CAPACITAÇÃO E ATRIBUIÇÃO PROFISSIONAL. Eng. Rodolfo More Diretor Financeiro do Crea-SP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CAPACITAÇÃO E ATRIBUIÇÃO PROFISSIONAL. Eng. Rodolfo More Diretor Financeiro do Crea-SP"

Transcrição

1 CAPACITAÇÃO E ATRIBUIÇÃO PROFISSIONAL Eng. Rodolfo More Diretor Financeiro do Crea-SP

2 Lei 5194/1966 Art São atribuições dos Conselhos Regionais: f) organizar o sistema de fiscalização do exercício das profissões reguladas pela presente Lei;

3 Lei 5194/1966 Art. 7º - As atividades e atribuições profissionais do engenheiro e do engenheiroagrônomo consistem em: c) estudos, projetos, análises, avaliações, vistorias, perícias, pareceres e divulgação técnica;

4 Lei 5194/1966 Art Os estudos, plantas, projetos, laudos e qualquer outro trabalho de Engenharia, de Arquitetura e de Agronomia, quer público, quer particular, somente poderão ser submetidos ao julgamento das autoridades competentes e só terão valor jurídico quando seus autores forem profissionais habilitados de acordo com esta Lei. Art Nos trabalhos gráficos, especificações, orçamentos, pareceres, laudos e atos judiciais ou administrativos, é obrigatória, além da assinatura, precedida do nome da empresa, sociedade, instituição ou firma a que interessarem, a menção explícita do título do profissional que os subscrever e do número da carteira referida no Art. 56.

5 RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 JUN 1973 Discrimina atividades das diferentes modalidades profissionais da Engenharia, Arquitetura e Agronomia. Art. 1º - Para efeito de fiscalização do exercício profissional correspondente às diferentes modalidades da Engenharia, Arquitetura e Agronomia em nível superior e em nível médio, ficam designadas as seguintes atividades:

6 Atividade 01 - Supervisão, coordenação e orientação técnica; Atividade 02 - Estudo, planejamento, projeto e especificação; Atividade 03 - Estudo de viabilidade técnico-econômica; Atividade 04 - Assistência, assessoria e consultoria; Atividade 05 - Direção de obra e serviço técnico; Atividade 06 - Vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo e parecer técnico; Atividade 07 - Desempenho de cargo e função técnica; Atividade 08 - Ensino, pesquisa, análise, experimentação, ensaio e divulgação técnica; extensão; Atividade 09 - Elaboração de orçamento;

7 Atividade 10 - Padronização, mensuração e controle de qualidade; Atividade 11 - Execução de obra e serviço técnico; Atividade 12 - Fiscalização de obra e serviço técnico; Atividade 13 - Produção técnica e especializada; Atividade 14 - Condução de trabalho técnico; Atividade 15 - Condução de equipe de instalação, montagem, operação, reparo ou manutenção; Atividade 16 - Execução de instalação, montagem e reparo; Atividade 17 - Operação e manutenção de equipamento e instalação; Atividade 18 - Execução de desenho técnico.

8

9 Grupo de Trabalho Avaliações e Perícias Resultado Finais Esperados: Folder que será distribuido para: - Magistrados (Tribunal de Justiça de São Paulo e Associação Paulista de Magistratura APAMAGIS) e operadores do Direito (OAB e Associações de advogados) para resolução de conflitos judiciais ou extrajudiciais; - Instituições Financeiras para procedimentos de contratos para garantias e contratação de seguros; - Prefeituras, Câmaras Municipais e órgãos públicos, empresas e público em geral para levantamento patrimonial de bens, verificação de falhas construtivas, manutenção, projeto, mau uso ou sinistros.

10 Além disso porquê um Engenheiro? Um Laudo idôneo depende das condições do profissional que o realiza com relação à capacitação quanto a características do bem. O profissional Engenheiro possui o conhecimento técnico de todas as características que compõe a verdadeira condição de solidez, segurança, funcionamento e fatores de mercado indispensáveis.

11 Além disso porquê um Engenheiro? O Engenheiro possui além da qualificação técnica dos elementos que constituem o bem e seu funcionamento por formação acadêmica, é isento e alheio quanto à finalidade do resultado do serviço, proporcionando segurança e confiabilidade.

12 Além disso porquê um Engenheiro? Na realização de trabalhos de Perícias de Engenharia um leigo não tem condições de verificar eventuais falhas ou danos do bem, identificados através de análise técnica de todos os sistemas (ambiental, estrutural, elétrico, mecânico, hidráulico etc) que comprometem a solidez e segurança.

13 (11) Rua Maria Paula, 122 1º andar Bela Vista São Paulo SP

2º Congresso Brasileiro de Geração Distribuída. Auditório da FIEC. 25 a 26 de outubro de 2017

2º Congresso Brasileiro de Geração Distribuída. Auditório da FIEC. 25 a 26 de outubro de 2017 2º Congresso Brasileiro de Geração Distribuída Auditório da FIEC 25 a 26 de outubro de 2017 SISTEMA CONFEA / CREA É o sistema que fiscaliza o exercício das profissões na área tecnológica. Lei Federal 5.194/66

Leia mais

REGISTRO PROFISSIONAL Atribuições, Atividades e Campos de Atuação. Celso Roberto Ritter Superintendente CREA-PR

REGISTRO PROFISSIONAL Atribuições, Atividades e Campos de Atuação. Celso Roberto Ritter Superintendente CREA-PR REGISTRO PROFISSIONAL Atribuições, Atividades e Campos de Atuação Celso Roberto Ritter Superintendente CREA-PR Organização dos Títulos Profissionais Resolução 473/2002 Institui Tabela de Títulos Profissionais

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP INFORMAÇÃO 041/2013 DAP/SUPCOL PROTOCOLO Nº 45787/2013 INTERESSADO: FLÁVIO BOSKOVITZ ASSUNTO: CONSULTA TÉCNICA 1. IDENTIFICAÇÃO E HISTÓRICO O sr. Flávio Boskovitz, protocolou junto ao CREA-SP consulta

