O MULTICULTURALISMO E OS DIREITOS DE COTAS NA EDUCAÇÃO.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O MULTICULTURALISMO E OS DIREITOS DE COTAS NA EDUCAÇÃO."

Transcrição

1 O MULTICULTURALISMO E OS DIREITOS DE COTAS NA EDUCAÇÃO. SANTOS, Gustavo Abrahão Dos 1 A diversidade cultural entre os discentes nas escolas brasileiras é repleta de características sócio econômicas, aos quais levam a esta reflexão referente ao multiculturalismo e os direitos de cotas na educação, ora previsto na Lei Federal nº de 29 de agosto de 2012, regulamentada no Decreto nº de 11 de outubro de 2012, e que possui regras específicas estabelecidas na Portaria nº 18 do Ministério da Educação MEC, fixadas também em 11 de outubro de Elucida-se que o nosso país por conter um extenso território, apresenta diferenças climáticas, econômicas, sociais e culturais as suas regiões, sendo registradas tais diferenças em pesquisas pelo Instituto Brasileiro de Geografia Econômica - IBGE. Neste compasso, a diversidade cultural existe nos diferentes níveis de escolaridade, religião, passando pela culinária e pratos típicos, bem como vestimentas e festas regionais, chegando as inúmeras etnias e faixas de renda per capita familiar que compõe a população brasileira. A problemática que a sociedade passa nos dias atuais, deve-se ao contexto da globalização ao qual por um lado afirma uma sociedade de exclusão, e por outro lado movimentos pela igualdade. É nessa luta pelo bem comum da sociedade que educadores as tomam como desafio, para construir métodos que proporcionem oportunidade para a compreensão e aceitação da diversidade cultural, e nas diferentes realidades sociais, onde de forma parceira com a comunidade possam junto superar o conflito que paira entorno da escola. O fazer construir e o repensar o espaço sociocultural que está ao redor é um meio para que o educador enfatize na escola uma reflexão crítica sobre a realidade em que a mesma se encontra. Nesse sentido, quando a escola reconhece que as diferenças culturais existem, e aborda temas para repensar a cidadania em sala de aula, faz nascer a reflexão do direito de 1 Advogado, professor universitário, pós graduado em Direito Empresarial e pós graduando em Ética, Cidadania e Valores. 1

2 igualdade entre as mais diversas etnias, bem como passa a existir um ensejo de várias comunidades em diminuir a desvantagens, desigualdades, a discriminação social de gênero, raça, opção sexual e de origem regional e econômica. Verifica-se que é a escola ao tomar a diversidade e a singularidade como objeto de estudo e conscientização na busca da aceitação do diferente, a mesma estará assumindo uma ação de multiculturalismo. Neste diapasão, dentro da diversidade cultural brasileira temos corrente literária de doutrinadores na educação que se convencionou a chamar de multicultural, as várias características sociais e os problemas de governabilidade, apresentados na sociedade em diferentes comunidades culturais que convivem e tentam construir uma vida em comum. No multiculturalismo existe uma crítica à exclusão social e política diante dos privilégios de algumas hierarquias existentes na nossa sociedade. Dessa forma, necessário se torna pelo Estado brasileiro, a realização de estratégias e políticas adotadas para governar ou administrar problemas de diversidade e multiplicidade gerados pelas sociedades multiculturais. Evidentemente que na educação o multiculturalismo está presente e faz pensar uma sociedade mais justa e igual, pois são nas salas de aulas que estão jovens de inúmeras comunidades com diversas culturas e etnias, que almejam um lugar no mercado de trabalho, e para tanto, necessitam de formação técnica ou superior, mas não possuem condições sociais e econômicas de continuar a estudar em escolas privadas de ensino técnico e superior. Nessa perspectiva, o governo brasileiro absorveu a inclusão do multiculturalismo na educação pública, e materializou mais um direito fundamental de igualdade entre os cidadãos presente em nossa Carta Magna de 1988, ora a Lei Federal nº de 29 de agosto de 2012, regulamentada no Decreto nº de 11 de outubro de 2012, e que possui regras específicas estabelecidas na Portaria nº 18 do Ministério da Educação MEC, editada na mesma data do Decreto, denominada Lei de Cotas da Educação. Em que pese os inúmeros diplomas legais de direitos difusos e coletivos brasileiros que proclamam os direitos fundamentais e sociais, esta é a grande novidade da legislação social brasileira em Deve se ressaltar na legislação de cotas na educação acima declinada, que o direito se aplica as instituições federais de educação superior e de nível técnico vinculada ao Ministério da Educação, que ora reservarão, em cada concurso seletivo para ingresso nos cursos de graduação ou de nível técnico federal, por curso e turno, no mínimo 50% (cinquenta por cento) de suas vagas para estudantes que tenham cursado integralmente o ensino médio, e respectivamente, o ensino fundamental em escolas públicas. 2

