Saber /10/2010 Revisão: 19/09/11 Roney Alves dos Santos Walter Maciel Apoio: Emílio Miranda

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Saber 2.0. 13/10/2010 Revisão: 19/09/11 Roney Alves dos Santos Walter Maciel Apoio: Emílio Miranda"

Transcrição

1 Saber /10/2010 Revisão: 19/09/11 Roney Alves dos Santos Walter Maciel Apoio: Emílio Miranda

2

3 Conteúdo 1. Netserver Servidor de Serviços de Rede DHCP - Dynamic Host Configuration Protocol ATFPT - Advanced Trivial File Transfer Protocol NFS - Network File System NTP - Network Time Protocol Squid Dansguardian Munin Apache Cups Usuários SSH - Secure Shell APT - Advanced Packaging Tool Thinclient Infra Estrutura SSH ALSA - Advanced Linux Sound Architecture Munin Inittab e Mingetty Xorg LXDE - Lightweight X11 Desktop Environment Área de Trabalho Papel de Parede Icones Navegador Firefox Pacotes Instalados 45 Saber 2.0 Página 1

4 Objetivo D evido ao rápido e constante avanço dos softwares e da Internet, é exigido servidores cada vez mais potentes e caros onde nem sempre são suficientes para suprir a crescente demanda. Por outro lado, equipamentos antes considerados defasados tecnicamente com desempenho pífio se comparado com Desktops, os chamados Thinclients recentemente receberam atenção especial dos Fabricantes alcançando desempenho semelhante ao de Desktops modernos e com o atrativo do baixíssimo custo e simples manutenção, vem se tornando um ótimo candidato a substituição dos velhos e custosos Desktops. Entretanto não existe no mercado um Sistema Operacional que seja capaz de usufruir de todo esse potencial sem ser instalado em um Disco Rígido local, ou um poderoso servidor oferecendo um sistema totalmente pela rede gerando grande tráfego na rede, reduzindo o desempenho global do sistema. Então surgiu a pergunta Como usufruir totalmente dessa nova arquitetura dos Thinclients, diminuindo o consumo excessivo do servidor?. Foi com esse desafio tecnológico que iniciei o projeto Saber 2.0 com grandes contribuições dos Srs. Emílio Miranda, Walter Maciel e Rogério Maues. Esta documentação tem o propósito de fornecer informações técnicas do funcionamento do sistema, assim como diversas peculiaridades, dessa forma tanto outros desenvolvedores como os analistas tenham por onde começar a entender esse novo sistema. Roney Alves Saber 2.0 Página 2

5 Saber 2.0 O Saber 2.0 é um sistema baseado nos pacotes da distribuição Gnu/Linux Debian 6.0 Squeeze para funcionar como servidor de Thinclients oferecendo uma excelente infra-estrutura para um ambiente de inclusão digital e principalmente aprimoramento profissional, uma vez que o objetivo principal é de oferecer softwares de aplicação profissional em diversas áreas. Diferente das versões anteriores onde o servidor além de manter todos os serviços de rede como proxy, compartilhamento de arquivos, filtro de conteúdos, servidor de impressão, etc., também processa todos os programas e todo o ambiente dos thinclients que por sua vez processa apenas uma mini-distro que oferece infra-estrutura para o hardware. Dessa forma o servidor deve possuir um hardware potente para atender a demanda de mais de 20 thinclients. O Saber 2.0 caminha no sentido contrário a isso tudo, o servidor (intitulado de Netserver) tem por princípio oferecer aos thinclients apenas a infra-estrutura de rede, ou seja, apenas os serviços destinados a rede tais como proxy, filtro de conteúdo, distribuição de IPs, compartilhamento de arquivos, servidor de impressão, etc. sem ter de processar qualquer programa que esteja funcionando nos thinclients. Quando um thinclient é ligado ele recebe do servidor uma imagem de um sistema operacional completo que também é baseado no Gnu/Debian, ele carrega o sistema inteiro na sua RAM e por esse motivo dispensa qualquer dispositivo de armazenamento com um HD ou uma memória Flash. Essa estrutura só se tornou viável quando os thinclients começaram a ser fabricado com mais de 1GB de RAM, pois como tudo é carregado diretamente na RAM, transformando-a em um disco virtual, o espaço tem que ser consideravelmente maior do que a imagem do sistema. A vantagem de o sistema rodar inteiramente no thinclient é a de além de aproveitar melhor a sua performance e a possibilidade de incluir softwares mais pesados e aprimorados, não se faz mais necessário ter um servidor cada vez mais robusto e mais caro, podendo inclusive aproveitar servidores, que atualmente são lentos para a demanda do Saber Lenny, serem mais do que suficientes para atender todas as necessidades do Saber 2.0 podendo até triplicar ou quadruplicar a quantidade de thinclients conectados a um mesmo servidor sem haver perda de performance, tendo como limite apenas a infra estrutura de rede. Saber 2.0 Página 3

6 1. Netserver Servidor de Serviços de Rede 1.1 DHCP - Dynamic Host Configuration Protocol É um protocolo de serviço do TCP/IP que é responsável pela distribuição dinâmica de endereços IP e outros parâmetros de configuração dos clientes da rede. Ele é o primeiro serviço a ser solicitado pelo cliente através da placa de rede que possui a tecnologia PXE (Preboot Execution Environment). No Saber 2.0 o DHCP possui uma configuração personalizada e é constituída da seguinte maneira: O arquivo de configuração é o /etc/dhcp/dhcpd.conf e a opção filename "/pxelinux.0"; informa que o gerenciador de boot será o PXE que solicitará o kernel através do TFTP (Trivial File Transfer Protocol). O arquivo ainda contém informações sobre cada cliente, atrelando a este o IP, MAC-ADDRESS e hostname conforme o exemplo abaixo: -- /etc/dhcp/dhcpd.conf # Os usuários devem estar cadastrados corretamente neste arquivo, conforme exemplo abaixo. # Somente dessa forma os clientes idenficarao o usuarios correspondentes. Server-identifier ; #ignore unknown-clients; ddns-update-style ad-hoc; default-lease-time 600; max-lease-time 1600; option subnet-mask ; option broadcast-address ; option routers ; option domain-name "saber.local"; option domain-name-servers ; option root-path " :/opt/saber/root"; filename "/pxelinux.0"; #filename "/ client.etb"; next-server ; option option-128 code 128 = string; option option-129 code 129 = text; if substring (option vendor-class-identifier,0,9)="pxeclient" { filename "/pxelinux.0"; } else if substring (option vendor-class-identifier,0,9)="etherboot" { Saber 2.0 Página 4

7 } filename "/ client.etb"; subnet netmask { range ; } group { host ecid1 { hardware ethernet 00:30:18:d0:3c:6b; fixed-address ; option host-name "ecid1"; } } -- EOF Se o administrador do sistema não optar por incluir as configurações dos clientes, o DCHP irá fornecer os dados corretamente, entretanto sem ordem específica para cada usuário. Um ponto bastante importante é a linha option domain-name-servers ; que identifica qual o DNS vai ser passado para os Clientes, no caso está configurado para o DNS do Google. Essa linha será bastante utilizada quando for necessário que os clientes acessem a internet de forma direta sem passar pelo proxy. Saber 2.0 Página 5

8 1.2 ATFPT - Advanced Trivial File Transfer Protocol É o serviço responsável pela entrega do Kernel e do initrd ao cliente, ele é ideal para servir grandes solicitações de inicialização simultânea, sua configuração é bastante peculiar e pode ser vista no arquivo /opt/saber/boot/pxelinux.cfg/default. O arquivo possui informações importantes para inicialização do Kernel, tais como endereço IP do servidor, resolução do terminal e localização da imagem que contém o sistema cliente. -- /opt/saber/boot/pxelinux.cfg/default append root=/dev/nfs initrd=initrd.img nfsroot= ip=dhcp quiet vga=791 noapic pci=noacpi imagetoram=saber.img nfsmnt=/opt -- EOF 1.3 NFS - Network File System O NFS é o servidor de compartilhamento de arquivos e diretórios, é através dele que se torna possível armazenar os documentos gerados pelos usuários nos clientes em seu diretório pessoal, uma vez que os clientes não possuem dispositivos físicos de armazenamento. È também responsável pelo compartilhamento da imagem que contém o sistema cliente localizado em /opt/saber.img. Portanto o HOME utilizado pelo cliente, na realidade é o HOME do servidor exportado e montando remotamente por cada cliente em seu respectivo usuário obedecendo às regras do sistema Unix de arquivos. Seu arquivo de configuração é o /etc/exports -- /etc/exports /home/ / (rw,no_root_squash,no_subtree_check,sync,no_al l_squash) /opt/ / (ro,no_root_squash,no_subtree_check,sync,no_al l_squash) -- EOF Saber 2.0 Página 6

