Apresentação. royalties e de repasses federais, o aumento da arrecadação de impostos estaduais e municipais

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apresentação. royalties e de repasses federais, o aumento da arrecadação de impostos estaduais e municipais"

Transcrição

1

2 Apresentação O ano de foi especialmente diferente para a economia mundial, que viveu os reflexos de uma crise sem precedentes em sua história recente. Dentre os países em desenvolvimento, o Brasil foi um dos menos impactados pela crise econômica internacional que eclodiu no final de O equilíbrio das contas do Estado brasileiro em todos os seus níveis federal, estaduais e municipais foi um grande desafio, devido à diminuição das atividades econômicas. Nesse cenário turbulento, o Estado do Rio de Janeiro ainda enfrentou um desafio especial: a extraordinária queda do preço do petróleo no mercado mundial, que se refletiu na redução dos repasses de royalties e participações especiais. Os municípios sofreram também com a redução dos repasses do governo federal, obrigado a adotar medidas contracíclicas para atenuar a crise. Apesar disso, houve crescimento na arrecadação tributária, em receitas específicas dos municípios, como o Imposto sobre Serviços (ISS), e do Estado, com o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Embora não tenha sido suficiente para compensar a perda de royalties e de repasses federais, o aumento da arrecadação de impostos estaduais e municipais num momento recessivo mostra a resiliência da economia fluminense. Os resultados de, ao mesmo tempo em que expõem alguns reflexos negativos da globalização da economia no microcosmo das cidades, apresentam também o esforço dos gestores municipais em adotar medidas para reduzir as despesas e conseguir, com isso, superar a forte queda em suas receitas, um efeito da crise já previsto em seus orçamentos. Em sua terceira edição, Finanças dos Municípios Fluminenses se consolida como uma importante ferramenta para o planejamento das atividades econômicas nos municípios. A publicação proporciona a empresários, acadêmicos, prefeitos, vereadores e gestores públicos a oportunidade de acompanhar a performance financeira de suas cidades. O anuário traz dados e análises de fácil compreensão que certamente contribuirão para a economia dos municípios. Com base nas informações, é possível repensar estratégias e definir diretrizes para garantir o investimento e a qualidade dos gastos públicos, mesmo em momentos difíceis como os que vivemos em, um ano do qual tiramos grandes lições para a administração dos cofres municipais em tempos de turbulência. Julio Bueno Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços

3 sumário Notas metodológicas... 2 Panorama - As finanças dos municípios fluminenses em... 3 Solicitações para recebimento de exemplares via Correios, envio de artigos e sugestões: Aequus Consultoria Rua Dr. Eurico de Aguiar, 888, sl Vitória - ES CEP: Tel: (27) Diretor: Alberto Jorge Mendes Borges Editora técnica: Tânia Mara Cursino Villela Administrativo: Marta Luiza Cursino Villela Equipe técnica: Adriano do Carmo Santos Juliano César Gomes Luiz Eduardo de Souza Dalfior Victor Batista Trindade (estagiário) Comercial no Rio de Janeiro: Brumima Consultoria Tels.: (21) e (21) Revisão: Tríade Comunicação Projeto gráfico e editoração: Comunicação Impressa Capa: Cristina Xavier Copyright by Aequus Consultoria S/S Ltda. É permitida a reprodução total ou parcial desta publicação, desde que citada a fonte. Receita... 3 Despesa... 5 Resultado orçamentário... 5 ICMS municipal FPM Royalties ISS IPTU ITBI Taxas Pessoal Custeio Investimentos Juros e amortizações da dívida Finanças dos Municípios Fluminenses / Organização de Alberto J. M. Borges e Tânia M. C. Villela. v3 (2010). Vitória, ES: Aequus Consultoria, 2010 Anual CDU: Legislativos municipais Educação Saúde

4 Notas metodológicas Fonte dos dados municipais e estimativas Os dados sobre finanças municipais foram coletados no site da Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Nos casos em que os dados estavam omitidos, eles foram completados com as informações que os municípios transmitiram ao Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), a partir de As demais fontes utilizadas nessa publicação estão relacionadas no quadro abaixo. Informação Dados dos balanços municipais Estimativa populacional de Número de servidores municipais Royalties e participações especiais Índice de participação dos municípios no ICMS Aplicação mínima de recursos na educação Aplicação mínima de recursos na saúde Número de alunos Fonte Secretaria do Tesouro Nacional (STN) Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) Secretaria de Estado da Fazenda do Rio de Janeiro Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação (Siope) Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde (Siops) Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) Com o objetivo de permitir a comparação entre os anos da série apresentada, os valores totais e o total do interior incluem estimativas para os valores não disponíveis. A metodologia das estimativas está baseada no comportamento dos municípios que apresentaram dados nos anos considerados. Número de municípios que apresentaram dados, de 2004 a Número de municípios com dados Participação no total 97,8% 95,7% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Total de municípios do Estado do Rio de Janeiro Nota sobre a receita total e a despesa total Em alguns casos, os dados de receita total e de despesa total podem estar superestimados em função de dupla contagem das receitas e despesas intra-orçamentárias nos dados coletados pela STN. Devido à impossibilidade de identificar o problema, Finanças dos Municípios Fluminenses apresenta os valores totais que os municípios encaminharam à STN e ao TCE-RJ. Além disso, elevadas variações nos totais da receita e da despesa podem indicar a falta de padronização contábil dos dados encaminhados à STN por parte de alguns municípios, que não enviaram seus dados consolidados em determinados anos. Conceitos utilizados Royalties: consideram os repasses dos royalties incluídos os valores das participações especiais. Despesa com pessoal: equivale às despesas de Pessoal e Encargos Sociais (exceto sentenças judiciais e despesas de exercícios anteriores), incluídos os gastos com aposentadorias, pensões e salário-família registrados em Outras Despesas Correntes. Despesa de custeio: abrange toda a despesa corrente, exceto as de pessoal (conforme cálculo acima) e pagamentos de juros e encargos da dívida. Investimentos: compreendem toda a despesa de capital, exceto as amortizações com a dívida. Juros e amortizações da dívida: equivale às despesas correntes com juros e encargos da dívida, mais as despesas de capital com as amortizações da mesma. Suficiência financeira: é a diferença entre ativos e passivos financeiros. Atualização de valores Todos os dados apresentados nesta edição, à exceção do que estiver expressamente mencionado, foram atualizados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com a finalidade de possibilitar a comparação entre diversos anos. As correções foram feitas pelo IPCA médio de, utilizando-se os multiplicadores abaixo. Multiplicadores de correção de preços, com base na média anual do cálculo mensal do IPCA. (Ano base = 1) ,2791 1,1969 1,1488 1,1084 1,0489 1,0000 Deduções da conta Fundef/FUNDEB Nos dados de receita total, receita corrente, despesa total e despesa corrente, quando necessário, foram eliminados os efeitos contábeis de duplicidade das contas do Fundef (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e Valorização do Magistério), que vigorou de 1998 a 2006, e do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação), que substituiu o Fundef a partir de Entretanto, os dados do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e da Quota-parte Municipal no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (QPM-ICMS) estão publicados sem os descontos do Fundef e do Fundeb. Sinais convencionais utilizados Na apresentação das tabelas, quando necessário, utilizaram-se os seguintes sinais convencionais: a) 0 ou 0,0 à dado numérico igual a zero resultante de arredondamento de um dado numérico originalmente positivo; b) -0 ou -0,0 à dado numérico igual a zero resultante de arredondamento de um dado numérico originalmente negativo; c) à dado numérico igual a zero não resultante de arredondamento; d).. à não se aplica dado numérico; e e)... à dado numérico não disponível.

5 Panorama As finanças dos municípios fluminenses em Receitas A crise econômica internacional que eclodiu no final de 2008 interrompeu um ciclo vertiginoso de expansão das receitas municipais. Em todo o território brasileiro a receita total encolheu, em média, 1,3%. Já entre os municípios do Estado do Rio de Janeiro, essa retração foi um pouco mais intensa, de 2,6%, em média, o que representou uma redução de R$ 725,6 milhões nos cofres municipais, em comparação com o ano de Evolução da receita total dos municípios fluminenses bilhões - IPCA médio de Taxa anual de crescimento da receita total em relação ao ano anterior no recolhimento do Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis Inter Vivos (ITBI), de 4,1% nas taxas municipais e de 1,7% no Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) veja mais sobre os tributos nas páginas 44, 50, 56 e 62. Outro item que também apresentou expansão foram as transferências estaduais da Quota-parte Municipal do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (QPM-ICMS). Em, foram repassados R$ 82,7 milhões adicionais aos cofres municipais a título de QPM-ICMS, 1,8% a mais que em 2008, já descontados os efeitos da inflação (veja mais sobre ICMS na página 22). Entretanto, o bom desempenho da arrecadação própria e o aumento nos repasses do ICMS foram insuficientes para suprir a queda das transferências do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e dos royalties e participações especiais relativas à exploração do petróleo e gás natural. As medidas anticíclicas adotadas pelo governo federal para estimular a expansão da economia brasileira impactaram fortemente os repasses do FPM. Em, os municípios do Rio de Janeiro receberam R$ 137,5 milhões a menos, em relação a 2008, o que representou uma redução real de 8,6%. Entretanto, 3 panorama das finanças visando a minimizar os impactos dessa redução, a União complementou os repasses com mais R$ 69,3 milhões, distribuídos ao longo do ano em cinco parcelas. Considerando a compensação do governo federal, a queda real foi de 4,2% (veja mais sobre FPM na página 30). Apesar do desempenho geral da receita ter sido menor que o do ano anterior, vários itens apresentaram crescimento. A arrecadação tributária aumentou 6,1% entre 2008 e, o que representou um incremento de R$ 434,1 milhões. O Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) foi o que contabilizou o maior crescimento, de 9,4%, seguido pelo aumento de 7% Contudo, o grande responsável pela queda da receita nas cidades fluminenses foram as reduções das transferências de royalties e participações especiais do petróleo e gás natural. Comparado a 2008, os municípios do Rio de Janeiro deixaram de receber R$ 1,09 bilhão de royalties e participações especiais, em. A causa dessa diminuição foi a queda nos preços dessas commodities no mercado internacional (veja mais sobre royalties na página 38).

