Redes Sem Fio. Prof. Othon M. N. Batista Mestre em Informática

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Redes Sem Fio. Prof. Othon M. N. Batista (othonb@yahoo.com) Mestre em Informática"

Transcrição

1 Redes Sem Fio Prof. Othon M. N. Batista Mestre em Informática

2 Tópicos Introdução Modelos de Propagação de Rádio Padrões do IEEE IEEE IEEE IEEE Mobilidade

3 Introdução A quantidade de telefones celulares no mundo já supera a quantidade de telefones fixos. Computadores portáteis, Personal Digital Assistants (PDA), telefones celulares permitem acesso intermitente à Internet.

4 Introdução Isso traz à tona dois desafios distintos: comunicação sobre enlaces sem fio; mobilidade.

5 Introdução Os enlaces sem fio são regulamentados. No Brasil, a entidade responsável pela homologação de frequências é a ANATEL. Há uma faixa do espectro eletromagnético denominada de Industrial, Scientific and Medical (ISM).

6 Introdução Hosts sem fio: laptop, PDA, IP phone Rodam aplicações Podem ser fixos ou móveis Sem fio nem sempre significa móvel!

7 Introdução Modo ad-hoc: não há ponto de acesso (estação base); a transmissão ocorre com os nós dentro do alcance; deve haver auto-organização entre os nós.

8 Introdução Características do enlace sem fio: atenuação do sinal; interferência de outras fontes; propagação por múltiplos caminhos. Elas tornam a comunicação através de enlaces sem fio mais complicada.

9 Introdução atenuação do sinal: os sinais de rádio diminuem à medida que se propagam (path loss). 0 dbm = 1 mw 10 dbm = 10 mw P dbm PW= 1000 P dbm =10log1000.P W

10 Introdução interferência de outras fontes: as freqüências padronizadas para redes sem fio são utilizadas por outros equipamentos.

11 Introdução propagação por múltiplos caminhos: o sinal de rádio se reflete no solo e em objetos. O sinal principal e os refletidos chegam ao destino em instantes ligeiramente diferentes.

12 Introdução Problemas causados por múltiplos hosts sem fio Terminal oculto Desvanecimento

13 Modelos de Propagação de Rádio Os modelos de propagação de rádio servem para prever a potência do sinal recebido. Na camada física de cada nó sem fio, há um limiar (sensibilidade de recepção). Quando um sinal é recebido abaixo desse limiar, ele é marcado como erro e é descartado pela sub-camada MAC.

14 Modelos de Propagação de Rádio Veremos três modelos de propagação: Friis ou free space; two-ray ground; log shadow.

15 Modelos de Propagação de Rádio O modelos de Friis assume a condição de propagação ideal de que há uma linha de visão entre o transmissor e o receptor. Ele representa estas condições através de uma fórmula matemática que descreve a potência do sinal recebido. P r d = Pt GtGr d L

16 Modelos de Propagação de Rádio Pr (d) Potência de recepção na distância d. Pt Potência de transmissão. Gt e Gr Ganho de transmissão e recepção (comumente 1). d Distância entre transmissor e receptor. L Perda do sistema (comumente 1). λ Comprimento de onda (c / f). c velocidade da luz. f Frequência utilizada. P r (d )= Pt Gt Gr λ 2 ( 4 π)2 d 2 L

17 Modelos de Propagação de Rádio Pr (10m) Potência de recepção na distância 10m. Pt = 10dBm = 10mW = 0,01W Gt, G r e L = 1 d = 10m λ = c (m/seg) / f (Hz) = / 2, = 0,125m 2 P r (10m)= 0, ,125 0, = =0, W ,36 16.π.10.1 P dbm=10log1000.0, P dbm=10. log 0, P dbm=10. 5, = 50, dbm

18 Modelos de Propagação de Rádio Pr (20m) Potência de recepção na distância 20m. Pt = 10dBm = 10mW = 0,01W Gt, G r e L = 1 d = 20m λ = c (m/seg) / f (Hz) = / 2, = 0,125m 2 P r (20m)= 0, ,125 0, = 0, W , π P dbm=10log , P dbm=10. log 0, P dbm=10. 5, = 56, dbm

19 Modelos de Propagação de Rádio Pr (30m) Potência de recepção na distância 30m. Pt = 10dBm = 10mW = 0,01W Gt, G r e L = 1 d = 30m λ = c (m/seg) / f (Hz) = / 2, = 0,125m 2 P r (30m)= 0, ,125 0, = 0, W , π P dbm=10log , P dbm=10. log 0, P dbm=10. 5, = 59, dbm

20 Modelos de Propagação de Rádio O modelo de Friis representa o alcance da transmissão como um círculo ao redor do transmissor. O modelo two-ray ground não considera apenas a linha de visada entre transmissor e receptor. Ele também considera o caminho refletido pelo sinal no chão. P r d = P t G t G r ht hr 4 d L

21 Modelos de Propagação de Rádio ht e hr Alturas das antenas do transmissor e do receptor, respectivamente. Os outros parâmetros são os mesmos da equação de Friis. Two-ray ground fornece melhores resultados que Friis em distâncias mais longas. Em compensação, é pior em distâncias curtas. P r (d )= P t G t G r ht hr 4 d L

22 Modelos de Propagação de Rádio Por isso existe a distância de crossover dc. Quando d < dc, usa-se Friis, caso contrário, usa-se two-ray ground. Quando d = dc, ambas as equações fornecem o mesmo resultado. 4 ht hr d c=

23 Modelos de Propagação de Rádio Distância de crossover para 2,4GHz (IEEE ). 4.π , d c= = 8 0, ,4.10 dc = 100, m

24 Modelos de Propagação de Rádio Pr (10m) Potência de recepção na distância 10m. Pt = 10dBm = 10mW = 0,01W Gt, Gr, ht, hr e L = 1 2 d = 10m P r (10m)= = =10 =0,000001W P dbm=10log , P dbm=10. log 0,001 P dbm=10. 3= 30dBm

25 Modelos de Propagação de Rádio Pr (20m) Potência de recepção na distância 20m. Pt = 10dBm = 10mW = 0,01W Gt, Gr, ht, hr e L = 1 2 d = 20m P r (20m)= = 4 =0, W P dbm=10log , P dbm=10. log 0, P dbm=10. 4, = 42, dbm

