TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO TÉCNICO EM TELECOMUNICAÇÕES. Fibra Óptica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO TÉCNICO EM TELECOMUNICAÇÕES. Fibra Óptica"

Transcrição

1 Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Etec JORGE STREET TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO TÉCNICO EM TELECOMUNICAÇÕES Fibra Óptica Alexandre Lorca Ingegneri Dennis Bellini da Silva Heloise da Silva Leite Professor(es) Orientador(es): Luiz Carlos da C. e Silva São Caetano do Sul / SP 2014

2 Fibra Óptica Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como pré-requisito para obtenção do Diploma de Técnico em Telecomunicações. São Caetano do Sul / SP 2014

3 RESUMO Levando em consideração as necessidades do mercado de trabalho que está em pleno crescimento na área de fibra óptica, mas que em contrapartida existe uma grande deficiência de pessoas conhecedoras do assunto. Este trabalho visa passar uma base dos conceitos básicos, como tipos de fibra, aplicabilidade, manuseio e manutenção. Palavras-chave: Inspeção e Limpeza, Potência e atenuação.

4 Sumário INTRODUÇÃO...5 Vantagens:... 5 DESCRIÇÃO DO PROJETO...5 OBJETIVOS...6 JUSTIFICATIVA DESENVOLVIMENTO DO PROJETO...7 Transformando dados em luz... 8 Cabos de fibra ótica... 9 Proteção plástica... 9 Fibra de fortalecimento... 9 Revestimento interno... 9 Camada de refração Núcleo Multimodo e monomodo Monomodo Multimodo Isso sim é velocidade Saudades do cobre: fibra ótica também tem defeitos Tecnologia do futuro CONECTORES E POLIMENTOS - PERDA POR RETORNO E INSERÇÃO OTDR RESULTADOS OBTIDOS CONCLUSÃO... 17

5 5 Introdução Vantagens e desvantagens em utilizar cabos de fibra ótica O cabeamento de fibra ótica para internet de alta velocidade, telefonia e conexões a cabo é uma tecnologia com muitas vantagens e limitadas desvantagens. Os cabos de fibra ótica transferem dados através de ondas eletromagnéticas. Seus núcleos são feitos de vidro ou de fibras plásticas, envoltos por uma camada de revestimento (desenvolvida para refletir a luz de volta para o núcleo) e por uma camada "amortecedora", que protege as fibras da umidade e outros danos. Vantagens: A transmissão de dados em fibra ótica é incrivelmente rápida. Os cabos de fibra ótica não são suscetíveis à interferência RF (radio frequência), que pode ser um problema relevante aos usuários do típico cabo coaxial. Os cabos de fibra ótica transmitem dados através de longas distâncias sem muitas perdas. Desvantagens: Frequentemente, o cabeamento em fibra ótica pode custar mais que o dobro de uma conexão típica de banda larga, sendo difícil para um usuário comum justificar este custo. As conexões de fibra ótica não se encontram disponíveis em muitas áreas. Descrição do Projeto Inspeção e limpeza. Potência e atenuação.

6 6 Objetivos avançada. Mostrar o funcionamento da fibra óptica e suas vantagens em tecnologia Justificativa Houve uma identificação com esse projeto de cabeamento estruturado, ou fibra óptica, por haver uma necessidade no mercado de trabalho.

7 7 3 Desenvolvimento do Projeto Como funciona a fibra ótica [infográfico]

8 8 Transmissão de dados e voz em longas distâncias com pouca perda de sinal e qualidade, tudo isso com altíssimas velocidades. Já pensou nas maravilhas que isso permitiria? Apostando que você deve estar pensando: baixar programas e músicas ficaria muito mais rápido e o tempo de espera por downloads seria reduzido ao mínimo. E é exatamente isso que aconteceria, se todas as empresas de internet banda larga disponibilizassem a tecnologia da fibra ótica para os usuários. Logicamente a mudança de tecnologia demanda grandes quantias de dinheiro, por isso é difícil ter a fibra ótica em todas redes domésticas pelos próximos anos. No Brasil, apenas algumas universidades e institutos públicos possuem este tipo de conexão. Em 2011, algumas residências devem passar a contar com o modo de transmissão de alta velocidade da fibra ótica pelo menos é o que está prometendo uma das maiores empresas de telecomunicações do país. Mas você sabe como funcionam os cabos de fibra ótica? Transformando dados em luz A fibra ótica não envia dados da mesma maneira que os cabos convencionais. Para garantir mais velocidade, todo o sinal é transformado em luz, com o auxílio de conversores integrados aos transmissores. Há dois modos de converter os dados: por laser e por LED (respectivamente: fibras monomodo e multimodo. Ambas serão explicadas mais adiante). Sem essa conversão, os dados enviados e recebidos não poderiam desfrutar das mesmas larguras de banda. Nesse momento, surge a necessidade dos cabos de fibra ótica, pois são eles que permitem a velocidade e a qualidade superiores às oferecidas pelos tradicionais cabos de cobre. O motivo disso será explicado mais à frente.

9 9 Cabos de fibra ótica Você imagina como é um cabo de fibra ótica por dentro? Ele não é construído apenas com a fibra de vidro e o revestimento plástico, há várias camadas que fazem parte da estrutura essencial dele. Segue um pouco mais de explicação sobre cada uma das camadas que compõe a fibra ótica. Proteção plástica Como todo cabo, a fibra ótica também precisa de proteção externa, para evitar que o desgaste natural ou as situações anômalas do tempo representem interferências no sistema. Geralmente, essa camada de proteção é composta por plásticos, tornando a aparência dos cabos de fibra ótica muito similar à apresentada por cabos de rede, por exemplo. Fibra de fortalecimento Logo abaixo da camada plástica, existe uma fibra de fortalecimento, bastante parecida com a que existe em cabos coaxiais de transmissão de sinal de televisão. Você sabe qual a função dela? Proteger a fibra de vidro de quebras que podem acontecer em situações de torção do cabo ou impactos no transporte. Se a camada de fortalecimento não existisse, qualquer movimento brusco que atingisse os cabos de fibra ótica resultaria em quebra da fibra principal e, consequentemente, na perda total do sinal transmitido. Revestimento interno Também chamado de Coating, o revestimento interno tem função similar à das fibras de fortalecimento. É ele que isola todos os impactos externos e também evita que a luz natural atinja as fibras de vidro internas, o que poderia resultar em interferências muito fortes em qualquer que seja o sinal.