3 Para ter este direito a cotas na educação no ensino superior e médio técnico federal, os estudantes de escolas públicas no ensino médio e respectivamente, no ensino fundamental, devem se autodeclarar pretos, pardos e indígenas em proporção no mínimo igual à de pretos, pardos e indígenas na população da unidade da Federação onde está instalada a instituição, segundo o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). E ainda, é necessário que os estudantes sejam oriundos de famílias com renda igual ou inferior a 1,5 salário mínimo (um salário-mínimo e meio) per capita. Dentro das regras da legislação de cotas na educação temos algo fundamental e que elimina os estudantes condicionados a legislação de cotas na educação, ora a questão das condições para concorrer às vagas reservadas de egresso de escola pública. O artigo 5º da Portaria 18 do Ministério da educação condiciona que, tão somente, poderão concorrer às vagas reservadas para os cursos de graduação, os estudantes que: a) tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas, em cursos regulares ou no âmbito da modalidade de Educação de Jovens e Adultos; ou b) tenham obtido certificado de conclusão com base no resultado do Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM, do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos - ENCCEJA ou de exames de certificação de competência ou de avaliação de jovens e adultos realizados pelos sistemas estaduais de ensino. Já quanto aos estudantes para as vagas reservadas aos cursos técnicos de nível médio, podem concorrer os estudantes que: a) tenham cursado integralmente o ensino fundamental em escolas públicas, em cursos regulares ou no âmbito da modalidade de Educação de Jovens e Adultos; ou b) tenham obtido certificado de conclusão com base no resultado do ENCCEJA ou de exames de certificação de competência ou de avaliação de jovens e adultos realizados pelos sistemas estaduais de ensino. Outra condição importante de egresso nas cotas do ensino superior e técnico federal, utilizada quanto ao preenchimento de vagas reservadas as cotas de estudantes oriundos de escolas públicas é a renda per capita familiar igual ou inferior a 1,5 salário mínimo (um salário-mínimo e meio) per capita, ora disposta no artigo 7º da Portaria 18 do Ministério da Educação, quanto a forma de apuração da renda familiar bruta mensal per capita. A apuração ocorre da seguinte forma: primeiramente, calcula-se a soma dos rendimentos brutos auferidos por todas as pessoas da família a que pertence o estudante, levando-se em conta, no mínimo, os três meses anteriores à data de inscrição do estudante no concurso seletivo da instituição federal de ensino; posteriormente, calcula-se a média mensal dos rendimentos brutos apurados e divide-se o valor apurado após a aplicação do cálculo da média mensal dos rendimentos brutos apurados pelo número de pessoas da família do estudante. 3

4 Observa-se que no cálculo da soma dos rendimentos brutos auferidos por todas as pessoas da família a que pertence o estudante, serão computados os rendimentos de qualquer natureza percebidos pelas pessoas da família, a título regular ou eventual, inclusive aqueles provenientes de locação ou de arrendamento de bens móveis e imóveis, excluídos os valores percebidos a título de auxílios para alimentação e transporte, diárias e reembolsos de despesas, adiantamentos e antecipações, estornos e compensações referentes a períodos anteriores, indenizações decorrentes de contratos de seguros, indenizações por danos materiais e morais por força de decisão judicial, bem como excluídos estão os rendimentos percebidos do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil, do Programa Agente Jovem de Desenvolvimento Social e Humano, do Programa Bolsa Família e os programas remanescentes nele unificados, do Programa Nacional de Inclusão do Jovem - Pró-Jovem, do Auxílio Emergencial Financeiro e outros programas de transferência de renda destinados à população atingida por desastres, residente em Municípios em estado de calamidade pública ou situação de emergência, e do) demais programas de transferência condicionada de renda implementados por Estados, Distrito Federal ou Municípios. A seriedade desta legislação federal de cotas na educação é tamanha para igualar os direitos dos estudantes de escolas públicas e os demais estudantes, que a apuração e a comprovação da renda familiar bruta mensal per capita tomarão por base as informações prestadas e os documentos fornecidos pelo estudante, em procedimento de avaliação sociais e econômicas a ser disciplinado em edital próprio de cada instituição federal de ensino, bem como a prestação de informação falsa pelo estudante, apurada posteriormente à matrícula, em procedimento que lhe assegure o contraditório e a ampla defesa, ensejará o cancelamento de sua matrícula na instituição federal de ensino, sem prejuízo das sanções penais eventualmente cabíveis. Quanto ao preenchimento das vagas reservadas, a Portaria nº 18 do Ministério da Educação MEC inovou quanto ao preenchimento dos 50% (cinquenta por cento) das cotas reservadas a estudantes egressos de escolas públicas, ao permitir que estudantes advindos de escolas públicas e com renda familiar superior a renda per capita de 1,5 salário mínimo (um salário mínimo e meio) ficassem na frente dos demais estudantes de escola privada quanto a ordem de preenchimento das vagas destinadas a cota dos egressos da escola pública, fato que levou os demais estudantes das escolas privadas a protestarem recentemente nas ruas, avenidas e praças de nosso país. È neste sentido que preceitua o artigo 14 da Portaria nº 18 do MEC, sendo as vagas preenchidas segundo a ordem de classificação, de acordo com as notas obtidas pelos estudantes dentro de cada um dos seguintes grupos de inscritos: primeiro os 4

5 estudantes egressos de escola pública, com renda familiar bruta igual ou inferior a 1,5 (um vírgula cinco) salário-mínimo per capita: a) que se autodeclararam pretos, pardos e indígenas; b) que não se autodeclararam pretos, pardos e indígenas; E depois, os estudantes egressos de escolas públicas, com renda familiar bruta superior a 1,5 (um vírgula cinco) salário mínimo per capita: a) que se autodeclararam pretos, pardos e indígenas; b) que não se autodeclararam pretos, pardos e indígenas. E por último, os demais estudantes em havendo vagas destinadas aos 50% das cotas reservadas para a sócio etnia dos estudantes de escolas públicas. Concluindo, particularmente, acredito que a legislação de cotas na educação é justa, pois se a cota é 50% (cinquenta por cento) para estudantes ingressos de escolas públicas, as regras de etnia e de renda per capita familiar são utilizadas como critérios de ordem na classificação do percentual dos 50% (cinquenta por cento) da cota destinada a estudantes de escola pública, fato é que não sendo por motivos de etnia ou sócio econômicos, temos o direito de igualdade de acesso ao ensino público federal para os estudantes de escolas públicas e os demais estudantes, fazendo valer a questão social e o multiculturalismo existente na nossa sociedade. Fonte: Lei Federal nº de 29 de agosto de Decreto nº de 11 de outubro de 2012 Portaria nº 18 do Ministério da Educação MEC, de 11 de outubro de

PORTARIA NORMATIVA No 18, DE 11 DE OUTUBRO DE 2012

PORTARIA NORMATIVA No 18, DE 11 DE OUTUBRO DE 2012 PORTARIA NORMATIVA No 18, DE 11 DE OUTUBRO DE 2012 Dispõe sobre a implementação das reservas de vagas em instituições federais de ensino de que tratam a Lei no 12.711, de 29 de agosto de 2012, e o Decreto

Leia mais

Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 18, DE 11 DE OUTUBRO DE 2012

Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 18, DE 11 DE OUTUBRO DE 2012 Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 18, DE 11 DE OUTUBRO DE 2012 Dispõe sobre a implementação das reservas de vagas em instituições federais de ensino de que tratam a Lei

Leia mais

CANDIDATO: Gostaria de saber o que é o Sistema de Reserva de Vagas.