Leia mais

LEI Nº 5.194, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966

LEI Nº 5.194, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 LEI Nº 5.194, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 Regula o exercício das profissões de Engenharia, Arquiteto e Engenheiro-Agrônomo, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA: Faço saber que o CONGRESSO

Leia mais

DISCIPLINA: Introdução à Engenharia Ambiental. Assunto: Atribuições do Engenheiro Ambiental

DISCIPLINA: Introdução à Engenharia Ambiental. Assunto: Atribuições do Engenheiro Ambiental Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Departamento de Estudos Básicos e Instrumentais DEBI Curso de Engenharia Ambiental DISCIPLINA: Introdução à Engenharia Ambiental Assunto: Atribuições do Engenheiro

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP INFORMAÇÃO 113/2012 DAP/SUPCOL PROTOCOLO Nº 179163/2012 176799/2012 INTERESSADO: FRANCISCO JOSÉ VELA ASSUNTO: CONSULTA TÉCNICA 1. IDENTIFICAÇÃO E HISTÓRICO O profissional Engenheiro Civil Francisco José

Leia mais

CONSIDERAÇÕES INICIAIS

CONSIDERAÇÕES INICIAIS CONSIDERAÇÕES INICIAIS PERÍCIA AGRONÔMICA IMPORTÂNCIA PERÍCIA AGRONÔMICA Atuação como perito judicial; Ação de desapropriação de imóvel rural; Ação de inventário de imóvel rural; VALORAÇÃO DA INDENIZAÇÃO

Leia mais

Instituto de Ciência e Tecnologia de Sorocaba. Disciplina: Introdução à Engenharia Ambiental. Graduação em Engenharia Ambiental

Instituto de Ciência e Tecnologia de Sorocaba. Disciplina: Introdução à Engenharia Ambiental. Graduação em Engenharia Ambiental Instituto de Ciência e Tecnologia de Sorocaba Disciplina: Introdução à Engenharia Ambiental Graduação em Engenharia Ambiental 3 - Engenharia Ambiental: Curso e Profissão Professor Sandro Donnini Mancini

Leia mais

LEI Nº 5.194, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966

LEI Nº 5.194, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 LEI Nº 5.194, DE 24 DE DEZEMBRO DE 1966 Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro- Agrônomo, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO

Leia mais

FORMAÇÃO, QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL NAS ATIVIDADES DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS

FORMAÇÃO, QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL NAS ATIVIDADES DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS Promoção Realização 21 a 25 de setembro de 2009 Hotel Maksoud Plaza São Paulo FORMAÇÃO, QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL NAS ATIVIDADES DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS Ericson Dias Mello 1 Comunicados

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 1º semestre.

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 1º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 26/2001 ALTERA O CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA MODALIDADE TELECOMUNICAÇÕES, DO CCT, DO CÂMPUS DE CAMPINAS. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE,

Leia mais

CREA-SC. Fundado em 17 de março de 1958, após ser desmembrado do CREA 10ª REGIÃO (RS E SC);

CREA-SC. Fundado em 17 de março de 1958, após ser desmembrado do CREA 10ª REGIÃO (RS E SC); CREA-SC Fundado em 17 de março de 1958, após ser desmembrado do CREA 10ª REGIÃO (RS E SC); Congrega atualmente 50.000 profissionais registrados (37.000 de nível superior e 13.000 de nível técnico) e 12.700

Leia mais

RESOLUÇÃO. Currículo revogado conforme Res. CONSEPE 71/2002, de 18 de dezembro de 2002.

RESOLUÇÃO. Currículo revogado conforme Res. CONSEPE 71/2002, de 18 de dezembro de 2002. RESOLUÇÃO CONSEPE 44/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL, DO CÂMPUS ITATIBA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição que

Leia mais

Sr. Presidente, A Lei /2010, em seu art. 2º, prevê que as atividades e atribuições dos arquitetos e urbanistas consistem em:

Sr. Presidente, A Lei /2010, em seu art. 2º, prevê que as atividades e atribuições dos arquitetos e urbanistas consistem em: Parecer: 14/2012-AJU Interessado: CAU-DF. Assunto: Consulta. Atribuições de Arquitetos e Urbanistas. Elaboração de projetos de arquitetura. Atividade exclusiva de Arquitetos. Ementa: Direito Civil. Atribuições

Leia mais

Considerando que a Lei n 6.664, de 26 de junho de 1979, disciplina a profissão. de geógrafo;

Considerando que a Lei n 6.664, de 26 de junho de 1979, disciplina a profissão. de geógrafo; 1 PROJETO DE RESOLUÇÃO Dispõe sobre as atividades, atribuição de títulos e competências profissionais para os diplomados nos campos profissionais abrangidos pelas diferentes Modalidades das Categorias

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP INFORMAÇÂO 109/2012 DAP/SUPCOL PROTOCOLO Nº. 157785/2012 INTERESSADO: Antonio de Sousa Neto ASSUNTO: Consulta Técnica 1. IDENTIFICAÇÃO E HISTÓRICO Consulta realizada pelo Senhor Antonio de Sousa Neto -

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP INFORMAÇÃO 050/2012 - DAP PROTOCOLO Nº. 101535/2012 INTERESSADO: Sr Cláudio José Dellasta ASSUNTO: Consulta Técnica 1. IDENTIFICAÇÃO E HISTÓRICO O Eng. Sanitarista Cláudio José Dellasta protocolou consulta

Leia mais

Ética, Profissão e Cidadania Professor Paulo Sérgio Walenia. 9/20/2010 UTFPR Campus Curitiba DAELT Ética, Profissão e Cidadania 1