10 10 Camada de refração Nas duas camadas mais internas, ocorre a parte mais importante do processo de transmissão de luz. Cobrindo o filete de fibra de vidro, a camada de refração (ou Cadding ) é responsável pela propagação de todos os feixes, evitando que existam perdas no decorrer dos trajetos. Em um sistema perfeito, essa camada garantiria 100% de reaproveitamento dos sinais luminosos. Núcleo Também chamado de Core. Em suma, é onde realmente ocorre a transmissão dos pulsos de luz. Construído em vidro, é por ele que a luz viaja em suas longas distâncias. No próximo tópico serão demostrados os dois tipos de fibras de vidro que podem ser utilizados nos cabos. Multimodo e monomodo Os dois nomes que abrem este tópico representam os dois principais modelos de fibras óticas existentes atualmente. Eles são diferenciados em vários aspectos, desde o custo de produção até as melhores possibilidades de aplicação. Qual deles será mais recomendado para a construção de redes de internet? Monomodo Como o nome já diz, as fibras monomodo só podem atender a um sinal por vez. Ou seja, uma única fonte de luz (na maior parte das vezes, laser) envia as informações por enormes distâncias. As fibras monomodo apresentam menos dispersão, por isso pode haver distâncias muito grandes entre retransmissores. Teoricamente, até 80 quilômetros podem separar dois transmissores, mas na prática eles são um pouco mais próximos. Outra vantagem das fibras desse tipo é a largura da banda oferecida, que garante velocidades maiores na troca de informações.

11 11 Multimodo Fibras multimodo garantem a emissão de vários sinais ao mesmo tempo (geralmente utilizam LEDs para a emissão). Esse tipo de fibra é mais recomendado para transmissões de curtas distâncias, pois garante apenas 300 metros de transmissões sem perdas. Elas são mais recomendadas para redes domésticas porque são muito mais baratas. Isso sim é velocidade Você já viu que a fibra ótica garante velocidades muito maiores do que as oferecidas pelos fios de cobre comuns, mas ainda não viu os números exatos. Hoje, uma conexão banda larga de alta velocidade é oferecida com cerca de 10 Mbps, o que permite downloads a quase 1,25 MB/s. Os padrões de testes da fibra ótica apontam para velocidades de 10 Gbps, o que resulta em downloads de MB/s. É um aumento considerável, que pode ser extremamente importante para quem gosta de jogar games online ou baixar muitos arquivos pela internet. Vale dizer que as conexões de 10 Gbps são muito potentes e devem custar muito caro, por isso são mais recomendadas para grandes empresas e universidades, locais em que a banda precisa ser muito dividida. Outra possibilidade é a instalação de padrões de fibra ótica em condomínios, que podem redividir a conexão para vários computadores. Saudades do cobre: fibra ótica também tem defeitos Não existe nenhuma tecnologia perfeita, por isso precisamos apresentar também as desvantagens dos cabos de fibra ótica. A principal delas é relacionada aos custos, tanto de produção quanto de implementação dos novos sistemas de transmissão.

12 12 Produzir cabos de fibra ótica envolve processos muito complexos e caros, o que exige uma demanda muito grande de usuários dispostos a pagar um pouco mais pelos recursos oferecidos pela tecnologia.além disso, para alimentar grandes cidades seriam necessários muitos retransmissores, e há relatos de perdas grandes de sinal em retransmissores divisores. Outros problemas estão ligados diretamente à fragilidade das fibras de vidro. Como ainda não existe uma padronização no sistema, há muitos cabos que são vendidos sem o encapsulamento protetor adequado. Isso gera instabilidade para os cabos e pode resultar em quebras dos filetes de transmissão. Tecnologia do futuro Será que a fibra ótica está realmente distante da realidade? Aos poucos, algumas empresas de televisão a cabo e internet estão oferecendo pacotes que contam com os recursos da tecnologia para seus assinantes. Os preços ainda são bem altos, mas com o passar do tempo é provável que baixem consideravelmente. Outro desafio é encontrar formas de retransmitir os sinais sem que seja necessário dispender muitos recursos, mas as vantagens oferecidas realmente impulsionam os pesquisadores. A fibra ótica garante uma largura de banda muito maior do que o cobre, ocupando menos espaço físico e com matéria-prima (sílica) muito mais abundante. Conectores e Polimentos - Perda por Retorno e Inserção Perda de Retorno (RL) é a perda da potência do sinal óptico resultante da reflexão do sinal causada em uma descontinuidade da fibra ótica (como um buraco entre conectores óticos). Os dois fins de face das fibras devem estar bem casados, senão a perda de retorno é alta e é expressa em decibéis (db). Embora a perda de retorno deva ser um valor positivo, também é expressa freqüentemente como valor negativo, no caso em que um valor mais baixo é preferido. Perda de inserção (IL), por outro lado, é a perda de potência óptica do sinal resultante da inserção de um componente ótico no sistema de fibra ótica (como um conector ou emenda), onde

13 13 um número menor é desejável. Devido à alta do RL, o conector APC é ideal para banda larga e aplicações de longo alcance. O ângulo de 8 graus garante que a maioria dos RL é direcionada para o revestimento de fibra, onde não pode interferir com o sinal transmitido ou causar danos na fonte do laser de varredura. ATENUADORES A verdade é que muita luz pode sobrecarregar um receptor de fibra óptica. Atenuadores de fibra óptica são necessários quando um transmissor proporciona muita luz, como quando um transmissor é muito perto do receptor. 2) Como um atenuador de fibra funciona Atenuadores geralmente funciona absorvendo a luz, como um filtro de película fina de densidade neutra. Ou por espalhar a luz como um espaço de ar. Eles não devem refletir a luz, já que isso poderia causar reflexão volta indesejado no sistema de fibra. Um outro tipo de atenuador utiliza um comprimento de alta perda de fibra ótica, que opera em cima de seu nível de potência de entrada de sinal ótico de modo que seu nível de potência do sinal de saída é menor que o nível de entrada. A redução de potência são feitas por meio de absorção, reflexão, difusão, dispersão, deflexão, difração e dispersão, etc. 3) Qual é a característica mais importante deve ter um atenuador de fibra A especificação mais importante de um atenuador é sua atenuação versus curva de comprimento de onda. Atenuadores devem ter o mesmo efeito em todos os comprimentos de onda usados no sistema de fibra ou pelo menos tão planos quanto possível. Por exemplo, um atenuador de 3dB em 1500nm também deve reduzir a intensidade de luz em 1550nm de 3dB ou tão perto quanto possível, isto é especialmente verdadeiro em um sistema WDM (Wavelength Division Multiplexing).

14 14 4) Diferentes tipos de Atenuadores Existem dois tipos funcionais de Atenuadores de fibra: plug estilo (incluindo o anteparo) e em linha. Um atenuador de estilo plug é empregado como um conector macho-fêmea, onde a atenuação ocorre dentro do dispositivo, ou seja, sobre o trajeto da luz de um terminal para outro. Estes incluem FC atenuador da fibra óptica, atenuador de LC, atenuador de SC, ST atenuador e muito mais. Um atenuador em linha está ligado a uma fibra de transmissão por suas duas tranças de emenda. O princípio de funcionamento de Atenuadores são marcadamente diferentes porque eles usam vários fenômenos para diminuir o poder da luz propagação. Os meios mais simples são dobrar uma fibra. Enrole um cabo de patch cord várias vezes em torno de um lápis ao medir a atenuação com um medidor de energia e, em seguida, esta bobina de fita. A maioria dos atenuadores fixaram valores especificados em decibéis (db). Eles são chamados de atenuador fixo de fibra óptica. Por exemplo, a 3dB atenuador deve reduzir a intensidade da saída em 3dB. Fabricantes usam vários tipos de material de absorção de luz para atingir a atenuação estável e bem controlada. Por exemplo, uma fibra dopada com um metal de transição que absorve a luz de maneira previsível e dispersa absorveu a energia como um calor. Atenuadores de variável de fibra óptica também estão disponíveis, mas eles geralmente são usados em fazer medições de instrumentos de precisão. Existem fibras PC e APC a diferença entre eles é que PC é polida lisa e APC polida com um ângulo de 8 graus, a APC é mais utilizada pois diminuem a reflexão da luz para o transmissor.