CANDIDATO: Gostaria de saber o que é o Sistema de Reserva de Vagas. CANDIDATO: Gostaria de saber o que é o Sistema de Reserva de Vagas. COMPERVE: É um sistema criado pelo Governo que destina um percentual de vagas para alunos de escola pública. No caso da Escola de Enfermagem

Leia mais

ANEXO III DECLARAÇÃO DE EGRESSO DE ESCOLA PÚBLICA (TERMO DE ESCOLA PÚBLICA) Assinatura do candidato/ responsável legal Local e Data:

ANEXO III DECLARAÇÃO DE EGRESSO DE ESCOLA PÚBLICA (TERMO DE ESCOLA PÚBLICA) Assinatura do candidato/ responsável legal Local e Data: ANEXO III DECLARAÇÃO DE EGRESSO DE ESCOLA PÚBLICA (TERMO DE ESCOLA PÚBLICA) Eu,, portador(a) do CPF:, aprovado(a) dentro das vagas reservadas para o curso, câmpus, do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº. 35/2012 Estabelece sistema de reserva de vagas no Processo Seletivo da UFES para ingresso nos cursos de graduação. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO

Leia mais

ANEXO III - Procedimentos para cálculo e apuração da renda familiar bruta mensal per capita

ANEXO III - Procedimentos para cálculo e apuração da renda familiar bruta mensal per capita ANEXO III - Procedimentos para cálculo e apuração da renda familiar bruta mensal per capita 1. A renda familiar bruta mensal per capita, para fins de verificação da Ação Afirmativa 1A e Ação Afirmativa

Leia mais

ANEXO IV - Procedimentos para cálculo e apuração da renda familiar bruta mensal per capita

ANEXO IV - Procedimentos para cálculo e apuração da renda familiar bruta mensal per capita ANEXO IV - Procedimentos para cálculo e apuração da renda familiar bruta mensal per capita 1. A renda familiar bruta mensal per capita, para fins de verificação da Ação Afirmativa 1A e Ação Afirmativa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS - UFLA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PRG DIRETORIA DE PROCESSOS SELETIVOS - DIPS EDITAL COMPLEMENTAR Nº 155 DIPS/UFLA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS - UFLA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PRG DIRETORIA DE PROCESSOS SELETIVOS - DIPS EDITAL COMPLEMENTAR Nº 155 DIPS/UFLA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS - UFLA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PRG DIRETORIA DE PROCESSOS SELETIVOS - DIPS EDITAL COMPLEMENTAR Nº 155 DIPS/UFLA A Universidade Federal de Lavras (UFLA), em cumprimento

Leia mais

QUADRO RESUMO. Figura: Fonte UOL. Segundo o IBGE, a soma do percentual de pretos, pardos e indígenas no estado de Minas Gerais é de 53,6%.

QUADRO RESUMO. Figura: Fonte UOL. Segundo o IBGE, a soma do percentual de pretos, pardos e indígenas no estado de Minas Gerais é de 53,6%. O IFMG E A LEI DAS COTAS Atendendo a Lei nº 12.711 de 29/08/2012, o Decreto nº 7.284 de 11/10/2012 e a Portaria Normativa nº 18 MEC de 11/10/2012 o IFMG reservará, no Vestibular e Exame de Seleção 2013/2,

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A COMPROVAÇÃO DE RENDA NO PROCESSO SELETIVO UFFS/2014

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A COMPROVAÇÃO DE RENDA NO PROCESSO SELETIVO UFFS/2014 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A COMPROVAÇÃO DE RENDA NO PROCESSO SELETIVO UFFS/2014 1. Em quais opções de escolha preciso comprovar a renda? Conforme o EDITAL Nº 572/UFFS/2013 - PROCESSO SELETIVO UFFS/2014.1,

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA PARA MATRÍCULA SISUTEC 2013 (Aplica-se a todos os candidatos)

DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA PARA MATRÍCULA SISUTEC 2013 (Aplica-se a todos os candidatos) Anexo 03 DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA PARA MATRÍCULA SISUTEC 2013 (Aplica-se a todos os candidatos) a) Certificado de conclusão do Ensino Médio (original e fotocópia legível); b) Histórico Escolar do Ensino Médio

Leia mais

DA MATRÍCULA DATA DA MATRÍCULA CAMPUS LOCAL HORÁRIO

DA MATRÍCULA DATA DA MATRÍCULA CAMPUS LOCAL HORÁRIO DA MATRÍCULA CAMPUS LOCAL HORÁRIO BAMBUÍ CONGONHAS Secretaria dos Cursos de Graduação e Pós-Graduação Rodovia Bambuí/Medeiros Km 05 Caixa Postal 05 - Bambuí MG (37) 3431-4974 Secretaria IFMG Câmpus Congonhas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PRÓ-REITORIA DE ENSINO COMISSÃO DE PROCESSOS VESTIBULARES COMPROV

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PRÓ-REITORIA DE ENSINO COMISSÃO DE PROCESSOS VESTIBULARES COMPROV SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE PRÓ-REITORIA DE ENSINO COMISSÃO DE PROCESSOS VESTIBULARES COMPROV EDITAL PRE Nº 021/2015 Processo Seletivo SiSU 2015.2 A Universidade Federal

Leia mais

ANEXO II PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO DE RENDA FAMILIAR BRUTA MENSAL PER CAPITA E DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA

ANEXO II PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO DE RENDA FAMILIAR BRUTA MENSAL PER CAPITA E DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA ANEXO II PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO DE RENDA FAMILIAR BRUTA MENSAL PER CAPITA E DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA A Pró-Reitoria de Ensino e Pós-Graduação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato

Leia mais

EDITAL COPEPS Nº 001/2015

EDITAL COPEPS Nº 001/2015 EDITAL COPEPS Nº 001/2015 Dispõe sobre o processo seletivo de estudantes para os cursos presenciais de graduação da Universidade Federal de Ouro Preto para ingresso no primeiro semestre letivo de 2015.

