Informativo Austin Rating

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Informativo Austin Rating"

Transcrição

1 Informativo Austin Rating Cédula de Crédito Bancário - CCB CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO - CCB Medida Provisória n.º Resolução Banco Central do Brasil n.º 2.843/01 Comunicado SNA n.º 010/01 CONCEITO Título de crédito emitido por pessoa física ou jurídica, em favor de instituição financeira ou entidade equiparada, credora original da CCB, que representa promessa de pagamento em dinheiro, decorrente de operação de crédito de qualquer tipo. A CCB é título executivo extrajudicial e representa dívida líquida, certa exigível, podendo ser representada pela soma nela indicada ou planilha de cálculo e extratos de conta-corrente. NEGOCIAÇÃO Modalidade - é negociável através de operações de compra e venda final e compromissada Valor Nominal - valor mínimo de emissão R$ 1,00 (um real), com precisão de seis casas decimais Fracionamento da CCB não é admitido, implicando em quantidade de emissão unitária Garantia Cedular a CCB pode ser emitida com ou sem garantia, fidejussória ou real, cedularmente constituída Pagamento do principal através de amortizações periódicas ou em parcela única no vencimento, de acordo com o previsto na CCB Pagamento de juros periódico ou em parcela única de vencimento, de acordo com previsto na CCB Incorporação de juros para cédulas em que haja previsão de pagamento periódico de juros é permitida a incorporação de juros um período antes do primeiro pagamento Expressão da taxa de juros 360 ou 365 dias corridos ou 252 dias úteis Coobrigação somente é admitida quando o coobrigado for a instituição registradora, com pagamento na correspondente data do evento REMUNERAÇÃO E PRAZO MÍNIMOS Remuneração Prazo Mínimo Taxa Prefixada Taxa Flutuante (na forma admitida pela Res. CMN 1.143/86) DI SELIC Taxa Anbid dias TR mês TJLP mês Índice de Preços IGP M IPC A IGP DI INPC 1 ano

2 CLÁUSULAS Poderão ser pactuados: juros sobre a dívida, capitalizados ou não, os critérios de sua incidência e, se for o caso, a periodicidade de sua capitalização, mais despesas e encargos decorrentes da obrigação; critérios de atualização monetária ou atualização cambial da dívida, conforme o caso; casos de ocorrência de mora e de incidência das multas e penalidades contratuais, bem como hipóteses de vencimento antecipado da dívida; critérios de apuração e de ressarcimento de despesas de cobrança da dívida; se for o caso, modalidade de garantia da dívida, extensão e hipóteses de substituição da garantia; obrigação do credor de emitir extratos de conta-corrente ou planilhas de cálculo das dívidas; e, outras condições de concessão de crédito, suas garantias ou liquidação, obrigações adicionais do emitente ou terceiro garantidor da obrigação, desde que não vedado pela Medida provisória Sempre que necessário, a apuração do valor exato da dívida ou o saldo devedor deve ser feita por meio de planilha ou de extratos de conta-corrente. O valor do principal e dos encargos e despesas devem constar de modo discriminado, bem como o valor total da dívida. A CCB que for oriunda de contrato de abertura de crédito bancário em conta-corrente será emitida pelo valor total do crédito posto à disposição do emitente, na forma da Medida provisória REQUISITOS ESSENCIAIS denominação "cédula de crédito bancário"; promessa do emitente de pagar a dívida em dinheiro, líquida certa e exigível no seu vencimento; a data e lugar de pagamento; nome da instituição credora, podendo conter cláusula à ordem; data e lugar da emissão; e, assinatura do emitente, o terceiro garantidor ou seus mandatários. OPERACIONALIZAÇÃO 1. A CCB será emitida pelo devedor da operação de crédito que originou o título; 2. A CCB será registrada na CETIP, eletronicamente, de acordo com as cláusulas e condições constantes do título emitido (ver item registro); 3. O eventual comprador irá comprar o título na tela de negociação da CETIP; 4. A negociação se dará via CETIP; 5. Quando do vencimento e pagamento da cédula pelo emitente ou pelo coobrigado, se for o caso, o valor será transferido, pela instituição registradora, ao novo credor.

3 CESSÃO A CCB poderá ser objeto de cessão, caso em que o cessionário, mesmo não sendo instituição financeira ou entidade a ela equiparada, ficará sub-rogado em todos os direitos do cedente, podendo, inclusive, cobrar os juros e encargos pactuados na CCB. Obs.: Apenas a via do credor será negociável, devendo constar na via do devedor e eventual garantidor a expressão "não negociável". GARANTIAS A caução de direitos constitui-se pela mera notificação ao devedor do direito caucionada. As garantias poderão ser constituídas na própria cédula ou em documento separado, nesse caso fazendo-se menção na cédula da garantia. A descrição detalhada dos bens no título poderá ser substituída pela remissão a documento ou certidão que integrará a CCB. A garantia deverá abranger o principal do bem com todos os seus acessórios, benfeitorias, valorizações, frutos e acessões. Obs.: No caso da garantia ser prestada por pessoa jurídica deve ser designado representante para responder pela guarda e conservação do bem constitutivo da garantia (depositário fiel). O credor poderá exigir que o bem dado em garantia seja coberto por seguro até a liquidação da obrigação, em que o credor será o exclusivo beneficiário da apólice. ADITAMENTO Em caso de aditamento da cédula, este deverá ser feito fisicamente através de emissão do aditamento da cédula assinado pelas partes. Na CETIP, como o sistema para esse procedimento ainda não está disponível, a cédula, ainda não negociada, deverá ser cancelada e registrada com as alterações como uma nova cédula. Em caso de título já negociado, o aditamento deverá ser negociado com o novo credor. REGISTRO O registro da CCB não pode ser feito em condições diferentes do título emitido. O registro deverá sempre corresponder, exatamente, às cláusulas e condições constantes do título, que por sua vez é a instrumentalização da operação de crédito que originou a CCB. Na negociação da CCB, o comprador irá visualizar na tela da CETIP todas as condições da operação de crédito originária do título, a CCB. FUNDO DE INVESTIMENTO A CCB ou o CCCB poderão ser objetos de aplicação de Fundo de Investimento por serem considerados ativos financeiros e, quando negociados, serão registrados na conta própria do Fundo comprador na CETIP. Limitações Os fundos não poderão exceder o limite de: I. 10% do patrimônio líquido do fundo em compra de CCB de emissão de uma mesma pessoa jurídica (ou seu controlador ou coligado);

