ABAL - Manual de Portas e Janelas de Alumínio

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ABAL - Manual de Portas e Janelas de Alumínio"

Transcrição

1 Page 1 of 38 ABERTURA A Associação Brasileira do Alumínio - ABAL tem entre seus objetivos principais a busca de maior competitividade interna e externa e a difusão dos usos do alumínio, bem como o incentivo às suas novas aplicações. Para contribuir com um dos segmentos mais importantes deste setor, a ABAL desenvolveu o Manual de Portas e Janelas de Alumínio, com o apoio de seu Comitê de Mercado de Construção Civil, como resultado da troca de experiências entre produtores, extrusores, engenheiros, arquitetos e fabricantes de esquadrias de alumínio. O objetivo deste material é promover a evolução do mercado, auxiliando especificadores e até consumidores de portas e janelas de alumínio a tirar o máximo proveito das vantagens que estes produtos oferecem. VANTAGENS DO USO DE ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO As esquadrias de alumínio possuem grande longevidade devido à resistência à corrosão, um atributo do alumínio que se complementa aos tratamentos de superfície, como anodização ou pintura. A durabilidade é fator determinante para sua recomendação em prédios e residências, uma vez que a manutenção das edificações é cada vez mais normatizada e os outros produtos concorrentes não tem como ponto forte a vida útil do material. A variedade de apresentação do alumínio permite ao arquiteto explorar de forma criativa sua combinação com outros elementos das edificações, destacando-se por sua estética, harmonia de tons e volumes, que produzem um ambiente aconchegante e agradável ao convívio interno..: Menor consumo de energia.: Atributos que valorizam os imóveis.: Ventilação e controle de exaustão.: Variedade de acabamentos e padrões.: Tendências internacionais de aplicação Menor consumo de energia A economia no consumo de energia pode ser enfatizada nos projetos com melhorias de isolamento térmico, utilizando detalhes que combinam perfis de alumínio com perfis de poliamida para criar a ponte de ruptura térmica, bem como vidros duplos com câmara de ar seco para melhor controle térmico.

2 Page 2 of 38 Isolamento acústico A indústria brasileira de esquadrias de alumínio está apta a oferecer soluções para qualquer nível de solicitação. Há sistemas no mercado que podem acomodar vidros com até 40mm de espessura. A norma brasileira ABNT NBR estabelece os níveis máximos de ruído admissíveis para os diversos tipos de ambientes os quais são contemplados pelas linhas de esquadrias de alumínio. Isolamento térmico A indústria brasileira de esquadrias de alumínio está apta a oferecer soluções de comportamento térmico para qualquer nível de solicitação, inclusive com o recurso de perfis com "thermal break". Atributos que valorizam os imóveis Por sua imbatível durabilidade, baixo custo de manutenção, desempenho, funcionalidade e estética, as esquadrias de alumínio valorizam os imóveis onde são empregadas, em confronto com outros materiais menos nobres e eficientes. Design e aparência Os produtores de alumínio disponibilizam para o mercado linhas, modelos e sistemas os quais permitem a indústria de esquadrias de alumínio no Brasil, oferecerem uma ampla gama de opções para personalização dos projetos. Há perfis e acessórios que contemplam várias alternativas em termos de estética, mantendo a funcionalidade. Comportamento estrutural

3 Page 3 of 38 O comportamento estrutural adequado pode ser garantido por análises e ensaios executados antes da especificação definitiva das esquadrias. A norma brasileira ABNT NBR estabelece as condições para as análises e ensaios. Vedação à água e ao ar A indústria brasileira de esquadrias de alumínio oferece soluções de muito bom desempenho nos quesitos vedação à água e ao ar. A norma ABNT NBR estabelece o desempenho mínimo exigível. Existem no país câmaras de ensaios para avaliar o produto antes de sua aplicação. Manutenção: fator de competitividade e economia A baixa manutenção exigida pelos caixilhos de alumínio é um fator econômico que deve ser levado em conta no investimento inicial do imóvel. Além disso, do ponto de vista de limpeza, sua manutenção também se resume à água e sabão neutro. Ventilação e controle de exaustão A regulagem precisa da ventilação e exaustão do ambiente é outra característica comum aos vários tipos de esquadrias existentes, permitindo projetos adequados às diferentes condições. Possibilidade de Automação De maneira geral, há no mercado recursos para automação de praticamente quaisquer tipos de esquadrias de alumínio, desde a simples manobra de uma porta de garagem até a utilização de sensores para movimentar uma esquadria na ocorrência de chuva ou quando as condições de iluminação natural forem alteradas. Variedade de acabamentos e padrões As esquadrias de alumínio apresentam acabamentos variados, desde a anodização natural e o uso das cores, como a pintura em resinas e cores diversificadas, imitando inclusive outros materiais, como mármore e madeira. Anodização A anodização é um processo que produz nas ligas de alumínio uma película decorativa e protetora de alta qualidade, durabilidade e resistência à corrosão, cobrindo uma ampla gama de aplicações, algumas específicas, como anodização para fins arquitetônicos. Conheça melhor as etapas deste processo, bem

4 Page 4 of 38 como as normas que controlam a Qualidade da Anodização:.: Pré-tratamento - Mecânico / Químico.: Camada Anódica.: Coloração.: Selagem.: Qualidade da Anodização Anodização Pré-tratamento A anodização começa por uma série de etapas que antecedem o processo propriamente dito, cuja função é preparar a superfície do alumínio, criando condições para o efeito decorativo desejado, como: Mecânico: Escovamento, Jateamento, Polimento Mecânico etc, Químico: Polimento Químico e/ou Eletropolimento para acabamento brilhante, fosco acetinado etc. Anodização Camada Anódica A camada anódica, composta de óxido de alumínio, é produzida na superfície do metal de forma controlada e uniforme, em banhos eletrolíticos, sob agitação e temperaturas controladas. A camada anódica é obtida pela eletrólise de uma solução de ácido sulfúrico, por meio da aplicação de um diferencial de corrente contínua em temperatura e agitação controladas. A camada anódica, construída em conformidade com parâmetros técnicos de processo, como 200 g/l de ácido sulfúrico, 18 volts, 19º C de temperatura e agitação constante, será extremamente dura, porosa e transparente. A estrutura da camada anódica é constituída por células hexagonais, cada uma delas com um poro central. No fundo dos poros forma-se uma camada barreira, que separa o óxido em formação do alumínio. O tamanho das células é determinado pela voltagem de operação do banho, (17-19 volts), enquanto que a espessura da camada é determinada pela relação corrente x tempo. As características da camada anódica dependem do tamanho e do volume dos poros e estão diretamente ligadas à remoção do calor gerado no processo. Anodização Coloração

5 Page 5 of 38 A porosidade da camada anódica, similar à estrutura do tecido de algodão, permite sua coloração por meio de dois processos: - Coloração por imersão em anilinas orgânicas ou inorgânicas - Coloração Eletrolítica, por eletrólise de sais de metais. Imersão A coloração por imersão, com uso de anilinas é a mais empregada e recomendada para o acabamento do alumínio para uso interno decorativo, como é o caso de bens de consumo, frisos para eletrodomésticos em geral, molduras de quadros etc. Isto porque os corantes orgânicos em ambiente externo não suportam os raios ultravioleta (UV) do sol, havendo uma perda de cor muito acentuada. Eletrolítica A coloração eletrolítica, muito usada atualmente, consiste na obtenção de uma camada de óxido pelos métodos convencionais, com ácido sulfúrico e subsequente tratamento eletrolítico em uma solução levemente ácida de um sal de metal, com uso de corrente alternada. Para a eletrocoloração do alumínio, utiliza-se sal de estanho como eletrólito, devido a sua alta resistência aos raios UV, que proporciona mais de 30 anos de durabilidade. A = Champanhe Claro, B = Champanhe, C = Bronze Claro, D= Bronze Médio, E = Bronze Escuro, F = Preto Anodização Selagem A selagem é a etapa mais importante e obrigatória do processo de anodização e coloração do alumínio, essencial para dar qualidade à camada anódica. A selagem é responsável pela resistência à corrosão atmosférica, impedindo sua penetração pelos poros; bem como pela dureza e resistência à abrasão. Atualmente, o processo de selagem é efetuado em duas etapas: 1º) O alumínio anodizado é imerso em uma solução, em temperatura ambiente, composta por Sais de Níquel e Sais de Flúor, que reagem formando um complexo gelatinoso nos poros da camada anódica de Alumínio-Flúor-Níquel. 2º) Após a lavagem em água corrente, a reação é acelerada pela passagem do alumínio anodizado em água desmineralizada a 60-70º Celsius. Anodização Controle de Qualidade da Anodização O controle de qualidade da anodização deve ser efetuado conforme as Normas Técnicas da ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas relacionadas a seguir: Norma Descrição NBR Tratamento de Superfície do Alumínio - Anodização para fins arquitetônicos. NBR Determinação da espessura da camada anódica. NBR Determinação da resistência da camada anódica ao intemperismo acelerado.

6 Page 6 of 38 NBR 8094 Corrosão por névoa salina. NBR 9243 Determinação da qualidade de selagem da anodização pelo método de perda de massa. NBR Determinação da qualidade de selagem da anodização pelo método de absorção de corantes. Classe de espessuras de camadas anódicas para aplicações exteriores/interiores Classe* Espessura da camada anódica (micrômetro) Nível de Agressividade Ambiente típico A13 11 a 15 Baixa/Média Urbano/Rural A18 16 a 20 Alta Litorâneo A23 21 a 25 Excessiva Industrial/Marítimo Notas: * Os números 13, 18 e 23 que sucedem a letra A identificam o valor médio da camada em micrômetros. Para uma durabilidade de 30 anos em ambiente externo, recomenda-se uma limpeza anual da camada anódica com detergentes neutros. Pintura Para cumprir suas finalidades de beleza e proteção, a pintura eletrostática do alumínio utiliza tecnologia de tintas e vernizes, nos quais estão envolvidos muitos conceitos científicos de química orgânica e inorgânica, física de polímeros e físico-química, bem como um controle adequado de qualidade. O revestimento utilizado no alumínio para a construção civil é a pintura eletrostática, que se compõe de quatro etapas..: Pré-tratamento.: Pintura eletrostática.: Polimerização.: Controle de qualidade da pintura.: Tipos de tintas Pintura Pré-tratamento O alumínio deve ser preparado convenientemente para conferir as propriedades físico-químicas fundamentais de resistência à corrosão e resistência ao intemperismo. Normalmente se utiliza uma seqüência de operações de pré-tratamento composta por: Desengraxe Lavagem Desoxidação Lavagem Cromatização Lavagem Lavagem com água Desmineralizada Secagem

7 Page 7 of 38 A superfície do alumínio é convertida em uma aderente e amorfa camada de misturas de óxidos metálicos, de cor amarelo iridescente marron claro, proporcionando resistência à corrosão, aderência e ancoragem da tinta e durabilidade da superfície do alumínio, quando pintadas. O processo de conversão pode ser realizado por imersão, spray ou manual em temperatura ambiente. Pintura Pintura eletrostática A pintura eletrostática é o processo mais conhecido e largamente utilizado na decoração e proteção do alumínio. A aplicação de tinta eletrostática, líquida ou em pó, é feita automaticamente através de pistolas especiais em cabines especialmente projetadas para esse fim. Tanto a pintura líquida quanto a pintura que utiliza pó requerem tipos de tinta com características específicas para cada finalidade de utilização, com uma gama variada de cores. Pintura eletrostática a pó ou líquida Aplicação Os princípios da aplicação eletrostática são simples. Cria-se uma diferença de potencial de aproximadamente Volts entre as partículas pulverizadas da tinta e o objeto a ser pintado, o que resulta na atração das partículas pelo objeto. Obtém-se assim uma economia de tinta com uma cobertura uniforme e sem falhas. A condutibilidade da tinta é dada pelo balanceamento adequado das polaridades dos seus componentes. Pintura Polimerização A Polimerização (cura ou secagem) das tintas utilizadas na pintura eletrostática é obtida pelo efeito do calor em estufas ou fornos construídos especialmente para essa finalidade. Este método de polimerização é utilizado tanto para as tintas líquidas como para tintas em pó e requer uma temperatura efetiva da superfície metálica entre 120º C e 200º C, durante um ciclo aproximado de 20 minutos. Pintura Controle de qualidade da pintura O Controle da Qualidade da Pintura deve ser efetuado conforme as Normas Técnicas da ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas relacionadas a seguir: Norma NBR Alumínio e suas ligas NBR Alumínio e suas Ligas NBR Alumínio e suas ligas para fins arquitetônicos NBR Alumínio e suas ligas NBR Alumínio e suas ligas NBR Alumínio e suas ligas Descrição Tratamento de Superfície - Revestimento Orgânico - Pintura. Determinação da flexibilidade por mandril cônico da Pintura. Determinação da aderência da pintura. Determinação da aderência úmida da pintura pelo método da panela de pressão. Determinação da resistência do revestimento orgânico de tintas e vernizes em relação ao grafite. Determinação da resistência ao intemperismo artificial (UV) do revestimento orgânico - Tintas e Vernizes.

8 Page 8 of 38 NORMAS / PROJETOS EM FASE DE PUBLICAÇÃO PELA "ABNT" : Norma Alumínio e suas ligas Alumínio e suas ligas Descrição Determinação da resistência ao intemperismo natural do revestimento orgânico de tintas e vernizes. Resistência à corrosão por exposição à nevoa salina acética do revestimento orgânico de tintas e vernizes em relação ao grafite. Alumínio e suas ligas Ensaio de Polimerização de tintas e vernizes. Alumínio e suas ligas Ensaio de Machu do revestimento orgânico de tintas e vernizes. Pintura Tipos de tintas Tipo Epóxi Poliéster Híbrido Característica Boa resistência química e mecânica, indicada para peças internas não expostas a intempéries e radiações ultravioleta. Excelente resistência química e mecânica, indicada especialmente para ambientes externos. Excelente resistência química e mecânica, indicada para ambientes externos de forma não permanente. Muito semelhante ao poliéster, porém, resiste ao ataque de produtos como etanol Poliuretano que ataca o poliéster. Obs.: Para uma durabilidade de 10 anos em ambiente externo, recomenda-se uma limpeza anual da pintura Poliéster com detergentes neutros. Tendências internacionais de aplicação Nos Estados Unidos e países europeus difunde-se o uso de esquadrias isoladas térmica e acusticamente, com vistas ao conforto ambiental e à conservação de energia (calefação ou ar condicionado). Utilizam-se vidros duplos com câmara de ar seco, nos quais os perfis bipartidos e ligados por perfis isolantes de poliamida quebram a ponte térmica entre as faces interna e externa do ambiente. Pesquisas feitas na Europa, indicam que, na Espanha, 95% das esquadrias são feitas em alumínio. Na Itália, cujo mercado é maior, o alumínio participa com 70%, sendo que 30% dessas esquadrias utilizam perfis com ponte de ruptura térmica. A ATENUAÇÃO SONORA Na norma, a atenuação sonora tem o objetivo de orientar, sem ser exigência de conformidade, sobre os valores recomendados para se ter conforto, levando-se em consideração o uso e a atividade que serão realizadas no ambiente e as condições a que este ambiente será exposto.

