Curso 80 Aula 07 data 22/04/80 Yoga e Monismo Huberto Rohden

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso 80 Aula 07 data 22/04/80 Yoga e Monismo Huberto Rohden"

Transcrição

1 Curso 80 Aula 07 data 22/04/80 Yoga e Monismo Huberto Rohden Há uma onda de yoguismo ou de yoga que nos veio do oriente. Antes, ninguém falava em yoga aqui no ocidente. Hoje todo o mundo faz Yoga e todo o mundo fala em yoga e mais yoga. Mas o ocidente monoteísta é absolutamente incapaz de praticar yoga. É desanimador, não é? O que vocês fazem é hatha-yoga - é claro que é uma ginástica muito boa para ter saúde e flexibilidade do corpo. Isto não é a yoga Integral do oriente. Yoga integral do oriente é puro autoconhecimento e pura autorrealização. Nada mais! O resto é ginástica. Mas, isto de autoconhecimento e autorrealização como se pratica nos grandes países do oriente não é possível no ocidente. Por isso nós temos que contentar-nos com simples hatha-yoga que não podemos entrar na yoga Integral que é tipicamente monista. E nós não somos monistas. Há 2000 anos que somos monoteístas cristãos. Mas, o oriente tem 7000 anos de monismo puro, absoluto. E enquanto nós não entrarmos no monismo, a nossa yoga é sempre muito incompleta. Nunca vamos compreender a verdadeira yoga. Por que não? Aqui tem um livro, (há muito tempo que tenho este livro) chama-se O livro Tibetano da Grande Libertação do Dr. Evans Wentz tradução alemã aqui do original inglês. O Dr. Evans convidou o grande psicólogo europeu Carl Gustav Young para escrever um prefácio para este livro. E Carl Gustav Young disse que ia pensar se ia escrever o prefácio ou não. Pensou e aceitou, mas quase recusou. Ele explica em 50 páginas do prefácio... Carl Gustav Young, o maior psicólogo dos últimos tempos. Então ele explica porque é que o homem do ocidente ele é do ocidente porque é europeu não pode compreender a Yoga do oriente. E por isso ele estava com vontade de não aceitar o prefácio. Mas finalmente ele descobriu uma saída, descobriu o seguinte: embora todo o ocidente cristão, a teologia seja monoteísta, contudo ele descobriu que no princípio do cristianismo, o cristianismo era puramente monista. Está aqui no prefácio do Young. Ele era puramente monista durante três séculos pelo menos. As escolas platônicas e neoplatônicas cobriam todo o império romano naquele tempo, quando veio o cristianismo. As escolas de Platão e dos neoplatônicos de Alexandria que são três: Orígenes, Filon e Plotino. Os três grandes neoplatônicos de Alexandria... Quase no fim do Antigo Testamento e princípio do Novo Testamento. Então todo o cristianismo era monista, exatamente como o oriente. Porque, dizem Young, o Evangelho é monista. E não é monoteísta como eu já disse diversas vezes aqui. Quando vocês leem o Evangelho tem-se a impressão de que está com a filosofia oriental. Está com o platonismo ou neoplatonismo. Isto durou três séculos, até o ano 313 da nossa era. Então vieram os primeiros imperadores cristãos do império romano... Porque eram perseguidos, era religião proibida do império romano, no tempo dos grandes martírios naquele tempo. Mas, no ano 313 Constantino o Magno publicou o célebre edito de Milão dando plena liberdade ao cristianismo e convidando para participar do governo do império romano. Isto foi um grande beneficio porque libertou os cristãos da perseguição, mas foi um outro mal muito grande os primeiros imperadores cristãos do império romano mandaram fechar todas as escolas neoplatônicas. Mandaram fechar todos os centros onde funcionava o cristianismo neoplatônico... Quer dizer, místico. O cristianismo místico é puramente monista. E desde o 4 o século não há mais monismo no cristianismo. Há monoteísmo, mas não há mais monismo. Eu já falei sobre a diferença entre monoteísmo e monismo, mas tenho que completar muitas coisas que eu não disse... sem aceitar essa ideologia monista que é professado por 2/3 1

2 da humanidade até hoje... Todo o oriente é monista. Apenas 1/3 que é o monoteísmo cristão e ocidental. Enquanto nós não compreendermos exatamente o que quer dizer monismo, não podemos entrar no espírito de Yoga. Não é possível. Por quê? Porque no cristianismo ocidental que é puramente monoteísta, nós consideramos Deus como uma entidade longínqua, transcendental; que existe e ninguém sabe aonde, mas deve existir em alguma região do universo. Isto nos foi dito desde o catecismo através de teologias, que Deus é uma entidade ausente. Ausente acima do mundo... Mas ele não faz parte do mundo. Não é uma parte integrante do mundo, mas é uma entidade transcendental. Isto nos foi dito e tivemos que estudar na teologia. Nesta base não é possível o yoga, ou a yoga, dizem outros. Mas, nós estamos habituados a dizer a yoga. Não é possível praticar yoga verdadeira nesse sentido. Suponhamos que isso seja Deus (cruz). Isto transcendente......e que eu estou aqui (círculo). O círculo é o finito e a cruz é o infinito. Nesta posição eu, meu ser humano aqui, não posso praticar Yoga fora de mim, porque é uma distância entre o homem e Deus. No monoteísmo há uma distância infinita. Deus não está aqui onde eu estou. Eu posso invocar Deus, mas não posso evocar Deus. Se eu evocasse Deus de dentro de mim Deus estaria dentro de mim, é claro. Evocar quer dizer chamar de dentro para fora. E-vocar. Mas se eu tenho de invocar Deus, um Deus longínquo, um Deus transcendente, eu não posso praticar autoconhecimento e autorrealização que é yoga integral no oriente. Nesta posição eu estou no monoteísmo. Eu só posso pedir a Deus que me ajude, que me dê sua graça, mas a um Deus sempre longínquo. E isto não dá base para o monismo nem para a yoga. Agora, no oriente a coisa é completamente diferente, porque no oriente a coisa é assim: Os dois não estão separados, isto (o círculo) - sou eu. Isto (+) aqui é Deus. Os dois estão interpenetrados. No monismo. Não é um Deus ausente, um Deus transcendente. Uma entidade separada de qualquer creatura e também do homem, não. No oriente e em todo o monismo, Deus é uma realidade universal. Eu sou o indivíduo humano, mas o indivíduo está dentro do universal e o universal penetra sobre os indivíduos. Aqui, esta cruz penetra o círculo e o círculo está inteiramente dentro desta cruz. Esse é o melhor modo de representar geometricamente a relação entre monismo e o homem. O homem está dentro da Divindade e a Divindade está dentro do homem. Naturalmente, não a Divindade em toda a sua plenitude, porque o conhecido está no cognoscente segundo a capacidade do cognoscente. Ou, o recebido está no recipiente segundo a capacidade do recipiente. Isto são provérbios antiquíssimos que ainda valem hoje. Essa cruz está no círculo, mas ela não pode estar inteiramente no círculo. Porque o círculo é finito e a cruz que representa a Divindade é infinita. 2