6 Desempenho dos principais itens da receita municipal /2008 QPM-ICMS. Já em Paraty e Maricá o desempenho da receita foi extremamente influenciado pelos incrementos dos repasses dos royalties do petróleo. Receita per capita A receita per capita média dos municípios fluminenses, em, foi de R$ 1.671,19, 3,5% abaixo da registrada em Mesmo com a queda nos níveis da receita, as três primeiras posições do ranking por habitante mantiveram-se inalteradas em relação a 2008: Quissamã (R$ 8.499,65), São João da Barra (R$ 7.065,07) e Macaé (R$ 5.726,79). Impacto diferenciado Devido à importância da receita dos royalties e das participações especiais, os municípios da Bacia Petrolífera de Campos foram os que tiveram suas receitas mais afetadas em. Com exceção de São João da Barra, que apresentou um aumento de 3,9%, todos os demais municípios desse grupo tiveram queda na receita. As maiores retrações ocorreram em Quissamã (-29,2%), Rio das Ostras (-24%), Carapebus (-23,6%), Armação dos Búzios (-20,2%) e Cabo Frio (-20%). Conforme nota-se no gráfico abaixo, os municípios que fazem parte da Bacia de Campos lideram o ranking da receita, com uma média de R$ 3.865,63 por habitante. Em seguida, aparecem os pequenos, com menos de 25 mil habitantes, com uma média de R$ 2.233,56 per capita. Os maiores, com mais de 300 mil habitantes, são os que possuem a menor receita por habitante do Estado, de R$ 1.025,93. Receita per capita por faixa populacional e Bacia de Campos Dentre os 92 municípios fluminenses, 62 apresentaram algum tipo de redução na receita em. Excetuando-se os da Bacia de Campos, as maiores reduções ocorreram em Cardoso Moreira (-29,5%), São Pedro da Aldeia (-21,8%), Tanguá (-19,4%), Duque de Caxias (-16%) e Arraial do Cabo (-14,2%). Aliás, desconsiderandose o desempenho dos municípios da Bacia de Campos, a receita total dos municípios fluminenses permaneceria relativamente estável (0,2%), em relação a Na capital, a receita apresentou um aumento de 1,5%, passando de R$ 11,49 bilhões, em 2008, para R$ 11,67 bilhões, em. Mesmo num cenário adverso, alguns municípios obtiveram excelente desempenho: Petrópolis (38,3%), Rio das Flores (29,9%), Barra do Piraí (27,2%), Paraty (17,6%) São Gonçalo (15,3%), Mesquita (15,3%), Quatis (14,8%) e Maricá (13,9%). Em Rio das Flores e São Gonçalo, a expansão da receita foi influenciada, principalmente, pelo bom desempenho da arrecadação do ISS, ao passo que, em Mesquita e Quatis, essa elevação deveu-se ao aumento das transferências da Assim como em vários outros estados do Brasil, no Rio de Janeiro há vários municípios de grande porte populacional com baixa receita per capita. Para se ter uma ideia, dos 27 com mais de 100 mil habitantes, apenas Macaé aparece entre as dez primeiras colocações do ranking. Em contrapartida, nove encontram-se nas dez últimas posições: Magé (R$ 959,49), Japeri (R$ 900,31), Nilópolis (R$ 854,73), Nova Iguaçu (R$ 828,27), Queimados (R$ 711,92), Mesquita (R$ 688,59), Belford Roxo (R$ 640,77), São João de Meriti (R$ 593,54) e São Gonçalo (R$ 545,63). 4 Finanças dos Municípios Fluminenses

7 Despesas Os municípios fluminenses realizaram um corte significativo nos gastos para readequar as finanças à queda na receita. Em, a despesa total retraiu 5,5%, passando de R$ 26,89 bilhões, em 2008, para R$ 25,42 bilhões, em. Esse desempenho foi puxado, principalmente, pela queda acentuada de 7,9% na despesa da cidade do Rio de Janeiro. Nos municípios do interior, houve uma redução média de 3,6%. Desempenho dos principais itens da despesa /2008 Evolução da despesa total dos municípios fluminenses bilhões - IPCA médio de Resultado orçamentário As despesas de pessoal, que, em 2008, havia apresentado uma expansão de 13,3%, em tiveram uma brusca desaceleração, aumentando 1,4%. Mesmo com essa nítida contenção, houve uma ampliação do comprometimento desse gasto em relação à receita corrente, que passou de 48,5% para 50,5%, entre 2008 e (veja mais sobre pessoal na página 68). Dos 92 municípios do Estado, 58,7% tiveram algum tipo de superávit orçamentário em, cuja receita superou a despesa em R$ 1,33 bilhão. Esse resultado, em pleno ano de crise econômica, se deu em função de os municípios haverem realizado um corte nas despesas superior à retração das receitas, no mesmo ano. Na capital, o resultado orçamentário foi superavitário em R$ 897 milhões, o equivalente a 7,7% da receita total da cidade. Evolução do resultado orçamentário milhões - IPCA médio de 5 panorama das finanças Os gastos com juros, encargos e amortizações da dívida aumentaram significativamente, saltando de R$ 1,25 bilhão, em 2008, para R$ 1,34 bilhão, em, o que equivaleu a uma ampliação de 7,7% no mesmo período (veja mais sobre encargos e amortizações da dívida na página 90). A redução da despesa dos municípios ocorreu devido aos cortes significativos nos itens de custeio e investimento. Os gastos com custeio foram reduzidos em 5,7%, o que representou uma economia de R$ 531,2 milhões em relação ao ano de O maior corte, em termos relativos, ocorreu nas despesas com material de consumo, que tiveram uma queda de -16% no período (veja mais sobre custeio na página 78). Evolução do percentual de municípios que apresentaram resultados orçamentários positivos e negativos Contudo, os investimentos foram as despesas mais afetadas. Entre 2008 e, os investimentos tiveram um corte de 37,4%, passando de R$ 3,24 bilhões para R$ 2,02 bilhões, respectivamente. Além da queda da receita, outro fator decisivo para explicar esse desempenho é o fato de ter sido um ano de início de mandato, onde normalmente os governos recémeleitos estão em fase de planejar o futuro. Tendem, portanto, a ser mais cautelosos em efetuar novas despesas ou ampliar as antigas (veja mais sobre investimento na página 84).

8 COMPOSIÇÃO Receita total Município Receita tributária Royalties FPM QPM-ICMS Outras Total a Angra dos Reis 18,4 13,5 6,7 40,5 20,9 100, Aperibé 2,6 13,0 16,3 37,0 31,1 100, Araruama 18,7 4,6 16,4 15,4 45,0 100, Areal 11,4 0,0 19,5 37,7 31,5 100, Armação dos Búzios 19,6 37,2 8,0 15,1 20,0 100, Arraial do Cabo 15,4 11,1 18,6 20,5 34,5 100, Barra do Piraí 11,6 4,7 16,8 17,8 49,2 100, Barra Mansa 11,9 4,9 13,6 18,4 51,2 100, Belford Roxo 10,3 1,9 10,1 18,5 59,2 100, Bom Jardim 6,5 9,8 21,3 30,5 31,8 100, Bom Jesus do Itabapoana 7,4 9,6 22,0 29,9 31,0 100, Cabo Frio 14,3 33,3 8,7 18,1 25,7 100, Cachoeiras de Macacu 20,1 21,1 12,4 20,7 25,7 100, Cambuci 2,1 11,6 21,0 38,3 27,1 100, Campos dos Goytacazes 6,2 62,0 2,3 12,7 16,7 100, Cantagalo 8,8 8,1 16,3 43,4 23,4 100, Carapebus 2,6 43,4 9,6 36,6 7,8 100, Cardoso Moreira 2,7 14,2 21,6 50,9 10,7 100, Carmo 3,2 9,5 19,8 39,3 28,3 100, Casimiro de Abreu 13,0 39,5 6,4 25,3 15,8 100, Comendador Levy Gasparian 10,1 0,0 18,9 48,4 22,7 100, Conceição de Macabu 4,0 9,8 19,6 31,8 34,7 100, Cordeiro 6,2 12,4 24,9 32,5 23,9 100, Duas Barras 2,6 11,4 18,1 41,5 26,4 100, Duque de Caxias 24,1 2,8 2,7 38,8 31,6 100, Engenheiro Paulo de Frontin 3,1 12,5 18,9 37,3 28,2 100, Guapimirim 9,5 30,4 14,7 15,7 29,7 100, Iguaba Grande 12,3 8,8 17,7 24,1 37,1 100, Itaboraí 17,6 2,8 13,4 9,9 56,3 100, Itaguaí 36,9 2,3 8,5 16,1 36,2 100, Italva 3,1 12,3 23,4 34,7 26,5 100, Itaocara 5,6 10,5 20,3 30,6 33,0 100, Itaperuna 8,3 3,5 12,3 17,8 58,1 100, Itatiaia 12,8 7,1 17,0 30,8 32,2 100, Japeri 5,0 12,2 20,6 17,8 44,4 100, Laje do Muriaé 1,5 14,3 17,9 41,0 25,4 100, Macaé 28,3 31,9 2,9 19,6 17,2 100, Macuco 4,2 15,4 19,2 45,3 15,9 100, Magé 15,3 12,8 13,9 9,7 48,3 100, Mangaratiba 23,2 15,8 7,0 31,5 22,5 100, Maricá 18,3 16,2 15,6 11,8 38,1 100, Mendes 5,0 12,9 26,8 34,8 20,5 100, Mesquita 8,8 4,6 24,9 16,5 45,2 100, Miguel Pereira 10,6 9,1 19,8 25,6 34,8 100, Miracema 4,5 9,6 20,8 25,0 40,0 100, Natividade 3,4 10,0 18,2 30,5 37,9 100, Nilópolis 13,5 4,4 23,9 13,1 45,0 100, Niterói 42,1 3,8 3,7 13,2 37,2 100,0 Em % 6 Finanças dos Municípios Fluminenses