15 15 Há dois tipos de problemas que causarão a perda enquanto a luz sai de uma extremidade e entra em outra dentro de um adaptador: contaminação e dano. Bloqueios de poeira, gordura e água são formas comuns de contaminação de terminais de conector de fibra. Basta tocar a ponteira que o terminal já será contaminado pela gordura corporal, causando atenuação inaceitável assim que a conexão for feita. A poeira e as partículas estáticas pequenas flutuam através do ar e podem aterrar em qualquer superfície exposta. Isto pode ser especialmente verdadeiro nas instalações que se submetem à construção ou à renovação. Nas instalações novas, o gel do amortecedor e o lubrificante podem facilmente encontrar seu caminho em uma extremidade. Dano do cabo da fibra óptica aparece como um risco, um furo, uma rachadura ou uma fenda. Estes defeitos de superfície da extremidade podiam ser o resultado da finalização pobre ou da contaminação de acoplamento. Decisão de acoplar primeiramente cada conexão e então inspecionar somente aquelas que falham é uma abordagem perigosa porque o contato físico de contaminadores acoplados pode causar dano permanente. Este dano permanente exigiria uma re-finalização ou uma recolocação mais cara e mais demorada das ligações pré-finalizadas. Desde os primeiros dias de cabo de fibra óptica, os microscópios estereofônicos laboratoriais foram usados para inspecionar as extremidades da fibra óptica. Ao longo do tempo, microscópios menores portáteis foram projetados para testar facilmente o cabo de fibra. Microscópios podem ser divididos em dois grupos básicos: ópticos e de vídeo. Os microscópios ópticos incorporam uma lente objetiva e uma lente ocular para permitir que você veja a extremidade diretamente através do dispositivo. Os microscópios de vídeo incorporam tanto uma prova óptica e uma tela para ver a imagem da prova. As provas são projetadas para serem pequenas de modo que possam alcançar portas em lugares de difícil acesso. As telas permitem que as imagens sejam expandidas para uma identificação mais fácil dos contaminadores e do dano. Como o terminal é visualizado em uma tela em vez de diretamente, as ponteiras minimizam o risco de uma luz prejudicial do laser alcançar o olho de uma pessoa. A Fluke Networks oferece uma gama de microscópios de fibra óptica desde os simples até os de categoria profissional.

16 16 Cabos de limpeza de fibra óptica Como a limpeza foi parte da manutenção da fibra por anos, a maioria das pessoas têm suas próprias abordagens para a limpeza das extremidades, incluindo algumas abordagens ruins, tais como soprar o cabo da fibra com ar enlatado, ou a utilização do álcool isopropílico (IPA). Solventes específicos de fibra são superiores na dissolução de praticamente qualquer contaminação à espreita em uma fibra de end-face e ter adaptado taxas de evaporação que fornece tempo para trabalhar, mas desaparecem antes do acasalamento. As ferramentas as mais básicas usadas são panos e cotonetes usados para limpar cabos de conexão e portas interior, respetivamente. Os convenientes kits de limpeza de fibra óptica incluem todas as ferramentas de limpeza e solventes necessários para a limpeza final de precisão. Teste das fibras ópticas: Solução de problemas, verificação, e certificação Os testadores de fibra óptica incluem ferramentas para realizar a inspeção e limpeza básicas, testadores para verificação e solução de problemas básicos, testadores de certificação e testadores OTDR avançados para solução de problemas e análise de cabeamento existente. VFL ou Visual Fault Locator é um localizador visual de falhas, serve tanto para descobrir rompimentos em fibras curtas ou achar a outra ponta do cordão. OTDR OTDR ( Optical Time Domain Reflectometer ) é um instrumento de medida, o qual detecta luz refletida em fusões ou conectores bem como em pontos de quebra e luz retrorefletida devido ao fenômeno de Rayleigh scattering. Assim são possíveis de efetuar de modo eficiente, localização de eventos (atenuações, perdas por Km dos trechos de fibra,qualidade de conectores e emendas ópticas) e medidas de perdas de transmissão e por retorno(orl) a partir de um extremo da fibra óptica.

17 17 4 Resultados Obtidos Conforme observado em testes em laboratório o manuseio e a manutenção da fibra são simples, mas requerem o mínimo conhecimento, por se tratar de material delicado e que certos cuidados são necessários para evitar danos ou perdas. Conclusão Conclui-se que o mercado de trabalho para suprir a necessidade de profissionais capacitados para atuação com fibra óptica tem cada vez mais investido em cursos e treinamentos, uma vez que comercialmente não se tem de forma acessível disponibilidade desses cursos para a população interessada.

CABE DE REDE. Abaixo segue uma descrição de todas as categorias de cabos de par trançado existentes:

CABE DE REDE. Abaixo segue uma descrição de todas as categorias de cabos de par trançado existentes: CABE DE REDE Existem basicamente 3 tipos diferentes de cabos de rede: os cabos de par trançado (que são, de longe, os mais comuns), os cabos de fibra óptica (usados principalmente em links de longa distância)

Leia mais

Cabeamento Óptico 14/03/2014. Vantagens de utilização. Noções Ópticas. Vantagens de utilização. Sistema de comunicação Fibra. Funcionamento da Fibra

Cabeamento Óptico 14/03/2014. Vantagens de utilização. Noções Ópticas. Vantagens de utilização. Sistema de comunicação Fibra. Funcionamento da Fibra Cabeamento Óptico Fundamentos de Redes de Computadores Prof. Marcel Santos Silva Vantagens de utilização Total imunidade às interferências eletromagnéticas; Dimensões reduzidas; Maior segurança no tráfego

Leia mais

Meios de Transmissão. Conceito. Importância. É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede.