9 Page 9 of 38 O uso e a atividade determinam a tolerância ao ruído no ambiente interno, classificada em alta, média, baixa e nula. As condições de exposição do nível de ruído no ambiente externo, classificam-se em naturais, ocasionais, incipientes, moderadas, acentuadas e criticas. A esquadria é classificada conforme a quantidade de ruídos ou sons que consegue impedir que passem de um ambiente a outro. O indicador de desempenho "CTS" (Classe de Transmissão Sonora) determina que quanto maior seu valor, maior será a eficiência na atenuação sonora. Nível de Ruído db(a) Exemplos de Ruído Conversação Condição de Exposição ao Ruído Condições de Tolerância ao Ruído Nula Baixa Média Alta Buzina de automóvel a 1m de distância, Aeroporto. Laterais de ferrovia, Piano, Indústria ruidosa. Aos berros Críticas 40 < CTS 40 < CTS 30 < CTS < < CTS < Proximidade de ferrovia, Pista de boliche. Cruzamento de grandes avenidas, Motor a diesel. Em voz muito alta Acentuadas 40 < CTS 30 < CTS <= < CTS <= < CTS <= Grande centro urbano, Motor a gasolina. Conversação em shopping center; burburinho urbano. Em voz alta Moderadas 40 < CTS 10 < CTS <= < CTS <= 20 CTS <= Escritório silencioso. 40 CTS CTS CTS 35 Praça silenciosa, Rodovia a grande distância. Em voz normal Incipientes < CTS <= 10 <= 10 <= 10 Madrugada em bairro 25 residencial. 15 Cochicho, chuva branda. Em voz sussurada Naturais ocasionais 40 < CTS CTS <= 10 CTS <= 10 CTS <= 10 OS TIPOS E AS DIMENSÕES DE ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO Como fator decisivo para competitividade, a racionalização construtiva é hoje um foco importante dos fabricantes de esquadrias de alumínio, que se dedicam a elevar os padrões de utilização destes produtos, facilitando a vida de clientes e fornecedores. A indústria vem utilizando duas abordagens para elevar a qualidade de atendimento ao mercado: difundir os tipos de portas e janelas existentes e suas respectivas características, bem como as variadas dimensões que cada produto pode ter, tomando como referência os vãos modulares..: tipos de portas e janelas.: vãos modulares Principais tipos de portas e janelas de alumínio Conheça alguns dos principais tipos de portas e janelas que estão no mercado e faça a melhor escolha!

10 Page 10 of 38.: Janela de tombar de eixo horizontal inferior.: Janela projetante de eixo horizontal superior.: Janela maxim-ar projetante deslizante.: Janela de abrir francesa.: Porta balcão de abrir para o exterior/interior.: Janela e porta de correr.: Janela pivotante horizontal.: Janela pivotante vertical.: Persianas de enrolar.: Janela basculante de múltiplos elementos.: Janela projetante e janela de tombar.: Janela guilhotina Janela de tombar de eixo horizontal inferior É ideal para ventilar a parte superior do ambiente e pode ser mantida aberta em caso de chuva e ventos moderados, permitindo uma graduação da abertura. Sua utilização é restrita a pequenos vãos, devido ao mecanismo de abertura, que projeta a janela para o interior do ambiente. Janela projetante de eixo horizontal superior Ventila mais as áreas inferiores do ambiente e pode ser mantida aberta mesmo com chuva. Tem boa estanqueidade, mas sua limpeza exige esforço e requer dispositivos especiais para evitar riscos. Janela maxim-ar projetante deslizante Projeta-se na parte inferior para fora, enquanto sua parte superior desliza para baixo. Sua mobilidade de abertura e facilidade de limpeza a torna preferida em muitos projetos, devendo manter-se fechada em caso de ventos. Janela de abrir francesa É o tipo de janela (porta balcão) mais utilizado na Europa. De eixo vertical, abre-se para o interior, podendo ter folha simples ou dupla. Quando abertas, estas folhas se projetam para o interior do ambiente, sendo de fácil limpeza.

11 Page 11 of 38 Porta balcão de abrir para o exterior/interior Permite excelente iluminação natural do ambiente, quando o vão está totalmente aberto, assim como a troca eficiente de ar. Seu uso em residências é feito com ótimos resultados. Janela e porta de correr É o tipo de janela de dormitórios mais utilizado no Brasil, com opções de três ou seis folhas que permitem a abertura de até 50% do vão. Suas principais características são a construção simples e econômica, o manejo fácil, a ventilação permanente no período noturno (com as venezianas perfuradas), dosagem na renovação do ar ou claridade e a possibilidade de uso de telas, grades, cortinas ou persianas. Janela pivotante horizontal Possui abertura basculante, que projeta a parte inferior para fora do ambiente e a superior para dentro, com movimentos comandados por um eixo horizontal, que permite abertura de até 180º, e grande eficiência na ventilação. Janela pivotante vertical Permite realizar a abertura de grandes vãos com uma única folha, girando verticalmente sobre um eixo, podendo vir dotada de persianas instaladas entre vidros selados térmicos ou acústicos. Persianas de enrolar

12 Page 12 of 38 Além da beleza e praticidade no controle da luz e do arejamento do ambiente, são dotadas na maioria dos casos de automação, oferecendo comodidade e facilidade de limpeza. Janela basculante de múltiplos elementos Conhecida como vitrô, é utilizada em residências térreas, especialmente em cozinhas, banheiros e áreas de serviço. Sua concepção é simples e econômica e permite a ventilação constante do ambiente. Janela projetante e janela de tombar A área de ventilação será proporcional à abertura da janela, com menor eficiência de ventilação para ângulos pequenos (até 30º), principalmente quando o vento incidir perpendicularmente ao plano da janela. O controle do direcionamento do ar só é possível quando a janela for projetante e de tombar para dentro. Janela guilhotina Apresenta os mesmo comportamento da janela de correr, embora não permita normalmente o controle da área útil de ventilação, o que pode ser evitado com um contrapeso que permita a parada da folha em qualquer posição. OS TIPOS E AS DIMENSÕES DE ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO Vãos modulares e dimensões preferidas de esquadrias A dimensão precisa da esquadria é uma decisão particular de cada fabricante em função do projeto do produto e da tecnologia empregada (desde que responda aos critérios mínimos de modulação de Vãos e Juntas estabelecidos), as dimensões de esquadrias sempre devem fazer referência ao Vão Modular. Estas informações são do catálogo "Vãos e Esquadrias" do Comitê de Tecnologia e

13 Page 13 of 38 Qualidade do SindusCon - SP. Vãos Modulares, Tipologias e Esquadrias Preferidas Vão Modular Múltiplo de 10cm Vão Vedação Vão Modular + 1cm Dimensão Esquadria Vão Modular - 5cm Vão Iluminação Ventilação Vão Modular - 10cm, ou Dimensão Esquadria - 5cm TIPOLOGIAS VÃO MODULAR ESQUADRIA DIMENSÃO VÃO VEDAÇÃO VÃO ILUMINAÇÃO VENTILAÇÃO JC-2F Janela de Correr 2 Folhas JC-3F/V Janela Correr 3 Folhas com Veneziana PC-2F Porta de Correr 2 Folhas PC-3F/V Porta de Correr 3 Folhas com Veneziana PC-4F Porta de Correr 4 Folhas JC-2F/P Janela de Correr 2 Folhas com Persiana de Enrolar PC-2F/P Porta de Correr 2 Folhas com Persiana de Enrolar PA-1F Porta Pivotante Vertical 1 Folha PA-2F Porta de Abrir 2 Folhas JC-2F/C Janela de Correr 2 Folhas Camarão PC-2F/C Porta de Correr 2 Folhas Camarão RF-1F Requadro Fixo 1 Folha Mx-1F Maxim-ar 1200 x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x 500

14 Page 14 of 38 1 Folha 1000 x x x x 500 VP-2F Ventilação Permanente 2 Folhas PC-1F/AS Porta de Correr para Área de Serviço 1200 x x x x x x x x 2100 AS POSSIBILIDADES DE ACABAMENTO E A VALORIZAÇÃO ESTÉTICA A aparência do alumínio é valorizada pelo acabamento aplicado sobre sua superfície. Daí a importância dos processos empregados com essa finalidade, que determinam as características protetoras e decorativas de alta durabilidade. Os processos de acabamento do alumínio mais utilizados são a Anodização e a Pintura..: Anodização.: Pintura DICAS PARA A LIMPEZA E A CONSERVAÇÃO DAS ESQUADRIAS Para que as esquadrias de sua edificação se mantenham como novas e em perfeito funcionamento por muitos anos, observe atentamente as seguintes recomendações quanto à limpeza, lubrificação e pinturas de parede..: Limpeza.: Lubrificação.: Proteção durante a pintura Limpeza 1. A limpeza das esquadrias, como um todo, inclusive guarnições de borrachas e escovas, deverá ser feita com uma solução de água e detergente neutro, a 5%, com auxílio de esponja ou pano macios, nos seguintes intervalos de tempo: - No mínimo, a cada 12 meses em zona urbana e rural - No mínimo a cada 3 meses em zona marítima ou industrial. 2. As janelas e portas de correr exigem que seus trilhos inferiores sejam constantemente limpos, para se evitar o acúmulo de poeira, que, com o passar do tempo, vão se compactando pela ação de abrir e fechar, transformando-se em crostas de difícil remoção, ao mesmo tempo que comprometem o desempenho das roldanas exigindo sua troca precoce. 3. Não usar, em hipótese alguma, fórmulas de detergentes com saponáceos, esponjas de aço, de qualquer espécie, ou qualquer outro material abrasivo. 4. Não usar produtos ácidos ou alcalinos. Sua aplicação poderá manchar a anodização e tornar a pintura opaca.

15 Page 15 of Não utilizar objetos cortantes ou perfurantes para auxiliar na limpeza de "cantinhos" de difícil acesso. Esta operação poderá ser feita com o auxílio de um pincel de cerdas macias embebido na solução indicada no ítem Não usar produtos derivados de petróleo (vaselina, removedor, thiner etc.). O uso de tais produtos, num primeiro instante, pode deixar a superfície mais brilhante e bonita. Porém, em sua fórmula existem componentes que vão atrair partícula de poeira que agirão como abrasivo, reduzindo, em muito, a vida do acabamento superficial do alumínio. De outro lado, os derivados de petróleo, podem ressecar plásticos e borrachas, fazendo com que percam a sua ação vedadora. Em caso de dúvida, antes de utilizar qualquer produto que possa por em risco a beleza e funcionamento de suas portas ou janelas, consulte o fabricante das esquadrias. Lubrificação Todas as articulações e roldanas trabalham sobre uma camada de náilon auto-lubrificante, razão porque dispensam qualquer tipo de graxa ou óleo. Estes produtos não devem ser aplicados às esquadrias, pois em sua composição poderá haver a presença de ácidos e outros aditivos não compatíveis com os materiais usados na fabricação das esquadrias. Pintura de paredes Antes de executar qualquer tipo de pintura, seja com utilização de tinta a óleo, látex ou cal, tomar o devido cuidado de proteger as esquadrias com fitas adesivas de PVC. Evite a utilização de fitas tipo "crepe". Esta fita costuma manchar a esquadria quando em contato prolongado. Remover a fita protetora imediatamente após o término da pintura. Na composição de sua cola existem ácidos e produtos agressivos que em contato prolongado com as esquadrias podem danificá-las. Caso haja contato da tinta com a esquadria, limpar imediatamente, enquanto fresca, com pano seco e em seguida com pano umedecido em solução de água e detergente neutro. RECOMENDAÇÕES PARA UMA BOA ESPECIFICAÇÃO DE PROJETO Para todos os tipos de edificações, das mais complexas e sofisticadas àquelas mais simples e econômicas, o arquiteto deve estabelecer, objetivamente, o desempenho exigido das esquadrias, sob pena de instalar produtos não alinhados com os conceitos gerais de seu projeto e conviver com problemas de desempenho por muito tempo..: A valiosa experiência dos profissionais.: O conhecimento das normas técnicas brasileiras.: Assistência de um fabricante de esquadrias.: Dicas para obter a melhor esquadria.: Qualidade dos acessórios

