00. mma. ggslspi. A ^-^ '-Vôtr. ^iii - PDF">

Ann o IG % 000 Semestre 9 S 000 Trimestre.3 S 000. Avulso S.">00. mma. ggslspi. A ^-^ '-Vôtr. ^iii

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ann o IG % 000 Semestre 9 S 000 Trimestre.3 S 000. Avulso S.">00. mma. ggslspi. A ^-^ '-Vôtr. ^iii"
00. mma. ggslspi. A ^-^ '-Vôtr. ^iii.pdf" class="btn bg-purple-seance" href="#" target="_blank" style="margin-top: 10px; display: none;"> Download Document

Transcrição

1 C O R T E nn o IG % 000 Semestre 9 S 000 Trimestre.3 S 000 PUBLICD POR NGELO GOSTINI correspondencia e reclamações devem ser dirigidas á Rua da ssemblea Officma Lithographica da R.evista Illuslrada. PROVÍNCIS nno Semestre 20$000 II $000 vulso S.">00 mma ggslspi ^-^ '-Vôtr ^iii Optracao 1'i-nnrictircL qu,t ambos falimu todas, cts yv^ts yutncto hoi Sus cl o no powlciwwto. Esta. í oco yntnot ca, OpíniotÕ cio -povinho-

2 2 í)t c to t õ t n r a b a! t a s t «l 5 Ephemeiide=-21 dc bril de 1792 Execução do Tira-Dentes. J. J. da Silva Xavier, appellidado o Tira-Dentes, tomou-se notável sobretudo por ter sido um perito dentista, quando não existiam ainda, nem os Cardozos, nem o (jaz hilariante. bandonando depois a arte com que aliviara tanta bocca, metteu-se no movimento revolocionario, o que desagradou por tal forma aos velhos medalhões que mobiliavam o Paço ríaquelle tempo, que estes decidiram arrancar-lhe fora a cabeça, embora com dor, operação que foi fielmente executada, no mesmo largo onde se ostenta hoje o grande cavallo de bronze, e d qual, qffirmam, não ter sobrevivido a victima. Ha, porém, alem desta, duas outras versões, contando cada uma seus sectários : 1. a Que elle foi condemnado simplesmente por exercer a arte, sem ter feito exame de dentista na Escola de medicina, e sem a devida licença da camara municipal. 2. por nào ter sabido arranjar melhor a dentadura do íuustre Sr. conselheiro Henriques do thesouro! H W P / F P W o SR. N. Excellente, mas para este numero é tarde. ' DISTINOT SOCIEDDE PHYLRMOXIC FLUMI- NENSE. Recebido com reconhecimento. o SR. CURIOSO. Se apostar perde com certeza. Fomos obzequiados com as seguintes publicações que muito agradecemos : O amor da patria drama em 4 acto do Sr. Fedro Virginio Orlandini. o drama acompanha a musica intercalada no texto, composição do Sr. J. S. C. Fluminense. 7>.<? Marguerites quadrilha para piano, composição do maestro Gennaro rnaud. O inundado, scena dramatica pelo Sr. F. Moreira de Vasconsellos. Quaravy, poesia, imitação da Judia de Thomaz Ribeiro, pelo Sr. Francisco Orique. Questão Religiosa, carta á Sereníssima Priuceza Imperial, I a parte. Escola n. 14. Revista do Rio de Janeiro n. 2. j h-i Í Í IH í-j h-i h-í M Í-J í Rio, 21 de bril de Conheci em outro tempo em Irajá, uma senhora, viuva, ainda frescalhona e que possuia uma situação bem plantada na qual trabalhava uma luzida e não pequena escravatura. Ha que tempos, meu Deus, que isto vai! lgumas propostas de segundas núpcias lhe foram feitas, ella, porém, recusou-as formalmente. Um dia, communicou-me um projecto que breve pretendia pôr em execução. Dei um grito de surpreza, quando tal ouvi. cha então a cousa sobrenatural ou extraordinaria? Para dizer a verdade, minha senhora, nem uma nem outra cousa; mas pareceu-me semelhante idéa tão singular e exquisita que não pude reprimir a admiração e o espanto que semelhante noticia causou-me E depois, este povo lá do seu districto o que não dirá, que de commentarios não fará! senhora vai andar em todas aquellas boccas e ser o thema de todas as conversas... Escute Sr. Bellrano Eu nesse tempo não tinha ainda o dom no nome, tinha apenas o da mocidade, que bem contra meu querer cedeu o lugar ao outro. Escute Sr. Beltrano, nesta terra as cousas de grande importancia andam na bocca de todos uns oito a quinze dias, a minha ideia, como encerra ura caso muito singular e exquizito, como o senhor acaba de dizer, concedo que dê que fallar a todos por um raez, passado esse tempo estará julgada, sentenciada e executada e ninguém mais fallará nella. Podem dizer o que quizerem, que pela minha parte farei o que julgar e entendo que me convém. Constou-me ao depois que ella puzera em pratica a sua lembrança, que realmente fez grande barulho no lugar, uns quinze ou vinte dias em que não se faltava em outra cousa ; d'ahi foi paulatinamente decahindo até que de todo sendo recebida como facto consumado cahio em secção de exercicio findo e não se fallou mais nisso. Ora, eis ahi está agora o bom do meu leitor a soffrer as cócegas do bicho da curiosidade, morto por saber que ideia foi essa que pôz em pratica a viuva de Irajá, nesses bons tempos em que eu não passava de um Beltrano, tout court. Não ha necessidade de o declarar, pois que não foi a ideia que me estimulou a fallar, mas a justa observação da viuva. quella observação é justamente applicada a dois importantes assumptos que ainda ha bem poucos dias tanto deram que fallar. Um foi a celebre flor levando flores do poeta Margarida e que deu causa á exhibição de tantos aleijões pela Gazeta d& NoticLis. Caramba! Nunca fiz ideia que hovesse nesta cidade tanto capenga! Este assumpto que trouxe em polvorosa os vates que por ahi formigam, daquem e d'alem mar, foi abafado tão repentinamente, que parece que já delle ninguém se lembra hoje. O outro assumpto inopinadamente abafado foi LGUÉM que veio collocar-se junto a mim. e que me é credor da maior consideração e deferencia. advinhando:me o pensamento agarrou-me no pulso e não me deixou proseguir; exige que a respeito do que ia tratar não accrescente uma palavra. Eu sou a docilidade personificada! i! ai!... Eram favas contadas! ladeira de Santo ntonio está aparando. O individuo que andou bradando nos jornaes por essa necessidade imprescindivel, ha de naturalmente estar muito concho, suppondo que a resolução foi tomada á força de seus brados. Pois engana-se, ufane-se quanto quizer, mas fique certo que a medida dependeu tanto da sua gritaria, como a demissão do Sr. Zé Bento da... Nova exigencia... Moita! Sempre ha visinhos bem incommodos! Pois olhem, agora sou eu que estou disposto a não atural-o mais. os visinhos, entende-se. D. BELTRNO. se

