Tabelas de Cálculo para Utilização em Estruturas de AMARU PERFILADO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tabelas de Cálculo para Utilização em Estruturas de AMARU PERFILADO"

Transcrição

1 Tabelas de Cálculo para Utilização em Estruturas de AMARU PERFILADO

2 Projeto de capacitação profissional: Plantar Empreendimentos e Produtos Florestais Ltda e Montana Química S.A Tabelas de Cálculo para Utilização em Estruturas de AMARU PERFILADO 1ª edição _REV02_ Belo Horizonte, 2012

3 DIREITOS DE DISTRIBUIÇÃO EXCLUSIVOS das empresas Plantar Empreendimentos e Produtos Florestais Ltda e Montana Química S.A. A reprodução total ou parcial, de qualquer forma, do conteúdo desta publicação, é expressamente proibida. LEI nº 9.610, de 19 de fevereiro de PROJETO ESTRUTURAL Engenheiro Civil especializado em estruturas de madeira: Alan Dias... Crea:

4 Todas as informações técnicas deste documento, como dimensionamentos, fixações e detalhes construtivos, foram elaboradas ESPECIFICAMENTE para o AMARU PERFILADO, não havendo validação das soluções aqui contidas se empregadas em outros materiais e são indicadas para lançamento preliminar de estruturas, não substituindo a elaboração de cálculo estrutural de madeira por parte de profissional habilitado.

5 ÍNDICE INTRODUÇÃO CAIBROS DE AMARU PERFILADO Tabela de caibros para telha cerâmica Tabela de caibros para telha de policarbonato Tabela de caibros para cobertura verde Tabela de beirais para caibros com telha cerâmica Tabela de beirais para caibros com telha de policarbonato Tabela de beirais para caibros com cobertura verde TERÇAS DE AMARU PERFILADO Tabela de terças para telha cerâmica Tabela de terças para telha de fibrocimento Tabela de terças para cobertura verde Tabela beirais para terças com telha cerâmica Tabela de beirais para terças com telha de fibrocimento Tabela de beirais para terças com cobertura verde VIGAS DE AMARU PERFILADO Tabela de vigas para laje de concreto Tabela de vigas para barroteamento Tabela de vigas para deck BARROTES DE AMARU PERFILADO Tabela de barrotes para piso Tabela de barrotes para deck Tabela de barrotes para piso em balanço Tabela de barrotes para deck em balanço PILARES DE AMARU PERFILADO Tabela de pilares Emenda de pilares quádruplos Base de pilares engastados Base de pilares apoiados com pino metálico Base de pilares fixados com conexão metálica... 43

6 TESOURAS DE AMARU PERFILADO Tabela de tesouras para telha cerâmica ANEXO 1 Vigas compostas - peças de diâmetro 15cm Vigas compostas - peças de diâmetro 13cm Vigas compostas - peças de diâmetro 11cm Vigas compostas - detalhe de fixação com pilar... 56

7 INTRODUÇÃO As empresas Plantar Empreendimentos e Produtos Florestais Ltda e Montana Química S.A. sentem-se honradas em tê-lo como cliente e é com imensa satisfação que entregam estas tabelas de cálculo para facilitar o trabalho com o Sistema Construtivo AMARU PERFILADO. Considerações: 1- Todos os cálculos foram baseados nos parâmetros de resistência do híbrido de eucalipto AMARU PERFILADO. 2- As modulações dos caibros foram baseadas na utilização de ripas de AMARU, padrão comercial 5x2cm. 3- As modulações dos barrotes (60cm) foram baseadas na utilização de assoalho e forro de AMARU. 4- As cargas acidentais utilizadas em todas as tabelas são baseadas na NRB Cargas para o Cálculo de Estruturas, e na NBR Força Devido aos Ventos. Seguem as cargas abaixo detalhadas: Coberturas: 25,00 kgf/m² (uma pessoa realizando manutenção com ferramentas); Vigas e Barrotes para pisos: 200,00 kgf/m² (edificações residenciais e escritórios). 7

8 COMPARATIVO DE INCLINAÇÕES EM COBERTURAS: relação entre Porcentagens e Graus 8

9 TABELA DE ESPECIFICAÇÕES DE TELHAS TIPO QUANT. (und./m²) PESO (kg/m²) FOTO INCLIN. MÍNIMA % Graus ESPAÇ. RIPAS (cm) Taubilha de Pinnus % Cerâmica Portuguesa % Cerâmica Romana % Cerâmica Americana % Cerâmica Capa e Canal (Colonial) % Cerâmica Plan % Cerâmica Francesa % Cimento (Tégula) 10, %

10 TIPO QUANT. (und./m²) PESO (kg/m²) FOTO INCLIN. MÍNIMA % Graus ESPAÇ. RIPAS (cm) Germânica (Rabo de Castor) % Uruguaia (Plana) % 19º 15 Asfáltica (Shingle) + compensado 12mm % 17 - Piaçava 2,5 (pentes) 25 60% Taubilha de madeira de lei VARIÁVEL 28 45% Vidro laminado espessura 10mm % 1,15 75 Policarbonato espessura 10mm % 5,5 75 Cobertura vegetal + compensado 21mm % 1,15 - Fibrocimento (ondulada) espessura 6mm 0,5 18 9% 5 - (*) Os dados acima correspondem aos mais praticados no mercado, mas podem variar de acordo com o fabricante. Em caso de divergências, o fornecedor local deverá ser consultado. 10

11 NOMENCLATURA DE PEÇAS NA ESTRUTURA DE TELHADOS RIPAS CAIBROS RIPA DUPLA TABEIRA, TESTEIRA CUMEEIRA TALA PENDURAL, PONTALETE DIAGONAL, ESCORA TERÇA PONTALETE, MONTANTE ASNA, BANZO SUPERIOR, EMPENA, PERNA LINHA, BANZO INFERIOR, TIRANTE BERÇO, CONSOLE FRECHAL 11

12 NOMENCLATURA DE PEÇAS COMPLEMENTARES NA ESTRUTURA DE TELHADOS MÃO FRANCESA, CONTRAVENTAMENTO VERTICAL CONTRAVENTAMENTO HORIZONTAL 12

13 NOMENCLATURA DE PLANOS E DE ARESTAS DE TELHADOS CUMEEIRA TRAPEIRA, MANSARDA RINCÃO, ÁGUA FURTADA ESPIGÃO TACANIÇA ÁGUA, ÁGUA MESTRA OITÃO, EMPENA 13

14 CAIBROS 14

15 TABELA DE CAIBROS para TELHA CERÂMICA (SEM FORRO) UTILIZAÇÃO... Caibros CARGAS: a. Telhas (cerâmica, concreto)... 55,0 kgf/m² b. Ripas... 5,0 kgf/m² Total... 60,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS:... 25,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 3,00 0,60 Ø 11 3,00 0,70 Ø 11 4,00 0,60 Ø 13 3,50 0,70 Ø 13 4,50 0,60 Ø 15 4,50 0,70 Ø 15 Imagem ilustrativa 15

16 TABELA DE CAIBROS para TELHA CERÂMICA (COM FORRO) UTILIZAÇÃO... Caibros CARGAS: a. Telhas (cerâmica, concreto)... 55,0 kgf/m² b. Forro / manta... 18,0 kgf/m² c. Ripas / contra-caibro... 7,0 kgf/m² Total... 80,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS:... 25,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 3,00 0,60 Ø 11 2,50 0,70 Ø 11 3,50 0,60 Ø 13 3,50 0,70 Ø 13 4,50 0,60 Ø 15 4,00 0,70 Ø 15 Imagem ilustrativa 16

17 TABELA DE CAIBROS para COBERTURA DE POLICARBONATO (SEM FORRO) UTILIZAÇÃO... Caibros CARGAS: a. Telhas (policarbonato, vidro)... 20,0 kgf/m² Total... 20,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS:... 25,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 4,00 0,60 Ø 11 3,50 1,00 Ø 11 5,00 0,60 Ø 13 4,50 1,00 Ø 13 6,00 0,60 Ø 15 5,00 1,00 Ø 15 Imagem ilustrativa 17