Leia mais

Vagas reservadas - Lei nº 12.711/2012

Vagas reservadas - Lei nº 12.711/2012 Vagas reservadas - Lei nº 12.711/2012 Candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente

Leia mais

Ordem de Serviço PROGRAD n o 004, de 8 de novembro de 2012.

Ordem de Serviço PROGRAD n o 004, de 8 de novembro de 2012. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UNIRIO PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD Ordem de Serviço PROGRAD n o 004, de 8 de novembro de 2012. Dispõe sobre a documentação necessária para a matrícula

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO - PROEN COMISSÃO PERMANENTE DE VESTIBULAR - COPEVE

PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO - PROEN COMISSÃO PERMANENTE DE VESTIBULAR - COPEVE PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO - PROEN COMISSÃO PERMANENTE DE VESTIBULAR - COPEVE EDITAL 002/2014 - PROCESSO DE ISENÇÃO DO PAGAMENTO DA TAXA DE INSCRIÇÃO PARA O PROGRAMA DE ACESSO SERIADO (PAS) DA

Leia mais

Documentos necessários para efetuar a matrícula

Documentos necessários para efetuar a matrícula Documentos necessários para efetuar a matrícula ENSINO TÉCNICO INTEGRADO a) Certificado de conclusão e histórico escolar do Ensino Fundamental; e) Certidão de alistamento militar ou carteira de reservista,

Leia mais

EDITAL Nº 142 DE 03 DE NOVEMBRO DE 2015 ORIENTAÇÕES PARA MATRÍCULA DOS(AS) CANDIDATOS(AS) APROVADOS(AS) NO EXAME DE SELEÇÃO/VESTIBULAR IFPE 2016

EDITAL Nº 142 DE 03 DE NOVEMBRO DE 2015 ORIENTAÇÕES PARA MATRÍCULA DOS(AS) CANDIDATOS(AS) APROVADOS(AS) NO EXAME DE SELEÇÃO/VESTIBULAR IFPE 2016 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO REITORIA EDITAL Nº 142 DE 03 DE NOVEMBRO DE 2015 ORIENTAÇÕES PARA MATRÍCULA DOS(AS) CANDIDATOS(AS) APROVADOS(AS)

Leia mais

Art. 1º As instituições federais de educação superior vinculadas ao Ministério da Educação reservarão em cada concurso seletivo para ingresso nos

Art. 1º As instituições federais de educação superior vinculadas ao Ministério da Educação reservarão em cada concurso seletivo para ingresso nos Art. 1º As instituições federais de educação superior vinculadas ao Ministério da Educação reservarão em cada concurso seletivo para ingresso nos cursos de graduação, por curso e turno, no mínimo 50% (cinqüenta

Leia mais

Edição Número 214 de 06/11/2012. Ministério da Educação Gabinete do Ministro PORTARIA NORMATIVA Nº 21, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2012

Edição Número 214 de 06/11/2012. Ministério da Educação Gabinete do Ministro PORTARIA NORMATIVA Nº 21, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2012 Edição Número 214 de 06/11/2012 Ministério da Educação Gabinete do Ministro PORTARIA NORMATIVA Nº 21, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2012 Dispõe sobre o Sistema de Seleção Unificada - Sisu. O MINISTRO DE ESTADO DA

Leia mais

EDITAL COPEPS Nº 01/2016, DE 08 DE JANEIRO DE 2016

EDITAL COPEPS Nº 01/2016, DE 08 DE JANEIRO DE 2016 EDITAL COPEPS Nº 01/2016, DE 08 DE JANEIRO DE 2016 Dispõe sobre o processo seletivo de estudantes para os cursos presenciais de graduação da Universidade Federal de Ouro Preto, para ingresso no primeiro

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ACESSO AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ACESSO AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ACESSO AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2015 O Reitor da Universidade Federal da Bahia, no uso das suas

Leia mais

EDITAL COPEPS Nº 11/2014

EDITAL COPEPS Nº 11/2014 EDITAL COPEPS Nº 11/2014 Dispõe sobre o Processo Isolado de Seleção da Universidade Federal de Ouro Preto, para os cursos de graduação na modalidade a Distância, para ingresso no 1º semestre letivo de

Leia mais

Art. 4º As instituições de que trata o art. 1º terão o prazo de duzentos e quarenta dias para se adaptarem ao disposto nesta Lei.

Art. 4º As instituições de que trata o art. 1º terão o prazo de duzentos e quarenta dias para se adaptarem ao disposto nesta Lei. Reserva de Vagas PROJETO DE LEI 3627-2004 Institui Sistema Especial de Reserva de Vagas para estudantes egressos de escolas públicas, em especial negros e indígenas, nas instituições públicas federais

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ACESSO AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2016

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ACESSO AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2016 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ACESSO AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2016 O Reitor da Universidade Federal da Bahia, no uso das suas

Leia mais

AÇÃO AFIRMATIVA NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: PASSADO E FUTURO

AÇÃO AFIRMATIVA NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: PASSADO E FUTURO Grupo de Estudos Multidisciplinares da Ação Afirmativa AÇÃO AFIRMATIVA NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: PASSADO E FUTURO João Feres Júnior IESP-UERJ Veronica Toste Daflon IESP-UERJ Passado A distribuição nacional

Leia mais

Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior

Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA EDITAL Nº 5, DE 25 DE JUNHO DE 2015 SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA - SISUTEC INSCRIÇÕES PARA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE PROCESSOS SELETIVOS. EDITAL Nº 203 - DIPS/UFLA, de 19 de maio de 2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE PROCESSOS SELETIVOS. EDITAL Nº 203 - DIPS/UFLA, de 19 de maio de 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE PROCESSOS SELETIVOS EDITAL Nº 203 - DIPS/UFLA, de 19 de maio de 2015 SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADA - SISU VERSÃO 2015/2 A Pró-Reitoria