4 II. 20% do patrimônio líquido do fundo, em compra de CCB que tiver a coobrigação de uma mesma instituição financeira (ou seu controlador ou sua coligada); e, III. 20% do patrimônio líquido do fundo em compra de CCCB de emissão e coobrigação de uma mesma instituição financeira (ou seu controlador ou sua coligada). TRIBUTAÇÃO O IOF incidirá apenas na operação de crédito originária da CCB, tendo por contribuinte o cliente/emitente. Na emissão do título não haverá nova incidência de IOF, uma vez que em operações complexas que sejam passíveis de duas incidências de IOF o que primeiro incidir excluirá o posterior. Na negociação do título, seja CCB ou CCCB, não haverá IOF nem IR Fonte, por se tratar de operação realizada entre instituições financeiras. RISCO DE INTERVENÇÃO DO CREDOR ORIGINAL Considerando a automática transferência de propriedade da CCB e do CCCB (representando as cédulas de crédito bancário) e, consequentemente, de seus direitos creditórios, quando de sua negociação pela Central de Liquidação e Custódia - CETIP, tais créditos não estarão mais nos registros contábeis do emitente e sim, de seu titular, ou seja, o novo credor. Emitido o CCCB e a CCB, as importâncias recebidas pela instituição financeira a título de pagamento do principal e encargos não poderão ser objeto de penhora, arresto, seqüestro, busca e apreensão, ou qualquer outro embaraço que impeça a sua entrega ao titular do título, mas este poderá ser objeto de penhora, ou de qualquer medida cautelar por obrigação do seu titular. DISPOSIÇÕES ESPECIAIS Nas operações de crédito rotativo, o limite de crédito será recomposto automaticamente sempre que o devedor, não estando em mora ou inadimplente, amortizar a dívida. Para protesto do título, a CCB poderá ser encaminhada por cópia ao oficial do cartório, desde que a instituição credora declare estar de posse de sua única via negociável e indique o valor pelo qua l será protestada, inclusive no caso de protesto parcial. A validade e eficácia da CCB independem de registro, mas as garantias reais devem ser submetidas ao registro competente para valerem contra terceiros. CERTIFICADOS DE CÉDULAS DE CRÉDITO BANCÁRIO CONCEITO É facultada às instituições financeiras a emissão de Certificados de Cédula de Crédito Bancário CCBB, com lastro efetivo em mantidas em custódia, para negociação no mercado nacional ou internacional, com pessoas integrantes ou não no Sistema Financeiro Nacional. O Certificado pode representar CCB de diferentes valores e condições de remuneração, de propriedade da própria instituição ou de terceiros, podendo ser desdobrado ou reagrupado por conveniência do emitente ou do adquirente. O capital ingressado em razão de negociação no mercado externo, será registrado no BACEN mediante comprovação da efetiva negociação das divisas no País.

5 As CCBs quando registradas na CETIP geram, cada uma, um código que será incluído no CCCB como lastro deste título. NEGOCIAÇÃO O Certificado será negociável exclusivamente através de operações de compra e venda final, podendo ser emitido sob a forma física ou escritural, em ambos os casos sendo organizado pelo emitente, do qual constará local e data da emissão, nome da Instituição emitente, denominação "CCCB", expressa indicação da respectiva cédula ou cédulas sob as quais tiver sido admitido, o valor principal, os encargos convencionados e a época de amortização, total ou parcial, e o vencimento final, nome dos emitentes devedores das Cédulas e lugar e datas de pagamento do resgate, do principal e dos encargos das Cédulas. Valor Financeiro de emissão - soma dos valores nominais e juros das cédulas representadas no certificado, na data de emissão do mesmo Valor Financeiro atual soma dos valores nominais e juros das cédulas representadas no certificado Fracionamento do Certificado não é admitido, implicando em quantidade de emissão unitária Pagamento de principal e juros por tratar-se de título representativo de, o fluxo de pagamentos do certificado provém dos diversos eventos das cédulas nele representadas. TRANSFERÊNCIA O Certificado é transferível mediante endosso ou termo de cessão, devendo a transferência ser datada e assinada pelo seu titular ou mandatário com poderes especiais e averbada junto à instituição emitente, no prazo máximo de dois dias. As despesas e encargos de transferência do Certificado serão do cessionário, salvo convenção em contrário. Aplica-se aos Certificados a legislação cambial, no que não contrariar a Medida Provisória n.º , dispensado o protesto para garantir o direito de regresso contra endossantes, avalistas e direitos garantidores. INADIMPLÊNCIA A instituição registradora da CCB, seu credor original, deverá informar à CETIP o não pagamento de evento referente ao título, nas respectivas datas de vencimento. A inadimplência acarretará a retirada da CCB do Sistema e a geração de relatórios para as partes envolvidas. Caberá ao depositário da cédula disponibilizá-la em sua forma física, para procedimentos legais cabíveis. Quando a CCB for representada por CCCB, o procedimento será o mesmo, implicando na exclusão da CCB do Certificado e na impossibilidade de visualizá-las nas telas de consulta. Nos casos de CCB com coobrigação serão adotados os mesmos procedimentos, sendo a inadimplência do coobrigado informada ao Banco Central do Brasil. O Certificado poderá ser aditado com a substituição daquela CCB inadimplida por outra.

6 TABELA DE COBRANÇA (os valores estão isentos de ISS e COFINS) CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO Dias Corridos Taxa Aplicada 01 a 35 0,00030 % 36 a 95 0,00040 % 96 a 185 0,00050 % 186 a 366 0,00060 % > 366 0,00070 % A cobrança incidirá sobre o valor da emissão que, neste caso, é igual ao valor nominal da cédula, uma vez que a quantidade emitida é sempre igual a um, ou seja, é unitária. Os valores serão cobrados no 5º dia útil do mês seguinte ao do registro/depósito da Cédula e serão cobrados do registrador da Cédula. CERTIFICADO DE CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO Dias Corridos Taxa Aplicada 01 a 35 0,00015 % 36 a 95 0,00020 % 96 a 185 0,00025 % 186 a 366 0,00030 % > 366 0,00035 % A cobrança incidirá sobre o valor financeiro de emissão que, neste caso, é igual ao somatório dos valores nominais e juros das cédulas representadas pelo certificado. Os valores serão cobrados no 5º dia útil do mês seguinte ao do registro / depósito do certificado e serão devidos pelo seu emissor. Austin Rating Classificadora de Risco Rua Leopoldo Couto de Magalhães Jr., 110-7º andar - Cj Itaim - São Paulo - SP Brasil Telefone: (11) / Fax: (11)

CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO (MEDIDA PROVISÓRIA Nº 1.925 DE 14/10/1999)

CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO (MEDIDA PROVISÓRIA Nº 1.925 DE 14/10/1999) CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO (MEDIDA PROVISÓRIA Nº 1.925 DE 14/10/1999) JOAQUIM ANTONIO VIZEU PENALVA SANTOS Desembargador TJ/RJ 1. DEFINIÇÃO 1) É um título de crédito emitido por pessoa física ou jurídica

Leia mais

Resolvem, na melhor forma de direito, celebrar o presente Contrato de Mútuo ( Contrato ), de acordo com os seguintes termos e condições:

Resolvem, na melhor forma de direito, celebrar o presente Contrato de Mútuo ( Contrato ), de acordo com os seguintes termos e condições: CONTRATO DE MÚTUO Prelo presente instrumento particular, [O Estudante, pessoa física proponente de empréstimo com determinadas características ( Proposta )], identificado e assinado no presente contrato