26 Modelos de Propagação de Rádio Pr (30m) Potência de recepção na distância 30m. Pt = 10dBm = 10mW = 0,01W Gt, Gr, ht, hr e L = 1 2 d = 30m P r (30m)= = 4 =0, W P dbm=10log , P dbm=10. log 0, P dbm=10. 4, = 49, dbm

27 Modelos de Propagação de Rádio O modelo log shadow é diferente, pois o alcance de um transmissor não é um círculo ao redor dele. Este modelo é dado através da perda no caminho (Path Loss PL) que o sinal transmitido é submetido até chegar no receptor. A potência de recepção é igual à potência de transmissão menos a perda no caminho. P r d =P t PL d

28 Modelos de Propagação de Rádio PL (d0) Perda no caminho conhecida em uma distância de referência d0. n Expoente (normalmente 2,4). d Distância entre transmissor e receptor. X Variável aleatória com desvio padrão σ. d PL d =PL d 0 10 n log 10 X d0

29 Padrões do IEEE O IEEE é responsável pela padronização de redes pessoais, locais e metropolitanas sem fio. Os padrões estão no endereço: Alguns padrões: IEEE (WLAN) IEEE (WPAN) IEEE (WMAN)

30 IEEE WLAN O padrão IEEE na verdade é um conjunto de padrões para redes locais sem fio. Algumas subdivisões: IEEE a WLAN IEEE b WLAN IEEE g WLAN IEEE n WLAN IEEE i Segurança IEEE e Qualidade de Serviço (QoS)

31 IEEE WLAN IEEE n 65 Mbps a 600 Mbps; IEEE g até 54 Mbps; IEEE b até 11 Mbps; IEEE a Todos: 2,4 GHz e/ou 5 GHz (exceto IEEE a); CSMA/CA modo infraestruturado com ponto de acesso (estação base) modo ad-hoc até 54 Mbps; 5 a 6 GHz. Padrões Padrõesadotados adotadosno nobrasil. Brasil.

32 IEEE WLAN Basic Service Set (BSS = célula) no modo infra-estruturado: hosts sem fio; ponto de acesso; no modo ad-hoc: apenas hosts sem fio.

33 IEEE WLAN - Pontos de Acesso

34 IEEE WLAN Um ponto de acesso normalmente integra: o próprio; switch com 4 portas; roteador; firewall; NAT; servidor HTTP; servidor TFTP; servidor DNS; servidor DHCP.

35 IEEE WLAN Em b/g/n, no Brasil, o espectro é dividido em 11 canais de diferentes frequências O administrador do ponto de acesso escolhe a frequência. Isso deve evitar possível interferência, pois o canal escolhido pode ser o mesmo de um ponto de acesso vizinho!

36 IEEE WLAN O host deve associar-se a um ponto de acesso: o host percorre canais, buscando quadros de sinalização que contêm o nome do ponto de acesso (Service Set IDentifier - SSID) e o endereço MAC; escolhe um ponto de acesso; pode ter que utilizar algum esquema de segurança; normalmente DHCP para obter um endereço IP na sub-rede do ponto de acesso.

37 IEEE WLAN O esquema de segurança, caso seja utilizado, pode ser: identificação por endereço MAC do host; Wired Equivalent Privacy (WEP); Wi-Fi Protected Access (WPA): pessoal; empresarial.

38 IEEE WLAN A identificação por endereço MAC do host: o administrador cadastra no ponto de acesso uma lista de endereços MAC que podem se associar; não há criptografia envolvida! ATAQUE: capturar quadros, clonar endereço MAC autorizado a usar a rede.

39 IEEE WLAN Wired Equivalent Privacy (WEP): WEP foi a primeira tentativa de garantir segurança com criptografia; há a necessidade de conhecer uma senha; Passos básicos: o host solicita autenticação ao ponto de acesso; o ponto de acesso responde com um texto limpo; o host solicita autenticação enviando texto criptografado com a senha; o ponto de acesso descriptografa o texto enviado e compara com o texto limpo que ele enviou.

40 IEEE WLAN ATAQUE: softwares especializados em capturar quadros e inferir a senha após alguns quadros capturados. wepcrack; air crack; air snort; backtrack.

41 IEEE WLAN Wi-Fi Protected Access (WPA) Pessoal também conhecido como Pre-Shared Key (PSK) uma senha com até 63 letras pode ser usada; criptografia de 256 bits; ATAQUE: força bruta ou dicionário.

42 IEEE WLAN Wi-Fi Protected Access (WPA) Empresarial o ponto de acesso é um intermediário na autenticação; normalmente é feita em um servidor na rede cabeada; pode envolver certificação digital. Servidor RADIUS

43 IEEE WLAN IEEE não consegue detectar todas as colisões. Por isso não dá para utilizar CSMA/CD. CSMA/CA (Colision Avoidance) é utilizado em um dos dois modos de operação: escuta do canal; reserva do canal.

44 IEEE WLAN CSMA/CA no modo de escuta do canal. O host A escuta o meio e aguarda Distributed Inter Frame Spacing (DIFS). O host A envia os dados ao host B. O host B aguarda Short Inter Frame Spacing (SIFS). O host B responde com Ack ao host A.

45 IEEE WLAN CSMA/CA no modo de reserva do canal. A deseja enviar dados a B. Reserva o canal com o ponto de acesso (RTS). Quando liberado (CTS), inicia a transmissão e aguarda ACK.

46 IEEE WLAN Formato de um quadro IEEE Endereço 1: endereço MAC do Hospedeiro sem fio ou AP que deve receber o quadro Endereço 2: endereço MAC do hospedeiro sem fio ou AP transmitindo este quadro Endereço 4: usado apenas no modo ad hoc Endereço 3: endereço MAC da interface do roteador à qual o AP é ligado

47 IEEE WLAN Duração do tempo de transmissão reservada (RTS/CTS) Tipo de quadro (RTS, CTS, ACK, dados) # seg do quadro (para ARQ confiável)

48 IEEE WLAN Mobilidade em uma mesma sub-rede. O que acontece com os quadros de/para H1???

49 IEEE WPAN - Bluetooth Diâmetro inferior a 1m, 10m ou 100m. Substituição de cabos (mouse, teclado, fones). ad hoc: sem infra-estrutura. Mestre/escravo: escravo solicita permissão para enviar (ao mestre); mestre atende a pedidos. Faixa de frequência de 2,4 2,5 GHz. Potência de transmissão de 0dBm, 4dBm ou 20dBm. Até 1 Mbps.