Meios de Transmissão. Conceito. Importância. É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede. Meios de Transmissão Conceito Importância É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede. Meios de Transmissão Qualquer meio físico capaz de transportar

Leia mais

Treinamento FIBRAS ÓPTICAS. Eng. Marcelo dos Santos. Seicom Florianópolis. Abril de 2008

Treinamento FIBRAS ÓPTICAS. Eng. Marcelo dos Santos. Seicom Florianópolis. Abril de 2008 Treinamento FIBRAS ÓPTICAS Eng. Marcelo dos Santos Seicom Florianópolis Abril de 2008 Programa Tipos de conectores de F.O; Quais conectores os SDH da Vivo FNS usam; Atenuação na fibra; Diferenças entre

Leia mais

IFRS Campus POA. Elétrica Aplicada Turma Redes II Noite. Prof. Sergio Mittmann. Grupo : Nilo Cesar Ferreira Alvira. Caroline Silva Tolfo

IFRS Campus POA. Elétrica Aplicada Turma Redes II Noite. Prof. Sergio Mittmann. Grupo : Nilo Cesar Ferreira Alvira. Caroline Silva Tolfo IFRS Campus POA Elétrica Aplicada Turma Redes II Noite Prof. Sergio Mittmann Grupo : Nilo Cesar Ferreira Alvira Caroline Silva Tolfo Claudia Silva Machado Marcelo Lucas A Fibra Óptica é um filamento extremamente

Leia mais

História da Fibra Óptica

História da Fibra Óptica História da Fibra Óptica Em 1870, o físico inglês Jonh Tyndall, demonstrou o princípio de guiamento da luz através de uma experiência muito simples, utilizando um recipiente furado com água, um balde e

Leia mais

Capítulo 3: A CAMADA FÍSICA

Capítulo 3: A CAMADA FÍSICA Capítulo 3: A CAMADA FÍSICA PCS 2476 Introdução - 1 Meios Físicos e Suas Características PCS 2476 Introdução - 2 Linhas Físicas Linhas Bifilares Par de fios Cabo de Pares Linha Aberta Linha de Alta Tensão

Leia mais

Certificação de redes ópticas de 10GbE

Certificação de redes ópticas de 10GbE CABEAMENTO ESTRUTURADO Certificação de redes ópticas de 10GbE 70 RTI DEZ 2008 JDSU (Brasil) As redes ópticas baseadas em 10GbE exigem um bom processo de certificação. O artigo a seguir detalha os principais

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores - 1º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 03 Cabeamento

Leia mais

Na Classe A Temos um numero menor de redes e um numero maior de hosts

Na Classe A Temos um numero menor de redes e um numero maior de hosts Na Classe A Temos um numero menor de redes e um numero maior de hosts Multicast: Ex; Precisamos enviar mensagem para grupo de computadores. Atualizar antivirus Para 70 maquinas, criamos um grupo multicast

Leia mais

fibra optica:layout 1 27-01-2011 00:23 Page 23

fibra optica:layout 1 27-01-2011 00:23 Page 23 fibra optica:layout 1 27-01-2011 00:23 Page 23 Fibra Óptica fibra optica:layout 1 27-01-2011 00:23 Page 24 FIBRA ÓPTICA Fibra Óptica é um pedaço de vidro com capacidade de transmitir luz. Tal filamento

Leia mais

Meios de transmissão. Professor Leonardo Larback

Meios de transmissão. Professor Leonardo Larback Meios de transmissão Professor Leonardo Larback Meios de transmissão Na comunicação de dados são usados muitos tipos diferentes de meios de transmissão. A escolha correta dos meios de transmissão no projeto

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Cabeamento Gustavo Reis gustavo.reis@ifsudestemg.edu.br Os cabos são usados como meio de comunicação há mais de 150 anos. A primeira implantação em larga escala de comunicações via

Leia mais

MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão

MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão MÓDULO 4 Meios físicos de transmissão Os meios físicos de transmissão são compostos pelos cabos coaxiais, par trançado, fibra óptica, transmissão a rádio, transmissão via satélite e são divididos em duas

Leia mais

09/08/2015 DISCIPLINA: TECNOLOGIA DE REDES DE COMPUTADORES. Tecnologia em Jogos Digitais. Mídias (meios) de transmissão

09/08/2015 DISCIPLINA: TECNOLOGIA DE REDES DE COMPUTADORES. Tecnologia em Jogos Digitais. Mídias (meios) de transmissão Tecnologia em Jogos Digitais Mídias (meios) de transmissão DISCIPLINA: TECNOLOGIA DE REDES DE COMPUTADORES Mídias físicas: composta pelo cabeamento e outros elementos componentes utilizados na montagem

Leia mais

Noções de Cabeamento Estruturado Óptico

Noções de Cabeamento Estruturado Óptico Noções de Cabeamento Estruturado Óptico Roteiro Fibras ópticas Cuidados com cabos ópticos Elementos do Cabeamento Estruturado Fibras Ópticas Desde seu desenvolvimento, as fibras ópticas representaram um

Leia mais

Vejamos, então, os vários tipos de cabos utilizados em redes de computadores:

Vejamos, então, os vários tipos de cabos utilizados em redes de computadores: Classificação quanto ao meio de transmissão Os meios físicos de transmissão são os cabos e as ondas (luz, infravermelhos, microondas) que transportam os sinais que, por sua vez, transportam a informação

Leia mais

Comunicação de Dados. Aula 9 Meios de Transmissão

Comunicação de Dados. Aula 9 Meios de Transmissão Comunicação de Dados Aula 9 Meios de Transmissão Sumário Meios de Transmissão Transmissão guiada Cabo par trançado Coaxial Fibra ótica Transmissão sem fio Ondas de rádio Micro ondas Infravermelho Exercícios

Leia mais

Tipos de Cabeamento de Rede. Prof. Rafael Gross rafael.gross@fatec.sp.gov.br

Tipos de Cabeamento de Rede. Prof. Rafael Gross rafael.gross@fatec.sp.gov.br Tipos de Cabeamento de Rede Prof. Rafael Gross rafael.gross@fatec.sp.gov.br Tipos de Cabeamento Cabo Coaxial; Cabo Par Trançado; Cabo de Fibra Óptica. Cabo Coaxial Um dos primeiros cabos utilizados em

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Meios de Transmissão Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Abril de 2012 1 / 34 Pilha TCP/IP A B M 1 Aplicação Aplicação M 1 Cab M T 1 Transporte Transporte

Leia mais

PTTMETRO. 5º PTTForum

PTTMETRO. 5º PTTForum PTTMETRO AVALIAÇÃO DE REDES ÓPTICAS METROPOLITANAS 5º PTTForum 29 de Novembro de 2011 Salvador Rodrigues Equipe de Engenharia PTT.br AGENDA: - COMPONENTES DE REDE ÓPTICA

Leia mais

A escolha desses itens é importante pois interfere no custo das interfaces de rede. Cabo coaxial Par trançado Fibra ótica

A escolha desses itens é importante pois interfere no custo das interfaces de rede. Cabo coaxial Par trançado Fibra ótica Meios físicos de transmissão Objetivos: 1 - Definir os termos referentes a cabeamento. 2 - Identificar os principais tipos de cabos de rede. 3 - Determinar o tipo de cabeamento apropriado para cada tipo

Leia mais

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Fundamentos em Sistemas de Computação Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Camada Física Primeira cada do modelo OSI (Camada 1) Função? Processar fluxo de dados da camada 2 (frames) em sinais

