Faculdade de Tecnologia de Barueri Padre Danilo José de Oliveira Ohl. Portaria nº 05/2014

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Faculdade de Tecnologia de Barueri Padre Danilo José de Oliveira Ohl. Portaria nº 05/2014"

Transcrição

1 Página 1 de 9 Portaria nº 05/2014 Estabelece e Regulamenta a Política de Uso dos Computadores, Laboratórios de Informática e Equipamentos Eletrônicos da Faculdade de Tecnologia de Barueri. O Diretor da Faculdade de Tecnologia de Barueri, no uso de suas atribuições legais, expede a presente Portaria: A Política de Uso dos Computadores, Laboratórios de Informática e Equipamentos Eletrônicos da Faculdade de Tecnologia de Barueri, têm o objetivo de melhorar o gerenciamento dos equipamentos eletrônicos e serviços dos Laboratórios de Informática bem como impedir o mau uso destes recursos. Artigo 1º - O acesso e Horário de Funcionamento dos Laboratórios dar-se-á como segue: 1º O uso dos laboratórios é de prioridade para a administração de aulas. O uso do mesmo pelos alunos quando não em horário de aula dar-se-á mediante aprovação de requerimento na secretaria da faculdade. 2 º Durante as aulas, o uso é restrito a alunos inscritos na disciplina a ser ministrada. O professor fica inteiramente responsável pelo controle do acesso dos alunos ao laboratório durante sua aula. 3º Todo docente que necessitar acesso aos laboratórios de informática para ministrar aulas ou outras atividades deverá pré-agendar um horário junto a secretaria, conforme disponibilidade, na lista de solicitação de agendamentos dos laboratórios (ANEXO I) após aprovação o pedido será inserido na tabela mensal de agendamentos ( ANEXO II). 4º Toda e qualquer utilização dos laboratórios deverá ser registrada no ANEXO I e no ANEXO II para eventual consulta. 5º Todos os registros de utilização dos laboratórios e auditório (ANEXO I e II) deverão ser mantidos em arquivo por, pelo menos, 2 (dois) meses.

2 Página 2 de 9 Artigo 2 - Do uso da Área de Trabalho e demais drivers locais dos computadores da Faculdade de Tecnologia de Barueri: 1º Todos os usuários devem logar-se com usuário público previamente informado, ou quando membros de domínio, logar-se com usuário particular e intransferível, se o usuário a ser a utilizado for de particular ou diferente do disponibilizado, o usuário deverá obrigatoriamente efetuar logoff. 2º Todos os usuários do Laboratório de Informática e dos demais computadores disponibilizados a alunos e docentes, exceto os computadores pertencentes a secretaria, administração e direção, previamente identificados, deverão manter cópia de seus arquivos em mídias próprias, pois, os arquivos gravados nos computadores da FATEC Barueri poderão ser apagados durante as manutenções ou a qualquer tempo, sem prévio aviso e sem possibilidade de recuperação. Artigo 3º - Ficam estabelecidas as seguintes regras de utilização dos laboratórios de informática e demais computadores para docentes, discentes e funcionários. 1º Durante a utilização dos computadores da Faculdade de Tecnologia de Barueri não é permitido: i) A instalação, uso e divulgação de softwares ilegais, ou não licenciados, nos computadores da FATEC Barueri; ii) A utilização de jogos individuais ou coletivos que não estejam previstos em atividades didáticopedagógicas; iii) O envio de mensagens utilizando-se de identidade alterada ou que não identifique o remetente; iv) A retirada de qualquer material ou equipamento de informática do local onde o mesmo está alocado sem prévia autorização do Departamento de Informática. v) A utilização de quaisquer equipamentos de informática para fins ilegais ou criminais; vi) O acesso a browsers virtuais ou aplicativos e sites de navegação anônima; vii) O acesso a sites de relacionamento, pornografia ou qualquer outro site que possua conteúdo impróprio, conforme determinação do CEETEPS.

3 Página 3 de 9 viii) A execução de aplicativos a partir de mídias removíveis, sob pena de apreensão definitiva do dispositivo; ix) A execução de Sistemas Operacionais a partir de outras mídias; x) Aproveitar-se de falhas do sistema operacional para ter acesso privilegiado à máquina; xi) A utilização de mensageiros instantâneos locais (não pode haver instalação de software). 2º A prática dos incisos viii a xi são passíveis de sanções disciplinares, conforme regimento dos cursos. 3º Todos os usuários são responsáveis pelo uso correto dos equipamentos (hardware e software) e da rede devendo seguir as normas aqui estabelecidas. 4º O usuário deverá reportar todo e qualquer problema imediatamente ao Departamento de Informática, contatando-o diretamente, por meio eletrônico enviando mensagem para o endereço ou através do preenchimento do formulário localizado no site na seção Serviços, Informática, Reporte um Problema preenchendo todos os detalhes solicitados no formulário. 5º Os usuários são responsáveis por utilizar o mínimo possível de recursos, limitando-se a atividades acadêmicas e/ou administrativas (conforme couber) e devem considerar que os recursos são compartilhados entre vários usuários. Isto implica que o usuário não deve tentar causar qualquer tipo de dano ao servidor ou qualquer estação de trabalho, seja física ou virtualmente. Além disto, o espaço reservado na área de trabalho não deve ser usado para distribuição de programas de terceiros. 6º O usuário deve estar ciente de que suas ações podem ser monitoradas caso haja suspeitas de mau uso dos recursos. Também deverá estar ciente de que é realizada a checagem periódica de segurança, incluindo a verificação de logs, softwares e históricos. 7º Não é permitida a configuração de nenhum programa de correio eletrônico nos computadores da Faculdade de Tecnologia de Barueri, exceto os de utilização da administração e coordenação. O acesso ao serviço de correio eletrônico ( ) será permitido apenas através dos chamados webmails (serviços de correio eletrônico prestados por páginas na Internet).