9 Receita Município tributária Royalties FPM QPM-ICMS Outras Total a Em % Nova Friburgo 16,7 2,7 14,9 18,6 47,0 100, Nova Iguaçu 14,6 0,8 4,6 13,0 67,1 100, Paracambi 6,2 6,7 18,0 16,2 53,0 100, Paraíba do Sul 10,1 0,0 21,4 29,9 38,6 100, Paraty 8,8 49,9 8,0 16,4 17,0 100, Paty do Alferes 5,3 9,3 20,1 25,4 39,9 100, Petrópolis 14,5 0,9 4,9 13,8 65,9 100, Pinheiral 7,7 10,9 21,1 27,3 33,0 100, Piraí 9,4 9,2 8,3 38,8 34,3 100, Porciúncula 5,2 10,9 22,8 30,2 30,9 100, Porto Real 6,3 4,1 7,4 74,5 7,7 100, Quatis 3,9 11,0 16,7 32,2 36,2 100, Queimados 10,9 5,9 22,8 20,9 39,5 100, Quissamã 2,8 54,2 4,5 32,8 5,8 100, Resende 18,1 2,7 10,2 32,9 36,1 100, Rio Bonito 21,9 6,2 17,8 18,0 36,1 100, Rio Claro 5,3 8,0 16,7 32,3 37,7 100, Rio das Flores 10,5 9,4 11,8 32,9 35,3 100, Rio das Ostras 10,7 59,2 4,4 9,4 16,3 100, Santa Maria Madalena 3,7 10,7 17,0 54,1 14,4 100, Santo Antônio de Pádua 6,8 7,9 19,1 26,2 40,1 100, São Fidélis 4,8 9,1 22,7 31,2 32,2 100, São Francisco de Itabapoana 4,3 7,5 20,3 39,8 28,1 100, São Gonçalo 18,2 1,3 6,4 17,8 56,3 100, São João da Barra 4,8 73,4 4,1 9,5 8,3 100, São João de Meriti 14,6 2,2 11,7 14,7 56,8 100, São José de Ubá 1,9 14,2 17,8 43,0 23,1 100, São José do Vale do Rio Preto 5,5 11,3 22,7 32,7 27,7 100, São Pedro da Aldeia 16,2 6,9 22,9 18,4 35,6 100, São Sebastião do Alto 3,1 12,8 16,1 48,3 19,7 100, Sapucaia 21,2 0,0 20,2 33,0 25,7 100, Saquarema 23,4 5,0 15,3 12,9 43,4 100, Seropédica 11,7 6,0 18,7 17,1 46,4 100, Silva Jardim 12,3 31,0 11,0 22,2 23,6 100, Sumidouro 2,8 10,7 19,4 37,9 29,2 100, Tanguá 7,6 10,9 22,8 26,1 32,6 100, Teresópolis 20,7 2,8 15,0 13,5 48,1 100, Trajano de Moraes 2,8 13,9 17,5 61,2 4,6 100, Três Rios 14,4 0,0 21,2 23,0 41,3 100, Valença 10,2 6,2 19,7 22,9 41,0 100, Varre-Sai 3,5 15,2 19,0 42,3 20,1 100, Vassouras 7,6 6,9 15,9 20,3 49,3 100, Volta Redonda 18,2 2,2 6,2 32,2 41,2 100, Interior 16,6 17,4 8,8 21,6 35,6 100, Rio de Janeiro 43,4 0,4 1,2 12,6 42,4 100, Total 28,3 10,0 5,5 17,7 38,6 100,0 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a receita total ajustada dos efeitos da conta Fundef / Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). 7 panorama das finanças

10 evolução Receita total a Município Variação / 2008 mil - IPCA médio de em % Partic. na rec. total a Rec. total a per capita Angra dos Reis , , , , , ,1-8,0 1, , Aperibé , , , , ,9 9,8 0, , Araruama , , , , , ,9-3,8 0, , Areal , , , , , ,1-1,4 0, , Armação dos Búzios , , , , , ,1-20,2 0, , Arraial do Cabo , , , , , ,9-14,2 0, , Barra do Piraí , , , , , ,8 27,2 0, , Barra Mansa , , , , , ,8-7,3 0, , Belford Roxo , , , , , ,7-2,5 1,2 640, Bom Jardim , , , , , ,7-4,3 0, , Bom Jesus do Itabapoana , , , , , ,8-3,0 0, , Cabo Frio , , , , , ,0-20,0 1, , Cachoeiras de Macacu , , , , , ,3 6,5 0, , Cambuci , , , , ,2 2,3 0, , Campos dos Goytacazes , , , , , ,6-18,8 5, , Cantagalo , , , , , ,4-10,5 0, , Carapebus , , , , , ,3-23,6 0, , Cardoso Moreira , , , , , ,6-29,5 0, , Carmo , , , , , ,4-0,5 0, , Casimiro de Abreu , , , , , ,3-13,8 0, , Comendador Levy Gasparian , , , , , ,8-9,0 0, , Conceição de Macabu , , , , , ,0 4,7 0, , Cordeiro , , , , , ,2-3,3 0, , Duas Barras , , , , , ,2-5,5 0, , Duque de Caxias , , , , , ,8-16,0 4, , Engenheiro Paulo de Frontin , , , , , ,2-7,8 0, , Guapimirim , , , , ,4-6,3 0, , Iguaba Grande , , , , , ,6-1,2 0, , Itaboraí , , , , , ,4 5,8 0, , Itaguaí , , , , , ,8-4,6 0, , Italva , , , , , ,7-9,2 0, , Itaocara , , , , , ,0-6,1 0, , Itaperuna , , , , , ,1 3,2 0, , Itatiaia , , , , , ,2-9,2 0, , Japeri , , , , , ,5 4,1 0,3 900, Laje do Muriaé , , , , , ,2 1,7 0, , Macaé , , , , , ,1-7,8 4, , Macuco , , , , , ,5-12,7 0, , Magé , , , , , ,6-0,3 0,9 959, Mangaratiba , , , , , ,4-8,7 0, , Maricá , , , , , ,6 13,9 0, , Mendes , , , , , ,7-12,4 0, , Mesquita , , , , , ,0 15,3 0,5 688, Miguel Pereira , , , , , ,1-3,6 0, , Miracema , , , , , ,7-3,2 0, , Natividade , , , , , ,5 0,3 0, , Nilópolis , , , , , ,4 3,1 0,5 854, Niterói , , , , , ,3-3,2 3, ,35 8 Finanças dos Municípios Fluminenses

11 Município Variação / 2008 Partic. na rec. total a Rec. total a per capita mil - IPCA médio de em % Nova Friburgo , , , , , ,0-2,1 0, , Nova Iguaçu , , , , , ,2 0,3 2,7 828, Paracambi , , , , , ,6-6,9 0, , Paraíba do Sul , , , ,4-11,7 0, , Paraty , , , , , ,4 17,6 0, , Paty do Alferes , , , , , ,0-5,3 0, , Petrópolis , , , , , ,3 38,3 2, , Pinheiral , , , , , ,3-9,0 0, , Piraí , , , , , ,1 0,0 0, , Porciúncula , , , , , ,9 6,0 0, , Porto Real , , , , , ,3-6,4 0, , Quatis , , , , , ,5 14,8 0, , Queimados , , , , , ,4-1,9 0,4 711, Quissamã , , , , , ,0-29,2 0, , Resende , , , , , ,8-5,1 0, , Rio Bonito , , , , , ,7-10,5 0, , Rio Claro , , , , , ,0 5,7 0, , Rio das Flores , , , , , ,4 29,9 0, , Rio das Ostras , , , , , ,0-24,0 1, , Santa Maria Madalena , , , , , ,7-4,8 0, , Santo Antônio de Pádua , , , , , ,4 3,6 0, , São Fidélis , , , , , ,6-5,3 0, , São Francisco de Itabapoana , , , , , ,6-4,4 0, , São Gonçalo , , , , , ,2 15,3 2,0 545, São João da Barra , , , , , ,9 3,9 0, , São João de Meriti , , , , , ,2 5,5 1,0 593, São José de Ubá , , , , , ,0 1,4 0, , São José do Vale do Rio Preto , , , , , ,3-5,8 0, , São Pedro da Aldeia , , , , , ,6-21,8 0,3 904, São Sebastião do Alto , , , , , ,5-7,4 0, , Sapucaia , , , , , ,5 7,2 0, , Saquarema , , , , , ,1-2,5 0, , Seropédica , , , , , ,7 1,7 0, , Silva Jardim , , , , , ,0 1,1 0, , Sumidouro , , , , , ,5-9,7 0, , Tanguá , , , , ,8-19,4 0, , Teresópolis , , , , , ,7 0,0 0, , Trajano de Moraes , , , , , ,5-10,1 0, , Três Rios , , , , , ,9-13,6 0, , Valença , , , , , ,8 9,1 0, , Varre-Sai , , , , , ,2-14,0 0, , Vassouras , , , , , ,7-7,1 0, , Volta Redonda , , , , , ,2-1,5 2, , Interior , , , , , ,7-5,6 56, , Rio de Janeiro , , , , , ,5 1,5 43, , Total , , , , , ,2-2,6 100, ,19 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a receita total ajustada dos efeitos da conta Fundef / Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). 9 panorama das finanças

12 ranking Receita total a Valores absolutos Posição Municípios Receita total a Posição Municípios Receita total a 1º Rio de Janeiro º Campos dos Goytacazes º Duque de Caxias º Macaé º Niterói º Nova Iguaçu º Petrópolis º São Gonçalo º Volta Redonda º Angra dos Reis º Rio das Ostras º Cabo Frio º Belford Roxo º São João de Meriti º Itaboraí º Barra Mansa º Itaguaí º Magé º Nova Friburgo º Teresópolis º São João da Barra º Resende º Quissamã º Itaperuna º Mangaratiba º Maricá º Casimiro de Abreu º Nilópolis º Mesquita º Paraty º Araruama º Barra do Piraí º Cachoeiras de Macacu º Armação dos Búzios º Piraí º Queimados º Saquarema º Japeri º Seropédica º Guapimirim º Porto Real º Valença º Rio Bonito º Três Rios º São Pedro da Aldeia º Paracambi º Silva Jardim º Vassouras º São Francisco de Itabapoana º Itatiaia º Santo Antônio de Pádua º Paraíba do Sul º Carapebus º São Fidélis º Arraial do Cabo º Cantagalo º Bom Jesus do Itabapoana º Rio Claro º Miguel Pereira º Paty do Alferes º Iguaba Grande º Miracema º Bom Jardim º Tanguá º Conceição de Macabu º Carmo º Sapucaia º Itaocara º Pinheiral º Natividade º São José do Vale do Rio Preto º Porciúncula º Sumidouro º Rio das Flores º Cordeiro º Quatis º Cambuci º Santa Maria Madalena º Mendes º Duas Barras º Italva º Engenheiro Paulo de Frontin º Areal º São Sebastião do Alto º Cardoso Moreira º Aperibé º Trajano de Moraes º São José de Ubá º Laje do Muriaé º Comendador Levy Gasparian º Varre-Sai º Macuco Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a receita total ajustada dos efeitos da conta Fundef (ver Nota metodológica, na página 2). 10 Finanças dos Municípios Fluminenses

13 Valores per capita Posição Municípios Rec. total a per capita Receita total a 1º Quissamã º São João da Barra º Macaé º Porto Real º Casimiro de Abreu º Mangaratiba º Carapebus º Rio das Ostras º Piraí º Armação dos Búzios º Rio das Flores º Paraty º Macuco º Campos dos Goytacazes º Silva Jardim º São José de Ubá º Angra dos Reis º Santa Maria Madalena º Laje do Muriaé º São Sebastião do Alto º Duas Barras º Rio Claro º Aperibé º Quatis º Cantagalo º Comendador Levy Gasparian º Varre-Sai º Natividade º Itaguaí º Trajano de Moraes º Sapucaia º Areal º Carmo º Sumidouro º Petrópolis º Cambuci º Cabo Frio º Volta Redonda º Engenheiro Paulo de Frontin º Cachoeiras de Macacu º Rio de Janeiro º Cardoso Moreira º Iguaba Grande º Conceição de Macabu º Niterói º Vassouras Rec. total a per capita Receita total a Posição Municípios 47º Italva º Porciúncula º Arraial do Cabo º Miguel Pereira º Guapimirim º Paty do Alferes º Itatiaia º Itaocara º Resende º São José do Vale do Rio Preto º Pinheiral º Miracema º Mendes º Bom Jardim º Paracambi º Itaperuna º Cordeiro º Saquarema º Rio Bonito º Santo Antônio de Pádua º Duque de Caxias º Barra Mansa º Teresópolis º São Francisco de Itabapoana º Bom Jesus do Itabapoana º Paraíba do Sul º São Fidélis º Tanguá º Nova Friburgo º Barra do Piraí º Araruama º Maricá º Seropédica º Valença º Itaboraí º Três Rios º Magé º São Pedro da Aldeia º Japeri º Nilópolis º Nova Iguaçu º Queimados º Mesquita º Belford Roxo º São João de Meriti º São Gonçalo Total panorama das finanças Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a receita total ajustada dos efeitos da conta Fundef (ver Nota metodológica, na página 2).