18 TABELA DE CAIBROS para COBERTURA VERDE UTILIZAÇÃO... Caibros CARGAS: a. Cobertura verde (jardim) ,0 kgf/m² b. Forro / manta... 18,0 kgf/m² c. Ripas / contra-caibro... 7,0 kgf/m² Total ,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS:... 25,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 2,00 0,40 Ø 11 1,50 0,60 Ø 11 2,50 0,40 Ø 13 2,00 0,60 Ø 13 3,00 0,40 Ø 15 2,50 0,60 Ø 15 Imagem ilustrativa 18

19 TABELA DE BEIRAIS para CAIBROS com TELHA CERÂMICA (COM FORRO) UTILIZAÇÃO... Caibros CARGAS: a. Telhas (cerâmica, concreto)... 55,0 kgf/m² b. Forro / manta... 18,0 kgf/m² c. Ripas / contra-caibro... 7,0 kgf/m² Total... 80,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS:... 25,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 1,50 0,60 Ø 11 1,40 0,70 Ø 11 1,80 0,60 Ø 13 1,80 0,70 Ø 13 2,20 0,60 Ø 15 2,10 0,70 Ø 15 Imagem ilustrativa Obs.: A situação de beiral só é válida para peças que tenham continuidade até o apoio anterior (ex. terça), estabelecendo o engaste necessário para funcionamento do balanço. 19

20 TABELA DE BEIRAIS para CAIBROS com COBERTURA DE POLICARBONATO (SEM FORRO) UTILIZAÇÃO... Caibros CARGAS: a. Telhas (fibrocimento, policarbonato) 20,0 kgf/m² Total... 20,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS:... 25,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 2,10 0,60 Ø 11 1,80 1,00 Ø 11 2,50 0,60 Ø 13 2,20 1,00 Ø 13 3,00 0,60 Ø 15 2,70 1,00 Ø 15 Imagem ilustrativa Obs.: A situação de beiral só é válida para peças que tenham continuidade até o apoio anterior (ex. terça), estabelecendo o engaste necessário para funcionamento do balanço. 20

21 TABELA DE BEIRAIS para CAIBROS com COBERTURA VERDE UTILIZAÇÃO... Caibros CARGAS: a. Cobertura verde (jardim) ,0 kgf/m² b. Forro / manta... 18,0 kgf/m² c. Ripas / contra-caibro... 7,0 kgf/m² Total ,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS:... 25,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 1,00 0,40 Ø 11 0,90 0,60 Ø 11 1,30 0,40 Ø 13 1,10 0,60 Ø 13 1,50 0,40 Ø 15 1,40 0,60 Ø 15 Imagem ilustrativa Obs.: A situação de beiral só é válida para peças que tenham continuidade até o apoio anterior (ex. terça), estabelecendo o engaste necessário para funcionamento do balanço. 21

22 TERÇAS 22

23 TABELA DE TERÇAS para TELHA CERÂMICA UTILIZAÇÃO... Terças CARGAS: a. Telhas (cerâmica, concreto)... 55,0 kgf/m² b. Armação da cobertura... 27,0 kgf/m² c. Forro / manta... 18,0 kgf/m² Total ,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS:... 25,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 2,00 1,50 Ø 11 2,30 2,00 Ø 13 2,50 1,50 Ø 13 3,00 1,80 Ø 15 2,50 2,50 Ø 15 2,70 2,00 Ø 15 4,00 2,50 2 x Ø 13 (viga dupla)* 4,50 2,00 2 x Ø 13 (viga dupla)* 6,00 2,50 3 x Ø 13 (viga tripla)** 5,00 2,50 2 x Ø 15 (viga dupla)* 5,50 2,00 2 x Ø 15 (viga dupla)* 7,00 2,50 3 x Ø 15 (viga tripla)** Imagem ilustrativa Obs.: * Ver detalhe de viga dupla, Anexo 01. ** Ver detalhe de viga tripla, Anexo

24 TABELA DE TERÇAS para TELHA DE FIBROCIMENTO UTILIZAÇÃO... Terças CARGAS: a. Telhas (fibrocimento, policarbonato) 20,0 kgf/m² Total... 20,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS:... 25,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) Obs.: * Ver detalhe de viga dupla, Anexo 01. DIÂMETRO (cm) 2,50 2,00 Ø 11 3,50 2,00 Ø 13 6,00 2,50 2 x Ø 13 (viga dupla)* 4,00 2,00 Ø 15 4,00 2,50 Ø 15 7,00 2,50 2 x Ø 15 (viga dupla)* Imagem ilustrativa 24

25 TABELA DE TERÇAS para COBERTURA VERDE UTILIZAÇÃO... Terças CARGAS: a. Cobertura verde (jardim) ,0 kgf/m² b. Armação da cobertura... 35,0 kgf/m² Total ,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS:... 25,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 2,00 1,50 Ø 15 3,80 1,50 2 x Ø 15 (viga dupla)* 3,40 2,00 2 x Ø 15 (viga dupla)* 4,50 2,00 3 x Ø 15 (viga tripla)** Imagem ilustrativa Obs.: * Ver detalhe de viga dupla, Anexo 01. ** Ver detalhe de viga tripla, Anexo

26 TABELA DE BEIRAIS para TERÇAS com TELHA CERÂMICA UTILIZAÇÃO... Terças CARGAS: a. Telhas (cerâmica, concreto)... 55,0 kgf/m² b. Armação da cobertura... 27,0 kgf/m² c. Forro / manta... 18,0 kgf/m² Total ,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS:... 25,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) (m) 1,00 1,50 Ø 11 1,20 2,00 Ø 13 1,30 1,50 Ø 13 1,50 1,80 Ø 15 1,30 2,50 Ø 15 1,40 2,00 Ø 15 2,10 2,50 2 x Ø 13 (viga dupla)* 2,30 2,00 2 x Ø 13 (viga dupla)* 3,00 2,50 3 x Ø 13 (viga tripla)** 2,60 2,50 2 x Ø 15 (viga dupla)* 2,80 2,00 2 x Ø 15 (viga dupla)* 3,80 2,50 3 x Ø 15 (viga tripla)** Imagem ilustrativa Obs.: * Ver detalhe de viga dupla, Anexo 01. ** Ver detalhe de viga tripla, Anexo 01. A situação de beiral só é válida para peças que tenham continuidade até o apoio anterior (ex. pilar). 26

27 TABELA DE BEIRAIS para TERÇAS com TELHA DE FIBROCIMENTO UTILIZAÇÃO... Terças CARGAS: a. Telhas (fibrocimento, policarbonato) 20,0 kgf/m² Total... 20,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS:... 25,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 1,50 2,00 Ø 11 1,80 2,00 Ø 13 3,30 2,50 2 x Ø 13 (viga dupla)* 2,20 2,00 Ø 15 2,10 2,50 Ø 15 3,90 2,50 2 x Ø 15 (viga dupla)* Imagem ilustrativa Obs.: * Ver detalhe de viga dupla, Anexo 01. A situação de beiral só é válida para peças que tenham continuidade até o apoio anterior (ex. pilar). 27

28 TABELA DE BEIRAIS para TERÇAS com COBERTURA VERDE UTILIZAÇÃO... Terças CARGAS: a. Cobertura verde (jardim) ,0 kgf/m² b. Armação da cobertura... 35,0 kgf/m² Total ,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS:... 25,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 1,00 1,50 Ø 15 2,00 1,50 2 x Ø 15 (viga dupla)* 1,80 2,00 2 x Ø 15 (viga dupla)* 2,60 2,00 3 x Ø 15 (viga tripla)** Imagem ilustrativa Obs.: * Ver detalhe de viga dupla, Anexo 01. ** Ver detalhe de viga tripla, Anexo 01. A situação de beiral só é válida para peças que tenham continuidade até o apoio anterior (ex. pilar). 28

29 VIGAS 29

30 TABELA DE VIGAS para LAJE DE CONCRETO UTILIZAÇÃO... Viga CARGAS PERMANENTES: a. Laje treliçada (bi-apoiada) ,0 kgf/m² b. Alvenarias sobre laje ,0 kgf/m² Total ,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS: ,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 1,50 2,00 Ø 15 2,50 2,00 2 x Ø 13 (viga dupla)* 2,00 3,00 2 x Ø 13 (viga dupla)* 3,50 3,00 3 x Ø 13 (viga tripla)** 3,00 5,00 3 x Ø 13 (viga tripla)** 3,00 2,00 2 x Ø 15 (viga dupla)* 2,50 3,00 2 x Ø 15 (viga dupla)* 5,50 2,00 3 x Ø 15 (viga tripla)** 4,00 4,00 3 x Ø 15 (viga tripla)** 3,00 6,00 3 x Ø 15 (viga tripla)** Imagem ilustrativa Obs.: * Ver detalhe de viga dupla, Anexo 01. ** Ver detalhe de viga tripla, Anexo