4 Página 4 de 9 8º Não é permitida a utilização do Laboratório de Informática por alunos que trancaram matrícula e exalunos ou quaisquer pessoas que não mantenham nenhum vínculo com a FATEC Barueri, salvo casos previamente autorizados pela administração. 9º Os docentes podem utilizar os Laboratórios de Informática e os computadores disponibilizados seguindo a política de horário estabelecida para o uso dos laboratórios, a saber, das 08h00 às 22h30 de segunda a sexta-feira e das 08h30 às 16h30 aos sábados. Para os demais computadores disponibilizados, os docentes devem consultar disponibilidade de escala de horários para aulas, conforme planilha de agendamento mensal (ANEXO II) disponível na secretaria. Aos discentes o uso dos mesmos deverá ser solicitado via requerimento global na secretaria. 10º É de inteira responsabilidade do docente retirar os alunos do laboratório de informática, se certificando de que todos os equipamentos foram desligados, e as portas e janelas foram fechadas ao término de sua aula. O docente deverá evitar ao máximo que os alunos permaneçam sem supervisão nos laboratórios de informática. 11º O laboratório só será aberto para aulas com a presença do professor. Enquanto isso, os alunos deverão aguardar do lado de fora do laboratório. 12º O docente terá tolerância de 15 minutos do horário agendado para o início da aula. Após este prazo, caso outro docente tenha demonstrado necessidade de uso do espaço, através do formulário ANEXO I, o docente perde o direito de uso do espaço no período e o ambiente será liberado ao outro solicitante. 13º A utilização dos computadores dos setores administrativo e acadêmico é restrita aos funcionários destes departamentos. Docentes e discentes deverão utilizar somente os computadores a eles destinados. 14º Objetos pessoais não devem ser deixados nos laboratórios durante o período de intervalo, ainda que o mesmo for vir a ser utilizado no próximo horário. A FATEC Barueri não se responsabiliza por objetos deixados nos laboratórios. 15º Durante a utilização dos laboratórios de informática não é permitido: i) O consumo de alimentos ou bebidas seja no momento da aula ou no período livre; ii) A alteração das instalações físicas do laboratório;

5 Página 5 de 9 iii) Utilização do celular durante período livre; durante a aula caberá ao professor a determinação pelo uso ou suspensão. 16º A equipe de informática local se reserva no direito de acessar todas as informações contidas nos equipamentos a qualquer momento seja física ou virtualmente. 17º O docente deverá zelar pelo patrimônio, pela boa utilização dos computadores e equipamentos durante a utilização dos laboratórios em atenção especial aos parágrafos 14º e 15º deste artigo. Artigo 4º - Das regras de utilização específicas aos departamentos acadêmico e administrativo. 1º Todos os usuários dos departamentos supracitados têm total responsabilidade pela inserção de seus dados no servidor local e/ou por efetivar o backup dos dados em mídia CD/DVD-R/RW que é fornecida pela FATEC Barueri quando o mesmo não estiver disponível. Uma vez que os dados estejam inseridos no servidor, o backup do mesmo é de responsabilidade do Departamento de Informática e será realizado semanalmente ou conforme solicitação. 2º Todo o apoio necessário para a realização do backup em mídia será fornecida pelo departamento de Informática. Artigo 5º Monitoramento e Acesso Remoto 1º Todos os computadores poderão contar com dispositivo para monitoramento e acesso remoto para eventual necessidade de prestação de suporte técnico ou para acompanhamento de atividades suspeitas. 2º A FATEC Barueri não irá divulgar as informações de usuários a terceiros, exceto para apresentação de prova em processo administrativo ou judicial. Artigo 6º - Das Impressões, cópias e digitalizações 1º A Faculdade de Tecnologia de Barueri não dispõe de recursos de impressão, cópias ou digitalização para alunos. 2º Docentes que precisem realizar impressões de materiais para uso em aula, deverão realiza-las na sala dos professores ou solicitar conforme portaria 10/2013.

6 Página 6 de 9 3º Documentos de uso pessoal não deverão ser impressos nos equipamentos de nossa unidade. 4º Funcionários e docentes deverão fazer uso consciente da(s) impressora(s) disponível (eis), evitando o desperdício e contribuindo para a continuidade de tal recurso. 5º Quando houver necessidade de digitalização ou cópia de documentos pelos docentes os mesmos deverão se atentar às normas de solicitação da portaria 10/2013 Artigo 7º - Das regras Para Uso de Equipamentos Eletrônicos e de Informática 1º O uso de equipamentos eletrônicos e de informática, tais como projetores, notebook, caixas de som, headsets, microfones e outros deverão ser solicitados com antecedência na secretaria ao funcionário responsável pela organização das salas de aulas. 2º Uma vez liberado o uso destes equipamentos o solicitante ficará inteiramente responsável por manter a integridade do mesmo, utilizá-lo dentro das dependências da FATEC Barueri e devolvê-lo em iguais condições de uso. 3º Caso o usuário verifique a necessidade de utilização de equipamentos da FATEC Barueri fora de suas dependências, o mesmo deverá preencher o Formulário de empréstimo de equipamentos e o termo de responsabilidade (ANEXO III), que deverá ser autorizado pela diretora de serviços administrativos ou pela direção da unidade. Artigo 8º - Das manutenções e Procedimentos relacionados a itens de informática 1º A equipe de informática da FATEC Barueri tem autonomia para: i. Executar manutenções apenas nos equipamentos pertencentes a FATEC Barueri, não estando autorizada a operar nos equipamentos de terceiros ou de uso particular de alunos, professores, funcionários ou quaisquer outras pessoas que estiverem no local. ii. Trocar equipamentos danificados caso haja necessidade. iii. Fechar laboratórios e retirar máquinas para manutenção sempre que necessário. 2º Todo procedimento que, de alguma forma, envolva equipamentos de informática e for realizado sem a presença do Analista técnico administrativo tecnólogo em informática da unidade deverá ser reportado.

7 Página 7 de 9 i. O relatório deverá seguir o padrão apresentado no ANEXO IV e ser enviado para o endereço ii. Na impossibilidade de se efetuar o registro da atividade previamente por qualquer motivo que houver o relatório deverá ser lavrado depois, não excedendo o prazo 2 (dois) dias úteis. 3º Toda configuração seja física ou lógica de equipamentos de informática deverá ser feita seguindo os padrões já utilizados pela unidade. i. Uma vez que seja localizada uma discrepância em algum procedimento a pessoa que o houver efetuado ficará responsável por adequá-lo aos padrões. Artigo 9º - Utilização do servidor e rede corporativa 1º O acesso à rede corporativa e ao servidor somente se dará com autorização do Departamento de Informática mediante disponibilização de login e senha. 2º O usuário que receber autorização para uso da rede corporativa bem como acesso ao servidor, deverá seguir todos os itens estabelecidos no termo de responsabilidade (ANEXO V), que será entregue para vista e assinatura juntamente com o login e senha. 3º Caso o usuário desrespeite alguma das regras contidas no termo de responsabilidade (ANEXO V) poderá ter seu acesso ao servidor e a rede restringidos e/ou revogados. Artigo 10º - Disposições Gerais 1º O uso dos computadores das salas de aula é exclusivo para professores. Alunos somente poderão utilizar os computadores alocados nos laboratórios e na sala anexa à biblioteca ou conforme autorização específica do docente no horário da aula ou via formulário de requerimento protocolado na secretaria para este fim. 2º Os períodos disponíveis para utilização fora dos horários de aula restringem-se apenas aos mostrados no parágrafo 9º do artigo 2º desta portaria. 3º Reitera-se que uma vez que não houver um funcionário do departamento de informática disponível para acompanhar alunos nos laboratórios de informática, fora dos horários estipulados, o responsável pela liberação do acesso dos mesmos deverá permanecer no laboratório realizando supervisão dos alunos e responderá por qualquer dano aos computadores e demais patrimônios alocados no local.