14 Composição Despesa total Município Pessoal Custeio Investimentos em % Juros e amortizações da dívida Angra dos Reis 51,4 37,4 9,9 1,3 100, Aperibé 44,9 35,2 18,5 1,4 100, Araruama 58,6 35,0 1,8 4,7 100, Areal 50,0 44,1 3,7 2,2 100, Armação dos Búzios 55,6 34,9 4,0 5,5 100, Arraial do Cabo 55,5 40,8 1,0 2,7 100, Barra do Piraí 45,0 45,5 6,4 3,1 100, Barra Mansa 40,6 39,4 17,0 3,0 100, Belford Roxo 54,7 40,1 2,6 2,6 100, Bom Jardim 51,7 39,9 5,4 3,0 100, Bom Jesus do Itabapoana 60,8 33,6 3,7 1,8 100, Cabo Frio 53,1 40,9 5,0 1,0 100, Cachoeiras de Macacu 47,6 42,4 8,6 1,5 100, Cambuci 51,0 36,6 9,2 3,2 100, Campos dos Goytacazes 47,9 35,5 14,7 2,0 100, Cantagalo 60,1 29,9 8,8 1,2 100, Carapebus 54,3 42,9 1,7 1,1 100, Cardoso Moreira 56,6 33,9 5,2 4,3 100, Carmo 51,2 42,3 4,4 2,2 100, Casimiro de Abreu 49,2 45,2 5,0 0,6 100, Comendador Levy Gasparian 58,8 35,9 3,1 2,3 100, Conceição de Macabu 55,4 32,5 7,1 5,0 100, Cordeiro 42,7 54,2 2,5 0,5 100, Duas Barras 53,3 36,5 9,7 0,5 100, Duque de Caxias 55,9 36,6 4,5 3,0 100, Engenheiro Paulo de Frontin 40,0 51,9 7,7 0,4 100, Guapimirim 42,3 50,3 7,4 0,0 100, Iguaba Grande 57,6 34,9 4,9 2,6 100, Itaboraí 50,3 38,4 9,3 2,0 100, Itaguaí 49,9 33,3 15,7 1,2 100, Italva 65,0 29,3 3,6 2,1 100, Itaocara 49,9 40,0 6,7 3,3 100, Itaperuna 33,4 59,0 6,9 0,8 100, Itatiaia 57,8 39,8 1,1 1,2 100, Japeri 50,7 35,1 13,5 0,8 100, Laje do Muriaé 50,6 41,2 6,6 1,7 100, Macaé 41,4 39,8 17,2 1,5 100, Macuco 41,0 38,2 19,2 1,5 100, Magé 46,3 36,5 17,0 0,2 100, Mangaratiba 49,8 40,9 8,5 0,9 100, Maricá 52,2 40,3 5,5 2,0 100, Mendes 51,4 41,4 6,9 0,3 100, Mesquita 51,1 33,5 14,6 0,8 100, Miguel Pereira 60,0 37,1 1,5 1,4 100, Miracema 51,6 39,9 5,4 3,1 100, Natividade 49,4 44,3 3,4 2,9 100, Nilópolis 57,2 23,1 17,6 2,1 100, Niterói 55,5 37,9 5,2 1,3 100,0 Total a 12 Finanças dos Municípios Fluminenses

15 Juros e amortizações Pessoal Custeio Investimentos Município da dívida Total a em % Nova Friburgo 53,3 33,2 11,9 1,6 100, Nova Iguaçu 33,4 39,0 24,3 3,2 100, Paracambi 38,7 57,9 1,4 2,0 100, Paraíba do Sul 46,5 44,2 8,3 1,1 100, Paraty 36,0 42,7 20,5 0,8 100, Paty do Alferes 57,6 39,5 2,8 0,1 100, Petrópolis 52,0 44,8 1,4 1,9 100, Pinheiral 57,5 33,1 6,2 3,3 100, Piraí 49,0 35,1 15,5 0,5 100, Porciúncula 57,6 36,3 6,2 0,0 100, Porto Real 35,0 53,4 9,0 2,5 100, Quatis 41,9 53,0 3,4 1,6 100, Queimados 54,3 34,6 11,1 0,0 100, Quissamã 39,5 53,7 6,8 0,0 100, Resende 52,1 38,2 5,2 4,5 100, Rio Bonito 50,8 42,1 5,1 2,0 100, Rio Claro 59,2 31,0 5,3 4,5 100, Rio das Flores 42,4 31,4 23,7 2,5 100, Rio das Ostras 36,8 50,2 12,6 0,4 100, Santa Maria Madalena 51,9 40,5 5,1 2,5 100, Santo Antônio de Pádua 52,4 34,9 10,5 2,3 100, São Fidélis 54,3 38,0 2,4 5,3 100, São Francisco de Itabapoana 57,7 36,5 5,0 0,7 100, São Gonçalo 49,0 42,2 6,5 2,3 100, São João da Barra 20,7 38,1 39,5 1,8 100, São João de Meriti 58,3 31,8 7,5 2,3 100, São José de Ubá 37,3 47,0 15,1 0,5 100, São José do Vale do Rio Preto 59,1 34,2 4,4 2,3 100, São Pedro da Aldeia 59,5 32,7 3,6 4,2 100, São Sebastião do Alto 53,4 41,5 3,8 1,4 100, Sapucaia 56,4 34,2 7,5 1,9 100, Saquarema 52,6 31,7 11,0 4,7 100, Seropédica 51,6 42,2 5,2 1,0 100, Silva Jardim 48,9 38,1 11,1 1,9 100, Sumidouro 64,7 28,8 5,2 1,2 100, Tanguá 49,2 38,8 11,4 0,6 100, Teresópolis 57,3 38,7 4,0 0,0 100, Trajano de Moraes 57,1 35,4 5,2 2,3 100, Três Rios 49,9 36,4 9,4 4,3 100, Valença 50,3 45,9 2,0 1,8 100, Varre-Sai 54,2 37,7 5,2 2,9 100, Vassouras 49,6 43,6 5,2 1,6 100, Volta Redonda 39,6 44,1 14,3 2,0 100, Interior 48,2 39,3 10,5 1,9 100, Rio de Janeiro 57,3 28,3 4,5 9,8 100, Total 52,1 34,7 8,0 5,3 100,0 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a despesa total ajustada dos efeitos da conta Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). 13 panorama das finanças

16 evolução Despesa total a Município Variação / 2008 mil - IPCA médio de em % Partic. na desp. total a Desp. total a per capita Angra dos Reis , , , , , ,5-1,0 2, , Aperibé , , , , ,2 50,0 0, , Araruama , , , , , ,1 3,1 0, , Areal , , , , , ,2-4,3 0, , Armação dos Búzios , , , , , ,6-14,8 0, , Arraial do Cabo , , , , , ,3 1,3 0, , Barra do Piraí , , , , , ,0 6,0 0,4 901, Barra Mansa , , , , , ,1 16,0 1, , Belford Roxo , , , , , ,1-3,3 1,2 630, Bom Jardim , , , , , ,5 1,0 0, , Bom Jesus do Itabapoana , , , , , ,2 1,5 0, , Cabo Frio , , , , , ,2-20,4 1, , Cachoeiras de Macacu , , , , , ,1 24,2 0, , Cambuci , , , , ,3 4,8 0, , Campos dos Goytacazes , , , , , ,0-30,7 4, , Cantagalo , , , , , ,6 1,7 0, , Carapebus , , , , , ,9-13,3 0, , Cardoso Moreira , , , , , ,0-12,0 0, , Carmo , , , , , ,7 0,8 0, , Casimiro de Abreu , , , , , ,5-17,4 0, , Comendador Levy Gasparian , , , , , ,3-7,1 0, , Conceição de Macabu , , , , , ,7-3,0 0, , Cordeiro , , , , , ,0 10,6 0, , Duas Barras , , , , , ,1-1,3 0, , Duque de Caxias , , , , , ,4-12,3 4, , Engenheiro Paulo de Frontin , , , , , ,2-5,6 0, , Guapimirim , , , , ,0-12,1 0, , Iguaba Grande , , , , , ,3 2,4 0, , Itaboraí , , , , , ,3 16,5 1, , Itaguaí , , , , , ,2 9,4 1, , Italva , , , , , ,1 12,0 0, , Itaocara , , , , , ,1-5,7 0, , Itaperuna , , , , , ,1 11,8 0, , Itatiaia , , , , , ,3-5,9 0, , Japeri , , , , , ,9 0,5 0,3 790, Laje do Muriaé , , , , , ,0 11,6 0, , Macaé , , , , , ,6-1,9 4, , Macuco , , , , , ,3-0,1 0, , Magé , , , , , ,2 27,2 1, , Mangaratiba , , , , , ,8-5,1 0, , Maricá , , , , , ,5 5,5 0, , Mendes , , , , , ,3-2,9 0, , Mesquita , , , , , ,7 15,6 0,5 680, Miguel Pereira , , , , , ,3-8,5 0, , Miracema , , , , , ,6 0,1 0, , Natividade , , , , , ,6 0,0 0, , Nilópolis , , , , , ,7 7,3 0,5 867, Niterói , , , , , ,8-3,7 3, ,35 14 Finanças dos Municípios Fluminenses