31 TABELA DE VIGAS para BARROTEAMENTO UTILIZAÇÃO... Viga CARGAS PERMANENTES: a. Barroteamento* com assoalho... 50,0 kgf/m² b. Alvenarias sobre barrotes ,0 kgf/m² Total ,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS: ,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 2,00 2,00 Ø 15 2,50 2,00 2 x Ø 13 (viga dupla)** 2,00 3,00 2 x Ø 13 (viga dupla)** 4,00 3,00 3 x Ø 13 (viga tripla)*** 3,00 5,00 3 x Ø 13 (viga tripla)*** 3,50 2,00 2 x Ø 15 (viga dupla)** 2,50 3,00 2 x Ø 15 (viga dupla)** 5,50 2,00 3 x Ø 15 (viga tripla)*** 4,50 4,00 3 x Ø 15 (viga tripla)*** 3,50 6,00 3 x Ø 15 (viga tripla)*** Imagem ilustrativa Obs.: * Considerar espaçamento entre barrotes de 60cm. ** Ver detalhe de viga dupla, Anexo 01. *** Ver detalhe de viga tripla, Anexo

32 TABELA DE VIGAS para DECK UTILIZAÇÃO... Viga CARGAS PERMANENTES: a. Barrotes*... 30,0 kgf/m² b. Assoalho para Deck... 20,0 kgf/m² Total... 50,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS: ,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 2,50 2,00 Ø 15 3,50 2,00 2 x Ø 13 (viga dupla)** 2,50 3,00 2 x Ø 13 (viga dupla)** 5,00 3,00 3 x Ø 13 (viga tripla)*** 4,00 5,00 3 x Ø 13 (viga tripla)*** 4,00 2,00 2 x Ø 15 (viga dupla)** 3,50 3,00 2 x Ø 15 (viga dupla)** 6,00 2,00 3 x Ø 15 (viga tripla)*** 5,50 4,00 3 x Ø 15 (viga tripla)*** 4,50 6,00 3 x Ø 15 (viga tripla)*** Imagem ilustrativa Obs.: * Considerar espaçamento entre barrotes de 60cm. ** Ver detalhe de viga dupla, Anexo 01. *** Ver detalhe de viga tripla, Anexo

33 BARROTES 33

34 TABELA DE BARROTES para PISO UTILIZAÇÃO... Barrotes CARGAS PERMANENTES: a. Assoalho... 20,0 kgf/m² b. Alvenarias sobre barrotes ,0 kgf/m² Total ,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS: ,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 2,00 0,50 Ø 11 2,00 0,70 Ø 11 3,00 0,50 Ø 13 2,50 0,70 Ø 13 3,50 0,50 Ø 15 3,00 0,70 Ø 15 Imagem ilustrativa 34

35 TABELA DE BARROTES para DECK UTILIZAÇÃO... Barrotes CARGAS PERMANENTES: a. Decks... 20,0 kgf/m² Total... 20,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS: ,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 3,50 0,50 Ø 11 3,00 0,70 Ø 11 4,00 0,50 Ø 13 3,50 0,70 Ø 13 5,00 0,50 Ø 15 4,50 0,70 Ø 15 Imagem ilustrativa 35

36 TABELA DE BARROTES para PISO em balanço UTILIZAÇÃO... Barrotes CARGAS PERMANENTES: c. Assoalho... 20,0 kgf/m² d. Alvenarias sobre barrotes ,0 kgf/m² Total ,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS: ,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 1,10 0,50 Ø 11 0,90 0,70 Ø 11 1,40 0,50 Ø 13 1,20 0,70 Ø 13 1,80 0,50 Ø 15 1,50 0,70 Ø 15 Obs.: Imagem ilustrativa A situação de balanço só é válida para peças que tenham continuidade até o apoio anterior (ex. viga). 36

37 TABELA DE BARROTES para DECK em balanço UTILIZAÇÃO... Barrotes CARGAS PERMANENTES: b. Decks... 20,0 kgf/m² Total... 20,0 kgf/m² CARGAS ACIDENTAIS: ,0 kgf/m² VÃO LIVRE MÁXIMO (m) ESPAÇAMENTO (m) DIÂMETRO (cm) 1,40 0,50 Ø 11 1,20 0,70 Ø 11 1,80 0,50 Ø 13 1,60 0,70 Ø 13 2,30 0,50 Ø 15 2,00 0,70 Ø 15 Obs.: Imagem ilustrativa A situação de balanço só é válida para peças que tenham continuidade até o apoio anterior (ex. viga). 37

38 PILARES 38

39 TABELA DE PILARES PILAR SIMPLES PILAR DUPLO PILAR QUÁDRUPLO DIÂMETRO (cm) Ø 11 Ø 13 Ø 15 SUGESTÃO DE USO Comp. máximo livre e sem travamentos horizontais (m) CARGA MÁXIMA VERTICAL (tf) Comp. máximo livre e sem travamentos horizontais (m) CARGA MÁXIMA VERTICAL (tf) Comp. máximo livre e sem travamentos horizontais (m) CARGA MÁXIMA VERTICAL (tf) 3,00 4,0 3,00 8,0 3,00 30,0 3,50 3,0 3,90 5,0 7,50 10,0 3,00 7,0 3,00 14,0 3,00 45,0 4,50 3,0 4,50 6,0 8,50 16,0 3,00 11,0 3,00 22,0 3,00 60,0 5,20 4,0 5,20 8,0 10,00 20,0 Residências de 1 ou de 2 Varandas, pergolados e Varandas, pergolados e residências pavimentos, pórticos, placas residências de 1 ou de 2 de 1 pavimento institucionais, galpões e estruturas pavimentos. altas. 39

40 EMENDA DE PILARES QUÁDRUPLOS Seção Vista Frontal DIÂMETRO DE 11cm Seção Vista Frontal DIÂMETRO DE 13cm Seção Vista Frontal DIÂMETRO DE 15cm 40

41 BASE DE PILARES ENGASTADOS Esse tipo de ancoragem fornece grande estabilidade estrutural à obra, porém o modelo da fixação deve seguir algumas recomendações técnicas, como por exemplo, não permitir o acúmulo de umidade na base do pilar. Obs.: A parte engastada de pilares duplos e quádruplos não deve receber qualquer tipo de intervenção ou corte, incluindo furações para instalação de parafusos passantes. 41

42 BASE DE PILARES APOIADOS COM PINO METÁLICO Os pilares apoiados na estrutura por meio de pino metálico são aconselhados apenas quando os esforços neles incidentes não forem muito significativos. Também são ideais para situações em que as fundações da obra já estejam executadas. Obs.: PILARES Ø15cm: usar calço Ø13cm; PILARES Ø13cm: usar calço Ø11cm; e PILARES Ø11cm: usar calço Ø11cm. 42

43 BASE DE PILARES FIXADOS COM CONEXÃO METÁLICA Os pilares fixados com conexão metálica tem sua estabilidade garantida, funcionando de maneira similar à solução de engaste direto da peça na infra-estrutura apresentada anteriormente. Imagem conexão x concreto Imagem pilar x conexão x concreto 43

44 BASE DE PILARES FIXADOS COM CONEXÃO METÁLICA DETALHE CONEXÃO PARTE 1 44

45 BASE DE PILARES FIXADOS COM CONEXÃO METÁLICA DETALHE CONEXÃO PARTE 2 45

46 TESOURAS 46

47 TABELA DE TESOURAS para TELHA CERÂMICA CARGAS PERMANENTES: ,0 kgf/m²; CARGAS ACIDENTAIS:... 25,0 kgf/m² VÃO MÁXIMO DISTÂNCIA ENTRE TESOURAS DIÂMETRO MÍNIMO DAS PEÇAS DENOMINAÇÃO DAS TESOURAS MODELO DAS TESOURAS 3,00m 3,00m (1 x) Ø 11cm SIMPLES ou KINGPOST 5,00m 3,00m (1 x) Ø 11cm 7,00m 3,00m 10,0m 3,00m (1 x) Ø 13cm (2 x) Ø 11cm (1 x) Ø 15cm (2 x) Ø 13cm INGLESA ou HOWE 12,0m 5,00m (2 x) Ø 13cm 15,0m 5,00m (2 x) Ø 13cm 47