9 1.4 NTP - Network Time Protocol O NTP é o protocolo encarregado de manter a data e hora dos clientes atualizadas, para isso ele utiliza o daemon NTPD que estabelece a data e hora através da internet ou utiliza-se a configuração atual do seu próprio sistema, no caso aquele que estiver configurado no Netserver. Seu arquivo de configuração é /etc/ntp.conf. -- /etc/ntp.conf server fudge stratum EOF Saber 2.0 Página 7

10 1.5 Squid É o servidor proxy do Netserver encarregado a fornecer aos clientes páginas HTTP, HTTPS, FTP entre outros. Apesar de ser um excelente servidor proxy com muitas atribuições, no Saber ele está encarregado apenas para fornecer um cache de internet com a intenção de acelerar a navegação dos clientes, diminuindo consideravelmente o consumo do link de internet. O arquivo de configuração do squid é /etc/squid/squid.conf. Com ele também se torna possível se conectar a um outro servidor proxy através das seguintes opções, bastando apenas inserir o IP e a Porta do proxy PAI: -- /etc/squid/quid.conf cache_peer IP parent PORT 0 no-query never_direct allow all -- EOF O Squid trabalha através da porta A localização dos arquivos de cache é /var/cache/squid pode ser ajustada através do parâmetro cache_dir onde 64 é o tamanho do cache, 16 é a quantidade de pastas e 256 a quantidade de subpastas. Algumas vezes pode ser necessária a liberação de uma porta no squid para liberar funcionalidades de algum site específico, para isso basta acrescentar mais uma ACL contendo a porta como no exemplo abaixo: -- /etc/squid/squid.conf acl Safe_ports port # https, snews -- EOF Saber 2.0 Página 8

11 1.6 Dansguardian O Dansguardian é o filtro de conteúdo do Saber, sua função é analisar os sites acessados pelos usuários e verificar se este site pode conter conteúdo inadequado através de um complexo cruzamento de informações. O navegador solicita uma página ao Dansguardian, este solicita ao Squid, o squid retorna e o Dansguardian analisa o site e devolve ou bloqueia o site ao navegador do usuário. Suas configurações são bastante flexíveis e podem ser alteradas através de arquivos em /etc/dansguardian, é possível acertar o peso das palavras, exceções de sites e domínios. O acesso pode ser monitorado através do DGlog através do endereço (Login:tcsaber senha:sabertc), com ele é possível analisar o motivo do site ser bloqueado, auxiliando no ajuste do Dansguardian. A atualização do Dansguardian é feita através do script get_dansguardian que é executado pelo CRON a cada 5 minutos, sua alteração pode ser feita através do comando: -- crontab -e * * * /usr/local/sbin/get_dansguardian.sh > /var/log/get_dansguardian.log 2>&1 -- EOF Saber 2.0 Página 9

12 1.7 Munin O Munin é o programa utilizado para gerar gráficos e relatórios de monitoramento do Servidor e de todos os clientes. Com ele é possível analisar e identificar possíveis gargalos em diversas frentes, antes mesmo que o usuário sinta o reflexo de um sistema problemático. Diferente de outros programas de monitoramento, ele abrange quase todo funcionamento do computador dando ao analista responsável uma grande quantidade de informações em tempo real. Foi configurado para recolher informações do servidor e de todos os clientes conectados a ele gerando gráficos em ciclos de 5 minutos. Em cada cliente um daemon do munin (munin-node) coleta informações locais e envia ao servidor do munin. Pode ser acessado através do endereço compartilha login e senha do DGlog que podem ser alteradas através do arquivo /etc/apache2/.dglog com comando htpasswd. Saber 2.0 Página 10

13 1.8 Apache O servidor HTTP do Saber, tem por função fornecer infra-estrutura para os serviços DGlog e Munin. Pode ser utilizado em aulas de PHP, já que possui o módulo PHP, entretanto necessita de configuração específica para tal. A pasta /etc/apache2 possui os arquivos de configuração, inclusive os relacionados com o Munin e DGlog /etc/apache2/sites-available/000-default -- /etc/apache2/sites-available/000-default AuthUserFile /etc/apache2/.dglog -- EOF Saber 2.0 Página 11

14 1.9 Cups Servidor de impressão do Saber, o Cups pode ser configurado de diversas formas de acordo com a necessidade. Podem-se configurar impressoras locais ou de rede e compartilhá-las com os clientes. É possível ainda gerenciar as impressoras pelo frontend através do endereço quando conectado diretamente no servidor, ou quando conectado a qualquer cliente da rede. O Cups do servidor (Netserver) compartilha a impressora ao Cups de cada cliente. Para fazer alterações administrativas no Cups, é necessário autenticar-se como root, por exemplo, ao configurar ou deletar uma impressora. Para ações como deletar trabalhos de impressão ou configurar a impressora para rejeitar trabalhos é necessário autenticar-se com o usuário 'admin' e senha 'admin', logicamente a senha pode ser alterada com o comando passwd conforme a necessidade. Saber 2.0 Página 12

15 1.10 Usuários Os usuários foram criados com uma ordem pré-definida, começam com ecid e terminam com a numeração de 1 a 25, podem ser adicionados mais usuários conforme a necessidade. Todos possuem suas pastas pessoais armazenadas no home do servidor (Netserver), montadas através do NFS. Os usuários criados no servidor são, portanto replicados aos clientes no momento de boot de cada um, portanto os mesmos usuários e senhas são idênticos tanto no Netserver quanto nos clientes, inclusive o root. Desta forma é imprescindível que se tenha uma senha de root forte, já que a senha pré-configurada é '1' e cada usuário ecid não possui senha configurada, uma vez que não há necessidade de efetuar um logon. Os usuários seguem as mesmas características de um usuário Unix, aumentando a segurança de cada sessão e arquivos. Caso seja necessária a inclusão de um novo usuário, siga os procedimentos abaixo: 1 - Crie o usuário no sistema com o seguinte comando: adduser --gecos ecidn --ingroup users --disable-password ecidn 2 - Adicione o novo usuário ao arquivo /etc/hosts, obedecendo a sua rede: -- /etc/hosts ecid1 -- EOF 3 - Adicione o usuário no servidor DHCP: -- /etc/dhcp/dhcpd.conf host ecid1 { hardware ethernet 00:30:18:d0:3c:6b; fixed-address ; option host-name "ecid1"; } -- EOF Não existem limites para a inclusão de usuários, apenas deve ser visto com atenção a largura de banda para a inicialização dos clientes, uma vez que a imagem do sistema transmitido pela rede é maior que 600MB. 10 clientes levam em torno de 1 minuto para estarem prontos para uso em uma rede onde o servidor possui uma placa de rede Gigabit, esse tempo aumenta conforme a quantidade de clientes conectados ao servidor. Saber 2.0 Página 13

16 1.12 SSH - Secure Shell O SSH simultaneamente, um programa de computador e um protocolo de rede que permite a conexão com outro computador na rede, de forma a executar comandos de uma unidade remota. Dessa forma é possível intervir no sistema sem ter a necessidade de um analista presente fisicamente. No Saber o SSH é utilizado também em conexões do servidor durante o boot do cliente, por isso existem chaves na pasta /root/.ssh para que não seja solicitada senha. Por motivo de segurança as chaves utilizadas pelo root do cliente, são apagadas assim que a conexão é finalizada. Nunca apague a pasta /root/.ssh do servidor, pois as chaves seriam perdidas e nenhum cliente conseguiria funcionar corretamente APT - Advanced Packaging Tool O APT é um gerenciador de pacotes para o Sistema Operacional GNU/Linux Debian e derivados como o Saber, uma vez que é baseado no Debian Squeeze. Ele é utilizado para instalar novos programas ou removê-los, para isto basta utilizar o comando aptitude ou o apt-get. Foi criado um repositório no site dos Telecentros para facilitar a manutenção e atualização do sistema. O repositório pode ser configurado conforme a necessidade veja abaixo como estão as configurações: -- /etc/apt/source.lst deb saber2 main deb squeeze main deb squeeze/updates main -- EOF Em alguns locais a conexão é feita através de um Proxy-Pai no qual o Squid se conecta, portanto para que o APT funcione corretamente através do Squid é necessário informá-lo conforme a configuração abaixo: -- /etc/apt/apt.conf Acquire::http::Proxy "http:// :3126"; -- EOF Saber 2.0 Página 14