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento de Utilização do seu Cartão de Crédito Bradesco

SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento de Utilização do seu Cartão de Crédito Bradesco SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento de Utilização do seu Cartão de Crédito Bradesco A seguir você encontrará um resumo dos seus direitos e deveres e das principais condições e informações a respeito

Leia mais

Cédula de Crédito Imobiliário - CCI

Cédula de Crédito Imobiliário - CCI Títulos Imobiliários Renda Fixa Cédula de Crédito Imobiliário - CCI Títulos Imobiliários Cédula de Crédito Imobiliário Instrumento que facilita a negociabilidade e a portabilidade do crédito imobiliário

Leia mais

Cédula de Crédito Bancário Abertura de Crédito Pessoa Física

Cédula de Crédito Bancário Abertura de Crédito Pessoa Física Cédula nº: Valor: Data da emissão: Data do vencimento: 1. EMITENTE(S): 1.1 Nome: 1.2 RG: 1.3 CPF/MF - CNPJ/MF: E os coemitentes, demais titulares da conta corrente ao final nomeados, todos qualificados

Leia mais

I - EMITENTE II - INTERVENIENTE(S) / AVALISTA(S) III - CARACTERÍSTICAS DO(S) PRODUTO(S) MARCA MODELO ANO/MODELO COR COMBUSTÍVEL

I - EMITENTE II - INTERVENIENTE(S) / AVALISTA(S) III - CARACTERÍSTICAS DO(S) PRODUTO(S) MARCA MODELO ANO/MODELO COR COMBUSTÍVEL Nº DA CÉDULA CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO I - EMITENTE II - INTERVENIENTE(S) / AVALISTA(S) III - CARACTERÍSTICAS DO(S) (S) MARCA MODELO ANO/MODELO COR COMBUSTÍVEL RENAVAN CHASSI PLACA NOTA FISCAL (CASO VEÍCULO

Leia mais

Prof. Cid Roberto. Spread. Operações passivas. Operações ativas. Operações acessórias. Conhecimentos Bancários e Atualidades do Mercado Financeiro

Prof. Cid Roberto. Spread. Operações passivas. Operações ativas. Operações acessórias. Conhecimentos Bancários e Atualidades do Mercado Financeiro Conhecimentos Bancários e Atualidades do Mercado Financeiro Mercado Financeiro Prof. Cid Roberto Grupo Conhecimentos Bancários no Google http://goo.gl/gbkij Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) http://goo.gl/4a6y7

Leia mais

Credfaz Servidor Federal

Credfaz Servidor Federal COOPERATIVA DE CRÉDITO DO SERVIDOR FEDERAL LTDA. SICOOB CREDFAZ SERVIDOR FEDERAL Credfaz Servidor Federal Edifício CREDFAZ - SCS - Quadra 05 Bloco C - Ent. 165/9 - CEP 70305-921 - Brasília - Fone: 61 3035

Leia mais

MANUAL DE NORMAS CCI CÉDULA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ÍNDICE

MANUAL DE NORMAS CCI CÉDULA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ÍNDICE 2 / 14 MANUAL DE NORMAS CCI CÉDULA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO TERCEIRO DAS ATIVIDADES DISPONIBILIZADAS PELA CETIP _6 CAPÍTULO

Leia mais

MANUAL DE NORMAS GESTÃO DE GARANTIAS

MANUAL DE NORMAS GESTÃO DE GARANTIAS MANUAL DE NORMAS GESTÃO DE GARANTIAS VERSÃO: 18/07/2011 2 / 18 MANUAL DE NORMAS GESTÃO DE GARANTIAS ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 4 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 5 CAPÍTULO TERCEIRO DA UTILIZAÇÃO

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL

CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL 24170-3 (FL. 1/4) SF 06/11 Via única CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL Estas são as condições gerais do Empréstimo Pessoal, solicitado e contratado por você. Leia atentamente estas condições

Leia mais

PARCELAMENTO ORDINÁRIO DE TRIBUTOS FEDERAIS

PARCELAMENTO ORDINÁRIO DE TRIBUTOS FEDERAIS PARCELAMENTO ORDINÁRIO DE TRIBUTOS FEDERAIS PARCELAMENTO ORDINÁRIO DE TRIBUTOS FEDERAIS 1 Os débitos de qualquer natureza para com a Fazenda Nacional podem ser parcelados em até 60 (sessenta) prestações

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL 1. FINALIDADE 1.1. Este Regulamento tem por finalidade disciplinar as concessões de empréstimos aos Participantes do Plano de Benefícios JMalucelli, administrado pelo

Leia mais

Resumo do Regulamento de Utilização do seu Cartão de Crédito Bradesco Básico Standard.

Resumo do Regulamento de Utilização do seu Cartão de Crédito Bradesco Básico Standard. SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento de Utilização do seu Cartão de Crédito Bradesco Básico Standard. A seguir, você encontrará um resumo dos seus direitos e deveres e das principais condições e informações

Leia mais

Caderno de Debêntures

Caderno de Debêntures Caderno de Debêntures CSMG16 Cia de Saneamento de M. Gerais COPASA MG Valor Nominal na Emissão: R$1.000.000,00 Quantidade Emitida: 200 Emissão: 15/02/2012 Vencimento: 15/02/2017 Classe: Não Conversível

Leia mais

BANCO CETELEM S/A Alameda Rio Negro, nº 161, 7º Andar Alphaville - CEP 06454-000 Barueri - São Paulo - Brasil

BANCO CETELEM S/A Alameda Rio Negro, nº 161, 7º Andar Alphaville - CEP 06454-000 Barueri - São Paulo - Brasil BANCO CETELEM S/A Alameda Rio Negro, nº 161, 7º Andar Alphaville - CEP 06454-000 Barueri - São Paulo - Brasil 01.2014 5-SCOM02.31 EMITENTE (OU FAMILIAR, EM CASO DE ANALFABETO) Site: www.cetelem.com.br/consignado

Leia mais

Venda exclusiva para pessoa jurídica. Condições Gerais EMPRESARIAL

Venda exclusiva para pessoa jurídica. Condições Gerais EMPRESARIAL Venda exclusiva para pessoa jurídica. Condições Gerais O IDEAL CAP Empresarial é um título de capitalização de pagamento mensal que ajuda você a guardar dinheiro para tirar os projetos do papel. Além disso,

Leia mais

CONTRATO DE EMISSÃO E UTILIZAÇÃO DO CARTÃO DE COMPRAS. I -DEFINIÇÕES: para os fins deste CONTRATO, serão adotadas as seguintes definições:

CONTRATO DE EMISSÃO E UTILIZAÇÃO DO CARTÃO DE COMPRAS. I -DEFINIÇÕES: para os fins deste CONTRATO, serão adotadas as seguintes definições: CONTRATO DE EMISSÃO E UTILIZAÇÃO DO CARTÃO DE COMPRAS I -DEFINIÇÕES: para os fins deste CONTRATO, serão adotadas as seguintes definições: a) PASSA TEMPO ADMINISTRADORA DE CARTÃO LTDA., com sede na Rua