8 Página 8 de 9 4º Qualquer violação das normas ora estabelecidas estará sujeita ao regime disciplinar da instituição, sendo objeto de apuração. i. Será aplicada, pela coordenação de curso, repreensão diante o desrespeito aos docentes, estagiários, funcionários e demais usuários dentro dos Laboratórios de Informática, seja por ameaça, agressão verbal ou física. ii. A violação de qualquer item desta portaria incide em infração e será registrada e reportada as instâncias superiores, estando os alunos, funcionários e docentes sujeitos ao regime disciplinar da instituição. iii. O aluno, funcionário ou docente punido, terá direito contraditório, devendo protocolar justificativa por escrito no prazo de 3 (três) dias úteis na secretaria. 5º Todos os arquivos inseridos nos computadores são de responsabilidade de quem os criou e os mesmos serão excluídos sem prévio aviso durante manutenções conforme parágrafo 2º do artigo 2º. 6º O usuário assumirá a responsabilidade pelo dano que possa causar caso não venha a cumprir o disposto no termo de responsabilidade bem como todos os itens dispostos nesta portaria. 7º Para solicitações de materiais não contemplados nos formulários específicos, anteriormente citados, é obrigatório o preenchimento do formulário de solicitações diversas informática (ANEXO VI). 8º Os casos omissos na aplicação destas normas serão resolvidos pela Direção Geral. 9º O presente Regulamento entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário devendo ser divulgado e ficar exposto para consulta a todo e qualquer momento. Prof. Dr. Evandro Cleber da Silva Diretor da Faculdade de Tecnologia de Barueri Padre Danilo José de Oliveira Ohl

9 Página 9 de 9 Anexos: ANEXO I - Lista de Solicitação de Agendamento de Uso dos Laboratórios de Informática ANEXO II - Tabela Mensal de Agendamento de Uso dos Laboratórios de Informática ANEXO III - Formulário de Empréstimo de Equipamentos e Termo de Responsabilidade ANEXO IV - Layout para Relatório de Atividades de Informática ANEXO V - Termo de Responsabilidade e disponibilização de Login de Rede ANEXO VI - Formulário de solicitações diversas - Informática

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5 SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5 CAPÍTULO III 5 DA INFRAESTRUTURA 5 Seção I 6 Das Dependências 6 Seção II 6 Do Hardware e Software 6 Seção III 7 Das Manutenções 7

Leia mais

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA - 2015

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA - 2015 REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA - 2015 Os laboratórios de informática utilizados pelos alunos das Faculdades Integradas Camões se encontram nas duas sedes: Treze de Maio e Muricy, funcionando

Leia mais

FACULDADE DA ALDEIA DE CARAPICUÍBA - FALC REGULAMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

FACULDADE DA ALDEIA DE CARAPICUÍBA - FALC REGULAMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA FACULDADE DA ALDEIA DE CARAPICUÍBA - FALC REGULAMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA O Laboratório de Informática oferece espaço e equipamento de informática para as atividades de ensino e pesquisa.

Leia mais

LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA POLÍTICA DE USO DE FUNCIONAMENTO

LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA POLÍTICA DE USO DE FUNCIONAMENTO FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DO PIAUÍ - FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DO PIAUÍ Rua 1º de Maio Nº 2235/N Bairro Primavera Qualidade em Educação Teresina PI Brasil Fone:(86) 2107-2200 www.faespi.com.br/faespi.edu@gmail.com

Leia mais

FACULDADE DE ARARAQUARA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

FACULDADE DE ARARAQUARA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA O Laboratório de Informática é um espaço destinado ao acesso de usuários, estando aberto para livre utilização pelo público interno da Faculdade. O Laboratório oferece espaço e equipamento de informática

Leia mais

O Prefeito Constitucional de Picuí/PB, usando de suas atribuições legais,

O Prefeito Constitucional de Picuí/PB, usando de suas atribuições legais, DECRETO Nº 012, de 05 de agosto de 2009. DISPÕE SOBRE O USO DOS SERVIÇOS DE ACESSO À INTERNET AOS ÓRGÃOS E DEPARTAMENTOS QUE INTEGRAM A ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL DE PICUÍ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Prefeito

Leia mais

LOCALIZAÇÃO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DA ORGANIZAÇÃO

LOCALIZAÇÃO HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DA ORGANIZAÇÃO REGULAMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA FACULDADE DE DIREITO DE VARGINHA LOCALIZAÇÃO 1º andar do prédio novo (piso abaixo do Salão de Eventos). HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO De segunda à sexta-feira,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA CAPITULO I Dos Princípios Gerais DA DEFINIIÇÃO Art. 1º Entende-se por laboratório de informática toda e qualquer sala equipada com microcomputadores com fins exclusivamente acadêmicos e que estejam, formalmente,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE GOIÁS CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE GOIÁS CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE GOIÁS CURSO DE LICENCIATURA EM GEOGRAFIA REGIMENTO INTERNO DO LABORATÓRIO DE CARTOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO JOSÉ COELHO Seção I - Das Disposições

Leia mais

PORTARIA Nº 2529, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2015

PORTARIA Nº 2529, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2015 PORTARIA Nº 2529, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2015 Dispõe sobre as normas para utilização dos laboratórios de informática do Campus São Sebastião. O DIRETOR GERAL DO CAMPUS SÃO SEBASTIÃO DO INSTITUTO FEDERAL