16 Page 16 of 38.: Boa vedação garante desempenho.: Exemplo de Projeto As condições de desempenho devem ser registradas nas especificações de esquadrias que integram o caderno de encargos do empreendimento. Cientes das expectativas quanto aos seus produtos, os fabricantes de esquadrias interessados no fornecimento poderão desenvolver orçamentos adequados e oferecer sugestões, tanto ao arquiteto quanto ao construtor e ao empreendedor, que não só atendam às exigências, mas agreguem valor ao empreendimento. A definição do nível de desempenho envolve muitos aspectos, que assumem maior ou menor importância em função do tipo de edificação. Alguns são qualitativos, como a aparência geral do conjunto, a aparência dos acessórios visíveis, o acabamento de superfície a ser utilizado, a maior ou menor facilidade de operação, de conservação e de manutenção. Outros referem-se à conformidade das esquadrias, que pode ser verificada por ensaios, como a estanqueidade à água e ao ar, o conforto térmico e acústico, o comportamento estrutural e outros. Diversos pontos são relevantes no trabalho de especificação, mas três deles destacam-se: a própria experiência dos profissionais de arquitetura, o conhecimento de todas as normas brasileiras pertinentes e a assistência de um fabricante de esquadrias bem informado sobre os produtos disponíveis no mercado. A valiosa experiência do arquiteto A experiência do arquiteto vai determinar também que produtos não utilizar, em função de problemas enfrentados no passado. Profissionais preocupados com seus projetos verificam o desempenho dos produtos depois de instalados, comparam com o desempenho "prometido" e aprendem com os enganos cometidos. Infelizmente é muito comum se encontrar esquadrias praticamente novas, com alguns meses de utilização, já apresentando problemas das mais diversas naturezas, sem que o arquiteto especificador e/ou o consumidor reclamem. O conhecimento das normas brasileiras O conhecimento das normas brasileiras, que hoje já cobrem quase a totalidade dos pontos importantes sobre esquadrias de alumínio, permite ao arquiteto a elaboração de um "check list", no qual todos os aspectos relevantes serão levados em conta. É interessante salientar que as normas brasileiras não fazem nenhuma menção ao nível de sofisticação da obra. O desempenho mínimo é exigido de todas as esquadrias, colocadas em qualquer tipo de obra. O arquiteto pode exigir um desempenho melhor do que aquele estabelecido pelas normas em uma obra sofisticada, mas não pode abrir mão de exigências das normas para as chamadas obras econômicas. O mesmo se aplica ao construtor e ao fabricante de esquadrias. Nesse aspecto, o Código Brasileiro de Defesa do Consumidor responsabiliza todos os profissionais e empresas que participam do fornecimento de um produto ou serviço por não fazer cumprir as normas regularmente vigentes no país. Para o Código, as normas têm força de lei. Assistência de um fabricante de esquadrias A participação de um fabricante de esquadrias contribui para a atualização da especificação, trazendo soluções de modernidade e colaborando para que se adote produtos de melhor desempenho e mais competitivos. Como especialista em esquadrias, o fabricante mantém-se bem informado sobre os diversos sistemas disponíveis no mercado, suas vantagens, desvantagens,

17 Page 17 of 38 aplicações típicas e características. Por razões de marketing, os sistemas são mantidos em equilíbrio dinâmico por seus fabricantes, com permanente inclusão e retirada de componentes, introdução de aperfeiçoamentos, bem como novos tipos de esquadrias, acabamentos e possibilidades de utilização. Isso tudo sem falar no contínuo movimento de lançamento de novos sistemas completos. Utilização de uma serra de corte computadorizada Dicas para se obter a melhor esquadria de alumínio Confira a seguir outras dicas que a Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio (AFEAL) recomenda para o sucesso de um projeto: Uma boa esquadria de alumínio depende de um bom projeto. O projeto deve ser elaborado por empresa especializada na fabricação de esquadria de alumínio, que possua corpo técnico gabaritado, ou por projetista profissional competente, habituado a projetos específicos em esquadrias de alumínio. Todo projeto deve ser acompanhado de Memorial Descritivo, constando detalhadamente os materiais e componentes utilizados nas esquadrias de alumínio projetadas: perfis, acessórios, sistemas de vedação, anodização ou pintura, sistemas de ancoragem e de fixação. Para sua segurança, consulte a AFEAL para indicação de empresas fabricantes de esquadrias ou de empresas especializadas na execução de projetos. Solicite a análise do projeto à AFEAL. Qualquer dúvida a respeito será sanada nessa checagem. Toda esquadria deve ser testada em laboratório quanto ao: Comportamento quanto à penetração de ar - NBR 6485; Comportamento quanto à estanqueidade à água - NBR 6486; Comportamento sob cargas uniformemente distribuídas - NBR O CTA - Centro Tecnológico do Alumínio Afeal está apto a executar os testes de laboratório em Câmaras de Testes, as mais modernas da América Latina. As Esquadrias de Alumínio devem ser fabricadas seguindo os critérios pré-estabelecidos pelo projeto, pelo memorial descritivo e pelo laudo de laboratório, sempre de acordo com as normas ABNT. A AFEAL acompanhará a fabricação das esquadrias na indústria. A instalação das esquadrias de alumínio deve ser executada por pessoal especializado do fabricante. A AFEAL acompanha a instalação do produto na obra, assegurando que tudo foi executado dentro dos critérios estabelecidos pelas Normas ABNT. Qualidade dos acessórios Os acessórios, embora sejam elementos fundamentais para o bom desempenho dos sistemas de caixilharia, nem sempre foram considerados, analisados, desenvolvidos e fabricados como as indústrias produzem atualmente. Até meados da década de 60, não havia espaço empresarial para um fabricante que produzisse exclusivamente acessórios. Isso porque, até então, eram as esquadrias de aço e madeira que dominavam o mercado, sendo seus acessórios artesanalmente fabricados pelos serralheiros, por pequenas indústrias sem expressão ou importadas de outros países, na falta de outra opção..: Importância dos acessórios

18 Page 18 of 38.: Materiais utilizados.: Desempenho e controle de qualidade.: Modalidade de acessórios Com os projetos de esquadrias européias trazidos pelos fabricantes de esquadrias de alumínio, que começaram a ser produzidas no Brasil, a situação mudou. Inicialmente, as esquadrias de alumínio utilizaram o trabalho artesanal de serralheiros para a confecção dos acessórios, até que, na década de 70, entraram em atividade as primeiras indústrias metalúrgicas exclusivas de acessórios para caixilharia de alumínio. Essa expansão continua até hoje com o surgimento de uma variada linha de acessórios com os mais diversos tipos e formatos, que podem ser utilizados principalmente em esquadrias de alumínio. Em qualquer dos casos, a qualidade dos materiais utilizados deve ser compatível com a durabilidade da matéria-prima do próprio caixilho. Por isso, muitos fabricantes estão atentos à utilização de materiais de boa qualidade, de modo a que as peças acessórias assegurem o melhor desempenho às esquadrias de alumínio. Qualidade dos acessórios > Importância dos acessórios Em vista da grande variedade de esquadrias que são produzidas pelos serralheiros, o mercado já oferece várias alternativas de peças adaptáveis aos mais variados tipos de perfis. O consumidor final deve assegurar-se da qualidade dos componentes usados nos acessórios, para que não venham a ser causas de defeitos, devido a inadequações ou incompatibilidades entre os componentes e a montagem final dos caixilhos. Existem algumas orientações gerais que devem ser seguidas por todos os fabricantes de caixilhos de alumínio. Tais orientações indicam o uso de parafusos de aço inoxidável para as montagens em alumínio, para que não venham a sofrer corrosão galvânica em suas fixações no alumínio por diferenças dielétricas entre os materiais envolvidos. Outra orientação se refere ao uso de fechos cujo ciclo de vida útil seja garantido, mesmo que sem manutenção, pois as condições de conservação nem sempre são favoráveis. Pode-se afirmar que a maioria dos defeitos encontrados no funcionamento de caixilhos se deve à escolha inadequada dos acessórios. Esse problema é agravado porque em muitos projetos de caixilharia não se estuda a fundo os acessórios. Desenvolvidos quase sempre na última etapa do projeto, é muito comum haver adaptações, sem que a compatibilização entre as necessidades do conjunto tenha sido feita com os elementos a serem utilizados como acessórios. O mau assentamento dos caixilhos nos vãos também pode comprometer a vida útil dos acessórios. Todos os movimentos das folhas se dão em função do uso de acessórios que foram desenhados para funcionar sobre um suporte rígido. Obviamente, os esforços que os acessórios recebem são em função da qualidade da instalação, pois devem ser transmitidos para o marco, e este, se for o caso, ao contramarco, sustentando o conjunto todo. Qualidade dos acessórios > Materiais utilizados Os acessórios podem ser compostos por materiais como o alumínio extrudado, alumínio fundido/injetado, latão, aço inox, zamak, nylon. A escolha dos materiais deve se adequar ao processo de fabricação dos acessórios, conforme o desempenho que se espera das peças. A boa adequação é

19 Page 19 of 38 responsável pela robustez, durabilidade e acabamento. Por isso, as ligas devem ser bem determinadas, de acordo com as necessidades do acessório a ser fabricado. O aço inox é indicado para peças como lingüetas de fechos, contra-fechos, parafusos, arruelas, sempre que se exigir resistência maior aos agentes agressivos. O nylon é utilizado em peças que entram em atrito com o alumínio e o aço inox, como roldanas, bicos de fechos, freio de braços e detalhes estéticos. Normalmente, os fabricantes de acessórios utilizam nylon de engenharia de primeira linha, inclusive para pequenos detalhes de acabamentos de acessórios. Qualidade dos acessórios > Desempenho e controle de qualidade Os acessórios de um caixilho devem contribuir para o bom desempenho do conjunto, notadamente no que se refere à estanqueidade ar/água, isolação termoacústica, ventilação e estabilidade estrutural. O dimensionamento dos acessórios deverá obedecer às necessidades da esquadria. O conjunto de acessórios representa 8,5 % do custo da esquadria acabada (Edifício residencial 18 andares, de padrão médio/alto com 4 apartamentos por andar com 3 dormitorios) e é o maior responsável pelo bom funcionamento das esquadrias. Isto demonstra que não se deve economizar quanto à determinação e especificação de materiais de boa qualidade para os acessórios. Qualidade dos acessórios > Desempenho e controle de qualidade Os acessórios de um caixilho devem contribuir para o bom desempenho do conjunto, notadamente no que se refere à estanqueidade ar/água, isolação termoacústica, ventilação e estabilidade estrutural. O dimensionamento dos acessórios deverá obedecer às necessidades da esquadria. O conjunto de acessórios representa 8,5 % do custo da esquadria acabada (Edifício residencial 18 andares, de padrão médio/alto com 4 apartamentos por andar com 3 dormitorios) e é o maior responsável pelo bom funcionamento das esquadrias. Isto demonstra que não se deve economizar quanto à determinação e especificação de materiais de boa qualidade para os acessórios. RECOMENDAÇÕES PARA UMA BOA ESPECIFICAÇÃO DE PROJETO Boa vedação garante desempenho O Sistema de vedação é importantíssimo para o bom desempenho de um caixilho. A caixilharia é o segundo item mais oneroso de uma obra e, em alguns casos, chega a ser o primeiro item. Por isso, é importante contar com um sistema de vedação eficiente, pois se avaliarmos o custo/benefício este valor é irrisório, equivalendo a aproximadamente dois por cento do custo da caixilharia. A seguir algumas recomendações importantes para a instalação..: Fita vedadora.: Perfis de vedação - características físico-químicas.: Tipos de selantes - selantes de silicone.: Capacidade de movimentação.: Aderência ao suporte

20 Page 20 of 38.: Compatibilidade com os substratos e outras dicas > Fita vedadora Deve atender à Norma AAMA 701/1992. Para cumprir realmente a sua função, a Fita Vedadora deve ter os fios semiflexíveis, com hidrorepelência comprovada. Sua composição é 100% de polipropileno, com fios semiflexíveis estabilizados contra raios ultra violeta, que permitem total resistência às intempéries, água, maresias e pó. Por possuir baixo coeficiente de atrito, sua base rígida desliza suavemente no encaixe do perfil de alumínio. O conceito de vedação utilizado mundialmente é duplo e contínuo para que não ocorra infiltração de água no interior do caixilho. As Fitas Vedadoras Poly Bond são formadas exclusivamente por fios de polipropileno e o grau de compressão recomendado é de 20 à 25%. As Fitas Vedadoras Fin-Seal, são formadas por fios e uma sólida barreira de polipropileno e o grau de vedação recomendado é de 15%. Ambos possuem alturas que variam de 2 a 12mm, bases convencionais e especiais e cores de acordo com as exigências de cada projeto. Produtos como cloro, aguarrás, ácido nítrico e óleo combustível atacam a Fita Vedadora, alterando assim suas características. > Perfis de vedação Os Elastômeros de EPDM devem atender às especificações da Norma NBR O EPDM é um polímero sintético constituído por Etileno. Propileno. Dieno, Monomero, material que apresenta como característica principal uma excelente resistência à ação das intempéries, ao ozônio e altas e baixas temperaturas. É o único produto que está normatizado pela ABNT, e possui uma performance superior ao PVC, SBR e outros, que são incompatíveis com as grandes

21 Page 21 of 38 variações térmicas de nosso País. Produtos como vaselina, combustíveis em geral, solventes, querosene, tiner, gasolina, lubrificantes, tolueno, toluol, atacam as características físico químicas do EPDM. > Características físico-químicas Condições específicas - Guarnições para esquadrias - Material - EDPM de acordo com a Norma NBR : PROPRIEDADES UNIDADES REQUISITOS 5.1. Originais Dureza (conforme NBR 7318) Durômetro Shore A 60 a Tensão de ruptura conforme NBR 7462 corpo de prova modelo Alongamento à ruptura conforme NBR 7462 corpo de prova modelo Deformação permanente à compressão ASTM D 395 método B exposição durante 22 h a 70o C 5.3. Resistência ao calor conforme NBR 6565 exposição durante 70h à 70 Graus MPa min. 7 % min. 250 % máx Variação da dureza Durômetro Shore A máx Variação a tensão de reptura % máx Variação do alongamento de ruptura % máx Resistência ao ozônio 70 h 40o C 50 ppcm* 20% de tensão (ver nota A) índice de fendimento Teor de cinzas % 7 MEDIDAS DE SEÇÕES TRANSVERSAIS Faixa de dimensões nominais Classe E1 Classe E2 Classe E3 0 até 2,5 0,20 0,35 0,50 acima de 2,5 até 4,0 0,25 0,40 0,70 acima de 4,0 até 6,3 0,35 0,50 0,80 acima de 6,3 até 10,0 0,40 0,70 1,00 acima de 10,0 até 16,0 0,50 0,80 1,30 acima de 16,0 até 25,0 0,70 1,00 1,60 acima de 25,0 até 40,0 0,80 1,30 2,00 acima de 40,0 até 63,0 * 1,60 2,50 acima de 63,0 até 100,0 * 2,00 3,20 > Tipos de selantes Selante é uma composição elastomérica à base de materiais próprios para vedação, que consegue ser aplicada em temperatura ambiente. É normalmente usado na calafetação, colagem e isolação entre dois suportes quaisquer. A sua principal característica deve ser a capacidade de absorver movimentações, isto é, resistir aos movimentos normais, cíclicos, de alongamento e compressão de juntas, trabalhando em conjunto com os suportes, sem soltar-se. Normalmente são usados em juntas cheias. Existem vários tipos de selantes à disposição no mercado, que se distinguem por seu desempenho, em

