DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 4 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE CONSTRUÇÃO RODOVIÁRIA TOMO 4

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 4 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE CONSTRUÇÃO RODOVIÁRIA TOMO 4"

Transcrição

1 DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 4 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE CONSTRUÇÃO RODOVIÁRIA TOMO 4 DRENAGEM E OUTROS CUSTOS II 2003 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES - DNIT

2 MINISTRO DOS TRANSPORTES Dr. Anderson Adauto Pereira DIRETOR GERAL DO DNIT Eng.º José Antonio Silva Coutinho

3 MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 4 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE CONSTRUÇÃO RODOVIÁRIA TOMO 4 DRENAGEM E OUTROS CUSTOS II

4 MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS SISTEMA DE CUSTOS RODOVIÁRIOS Equipe Técnica: Eng. o Manoelino Matos de Andrade - Coordenador Eng. a Maria das Graças da Silveira Farias Eng. o Mário Brugger da Cunha Eng. o José Gornsztejn Eng. o Luciano Regazzi Gerk Econ. Irma de Azevedo Sampaio Anal. de Sist. Alexandre José Gavinho Geraldo Colaboradores: Dr. Tarcísio Delgado Eng Dirceu César Façanha Eng. o José Maurício Gomes Eng. o Miguel Dário Ardissone Nunes Eng. o Guilherme Henrique de Barros Montenegro Eng. o Jorge Nicolau Pedro Bibl. Tânia Bral Mendes Bibl. Heloisa Maria Moreira Monnerat Brasil, Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes. Diretoria Geral. Manual de custos rodoviários. 3. ed. - Rio de Janeiro, v. em 13. v.4: Composições de custos unitários de referência; obras de construção rodoviária. t.4: Drenagem e outros custos II. 1. Rodovias - Construções - Estimativa e custo. I. Título. CDD Reprodução permitida desde que citado o DNIT como fonte.

5 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES DNIT DIRETORIA GERAL MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 4 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE CONSTRUÇÃO RODOVIÁRIA TOMO 4 DRENAGEM E OUTROS CUSTOS II 3ª edição RIO DE JANEIRO 2003

6 DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES DNIT SISTEMA DE CUSTOS RODOVIÁRIOS Av Presidente Vargas, andar, CEP Rio de Janeiro- RJ Tel: (0 XX 21) Fax: (0 XX 21) TÍTULO: MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 4: Composições de custos unitários de referência; obras de construção rodoviária TOMO 4: Drenagem e outros custos II Primeira edição: MANUAL DE COMPOSIÇÃO DE CUSTOS RODOVIÁRIOS, 1972 Segunda edição: ATUALIZAÇÃO E COMPLEMENTAÇÃO DO MANUAL DE COMPOSIÇÃO DE CUSTOS RODOVIÁRIOS, 1980 Aprovado pelo Conselho Administrativo do DNER, em 17 de dezembro de Resolução nº 45/1998 Sessão CA n 19, de 17/12/1998 Aprovado pela Diretoria do DNIT em 16 de dezembro de 2003, Relato nº 21, Ata nº 29/2003 Impresso no Brasil / Printed in Brazil

7 APRESENTAÇÃO Este documento apresenta o resultado dos estudos desenvolvidos na revisão, atualização e complementação dos Manuais de Custos Rodoviários, editado em 1972 e 1980, e a adequação do sistema informatizado SICRO ao novo manual. Nele estão incorporados os estudos desenvolvidos e as contribuições recebidas pela então Gerência de Custos Rodoviários, após a realização de seminários na sede do órgão em Brasília, com as demais equipes do Departamento e a comunidade rodoviária em geral. Este manual foi elaborado em 1998, sendo sua metodologia implantada pelo DNER no ano de 2000 e o seu lançamento em No cálculo dos custos, levou-se em consideração as novas tecnologias e os atuais métodos construtivos rodoviários, entretanto, faz-se necessário ressalvar que essa atualização deverá constituir-se dinâmica, tendo em vista o contínuo desenvolvimento da tecnologia e da economia do país. Solicitamos a todos os usuários deste documento que tiverem dúvidas, críticas ou sugestões, que as enviem como contribuição para a equipe responsável pelo, à Av. Presidente Vargas, andar, CEP , Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Para fins de apresentação este Manual está organizado como se segue: Volume 1 METODOLOGIA E CONCEITOS Volume 2 MANUAL DO SISTEMA E MANUAL DO USUÁRIO Tomo 1 Tomo 2 Tomo 3 MANUAL DO SISTEMA - PROJETO CONCEITUAL MANUAL DO SISTEMA - PROGRAMA FONTE MANUAL DO USUÁRIO Volume 3 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE ATIVIDADES AUXILIARES Volume 4 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE CONSTRUÇÃO RODOVIÁRIA Tomo 1 Tomo 2 Tomo 3 Tomo 4 TERRAPLENAGEM E PAVIMENTAÇÃO OBRAS DE ARTE ESPECIAIS DRENAGEM E OUTROS CUSTOS I DRENAGEM E OUTROS CUSTOS II

8 Volume 5 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE CONSERVAÇÃO RODOVIÁRIA Volume 6 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE SINALIZAÇÃO RODOVIÁRIA Volume 7 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE RESTAURAÇÃO RODOVIÁRIA Anexo 1 MANUAL DE PESQUISA DE PREÇOS DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS

9 RESUMO Este documento apresenta a metodologia e os critérios adotados para o cálculo dos custos unitários dos insumos e serviços necessários à execução das obras de construção, restauração e sinalização rodoviária e dos serviços de conservação rodoviária. Apresenta, ainda, as rotinas e procedimentos empregados pelo sistema informatizado implantado para o cálculo dos custos unitários de referência.

10

11 ABSTRACT This document presents the methodology and criteria adopted for the calculation of unit costs for the production factors and services which are necessary to the execution of construction, restauration and signaling road-works. It also presents the routines and procedures employed by the software system implanted for the calculation of reference unit costs.

12

13 MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS DO DNIT COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE CONSTRUÇÃO RODOVIÁRIA DRENAGEM E OUTROS CUSTOS II SUMÁRIO DO VOLUME 4 - TOMO 4 1 INTRODUÇÃO AO VOLUME 4 TOMOS 3 E 4: DRENAGEM E OUTROS CUSTOS COMPOSIÇÕES DE PREÇOS UNITÁRIOS...9 I

14 II

15 1 INTRODUÇÃO AO VOLUME 4 TOMOS 3 E 4: DRENAGEM E OUTROS CUSTOS Este volume, integrante da Revisão, Atualização e Complementação do Manual de Custos Rodoviários do DNIT, contém os estudos relativos aos custos unitários dos serviços de referência para a Construção de Obras de Drenagem e Outros Custos. A metodologia utilizada na Orçamentação das Estruturas de Drenagens está apresentada no capítulo 2, e estão assim subdivididas: Armadura de peças de concreto: Capítulo 2.1 Bueiro celular de concreto: Capítulo 2.2 Bueiro tubular de concreto: Capítulo 2.3 Demais dispositivos de drenagem de concreto: Capítulo 2.4 Bueiro metálico de chapas múltiplas: Capítulo 2.5 Critérios de medição: Capítulo 2.6 A metodologia utilizada na orçamentação de Outros Custos está apresentada no capítulo 3. e os assuntos que compõem este capítulo são os seguintes: Proteção vegetal de cortes e aterros, Enrocamento de pedra jogada, Alvenaria, Muro de gabião, Terra armada, Cortina ancorada, Cerca, Transporte e Confecção de tubos de concreto. Foram descritos, também, os critérios de medição a serem adotados para cada um dos serviços apresentados e foram citadas as Especificações a que devem satisfazer. O capítulo 4 deste volume contém as composições de custos elaboradas. A seguir são apresentadas as relações dos serviços de Drenagem e Outros Custos 1

16 Código Drenagem II Denominação 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em solo - DPS 01 m 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em solo - DPS 02 m 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em solo - DPS 03 m 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em solo - DPS 04 m 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em solo - DPS 05 m 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em solo - DPS 06 m 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em solo - DPS 07 m 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em solo - DPS 08 m 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em rocha - DPR 01 m 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em rocha - DPR 02 m 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em rocha - DPR 03 m 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em rocha - DPR 04 m 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em rocha - DPR 05 m 2 S Boca saída p/dreno longitudinal prof. BSD 01 m 2 S Boca saída p/dreno longitudinal prof. BSD 02 m 2 S Dreno sub-superficial - DSS 01 m 2 S Dreno sub-superficial - DSS 02 m 2 S Dreno sub-superficial - DSS 03 m 2 S Dreno sub-superficial - DSS 04 m 2 S Boca saída p/dreno sub-superficial - BSD 03 und 2 S Dreno sub-horizontal - DSH 01 m 2 S Boca saída p/dreno sub-horizontal - BSD 04 und 2 S Sarjeta triangular de concreto - STC 01 m 2 S Sarjeta triangular de concreto - STC 02 m 2 S Sarjeta triangular de concreto - STC 03 m 2 S Sarjeta triangular de concreto - STC 04 m 2 S Sarjeta triangular de concreto - STC 05 m 2 S Sarjeta triangular de concreto - STC 06 m 2 S Sarjeta triangular de concreto - STC 07 m 2 S Sarjeta triangular de concreto - STC 08 m 2 S Sarjeta canteiro central concreto - SCC 01 m 2 S Sarjeta canteiro central concreto - SCC 02 m 2 S Sarjeta triangular de grama - STG 01 m 2 S Sarjeta triangular de grama - STG 02 m 2 S Sarjeta triangular de grama - STG 03 m 2 S Sarjeta triangular de grama - STG 04 m 2 S Sarjeta triangular não revestida - STT 01 m 2 S Sarjeta triangular não revestida - STT 02 m 2 S Sarjeta triangular não revestida - STT 03 m 2 S Sarjeta triangular não revestida - STT 04 m 2 S Sarjeta trapezoidal de concreto - SZC 01 m 2 S Sarjeta trapezoidal de concreto - SZC 02 m 2 S Sarjeta de canteiro central de concreto - SCC 03 m 2 S Sarjeta de canteiro central de cocnreto - SCC 04 m 2 S Sarjeta trapezoidal de grama - SZG 01 m 2 S Sarjeta trapezoidal de grama - SZG 02 m 2