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS E PROMITENTES COMPRADORES DO EDIFÍCIO AMERICA OFFICE TOWER EDITAL Nº 001/2008

ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS E PROMITENTES COMPRADORES DO EDIFÍCIO AMERICA OFFICE TOWER EDITAL Nº 001/2008 ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS E PROMITENTES COMPRADORES DO EDIFÍCIO AMERICA OFFICE TOWER EDITAL Nº 001/2008 A ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS E PROMITENTES COMPRADORES DO EDIFÍCIO AMERICA OFFICE TOWER, torna

Leia mais

Prof. Cid Roberto. Concurso 2012

Prof. Cid Roberto. Concurso 2012 Prof. Cid Roberto Concurso 2012 Grupo Conhecimentos Bancários no Google http://goo.gl/gbkij Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) http://goo.gl/4a6y7 É um órgão colegiado, de segundo grau, integrante

Leia mais

Renda Fixa Debêntures. Renda Fixa. Debênture

Renda Fixa Debêntures. Renda Fixa. Debênture Renda Fixa Debênture O produto A debênture é um investimento em renda fixa. Trata-se de um título de dívida que gera um direito de crédito ao investidor. Ou seja, o mesmo terá direito a receber uma remuneração

Leia mais

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES PROEX

PROGRAMA DE FINANCIAMENTO ÀS EXPORTAÇÕES PROEX REVISTA JURÍDICA CONSULEX ONLINE Conjuntura Walter Douglas Stuber WALTER DOUGLAS STUBER é sócio do escritório Stuber Advogados Associados e especialista em Direito Bancário, Mercado de Capitais e Negociações

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com relação a conceitos, objetivos e finalidades da contabilidade, julgue os itens que se seguem. 51 Auxiliar um governo no processo de fiscalização tributária é uma das finalidades

Leia mais

CIRCULAR CAIXA N 0 290, DE 18 DE JULHO DE 2003

CIRCULAR CAIXA N 0 290, DE 18 DE JULHO DE 2003 Ministério da Fazenda Caixa Econômica Federal CIRCULAR CAIXA N 0 290, DE 18 DE JULHO DE 2003 Define procedimentos para operacionalização da linha de crédito destinada à aquisição de Certificados de Recebíveis

Leia mais

Investtop www.investtop.com.br

Investtop www.investtop.com.br 1 Conteúdo Introdução... 4 CDB... 6 O que é CDB?...6 Liquidez...6 Tributação...6 Riscos...7 Dicas...7 Vantagens...7 Letra de Crédito do Imobiliário (LCI)... 9 O que é LCI?...9 Liquidez...9 Tributação...9

Leia mais

1.3. Ao comprador da LCI é conferido direito de crédito pelo valor nominal, juros e, se for o caso, atualização monetária.

1.3. Ao comprador da LCI é conferido direito de crédito pelo valor nominal, juros e, se for o caso, atualização monetária. REGULAMENTO DA LETRA DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ( LCI ) DE EMISSÃO DO BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A. O BANCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A, inscrito no CNPJ/MF sob nº 60.770.336/0001-65, com sede na Cidade de

Leia mais

PROGRAMA BNDES-EXIM PÓS-EMBARQUE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS

PROGRAMA BNDES-EXIM PÓS-EMBARQUE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS PROGRAMA BNDES-EXIM PÓS-EMBARQUE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS 1. PEDIDO DE REFINANCIAMENTO O pedido de refinanciamento deverá ser formalizado mediante Consulta Prévia (Anexo 2), que poderá ser apresentada

Leia mais

O que é conta corrente? O que é o depósito? Direito Bancário Quais os elementos do mútuo civil? Real O que isso quer dizer? Unilateral O que isso quer dizer? Coisa fungível Temporariedade Direito Bancário

Leia mais

matrícula, inscrito(a) no CPF sob o n.º

matrícula, inscrito(a) no CPF sob o n.º CONTRATO DE MÚTUO, EMPRÉSTIMO FUNCEF NA MODALIDADE DE CREDINÂMICO 13º SALÁRIO FEVEREIRO QUE ENTRE SI FAZEM AS PARTES ABAIXO IDENTIFICADAS, NAS CONDIÇÕES QUE SE SEGUEM: SÃO PARTES DESTE CONTRATO: A FUNDAÇÃO

Leia mais

OAB XIV EXAME PROVA BRANCA. Comentário às questões de Direito Empresarial. A prova foi bem elaborada e não ofereceu maiores dificuldades.

OAB XIV EXAME PROVA BRANCA. Comentário às questões de Direito Empresarial. A prova foi bem elaborada e não ofereceu maiores dificuldades. OAB XIV EXAME PROVA BRANCA Comentário às questões de Direito Empresarial A prova foi bem elaborada e não ofereceu maiores dificuldades. QUESTÃO 48 Paulo, casado no regime de comunhão parcial com Jacobina,

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.436. II - capítulo 16, seção 4, subseções 2 e 4; e. Art. 2 Esta circular entra em vigor na data de sua publicação.

CIRCULAR Nº 3.436. II - capítulo 16, seção 4, subseções 2 e 4; e. Art. 2 Esta circular entra em vigor na data de sua publicação. Página 1 de 1 CIRCULAR Nº 3.436 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada em 6 de fevereiro de 2009,

Leia mais

CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO CCB

CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO CCB CRÉDITO PROPOSTA CONSIGNADO DE CRÉDITO - CONSIGNADO ASSOCIADO: Nome: Conta Corrente Nº: CPF/CNPJ: Sigla: Matrícula na empresa: Carteira de Identidade: Órgão emissor: Endereço: CEP: Cidade: UF: E-mail:

Leia mais

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO Informações referentes a novembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S.A. Companhia Aberta. CNPJ/MF nº 43.470.988/0001-65 NIRE 35.300.329.520

EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S.A. Companhia Aberta. CNPJ/MF nº 43.470.988/0001-65 NIRE 35.300.329.520 EVEN CONSTRUTORA E INCORPORADORA S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº 43.470.988/0001-65 NIRE 35.300.329.520 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 29 DE JANEIRO DE 2008 1. DATA, HORA E LOCAL:

Leia mais

Norma do Empréstimo Pré-fixado Plano Prece III

Norma do Empréstimo Pré-fixado Plano Prece III Norma do Empréstimo Pré-fixado Plano Prece III Sumário - Objetivo -1/6 - Conceitos Básicos -1/6 - Competências - 2/6 - Condições para o Financiamento - 2/6 - Disposições Gerais - 6/6 - Vigência - 6/6 Objetivo.