Leia mais

versão 1.0 26/02/2010

versão 1.0 26/02/2010 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Espírito Santo POLÍTICA DE USO DOS RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO versão 1.0 26/02/2010 Pró-Reitoria

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA EAD

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA EAD CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA EAD CONTRATANTE: A PESSOA FÍSICA identificada no formulário de matrícula do curso, que, para todos os efeitos,

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. PÍNDARO MACHADO SOBRINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. PÍNDARO MACHADO SOBRINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA PROF. PÍNDARO MACHADO SOBRINHO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este regulamento disciplina o funcionamento da Biblioteca Prof.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 22/2007, DE 19 DE JULHO DE 2007

RESOLUÇÃO Nº 22/2007, DE 19 DE JULHO DE 2007 RESOLUÇÃO Nº 22/2007, DE 19 DE JULHO DE 2007 Normatiza a utilização dos recursos de tecnologia da informação e comunicação da Fundação Universidade Regional de Blumenau FURB, na forma do Anexo. O PRESIDENTE

Leia mais

REGULAMENTO DO USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA UNISSA

REGULAMENTO DO USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA UNISSA REGULAMENTO DO USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA UNISSA Tem o presente regulamento a função de nortear as ações e procedimentos necessários ao bom funcionamento dos laboratórios de informática, bem como

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DESTE CAMPUS EM: VISITAS TÉCNICAS CAPÍTULO I

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DESTE CAMPUS EM: VISITAS TÉCNICAS CAPÍTULO I REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO DOS DISCENTES DESTE CAMPUS EM: VISITAS TÉCNICAS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS Artigo 1º - Visita técnica é atividade complementar dos componentes curriculares dos cursos

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TIC

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TIC Código: NO01 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região Comissão de Segurança da Informação Núcleo de Governança Corporativa de TIC Setor de Segurança da Informação Revisão: 1.1 Vigência: 12/02/2016 Classificação:

Leia mais

Art. 2º. A Biblioteca oferece aos seus usuários salas de estudo em grupo, cabines de estudo individuais e terminais de consulta e pesquisa.

Art. 2º. A Biblioteca oferece aos seus usuários salas de estudo em grupo, cabines de estudo individuais e terminais de consulta e pesquisa. REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CECÍLIA MEIRELES FACULDADE METROPOLITANA Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento da Biblioteca Cecília Meireles da Faculdade Metropolitana,

Leia mais

FACULDADE ALDETE MARIA ALVES Instituição Ituramense de Ensino Superior

FACULDADE ALDETE MARIA ALVES Instituição Ituramense de Ensino Superior REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA 1 CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO Art. 1º - Os Laboratórios de Informática da FAMA são destinados exclusivamente aos docentes, discentes e corpo técnico-administrativo,

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS. Art. 2º As Bibliotecas da Univás estão a serviço da comunidade, oferecendo aos usuários:

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS. Art. 2º As Bibliotecas da Univás estão a serviço da comunidade, oferecendo aos usuários: REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1 Este Regulamento normatiza o funcionamento das Bibliotecas da Universidade do Vale do Sapucaí Univás, mantida pela Fundação de Ensino Superior

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE E ESCOLA TÉCNICA NOVO RUMO

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE E ESCOLA TÉCNICA NOVO RUMO REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE E ESCOLA TÉCNICA NOVO RUMO SUMÁRIO TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 DA INSTITUIÇÃO BIBLIOTECA... 3 DA FINALIDADE DESTE REGULAMENTO... 3 PRINCÍPIOS DA BIBLIOTECA...

Leia mais

FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA

FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA FANORPI REGULAMENTO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA Art. 1 O Laboratório de Informática destina-se aos acadêmicos e professores com prioridade de utilização aos acadêmicos. Art. 2 As atividades desempenhadas

Leia mais

PORTARIA N. TC 347/2007

PORTARIA N. TC 347/2007 PORTARIA N. TC 347/2007 Dispõe sobre a política de segurança e utilização dos recursos de tecnologia da informação e cria o Comitê de Assunto de Informática do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina

Leia mais

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO EXPLORITAS ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA LTDA MANUAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Janeiro 2016 O NÃO CUMPRIMENTO DESTE MANUAL PODERÁ RESULTAR EM AÇÕES DISCIPLINARES APROPRIADAS, INCLUINDO ADVERTÊNCIAS, QUE PODERÃO

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO E ESCRITÓRIO MULTIMÍDIA DO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO - UNIR - CACOAL

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO E ESCRITÓRIO MULTIMÍDIA DO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO - UNIR - CACOAL REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO E ESCRITÓRIO MULTIMÍDIA DO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO - UNIR - CACOAL TÍTULO I - DO LABORATÓRIO DIDÁTICO CAPÍTULO I - DA ORGANIZAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento estabelece normas de uso e funcionamento da biblioteca do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CIDADE LUZ FACILUZ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. CAPÍTULO I Dos usuários e das inscrições

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CIDADE LUZ FACILUZ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. CAPÍTULO I Dos usuários e das inscrições 1 REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE CIDADE LUZ FACILUZ TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º - Este regulamento disciplina as normas que regem o funcionamento da biblioteca e as relações funcionais

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO CÂMPUS POSSE-GO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL GOIANO CÂMPUS POSSE-GO Normas para uso dos Laboratórios de Informática vinculados a Coordenação do Curso de Informática e ao Departamento de Tecnologia da Informação do IF Goiano Câmpus Posse GO. POSSE GO 2015 Sumário TÍTULO

Leia mais

Regulamento da Biblioteca. Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca.

Regulamento da Biblioteca. Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca. PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO Biblioteca Paulo Lacerda de Azevedo Regulamento da Biblioteca Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca. Usuários da Biblioteca Alunos

Leia mais

Regulamento do Laboratório de Controle Operacional - LCO TÍTULO I DOS OBJETIVOS E USUÁRIOS. CAPÍTULO I Dos Objetivos

Regulamento do Laboratório de Controle Operacional - LCO TÍTULO I DOS OBJETIVOS E USUÁRIOS. CAPÍTULO I Dos Objetivos MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL CATALÃO UNIDADE ACADÊMICA ESPECIAL DE MATEMÁTICA E TECNOLOGIA Regulamento do Laboratório de Controle Operacional - LCO TÍTULO I DOS OBJETIVOS

Leia mais

Regulamento da Biblioteca. Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca.