Ética, Profissão e Cidadania Professor Paulo Sérgio Walenia. 9/20/2010 UTFPR Campus Curitiba DAELT Ética, Profissão e Cidadania 1 Ética, Profissão e Cidadania Professor Paulo Sérgio Walenia 1 Nesta seção os seguintes assuntos serão abordados: Resolução 473 Resolução 218 e outras correlatas O Ato n 2 Deliberações normativas da CEEE

Leia mais

PHA3101 Introdução à Engenharia Ambiental

PHA3101 Introdução à Engenharia Ambiental PHA3101 Introdução à Engenharia Ambiental Aulas 1 e 2 A Engenharia Ambiental, sua regulamentação e atribuições. Preparação para a carreira de Engenheiro. Definição de Engenharia O que é engenharia? Utilização

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP INFORMAÇÂO 046/2013 - DAP PROTOCOLO Nº. 74324/2013 INTERESSADO: Prefeitura Municipal de Jacupiranga ASSUNTO: Consulta Técnica 1. IDENTIFICAÇÃO E HISTÓRICO A Prefeitura Municipal de Jacupiranga questiona

Leia mais

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA CIVIL. Julgamento de Processos

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA CIVIL. Julgamento de Processos 1 II - PROCESSOS DE ORDEM A II. I - REQUER CERTIDÃO DE ACERVO TECNICO 2 UGI MOGI GUAÇU Nº de Ordem 1 Proposta CAT (fl.17) Processo/Interessado A-868/1995 V3 Relator JOSÉ FLORIANO DE AZEVEDO MARQUES NETO

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE OBRAS

ORIENTAÇÃO SOBRE OBRAS ORIENTAÇÃO SOBRE OBRAS Organograma da Superintendência Superintendência PAR Assessoria Diretoria Projetos Fiscalização Jurídico APRESENTAÇÃO EQUIPE Fiscalização Andréia Brito DRE Miracema, Guaraí e Colinas

Leia mais

DECRETO Nº , DE 6 FEV 1985 (*)

DECRETO Nº , DE 6 FEV 1985 (*) DECRETO Nº 90.922, DE 6 FEV 1985 (*) Regulamenta a Lei nº 5.524, de 5 NOV 1968, que "dispõe sobre o exercício da profissão de técnico industrial e técnico agrícola de nível médio ou de 2º grau." O Presidente

Leia mais

É o sucinto relatório, segue o exame jurídico.

É o sucinto relatório, segue o exame jurídico. Parecer Jurídico: 04/2013 Interessado: Assessoria Técnica do CAU-DF. Assunto: Atribuições dos Arquitetos e Urbanistas. Ementa: Atribuições dos Arquitetos e Urbanistas. Análise das Leis nºs 5.194/66 e 12.378/2010

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP INFORMAÇÂO 016/2013 - DAP PROTOCOLO Nº. 1585/2013 INTERESSADO: Alexandre da Rocha Corrêa ASSUNTO: Consulta Técnica 1. IDENTIFICAÇÃO E HISTÓRICO O Sr. Alexandre da Rocha Corrêa questiona se a atividade

Leia mais

Alterações do Ato Normativo 01/2017

Alterações do Ato Normativo 01/2017 Alterações do Ato Normativo 01/2017 TIPIFICAÇÃO DAS ARTS : CONCEITO I - ART de obra ou serviço, relativa à execução de obras ou prestação de serviços inerentes às profissões abrangidas pelo Sistema Confea/Crea;

Leia mais

O PETRÓLEO E A INDÚSTRIA MINERAL BRASILEIRA

O PETRÓLEO E A INDÚSTRIA MINERAL BRASILEIRA Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo O PETRÓLEO E A INDÚSTRIA MINERAL BRASILEIRA PMI 3101 - Introdução à Engenharia para a Indústria Mineral

Leia mais

O PETRÓLEO E A INDÚSTRIA MINERAL BRASILEIRA

O PETRÓLEO E A INDÚSTRIA MINERAL BRASILEIRA ATRIBUIÇÕES LEGAIS DOS ENGENHEIROS DE MINAS E DE PETRÓLEO Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973 CONSELHO

Leia mais

Engenharia Ambiental. Consolidação da Profissão e Perspectivas. Prof. Marcelo Zaiat EESC-USP

Engenharia Ambiental. Consolidação da Profissão e Perspectivas. Prof. Marcelo Zaiat EESC-USP Engenharia Ambiental Consolidação da Profissão e Perspectivas Prof. Marcelo Zaiat EESC-USP zaiat@sc.usp.br Engenharia Ambiental Que curso é esse? O que faz esse profissional? Qual a estrutura do curso?

Leia mais

INFORMAÇÃO 111/2012 DAP/SUPCOL PROTOCOLO Nº /2012 INTERESSADO: SAAE Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Guarulhos ASSUNTO: CONSULTA TÉCNICA

INFORMAÇÃO 111/2012 DAP/SUPCOL PROTOCOLO Nº /2012 INTERESSADO: SAAE Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Guarulhos ASSUNTO: CONSULTA TÉCNICA INFORMAÇÃO 111/2012 DAP/SUPCOL PROTOCOLO Nº 170480/2012 INTERESSADO: SAAE Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Guarulhos ASSUNTO: CONSULTA TÉCNICA 1. IDENTIFICAÇÃO E HISTÓRICO O SAAE- Serviço Autônomo

Leia mais

ENGENHARIA AMBIENTAL. Conheça mais sobre o curso

ENGENHARIA AMBIENTAL. Conheça mais sobre o curso ENGENHARIA AMBIENTAL Conheça mais sobre o curso MITOS VERDADES 1 Retrocede o desenvolvimento. 1 Busca o desenvolvimento sustentável. 2 Pouca área de atuação. 2 Amplo mercado de atuação. 3 É somente matemática.