48 ANEXO 1 48

49 VIGAS COMPOSTAS Peças de diâmetro 15cm VIGA DUPLA DIÂMETRO 15cm Vista frontal união de vigas Seção transversal 49

50 VIGAS COMPOSTAS Peças de diâmetro 15cm VIGA TRIPLA DIÂMETRO 15cm Vista frontal união de vigas Seção transversal 50

51 VIGAS COMPOSTAS Peças de diâmetro 15cm DETALHE ANEL METÁLICO Corte Perspectiva anel metálico 51

52 VIGAS COMPOSTAS Peças de diâmetro 13cm VIGA DUPLA DIÂMETRO 13cm Vista frontal união de vigas Seção transversal Perspectiva cavilha 52

53 VIGAS COMPOSTAS Peças de diâmetro 13cm VIGA TRIPLA DIÂMETRO 13cm Vista frontal união de vigas Seção transversal Perspectiva cavilha 53

54 VIGAS COMPOSTAS Peças de diâmetro 11cm VIGA DUPLA DIÂMETRO 11cm Vista frontal união de vigas Seção transversal Perspectiva cavilha 54

55 VIGAS COMPOSTAS Peças de diâmetro 11cm VIGA TRIPLA DIÂMETRO 11cm Vista frontal união de vigas Seção transversal Perspectiva cavilha 55

56 VIGAS COMPOSTAS Detalhe de fixação com pilar SITUAÇÃO 01 Obs.: Solução válida tanto para vigas duplas de Ø15cm como para vigas duplas de Ø11cm e Ø13cm. 56

57 VIGAS COMPOSTAS Detalhe de fixação com pilar SITUAÇÃO 02 Obs.: Solução válida tanto para vigas duplas de Ø15cm como para vigas duplas de Ø11cm e Ø13cm. 57

58 VIGAS COMPOSTAS Detalhe de fixação com pilar DETALHE CANTONEIRA Perspectiva cantoneira 58

Tabelas de Cálculo para Utilização em Estruturas de AMARU PERFILADO

Tabelas de Cálculo para Utilização em Estruturas de AMARU PERFILADO Tabelas Utilização de e em Cálculo Estrutu turas AMARU PERFILADO para de Projeto de capacitação profissional: Plantar Empreendimentos e Produtos Florestais Ltda e Montana Química S.A Tabelas de Cálculo

Leia mais

EM UM PROJETO DE COBERTURA, DEVEM SER CONSIDERADOS:

EM UM PROJETO DE COBERTURA, DEVEM SER CONSIDERADOS: COBERTURA Funciona como elemento essencial de abrigo para os espaços internos de uma edificação. Sua forma e construção devem controlar a passagem de água, ar e calor. Deve ser estruturado de forma a vencer

Leia mais

Estruturas de Madeira. Telhados. É a parte superior das construções, destina-se a dar-lhes proteção.

Estruturas de Madeira. Telhados. É a parte superior das construções, destina-se a dar-lhes proteção. Estruturas de Madeira Telhados É a parte superior das construções, destina-se a dar-lhes proteção. Funções básicas: Proteção das partes internas da instalação, contra o sol excessivo, chuva, neve, etc.

Leia mais

COBERTURAS. Prof. Amison de Santana

COBERTURAS. Prof. Amison de Santana COBERTURAS Prof. Amison de Santana Cobertura Funções Básicas: Proteção das partes internas das construções; Dar inclinação adequada, de acordo com o tipo de telha utilizada, para drenar águas pluviais;

Leia mais

TESOURAS DE MADEIRA. GRADUAÇÃO 3º Florestal AULA 05. Disciplina: Prop. mecânicas e fundamentos das estrut. madeira. Prof. Adriano Wagner Ballarin

TESOURAS DE MADEIRA. GRADUAÇÃO 3º Florestal AULA 05. Disciplina: Prop. mecânicas e fundamentos das estrut. madeira. Prof. Adriano Wagner Ballarin Aula 5 Tesouras de madeira 1 Disciplina: Prop. mecânicas e fundamentos das estrut. madeira TESOURAS DE MADEIRA GRADUAÇÃO 3º Florestal AULA 05 Prof. Adriano Wagner Ballarin Aula 5 Tesouras de madeira 2

Leia mais

ESTRUTURAS. Prof. Eliseu Figueiredo Neto

ESTRUTURAS. Prof. Eliseu Figueiredo Neto ESTRUTURAS Prof. Eliseu Figueiredo Neto PAREDES DE TIJOLO Assentamento dos tijolos: Quanto a colocação (ou dimensão das paredes) dos tijolos, podemos classificar as paredes em: cutelo, de meio tijolo,

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA - MG Curso de Engenharia Civil. EXPRESSÃO GRÁFICA III Diagramas de cobertura Telhados SUMÁRIO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA - MG Curso de Engenharia Civil. EXPRESSÃO GRÁFICA III Diagramas de cobertura Telhados SUMÁRIO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA - MG Curso de Engenharia Civil EXPRESSÃO GRÁFICA III Diagramas de cobertura Telhados SUMÁRIO 1 COBERTURA DAS EDIFICAÇÕES...3 2 TIPOS DE TELHAS...14 3 ESTRUTURA DAS COBERTURAS...18

Leia mais

Professora: Engª Civil Silvia Romfim

Professora: Engª Civil Silvia Romfim Professora: Engª Civil Silvia Romfim PARTES CONSTITUINTES DE UMA COBERTURA Pode-se dizer que a cobertura é subdividida em cinco principais partes: 1. Pelo telhado, composto por vários tipos de telhas;

Leia mais

LOCAL: RUA MANOEL JOSÉ PIRES, S.N. AMÉRICO BRASILIENSE S.P. PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE AMÉRICO BRASILIENSE S.P.

LOCAL: RUA MANOEL JOSÉ PIRES, S.N. AMÉRICO BRASILIENSE S.P. PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE AMÉRICO BRASILIENSE S.P. OBJETO: LAUDO TÉCNICO DE VISTORIA DAS CONDIÇÕES FÍSICAS DA ESTRUTURA DE COBERTURA DE ÁREA IDENTIFICADA COMO REFEITÓRIO DA C.E.R. LEILA L. D. T. PIZZA DURANTE LOCAL: RUA MANOEL JOSÉ PIRES, S.N. AMÉRICO

Leia mais

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados Projeto e Dimensionamento de de Estruturas metálicas e mistas de de aço e concreto MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados 1 Sistemas estruturais: coberturas

Leia mais

Universidade Católica de Pernambuco. Departamento de Engenharia Civil APOSTILA RESUMO. Prof. Angelo Just da Costa e Silva (MSc.)

Universidade Católica de Pernambuco. Departamento de Engenharia Civil APOSTILA RESUMO. Prof. Angelo Just da Costa e Silva (MSc.) Universidade Católica de Pernambuco Departamento de Engenharia Civil APOSTILA RESUMO Prof. Angelo Just da Costa e Silva (MSc.) Recife, 2004 Índice 1. COBERTURA... 3 1.1. Componentes do telhado...3 1.2.