Regulamento da Biblioteca. Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca. PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO Biblioteca Paulo Lacerda de Azevedo Regulamento da Biblioteca Este Regulamento define normas para a prestação e utilização dos serviços da Biblioteca. Usuários da Biblioteca Alunos

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS: CENTRAL E INFANTIL

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS: CENTRAL E INFANTIL REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS: CENTRAL E INFANTIL DA NATUREZA Art. 1º - A Biblioteca do Colégio Catarinense, apresentando características inovadoras, alicerçada no conhecimento e na qualidade na prestação

Leia mais

Cursos e Assessoria Online

Cursos e Assessoria Online Cursos e Assessoria Online TERMOS E CONDIÇÕES DE USO A GAF EVENTOS ESPORTIVOS LTDA-ME CNPJ 19.023.817/0001-03, disponibiliza a você, doravante Usuário, por meio do endereço http://www.gafeventos.com.br/

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regimento tem por finalidade disciplinar as atividades do Núcleo de Tecnologia da Informação,

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO ASSESSORIA TÉCNICA DIVISÃO DE APOIO TÉCNICO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO ASSESSORIA TÉCNICA DIVISÃO DE APOIO TÉCNICO PORTARIA Nº 018/DIAT/ASTEC/SEMAD Porto Velho, 17 de dezembro de 2007. Normatiza os procedimentos e critérios para uso e segurança dos equipamentos de informática e banco de dados da Prefeitura de Porto

Leia mais

Art.2º O Correio Eletrônico Institucional será composto por 3 (três) tipos de serviços de e-mail distintos: I pessoal; II setorial; e III - lista.

Art.2º O Correio Eletrônico Institucional será composto por 3 (três) tipos de serviços de e-mail distintos: I pessoal; II setorial; e III - lista. DECRETO nº 1784, de 13 de fevereiro de 2012 Disciplina a criação de e-mail institucional para todos os servidores da Administração Direta do Poder Executivo do Município de Contagem. A PREFEITA DO MUNICÍPIO

Leia mais

TERMOS DE USO. a A duração do(s) curso(s) da CONTRATADA terão tempo de duração determinado.

TERMOS DE USO. a A duração do(s) curso(s) da CONTRATADA terão tempo de duração determinado. TERMOS DE USO 1. O acesso ao(s) curso(s) contratado(s) só será efetivado com o correto preenchimento do cadastro de inscrição e após a confirmação do pagamento, conforme especificações no item 4 5, abaixo.

Leia mais

REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ

REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ REGULAMENTO BIBLIOTECA DA FACULDADE FIP / MAGSUL DE PONTA PORÃ Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento da Biblioteca das Faculdades MAGSUL, objetivando sempre o aperfeiçoamento

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 15, DE 17 DE AGOSTO DE 2010.

INSTRUÇÃO Nº 15, DE 17 DE AGOSTO DE 2010. Sistema Integrado de Normas Jurídicas do Distrito Federal SINJ-DF INSTRUÇÃO Nº 15, DE 17 DE AGOSTO DE 2010. A PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE, no uso das atribuições que

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE DO VALE DO ITAPECURU Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referente ao funcionamento da Biblioteca da Faculdade do Vale do Itapecuru - FAI, objetivando

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SUMÁRIO I - Aspectos Gerais... 2 II - Proteção da Informação... 2 III - Responsabilidades... 3 IV - Informações Confidenciais... 3 V - Informações Privilegiadas... 4

Leia mais

Art. 1º Atualizar o Regulamento que disciplina o funcionamento da Biblioteca do Tribunal Regional do Trabalho, conforme o que segue:

Art. 1º Atualizar o Regulamento que disciplina o funcionamento da Biblioteca do Tribunal Regional do Trabalho, conforme o que segue: ATO EJTRT Nº 03/2014 O DIRETOR DA ESCOLA JUDICIAL DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais e regulamentares, CONSIDERANDO os objetivos da Escola Judicial do

Leia mais

9.6. Política de segurança para Usuários(PSU)... 14 9.7. Questionários de Segurança da Informação... 14 10. CONCLUSÃO... 14

9.6. Política de segurança para Usuários(PSU)... 14 9.7. Questionários de Segurança da Informação... 14 10. CONCLUSÃO... 14 ANEXO I PSI Índice 1. FINALIDADE... 4 2. ABRANGÊNCIA... 4 3. FREQUÊNCIA DE REVISÃO... 4 4. PORTAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 4 5. TERMOS E DEFINIÇÕES... 4 5.1. Segurança da Informação... 4 5.2. Confidencialidade...

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRESIDÊNCIA PORTARIA CNMP-PRESI N.030, DE 07 DE ABRIL DE 2010.

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRESIDÊNCIA PORTARIA CNMP-PRESI N.030, DE 07 DE ABRIL DE 2010. CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO PRESIDÊNCIA PORTARIA CNMP-PRESI N.030, DE 07 DE ABRIL DE 2010. Dispõe sobre critérios de uso e segurança dos recursos de Tecnologia da Informação do Conselho Nacional

Leia mais

REGULAMENTO GERAL. SISTEMA DE BIBLIOTECAS IESI Faculdade Max Planck BIBLIOTECA HENRIQUE SCHULZ E HEV CAMPUS II. Sumário

REGULAMENTO GERAL. SISTEMA DE BIBLIOTECAS IESI Faculdade Max Planck BIBLIOTECA HENRIQUE SCHULZ E HEV CAMPUS II. Sumário SISTEMA DE BIBLIOTECAS IESI Faculdade Max Planck BIBLIOTECA HENRIQUE SCHULZ E HEV CAMPUS II. REGULAMENTO GERAL Sumário I. Do Regulamento e sua aplicação... 2 II. Dos usuários da Biblioteca... 2 III. Do

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL EDITAL DO TESTE PÚBLICO DE SEGURANÇA

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL EDITAL DO TESTE PÚBLICO DE SEGURANÇA TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL EDITAL DO TESTE PÚBLICO DE SEGURANÇA A Comissão Reguladora comunica aos interessados que, conforme estabelecido na Resolução TSE nº 23.444, de 30 de abril de 2015, será realizado

Leia mais

POLÍTICA DE USO REDE UFAL.MACEIO / SERVIDOR SAMBA-MACEIO

POLÍTICA DE USO REDE UFAL.MACEIO / SERVIDOR SAMBA-MACEIO POLÍTICA DE USO REDE UFAL.MACEIO / SERVIDOR SAMBA-MACEIO O objetivo desta política de uso é prestar esclarecimentos sobre os recursos disponíveis na rede local UFAL.MACEIO e no servidor SAMBA-MACEIO, informando