17 Código Drenagem II Denominação 2 S Sarjeta trapezoidal não revestida - SZT 01 m 2 S Sarjeta trapezoidal não revestida - SZT 02 m 2 S Meio fio de concreto - MFC 01 m 2 S Meio fio de concreto - MFC 02 m 2 S Meio fio de concreto - MFC 03 m 2 S Meio fio de concreto - MFC 04 m 2 S Meio fio de concreto - MFC 05 m 2 S Meio fio de concreto - MFC 06 m 2 S Meio fio de concreto - MFC 07 m 2 S Meio fio de concreto - MFC 08 m 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 01 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 02 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 03 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 04 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 05 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 06 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 07 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 08 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 09 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 10 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 11 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 12 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 13 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS14 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 15 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 16 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 17 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 18 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 19 und 2 S Caixa coletora de sarjeta - CCS 20 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 01 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 02 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 03 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 04 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 05 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 06 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 07 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 08 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 09 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 10 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 11 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 12 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 13 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 14 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 15 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 16 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 17 und 3

18 Código Drenagem II Denominação 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 18 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 19 und 2 S Caixa coletora de talvegue - CCT 20 und 2 S Descida d'água tipo rap. - calha concr. - DAR 01 m 2 S Descida d'água tipo rap. - canal retang.- DAR 02 m 2 S Descida d'água tipo rap. - canal retang.- DAR 03 m 2 S Descida d'água tipo rap. - calha metálica - DAR 04 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - DAD 01 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - arm - DAD 02 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - DAD 03 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - arm - DAD 04 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - DAD 05 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - arm - DAD 06 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - DAD 07 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - arm - DAD 08 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - DAD 09 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - arm - DAD 10 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - DAD 11 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - arm - dad 12 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - DAD 13 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - arm - DAD 14 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - DAD 15 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - arm - DAD 16 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - DAD 17 m 2 S Descida d'água aterros em degraus - arm - DAD 18 m 2 S Descida d'água cortes em degraus - DCD 01 m 2 S Descida d'água cortes em degraus - arm - DCD 02 m 2 S Descida d'água cortes em degraus - DCD 03 m 2 S Descida d'água cortes em degraus - arm - DCD 04 m 2 S Entrada d'água - EDA 01 und 2 S Entrada d'água - EDA 02 und 2 S Dissipador de energia - DES 01 und 2 S Dissipador de energia - DES 02 und 2 S Dissipador de energia - DES 03 und 2 S Dissipador de energia - DES04 und 2 S Dissipador de energia - DEB 01 und 2 S Dissipador de energia - DEB 02 und 2 S Dissipador de energia - DEB 03 und 2 S Dissipador de energia - DEB 04 und 2 S Dissipador de energia - DEB 05 und 2 S Dissipador de energia - DEB 06 und 2 S Dissipador de energia - DEB 07 und 2 S Dissipador de energia - DEB 08 und 2 S Dissipador de energia - DEB 09 und 2 S Dissipador de energia - DEB 10 und 2 S Dissipador de energia - DEB 11 und 2 S Dissipador de energia - DEB 12 und 4

19 Código Drenagem II Denominação 2 S Dissipador de energia - DED 01 und 2 S Boca de lobo simples grelha concr. - BLS 01 und 2 S Boca de lobo simples grelha concr. - BLS 02 und 2 S Boca de lobo simples grelha concr. - BLS 03 und 2 S Boca de lobo simples grelha concr. - BLS 04 und 2 S Boca de lobo simples grelha concr. - BLS 05 und 2 S Boca de lobo simples grelha concr. - BLS 06 und 2 S Boca de lobo simples grelha concr. - BLS 07 und 2 S Boca de lobo dupla com grelha de concreto - BLD 01 und 2 S Boca de lobo dupla com grelha de concreto - BLD 02 und 2 S Boca de lobo dupla com grelha de concreto - BLD 03 und 2 S Boca de lobo dupla com grelha de concreto - BLD 04 und 2 S Boca de lobo dupla com grelha de concreto - BLD 05 und 2 S Boca de lobo dupla com grelha de concreto - BLD 06 und 2 S Boca de lobo dupla com grelha de concreto - BLD 07 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 01 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 02 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 03 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 04 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 05 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 06 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 07 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 08 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 09 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 10 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 11 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 12 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 13 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 14 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 15 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 16 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 17 und 2 S Caixa de ligação e passagem - CLP 18 und 2 S Poço de visita - PVI 01 und 2 S Poço de visita - PVI 02 und 2 S Poço de visita - PVI 03 und 2 S Poço de visita - PVI 04 und 2 S Poço de visita - PVI 05 und 2 S Poço de visita - PVI 06 und 2 S Poço de visita - PVI 07 und 2 S Poço de visita - PVI 08 und 2 S Poço de visita - PVI 09 und 2 S Poço de visita - PVI 10 und 2 S Poço de visita - PVI 11 und 2 S Poço de visita - PVI 12 und 2 S Poço de visita - PVI 13 und 2 S Poço de visita - PVI 14 und 5

20 Código Drenagem II Denominação 2 S Poço de visita - PVI 15 und 2 S Poço de visita - PVI 16 und 2 S Poço de visita - PVI 17 und 2 S Poço de visita - PVI 18 und 2 S Chaminé dos poços de visita - CPV 01 und 2 S Chaminé dos poços de visita - CPV 02 und 2 S Chaminé dos poços de visita - CPV 03 und 2 S Chaminé dos poços de visita - CPV 04 und 2 S Chaminé dos poços de visita - CPV 05 und 2 S Chaminé dos poços de visita - CPV 06 und 2 S Chaminé dos poços de visita - CPV 07 und 2 S Tubulação de drenagem urbana - D=0,40 m s/ berço m 2 S Tubulação de drenagem urbana - D=0,60 m s/ berço m 2 S Tubulação de drenagem urbana - D=0,80 m s/ berço m 2 S Tubulação de drenagem urbana - D=1,00 m s/ berço m 2 S Tubulação de drenagem urbana - D=1,20 m s/ berço m 2 S Tubulação de drenagem urbana - D=1,50 m s/ berço m 2 S Transposição de segmento de sarjetas - TSS 01 m 2 S Transposição de segmento de sarjetas - TSS 02 m 2 S Transposição de segmento de sarjetas - TSS 03 m 2 S Transposição de segmento de sarjetas - TSS 04 m 2 S Transposição de segmento de sarjetas - TSS 05 m 2 S Transposição de segmento de sarjetas - TSS 06 m 2 S Tampa concr. p/caixa colet. (4 nervuras) - TCC 01 und 2 S Tampa de ferro p/ caixa coletora - TCC 02 und 2 S Escoramento de bueiros celulares 2 S Solo local / selo de argila apiloado 2 S Lastro de brita 2 S Calha metálica semi-circular D=0,40 m m 2 S Dentes para bueiros simples D=0,60 m und 2 S Dentes para bueiros simples D=0,80 m und 2 S Dentes para bueiros simples D=1,00 m und 2 S Dentes para bueiros simples D=1,20 m und 2 S Dentes para bueiros simples D=1,50 m und 2 S Dentes para bueiros duplos D=1,00 m und 2 S Dentes para bueiros duplos D=1,20 m und 2 S Dentes para bueiros duplos D=1,50 m und 2 S Dentes para bueiros triplos D=1,00 m und 2 S Dentes para bueiros triplos D=1,20 und 2 S Dentes para bueiros triplos D=1,50 m und 6

21 Código Outros Custos Denominação 2 S Enleivamento 2 S Hidrossemeadura 2 S Alvenaria de pedra arrumada 2 S Enrocamento de pedra jogada 2 S Alvenaria de pedra argamassada 2 S Alvenaria tijolos de 20 cm de espessura 2 S Muro gabião tipo caixa 2 S Terra armada - ECE - greide 0,0<h<6,00m 2 S Terra armada - ECE - greide 6,0<h<9,00m 2 S Terra armada - ECE - greide 9,0<h<12,00m 2 S Terra armada - ECE - pé de talude 0,0<h<6,00m 2 S Terra armada - ECE - pé de talude 6,0<h<9,00m 2 S Terra armada - ECE - pé de talude 9,0<h<12,00m 2 S Terra armada - ECE - encontro portante 0,0<h<6,00m 2 S Terra armada - ECE - encontro portante 6,0<h<9,00m 2 S Escamas de concreto armado para terra armada 2 S Concr. soleira e arremates de maciço terra armada 2 S Montagem de maciço terra armada 2 S Execução cortina atirantada conc.armado fck=15 MPa 2 S Tirante protendido p/ cort. aço st 85/105 D= 32mm m 2 S Pórtico metálico und 2 S Cerca arame farp. c/ mourão concr. seção quadrada m 2 S Cerca arame farp. c/ mourão concr. seção triang. m 2 S Cercas de arame farpado com suportes de madeira m 2 S Transporte local em rodov. não pav. (const.) tkm 2 S Transporte local c/ carroceria em rodovia não pav. tkm 2 S Transporte comercial c/ carr. rodov. não pav. tkm 2 S Transporte comercial c/ basc. rodov. não pav. tkm 2 S Transporte local em rodov. pavim. (const.) tkm 2 S Transporte local c/ carroceria em rodov. pavim. tkm 2 S Transporte comerc. c/ carr. rodov. pavim. tkm 2 S Transporte comercial c/ basc. rodov. pavimen. tkm 7