Leia mais

200888 Técnicas das Construções I COBERTURA. Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 9

200888 Técnicas das Construções I COBERTURA. Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 9 200888 Técnicas das Construções I COBERTURA Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 9 Objetivos: Escolher a estrutura de telhado adequada para cada tipo de telha;

Leia mais

Integração entre sistemas de cobertura metálica e estrutura de concreto em galpões. Aplicações em sistemas prémoldados

Integração entre sistemas de cobertura metálica e estrutura de concreto em galpões. Aplicações em sistemas prémoldados Integração entre sistemas de cobertura metálica e estrutura de concreto em galpões. Aplicações em sistemas prémoldados e tilt-up Vitor Faustino Pereira Engenheiro Civil Professor Adjunto UEL Sócio Diretor:

Leia mais

Sugestões de Montagem. Perfis para Estrutura de Telhados

Sugestões de Montagem. Perfis para Estrutura de Telhados Sugestões de Montagem Perfis para Estrutura de Telhados 1 Apresentação As sugestões que apresentamos aqui são direcionadas para os profissionais que já possuem experiência com telhados. Nosso objetivo

Leia mais

APRESENTAÇÃO QUIOSQUE BABAÇU

APRESENTAÇÃO QUIOSQUE BABAÇU APRESENTAÇÃO As empresas Plantar Empreendimentos e Produtos Florestais Ltda e Montana Química S.A. sentem-se honradas em tê-lo como cliente e é com imensa satisfação que entregam este projeto modelo baseado

Leia mais

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 13. TELHADO

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 13. TELHADO DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 13. TELHADO Av. Torres de Oliveira, 76 - Jaguaré CEP 05347-902 - São Paulo / SP TELHADO A cobertura de uma casa constitui-se de um telhado ou de uma laje. Neste capítulo, mostraremos

Leia mais

Catálogo de Produtos Informações Técnicas

Catálogo de Produtos Informações Técnicas Catálogo de Produtos Informações Técnicas Telhas de concreto Vantagens: Impermeabilidade Devido ao moderno processo de fabricação das telhas de concreto, as telhas pouco absorvem água de chuva, com isso

Leia mais

CÁLCULOS TELHADO. Prof. Eliseu Figueiredo Neto

CÁLCULOS TELHADO. Prof. Eliseu Figueiredo Neto CÁLCULOS TELHADO Prof. Eliseu Figueiredo Neto TELHADO 1) Conhecer o peso de cada telha; 2) Calcular quantas telhas vão. Telhado de meia água de 50 m2, quantas telhas de cerâmica eu usarei e qual o peso

Leia mais

8.2.1) Arcos : miguel@vetorestruturas.com.br UFPR-2009 Estruturas de Madeira CAP.8 pg. 1/12

8.2.1) Arcos : miguel@vetorestruturas.com.br UFPR-2009 Estruturas de Madeira CAP.8 pg. 1/12 8 ESTRUTURAS DE MADEIIRA PARA COBERTURAS 8..1 Generalliidades No Brasil, a grande maioria das estruturas de madeira refere-se a coberturas. Não há grande tradição na construção de edifícios (residenciais

Leia mais

A madeira, como material estrutural, tem sua aplicação mais comum nas estruturas de telhados, para coberturas dos mais variados tipos.

A madeira, como material estrutural, tem sua aplicação mais comum nas estruturas de telhados, para coberturas dos mais variados tipos. 1. INTRODUÇÃO A madeira, como material estrutural, tem sua aplicação mais comum nas estruturas de telhados, para coberturas dos mais variados tipos. O termo cobertura é utilizado para designar todo o conjunto

Leia mais

COBERTURAS. Treliças Estruturas: Metálica Telha Auto Portante Espacial. Concreto

COBERTURAS. Treliças Estruturas: Metálica Telha Auto Portante Espacial. Concreto COBERTURAS Madeira Tirantes Treliças Estruturas: Metálica Telha Auto Portante Espacial Concreto Em telhas de barro/metálicas/fibrocimento Proteções: Em lajes Concreto Tijolos Domos, etc. Shed Terça Pestana

Leia mais

COBERTURAS COBERTURAS COBERTURAS COBERTURAS

COBERTURAS COBERTURAS COBERTURAS COBERTURAS R R R 1 Coberturas de telhado Tesoura de Pratt Tesoura de Howe Tesoura de Howe Tesoura de Pratt Tesoura Fink 2 Tesoura Fink Vigas treliçadas ou traves Viga Warren Viga Warren completa Viga de Town (Lattice)

Leia mais

RESISTÊNCIA E BELEZA A TODA PROVA

RESISTÊNCIA E BELEZA A TODA PROVA RESISTÊNCIA E BELEZA A TODA PROVA Telhas de Concreto Características técnicas e dimensionais Especificações Comprimento...420mm Largura...330mm Telhas por m2...10,5pçs Peso nominal...4,7kg Peso por m2...49,35kg

Leia mais

COBERTURA DAS INSTALAÇÕES

COBERTURA DAS INSTALAÇÕES COBERTURA DAS INSTALAÇÕES OBJETIVO: Identificar para as coberturas as suas funções básicas, formas elementares e especiais, composição, dimensionamento simplificado e processo de cobertura. A cobertura,

Leia mais

Índice. Caso 1 Estrutura para telhado duas águas... pag. 3. Caso 2 Estrutura para telhado três ou mais águas (espigão e água furtada)...pag.

Índice. Caso 1 Estrutura para telhado duas águas... pag. 3. Caso 2 Estrutura para telhado três ou mais águas (espigão e água furtada)...pag. Índice Caso 1 Estrutura para telhado duas águas... pag. 3 Caso 2 Estrutura para telhado três ou mais águas (espigão e água furtada)...pag. 11 Caso 3 Estrutura para telhas de fibrocimento e aço...pag. 15

Leia mais

ORIENTAÇÕES DE INSTALAÇÃO PARA TELHAS SHINGLE

ORIENTAÇÕES DE INSTALAÇÃO PARA TELHAS SHINGLE ORIENTAÇÕES DE INSTALAÇÃO PARA TELHAS SHINGLE 1 ÍNDICE 1 ESTRUTURA DE SUPORTE... 3 2 INSTALAÇÃO DOS PAINÉIS (CHAPAS)... 4 3 VENTILAÇÃO DO TELHADO... 5 4 INSTALAÇÃO DA SUBCOBERTURA... 7 5 INSTALAÇÃO DOS

Leia mais

DESENHO E ARQUITETURA COBERTURA E NOÇÕES DE ESTRUTURA

DESENHO E ARQUITETURA COBERTURA E NOÇÕES DE ESTRUTURA CURSO TÉCNICO EM TRANSAÇÕES IMOBILIÁRIAS DESENHO E ARQUITETURA COBERTURA E NOÇÕES DE ESTRUTURA Elisa Furian elisafurian@outlook.com COBERTURAS Constituem estruturas de múltipla função que tem por objetivo:

Leia mais

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS COBERTURA APÓS ESTUDAR ESTE CAPÍTULO; VOCÊ DEVERÁ SER CAPAZ DE: Escolher a estrutura de telhado adequada para cada tipo de telha; Conhecer as diversas

Leia mais

Steel frame - cobertura (última parte)

Steel frame - cobertura (última parte) Página 1 de 8 Steel frame - cobertura (última parte) A cobertura destina-se a proteger as edificações da ação das intempéries. Pode ser vista também como um dos elementos de importância estética do projeto,

Leia mais

ETERMAX. www.eternit.com.br. Eternit S.A. - R. Dr. Fernandes Coelho, 85-8º and. - São Paulo - SP - CEP 05423-040 - Tel.

ETERMAX. www.eternit.com.br. Eternit S.A. - R. Dr. Fernandes Coelho, 85-8º and. - São Paulo - SP - CEP 05423-040 - Tel. ETERMAX www.eternit.com.br Eternit S.A. - R. Dr. Fernandes Coelho, 85-8º and. - São Paulo - SP - CEP 05423-040 - Tel.: (11) 3038-3838 Qualidade aliada à versatilidade Atende às mais variadas soluções arquitetônicas,

Leia mais

ESTRUTURA PARA ENGRADAMENTO DE TELHADOS DE RESIDÊNCIAS COM SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING

ESTRUTURA PARA ENGRADAMENTO DE TELHADOS DE RESIDÊNCIAS COM SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING ESTRUTURA PARA ENGRADAMENTO DE TELHADOS DE RESIDÊNCIAS COM SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING ALEXANDRE KOKKE SANTIAGO, Arq. M.Sc. FRANCISCO CARLOS RODRIGUES, Prof. Dr. MAÍRA NEVES RODRIGUES, Arq. M.Sc. ESTRUTURAS

Leia mais

O telhado é composto pela estrutura, cobertura e do sistema de captação de águas pluviais.

O telhado é composto pela estrutura, cobertura e do sistema de captação de águas pluviais. 6 - COBERTURA APÓS ESTUDAR ESTE CAPÍTULO; VOCÊ DEVERÁ SER CAPAZ DE: Escolher a estrutura de telhado adequada para cada tipo de telha; Conhecer as diversas peças que compõe uma estrutura de telhado; Escolher

Leia mais

Simples, resistente e fácil de montar.

Simples, resistente e fácil de montar. Simples, resistente e fácil de montar. Economia e resistência são as principais qualidades da telha Vogatex. Possui peso reduzido e simplicidade estrutural, exigindo o mínimo de mão-de-obra e madeiramento

Leia mais

CONSTRUÇÕES II MADEIRA PISOS DE MADEIRA PISOS DE MADEIRA. São planos horizontais que suportam cargas. VARIÁVEIS e PERMANENTES.