17 2. Thinclient Foi desenvolvido um sistema operacional também baseado nos pacotes do Gnu/Linux Debian 6.0 Squeeze e de soluções adotadas em outros sistemas como Knoppix e Netram, onde sua principal característica é a de funcionar completamente pela RAM. A idéia era a de funcionar como as distribuições LiveCd, que carregam através do CDROM sem a necessidade de serem instalados, mas ao invés de ser carregado pelo CDROM, ser carregado diretamente na RAM do thinclient e depois inicializado com um sistema instalado localmente mas com um grande diferencial que é aproveitar a velocidade da RAM evitando os possíveis gargalos de rede ou de dispositivos de armazenamento locais. O funcionamento é de um sistema thinclient normal a diferença é que ao invés de o thinclient montar um sistema básico através do NFS ele monta um sistema completo na RAM seguindo os mesmos preceitos de uma mini-distro. A imagem é compactada em squashfs e para fazer qualquer alteração no sistema deve-se descompactá-la utilizando o comando unsquashfs Saber 2.0 Página 15

18 2.1 Infra Estrutura Após o carregamento do Kernel através do PXE e do ATFTP explicados anteriormente, uma série de scripts entram em ação para criar a infra-estrutura necessária para ter um ambiente funcional e autenticado automaticamente, veremos alguns deles: O Script 'infra.sh' é o primeiro script fora do padrão Debian a ser executado, ele analisa e configura a interface de rede para que o binário 'estrutura' se encarregue de configurar o hostname, criar e gerenciar a infra-estrutura para o servidor de impressão, inclusão de usuários e grupos clonando-os do Netserver para que ao montar o home de cada usuário não haja incompatibilidades. A configuração da data e hora é feita através do comando 'ntpdate' que busca o servidor de Tempo no Netserver sincronizando o thinclient com servidor. Um ponto importantíssimo nesse script é o fato de ao invés de tratar o Netserver como um IP na rede, ele é tratado pelo seu hostname. Dessa forma todo o sistema que roda no thinclient não precisa de scripts que ficam trocando IP de cada aplicação complicando toda a manutenção do sistema. -- /etc/init.d/infra.sh for ETH in eth0 do TMP=$(LC_ALL=C /sbin/ifconfig $ETH grep inet sed 's/^\ \+//g;s/bcast.*//;s/[a-z :]//g') if [! -z "$TMP" ] then export IP=$TMP export IPSERVER=$(echo $IP cut -d'.' -f4 --complement) fi done dhclient eth0 ntpdate netserver 2> /dev/null & exec estrutura -- EOF Saber 2.0 Página 16

19 2.2 SSH Outra função do binário é conectar-se ao Netserver através do SSH utilizando as chaves públicas guardadas em /root/.ssh sendo removidas no final de todo o processo por questão de segurança. O SSH foi configurado para não questionar quando o MAC-ADDRESS não bate com o seu know_hosts. -- /etc/ssh/ssh_config Host * # ForwardAgent no # ForwardX11 no # ForwardX11Trusted yes # RhostsRSAAuthentication no # RSAAuthentication yes # PasswordAuthentication yes # HostbasedAuthentication no # GSSAPIAuthentication no # GSSAPIDelegateCredentials no # GSSAPIKeyExchange no # GSSAPITrustDNS no # BatchMode no # CheckHostIP no # AddressFamily any # ConnectTimeout 0 StrictHostKeyChecking no # IdentityFile ~/.ssh/identity # IdentityFile ~/.ssh/id_rsa # IdentityFile ~/.ssh/id_dsa # Port 22 # Protocol 2,1 # Cipher 3des # Ciphers aes128-ctr,aes192-ctr,aes256- ctr,arcfour256,arcfour128,aes128-cbc,3des-cbc # MACs # EscapeChar ~ # Tunnel no # TunnelDevice any:any # PermitLocalCommand no # VisualHostKey no # ProxyCommand ssh -q -W %h:%p gateway.example.com SendEnv LANG LC_* HashKnownHosts yes GSSAPIAuthentication yes GSSAPIDelegateCredentials no -- EOF Saber 2.0 Página 17

20 2.3 ALSA - Advanced Linux Sound Architecture O próximo passo é configurar os controles de áudio através do Alsa e ironicamente utilizando o script do aumix :-). O aumix foi descartado, pois não foi possível configurar corretamente os níveis de áudio traseiros e frontais dos clientes mais novos que possuem a INTEL HD. -- /etc/init.d/aumix AMIXER () { echo "Configurando níveis de áudio" amixer -c 0 sset Master,0 80%,80% unmute cap > /dev/null 2> /dev/null amixer -c 0 sset PCM,0 80%,80% unmute cap > /dev/null 2> /dev/null amixer -c 0 sset PCM2,0 60%,60% unmute cap > /dev/null 2> /dev/null amixer -c 0 sset CD,0 60%,60% unmute cap > /dev/null 2> /dev/null amixer -c 0 sset Surround,0 70%,70% unmute cap > /dev/null 2> /dev/null amixer -c 0 sset Front,0 90%,90% unmute cap > /dev/null 2> /dev/null amixer -c 0 sset Line,0 60%,60% unmute cap > /dev/null 2> /dev/null amixer -c 0 sset Mic,0 60%,60% unmute cap > /dev/null 2> /dev/null amixer -c 0 sset "Front Mic",0 60%,60% unmute cap > /dev/null 2> /dev/null } AMIXER -- EOF Saber 2.0 Página 18

21 2.4 Munin O Munin é uma grande evolução, é a primeira vez que será possível analisar em tempo real e via web todo o comportamento do sistema e do hardware do thinclient, ou seja, é possível não acompanhar apenas o servidor, mas também todos os thinclients conectados a ele. Assim o analista técnico pode prever e corrigir erros antes mesmo que eles venham a prejudicar o usuário, essa é uma excelente ferramenta de auxílio técnico. O Binário 'estrutura' se encarrega de alterar o comentário "#controle" para o IP correto do Netserver, uma vez que o arquivo de configuração do munin-node funcionou corretamente ao incluirmos o hostname. -- /etc/munin/munin-node.conf log_level 4 log_file /var/log/munin/munin-node.log pid_file /var/run/munin/munin-node.pid background 1 setsid 1 user root group root # Regexps for files to ignore ignore_file ~$ #ignore_file [#~]$ # FIX doesn't work. '#' starts a comment ignore_file DEADJOE$ ignore_file \.bak$ ignore_file %$ ignore_file \.dpkg-(tmp new old dist)$ ignore_file \.rpm(save new)$ ignore_file \.pod$ # Set this if the client doesn't report the correct hostname when # telnetting to localhost, port 4949 # host_name #controle1 # A list of addresses that are allowed to connect. This must be a # regular expression, since Net::Server does not understand CIDR-style # network notation unless the perl module Net::CIDR is installed. You # may repeat the allow line as many times as you'd like allow ^127\.0\.0\.1$ allow #controle2 # If you have installed the Net::CIDR perl module, you can use # multiple cidr_allow and cidr_deny address/mask patterns. A # connecting client must match any cidr_allow, and not match any # cidr_deny. Example: Saber 2.0 Página 19

22 # cidr_allow /32 # cidr_allow /24 # cidr_deny /32 # Which address to bind to; host * # host # And which port port EOF Saber 2.0 Página 20

23 2.5 Inittab e Mingetty O arquivo inittab foi alterado para utilizar o programa de autenticação automática mingetty para conectar o usuário sempre baseando no hostname do thinclient facilitando a integração de todo o sistema. O mingetty traz o benefício de ser um pacote integrante dos espelhos Debian não necessitando baixar e compilar o fonte como era feito com autologin. -- /etc/inittab # What to do when CTRL-ALT-DEL is pressed. ca:12345:ctrlaltdel:/sbin/shutdown -t1 -a -r now # Action on special keypress (ALT-UpArrow). #kb::kbrequest:/bin/echo "Keyboard Request--edit /etc/inittab to let this work." # What to do when the power fails/returns. pf::powerwait:/etc/init.d/powerfail start pn::powerfailnow:/etc/init.d/powerfail now po::powerokwait:/etc/init.d/powerfail stop # /sbin/getty invocations for the runlevels. # # The "id" field MUST be the same as the last # characters of the device (after "tty"). # # Format: # <id>:<runlevels>:<action>:<process> # # Note that on most Debian systems tty7 is used by the X Window System, # so if you want to add more getty's go ahead but skip tty7 if you run X. # #1:2345:respawn:/sbin/getty tty1 1:23:respawn:/sbin/mingetty --autologin HOSTNAME tty1 2:23:respawn:/sbin/getty tty2 #3:23:respawn:/sbin/getty tty3 #4:23:respawn:/sbin/getty tty4 #5:23:respawn:/sbin/getty tty5 #6:23:respawn:/sbin/getty tty6 # Example how to put a getty on a serial line (for a terminal) # #T0:23:respawn:/sbin/getty -L ttys vt100 #T1:23:respawn:/sbin/getty -L ttys vt EOF Saber 2.0 Página 21