3 Então o infinito está no finito segundo a capacidade do finito. Se a capacidade é pequena um pouco do infinito está no finito. Se a capacidade do finito é grande é claro, o infinito está muito mais presente nos finitos. Esta presença é a consciência. Se a consciência do finito é muito pequena ele não tem muita consciência da presença do infinito dentro dele. É claro, a sua bitola, a sua medida é muito pequena e não cabe muito do infinito. Mas se ele alarga os seus limites finitos, então, na razão direta do alargamento da sua capacidade cognoscente, ou da sua capacidade receptiva ou da sua conscientização, ele tem mais consciência da presença do infinito nele. Mas quer ele tenha, quer ele não tenha consciência do infinito dentro dele a presença do infinito não depende da consciência do finito. A presença do infinito é independente da consciência ou da conscientização do finito. Não esquecer isto como base! Então, o monismo sabe exatamente: o infinito penetra todos os finitos. E todos os finitos estão inteiramente dentro do infinito. Não há separação. Pode haver maior ou menor consciência da parte do finito sobre a presença do infinito, isto é então o grau de perfeição de cada finito - a consciência que ele tem da presença do infinito. Bem, então o monismo ensina que para praticar yoga eu tenho que saber disto. Eu tenho que saber que a essência da Divindade, de Brahman está dentro da minha existência. A existência é o finito. E a essência é o infinito. A essência infinita está dentro da minha existência finita. Eu devo saber isso desde o princípio e não pensar que a essência infinita esteja fora de mim e que eu tenho que invocar para além das nuvens ou de além das nuvens, essa presença infinita para vir para dentro de mim. Isso seria o monoteísmo. Mas isso não existe no oriente. No oriente só existe imanência da Divindade na creatura. Também há uma transcendência, mas isso não é importante agora. O importante é que eu tenha consciência da imanência do infinito em mim. Que eu, Atman, o ser humano, tenha consciência de que Brahman está em mim e se eu não tiver essa consciência eu não posso praticar yoga, porque invocar um Deus ausente não é yoga. O maior místico do ocidente, Máster Eckart do séc. XIII o superior provençal dos padres dominicanos da Alemanha e o maior monista dos ocidentes cristãos - escreveu muitos livros, mas foram todos proibidos em Roma por serem monistas e não monoteístas. Eu tenho alguns livros dele aí. Máster Eckart apesar de ser um padre católico (também pode ser monista inteiramente no sentido do oriente) diz: aquele que tem que sempre chamar o Deus ausente para dentro de si não o possui nem depois de o ter chamado. Porque ele não pode introduzir um Deus ausente para dentro de si, se este Deus antes não estava dentro dele. A única coisa que ele pode fazer é: conscientizar a presença de Deus. A presença de Deus é independente do homem. O que depende de nós é a conscientização dessa presença. Mas se alguém pensa que ele deve chamar Deus para dentro de si, porque Deus estava lá fora nas vias-lácteas, agora entrou para dentro... Esse não pode praticar yoga. Porque yoga não é chamar Deus para dentro de si, mas conscientizar a presença de Brahman dentro do homem. Porque este é o 1 o passo de qualquer yoga de qualquer autoconhecimento e autorrealização. Saber da onipresença do infinito dentro de qualquer finito. Se ele não tem certeza instintiva desta presença do infinito em qualquer finito desiste de qualquer yoga integral. Pode praticar hatha-yoga sem isto, mas não de yoga integral. Yoga integral exige a presença e da minha parte, eu só posso fazer uma coisa: conscientizar esta presença. Eu não posso fabricar essa presença. Porque ela já existe, mas eu devo conscientizar nitidamente e cada vez mais amplamente esta presença e a minha consciência da presença pode aumentar. A presença não pode aumentar. A minha conscientização da presença do infinito pode e deve aumentar. Isso é o processo de yoga. Quando eu estou intimamente convencido que eu estou em Deus e Deus está em mim. 3

4 O segundo passo então é harmonizar a minha vida externa com esta consciência interna. Antes de eu ter a consciência de um Deus em mim eu não posso harmonizar a minha vida externa com esta consciência do Deus presente. Mas depois de eu ter descoberto a presença de Deus em mim, eu posso e devo harmonizar todos os atos da minha vida diária com esta consciência que eu tenho da presença de Deus em mim. Isto é yoga no oriente. Então Carl Gustav Young que foi convidado a prefaciar este livro O livro tibetano da grande libertação (300 páginas sobre o monismo do Tibet, lá nas alturas do Himalaia entre a Índia e China tem o Tibet). Lá tem os grandes yogues que são todos monistas como toda a filosofia oriental. Então Carl Gustav Young foi convidado a prefaciar este livro. Ele diz consigo: como é que eu, um psicólogo ocidental e, portanto um monoteísta por educação (porque todos os ocidentais são praticamente monoteístas) acredito num Deus longínquo, num Deus ausente, mas não num Deus imanente. Então ele diz: eu vou prefaciar um livro 100% monista, mas a minha atitude é inteiramente de monoteísta. E como é que eu, um monoteísta pode prefaciar devidamente um livro 100% monista. E quis recusar o pedido de prefaciar. Pensou muito e descobriu que pode, por quê? Chegou até as origens do cristianismo e viu que as origens do cristianismo são monistas. São inteiramente monistas. E cita as palavras: eu e o Pai somos um monismo o Pai está em mim e eu estou no Pai. Monismo puro. Isto qualquer oriental poderia ter subscrito. Eu estou em Deus e Deus está em mim, mas Deus é maior do que eu. E logo acrescenta para não cair no panteísmo, porque se ele se igualasse inteiramente com a Divindade ele estaria no panteísmo que nós não podemos aceitar por motivos lógicos. Não por motivos religiosos, por motivos filosóficos. Porque eu não posso completamente identificar o finito com o infinito. Eu posso pôr o finito dentro do infinito, mas o infinito sempre sobressai, ultrapassa os finitos. Então, o grande monista de Nazaré diz: eu e o Pai somos um, Deus está em mim e eu estou em Deus. Mas Deus é maior do que eu. Aí não caiu no panteísmo, mas ficou no monismo. Porque no monismo sempre o finito está dentro do infinito, mas em qualquer hipótese o infinito é maior do que todos os finitos, porque a soma total dos finitos não dá infinito, segundo a lógica. Os finitos são todos quantidades, mas a soma total das quantidades não dá qualidade. Qualidade é o infinito e quantidade são os finitos. Então Young descobriu que no Evangelho está o puro monismo. Eu o Pai e Deus somos um. Deus está em mim e eu estou em Deus, mas Deus é maior do que eu. Depois o Nazareno diz a seus discípulos: o Pai também está em vós e vós estais no Pai. Ele não atribui a si este privilégio exclusivo que Deus está em mim e eu estou nele... Não, não... Ele proclama a ideia de que Deus está nos discípulos e os discípulos estão em Deus. Isto é, todos os homens. Deus está em qualquer homem e qualquer homem está em Deus. Até podíamos alargar a afirmação e dizer: o Creador está em qualquer creatura, ainda que não seja homem, e toda creatura está em Deus. Isto é puro monismo. Então o Gustav Young descobriu que ele pode prefaciar o livro, mas não na base da teologia monoteísta, isso é impossível, mas sim, na base do Evangelho monista. E por isso ele prefaciou o livro. E explica maravilhosamente as duas ideologias que dominam a humanidade toda. Ou seja, monoteísmo, ou seja, monismo. Então ele ainda menciona que a ciência, a psicologia de hoje não é nem monoteísta nem monista. Toma uma atitude inteiramente à parte tanto do monoteísmo como também no monismo, por quê? Porque a psicologia moderna não aceita uma entidade transcendental. Só aceita uma entidade imanente que Gustav Young chama, os arquétipos. Toda natureza humana tem dentro de si o arquétipo. O arquétipo: Deus. Parte II Já tem a ideia de que existe um poder superior. Geralmente ele supõe que seja fora dele. Muitas vezes são monoteístas. Mas depois chegam a saber do monismo e sabem que 4