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Cabeamento Óptico (Norma ANSI/TIA-568-C.3) www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Meio de Transmissão Meio de transmissão é o caminho físico (enlace) que liga

Leia mais

FREDY HENRIQUE BENITES NEUGEBAUER MEIOS DE TRASMISSÃO. CABEAMENTO DE FIBRA ÓTICA Monomodo

FREDY HENRIQUE BENITES NEUGEBAUER MEIOS DE TRASMISSÃO. CABEAMENTO DE FIBRA ÓTICA Monomodo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial E.E.P. Senac Pelotas Centro Histórico Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego Curso Técnico em Informática FREDY HENRIQUE BENITES NEUGEBAUER MEIOS

Leia mais

Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática

Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática Curso Técnico Integrado em Manutenção e Suporte em Informática Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores 04. Meios Físicos de Transmissão Prof. Ronaldo Introdução n

Leia mais

Prática em Redes de Computadores. Meios de Transmissão. Prof. M.Sc. Eduardo Luzeiro Feitosa efeitosa@dcc.ufam.edu.br

Prática em Redes de Computadores. Meios de Transmissão. Prof. M.Sc. Eduardo Luzeiro Feitosa efeitosa@dcc.ufam.edu.br Prática em Redes de Computadores Meios de Transmissão Prof. M.Sc. Eduardo Luzeiro Feitosa efeitosa@dcc.ufam.edu.br Sumário Introdução Meios de Transmissão Cabo coaxial Cabo Par Trançado Fibra Óptica Interferências

Leia mais

1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos

1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos 1 Fibra Óptica e Sistemas de transmissão ópticos 1.1 Introdução Consiste em um guia de onda cilíndrico, conforme ilustra a Figura 1, formado por núcleo de material dielétrico (em geral vidro de alta pureza),

Leia mais

Camada Física. Bruno Silvério Costa

Camada Física. Bruno Silvério Costa Camada Física Bruno Silvério Costa Sinais Limitados por Largura de Banda (a) Um sinal digital e suas principais frequências de harmônicas. (b) (c) Sucessivas aproximações do sinal original. Sinais Limitados

Leia mais

RELATÓRIO DE CONECTIVIDADE FIBRA OPTICA MULTIMODO

RELATÓRIO DE CONECTIVIDADE FIBRA OPTICA MULTIMODO Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial E.E.P. Senac Centro Histórico Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego Curso Técnico em Informática JOÃO VITOR ANDRADE RELATÓRIO DE CONECTIVIDADE

Leia mais

Mídias Físicas Utilizadas Cabo Coaxial e Par Trançado. Prof. Alexandre Beletti Ferreira

Mídias Físicas Utilizadas Cabo Coaxial e Par Trançado. Prof. Alexandre Beletti Ferreira Mídias Físicas Utilizadas Cabo Coaxial e Par Trançado Prof. Alexandre Beletti Ferreira Cabo Coaxial COMPOSTO POR: Fio de cobre rígido que forma o núcleo Envolto por um material isolante, O isolante, por

Leia mais

Sistema de comunicação óptica. Keylly Eyglys Orientador: Adrião Duarte

Sistema de comunicação óptica. Keylly Eyglys Orientador: Adrião Duarte Sistema de comunicação óptica Keylly Eyglys Orientador: Adrião Duarte História A utilização de transmissão de informação através de sinais luminosos datam de épocas muito remotas. Acredita-se que os gregos

Leia mais

Conhecer meios de transmissão que utilizam cabos e fios. Componentes do processo de comunicação.

Conhecer meios de transmissão que utilizam cabos e fios. Componentes do processo de comunicação. Meios de transmissão Conhecer meios de transmissão que utilizam cabos e fios. Quando enviamos uma informação para um destino, ela vai por um canal de comunicação. Esse canal de comunicação tem um limite

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 10 Testes e certificação

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 10 Testes e certificação APRENDIZAGEM INDUSTRIAL UNIDADE 10 Testes e certificação Configuração de teste de campo para cabos de par trançado de 100 ohms Teste de Canal: Inclui os 90m do cabeamento horizontal, o patch cord do equipamento

Leia mais

Infra-Estrutura de Redes

Infra-Estrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Infra-Estrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Fibras Óticas Enquanto

Leia mais

Infra-Estrutura de Redes

Infra-Estrutura de Redes Faculdade Anhanguera de São Caetano do Sul Infra-Estrutura de Redes Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Prof:Eduardo M. de Araujo Site-http://www.professoreduardoaraujo.com Objetivos: Camada física

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Redes de Computadores Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com 2/16 Nível Físico Tem a função de transmitir uma seqüência de bits através de um canal e comunicação. Este nível trabalha basicamente

Leia mais

INSTITUTO LABORO ESCOLA TECNICA

INSTITUTO LABORO ESCOLA TECNICA INSTITUTO LABORO ESCOLA TECNICA PESQUISA CABO COAXIAIS ASPECTOS TECNICOS FIBRA OPTICA SISTEMA TIPICO DE COMUNICAÇÃO PTICA ESTRUTURA DE UMA FIBRA OPTICA TIPOS DE FIBRA OPTICA Por Ítalo da Silva Rodrigues

Leia mais

Camada Física: Meios de transmissão guiados. Meios de transmissão guiados Fibra óptica

Camada Física: Meios de transmissão guiados. Meios de transmissão guiados Fibra óptica Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Camada Física: Fibra Óptica Mas afinal de onde veio essa ideia de transmitir dados no vidro? Isso é coisa de Extraterrestre! 1 O termo Fibra

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA. CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF. MARCIO BALIAN

REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA. CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF. MARCIO BALIAN 1 REDES DE COMPUTADORES - I UNI-ANHANGUERA. CURSO DE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF. MARCIO BALIAN 2 INTERFACE E CABEAMENTO DE REDES - Parte física da rede - Cabeamento - Placas de rede (interfaces)

Leia mais

email: cookvendas@cookenergia.com Acesse nosso site: www.cookenergia.com Telefones: (55) 21 2609-4196 - (55) 21 9387-1021

email: cookvendas@cookenergia.com Acesse nosso site: www.cookenergia.com Telefones: (55) 21 2609-4196 - (55) 21 9387-1021 Cordões Ópticos Montados em Conectores, Especificação: SUMÁRIO: 1 Objetivo. 2 Referências Normativas. 3 Definições. 4 Condições Gerais. 5 Condições Específicas. 6 Inspeção. 7 Aceitação e Rejeição. 8 Procedimento

Leia mais

GPON. Rede Óptica Passiva GigabitG. Leonardo F. Oliveira. Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br

GPON. Rede Óptica Passiva GigabitG. Leonardo F. Oliveira. Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br GPON Rede Óptica Passiva GigabitG Leonardo F. Oliveira Especialista Lato Sensu em Rede de Computadores Leonardo@uesb.edu.br GPON O que égpon? Utilização da fibra óptica para interligar pontos distantes

Leia mais

UFSM-CTISM. Comunicação de Dados Meios de Transmissão Aula-03

UFSM-CTISM. Comunicação de Dados Meios de Transmissão Aula-03 UFSM-CTISM Comunicação de Dados Meios de Transmissão Aula-03 Professor: Andrei Piccinini Legg Santa Maria, 2012 Par trançado Cabo coaxial Fibra óptica Meios Não-guiados Transmissão por rádio Microondas

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com COMUTAÇÃO CIRCUITOS PACOTES É necessário estabelecer um caminho dedicado entre a origem e o

Leia mais

Modos de Propagação. Tecnologia em Redes de Computadores 5º Período Disciplina: Sistemas e Redes Ópticas Prof. Maria de Fátima F.