50 IEEE WPAN - Bluetooth Dois tipos de redes: piconets; scatternets. As piconets são unidades básicas que podem conter 1 mestre e até 7 escravos ativos e 255 inativos. Dependendo da especificação do Bluetooth, o raio desta rede é de 10m ou 100m. Uma piconet é um sistema Time Division Multiplexing (TDM) centralizado. Várias piconets podem se interconectar e formar uma scatternet.

51 IEEE WPAN - Bluetooth

52 IEEE WPAN - Bluetooth As aplicações para Bluetooth são classificadas em perfis. Descrição Nome Acesso genérico Procedimentos para gerenciamento de enlaces. Descoberta de serviços Protocolo para descobrir serviços oferecidos. Porta serial Substitui cabo de porta serial. Intercâmbio genérico de objetos Relacionamento cliente/servidor. Acesso de LAN Protocolo entre computador móvel e LAN fixa. Rede discada Notebook usa um celular como modem. Fax Fax móvel a computador móvel. Telefonia sem fio Conecta telefone à estação base. Intercomunicador Intercomunicação digital. Fone de ouvido Comunicação de voz com fones e microfones. Envio de objetos Intercâmbio de objetos simples. Transferência de arquivos Recurso genérico para transferir arquivos. Sincronização Sincronização de PDA com computador.

53 IEEE WPAN - Bluetooth A pilha de protocolos Bluetooth apresenta quatro camadas.

54 IEEE WPAN - Bluetooth Há vários formatos de quadros para Bluetooth, sendo este o principal.

55 IEEE WMAN - WiMAX

56 Mobilidade Do ponto de vista da rede, podemos definir um espectro de mobilidade.

57 Mobilidade Equipamentos móveis:

58 Mobilidade Equipamentos portáteis:

59 Mobilidade Equipamento não móvel ou portátil:

60 Mobilidade A não ser que queira fazer isso:

61 Mobilidade: Definições Rede nativa: lar permanente do host (ex., /24) Endereço permanente: endereço na rede nativa; pode sempre ser usado para alcançar o host móvel ex., Agente nativo: entidade que implementa as funções de mobilidade em benefício do host móvel quando ele está remoto

62 Mobilidade: Definições Endereço permanente: constante (ex., ) Rede visitada: rede na qual o host móvel se encontra num certo momento (ex., /24) Endereço temporário: dinâmico (ex., ) Correspondente: quer se comunicar com o host móvel Agente externo: entidade na rede visitada que implementa funções de mobilidade em benefício do host móvel

63 Mobilidade O roteamento pode tratar isso: roteadores informam endereços permanentes de nós móveis residentes por meio de suas trocas de tabelas de roteamento. As tabelas de roteamento indicam a localização de cada nó móvel. Não exige mudanças nos sistemas finais. Os hosts podem tratar isso: roteamento indireto: comunicação do correspondente ao host móvel passa pelo agente nativo; então é enviada ao remoto roteamento direto: correspondente obtém o endereço temporário do host móvel e transmite diretamente para ele.

64 Mobilidade: Registro Rede visitada Rede nativa 2 wide area network Agente externo contata agente nativo: este host móvel está residente na minha rede 1 O host móvel contata o agente externo ao entrar na rede visitada Resultado final: Agente externo sabe sobre o host móvel Agente nativo conhece a localização do host móvel

65 Mobilidade Via Roteamento Indireto Agente nativo intercepta os pacotes e envia ao agente externo Agente externo recebe pacotes e encaminha ao host móvel Correspondente endereça pacotes usando o endereço nativo do host móvel 4 Host móvel responde diretamente ao correspondente

66 Roteamento Indireto: Comentários Usuário móvel usa dois endereços: endereço permanente: usado pelo correspondente (assim, a localização do host móvel é transparente para o correspondente) endereço temporário: usado pelo agente nativo para enviar datagramas ao host móvel As funções do agente estrangeiro podem ser feitas pelo próprio usuário móvel. O roteamento é triangular: correspondente à rede nativa ao host móvel. Ineficiente quando correspondente e host móvel estão na mesma rede

67 Roteamento Indireto: Movendo-se Entre Redes Suponha que o host móvel se mova para outra rede 1. registra com novo agente; 2. novo agente externo registra com agente nativo; 3. agente nativo atualiza endereço temporário para o host móvel. Pacotes continuam a ser enviados ao host móvel (mas com novo endereço temporário) A mudança de rede remota é transparente. Conexões em curso podem ser mantidas!

68 Mobilidade Via Roteamento Direto Correspondente envia pacotes ao agente externo Agente externo recebe pacotes, envia ao host móvel Correspondente pede ao agente nativo e recebe endereço do agente externo do host móvel Host móvel responde diretamente ao correspondente

69 Mobilidade via Roteamento Direto: Comentários Resolve problema do roteamento triangular. Não é transparente para o correspondente: correspondente deve obter o endereço temporário do agente nativo. O que ocorre se o host móvel muda de rede visitada?

70 Acomodando Mobilidade com Roteamento Direto Agente externo âncora: agente externo da primeira rede visitada Dados sempre são roteados primeiro para o agente externo âncora Quando o host móvel muda: novo agente externo toma medidas para ter os dados enviados pelo agente externo anterior (encadeamento)

71 IP Móvel RFC 3220 Tem muitas das características já vistas: agentes nativos, agentes externos, registro de agente externo, endereço temporário, encapsulamento (pacote normal dentro de pacote móvel). Três componentes do padrão: roteamento indireto de datagramas descoberta de agentes registro com o agente nativo

Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi

Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 55 Roteiro Definição Benefícios Tipos de Redes Sem Fio Métodos de Acesso Alcance Performance Elementos da Solução

Leia mais

SSC0748 - Redes Móveis

SSC0748 - Redes Móveis - Redes Móveis Introdução Redes sem fio e redes móveis Prof. Jó Ueyama Agosto/2012 1 Capítulo 6 - Resumo 6.1 Introdução Redes Sem fo 6.2 Enlaces sem fo, características 6.3 IEEE 802.11 LANs sem fo ( wi-f