Leia mais

VALOR GARANTIDO VIVACAPIXXI

VALOR GARANTIDO VIVACAPIXXI VALOR GARANTIDO VIVACAPIXXI CONDIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I GENERALIDADES ARTº 1º - DEFINIÇÕES 1. Para os efeitos do presente contrato, considera-se: a) Companhia - a entidade seguradora,, que subscreve com

Leia mais

VIVER INCORPORADORA E CONSTRUTORA S.A. CNPJ/MF N.º 67.571.414/0001-41 NIRE 35.300.338.421 (Companhia Aberta)

VIVER INCORPORADORA E CONSTRUTORA S.A. CNPJ/MF N.º 67.571.414/0001-41 NIRE 35.300.338.421 (Companhia Aberta) VIVER INCORPORADORA E CONSTRUTORA S.A. CNPJ/MF N.º 67.571.414/0001-41 NIRE 35.300.338.421 (Companhia Aberta) ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 19 DE MAIO DE 2011 1. DATA, HORA E

Leia mais

A CBLC atua como contraparte central nas Operações de Empréstimo de Ativos.

A CBLC atua como contraparte central nas Operações de Empréstimo de Ativos. C A P Í T U L O V I - S E R V I Ç O D E E M P R É S T I M O D E A T I V O S - B T C O Serviço de Empréstimo de Ativos da CBLC (BTC) permite: O registro de ofertas e o fechamento de Operações contra as

Leia mais

Resumo do Regulamento da Utilização do Cartão de Crédito Bradesco

Resumo do Regulamento da Utilização do Cartão de Crédito Bradesco Sumário Executivo Resumo do Regulamento da Utilização do Cartão de Crédito Bradesco A seguir você encontrará um resumo dos seus direitos e deveres e das principais condições e informações a respeito do

Leia mais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 1 - Disposições Gerais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 1 - Disposições Gerais 1 1. O presente título trata das disposições normativas e dos procedimentos relativos ao mercado de câmbio, de acordo com a Resolução n 3.568, de 29.05.2008. 2. As disposições deste título aplicam-se às

Leia mais

CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO CONFISSÃO DE DÍVIDA E REPACTUAÇÃO

CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO CONFISSÃO DE DÍVIDA E REPACTUAÇÃO CÉDULA Nº VIA: Negociável (CREDOR) Não Negociável (EMITENTE) I EMITENTE Nome/Razão Social CPF /CNPJ Banco Agência nº Conta corrente nº II TERCEIROS GARANTIDORES também denominados DEVEDORES/GARANTIDORES

Leia mais

CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL. Empresa: Matrícula: Telefone: ( ) Renegociação? ( ) NÃO ( ) SIM Novo Contrato:

CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL. Empresa: Matrícula: Telefone: ( ) Renegociação? ( ) NÃO ( ) SIM Novo Contrato: CONTRATO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL Nome do Participante/Assistido: Empresa: Matrícula: Telefone: ( ) Valor do Empréstimo: Quantidade de Prestações: Renegociação? ( ) NÃO ( ) SIM Novo Contrato: Valor liquido

Leia mais

Contratos de Mútuo Empréstimos Incidência de IRRF e IOF

Contratos de Mútuo Empréstimos Incidência de IRRF e IOF Contratos de Mútuo Empréstimos Incidência de IRRF e IOF Os contratos de mútuo, comumente realizados entre pessoas físicas e jurídicas, serão tributados, na fonte, pelo Imposto de Renda e pelo Imposto sobre

Leia mais

REGULAMENTO DA CÂMARA DE REGISTRO, COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OPERAÇÕES DE CÂMBIO DA BM&FBOVESPA. Março 2014. Página 1

REGULAMENTO DA CÂMARA DE REGISTRO, COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OPERAÇÕES DE CÂMBIO DA BM&FBOVESPA. Março 2014. Página 1 REGULAMENTO DA CÂMARA DE REGISTRO, COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OPERAÇÕES DE CÂMBIO DA BM&FBOVESPA Março 2014 Página 1 ÍNDICE CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES DA CÂMARA... 6 CAPÍTULO

Leia mais

captação de recursos empréstimos financiamento.

captação de recursos empréstimos financiamento. Instrumentos utilizados pelas instituições financeiras para captação de recursos (funding) que serão utilizados nas operações de empréstimos e financiamento. 1 O cliente entrega os recursos ao banco, sendo

Leia mais

SEGURO-GARANTIA CONDIÇÕES GERAIS

SEGURO-GARANTIA CONDIÇÕES GERAIS SEGURO-GARANTIA CONDIÇÕES GERAIS 1. INFORMAÇÕES PRELIMINARES... 2 2. APRESENTAÇÃO... 2 3. ESTRUTURA DO CONTRATO DE SEGURO... 2 4. OBJETIVO DO SEGURO... 3 5. DEFINIÇÕES... 3 6. FORMA DE CONTRATAÇÃO... 4

Leia mais

MANUAL PARA REGISTRO DE CERTIFICADO DE DEPÓSITO DE VALORES MOBILIÁRIOS - BDR NÍVEL I NÃO PATROCINADO

MANUAL PARA REGISTRO DE CERTIFICADO DE DEPÓSITO DE VALORES MOBILIÁRIOS - BDR NÍVEL I NÃO PATROCINADO MANUAL PARA REGISTRO DE CERTIFICADO DE DEPÓSITO DE VALORES MOBILIÁRIOS - BDR NÍVEL I NÃO PATROCINADO Artigo 1º. Para registro do Certificado de Depósito de Valores Mobiliários - BDR Nível I Não Patrocinado

Leia mais

MATERIAL PUBLICITÁRIO

MATERIAL PUBLICITÁRIO OFERTA PÚBLICA DE DISTRIBUIÇÃO DE DEBÊNTURES SIMPLES, NÃO CONVERSÍVEIS EM AÇÕES, DA ESPÉCIE QUIROGRAFÁRIA, EM ATÉ QUATRO SÉRIES, DA QUARTA EMISSÃO DA EDP ENERGIAS DO BRASIL S.A. EDP ENERGIAS DO BRASIL

Leia mais

Depósito a Prazo com Garantia Especial do FGC (DPGE)

Depósito a Prazo com Garantia Especial do FGC (DPGE) Depósito a Prazo com Garantia Especial do FGC (DPGE) 1. O depósito criado pela Resolução 3.692/09 do CMN é um RDB (Recibo de Depósito Bancário) ou um CDB (Certificado de Depósito Bancário)? R. É um Depósito

Leia mais

CLÁUSULAS GERAIS DO CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO PARCELADO

CLÁUSULAS GERAIS DO CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO PARCELADO CLÁUSULAS GERAIS que regem o Contrato de Abertura de Crédito Parcelado, tendo de um lado o BRB - BANCO DE BRASÍLIA S.A., com sede em Brasília, Capital Federal, inscrito no CNPJ/MF sob o número 00.000.208/0001-00,

Leia mais

REGULAMENTO DA CÂMARA DE REGISTRO, COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OPERAÇÕES DE CÂMBIO BM&FBOVESPA

REGULAMENTO DA CÂMARA DE REGISTRO, COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OPERAÇÕES DE CÂMBIO BM&FBOVESPA REGULAMENTO DA CÂMARA DE REGISTRO, COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OPERAÇÕES DE CÂMBIO BM&FBOVESPA CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES DA CÂMARA CAPÍTULO III DOS PARTICIPANTES CAPÍTULO IV

Leia mais

Professor : André Luiz Oliveira Santos. (continuação) Itapetininga SP

Professor : André Luiz Oliveira Santos. (continuação) Itapetininga SP Professor : André Luiz Oliveira Santos (continuação) Itapetininga SP 2015 2 5. GARANTIAS DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL Baseiam-se na confiança, isto é, se o devedor não pagar, uma terceira pessoa (que

Leia mais

LEI N o 10.931, DE 02 DE AGOSTO DE 2004.