22 Page 22 of 38 face das diversas propriedades que cada material possui. O mais conhecido selante usado para a construção civil, no caso de janelas e portas de alumínio, é o silicone. > Selantes de silicone Compostos por óleos reativos de silicone, catalizadores, cargas, promotores de adesão e reticulantes, constituem a terceira geração de selantes. As principais características dizem respeito à grande elasticidade, absorvendo movimentos de juntas de 12% a 100%, com memória elástica quase total. Resistem bem ao envelhecimento e aos agentes climáticos e garantem adesão sobre a maioria dos substratos (com ou sem primer, conforme o tipo de selante formulado). Não podem ser pintados e alguns tipos de reticulação produzem odores desagradáveis. No destaque, a aplicação de silicone > Capacidade de movimentação É a principal característica de um selante. Em cada aplicação, os selantes devem atender satisfatoriamente às solicitações de dilatação e contração dos materiais suportes, sem romper ou descolar. Para cada caso, um selante pode ser recomendado. Juntas de pouca movimentação não exigem um selante de grande elasticidade. Por outro lado, quando as dilatações são de maior magnitude, deve-se especificar selantes com maior capacidade de dilatar-se, sem gerar tensões nas áreas de adesão aos materiais suportes. Movimentos excessivos em selantes de pouca elasticidade podem provocar dois tipos de rupturas. A ruptura adesiva, quando o selante solta-se do suporte; ou ruptura coesiva, quando a força de adesão é superior à coesão do selante. > Aderência ao suporte Quanto maior a adesão aos suportes, maior a garantia e vedação do conjunto. Cada material utilizado na construção civil, como vidro, alumínio, aço, cerâmica, plástico, fiberglass e pré-fabricados de concreto, exige um tipo de comportamento do selante. As garantias de adesão e de dilatação compatíveis com os suportes determinam o tipo de selante ideal em cada caso. Ambas as características dependem do módulo de deformação do selante. Módulos de deformação correspondem à tensão necessária para provocar uma deformação (permanente ou não) de 100% num corpo-de-prova de selante. Juntas de muita movimentação requerem selantes de baixo módulo para reduzir o nível de tensão nos materiais e nas superfícies de contato, devido aos deslocamentos dos suportes. Assim, evita-se a fadiga precoce na área de adesão. O caso inverso, ou seja, juntas de pouca movimentação, pedem selantes de médio ou alto módulos, e as aplicações típicas deste caso são as juntas de aquários e a colagem de vidros do tipo "Structural Glazing". Módulos de deformação dos selantes Baixo Médio Alto até 0,25MPa (35psi) próximo de 0,35MPa (50psi) mais de 0,50MPa (70psi) Conforme o tipo de substrato, alguns selantes necessitam da aplicação de primers para melhorar ou promover a adesão. Geralmente os fabricantes dos selantes recomendam o uso destes elementos, em função dos materiais suportes. Superfícies como concreto e madeira, na maioria das vezes, necessitam de primers. Os demais materiais, alumínio, vidro, aço inox, geralmente dispensam tais aplicações.

23 Page 23 of 38 A adesão, na maior parte das vezes, é garantida pela boa limpeza dos substratos e total ausência de umidade. Materiais como o granito e concreto devem ser escovados e em seguida retiradas todas as partículas não aderidas com ar comprimido ou pano com solvente. Vidros, alumínio e aço inox ou galvanizado devem ser limpos com álcool isopropílico para remover qualquer tipo de óleos, graxas, vaselinas. Aços, quando sujeitos à corrosão, devem ser jateados ou escovados e limpos com solventes. > Compatibilidade com os substratos Nem todos os selantes são compatíveis com todos os tipos de substratos. As incompatibilidades devem ser conhecidas, pois provocam ausência ou perda de adesão, contaminação irreversível dos materiais, manchas e ataques aos suportes. Contaminação Com o tempo, certos materiais utilizados em guarnições, como os perfis de Neoprene ou EPDM, exudam plastificantes e enxofre, elementos que, em contato com o selante, causam contaminações e escurecimento, podendo levá-los à perda de adesão. Manchamentos Os próprios selantes também podem exudar óleos e plastificantes que, com o tempo, mancham superfícies porosas como pedra e cimento, deixando um aspecto sujo nas juntas. Ataques e incompatibilidades Alguns tipos de selantes, durante sua reticulação, soltam gases que podem provocar ataques aos suportes. É o caso típico de selantes de silicone de reticulação acética. Tipos de reticulação Quando são aplicados, no momento do contato com a umidade ambiente, os selantes sofrem uma reação de reticulação, ou seja, passam de uma forma pastosa, que facilita a aplicação, para a forma final de elastômero, transformando-se em elementos de borracha flexível aderida às superfícies de contato com os suportes. No caso dos selantes de silicone, existem três sistemas básicos de reticulação: Acéticos (que exudam ácido acético e não são recomendados em concretos, pedras, revestimentos galvanizados, zincados, vidros laminados, que sofrem seu ataque); Oximas (selantes neutros, que emanam apenas gás oxima) e Alcoólicos (liberam álcool). Exemplo de Projeto

24 Page 24 of 38 A BOA INSTALAÇÃO TAMBÉM ASSEGURA O MELHOR DESEMPENHO Saiba como garantir um processo de instalação adequado para que as esquadrias de alumínio tenham o desempenho esperado em sua obra, fazendo este check-list antes, durante e depois da realização deste trabalho..: Antes.: Durante.: Depois Detalhe de instalação de contramarco Antes O início dos trabalhos de instalação das esquadrias deverá ser precedido por uma inspeção conjunta com o fabricante contratado, visando verificar: 1. Condições de dimensões, prumo, nível e taliscas dos vãos. 2. Não ocorrência de trabalhos adjacentes que possam prejudicar a qualidade das esquadrias, principalmente jato de areia, lavagens com produtos ácidos ou básicos, fatores que prejudicarão o acabamento e o desempenho estrutural.

25 Page 25 of Na ocorrência de deflexões nas vigas e lajes, devidas a cargas acidentais durante a construção, principalmente por material estocado e equipamentos de obra. 4. Presença de vigas ou lajes ainda descimbradas e que poderão gerar deflexões posteriores. 5. Acabamentos perimetrais, soleiras, peitoris, rejuntamentos etc, quanto à sua forma, interface com o alumínio e qualidade da impermeabilização. Durante Iniciada a instalação deverão ser verificados os seguintes ítens: ~30mm 1. O chumbamento do contramarco é o processo do qual dependerá o bom desempenho da esquadria em relação à estanqueidade à água e à segurança estrutural do conjunto. Toda superfície do perfil deve ser preenchida com argamassa de areia e cimento (traço em volume de 3:1), qualquer fresta ou falha será ponto de infiltração. 2. A folga razoável que permite "chapar" a argamassa é de 30mm entre o contramarco e a alvenaria, ou seja, o vão deve estar 60mm maior que as dimensões do contramarco. A folga poderá variar conforme a necessidade e a conveniência da obra, sendo importante apenas manter a boa qualidade do chumbamento. Falha no chumbamento permite a percolação da água para o lado interno do ambiente. 3. Devido à forma de fabricação do contra marco de alumínio, é necessária, no momento da instalação do caixilho propriamente dito, a vedação com mástique nestes cantos inferiores, impedindo assim qualquer possibilidade de infiltração por estes pontos. 4. A patologia de maior ocorrência é a da infiltração pela parte inferior do contramarco, causada pela falha no chumbamento, resultando em contramarco "oco" no peitoril. 5. O embarrigamento pode se manifestar como ondulações ao longo dos perfis ou como torção no eixo transversal de cada perfil do conjunto do contramarco. A própria atividade de chumbamento do contramarco, "chapando" a argamassa entre o perfil de alumínio e a alvenaria, é uma situação propícia para o embarrigamento dos perfis perimetrais do contramarco. Esta patologia a princípio dificulta a instalação do caixilho no contramarco e, por conseqüência, prejudica o funcionamento e o desempenho quanto à estanqueidade. Para evitar este problema, devemos utilizar réguas de alumínio ou gabarito, amarrados nos perfis do contramarco, reforçando a peça para a execução do chumbamento. 6. Nas portas de correr de sacada é importante manter o desnível mínimo entre o trilho inferior e o piso interno do ambiente para se obter o desempenho de estanqueidade necessário. O desnível é resultante das características climáticas da localização da edificação.

26 Page 26 of 38 Ao contrário do que se imagina suficiente, o desnível deve ocorrer entre o trilho e o piso interno e não entre o piso externo da sacada e piso interno, como vem ocorrendo normalmente nas construções, resultando em falta de espaço para a instalação do contramarco. Devemos prever espaço suficiente para a instalação do contramarco e a manta de impermeabilização da laje da sacada. Depois Terminada a instalação e revisão das esquadrias pelo fabricante contratado recomenda-se uma inspeção conjunta observando bem: 1. as condições de aperto dos parafusamentos e rebitagens aparentes das esquadrias e dos acessórios de movimentação e segurança. 2. em todos os contornos a aplicação e possível falta ou falhas de colocação de gaxetas de elastômeros, fitas vedantes, silicones ou escovas de polipropileno, conforme o caso. 3. a aplicação correta de silicones nas juntas e interfaces com as paredes ou outros elementos construtivos. 4. que as partes em alumínio não possuam mossas, manchas ou riscos e que as partes em alumínio ou vidro não tenham manchas de silicone. 5. os cantos dos vidros não devem ter trincas ou defeitos conforme definições da NBR7210, principalmente fissuras nascentes, trincas ou defeitos de borda com exceção de janelas de folhas fixas, em todos os outros casos, a execução dos furos ou rasgos de drenagem de água conforme detalhes do projeto. 7. se a abertura e fechamento se fazem suavemente, sem solavancos, atrito ou ruídos exagerados. 8. nas posições de máxima abertura, o funcionamento da trava de segurança e a ausência de vibrações. 9. na posição fechada, o ajuste e funcionamento do trinco ou fechadura bem como a ocorrência de movimento ou vibração. 10. se foram instalados batedores de borracha nos montantes. TESTES DE CONFORMIDADE QUE GARANTEM A SOLUÇÃO ADEQUADA Uma esquadria deve atender diversas exigências para ser considerada um elemento arquitetônico de qualidade. A norma brasileira atual as classifica em três grupos, excluindo os aspectos de durabilidade: - Segurança, envolvendo comportamentos diante de solicitações mecânicas. - Habitabilidade, incluindo aspectos de estanqueidade, higrotermia, aparência e manobras..: Segurança.: Habitabilidade Segurança

27 Page 27 of 38 O vento é uma solicitação mecânica de grande importância na análise de qualidade de esquadrias. É importantíssimo que uma janela submetida a pressões de vento não apresente problemas de funcionamento ou estanqueidade, nem sofra deformações instantâneas ou residuais excessivas. A norma NBR (Caixilho para Edificação - Janela; Especificação) - fornece, para quatro classes de edifícios, definidas pelas suas alturas e usos, e para diversas regiões do país, as pressões de ensaio necessárias. As pressões de ensaio: Classe Região do País Pressão de projeto Pp em Pa Pressão de sucção, em Pa, Pe X 0,8 Pressão de ensaio Pe = Pp x1,5, em Pa I Normal: II Residencial Unifamiliar ou Comercial III Simples - até dois pavimentos IV V I Melhorada: II Residencial ou Comercial até 4 pavimentos III ou 12 metros IV V Reforçada: Comercial pesada ou edifícios residenciais com mais de 5 pavimentos Todas as regiões Calcular conforme NBR 6123 (ver nota 1) Calcular conforme NBR 6123 (ver nota 1) Calcular conforme NBR 6123 (ver nota 1) Excepcional: Arquiteturas especiais (Shopping, indústrias, hospitais etc) Todas as regiões Calcular conforme NBR 6123 (ver nota 2) Calcular conforme NBR 6123 (ver nota 2) Calcular conforme NBR 6123 (ver nota 2) Nota 1: Na classe Reforçada, os valores de pressão, calculados conforme NBR 6123, deverão ser pelo menos iguais aos valores das pressões e ensaio da classe Melhorada. Nota 2: Nos casos de arquiteturas especiais da classe Excepcional, os valores de pressão de ensaio, calculados conforme NBR 6123, quando inferiores aos valores da classe Melhorada, deverão ser justificados através de ensaios em túneis de vento ou planilhas de cálculo e assumidos por um responsável técnico. Isopletas dos ventos em (m/s) O vento é a principal carga acidental que age nas edificações. Com essa informação, pode-se calcular a carga de sucção ou obstrução. q = (Vk. Vk) / 16 Onde: Vk = S1 x S2 x S3 x Vo q = pressão (kgf/m2) Vk = velocidade característica (m/s) Vo - velocidade básica (isopleta, m/s) S1 = fator topográfico S2 = fator rugosidade S3 = fator estatístico

28 Page 28 of 38 Habitabilidade Diversos esforços relativos ao uso, chamados de operações de manuseio, mereceram a atenção, simulando-se em ensaios as solicitações que uma janela pode sofrer. Pretende-se, assim, evitar danos provocados por pressões distribuídas uniformemente, como as decorrentes de vento; tentativas de fechar janelas emperradas por obstáculos não percebidos nos seus batentes; crianças penduradas em folhas de janelas abertas e outros esforços. Ainda na categoria de habitabilidade são importantes a estanqueidade à água e a permeabilidade ao ar. Condições de estanqueidade à água A estanqueidade à água deve considerar uma condição climática crítica: a ação simultânea de chuva e vento, quando a entrada de água é facilitada pelas deformações de perfis decorrentes da pressão exercida pelo vento. A tabela a seguir fornece as pressões de ensaio: Classe de utilização Normal: Residencial Unifamiliar ou Comercial Simples - até dois pavimentos Melhorada: Residencial ou Comercial até 4 pavimentos ou 12 metros Reforçada: Comercial pesada ou edifícios residenciais com mais de 5 pavimentos Excepcional: Arquiteturas especiais (Shopping, indústrias, hospitais etc) Região do País I II III IV V I II III IV V Todas as regiões Todas as regiões Pressão de ensaio de estanqueidade à água Pressão de projeto de vento - Pp x 0,15, em Pa Pressões de ensaio = o maior dos dois valores: 0,15 x Pp (pressão de projeto das cargas de vento) e os valores das pressões da classe Melhorada Pressões de ensaio = o maior dos dois valores: 0,15 x Pp (pressão de projeto das cargas de vento) e os valores das pressões da classe Melhorada Condições de permeabilidade ao ar A permeabilidade ao ar de uma janela é a medida da facilidade com que se fazem as trocas de ar do edifício com o ambiente. Seus parâmetros também dependem da localização, do tipo de utilização e da pressão que atua sobre a janela, que lhe causam deformações e aberturas de juntas. Tipo de ambiente Localização: Estado do País Classe de utilização Exigência de Permeabilidade ao ar Condicionado ou climatizado Qualquer Estado Normal ou Melhorada Reforçada ou Excepcional Resistência térmica mínima 0,15 m2k/w Vazão máxima de 5m3/h x metro linear de juntas abertas, sob uma pressão de 30 Pa Resistência térmica mínima 0,15 m2k/w Vazão máxima de 5m3/h x metro linear de juntas abertas, sob uma pressão de 50 Pa Não condicionado ou não climatizado São Paulo, Paraná, Sta. Catarina e Rio Grande do Sul Normal ou Melhorada Velocidade do ar < 0,5m/s, a uma distância de 2,0cm da janela quando submetida a uma pressão de 30 Pa Velocidade do ar < 0,5m/s, a uma distância de Reforçada ou 2,0cm da janela quando submetida a uma