22 8

23 2 COMPOSIÇÕES DE PREÇOS UNITÁRIOS 9

24 10

25 Atividade / Serviço: 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em solo - DPS 01 Produção da Equipe: 1,0000 m Adicional de Mão-de-Obra: 5,00 (%) ( Ferramentas: 5,00 % ) A - Equipamento Utilização Operativa Improd E404 Caminhão Basculante t (170 kw) 0,01 1,00 0,00 0,20 T604 Pedreiro 0,08 T701 Servente 1,16 1A A A Solo local / selo de argila apiloado Areia extraída com escavadeira hidráulica Confecção de tubos de concreto poroso D=0,20m 0,1000 0,5900 1,0000 m E - Transporte de Materiais M202 Cimento portland CP-32 0,0106 t/m F - Transporte de Materiais Produzidos 1A Solo local / selo de argila apiloado 0,1300 t/m 1A Areia extraída com escavadeira hidráulica 0,8993 t/m 1A Brita produzida em central de britagem de 80 /h 0,0484 t/m 1A Confecção de tubos de concreto poroso D=0,20m 0,0400 t/m OBS: Especificação de Serviço: DNER-ES-292 composições de momentos de transporte do. As quantidades indicadas nos itens de transporte de materiais referem-se ao consumo de materiais a serem transportados, por unidade de serviço. 11

26 Atividade / Serviço: 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em solo - DPS 02 Produção da Equipe: 1,0000 m Adicional de Mão-de-Obra: 5,00 (%) ( Ferramentas: 5,00 % ) A - Equipamento Utilização Operativa Improd E404 Caminhão Basculante t (170 kw) 0,01 1,00 0,00 0,20 T604 Pedreiro 0,08 T701 Servente 1,16 1A A Areia extraída com equipamento tipo "drag-line" Confecção de tubos de concreto poroso D=0,20m 0,6900 1,0000 m E - Transporte de Materiais M202 Cimento portland CP-32 0,0106 t/m F - Transporte de Materiais Produzidos 1A Areia extraída com equipamento tipo "drag-line" 1,0493 t/m 1A Brita produzida em central de britagem de 80 /h 0,0484 t/m 1A Confecção de tubos de concreto poroso D=0,20m 0,0400 t/m OBS: Especificação de Serviço: DNER-ES-292 composições de momentos de transporte do. As quantidades indicadas nos itens de transporte de materiais referem-se ao consumo de materiais a serem transportados, por unidade de serviço. 12

27 Atividade / Serviço: 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em solo - DPS 03 Produção da Equipe: 1,0000 m Adicional de Mão-de-Obra: 5,00 (%) ( Ferramentas: 5,00 % ) A - Equipamento Utilização Operativa Improd E402 Caminhão Carroceria - de madeira 15 t (170 kw) 0,01 1,00 0,00 E404 Caminhão Basculante t (170 kw) 0,01 1,00 0,00 0,36 T604 Pedreiro 0,08 T701 Servente 1,30 1A A A A Solo local / selo de argila apiloado Areia extraída com escavadeira hidráulica Brita produzida em central de britagem de 80 /h Confecção de tubos de concreto perfurado D=0,20m 0,1200 0,5900 0,1300 0,1470 1,0000 m E - Transporte de Materiais M202 Cimento portland CP-32 0,0106 t/m M998 Madeira 0,0782 t/m F - Transporte de Materiais Produzidos 1A Solo local / selo de argila apiloado 0,1560 t/m 1A Areia extraída com escavadeira hidráulica 0,8993 t/m 1A Brita produzida em central de britagem de 80 /h 0,2298 t/m 1A Confecção de tubos de concreto perfurado D=0,20m 0,0400 t/m OBS: Especificação de Serviço: DNER-ES-292 composições de momentos de transporte do. As quantidades indicadas nos itens de transporte de materiais referem-se ao consumo de materiais a serem transportados, por unidade de serviço. 13

28 Atividade / Serviço: 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em solo - DPS 04 Produção da Equipe: 1,0000 m Adicional de Mão-de-Obra: 5,00 (%) ( Ferramentas: 5,00 % ) A - Equipamento Utilização Operativa Improd E402 Caminhão Carroceria - de madeira 15 t (170 kw) 0,01 1,00 0,00 E404 Caminhão Basculante t (170 kw) 0,01 1,00 0,00 0,36 T604 Pedreiro 0,08 T701 Servente 1,30 1A A A Areia extraída com equipamento tipo "drag-line" Brita produzida em central de britagem de 80 /h Confecção de tubos de concreto perfurado D=0,20m 0,7100 0,1300 0,1470 1,0000 m E - Transporte de Materiais M202 Cimento portland CP-32 0,0106 t/m M998 Madeira 0,0782 t/m F - Transporte de Materiais Produzidos 1A Areia extraída com equipamento tipo "drag-line" 1,0793 t/m 1A Brita produzida em central de britagem de 80 /h 0,2298 t/m 1A Confecção de tubos de concreto perfurado D=0,20m 0,0400 t/m OBS: Especificação de Serviço: DNER-ES-292 composições de momentos de transporte do. As quantidades indicadas nos itens de transporte de materiais referem-se ao consumo de materiais a serem transportados, por unidade de serviço. 14

29 Atividade / Serviço: 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em solo - DPS 05 Produção da Equipe: 1,0000 m Adicional de Mão-de-Obra: 5,00 (%) ( Ferramentas: 5,00 % ) 0,10 T701 Servente 0,50 C - Material M904 Geotêxtil não-tecido agulhado-op30 3,7000 1A Solo local / selo de argila apiloado 0,1300 1A Brita produzida em central de britagem de 80 /h 0,6200 F - Transporte de Materiais Produzidos 1A Solo local / selo de argila apiloado 0,1690 t/m 1A Brita produzida em central de britagem de 80 /h 0,9300 t/m OBS: Especificação de Serviço: DNER-ES-292 composições de momentos de transporte do. As quantidades indicadas nos itens de transporte de materiais referem-se ao consumo de materiais a serem transportados, por unidade de serviço. 15

30 Atividade / Serviço: 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em solo - DPS 06 Produção da Equipe: 1,0000 m Adicional de Mão-de-Obra: 5,00 (%) ( Ferramentas: 5,00 % ) A - Equipamento Utilização Operativa Improd E404 Caminhão Basculante t (170 kw) 0,01 1,00 0,00 0,10 T701 Servente 0,50 C - Material M904 Geotêxtil não-tecido agulhado-op30 4,3000 1A Brita produzida em central de britagem de 80 /h 0,7500 F - Transporte de Materiais Produzidos 1A Brita produzida em central de britagem de 80 /h 1,1250 t/m OBS: Especificação de Serviço: DNER-ES-292 composições de momentos de transporte do. As quantidades indicadas nos itens de transporte de materiais referem-se ao consumo de materiais a serem transportados, por unidade de serviço. 16

31 Atividade / Serviço: 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em solo - DPS 07 Produção da Equipe: 1,0000 m Adicional de Mão-de-Obra: 5,00 (%) ( Ferramentas: 5,00 % ) 0,20 T604 Pedreiro 0,08 T701 Servente 1,16 C - Material M904 Geotêxtil não-tecido agulhado-op30 3,7000 1A Solo local / selo de argila apiloado 0,1300 1A Brita produzida em central de britagem de 80 /h 0,5600 1A Confecção de tubos de concreto perfurado D=0,20m 1,0000 m E - Transporte de Materiais M202 Cimento portland CP-32 0,0106 t/m F - Transporte de Materiais Produzidos 1A Solo local / selo de argila apiloado 0,1690 t/m 1A Areia extraída com escavadeira hidráulica 0,0143 t/m 1A Brita produzida em central de britagem de 80 /h 0,8748 t/m 1A Confecção de tubos de concreto perfurado D=0,20m 0,0400 t/m OBS: Especificação de Serviço: DNER-ES-292 composições de momentos de transporte do. As quantidades indicadas nos itens de transporte de materiais referem-se ao consumo de materiais a serem transportados, por unidade de serviço. 17

32 Atividade / Serviço: 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em solo - DPS 08 Produção da Equipe: 1,0000 m Adicional de Mão-de-Obra: 5,00 (%) ( Ferramentas: 5,00 % ) A - Equipamento Utilização Operativa Improd E404 Caminhão Basculante t (170 kw) 0,01 1,00 0,00 0,20 T604 Pedreiro 0,08 T701 Servente 1,16 C - Material M904 Geotêxtil não-tecido agulhado-op30 4,3000 1A A Brita produzida em central de britagem de 80 /h Confecção de tubos de concreto perfurado D=0,20m 0,6900 1,0000 m E - Transporte de Materiais M202 Cimento portland CP-32 0,0106 t/m F - Transporte de Materiais Produzidos 1A Areia extraída com equipamento tipo "drag-line" 0,0143 t/m 1A Brita produzida em central de britagem de 80 /h 1,0698 t/m 1A Confecção de tubos de concreto perfurado D=0,20m 0,0400 t/m OBS: Especificação de Serviço: DNER-ES-292 composições de momentos de transporte do. As quantidades indicadas nos itens de transporte de materiais referem-se ao consumo de materiais a serem transportados, por unidade de serviço. 18