3 i 9íebiSta 311 u t r a a 3 Theatros o lcazar coube esta semana toda a attençào da gente que com assiduidade frequenta o theatro. Começaram alli as estréas dos novos artistas trazidos pelo Sr. rnaud, e o publico lá foi. Dentre os estreantes tem sobresahido Melle. Marie Lafourcade, que apenas entrou em scena conquistou logo as sympathias dos espectadores. Melle. Lafourcade dispõe realmente de graça, dispõe mesmo de muita graça, e, se não é uma rainha da cançoneta, a culpa não é delia, que faz o que pôde para isso, nem do publico, que applaudiu-a como tal, considerando-a rainha já. acquisiçáo do Melle. Lafourcade parece-nos boa. e com certeza veio ella preencher 110 alcazar uma lacuna que desde muito alli se nota. Com ella terão agora os frequentadores do lcazar bons intermedios. Na Perichole estreou Melle. Ida de la Roche. Boas carnes, boas cores, boa appareneia, bons vestuários, foi o que o publico viu logo. Depois cantou, e foi applaudida. Mereceu-o, principalmente na romanza, 11a leitura da carta, a que deu muita expressão, e na scena da embriaguez, bem feita e bem cantada. julgar-se pela Perichole e pelo mais que se viu e acima fica dito, parece que Melle. Ida é bem vinda. Estreou também o Sr. Robert Bourotte ; e, á hora em que escrevo, lá está estreando Mlle. Raphaela. O lcazar está, pois, se preparando ; á chegada dos demais artistas esperados, terá aquelle theatro uma companhia regular» que justificará a avidez do publico que já lhe enche a sala todas as noites. Teve o Cassino também a sua novidade. Representou-se ali, em beneficio do actor Galvão a nova comedia Entre a Phcenix e o Cassino. respeito desta peça convesaremos depois. No circo do Lavradio começa uma serie de espectáculos uma companhia equestre. lguns dos artistas desta companhia são conhecidos já, e seus trabalhos têm sido apreciados e applaudidos ; além desses porém, outros mais deleitarão os amadores daquelle genero de espectáculos, que aliás não deixa de ser agradavel e divertido. Quanto aos outros theatros, nada de novo por emquanto. S. Luiz leva hoje a Fillia única na qual estréa do Sr. moedo (a ser uma estréa), e ensaia também, para beneficio da Sra. urora, o Tumulo da Virgem, cuja protogonista será feita pela beneficiada. (Não se vá pensar agora que a beneficiada vai fazer o tumulo, não é isso ; a virgem é o que eila faz, para o que tem muito geito.) Na mesma peça reapparecerá em scena a Sra. Maria delaide, actriz intelligente e sympathica ao publico. Também reapparecerá ali, e brevemente o Sr. Silva Pereira, que faz agora parte da companhia. Já se vê que o Valle, fazendo estas acquisições, não se descuida do seu theatro tornando-o sempre merecedor do bom acolhimento que tem tido. Em S. Pedro ensaia-se o Xisto 5., em que deve ali estrear o actor Dias Braga. entrada deste actor para o S. Pedro revela também da parte da empreza bons desejos de agradar ao publico que frequenta o seu theatro e de attrahir mesmo o que anda arredado, e que para lá accudirá desde que o Sr. Guilherme realize o empenho de melhorar quanto possível a sua companhia. Está próxima 11a Phtenix a extracção da Loteria do Diabo. Já andam por empenhos os bilhetes para as primeiras representações da peça cuja misè en sccne, segundo consta, vai ser deslumbrante, como é de costume ali- roda vai andar para a semana. O Gymnasio fechou-se, como era de esperar. Foi o ultimo milagre de S. Benedicto. Também para que se foram 111 et ter com frades? E então com frade negro! Gazetilha Fallou na camara temperaria o illustre Sr. Duque de Caxias! Quando S. Ex. desembainhou a lingua, ficaram abertos todos os ouvidos, á espera do discurso. O cabo de guerra, porém, foi sobrio. breve e incisivo como convém a um militar. Dirigio-se ao Sr. José e : ílombrô!.... arrrm! carregarrr! fogo! E ficou explicado o aparte, e acachapado o autor do Guarany, que já foi tão admirador destas bombardas. O nobre duque errou, organisando ministério ; mas fez certeira pontaria. Opinione de Italia, fez ultimamente grandes elogios á tela do Br. Pedro mérico. Para que Dr. quando se trata de um grande artista?... julgar pelo artigo da Opinione, o que mais celebrisa a Batalha de vahy, são as tres visitas que lhe fez nosso monarcha! E' o que o critico mais fez notar! Concluindo sua noticia sobre a afamada tela, diz a Opinione : E' um quadro que Um to honra o artista como o monarcha brazileiro. Honra o artista... Estamos de accordo, de de que o quadro é bom... Mas o monarcha! Opinione do meu coração? Si S. Magestade deu também alguma pincelada na Batalha de vahy, o quadro não deve honrar o artista brasileiro. Mas si não deu, Opinione dei mio cuore. porque o honra o quadro?... Só se é por tel-o visto!... Chegou para o lcazar uma boa companhia lyrica... Somente ainda não chegou toda. Espera-se ainda o barytono... e a roupa do tenor Bourotte pessoa que descobrio ser um plagio o meu artigo O deputado Jluctuante é um amigo meu. Talvez por isso não me quer desmarcar. preferindo ficar mal collocado! Ora, pois!... Inter amicos.... Deixe-se de ceremonias. Continuamos com a mesma intimidade; mas dê-me o prazer de me vêr escripto por outro. Eu lhe peço, e até lhe rogo. ffirma o Jornal do Commercio haver extrahido (um! um!) de um orgam hesixinhol os seguintes dados estatísticos : Sobe a 122 o numero dos deputa-