Leia mais

Capítulo 6 Redes sem fio e redes móveis

Capítulo 6 Redes sem fio e redes móveis Capítulo 6 Redes sem fio e redes móveis Todo o material copyright 1996-2009 J. F Kurose e K. W. Ross, Todos os direitos reservados slide 1 2010 2010 Pearson Prentice Hall. Hall. Todos Todos os os direitos

Leia mais

Redes de Computadores I

Redes de Computadores I Redes de Computadores I REDES SEM FIO CARACTERÍSTICAS DE ENLACE LAN S SEM FIO 802.11 Slide 1 Elementos de uma Rede Sem Fio Hospedeiros sem fio Equipamentos de sistemas finais que executam aplicações Enlaces

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Comunicação Wireless Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Maio de 2012 1 / 30 Redes sem Fio Nas redes sem fio (wireless), não exite uma conexão cabeada

Leia mais

Redes de Computadores sem Fio

Redes de Computadores sem Fio Redes de Computadores sem Fio Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Programa Introdução

Leia mais

INF-111 Redes Sem Fio Aula 04 Tecnologias para WLAN Prof. João Henrique Kleinschmidt

INF-111 Redes Sem Fio Aula 04 Tecnologias para WLAN Prof. João Henrique Kleinschmidt INF-111 Redes Sem Fio Aula 04 Tecnologias para WLAN Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, outubro de 2014 Roteiro Introdução Camada física Subcamada MAC Estrutura do quadro Segurança Introdução

Leia mais

Mobilidade em Redes 802.11

Mobilidade em Redes 802.11 Mobilidade em Redes 802.11 Prof. Rafael Guimarães Redes sem Fio Aula 14 Aula 14 Rafael Guimarães 1 / 37 Sumário Sumário 1 Motivação e Objetivos 2 O protocolo MAC 802.11 3 Quadro 802.11 4 802.11: Mobilidade

Leia mais

Comunicação Sem Fio REDES WIRELES. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio 06/05/2014

Comunicação Sem Fio REDES WIRELES. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio 06/05/2014 REDES WIRELES Prof. Marcel Santos Silva Comunicação Sem Fio Usada desde o início do século passado Telégrafo Avanço da tecnologia sem fio Rádio e televisão Mais recentemente aparece em Telefones celulares

Leia mais

Capítulo 6. Redes sem fio e redes móveis

Capítulo 6. Redes sem fio e redes móveis 1 Capítulo 6 Redes sem fio e redes móveis 2 Redes de computadores I Prof.: Leandro Soares de Sousa E-mail: leandro.uff.puro@gmail.com Site: http://www.ic.uff.br/~lsousa Não deixem a matéria acumular!!!

Leia mais

R edes de computadores e a Internet. Capítulo 6. Redes sem fio e redes móveis

R edes de computadores e a Internet. Capítulo 6. Redes sem fio e redes móveis R edes de computadores e a Internet Capítulo Redes sem fio e redes móveis - 2 R edes sem fio e redes móveis Informações gerais: Número de telefones sem fio (móveis) excede atualmente o número de assinantes

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis. Alexandre Augusto Giron

REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis. Alexandre Augusto Giron REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis Alexandre Augusto Giron ROTEIRO Introdução CDMA e CSMA/CA Mobilidade Wi-Fi: LANs sem fio 802.11 Acesso celular à Internet Roteamento móvel IP móvel Segurança

Leia mais

ROTEIRO. Introdução. Introdução. Conceitos. Introdução 07/11/2014. REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis

ROTEIRO. Introdução. Introdução. Conceitos. Introdução 07/11/2014. REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis Alexandre Augusto Giron ROTEIRO Introdução CDMA e CSMA/CA Mobilidade Wi-Fi: LANs sem fio 802.11 Acesso celular à Internet Roteamento móvel IP móvel Segurança

Leia mais

Tecnologias Wireless WWAN Wireless Wide Area Network WLAN Wireless Local Area Network WPAN Wireless Personal Area Network

Tecnologias Wireless WWAN Wireless Wide Area Network WLAN Wireless Local Area Network WPAN Wireless Personal Area Network Fundamentos de Tecnologias Wireless Parte 1 Assunto Tecnologias Wireless Introdução à Wireless LAN Algumas questões e desafios Tecnologias Wireless WWAN Wireless Wide Area Network WLAN Wireless Local Area

Leia mais

Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões

Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões As redes locais sem fio (WLANs) constituem-se como uma alternativa às redes convencionais com fio, fornecendo as mesmas funcionalidades, mas de forma flexível,

Leia mais

Visão geral das redes sem fio

Visão geral das redes sem fio Visão geral das redes sem fio 1 - Introdução O termo redes de dados sem fio pode ser utilizado para referenciar desde dispositivos de curto alcance como o Bluetooth à sistemas de altas taxas de transmissão

Leia mais

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 11: Redes de Computadores Prof.: Roberto Franciscatto REDES - Introdução Conjunto de módulos de processamento interconectados através de um sistema de comunicação, cujo objetivo é compartilhar

Leia mais

Orientações para implantação e uso de redes sem fio

Orientações para implantação e uso de redes sem fio Orientações para implantação e uso de redes sem fio Define requisitos e orientações técnicas para implantação e uso de redes sem fio na Universidade Estadual de Campinas. I. Introdução Este documento apresenta

Leia mais

Redes Locais Sem Fio

Redes Locais Sem Fio Redes Locais Sem Fio Prof. Rafael Guimarães Redes sem Fio Aula 13 Aula 13 Rafael Guimarães 1 / 63 Sumário Sumário 1 Motivação e Objetivos 2 Introdução 3 Terminologia 4 WiFi 5 Arquitetura 802.11 6 Padrões

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores... 1 Mobilidade... 1 Hardware de Rede... 2 Redes Locais - LANs... 2 Redes metropolitanas - MANs... 3 Redes Geograficamente Distribuídas - WANs... 3 Inter-redes... 5 Software de Rede...