24 2.6 Xorg Após a autenticação automática do usuário ecidn feita pelo mingetty, o arquivo profile é executado. Através dele é possível efetuar a detecção das configurações de vídeo utilizadas pelo Xorg, esse arquivo foi aproveitado do Saber Lenny. Um ponto importante é que o script faz alterações no xorg.conf utilizando o sed e por esse mesmo motivo o xorg.conf original deve ser alterado com muita atenção para não inutilizar o script de detecção. -- /etc/profile echo -e "Aguarde detectando a placa de video" DEVS=$(/usr/sbin/xdebconfigurator 2>&1 egrep 'VIDEO CARD: VIDEO DRIVER: MONITOR DEFAULT DEPTH: MONITOR HOR MONITOR VER MOUSE DEVICE:') CARD=$(echo -e "$DEVS" awk '/CARD/ {print $3}') VIDEO=$(echo -e "$DEVS" awk '/DRIVER/ {print $3}') DEPTH=$(echo -e "$DEVS" awk '/DEPTH/ {print $4}') HSYNC=$(echo -e "$DEVS" awk '/HOR/ {print $4}') VREFR=$(echo -e "$DEVS" awk '/REF/ {print $4}') MOUSE=$(echo -e "$DEVS" awk '/MOUSE/ {print $3}') cp -a /etc/x11/xorg.conf.old /tmp/xorg.conf if [ $VIDEO = ati ]; then VIDEO=vesa fi if [ $CARD = VIA ]; then VIDEO=openchrome fi if [ $VIDEO = i810 ]; then VIDEO=intel fi if [! -z $VIDEO ] && [ $VIDEO!= unknown ]; then sed -i "s/vesa/$video/" /tmp/xorg.conf fi if [! -z $DEPTH ]; then sed -i "s/defaultdepth \+8/DefaultDepth $DEPTH/" /tmp/xorg.conf fi if [! -z $HSYNC ]; then sed -i "s/ /$hsync/" /tmp/xorg.conf fi if [! -z $VREFR ]; then sed -i "s/50-70/$vrefr/" /tmp/xorg.conf fi if [ $MOUSE = '/dev/ttys0' ]; then sed -i "s/#servermouse/inputdevice /tmp/xorg.conf \"Serial Mouse\"/" Saber 2.0 Página 22

25 sed -i s:'#inputmouse':"section \"Input Device\"\n Identifier \"Serial Mouse\"\n Driver \"mouse\"\n Option \"CorePointer\"\n Option \"Device\" \"/dev/ttys0\"\n Option \"Protocol\" \"Microsoft\"\n Option \"Emulate3Buttons\" \"true\"\nendsection":g /tmp/xorg.conf fi clear if [ -e /etc/imagetoram ]; then while true; do done else fi -- EOF /usr/local/sbin/session 2> /dev/null startx 2>&1 > /dev/null xinit -- /usr/bin/x11/x 2>&1 > /dev/null -- /etc/x11/xorg.conf.old Section "ServerLayout" Identifier "X.org Configured" Screen 0 "Screen0" 0 0 InputDevice "Keyboard0" "CoreKeyboard" #servermouse EndSection Section "Files" RgbPath ModulePath FontPath FontPath FontPath FontPath FontPath FontPath FontPath EndSection "/etc/x11/rgb" "/usr/lib/xorg/modules" "/usr/share/fonts/x11/misc" "/usr/share/fonts/x11/100dpi/:unscaled" "/usr/share/fonts/x11/75dpi/:unscaled" "/usr/share/fonts/x11/type1" "/usr/share/fonts/x11/100dpi" "/usr/share/fonts/x11/75dpi" "/usr/share/fonts/x11/encodings" Section "Module" # Load "glx" Load "extmod" # Load "xtrap" # Load "record" # Load "GLcore" # Load "dbe" Load "dri" Load "ddc" EndSection Section "ServerFlags" Option "DontZap" "false" Saber 2.0 Página 23

26 EndSection Section "InputDevice" Identifier "Keyboard0" Driver "kbd" Option "CoreKeyboard" Option "XkbRules" "xorg" Option "XkbModel" "abnt2" Option "XkbLayout" "br" Option "XkbVariant" "abnt2" Option "XkbOptions" "abnt2" EndSection #inputmouse Section "Monitor" Identifier "Monitor0" HorizSync VertRefresh Option "DPMS" EndSection Section "Device" Identifier "Card0" Driver "vesa" EndSection Section "Screen" Identifier "Screen0" Device "Card0" Monitor "Monitor0" DefaultDepth 16 SubSection "Display" Depth 16 Modes 1280x720 "1024x768" EndSubSection EndSection -- EOF Assim que o Xorg é chamado, ele executa o xinitrc onde podemos utilizá-lo para algumas alterações como no caso abaixo ao invocar o 'ck-launch-session': -- /etc/x11xinit/xinitrc #!/bin/sh # /etc/x11/xinit/xinitrc # # global xinitrc file, used by all X sessions started by xinit (startx) # invoke global X session script #. /etc/x11/xsession exec ck-launch-session startlxde --EOF Saber 2.0 Página 24

27 2.7 LXDE - Lightweight X11 Desktop Environment O LXDE foi o ambiente gráfico escolhido para compor o Saber 2.0 principalmente por ser um ambiente leve e possui as mesmas características básicas do gnome, dessa maneira é minimizado o impacto de uma mudança tão drástica para o usuário. Foram feitas diversas alterações para construir um tema que tivesse a mesma facilidade para o usuário sem perder o ar de novidade. Essas alterações foram feitas nos arquivos de configuração do LXDE. -- /usr/share/lxsession/lxde/desktop.conf <?xml version="1.0" encoding="utf-8"?> <!-- Do not edit this file, it will be overwritten on install. Copy the file to $HOME/.config/openbox/ instead. --> <openbox_config xmlns="http://openbox.org/3.4/rc"> <resistance> <strength>10</strength> <screen_edge_strength>20</screen_edge_strength> </resistance> <focus> <focusnew>yes</focusnew> <!-- always try to focus new windows when they appear. other rules do apply --> <followmouse>no</followmouse> <!-- move focus to a window when you move the mouse into it --> <focuslast>yes</focuslast> <!-- focus the last used window when changing desktops, instead of the one under the mouse pointer. when followmouse is enabled --> <undermouse>no</undermouse> <!-- move focus under the mouse, even when the mouse is not moving -- > <focusdelay>200</focusdelay> <!-- when followmouse is enabled, the mouse must be inside the window for this many milliseconds (1000 = 1 sec) before moving focus to it --> <raiseonfocus>no</raiseonfocus> <!-- when followmouse is enabled, and a window is given focus by moving the mouse into it, also raise the window --> </focus> <placement> <policy>smart</policy> <!-- 'Smart' or 'UnderMouse' --> <center>yes</center> <!-- whether to place windows in the center of the free area found or the top left corner --> <monitor>any</monitor> Saber 2.0 Página 25

Saber 3. Documentação do Sistema. Roney Alves dos Santos Walter Maciel Junior Supervisão: Rogério Maues. São Paulo, 08 de Novembro de 2013 -(versão 2)

Saber 3. Documentação do Sistema. Roney Alves dos Santos Walter Maciel Junior Supervisão: Rogério Maues. São Paulo, 08 de Novembro de 2013 -(versão 2) Saber 3 Documentação do Sistema Roney Alves dos Santos Walter Maciel Junior Supervisão: Rogério Maues São Paulo, 08 de Novembro de 2013 -(versão 2) Sumário Netserver Servidor de Rede...8 DHCP Dinamyc

Leia mais

Sistema Operacional Saber Gnu/Linux Prefeitura de São Paulo

Sistema Operacional Saber Gnu/Linux Prefeitura de São Paulo Sistema Operacional Saber Gnu/Linux Prefeitura de São Paulo Descrição Sistema operacional baseado na distribuição Debian-Linux. Otimizado para o ambiente de terminais gráficos remotos. Customizado para

Leia mais

Linux System Administration 455

Linux System Administration 455 Linux System Administration 455 Nome do curso que é modificado no Slide Mestre Slide 1 2 Nome do curso que é modificado no Slide Mestre Slide 1 3 Há basicamente quatro formas de configurar o servidor X,