4

5

6 6 5)1 c d i t a 3 11 n g t r a b a dos, que no anterior período legislativo nao fizeram uso da palavra. Como abundam por lá os Taunay!... gora depois da noticia extrahida, o espirito do Jornal : " Ora, nós sabemos como são falladores nossos visinhos... E eu que não sabia que o Brazil confinava com a Ilespanha! Oh! quanto eu te agradeço, branco Castro, mais esta lição de geographia!... embora Saiba que pilhaste a noticia em algum jornal de Portugal. R. Post-scriptum. Este li não é o mesmo que escreve lá uo postolo Fiquem bem certos R. Ricochetes Um dos previlegios da velhice é o direito que ella se arroga de dar maus exemplos á mocidade. São sempre os velhos que mostram aos moços o mau caminho. O senado brazileiro, composto em sua maioria de varões illustres aos quaes, se falta juizo, abundam os annos, está agora mesmo a dar um exemplo da mais completa calassaria. Durante oito dias seguidos, mesmo sem contar os domingos, não se reuniram, em numero legal, os respeitáveis avós da patria!!) o a porque a tanto 1. Í d à de, resnçta io.. UiU. mas, a. «fallar verdade, eu começo a achai-os majs respeitados 4 # qm.-respeitáveis. Eu. c nae regulo sempre pèla.manew de preceder «jc suis pour les procedas,.moi i? - Bera /?crc o pai/ nada lucca com 4. i as orações dos nnisios paramentares, e om. os historicos Ottoni os qne remontaram ao nosso embrião pçlitico. ', Ma esta. falta de yvotuifi na velha camara, quando 'éstá completa sua lataçao, b.fyn pode servir de. exemplo aos a JÊ tmembros d. temporam. o., Era uma vez ^«soes. c^o parlarponto! E quanto mais esçasbcar-^m as dica. sessões, mais se prolongará o período par lamentar, que sahe ao thqsouro á razão de setenta contos -por dia : v. ' - ' : E si fosse só isto... Mas, além destes setenta contos o que já não é um brinco, está o thesouro pagando, por mez. a publicação dos debates. contece por tanto que, si só de dez em dez dias houver sessões, isto é, que se a eloquencia senatorial continua a medirse pelo systema métrico, ou decimal receberão os Srs. Gonzaga <fc Leonardo quantia, mais de vinte vezes superior á estipulada. E é nestas e outras verbas semelhantes, que vai sumir-se o fundo de emancipação! Quanto a reduzir despezas fica para quando houver tempo de pensar nisto. Pois o Globo acaba de dar um bello exemplo de reducção. Reduzio tudo: formato, typo, proprietários, e transformou-se aquelle jornalão de outr'ora difficil de manejar, em um jornalzinho catita, mignon fácil de ler, commodo de guardar e bom de comprar-se. gora estou bem certo que o Globo terá melhor circulação, porque a epocha é dos jornaes pequenos. Já ninguém supporta estas grandes colchas de papel escripto que não se pôde ler sem ficar de braços abertos, como quem está de penitencia. Creio mesmo, que si o Diário reduzisse o seu formato, era capaz de se vender.... (sans calembourg). Somente o Diário era preciso diminuil-o de umas erm nres. de pieonayno. o<;.'> - V m t?o achai» O postolo... Nãc! es<e já nao <- \ davel. SIUÍCO. i V. / i.,., % O preço é sempre \i?ua. condição para 4 a. venda.. ' - y ".. E talvcv. por i^so c[sie o bptequim i±o tsr. Leandro Boserra () nâo faz grande negocio. freguesia queixa-st da carte ti a;-dos genei;, e curo rtzão. Realmente, não & muito agraiíavel pn gar um nikel'(em todos o.- o\itròs, custa apenas res vinténs) para tomar urna j.e-, quena ejc.hava.de café, nas aguas-furtadas da cadeia velha. "' E que café!...-. ' E' HTTÍ café que é eó miliio iz o Sr. "Manoel rthur que. fóra do rôcinto. dá as ve^es sua palavrinha. _ /v 1 ; \ «. t ^. ) nao. é d'ehe, e do irmão. j Foi todavia louvável a ideia do Sr. Leandro Beserrn, estabelecendo um Mosque na mansarda da ssembléa. Era um meio de prender seus collegas ás sessões, e fazer ao mesmo tempo um ganchosinho. Mas, parece, que a cousa não pega. Os taes Srs. pais da patria são uns pingas.... regateiam dois vinténs no café, e só gastam cerveja marca barbante. E ainda assim... rara é a débil voz que se ergue ali para gritar : Olha esta cerveja que saia!... No Senado, só os canos da City improviments (taparrr!.... narizes) attrahiram os senadores a uma sessão. Desembainhou a lingua sobre a matéria o Sr. Teixeira Júnior. E fallou bem. S. Ex. provou um grave abuso : desde que usamos dos taes cachimbos, nunca se lembrou a companhia de limpar o sarro. Os fumantes que digam quanto isto é perigoso e faz tontear a gente! Todavia não entende assim o Sr. Diogo Velho, que mostrou-se todo optimista na questão. O illustre Quasi-flho do Rio Grande do Norte, também deu de lingua sobre o as. sumpto... pouco appetitoso, concordemos. E ao contrario do que fez o Sr. Teixeira Júnior, procurou S. Ex. lavar a City impwements de todas suas culpas presentes e passadas. S. Ex., porem, não se sahio da questão tão bem, como suppunha. E foi bem feito! quem o mandou se metter em semelhantes funduras?... JUNIO. Excêntrica 1 v :, a linda a menina Virgínia, isso era ; dez/seis annos, tez amorenada olhos vivis, SIPIUS, límpidos e pretos, estatura mediana- ' as carnudas e arredondadas ; e por e uma bocca mimosa da qual ella fazia para expandir o sorriso mais galante iiticeiro, o sombreado avelludado de buço que parecia denotar pretenções crescer e cerrar, mas que nunca pas- /a dalli nem passaria jámais, eis mais menos o que era Virgínia quanto ao lysico. Eu peço-lhe que se contentem m este imperfeito esboço, pois para esta ia!idade de pinturas fui sempre muito ihabil na direcção do pincel." gora, quanto ao mal a cousa muda ae face: era a filha única de um pai sofirivelmente abastado. Considerada como um mimo, o neli me tangere da casa, estava acostumada a ver dobrar-se tudo e todos. os seus menores caprichos. Era dessas loças, embora de boa indole. mas ás vezes