Leia mais

EN - 3611 Segurança de Redes Segurança em Redes Sem Fio Prof. João Henrique Kleinschmidt

EN - 3611 Segurança de Redes Segurança em Redes Sem Fio Prof. João Henrique Kleinschmidt EN - 3611 Segurança de Redes Segurança em Redes Sem Fio Prof. João Henrique Kleinschmidt Redes sem fio modo de infraestrutura estação-base conecta hospedeiros móveis à rede com fio infraestrutura de rede

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Padrão IEEE 802.11 Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores IEEE 802.11 Aula 12 Modelo para arquiteturas wireless (1997) Especifica a camada de nível físico (PHY) e seu controle de

Leia mais

Tecnologias Atuais de Redes

Tecnologias Atuais de Redes Tecnologias Atuais de Redes Aula 2 Redes Sem Fio Tecnologias Atuais de Redes - Redes Sem Fio 1 Conteúdo Conceitos e Terminologias Alcance Interferência Padrões Segurança Tecnologias Atuais de Redes - Redes

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Tanenbaum Redes de Computadores Cap. 1 e 2 5ª. Edição Pearson Padronização de sistemas abertos à comunicação Modelo de Referência para Interconexão de Sistemas Abertos RM OSI Uma

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES Tecnologias de Rede Arquitetura Padrão 802.11 Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 Arquitetura Wireless Wi-Fi

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação INF-108 Segurança da Informação Segurança em Redes Sem Fio Prof. João Henrique Kleinschmidt Redes sem fio modo de infraestrutura estação-base conecta hospedeiros móveis à rede com fio infraestrutura de

Leia mais

Redes Wireless. 26/1/07 Rui Santos

Redes Wireless. 26/1/07 Rui Santos Redes Wireless 26/1/07 Rui Santos Índice Introdução Classificação das redes sem fios Padrões Wi-Fi Equipamento necessário Segurança Links 05-02-2007 2 Introdução http://pt.wikipedia.org/wiki/rede_sem_fios

Leia mais

Redes IEEE 802.11. Makoto Miyagawa 1. Manaus Amazonas Brasil

Redes IEEE 802.11. Makoto Miyagawa 1. Manaus Amazonas Brasil Redes IEEE 802.11 Makoto Miyagawa 1 1 Faculdade de Tecnologia Universidade Federal do Amazonas Manaus Amazonas Brasil Resumo. A mobilidade oferecida pelas redes sem fio aos usuários, aliada ao baixo custo

Leia mais

802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA

802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ 802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA Nome: Micaella Coelho Valente de Paula Matrícula: 201207115071 2 o Período Contents 1 Introdução 2 2 802.11 3 3 Seu Funcionamento 3 4 História 4

Leia mais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Conteúdo deste módulo Equipamentos usados nas Redes; Modelos de Camadas; Protocolos

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ CURSO DE REDES DE COMPUTADORES PROFESSOR MARCELO BERRÊDO NOTAS DE AULA PADRÃO IEEE 802.11 REVISÃO ABRIL/2004 IEEE 802.11 WIRELESS LAN 1. INTRODUÇÃO O Grupo de trabalho IEEE 802.11

Leia mais

Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk. Camada Física: Redes Sem Fio. Equipamentos de Rede. O que já conhecemos.

Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk. Camada Física: Redes Sem Fio. Equipamentos de Rede. O que já conhecemos. Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Camada Física: Redes Sem Fio Equipamentos de Rede O que já conhecemos. Cabos; Atenas; Tipos de transmissão; 1 O que vamos conhecer. Equipamentos

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

Wireless LAN (IEEE 802.11x)

Wireless LAN (IEEE 802.11x) Wireless LAN (IEEE 802.11x) WLAN: Wireless LAN Padrão proposto pela IEEE: IEEE 802.11x Define duas formas de organizar redes WLAN: Ad-hoc: Sem estrutura pré-definida. Cada computador é capaz de se comunicar

Leia mais

Aula Prática 10 - Configuração Básica de Rede Wi-Fi

Aula Prática 10 - Configuração Básica de Rede Wi-Fi Aula Prática 10 - Configuração Básica de Rede Wi-Fi Equipamento: O equipamento utilizado nesta demonstração é um roteador wireless D-Link modelo DI-524, apresentado na figura abaixo. A porta LAN desse

Leia mais

Camada de Enlace de Dados - Apêndice. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Camada de Enlace de Dados - Apêndice. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Camada de Enlace de Dados - Apêndice Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Endereço MAC; ARP Address Resolution Protocol; DHCP Dynamic Host Configuration Protocol; Ethernet Estrutura do quadro Ethernet;

Leia mais

Protocolo wireless Ethernet

Protocolo wireless Ethernet Protocolo wireless Ethernet Conceituar as variações de redes sem fio (wireless) descrevendo os padrões IEEE 802.11 a, b, g e n. Em meados de 1986, o FCC, organismo norte-americano de regulamentação, autorizou

Leia mais

Rede de Computadores II

Rede de Computadores II Rede de Computadores II Slide 1 Mobilidade Rede de Computadores II Espectro da mobilidade, do ponto de vista da rede: Slide 2 Mobilidade - Jargão Rede Nativa (Home Network), residência permanente de um

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Redes Sem Fio Fabricio Breve Tipos de transmissão sem fio Rádio Infravermelho Laser Aplicações Em ambientes internos: Ideal para situações onde não é possível utilizar cabeamento

Leia mais

Capítulo 6 Redes sem fio e Redes móveis

Capítulo 6 Redes sem fio e Redes móveis Redes de Computadores DCC/UFJF Capítulo 6 Redes sem fio e Redes móveis Material fortemente baseado nos slides do livro: Computer Networking: A Top-Down Approach Featuring the Internet. Os slides foram

Leia mais

Redes de Computadores I ENLACE: PPP ATM

Redes de Computadores I ENLACE: PPP ATM Redes de Computadores I ENLACE: PPP ATM Enlace Ponto-a-Ponto Um emissor, um receptor, um enlace: Sem controle de acesso ao meio; Sem necessidade de uso de endereços MAC; X.25, dialup link, ISDN. Protocolos

Leia mais

15/02/2015. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

15/02/2015. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Topologias de Redes; Meios de Transmissão; Arquitetura de Redes; Conteúdo deste

Leia mais

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede Rede de Computadores Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações nos

Leia mais

Proposta de Implementação de hotspot wireless na Unipac -Campus Magnus

Proposta de Implementação de hotspot wireless na Unipac -Campus Magnus Proposta de Implementação de hotspot wireless na Unipac -Campus Magnus Daniel Ferreira Silva 1, Luis Augusto Mattos Mendes 2 Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Universidade Presidente Antônio