Modos de Propagação. Tecnologia em Redes de Computadores 5º Período Disciplina: Sistemas e Redes Ópticas Prof. Maria de Fátima F. Modos de Propagação Tecnologia em Redes de Computadores 5º Período Disciplina: Sistemas e Redes Ópticas Prof. Maria de Fátima F. Bueno Marcílio 1 Modos de Propagação Antes de iniciarmos o estudo dos tipos

Leia mais

Teste de Fibra Óptica e Soluções de Problemas

Teste de Fibra Óptica e Soluções de Problemas Teste de Fibra Óptica e Soluções de Problemas Busco ferramentas reforçadas e duradouras que possam resistir ao desgaste do uso diário Contratante de Instalação Sacramento, CA No meu cotidiano de trabalho,

Leia mais

Fundamentos de Rede e Cabeamento Estruturado. A camada Física

Fundamentos de Rede e Cabeamento Estruturado. A camada Física Fundamentos de Rede e Cabeamento Estruturado A camada Física Largura de banda Compartilhada ou shared bandwidth Comutada ou switched bandwidth Banda base e banda larga Banda base existe a possibilidade

Leia mais

Linhas de transmissão

Linhas de transmissão Linhas de transmissão 1 - Introdução Linha de transmissão é um termo genérico utilizado para referenciar qualquer tipo de meio físico construído para transmissões de sinais elétricos ou óticos. No setor

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Profº Alexsandro M. Carneiro alexsandro@ucdb.br Bacharelado em Sistemas de Informação AULA 06 Bacharelado em Sistemas de Informação UCBD SG - 2005 Tópicos Abordados Camada Física:

Leia mais

26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente?

26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente? CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓDIGO 05 UCs de Eletrônica e/ou de Telecomunicações 26. Dentre as dimensões a seguir, núcleo/casca, quais representam tipicamente fibras monomodo e fibras multimodos, respectivamente?

Leia mais

TESTE DO SISTEMA OBJETIVO DA SEÇÃO

TESTE DO SISTEMA OBJETIVO DA SEÇÃO OBJETIVO DA SEÇÃO I. Lembrar-se dos requisitos de equipamentos de testes para cabos de pares trançados balanceados e fibras ópticas e seu uso adequado. II. Lembrar-se dos requisitos de testes de enlace

Leia mais

REDE DE FIBRA ÓPTICA

REDE DE FIBRA ÓPTICA REDE DE FIBRA ÓPTICA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Sumário 1. Cabos de fibras ópticas... 2 2. Emendas ópticas... 3 3. Interfaces ópticas... 4 4. Distribuidor geral óptico... 5 5. Cordões Ópticos... 5 6. Práticas

Leia mais

O REFLECTÔMETRO ÓPTICO. Funcionamento e aplicações

O REFLECTÔMETRO ÓPTICO. Funcionamento e aplicações O REFLECTÔMETRO ÓPTICO Funcionamento e aplicações Introdução Freqüentemente é necessário executar procedimentos de manutenção em redes utilizando cabos de par metálico ou fibra óptica para avaliar suas

Leia mais

Projeto e Instalação de Servidores Fundamentos de Redes de Computadores Parte 2

Projeto e Instalação de Servidores Fundamentos de Redes de Computadores Parte 2 Projeto e Instalação de Servidores Fundamentos de Redes de Computadores Parte 2 Prof.: Roberto Franciscatto CRIMPANDO CABOS DE REDE Crimpagem de cabos de rede Valor aproximado R$ 50,00 CRIMPANDO CABOS

Leia mais

Cabeamento Estruturado

Cabeamento Estruturado Cabeamento Estruturado Infra-estrutura de cabeamento metálico ou óptico, capaz de atender a diversas aplicações proporcionando flexibilidade de layout, facilidade de gerenciamento, administração e manutenção

Leia mais

Cabo de Fibra Óptica. IFPR Instituto Federal do Paraná. REDES DE COMPUTADORES TI - Técnico em Informática

Cabo de Fibra Óptica. IFPR Instituto Federal do Paraná. REDES DE COMPUTADORES TI - Técnico em Informática IFPR Instituto Federal do Paraná REDES DE COMPUTADORES TI - Cabo de Fibra Óptica Prof. Luis Claudio luis.lima.ifpr.2012@gmail.com 14 de Maio de 2012 Redes de Computadores 2 Cabo de Fibra Ótica - Surgimento

Leia mais

TIPOS DE FIBRA FIBRA MULTIMODO ÍNDICE DEGRAU. d 1. diâmetro do núcleo de 50 µm a 200 µm. (tipicamente 50 µm e 62,5 µm) d 2

TIPOS DE FIBRA FIBRA MULTIMODO ÍNDICE DEGRAU. d 1. diâmetro do núcleo de 50 µm a 200 µm. (tipicamente 50 µm e 62,5 µm) d 2 TIPOS DE FIBRA FIBRA MULTIMODO ÍNDICE DEGRAU d 1 diâmetro do núcleo de 50 µm a 200 µm (tipicamente 50 µm e 62,5 µm) d 2 diâmetro da fibra óptica (núcleo + casca) de 125 µm a 280 µm (tipicamente 125 µm)

Leia mais

Meios Físicos de Comunicação

Meios Físicos de Comunicação Meios Físicos de Comunicação Aula 5 Fibra Óptica Meios Físicos de Comunicação - Fibra Óptica 1 Conteúdo Conceitos Iniciais Tipos Fatores de Perdas Medição e Teste Vantagens Conversores e Conectores Meios

Leia mais

CAROLINE XAVIER FERNANDES RELATÓRIO TÉCNICO DE MEIOS DE TRANSMISSÃO. MEIOS DE TRANSMISSÃO Cabo Coaxial

CAROLINE XAVIER FERNANDES RELATÓRIO TÉCNICO DE MEIOS DE TRANSMISSÃO. MEIOS DE TRANSMISSÃO Cabo Coaxial Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial E.E.P. Senac Pelotas Centro Histórico Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego Curso Técnico em Informática CAROLINE XAVIER FERNANDES RELATÓRIO

Leia mais

TESTES E CERTIFICAÇÃO

TESTES E CERTIFICAÇÃO PROFESSOR NORBERTO - CABEAMENTO ESTRUTURADO TESTES E CERTIFICAÇÃO Para garantir a qualidade das instalações e a performance desejada é necessário que tenha-se certeza que a obra foi realizada dentro das