7 91 e ti t ê t o 3 U n 81 v a ò a 7 intoleráveis por seus caprichos frívolos, e ella não punha uma nem duas para praticar, fosso diante de quem fosse, a sua má-creciçâo muito em regra, que os pais commuinmente achavam de uma graça inaudita. Á's vezes manifestava Virgínia, os desejos mais extravagantes e exquisitos : quereria, por exemplo, fazer uma viagem por mar e que a embarcação virasse para experimentar as sensações 011 o que quer que fosse que sentiria quando a salvassem (já se ve que a rondição essencial do naufragio era salvarem-na) ; invejava a sorte desses forasteiros que de noite e nas estradas são atacados por quadrilhas de ladrões, etc., etc. Por aqui se vê o que pode abrigar um cerebro vazio de certas aprehenções que originam uns tantos compromissos do fim do mez, e o exercito de cadeveres que passam o melhor da vida assombrando o genero humano. Imperfeitamente, mas como pude, dei aos senhores uma idéa do que era a moça, moral e materialmente considerada. Para pessoas intelligentes como me apraz julgar os leitores da Revista a Virgínia está conhecida por dentro e por fóra. II Bem que até a idade que nos é apresentada, Virgínia não se tivesse apaixonado, nem por isso desejava menos casar-se. Rica e formosa, pretendentes não lhe haviam de faltar ; muitos rapazes que se tinham arriscado a fazer-lhe a côrte foram mal recebidos por ella e desanimaram. té que repentinamente as cousas tomaram uma face diversa. Um mancebo estudante da escola central, de uma família muito distincta, bello bem apessoado e assáz bem quisto entre as suas relações, viu-a e sentio-se encadeado ás suas graças. Pela sua parto Virgínia notou o moço e mostrou não desdenhal-o ; e disto para desandar em um namoro encarniçado é só emquanto o diabo esfrega um olho. Ora, si o joven estudando dava todos os indícios de, como se costuma dizer, beber os ares pela graciosa moça, esta por sua parte não se manifestava menos apaixonada delle; e as cousas estavam por tal fórma patentes que o Sr. Fernandes, o pai de Virgínia já tinha tirado suas inculcas sobre o estudante e as informações que teve, extremamente o contentaram. E tudo ia para melhor, 110 melhor dos mundos possíveis. final tratou-se o casamento que ficou assentado para d'ahi á trez mezes que era a occasião de receber o noivo o giáo de bacharel cm mathematicas. Dupla solemnidade, duplo gráo. noiva, entretanto, mostrava mais impaciência do que alegria, e muito se preoccupava com os aprestos do grande dia. Rico e - luxuoso enxoval preparava-se então ; o Sr. Fernandes esgotava-se e de sua burra jorrava um manancial para a Notre Dame e outros afamados fornecedores das ruas do Ouvidor, Quitanda e Ourives. III O grande dia raiou em fim ; apezar dos commodos que ofíerecia o quazi palacete O Sr. Fernandes fallou : onde residia a família da noiva, O' filha, o que é que dizes?... oppôz-se esta formalmente a que se armasse Estás em teu juizo? oratorio em casa e exigio que o Estou papai, e digo que não quero casamento fosse celebrada na igreja de receber o senhor, e apontou para o S. Francisco de Paula. moço por meu marido. s suas vontades eram ordens, o que Mas... balbuciou este chegando-se ella queria devia fazer-se. consternado. s 5 horas da tarde desfillou o cortejo em magníficos trens família, collegas e amigos do venturoso noivo acompanhavam-110 contentes ; as numerosas relações da família da graciosa noiva não faltaram ; Não ha mas^ nem meio mas respondeu repellindo-o pôde retirar-se que não tenho tenção nem tive nunca de casar-me com o senhor. E' singular! o povo attrahido pelo apparato affluio E' inaudito! como de costume ao templo. E' incrível! Quando aquella massa compacta de cu-. E outras muitas cousas que os circumstantes diziam e achavam que era. riosos viu a formozura e garbo que ostentava a gentil menina, ouvio-se um borborinho confuzo, que denotava a admi- noiva, retirou se, os convidados apagaram O padre, á vista da formal recusa da ração com todo o cortejo de ditos e commentarios que são tão communs nessas octão dispoz-se a fechar as portas da igreja. as tochas, calou-se e orgam e o sachriscasiões solemnes, e não houve homem que O povo, porém, teimava em ficar ; farejava não invejasse a sorte do feliz bacharel, mulher a sequencia de um acontecimento que não invejasse a da venturosa extraordinário e singular e fazia finca pé. Virgínia ; mas afinal todos eram concordes nesta conclusão : benza-os Deos, é um par Era grande confusão e na maior desordem o préstito retirou-se, cada qual para perfeito, não ha que dizer de parte a seu lado, bem diíterente do que viera. parte. ssim são as cousas deste mundo! Um Eu estava lá, proximo de mim estavam instante, uma só palavra, nada mais é o Sr. deputado Martim Francisco e o meu preciso para aniquilar e esvaecer a perspectiva de uma felicidade que se nos an- amigo Castellões. noiva passou junto de nós ; o tolhava certa e segura! Chico ao encaral-a não pôde conter esta Chegando á casa, Virgínia encarainhouexclamação : 8e para o seu aposento pedindo que a E' um torrão de assucar! deixassem só. Em meio de todos aquelles O Sr. conselheiro disso simplesmente : semblantes tristonhos e abatidos só ella E' um naco de toucinho! I conservava o seu calmo e até, Deus me IV perdoe! ouso dizer, alegre. ppareceuo ministro do altar convenientemente paramentado, os convidados formando duas alas empunhavam tochas, o orgam desferia accordes maviosos. Naquelle recinto sagrado parecia que se respirava ura ambiente de mystica ventura e de amor. Posso dizer tudo isto como era e como se passou, porque estive lá ; e o Sr. conselheiro e o meu amigo Castellões que igualmente lá estiveram podem testemunhar a verdade do que, com a singeleza que me é peculiar, estou narrando. Os noivos foram collocados ao lado do sacerdote ; fez-se o mais completo silencio entre os circumstantes. O ministro da religião fez em voz ciara e intellegivel, o que nem sempre acontece, o pregão preliminar da ceremonia. Nenhum impedimento se declarou. Começou a expor e a explicar o acto como o ordena o ritual, e depois dirigindo-se ao moço : Quer assim? Sim respondeu o mancebo, como o echo da voz do sacerdote. Voltando-se este em seguida para a joven fez-lhe a mesma pergunta : Quer assim? Não respondeu esta, clara e distinctamente. Deixo ao leitor fazer idéa do zum-zum que de mistura com as exclamações ouvio-se por toda a parte. Destingui perfeitamente o meu amigo Chico dizer : i! que lá deu a formiga na calda! E o conselheiro. Queimou-se o assado! este tempo tinham-se aglomerado todos em torno dos contrahentes. Chegando ao seu aposento collocou-se ante seu grande espelho, mirou-se e sorrio. Garanto que sorrio ; eu não vi mas sei que sorrio. E como que triuinphante exclamou. Erafim!! V Depois de desembaraçar-se do seu trajo de noiva, Virgínia veio ao salão ; veio, porque inquerindo dos fâmulos da casa, soube que dos intruzos nenhum mais restava em casa. O papai estava carrancudo, a mamãi soluçava. Meu Deus! para que todo esse espalhafato! E atirou-se nos braços de um e outro, como tinha por habito quando precisava conjurar alguma tormenta. Vamos lá, cabecinha de vento, aquieta-te ; mas conta-me cá, que doidice foi essa tua? Eu lhe conto, papai. Nunca senti inclinação pelo Sr. F., como nunca senti por nenhum ; fingi que o amava e consenti no casamento porque queria experimentar as emoções que se sente quando se é noiva no meio de todo o apparato e de todo o ceremonial ; senti não poder levar a experiencia mais longe, mas achei prudente parar alli. Não desgostei, mas pensei que fosse melhor. Os pais olharam-se embasbacados JULIO D PENH. TYP. HSLBEBRNST, R. B'LFMBEG, 87

8 i Co^wiisocs ou rcctjocao do Oí. i / QxOfíO. rui / L/ cu aa/yd Clac^ocrcí amowitci,? Ojitcvndo CUtQjcwc, t)s joirdim juytuo te» flore s 'Hsm th are <> (Jii yisynoi folhas atei. D/V-K-HI' cjut CU COM- plt contendo vii - encccrvfcjc»í7(ci ele arrowloty l/ioes dt jootsíeis j ínbres-j bo^ue^a-o clpostus cu jorrn^ ^ Tr^.a ^pmas clatcjrtcto o vapor cjnt trax i EX^ ww-a tfwrccx ckt/ia dt OídmirudoS troe oco óe,u en coritro Potra. CiMhr',ivutn tni' liynoc rw,n/ Cõryiryu Lflwiyyu'ssOtb OpfvrU,troú vwíimo opuwido aíbufm- ooe >vic?kvicirpc cfwc c; /ilustre Ojtrtcru{ tnijarí n Còftl triumpha-ht «tâmantlo na Cuiik o vskc.cuic.nu yyiact ojjcvtc/clo ptlu CommiçscLoJ JÍol yyiui to ^e/m/^o cf<xe a TCwsjict ie- ivicommoda- cow a Suttvnts íortci por noto Uie- ^rcvytcj^tclr oc onkyaola^ cl wa, ^íecjyo^ tfle.10uuyu OL^íyta^ çsccwpalita/r '(X. CJÍitct ^Fo^tc^ YetcWeit-o Tio ÇJOrdiv d a Cjutstcto do Oriente..