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - WPAN: Bluetooth www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Bluetooth (IEEE 802.15.1) O Bluetooth é o nome comercial que faz referência ao Padrão IEEE 802.15.1

Leia mais

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com Wireless Leandro Ramos www.professorramos.com Redes Wireless Interferências Access-Point / ROUTER Wireless Ponto de Acesso Numa rede wireless, o hub é substituído pelo ponto de acesso (access-point em

Leia mais

Redes de Computadores e a Internet

Redes de Computadores e a Internet Redes de Computadores e a Internet Magnos Martinello Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática - DI Laboratório de Pesquisas em Redes Multimidia - LPRM 2010 Introdução Redes

Leia mais

Capítulo 6 Redes sem fio e redes móveis

Capítulo 6 Redes sem fio e redes móveis Capítulo 6 Redes sem fio e redes móveis Nota sobre o uso destes slides ppt: Estamos disponibilizando estes slides gratuitamente a todos (professores, alunos, leitores). Eles estão em formato do PowerPoint

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores 3º Ano Sistemas de Informação 2008 Aula 06: Redes Sem Fio Prof. Msc. Ricardo Slavov ricardo.slavov@aes.edu.br Roteiro Pedagógico http://www.navegueprotegido.org Introdução Sem fio

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Capítulo 8: Segurança de Redes Sem Fio Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução Uma Wireless LAN (WLAN) é uma rede local sem fio padronizada pelo IEEE 802.11.

Leia mais

1.1 CONCEITOS BÁSICOS

1.1 CONCEITOS BÁSICOS 1.1 CONCEITOS BÁSICOS PADRÕES 802.11a 802.11b 802.11g 802.11n TRANSMISSÃO VIA RÁDIO E INTERFERÊNCIA - ALCANCE DA REDE SEM FIO SEGURANÇA WEP (WIRED EQUIVALENT PRIVACY) - - - - - - WPA E WPA2 (WI-FI PROTECTED

Leia mais

Soluções de Segurança em ambientes heterogêneos

Soluções de Segurança em ambientes heterogêneos 2013 Soluções de Segurança em ambientes heterogêneos Protocolos de Segurança de Redes WI-FI Este documento destina-se a ser uma resenha crítica tendo como base o texto Entenda WEP e WPA, protocolos de

Leia mais

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Magistério Superior Especialista em Docência para Educação

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais

Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour

Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour WLAN: Parte II Controle de Acesso ao Meio e Segurança Padrões WLAN: WiFi Define duas formas de organizar redes WLAN: Ad-hoc: Apenas computadores computadores

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br. Prof. BRUNO GUILHEN

APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br. Prof. BRUNO GUILHEN APRESENTAÇÃO DO CURSO Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br Prof. BRUNO GUILHEN MÓDULO I - INTERNET Aula 01 O processo de Navegação na Internet. O processo de Navegação na Internet A CONEXÃO USUÁRIO

Leia mais

Guia das Cidades Digitais

Guia das Cidades Digitais Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Módulo 4: Tecnologia Wi-Fi INATEL Competence Center treinamento@inatel.br Tel: (35) 3471-9330 Este módulo trata da tecnologia de acesso sem fio mais amplamente

Leia mais

INF-111 Redes Sem Fio Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt

INF-111 Redes Sem Fio Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt INF-111 Redes Sem Fio Aula 01 Introdução Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, setembro de 2014 Roteiro PARTE I Apresentação da Disciplina PARTE II Introdução à Redes Sem Fio Apresentação do Professor

Leia mais

802.11a 802.11b 802.11g 802.11n Domínio de colisão Domínio de broadcast

802.11a 802.11b 802.11g 802.11n Domínio de colisão Domínio de broadcast 802.11a Chega a alcançar velocidades de 54 Mbps dentro dos padrões da IEEE. Esta rede opera na frequência de 5 GHz e inicialmente suporta 64 utilizadores por Ponto de Acesso (PA). As suas principais vantagens

Leia mais

Wireless Red e e d s e s s e s m e m fi f o

Wireless Red e e d s e s s e s m e m fi f o Wireless Redes sem fio A tecnologia Wireless (sem fio) permite a conexão entre diferentes pontos sem a necessidade do uso de cabos (nem de telefonia, nem de TV a cabo, nem de fibra óptica), através da

Leia mais

Redes de Computadores I

Redes de Computadores I Redes de Computadores I Nível de Enlace (Redes Ethernet & WiFi) por Helcio Wagner da Silva. p.1/35 Introdução A Arquitetura TCP/IP não define muito bem o que deve haver no Nível de Host/rede. Neste contexto,

Leia mais

Configurações do adaptador W-U3300nL

Configurações do adaptador W-U3300nL Configurações do adaptador W-U3300nL Introdução Obrigado por adquirir o adaptador para rede sem fio C3 Tech. Apresentando o que há de melhor em Tecnologia Wireless, o Adaptador para Rede Sem Fio C3 Tech

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

TELECOMUNICAÇÕES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 4 - Padrão 802.11 - WIRELESS 1. INTRODUÇÃO O padrão IEEE 802.11 estabelece os padrões para redes locais sem fio. O modelo tem como premissa o funcionamento da rede de duas formas: - Na presença

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula Complementar - MODELO DE REFERÊNCIA OSI Este modelo se baseia em uma proposta desenvolvida pela ISO (International Standards Organization) como um primeiro passo em direção a padronização dos protocolos

Leia mais

O processo de Navegação na Internet APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. O Internet Explorer INFORMÁTICA BÁSICA

O processo de Navegação na Internet APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN. O Internet Explorer INFORMÁTICA BÁSICA APRESENTAÇÃO DO CURSO Prof. BRUNO GUILHEN O processo de Navegação na Internet INFORMÁTICA BÁSICA A NAVEGAÇÃO Programas de Navegação ou Browser : Internet Explorer; O Internet Explorer Netscape Navigator;

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA

Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/BA Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Rafael Freitas Reale Aluno: Data / / Prova Final de Redes Teoria Base 1) Qual o tipo de ligação e a topologia respectivamente

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M MORAES, C. C. Engenharia de Automação Industrial, Cap. 6 Tanenbaum, Redes de Computadores, Cap. 1.2 AGUIRRE, L. A. Enciclopédia da Automática, Volume II, Cap. 15.3 Escravo é um

Leia mais

Roteador Sem Fio. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Roteador Sem Fio. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Roteador Sem Fio Prof. Marciano dos Santos Dionizio Roteador Sem Fio Um roteador wireless é um dispositivo de redes que executa a função de um roteador mas também inclui as funções de um access point.