17 Município Variação / 2008 mil - IPCA médio de em % Partic. na desp. total a Desp. total a per capita Nova Friburgo , , , , , ,8 4,0 0, , Nova Iguaçu , , , , , ,7 6,9 3,0 872, Paracambi , , , , , ,0-5,9 0, , Paraíba do Sul , , , ,3 1,9 0, , Paraty , , , , , ,5 38,0 0, , Paty do Alferes , , , , , ,6-9,1 0, , Petrópolis , , , , , ,9-8,1 1, , Pinheiral , , , , , ,4-10,4 0, , Piraí , , , , , ,3 16,8 0, , Porciúncula , , , , , ,9-5,7 0, , Porto Real , , , , , ,9 7,1 0, , Quatis , , , , , ,9-8,3 0, , Queimados , , , , , ,4-8,5 0,3 563, Quissamã , , , , , ,6-29,9 0, , Resende , , , , , ,1-9,7 0, , Rio Bonito , , , , , ,0 0,2 0, , Rio Claro , , , , , ,5-6,3 0, , Rio das Flores , , , , , ,3 22,6 0, , Rio das Ostras , , , , , ,3-20,8 1, , Santa Maria Madalena , , , , , ,9-0,3 0, , Santo Antônio de Pádua , , , , , ,3 4,3 0, , São Fidélis , , , , , ,8-10,6 0, , São Francisco de Itabapoana , , , , , ,3 6,9 0, , São Gonçalo , , , , , ,8 14,4 2,1 534, São João da Barra , , , , , ,4 73,3 1, , São João de Meriti , , , , , ,0 0,1 1,0 564, São José de Ubá , , , , , ,2 7,4 0, , São José do Vale do Rio Preto , , , , , ,7-7,6 0, , São Pedro da Aldeia , , , , , ,6 0,7 0, , São Sebastião do Alto , , , , , ,7 0,5 0, , Sapucaia , , , , , ,8 14,1 0, , Saquarema , , , , , ,9-8,9 0, , Seropédica , , , , , ,7 6,3 0, , Silva Jardim , , , , , ,2 26,5 0, , Sumidouro , , , , , ,2-10,4 0, , Tanguá , , , , ,8-0,8 0, , Teresópolis , , , , , ,6-1,7 0, , Trajano de Moraes , , , , , ,2-30,6 0, , Três Rios , , , , , ,7 16,3 0, , Valença , , , , , ,9 15,9 0, , Varre-Sai , , , , , ,3-0,6 0, , Vassouras , , , , , ,9 0,9 0, , Volta Redonda , , , , , ,8 11,0 2, , Interior , , , , , ,9-3,6 57, , Rio de Janeiro , , , , , ,1-7,9 42, , Total , , , , , ,0-5,5 100, ,02 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a despesa total ajustada dos efeitos da conta Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). 15 panorama das finanças

18 evolução Resultado orçamentário a Município Resultado orçamentário Resultado / Suficiência financeira b Rec. total 2008 mil - IPCA médio de mil em % IPCA médio de Angra dos Reis , , , , , ,3-1, , , Aperibé 3.189, , , , ,3-15, ,8-422, Araruama 2.075,5 766, , , , ,2-5, ,3 0, Areal , ,8 695, ,3-165,8 599,9 2,3 779, , Armação dos Búzios , , ,9-180,8 501, ,5-6, , , Arraial do Cabo 5.172, , , , , ,4-12,7-272,0 0, Barra do Piraí 7.931, , , , , ,8 21, , , Barra Mansa 2.353, , , , , ,3-24, , , Belford Roxo 9.468, , , , , ,6 1, , , Bom Jardim 616, , , , ,0-310,8-0, , , Bom Jesus do Itabapoana 1.022, ,6 210, , ,2-11,5 0,0 573,6 599, Cabo Frio 7.902, , , , , ,8 1, , , Cachoeiras de Macacu 4.933, , , , , ,1 6, , , Cambuci 981, , , , ,9 6, , , Campos dos Goytacazes , , , , , ,6 21,4 0, , Cantagalo ,9 424, , , , ,2-3, , , Carapebus , , , , , ,6-9, ,7 0, Cardoso Moreira 2.365, , , , , ,5-10, ,1 0, Carmo -436, , , , , ,6 6, , , Casimiro de Abreu 1.945, , , , , ,7 10, , , Comendador Levy Gasparian 485, , , ,1 741,7 261,5 1,3 247,9 312, Conceição de Macabu , , , , , ,3 10, , , Cordeiro 5.253,1 72, , , ,3-147,8-0, , , Duas Barras 2.656, , , , ,8 260,2 0, , , Duque de Caxias , , , , , ,4 0, , , Engenheiro Paulo de Frontin 477,9 111, ,2 399,3 974,8 300,0 1, , , Guapimirim , , , , ,4 3,7 0, , Iguaba Grande 3.142, ,5 414, , , ,3 7, , , Itaboraí , , , , , ,0 0, , , Itaguaí 5.336, ,6 436, , , ,5-10, , , Italva 969, , , , , ,4-4, , , Itaocara , , , , , ,8 9, , , Itaperuna ,4 775, , , , ,1-2, , , Itatiaia 1.344, , , , , ,9 7,3 0, , Japeri 5.710, ,2-699, , , ,6 12, , , Laje do Muriaé -340,7-472,6-589, , , ,1 9, , , Macaé , , , , , ,5 5, , , Macuco 1.806,1-711,3 841, , , ,8-5,2 992,9-261, Magé , , , , , ,7-7, , , Mangaratiba 1.727, ,4 988, , , ,6 2, , , Maricá 9.927,2-732, , , , ,1 9, , , Mendes , , ,0-484,4 134, ,5-10, ,8-574, Mesquita , , , , , ,3 1, , , Miguel Pereira 2.343,2 570, , ,2-509, ,8 4, , , Miracema 4.741, , , , ,5-239,0-0, , , Natividade 3.236, , ,5-153, , ,9 8, , , Nilópolis 5.014,5 344, , , , ,3-1, , , Niterói ,0 894, , , , ,5-1, , ,8 16 Finanças dos Municípios Fluminenses

19 Resultado orçamentário Resultado / Suficiência financeira b Município Rec. total 2008 mil - IPCA médio de mil em % IPCA médio de Nova Friburgo 5.449, ,5-470, , , ,8-1, , , Nova Iguaçu , , , , , ,5-5, , , Paracambi ,1-328, , ,2-994, ,3-2, , , Paraíba do Sul , , , ,0 4,1 0,0 0, Paraty 1.690,4 382, , , , ,9 5, , , Paty do Alferes 1.168, , , , , ,4 9, , , Petrópolis , , , , , ,4 32, , , Pinheiral 2.053, ,4 134, ,0 42,1 587,9 1, , , Piraí , , , , ,1 1,7 0, , , Porciúncula 2.276, , , , ,0-415,9-1, ,6 236, Porto Real 1.769,3 939, ,4-49, , ,6-5, , , Quatis ,0 980, , , , ,6 10, , , Queimados , ,3 71, , , ,0 20, , , Quissamã , , , , , ,6-3, ,6 157, Resende , , , , , ,7 7, , , Rio Bonito 1.824, , ,3-893,3 900, ,2-10,8 981,8 167, Rio Claro 531,6-394, , , , ,4 7, , , Rio das Flores 4.981, ,9-451, ,8 190, ,1 6,3 549,6-253, Rio das Ostras , , , , , ,7 1, , , Santa Maria Madalena 590,2-130, , , ,1 368,8 1,3-236,3 116, Santo Antônio de Pádua 1.494,0-587, ,8 528, , ,1 4, , , São Fidélis 6.646, ,9 730, , , ,8 8, , , São Francisco de Itabapoana -374, ,7-527, , , ,7-7,6 759, , São Gonçalo , , , , , ,4 2, , , São João da Barra , ,3 152, , , ,4-31, ,4 0, São João de Meriti , , , ,4-751, ,2 4, , , São José de Ubá 4.071, ,7-642,8 330, , ,8 4, , , São José do Vale do Rio Preto , , ,5-902,0 616, ,7 3, , , São Pedro da Aldeia 1.861, , ,0-786, , ,0-19, , , São Sebastião do Alto -4, ,4 696, , ,7 211,8 0, , , Sapucaia 1.166,1-520,9 965, , ,0 305,7 0, , , Saquarema 600, , , , ,8 943,2 1, , , Seropédica 3.868, , , , , ,0-1, , , Silva Jardim 68, , , , , ,8 8,0 0, , Sumidouro 2.472, , , , , ,3 14, , , Tanguá 1.865, ,8-15, , ,0-2, ,5 100, Teresópolis , , , , , ,9-1, , , Trajano de Moraes 1.512, ,9 959,4 526,9 660, ,2 25, ,5 795, Três Rios 2.214, , ,0-499, , ,8-22,6-261, , Valença 9.405, , ,1 950,5-805, ,1-7, , , Varre-Sai ,4-301,0 195, , , ,1-6, , , Vassouras , , ,5-676, , ,7 9, , , Volta Redonda 7.188, , , , , ,6-10, , , Interior , , , , , ,8 2, , , Rio de Janeiro , , , , , ,5 7, , , Total , , , , , ,2 5, , ,9 Fonte: elaborado a partir de dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a equivale à receita total menos a despesa total, ajustadas dos efeitos da conta Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). b equivale ao ativo financeiro menos o passivo financeiro. 17 panorama das finanças

20 Quadro comparativo dos principais itens da receita e despesa - Municípios Juros e amort. Tributos FPM a ICMS a Receita total b Pessoal c Custeio d Investimento e Despesa total da dívida f b g Angra dos Reis Aperibé Araruama Areal Armação dos Búzios Arraial do Cabo Barra do Piraí Barra Mansa Belford Roxo Bom Jardim Bom Jesus do Itabapoana Cabo Frio Cachoeiras de Macacu Cambuci Campos dos Goytacazes Cantagalo Carapebus Cardoso Moreira Carmo Casimiro de Abreu Comendador Levy Gasparian Conceição de Macabu Cordeiro Duas Barras Duque de Caxias Engenheiro Paulo de Frontin Guapimirim Iguaba Grande Itaboraí Itaguaí Italva Itaocara Itaperuna Itatiaia Japeri Laje do Muriaé Macaé Macuco Magé Mangaratiba Maricá Mendes Mesquita Miguel Pereira Miracema Natividade Nilópolis Niterói Finanças dos Municípios Fluminenses

21 Juros e amort. Tributos FPM a ICMS a Receita total b Pessoal c Custeio d Investimento e Despesa total da dívida f b g Municípios Nova Friburgo Nova Iguaçu Paracambi Paraíba do Sul Paraty Paty do Alferes Petrópolis Pinheiral Piraí Porciúncula Porto Real Quatis Queimados Quissamã Resende Rio Bonito Rio Claro Rio das Flores Rio das Ostras Rio de Janeiro Santa Maria Madalena Santo Antônio de Pádua São Fidélis São Francisco de Itabapoana São Gonçalo São João da Barra São João de Meriti São José de Ubá São José do Vale do Rio Preto São Pedro da Aldeia São Sebastião do Alto Sapucaia Saquarema Seropédica Silva Jardim Sumidouro Tanguá Teresópolis Trajano de Moraes Três Rios Valença Varre-Sai Vassouras Volta Redonda Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ). Notas: a Valores brutos de FPM e QPM-ICMS (sem o desconto de 20% para o Fundeb). b Receita total e despesa total ajustadas dos efeitos do Fundeb conforme explicação na nota metodológica, na página 2. c Despesas com pessoal incluem gastos com encargos, inativos, pensionistas e salários-família. d Despesa de custeio abrange toda a despesa corrente, exceto as de pessoal e encargos, inativos, pensionistas, salários-família e pagamentos de juros. e Investimentos são toda a despesa de capital, exceto as amortizações com a dívida. f Incluem encargos e amortizações da dívida. g Estimativa populacional de do IBGE. 19 panorama das finanças