LEI N o 10.931, DE 02 DE AGOSTO DE 2004. LEI N o 10.931, DE 02 DE AGOSTO DE 2004. Dispõe sobre o patrimônio de afetação de incorporações imobiliárias, Letra de Crédito Imobiliário, Cédula de Crédito Imobiliário, Cédula de Crédito Bancário, altera

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO "NOVO LEBLON"

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO NOVO LEBLON ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO "NOVO LEBLON" I - Denominação e Objetivo ARTIGO 1º - O Clube de Investimento Novo Leblon, doravante designado Clube é constituído por número limitado de membros

Leia mais

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. CNPJ/MF Nº 33.113.309/0001-47 NIRE 33.3.

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. CNPJ/MF Nº 33.113.309/0001-47 NIRE 33.3. VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. CNPJ/MF Nº 33.113.309/0001-47 NIRE 33.3.0027799-4 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 11 DE MAIO DE

Leia mais

Demonstrativo da Composição e Diversificação da Carteira

Demonstrativo da Composição e Diversificação da Carteira Demonstrativo da Composição e Diversificação da Carteira Mês/Ano: 31 de março de 2016 Nome do Fundo: Alfa I - Fundo Mútuo de CNPJ: 03.919.892/0001-17 Administrador: Banco Alfa de Investimento S.A. CNPJ:

Leia mais

CIRCULAR SUSEP N 71, de 11 de dezembro de 1998.

CIRCULAR SUSEP N 71, de 11 de dezembro de 1998. CIRCULAR SUSEP N 71, de 11 de dezembro de 1998. Dispõe sobre a operação dos contratos previdenciários dos planos coletivos que tenham por finalidade a concessão de benefícios a pessoas físicas vinculadas

Leia mais

INSTRUTIVO Nº 05/91. No uso da faculdade que me é conferida pelo Artigo 60º da Lei Orgânica do Banco Nacional de Angola, determino: Artigo 1º

INSTRUTIVO Nº 05/91. No uso da faculdade que me é conferida pelo Artigo 60º da Lei Orgânica do Banco Nacional de Angola, determino: Artigo 1º INSTRUTIVO Nº 05/91 Assunto: POLITICA MONETARIA - Operações de Crédito/Redesconto.Regulamento CONSIDERANDO,que nos termos do artigo 16º alínea f da Lei Orgânica do Banco Nacional de Angola, aprovada pela

Leia mais

Principais alterações na Lei das Sociedades por Ações introduzidas pela Lei nº 12.431, de 27 de junho de 2011

Principais alterações na Lei das Sociedades por Ações introduzidas pela Lei nº 12.431, de 27 de junho de 2011 Setembro de 2011 Ano 02 nº 011 Principais alterações na Lei das Sociedades por Ações introduzidas pela Lei nº 12.431, de 27 de junho de 2011 Em 27 de junho de 2011, o Congresso Nacional publicou a Lei

Leia mais

FGC- 081223 São Paulo, 12 de dezembro de 2008. INFORMAÇÕES SOBRE O PROGRAMA PARA APLICAÇÃO DE RECURSOS

FGC- 081223 São Paulo, 12 de dezembro de 2008. INFORMAÇÕES SOBRE O PROGRAMA PARA APLICAÇÃO DE RECURSOS São Paulo, 12 de dezembro de 2008. INFORMAÇÕES SOBRE O PROGRAMA PARA APLICAÇÃO DE RECURSOS FORMA 1 - O FGC concederá um limite para as médias e pequenas instituições associadas, de capital nacional, com

Leia mais

ITAÚ MAXI RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 04.222.433/0001-42

ITAÚ MAXI RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 04.222.433/0001-42 ITAÚ MAXI RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 04.222.433/0001-42 MENSAGEM DO ADMINISTRADOR Prezado Cotista, Este FUNDO, constituído sob a forma de condomínio aberto,

Leia mais

Condições de Venda em Hasta Pública Unificada

Condições de Venda em Hasta Pública Unificada Condições de Venda em Hasta Pública Unificada ORIENTAÇÕES DO PREGÃO JUDICIAL Última atualização em Terça, 26 Agosto 2014 01. Para todas as Varas do Trabalho deste Regional, a Hasta Pública Unificada realizada,

Leia mais

BANCO DO BRASIL S.A.

BANCO DO BRASIL S.A. BANCO DO BRASIL S.A. Sumário Executivo do Contrato dos Cartões de Crédito Co-Branded Smiles Banco do Brasil S.A. Pessoas Físicas Correntistas e Não-Correntistas Características do Cartão de Crédito Smiles

Leia mais

28. Câmbio. 1. Escrituração. 2. Disponibilidades em Moedas Estrangeiras

28. Câmbio. 1. Escrituração. 2. Disponibilidades em Moedas Estrangeiras TÍTULO : PLANO CONTÁBIL DAS INSTITUIÇÕES DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - COSIF 1 28. Câmbio 1. Escrituração 1 - Sempre que o ato ou fato administrativo envolver outra moeda além da moeda nacional, a escrituração

Leia mais

ITAÚ PERSONNALITÉ RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO

ITAÚ PERSONNALITÉ RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO ITAÚ PERSONNALITÉ RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 00.832.424/0001-12 MENSAGEM DO ADMINISTRADOR Prezado Cotista, Este FUNDO, constituído sob a forma de condomínio

Leia mais

REAL PPR Condições Gerais

REAL PPR Condições Gerais Entre a, adiante designada por Segurador, e o Tomador do Seguro identificado nas Condições Particulares, estabelece-se o presente contrato de seguro que se regula pelas Condições Particulares e desta apólice,

Leia mais

Especial Imposto de Renda 2015

Especial Imposto de Renda 2015 Especial Imposto de Renda 2015 01. A pessoa física com ganho de capital em valor inferior a R$ 35.000,00, que utilizar o fator de redução na venda de imóvel residencial, está obrigada a entrega da DIRPF?