Leia mais

Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco. Jonas Odorizzi. Curso de Redes e Segurança de Sistemas. Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco. Jonas Odorizzi. Curso de Redes e Segurança de Sistemas. Pontifícia Universidade Católica do Paraná Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco Jonas Odorizzi Curso de Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Abril de 2010 RESUMO Este artigo tem o objetivo

Leia mais

Manual do Usuário - Repetidor M300EW

Manual do Usuário - Repetidor M300EW ÍNDICE 1. Introdução... 1 1.1.Sobre o Repetidor Wireless M300EW... 1 1.2..Ethernet / Fast Ethernet... 1 1.3.Wireless LAN... 1 1.4..Conteúdo da Embalagem... 1 1.5.Características... 1 1.6..Requisitos de

Leia mais

ANÁLISE DE REDES HIERÁRQUICAS PARA ATENDIMENTO DE LOCAIS REMOTOS

ANÁLISE DE REDES HIERÁRQUICAS PARA ATENDIMENTO DE LOCAIS REMOTOS ANÁLISE DE REDES HIERÁRQUICAS PARA ATENDIMENTO DE LOCAIS REMOTOS Fabiana da Silva Podeleski Faculdade de Engenharia Elétrica CEATEC podeleski@yahoo.com.br Prof. Dr. Omar Carvalho Branquinho Grupo de Pesquisa

Leia mais

Redes de Computadores sem Fio

Redes de Computadores sem Fio Redes de Computadores sem Fio Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Programa Introdução

Leia mais

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS INFORMÁTICA PARA CONCURSOS Prof. BRUNO GUILHEN Vídeo Aula VESTCON MÓDULO I - INTERNET Aula 01 O processo de Navegação na Internet. A CONEXÃO USUÁRIO PROVEDOR EMPRESA DE TELECOM On-Line A conexão pode ser

Leia mais

Redes sem fio e interligação com redes cabeadas UNIP. Renê Furtado Felix. rffelix70@yahoo.com.br

Redes sem fio e interligação com redes cabeadas UNIP. Renê Furtado Felix. rffelix70@yahoo.com.br e interligação com redes cabeadas UNIP rffelix70@yahoo.com.br A comunicação portátil tornou-se uma expectativa em muitos países em todo o mundo. Existe portabilidade e mobilidade em tudo, desde teclados

Leia mais

Sistemas de Comunicação. WLANs Prof. Paulo Gonçalves pasg@cin.ufpe.br www.cin.ufpe.br/~pasg CIn/UFPE

Sistemas de Comunicação. WLANs Prof. Paulo Gonçalves pasg@cin.ufpe.br www.cin.ufpe.br/~pasg CIn/UFPE Sistemas de Comunicação WLANs Prof. Paulo Gonçalves pasg@cin.ufpe.br www.cin.ufpe.br/~pasg CIn/UFPE INTRODUÇÃO Introdução 1-2 O que é uma LAN? E uma WLAN? LAN: Local Area Network Rede Local Rede de dados

Leia mais

Cap. 1 Introdução. Redes sem Fio e Sistemas Móveis de Computação. Prof. Eduardo Barrére. Material Base: Marcelo Moreno. eduardo.barrere@ice.ufjf.

Cap. 1 Introdução. Redes sem Fio e Sistemas Móveis de Computação. Prof. Eduardo Barrére. Material Base: Marcelo Moreno. eduardo.barrere@ice.ufjf. Redes sem Fio e Sistemas Móveis de Computação Cap. 1 Introdução Prof. Eduardo Barrére eduardo.barrere@ice.ufjf.br Material Base: Marcelo Moreno Dep. Ciência da Computação 1 Computação Móvel Computação

Leia mais

Na implantação de um projeto de rede sem fio existem dois personagens:

Na implantação de um projeto de rede sem fio existem dois personagens: Redes Sem Fio Instalação Na implantação de um projeto de rede sem fio existem dois personagens: O Projetista é o responsável: Cálculo dos link e perdas Site survey (levantamento em campo das informações)

Leia mais

Brampton Telecom, PhD em Engenharia de Telecomunicações (Unicamp).

Brampton Telecom, PhD em Engenharia de Telecomunicações (Unicamp). Wireless LAN (WLAN) Este tutorial apresenta alguns aspectos da arquitetura e protocolos de comunicação das Redes Locais sem fio, ou Wireless Local Area Networks (WLAN's), que são baseados no padrão IEEE

Leia mais

Unidade 2.3 Visão Geral de Protocolos de Redes

Unidade 2.3 Visão Geral de Protocolos de Redes Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2.3 Visão Geral de Protocolos de Redes 2 Bibliografia

Leia mais

REDES SEM FIO COM MIKROTIK ALTAIR M. SOUZA

REDES SEM FIO COM MIKROTIK ALTAIR M. SOUZA REDES SEM FIO COM MIKROTIK ALTAIR M. SOUZA Routerboard RB 433 Routerboard RB 750 Routerboard RB 1100 AH Redes Wireless Wireless, provém do inglês: wire (fio, cabo); less (sem); ou seja: sem fios. Utiliza

Leia mais

19/07/2013. Camadas. Camadas de Enlace e Física. Camadas de Enlace e Física. Topologias de Rede NOÇÕES DE REDE: CAMADAS DE ENLACE E FÍSICA

19/07/2013. Camadas. Camadas de Enlace e Física. Camadas de Enlace e Física. Topologias de Rede NOÇÕES DE REDE: CAMADAS DE ENLACE E FÍSICA 2 Camadas NOÇÕES DE REDE: CAMADAS DE ENLACE E FÍSICA Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima Universidade Federal Rural de Pernambuco Departamento de Estatística e Informática Aplicação Transporte

Leia mais

Compartilhamento de Internet/ Wireless. Wilson Rubens Galindo

Compartilhamento de Internet/ Wireless. Wilson Rubens Galindo Compartilhamento de Internet/ Wireless Wilson Rubens Galindo Compartilhamento de Internet Ganhe dinheiro fácil com compartilhamento de Internet: Habilite um plano de Internet Banda Larga Compre um hub-switch