Leia mais

Capítulo 20 Servidor X

Capítulo 20 Servidor X Servidor X - 296 Capítulo 20 Servidor X 201 Objetivos Configurar a interface gráfica para os usuários comuns; Conhecer o arquivo de configuração; Instalar e configurar os Display Managers; Instalar e configurar

Leia mais

HOWTO de LTSP v4.1 no Debian Sarge : * LTSP como Servidor de Terminais GNU/Linux:

HOWTO de LTSP v4.1 no Debian Sarge : * LTSP como Servidor de Terminais GNU/Linux: HOWTO de LTSP v4.1 no Debian Sarge : * LTSP como Servidor de Terminais GNU/Linux: O LTSP (Linux Terminal Server Project) é uma solução que agrega um conjunto de serviços, de forma que máquinas clientes

Leia mais

LTSP - Documentação para instalação sobre plataforma LibertasBR

LTSP - Documentação para instalação sobre plataforma LibertasBR LTSP - Documentação para instalação sobre plataforma LibertasBR Projeto LibertasBR http://www.libertasbr.org.br 15 de junho de 2005 Introdução O LTSP (Linux Terminal Server Project) é um conjunto de ferramentas

Leia mais

User Guide Manual de Utilizador

User Guide Manual de Utilizador 2400 DPI OPTICAL GAMING MOUSE User Guide Manual de Utilizador 2014 1Life Simplify it All rights reserved. www.1-life.eu 2 2400 DPI OPTICAL GAMING MOUSE ENGLISH USER GUIDE...4 MANUAL DE UTILIZADOR PORTUGUÊS...18

Leia mais

Linux Network Servers

Linux Network Servers Configuração do Servidor Samba como controlador primário de domínio (PDC). O objetivo desse roteiro é mostrar como configurar um servidor Samba PDC compartilhando o diretório home, impressora e um diretório

Leia mais

X Windows System. - É um sistema de Janelas com arquitetura clienteservidor criado nos anos 80 no MIT.

X Windows System. - É um sistema de Janelas com arquitetura clienteservidor criado nos anos 80 no MIT. - É um sistema de Janelas com arquitetura clienteservidor criado nos anos 80 no MIT. - Padrão no mundo Unix e Linux. - Especificação Aberta, existe diversas implementações. A mais conhecida é o Xfree86

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Prof. Rossano Pablo Pinto Dezembro/2012 Versão 0.2 (em construção) Prof. Rossano Pablo Pinto - http://rossano.pro.br 1

Prof. Rossano Pablo Pinto Dezembro/2012 Versão 0.2 (em construção) Prof. Rossano Pablo Pinto - http://rossano.pro.br 1 Visão geral sobre o processo de instalação e manutenção de instalações de software. Notas de aula. (aka lecture notes on Package Management Systems and software installation :)) Prof. Rossano Pablo Pinto

Leia mais

Compilação de Programas a partir do código-fonte:

Compilação de Programas a partir do código-fonte: Compilação de Programas a partir do código-fonte: Descompactação do pacote com: # tar xvzf pacote.tar.gz (zipado) ou # tar xvjf pacote.tar.bz (bzipado) legenda: x: extrai (todo.tar é um saco de arquivos

Leia mais

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Autor: Alexandre F. Ultrago E-mail: ultrago@hotmail.com 1 Infraestrutura da rede Instalação Ativando o usuário root Instalação do Webmin Acessando o Webmin

Leia mais

Utilizando VNC em conjunto com VRVS

Utilizando VNC em conjunto com VRVS Utilizando VNC em conjunto com VRVS 1) O pacote VNC O pacote VNC é utilizado para o compartilhamento do desktop de um usuário/host para outros usuários/hosts de forma remota. Esta ferramenta possibilita

Leia mais

STK (Start Kit DARUMA) Ambiente LTSP 4.2 com MT1000LX/TA2000LX Daruma

STK (Start Kit DARUMA) Ambiente LTSP 4.2 com MT1000LX/TA2000LX Daruma STK (Start Kit DARUMA) Ambiente LTSP 4.2 com MT1000LX/TA2000LX Daruma Esse STK apresentará como montar um servidor provendo imagens Linux para pontas cliente sem HD ou Flash através do protocolo PXE dos

Leia mais

hdd enclosure caixa externa para disco rígido

hdd enclosure caixa externa para disco rígido hdd enclosure caixa externa para disco rígido USER S GUIDE SPECIFICATONS HDD Support: SATA 2.5 Material: Aluminium and plastics Input connections: SATA HDD Output connections: USB 3.0 (up to 5.0Gbps)

Leia mais

Gerenciamento de Redes de Computadores. Pfsense Introdução e Instalação

Gerenciamento de Redes de Computadores. Pfsense Introdução e Instalação Pfsense Introdução e Instalação Introdução A utilização de um firewall em uma rede de computadores possui o objetivo básico de proteção relacionado a entrada e saída de dados. Introdução O pfsense é um

Leia mais

SATA 3.5. hd:basic. hdd enclosure caixa externa para disco rígido

SATA 3.5. hd:basic. hdd enclosure caixa externa para disco rígido SATA 3.5 hd:basic hdd enclosure caixa externa para disco rígido hd:basic USER S GUIDE SPECIFICATIONS HDD support: SATA 3.5 Material: Aluminium Input connections: SATA HDD Output connections: USB 2.0

Leia mais

Grupo de Estudos Linux E o logotipo??????? Configurando o servidor X Sumário: O que é o servidor X Um pouco de história Arquitetura Configuração: Estrutura do arquivo xorg.conf Escrevendo nosso próprio

Leia mais

Como é o Funcionamento do LTSP

Como é o Funcionamento do LTSP Instalação e configuração do LTSP 5 no Ubuntu 11.04 Funcionamento do LTSP e Instalação do Servidor Como é o Funcionamento do LTSP O primeiro requisito para que o LSTP funcione bem é ter uma rede de boa

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO LINUX ESSENTIALS Presencial (40h) - À distância (48h) Conhecendo um Novo Mundo Introdução ao GNU/Linux Distribuições GNU/Linux Linux Inside: Instalação Desktop Debian e CentOS Primeiros

Leia mais

Introdução ao Sistema. Características

Introdução ao Sistema. Características Introdução ao Sistema O sistema Provinha Brasil foi desenvolvido com o intuito de cadastrar as resposta da avaliação que é sugerida pelo MEC e que possui o mesmo nome do sistema. Após a digitação, os dados

Leia mais

MTM00008 - MANUAL DE INSTALAÇÃO DE ADEMPIERE NO LINUX DEBIAN

MTM00008 - MANUAL DE INSTALAÇÃO DE ADEMPIERE NO LINUX DEBIAN Processo de instalação: 1-Adicionar ao arquivo /etc/apt/sources.list os pacotes não livres: deb http://http.us.debian.org/debian/ etch main contrib non-free ou algum outro de sua escolha. 2-Instalar o

Leia mais

Easy Linux! FUNAMBOL FOR IPBRICK MANUAL. IPortalMais: a «brainware» company www.iportalmais.pt. Manual

Easy Linux! FUNAMBOL FOR IPBRICK MANUAL. IPortalMais: a «brainware» company www.iportalmais.pt. Manual IPortalMais: a «brainware» company FUNAMBOL FOR IPBRICK MANUAL Easy Linux! Title: Subject: Client: Reference: Funambol Client for Mozilla Thunderbird Doc.: Jose Lopes Author: N/Ref.: Date: 2009-04-17 Rev.:

Leia mais

Accessing the contents of the Moodle Acessando o conteúdo do Moodle

Accessing the contents of the Moodle Acessando o conteúdo do Moodle Accessing the contents of the Moodle Acessando o conteúdo do Moodle So that all the available files in the Moodle can be opened without problems, we recommend some software that will have to be installed

Leia mais

Utilizando subversion como controle de versão

Utilizando subversion como controle de versão Utilizando subversion como controle de versão Heitor Rapcinski Este documento descreverá a utilização de subversion como ferramenta de controle de versão mostrando as facilidades da sua utilização para

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep Secure em um

Leia mais

Linux Network Servers

Linux Network Servers DHCP Podemos configurar a rede de um cliente para obter IP dinamicamente ou configurar um IP estático. Encontramos configuração dinâmica em modems de banda larga, redes Wi-Fi etc, pois é mais prático para

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL FATESG CURSO TÉCNICO EM REDES DE COMPUTADORES. Luís Antônio Neto Wallysson Santos Oliveira

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL FATESG CURSO TÉCNICO EM REDES DE COMPUTADORES. Luís Antônio Neto Wallysson Santos Oliveira FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI DE DESENVOLVIMENTO GERENCIAL FATESG CURSO TÉCNICO EM REDES DE COMPUTADORES Luís Antônio Neto Wallysson Santos Oliveira ADMINISTRADOR DE REDES LINUX (DEBIAN) Goiânia 2011 Luís