Leia mais

CONTRATO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO COM FINALIDADE ESPECÍFICA

CONTRATO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO COM FINALIDADE ESPECÍFICA CONTRATO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO COM FINALIDADE ESPECÍFICA CAIXA DE PREVIDÊNCIA DOS FUNCIONÁRIOS DO BANCO DO BRASIL, entidade fechada de previdência complementar, com sede na Praia de Botafogo, nº

Leia mais

Simulação de Crédito Pessoal

Simulação de Crédito Pessoal Simulação de Crédito Pessoal Data de Impressão: 15-10-2013 12:35 Número de Simulação: 13892037 Resumo Prestação Comissão de Processamento (mensal) (Acresce Imposto do Selo à Taxa em vigor) Seguro de Vida

Leia mais

REGULAMENTO DA CAMPANHA. Recompra Garantida Planik

REGULAMENTO DA CAMPANHA. Recompra Garantida Planik REGULAMENTO DA CAMPANHA Recompra Garantida Planik PROGRAMA DE BENEFÍCIOS Recompra Garantida Planik ( Campanha ) é uma campanha de iniciativa da Planik Empreendimentos Imobiliários Ltda., pessoa jurídica

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO MELHOR IDADE

CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO MELHOR IDADE CONDIÇÕES GERAIS DO PÉ QUENTE BRADESCO MELHOR IDADE I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 33.010.851/0001-74 PÉ QUENTE BRADESCO MELHOR IDADE PLANO PM 60/60

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO MERCADO DE CAPITAIS PRINCIPAIS PRODUTOS BANCARIOS Prof. Esp. Tomás de Aquino Salomão e-mail tomassalomao@gmail.

UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO MERCADO DE CAPITAIS PRINCIPAIS PRODUTOS BANCARIOS Prof. Esp. Tomás de Aquino Salomão e-mail tomassalomao@gmail. UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO MERCADO DE CAPITAIS PRINCIPAIS PRODUTOS BANCARIOS Prof. Esp. Tomás de Aquino Salomão e-mail tomassalomao@gmail.com Caderneta de Poupança A caderneta de poupança foi criada em

Leia mais

CONTRATO PADRÃO DE ADESÃO DO CARTÃO SICREDICARD VISA ELECTRON

CONTRATO PADRÃO DE ADESÃO DO CARTÃO SICREDICARD VISA ELECTRON CONTRATO PADRÃO DE ADESÃO DO CARTÃO SICREDICARD VISA ELECTRON Administradora de Cartões SICREDI Ltda., com sede, foro e administração em Brasília/DF, no SCS Qd. 06, BL. A, Nº. 141, Ed. Presidente, inscrito

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

CONTRATO ASSOCIATIVO QUE DEFINE DIRETRIZES PARA AS RELAÇÕES ENTRE ASSOCIADOS E ACIME

CONTRATO ASSOCIATIVO QUE DEFINE DIRETRIZES PARA AS RELAÇÕES ENTRE ASSOCIADOS E ACIME CONTRATO ASSOCIATIVO QUE DEFINE DIRETRIZES PARA AS RELAÇÕES ENTRE ASSOCIADOS E ACIME CLÁUSULA PRIMEIRA OBJETO Art. 1 Este Contrato Associativo destina-se a regular as relações entre a ACIME e seus Associados,

Leia mais

CAPÍTULO III - DA COMPOSIÇÃO E DIVERSIFICAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO

CAPÍTULO III - DA COMPOSIÇÃO E DIVERSIFICAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO CAPÍTULO I - DO FUNDO Artigo 1º O CAIXA FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS PETROBRAS IV CAIXA FMP FGTS PETROBRAS IV, doravante designado, abreviadamente, FUNDO, é uma comunhão de recursos, constituído sob

Leia mais

CAPÍTULO XI FINANÇAS

CAPÍTULO XI FINANÇAS CAPÍTULO XI FINANÇAS A. INVESTIMENTO DOS FUNDOS DA ASSOCIAÇÃO As decisões referentes aos investimentos da associação deverão tomar como base as declarações sobre normas de investimentos para o Fundo Geral

Leia mais

CONTRATO CONTA DE DEPÓSITOS PESSOA FÍSICA CNPJ 20.961.629/0001-05

CONTRATO CONTA DE DEPÓSITOS PESSOA FÍSICA CNPJ 20.961.629/0001-05 CONTRATO CONTA DE DEPÓSITOS PESSOA FÍSICA 1 - DADOS DA INSTITUIÇÃO FINANCEIRA Nº Cooperativa PAC 4031 00 Nome CECM DOS COLABORADORES CVRD LTDA 2 - DADOS PESSOAIS Nome 1 titular CNPJ 20.961.629/0001-05

Leia mais

Letra Financeira - LF

Letra Financeira - LF Renda Fixa Letra Financeira - LF Letra Financeira O produto A Letra Financeira (LF) é um título de renda fixa emitido por instituições financeiras com a finalidade de captar recursos de longo prazo. Tem

Leia mais

MANUAL DE NORMAS FORMADOR DE MERCADO

MANUAL DE NORMAS FORMADOR DE MERCADO MANUAL DE NORMAS FORMADOR DE MERCADO VERSÃO: 01/7/2008 2/10 MANUAL DE NORMAS FORMADOR DE MERCADO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO TERCEIRO DO CREDENCIAMENTO

Leia mais

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Departamento Geral de Administração e Finanças TERMO DE REFERÊNCIA

Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Fazenda Departamento Geral de Administração e Finanças TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA Código de Classificação: 13.02.01.15 1 DO OBJETO: A presente licitação tem por objeto a contratação de empresa para prestação dos serviços de cobertura securitária (seguro) para assegurar

Leia mais

Código subproduto: 3-217 SINDIFAST SP Condições Contratuais versão: 1-01.09.2014 ENDEREÇO: N : COMPLEMENTO: BAIRRO: CIDADE: ESTADO: CEP:

Código subproduto: 3-217 SINDIFAST SP Condições Contratuais versão: 1-01.09.2014 ENDEREÇO: N : COMPLEMENTO: BAIRRO: CIDADE: ESTADO: CEP: Código subproduto: 3-217 SINDIFAST SP Condições Contratuais versão: 1-01.09.2014 ORIGEM: Nº PROPOSTA: 39 PROPOSTA DE SEGURO EMPRESARIAL As condições securitárias que se referem esta Proposta de Seguro

Leia mais

Matemática Financeira. Flávio Rodrrigues

Matemática Financeira. Flávio Rodrrigues Matemática Financeira Flávio Rodrrigues Desconto de Títulos de Crédito Conceito: O Desconto é a diferença entre o valor futuro de um título (duplicata, nota promissória, letra de câmbio, cheque pré- datado

Leia mais

CLÁUSULAS E CONDIÇOES DO SANTANDER PARCELADO

CLÁUSULAS E CONDIÇOES DO SANTANDER PARCELADO CLÁUSULAS E CONDIÇOES DO SANTANDER PARCELADO Por este instrumento e na melhor forma de direito, o BANCO SANTANDER (BRASIL) S/A, com sede na Av. Juscelino Kubitscheck, 2041, São Paulo/SP, inscrito no CNPJ/MF