5 esse poder supremo está tanto fora deles como também dentro deles. Transcende os finitos e também permeia os finitos. E então Carl Gustav Young chama isto, os arquétipos. O arquétipo número 1 para Young é a ideia de Deus. É universal. Todos os povos por mais selvagens, primitivos e analfabetos têm a ideia de Deus. Cada um tem uma ideia diferente. Mas sabem que existe um poder invisível acima de tudo e dentro de tudo. Ele chama isto arquétipo. Infelizmente Young acrescenta que nós temos certeza do arquétipo Deus, mas isto não prova a certeza da existência de Deus. É estranho! Como é que ele não chegou à ideia - se em mim está sem eu saber, o arquétipo Deus - daí eu não posso concluir que Deus seja uma realidade. Isto não é ciência, ele diz. A ciência não pode ir além do homem. Se eu tenho este arquétipo - Deus dentro de mim, eu devo estudar esse arquétipo e dizer: em toda a natureza humana existe o arquétipo, quer dizer, uma noção primitiva que ele chama arquétipo, que não depende da minha vontade... Que já existe... Então eu devo afirmar o arquétipo, mas eu não posso ultrapassar o arquétipo e dizer: então, se toda a natureza tem a noção de um poder supremo, então daí se segue a realidade de um poder superior. Não, isto não é mais ciência, ele diz, isso é fé. Nós não podemos passar da ciência analítica para uma fé intuitiva. Porque a fé é sempre uma intuição, nunca é uma análise. É estranho! Eu tenho outro livro sobre Young que diz é estranho que Young não tenha chegado à conclusão se o arquétipo existe automaticamente em cada natureza humana, por que é que eu não posso concluir daí que também aquilo que é indicado pelo arquétipo existe? Ele não tira essa conclusão. Existe só o arquétipo, mas não existe o indicado. Vamos fazer uma comparação: vocês vão daqui para o noroeste e nunca andaram por este caminho. Vocês vão à Campinas, mas como a estrada está muito bem sinalizada, vocês olham para os cartazes que estão lá - indicadores aí com flechas em que direção eu devo ir para ir a Campinas. Então vocês encontram um cartaz em que está escrito CAMPINAS - e uma flecha que mostra para o noroeste. Então vocês dizem: Ah! Eu sei que existe o cartaz com o nome Campinas, mas não posso tirar a conclusão de que Campinas também existe. Se foi colocado aqui um cartaz, um arquétipo também, uma espécie de cartaz com uma flecha mostrando rumo a Deus... Então nós concluímos: se há um cartaz à beira da estrada e uma flecha mostrando para o noroeste e lá fica a cidade de Campinas - então nós concluímos se não houvesse a cidade de Campinas também não poderia haver este cartaz que mostra para Campinas. Isto é natural para nós. É lógico! Se eu não tiver essa conclusão, eu digo do cartaz de Campina: eu não posso concluir a realidade de Campinas, porque isto é fora da ciência. Isto é fé - Aceitar a realidade de Campinas em consequência de um cartaz, de um arquétipo que mostra para Campinas. Nós dizemos, não, isso é cientifico que eu admito também o indicado e não só o indicador. O cartaz é indicador. Mas Campinas é o indicado. Se o indicador existe, como é que poderia existir o indicador se o indicado não existisse. É evidente que o indicado também existe porque ninguém teria colocado um cartaz mostrando para Campinas se Campinas não existisse. Isto, dizem os analíticos, nós não podemos fazer. A ciência não ultrapassa a análise intelectual. O que existe dentro de nós, nós podemos provar - o arquétipo existe dentro de nós. Nós podemos ter certeza do arquétipo, Deus. Mas além, dizem eles, nada podemos saber, o resto é fé. Mas os mais avançados como, sobretudo Einstein e ultimamente Victor Frankl e muitos outros concluem para além do arquétipo, para além do indicador, não em virtude da fé. É interessante! Einstein diz: eu não tenho religião nenhuma, mas sou um homem profundamente religioso, porque vejo um poder supremo em todas as coisas do universo. Isto não é ciência. 5

6 Isto também não é fé. O que é? Intuição, ele chama isto. Intuição é uma coisa além da análise intelectual... Além do arquétipo, portanto. Mas não é uma imposição de uma religião que nós chamamos fé. É uma fé intuitiva, mas não é uma fé dogmática. Nenhum dogma me impôs a ideia de Deus. Eu posso descobrir a ideia de Deus por minha própria natureza, não por minha inteligência analítica porque ela não vai além do arquétipo. Se eu não tivesse em mim nada senão minha inteligência analítica, então eu não podia ultrapassar o arquétipo e não podia ter certeza de que o indicado também existe e não só o indicador. Mas dizem os grandes gênios da humanidade - e nós estamos num tempo de grandes gênios hoje em dia, graças a Deus - os gênios dizem: não, a intuição daquilo que é indicado pelo indicador também é certo. Não é só o indicador que é certo, (o arquétipo que é análise), mas aquilo que é indicado pelo indicador é igualmente certo, não em virtude duma fé, uma crença que me tenha sido imposto; você deve aceitar Deus. Não, não, nada me foi imposto. Não veio nenhuma igreja, nenhuma teologia me impôs a ideia de Deus, mas isto veio da minha própria natureza - dizem os gênios. A inteligência não é a totalidade da nossa natureza, é só uma parte da natureza. A inteligência analítica. Ela vai até meio do caminho. O resto do caminho não é da inteligência é da intuição. Essa palavra intuição está se tornando quase moderna hoje em dia. Mas cada um tem outra coisa por intuição. Muitos confundem a intuição com instinto. Aqui não há nenhum instinto. Os animais também têm o instinto, mas não têm intuição. A intuição é uma coisa ultraintelectual. Não é abaixo da inteligência, mas está acima da própria inteligência. Como é que vamos chamar esta faculdade intuitiva que nos dá certeza de coisas ausentes, de coisas não visíveis, de coisas não audíveis, de coisas não tangíveis; e, contudo temos plena certeza desta coisa que não se pode ver nem ouvir, nem tanger. Temos plena certeza. Isto então é intuição. A intuição é da razão e a análise é da inteligência. Quando alguém só cultivou a sua inteligência analítica, ele fica nos arquétipos. Diz que não, não, além da análise intelectual eu não aceito nada porque não posso provar. Então ele pensa que só se pode ter certeza daquilo que se pode provar. Não é verdade! Nós podemos ter plena certeza de algo que nós não podemos provar. Por nenhum argumento se pode provar Deus. Por nenhum argumento se pode provar a vida eterna. Nós podemos ter plena certeza disto. Em virtude de quê? Bem dizem os religiosos, em virtude de um dogma, que me foi imposto e você tem obrigação de aceitar Deus e a vida eterna. Não, não, não... Os gênios não têm dogmas. Eles vão além da inteligência analítica, mas não vão, não aceitam certas coisas em virtude de uma imposição de fora, como são os dogmas. Eles descobriram a sua racionalidade. Ultrapassaram a inteligência e chegaram até razão. Ultrapassaram o Noos, como dizem os modernos e foram até o Logos. O Logos é a razão e Noos é a inteligência. E então eles adquirem plena certeza. Esta é mais ou menos a posição dos monistas. Os monistas têm plena certeza de que há uma entidade ou um poder supremo. Mas, que está dentro deles e fora deles ao mesmo tempo; porque se está fora e presente, universal, este poder invisível; então é claro que está dentro dos finitos e também está além dos finitos. É tanto imanente como também transcendente. Para o monoteísta Deus é transcendente, mas não é imanente. Para o monista Deus é transcendente, mas também é imanente. Como transcendente eu nada sei de Deus. Para mim é um X, uma grande incógnita. Eu não nego nem afirmo o transcendente. Eu não posso negar nem afirmar o transcendente. Eu só posso afirmar o imanente. Do imanente eu posso ter consciência individual. Do transcendente eu não posso ter consciência porque o que não está em mim não me pode ser consciente. Só pode ser consciente aquilo que está em mim. Então, o monismo manda praticar yoga, mas yoga não quer dizer hatha-yoga. Yoga é ter a consciência duma realidade independente da minha inteligência. Porque se eu aceito uma realidade em consequência de ter provado pela inteligência esta realidade, então isso é ciência. Mas, a certeza de que existe um poder supremo não é ciência, é intuição que também 6