Leia mais

REGIMENTO DOS LABORATORIOS DE INFORMÁTICA

REGIMENTO DOS LABORATORIOS DE INFORMÁTICA REGIMENTO DOS LABORATORIOS DE INFORMÁTICA Dos Laboratórios Art 1º O objetivo dos laboratórios de informática é suprir necessidades laboratoriais, de informática, nas áreas de ensino, pesquisa, extensão,

Leia mais

PORTARIA CRC-RJ Nº 093/2010

PORTARIA CRC-RJ Nº 093/2010 PORTARIA CRC-RJ Nº 093/2010 APROVA NOVO REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NOS CURSOS REALIZADOS PELO CRCRJ. A PRESIDENTE DO CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS À DISTÂNCIA CURSO DE EMERGÊNCIAS CLÍNICAS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS À DISTÂNCIA CURSO DE EMERGÊNCIAS CLÍNICAS 1 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS À DISTÂNCIA CURSO DE EMERGÊNCIAS CLÍNICAS 2 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS À DISTÂNCIA Contrato de prestação de serviços educacionais que

Leia mais

Manual de uso e Regras da Biblioteca

Manual de uso e Regras da Biblioteca Manual de uso e Regras da Biblioteca A Biblioteca é parte integrante do processo educativo da ETEC Dr. Emílio Hernandes Aguilar, de forma a alcançar o desenvolvimento das competências de informação, ensino,

Leia mais

[Ano] NORMATIZAÇÃO DE USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS IBIRUBÁ

[Ano] NORMATIZAÇÃO DE USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS IBIRUBÁ [Ano] NORMATIZAÇÃO DE USO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS IBIRUBÁ Coordenadoria de Tecnologia da Informação 2013 AUTORES Aurélio Ricardo Batú Maicá Laura

Leia mais

Aprova o Regulamento da Biblioteca do Campus Curitiba do Instituto Federal do Paraná (IFPR).

Aprova o Regulamento da Biblioteca do Campus Curitiba do Instituto Federal do Paraná (IFPR). RESOLUÇÃO Nº 001/2012 DA DIREÇÃO GERAL Aprova o Regulamento da Biblioteca do Campus Curitiba do Instituto Federal do Paraná (IFPR). O Diretor Geral, no uso de suas atribuições, resolve disciplinar as normas

Leia mais

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Regulamento TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento objetiva normalizar os aspectos de funcionamento da estrutura e administração da Biblioteca Júlio Bordignon da. TÍTULO II DOS

Leia mais

Normas de Utilização e de Funcionamento da Biblioteca Campus Cachoeiro de Itapemirim

Normas de Utilização e de Funcionamento da Biblioteca Campus Cachoeiro de Itapemirim Normas de Utilização e de Funcionamento da Biblioteca Campus Cachoeiro de Itapemirim Título I Disposições Gerais Art. 1º - As normas tem por finalidade regular o funcionamento e a utilização da Biblioteca

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco Curso de Engenharia Naval Departamento de Engenharia Mecânica

Universidade Federal de Pernambuco Curso de Engenharia Naval Departamento de Engenharia Mecânica REGULAMENTO LABORATÓRIO DE SIMULAÇÃO E VISUALIZAÇÃO (LSIVI) Este regulamento visa melhorar o aproveitamento dos recursos computacionais do Laboratório de Simulação e Visualização da Engenharia Naval, satisfazendo

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés REGULAMENTO DA BIBLIOTECA Regulamenta o funcionamento da biblioteca no âmbito da Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés. Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento tem por

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA FAME

REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA FAME REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA FAME Letícia do Carmo Miranda Bibliotecária FAME - CRB 6 / 2443 BARBACENA/MG 2014 Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regimento contém as normas que disciplinarão

Leia mais

APÊNDICE B: REGULAMENTO SOBRE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - UNIR CACOAL. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

APÊNDICE B: REGULAMENTO SOBRE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - UNIR CACOAL. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS APÊNDICE B: REGULAMENTO SOBRE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS - UNIR CACOAL. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Este regulamento tem por objetivo estabelecer as

Leia mais

C O N C E I T O E I M A G E M. Transparência nas Ações

C O N C E I T O E I M A G E M. Transparência nas Ações C O N C E I T O E I M A G E M. Transparência nas Ações 1. TERMOS GERAIS Este é um serviço de usuários de web ou mesmo de criação espontânea de grupos virtuais, destinado à troca de assuntos interligados

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACADÊMICA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACADÊMICA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ACADÊMICA Aprovado pela Resolução Consuni nº. 15/08, de 21/05/08. CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DO FUNCIONAMENTO Art. 1º A Biblioteca Acadêmica, órgão de apoio às atividades do

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO E DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL INSTITUCIONAL DO IF FARROUPILHA

REGULAMENTO DE CONCESSÃO E DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL INSTITUCIONAL DO IF FARROUPILHA REGULAMENTO DE CONCESSÃO E DE UTILIZAÇÃO DO E-MAIL INSTITUCIONAL DO IF FARROUPILHA REGULAMENTAÇÃO Nº 1, DE 29 DE JANEIRO DE 2014. Regulamenta o uso do correio eletrônico institucional e normatiza as regras

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COLÉGIO DE APLICAÇÃO. EDITAL Nº 238 - ADMISSÃO DE ALUNOS AO CAp 2016

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COLÉGIO DE APLICAÇÃO. EDITAL Nº 238 - ADMISSÃO DE ALUNOS AO CAp 2016 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COLÉGIO DE APLICAÇÃO EDITAL Nº 238 - ADMISSÃO DE ALUNOS AO CAp 2016 A Diretora do Colégio de Aplicação da UFRJ, no uso de suas

Leia mais

Política de TI. 1 - Direitos do Colaborador

Política de TI. 1 - Direitos do Colaborador Política de TI A Política de segurança da informação da OPERARIO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO aplica-se a todos os colaboradores e prestadores de serviços, incluindo trabalhos executados externamente ou por

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO DOS COMPUTADORES DO LABORATORIO DE INFORMATICA E BIBLIOTECA DA FACULDADE ESEFAP