29 Page 29 of 38 Outros Estados Excepcional Qualquer classe de utilização pressão de 50 Pa Não há exigência Do ponto de vista da durabilidade, a NBR estabelece verificações da janela no aspecto de seu funcionamento, através de ensaios de abertura e fechamento (ciclos de utilização). Por meio destes tipos de ensaios, testam-se apenas os comportamentos de seus componentes de movimentação, como roldanas, gaxetas e articulações, sem levar em conta os efeitos do envelhecimento e ações do ambiente sobre os materiais constitutivos dos perfis, tais como degradação térmica, fotodegradação, água e vapor de água, agentes químicos e agentes biológicos. Os métodos de ensaio esclarecem os pontos de medição das deformações, formas de cálculo e instalação de esquadrias nas câmaras, entre outras informações que davam margem a diferentes interpretações. No que diz respeito aos métodos de ensaio que verificam deformações instantâneas ou permanentes, tais como os ensaios de resistência às cargas uniformemente distribuídas e esforços de manuseio (manobras), foram determinados os pontos e a forma de medição das deformações. A GARANTIA DE QUALIDADE DE UMA ESQUADRIA COMEÇA PELO PROJETO O projeto e especificação de esquadrias de alumínio, a serem elaborados pelos arquitetos ou engenheiros especificadores para licitação junto aos fabricantes, devem conter as informações e exigências necessárias à obtenção de um resultado final compatível. Do ponto de vista da determinação da responsabilidade estrutural devem ser fixadas as condições geográficas e de localização, requeridas pela NBR 6123 quanto ao regime dos ventos, para que o licitante da obra calcule de forma adequada as janelas. É também recomendável nestes casos exigir a correspondente ART (Anotação de Responsabilidade Técnica - CREA). Além das plantas, cortes e vistas da arquitetura são necessários detalhes relativos aos tipos de janelas e sistema para cada vão, qualidade das vedações, fechos e outros acessórios, qualidade dos acabamentos superficiais e testes de conformidade. Modelo de termo de garantia "O fabricante, identificado ao final do presente Termo, garante, contra defeitos de fabricação, os produtos relacionados no CERTIFICADO DE GARANTIA GLOBAL entregue à empresa de engenharia ou construtor, que recebeu o mesmo número acima indicado, observando-se os termos deste manual, do Código Civil Brasileiro e da Lei (Código de Defesa do Consumidor), em seu art. 26, bem como pelo Documento Compromisso de Qualidade, assumido entre as indústrias de esquadrias e seus fornecedores, perante a AFEAL - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE FABRICANTES DE ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO, pelos prazos adiante estabelecidos, os quais têm seu início contado a partir do término da instalação das esquadrias na obra: 1 - pelo prazo de 90 dias para todo e qualquer vício ou defeito aparente ou que não estejam em conformidade com o projeto; 2 - pelo prazo de 1 ano para recolhedores de palhetas, motores e conjuntos elétricos de acionamento;

30 Page 30 of pelo prazo de 2 anos para borrachas, escovas, articulações, fechos e roldanas; 4 - pelo prazo de 5 anos para perfis de alumínio e acabamento superficial (anodização ou pintura), fixadores e revestimentos em painel de alumínio ou chapa de alumínio composto (ACM); A garantia acima descrita ficará automaticamente cancelada no caso de ocorrerem as seguintes hipóteses: a) se durante todo o prazo de vigência da garantia não for observado o que dispõe o MANUAL DE USO, LIMPEZA E CONSERVAÇÃO DE ESQUADRIAS, REVESTIMENTOS EM ALUMÍNIO E SEUS COMPONENTES, elaborado e editado pela AFEAL; b) se, nos termos do art do Código Civil, ocorrer qualquer caso fortuito, ou por força maior, que impossibilite a manutenção da garantia concedida; c) se forem causados danos por mau uso, manuseio inadequado, substituição de peças e partes ou ajustes executados por terceiros não autorizados pelo FABRICANTE das esquadrias; d) se por pane no sistema de acionamento eletroeletrônico, motores e fiação, causados por sobrecarga de tensão, queda de raios ou ausência de fio terra; e) se forem feitas instalações de cortinas ou qualquer aparelho, tais como: persianas, ar condicionado etc., diretamente na estrutura das esquadrias, ou que com elas possam interferir; f) se ocorrer danos aos componentes, pintura ou camada anódica causados por agentes corrosivos, produtos alcalinos e resíduos aquosos provenientes de infiltração de lajes e rebocos; g) se for feita qualquer mudança na esquadria que altere suas características originais". Em caso de fazer valer este Termo de Garantia, entrar em contato, por escrito, com a empresa de engenharia ou construtor de seu imóvel, fazendo o relato do defeito ou mau funcionamento da esquadria, mencionando o fabricante. A GARANTIA DE QUALIDADE DE UMA ESQUADRIA COMEÇA PELO PROJETO Modelo de termo de garantia "O fabricante, identificado ao final do presente Termo, garante, contra defeitos de fabricação, os produtos relacionados no CERTIFICADO DE GARANTIA GLOBAL entregue à empresa de engenharia ou construtor, que recebeu o mesmo número acima indicado, observando-se os termos deste manual, do Código Civil Brasileiro e da Lei (Código de Defesa do Consumidor), em seu art. 26, bem como pelo Documento Compromisso de Qualidade, assumido entre as indústrias de esquadrias e seus fornecedores, perante a AFEAL - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE FABRICANTES DE ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO, pelos prazos adiante estabelecidos, os quais têm seu início contado a partir do término da instalação das esquadrias na obra: 1 - pelo prazo de 90 dias para todo e qualquer vício ou defeito aparente ou que não estejam em conformidade com o projeto; 2 - pelo prazo de 1 ano para recolhedores de palhetas, motores e conjuntos elétricos de acionamento; 3 - pelo prazo de 2 anos para borrachas, escovas, articulações, fechos e roldanas; 4 - pelo prazo de 5 anos para perfis de alumínio e acabamento superficial (anodização ou pintura), fixadores e revestimentos em painel de alumínio ou chapa de alumínio composto (ACM); A garantia acima descrita ficará automaticamente cancelada no caso de ocorrerem as seguintes hipóteses: a) se durante todo o prazo de vigência da garantia não for observado o que dispõe o MANUAL DE USO,

31 Page 31 of 38 LIMPEZA E CONSERVAÇÃO DE ESQUADRIAS, REVESTIMENTOS EM ALUMÍNIO E SEUS COMPONENTES, elaborado e editado pela AFEAL; b) se, nos termos do art do Código Civil, ocorrer qualquer caso fortuito, ou por força maior, que impossibilite a manutenção da garantia concedida; c) se forem causados danos por mau uso, manuseio inadequado, substituição de peças e partes ou ajustes executados por terceiros não autorizados pelo FABRICANTE das esquadrias; d) se por pane no sistema de acionamento eletroeletrônico, motores e fiação, causados por sobrecarga de tensão, queda de raios ou ausência de fio terra; e) se forem feitas instalações de cortinas ou qualquer aparelho, tais como: persianas, ar condicionado etc., diretamente na estrutura das esquadrias, ou que com elas possam interferir; f) se ocorrer danos aos componentes, pintura ou camada anódica causados por agentes corrosivos, produtos alcalinos e resíduos aquosos provenientes de infiltração de lajes e rebocos; g) se for feita qualquer mudança na esquadria que altere suas características originais". Em caso de fazer valer este Termo de Garantia, entrar em contato, por escrito, com a empresa de engenharia ou construtor de seu imóvel, fazendo o relato do defeito ou mau funcionamento da esquadria, mencionando o fabricante. APLICAÇÕES DE ALUMÍNIO EM CONSTRUÇÃO CIVIL E ARQUITETURA.: Fachadas de Edifícios.: Gradis e portões.: Estruturas.: Revestimento de fachadas.: Revestimentos internos, pisos e forros.: Coberturas e fechamentos laterais.: Equipamentos para construção.: Mobiliário.: Equipamentos para transporte vertical.: Mobiliário urbano Fachadas de edifícios Exemplos de aplicações Janelas e portas; fachadas cortina. Isolamento acústico A indústria brasileira de esquadrias de alumínio está apta a oferecer soluções para qualquer nível de solicitação. Há sistemas no mercado que podem acomodar vidros com até 40 mm de espessura. A norma brasileira ABNT NBR estabelece os níveis máximos de ruído admissíveis para os diversos tipos de ambientes os quais são contemplados pelas linhas de esquadrias de alumínio. Isolamento térmico A indústria brasileira de esquadrias de alumínio está apta a oferecer soluções de comportamento térmico para qualquer nível de solicitação, inclusive com o recurso de perfis com "thermal break". Vedação à água e ao ar A indústria brasileira de esquadrias de alumínio oferece soluções de muito bom desempenho nos quesitos vedação à água e ao ar. A norma ABNT NBR estabelece o desempenho mínimo exigível. Existem no país câmaras de ensaios para avaliar o produto antes de sua aplicação. Comportamento estrutural O comportamento estrutural adequado pode ser garantido por análises e ensaios executados antes da

32 Page 32 of 38 especificação definitiva das esquadrias. A norma brasileira ABNT NBR estabelece as condições para as análises e ensaios. Design e aparência Os produtores de alumínio disponibilizam para o mercado linhas, modelos e sistemas os quais permitem a indústria de esquadrias de alumínio no Brasil, oferecerem uma ampla gama de opções para personalização dos projetos. Há perfis e acessórios que contemplam várias alternativas em termos de estética, mantendo a funcionalidade. Possibilidade de Automação De maneira geral, há no mercado recursos para automação de praticamente quaisquer tipos de esquadrias de alumínio, desde a simples manobra de uma porta de garagem até a utilização de sensores para movimentar uma esquadria na ocorrência de chuva ou quando as condições de iluminação natural forem alteradas. Observações Facilidades para limpeza, conservação e manutenção. Gradis e portões Exemplos de aplicações Portões de abrir e de correr, gradis para varandas e gradis externos, gradis em vidro e alumínio. Comportamento estrutural As propriedades mecânicas das ligas de alumínio utilizadas em gradis e portões asseguram bom desempenho. Perfis extrudados e sistemas de Guarda Corpos em alumínio são projetados para atender a norma NBR Guarda Corpo para Edificações. Design e aparência Há no mercado inúmeras opções de formas e combinações, de maneira a propiciar ao arquiteto a possibilidade de personalizar seu projeto. Possibilidade de Automação Portões de alumínio são mais leves e mais fáceis de movimentar. Observações Facilidades para limpeza e conservação. Estruturas Exemplos de aplicações Estruturas planas e espaciais para coberturas, coberturas e fechamentos monumentais em alumínio e vidro, marquises, mezzaninos. Isolamento térmico São comuns as coberturas em vidros e alumínios com excelente comportamento térmico. Elas estão presentes em hotéis, shopping centers, espaços para eventos e exposições. Vedação à água e ao ar As coberturas em vidro e alumínio apresentam absoluta estanqueidade ao ar e à água. Comportamento estrutural As ligas de alumínio de média resistência são adequadas para a execução de estruturas dos mais diversos tipos. Há no Brasil tecnologia de projeto e execução das estruturas. Design e aparência Quando o arquiteto deseja que a estrutura faça parte da imagem do edifício, as estruturas espaciais de alumínio são imbatíveis.

33 Page 33 of 38 Possibilidade de Automação Por seu baixo peso, o alumínio é particularmente adequado para estruras móveis, como coberturas de piscinas. Observações Não necessidade de manutenção. Revestimento de fachadas Exemplos de aplicações Painéis ACM e chapas pré-pintadas. Isolamento acústico Aplicados adequadamente, os revestimentos de fachadas em alumínio colaboram no desempenho do edifício em termos de isolamento acústico. Design e aparência Muitos dos mais modernos edifícios do mundo são revestidos parcial ou totalmente com painéis compostos de aluminio ou chapas pré-pintadas de alumínio. Esses revestimentos conferem aos edifícios uma aparência "high tech", muito valorizada pelos arquitetos. Observações Facilidades para limpeza, conservação e manutenção. Revestimentos internos, pisos e forros Exemplos de aplicações Lambris, sistemas de forros, pisos comuns e suspensos, arremates para juntas de dilatação. Design e aparência Com a utilização de anodização colorida ou pintura eletrostática, os lambris e forros podem se transformar em painéis decorativos de excelente efeito. Possibilidade de automação. Observações Facilidades para limpeza e conservação. Mobiliário Exemplos de aplicações Divisórias, armários, mesas, cadeiras, balcões, expositores, vitrines, displays, stands, sinalização. Isolamento acústico Há no mercado divisórias de alumínio que oferecem excelente isolamento acústico, requisito fundamental nos modernos escritórios. Design e aparência As várias possibilidades de acabamento dos extrudados de alumínio possibilitam soluções de muito bom gosto. Observações Facilidades para limpeza, conservação e manutenção. Coberturas e fechamentos laterais Exemplos de aplicações Telhas onduladas e trapezoidais; telhas duplas com recheio de poliuretano; telhas com recheio em lã de vidro e as "zipadas".