7 se pode chamar consciência. No sentido metafísico, não no sentido moral. Então se eu tenho a intuição duma realidade que ultrapassa os meus sentidos e a minha inteligência uma realidade ultrapassa tanto os testemunhos dos sentidos como também a análise intelectual - então eu estou na intuição racional. Esta é a atitude de todo monista verdadeiro. Ele tem absoluta certeza de uma realidade infinita que existe dentro dele. Ele não provou esta realidade. Porque se provasse ele agiria só com a inteligência. Mas ele não provou pela inteligência essa realidade imanente. Ele tem isto em virtude, de como dizem os outros, um sexto sentido, mas é claro que não é sexto sentido; porque muitos chamam sexto sentido... Não é um sexto sentido depois de cinco sentidos enumerados. Não é nenhum sentido, é uma intuição. É uma intuição de coisas que eles não podem provar. Mas também não podem reprovar. O que não se pode provar pela inteligência, nem se pode reprovar pela inteligência nós chamamos intuição. E isto é a base fundamental de toda yoga de todo o monismo. E nós aqui, como há 2000 anos estamos no monoteísmo (um pouco menos porque o monoteísmo começou no 4 o século. São 14 séculos mais ou menos séculos agora). Então nós estamos há muitos séculos na ideologia monoteísta. E isto nos dificulta conscientizar o infinito Brahman, a Divindade dentro de nós. Porque não estamos habituados de geração em geração a uma conscientização de uma coisa invisível. E por isso a dificuldade aqui no ocidente. O ocidente fala em creação. Não confundir com criação, que é outra coisa. Com creação. Nós dizemos que Deus creou o mundo. Deus é o creador do mundo. No oriente não se sabe nada de crear. Nenhum oriental vai dizer que Deus creou o mundo, porque nós no ocidente temos a ideia de que crear é produzir alguma coisa do nada, como é a definição de Tomás de Aquino. Crear é fazer algo do nada, essa definição da teologia ocidental... Nesse sentido nenhum oriental aceita creação. O que é que ele entende, em vez de creação? Ele entende só emanação as creaturas são emanações do infinito. Toda Maia, toda a natureza é uma emanação de Brahman. Mas emanação não é creação. A emanação é uma manifestação do todo, mas não veio do nada. Veio do todo. A creatura, segundo a filosofia oriental é uma emanação da Divindade. O que é que vocês entendem por emanação? Podem me explicar o que é que os orientais entendem por emanação? Faça o favor, não me deixem monologar - vamos dialogar? - Manifestação. - Manifestação é bom, que mais? Como é que os poetas costumam dizer. O que é que nós somos e as creaturas são? Eles não dizem emanação. Eles dizem, nós somos centelhas. É bom dizer que nós somos uma centelha da Divindade? É perigoso. É poético, mas não é filosófico. É permitido aos poetas que não são obrigados a serem filósofos. Mas não podemos dizer que nós somos uma centelha da Divindade. Por que não? Filosoficamente errado, poeticamente certo Porque uma centelha é uma coisa que saltou de dentro de uma fogueira e apagou-se lá fora. Isso faz crer de que as creaturas tenham saído de Deus e estão fora de Deus agora. Mas as creaturas não estão fora de Deus. Nenhum finito está fora do infinito. É um erro pensar que a emanação seja uma creação. Quer dizer, uma coisa feita fora de Deus, do nada, nós não viemos do nada. Também não viemos do todo por separação. Então a comparação que devíamos fazer não é a creatura não é uma centelha ou uma fagulha da Divindade. O que é que podíamos fazer como comparação entre a creatura e a Divindade? - O pensamento... - Pensamento? A relação que há entre o pensador e o pensamento, ou melhor, com o pensado, porque o pensamento é um ato, o pensado é um objeto, e o pensador é o sujeito. Então temos: sujeito, ação e objeto. Então podemos dizer: imaginemos que a Divindade seja o grande pensador. E cada um de nós emanou do pensador... - emanou... - é uma emanação do 7

8 pensador. E se tornou então um pensado. O pensador pensa e o objeto dessa pensação (podemos dizer perfeitamente, essa pensação pode dizer pensamento, mas também pode dizer pensação pensação indica mais um ato) então nós somos o resultado dessa pensação que saiu do pensador. Essa comparação não é perigosa porque o pensado ou o pensamento nunca está fora do pensador. Enquanto ele pensa: o pensado existe. Se ele não pensa mais não existe mais. O pensado existe enquanto o pensador continua a pensar. No momento em que ele deixa de pensar, também o pensado deixa de existir. Essa comparação seria muito boa. Se nós não fôssemos permanentemente pensados pelo infinito, nós não existiríamos. Nossa existência é o pensado, e a essência é o pensador. Essa comparação se pode fazer entre o pensador e o pensado através do pensamento. Porque o pensamento não está fora do pensador. O pensamento está nele, mas não é ele... Porque ele também pode ter outros pensamentos, mas ele sempre fica o mesmo. O pensador não muda, mas os pensamentos mudam. Mas sempre os pensamentos enquanto eles são pensados estão dentro do pensador. Não são idênticos ao pensador, mas estão imanentes no pensador. Assim poderíamos segundo o monismo, compreender a relação entre a essência que é o pensador e a existência que é o pensado. Mas aqui no ocidente sempre entendemos por creação uma coisa que veio do nada. Nós aprendemos no catecismo que Deus creou o mundo todo do nada. Do nada não se pode crear nada. Do nada fica o eterno nada. Nós devemos acostumar a pensar que as creaturas são uma emanação, ou uma manifestação, ou um pensamento, ou um pensado do creador. Não estão fora dele, mas são diferentes dele. Não são idênticos, mas também não estão separados. As creaturas são distintas do creador ou da Divindade. As creaturas são distintas da Divindade. Não são idênticas à Divindade, mas também não estão separadas da Divindade. Tudo isto podemos dizer: Separado então é creação. Idêntico seria panteísmo absoluto. Mas são distintos da Divindade, mas não estão separados da Divindade. Isso é puro monismo. 8

Caminhando Com as Estrelas

Caminhando Com as Estrelas Caminhando Com as Estrelas Espiritualidade que Liberta Com Alessandra França e Jaqueline Salles Caminhando Com as Estrelas Espiritualidade que Liberta Aula 1 Com Alessandra França Temas: O Reino dos Céus

Leia mais

Curso 80 Aula 22 data 04/11/80 Parábola dos Trabalhadores Huberto Rohden

Curso 80 Aula 22 data 04/11/80 Parábola dos Trabalhadores Huberto Rohden Curso 80 Aula 22 data 04/11/80 Parábola dos Trabalhadores Huberto Rohden Agora vou ler primeiro a mais misteriosa e incompreensível das parábolas, para dar uma explicação de filosofia cósmica sobre isto.

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

A Unidade de Deus. Jesus Cristo é o Único Deus. Pai Filho Espírito Santo. Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz?

A Unidade de Deus. Jesus Cristo é o Único Deus. Pai Filho Espírito Santo. Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz? A Unidade de Deus Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz? Vejamos a seguir alguns tópicos: Jesus Cristo é o Único Deus Pai Filho Espírito Santo ILUSTRAÇÃO Pai, Filho e Espírito

Leia mais

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus Ensino - Ensino 11 - Anos 11 Anos Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus História Bíblica: Mateus 3:13 a 17; Marcos 1:9 a 11; Lucas 3:21 a 22 João Batista estava no rio Jordão batizando as pessoas que queriam

Leia mais

MISSÕES - A ESTRATÉGIA DE CRISTO PARA A SUA IGREJA

MISSÕES - A ESTRATÉGIA DE CRISTO PARA A SUA IGREJA MISSÕES - A ESTRATÉGIA DE CRISTO PARA A SUA IGREJA 1 40 dias vivendo para Jesus 12/05/2013 At 1 4 Um dia, quando estava com os apóstolos, Jesus deu esta ordem: Fiquem em Jerusalém e esperem até que o Pai

Leia mais

PROLEGÓMENOS Uma corrente literária não passa de uma metafísica.