33 Atividade / Serviço: 2 S Dreno longitudinal prof. p/corte em rocha - DPR 01 Produção da Equipe: 1,0000 m Adicional de Mão-de-Obra: 5,00 (%) ( Ferramentas: 5,00 % ) 0,25 T604 Pedreiro 0,08 T701 Servente 0,83 1A Brita produzida em central de britagem de 80 /h 0,1400 1A Confecção de tubos de concreto perfurado D=0,20m 1,0000 m E - Transporte de Materiais M202 Cimento portland CP-32 0,0106 t/m F - Transporte de Materiais Produzidos 1A Areia extraída com equipamento tipo "drag-line" 0,0143 t/m 1A Brita produzida em central de britagem de 80 /h 0,2448 t/m 1A Confecção de tubos de concreto perfurado D=0,20m 0,0400 t/m OBS: Especificação de Serviço: DNER-ES-292 composições de momentos de transporte do. As quantidades indicadas nos itens de transporte de materiais referem-se ao consumo de materiais a serem transportados, por unidade de serviço. 19

ÁLBUM DE PROJETOS-TIPO DE DISPOSITIVOS DE DRENAGEM

ÁLBUM DE PROJETOS-TIPO DE DISPOSITIVOS DE DRENAGEM DNIT Publicação IPR - 725 ÁLBUM DE PROJETOS-TIPO DE DISPOSITIVOS DE DRENAGEM 2006 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES DIRETORIA DE PLANEJAMENTO E PESQUISA

Leia mais

Glossário das Colunas do Boletim Eletrônico de Medição

Glossário das Colunas do Boletim Eletrônico de Medição Glossário das Colunas do Boletim Eletrônico de Coluna 1 Serviço Coluna 2 Descrição Coluna 3 Coluna 4 Coluna 5 Coluna 6 Coluna 7 Coluna 8 Coluna 9 Coluna 10 Unidade de Projeto Físico desta de Acumulada

Leia mais

Informador das construções

Informador das construções 02 01 TERRAPLENAGEM Informador das Contruções 02 01 01 DESMATAMENTO, DESTOC. E LIMP DE ÁRVORES, ARB. E VEGET. RASTEIRA (Execução na espessura de até 30 cm, incluindo remanejamento de material p/ fora da

Leia mais

DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 4 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE CONSTRUÇÃO RODOVIÁRIA TOMO 3

DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 4 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE CONSTRUÇÃO RODOVIÁRIA TOMO 3 DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 4 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE CONSTRUÇÃO RODOVIÁRIA TOMO 3 DRENAGEM E OUTROS CUSTOS I 2003 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI 1/7 MANUTENÇÃO DE REDE DE DRENAGEM 1. INFRA-ESTRUTURA 1.1 ESCAVAÇÃO MANUAL EM ÁREA URBANA 1.1.1 Escavação manual de vala ou cava em material de 1ª categoria, profundidade até 1,50m m 3 3.920,00 1.1.2 3,00m

Leia mais

ORÇAMENTO GERAL - PONTOS LOCALIZADOS

ORÇAMENTO GERAL - PONTOS LOCALIZADOS MT - DNIT OBJETO: ELIMINAÇÃO DE PONTOS LOCALIZADOS NA BR-364/RO TRECHO: ENTR. BR-174(A) (DIV. MT/RO) - DIV. RO/AC SUBTRECHO: FIM DA PISTA DUPLA - ENTR. RO-387 (P/ ESPIGÃO DO OESTE) SEGMENTO: Km 43,0 -

Leia mais

SICRO2. DNIT - Sistema de Custos Rodoviários. Atividades Auxiliares Resumo dos Custos Unitários de Referência: Março de 2010. Pernambuco RCTR0330

SICRO2. DNIT - Sistema de Custos Rodoviários. Atividades Auxiliares Resumo dos Custos Unitários de Referência: Março de 2010. Pernambuco RCTR0330 Atividades Auxiliares 1 A 00 001 05 - Transp. local c/ basc. 10m3 rodov. não pav (const) tkm 0,57 0,00 0,57 1 A 00 001 06 - Transp. local c/ basc. 10m3 rodov. não pav (consv) tkm 0,70 0,00 0,70 1 A 00

Leia mais

VALOR (R$) - c/ BDI 12.675.927,42 74,64% 15.818.304,02 74,67% 4.307.581,46 25,36% 5.366.018,71 25,33% 16.983.508,88 21.184.322,73

VALOR (R$) - c/ BDI 12.675.927,42 74,64% 15.818.304,02 74,67% 4.307.581,46 25,36% 5.366.018,71 25,33% 16.983.508,88 21.184.322,73 LOCAL OBRA : RIO VERDE : CANALIZAÇÃO E PISTAS MARGINAIS - CÓRREGO SAPO R E S U M O D O O R Ç A M E N T O SERVIÇO VALOR (R$) - s/ % VALOR (R$) - c/ % 1.0 - CANAL 1.1 - TERRAPLENAGEM... 5.269.441,44 31,03%

Leia mais

DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 6 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE SINALIZAÇÃO RODOVIÁRIA

DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 6 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE SINALIZAÇÃO RODOVIÁRIA DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 6 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE SINALIZAÇÃO RODOVIÁRIA 2003 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES

Leia mais

TABELA DE PREÇOS TABELA OFICIAL ABRIL/2015 BDI= 39,17% (COM DESONERAÇÃO)

TABELA DE PREÇOS TABELA OFICIAL ABRIL/2015 BDI= 39,17% (COM DESONERAÇÃO) Página:01 1 2 3 5 6 7 8 9 10 13 14 15 16 20 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 45 50 51 52 DESMATAMENTO, DESTOCAMENTO C/D30cm un 123,68 DESGALHAMENTO,

Leia mais

PAVIMENTAÇÃO DE RODOVIA DUPLICAÇÃO 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES

PAVIMENTAÇÃO DE RODOVIA DUPLICAÇÃO 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES I PAVIMENTAÇÃO DE RODOVIA DUPLICAÇÃO 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 INSTALAÇÃO DE CANTEIRO E ACOMPANHAMENTO VB 1,000 cento e vinte e seis mil, quatrocentos e noventa e sete 126.497,18 reais e dezoito 126.497,18

Leia mais

MINISTRO DOS TRANSPORTES Alfredo Pereira do Nascimento. DIRETOR GERAL DO DNIT Luiz Antônio Pagot. DIRETOR EXECUTIVO José Henrique Coelho Sadok de Sá

MINISTRO DOS TRANSPORTES Alfredo Pereira do Nascimento. DIRETOR GERAL DO DNIT Luiz Antônio Pagot. DIRETOR EXECUTIVO José Henrique Coelho Sadok de Sá DNIT MINISTRO DOS TRANSPORTES Alfredo Pereira do Nascimento DIRETOR GERAL DO DNIT Luiz Antônio Pagot DIRETOR EXECUTIVO José Henrique Coelho Sadok de Sá MANUAL DE CUSTOS DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES

Leia mais

DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 7 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE RESTAURAÇÃO RODOVIÁRIA

DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 7 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE RESTAURAÇÃO RODOVIÁRIA DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 7 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE RESTAURAÇÃO RODOVIÁRIA 2003 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES

Leia mais

MÃO DE OBRA Quant Salário Custo Horário T501 - Enncarregado de turma 1 21,35 21,35 T701 - Servente 3 7,64 22,93 Total 44,28

MÃO DE OBRA Quant Salário Custo Horário T501 - Enncarregado de turma 1 21,35 21,35 T701 - Servente 3 7,64 22,93 Total 44,28 Item 1.1 Serviço: Recomposição Mecanizada de Aterro e Erosões na Faixa de Domínio Unid: m³ Caminhção basculante rodoferroviário 10 m³ 1 1 0 268,02 13,91 268,02 Caminhção tanque rodoferroviário 6.000 l

Leia mais

DER-ES - Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Espírito Santo Emitido em : 19/03/2014-13:58:19 Tabela de Preços - Sintética Página: 1 de 42

DER-ES - Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Espírito Santo Emitido em : 19/03/2014-13:58:19 Tabela de Preços - Sintética Página: 1 de 42 Tabela de Preços - Sintética Página: 1 de 42 Grupo de Serviço: 1 - TERRAPLENAGEM 42045 Aquisição de solo de jazida M3 2,22 42043 Bonificação de 15% sobre aquisição de materiais % 0,00 43339 Capina manual

Leia mais

PREÇO (R$) DNER (km) UNITÁRIO TOTAL 0.0 SERVIÇOS PRELIMINARES

PREÇO (R$) DNER (km) UNITÁRIO TOTAL 0.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 0.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 0.1 Despesas com Instalação e Manutenção de Canteiros e Acampamento 1 5.690.795,64 5.690.795,64 0.2 Despesas com Mobilização e Desmobilização 1 2.522.919,40 2.522.919,40 SUBTOTAL

Leia mais

COMPOSIÇÃO DE CUSTO UNITÁRIO

COMPOSIÇÃO DE CUSTO UNITÁRIO Código: Serviço: Montagem de Usina de Asfalto - 40/60 t/h Unidade: und. Produção de Equipe: 0,12 Operacional E408 - Caminhão Carroceria - Mercedes Benz: 710/37-4t 1,00000 1,00000 0,00000 57,50 14,60 57,50

