÍPROCO DE GRADUAÇÃO PARA ESTUDO NA HOLANDA SEM COLAÇÃO DE GRAU O Diretor do Centro Tecnológico da Universidade

Leia mais