Leia mais

ENGENHARIA MECÂNICA. Conheça mais sobre o curso

ENGENHARIA MECÂNICA. Conheça mais sobre o curso ENGENHARIA MECÂNICA Conheça mais sobre o curso MITOS VERDADES 1 Só precisa ser bom em matemática. 1 É uma área inter e multidisciplinar. 2 É uma profissão somente para homens. 2 É uma profissão tanto para

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP INFORMAÇÃO 098/2013 DAP/SUPCOL PROTOCOLO Nº 155437/2013 INTERESSADO: ROSANGELA PINSARD HENRIQUES ASSUNTO: CONSULTA TÉCNICA 1. IDENTIFICAÇÃO E HISTÓRICO Consulta de Rosangela Pinsard Henriques, referente

Leia mais

O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE, da UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UEPB, no uso de suas atribuições,

O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE, da UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UEPB, no uso de suas atribuições, MINUTA DE RESOLUÇÃO/UEPB/CONSEPE/ /2013. REFORMULA O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL - BAARELADO, DO CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA-CCT NO CAMPUS

Leia mais

ENGENHARIA ELÉTRICA ENGENHARIA ELÉTRICA

ENGENHARIA ELÉTRICA ENGENHARIA ELÉTRICA Universidade Estadual Paulista Campus de Bauru Faculdade de Engenharia www.dee.bauru..br Prof. Dr. Naasson P. de Alcantara Jr. Coordenador de Curso naasson@feb..br O que é Engenharia? Arte de aplicar conhecimentos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 278, DE 27 DE MAIO DE 1983.

RESOLUÇÃO Nº 278, DE 27 DE MAIO DE 1983. RESOLUÇÃO Nº 278, DE 27 DE MAIO DE 1983. Dispõe sobre o exercício profissional dos Técnicos Industriais e Técnicos Agrícolas de Nível Médio ou de 2º Grau e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE

Leia mais

OPERACIONALIZAÇÃO DA RESOLUÇÃO CONFEA Nº 1.010/05

OPERACIONALIZAÇÃO DA RESOLUÇÃO CONFEA Nº 1.010/05 OPERACIONALIZAÇÃO DA RESOLUÇÃO CONFEA Nº 1.010/05 MATERIAL ELABORADO A PARTIR DE APRESENTAÇÃO DO ENCONTRO DE LIDERANÇAS CONFEA, DE 12 DE MARÇO DE 2007, FEITA POR RUY CARLOS DE CAMARGO VIEIRA E MARCIUS

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES DE NÍVEL MÉDIO

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES DE NÍVEL MÉDIO CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES DE NÍVEL MÉDIO SUBSEQUENTE NA MODALIDADE A DISTÂNCIA e-tec Prof. Marcus Menezes Silveira Coordenador do curso http://etec.cg.ifms.edu.br/moodle/ Cursos técnicos Integrados

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 1, DE 16 DE JUNHO DE 2000

ATO NORMATIVO Nº 1, DE 16 DE JUNHO DE 2000 ATO NORMATIVO Nº 1, DE 16 DE JUNHO DE 2000 Dispõe sobre a documentação a ser exigida para o registro e a expedição da Certidão de Acervo Técnico aos profissionais do Sistema CONFEA/CREA-SP. O Conselho

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 342, DE 11 DE MAIO DE 1990.

RESOLUÇÃO Nº 342, DE 11 DE MAIO DE 1990. RESOLUÇÃO Nº 342, DE 11 DE MAIO DE 1990. Discrimina atividades relativas a empreendimentos agropecuários, florestais, agroindustriais e de armazenagem com ou sem utilização de Crédito Rural ou Incentivo

Leia mais

NOVA DENOMINAÇÃO - CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO RIO DE JANEIRO Conforme Portaria do Confea nº426, de 16/12/2011

NOVA DENOMINAÇÃO - CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO RIO DE JANEIRO Conforme Portaria do Confea nº426, de 16/12/2011 HABILITAÇÃO LEGAL (Para fins do que estabelece a Lei Federal 5.194 de 24/12/1966, as resoluções Nº 205, 1.010 e 345 do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia - CONFEA - e a norma NBR 14.653

Leia mais

REVISÃO DA NORMA BÁSICA PARA PERÍCIAS DE ENGENHARIA DO IBAPE/SP. Câmara de Perícias do IBAPE/SP

REVISÃO DA NORMA BÁSICA PARA PERÍCIAS DE ENGENHARIA DO IBAPE/SP. Câmara de Perícias do IBAPE/SP REVISÃO DA NORMA BÁSICA PARA PERÍCIAS DE ENGENHARIA DO IBAPE/SP Câmara de Perícias do IBAPE/SP Revisão - Justificativas Norma Atualmente em Vigor: dezembro de 2002. Aprovada há ~ 13 anos Novas publicações,

Leia mais

Esta engenharia tem muito pouco dessa disciplina. O profissional de química é formado para transformar uma coisa em outra, analisando em laboratório,

Esta engenharia tem muito pouco dessa disciplina. O profissional de química é formado para transformar uma coisa em outra, analisando em laboratório, Junho/2010.1 Esta engenharia tem muito pouco dessa disciplina. O profissional de química é formado para transformar uma coisa em outra, analisando em laboratório, por exemplo, as reações e a energia que

Leia mais

ENTENDIMENTO Nº. 11/2001 CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL - CEEI

ENTENDIMENTO Nº. 11/2001 CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL - CEEI ENTENDIMENTO Nº. 11/2001 CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL - CEEI Dispõe sobre o registro de Acervo Técnico e emissão da Certidão de Acervo Técnico CAT no CREA-CE A CÂMARA ESPECIALIZADA DE

Leia mais

CONTROLE DE EXPEDIÇÃO DE ATOS NORMATIVOS DO CREA-PE

CONTROLE DE EXPEDIÇÃO DE ATOS NORMATIVOS DO CREA-PE CONTROLE DE EXPEDIÇÃO DE ATOS NORMATIVOS DO CREA-PE ATO Nº DATA DE EXPEDIÇÃO EMENTA/ASSUNTO SITUAÇÃO ATUAL 001/82 24/09/1982 002/82 24/09/1982 003/83 07/12/1983 "Dispõe sobre o registro de empresas de

Leia mais

FISCALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E DE TELECOMUNICAÇÕES EM EDIFICAÇÕES.

FISCALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E DE TELECOMUNICAÇÕES EM EDIFICAÇÕES. Av. César Hilal, 700-1º andar - Bento Ferreira - Vitória - ES CEP 29050-662 Tel.: (27) 3334-9900 FAX: (27) 3324-3644 CEEE FISCALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE Organização: Comissão Própria de Avaliação - CPA/UNICENTRO Realização: Pró-Reitoria de Planejamento - PROPLAN Aplicação: Diretoria de Avaliação Institucional- DIRAI

Leia mais

3º Encontro Nacional de Tecnologia Química Regulamento e Registro Profissional dos Tecnólogos

3º Encontro Nacional de Tecnologia Química Regulamento e Registro Profissional dos Tecnólogos 3º Encontro Nacional de Tecnologia Química Regulamento e Registro Profissional dos Tecnólogos Jorge Reis Fleming IFRJ Maracanã CRQ3 Regulamento e Registro Profissional dos Tecnólogos Sumário CRQ / CFQ

Leia mais

ARQUITETURA - CONCEITO -O QUE É O ARQUITETO -ATRIBUIÇÕES. Introdução à Arquitetura. Paula Eça

ARQUITETURA - CONCEITO -O QUE É O ARQUITETO -ATRIBUIÇÕES. Introdução à Arquitetura. Paula Eça ARQUITETURA - CONCEITO -O QUE É O ARQUITETO -ATRIBUIÇÕES Introdução à Arquitetura CONCEITO "Pode-se então definir arquitetura como construção concebida com a intenção de ordenar e organizar plasticamente

Leia mais

Prefeitura Municipal de Ourolândia publica:

Prefeitura Municipal de Ourolândia publica: Prefeitura Municipal de 1 Ano V Nº 823 Prefeitura Municipal de publica: Lei Nº359, de 27 de março de 2017 - Dispõe sobre a recomposição da remuneração dos servidores públicos da Secretária Municipal de

Leia mais

2º - O CONFEA fixará os critérios e os valores das taxas da ART ad referendum do Ministro do

2º - O CONFEA fixará os critérios e os valores das taxas da ART ad referendum do Ministro do Ilustríssima Comissão Permanente de Licitação. Referente à EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº 03/2019, realizado pela PREFEITURA MUNICIPAL DE VALE DO SOL RS., pessoa jurídica de direito provado, INSCRITA NO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP INFORMAÇÃO 087/2012 - DAP PROTOCOLO Nº. 137790/2012 INTERESSADO: Sra Flávia de Arruda Ferreira Mazzi ASSUNTO: Consulta Técnica 1. IDENTIFICAÇÃO E HISTÓRICO A Eng. Ambiental Flávia de Arruda Ferreira Mazzi

Leia mais

JULGAMENTO DE IMPUGNAÇÃO PROCESSO: / EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 36/2016

JULGAMENTO DE IMPUGNAÇÃO PROCESSO: / EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 36/2016 JULGAMENTO DE IMPUGNAÇÃO PROCESSO: 23411.005076/2016-61 EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 36/2016 1. Cuida-se de reposta ao Pedido de Impugnação ao Edital interposto pela empresa Atena Comércio de Móveis

Leia mais

CREA-RS INTEGRANDO PROFISSIONAIS E SOCIEDADE

CREA-RS INTEGRANDO PROFISSIONAIS E SOCIEDADE CREA-RS INTEGRANDO PROFISSIONAIS E SOCIEDADE 1 O Sistema CONFEA/CREA Nova Sistemática Definição de Atribuições Profissionais 2 O que é o Sistema CONFEA/CREA? Composto pelo CONFEA, CREAs e Caixas de Assistência

Leia mais

Regulamentação Profissional: Atribuições e Conselhos de Classe

Regulamentação Profissional: Atribuições e Conselhos de Classe Conceitos Fundamentais de Engenharia 1º Ano Profa Fernanda Cristina Vianna/João Rodrigo Escalari Quintiliano Regulamentação Profissional: Atribuições e Conselhos de Classe CFQ (CONSELHO FEDERAL DE QUÍMICA)

Leia mais

Receituário Agronômico. Aspectos legais e a fiscalização

Receituário Agronômico. Aspectos legais e a fiscalização Receituário Agronômico Aspectos legais e a fiscalização CONFEA / CREA O CONSELHO FEDERAL Órgão regulador das profissões. A ele compete baixar as Resoluções e demais normativos que dão corpo ao exercício

Leia mais

1º SEMINÁRIO DE REPRESENTANTES DO SISTEMA CONFEA/CREA ANÁLISE DE PROJETOS DE LEI BRASÍLIA-DF 14 DE MARÇO DE 2012

1º SEMINÁRIO DE REPRESENTANTES DO SISTEMA CONFEA/CREA ANÁLISE DE PROJETOS DE LEI BRASÍLIA-DF 14 DE MARÇO DE 2012 1º SEMINÁRIO DE REPRESENTANTES DO SISTEMA CONFEA/CREA ANÁLISE DE PROJETOS DE LEI BRASÍLIA-DF 14 DE MARÇO DE 2012 ASSUNTO: PLS nº 491, de 18 de agosto de 2011 PROPONENTE: Marcelo Crivella DESTINATÁRIO:

Leia mais

NORMAS E LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL

NORMAS E LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL NORMAS E LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL L E G I S L A Ç Ã O P R O F I S S I O N A L E S E G U R A N Ç A D O T R A B A L H O P R O F ª B Á R B A R A S I L V É R I A SISTEMA CONFEA/CREA Conselho Federal de Engenharia