Leia mais

DER-ES - Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Espírito Santo Emitido em : 17/08/2012-10:45:11 Tabela de Preços - Sintética Página: 1 de 38

DER-ES - Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Espírito Santo Emitido em : 17/08/2012-10:45:11 Tabela de Preços - Sintética Página: 1 de 38 - Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Espírito Santo Emitido em : 17/08/2012-10:45:11 Tabela de Preços - Sintética Página: 1 de 38 Grupo de Serviço: 1 - TERRAPLENAGEM 42226 Adensamento de

Leia mais

"VALEC: Desenvolvimento sustentável para o Brasil" SUPERINTENDÊNCIA DE CONSTRUÇÃO

VALEC: Desenvolvimento sustentável para o Brasil SUPERINTENDÊNCIA DE CONSTRUÇÃO VALEC "VALEC: Desenvolvimento sustentável para o Brasil" SUPERINTENDÊNCIA DE CONSTRUÇÃO QUADRO DE SERVIÇOS A PREÇOS UNITÁRIOS SUCON Anexo: Nº VALEC FL : REV: 0 DATA : Mar/2010 TO DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS:

Leia mais

7. DA ABERTURA E DO JULGAMENTO DA PROPOSTA DE PREÇOS

7. DA ABERTURA E DO JULGAMENTO DA PROPOSTA DE PREÇOS 1ª ERRATA Regime Diferenciado de Contratações Públicas RDC Presencial nº 0352/2013-09 O Departamento Nacional de Infraestrutura DNIT, autarquia Federal vinculada ao Ministério dos Transportes, através

Leia mais

R E P Ú B L I C A F E D E R A T I V A D O B R A S I L M I N I S T É R I O D O S T R A N S P O R T E S

R E P Ú B L I C A F E D E R A T I V A D O B R A S I L M I N I S T É R I O D O S T R A N S P O R T E S R E P Ú B L I C A F E D E R A T I V A D O B R A S I L M I N I S T É R I O D O S T R A N S P O R T E S Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes - DNIT Superintendência Regional no Estado

Leia mais

Insumo/Aux. Descrição Unidade Coeficiente Preço Unitário Preço Total

Insumo/Aux. Descrição Unidade Coeficiente Preço Unitário Preço Total COMPOSIÇÃO ANALÍTICA DE PREÇO UNITÁRIO Cliente: Edificações Obra: CENTRO DE TREINAMENTO OFICIAL DO PARI Local: VÁRZEA GRANDE - MT 1 Estaca raiz diâmetro de 200mm M 1 0102015 Ferreiro (sgsp) H 0,847272

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PROJETO EXECUTIVO DE ENGENHARIA DE DUPLICAÇÃO, RESTAURAÇÃO E MELHORAMENTOS DA RODOVIA BR-381/MG

ELABORAÇÃO DE PROJETO EXECUTIVO DE ENGENHARIA DE DUPLICAÇÃO, RESTAURAÇÃO E MELHORAMENTOS DA RODOVIA BR-381/MG DNIT - SREMG João Monlevade - 28/06/2012 ELABORAÇÃO DE PROJETO EXECUTIVO DE ENGENHARIA DE DUPLICAÇÃO, RESTAURAÇÃO E MELHORAMENTOS DA RODOVIA BR-381/MG RODOVIA: BR-381MG TRECHO: DIVISA ES/MG - DIV. MG/SP

Leia mais

PLANILHA DE ORÇAMENTO PARA OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA

PLANILHA DE ORÇAMENTO PARA OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA MUNICÍPIO: INDAIAL PLANILHA DE ORÇAMENTO PARA OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA PROJETO: PAVIMENTAÇÃO INTERTRAVADA COM BLOCO DE CONCRETO LOCALIZAÇÃO: TRECHO: RUA MINAS GERAIS (EST. 0+00 PP) AO PARQUE MUNICIPAL

Leia mais

COMPOSIÇÃO DE PREÇO UNITÁRIO

COMPOSIÇÃO DE PREÇO UNITÁRIO COMPOSIÇÃO DE PREÇO UNITÁRIO Serviço: Montagem de usina de asfalto 90-120t/h sem administração (escritório e laboratório) Código: 1 N 01 210 04 Unid: und Utilização Custo Operacional Custo Código A-EQUIPAMENTO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SORRISO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SORRISO Responsável Técnico: CREA/RNP 121120804-4 Unidade Total da Preço da Direto (%) 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES R$ 16.364,43 74209/001 1.1 Placa de obra em chapa de aço galvanizado m2 12,50 R$ 389,02 24,11% R$

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE BOMBINHAS PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE BOMBINHAS PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA - 1 - PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA MUNICÍPIO DE BOMBINHAS - SC PROJETO: AMFRI Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí Carlos Alberto Bley

Leia mais

PROJETO BÁSICO DE PAVIMENTAÇÃO

PROJETO BÁSICO DE PAVIMENTAÇÃO GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO AGÊNCIA ESTADUAL DE EXECUÇÃO DOS PROJETOS DA COPA DO MUNDO DO PANTANAL FIFA 2014 PROJETO BÁSICO DE PAVIMENTAÇÃO OBRA: TRECHO: LOCAL: EXTENSÃO: ADEQUAÇÃO DO SISTEMA VIÁRIO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARISECRETARIA DA INFRAESTRUTURA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARISECRETARIA DA INFRAESTRUTURA ITEM REFER. ESPECIFICAÇÕES UN QUANT P. UNIT. MELHORAMENTO, RECONSTRUÇÃO E REFORMA DO SISTEMA VIÁRIO NO DISTRITO DE ABRANTES. 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.0.1 ORSE 0004 1.0.2 1.1.4.27 1.0.3 SINAPI 12488

Leia mais

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO RODOVIÁRIA (CONSERVAÇÃO / RECUPERAÇÃO) PLANO DE TRABALHO E ORÇAMENTO (PATO)

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO RODOVIÁRIA (CONSERVAÇÃO / RECUPERAÇÃO) PLANO DE TRABALHO E ORÇAMENTO (PATO) M I N I S T É R I O D O S T R A N S P O R T E S DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO ESTADO DE MATO GROSSO UNIDADE LOCAL DE CÁCERES-MT PROGRAMA DE MANUTENÇÃO

Leia mais

: RECIFE PARNAMIRIM : ENTR. PE-144 ENTR. PE-180 (BELO JARDIM) : km 178,0 km 182,15 (CIDADE DE BELO JARDIM)

: RECIFE PARNAMIRIM : ENTR. PE-144 ENTR. PE-180 (BELO JARDIM) : km 178,0 km 182,15 (CIDADE DE BELO JARDIM) REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO ESTADO DE PERNAMBUCO RODOVIA TRECHO SUBTRECHO SEGMENTO EXTENSÃO

Leia mais

PLANILHA RESUMO DO ORÇAMENTO

PLANILHA RESUMO DO ORÇAMENTO PLANILHA RESUMO DO ORÇAMENTO LOCAL: Av. Presidente Affonso Camargo, 330 - Jardim Botânico FINALIDADE: Viário - Estação Rodoviária de Curitiba - META 1 Item Discriminação Custo Total Incidência (R$) % 1.

Leia mais

C O M P O S I Ç Ã O D E C U S T O S B Á S I C O S

C O M P O S I Ç Ã O D E C U S T O S B Á S I C O S CÓDIGO: A.01.100.01 SERVIÇO: LIMPEZA CAMADA VEGETAL EM JAZIDA : m² OPERACIONAL E.0.02 TRATOR DE ESTEIRAS C/ LÂMINA CAT-D6M 1,00 1,00-191,09 16,74 191,09 DE - 191,09 P.5.01 ENCARREGADO DE TURMA 1,00 0,50

Leia mais

ISF 210: PROJETO DE DRENAGEM

ISF 210: PROJETO DE DRENAGEM ISF 210: PROJETO DE DRENAGEM 1. OBJETIVO Definir e especificar os serviços constantes do Projeto de Drenagem e Obras de Arte Correntes nos Projetos de Engenharia de Infraestrutura Ferroviária. 2. FASES

Leia mais

0 JAN/2013 - - - - 3 - O PONTO CHAVE INDICA A AMARRAÇÃO AOS DETALHES APRESENTADOS PARA " DESCIDAS D AGUA". 1 - DIMENSÕES EM cm.d

0 JAN/2013 - - - - 3 - O PONTO CHAVE INDICA A AMARRAÇÃO AOS DETALHES APRESENTADOS PARA  DESCIDAS D AGUA. 1 - DIMENSÕES EM cm.d 1 - DIMENSÕES EM cm.d 2 - AJUSTAR NA OBRA A ZONA DE CONTATO DA ENTRADA COM A DESCIDA D ÁGUA TIPO RÁPIDO EM MEIO - CANA DE CONCRETO OU CALHA METÁLICA 3 - O PONTO CHAVE INDICA A AMARRAÇÃO AOS DETALHES APRESENTADOS

Leia mais

DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 2 TOMO 3 MANUAL DO SISTEMA - MANUAL DO USUÁRIO

DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 2 TOMO 3 MANUAL DO SISTEMA - MANUAL DO USUÁRIO DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 2 TOMO 3 MANUAL DO SISTEMA - MANUAL DO USUÁRIO 2003 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES - DNIT MINISTRO DOS TRANSPORTES