REGULAMENTO PARA USO DOS COMPUTADORES DO LABORATORIO DE INFORMATICA E BIBLIOTECA DA FACULDADE ESEFAP REGULAMENTO PARA USO DOS COMPUTADORES DO LABORATORIO DE INFORMATICA E BIBLIOTECA DA FACULDADE ESEFAP CAPÍTULO I DA FINALIDADE Art. 1 - O presente regulamento tem por finalidade facilitar e democratizar

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS Este regulamento visa estabelecer padrões e normas referentes ao funcionamento do Sistema de Bibliotecas do Centro Universitário Lusíada

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 06/2012 CONCECERES

RESOLUÇÃO Nº 06/2012 CONCECERES RESOLUÇÃO Nº 06/2012 CONCECERES Dispõe sobre o Regimento Interno do Laboratório de Topografia e Geoprocessamento LABGEO, do Centro de Educação Superior da Região Sul - CERES. O Presidente do Conselho de

Leia mais

Laboratórios de Informática Regulamento

Laboratórios de Informática Regulamento 1 Laboratórios de Informática Regulamento Pagina 1/10 Sumário DA CONSTITUIÇÃO...3 DA ADMINISTRAÇÃO...4 DA UTILIZAÇÃO...5 DISPOSIÇÕES GERAIS...10 Pagina 2/10 REGULAMENTO INTERNO DA CONTISTUIÇÃO Art. 1 -

Leia mais

Políticas de utilização dos laboratórios de informática

Políticas de utilização dos laboratórios de informática FACULDADE VALE DO SALGADO ICÓ CEARÁ Missão: Formar profissionais capazes de contribuir para o desenvolvimento do país, embasados na responsabilidade social e na ética, visando o bem estar e a qualidade

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO SUPERIOR DA UNIVERSIDADE RESOLUÇÃO CONSUN Nº 009/2012 Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul. Alterada pela

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.629, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2013

CIRCULAR Nº 3.629, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2013 CIRCULAR Nº 3.629, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2013 Aprova o regulamento de comunicação eletrônica de dados no âmbito do Sistema Financeiro Nacional (SFN). A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS: Art. 1 - A Biblioteca da FACSETE Faculdade Sete Lagoas, tem como objetivo, a disseminação da informação através da aquisição, organização, e conservação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA. Título I. Das Disposições Gerais. Capítulo I

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA. Título I. Das Disposições Gerais. Capítulo I 1 REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA Título I Das Disposições Gerais Capítulo I Dos Objetivos e da Estruturação Geral do Serviço de Psicologia Art. 1º - O Serviço de Psicologia é parte

Leia mais

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE RIBEIRA GRANDE EB2 GASPAR FRUTUOSO

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE RIBEIRA GRANDE EB2 GASPAR FRUTUOSO ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE RIBEIRA GRANDE EB2 GASPAR FRUTUOSO REGULAMENTO DA MEDIATECA 2012/2013 ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE RIBEIRA GRANDE EB2 Gaspar frutuoso REGULAMENTO DA MEDIATECA ANO LETIVO 2012 /

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DISPOSIÇÕES gerais CAPITULO I DA COMPETÊNCIA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DISPOSIÇÕES gerais CAPITULO I DA COMPETÊNCIA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA DISPOSIÇÕES gerais CAPITULO I DA COMPETÊNCIA Art. 1º. Compete a Biblioteca da Faculdade do Vale do Ipojuca (Favip) planejar, preparar, organizar e controlar todas as atividades

Leia mais

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA Departamento: Tecnologia da Informação Faculdade Adventista da Bahia 1 P á g i n a Normas de Utilização dos Laboratórios de Informática Da Faculdade Adventista

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 301/CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 24 DE JUNHO DE 2016

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 301/CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 24 DE JUNHO DE 2016 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 301/CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 24 DE JUNHO DE 2016 Dispõe sobre a participação de servidores do Tribunal Superior do Trabalho em ações de educação corporativa

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NA ÁREA DE ENSINO NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE/ALUNOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NA ÁREA DE ENSINO NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE/ALUNOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NA ÁREA DE ENSINO NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE/ALUNOS Pelo presente instrumento e na melhor forma de direito, de um lado

Leia mais

CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO

CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO 1 CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO Art.1º - Institui o regulamento da BIBLIOTECA DA FACULDADE UNISSA DE SARANDI, com o objetivo de definir normas para prestação e utilização dos serviços e garantir

Leia mais

1. Objetivos dos Laboratórios de Informática fixo e móveis; Os Laboratórios de Informática têm como objetivo atender às seguintes necessidades da IES:

1. Objetivos dos Laboratórios de Informática fixo e móveis; Os Laboratórios de Informática têm como objetivo atender às seguintes necessidades da IES: REGULAMENTO PARA USO DOS LABORATORIOS DE INFORMATICA E DA INTERNET NA FACULDADE REDENTOR POR PARTE DE PROFESSORES E ALUNOS 1. Objetivos dos Laboratórios de Informática fixo e móveis; Os Laboratórios de

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DO SISTEMA DE PRONTUÁRIOS MÉDICOS ONLINE PARA MEDICINA DO TRABALHO

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DO SISTEMA DE PRONTUÁRIOS MÉDICOS ONLINE PARA MEDICINA DO TRABALHO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DO SISTEMA DE TRABALHO MÍDIA MEDICINA, firma com o usuário cadastrado no site mtr.midiamedicina.com.br, o presente Contrato de Prestação de Serviços que uma vez lido e

Leia mais

Avenida Loja Maçônica Renovadora 68, no. 100 - CEP 14785-002 - Barretos/SP. Regulamento. Capítulo I. Disposições preliminares

Avenida Loja Maçônica Renovadora 68, no. 100 - CEP 14785-002 - Barretos/SP. Regulamento. Capítulo I. Disposições preliminares Regulamento Capítulo I Disposições preliminares Art. 1º. Este regulamento disciplina o funcionamento da Biblioteca Dr. Ranulpho Prata da Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos Dr. Paulo Prata (FACISB).