34 Page 34 of 38 Isolamento acústico As telhas de alumínio podem receber tratamentos para oferecer excelente isolamento acústico. Vedação à água e ao ar As telhas de alumínio proporcionam segurança, estanquiedade e durabilidade na construção com o emprego correto dos acessórios de boa qualidade. Os componentes adicionais as telhas tem uma função importante para o bom desempenho da cobertura. São eles as cumeeiras, rufos, arremates, as vedações e as fixações. Comportamento estrutural As telhas de alumínio são projetadas para atender as normas da ABNT AÇÃO DOS VENTOS SOBRE EDIFICAÇÕES e Normas sobre a intensidade de chuvas (índice pluviométrico) e drenagem do telhado. Design e aparência As telhas de alumínio possuem design próprios que contemplam as condições climáticas brasileiras e proporcionam um ambiente confortável, estético e econômico. Os acabamentos disponíveis no mercado atendem a necessidade da arquitetura no padrão liso natural, estucado, e pintado em uma infinidade de cores podem ser utilizadas para melhorar a aparência do edifício. Observações Facilidades para limpeza e conservação. Equipamentos para construção Exemplos de aplicações Andaimes, pranchas, cimbramentos, escoramentos, formas para concreto, equipamentos para trabalho externo. Comportamento estrutural As ligas de alumínio de média resistência apresentam resistência mecânica equivalente àquela dos aços comuns. Observações Leveza, longa vida útil, valor residual. Equipamentos para transporte vertical Exemplos de aplicações Elevadores, escadas rolantes, andaimes para limpeza e manutenção externa, elevadores móveis para limpeza e manutenção interna. Comportamento estrutural As ligas de alumínio de média resistência apresentam resistência mecânica equivalente àquela dos aços comuns. Design e aparência Extrudados de alumínio são cada vez mais utilizados em escadas rolantes e elevadores por sua possibilidade de combinar comportamento mecânico adequado com excelente aparência e facilidade de conservação. Observações Menor peso significa economia de energia durante toda a vida útil do equipamento. Mobiliário urbano Exemplos de aplicações Relógios e termômetros de rua, abrigos para pontos de ônibus, equipamento para sinalização viária, turísitca e institucional, cabines telefônicas, cestos de lixo, sanitários públicos, bancos para jardins, postes e luminárias, mastros para bandeiras, displays para mapas e informações viárias e turísticas.

35 Page 35 of 38 Comportamento estrutural Os equipamentos urbanos beneficiam-se das excelentes propriedades mecânicas das ligas de alumínio, que lhes conferem longa vida útil. Design e aparência O aspecto nobre e limpo do alumínio, associado às inúmeras possibilidades de acabamento, transferem valor e prestígio aos móveis urbanos. Os designers dispõem dos recursos característicos do alumínio, para enriquecer seus projetos. Observações Facilidades para limpeza, conservação e manutenção. POR DENTRO DO MERCADO BRASILEIRO DE ALUMÍNIO Composição do mercado brasileiro de alumínio O mercado brasileiro de alumínio é suprido com alumínio primário/ligas, sucata e produtos importados e o consumo de produtos transformados totalizou em 2002, um volume de 717,0 mil toneladas. Esse volume, representa um consumo per capita brasileiro de 4,1 kg/hab./ano, bastante inferior ao consumo de países desenvolvidos como dos Estados Unidos, que chega a 29 kg/hab/ano. Essa diferença mostra um grande potencial de crescimento do consumo brasileiro de alumínio. Lingotes Acompanhe a composição desse mercado - da matéria-prima ao produto final:.: Suprimento.: Demanda Fardos de Sucata Prensada.: Mercado brasileiro de produtos extrudados de alumínio Suprimento O suprimento de alumínio é composto pela oferta de alumínio primário/ligas, sucata recuperada, inclusive a importada, e demais importações de alumínio. Em 2002, somada a produção primária, a sucata recuperada e as importações, o suprimento de alumínio atingiu mil toneladas. Produção de Alumínio Primário Redução do alumínio primário A produção nacional de alumínio primário em 2002 ultrapassou mil toneladas. No total, são sete as unidades produtoras de alumínio primário: Albras (Barcarena-PA), Alcan (Ouro Preto-MG e Aratu-BA), Alcoa (Poços de Caldas-MG), Alumar - Consórcio com participação acionária da Alcoa e BHP Billiton (São Luís-MA), CBA-Companhia Brasileira do Alumínio (Alumínio-SP) e Valesul - Com participação acionária da Aluvale e BHP Billiton (Santa Cruz-RJ). Produção Primária por Usina (Unid: 1000 toneladas) Composição

Para contribuir com um dos segmentos mais importantes deste setor, a ABAL. O objetivo deste material é promover a evolução do mercado, auxiliando

Para contribuir com um dos segmentos mais importantes deste setor, a ABAL. O objetivo deste material é promover a evolução do mercado, auxiliando ABERTURA A Associação Brasileira do Alumínio - ABAL tem entre seus objetivos principais a busca de maior competitividade interna e externa e a difusão dos usos do alumínio, bem como o incentivo às suas

Leia mais

MANUAL DE USO E CONSERVAÇÃO ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO

MANUAL DE USO E CONSERVAÇÃO ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO MANUAL DE USO E CONSERVAÇÃO ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO As informações contidas neste manual foram elaboradas com base em nosso conhecimento e em conteúdo fornecido por nossos parceiros comerciais, os quais

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO CHAPAS DE POLICARBONATO ALVEOLARES

MANUAL DE INSTALAÇÃO CHAPAS DE POLICARBONATO ALVEOLARES MANUAL DE INSTALAÇÃO CHAPAS DE POLICARBONATO ALVEOLARES CHAPAS DE POLICARBONATO ALVEOLARES As chapas de policarbonato alveolares, possuem em um dos lados, tratamento contra o ataque dos raios ultravioletas,

Leia mais

Revestimentos de Alto Desempenho - RAD

Revestimentos de Alto Desempenho - RAD Revestimentos de Alto Desempenho - RAD O mercado de revestimentos para pisos de concreto se desenvolveu mais expressivamente no Brasil na década de 1980. Foi nesse momento que os revestimentos autonivelantes

Leia mais

ESTÚDIO DE ARQUITETURA: SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL MARINA CUNHA BARBOSA ELEMENTOS DE FACHADA

ESTÚDIO DE ARQUITETURA: SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL MARINA CUNHA BARBOSA ELEMENTOS DE FACHADA ELEMENTOS DE FACHADA Belo Horizonte, 08 de maio de 2014 1- FACHADAS EM ALUMÍNIO E VIDRO 1.1 ALUMÍNIO A grande questão da utilização do alumínio em fachadas cortina é a definição do tipo de revestimento

Leia mais

POLICARBONATO COMPACTO

POLICARBONATO COMPACTO POLICARBONATO COMPACTO Chapa em policarbonato compacto, com tratamento em um dos lados contra o ataque dos raios ultravioleta (garantia de 10 anos contra amarelamento). Por sua alta transparência, a chapa

Leia mais

Adesivo Stop Pregos. Adesivo MS Ultra Express. Excelente aderência em diversos tipos de material base.

Adesivo Stop Pregos. Adesivo MS Ultra Express. Excelente aderência em diversos tipos de material base. Produtos Químicos Líder de mercado na maioria dos países europeus; O mais alto nível de atendimento ao cliente do segmento industrial; Excelente imagem da marca: 92% dos engenheiros de estruturas e arquitetos

Leia mais

POLICARBONATO CHAPAS COMPACTAS. Estilo com Tecnologia. Alveolar - Compacto - Telhas - Acessórios de Instalação

POLICARBONATO CHAPAS COMPACTAS. Estilo com Tecnologia. Alveolar - Compacto - Telhas - Acessórios de Instalação POLICARBONATO CHAPAS COMPACTAS Estilo com Tecnologia Alveolar - Compacto - Telhas - Acessórios de Instalação CHAPAS COMPACTAS Chapa em policarbonato compacto, com tratamento em um dos lados contra o ataque

Leia mais

PORTAS E JANELAS: A LIGAÇÃO DA CASA COM O MUNDO

PORTAS E JANELAS: A LIGAÇÃO DA CASA COM O MUNDO PORTAS E JANELAS: A LIGAÇÃO DA CASA COM O MUNDO É dito no ditado popular que os olhos de uma pessoa são as janelas de sua alma, trazendo este pensamento para uma residência, podemos entender que as janelas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO, ORÇAMENTO E PROJETO DO ACESSO PRINCIPAL E IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE FRONTEIRA

MEMORIAL DESCRITIVO, ORÇAMENTO E PROJETO DO ACESSO PRINCIPAL E IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE FRONTEIRA MEMORIAL DESCRITIVO, ORÇAMENTO E PROJETO DO ACESSO PRINCIPAL E IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE FRONTEIRA Orçamento Unidade Básica de Saúde - Fronteira Estrutura para o acesso e identificação do

Leia mais

MANUAL LIMPEZA & MANUTENÇÃO

MANUAL LIMPEZA & MANUTENÇÃO MANUAL LIMPEZA & MANUTENÇÃO As informações contidas neste manual foram elaboradas com base em nosso conhecimento e no conteúdo fornecido por nossos parceiros comerciais. A Esquadrimed se reserva ao direito

Leia mais

MAXIJUNTA - 3 EM 1 PRODUTO:

MAXIJUNTA - 3 EM 1 PRODUTO: INDICAÇÕES: Argamassa colante de assentamento e rejuntamento simultâneo flexível de alta adesividade para áreas internas e externas. Assenta e rejunta pastilhas de porcelana e cerâmica até 7,5 x 7,5 cm,

Leia mais

Obrigado por ter adquirido os nossos produtos.

Obrigado por ter adquirido os nossos produtos. Obrigado por ter adquirido os nossos produtos. A Lavore Móveis segue um rigoroso controle de qualidade com o objetivo de garantir a total satisfação dos nossos clientes. Para conservação do mobiliário

Leia mais

Parabond 700 Adesivo estrutural elástico de elevada aderência e resistência inicial

Parabond 700 Adesivo estrutural elástico de elevada aderência e resistência inicial Parabond 700 Adesivo estrutural elástico de elevada aderência e resistência inicial Produto: Parabond 700 é um adesivo de alta qualidade, cura rápida, permanentemente elástico, à base de MS polímero, com

Leia mais

Construção Civil Linha PVC

Construção Civil Linha PVC Construção Civil Linha PVC Correr Abertura de 2 a 6 folhas que se movimentam mediante deslizamento horizontal. De fácil manuseio, podendo ser utilizada com persiana e tela mosquiteira. Permite ventilação

Leia mais

Marca registrada.todos os direitos reservados.

Marca registrada.todos os direitos reservados. Marca registrada.todos os direitos reservados. ESTUDO DAS ESQUADRIAS PVC E ALUMÍNIO BENEFÍCIOS PVC - Conforto térmico, menor gasto de energia conseqüentemente - Conforto acústico excelente com vidro duplo

Leia mais

MAXIJUNTA - PASTILHAS DE PORCELANA

MAXIJUNTA - PASTILHAS DE PORCELANA INDICAÇÕES: Argamassa colante de assentamento e rejuntamento simultâneo flexível, de alta adesividade, para áreas internas e externas. O Maxijunta Pastilhas de Porcelana é indicado principalmente para

Leia mais

DISTRIBUIDOR AUTORIZADO: TÉCNICO SISTEMA TOP GLASS

DISTRIBUIDOR AUTORIZADO: TÉCNICO SISTEMA TOP GLASS DISTRIBUIDOR AUTORIZADO: C AT Á L O G O TÉCNICO SISTEMA TOP GLASS GRUPO REY DO VIDRO O GRUPO O Grupo Rey do Vidro nasceu em 2007 com a criação da Espaço Inteligente que por sua vez nasceu da necessidade

Leia mais

GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS. Comunidade da Construção de Vitória

GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS. Comunidade da Construção de Vitória GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS 1 Objetivo Utilizar o controle tecnológico como ferramenta imprescindível para execução do revestimento de argamassa e cerâmica em fachadas, aumentando a

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para a Indústria de Cimento

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para a Indústria de Cimento Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Tintas A WEG Tintas fornece tecnologia em tintas para diversos tipos de ambientes agressivos. São produtos com maior retenção de cor e brilho,

Leia mais

ORIGAMI Manual de conservação

ORIGAMI Manual de conservação R e s p e i t a r o s l i m i t e s d e p e s o. T r a n s p o r t a r c o m c u i d a d o. TECIDO S LIMPE SEMANALMENTE A POEIRA DEPOSITADA SOBRE O TECIDO COM UM ASPIRADOR DE PÓ E REALIZE UMA ESCOVAÇÃO

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Módulo IV Aula 04 Isolamento térmico AQUECIMENTO DE TUBULAÇÕES Motivos Manter em condições de escoamento líquidos de alta viscosidade ou materiais que sejam sólidos

Leia mais

PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS

PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS MANUAL DE BOAS PRÁTICAS E DICAS PARA UMA PINTURA EFICIENTE DE PISO Sempre que desejamos fazer uma pintura de piso, Industrial ou não, devemos ter em mente quais são os objetivos

Leia mais

BENEFÍCIOS PARA OS MORADOES DO IMÓVEL:

BENEFÍCIOS PARA OS MORADOES DO IMÓVEL: APRESENTAÇÃO O sistema A.I.S foi desenvolvido para atender as necessidades dos nossos clientes, seguindo a tendência da arquitetura moderna que valoriza os imóveis. Nossa tecnologia também pode ser utilizada

Leia mais

DICAS ANTES DA COMPRA

DICAS ANTES DA COMPRA DICAS ANTES DA COMPRA Madeira: É um material natural e variações são consideradas normais, nuances e veios existentes nos pisos são próprios da madeira; imperfeições naturais, nós e variações nas tonalidades

Leia mais

Para melhorar o conforto acústico das edificações é essencial realizar estudos de avaliação prévia e utilizar produtos submetidos a ensaios

Para melhorar o conforto acústico das edificações é essencial realizar estudos de avaliação prévia e utilizar produtos submetidos a ensaios Esquadrias anti-ruídos Para melhorar o conforto acústico das edificações é essencial realizar estudos de avaliação prévia e utilizar produtos submetidos a ensaios Laboratório de acústica da Divisão de

Leia mais

ESQUADRIAS Resumo da aula

ESQUADRIAS Resumo da aula ESQUADRIAS Resumo da aula Os vãos têm como funções a vedação e a comunicação dos ambientes internos e externos do edifício. Ambos necessitam de obras e serviços, executadas com materiais, segundo determinadas

Leia mais

Oferecemos também uma linha completa de acabamentos para pisos em madeira, como rodapés, cantoneiras e frontais para escadas.