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC - SETEC INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO PRÓ-REITORIA DE ENSINO - PROEN

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC - SETEC INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO PRÓ-REITORIA DE ENSINO - PROEN 0 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC - SETEC INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO PRÓ-REITORIA DE ENSINO - PROEN EDITAL N 043 DE 15 DE JUNHO DE 2015 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO DE ESTUDANTES

Leia mais

O Presidente da Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições;

O Presidente da Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 11/2014 Regulamenta o Concurso Vestibular 2014.2, para ingresso nos cursos de

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO PARA MATRÍCULA NO IFC

DOCUMENTAÇÃO PARA MATRÍCULA NO IFC DOCUMENTAÇÃO PARA MATRÍCULA NO IFC ANEXO I DOCUMENTOS PARA COMPROVAÇÃO DE RENDA FAMILIAR 1. INFORMAÇÕES GERAIS O cálculo do rendimento bruto familiar, tanto para os pedidos de isenção de inscrição quanto

Leia mais

Edição Número 101, sexta-feira, 29 de maio de 2015.

Edição Número 101, sexta-feira, 29 de maio de 2015. Edição Número 101, sexta-feira, 29 de maio de 2015. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL Nº 16, DE 28 MAIO DE 2015 PROCESSO SELETIVO - SEGUNDA EDIÇÃO DE 2015 SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADA - SISU A SECRETÁRIA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Edital do Concurso Vestibular 2014 da UFMG, para os Cursos na Modalidade Educação a Distância, do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB). A Universidade Federal

Leia mais

EDITAL Nº 20/2015/CAMPUS PORTO NACIONAL/IFTO, DE 05 DE JUNHO DE 2015.

EDITAL Nº 20/2015/CAMPUS PORTO NACIONAL/IFTO, DE 05 DE JUNHO DE 2015. EDITAL Nº 20/2015//IFTO, DE 05 DE JUNHO DE 2015. SELEÇÃO PARA CURSOS SUPERIORES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS 2015/2 REGULAMENTO SISU 2015/2 O DIRETOR GERAL PRO TEMPORE

Leia mais

Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 2ª edição de 2014

Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 2ª edição de 2014 Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 2ª edição de 2014 1 - Dados cadastrais da Instituição de Educação Superior - IES

Leia mais

LISTA DE DOCUMENTOS PROUNI 2014 PORTARIA NORMATIVA Nº2, 06/01/14

LISTA DE DOCUMENTOS PROUNI 2014 PORTARIA NORMATIVA Nº2, 06/01/14 LISTA DE DOCUMENTOS PROUNI 2014 PORTARIA NORMATIVA Nº2, 06/01/14 DOCUMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO DO ESTUDANTE E DOS MEMBROS DE SEU GRUPO FAMILIAR O coordenador do ProUni deverá solicitar, salvo em caso de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL Nº 18, DE 5 DE JUNHO DE 2015 PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS - PROUNI

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL Nº 18, DE 5 DE JUNHO DE 2015 PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS - PROUNI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL Nº 18, DE 5 DE JUNHO DE 2015 PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS - PROUNI PROCESSO SELETIVO - SEGUNDO SEMESTRE DE 2015 O SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 1º edição de 2013

Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 1º edição de 2013 Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 1º edição de 2013 1 - Dados cadastrais da Instituição de Educação Superior - IES

Leia mais

Regulamentação da Lei nº 12.711/2012

Regulamentação da Lei nº 12.711/2012 Regulamentação da Lei nº 12.711/2012 Reservas de nas Instituições Federais de Ensino Decreto nº 7.824, de 11 de outubro de 2012 Portaria Normativa nº 18, de 11 de outubro de 2012 Ministério da Educação

Leia mais

ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL NO CONTEXTO DA LEI DE COTAS PARA O ENSINO SUPERIOR (LEI Nº 12.711/12).

ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL NO CONTEXTO DA LEI DE COTAS PARA O ENSINO SUPERIOR (LEI Nº 12.711/12). ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL NO CONTEXTO DA LEI DE COTAS PARA O ENSINO SUPERIOR (LEI Nº 12.711/12). Geórgia Dantas Macedo Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) georgiacg@gmail.com INTRODUÇÃO Este

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL Nº 21, DE 24 JULHO DE 2015

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL Nº 21, DE 24 JULHO DE 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL Nº 21, DE 24 JULHO DE 2015 O SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR, no uso da atribuição que lhe confere o art. 2º da Portaria Normativa MEC nº 8,

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 73, DE 1.999 (DA SRA. NICE LOBÃO)

PROJETO DE LEI N.º 73, DE 1.999 (DA SRA. NICE LOBÃO) PROJETO DE LEI N.º 73, DE 1.999 (DA SRA. NICE LOBÃO) Autor: DEPUTADA NICE LOBÃO Relator:DEPUTADO CARLOS ABICALIL Dispõe dobre o ingresso nas universidades federais e dá outras providências. RELATÓRIO Dispõe

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL 2º OFÍCIO DE CIDADANIA

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL 2º OFÍCIO DE CIDADANIA MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL 2º OFÍCIO DE CIDADANIA A Sua Excelência o Senhor Embaixador Gonçalo de Barros Carvalho e Mello Mourão Diretor Geral do Instituto

Leia mais

Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 2º edição de 2013

Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 2º edição de 2013 Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 2º edição de 2013 1 - Dados cadastrais da Instituição de Educação Superior - IES

Leia mais

O Presidente da Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições;

O Presidente da Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 06/2015 Regulamenta o Processo Seletivo SiSU 2016, no âmbito da UFCG, para ingresso

Leia mais

EDITAL Nº 007/2015 SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA O PROGRAMA DE CURSINHO POPULAR DO IFSP - CAMPUS CAPIVARI: SEMEANDO O FUTURO

EDITAL Nº 007/2015 SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA O PROGRAMA DE CURSINHO POPULAR DO IFSP - CAMPUS CAPIVARI: SEMEANDO O FUTURO EDITAL Nº 007/2015 SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA O PROGRAMA DE CURSINHO POPULAR DO IFSP - : SEMEANDO O FUTURO O Diretor do Campus Capivari do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo

Leia mais

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia -UESB

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia -UESB Dispõe sobre o sistema de reserva de vagas e quotas adicionais no processo seletivo para os cursos de graduação da UESB e dá outras providencias. O Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE,

Leia mais

EDITAL Nº 12, DE 03 DE JUNHO DE 2015 2º SEMESTRE 2015

EDITAL Nº 12, DE 03 DE JUNHO DE 2015 2º SEMESTRE 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS EDITAL Nº 12, DE 03 DE JUNHO DE 2015 2º SEMESTRE 2015

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO - UFES COMISSÃO COORDENADORA DO VESTIBULAR

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO - UFES COMISSÃO COORDENADORA DO VESTIBULAR EDITAL N.º 07/2015-CCV/UFES ABERTURA DAS INSCRIÇÕES DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE COMUNICAÇÃO A UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (UFES), representada pela Comissão

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE PROCESSO SELETIVO DISCENTE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE PROCESSO SELETIVO DISCENTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE PROCESSO SELETIVO DISCENTE Processo Seletivo Discente/UNIR 2016 - (Vestibular) Edital nº

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE ATENDIMENTO E REGISTROS ACADÊMICOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE ATENDIMENTO E REGISTROS ACADÊMICOS UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE ATENDIMENTO E REGISTROS ACADÊMICOS ANEXO COMPLEMENTAR II EDITAL 2015 PROCESSO SELETIVO PARA ACESSO AOS CURSOS DE

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ACESSO AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2014

EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ACESSO AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA EDITAL PROCESSO SELETIVO PARA ACESSO AOS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2014 A Reitora da Universidade Federal da Bahia, no uso das suas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS CONVOCAÇÃO EM 7ª CHAMADA - PROCESSO SELETIVO 2013/1 CURSOS TÉCNICO INTEGRADO E TÉCNICO SUBSEQUENTE O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins (IFTO) - Campus Gurupi, por intermédio

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL Nº 01/2014 PROGRAD

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL Nº 01/2014 PROGRAD MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL Nº 01/2014 PROGRAD PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFAC EM 2014 A UNIVERSIDADE FEDERAL DO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO PROCESSO SELETIVO Sisu 2014-1

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO PROCESSO SELETIVO Sisu 2014-1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO PROCESSO SELETIVO Sisu 2014-1 EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA MATRÍCULA DA 1ª CHAMADA DA LISTA DE ESPERA O Reitor da Universidade Federal

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL PROGRAD Nº 079/2015, DE 24 NOVEMBRO DE 2015 Torna pública a abertura do processo de seleção nacional de alunos, nível graduação, ano 2016, para a Universidade Federal da Integração Latino-Americana

Leia mais

CRITÉRIOS DE APLICABILIDADE DAS COTAS

CRITÉRIOS DE APLICABILIDADE DAS COTAS CRITÉRIOS DE APLICABILIDADE DAS COTAS TEORIA CUBO E DAS LINHAS VERTICAIS E HORIZONTAIS PRIMEIRO PASSO - DIVISÃO DAS VAGAS NO CUBO Aplica-se os 50% de vagas destinados a alunos oriundos da rede pública

Leia mais

Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 2º edição de 2013

Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 2º edição de 2013 Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 2º edição de 2013 1 - Dados cadastrais da Instituição de Educação Superior - IES

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE PROCESSOS SELETIVOS PROCESSO SELETIVO 1º/ 2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE PROCESSOS SELETIVOS PROCESSO SELETIVO 1º/ 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE PROCESSOS SELETIVOS PROCESSO SELETIVO 1º/ 2015 EDITAL Nº 199 DIPS/UFLA, de 19 de dezembro de 2014 A Pró-Reitoria de Graduação PRG,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL Nº 01/2012 PROGRAD

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL Nº 01/2012 PROGRAD MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL Nº 01/2012 PROGRAD PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFAC EM 2013 A UNIVERSIDADE FEDERAL DO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL Nº 19/2015-PROGRAD PROCESSO SELETIVO PARA O PREENCHIMENTO DE VAGAS REMANESCENTES NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFAC DE

Leia mais

Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 1º edição de 2013

Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 1º edição de 2013 Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 1º edição de 2013 1 - Dados cadastrais da Instituição de Educação Superior - IES

Leia mais

1.4. No ato da inscrição, o candidato deverá optar por apenas um curso e uma das modalidades: optante ou não optante pela reserva de vagas.

1.4. No ato da inscrição, o candidato deverá optar por apenas um curso e uma das modalidades: optante ou não optante pela reserva de vagas. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO COMISSÃO COORDENADORA DO VESTIBULAR EDITAL N.º 03/2015-CCV/UFES ABERTURA DAS INSCRIÇÕES DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EXTRAORDINÁRIO A UNIVERSIDADE FEDERAL DO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO. EDITAL COMPLEMENTAR N o 29/2015

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO. EDITAL COMPLEMENTAR N o 29/2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO EDITAL COMPLEMENTAR N o 29/2015 CONVOCAÇÃO DE CANDIDATOS INSCRITOS NA LISTA DE ESPERA DO SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADA (SiSU) PARA PREENCHIMENTO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO EDITAL Nº 15/2014 PROGRAMA DE ISENÇÃO DO PAGAMENTO DE INSCRIÇÃO PARA O PROCESSO SELETIVO 2014-2 O Reitor da Universidade Federal de Goiás, por meio do Centro de Seleção da UFG, no uso de suas atribuições,

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO DE RENDA FAMILIAR BRUTA MENSAL PER CAPITA E DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA. Conceitos

PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO DE RENDA FAMILIAR BRUTA MENSAL PER CAPITA E DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA. Conceitos PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO DE RENDA FAMILIAR BRUTA MENSAL PER CAPITA E DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA Conceitos De acordo com a Portaria Normativa do Ministério da Educação de n 18, de 11 de outubro de 2012, que

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE EDITAL Nº 02/2016 PROGRAD (RETIFICADO) PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFAC EM 2016 A UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE (Ufac), por meio da Pró-Reitoria de Graduação (Prograd), no