Leia mais

COMPANHIA METROPOLITANA DE TRANSPORTES COLETIVOS - CMTC

COMPANHIA METROPOLITANA DE TRANSPORTES COLETIVOS - CMTC MT Companhia Metropolitana detransportes Coletivos COMPANHIA METROPOLITANA DE TRANSPORTES COLETIVOS - CMTC Projeto Executivo de Implantação do Corredor Norte Sul com a Solução do Tipo Bus Rapid Transit

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO ESCRITÓRIO DE PROJETOS E OBRAS TABELA DE PREÇOS PARA OBRAS VIÁRIAS LEIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO ESCRITÓRIO DE PROJETOS E OBRAS TABELA DE PREÇOS PARA OBRAS VIÁRIAS LEIS SMOV 001 ARGAMASSA CIMENTO E AREIA TRAÇO 1:3 (confecção) m³ 359,18 SMOV 002 ARGAMASSA CIMENTO E AREIA TRAÇO 1:4 (confecção) m³ 305,70 SMOV 003 ARGAMASSA CIMENTO E AREIA TRAÇO 1:5 (confecção) m³ 273,43

Leia mais

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO RODOVIÁRIA (CONSERVAÇÃO / RECUPERAÇÃO) PLANO DE TRABALHO E ORÇAMENTO (PATO)

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO RODOVIÁRIA (CONSERVAÇÃO / RECUPERAÇÃO) PLANO DE TRABALHO E ORÇAMENTO (PATO) M I N I S T É R I O D O S T R A N S P O R T E S DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DO ESTADO DE DE MATO GROSSO UNIDADE LOCAL DE CÁCERES-MT PROGRAMA DE MANUTENÇÃO

Leia mais

PLANILHA DE PREÇO PARA PERFURAÇÃO DE POÇO TUBULAR

PLANILHA DE PREÇO PARA PERFURAÇÃO DE POÇO TUBULAR QUADRO II- ESPECIFICAÇÕES DA OBRA Ministério da Integração Nacional Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba PLANILHA DE PREÇO PARA PERFURAÇÃO DE POÇO TUBULAR ITEM MÃO DE OBRA/

Leia mais

CONSTRUÇÃO - BLOCO DE PESQUISADORES - PAVIMENTO TÉRREO

CONSTRUÇÃO - BLOCO DE PESQUISADORES - PAVIMENTO TÉRREO ANEXO XII PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PLANILHA DE ORÇAMENTO UNIDADE: Embrapa Algodão Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária- Embrapa Coordenadoria de Engenharia e Arquitetura-CEN/DRM OBRA: AMPLIAÇÃO DOS

Leia mais

Drenagem - bueiros tubulares de concreto

Drenagem - bueiros tubulares de concreto MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

Nº total de Palavras-chave: Centro Rodoviário Vigário Geral

Nº total de Palavras-chave: Centro Rodoviário Vigário Geral NORMA DNIT 022/2004 - ES DNIT Drenagem Dissipadores de energia Especificação de serviço MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES Autor: Diretoria de Planejamento

Leia mais

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I - MEMORIAL DESCRITIVO RAMPA NAÚTICA DE ARAGARÇAS-GO O presente memorial descritivo tem por objetivo fixar normas específicas para CONSTRUÇÃO DE UMA RAMPA NAÚTICA - RIO ARAGUAIA, em área de 3.851,89

Leia mais

Drenagem - dispositivos de drenagem pluvial urbana

Drenagem - dispositivos de drenagem pluvial urbana MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

DER-ES - Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Espírito Santo Emitido em : 09/08/2011-10:03:55 Tabela de Preços - Sintética Página: 1 de 28

DER-ES - Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Espírito Santo Emitido em : 09/08/2011-10:03:55 Tabela de Preços - Sintética Página: 1 de 28 - Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Espírito Santo Emitido em : 09/08/2011-10:03:55 Tabela de Preços - Sintética Página: 1 de 28 Grupo de Serviço: 1 - TERRAPLENAGEM 42226 Adensamento de

Leia mais

MOBILIZAÇÃO, IMPLANTAÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DE CANTEIRO DE OBRAS (UNIDADES FÍSICAS) Unid 1,00 5.900,00 5.900,00

MOBILIZAÇÃO, IMPLANTAÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DE CANTEIRO DE OBRAS (UNIDADES FÍSICAS) Unid 1,00 5.900,00 5.900,00 UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI OBRA: CONSTRUÇÃO DA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO - ETE CAMPUS PRESIDENTE JUSCELINO KUBITSCHEK - DIAMANTINA - MG ORÇAMENTO BÁSICO ITEM DESCRIÇÃO

Leia mais

Drenagem - limpeza e desobstrução de dispositivos de drenagem

Drenagem - limpeza e desobstrução de dispositivos de drenagem MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

DNIT MANUAL DE CUSTOS DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES VOLUME 7 CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA PARA OBRAS DE EDIFICAÇÕES SICRO 3

DNIT MANUAL DE CUSTOS DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES VOLUME 7 CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA PARA OBRAS DE EDIFICAÇÕES SICRO 3 DNIT MANUAL DE CUSTOS DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES VOLUME 7 CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA PARA OBRAS DE EDIFICAÇÕES SICRO 3 SISTEMA DE CUSTOS REFERENCIAIS DE OBRAS (PROJETO SINCTRAN) 2008 MINISTÉRIO

Leia mais

As águas podem causar inúmeros problemas nas estradas, dentre os quais:

As águas podem causar inúmeros problemas nas estradas, dentre os quais: Estradas 2 Segunda Parte Drenagem Uma estrada é construída para permitir o tráfego em qualquer condição climática. No Brasil isto é essencialmente verdade nas estações chuvosas, onde ocorrem alagamentos.

Leia mais

DER/PR ES-D 14/05 DRENAGEM: LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE DISPOSITIVOS DE DRENAGEM

DER/PR ES-D 14/05 DRENAGEM: LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE DISPOSITIVOS DE DRENAGEM DRENAGEM: LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE DISPOSITIVOS DE DRENAGEM Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná - DER/PR Avenida Iguaçu 420 CEP 80230 902 Curitiba Paraná Fone (41) 3304 8000 Fax (41)

Leia mais

1 BATALHÃO DE ENGENHARIA DE CONSTRUÇÃO

1 BATALHÃO DE ENGENHARIA DE CONSTRUÇÃO 02 CORREÇÃO DE CARIMBO E REVISÃO ORTOGRÁFICA NOV/2010 01 CORREÇÃO NO PLANO DE EXECUÇÃO MAR / 2007 NSAS IMG REV. MODIFICAÇÃO DATA PROJETISTA DESENHISTA APROVO 1 BATALHÃO DE ENGENHARIA DE CONSTRUÇÃO GERENTE

Leia mais

Planilha de Preços Unitários

Planilha de Preços Unitários 1.0 F(5)100% + H(4) + Geogrelha + H(3) Fresagem Contínua do Pav. (e = 5,0 cm) m3 4.009,300 142,92 573.009,15 Selagem das juntas m 30.270,793 3,34 101.104,44 CBUQ Faixa B t 7.778,045 118,34 920.453,84 CBUQ

Leia mais

ESTRADAS E AEROPORTOS DRENAGEM SUPERFICIAL. Prof. Vinícius C. Patrizzi

ESTRADAS E AEROPORTOS DRENAGEM SUPERFICIAL. Prof. Vinícius C. Patrizzi ESTRADAS E AEROPORTOS DRENAGEM SUPERFICIAL Prof. Vinícius C. Patrizzi 2 DRENAGEM SUPERFICIAL DRENAGEM SUPERFICIAL OBJETIVOS INTERCEPTAR AS ÁGUAS QUE POSSAM ATINGIR A PLATAFORMA VIÁRIA E CONDUZI-LAS PARA

Leia mais

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS PARA

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS PARA DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS PARA ES-C01 ESTRUTURAS DE ARRIMO 1 DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA ÍNDICE PÁG. 1. OBJETO E OBJETIVO...3 2. S...3 3. CONSIDERAÇÕES INICIAIS...3 4. MUROS DE CONCRETO ARMADO...4

Leia mais

Controle Geotécnico de uso e ocupação das encostas

Controle Geotécnico de uso e ocupação das encostas Curso de Multiplicadores em Florianópolis, 24/02/2010 Controle Geotécnico de uso e ocupação das encostas Eng. Geotécnica Regina Davison Dias, D.Sc. NUGEOTEC/CENTRO TECNOLÓGICO/UNISUL 24/02/2010 UNISUL

Leia mais

ORÇAMENTO BÁSICO CONCORRÊNCIA N.O. 0-001-13 COMPANHIA POTIGUAR DE GÁS - POTIGÁS

ORÇAMENTO BÁSICO CONCORRÊNCIA N.O. 0-001-13 COMPANHIA POTIGUAR DE GÁS - POTIGÁS ORÇAMENTO BÁSICO CONCORRÊNCIA N.O. 0-001-13 COMPANHIA POTIGUAR DE GÁS - POTIGÁS Item Descrição dos Serviços Unid. Quant. Valor Unitário Máximo aceitável pela Potigás 1.0 Mobilização vb 1 Conforme proposta

Leia mais

CURVA ABC POR SERVIÇO

CURVA ABC POR SERVIÇO 7.1.1.1 **.**.*** Estacas tipo hélice contínua D=600 mm m 12.872,40 7.1.1.7 2 S 03 580 02 Fornecimento, preparo e colocação formas aço CA 50 kg 453.841,84 7.1.2.7 2 S 03 990 08 Confecção e colocação cabo