CONSTRUÇÕES II MADEIRA PISOS DE MADEIRA PISOS DE MADEIRA. São planos horizontais que suportam cargas. VARIÁVEIS e PERMANENTES. CONSTRUÇÕES II MADEIRA PISOS DE MADEIRA PISOS DE MADEIRA São planos horizontais que suportam cargas VARIÁVEIS e PERMANENTES. 1 CARGAS NBR 6120 PERMANENTES (g) Peso próprio da estrutura Peso dos elementos

Leia mais

COBERTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL II

COBERTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL II COBERTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO TECNOLÓGICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL II TIPOS DE SUPERFÍCIES DE COBERTURAS COBERTURAS COBERTURAS Funções:

Leia mais

PARECER TÉCNICO. O referido parecer técnico toma como base o laudo técnico contiguo e reforça:

PARECER TÉCNICO. O referido parecer técnico toma como base o laudo técnico contiguo e reforça: PARECER TÉCNICO O referido parecer técnico toma como base o laudo técnico contiguo e reforça: Conforme o resultado apresentado pela simulação no software AutoMETAL 4.1, a atual configuração presente nas

Leia mais

31/10/2013. - De superfícies planas. - De superfícies curvas. A forma dos telhados está relacionada com o número de águas que o mesmo possui...

31/10/2013. - De superfícies planas. - De superfícies curvas. A forma dos telhados está relacionada com o número de águas que o mesmo possui... 1 2 COBERTURAS A cobertura é a parte superior da construção que serve de proteção contra o sol, a chuva, os ventos etc. São classificadas segundo os sistemas construtivos e materiais utilizados. TELHADO.

Leia mais

Perfis Metálicos Light Steel Frame

Perfis Metálicos Light Steel Frame Perfis Metálicos Light Steel Frame DIMENSIONAMENTO DE ESTRUTURAS DE COBERTURA COM LIGHT STEEL FRAME ISOTELHA COLONIAL (TESOURA - BI APOIADA PARA FORRO) Figura 01 Banzo Superior Contraventamento Diagonal

Leia mais

Vantagens das Telhas Spot

Vantagens das Telhas Spot Vantagens das Telhas Spot Resistência e Longevidade A alta qualidade dos materiais e a tecnologia do processo produtivo da Spot, possibilitam uma resistência superior a 250 kgf, garantindo assim a longevidade

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME Sistema de ds A SOLUÇÃO INTELIGENTE PARA A SUA OBRA SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME www.placlux.com.br VOCÊ CONHECE O SISTEMA CONSTRUTIVO LIGHT STEEL FRAME? VANTAGENS LIGHT STEEL FRAME MENOR CARGA

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTAÇÃO

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO 1. DADOS GERAIS: 1.1. Proprietário: Município de Estação/RS CNPJ: 92.406.248/0001-75 1.2. Obra: Cobertura Metálica da Escola Municipal de Ensino Fundamental Pedro Cecconelo 1.3. Local:

Leia mais

Elegância e beleza valorizando o projeto arquitetônico.

Elegância e beleza valorizando o projeto arquitetônico. Elegância e beleza valorizando o projeto arquitetônico. A telha Modulada contribui de forma marcante para compor a harmonia dos telhados residenciais. Possui as vantagens de um produto funcional, resistente

Leia mais

MANUAL DE COLOCAÇÃO. Laje Treliça. Resumo Esse material tem como objetivo auxiliar no dimensionamento, montagem e concretagem da laje.

MANUAL DE COLOCAÇÃO. Laje Treliça. Resumo Esse material tem como objetivo auxiliar no dimensionamento, montagem e concretagem da laje. MANUAL DE COLOCAÇÃO Laje Treliça Resumo Esse material tem como objetivo auxiliar no dimensionamento, montagem e concretagem da laje. Henrique. [Endereço de email] 1 VANTAGENS LAJE TRELIÇA É capaz de vencer

Leia mais

Chama-se vulgarmente de telhado qualquer tipo de cobertura em uma edificação. Porém, o telhado, rigorosamente, é apenas uma categoria de cobertura,

Chama-se vulgarmente de telhado qualquer tipo de cobertura em uma edificação. Porém, o telhado, rigorosamente, é apenas uma categoria de cobertura, Infinite Cursos. Chama-se vulgarmente de telhado qualquer tipo de cobertura em uma edificação. Porém, o telhado, rigorosamente, é apenas uma categoria de cobertura, em geral caracterizado por possuir um

Leia mais

DESENHO ARQUITETÔNICO PROFESSORA ELIZABETH CORREIA SUMARA QUERINO ROBERTO DÁLESSANDRO

DESENHO ARQUITETÔNICO PROFESSORA ELIZABETH CORREIA SUMARA QUERINO ROBERTO DÁLESSANDRO DESENHO ARQUITETÔNICO PROFESSORA ELIZABETH CORREIA SUMARA QUERINO ROBERTO DÁLESSANDRO COBERTURA -TELHADOS Cobertura: É a parte superior da construção e serve de proteção contra o sol, a chuva, intempéries,

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO Sistema de Cobertura Onduline. Praticidade Confianca, Compromisso

CATÁLOGO TÉCNICO Sistema de Cobertura Onduline. Praticidade Confianca, Compromisso CATÁLOGO TÉCNICO Sistema de Cobertura Onduline Praticidade Confianca, Compromisso Neste catálogo estão todas as informações técnicas sobre a linha de produtos Onduline e os sistemas para telhados. Além

Leia mais

Elementos Estruturais de Concreto Armado

Elementos Estruturais de Concreto Armado UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas Elementos Estruturais de Concreto Armado Prof. Guilherme Brigolini Elementos Estruturais de Concreto Armado Produção de

Leia mais

EXERCÍCIOS DE ESTRUTURAS DE MADEIRA

EXERCÍCIOS DE ESTRUTURAS DE MADEIRA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ENGENHARIA CIVIL,ARQUITETURA E URBANISMO Departamento de Estruturas EXERCÍCIOS DE ESTRUTURAS DE MADEIRA RAFAEL SIGRIST PONTES MARTINS,BRUNO FAZENDEIRO DONADON

Leia mais

APRESENTAÇÃO CAIXA DE AREIA

APRESENTAÇÃO CAIXA DE AREIA APRESENTAÇÃO As empresas Plantar Empreendimentos e Produtos Florestais Ltda e Montana Química S.A. sentem-se honradas em tê-lo como cliente e é com imensa satisfação que entregam este projeto modelo baseado

Leia mais

Elementos de Cobertura

Elementos de Cobertura UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Construção Civil Elementos de Cobertura Prof. Guilherme Brigolini CONCEITUAÇÃO A cobertura é um subsistema do edifício e pode ser dividida em dois

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONA E MUCURI DIAMANTINA MG ESTUDO DIRIGIDO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONA E MUCURI DIAMANTINA MG ESTUDO DIRIGIDO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONA E MUCURI DIAMANTINA MG ESTUDO DIRIGIDO Disciplina: Construções Rurais 2011/1 Código: AGR006/AGR007 Curso (s): Agronomia e Zootecnia

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

APRESENTAÇÃO ESCADA HORIZONTAL

APRESENTAÇÃO ESCADA HORIZONTAL APRESENTAÇÃO As empresas Plantar Empreendimentos e Produtos Florestais Ltda e Montana Química S.A. sentem-se honradas em tê-lo como cliente e é com imensa satisfação que entregam este projeto modelo baseado

Leia mais

ESTRUTURAS DE COBERTURA PARA GRANDES VÃOS

ESTRUTURAS DE COBERTURA PARA GRANDES VÃOS ESTRUTURAS DE COBERTURA PARA GRANDES VÃOS Travamentos e Contraventamentos Estruturas de Coberturas Elementos Principais vencem o vão Elementos Secundários Exemplo: Planta geral da cobertura Planta da cobertura

Leia mais

CATÁLOGO 2015 LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA SUA OBRA. Metro Form System

CATÁLOGO 2015 LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA SUA OBRA. Metro Form System LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA SUA OBRA CATÁLOGO 2015 Metro Form System São Paulo Matriz Rua Maria Paula Motta, 239 CEP 07171-140 Guarulhos SP Brasil Fone: (11) 2431-6666 Rio de Janeiro Filial Rua Agaí,