Leia mais

Curso Técnico Data Horário Local Endereço Design de Móveis Eletrônica Eventos Informática Mecânica Transações Imobiliárias

Curso Técnico Data Horário Local Endereço Design de Móveis Eletrônica Eventos Informática Mecânica Transações Imobiliárias EDITAL Nº 23/2013, de 05 de julho de 2013 Processo Nº 23225.001064/2013-11 MATRÍCULA E COMPROVAÇÃO DA RENDA FAMILIAR BRUTA MENSAL PARA A RESERVA DE VAGAS NO PROCESSO SELETIVO 2013, 2º semestre O Diretor

Leia mais

EDITAL Nº 001/2015 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO NA FORMA DE OFERTA DE ENSINO SUBSEQUENTE

EDITAL Nº 001/2015 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO NA FORMA DE OFERTA DE ENSINO SUBSEQUENTE EDITAL Nº 001/2015 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO NA FORMA DE OFERTA DE ENSINO SUBSEQUENTE O DIRETOR-GERAL PRÓ TEMPORE DO, DO INSTITUTO FEDERAL

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO EDITAL Nº 08/2015

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO EDITAL Nº 08/2015 UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO EDITAL Nº 08/2015 CONVOCAÇÃO DE CANDIDATOS INSCRITOS NA LISTA DE ESPERA DO SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADA/SiSU PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS NÃO OCUPADAS NOS CURSOS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ COORDENAÇÃO GERAL DO E-TEC/EAJ/UFRN

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ COORDENAÇÃO GERAL DO E-TEC/EAJ/UFRN UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ COORDENAÇÃO GERAL DO E-TEC/EAJ/UFRN EDITAL Nº 05/2015 do Curso Técnico em Comércio Exterior Vagas remanescentes A Universidade Federal

Leia mais

EDITAL COPEPS Nº 25/2014

EDITAL COPEPS Nº 25/2014 EDITAL COPEPS Nº 25/2014 Retifica Edital COPEPS Nº 23/2014 que dispõe sobre a comprovação da condição de beneficiário das vagas reservadas, conforme as modalidades de concorrência, referente ao Processo

Leia mais

1.2. Quais são as condições do financiamento para novos contratos?

1.2. Quais são as condições do financiamento para novos contratos? Tire suas dúvidas 1. CONHECENDO O FIES 1.1. O que é o Fies? O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), criado pela Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, é o programa do Ministério da Educação que financia

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA EDITAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA EDITAL 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA EDITAL PROCESSO SELETIVO UFBA - SISU 2015 GRADUAÇÃO, MODALIDADE PRESENCIAL, DOS CANDIDATOS SELECIONADOS PELO SISU, COM BASE

Leia mais

Universidade Federal de Alagoas Página 1 de 14

Universidade Federal de Alagoas Página 1 de 14 Serviço Público Federal UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAD NÚCLEO EXECUTIVO DE PROCESSOS SELETIVOS NEPS/COPEVE Processo Seletivo UFAL 2013 Sisu/MEC 2013.1 EDITAL Nº 10/2013,

Leia mais

EDITAL Nº 009 PROGRAD/COPESE, DE 06/02/2015 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO DO CAMPO 2015

EDITAL Nº 009 PROGRAD/COPESE, DE 06/02/2015 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO DO CAMPO 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO - COPESE Quadra 109 Norte, AV. NS -15, ALCNO 14 Plano Diretor Norte 77016-524 Palmas/TO (63) 3232-8545

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ RETIFICAÇÃO DO EDITAL N 08/2012-UNIFAP

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ RETIFICAÇÃO DO EDITAL N 08/2012-UNIFAP MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ RETIFICAÇÃO DO EDITAL N 08/2012-UNIFAP O REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ, no uso das atribuições que o cargo lhe confere e de acordo

Leia mais

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL QUESTIONÁRIO SOCIOECONÔMICO FINALIDADE DA INSCRIÇÃO (DESCRIÇÃO DAS MODALIDADES NO EDITAL)

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL QUESTIONÁRIO SOCIOECONÔMICO FINALIDADE DA INSCRIÇÃO (DESCRIÇÃO DAS MODALIDADES NO EDITAL) Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica INSTITUTO FEDERAL DE SÃO PAULO Campus Itapetininga PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL QUESTIONÁRIO SOCIOECONÔMICO FINALIDADE DA

Leia mais

EDITAL 10/2013 PROCESSO SELETIVO DE ABERTURA DE VAGAS

EDITAL 10/2013 PROCESSO SELETIVO DE ABERTURA DE VAGAS EDITAL 10/2013 PROCESSO SELETIVO DE ABERTURA DE VAGAS O (IFRS) -, em cumprimento às determinações da Lei nº 9.394/96 e legislação regulamentadora, comunica a abertura de Processo Seletivo 2013/2 aos Cursos

Leia mais

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL QUESTIONÁRIO SOCIOECONÔMICO FINALIDADE DA INSCRIÇÃO (DESCRIÇÃO DAS MODALIDADES NO EDITAL)

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL QUESTIONÁRIO SOCIOECONÔMICO FINALIDADE DA INSCRIÇÃO (DESCRIÇÃO DAS MODALIDADES NO EDITAL) PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL QUESTIONÁRIO SOCIOECONÔMICO FINALIDADE DA INSCRIÇÃO (DESCRIÇÃO DAS MODALIDADES NO EDITAL) Nesse questionário, você deverá preencher dados sobre você e sua família. Se

Leia mais

Edital n 18, de 16 de dezembro de 2013.