Leia mais

Projeto Amadeus. Guia de Instalação 00.95.00 Linux

Projeto Amadeus. Guia de Instalação 00.95.00 Linux Projeto Amadeus Guia de Instalação 00.95.00 Linux Agosto 2010 Sumário 1. Introdução...3 2. Pré-Requisitos...4 2.1 Máquina Virtual Java...4 2.1.1 Instalando JDK via apt-get...4 2.1.2 Instalando JDK a partir

Leia mais

Arquivo smb.conf comentado

Arquivo smb.conf comentado Arquivo smb.conf comentado ######## Seção global #### Define configurações como nome do servidor, grupo de trabalho, e outras. #### Opções definidas aqui tem efeito em todos compartilhamentos, exceto quando

Leia mais

Comandos importantes Virtual Box Linux Compartilhamento

Comandos importantes Virtual Box Linux Compartilhamento Comandos importantes Virtual Box Linux Compartilhamento 1º passo - Acessar Virtual Box plataforma criada dispositivos pasta compartilhadas clicar no botão + no canto direito escolher destino ( Desktop)

Leia mais

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações Manual de Instalação de Telecentros Comunitários Ministério das Comunicações As informações contidas no presente documento foram elaboradas pela International Syst. Qualquer dúvida a respeito de seu uso

Leia mais

Linux Caixa Mágica. Documentos Técnicos CM. Instalação por PXE Boot. Date: Pages: Issue: State: Access: Reference:

Linux Caixa Mágica. Documentos Técnicos CM. Instalação por PXE Boot. Date: Pages: Issue: State: Access: Reference: Linux Caixa Instalação por PXE Boot Date: Pages: Issue: State: Access: Reference: 02207/2005 9 Instalar e Configurar Final Público CM2005-2001 i Approved Version: RR Name Function Signature Date Paulo

Leia mais

Para continuar, baixe o linux-vm aqui: http://www.gdhpress.com.br/downloads/linux-vm.zip

Para continuar, baixe o linux-vm aqui: http://www.gdhpress.com.br/downloads/linux-vm.zip Se, assim como a maioria, você possui um único PC ou notebook, uma opção para testar as distribuições Linux sem precisar mexer no particionamento do HD e instalar o sistema em dualboot, é simplesmente

Leia mais

Sistema Operacional GNU Linux. Sistema de Arquivos Diretório /usr. Conceitos Básicos Pacotes Repositório Código Fonte. Ambiente Menus GConf

Sistema Operacional GNU Linux. Sistema de Arquivos Diretório /usr. Conceitos Básicos Pacotes Repositório Código Fonte. Ambiente Menus GConf Capacitação Linux Sumário 1 Introdução Sistema Operacional GNU Linux 2 Filesystem Hierarchy Standard Introdução Sistema de Arquivos Diretório /usr 3 Instalação de Programas Conceitos Básicos Pacotes Repositório

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS DIRETIVAS DE GRUPO (GPO) Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS DIRETIVAS DE GRUPO (GPO) Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS O que é GPO? Quando falamos sobre GPO (Group Policy Object) devemos pensar em diretiva de grupo. Diretiva de grupo é um conjunto de regras que podemos utilizar a

Leia mais

Novo instalador, com menos etapas, tornado a instalação do Desktop Paraná mais simples para o usuário;

Novo instalador, com menos etapas, tornado a instalação do Desktop Paraná mais simples para o usuário; Debian 5.0 Lenny Este novo lançamento Debian possui vários pacotes de software a mais do que o seu predecessor etch; a distribuição inclui mais de 7.700 novos pacotes, num total de mais de 23.200 pacotes.

Leia mais

FAM - Monitorar alteração de arquivos

FAM - Monitorar alteração de arquivos 1 of 5 23/6/2010 22:38 FAM - Monitorar alteração de arquivos Autor: Paulo Roberto Junior - WoLF Data: 09/02/2010 Introdução Neste artigo, o foco não será estilo receita de bolo,

Leia mais

UFBA Universidade Federal da Bahia CPD Central de Processamento de Dados. Rede VPN UFBA. Procedimento para configuração

UFBA Universidade Federal da Bahia CPD Central de Processamento de Dados. Rede VPN UFBA. Procedimento para configuração UFBA Universidade Federal da Bahia CPD Central de Processamento de Dados Rede VPN UFBA Procedimento para configuração 2013 Íncide Introdução... 3 Windows 8... 4 Windows 7... 10 Windows VISTA... 14 Windows

Leia mais

Capítulo 3. Os servidores web foram projetados para atender a diversas necessidades do mundo WEB, dentre as quais podemos destacar:

Capítulo 3. Os servidores web foram projetados para atender a diversas necessidades do mundo WEB, dentre as quais podemos destacar: Servidores Web 19 Capítulo 3 Servidores Web Visão Geral Os servidores web foram projetados para atender a diversas necessidades do mundo WEB, dentre as quais podemos destacar: HTTP (o mais comum) Servidor

Leia mais

HMI Caracteristicas e extensões utilizando FT View ME v6.1 e PanelView Plus 6

HMI Caracteristicas e extensões utilizando FT View ME v6.1 e PanelView Plus 6 HMI Caracteristicas e extensões utilizando FT View ME v6.1 e PanelView Plus 6 Dangelo Ávila Gerente de Produto Email: dmavila@ra.rockwell.com Cel: (021) 98207-5700 PUBLIC PUBLIC - 5058-CO900H Agenda 1.

Leia mais

LEIA-ME PRIMEIRO Instalação do Fiery WorkCentre Série 7300

LEIA-ME PRIMEIRO Instalação do Fiery WorkCentre Série 7300 LEIA-ME PRIMEIRO Instalação do Fiery WorkCentre Série 7300 Este documento descreve como instalar e configurar o Controlador de rede Fiery para WorkCentre Série 7300. Complete as etapas que correspondem

Leia mais

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Este artigo demonstra como configurar uma rede virtual para ser usada em testes e estudos. Será usado o VirtualBox

Leia mais

Iniciação Rápida do NetBotz 320

Iniciação Rápida do NetBotz 320 Iniciação Rápida do NetBotz 320 Este Guia de Iniciação Rápida foi elaborado para oferecer todas as informações necessárias para instalar o equipamento. Ele também inclui instruções sobre como definir as

Leia mais

Sistemas Operacionais de Rede. Configuração de Rede

Sistemas Operacionais de Rede. Configuração de Rede Sistemas Operacionais de Rede Configuração de Rede Conteúdo Programático! Interfaces de rede! Ethernet! Loopback! Outras! Configuração dos parâmetros de rede! Dinâmico (DHCP)! Manual! Configuração de DNS

Leia mais

Inclusão Digital com Software Livre p. 1/25

Inclusão Digital com Software Livre p. 1/25 Introdução Hoje em dia os computadores tem muito poder de processamento, porém os aplicativos não utilizam este processamento de forma contínua e sim em picos de carga. Isto é verdade para a maioria das

Leia mais

Como instalar o sistema operacional pfsense no Citrix Xen Server

Como instalar o sistema operacional pfsense no Citrix Xen Server Como instalar o sistema operacional pfsense no Citrix Xen Server Autor: Eder S. G. - edersg@vm.uff.br Versão: 1.2 Data: 21/11/2012 Última atualização: 07/03/2013 Observação: Máquina real: Sistema operacional

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores LAMP Gustavo Reis gustavo.reis@ifsudestemg.edu.br Acrônico para a combinação de Linux, Apache, MySQL e PHP ou Perl ou Python; Recentemente a letra P começou a fazer referência a Perl

Leia mais

Projeto e Instalação de Servidores Servidores Linux Aula 7 Samba, SSH e Backup

Projeto e Instalação de Servidores Servidores Linux Aula 7 Samba, SSH e Backup Projeto e Instalação de Servidores Servidores Linux Aula 7 Samba, SSH e Prof.: Roberto Franciscatto Samba Samba Samba Samba Servidor de compartilhamento de arquivos e recursos de rede É compatível com

Leia mais

Manual de Comando Linux

Manual de Comando Linux Manual de Comando Linux 1 Índice Índice... 2 Introdução... 3 Comandos Simples Linux... 3 Gerir Directórios e Ficheiros... 4 Gerir processos... 6 Estrutura de Diretórios do LINUX... 6 Executar comandos

Leia mais

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP

HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP HCN/HCS SERIES CÂMERAS E CONVERSORES IP Obrigado por utilizar os produtos Dimy s. Antes de operar o equipamento, leia atentamente as instruções deste manual para obter um desempenho adequado. Por favor,

Leia mais

O Instalador da aplicação (app) SanDisk +Cloud encontra-se na unidade de memória flash USB SanDisk.