Leia mais

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Julgamento de Processos

CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA ELÉTRICA Julgamento de Processos 1 I - PROCESSOS DE VISTA I. I - PROCESSO DE VISTA 2 UGI CAMPINAS 1 PR-12139/2016 THIAGO ALEXANDRE MUSSATO JAN NOVAES RECICAR/VISTOR: PAULO ROBERTO BOLDRINI HISTÓRICO Trata o presente processo de pedido

Leia mais

PARECER DA CPL/RDC-ELETRÔNICO

PARECER DA CPL/RDC-ELETRÔNICO GOVERNO FEDERAL PODER EXECUTIVO - MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO RDC - CPL/RDC PROCESSO Nº 23402.001078/2018-51 Petrolina-PE, 31 de outubro de 2018 PARECER DA CPL/RDC-ELETRÔNICO

Leia mais

PNS propondo alterações na Lei nº 5.194, de 1966

PNS propondo alterações na Lei nº 5.194, de 1966 PNS propondo alterações na Lei nº 5.194, de 1966 PNS TEMÁTICA TEXTO DA PROPOSIÇÃO COMENTÁRIOS E/OU SUGESTÃO DE MINUTA TEXTO NORMA/AÇÃO CONTRIBUIÇÕES OITIVA 1 ESCOLAS 8 FISCALIZAÇÃO Alteração do art. 10

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP LEI Nº 5.194/1966

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP LEI Nº 5.194/1966 LEI Nº 5.194/1966 DECRETO FEDERAL 23.196/1933 Engenheiros Agrônomos DECRETO FEDERAL 23.569/1933 Conselho de Engenharia e Arquitetura DECRETO-LEI Nº 8.620/1946 Conselho Federal e Regionais CRISTALIZA O

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ESPERANÇA NOVA Comissão de Licitação

PREFEITURA MUNICIPAL DE ESPERANÇA NOVA Comissão de Licitação JULGAMENTO - PEDIDO DE IMPUGNAÇÃO Tomada de Preços n 35/2017 Processo n 05/2017 Trata-se de Pedido de Impugnação ao Edital de Tomada de Preços n 05/2017, Processo n 35/2017, que tem como objeto a contratação

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCE UFV ENGENHARIA CIVIL. COORDENADOR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Délio Porto Fassoni

Currículos dos Cursos do CCE UFV ENGENHARIA CIVIL. COORDENADOR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Délio Porto Fassoni 132 ENGENHARIA CIVIL COORDENADOR DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Délio Porto Fassoni delio@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2002 133 ATUAÇÃO Ao Engenheiro Civil compete o desempenho das atividades profissionais

Leia mais

CARTEIRA DE IDENTIDADE PROFISSIONAL

CARTEIRA DE IDENTIDADE PROFISSIONAL CARTEIRA DE IDENTIDADE PROFISSIONAL Nome do Profissional 05 Desempenho de cargos e funções técnicas no âmbito das atribuições respectivas. 06 Ensaios e pesquisas em geral. Pesquisa e desenvolvimento de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO - CREA-SP INFORMAÇÃO 011/2014 UCT/SUPCOL PROTOCOLO Nº 69060/2014 INTERESSADO: Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo Comarca de Orlândia ASSUNTO: Consulta Técnica 1. IDENTIFICAÇÃO E HISTÓRICO A Juíza de Direito

Leia mais

PRINCIPAIS NORMATIVOS PERTINENTES AO SISTEMA CONFEA/CREA S. Leis, decretos, resoluções, atos do CREA/PB.

PRINCIPAIS NORMATIVOS PERTINENTES AO SISTEMA CONFEA/CREA S. Leis, decretos, resoluções, atos do CREA/PB. PRINCIPAIS NORMATIVOS PERTINENTES AO SISTEMA CONFEA/CREA S Leis, decretos, resoluções, atos do CREA/PB. LEIS Lei Nº 11000 (15/12/2004) Ementa: Altera dispositivos da Lei nº 3.268, de 30 de setembro de

Leia mais

Regulamento de Compras :

Regulamento de Compras : Capítulo I: das Disposições Gerais Regulamento de Compras : Artigo 1º. O presente Regulamento estabelece normas para a contratação de obras e serviços e compras, no âmbito da Associação Fundo de Incentivo

Leia mais

Manual. Cartório de registro. A Engenharia nos Empreendimentos. Anexo X

Manual. Cartório de registro. A Engenharia nos Empreendimentos. Anexo X Manual A Engenharia nos Empreendimentos Cartório de registro Anexo X CARTÓRIO DE REGISTRO 1 Empreendimento Descrição: Cartório de Registro é o empreendimento cuja atividade exercida está sob a responsabilidade

Leia mais

Ética, Profissão e Cidadania Professor Paulo Sérgio Walenia. 10/4/2017 UTFPR Campus Curitiba DAELT Ética, Profissão e Cidadania 1

Ética, Profissão e Cidadania Professor Paulo Sérgio Walenia. 10/4/2017 UTFPR Campus Curitiba DAELT Ética, Profissão e Cidadania 1 Ética, Profissão e Cidadania Professor Paulo Sérgio Walenia 1 Nesta seção os seguintes assuntos serão abordados: Filosofia Tabela de Títulos Decreto 23.569 Lei 5194 Resolução 218 e correlatas Resolução

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: Controle e Processos Industriais Habilitação Profissional: Técnico em Mecânica

Leia mais

FISCALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE PROJETO E EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES DE ENERGIA ELÉTRICA POR TÉCNICOS INDUSTRIAIS DE 2º GRAU EM ELETROTÉCNICA.

FISCALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE PROJETO E EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES DE ENERGIA ELÉTRICA POR TÉCNICOS INDUSTRIAIS DE 2º GRAU EM ELETROTÉCNICA. Av. César Hilal, 700-1º andar - Bento Ferreira - Vitória - ES CEP 29050-662 Tel.: (27) 3334-9900 FAX: (27) 3324-3644 CEEE FISCALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE PROJETO E EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES DE ENERGIA ELÉTRICA

Leia mais

Prof.ª Bruna Socreppa

Prof.ª Bruna Socreppa Prof.ª Bruna Socreppa 1924 No Brasil: Perícia Contábil foi pela primeira vez incluída para debates perante um evento da classe no I Congresso Brasileiro de Contabilidade de 1024. Divisão da Contabilidade

Leia mais

Manual de Fiscalização Geógrafo Otaviano Eugênio Batista Brasília, 09 de Junho de 2015

Manual de Fiscalização Geógrafo Otaviano Eugênio Batista Brasília, 09 de Junho de 2015 Manual de Fiscalização Geógrafo Otaviano Eugênio Batista Brasília, 09 de Junho de 2015 Atividade típica da administração pública e de seus agentes, INDELEGÁVEL, para se fazer cumprir a preservação do direito

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Qualificação: Assistente de Técnico em Mecânica Módulo: 04

Plano de Trabalho Docente Qualificação: Assistente de Técnico em Mecânica Módulo: 04 Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça Área Profissional: Indústria Habilitação Profissional: Técnico de Nível Médio Técnico em Mecânica

Leia mais

NORMA PARA PROCEDIMENTOS DE RECEBIMENTO E ENTREGA DE OBRAS. Aspectos Práticos e Aplicação da Norma do IBAPE/SP

NORMA PARA PROCEDIMENTOS DE RECEBIMENTO E ENTREGA DE OBRAS. Aspectos Práticos e Aplicação da Norma do IBAPE/SP NORMA PARA PROCEDIMENTOS DE RECEBIMENTO E ENTREGA DE OBRAS Aspectos Práticos e Aplicação da Norma do IBAPE/SP 1 DOWNLOAD: www.ibape-sp.org.br 2 ABNT NBR 13752: Perícias de Engenharia na Construção Civil

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013

PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 (Do Sr. Antonio Carlos Mendes Thame) Regulamenta a profissão de Cientista de Alimentos. O Congresso Nacional decreta: Alimentos. Art. 1º Esta lei regulamenta a profissão de Cientista

Leia mais

PARECER DE VISTAS GT AMBIENTAL

PARECER DE VISTAS GT AMBIENTAL PARECER DE VISTAS GT AMBIENTAL Diante das dúvidas geradas em função do presente parecer, aprovado por maioria na plenária do mês de setembro, e questionamentos por parte dos profissionais engenheiros ambientais

Leia mais

Seminário de Treinamento para Melhoria da Fiscalização

Seminário de Treinamento para Melhoria da Fiscalização Seminário de Treinamento para Melhoria da Fiscalização Fiscalização do Exercício Profissional na Área de Engenharia de Segurança do Trabalho C O N F E A / C R E A Rio Verde MS 24/05/2002 Dados Oficiais

Leia mais

DECISÃO PREGOEIRO N.º 007/2010. Processo Licitatório n / Pregão Presencial n. 015/2010

DECISÃO PREGOEIRO N.º 007/2010. Processo Licitatório n / Pregão Presencial n. 015/2010 DECISÃO PREGOEIRO N.º 007/2010 Processo Licitatório n. 118.587/2010 - Pregão Presencial n. 015/2010 Trata-se de pedido de esclarecimento/impugnação interposto pela empresa XBRAMAR SOLUÇÕES E TECNOLOGIA

Leia mais

Nome: Conteúdo: Contato (site/ ):

Nome: Conteúdo: Contato (site/ ): : Fichas de Materiais e Serviços - Portas, Forros e Telhados O livro oferece aos profissionais da construção civil uma ferramenta prática de trabalho para as etapas de projeto, especificação, construção,

Leia mais

INFORMAÇÂO 054/2012 DAP/SUPCOL PROTOCOLO Nº / 2012 INTERESSADO: CARLOS EDUARDO ALVES TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA ASSUNTO: Consulta Técnica

INFORMAÇÂO 054/2012 DAP/SUPCOL PROTOCOLO Nº / 2012 INTERESSADO: CARLOS EDUARDO ALVES TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA ASSUNTO: Consulta Técnica INFORMAÇÂO 054/2012 DAP/SUPCOL PROTOCOLO Nº 76375 / 2012 INTERESSADO: CARLOS EDUARDO ALVES TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA ASSUNTO: Consulta Técnica 1. IDENTIFICAÇÃO E HISTÓRICO Trata-se de consulta do Técnico

Leia mais

ATO Nº 61. Dispõe sobre a conceituação de Projeto Básico em Consultoria de Engenharia, Arquitetura e Agronomia.

ATO Nº 61. Dispõe sobre a conceituação de Projeto Básico em Consultoria de Engenharia, Arquitetura e Agronomia. ATO Nº 61 Dispõe sobre a conceituação de Projeto Básico em Consultoria de Engenharia, Arquitetura e Agronomia. CONSIDERANDO que é dever O CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DO ESTADO

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO n 008/ 2018 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE CONTRATAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS POR TEMPO DETERMINADO

EDITAL DE SELEÇÃO n 008/ 2018 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE CONTRATAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS POR TEMPO DETERMINADO EDITAL DE SELEÇÃO n 008/ 2018 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO DE CONTRATAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS POR TEMPO DETERMINADO A Cáritas Brasileira, organismo da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do

Leia mais

1º SEMINÁRIO DE REPRESENTANTES DO SISTEMA CONFEA/CREA ANÁLISE DE PROJETOS DE LEI BRASÍLIA-DF 14 DE MARÇO DE 2012

1º SEMINÁRIO DE REPRESENTANTES DO SISTEMA CONFEA/CREA ANÁLISE DE PROJETOS DE LEI BRASÍLIA-DF 14 DE MARÇO DE 2012 1º SEMINÁRIO DE REPRESENTANTES DO SISTEMA CONFEA/CREA ANÁLISE DE PROJETOS DE LEI BRASÍLIA-DF 14 DE MARÇO DE 2012 ASSUNTO: PL-1.025/2002 - dispõe sobre o exercício da profissão de Físico e dá outras providências