PROLEGÓMENOS Uma corrente literária não passa de uma metafísica. António Mora PROLEGÓMENOS Uma corrente literária não passa de uma metafísica. PROLEGÓMENOS Uma corrente literária não passa de uma metafísica. Uma metafísica é um modo de sentir as coisas esse modo de

Leia mais

Caracterização Cronológica

Caracterização Cronológica Caracterização Cronológica Filosofia Medieval Século V ao XV Ano 0 (zero) Nascimento do Cristo Plotino (204-270) Neoplatônicos Patrística: Os grandes padres da igreja Santo Agostinho ( 354-430) Escolástica:

Leia mais

DOUTRINAS BÁSICAS DA VIDA CRISTÃ

DOUTRINAS BÁSICAS DA VIDA CRISTÃ EBD DOUTRINAS BÁSICAS DA VIDA CRISTÃ DOUTRINAS BÁSICAS DA VIDA CRISTÃ OLÁ!!! Sou seu Professor e amigo Você está começando,hoje, uma ETAPA muito importante para o seu CRESCIMENTO ESPIRITUAL e para sua

Leia mais

JÓ Lição 05. 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus.

JÓ Lição 05. 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus. JÓ Lição 05 1 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus. 2. Lição Bíblica: Jô 1 a 42 (Base bíblica para a história e o professor)

Leia mais

HINOS DE DESPACHO. www.hinarios.org 01 O DAIME É O DAIME. O Daime é o Daime Eu estou afirmando É o divino pai eterno E a rainha soberana

HINOS DE DESPACHO. www.hinarios.org 01 O DAIME É O DAIME. O Daime é o Daime Eu estou afirmando É o divino pai eterno E a rainha soberana HINOS DE DESPACHO Tema 2012: Flora Brasileira Estrela D Alva www.hinarios.org 1 2 01 O DAIME É O DAIME O é o Eu estou afirmando É o divino pai eterno E a rainha soberana O é o O professor dos professores

Leia mais

No princípio era aquele que é a Palavra... João 1.1 UMA IGREJA COM PROPÓSITOS. Pr. Cristiano Nickel Junior

No princípio era aquele que é a Palavra... João 1.1 UMA IGREJA COM PROPÓSITOS. Pr. Cristiano Nickel Junior No princípio era aquele que é a Palavra... João 1.1 UMA IGREJA COM PROPÓSITOS Pr. Cristiano Nickel Junior O propósito é que a Igreja seja um exército com bandeiras Martyn Lloyd-Jones No princípio era aquele

Leia mais

FILOSOFIA. Fernando Pessoa FILOSOFIA

FILOSOFIA. Fernando Pessoa FILOSOFIA Fernando Pessoa FILOSOFIA FILOSOFIA Se há um assunto eminentemente filosófico é a classificação das ciências. Pertence à filosofia e a nenhuma outra ciência. É só no ponto de vista mais genérico que podemos

Leia mais

IV PARTE FILOSOFIA DA

IV PARTE FILOSOFIA DA IV PARTE FILOSOFIA DA 119 P á g i n a O que é? Como surgiu? E qual o seu objetivo? É o que veremos ao longo desta narrativa sobre a abertura do trabalho. Irmos em busca das estrelas, no espaço exterior,

Leia mais

A Bíblia afirma que Jesus é Deus

A Bíblia afirma que Jesus é Deus A Bíblia afirma que Jesus é Deus Há pessoas (inclusive grupos religiosos) que entendem que Jesus foi apenas um grande homem, um mestre maravilhoso e um grande profeta. Mas a Bíblia nos ensina que Jesus

Leia mais

#61. 10.14 O batismo do Espírito Santo

#61. 10.14 O batismo do Espírito Santo 10.14 O batismo do Espírito Santo #61 Estudamos o novo nascimento e vimos como o Espírito Santo realiza essa obra juntamente com a Palavra de Deus. Tínhamos que entender o novo nascimento e como alguém

Leia mais

ESPIRITISMO, CIÊNCIA E AMOR

ESPIRITISMO, CIÊNCIA E AMOR Claudio C. Conti www.ccconti.com Congresso Espiritismo 150 de O Evangelho Segundo o Espiritismo ESPIRITISMO, CIÊNCIA E AMOR Como funcionamos A mente é a ferramenta para compreender questões que transcendem

Leia mais

Apostila de Fundamentos. Arrependimento. Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados...

Apostila de Fundamentos. Arrependimento. Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados... Apostila de Fundamentos Arrependimento Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados... (Atos 3:19) A r r e p e n d i m e n t o P á g i n a 2 Arrependimento É muito importante

Leia mais

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade.

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade. A Palavra de Deus 2 Timóteo 3:16-17 Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. 17 E isso

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE

LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE Introdução A CF deste ano convida-nos a nos abrirmos para irmos ao encontro dos outros. A conversão a que somos chamados implica

Leia mais

Princípios de Fé Estudo 1

Princípios de Fé Estudo 1 Estudo 1 1 Tema: A fé e a comunhão Texto Base: o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com

Leia mais

GANHADO O MUNDO SEM PERDER A FAMILIA

GANHADO O MUNDO SEM PERDER A FAMILIA TEXTO: 1 SAMUEL CAPITULO 3 HOJE NÃO É SOBRE SAMUEL QUE VAMOS CONHECER, SABEMOS QUE SAMUEL foi o último dos juízes e o primeiro dos profetas. Ele foi comissionado para ungir asaul, o primeiro rei, e a David,

Leia mais

LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS

LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS 1 LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS Lc 19 1 Jesus entrou em Jericó e estava atravessando a cidade. 2 Morava ali um homem rico, chamado Zaqueu, que era chefe dos cobradores

Leia mais

Curso de Discipulado

Curso de Discipulado cidadevoadora.com INTRODUÇÃO 2 Este curso é formado por duas partes sendo as quatro primeiras baseadas no evangelho de João e as quatro últimas em toda a bíblia, com assuntos específicos e muito relevantes

Leia mais

Fui, não: fui e sou. Não mudei a esse respeito. Sou anarquista.

Fui, não: fui e sou. Não mudei a esse respeito. Sou anarquista. Tínhamos acabado de jantar. Defronte de mim o meu amigo, o banqueiro, grande comerciante e açambarcador notável, fumava como quem não pensa. A conversa, que fora amortecendo, jazia morta entre nós. Procurei

Leia mais

Religião e Espiritualidade

Religião e Espiritualidade Religião e Espiritualidade Há mais coisas entre o céu e a terra do que sonha vossa vã filosofia. Shakespeare A Mudança de Modelos Mentais O que é Religião? O que é espiritualidade? O que é Meditação? Como

Leia mais

1ª Carta de João. A Palavra da Vida. Deus é luz. Nós somos pecadores. Cristo, nosso defensor junto a Deus

1ª Carta de João. A Palavra da Vida. Deus é luz. Nós somos pecadores. Cristo, nosso defensor junto a Deus 1ª Carta de João A Palavra da Vida 1 1 O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e o que as nossas mãos apalparam da Palavra da Vida 2 vida esta que

Leia mais

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE Mesmo não acreditando na Educação Criativa, o professor pode fazer uma experiência para ver o resultado. É o caso da professora deste relato. Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br

Leia mais

Os encontros de Jesus O cego de nascença AS TRÊS DIMENSÕES DA CEGUEIRA ESPIRITUAL

Os encontros de Jesus O cego de nascença AS TRÊS DIMENSÕES DA CEGUEIRA ESPIRITUAL 1 Os encontros de Jesus O cego de nascença AS TRÊS DIMENSÕES DA CEGUEIRA ESPIRITUAL 04/03/2001 N Jo 9 1 Jesus ia caminhando quando viu um homem que tinha nascido cego. 2 Os seus discípulos perguntaram:

Leia mais

4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval. Introdução

4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval. Introdução 1 4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval Introdução O último período da Filosofia Grega é o Helenístico (Sec. III a.c.-vi d.c.). É um período

Leia mais

1ª Leitura - Ex 17,3-7

1ª Leitura - Ex 17,3-7 1ª Leitura - Ex 17,3-7 Dá-nos água para beber! Leitura do Livro do Êxodo 17,3-7 Naqueles dias: 3 O povo, sedento de água, murmurava contra Moisés e dizia: 'Por que nos fizeste sair do Egito? Foi para nos

Leia mais

UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL.

UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL. UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL. Como sabemos o crescimento espiritual não acontece automaticamente, depende das escolhas certas e na cooperação com Deus no desenvolvimento

Leia mais

PREGAÇÃO DO DIA 30 DE NOVEMBRO DE 2013 TEMA : A LUTA PELA FÉ PASSAGEM BASE: FILIPENSES 1:27-30

PREGAÇÃO DO DIA 30 DE NOVEMBRO DE 2013 TEMA : A LUTA PELA FÉ PASSAGEM BASE: FILIPENSES 1:27-30 PREGAÇÃO DO DIA 30 DE NOVEMBRO DE 2013 TEMA : A LUTA PELA FÉ PASSAGEM BASE: FILIPENSES 1:2730 FILIPENSES 1:2730 Somente deveis portarvos dignamente conforme o evangelho de Cristo, para que, quer vá e vos

Leia mais

Os Legados da Reforma Protestante. Sobre o Indivíduo 2/9

Os Legados da Reforma Protestante. Sobre o Indivíduo 2/9 Os Legados da Reforma Protestante Sobre o Indivíduo 2/9 Criado por Pedro Siena Neto em 03/2015 O legado da reforma sobre o indivíduo o trabalho a comunidade a intervenção divina a educação a economia o

Leia mais

ESTUDO 1 - ESTE É JESUS

ESTUDO 1 - ESTE É JESUS 11. Já vimos que Jesus Cristo desceu do céu, habitou entre nós, sofreu, morreu, ressuscitou e foi para a presença de Deus. Leia João 17:13 e responda: Onde está Jesus Cristo agora? Lembremo-nos que: Jesus

Leia mais

Você quer ser um Discípulo de Jesus?

Você quer ser um Discípulo de Jesus? Você quer ser um Discípulo de Jesus? A História do povo de Israel é a mesma história da humanidade hoje Ezequel 37:1-4 Eu senti a presença poderosa do Senhor, e o seu Espírito me levou e me pôs no meio

Leia mais

"Ajuntai tesouros no céu" - 5

Ajuntai tesouros no céu - 5 "Ajuntai tesouros no céu" - 5 Mt 6:19-21 Temos procurado entender melhor através das escrituras, o que Jesus desejou ensinar aos seus discípulos nesta sequência de palavras, e pra isso, estudamos algumas

Leia mais

A NUVEM. O Sétimo Anjo

A NUVEM. O Sétimo Anjo A NUVEM O Sétimo Anjo PARADO NA BRECHA 1963 - Jeffersonville - Indiana - E.U.A. - Tradução: GO 82 E agora, eu não sabia naquela época, que eles estavam tirando fotos daquilo, os cientistas que estavam

Leia mais

O PAI É MAIOR DO QUE O FILHO

O PAI É MAIOR DO QUE O FILHO O PAI É MAIOR DO QUE O FILHO O PAI É MAIOR DO QUE O FILHO Vós ouviste o que vos disse: Vou e retorno a vós. Se me amásseis, ficaríeis alegres por eu ir para o Pai, porque o Pai é maior do que eu. João

Leia mais

O SEMEADOR SAIU PARA SEMEAR Comentário de Pe. Alberto Maggi OSM ao Evangelho

O SEMEADOR SAIU PARA SEMEAR Comentário de Pe. Alberto Maggi OSM ao Evangelho XV DOMINGO DO TEMPO COMUM 10 de julho de 2011 O SEMEADOR SAIU PARA SEMEAR Comentário de Pe. Alberto Maggi OSM ao Evangelho Mt 13,1-23 1 Naquele dia, Jesus saiu de casa e foi sentar-se às margens do mar

Leia mais

KJV King James Bible Study Correspondence Course An Outreach of Highway Evangelistic Ministries 5311 Windridge lane ~ Lockhart, Florida 32810 ~ USA

KJV King James Bible Study Correspondence Course An Outreach of Highway Evangelistic Ministries 5311 Windridge lane ~ Lockhart, Florida 32810 ~ USA 1 Lição 0 Já nasceu de novo? (volte para a página 5) Perguntaram a John Wesley porque razão ele pregava várias vezes, acerca de devem nascer de novo. Ele respondeu, porque vocês devem nascer de novo! Já

Leia mais

Mosaicos #2 Um Novo e superior Testamento Hb 1:1-3 Introdução: Se desejamos compreender o hoje, muitas vezes precisaremos percorrer o passado.

Mosaicos #2 Um Novo e superior Testamento Hb 1:1-3 Introdução: Se desejamos compreender o hoje, muitas vezes precisaremos percorrer o passado. 1 Mosaicos #2 Um Novo e superior Testamento Hb 1:1-3 Introdução: Se desejamos compreender o hoje, muitas vezes precisaremos percorrer o passado. Neste sentido a Carta aos Hebreus é uma releitura da lei,

Leia mais

DOMINGO V DA QUARESMA

DOMINGO V DA QUARESMA DOMINGO V DA QUARESMA LEITURA I Ez 37, 12-14 «Infundirei em vós o meu espírito e revivereis» Leitura da Profecia de Ezequiel Assim fala o Senhor Deus: «Vou abrir os vossos túmulos e deles vos farei ressuscitar,

Leia mais

#62. O batismo do Espírito Santo (continuação)

#62. O batismo do Espírito Santo (continuação) O batismo do Espírito Santo (continuação) #62 Estamos falando sobre alguns dons do Espírito Santo; falamos de suas obras, dos seus atributos, como opera o novo nascimento e, por último, estamos falando

Leia mais

Apostila Fundamentos. Batismo nas Águas. batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo... Mt 28:19

Apostila Fundamentos. Batismo nas Águas. batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo... Mt 28:19 Apostila Fundamentos Batismo nas Águas batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo... Mt 28:19 B a t i s m o n a s Á g u a s P á g i n a 2 Batismo nas Águas Este é outro passo que está

Leia mais

AULA 4 O MESSIAS: SATISFAÇÃO DEFINITIVA, ADORAÇÃO VERDADEIRA E EVANGELIZAÇÃO SEM FRONTEIRAS TEMA: A PRIORIDADE DA EVANGELIZAÇÃO TEXTO: JOÃO 4.

AULA 4 O MESSIAS: SATISFAÇÃO DEFINITIVA, ADORAÇÃO VERDADEIRA E EVANGELIZAÇÃO SEM FRONTEIRAS TEMA: A PRIORIDADE DA EVANGELIZAÇÃO TEXTO: JOÃO 4. AULA 4 O MESSIAS: SATISFAÇÃO DEFINITIVA, ADORAÇÃO VERDADEIRA E EVANGELIZAÇÃO SEM FRONTEIRAS TEMA: A PRIORIDADE DA EVANGELIZAÇÃO TEXTO: JOÃO 4.1-42 INTRODUÇÃO A narrativa da Mulher Samaritana se desenvolve

Leia mais

O seu conceito das religiões é como o seguinte quadro?

O seu conceito das religiões é como o seguinte quadro? ...as religiões? Sim, eu creio que sim, pois não importa a qual religião pertença. O importante é apoiar a que tem e saber levá-la. Todas conduzem a Deus. Eu tenho minha religião e você tem a sua, e assim

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você!

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você! MANUAL Esperança Casa de I G R E J A Esperança Uma benção pra você! I G R E J A Esperança Uma benção pra você! 1O que é pecado Sem entender o que é pecado, será impossível compreender a salvação através

Leia mais

Retroceder? Só se for pra pegar impulso!