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

12:00 Palestra: Jesus confia nos Jovens -Por isso entrega sua mãe - Telmo

12:00 Palestra: Jesus confia nos Jovens -Por isso entrega sua mãe - Telmo 2:00 Palestra: Jesus confia nos Jovens -Por isso entrega sua mãe - Telmo Amados de Deus, a paz de Jesus... Orei e pensei muito para que Jesus me usasse para poder neste dia iniciar esta pregação com a

Leia mais

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus Ensino - Ensino 11 - Anos 11 Anos Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus História Bíblica: Mateus 3:13 a 17; Marcos 1:9 a 11; Lucas 3:21 a 22 João Batista estava no rio Jordão batizando as pessoas que queriam

Leia mais

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri. Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.com Página 1 1. HISTÓRIA SUNAMITA 2. TEXTO BÍBLICO II Reis 4 3.

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão , Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão Santa Cruz de Cabrália-BA, 28 de setembro de 2005 Meu caro governador Paulo Souto, governador do estado da Bahia, Meu querido companheiro Miguel

Leia mais

José teve medo e, relutantemente, concordou em tomar a menina como esposa e a levou para casa. Deves permanecer aqui enquanto eu estiver fora

José teve medo e, relutantemente, concordou em tomar a menina como esposa e a levou para casa. Deves permanecer aqui enquanto eu estiver fora Maria e José Esta é a história de Jesus e de seu irmão Cristo, de como nasceram, de como viveram e de como um deles morreu. A morte do outro não entra na história. Como é de conhecimento geral, sua mãe

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

Fui, não: fui e sou. Não mudei a esse respeito. Sou anarquista.

Fui, não: fui e sou. Não mudei a esse respeito. Sou anarquista. Tínhamos acabado de jantar. Defronte de mim o meu amigo, o banqueiro, grande comerciante e açambarcador notável, fumava como quem não pensa. A conversa, que fora amortecendo, jazia morta entre nós. Procurei

Leia mais

Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira CÃO ESTELAR. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados

Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira CÃO ESTELAR. EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Arthur de Carvalho Jaldim Rubens de Almeida Oliveira O CÃO ESTELAR EDITORA BPA Biblioteca Popular de Afogados Texto e Pesquisa de Imagens Arthur de Carvalho Jaldim e Rubens de Almeida Oliveira O CÃO ESTELAR

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

O Baptismo Bíblico (Mateus 3:13-17)

O Baptismo Bíblico (Mateus 3:13-17) O Baptismo Bíblico (Mateus 3:13-17) Tivemos esta manhã a alegria de testemunhar vários baptismos bíblicos. Existem outras coisas e outras cerimónias às quais se dá o nome de baptismo. Existe até uma seita,

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

GANHADO O MUNDO SEM PERDER A FAMILIA

GANHADO O MUNDO SEM PERDER A FAMILIA TEXTO: 1 SAMUEL CAPITULO 3 HOJE NÃO É SOBRE SAMUEL QUE VAMOS CONHECER, SABEMOS QUE SAMUEL foi o último dos juízes e o primeiro dos profetas. Ele foi comissionado para ungir asaul, o primeiro rei, e a David,

Leia mais

D E D I C A T Ó R I A

D E D I C A T Ó R I A DEDICATÓRIA Qual será então minha recompensa, Tito, se alivio tua pena e se apaziguo o tormento que te faz sofrer? Pois me é permitido, não é mesmo, Ático?, dirigirme a ti com os mesmos versos que os dirigidos

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. www.hinarios.org 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. www.hinarios.org 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR HINÁRIO O APURO Tema 2012: Flora Brasileira Araucária Francisco Grangeiro Filho 1 www.hinarios.org 2 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR Precisa se trabalhar Para todos aprender A virgem mãe

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

Tradução da Carta: Dor de Mãe

Tradução da Carta: Dor de Mãe Carta Dor de Mãe Esta carta consta no livro de registro, possivelmente escrito por uma mãe ao deixar seu filho na Roda dos Expostos. Datado de 21 de Maio de 1922. Tradução da Carta: 21 05 1922 Dor de Mãe

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

Leandro Gomes de Barros

Leandro Gomes de Barros Leandro Gomes de Barros As Proezas de um Namorado Mofino Sempre adotei a doutrina Ditada pelo rifão, De ver-se a cara do homem Mas não ver-se o coração, Entre a palavra e a obra Há enorme distinção. Zé-pitada

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. Tema 2012: Flora Brasileira Araucária

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. Tema 2012: Flora Brasileira Araucária HINÁRIO O APURO Tema 2012: Flora Brasileira Araucária Francisco Grangeiro Filho 1 www.hinarios.org 2 01 PRECISA SE TRABALHAR Marcha Precisa se trabalhar Para todos aprender A virgem mãe me disse Que é

Leia mais

Lição. História Bíblica II Timóteo 3:16; II Pedro 1:20, 21; Salmos 119:4 Na lição de hoje, as crianças aprenderão que a

Lição. História Bíblica II Timóteo 3:16; II Pedro 1:20, 21; Salmos 119:4 Na lição de hoje, as crianças aprenderão que a FRUTOS-1 Descoberta Lição 1 4-6 Anos História Bíblica II Timóteo 3:16; II Pedro 1:20, 21; Salmos 119:4 Na lição de hoje, as crianças aprenderão que a CONCEITO CHAVE A Bíblia é o livro de Deus e nós sabemos

Leia mais

O QUE E A IGREJA ESQUECEU

O QUE E A IGREJA ESQUECEU 51. Aproximando-se o tempo em que seria elevado aos céus, Jesus partiu resolutamente em direção a Jerusalém. 52. E enviou mensageiros à sua frente. Indo estes, entraram num povoado samaritano para lhe

Leia mais

De Luiz Carlos Cardoso e Narda Inêz Cardoso

De Luiz Carlos Cardoso e Narda Inêz Cardoso Água do Espírito De Luiz Carlos Cardoso e Narda Inêz Cardoso EXISTE O DEUS PODEROSO QUE DESFAZ TODO LAÇO DO MAL QUEBRA A LANÇA E LIBERTA O CATIVO ELE MESMO ASSIM FARÁ JESUS RIO DE ÁGUAS LIMPAS QUE NASCE

Leia mais

7 E o Espírito é o que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade. 8 Porque três são os que dão testemunho: o Espírito, e a água, e o sangue; e

7 E o Espírito é o que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade. 8 Porque três são os que dão testemunho: o Espírito, e a água, e o sangue; e I João 1 1 O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam, a respeito do Verbo da vida 2 (pois a vida foi manifestada, e nós

Leia mais

TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA. (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico)

TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA. (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico) TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico) Januária setembro/2011 CENÁRIO: Livre, aberto, porém, deve se haver por opção uma cadeira, uma toalha e uma escova

Leia mais

Lucas 9.51-50. Aproximando-se o tempo em que seria elevado aos céus, Jesus partiu resolutamente em direção a Jerusalém.