22 Quadro comparativo dos principais itens da receita e despesa per capita - Municípios Juros e amort. Tributos FPM a ICMS a Receita total b Pessoal c Custeio d Investimento e Despesa total da dívida f b g Angra dos Reis Aperibé Araruama Areal Armação dos Búzios Arraial do Cabo Barra do Piraí Barra Mansa Belford Roxo Bom Jardim Bom Jesus do Itabapoana Cabo Frio Cachoeiras de Macacu Cambuci Campos dos Goytacazes Cantagalo Carapebus Cardoso Moreira Carmo Casimiro de Abreu Comendador Levy Gasparian Conceição de Macabu Cordeiro Duas Barras Duque de Caxias Engenheiro Paulo de Frontin Guapimirim Iguaba Grande Itaboraí Itaguaí Italva Itaocara Itaperuna Itatiaia Japeri Laje do Muriaé Macaé Macuco Magé Mangaratiba Maricá Mendes Mesquita Miguel Pereira Miracema Natividade Nilópolis Niterói Finanças dos Municípios Fluminenses

23 Juros e amort. Tributos FPM a ICMS a Receita total b Pessoal c Custeio d Investimento e Despesa total da dívida f b g Municípios Nova Friburgo Nova Iguaçu Paracambi Paraíba do Sul Paraty Paty do Alferes Petrópolis Pinheiral Piraí Porciúncula Porto Real Quatis Queimados Quissamã Resende Rio Bonito Rio Claro Rio das Flores Rio das Ostras Rio de Janeiro Santa Maria Madalena Santo Antônio de Pádua São Fidélis São Francisco de Itabapoana São Gonçalo São João da Barra São João de Meriti São José de Ubá São José do Vale do Rio Preto São Pedro da Aldeia São Sebastião do Alto Sapucaia Saquarema Seropédica Silva Jardim Sumidouro Tanguá Teresópolis Trajano de Moraes Três Rios Valença Varre-Sai Vassouras Volta Redonda Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ). Notas: a Valores brutos de FPM e QPM-ICMS (sem o desconto de 20% para o Fundeb). b Receita total e despesa total ajustadas dos efeitos do Fundeb conforme explicação na nota metodológica, na página 2. c Despesas com pessoal incluem gastos com encargos, inativos, pensionistas e salários-família. d Despesa de custeio abrange toda a despesa corrente, exceto as de pessoal e encargos, inativos, pensionistas, salários-família e pagamentos de juros. e Investimentos são toda a despesa de capital, exceto as amortizações com a dívida. f Incluem encargos e amortizações da dívida. g Estimativa populacional de do IBGE. 21 panorama das finanças

24 ICMS municipal O Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) é um tributo de arrecadação estadual, cobrado sobre as operações relativas à circulação de mercadorias, prestação de serviços, de transporte e de comunicação. Do montante arrecadado pelos estados, 25% é destinado constitucionalmente aos municípios, a chamada Quota-Parte Municipal no ICMS (QPM-ICMS). Os critérios de distribuição A Constituição Federal (art. 158) estabelece que 75% da QPM-ICMS seja distribuída de acordo com o valor adicionado em cada município. Quanto aos 25% restantes, cada Estado tem plena autonomia para estabelecer os critérios específicos de repasse aos seus próprios municípios. No Estado do Rio de Janeiro, a distribuição dos 25% da QPM-ICMS é feita segundo a Lei nº 2.664, de 27 de dezembro de 1996, que estabelece cinco critérios de divisão, cada um com um peso diferente, com base nas regiões administrativas de governo: 1) população, 2) área geográfica, 3) receita tributária própria, 4) cota mínima, 5) ajuste econômico, e 6) conservação ambiental. Os municípios são agrupados nas seguintes regiões: Capital, Metropolitana, Noroeste, Norte, Serrana, Baixadas Litorâneas, Médio Paraíba, Centro-Sul e Litoral Sul Fluminense. Cada um participa proporcionalmente dos recursos reservados para sua região em cada um dos critérios. Desempenho A crise financeira internacional, que eclodiu em meados de 2008, provocou uma redução nas taxas de investimento do setor privado, aliada a quedas nos níveis de exportações. Assim, os tributos cobrados sobre o consumo foram afetados de forma significativa, entre eles a arrecadação do ICMS por parte do governo estadual do Rio de Janeiro. Após um ótimo crescimento realizado no ano de 2008 (8,2%), a transferência de ICMS aos municípios fluminenses progrediu de forma tímida no ano de, chegando a R$ 4,73 bilhões, que representou um crescimento de apenas 1,8%, que é a menor taxa desde Em que pese o pequeno aumento, esse desempenho pode ser considerado bastante satisfatório, na medida em que os municípios brasileiros sofreram uma queda média de 2,7% nos repasses de ICMS efetuados pelos governos estaduais. Evolução da QPM-ICMS bilhões - IPCA médio de Taxa anual de crescimento da QPM-ICMS em relação ao ano anterior Variação do ICMS municipal no Rio de Janeiro e no Brasil Em, Macaé, Duque de Caxias e Volta Redonda foram os municípios com maior crescimento da receita de transferências de ICMS, em termos absolutos. Em Macaé, o aumento foi de R$ 22,5 milhões, devido à mudança no Índice de Participação dos Municípios (IPM), que subiu de 4,213% para 4,618%. Em Duque de Caxias o acréscimo foi de R$ 21,1 milhões. Já em Volta Redonda o aumento foi de R$ 16,6 milhões. Tal crescimento se justifica pelo péssimo resultado do município do ano anterior, onde sofreu uma queda de 0,8%, enquanto a transferência total nos conjuntos dos municípios cresceu 8,2%. Angra dos Reis e Petrópolis foram outras cidades com maior incremento, que auferiram, respectivamente, R$ 9,8 milhões e R$ 8,4 milhões. 22 Finanças dos Municípios Fluminenses

25 Em termos percentuais, Mesquita foi o município com a maior alta, 38,7%, o que representou um acréscimo de R$ 6 milhões de ICMS aos cofres do município. Quatis (22,8%) e Porciúncula (20,8%) também registraram altas taxas de crescimento, e um aumento monetário de R$ 1,8 milhão e R$ 1,7 milhão, respectivamente. No outro extremo, Itaguaí foi o município com a maior queda, tanto em termos percentuais como em valores absolutos. A queda de 40,8% resultou em menos R$ 26,1 milhões na receita do município. Foi o segundo ano consecutivo que o município lidera o ranking negativamente, mais uma vez ocasionado por queda no IPM. Mangaratiba (-8,1%), São João de Mereti (-6,1%), Itaboraí (-5,2%) e Barra Mansa (-5,1%) acusaram as maiores reduções percentuais, sendo que, em valores absolutos, a receita reduziu entre R$ 1,3 milhão e R$ 4 milhões. Peso orçamentário A receita da QPM-ICMS tende a possuir maior importância nos municípios de menor população, onde a arrecadação própria é proporcionalmente menor. Em 27 municípios, a QPM-ICMS foi maior que o somatório dos tributos municipais, royalties e Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Já em 75 municípios, a QPM-ICMS foi maior que a arrecadação dos tributos. Nas cidades menores, com até 25 mil habitantes, a transferência da QPM-ICMS respondeu por 38,2% da receita total. Em quatro municípios correspondeu por mais de 50% da receita: Porto Real (74,5%), Trajano de Moraes (61,2%), Santa Maria Madalena (54,1%) e Cardoso Moreira (50,9%). Em outros nove municípios, a participação da QPM-ICMS ficou na casa de 40%. Em Queimados, a transferência da QPM-ICMS representou 20,9% da receita total. Vale destacar que a área industrial da cidade foi enquadrada entre as beneficiárias pela Lei Estadual nº 5.636, de 6 de janeiro de 2010, que reduz de 19% para 2% a alíquota do imposto para as novas empresas que se instalarem nos municípios beneficiados. O objetivo principal da Lei é estimular a atração de novas indústrias e a criação de empregos nas cidades mais pobres do Estado. Com isso, a tendência é um progressivo aumento da transferência da QPM-ICMS aos municípios enquadrados na Lei, entre eles Queimados. ICMS per capita Os municípios do Rio de Janeiro receberam, em média, R$ 295,54 por habitante. Os maiores valores foram em Porto Real (R$3.906,10) e Quissamã (R$2.784,35). Incluídos esses, 17 municípios tiveram receita per capita acima de R$ 1.000,00, sendo quatro pertencentes à Bacia de Campos, diretamente relacionados a atividades de petróleo e gás natural (Quissamã, Carapebus, Casimiro de Abreu e Macaé). Essas atividades geram alto valor adicionado, principal critério de distribuição do ICMS. No sentido oposto, 28 cidades receberam uma QPM-ICMS per capita menor que a média do conjunto dos municípios. Os menores foram São João do Meriti (R$ 87,16), Magé (R$ 92,65), São Gonçalo (R$ 97,21), Itaboraí (R$ 105,71), Nova Iguaçu (R$ 107,42), Nilópolis (R$ 112,06), Mesquita (R$ 113,29), Belford Roxo (R$ 118,52), Maricá (R$ 131,37) e Queimados (R$ 148,52). Todas cidades de grande porte, com baixo dinamismo econômico e situadas no entorno da capital. 23 receita Critérios para distribuição da QPM-ICMS no Estado do Rio de Janeiro 1. Valor adicionado (VA) Área geográfica 4. Receita própria Critérios Relação proporcional entre o VA do município e o VA total dos municípios do Estado, de dois anos anteriores ao da apuração. Dados levantados pela Secretaria da Fazenda Estadual. Relação proporcional entre a população residente no município e a população total da respectiva região do Estado, medida segundo dados fornecidos pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Relação percentual entre a área geográfica do município e a área total da respectiva região, informada pela Fundação Centro de Informações e Dados do Rio de Janeiro (CIDE). Relação proporcional entre a receita própria do município oriunda de tributos de sua competência e a arrecadação do ICMS no município, baseada em dados relativos ao ano civil imediatamente anterior, fornecidos pelo Tribunal de Contas do Estado. Pesos a partir de ,00% 75,00% 75,00% 75,00% 6,94% 6,48% 6,11% 5,79% 7,70% 7,19% 6,79% 6,43% 0,45% 0,42% 0,40% 0,38% 5. Cota mínima Parcela a ser distribuída em igual valor para todos os municípios de uma mesma região. 8,18% 8,18% 8,18% 8,18% 6. Ajuste econômico Percentual a ser distribuído entre os municípios de uma mesma região, proporcionalmente à soma inversa dos índices de, Área e Valor Adicionado de cada município em relação ao total da região. 1,73% 1,73% 1,73% 1,73% 7. Conservação ambiental Implantado de forma progressiva pela Lei nº 5.100/2007, os percentuais são calculados anualmente pela Fundação CIDE. - 1,00% 1,80% 2,50% Fonte: Lei nº 2.664/1996 e Decreto nº /2008.