Retroceder? Só se for pra pegar impulso! Retroceder? Só se for pra pegar impulso! Hb 10:35-39 "Por isso, não abram mão da confiança que vocês têm; ela será ricamente recompensada. Vocês precisam perseverar, de modo que, quando tiverem feito a

Leia mais

RESUMO. Palavras-chave fenomenologia; método; mística

RESUMO. Palavras-chave fenomenologia; método; mística RESUMO FENOMENOLOGIA E MÍSTICA Uma abordagem metodológica Elton Moreira Quadros Professor substituto na Univ. Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Faculdade Juvência Terra (FJT) Instituto de Filosofia

Leia mais

TRÊS VALORES ESPÍRITAS

TRÊS VALORES ESPÍRITAS TRÊS VALORES ESPÍRITAS 1 2 ENCONTROS E DESENCONTROS DE DOIS MUNDOS Dados internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Azevedo, Israel Belo de O espiritismo

Leia mais

2015 O ANO DE COLHER MAIO - 1 COMO SERÁ A CIDADE?

2015 O ANO DE COLHER MAIO - 1 COMO SERÁ A CIDADE? MAIO - 1 COMO SERÁ A CIDADE? Texto: Apocalipse 21:1-2 Então vi um novo céu e uma nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra tinham passado; e o mar já não existia. Vi a cidade santa, a nova Jerusalém,

Leia mais

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri. Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.com Página 1 1. HISTÓRIA SUNAMITA 2. TEXTO BÍBLICO II Reis 4 3.

Leia mais

Curso 78 Aula 27 28/11/1978 (Transcrição de Mário Seidl) Religiões e Felicidade Huberto Rohden

Curso 78 Aula 27 28/11/1978 (Transcrição de Mário Seidl) Religiões e Felicidade Huberto Rohden Curso 78 Aula 27 28/11/1978 (Transcrição de Mário Seidl) Religiões e Felicidade Huberto Rohden Felizmente não fui eu quem introduziu as meditações nas férias, foram os alunos do curso que pediram - que

Leia mais

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão Jorge Esteves Objectivos 1. Reconhecer que Jesus se identifica com os irmãos, sobretudo com os mais necessitados (interpretação e embora menos no

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Frases Célebres de Albert Einstein

Frases Célebres de Albert Einstein Frases Célebres de Albert Einstein Convencido de que o ser humano é capaz de desenvolver seu intelecto tanto quanto deseja em certas ocasiões, julgava com as palavras criando frases de acordo com as circunstâncias.

Leia mais

ESCOLA DA FÉ Paróquia Santo Antonio do Pari Aula 15 Creio em Deus Pai - 2.

ESCOLA DA FÉ Paróquia Santo Antonio do Pari Aula 15 Creio em Deus Pai - 2. ESCOLA DA FÉ Paróquia Santo Antonio do Pari Aula 15 Creio em Deus Pai - 2. Frei Hipólito Martendal, OFM. São Paulo-SP, 20 de setembro de 2012. revisão da aula anterior. 2.1- Deus Todo Poderoso. Dei uma

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Local& Escola&de&Pós&Graduação& &Uninter& Domingo&às&19h& Rua&Candelária,&1744&

Local& Escola&de&Pós&Graduação& &Uninter& Domingo&às&19h& Rua&Candelária,&1744& Local& Escola&de&Pós&Graduação& &Uninter& Domingo&às&19h& Rua&Candelária,&1744& Colossenses& 15 Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação, 16 pois nele foram criadas todas as

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 88 Discurso na cerimónia de inauguração

Leia mais

Jesus contou aos seus discípulos esta parábola, para mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e nunca desanimar.

Jesus contou aos seus discípulos esta parábola, para mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e nunca desanimar. Lc 18.1-8 Jesus contou aos seus discípulos esta parábola, para mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e nunca desanimar. Ele disse: "Em certa cidade havia um juiz que não temia a Deus nem se importava

Leia mais

Bíblia Sagrada N o v o T e s t a m e n t o P r i m e i r a E p í s t o l a d e S ã o J o ã o virtualbooks.com.br 1

Bíblia Sagrada N o v o T e s t a m e n t o P r i m e i r a E p í s t o l a d e S ã o J o ã o virtualbooks.com.br 1 Bíblia Sagrada Novo Testamento Primeira Epístola de São João virtualbooks.com.br 1 Capítulo 1 1 O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos olhos, o que temos contemplado

Leia mais

Aula 5.2 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz Orientais Hinduísmo - Índia Budismo - Índia Taoísmo - China Xintoísmo - Japão ENSINO RELIGIOSO

Aula 5.2 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz Orientais Hinduísmo - Índia Budismo - Índia Taoísmo - China Xintoísmo - Japão ENSINO RELIGIOSO A Aula 5.2 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz Orientais Hinduísmo - Índia Budismo - Índia Taoísmo - China Xintoísmo - Japão 2 A Habilidades: Identificas as diferenças e semelhanças entre as religiões

Leia mais

DUNN, James D. G. Jesus em nova perspectiva: o que os estudos sobre o Jesus histórico deixaram para trás. São Paulo: Paulus, 2013.

DUNN, James D. G. Jesus em nova perspectiva: o que os estudos sobre o Jesus histórico deixaram para trás. São Paulo: Paulus, 2013. DUNN, James D. G. Jesus em nova perspectiva: o que os estudos sobre o Jesus histórico deixaram para trás. São Paulo: Paulus, 2013. Resenhado por Bruno Ribeiro Nascimento 1 PPGCOM/UFPB http://lattes.cnpq.br/4210778274129446

Leia mais

CATHIANI MARA BELLÉ EM KANT, É POSSÍVEL O HOMEM RACIONAL SER FELIZ?

CATHIANI MARA BELLÉ EM KANT, É POSSÍVEL O HOMEM RACIONAL SER FELIZ? CATHIANI MARA BELLÉ EM KANT, É POSSÍVEL O HOMEM RACIONAL SER FELIZ? CURITIBA 2011 CATHIANI MARA BELLÉ EM KANT, É POSSÍVEL O HOMEM RACIONAL SER FELIZ? Projeto de pesquisa apresentado à Universidade Federal

Leia mais

Lição 1 - Apresentando o Evangelho Texto Bíblico Romanos 1.16,17

Lição 1 - Apresentando o Evangelho Texto Bíblico Romanos 1.16,17 Lição 1 - Apresentando o Evangelho Texto Bíblico Romanos 1.16,17 Paulo escreveu uma carta à Igreja de Roma, mas não foi ele o instrumento que Deus usou para fazer acontecer uma Agência do Reino de Deus

Leia mais

A DIVERSIDADE NA ESCOLA

A DIVERSIDADE NA ESCOLA Tema: A ESCOLA APRENDENDO COM AS DIFERENÇAS. A DIVERSIDADE NA ESCOLA Quando entrei numa escola, na 1ª série, aos 6 anos, tinha uma alegria verdadeira com a visão perfeita, não sabia ler nem escrever, mas

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

Capítulo II O QUE REALMENTE QUEREMOS

Capítulo II O QUE REALMENTE QUEREMOS Capítulo II O QUE REALMENTE QUEREMOS Neste inicio de curso de Formação em Coaching e Mentoring do Sistema ISOR, eu quero fazer a seguinte pergunta: o que vocês mais querem da vida hoje? Alguém pode começar?