Lucas 9.51-50. Aproximando-se o tempo em que seria elevado aos céus, Jesus partiu resolutamente em direção a Jerusalém. Lucas 9.51-50 51 Aproximando-se o tempo em que seria elevado aos céus, Jesus partiu resolutamente em direção a Jerusalém. 52 E enviou mensageiros à sua frente. Indo estes, entraram num povoado samaritano

Leia mais

O PASTOR AMOROSO. Alberto Caeiro. Fernando Pessoa

O PASTOR AMOROSO. Alberto Caeiro. Fernando Pessoa O PASTOR AMOROSO Alberto Caeiro Fernando Pessoa Este texto foi digitado por Eduardo Lopes de Oliveira e Silva, no Rio de Janeiro, em maio de 2006. Manteve-se a ortografia vigente em Portugal. 2 SUMÁRIO

Leia mais

O líder convida um membro para ler em voz alta o objetivo da sessão:

O líder convida um membro para ler em voz alta o objetivo da sessão: SESSÃO 3 'Eis a tua mãe' Ambiente Em uma mesa pequena, coloque uma Bíblia, abriu para a passagem do Evangelho leia nesta sessão. Também coloca na mesa uma pequena estátua ou uma imagem de Maria e uma vela

Leia mais

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO HISTÓRIA BÍBLICA: Mateus 18:23-34 Nesta lição, as crianças vão ouvir a Parábola do Servo Que Não Perdoou. Certo rei reuniu todas as pessoas que lhe deviam dinheiro.

Leia mais

O Crente Sempre Alerta!

O Crente Sempre Alerta! 2 de Outubro de 2015 Vieram contra Gibeá dez mil homens escolhidos de todo o Israel, e a batalha tornou-se rude; porém os de Gibeá não sabiam que o mal lhes sobrevinha. Juízes 20.34 EXÓRDIO O capítulo

Leia mais

Vamos mudar o mundo? Mais esta mudança deve começar por você!

Vamos mudar o mundo? Mais esta mudança deve começar por você! Vamos mudar o mundo? Mais esta mudança deve começar por você! Este Livro Digital (Ebook) é fruto de uma observação que eu faço no mínimo há dez anos nas Redes Sociais, e até pessoalmente na convivência

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

A CURA DE UM MENINO Lição 31

A CURA DE UM MENINO Lição 31 A CURA DE UM MENINO Lição 31 1 1. Objetivos: Mostrar o poder da fé. Mostrar que Deus tem todo o poder. 2. Lição Bíblica: Mateus 17.14-21; Marcos 9.14-29; Lucas 9.37-43 (Leitura bíblica para o professor)

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

A grande farsa da evolução do processo de gestão empresarial

A grande farsa da evolução do processo de gestão empresarial A grande farsa da evolução do processo de gestão empresarial Começo minha reflexão de hoje pensando um pouco na história da Administração, nos princípios de gestão e formas como as empresas hoje são geridas.

Leia mais

KJV King James Bible Study Correspondence Course An Outreach of Highway Evangelistic Ministries 5311 Windridge lane ~ Lockhart, Florida 32810 ~ USA

KJV King James Bible Study Correspondence Course An Outreach of Highway Evangelistic Ministries 5311 Windridge lane ~ Lockhart, Florida 32810 ~ USA 1 Lição 0 Já nasceu de novo? (volte para a página 5) Perguntaram a John Wesley porque razão ele pregava várias vezes, acerca de devem nascer de novo. Ele respondeu, porque vocês devem nascer de novo! Já

Leia mais

Conto n.o 5: A minha mãe é a Iemanjá 24.07.12. Ele ficava olhando o mar, horas se o deixasse. Ele só tinha cinco anos.

Conto n.o 5: A minha mãe é a Iemanjá 24.07.12. Ele ficava olhando o mar, horas se o deixasse. Ele só tinha cinco anos. Contos Místicos 1 Contos luca mac doiss Conto n.o 5: A minha mãe é a Iemanjá 24.07.12 Prefácio A história: esta história foi contada por um velho pescador de Mongaguá conhecido como vô Erson. A origem:

Leia mais

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Autora: Tell Aragão Personagens: Voz - não aparece mendigo/pessoa Nervosa/Ladrão faz os três personagens Menina 1 Menina 2 Voz: Era uma vez, duas irmãs que ganharam dois

Leia mais

1ª Leitura - Ex 17,3-7

1ª Leitura - Ex 17,3-7 1ª Leitura - Ex 17,3-7 Dá-nos água para beber! Leitura do Livro do Êxodo 17,3-7 Naqueles dias: 3 O povo, sedento de água, murmurava contra Moisés e dizia: 'Por que nos fizeste sair do Egito? Foi para nos

Leia mais

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT

Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Entrevista exclusiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao SBT Brasília-DF, 30 de outubro de 2006 Jornalista Ana Paula Padrão: Então vamos às perguntas, agora ao vivo, com

Leia mais

Vinho Novo Viver de Verdade

Vinho Novo Viver de Verdade Vinho Novo Viver de Verdade 1 - FILHOS DE DEUS - BR-LR5-11-00023 LUIZ CARLOS CARDOSO QUERO SUBIR AO MONTE DO SENHOR QUERO PERMANECER NO SANTO LUGAR QUERO LEVAR A ARCA DA ADORAÇÃO QUERO HABITAR NA CASA

Leia mais

JÓ Lição 05. 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus.

JÓ Lição 05. 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus. JÓ Lição 05 1 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus. 2. Lição Bíblica: Jô 1 a 42 (Base bíblica para a história e o professor)

Leia mais

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Autora: Tell Aragão Personagens: Carol (faz só uma participação rápida no começo e no final da peça) Mãe - (só uma voz ela não aparece) Gigi personagem

Leia mais

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa FIM DE SEMANA Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa CENA 1 EXTERIOR / REUNIÃO FAMILIAR (VÍDEOS) LOCUTOR Depois de uma longa semana de serviço, cansaço, demoradas viagens de ônibus lotados...

Leia mais

1º Domingo de Julho Conexão Kids -05/07/2015

1º Domingo de Julho Conexão Kids -05/07/2015 1º Domingo de Julho Conexão Kids -05/07/2015 Sinalizar o Amor de Deus através da obediência e do respeito! Objetivo: Mostrar a importância de respeitar as regras e obedecer aos pais e responsáveis. Reforçar

Leia mais

A Vestimenta Nova do Imperador Kejserens ny e Klæder (1837)

A Vestimenta Nova do Imperador Kejserens ny e Klæder (1837) A Vestimenta Nova do Imperador Kejserens ny e Klæder (1837) Há muitos anos, vivia um imperador que gostava tanto de vestimentas novas e bonitas, que gastou todo o seu dinheiro a vestir-se bem. Não se preocupava

Leia mais

Consagração do Aposento. Hinos de DESPACHO Hinos de CONCENTRAÇÃO Hinário CRUZEIRINHO Mestre Irineu Hinos de ENCERRAMENTO

Consagração do Aposento. Hinos de DESPACHO Hinos de CONCENTRAÇÃO Hinário CRUZEIRINHO Mestre Irineu Hinos de ENCERRAMENTO Oração Pai Nosso Ave Maria Chave Harmonia Hinos da ORAÇÃO Consagração do Aposento Hinos de DESPACHO Hinos de CONCENTRAÇÃO Hinário CRUZEIRINHO Mestre Irineu Hinos de ENCERRAMENTO Pai Nosso - Ave Maria Prece

Leia mais

Uma palavra da velha guarda, com novo significado

Uma palavra da velha guarda, com novo significado Um Espaço Chamado Castidade 1 Uma palavra da velha guarda, com novo significado Se eu pedisse a você uma definição de castidade, posso até apostar que você associaria com esperar até o casamento para fazer

Leia mais

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23.