Leia mais

Catálogo de Produtos FÔRMAS E ESCORAMENTOS

Catálogo de Produtos FÔRMAS E ESCORAMENTOS Catálogo de Produtos FÔRMAS E ESCORAMENTOS Apresentação Fundada no ano de 000, a TEMEC Terra Maquinas Equipamentos e Construções LTDA é uma empresa especializada no fornecimento de Soluções de Engenharia

Leia mais

PUC- RIO CENTRO UNIVERSITÁRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 1028 DESENHO DE ARQUITETURA I COBERTURAS

PUC- RIO CENTRO UNIVERSITÁRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 1028 DESENHO DE ARQUITETURA I COBERTURAS PUC- RIO CENTRO UNIVERSITÁRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 1028 DESENHO DE ARQUITETURA I COBERTURAS A cobertura é a parte superior da construção que serve de proteção contra o sol, a chuva, os

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DA OBRA (Versão resumida)

MEMORIAL DESCRITIVO DA OBRA (Versão resumida) MEMORIAL DESCRITIVO DA OBRA (Versão resumida) TAMANHO E DEPENDÊNCIAS DO IMÓVEL Definido com o Corretor de Imóveis da negociação em conjunto com nosso Escritório de Arquitetura parceiro: FRAN Arquitetura

Leia mais

Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço

Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço Sistemas de Pisos em Estruturas de Aço Aplicações para edificações Estruturas de Aço e Madeira Prof Alexandre Landesmann FAU/UFRJ AMA Loft A1 1 Definição do sistema estrutural do pavimento Lajes armadas

Leia mais

2. Estruturas de Cobertura

2. Estruturas de Cobertura 1. Introdução Cada material ou sistema construtivo tem suas próprias características, as quais de forma maior ou menor influenciam a tipologia, o comprimento do vão, a altura da edificação, os sistemas

Leia mais

COLETÂNEA DO USO DO AÇO GALPÕES EM PÓRTICOS COM PERFIS ESTRUTURAIS LAMINADOS

COLETÂNEA DO USO DO AÇO GALPÕES EM PÓRTICOS COM PERFIS ESTRUTURAIS LAMINADOS COLETÂNEA DO USO DO AÇO GALPÕES EM PÓRTICOS COM PERFIS ESTRUTURAIS LAMINADOS COLETÂNEA DO USO DO AÇO GALPÕES EM PÓRTICOS COM PERFIS ESTRUTURAIS LAMINADOS 5ª Edição 01 Flávio D Alambert Coordenação Técnica:

Leia mais

Alta produtividade Engenharia de projetos Qualidade assegurada Certificado de garantia Sigilo industrial Confiabilidade.

Alta produtividade Engenharia de projetos Qualidade assegurada Certificado de garantia Sigilo industrial Confiabilidade. Há mais de 46 anos no mercado, a Torcisão iniciou as suas atividades no desenvolvimento de materiais para a indústria automobilística, que exigia um rigoroso controle técnico e de qualidade. Em 2006, com

Leia mais

Manual de Montagem Casa 36m²

Manual de Montagem Casa 36m² Manual de Montagem Casa 36m² cga -gerência de desenvolvimento da aplicação do aço Usiminas - Construção Civil INTRODUÇÃO Solução para Habitação Popular - é uma alternativa econômica, simples e de rápida

Leia mais

3) Calcule o alongamento elástico da peça do esquema abaixo. Seu material tem módulo de elasticidade de 2x10 5 N/mm 2.

3) Calcule o alongamento elástico da peça do esquema abaixo. Seu material tem módulo de elasticidade de 2x10 5 N/mm 2. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CÂMPUS DE CHAPADÃO DO SUL DISCIPLINA: CONSTRUÇÕES RURAIS LISTA DE EXERCICIOS I RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS PROFESSOR: PAULO CARTERI CORADI 1) Calcule a deformação

Leia mais

A maioria dos componentes dos nossos kits é fabricada do cerne de espécies como a Maçaranduba e o Angelim.

A maioria dos componentes dos nossos kits é fabricada do cerne de espécies como a Maçaranduba e o Angelim. A MADEIRA Há séculos, o homem tem usado a madeira como um dos principais materiais para construção. O motivo, dentre outros, é que a madeira tem propriedades e características importantes como: facilidade

Leia mais

GALPÕES EM PÓRTICOS COM PERFIS ESTRUTURAIS LAMINADOS

GALPÕES EM PÓRTICOS COM PERFIS ESTRUTURAIS LAMINADOS COLETÂNEA DO USO DO AÇO GALPÕES EM PÓRTICOS COM PERFIS ESTRUTURAIS LAMINADOS 3ª Edição 2005 Volume 3 Flávio D Alambert Coordenação Técnica: Rosângela C. Bastos Martins Colaboração: Christiane Mirian Haddad

Leia mais

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL 2009 VOLUME - A PROF. DR. JOSÉ ANTONIO DE MILITO PREFÁCIO Estas anotações de aulas, compiladas em forma de apostila, tem o intuito de facilitar a consulta e o acompanhamento

Leia mais

SOLUÇÕES PARA FACHADA. metax.com.br

SOLUÇÕES PARA FACHADA. metax.com.br SOLUÇÕES PARA FACHADA metax.com.br Passarela para pedestres Estes equipamentos são utilizados em locais onde a instalação do andaime fachadeiro obstrui a passagem de via, ou seja, a fachada do prédio não

Leia mais

2.5.1 Tecnologia de formas de madeira convencionais

2.5.1 Tecnologia de formas de madeira convencionais 34 2.5 Tecnologia empregada Nesta seção, inicialmente, serão expostas as nomenclaturas empregadas nas peças componentes das formas e escoramento em madeira, conforme a bibliografia descreve. A seguir,

Leia mais

OBRAS CIVIS. Engenharia Ambiental 8º PERÍODO COBERTURAS

OBRAS CIVIS. Engenharia Ambiental 8º PERÍODO COBERTURAS OBRAS CIVIS Engenharia Ambiental 8º PERÍODO COBERTURAS A COBERTURA O telhado é fundamental para o acabamento externo de uma edificação. estilo do projeto Por isso deve ser: resistente, durável, impermeável,

Leia mais

Rua Dianópolis, 122-1º andar CEP: 03125-100 - Parque da Mooca - São Paulo / SP - Brasil Telefone: 55 (11) 2066-3350 / Fax: 55 (11) 2065-3398

Rua Dianópolis, 122-1º andar CEP: 03125-100 - Parque da Mooca - São Paulo / SP - Brasil Telefone: 55 (11) 2066-3350 / Fax: 55 (11) 2065-3398 Frefer System Estruturas Metálicas Rua Dianópolis, 122-1º andar CEP: 03125-100 - Parque da Mooca - São Paulo / SP - Brasil Telefone: 55 (11) 2066-3350 / Fax: 55 (11) 2065-3398 www.frefersystem.com.br A

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO Julho / 2015. Escola Básica Municipal Encano Central Reforma da Cobertura Indaial / SC

MEMORIAL DESCRITIVO Julho / 2015. Escola Básica Municipal Encano Central Reforma da Cobertura Indaial / SC MEMORIAL DESCRITIVO Julho / 2015 Escola Básica Municipal Encano Central Reforma da Cobertura Indaial / SC 1. INFORMAÇÕES PRELIMINARES 1.1. RESPONSÁVEL TÉCNICO PELO PROJETO Carlos Henrique Nagel Engenheiro

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR

MEMORIAL DESCRITIVO SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR MEMORIAL DESCRITIVO SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR 1 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 MEMORIAL DESCRITIVO 3 I. DADOS FÍSICOS LEGAIS 3 II. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 3 III. SERVIÇOS

Leia mais

GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O

GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO FÔRMAS E CIMBRAMENTO FÔRMAS E CIMBRAMENTO FÔRMA: Modelo, molde de qualquer coisa; EXIGÊNCIAS:

Leia mais

Comprimento...420 mm. Largura...330 mm. Telhas por m²...10,4 pçs. Peso médio por telha... 4,7 Kg. Distância máx entre ripas...