Leia mais

WPAN ZigBee & Bluetooth SDIC Cap6. Redes Sem Fios

WPAN ZigBee & Bluetooth SDIC Cap6. Redes Sem Fios Redes Sem Fios As recomendações do IEEE (Institute of Electrical and Eletronics Engineers), particularmente as recomendações da série IEEE 802.11, são os exemplos mais conhecidos para os padrões de redes

Leia mais

Introdução a Redes de Computadores. Professor Machado

Introdução a Redes de Computadores. Professor Machado Introdução a Redes de Computadores Professor Machado 1 O que é uma rede de computadores? Uma rede de computadores é um conjunto de computadores autônomos, interconectados, capazes de trocar informações

Leia mais

IEEE 802.11a. IEEE 802.11b. IEEE 802.11a/b/g. IEEE 802.11g. IEEE 802.11n 23/09/2015. Histórico Funcionamento Padrões Equipamentos Wimax PLC

IEEE 802.11a. IEEE 802.11b. IEEE 802.11a/b/g. IEEE 802.11g. IEEE 802.11n 23/09/2015. Histórico Funcionamento Padrões Equipamentos Wimax PLC Redes de Computadores Fabricio Alessi Steinmacher Histórico Funcionamento Padrões Wimax PLC H I S T Ó R I C O Wire (cabo, fio) + Less (sem) IEEE 802.11a IEEE 802.11b IEEE 802.11g IEEE 802.11n Faixa 5GHZ

Leia mais

Transmissão através de pulsos elétricos. Pode ser não blindado (UTP unshielded twisted pair) ou blindado (STP shielded twisted pair).

Transmissão através de pulsos elétricos. Pode ser não blindado (UTP unshielded twisted pair) ou blindado (STP shielded twisted pair). CONCEITOS INICIAIS REDE: LINK: NÓ: PROTOCOLO: Conceitos iniciais Dois ou mais nós, interligados entre si através de um link de transmissão, utilizando protocolos de comunicação. Vantagens de uso de rede:

Leia mais

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos MÓDULO 7 Modelo OSI A maioria das redes são organizadas como pilhas ou níveis de camadas, umas sobre as outras, sendo feito com o intuito de reduzir a complexidade do projeto da rede. O objetivo de cada

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

15/02/2015. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

15/02/2015. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES www.professormarcelomoreira.com.br falecom@professormarcelomoreira.com.br Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Topologias

Leia mais

MAXXSTATION MIMO 5 GHz 802.11a/n 300Mbps 5GHz MIMO 2x2 Wireless CPE Router

MAXXSTATION MIMO 5 GHz 802.11a/n 300Mbps 5GHz MIMO 2x2 Wireless CPE Router Manual do Usuário MAXXSTATION MIMO 5 GHz 802.11a/n 300Mbps 5GHz MIMO 2x2 Wireless CPE Router Versão 1.0 Última atualização Março 2013. 1 Introdução Obrigado por adquirir o MaxxStation MIMO 5 GHz. Esse

Leia mais

Bateria REDES MPU Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com/blog http://twitter.com/timasters http://br.groups.yahoo.com/group/timasters/

Bateria REDES MPU Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com/blog http://twitter.com/timasters http://br.groups.yahoo.com/group/timasters/ Bateria REDES MPU Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com/blog http://twitter.com/timasters http://br.groups.yahoo.com/group/timasters/ STJ 2008 Com relação a transmissão de dados, julgue os itens

Leia mais

Composição. Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes

Composição. Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes Composição Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes Aterramento Fio de boa qualidade A fiação deve ser com aterramento neutro (fio Terra) trabalhando em tomadas tripolares Fio negativo,

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Rede É um conjunto de computadores chamados de estações de trabalho que compartilham recursos de hardware (HD,

Leia mais

ARP. Tabela ARP construída automaticamente. Contém endereço IP, endereço MAC e TTL

ARP. Tabela ARP construída automaticamente. Contém endereço IP, endereço MAC e TTL ARP Protocolo de resolução de endereços (Address Resolution Protocol) Descrito na RFC 826 Faz a tradução de endereços IP para endereços MAC da maioria das redes IEEE 802 Executado dentro da sub-rede Cada

Leia mais

SIMULADO ENADE 2011 5º Semestre 2ª parte Curso Tecnológico em Redes de Computadores

SIMULADO ENADE 2011 5º Semestre 2ª parte Curso Tecnológico em Redes de Computadores SIMULADO ENADE 2011 5º Semestre 2ª parte Curso Tecnológico em Redes de Computadores ALUNO(A): DATA DE APLICAÇÃO: PONTUAÇÃO OBTIDA: Prezados (as) alunos (as), Vocês estão recebendo o caderno do Simulado

Leia mais

A solução objetiva conjugar a operação dos mecanismos internos do Padrão IEEE 802.11b com uma autenticação externa, utilizando o Padrão IEEE 802.1x.

A solução objetiva conjugar a operação dos mecanismos internos do Padrão IEEE 802.11b com uma autenticação externa, utilizando o Padrão IEEE 802.1x. 1 Introdução A comunicação de dados por redes sem fio (Wireless Local Area Network - WLAN - Padrão IEEE 802.11b) experimenta uma rápida expansão tecnológica, proporcionando novas soluções para serem implementadas

Leia mais

Segurança de Redes de Computadores. Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br ricardo.souza@ifpa.edu.br

Segurança de Redes de Computadores. Ricardo José Cabeça de Souza www.ricardojcsouza.com.br ricardo.souza@ifpa.edu.br Segurança de Redes de Computadores Ricardo José Cabeça de Souza Sumário Antenas Servidor DHCP Protocolos de Segurança Configurar AP Configurar Roteador Antenas Antenas ANTENAS São dispositivos passivos,

Leia mais

Conexão Sem Fio Guia do Usuário

Conexão Sem Fio Guia do Usuário Conexão Sem Fio Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. Bluetooth é marca comercial dos respectivos

Leia mais

AULA 9: REDES SEM FIO

AULA 9: REDES SEM FIO AULA 9: REDES SEM FIO Objetivo: Detalhar conceitos sobre a aplicação, configuração, métodos utilizados para autenticação de usuários e segurança de acesso a redes sem fio. Ferramentas: - Emuladores de

Leia mais