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23. Tema: DEUS CUIDA DE MIM. Texto: Salmos 23:1-6 Introdução: Eu estava pesando, Deus um salmo tão poderoso até quem não está nem ai prá Deus conhece uns dos versículos, mas poderosos da bíblia e o Salmo 23,

Leia mais

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

«Tesouro Escondido» Já sei que estás para chegar Espero por ti na ponta do cais O teu navio vem devagar A espera é longa demais

«Tesouro Escondido» Já sei que estás para chegar Espero por ti na ponta do cais O teu navio vem devagar A espera é longa demais Letras Álbum Amanhecer João da Ilha (2011) «Tesouro Escondido» Já sei que estás para chegar Espero por ti na ponta do cais O teu navio vem devagar A espera é longa demais Já sei que és buliçoso Trazes

Leia mais

LISTA DE RECUPERAÇÃO 8º ANO

LISTA DE RECUPERAÇÃO 8º ANO 1 Nome: nº Data: / /2012 ano bimestre Profa.: Denise LISTA DE RECUPERAÇÃO 8º ANO Nota: 1) A arte barroca ganhou espaço e passou a inaugurar um novo período na arte européia, que já havia experimentado

Leia mais

SAMUEL, O PROFETA Lição 54. 1. Objetivos: Ensinar que Deus quer que nós falemos a verdade, mesmo quando não é fácil.

SAMUEL, O PROFETA Lição 54. 1. Objetivos: Ensinar que Deus quer que nós falemos a verdade, mesmo quando não é fácil. SAMUEL, O PROFETA Lição 54 1 1. Objetivos: Ensinar que Deus quer que nós falemos a verdade, mesmo quando não é fácil. 2. Lição Bíblica: 1 Samuel 1 a 3 (Base bíblica para a história o professor) Versículo

Leia mais

Curso de Discipulado

Curso de Discipulado cidadevoadora.com INTRODUÇÃO 2 Este curso é formado por duas partes sendo as quatro primeiras baseadas no evangelho de João e as quatro últimas em toda a bíblia, com assuntos específicos e muito relevantes

Leia mais

Índice Geral. Índice de Autores

Índice Geral. Índice de Autores Victor Fernandes 1 Índice Geral A perua-galinha 3 A vida de um porco chamado Ricky 4 Um burro chamado Burro 5 O atrevido 6 O Burro que abandonou a família por causa de uma rã 7 A burra Alfazema 8 Índice

Leia mais

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Equipa de Animação Pastoral

COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Equipa de Animação Pastoral COLÉGIO INTERNATO DOS CARVALHOS Equipa de Animação Pastoral Advento 2014 (Campanha de Preparação para o Natal) A ALEGRIA E A BELEZA DE VIVER EM FAMÍLIA. O tempo do Advento, que devido ao calendário escolar

Leia mais

Músicas Para Casamento

Músicas Para Casamento Músicas Para Casamento 01. Você e Eu - Eliana Ribeiro 7M 7M C#m7 F#7/5+ F#7 Bm7 Quero estar com você, / Lembrar de cada momento bom; C#m7 m7 C#m7 #m7 Em7 7/9 Reviver a nossa história, nosso amor. 7M #m7/5-

Leia mais

Catequese da Adolescência 7º Catecismo Documentos de Apoio CATEQUESE 1 - SOMOS UM GRUPO COM JESUS. Documento I

Catequese da Adolescência 7º Catecismo Documentos de Apoio CATEQUESE 1 - SOMOS UM GRUPO COM JESUS. Documento I CATEQUESE 1 - SOMOS UM GRUPO COM JESUS Documento I CATEQUESE 1 - SOMOS UM GRUPO COM JESUS Documento 2 CATEQUESE 1 - SOMOS UM GRUPO COM JESUS Documento 3 CATEQUESE 2 - QUEM SOU EU? Documento 1 CATEQUESE

Leia mais

Evangelhos. www.paroquiadecascais.org

Evangelhos. www.paroquiadecascais.org Evangelhos 1. Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus (Mt 5, 1-12a) ao ver a multidão, Jesus subiu ao monte e sentou-se. Rodearam-n O os discípulos e Ele começou a ensiná-los, dizendo:

Leia mais

Hinário SOIS BALIZA De Germano Guilherme

Hinário SOIS BALIZA De Germano Guilherme Hinário SOIS BALIZA De Germano Guilherme Edição oficial do CICLUMIG Flor do Céu De acordo com revisão feita pelo Sr. Luiz Mendes do Nascimento, zelador do hinário. www.mestreirineu.org 1 01 - DIVINO PAI

Leia mais

Bíblia Sagrada N o v o T e s t a m e n t o P r i m e i r a E p í s t o l a d e S ã o J o ã o virtualbooks.com.br 1

Bíblia Sagrada N o v o T e s t a m e n t o P r i m e i r a E p í s t o l a d e S ã o J o ã o virtualbooks.com.br 1 Bíblia Sagrada Novo Testamento Primeira Epístola de São João virtualbooks.com.br 1 Capítulo 1 1 O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos olhos, o que temos contemplado

Leia mais

A Pedagogia do cuidado

A Pedagogia do cuidado Roteiro de Oração na Vida Diária nº 23 A Pedagogia do cuidado Tempo forte na Igreja, inicia-se hoje nossa caminhada de preparação para a Páscoa, no rico tempo da quaresma. Como nos ciclos da natureza,

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães 2 No dia em que Iracema e Lipe voltaram para visitar a Gê, estava o maior rebuliço no hospital. As duas crianças ficaram logo

Leia mais

Levantando o Mastro CD 02. Bom Jesus da Cana Verde. Divino Espírito Santo Dobrado. Areia areia

Levantando o Mastro CD 02. Bom Jesus da Cana Verde. Divino Espírito Santo Dobrado. Areia areia CD 02 Bom Jesus da Cana Verde [ai bom Jesus da Cana Verde é nosso pai, é nosso Deus (bis)] ai graças a Deus para sempre que tornamos a voltar ai com o mesmo Pombo Divino da glória celestial ai Meu Divino

Leia mais

E quando Deus diz não?

E quando Deus diz não? E quando Deus diz não? 1 Cr 17:1-27 Como é ruim ouvir um não! Enquanto ouvimos sim, enquanto as coisas estão acontecendo ao nosso favor, enquanto Deus está aprovando ou permitindo o que fazemos, enquanto

Leia mais

O que procuramos está sempre à nossa espera, à porta do acreditar. Não compreendemos muitos aspectos fundamentais do amor.

O que procuramos está sempre à nossa espera, à porta do acreditar. Não compreendemos muitos aspectos fundamentais do amor. Capítulo 2 Ela representa um desafio. O simbolismo existe nas imagens coloridas. As pessoas apaixonam-se e desapaixonam-se. Vão onde os corações se abrem. É previsível. Mereces um lugar no meu baloiço.