Comprimento...420 mm. Largura...330 mm. Telhas por m²...10,4 pçs. Peso médio por telha... 4,7 Kg. Distância máx entre ripas... Infomações Técnicas TELHAS As telhas de concreto CASA FORTE são do tipo Coppo Vêneto e são fabricadas em conformidade com a NBR 13.858-1 e atendem as especificações da NBR 13.858-2. Possuem encaixes perfeitos

Leia mais

APOSTILA SOBRE. C o b e r t u r a s. (Construção Civil I ENG296) Profª Fabiana Lopes de Oliveira

APOSTILA SOBRE. C o b e r t u r a s. (Construção Civil I ENG296) Profª Fabiana Lopes de Oliveira APOSTILA SOBRE C o b e r t u r a s (Construção Civil I ENG296) Profª Fabiana Lopes de Oliveira COBERTURA 1 A cobertura de uma estrutura tem a múltipla função de proteger a construção contra agentes externos,

Leia mais

Estrutura e composição do plano de águas

Estrutura e composição do plano de águas TELHADO Estrutura e composição do plano de águas Prof. Marco Pádua A ultima fase da superestrutura consiste na execução da cobertura, cujo objetivo alem da proteção contra as intempéries, está na valorização

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO O

MEMORIAL DESCRITIVO O MEMORIAL DESCRITIVO O presente memorial tem por objetivo estabelecer requisitos técnicos, definir materiais e padronizar os projetos e execuções da obra localizada na Rua Jorge Marcelino Coelho, s/n, Bairro

Leia mais

( Curso Dimensionamento de Estruturas de Aço CBCA módulo 3)

( Curso Dimensionamento de Estruturas de Aço CBCA módulo 3) GALPÕES (Projeto proposto) A ligação mais imediata que se faz da palavra galpão é com o uso industrial. No entanto galpões podem ser usados para as mais diversas atividades, tais como, hangares, espaços

Leia mais

Guia de Instalação e Manutenção Onduline

Guia de Instalação e Manutenção Onduline Guia de Instalação e Manutenção Onduline Para instalar corretamente Onduline, siga as instruções deste Guia. Só assim a garantia é válida. Telhas Ecológicas 15 anos de garantia de impermeabilização. 0800

Leia mais

ESTRUTURAS DE MADEIRA NO BRASIL: ESTUDO DE CASOS

ESTRUTURAS DE MADEIRA NO BRASIL: ESTUDO DE CASOS ESTRUTURAS DE MADEIRA NO BRASIL: ESTUDO DE CASOS Prof. Dr. Carlito Calil Junior Universidade de São Paulo Escola de Engenharia de São Carlos Departamento de Engenharia de Estruturas Laboratório de Madeiras

Leia mais

ESTRUTURA METÁLICA Vantagens da Construção em Aço. Maior limpeza de obra: Devido à ausência de entulhos, como escoramento e fôrmas.

ESTRUTURA METÁLICA Vantagens da Construção em Aço. Maior limpeza de obra: Devido à ausência de entulhos, como escoramento e fôrmas. ESTRUTURA METÁLICA Vantagens da Construção em Aço Menor tempo de execução: A estrutura metálica é projetada para fabricação industrial e seriada, de preferência, levando a um menor tempo de fabricação

Leia mais

RECEITA PRÁTICA PARA UMA BOA INSTALAÇÃO

RECEITA PRÁTICA PARA UMA BOA INSTALAÇÃO RECEITA PRÁTICA PARA UMA BOA INSTALAÇÃO Madeiramento: Verifique se os ripões ou sarrafos foram bem fixados e distribuídos sobre os caibros com o espaçamento correto para o assentamento e fixação das telhas

Leia mais

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS E AMBIENTAIS CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Projeto de Edificação I 2014/01

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS E AMBIENTAIS CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Projeto de Edificação I 2014/01 UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS E AMBIENTAIS CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Projeto de Edificação I 2014/01 Profª.: Luana Peroza Piaia. AS PARTES DE UM TELHADO Cada

Leia mais

Placostil - Wall Paredes

Placostil - Wall Paredes 0 0 Placostil - Wall Paredes Conceitos Sistema Placostil Wall Paredes É um sistema de paredes de vedações internas constituídas por uma estrutura metálica de chapa de aço galvanizado, sobre a qual se aparafusam,

Leia mais

Coberturas. Prof. Marcos Valin Jr

Coberturas. Prof. Marcos Valin Jr Prof. Marcos Valin Jr A cobertura é a parte superior da construção que serve de proteção contra osol, achuva, os ventos, o calor, o frio, poeiras egases do meio ambiente. www.mvalin.com.br 1 Exigências

Leia mais

Frederico Santos Belchior Dos Reis Ubiraci Espinelli Lemes de Souza

Frederico Santos Belchior Dos Reis Ubiraci Espinelli Lemes de Souza Boletim Técnico da Escola Politécnica da USP Departamento de Engenharia de Construção Civil ISSN 0103-9830 BT/PCC/456 Coberturas com telhado: definições, características gerais e visão analítica Frederico

Leia mais

O Custo das Alternativas de Substituição do Telhado de Cimento Amianto

O Custo das Alternativas de Substituição do Telhado de Cimento Amianto Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Construção Civil PCC O Custo das Alternativas de Substituição do Telhado de Cimento Amianto Alexandre Lee Orientador: Vanderley

Leia mais

PARA CONSTRUÇÕES EM STEEL FRAMING

PARA CONSTRUÇÕES EM STEEL FRAMING www.cbca-ibs.org.br DETALHES CONSTRUTIVOS PARA CONSTRUÇÕES EM STEEL FRAMING Tradução do original Low-Rise Residential Construction - Details Publicado originalmente em Março de 2000 www.steelframingalliance.com

Leia mais

F i b r o c i m e n t o

F i b r o c i m e n t o Telha Vogatex 4 mm C A T Á L O G O T É C N I C O F i b r o c i m e n t o 1 Apresentação A Eternit, há mais de 70 anos no mercado da construção civil, oferece produtos do piso ao teto: coberturas, louças

Leia mais

Guia de Reformas COM PLACA CIMENTÍCIA IMPERMEABILIZADA E MASTERBOARD

Guia de Reformas COM PLACA CIMENTÍCIA IMPERMEABILIZADA E MASTERBOARD Guia de Reformas COM PLACA CIMENTÍCIA IMPERMEABILIZADA E MASTERBOARD Armazenamento As placas e painéis devem ser estocados em lugar seco e abrigado, seguindo estas instruções: Estoque em piso plano, na

Leia mais

Construção do 2º andar sobre a recepção da AEAARP

Construção do 2º andar sobre a recepção da AEAARP Construção do 2º andar sobre a recepção da AEAARP 2ª Semana de Tecnologia da Construção Abril 2011 1 1-) Premissas Construtivas: 1-1) Manutenção do andar existente 1-2) Executar estruturas de apoio independentes

Leia mais

TELHA CANALETE 90 8 mm

TELHA CANALETE 90 8 mm Tecnologia avançada para obras de grande porte. Canalete 90 é o perfil ideal para coberturas e fechamentos laterais com segurança e durabilidade. Permite a criação de vãos livres arrojados e amplos beirais.

Leia mais

Sistemas Estruturais para Mezaninos

Sistemas Estruturais para Mezaninos Sistemas Estruturais para Mezaninos Concepção Estrutural Alexandre Landesmann FAU-UFRJ UFRJ AMA & PIN Prof Alexandre Landesmann FAU/UFRJ 27/03/2007 1 Funções... Suportar e conduzir as ações a verticais

Leia mais

www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos

www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos A TORCISÃO A Torcisão foi fundada em 1968, iniciando suas atividades na fabricação de peças para a indústria automobilística. Em 2006, o grupo se expandiu e fundou

Leia mais

Sobreposição das telhas: Verifique se as sobreposições laterais e longitudinais estão seguindo as especificações do Manual de Instalação.

Sobreposição das telhas: Verifique se as sobreposições laterais e longitudinais estão seguindo as especificações do Manual de Instalação. RECEITA PRÁTICA PARA UMA BOA INSTALAÇÃO Madeiramento: Verifique se os ripões ou sarrafos foram bem fixados e distribuídos sobre os caibros com o espaçamento correto para o assentamento e fixação das telhas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE ENGENHARIA FLORESTAL DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA FLORESTAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE ENGENHARIA FLORESTAL DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA FLORESTAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE ENGENHARIA FLORESTAL DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA FLORESTAL ESTRUTURAS DE MADEIRA PARA COBERTURAS, SOB A ÓTICA DA NBR 7190/1997 NORMAN BARROS LOGSDON CUIABÁ,

Leia mais