Leia mais

ANEXO ÚNICO DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DENOMINAÇÃO DO CARGO: Atendente de Consultório Dentário Número de Vagas: 18 Nível de Acesso: IV - B

ANEXO ÚNICO DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DENOMINAÇÃO DO CARGO: Atendente de Consultório Dentário Número de Vagas: 18 Nível de Acesso: IV - B ANEXO ÚNICO DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DENOMINAÇÃO DO CARGO: Atendente de Consultório Dentário Número de Vagas: 18 Nível de Acesso: IV - B Descrição sumária de atribuições e/ou atividades: Orientar

Leia mais

Ética, Profissão e Cidadania Professor Paulo Sérgio Walenia. 10/17/2017 UTFPR Campus Curitiba DAELT Ética, Profissão e Cidadania 1

Ética, Profissão e Cidadania Professor Paulo Sérgio Walenia. 10/17/2017 UTFPR Campus Curitiba DAELT Ética, Profissão e Cidadania 1 Ética, Profissão e Cidadania Professor Paulo Sérgio Walenia 1 Nesta aula os seguintes assuntos serão abordados: Fundamentos Responsabilidades do Engenheiro Legislação Imperícia, Imprudência e Negligência

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO E A NOVA NR-10 III ENCONTRO DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA ELÉTRICA UFRJ

SEGURANÇA NO TRABALHO E A NOVA NR-10 III ENCONTRO DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA ELÉTRICA UFRJ SEGURANÇA NO TRABALHO E A NOVA NR-10 III ENCONTRO DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA ELÉTRICA UFRJ - 2006 Integração CREA-RJ e Estudantes Preparando para o Mercado de Trabalho Os Desafios Globais Sustentabilidade,

Leia mais

Ética, Profissão e Cidadania Professor Paulo Sérgio Walenia. 10/18/2017 UTFPR Campus Curitiba DAELT Ética, Profissão e Cidadania 1

Ética, Profissão e Cidadania Professor Paulo Sérgio Walenia. 10/18/2017 UTFPR Campus Curitiba DAELT Ética, Profissão e Cidadania 1 Ética, Profissão e Cidadania Professor Paulo Sérgio Walenia 1 Nesta aula os seguintes assuntos serão abordados: Lei Resoluções Modelo de 2 LEI 6496/77 Institui a "Anotação de Responsabilidade Técnica"

Leia mais

VI CONGRESSO BRASILEIRO DE GESTÃO AMBIENTAL

VI CONGRESSO BRASILEIRO DE GESTÃO AMBIENTAL O Biólogo no mercado de trabalho em Gestão Ambiental Prof. Dr. Murilo Damato Conselho Federal de Biologia CONSELHO FEDERAL DE BIOLOGIA -CFBio, Autarquia Federal, com personalidade jurídica de direito público,

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 981 DE Dep. Edison Andrino. 24/05/2002 sbc

PROJETO DE LEI N.º 981 DE Dep. Edison Andrino. 24/05/2002 sbc PROJETO DE LEI N.º 981 DE 1999 Dep. Edison Andrino 24/05/2002 sbc 2002 1 Ementa do PROJETO DE LEI 981/1999 Dispõe sobre a regulamentação do exercício das profissões de Analista de Sistemas e suas correlatas

Leia mais

1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1 Quadro de vagas:

1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1 Quadro de vagas: 1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1 Quadro de vagas: Empregos de nível médio Valor da Remuneração Ampla concorrência Pessoas com Deficiência - PCD TÉCNICO ADMINISTRATIVO R$ 7.951,13 2 90 0 T.A. TÉCNICO

Leia mais

O SIGNIFICADO DA EXPRESSÃO SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA OS FINS DA LEI DE LICITAÇÕES (LEI 8.666/93)

O SIGNIFICADO DA EXPRESSÃO SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA OS FINS DA LEI DE LICITAÇÕES (LEI 8.666/93) O SIGNIFICADO DA EXPRESSÃO SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA OS FINS DA LEI DE LICITAÇÕES (LEI 8.666/93) 1 Introdução Miguel Teixeira Filho Advogado em Joinville/SC www.teixeirafilho.com.br O presente estudo

Leia mais

IMPUGNAÇÃO I - FATOS DAS SEGUINTES AUSÊNCIAS DE DOCUMENTOS DE HABILITACAO PARA HIDROJATEAMENTO:

IMPUGNAÇÃO I - FATOS DAS SEGUINTES AUSÊNCIAS DE DOCUMENTOS DE HABILITACAO PARA HIDROJATEAMENTO: IMPUGNAÇÃO EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL... 167/2013 Modalidade... Pregão Presencial Forma de Julgamento...Menor Preço Por Item Alto Vale Locações e Serviços Ltda, inscrita no CNPJ sob o nº 04.633.539/0001-39,

Leia mais

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS Sistemas Prediais: (Instalações Elétricas e Hidrossanitárias)

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS Sistemas Prediais: (Instalações Elétricas e Hidrossanitárias) GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS Sistemas Prediais: (Instalações Elétricas e Hidrossanitárias) AGENDA 1 2 3 Apresentação Palestrante Informações necessárias no projeto Sistemas Prediais: Especialidades 4

Leia mais

Gabinete do Vereador Rodrigo Farah

Gabinete do Vereador Rodrigo Farah Lei n.º 2.963/2012 Ementa: Determina a realização periódica de inspeções em edificações no âmbito do Município de Niterói e dá outras providências. Art. 1º Ficam dispostas, nos termos desta Lei, regras

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 4796, DE (Da Sra. Jandira Feghali) O Congresso Nacional decreta:

PROJETO DE LEI Nº 4796, DE (Da Sra. Jandira Feghali) O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI Nº 4796, DE 2005. (Da Sra. Jandira Feghali) Regula o exercício profissional de Geofísico. O Congresso Nacional decreta: I- É livre, em todo o território nacional, o exercício da profissão

Leia mais