Oferecemos também uma linha completa de acabamentos para pisos em madeira, como rodapés, cantoneiras e frontais para escadas. Ecopiso Ecopiso empresa com sede em Curitiba, produzindo pisos maciços pré acabados, com o que existe de melhor e mais moderno em padrões de cores e acabamentos de verniz. Oferecemos também uma linha completa

Leia mais

SELANTES PARA USO EM CONSTRUÇÕES

SELANTES PARA USO EM CONSTRUÇÕES SELANTES PARA USO EM CONSTRUÇÕES 1. Introdução Os materiais de construção estão sujeitos a expansão e contração, devido às características constituintes da sua composição, pela variação térmica, variação

Leia mais

Como escolher a tinta adequada a determinado serviço? A resposta a essa questão requer, primeiro, conhecimentos das características

Como escolher a tinta adequada a determinado serviço? A resposta a essa questão requer, primeiro, conhecimentos das características Tintas Um problema Como escolher a tinta adequada a determinado serviço? A resposta a essa questão requer, primeiro, conhecimentos das características e tipos de tintas. Introdução Na aula anterior, vimos

Leia mais

soluções do futuro para o seu presente

soluções do futuro para o seu presente soluções do futuro para o seu presente PORTFÓLIO conheça a solução com excelência para seu lar EMPRESA A JR ALUMINIUM é uma empresa especializada na criação, fabricação e instalação de Esquadrias de Alumínio

Leia mais

O impacto da ABNT NBR 15575 Edificações habitacionais Desempenho sobre Esquadrias. Aspectos técnicos e jurídicos

O impacto da ABNT NBR 15575 Edificações habitacionais Desempenho sobre Esquadrias. Aspectos técnicos e jurídicos O impacto da ABNT NBR 15575 Edificações habitacionais Desempenho sobre Esquadrias Aspectos técnicos e jurídicos Enga. Fabiola Rago Beltrame AFEAL - Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio

Leia mais

Película Scotchcal MR Série D

Película Scotchcal MR Série D Película Scotchcal MR Série D Dados Técnicos Novembro/2005 Substitui: Julho/2005 Revisão 01 Barras pretas nas margens indicam as alterações Descrição Descrição e usos As Películas Scotchcal MR Série D

Leia mais

Cores. Cristal Opal Bronze Cinza. 0,98 Opal. 0,66 Bronze Cinza. 2100 x 5800 Não Consta. Azul. Reflexivo Hot Climate. Reflexivo.

Cores. Cristal Opal Bronze Cinza. 0,98 Opal. 0,66 Bronze Cinza. 2100 x 5800 Não Consta. Azul. Reflexivo Hot Climate. Reflexivo. POLICARBONATO AVEOLAR Chapas em policarbonato alveolar, com tratamento em um dos lados contra ataque dos raios ultra violeta (garantia de 10 anos contra amarelamento). Por possuir cavidades internas (alvéolos),

Leia mais

qualidade é o nosso perfil

qualidade é o nosso perfil Alumínio qualidade é o nosso perfil Fachada Unitizada - Thera Corporate / São Paulo Extrusão Jateamento Para atender a demanda do segmento da construção civil e da indústria, a Olga Color possui equipamentos

Leia mais

Internacional SOLUTIONS

Internacional SOLUTIONS Internacional SOLUTIONS SILICONE NEUTRO Silicone neutro Impermeabilizante de uso profissional. Inodoro e com fungicida. ADERE EM: Madeira, concreto, tijolo, vidro, PVC, plástico, alumínio, etc. APLICAÇÃO:

Leia mais

KIT Porta IPUMIRIM. Manual técnico e instruções de instalação

KIT Porta IPUMIRIM. Manual técnico e instruções de instalação Manual técnico e instruções de instalação KIT Porta IPUMIRIM Este manual de instalação do Kit Faqueadas Ipumirim vai auxiliar e orientar construtores e consumidores com as informações necessárias com relação

Leia mais

Construção Civil. Impermeabilização e Injeção

Construção Civil. Impermeabilização e Injeção Construção Civil Impermeabilização e Injeção Membranas moldadas in loco Vantagens da aplicação moldada in loco Agilidade na aplicação Requer cota mínima Aplicado a frio Molda-se perfeitamente ao substrato

Leia mais

Dados Técnicos AgoAg Junho / 1998

Dados Técnicos AgoAg Junho / 1998 Fitas VHB Dupla-Face de Espuma Acrílica para Construção Civil Fita Dupla-Face de Espuma Acrílica Cinza - 4972 Dados Técnicos Julho/2011 AgoAg Junho / 1998 Substitui: Novembro/2005 Descrição do Adesivo

Leia mais

Verelux envidr env açamento açame de sacada www.verelux.com.br

Verelux envidr env açamento açame de sacada www.verelux.com.br Verelux envidraçamento de sacadas A EMPRESA A Verelux oferece sistema europeu de envidraçamento de sacadas, com o objetivo de satisfazer a necessidade e o desejo de seus clientes. Nossa atuação é voltada

Leia mais

A Empresa. Com mais de 20 anos de mercado,a RTC esta sempre atenta as inovações, e as necessidades dos clientes mais exigentes.

A Empresa. Com mais de 20 anos de mercado,a RTC esta sempre atenta as inovações, e as necessidades dos clientes mais exigentes. A Empresa Com mais de 20 anos de mercado,a RTC esta sempre atenta as inovações, e as necessidades dos clientes mais exigentes. Representamos e fabricamos os melhores produtos do mercado buscamos um continuo

Leia mais

PLASTEEL MASSA 4:1 PLASTEEL MASSA

PLASTEEL MASSA 4:1 PLASTEEL MASSA PLASTEEL MASSA 4:1 PLASTEEL MASSA 4:1 é um composto epóxi bi-componente com carga metálica, característica de massa na cor preta, pode ser aplicado com espátula, cura a frio, substituindo de maneira muito

Leia mais

Garantia do Produto ML Magalhães

Garantia do Produto ML Magalhães Garantia do Produto ML Magalhães (Segundo o código de defesa do consumidor) Seja bem-vindo! Estamos orgulhosos pela sua opção por nossos produtos. Com sua escolha, você passou a fazer parte de um grupo

Leia mais

Sistema Duplex. Vantagens e Aplicações. Luiza Abdala (luiza.abdala@vmetais.com.br) Engenheira Química - Desenvolvimento de Mercado

Sistema Duplex. Vantagens e Aplicações. Luiza Abdala (luiza.abdala@vmetais.com.br) Engenheira Química - Desenvolvimento de Mercado Sistema Duplex Vantagens e Aplicações Luiza Abdala (luiza.abdala@vmetais.com.br) Engenheira Química - Desenvolvimento de Mercado METALURGIA Corrosão Tendência que os materiais têm de retornar ao seu estado

Leia mais

1. Identificação do Produto e da Empresa

1. Identificação do Produto e da Empresa 1. Identificação do Produto e da Empresa Produto: Perfis de Poliestireno Tipo de produto: 96 % de Poliestireno Reciclado e 4 % de Poliestireno Virgem Empresa: Indústria e Comércio de Molduras Santa Luzia

Leia mais

Manual do Proprietário

Manual do Proprietário Manual do Proprietário Produtos A Salapronta possui uma rigorosa seleção de seus móveis, começando pela qualidade de madeiras maciças, placas de madeira, laminados e outros acessórios. Escolhendo sempre

Leia mais

Norma Técnica SABESP NTS 159

Norma Técnica SABESP NTS 159 Norma Técnica SABESP NTS 159 Esquema de pintura para equipamentos e materiais em aço-carbono ou ferro fundido pintados e em contato direto com esgoto Especificação São Paulo Rev. 1 - Outubro - 2001 NTS

Leia mais

MANUAL DE CONSERVAÇÃO DOS PRODUTOS CRIARE

MANUAL DE CONSERVAÇÃO DOS PRODUTOS CRIARE MANUAL DE CONSERVAÇÃO DOS PRODUTOS CRIARE Para que a vida útil do seu produto seja maior, recomendamos que estas informações sejam transmitidas às pessoas que executam a limpeza da sua casa. DE OLHO NA

Leia mais

manual de conservação Você acaba de adquirir um produto Tora Brasil.

manual de conservação Você acaba de adquirir um produto Tora Brasil. manual de conservação Você acaba de adquirir um produto Tora Brasil. Além de adquirir uma peça de qualidade, design diferenciado, você está contribuindo para a conservação da floresta amazônica, pois a

Leia mais

ANEXO IV ESPECIFICAÇÃO DE PINTURA PARA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA

ANEXO IV ESPECIFICAÇÃO DE PINTURA PARA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA Celesc Di Celesc Distribuição S.A. ANEXO IV ESPECIFICAÇÃO DE PINTURA PARA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA PINTURA SISTEMAS DE PROTEÇÃO ANTICORROSIVA PARA APLICAÇÃO EM : TRANSFORMADORES

Leia mais

LINHAS ESPECIAIS CONSTRUÇÃO CIVIL

LINHAS ESPECIAIS CONSTRUÇÃO CIVIL LINHAS ESPECIAIS CONSTRUÇÃO CIVIL 01 Sumário 04 Esquadrias Master Inova Extrema Gold IV Única 08 Fachadas Soluta Citta Due ACM 12 Proteção & Estilo Brises Guarda-corpo Grades e Gradis Portão Vidro Temperado

Leia mais

Referência na fabricação de lençóis de borracha com altíssima resistência ao desgaste CATÁLOGO

Referência na fabricação de lençóis de borracha com altíssima resistência ao desgaste CATÁLOGO Referência na fabricação de lençóis de borracha com altíssima resistência ao desgaste CATÁLOGO A Pang do Brasil é uma empresa com 36 anos de experiência na fabricação de peças para revestimento em borracha.

Leia mais

ISOLAMENTO ACÚSTICO DAS VEDAÇÕES VERTICAIS EXTERNAS. Como escolher a esquadria da sua obra e atender a NBR 15.575

ISOLAMENTO ACÚSTICO DAS VEDAÇÕES VERTICAIS EXTERNAS. Como escolher a esquadria da sua obra e atender a NBR 15.575 ISOLAMENTO ACÚSTICO DAS VEDAÇÕES VERTICAIS EXTERNAS Como escolher a esquadria da sua obra e atender a NBR 15.575 Em julho de 2013 entrou definitivamente em vigor a NBR 15.575, a norma de desempenho de

Leia mais

A VERITAS. Evita que ventania, chuva, poluição, poeira e areia entre no ambiente:

A VERITAS. Evita que ventania, chuva, poluição, poeira e areia entre no ambiente: A VERITAS Desde 1954, a Mineoro vem trazendo ao mercado soluções inovadoras na área de segurança, controle de acesso e indústria. Com tecnologia e P&D 100% nacionais e na busca por apresentar novos produtos

Leia mais

Hardthane 40 Plus BOLETIM TÉCNICO. Selante de poliuretano monocomponente de alta performance. Solvent-Release-Type Sealants.

Hardthane 40 Plus BOLETIM TÉCNICO. Selante de poliuretano monocomponente de alta performance. Solvent-Release-Type Sealants. Selante de poliuretano monocomponente de alta performance. Descrição HARDTHANE 40 PLUS é um selante poliuretânico monocomponente, tixotrópico e de elasticidade permanente. Cura através da umidade atmosférica,

Leia mais

Catálogo de Especificação

Catálogo de Especificação Catálogo de Especificação Portas especiais Linha Hospitalar Pág. 3 Introdução Pág. 4,5 Modelo Revestium Pág. 6,7 Modelo Clean Pág. 8 Modelo Steel Pág. 9 Barras Anti-Pânico Pág. 10,11 Especificações Técnicas

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para Celulose & Papel

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Tintas Soluções para Celulose & Papel Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Tintas Soluções para Celulose & Papel Soluções para Celulose e Papel A WEG Tintas fornece tecnologia em tintas para diversos tipos de ambientes

Leia mais

COMO REALIZAR UMA EXCELENTE PINTURA PREDIAL!

COMO REALIZAR UMA EXCELENTE PINTURA PREDIAL! COMO REALIZAR UMA EXCELENTE PINTURA PREDIAL! Na execução de uma PINTURA, devemos levar em consideração os vários fatores que envolvem as etapas deste processo e suas particularidades. Por exemplo, temos

Leia mais

MANUAL PRÁTICO DE USO, CONSERVAÇÃO E LIMPEZA DO SISTEMA REIKI

MANUAL PRÁTICO DE USO, CONSERVAÇÃO E LIMPEZA DO SISTEMA REIKI MANUAL PRÁTICO DE USO, CONSERVAÇÃO E LIMPEZA DO SISTEMA REIKI ÍNDICE 03 - Apresentação do Sistema REIKI de Envidraçamento Panorâmico 04 - O alumínio e suas aplicações 05 - O vidro e suas aplicações 06

Leia mais

ÍNDICE 4.2 IMPERMEABILIZANTES 4.2.1 VANTAGENS DA IMPERMEABILIZAÇÃO 4.2.2 FATORES QUE PODEM AFETAR NEGATIVAMENTE À IMPERMEABILIZAÇÃO 4.2.

ÍNDICE 4.2 IMPERMEABILIZANTES 4.2.1 VANTAGENS DA IMPERMEABILIZAÇÃO 4.2.2 FATORES QUE PODEM AFETAR NEGATIVAMENTE À IMPERMEABILIZAÇÃO 4.2. ÍNDICE 1 SUPERFICIES CERÂMICAS 2 PROTEÇÃO ÀS TELHAS E TIJOLOS 3 PRINCIPAIS FATORES QUA ALTERAM AS CARACTERISTICAS DAS SUPERFICIES CERAMICAS: HIDROFUGANTES E IMPERMEABILIZANTES 4.1 HIDROFUGANTES 4.1.1 TIPOS

Leia mais

Catálogo Geral de Produtos 2012 2013

Catálogo Geral de Produtos 2012 2013 Catálogo Geral de Produtos 2012 2013 01 C 100 M 00 Y 100 K 00 C 100 M 60 Y 00 K 00 Em atividade desde 2004, a Prima Ferragens, empresa especializada na fabricação de peças especiais e vedações acústicas

Leia mais

MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA

MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA sca.com.br Parabéns! Agora, a mudança faz parte da sua vida. Neste manual, você encontrará as principais informações para garantir que seu mobiliário S.C.A.