Leia mais

Juniores aluno 7. Querido aluno,

Juniores aluno 7. Querido aluno, Querido aluno, Por acaso você já se perguntou algumas destas questões: Por que lemos a Bíblia? Suas histórias são mesmo verdadeiras? Quem criou o mundo? E o homem? Quem é o Espírito Santo? Por que precisamos

Leia mais

Vivendo e aprendendo em família

Vivendo e aprendendo em família Vivendo e aprendendo em família VERSÍCULO BÍBLICO Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração. Ensine-as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas quando estiver sentado

Leia mais

JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1

JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1 1 JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1 ENTREGADOR DE CARGAS 32 ANOS DE TRABALHO Transportadora Fácil Idade: 53 anos, nascido em Quixadá, Ceará Esposa: Raimunda Cruz de Castro Filhos: Marcílio, Liana e Luciana Durante

Leia mais

DISCURSO PROFERIDO PELO NOBRE DEPUTADO HELIO DE SOUSA, EM CARÁTER EXCEPCIONAL, NO DIA 08 DE OUTUBRO DE 2015

DISCURSO PROFERIDO PELO NOBRE DEPUTADO HELIO DE SOUSA, EM CARÁTER EXCEPCIONAL, NO DIA 08 DE OUTUBRO DE 2015 DISCURSO PROFERIDO PELO NOBRE DEPUTADO HELIO DE SOUSA, EM CARÁTER EXCEPCIONAL, NO DIA 08 DE OUTUBRO DE 2015 Senhores Deputados, meu pronunciamento é em caráter excepcional. Eu tenho uma história de vida

Leia mais

INDICE Introdução 03 Você é muito bonzinho 04 Vamos ser apenas amigos dicas para zona de amizade Pg: 05 Evite pedir permissão

INDICE Introdução 03 Você é muito bonzinho 04 Vamos ser apenas amigos dicas para zona de amizade Pg: 05 Evite pedir permissão 1 INDICE Introdução... Pg: 03 Você é muito bonzinho... Pg: 04 Vamos ser apenas amigos dicas para zona de amizade... Pg: 05 Evite pedir permissão... Pg: 07 Não tenha medo de ser você mesmo... Pg: 08 Não

Leia mais

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade.

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade. A Palavra de Deus 2 Timóteo 3:16-17 Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. 17 E isso

Leia mais

Material: Uma copia do fundo para escrever a cartinha pra mamãe (quebragelo) Uma copia do cartão para cada criança.

Material: Uma copia do fundo para escrever a cartinha pra mamãe (quebragelo) Uma copia do cartão para cada criança. Radicais Kids Ministério Boa Semente Igreja em células Célula Especial : Dia Das mães Honrando a Mamãe! Principio da lição: Ensinar as crianças a honrar as suas mães. Base bíblica: Ef. 6:1-2 Texto chave:

Leia mais

Para início de conversa 9. Família, a Cia. Ltda. 13. Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35. Cardápio de lembranças 53

Para início de conversa 9. Família, a Cia. Ltda. 13. Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35. Cardápio de lembranças 53 Rio de Janeiro Sumário Para início de conversa 9 Família, a Cia. Ltda. 13 Urca, onde moro; Rio, onde vivo 35 Cardápio de lembranças 53 O que o homem não vê, a mulher sente 75 Relacionamentos: as Cias.

Leia mais

CAMINHOS. Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves

CAMINHOS. Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves CAMINHOS Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves Posso pensar nos meus planos Pros dias e anos que, enfim, Tenho que, neste mundo, Minha vida envolver Mas plenas paz não posso alcançar.

Leia mais

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa Olhando as peças Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa História Bíblica: Gênesis 41-47:12 A história de José continua com ele saindo da prisão

Leia mais

Roteiro para curta-metragem. Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO

Roteiro para curta-metragem. Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO Roteiro para curta-metragem Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO SINOPSE Sérgio e Gusthavo se tornam inimigos depois de um mal entendido entre eles. Sérgio

Leia mais

Em C Bm Me alegrarei em ti Senhor Em C B Em Me alegrarei em ti Jesus

Em C Bm Me alegrarei em ti Senhor Em C B Em Me alegrarei em ti Jesus Me alegrarei INTRO: Em, /,, D E9 E9 Tudo pode passar, tudo pode mudar #m Mas eu sei que Tua palavra não passará E9 #m Em Ti seguro estou, minha fortaleza és Jesus Tua alegria é minha força D Ainda que

Leia mais

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão Jorge Esteves Objectivos 1. Reconhecer que Jesus se identifica com os irmãos, sobretudo com os mais necessitados (interpretação e embora menos no

Leia mais

Jesus contou aos seus discípulos esta parábola, para mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e nunca desanimar.

Jesus contou aos seus discípulos esta parábola, para mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e nunca desanimar. Lc 18.1-8 Jesus contou aos seus discípulos esta parábola, para mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e nunca desanimar. Ele disse: "Em certa cidade havia um juiz que não temia a Deus nem se importava

Leia mais

Lição Oito. O Culto a Deus. Que É Culto? adoração da parte da pessoa que pensa acerca de Deus. O culto é a reação humana à glória,

Lição Oito. O Culto a Deus. Que É Culto? adoração da parte da pessoa que pensa acerca de Deus. O culto é a reação humana à glória, Livro 1 página 57 Lição Oito O Culto a Deus Que É Culto? O culto é o ato de reconhecer a Deus por quem Ele é. Inclui uma atitude de reverência, devoção e adoração da parte da pessoa que pensa acerca de

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada.

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Cláudia Barral (A sala é bastante comum, apenas um detalhe a difere de outras salas de apartamentos que se costuma ver ordinariamente: a presença de uma câmera de vídeo

Leia mais

Eu, Você, Todos Pela Educação

Eu, Você, Todos Pela Educação Eu, Você, Todos Pela Educação Um domingo de outono típico em casa: eu, meu marido, nosso filho e meus pais nos visitando para almoçar. Já no final da manhã estava na sala lendo um livro para tentar relaxar

Leia mais

Anderson: Bem, qual é o manete? Legge: Deve ser uma alavanca preta no centro do painel. Isso aí. Deixe a aeronave voar por si própria.

Anderson: Bem, qual é o manete? Legge: Deve ser uma alavanca preta no centro do painel. Isso aí. Deixe a aeronave voar por si própria. Bem, sejam todos muito bem-vindos aqui. E parabéns por estarem aqui neste final de semana. Porque eu acho, em minha experiência Alpha, que as duas coisas mais difíceis para as pessoas são, em primeiro

Leia mais

Este testemunho é muito importante para os Jovens.

Este testemunho é muito importante para os Jovens. Este testemunho é muito importante para os Jovens. Eu sempre digo que me converti na 1ª viagem missionária que fiz, porque eu tinha 14 anos e fui com os meus pais. E nós não tínhamos opção, como é o pai

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de lançamento do Programa Nacional de Saúde Bucal

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de lançamento do Programa Nacional de Saúde Bucal , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de lançamento do Programa Nacional de Saúde Bucal Sobral-CE, 17 de março de 2004 Meu caro governador do estado do Ceará, Lúcio Alcântara, Meu caro companheiro

Leia mais

Atividade: Leitura e interpretação de texto. Português- 8º ano professora: Silvia Zanutto

Atividade: Leitura e interpretação de texto. Português- 8º ano professora: Silvia Zanutto Atividade: Leitura e interpretação de texto Português- 8º ano professora: Silvia Zanutto Orientações: 1- Leia o texto atentamente. Busque o significado das palavras desconhecidas no dicionário. Escreva

Leia mais

Bíblia para crianças. apresenta O ENGANADOR

Bíblia para crianças. apresenta O ENGANADOR Bíblia para crianças apresenta JACÓ O ENGANADOR Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:M. Maillot; Lazarus Adaptado por: M Kerr; Sarah S. Traduzido por: Berenyce Brandão Produzido por: Bible for Children

Leia mais