Leia mais

Regulamento da Biblioteca do Instituto de Seguros de Portugal. Capítulo I ASPECTOS GERAIS

Regulamento da Biblioteca do Instituto de Seguros de Portugal. Capítulo I ASPECTOS GERAIS Regulamento da Biblioteca do Instituto de Seguros de Portugal Capítulo I ASPECTOS GERAIS Artigo 1.º Objecto 1. O presente Regulamento estabelece um conjunto de normas a serem observadas e cumpridas pelos

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO TOCANTINS PORTARIA Nº 41, DE 21 DE AGOSTO DE 2012.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO TOCANTINS PORTARIA Nº 41, DE 21 DE AGOSTO DE 2012. MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO TOCANTINS PORTARIA Nº 41, DE 21 DE AGOSTO DE 2012. Aprova o Regulamento Interno da Biblioteca da PR/TO. O PROCURADOR-CHEFE DA PROCURADORIA

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FFB FACULDADE FARIAS BRITO

REGIMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FFB FACULDADE FARIAS BRITO REGIMENTO INTERNO DOS LABORATÓRIOS DE INFORMÁTICA DA FFB FACULDADE FARIAS BRITO Fortaleza CE 2010 Laboratórios de Informática A Faculdade Farias Brito tem um forte compromisso com a competência de seu

Leia mais

Plano de Segurança da Informação

Plano de Segurança da Informação Faculdade de Tecnologia SENAC - Goiás Projeto Integrador Governança da Tecnologia da Informação Plano de Segurança da Informação Diego Miranda José Rodrigues Neto Romário Sena Warley Gabriel Plano de Segurança

Leia mais

ANEXO I TERMO DE ADESÃO. Atenção: Leia cuidadosamente este contrato antes de se tornar um usuário do PMA

ANEXO I TERMO DE ADESÃO. Atenção: Leia cuidadosamente este contrato antes de se tornar um usuário do PMA ANEXO I TERMO DE ADESÃO Atenção: Leia cuidadosamente este contrato antes de se tornar um usuário do PMA INTERNET GRATUITA. 1. ÍNTEGRA DO TERMO 1.1. Os termos abaixo se aplicam aos serviços oferecidos pela

Leia mais

REGULAMENTO DOLABORATÓRIO DE ENFERMAGEM ANA NERY CAPÍTULO I DO LABORATÓRIO DE ENFERMAGEM

REGULAMENTO DOLABORATÓRIO DE ENFERMAGEM ANA NERY CAPÍTULO I DO LABORATÓRIO DE ENFERMAGEM REGULAMENTO DOLABORATÓRIO DE ENFERMAGEM ANA NERY CAPÍTULO I DO LABORATÓRIO DE ENFERMAGEM Art.1º - O presente documento estabelece as normas de organização e funcionamento do Laboratório de Enfermagem Ana

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I Das disposições gerais Art. 1º. A Biblioteca, tem por objetivo oferecer suporte informacional à toda Instituição, podendo ser aberta à comunidade para consulta bibliográfica.

Leia mais

Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV

Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV Regulamento da utilização dos laboratórios de informática do CRP/UFV Capítulo I Do regimento e seus objetivos O presente regimento, elaborado pela Central de Processamento de dados da UFV- CRP, visa disciplinar

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ANATOMIA HUMANA

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ANATOMIA HUMANA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE ANATOMIA HUMANA 2012 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 CAPÍTULO I - DA CARACTERIZAÇÃO E NATUREZA... 3 CAPÍTULO II - DOS DEVERES... 4 CAPÍTULO III - DO AGENDAMENTO E USO DO LABORATÓRIO...

Leia mais

Ao se cadastrar, o USUÁRIO compromete se a fornecer informações verdadeiras, atualizadas e completas, conforme solicitado nas páginas de registro.

Ao se cadastrar, o USUÁRIO compromete se a fornecer informações verdadeiras, atualizadas e completas, conforme solicitado nas páginas de registro. CADASTRO DO CURRÍCULO DO USUÁRIO Ao se cadastrar, o USUÁRIO compromete se a fornecer informações verdadeiras, atualizadas e completas, conforme solicitado nas páginas de registro. Fica expressamente estipulado

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA

FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2008 REGULAMENTO INTERNO BIBLIOTECA Revisão 00 31/08/2009 Edição inicial Revisão 01 29/06/2011 - Nova redação para o Cap. I,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO UBERABA-MG RESOLUÇÃO N. 4, DE 16 DE ABRIL DE 2013, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UFTM.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO UBERABA-MG RESOLUÇÃO N. 4, DE 16 DE ABRIL DE 2013, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UFTM. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO UBERABA-MG RESOLUÇÃO N. 4, DE 16 DE ABRIL DE 2013, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UFTM. Aprova as regras de transição do Sistema de Matrícula

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COLÉGIO DE APLICAÇÃO. EDITAL Nº 184 - ADMISSÃO DE ALUNOS AO CAp 2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COLÉGIO DE APLICAÇÃO. EDITAL Nº 184 - ADMISSÃO DE ALUNOS AO CAp 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS COLÉGIO DE APLICAÇÃO EDITAL Nº 184 - ADMISSÃO DE ALUNOS AO CAp 2015 A Diretora do Colégio de Aplicação da UFRJ, no uso de suas

Leia mais

O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições,

O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições, flas RESOLUÇÃO 01 05 NORMAS DE USO ACEITÁVEL DOS RECURSOS COMPUTACIONAIS DO INPE IMEDIATA O Diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE, no uso de suas atribuições, RESOLVE Estabelecer

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 110, DE 21 DE JULHO DE 2010

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 110, DE 21 DE JULHO DE 2010 Publicada no Boletim de Serviço, nº 8 em 6/8/2010. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 110, DE 21 DE JULHO DE 2010 Dispõe sobre a administração de bens móveis patrimoniais no âmbito da Secretaria do Supremo Tribunal

Leia mais

Contrato de Confidencialidade e Autorização para Divulgação de Informações dos Usuários BIVA SERVIÇOS FINANCEIROS S.A.

Contrato de Confidencialidade e Autorização para Divulgação de Informações dos Usuários BIVA SERVIÇOS FINANCEIROS S.A. Contrato de Confidencialidade e Autorização para Divulgação de Informações dos Usuários BIVA SERVIÇOS FINANCEIROS S.A. 1. Quem somos Biva Serviços Financeiros S.A. ( BIVA ) é uma plataforma online de prestação

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CÂMARA MUNICIPAL DE CABECEIRAS DE BASTO INTRODUÇÃO O presente Regulamento tem como objetivo estabelecer diretrizes e regular a utilização dos

Leia mais

Política de Publicação de Conteúdo do Site da CCEE

Política de Publicação de Conteúdo do Site da CCEE Política de Publicação de Conteúdo do Site da CCEE ÍNDICE INTRODUÇÃO 1. Padronização de textos e definições 1.1 O que é Notícia 1.2 O que é Artigo 1.3 O que é Comunicado 1.4 O que é Arquivo 1.5 O que é

Leia mais