O Instalador da aplicação (app) SanDisk +Cloud encontra-se na unidade de memória flash USB SanDisk. Instalação O Instalador da aplicação (app) SanDisk +Cloud encontra-se na unidade de memória flash USB SanDisk. Certifique-se de que o computador está ligado à Internet. Em seguida, ligue a unidade de memória

Leia mais

para que Software www.aker.com.br Produto: Página: 6.0 Introdução O Aker Firewall não vem com Configuração do PPPoE Solução

para que Software www.aker.com.br Produto: Página: 6.0 Introdução O Aker Firewall não vem com Configuração do PPPoE Solução 1 de 6 Introdução O não vem com a opção de configuração através do Control Center, para a utilização de discagem/autenticação via PPPoE. Este documento visa demonstrar como é feita a configuração do PPPoE

Leia mais

--------------------------------------------------------------------------------------- SERVIÇOS WINDOWS 2000

--------------------------------------------------------------------------------------- SERVIÇOS WINDOWS 2000 --------------------------------------------------------------------------------------- SERVIÇOS WINDOWS 2000 2000S/2000P O Win2000 utiliza Serviços para realizar algumas tarefas. Eles são bastante úteis

Leia mais

MA001. 01 de 28. Responsável. Revisão Q de 26/06/2015. Cantú & Stange Software. Página

MA001. 01 de 28. Responsável. Revisão Q de 26/06/2015. Cantú & Stange Software. Página Manual de instalação do Zada 5 MA001 Responsável Revisão Q de 26/06/2015 FL Página 01 de 28 Página 1 de 33 Revisão Q de 26/06/2015 MA001 Responsável: FL Manual de instalação do Zada 5 Este manual consiste

Leia mais

O Instalador da aplicação (app) SanDisk +Cloud encontra-se na unidade de memória flash USB SanDisk.

O Instalador da aplicação (app) SanDisk +Cloud encontra-se na unidade de memória flash USB SanDisk. Instalação O Instalador da aplicação (app) SanDisk +Cloud encontra-se na unidade de memória flash USB SanDisk. Certifique-se de que o computador está ligado à Internet. Em seguida, ligue a unidade de memória

Leia mais

Para iniciar um agente SNMP, usamos o comando snmpd. Por padrão, aceita requisições na porta 161 (UDP).

Para iniciar um agente SNMP, usamos o comando snmpd. Por padrão, aceita requisições na porta 161 (UDP). EN3610 Gerenciamento e interoperabilidade de redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática SNMP 1 MIBs RMON No Linux os arquivos MIB são armazenados no diretório /usr/share/snmp/mibs. Cada arquivo MIB

Leia mais

Sistemas Embarcados. Filesystem Hierarchy Standard (FHS) Root filesystem. Aula 06

Sistemas Embarcados. Filesystem Hierarchy Standard (FHS) Root filesystem. Aula 06 Introdução Sistemas Embarcados Root File System Linux (kernel) é apenas uma parte de um sistema embarcado Preciso executa a inicialização do sistema e de aplicações Necessário montar o sistema de arquivos

Leia mais

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos Partição Parte de um disco físico que funciona como se fosse um disco fisicamente separado. Depois de criar uma partição, você deve formatá-la e atribuir-lhe uma letra de unidade antes de armazenar dados

Leia mais

#apt-get install make flex gcc gpp apache2 php5 php5-pgsql postgresql-8.4 libapache2-mod-php5 php5-gd php-net-socket postgres

#apt-get install make flex gcc gpp apache2 php5 php5-pgsql postgresql-8.4 libapache2-mod-php5 php5-gd php-net-socket postgres no Debian 6.0 Instalação do Zabbix (Sistema de Gerenciamento de Rede) Utilizando o terminal do linux digite o comando abaixo: #apt-get install make flex gcc gpp apache2 php5 php5-pgsql postgresql-8.4 libapache2-mod-php5

Leia mais

Curso GNU/Linux. Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3. Existe apenas uma partição com espaço livre...3

Curso GNU/Linux. Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3. Existe apenas uma partição com espaço livre...3 Cesar Kállas - cesarkallas@gmx.net Curso GNU/Linux Realização CAECOMP Puc Campinas 2004 Capítulo 3 Instalação do Linux...2 O HD não possui nenhuma partição...3 O HD tem espaço livre não particionado...3

Leia mais

Servidor de e-mail corporativo com Zimbra.

Servidor de e-mail corporativo com Zimbra. UNISUL Universidade do Sul de Santa Catarina Unisul TechDay 2013 Servidor de e-mail corporativo com Zimbra. Palestrante: Irineu Teza Nunes E-mail: irineu@idinf.com.br Website: www.idinf.com.br Blog: itnproducoes.blogspot.com

Leia mais

Implementando e gerenciando dispositivos de hardware

Implementando e gerenciando dispositivos de hardware 3 Implementando e gerenciando dispositivos de hardware Uma boa parte das questões do exame está concentrada nessa área. Saber implementar e, principalmente, solucionar problemas relacionados a dispositivos

Leia mais

Para iniciar um agente SNMP, usamos o comando snmpd. Por padrão, aceita requisições na porta 161 (UDP).

Para iniciar um agente SNMP, usamos o comando snmpd. Por padrão, aceita requisições na porta 161 (UDP). EN3610 Gerenciamento e interoperabilidade de redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática SNMP Net-SNMP (http://www.net-snmp.org) é um conjunto de aplicações usado para implementar SNMPv1, SNMPv2 e SNMPv3.

Leia mais

Inicialização remota do Thinstation para ambiente Windows Terminal Service

Inicialização remota do Thinstation para ambiente Windows Terminal Service Inicialização remota do Thinstation para ambiente Windows Terminal Service Fábio Fernando Pereira Curso de Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba,

Leia mais

Servidor Proxy. Firewall e proxy

Servidor Proxy. Firewall e proxy Curso: Gestão em Tecnologia da Informação - Matutino Professor: Marissol Martins Barros Unidade Curricular: Fundamentos de Serviços IP Alunos: Matheus Pereira de Oliveira, Tárik Araujo de Sousa, Romero

Leia mais

Easy Linux! FUNAMBOL FOR IPBRICK MANUAL. IPortalMais: a «brainmoziware» company www.iportalmais.pt. Manual Jose Lopes

Easy Linux! FUNAMBOL FOR IPBRICK MANUAL. IPortalMais: a «brainmoziware» company www.iportalmais.pt. Manual Jose Lopes IPortalMais: a «brainmoziware» company www.iportalmais.pt FUNAMBOL FOR IPBRICK MANUAL Easy Linux! Title: Subject: Client: Reference: Funambol Client for Microsoft Outlook Doc.: Author: N/Ref.: Date: 2009-04-17

Leia mais

Cluster com MPICH2 no UBUNTU

Cluster com MPICH2 no UBUNTU Cluster com MPICH2 no UBUNTU NOV/2010 Este documento é apenas um resumo, caso seja necessário, ver com mais detalhes os arquivos: mpich2-doc-user.pdf e mpich2-doc-install.pdf. Estes docs vem junto com

Leia mais

Esta nota apresenta como definir o SSL VPN no roteador Vigor.

Esta nota apresenta como definir o SSL VPN no roteador Vigor. Como configurar o SSL para VPN Esta nota apresenta como definir o SSL VPN no roteador Vigor. Dividiremos o tutorial em cinco partes: Parte A: Como criar uma conta de SSL. Parte B: Como configurar a segurança

Leia mais

Kit de Demonstração MatchPort Início Rápido

Kit de Demonstração MatchPort Início Rápido Kit de Demonstração MatchPort Início Rápido Número de peça 900-486 Revisão F Maio 2010 Índice Introdução...3 Conteúdo do kit de demonstração...3 O que você precisa saber...3 Endereço de hardware... 3 Endereço

Leia mais

Manual de configurações do Conectividade Social Empregador

Manual de configurações do Conectividade Social Empregador Manual de configurações do Conectividade Social Empregador Índice 1. Condições para acesso 2 2. Requisitos para conexão 2 3. Pré-requisitos para utilização do Applet Java com Internet Explorer versão 5.01

Leia mais

LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1

LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1 LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1 Comandos para manipulação de diretório 1. ls Lista os arquivos de um diretório. 2. cd Entra em um diretório. Você precisa ter a permissão de execução para entrar no diretório.