Edital n 18, de 16 de dezembro de 2013. Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão IFMA Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação - PRPGI Diretoria de Educação a Distância - DEAD Edital n

Leia mais

COMISSÃO DE PROCESSOS SELETIVOS - CPPS

COMISSÃO DE PROCESSOS SELETIVOS - CPPS CONVOCATÓRIA Nº 01 PARA MANIFESTAÇÃO PRESENCIA DE INTERESSE À VAGA REMANESCENTES DO 2º PROCESSO SEETIVO TÉCNICO DE 2015 - CURSO TÉCNICO SUBSEQUENTE EM FORESTAS A Comissão de Processos Seletivos do IFPA

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE VESTIBULAR

PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE VESTIBULAR PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE VESTIBULAR RE-RATIFICAÇÃO DO EDITAL COMPLEMENTAR Nº 007/2012 DO PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2013/1 PARA INGRESSO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UFSJ

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES PS 2014

PERGUNTAS FREQUENTES PS 2014 1) Como funciona o vestibular da UFPA? PERGUNTAS FREQUENTES PS 2014 A partir do Processo Seletivo 2014 (PS 2014), a UFPA passa a adotar o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) como única fase do vestibular.

Leia mais

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL QUESTIONÁRIO SOCIOECONÔMICO FINALIDADE DA INSCRIÇÃO (DESCRIÇÃO DAS MODALIDADES NO EDITAL)

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL QUESTIONÁRIO SOCIOECONÔMICO FINALIDADE DA INSCRIÇÃO (DESCRIÇÃO DAS MODALIDADES NO EDITAL) Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica INSTITUTO FEDERAL DE SÃO PAULO Campus Itapetininga PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL QUESTIONÁRIO SOCIOECONÔMICO FINALIDADE DA

Leia mais

Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 2ª edição de 2015

Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 2ª edição de 2015 Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Sistema de Seleção Unificada - Sisu Termo de Adesão - 2ª edição de 2015 1 - Dados cadastrais da Instituição de Educação Superior - IES

Leia mais

EDITAL Nº. 10/2014-PROEN/IFRN PROCESSO SELETIVO PARA CURSOS SUPERIORES DE GRADUAÇÃO 1º SEMESTRE LETIVO DE 2014

EDITAL Nº. 10/2014-PROEN/IFRN PROCESSO SELETIVO PARA CURSOS SUPERIORES DE GRADUAÇÃO 1º SEMESTRE LETIVO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE PRO-REITORIA DE ENSINO COORDENAÇÃO DE ACESSO DISCENTE

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO REITORIA. EDITAL N.º 001/2015 de 07/01/2015 PROCESSO SELETIVO 2015

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO REITORIA. EDITAL N.º 001/2015 de 07/01/2015 PROCESSO SELETIVO 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO REITORIA EDITAL N.º 001/2015 de 07/01/2015 PROCESSO SELETIVO 2015 O reitor em exercício da reitoria da Universidade Federal de Mato Grosso

Leia mais

VESTIBULAR DE LICENCIATURA EM MÚSICA

VESTIBULAR DE LICENCIATURA EM MÚSICA 1. ABERTURA O REITOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNAMBUCANO - IF SERTÃO-PE, no uso de suas atribuições legais, em conformidade com a Lei nº 9.394/96 (LDB), a Portaria

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA SETEC

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA SETEC MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA SETEC EDITAL SETEC Nº 02, 30 DE MAIO DE 2014 SISTEMA DE SELEÇÃO UNIFICADA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA - SISUTEC O Secretário

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS EDITAL PARA ACESSO AOS CURSOS PRESENCIAIS DE GRADUAÇÃO DA UFMG EM 2014, SELECIONADOS PELO SiSU COM BASE NO RESULTADO DO ENEM. A Universidade Federal de Minas Gerais,

Leia mais

capita, que se autodeclararam pretos, pardos e indígenas. estudantes egressos de escola pública, com renda

capita, que se autodeclararam pretos, pardos e indígenas. estudantes egressos de escola pública, com renda ERRATA Nº 01 EDITAL Nº 01/2015 IFPA PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO EM CURSO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO NA FORMA DE OFERTA DE ENSINO SUBSEQUENTE O Diretor Geral Pró Tempo do Campus

Leia mais

1. AÇÕES AFIRMATIVAS 2. DO CADASTRAMENTO DATA HORÁRIO LOCAL

1. AÇÕES AFIRMATIVAS 2. DO CADASTRAMENTO DATA HORÁRIO LOCAL EDITAL DE CADASTRAMENTO, REMANEJAMENTO E MATRÍCULA PARA CANDIDATOS CLASSIFICADOS NO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA O CURSO SUPERIOR DE LETRAS, COM HABILITAÇÃO EM LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS (LIBRAS)/LÍNGUA

Leia mais

EDITAL Nº 42/2015 PROCESSO SELETIVO DISCENTE PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2015.2

EDITAL Nº 42/2015 PROCESSO SELETIVO DISCENTE PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO 2015.2 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO EDITAL Nº 42/2015 PROCESSO SELETIVO DISCENTE PARA OS CURSOS

Leia mais

M a n u a l d o P r o U n i 2014 P á g i n a 1

M a n u a l d o P r o U n i 2014 P á g i n a 1 M a n u a l d o P r o U n i 2014 P á g i n a 1 O Programa Universidade para Todos (Prouni) foi criado pelo Governo Federal em 2004 e tem como finalidade a concessão de bolsas de estudo integrais e parciais

Leia mais

O Presidente da Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições;

O Presidente da Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições; 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 14/2012 Altera a Res. 09/2012 que Regulamenta o Concurso Vestibular 2013,

Leia mais

Quadro 1 Remanejamento de estudantes do 2º para o 1º semestre. Publicação da 1ª listagem dos estudantes remanejados 25/02

Quadro 1 Remanejamento de estudantes do 2º para o 1º semestre. Publicação da 1ª listagem dos estudantes remanejados 25/02 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO PROCESSO SELETIVO SiSU 2015-1 EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA MATRÍCULA DA 2ª CHAMADA, CONFORME LISTA DE ESPERA DO SISU 2015-1 O Reitor

Leia mais

EDITAL COMPLEMENTAR N 05/2014 COVEST CONCURSO VESTIBULAR 2014/2

EDITAL COMPLEMENTAR N 05/2014 COVEST CONCURSO VESTIBULAR 2014/2 EDITAL COMPLEMENTAR N 05/2014 COVEST CONCURSO VESTIBULAR 2014/2 O REITOR da Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT, no uso de suas atribuições legais, torna pública as alterações no Edital n. 001/2014

Leia mais