Leia mais

Proteção do corpo estradal - estruturas de arrimo com gabião

Proteção do corpo estradal - estruturas de arrimo com gabião MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

ORÇAMENTO 298,96. 4.981,42 2.105,60 2.3 Tubo concreto simples classe - PS2 PB NBR-8890 DN 400mm p/ águas m 193,00 11,00

ORÇAMENTO 298,96. 4.981,42 2.105,60 2.3 Tubo concreto simples classe - PS2 PB NBR-8890 DN 400mm p/ águas m 193,00 11,00 Data de referência 1-fev-14 ORÇAMENTO Agente Promotor / Proponente Prefeitura Municipal de Correia Pinto Empreendimento Pavimentação Asfaltica, Drenagem Pluvial e Sinalização Viária da Rua Braz Manoel

Leia mais

DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 4 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE CONSTRUÇÃO RODOVIÁRIA TOMO 1

DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 4 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE CONSTRUÇÃO RODOVIÁRIA TOMO 1 DNIT MANUAL DE CUSTOS RODOVIÁRIOS VOLUME 4 COMPOSIÇÕES DE CUSTOS UNITÁRIOS DE REFERÊNCIA OBRAS DE CONSTRUÇÃO RODOVIÁRIA TOMO 1 TERRAPLENAGEM E PAVIMENTAÇÃO 2003 MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VERA CRUZ - RS

PREFEITURA MUNICIPAL DE VERA CRUZ - RS PREFEITURA MUNICIPAL DE VERA CRUZ - RS Vera Cruz,RS, 04 de Junho de 2014 ORÇAMENTO PARA PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA LOCAL: CIPRIANO - VERA CRUZ - RS ÁREA TOTAL: 4.320,00 m² TABELA SINAPI- DATA BASE - MAR/2014-24,06%

Leia mais

PESQUISA DE PREÇOS UNITÁRIOS PARA OBRAS CIVIS. Trem de Alta Velocidade TAV. Ligação Rio de Janeiro São Paulo Campinas

PESQUISA DE PREÇOS UNITÁRIOS PARA OBRAS CIVIS. Trem de Alta Velocidade TAV. Ligação Rio de Janeiro São Paulo Campinas Appendix PROMPT - CAPEX Página 1 PESQUISA DE PREÇOS UNITÁRIOS PARA OBRAS CIVIS Trem de Alta Velocidade TAV Ligação Rio de Janeiro São Paulo Campinas ÍNDICE ÍNDICE...1 APRESENTAÇÃO...2 1. ENGENHARIA (OBRAS

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PLANILHA ORÇAMENTÁRIA 1.0 SERVIÇOS PRELIMINARES 7.992,27 1.1 74209/001 PLACA DE OBRA EM CHAPA DE ACO GALVANIZADO m2 3,91 289,92 1.133,59 1.2 73899/002 DEMOLICAO DE ALVENARIA DE TIJOLOS FURADOS S/REAPROVEITAMENTO

Leia mais

7.815,15 3.0 SERVIÇOS TÉCNICOS 3.1 Locação de valas com nivelamento m 8.186,62 0,75 1,19 1,94 15.882,04

7.815,15 3.0 SERVIÇOS TÉCNICOS 3.1 Locação de valas com nivelamento m 8.186,62 0,75 1,19 1,94 15.882,04 PREFEITURA MUNICIPAL DE ALMIRANTE TAMANDARÉ DO SUL / RS SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO Planilia Orçamentária da Obra Sede do Município de Almirante Tamandaré do Sul / RS TC/PAC 0567 - FUNASA REDE COLETORA

Leia mais

CURSO DE DRENAGEM DE RODOVIAS

CURSO DE DRENAGEM DE RODOVIAS CURSO DE DRENAGEM DE RODOVIAS - 2 - Engº Marcos Augusto Jabor 2 PROJETO DE DRENAGEM Normas ( Diâmetros mínimos e máximos, carga hidráulica, velocidades máximas); Materiais (tubos); Drenagem Superficial

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO DRENOS SUB-SUPERFICIAIS Grupo de Serviço DRENAGEM Código DERBA-ES-D-07/01 1. OBJETIVO Esta especificação de serviço tem por objetivo definir e orientar a execução de drenos subsuperficiais,

Leia mais

MOS - Comunicado de Alteração Nº007

MOS - Comunicado de Alteração Nº007 MOS - Comunicado de Alteração Nº007. Novas orientações para os itens abaixo relacionados visando a melhoria da qualidade das obras. TUBO DE INSPEÇÃO E LIMPEZA (TIL) TERMINAL DE LIMPEZA (TL) TUBO DE QUEDA

Leia mais

DNIT. Drenagem Bueiros celulares de concreto Especificação de serviço NORMA DNIT 025/2004 - ES. 5 Condições específicas... 3.

DNIT. Drenagem Bueiros celulares de concreto Especificação de serviço NORMA DNIT 025/2004 - ES. 5 Condições específicas... 3. NORMA DNIT 025/2004 - ES DNIT Drenagem Bueiros celulares de concreto Especificação de serviço MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA- ESTRUTURA DE TRANSPORTES Autor: Diretoria de Planejamento

Leia mais

Relatório Comparativo do Contratado x Executado

Relatório Comparativo do Contratado x Executado Obra : 01 - Contratação de pessoa jurídica para execução das obras civis Dimensão : 0,000 UN Bem Público: : ARENA DA AMAZÔNIA Município : Manaus - 100,00% Grupo de Serviço : 200 - SERVIÇOS INICIAIS BÁSICOS

Leia mais

DNIT. Drenagem - Limpeza e desobstrução de dispositivos de drenagem - Especificação de serviço NORMA DNIT 028/2004 - ES. 5 Condições específicas...

DNIT. Drenagem - Limpeza e desobstrução de dispositivos de drenagem - Especificação de serviço NORMA DNIT 028/2004 - ES. 5 Condições específicas... DNIT NORMA DNIT 028/2004 - ES Drenagem - Limpeza e desobstrução de dispositivos de drenagem - Especificação de serviço MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA- ESTRUTURA DE TRANSPORTES

Leia mais

Obras-de-arte especiais - escoramentos

Obras-de-arte especiais - escoramentos MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

SUPLEMENTO Nº 02 TOTAL ITEM: 1 2.537.161,14

SUPLEMENTO Nº 02 TOTAL ITEM: 1 2.537.161,14 CO.GCM.A.00003.2014 1/59 SUPLEMENTO Nº 02 1. O presente suplemento tem como finalidade alterar o valor do orçamento de FURNAS citado no item 10, subitem 10.1 da pág. 21/154 e também alterar as Planilhas

Leia mais

DNIT. Drenagem - Dispositivos de drenagem pluvial urbana - Especificação de serviço NORMA DNIT 030/2004 - ES. 5 Condições específicas... 3.

DNIT. Drenagem - Dispositivos de drenagem pluvial urbana - Especificação de serviço NORMA DNIT 030/2004 - ES. 5 Condições específicas... 3. DNIT NORMA DNIT 030/2004 - ES Drenagem - Dispositivos de drenagem pluvial urbana - Especificação de serviço MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA- ESTRUTURA DE TRANSPORTES DIRETORIA

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA MEDIÇÃO DE SERVIÇOS RODOVIÁRIOS DA AGETOP

PROCEDIMENTOS PARA MEDIÇÃO DE SERVIÇOS RODOVIÁRIOS DA AGETOP PROCEDIMENTOS PARA MEDIÇÃO DE SERVIÇOS RODOVIÁRIOS DA AGETOP GRUPO DE SERVIÇO 1 TERRAPLENAGEM GRUPO DE SERVIÇO: 1 - TERRAPLENAGEM 40005 - DESMATAMENTO, DESTOCAMENTO E LIMPEZA (ÁRVORE D

Leia mais

TERMO DE ABERTURA DE PROCESSO ADMINISTRATIVO COM FINS DE LICITAÇÃO

TERMO DE ABERTURA DE PROCESSO ADMINISTRATIVO COM FINS DE LICITAÇÃO TERMO DE ABERTURA DE PROCESSO ADMINISTRATIVO COM FINS DE LICITAÇÃO Pelo presente termo, em cumprimento ao disposto no art. 38, da Lei Federal 8666/93 Lei das Licitações, DECLARO aberto o Processo Administrativo

Leia mais

5 PLANILHAS DE ORÇAMENTO... 3. 5.1- Alternativa 1 Três Lagoas... 3. 5.2- Alternativa 2A Ramal Brasilândia... 26. 5.3- Alternativa 2 Panorama...