Leia mais

Instalando o VMware Server (versão Free) no (K)Ubuntu

Instalando o VMware Server (versão Free) no (K)Ubuntu Instalando o VMware Server (versão Free) no (K)Ubuntu O VMware é um aplicativo que realiza a virtualização de hardware. Através dele, é possível instalar outro sistema operacional em um hardware filho

Leia mais

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux SOFTWARE LIVRE A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito

Leia mais

+ 55 (61) 3037-5111 suporte@thinnet.com.br www.thinnet.com.br Skype: thinnetworks Skype2: thinnetworks1 SAAN Quadra 2 Número 260 Zona Industrial 70

+ 55 (61) 3037-5111 suporte@thinnet.com.br www.thinnet.com.br Skype: thinnetworks Skype2: thinnetworks1 SAAN Quadra 2 Número 260 Zona Industrial 70 + 55 (61) 3037-5111 suporte@thinnet.com.br www.thinnet.com.br Skype: thinnetworks Skype2: thinnetworks1 SAAN Quadra 2 Número 260 Zona Industrial 70 632-200 Brasília - DF Brasil Instalação Passo 1 ATENÇÃO:

Leia mais

Aula 2 Servidor DHCP. 2.1 dhcp

Aula 2 Servidor DHCP. 2.1 dhcp Aula 2 Servidor DHCP 2.1 dhcp DHCP é abreviação de Dynamic Host Configuration Protocol Protocolo de Configuração de Host (computadores) Dinâmico.Em uma rede baseada no protocolo TCP/IP, todo computador

Leia mais

Conexão de Rede Sem Fio. Conexão de Rede com Fio

Conexão de Rede Sem Fio. Conexão de Rede com Fio GUIA DE INSTALAÇÃO Com a LG Smart TV basta apontar e clicar para assumir total controle do seu entretenimento. Você pode navegar livremente na internet, se conecta a outros aparelhos como PC, Smartphones

Leia mais

Administrando o sistema linux TCP/IP

Administrando o sistema linux TCP/IP TCP/IP Principais Ferramentas para Redes - ifconfig Configura Interfaces (ethernet, atm, tun, pppoe e etc.) Ex.: ifconfig eth0 192.168.0.10 netmask 255.255.255.0 ifconfig eth0 ifconfig eth0 up ifconfig

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná Especialização em Redes de Computadores. Módulo LPI Aula 5. Meu Deus do Shell! Porque eu não optei pelo Linux antes?

Universidade Tuiuti do Paraná Especialização em Redes de Computadores. Módulo LPI Aula 5. Meu Deus do Shell! Porque eu não optei pelo Linux antes? Universidade Tuiuti do Paraná Especialização em Redes de Computadores Módulo LPI Aula 5 Meu Deus do Shell! Porque eu não optei pelo Linux antes? 1 [1] NEVES, Júlio César Gerenciamento de Pacotes Por que

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO BRASQUID

MANUAL DO USUÁRIO BRASQUID MANUAL DO USUÁRIO BRASQUID Saulo Marques FATEC FACULDADE DE TECNOLOGIA DE CARAPICUIBA Sumário 1 Instalação... 4 2 Configuração inicial... 6 2.1 Scripts e Arquivos Auxiliares... 10 2.2 O Squid e suas configurações...

Leia mais

Curso Básico do Ubuntu 8.04

Curso Básico do Ubuntu 8.04 Curso Básico do Ubuntu 8.04 Written by and attributed to Canonical Ltd. and the Ubuntu Training community 2007. This license is bound by the Creative Commons: CC by NC SA. Under this license, you are free:

Leia mais

Segurança em Redes e Sistemas Operacionais

Segurança em Redes e Sistemas Operacionais Segurança em Redes e Sistemas Operacionais Segurança - ale.garcia.aguado@gmail.com 1 Agenda Preparação do Ambiente Como é o Ambiente em que vamos trabalhar? Visão Macro Passos... Segurança - ale.garcia.aguado@gmail.com

Leia mais

NOVO SISTEMA DE CORREIO ELETRONICO PARA OS DOMINIOS ic.uff.br & dcc.ic.uff.br

NOVO SISTEMA DE CORREIO ELETRONICO PARA OS DOMINIOS ic.uff.br & dcc.ic.uff.br NOVO SISTEMA DE CORREIO ELETRONICO PARA OS DOMINIOS ic.uff.br & dcc.ic.uff.br A partir de 28/07/2004 (quarta-feira), ás 17:30 hs estaremos trocando nossos servidores de correio para ambos os domínios ic.uff.br

Leia mais

Samba PDC no Debian com Clamwin antivírus

Samba PDC no Debian com Clamwin antivírus Samba PDC no Debian com Clamwin antivírus Artigo extraído do link http://www.guiadohardware.net/artigos/pdc debian clamwin estacoes/ Introdução Esse artigo o guiará passo a passo na montagem de um servidor

Leia mais

Criando um Servidor Proxy com o SQUID. Roitier Campos

Criando um Servidor Proxy com o SQUID. Roitier Campos Criando um Servidor Proxy com o SQUID Roitier Campos Roteiro Redes de Computadores e Internet Arquitetura Cliente/Servidor e Serviços Básicos de Comunicação Componentes do Servidor e Configuração da VM

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Samba Gustavo Reis gustavo.reis@ifsudestemg.edu.br 1 Conhecido também como servidor de arquivos; Consiste em compartilhar diretórios do Linux em uma rede Windows e visualizar compartilhamentos

Leia mais

IPBrick Servidor de Terminais (LTSP) iportalmais - Serviços de Internet e Redes, Lda.

IPBrick Servidor de Terminais (LTSP) iportalmais - Serviços de Internet e Redes, Lda. IPBrick Servidor de Terminais (LTSP) iportalmais - Serviços de Internet e Redes, Lda. Julho 2006 2 Copyright c iportalmais Todos os direitos reservados. Setembro 2002. A informação contida neste documento

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DAS IMPRESSORAS XEROX PHASER 3125. Em caso de dúvidas, contate o setor de apoio técnico: Tel: 3319-6704

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DAS IMPRESSORAS XEROX PHASER 3125. Em caso de dúvidas, contate o setor de apoio técnico: Tel: 3319-6704 MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DAS IMPRESSORAS XEROX PHASER 3125 Em caso de dúvidas, contate o setor de apoio técnico: Tel: 3319-6704 LISTA DE IMPRESSORAS NO PRÉDIO 17 (DECOM) Local IP da impressora 3º Andar 10.0.2.243

Leia mais

Application Notes: DmSwitch AAA. Uso do TACACS

Application Notes: DmSwitch AAA. Uso do TACACS Application Notes: DmSwitch AAA Uso do TACACS Application Notes: DmSwitch AAA Uso do TACACS. Data 11/06/2010, Revisão 1.0 1. Introdução 2. Instalação do tacplus 2.1. Instalação do tacplus 2.1.1. Atualizar

Leia mais

Configurando NFS + NIS Ubuntu Linux

Configurando NFS + NIS Ubuntu Linux Configurando NFS + NIS Ubuntu Linux Introdução Este tutorial tem por objetivo ensinar a configurar o NFS + NIS no Ubuntu de forma rápida e simples, mas sem deixar de transmitir os conceitos necessários

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUDESTE DE MINAS GERAIS Campus Rio Pomba. Eu defendo!!! Mini Curso. Linux

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUDESTE DE MINAS GERAIS Campus Rio Pomba. Eu defendo!!! Mini Curso. Linux INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUDESTE DE MINAS GERAIS Campus Rio Pomba Mini Curso Linux Eu defendo!!! Apresentação Rafael Arlindo Dias Técnico em Informática CEFET Rio Pomba/MG Cursos

Leia mais

Tutorial BuildRoot. Meu Primeiro Linux embarcado: Programação de Periféricos CC FACIN PUCRS

Tutorial BuildRoot. Meu Primeiro Linux embarcado: Programação de Periféricos CC FACIN PUCRS Tutorial BuildRoot Programação de Periféricos CC FACIN PUCRS Configuração do Ambiente de Trabalho: 1. Criar um diretório de trabalho: Ex: mkdir ~/buildroot 2. Ir para o diretório de trabalho: Ex: cd ~/buildroot

Leia mais

Tutorial AwStats Indice

Tutorial AwStats Indice Tutorial AwStats Indice Introdução...2 Funcionamento:...3 Pré-Requisitos:...3 Instalação:...4 Configurações:...7 Utilização:...11 Sobre o Autor:...11 Introdução AwStats Como saber se seu site é um sucesso

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA Tutorial de Instalação da Grade Computacional Gustavo Mantovani Orlando Luiz Pelosi

Leia mais