Leia mais

Ficha técnica: MultiFiber Pro

Ficha técnica: MultiFiber Pro Ficha técnica: MultiFiber Pro Kits de teste de fibra e Medidor de energia ótica Os centros de dados estão crescendo, abastecidos pela proliferação da mídia, da virtualização e da necessidade de mais segurança

Leia mais

Fundamentos de manuseio de fibra nas redes da próxima geração

Fundamentos de manuseio de fibra nas redes da próxima geração Documento técnico Fundamentos de manuseio de fibra nas redes da próxima geração Por: Matt Brown Introdução À medida que a demanda por dados continua a aumentar, cresce também a penetração da fibra óptica

Leia mais

TI Aplicada. Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br

TI Aplicada. Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br TI Aplicada Aula 05 Redes de Computadores (parte 2) Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http://www.edilms.eti.br Conceitos Básicos Equipamentos, Modelos OSI e TCP/IP O que são redes? Conjunto de

Leia mais

SANTOS, M. Técnica, espaço e tempo: Meio técnico-científico-informacional. São Paulo: Hucitec, 1994. p. 28.

SANTOS, M. Técnica, espaço e tempo: Meio técnico-científico-informacional. São Paulo: Hucitec, 1994. p. 28. 2 a EM 1. Leia o texto a seguir. O processo de unificação se faz por intermédio do que se chama de redes. Seria, portanto, pela unificação que adviria o fracionamento. As redes são vetores de modernidade

Leia mais

Capítulo 4 - Testes de Cabos. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página

Capítulo 4 - Testes de Cabos. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página Capítulo 4 - Testes de Cabos 1 Fundamentos - Ondas As ondas são importantes no estudo das redes, pois são elas que transmitem as informações, utilizando meios de cobre, fibra óptica ou o ar. As ondas são

Leia mais

Módulo 4 Testes de Cabos

Módulo 4 Testes de Cabos CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 4 Testes de Cabos Fundamentos para o Teste de Cabos em Frequência Ondas Uma onda é energia que se propaga de um lugar para outro. Pode ser definida como um distúrbio

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 6 Cabeamento Residencial

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 6 Cabeamento Residencial APRENDIZAGEM INDUSTRIAL UNIDADE 6 Cabeamento Residencial Cabeamento residencial Sistema que integra os serviços de telecomunicações em uma residência: Rede local de computadores, acesso à internet, controle

Leia mais

TECNOLOGIAS DE REDES ÓPTICAS

TECNOLOGIAS DE REDES ÓPTICAS WE RE WELL CONNECTED TECNOLOGIAS DE REDES ÓPTICAS DIAMOND SA / 11-06 / 1 Eduardo Meirelles eduardo.meirelles@diamond-brasil.com.br DIAMOND WORLDWIDE Atividades de desenvolvimento, fabricação e comercialização

Leia mais

Fibra óptica ( adaptado de GDH Press: www.gdhpress.com.br)

Fibra óptica ( adaptado de GDH Press: www.gdhpress.com.br) Fibra óptica ( adaptado de GDH Press: www.gdhpress.com.br) Os cabos de fibra óptica utilizam o fenômeno da refração interna total para transmitir feixes de luz a longas distâncias. Um núcleo de vidro muito

Leia mais

COMPANHIA ESTADUAL DE GERAÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ÁREA DE TRANSMISSÃO DIVISÃO DE TELECOMUNICAÇÕES PORTO ALEGRE, 2007

COMPANHIA ESTADUAL DE GERAÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ÁREA DE TRANSMISSÃO DIVISÃO DE TELECOMUNICAÇÕES PORTO ALEGRE, 2007 CEEE-GT COMPANHIA ESTADUAL DE GERAÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ÁREA DE TRANSMISSÃO DIVISÃO DE TELECOMUNICAÇÕES MANUTENÇÃO EM FIBRAS ÓPTICAS PORTO ALEGRE, 2007 Extensão da Rede Óptica Total de

Leia mais

Fibras Ópticas Medição da atenuação, comprimento e perdas de um cabo óptico com OTDR

Fibras Ópticas Medição da atenuação, comprimento e perdas de um cabo óptico com OTDR Fibras Ópticas Medição da atenuação, comprimento e perdas de um cabo óptico com OTDR Equipamento: * ANDO Mini-OTDR AQ7255 * Cabo de fibra óptica monomodo standard. Objectivos: * Determinação da atenuação,

Leia mais

Tecnologia da Informação Apostila 02

Tecnologia da Informação Apostila 02 Parte 6 - Telecomunicações e Redes 1. Visão Geral dos Sistemas de Comunicações Comunicação => é a transmissão de um sinal, por um caminho, de um remetente para um destinatário. A mensagem (dados e informação)

Leia mais

WDM e suas Tecnologias

WDM e suas Tecnologias Universidade Federal do Rio de Janeiro Escola Politécnica Departamento de Eletrônica e Computação EEL 878 Redes de Computadores I Turma EL1-2004/1 Professor: Otto Carlos Muniz Bandeira Duarte Aluna: Mariangela

Leia mais

NOMES DOS AUTORES JEAN PIERRE AIRES DA SILVA RELATÓRIO FINAL DE PROJETO CABO UTP

NOMES DOS AUTORES JEAN PIERRE AIRES DA SILVA RELATÓRIO FINAL DE PROJETO CABO UTP Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial E.E.P. Senac Pelotas Centro Histórico Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego Curso Técnico em Informática NOMES DOS AUTORES JEAN PIERRE AIRES

Leia mais

Padrões de Rede 15/02/2014. Padrões de rede. Padrão Ethernet IEEE 802.3 802.3

Padrões de Rede 15/02/2014. Padrões de rede. Padrão Ethernet IEEE 802.3 802.3 Padrões de Rede Fundamentos de Redes de Computadores Prof. Marcel Santos Silva Padrões de rede Existem diversos padrões Ethernet, que são utilizados pela maioria das tecnologias de rede local em uso. Definem

Leia mais

Ficha técnica: MultiFiber Pro

Ficha técnica: MultiFiber Pro Ficha técnica: MultiFiber Pro Primeiro testador MPO para suporte dos testes de fibra MPO de modos múltiplo e único. Os centros de dados estão crescendo, abastecidos pela proliferação da mídia, da virtualização

Leia mais

QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO:

QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO: CABEAMENTO DE REDE QUANDO TRATAMOS SOBRE MEIOS DE TRANSMISSÃO, DEVEMOS ENFATIZAR A EXISTÊNCIA DE DOIS TIPOS DESSES MEIOS, SENDO: MEIO FÍSICO: CABOS COAXIAIS, FIBRA ÓPTICA, PAR TRANÇADO MEIO NÃO-FÍSICO:

Leia mais

Segunda Lista de Exercícios

Segunda Lista de Exercícios INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA Segunda Lista de Exercícios 1. Qual é a posição dos meios de transmissão no modelo OSI ou Internet? Os meios de transmissão estão localizados abaixo