26 evolução ICMS municipal a Município Variação / 2008 mil - IPCA médio de em % Partic. na rec. total b QPM-ICMS per capita Angra dos Reis , , , , , ,0 5,2 40, , Aperibé 7.398, , , , ,3 1,7 37,0 892, Araruama , , , , , ,5-0,3 15,4 171, Areal 8.371, , , , , ,2 1,2 37,7 810, Armação dos Búzios , , , , , ,3 5,9 15,1 575, Arraial do Cabo 9.336, , , , , ,4-3,9 20,5 361, Barra do Piraí , , , , , ,0 4,8 17,8 204, Barra Mansa , , , , , ,9-5,1 18,4 248, Belford Roxo , , , , , ,2 1,5 18,5 118, Bom Jardim , , , , , ,6 5,6 30,5 474, Bom Jesus do Itabapoana , , , , , ,6-1,7 29,9 386, Cabo Frio , , , , , ,2 4,3 18,1 364, Cachoeiras de Macacu , , , , , ,6 9,1 20,7 404, Cambuci 9.795, , , , ,7-0,3 38,3 773, Campos dos Goytacazes , , , , , ,2 1,7 12,7 417, Cantagalo , , , , , ,4-3,7 43,4 978, Carapebus , , , , , ,9 4,8 36, , Cardoso Moreira , , , , , ,0 2,9 50,9 948, Carmo , , , , , ,0-3,8 39,3 831, Casimiro de Abreu , , , , , ,3 4,7 25, , Comendador Levy Gasparian 8.347, , , , , ,8 1,1 48, , Conceição de Macabu 9.797, , , , , ,7 13,2 31,8 590, Cordeiro 8.265, , , , , ,3 3,4 32,5 494, Duas Barras 9.791, , , , , ,9 2,5 41, , Duque de Caxias , , , , , ,3 4,7 38,8 534, Engenheiro Paulo de Frontin 8.301, , , , , ,2 1,7 37,3 749, Guapimirim , , , , ,5 12,3 15,7 269, Iguaba Grande 9.071, , , , , ,7 4,7 24,1 448, Itaboraí , , , , , ,7-5,2 9,9 105, Itaguaí , , , , , ,4-40,8 16,1 359, Italva 8.322, , , , , ,2-1,3 34,7 632, Itaocara , , , , , ,7-0,9 30,6 505, Itaperuna , , , , , ,5 2,1 17,8 273, Itatiaia , , , , , ,3 8,5 30,8 512, Japeri , , , , , ,8 2,6 17,8 160, Laje do Muriaé 7.821, , , , , ,3 0,2 41, , Macaé , , , , , ,1 11,5 19, , Macuco 8.090, , , , , ,4 3,3 45, , Magé , , , , , ,8-0,9 9,7 92, Mangaratiba 9.424, , , , , ,7-8,1 31, , Maricá , , , , , ,1-1,9 11,8 131, Mendes 8.439, , , , , ,1 1,2 34,8 546, Mesquita , , , , , ,1 38,7 16,5 113, Miguel Pereira 9.800, , , , , ,8 0,6 25,6 440, Miracema 9.340, , , , , ,9 0,1 25,0 393, Natividade 8.975, , , , , ,0 0,8 30,5 682, Nilópolis , , , , , ,9 0,1 13,1 112, Niterói , , , , , ,4 0,0 13,2 244,13 24 Finanças dos Municípios Fluminenses

27 Município Variação / 2008 Partic. na rec. total b QPM-ICMS per capita mil - IPCA médio de em % Nova Friburgo , , , , , ,6-1,6 18,6 228, Nova Iguaçu , , , , , ,0 0,9 13,0 107, Paracambi , , , , , ,5-1,4 16,2 252, Paraíba do Sul , , , ,0-1,2 29,9 379, Paraty , , , , , ,0 0,6 16,4 577, Paty do Alferes 9.944, , , , , ,7 0,8 25,4 422, Petrópolis , , , , , ,1 10,1 13,8 290, Pinheiral 8.547, , , , , ,5 1,9 27,3 436, Piraí , , , , , ,4-1,4 38, , Porciúncula 8.756, , , , , ,0 20,8 30,2 542, Porto Real , , , , , ,8 2,1 74, , Quatis 8.392, , , , , ,8 22,8 32,2 735, Queimados , , , , , ,5 12,7 20,9 148, Quissamã , , , , , ,3 5,7 32, , Resende , , , , , ,1 3,2 32,9 530, Rio Bonito , , , , , ,1-1,8 18,0 254, Rio Claro , , , , , ,0 11,0 32,3 791, Rio das Flores 9.251, , , , , ,6 5,1 32, , Rio das Ostras , , , , , ,1 10,0 9,4 384, Santa Maria Madalena , , , , , ,6 3,8 54, , Santo Antônio de Pádua , , , , , ,6-0,4 26,2 364, São Fidélis , , , , , ,5 0,7 31,2 395, São Francisco de Itabapoana , , , , , ,0 0,2 39,8 514, São Gonçalo , , , , , ,4 0,1 17,8 97, São João da Barra , , , , , ,8 1,0 9,5 672, São João de Meriti , , , , , ,8-6,1 14,7 87, São José de Ubá 7.814, , , , , ,3 1,0 43, , São José do Vale do Rio Preto 9.416, , , , , ,2 5,8 32,7 527, São Pedro da Aldeia , , , , , ,9 9,1 18,4 166, São Sebastião do Alto , , , , , ,8 1,5 48, , Sapucaia , , , , , ,7 2,7 33,0 709, Saquarema , , , , , ,8 3,1 12,9 183, Seropédica , , , , , ,7 8,4 17,1 189, Silva Jardim , , , , , ,7 8,0 22,2 683, Sumidouro , , , , , ,3-0,3 37,9 801, Tanguá 9.820, , , , ,5 2,8 26,1 329, Teresópolis , , , , , ,0 1,1 13,5 180, Trajano de Moraes , , , , , ,3 3,7 61, , Três Rios , , , , , ,8-0,2 23,0 232, Valença , , , , , ,8-3,5 22,9 250, Varre-Sai 7.522, , , , , ,2-0,6 42,3 947, Vassouras , , , , , ,0-1,5 20,3 374, Volta Redonda , , , , , ,5 10,9 32,2 649, Interior , , , , , ,5 2,8 21,6 332, Rio de Janeiro , , , , , ,5-0,5 12,6 236, Total , , , , , ,9 1,8 17,7 295,54 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a valores integrais, sem as deduções destinadas à formação do Fundef / Fundeb; b receita total ajustada dos efeitos da conta Fundef / Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). 25 receita

28 ranking ICMS municipal a Valores absolutos Posição Municípios ICMS a Posição Municípios ICMS a 1º Rio de Janeiro º Duque de Caxias º Macaé º Angra dos Reis º Campos dos Goytacazes º Volta Redonda º Niterói º São Gonçalo º Nova Iguaçu º Petrópolis º Resende º Cabo Frio º Porto Real º Belford Roxo º Quissamã º Mangaratiba º Barra Mansa º Piraí º São João de Meriti º Nova Friburgo º Itaguaí º Rio das Ostras º Casimiro de Abreu º Teresópolis º Itaperuna º São Francisco de Itabapoana º Itaboraí º Cachoeiras de Macacu º Magé º Mesquita º Barra do Piraí º Queimados º Paraty º São João da Barra º Cantagalo º Carapebus º Valença º Araruama º Itatiaia º Nilópolis º Três Rios º Armação dos Búzios º Japeri º Maricá º Santa Maria Madalena º Paraíba do Sul º São Fidélis º Santo Antônio de Pádua º Silva Jardim º Carmo º Seropédica º Rio Claro º São Pedro da Aldeia º Rio Bonito º Bom Jesus do Itabapoana º Guapimirim º Trajano de Moraes º Vassouras º Saquarema º Bom Jardim º Sapucaia º Sumidouro º Conceição de Macabu º Cardoso Moreira º Duas Barras º Cambuci º Miguel Pereira º Itaocara º Paracambi º São Sebastião do Alto º Paty do Alferes º São José do Vale do Rio Preto º Miracema º Natividade º Rio das Flores º Iguaba Grande º Tanguá º Porciúncula º Engenheiro Paulo de Frontin º Cordeiro º Pinheiral º Mendes º Arraial do Cabo º Areal º Quatis º Comendador Levy Gasparian º Italva º São José de Ubá º Macuco º Laje do Muriaé º Aperibé º Varre-Sai Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a valores integrais, sem as deduções destinadas à formação do Fundef/Fundeb. 26 Finanças dos Municípios Fluminenses

29 Valores per capita Posição Municípios ICMS a per capita ICMS a 1º Porto Real º Quissamã º Carapebus º Piraí º Macuco º Santa Maria Madalena º Mangaratiba º Trajano de Moraes º São Sebastião do Alto º São José de Ubá º Rio das Flores º Angra dos Reis º Casimiro de Abreu º Macaé º Comendador Levy Gasparian º Laje do Muriaé º Duas Barras º Cantagalo º Cardoso Moreira º Varre-Sai º Aperibé º Carmo º Areal º Sumidouro º Rio Claro º Cambuci º Engenheiro Paulo de Frontin º Quatis º Sapucaia º Silva Jardim º Natividade º São João da Barra º Volta Redonda º Italva º Conceição de Macabu º Paraty º Armação dos Búzios º Mendes º Porciúncula º Duque de Caxias º Resende º São José do Vale do Rio Preto º São Francisco de Itabapoana º Itatiaia º Itaocara º Cordeiro Posição Municípios ICMS a ICMS per capita 47º Bom Jardim º Iguaba Grande º Miguel Pereira º Pinheiral º Paty do Alferes º Campos dos Goytacazes º Cachoeiras de Macacu º São Fidélis º Miracema º Bom Jesus do Itabapoana º Rio das Ostras º Paraíba do Sul º Vassouras º Cabo Frio º Santo Antônio de Pádua º Arraial do Cabo º Itaguaí º Tanguá º Petrópolis º Itaperuna º Guapimirim º Rio Bonito º Paracambi º Valença º Barra Mansa º Niterói º Rio de Janeiro º Três Rios º Nova Friburgo º Barra do Piraí º Seropédica º Saquarema º Teresópolis º Araruama º São Pedro da Aldeia º Japeri º Queimados º Maricá º Belford Roxo º Mesquita º Nilópolis º Nova Iguaçu º Itaboraí º São Gonçalo º Magé º São João de Meriti Total receita Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a valores integrais, sem as deduções destinadas à formação do Fundef/Fundeb.