5 PLANILHAS DE ORÇAMENTO... 3. 5.1- Alternativa 1 Três Lagoas... 3. 5.2- Alternativa 2A Ramal Brasilândia... 26. 5.3- Alternativa 2 Panorama... Sumário 5 PLANILHAS DE ORÇAMENTO... 3 5.1- Alternativa 1 Três Lagoas... 3 5.2- Alternativa 2A Ramal Brasilândia... 26 5.3- Alternativa 2 Panorama... 48 5.4- Alternativa 3 Aparecida do Taboado... 71 5.5-

Leia mais

PISO EM CONCRETO ARMADO COM TELA E JUNTAS DE DILATAÇÃO (ESP=10CM) - FCK=>20MPa

PISO EM CONCRETO ARMADO COM TELA E JUNTAS DE DILATAÇÃO (ESP=10CM) - FCK=>20MPa CPU 01 SINAPI 88245 ARMADOR COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,02 15,05 0,30 SINAPI 88309 PEDREIRO COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 0,26 15,05 3,91 SINAPI 88316 SERVENTE COM ENCARGOS COMPLEMENTARES H 1,94 11,25

Leia mais

PAÇO MUNICIPAL PROF. MIGUEL REALE

PAÇO MUNICIPAL PROF. MIGUEL REALE ANEXO V MEMORIAL DESCRITIVO INFRA ESTRUTURA TURÍSTICA NO BAIRRO SERRANO SÃO BENTO DO SAPUCAÍ -SP 1 ÍNDICE 1. GENERALIDADES 2. PREPARAÇÃO DO TERRENO 3. TUBULAÇÕES DE AGUAS PLUVIAIS 4. PISO E PAVIMENTAÇÃO

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO DE EMPREENDIMENTOS - TE DEPARTAMENTO DE VALORAÇAO PARA EMPREENDIMENTOS - TEV

SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO DE EMPREENDIMENTOS - TE DEPARTAMENTO DE VALORAÇAO PARA EMPREENDIMENTOS - TEV COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO PAULO SABESP BANCO DE PREÇOS DE OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA BRO/2011 SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO DE EMPREENDIMENTOS - TE DEPARTAMENTO DE VALORAÇAO PARA

Leia mais

Obras complementares - sinalização vertical

Obras complementares - sinalização vertical MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA CALÇAMENTO - PAVIMENTAÇÃO COM PEDRAS IRREGULARES NO PERIMETRO URBANO DE SÃO JOSE DO INHACORA

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA CALÇAMENTO - PAVIMENTAÇÃO COM PEDRAS IRREGULARES NO PERIMETRO URBANO DE SÃO JOSE DO INHACORA estado do rio grande do sul PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO INHACORÁ MEMORIAL DESCRITIVO OBRA CALÇAMENTO - PAVIMENTAÇÃO COM PEDRAS IRREGULARES NO PERIMETRO URBANO DE SÃO JOSE DO INHACORA COORDENADAS:

Leia mais

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT

Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Obras do Sistema de Esgotamento Sanitário Rondonópolis MT Sistema Condominial de Esgotamento Sanitário Elmo Locatelli Ltda. PAC/BNDES BACIA C Jardim Esmeralda Vila Planalto Cidade Salmen BACIA LUZ D AYARA

Leia mais

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA VALORES PARA ELABORAÇÃO DE PLANILHAS ORÇAMENTÁRIAS

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA VALORES PARA ELABORAÇÃO DE PLANILHAS ORÇAMENTÁRIAS SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA VALORES PARA ELABORAÇÃO DE PLANILHAS ORÇAMENTÁRIAS CÓDIGO DESCRIÇÃO UND PREÇO 01 SERVIÇOS INICIAIS 01-01 LEVANTAMENTOS TOPOGRÁFICOS 01-01-01 LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO

Leia mais

Código Descrição Unidade Quantidade Preço Preço Total 8000508010001 Barracão de obra em chapa compensada

Código Descrição Unidade Quantidade Preço Preço Total 8000508010001 Barracão de obra em chapa compensada 8000508010001 Barracão de obra em chapa compensada resinada 10 mm com cobertura de fibrocimento, espessura 4 mm m2 173,75 0127000019001 Carpinteiro h 2,500000 12,00 30,00 0127000022001 Eletricista h 0,160000

Leia mais

CAESB - COMPANHIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL DO DISTRITO FEDERAL. Diretoria de Engenharia e Meio Ambiente Tabela de Custos Unitários de Serviços

CAESB - COMPANHIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL DO DISTRITO FEDERAL. Diretoria de Engenharia e Meio Ambiente Tabela de Custos Unitários de Serviços CAESB - COMPANHIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL DO DISTRITO FEDERAL Diretoria de Engenharia e Meio Ambiente Tabela de Custos Unitários de Serviços Código Descrição Un Custo 80 Serviços de Saneamento e Construção

Leia mais

PROJETO DE COBERTURA E DRENAGEM SUPERFICIAL Aterro Sanitário de Resíduos Sólidos

PROJETO DE COBERTURA E DRENAGEM SUPERFICIAL Aterro Sanitário de Resíduos Sólidos PROJETO DE COBERTURA E DRENAGEM SUPERFICIAL Aterro Sanitário de Resíduos Sólidos Carazinho, RS, 02 de julho de 2015. 1. APRESENTAÇÃO OBRA: COBERTURA E DRENAGEM SUPERFICIAL LOCAL: Aterro Sanitário de Resíduos

Leia mais

SOBRE A TABELA DE CUSTOS:

SOBRE A TABELA DE CUSTOS: SOBRE A TABELA DE CUSTOS: As composições de custos unitários de serviços aqui apresentadas integram o banco de dados de composições genéricas da PINI resumido no livro TCPO14 - Tabelas de Composições de

Leia mais

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10

FS-06. Fossa séptica. Componentes. Código de listagem. Atenção. FS-06-01 (L=3,00m) FS-06-02 (L=3,80m) FS-06-03 (L=5,40m) 01 27/12/10 - -03 1/5 - -03 2/5 - -03 3/5 - -03 4/5 DESCRIÇÃO Constituintes Lastro de concreto magro, traço 1:4:8, cimento, areia e brita. Fundo e vigas de concreto armado, moldados in loco: - Fôrmas de tábuas de

Leia mais

Drenagem - meios-fios e guias

Drenagem - meios-fios e guias MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

MEMORIAL DE CÁLCULO DOS QUANTITATIVOS

MEMORIAL DE CÁLCULO DOS QUANTITATIVOS PREFEITURA MUNICIPAL DE ASCURRA ESTADO DE SANTA CATARINA CNPJ: 83.102.772/0001-61 MEMORIAL DE CÁLCULO DOS QUANTITATIVOS OBRA: Pavimentação de Rua e Calçada PROPRIETÁRIO: Prefeitura Municipal de Ascurra

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTAÇÃO. Planilha Orçamentária ITEM DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS UNID. QUANT. PR. UNIT.(R$) VALOR (R$)

PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTAÇÃO. Planilha Orçamentária ITEM DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS UNID. QUANT. PR. UNIT.(R$) VALOR (R$) 1.0 1.1 Placa de obra em chapa de aço galvanizado m² 1,00 245,51 245,51 1.2 Locação da obra através de gabarito de tábuas corridas pontaletadas m² 52,00 5,80 301,60 1.3 Ligação provisória de energia elétrica

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO

ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO ESPECIFICAÇÃO DE SERVIÇO DRENOS LONGITUDINAIS PROFUNDOS Grupo de Serviço DRENAGEM Código DERBA-ES-D-06/01 1. OBJETIVO Esta especificação de serviço tem por objetivo definir e orientar a execução de drenos

Leia mais

PROJETO EXECUTIVO DE ENGENHARIA PARA ADEQUAÇÃO E DUPLICAÇÃO DE RODOVIA NA TRAVESSIA URBANA DE MIRANORTE - TO

PROJETO EXECUTIVO DE ENGENHARIA PARA ADEQUAÇÃO E DUPLICAÇÃO DE RODOVIA NA TRAVESSIA URBANA DE MIRANORTE - TO R E P Ú B L I C A F E D E R A T I V A D O B R A S I L M I N I S T É R I O D O S T R A N S P O R T E S DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTE - DNIT SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DO

Leia mais

Departamento de Estradas e Rodagem de Minas Gerais

Departamento de Estradas e Rodagem de Minas Gerais Departamento de Estradas e Rodagem de Minas Gerais Diretoria de Infra-Estrutura Manual de Fiscalização de Obras e Vias Rurais Rodovia: Contrato: Lista de Verificação das Principais Atividades do Eng. Fiscal

Leia mais

Anexo - IV. Manual de Contratação de Serviços de Construção de Infra-estrutura de Redes de Fibras Ópticas

Anexo - IV. Manual de Contratação de Serviços de Construção de Infra-estrutura de Redes de Fibras Ópticas Anexo - IV Manual de Contratação de Serviços de Construção de Infra-estrutura de Redes de Fibras Ópticas Elaborado por: Data : 30/06/2005 Revisado por: Data: / / Fanton & Fanton Unidade Administrativa:

Leia mais

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS ES-D01 OBRAS DE DRENAGEM SUPERFICIAL DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA 8 ÍNDICE PÁG. 1. OBJETO E BJETIVO... 10 2. S... 10 3. LOCAÇÃO DA OBRA... 12 4. LIMPEZA DO TERRENO...

Leia mais

DNIT. Requisitos para a qualidade na execução de obras rodoviárias - Procedimento NORMA DNIT 013/2004 - PRO. 2 Referências normativas... 2.

DNIT. Requisitos para a qualidade na execução de obras rodoviárias - Procedimento NORMA DNIT 013/2004 - PRO. 2 Referências normativas... 2. DNIT NORMA DNIT 013/2004 - PRO Requisitos para a qualidade na execução de obras rodoviárias - Procedimento MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA- ESTRUTURA DE TRANSPORTES Autor: Diretoria

Leia mais

TABELA DE COMPOSIÇÃO DE INSUMOS

TABELA DE COMPOSIÇÃO DE INSUMOS 01 SERVICOS PRELIMINARES 01.01 LIMPEZA DO TERRENO 01.01.01 RETIRANDO A VEGETACAO, TRONCOS ATE 5CM DE DIAMETRO E RASPAGEM H 0,25000 2,67 0,66750 0,66750 LS: 0,81435 SubMO: 1,48185 Materiais: 0,00000 BDI:

Leia mais