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Rede É um conjunto de computadores chamados de estações de trabalho que compartilham recursos de hardware (HD,

Leia mais

Física das redes de computadores

Física das redes de computadores Física das redes de computadores Grupo: Ederson Luis Posselt Geovane Griesang Ricardo Cassiano Fagundes Professor: Benhur Borges Rodrigues Física aplicada a computação www.caractere13.com.br/fredes Site

Leia mais

Largura de banda e Throughput (Tanenbaum,, 2.1.2)

Largura de banda e Throughput (Tanenbaum,, 2.1.2) Largura de banda e Throughput (Tanenbaum,, 2.1.2) A largura de banda,, em termos gerais, indica a quantidade máxima de dados que podem trafegar no meio em um determinado momento. É medida em bps (bits

Leia mais

Roteiro. Roteiro. Fibras Ópticas. Características, Emendas e Testes de Desempenho

Roteiro. Roteiro. Fibras Ópticas. Características, Emendas e Testes de Desempenho s Ópticas (TIA/EIA-) Características, Emendas e Testes de Desempenho Edson dos Santos Moreira Professor do Dep. de Sistemas de Computação Dagoberto Carvalio Junior Seção Técnica de Informática ICMC CCNA-CCAI-CCNP-FCP

Leia mais

CAB Cabeamento Estruturado e Redes Telefônicas

CAB Cabeamento Estruturado e Redes Telefônicas MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA CAB Cabeamento Estruturado e Redes Telefônicas

Leia mais

Gestão de Redes e Sistemas Distribuídos

Gestão de Redes e Sistemas Distribuídos Gestão de Redes e Sistemas Distribuídos Setembro 2006 Conceitos fundamentais Evolução das Redes (parte I) Sumário???? Módulo I: Conceitos fundamentais Evolução das redes Tipos de Redes Sistemas de Cablagem

Leia mais

Possíveis soluções para o gargalo da última milha são: instalação de fibra óptica diretamente para todos os clientes; uso de tecnologia de rádio

Possíveis soluções para o gargalo da última milha são: instalação de fibra óptica diretamente para todos os clientes; uso de tecnologia de rádio 1 Introdução O estudo da propagação óptica no espaço livre recebeu considerável impulso após a Segunda Guerra Mundial com a descoberta do laser. Os cientistas iniciaram diversas pesquisas nessa área com

Leia mais

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1.

Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. Exercícios de Redes de Computadores Assuntos abordados: Conceitos gerais Topologias Modelo de referência OSI Modelo TCP/IP Cabeamento 1. (CODATA 2013) Em relação à classificação da forma de utilização

Leia mais

Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 3 NORMA ANSI EIA/TIA 568

Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 3 NORMA ANSI EIA/TIA 568 Técnico de Manutenção e Suporte em Informática Cabeamento Estruturado Unidade 3 NORMA ANSI EIA/TIA 568 Prof. Leandro Cavalcanti de Almeida leandro.almeida@ifpb.edu.br @leandrocalmeida Já imaginou a bagunça...

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EZEQUIEL F. LIMA ATERRAMENTO E BLINDAGEM

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EZEQUIEL F. LIMA ATERRAMENTO E BLINDAGEM GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EZEQUIEL F. LIMA ATERRAMENTO E BLINDAGEM Os sistemas de cabeamento estruturado foram desenvolvidos

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS E COMUNICAÇÃO

COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS E COMUNICAÇÃO COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÃO A LONGAS DISTÂNCIAS À medida que uma onda se propaga, por mais intensa que seja a perturbação que lhe dá origem, uma parte da sua energia será absorvida pelo meio de propagação,

Leia mais

ICORLI. INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET

ICORLI. INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET 2010/2011 1 Tipos de Cabos Cabos eléctricos São cabos, normalmente fabricados em cobre (ou de outro material condutor), que transmitem os

Leia mais

RANIERI P. MENESES RELATÓRIO FINAL DE PROJETO MEIOS DE TRANSMISSÃO

RANIERI P. MENESES RELATÓRIO FINAL DE PROJETO MEIOS DE TRANSMISSÃO Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial E.E.P. Senac Pelotas Centro Histórico Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego Curso Técnico em Informática MATHEUS RANIERI P. MENESES RELATÓRIO

Leia mais

Meios de transmissão. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006

Meios de transmissão. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Redes de Computadores Meios de transmissão Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Meios de transmissão Redes de Computadores 1 Meios de transmissão Asseguram

Leia mais

Meios Físicos de Transmissão

Meios Físicos de Transmissão Meios Físicos de Transmissão O meios de transmissão diferem com relação à banda passante, potencial para conexão ponto a ponto ou multiponto, limitação geográfica devido à atenuação característica do meio,

Leia mais

Fundamentos da Informática e Comunicação de Dados

Fundamentos da Informática e Comunicação de Dados Fundamentos da Informática e Comunicação de Dados Aula 07 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso

Leia mais

Conversores de Mídia Gigabit Intelbras KGM 1105 KGS 1115. Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras.

Conversores de Mídia Gigabit Intelbras KGM 1105 KGS 1115. Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. MANUAL DO USUÁRIO Conversores de Mídia Gigabit Intelbras KGM 1105 KGS 1115 Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Os conversores de mídia KGM 1105 e KGS 1115

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

Curso: Engenharia de Telecomunicações Disciplina: Comunicações Ópticas Carga Horária: 60 horas. Professor: Clovis Almeida

Curso: Engenharia de Telecomunicações Disciplina: Comunicações Ópticas Carga Horária: 60 horas. Professor: Clovis Almeida Curso: Engenharia de Telecomunicações Disciplina: Comunicações Ópticas Carga Horária: 60 horas Professor: Clovis Almeida Regras do Jogo: Aulas expositivas em quadro, Power Point, ou transparências : Entregar

Leia mais

SENSORES INDUSTRIAIS. Prof. Jeferson L. Curzel 2013/01

SENSORES INDUSTRIAIS. Prof. Jeferson L. Curzel 2013/01 SENSORES INDUSTRIAIS Prof. Jeferson L. Curzel 2013/01 Tópicos 1. Chaves fim de curso 2. Sensores de proximidade indutivos 3. Sensores de proximidade capacitivos 4. Sensores fotoelétricos 5. Seleção de

Leia mais

Fibras Ópticas Medição da abertura numérica de uma fibra óptica multimodo

Fibras Ópticas Medição da abertura numérica de uma fibra óptica multimodo Fibras Ópticas Medição da abertura numérica de uma fibra óptica multimodo Equipamento: * Mesa óptica * Fibra multimodo, 50/125 µm * Laser de He-Ne * Microscópio * Multímetro óptico * Cortador de fibra

Leia mais

1. Meios de Transmissão

1. Meios de Transmissão 1. Meios de Transmissão Para transmitir um fluxo bruto de bits de uma máquina para outra vários meios físicos podem ser usados, cada um com suas características em termos de largura de banda, retardo,

Leia mais