Leia mais

Roberto Serpa Ser CRENTE

Roberto Serpa Ser CRENTE Ser CRENTE Roberto Serpa Ser CRENTE romance www.booksprintedizioni.it Copyright 2012 Roberto Serpa Tutti i diritti riservati Sobre o autor Roberto Serpa, brasileiro, nascido no Rio de Janeiro, onde viveu

Leia mais

O CONCEITO DE DEUS NA DOUTRINA ESPÍRITA À LUZ DO PENSAMENTO ARISTOTÉLICO

O CONCEITO DE DEUS NA DOUTRINA ESPÍRITA À LUZ DO PENSAMENTO ARISTOTÉLICO O CONCEITO DE DEUS NA DOUTRINA ESPÍRITA À LUZ DO PENSAMENTO ARISTOTÉLICO Ao longo da história da humanidade, crer na existência de Deus sempre esteve na preocupação do ser pensante, e foi no campo da metafísica

Leia mais

Teologia Bíblica de Missões SEFO 2013

Teologia Bíblica de Missões SEFO 2013 Teologia Bíblica de Missões SEFO 2013 1 ª Aula Fabio Codo Fábio Codo - http://teologiaaservicoevangelho.wordpress.com Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Madureira Campo de Mogi das Cruzes

Leia mais

001 Você Pode Estar Correndo Sérios Riscos!

001 Você Pode Estar Correndo Sérios Riscos! 001 Você Pode Estar Correndo Sérios Riscos! Página 1 de 6 Pr. Israel Liberato Lucas 6:46-49 NVI 002 46 "Por que vocês me chamam Senhor, Senhor e não fazem o que eu digo? 47 Eu lhes mostrarei a que se compara

Leia mais

AGOSTINHO, TEMPO E MEMÓRIA

AGOSTINHO, TEMPO E MEMÓRIA AGOSTINHO, TEMPO E MEMÓRIA Fábio de Araújo Aluno do Curso de Filosofia Universidade Mackenzie Introdução No decorrer da história da filosofia, muitos pensadores falaram e escreveram há cerca do tempo,

Leia mais

Avaliação da aprendizagem... mais uma vez

Avaliação da aprendizagem... mais uma vez Avaliação da aprendizagem... mais uma vez Cipriano Carlos Luckesi 1 Artigo publicado na Revista ABC EDUCATIO nº 46, junho de 2005, páginas 28 e 29. Recentemente, tenho acompanhado crianças que saíram de

Leia mais

TRADUÇÃO Hope Gordon Silva Regina Aranha

TRADUÇÃO Hope Gordon Silva Regina Aranha TRADUÇÃO Hope Gordon Silva Regina Aranha 7 João Desfrutando João ao máximo Pode-se resumir o fato mais relevante de toda a história em quatro palavras: Jesus Cristo é Deus! A maior declaração da Bíblia

Leia mais

Aula 29 Festa da Felicidade 29/11/1977

Aula 29 Festa da Felicidade 29/11/1977 CURSO NOVA HUMANIDADE Huberto Rohden Aula 29 Festa da Felicidade 29/11/1977 Hoje recebemos muitas mensagens lá da TV Globo do Rio. Viriam aqui hoje para fazer uma primeira filmagem daqui. Mas, não deu

Leia mais

DESPREZO PELA IGREJA PROJETO NEEMIAS 2 EFÉSIOS 3.20-21

DESPREZO PELA IGREJA PROJETO NEEMIAS 2 EFÉSIOS 3.20-21 CELEBRANDO A GRAÇA EFÉSIOS 3.20-21 20 Àquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós, 21 a ele seja a glória na igreja e

Leia mais

Personal Commitment Guide. Guia de Compromisso Pessoal

Personal Commitment Guide. Guia de Compromisso Pessoal Personal Commitment Guide Guia de Compromisso Pessoal Nome da Igreja ou Evento Nome do Conselheiro Telefone 1. Salvação >Você já atingiu um estágio na vida em que você tem a certeza da vida eterna e que

Leia mais

Sumário. Prefácio...3. 1. As evidências da ressurreição de Cristo...5. 2. Se Jesus está vivo, onde posso encontrá-lo?...15

Sumário. Prefácio...3. 1. As evidências da ressurreição de Cristo...5. 2. Se Jesus está vivo, onde posso encontrá-lo?...15 1 Sumário Prefácio...3 1. As evidências da ressurreição de Cristo...5 2. Se Jesus está vivo, onde posso encontrá-lo?...15 Comunidade Presbiteriana Chácara Primavera Ministério de Grupos Pequenos Março

Leia mais

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23.

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23. Tema: DEUS CUIDA DE MIM. Texto: Salmos 23:1-6 Introdução: Eu estava pesando, Deus um salmo tão poderoso até quem não está nem ai prá Deus conhece uns dos versículos, mas poderosos da bíblia e o Salmo 23,

Leia mais

Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 17/03/2013 A QUEDA. Versículos para Decorar (Estamos usando a Bíblia na Nova Versão Internacional NVI)

Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 17/03/2013 A QUEDA. Versículos para Decorar (Estamos usando a Bíblia na Nova Versão Internacional NVI) Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 17/03/2013 A QUEDA Versículos para Decorar (Estamos usando a Bíblia na Nova Versão Internacional NVI) 1 - Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde

Leia mais

NA LOJA DE CHAPÉUS. Karl Valentin. Personagens. Vendedora. Valentin ATO ÚNICO

NA LOJA DE CHAPÉUS. Karl Valentin. Personagens. Vendedora. Valentin ATO ÚNICO NA LOJA DE CHAPÉUS De Karl Valentin Personagens Vendedora Valentin ATO ÚNICO Bom dia, senhor. O que deseja? Um chapéu. Que tipo de chapéu? Um chapéu pra botar na cabeça. Certamente, meu senhor, um chapéu

Leia mais

VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE

VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE É Preciso saber Viver Interpretando A vida na perspectiva da Espiritualidade Cristã Quem espera que a vida seja feita de ilusão Pode até ficar maluco ou morrer na solidão É

Leia mais

#93r. 11.7 O Apocalipse X Mateus 24

#93r. 11.7 O Apocalipse X Mateus 24 11.7 O Apocalipse X Mateus 24 #93r Há uma grande semelhança entre a sequência dos acontecimentos do período da Tribulação, descritos no livro do Apocalipse, com relação a Mateus 24. Vamos hoje, analisar

Leia mais

ESPIRITUALIDADE E EDUCAÇÃO

ESPIRITUALIDADE E EDUCAÇÃO Instituto de Educação infantil e juvenil Outono, 2013. Londrina, de. Nome: Ano: Tempo Início: término: total: Edição IX MMXIII texto Grupo A ESPIRITUALIDADE E EDUCAÇÃO Há alguns meses estamos trabalhando

Leia mais

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 03/03/2013 PROFESSORA: A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Versículos para decorar: 1 - O Espírito de Deus me fez; o sopro do Todo-poderoso me dá vida. (Jó 33:4)

Leia mais

WWW.MUSICALLEIZER.COM.BR

WWW.MUSICALLEIZER.COM.BR WWW.MUSICALLEIZER.COM.BR Índice Índice Prefácio Sobre o autor Introdução Como ser produtivo estudando corretamente Você já organizou o seu tempo e os seus dias para estudar? Definir o que vai estudar Organizando

Leia mais

Por muito tempo na história as pessoas acreditaram existir em nós uma capacidade transcendental que nos emanciparia da natureza e nos faria

Por muito tempo na história as pessoas acreditaram existir em nós uma capacidade transcendental que nos emanciparia da natureza e nos faria 1 Por muito tempo na história as pessoas acreditaram existir em nós uma capacidade transcendental que nos emanciparia da natureza e nos faria especiais. Fomos crescendo e aprendendo que, ao contrário dos

Leia mais

OS AMIGOS NÃO SE COMPRAM

OS AMIGOS NÃO SE COMPRAM OS AMIGOS NÃO SE COMPRAM Era o dia 22 de dezembro. O Natal aproximava-se e o Pai Natal estava muito atarefado a preparar os sacos com os brinquedos. Muito longe dali, em Portugal, um menino chamado João

Leia mais

IGREJA CRISTÃ MARANATA PRESBITÉRIO ESPÍRITO SANTENSE EM EFÉSIOS 2.8 PAULO VINCULA A SALVAÇÃO À FÉ QUE VEM DE DEUS.

IGREJA CRISTÃ MARANATA PRESBITÉRIO ESPÍRITO SANTENSE EM EFÉSIOS 2.8 PAULO VINCULA A SALVAÇÃO À FÉ QUE VEM DE DEUS. ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL 21-jun-2015 - TEMA: A FÉ Assunto: INTERFERÊNCIAS NO PROCESSO DA SALVAÇÃO Texto fundamental: JOÃO CAP. 9 EM EFÉSIOS 2.8 PAULO VINCULA A SALVAÇÃO À FÉ QUE VEM DE DEUS. COMENTAR OS

Leia mais