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DO PARÁ - ACEPA CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ - CESUPA

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DO PARÁ - ACEPA CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ - CESUPA ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DO PARÁ - ACEPA CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ - CESUPA CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO

Leia mais

CLÁUSULAS GERAIS DO CONTRATO DE CREDI-RÁPIDO CLIENTE - 1º TITULAR CPF CÓD. DA AGÊNCIA CLIENTE - 2º TITULAR CPF NÚMERO DA CONTA

CLÁUSULAS GERAIS DO CONTRATO DE CREDI-RÁPIDO CLIENTE - 1º TITULAR CPF CÓD. DA AGÊNCIA CLIENTE - 2º TITULAR CPF NÚMERO DA CONTA CLÁUSULAS GERAIS DO CONTRATO DE CREDI-RÁPIDO CLIENTE - 1º TITULAR CPF CÓD. DA AGÊNCIA CLIENTE - 2º TITULAR CPF NÚMERO DA CONTA CLÁUSULAS GERAIS, que regem o Contrato de Abertura de Credi-Rápido, que são

Leia mais

BANCO DO BRASIL S.A. Sumário Executivo do Contrato dos Cartões de Crédito Co-Branded Chevrolet Card

BANCO DO BRASIL S.A. Sumário Executivo do Contrato dos Cartões de Crédito Co-Branded Chevrolet Card BANCO DO BRASIL S.A. Sumário Executivo do Contrato dos Cartões de Crédito Co-Branded Chevrolet Card Conceito e Características do Cartão de Crédito O cartão de crédito Chevrolet Card de uso doméstico e/ou

Leia mais

Manual de Uso do Módulo. MerchFinanças

Manual de Uso do Módulo. MerchFinanças Manual de Uso do Módulo MerchFinanças Bento Gonçalves Julho de 2010 Conteúdo 1. Introdução... 4 2. Menu Cadastros... 5 2.1. Bancos/Contas... 5 2.1.1. Agências... 5 2.1.2. Bancos... 6 2.1.3. Contas... 7

Leia mais

MANUAL DE NEGOCIAÇÃO E INTERMEDIAÇÃO DE OPERAÇÕES

MANUAL DE NEGOCIAÇÃO E INTERMEDIAÇÃO DE OPERAÇÕES 1. OBJETIVO MANUAL DE NEGOCIAÇÃO E INTERMEDIAÇÃO DE OPERAÇÕES O objetivo deste manual é servir de referência para demonstrar o funcionamento operacional dos serviços da Orla DTVM, relativo à sua mesa de

Leia mais

PUBLICADO NO ÓRGÃO OFICIAL DO MUNICÍPIO Nº 1750 DO DIA 06/08/2012.

PUBLICADO NO ÓRGÃO OFICIAL DO MUNICÍPIO Nº 1750 DO DIA 06/08/2012. PUBLICADO NO ÓRGÃO OFICIAL DO MUNICÍPIO Nº 1750 DO DIA 06/08/2012. DECRETO N 1427/2012 Regulamenta a Lei municipal nº 8748/2010, que institui a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) e dá outras providências.

Leia mais

O que é desconto? O que é factoring? Cessão de crédito Quando um banco precisa transferir créditos e débitos? Quando um banco cede créditos? Empréstimos sindicalizados Securitizações Quando clientes cedem

Leia mais

CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO

CÉDULA DE CRÉDITO BANCÁRIO I EMITENTE e assim doravante designado(a): CNPJ/CPF n : II AVALISTA(S) e assim doravante designado(s): 1. CNPJ/CPF n : 2. CNPJ/CPF n : 3. CNPJ/CPF n : III GARANTIDOR(A) e assim doravante designado(a):

Leia mais

Layout Padrão Febraban 240 posições V08.4 http://www.febraban.org.br. 3.5 - Vendor

Layout Padrão Febraban 240 posições V08.4 http://www.febraban.org.br. 3.5 - Vendor 3.5 - Vendor 89 3.5.1 - Descrição do Processo Objetivo O produto Vendor tem por objetivo disponibilizar, aos clientes (Vendedores) do Banco, os meios de viabilizar o processo de financiamento de suas vendas,

Leia mais

II - operação de crédito com vínculo a exportação (securitização de exportações); e

II - operação de crédito com vínculo a exportação (securitização de exportações); e CIRCULAR 3.027/01 PROGRAMA NACIONAL DE DESBUROCRATIZAÇÃO - Institui e regulamenta o Registro Declaratório Eletrônico (RDE) de empréstimos entre residentes ou domiciliados no País e residentes ou domiciliados

Leia mais

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO Esta Sociedade Corretora, em atenção ao disposto no art. 6º da Instrução nº 387/03 da CVM e demais normas expedidas pela BM&F BOVESPA, define através deste documento, suas

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO TORCIDA PÉ QUENTE BRADESCO PRIME PU

CONDIÇÕES GERAIS DO TORCIDA PÉ QUENTE BRADESCO PRIME PU I INFORMAÇÕES INICIAIS CONDIÇÕES GERAIS DO TORCIDA PÉ QUENTE BRADESCO PRIME PU SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 33.010.851/0001-74 TORCIDA PÉ QUENTE BRADESCO PRIME PU PLANO

Leia mais

Estado do Acre DECRETO Nº 4.971 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2012

Estado do Acre DECRETO Nº 4.971 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2012 DECRETO Nº 4.971 DE 20 DE DEZEMBRO DE 2012. Publicado no DOE nº 10.952 de 21-12-2012.. Alterado pelos Decretos nºs 5.089/2013, 6.287/2013, 7.299, 8.251/2014, 1.490/2015, 2.301/2015, 2.884/2015 e 3.472/2015..

Leia mais

CERTIFICADO DO SEGURO PROTEÇÃO DÁ SORTE

CERTIFICADO DO SEGURO PROTEÇÃO DÁ SORTE CERTIFICADO DO SEGURO PROTEÇÃO DÁ SORTE Proposta nº: Nome: CPF: Data de Nascimento: Cartão nº: Apólice nº: 136 Endereço: nº: Complemento: Bairro: Cidade: UF: CEP: Telefone: Está coberto pelo Seguro Proteção

Leia mais

DIPLOMA/ACTO : Decreto-Lei n.º 125/90. EMISSOR : Ministério das Finanças. DATA : Segunda-feira, 16 de Abril de 1990 NÚMERO : 88/90 SÉRIE I

DIPLOMA/ACTO : Decreto-Lei n.º 125/90. EMISSOR : Ministério das Finanças. DATA : Segunda-feira, 16 de Abril de 1990 NÚMERO : 88/90 SÉRIE I DIPLOMA/ACTO : Decreto-Lei n.º 125/90 EMISSOR : Ministério das Finanças DATA : Segunda-feira, 16 de Abril de 1990 NÚMERO : 88/90 SÉRIE I PÁGINAS DO DR : 1808 a 1810 Decreto-Lei n.º 125/90, de 16 de Abril

Leia mais