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE PINTURA

PROCEDIMENTOS DE PINTURA 1 PROCEDIMENTOS DE PINTURA 2 PROCEDIMENTOS DE PINTURA 01.00 SISTEMA DE PINTURA PARA ACABAMENTO FINAL EM LATEX PVA 01.01 - PREPARAÇÃO DA SUPERFÍCIE 1. GESSO (PLACA/PASTA) - Aplicar fundo preparador de parede

Leia mais

Chama-se vulgarmente de telhado qualquer tipo de cobertura em uma edificação. Porém, o telhado, rigorosamente, é apenas uma categoria de cobertura,

Chama-se vulgarmente de telhado qualquer tipo de cobertura em uma edificação. Porém, o telhado, rigorosamente, é apenas uma categoria de cobertura, Infinite Cursos. Chama-se vulgarmente de telhado qualquer tipo de cobertura em uma edificação. Porém, o telhado, rigorosamente, é apenas uma categoria de cobertura, em geral caracterizado por possuir um

Leia mais

PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT FICHA TÉCNICA DO PRODUTO

PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT FICHA TÉCNICA DO PRODUTO PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT FICHA TÉCNICA DO PRODUTO PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT É uma tinta isolante térmica, composta de polímeros acrílicos elastoméricos, microesferas de cerâmicas, e aditivos especiais

Leia mais

MANUAL DE USO E CONSERVAÇÃO DOS PRODUTOS

MANUAL DE USO E CONSERVAÇÃO DOS PRODUTOS MANUAL DE USO E CONSERVAÇÃO DOS PRODUTOS MANUAL DE USO E CONSERVAÇÃO E CERTIFICADO DE GARANTIA A Italínea produz móveis qualificados e utiliza em sua fabricação o MDP e MDF que são matérias-primas renováveis

Leia mais

Linha Telecom m Teleco

Linha Telecom m Teleco Linha Telecom Telecom Linha Telecom Esteiras para telecomunicações... 93 Sistema para condução e distribuição do cabeamento, constituído de barra chata de aço carbono, muito utilizado como solução no cabeamento

Leia mais

OXY-PRIMER CONVERSOR DE FERRUGEM E PRIMER BOLETIM TÉCNICO

OXY-PRIMER CONVERSOR DE FERRUGEM E PRIMER BOLETIM TÉCNICO OXY-PRIMER CONVERSOR DE FERRUGEM E PRIMER BOLETIM TÉCNICO O produto OXY-PRIMER é um tipo de tinta de cobertura cimentosa que não é composto de resinas normais, mas que adere como cimento. O cimento adere

Leia mais

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética REVESTIMENTO DE FACHADA Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética Documentos de referência para a execução do serviço: Projeto arquitetônico Projeto de esquadrias NR 18 20

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO TELHAS DE POLICARBONATO

MANUAL DE INSTALAÇÃO TELHAS DE POLICARBONATO MANUAL DE INSTALAÇÃO TELHAS DE POLICARBONATO TELHAS DE POLICARBONATO As Telhas de Policarbonato proporcionam ótima transmissão de luz (praticamente idêntica ao vidro) favorecendo maior aproveitamento da

Leia mais

www.ekoambientes.com.br MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO

www.ekoambientes.com.br MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO www.ekoambientes.com.br MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO Limpeza e conservação 5anos Armários / Portas / Tampos: utilizar pano limpo e macio ligeiramente umidecido com água (o bastante para a poeira aderir no

Leia mais

MECANISMOS DA CORROSÃO. Professor Ruy Alexandre Generoso

MECANISMOS DA CORROSÃO. Professor Ruy Alexandre Generoso MECANISMOS DA CORROSÃO Professor Ruy Alexandre Generoso MECANISMOS DA CORROSÃO De acordo com o meio corrosivo e o material, podem ser apresentados diferentes mecanismos. Os principais são: MECANISMO QUÍMICO

Leia mais

Kit Porta Interna em PVC. Catálogo de Produtos

Kit Porta Interna em PVC. Catálogo de Produtos Kit Porta Interna em PVC Catálogo de Produtos Um mundo novo está de portas abertas para você. Entre e conheça a mais alta tecnologia. A Claris é a marca líder em esquadrias de PVC no mercado brasileiro,

Leia mais

Película Scotchcal MR Série D

Película Scotchcal MR Série D Película Scotchcal MR Série D Dados Técnicos Abril/2008 Substitui: Julho/2006 Revisão 03 Barras pretas nas margens indicam as alterações Descrição Descrição e usos As Películas Scotchcal MR Série D são

Leia mais

ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE COMPONENTES DO REVESTIMENTO

ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE COMPONENTES DO REVESTIMENTO TECNOLOGIA DE REVESTIMENTO Componentes do sistema BASE CHAPISCO Base Características importantes: Avidez por água - inicial e continuada Rugosidade EMBOÇO ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE Chapisco Função:

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE A MADEIRAS ECOLÓGICAS

INFORMAÇÕES SOBRE A MADEIRAS ECOLÓGICAS INFORMAÇÕES SOBRE A MADEIRAS ECOLÓGICAS O piso MADEIRAS ECOLÓGICAS é um sistema de pavimentação modular especificamente para uso ao ar livre, robusto e inovador. O resultado estético final se integra perfeitamente

Leia mais

BOLETIM DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS Revisão 006 Julho/2011

BOLETIM DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS Revisão 006 Julho/2011 1 - PRODUTO: Acrílico Standard mais rendimento Natrielli. 2 - DESCRIÇÃO: É uma tinta acrílica de alto rendimento apresenta um excelente acabamento em superfícies externas e internas de alvenaria, reboco,

Leia mais

ENTO DO US LATE as chapas acrílicas permitem a criação de

ENTO DO US LATE as chapas acrílicas permitem a criação de As chapas acrílicas permitem a criação de coberturas que mais parecem obras de arte entre as suas qualidades, destacam-se: Transparência, resistência contra raios ultravioletas, leveza, ampla variedade

Leia mais

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTO DEFACHADA Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FUNÇÕES DO REVESTIMENTO DE FACHADA Estanqueida de Estética CONDIÇÕES DE INÍCIO

Leia mais

ESQUADRIAS PARA EDIFICAÇÕES. Construção Civil II. Prof. 15:04Dr. Leonardo F. R. Miranda 1

ESQUADRIAS PARA EDIFICAÇÕES. Construção Civil II. Prof. 15:04Dr. Leonardo F. R. Miranda 1 ESQUADRIAS Construção Civil II PARA EDIFICAÇÕES Prof. 15:04Dr. Leonardo F. R. Miranda 1 Referências normativas NBR 10821/11 Esquadrias externas para edificações Outras relacionadas Outras relacionadas

Leia mais

Índice. Instruções Gerais. EPI s (Equipamentos de Proteção Individual) Luvas Isolantes de Borracha. Mangas Isolantes de Borracha

Índice. Instruções Gerais. EPI s (Equipamentos de Proteção Individual) Luvas Isolantes de Borracha. Mangas Isolantes de Borracha Isolantes de Índice Instruções Gerais EPI s (Equipamentos de Proteção Individual) 5 8 Luvas Isolantes de Borracha 10 Mangas Isolantes de Borracha 12 EPC s (Equipamentos de Proteção Coletiva) 14 Manta Isolante

Leia mais

Apresentação. Conceito

Apresentação. Conceito Apresentação Apresentamos um novo conceito de Mercado para a Distribuição e Venda Direta de Produtos e Serviços para o Setor da Construção Civil; Com Ênfase em atender principalmente, construtoras, lojas

Leia mais

MANUAL DO FABRICANTE:

MANUAL DO FABRICANTE: MANUAL DO FABRICANTE: ALVENARIA ESTRUTURAL Características e especificações, instruções de transporte, estocagem e utilização. GESTOR: Engenheiro civil EVERTON ROBSON DOS SANTOS LISTA DE TABELAS Tabela

Leia mais

Dicas de conservação e limpeza

Dicas de conservação e limpeza Dicas de conservação e limpeza No uso diário de seus armários, alguns cuidados devem ser tomados a fim de prolongar a vida útil do produto. Água Tome cuidado particular em torno da pia, do forno e dos

Leia mais

Cerâmicas e porcelanatos

Cerâmicas e porcelanatos Aprenda a limpar cerâmica, porcelanato, laminado, vidro, madeira... De forma geral, pano umedecido e detergente neutro, aplicados depois de varrer a superfície, bastam à limpeza do chão. No caso de alérgicos,

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES Linha de Fornos a gás Modelos: S651/S652/S653/S656/S657/S658/S660/S661/S662/ S665/S666/S667/S670/S671/S672/S675/S676/S677 ATENÇÃO! - Leia e siga rigorosamente as instruções deste manual

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA maio/2006 1 de 5 VIDROS DIRETORIA DE ENGENHARIA. Edificações. Vidros. PR 010979/18/DE/2006 ET-DE-K00/015

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA maio/2006 1 de 5 VIDROS DIRETORIA DE ENGENHARIA. Edificações. Vidros. PR 010979/18/DE/2006 ET-DE-K00/015 ESPECIFICÇÃO TÉCNIC maio/2006 1 de 5 TÍTULO VIDROS ÓRGÃO DIRETORI DE ENGENHRI PLVRS-CHVE Edificações. Vidros. PROVÇÃO PROCESSO PR 010979/18/DE/2006 DOCUMENTOS DE REFERÊNCI SEP Secretaria de Estado da dministração

Leia mais

INOVAÇÃO COM CONSCIÊNCIA ECOLÓGICA!

INOVAÇÃO COM CONSCIÊNCIA ECOLÓGICA! INOVAÇÃO COM CONSCIÊNCIA ECOLÓGICA! LANÇAMENTOS 2012 LINHA APLIKCAR- para envelopamento de veículos VINIL BRANCO BRI.LHANTE - vinil para envelopamento de veículos e impressão digital. VINIL BLACK PIANO

Leia mais

WWW.AISVIDROS.COM.BR MANUAL PRÁTICO DE USO, CONSERVAÇÃO E LIMPEZA DO SISTEMA A.I.S

WWW.AISVIDROS.COM.BR MANUAL PRÁTICO DE USO, CONSERVAÇÃO E LIMPEZA DO SISTEMA A.I.S MANUAL PRÁTICO DE USO, CONSERVAÇÃO E LIMPEZA DO SISTEMA A.I.S ÍNDICE 02 - Apresentação do Sistema A.I.S 03 - O alumínio e suas aplicações 04 - O vidro e suas aplicações 05 - Funções do sistema A.I.S 06

Leia mais

Patologia em Revestimentos de Fachada

Patologia em Revestimentos de Fachada PATOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES Revestimentos de 1 Nome:Fernando Marques Ribeiro Matricula: 27667 Docente: Orlando Carlos B. Damin Artigo: Fonte: Editora: Ordem dos Engenheiros Região Norte / 2011 Autores: Ana

Leia mais

REVESTIMENTO DE GRANITO COM INSERTS METÁLICOS

REVESTIMENTO DE GRANITO COM INSERTS METÁLICOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS E CONSTRUÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM CONSTRUÇÃO CIVIL REVESTIMENTO DE GRANITO COM INSERTS METÁLICOS MÔNICA DANTAS

Leia mais

Excelente aderência quando aplicado sobre superfícies de concreto ou argamassa;

Excelente aderência quando aplicado sobre superfícies de concreto ou argamassa; VIAPLUS 7000-FIBRAS 1. Descrição Impermeabilizante à base de resinas termoplásticas e cimentos com aditivos e incorporação de fibras sintéticas (polipropileno). Essa composição resulta em uma membrana

Leia mais

STUCCO NEW YORK. Sistema de estuque de revestimento de camada

STUCCO NEW YORK. Sistema de estuque de revestimento de camada NEW YORK TM STUCCO Formulated Solutions LLC 25-44 Borough Place Woodside, NY 11377 EUA T 1 718 267 6380 F 1 718 204 6013 www.formulatedsolutions.net NEW YORK STUCCO é uma marca comercial da Formulated

Leia mais

MANUAL DE USO, CONSERVAÇÃO E GARANTIA DO PRODUTO

MANUAL DE USO, CONSERVAÇÃO E GARANTIA DO PRODUTO MANUAL DE USO, CONSERVAÇÃO E GARANTIA DO PRODUTO GARANTIA QUALIDADE No Manual de Uso, Conservação e Garantia do Produto você vai encontrar dicas e informações importantes para conservação dos produtos

Leia mais

Orientações Técnicas

Orientações Técnicas Pg. 01 Prezado Cliente, Aqui se encontram as principais informações técnicas relativas a produção e instalação de suas esquadrias em PVC. A Luxxar é uma empresa aberta ao contato e orientação á todos os

Leia mais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais Blocos de CONCRETO DESCRIÇÃO: Elementos básicos para a composição de alvenaria (estruturais ou de vedação) BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO SIMPLES COMPOSIÇÃO Cimento Portland, Agregados (areia, pedra, etc.)

Leia mais

C.GlassR. Ficha técnica. www.t2g.com.br

C.GlassR. Ficha técnica. www.t2g.com.br C.GlassR Ficha técnica Avenida Neyde Modesto de Camargo, 151 Sistema de Envidraçamento- C.Glass (Channel Glass) by T2G Descrição: O Sistema C.Glass é composto por per s de vidros autoportantes, e ao contrário

Leia mais

Garantir a plena satisfação do cliente; Zelar pelo design, qualidade e inovação dos produtos;

Garantir a plena satisfação do cliente; Zelar pelo design, qualidade e inovação dos produtos; A EMPRESA Especializada em Esquadrias de Alumínio, Vidro Temperado e Envidraçamento de Sacada; Fabricação própria com maquinário de última geração; Peças personalizadas e sob medida; Produtos de primeira

Leia mais

Manual de Colagem Silicone Glazing

Manual de Colagem Silicone Glazing Sumário Sumário... 2 1. Introdução... 3 2. Tipos de Selante Estrutural... 3 2.1. Selante estrutural monocomponente... 3 2.2. Selante estrutural bi componente... 3 3. Antes de Começar a Colar... 4 4. Procedimento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS CONSTRUÇÕES RURAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS CONSTRUÇÕES RURAIS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO UNIDADE ACADÊMICA DE GARANHUNS CONSTRUÇÕES RURAIS Prof. Ricardo Brauer Vigoderis, D.S. Email: vigoderis@yahoo.com.br website: www.vigoderis.tk São tubos cerâmicos

Leia mais