30 evolução Índices de participação dos municípios na QPM-ICMS Município a 2003 b 2004 c 2005 d 2006 e 2007 f 2008 g Angra dos Reis 2,168 2,316 2,861 3,499 3,499 3,855 4,440 4,351 4,141 4,181 4,877 4,947 Aperibé 0,183 0,183 0,181 0,180 0,180 0,180 0,179 0,179 0,180 0,180 0,176 0,185 Araruama 0,391 0,405 0,406 0,394 0,394 0,392 0,394 0,399 0,402 0,397 0,394 0,416 Areal 0,217 0,207 0,203 0,208 0,208 0,213 0,209 0,204 0,206 0,205 0,199 0,246 Armação dos Búzios 0,248 0,300 0,396 0,390 0,390 0,291 0,293 0,313 0,334 0,348 0,365 0,383 Arraial do Cabo 0,228 0,235 0,219 0,214 0,214 0,232 0,225 0,225 0,217 0,204 0,216 0,221 Barra do Piraí 0,493 0,475 0,430 0,420 0,420 0,441 0,440 0,439 0,437 0,450 0,462 0,421 Barra Mansa 1,463 1,328 1,044 0,958 0,958 0,991 1,005 0,983 0,993 0,926 0,879 0,903 Belford Roxo 1,314 1,246 1,127 1,201 1,201 1,375 1,429 1,371 1,256 1,255 1,295 1,189 Bom Jardim 0,283 0,278 0,267 0,258 0,258 0,253 0,253 0,255 0,256 0,266 0,277 0,285 Bom Jesus do Itabapoana 0,306 0,309 0,306 0,306 0,306 0,305 0,300 0,296 0,298 0,288 0,281 0,280 Cabo Frio 1,097 1,404 1,903 1,858 1,858 1,237 1,222 1,280 1,397 1,433 1,574 1,635 Cachoeiras de Macacu 0,366 0,365 0,372 0,384 0,384 0,422 0,456 0,460 0,456 0,490 0,489 0,525 Cambuci 0,244 0,243 0,238 0,242 0,242 0,247 0,251 0,251 0,249 0,240 0,233 0,223 Campos dos Goytacazes 2,994 3,736 5,025 4,910 4,910 3,342 3,310 3,494 3,820 3,822 4,091 4,250 Cantagalo 0,667 0,630 0,583 0,595 0,595 0,592 0,555 0,490 0,442 0,429 0,454 0,489 Carapebus 0,311 0,366 0,493 0,486 0,486 0,355 0,343 0,366 0,392 0,404 0,416 0,424 Cardoso Moreira 0,250 0,254 0,256 0,253 0,253 0,248 0,249 0,247 0,247 0,250 0,252 0,236 Carmo 0,323 0,310 0,302 0,307 0,307 0,327 0,340 0,347 0,334 0,316 0,322 0,292 Casimiro de Abreu 0,502 0,677 0,979 0,959 0,959 0,610 0,605 0,645 0,708 0,729 0,832 0,861 Comendador Levy Gasparian 0,211 0,208 0,203 0,203 0,203 0,203 0,204 0,202 0,204 0,203 0,201 0,212 Conceição de Macabu 0,238 0,247 0,245 0,240 0,240 0,234 0,235 0,234 0,236 0,258 0,270 0,279 Cordeiro 0,209 0,207 0,202 0,201 0,201 0,200 0,199 0,202 0,203 0,208 0,210 0,211 Duas Barras 0,241 0,245 0,240 0,238 0,238 0,234 0,234 0,236 0,241 0,243 0,238 0,243 Duque de Caxias 6,461 6,453 7,265 7,365 7,365 9,173 8,552 8,647 9,569 9,853 9,321 8,916 Engenheiro Paulo de Frontin 0,210 0,207 0,202 0,202 0,202 0,203 0,204 0,204 0,209 0,209 0,204 0,208 Guapimirim 0,306 0,282 0,271 0,263 0,263 0,252 0,255 0,255 0,257 0,284 0,295 0,315 Iguaba Grande 0,202 0,204 0,218 0,215 0,215 0,211 0,208 0,209 0,215 0,250 0,240 0,248 Itaboraí 0,575 0,592 0,557 0,514 0,514 0,524 0,530 0,546 0,548 0,510 0,482 0,478 Itaguaí 0,728 0,744 0,719 0,761 0,761 1,200 1,819 1,888 1,370 1,168 0,544 0,766 Italva 0,212 0,208 0,204 0,203 0,203 0,200 0,201 0,202 0,202 0,196 0,197 0,192 Itaocara 0,260 0,268 0,252 0,245 0,245 0,241 0,238 0,241 0,246 0,239 0,232 0,230 Itaperuna 0,586 0,600 0,582 0,552 0,552 0,544 0,552 0,552 0,558 0,563 0,520 0,501 Itatiaia 0,540 0,603 0,568 0,440 0,440 0,615 0,580 0,387 0,373 0,401 0,410 0,409 Japeri 0,234 0,229 0,238 0,250 0,250 0,275 0,308 0,310 0,341 0,350 0,368 0,334 Laje do Muriaé 0,188 0,189 0,191 0,189 0,189 0,189 0,187 0,185 0,185 0,182 0,179 0,192 Macaé 1,614 2,234 3,259 3,292 3,292 3,005 3,184 3,643 4,213 4,618 5,097 5,206 Macuco 0,196 0,191 0,189 0,190 0,190 0,190 0,192 0,193 0,192 0,190 0,199 0,202 Magé 0,547 0,545 0,518 0,517 0,517 0,496 0,482 0,484 0,490 0,478 0,496 0,500 Mangaratiba 0,269 0,278 0,283 0,277 0,277 0,276 0,717 1,216 1,099 1,001 0,628 0,471 Maricá 0,316 0,319 0,332 0,325 0,325 0,334 0,337 0,351 0,355 0,342 0,328 0,321 Mendes 0,211 0,211 0,205 0,204 0,204 0,204 0,204 0,202 0,207 0,206 0,207 0,205 Mesquita 0,254 0,293 0,284 0,342 0,342 0,386 0,399 0,400 0,408 0,455 0,505 0,518 Miguel Pereira 0,235 0,235 0,236 0,237 0,237 0,242 0,243 0,241 0,243 0,243 0,255 0,260 Miracema 0,228 0,228 0,228 0,226 0,226 0,226 0,224 0,223 0,226 0,223 0,213 0,224 Natividade 0,220 0,221 0,217 0,217 0,217 0,218 0,219 0,219 0,224 0,222 0,218 0,214 Nilópolis 0,400 0,399 0,385 0,388 0,388 0,381 0,367 0,368 0,383 0,377 0,362 0,375 Niterói 2,123 2,104 1,974 1,978 1,978 2,259 2,681 2,857 2,508 2,470 2,387 2,325 Nova Friburgo 1,086 1,034 0,953 0,915 0,915 0,880 0,861 0,862 0,891 0,862 0,814 0, Finanças dos Municípios Fluminenses

31 Município a 2003 b 2004 c 2005 d 2006 e 2007 f 2008 g Nova Iguaçu 1,923 1,956 1,973 1,917 1,917 1,957 1,947 1,945 1,976 1,962 1,935 2,020 Paracambi 0,240 0,238 0,248 0,249 0,249 0,260 0,247 0,247 0,247 0,240 0,245 0,222 Paraíba do Sul 0,305 0,306 0,302 0,303 0,303 0,312 0,324 0,338 0,344 0,334 0,320 0,319 Paraty 0,290 0,298 0,301 0,299 0,299 0,297 0,378 0,394 0,393 0,400 0,387 0,373 Paty do Alferes 0,234 0,232 0,242 0,954 0,954 0,245 0,241 0,238 0,236 0,239 0,231 0,235 Petrópolis 1,627 1,654 1,492 1,373 1,373 1,315 1,455 1,641 1,761 1,936 1,964 2,087 Pinheiral 0,202 0,204 0,206 0,206 0,206 0,211 0,209 0,209 0,206 0,206 0,213 0,224 Piraí 0,951 0,943 0,835 0,797 0,797 0,917 0,904 0,901 0,899 0,872 0,794 0,667 Porciúncula 0,210 0,211 0,215 0,212 0,212 0,212 0,213 0,211 0,211 0,211 0,203 0,200 Porto Real 0,254 0,320 0,373 0,638 0,638 1,378 1,144 1,292 1,335 1,340 1,949 2,355 Quatis 0,198 0,201 0,204 0,201 0,201 0,205 0,206 0,198 0,207 0,204 0,199 0,204 Queimados 0,635 0,557 0,488 0,457 0,457 0,406 0,411 0,401 0,394 0,438 0,409 0,362 Quissamã 0,763 1,071 1,642 1,612 1,612 0,958 0,941 0,999 1,125 1,169 1,320 1,393 Resende 1,407 1,540 1,520 1,693 1,693 1,643 1,502 1,406 1,435 1,457 1,603 1,745 Rio Bonito 0,308 0,312 0,305 0,301 0,301 0,307 0,309 0,307 0,306 0,301 0,295 0,287 Rio Claro 0,296 0,292 0,279 0,274 0,274 0,278 0,276 0,281 0,281 0,307 0,346 0,381 Rio das Flores 0,212 0,215 0,232 0,228 0,228 0,223 0,229 0,226 0,222 0,223 0,233 0,218 Rio das Ostras 0,478 0,657 0,972 0,954 0,954 0,612 0,612 0,649 0,728 0,785 0,921 1,055 Rio de Janeiro 41,324 39,105 35,264 35,330 35,330 35,527 34,216 32,593 31,599 30,943 28,791 28,030 Santa Maria Madalena 0,334 0,333 0,334 0,335 0,335 0,328 0,331 0,330 0,330 0,337 0,364 0,350 Santo Antônio de Pádua 0,330 0,332 0,327 0,324 0,324 0,323 0,327 0,330 0,334 0,326 0,313 0,310 São Fidélis 0,345 0,347 0,340 0,340 0,340 0,337 0,334 0,331 0,332 0,328 0,310 0,306 São Francisco de Itabapoana 0,467 0,529 0,641 0,631 0,631 0,497 0,499 0,509 0,527 0,519 0,537 0,537 São Gonçalo 2,410 2,417 2,229 2,163 2,163 2,182 2,095 2,050 2,065 2,074 2,080 2,187 São João da Barra 0,385 0,445 0,561 0,546 0,546 0,405 0,398 0,412 0,437 0,434 0,469 0,486 São João de Meriti 1,154 1,124 1,030 0,995 0,995 0,953 0,924 0,922 0,916 0,863 0,851 0,880 São José de Ubá 0,190 0,189 0,188 0,187 0,187 0,191 0,190 0,192 0,197 0,192 0,186 0,197 São José do Vale do Rio Preto 0,243 0,236 0,239 0,232 0,232 0,227 0,220 0,222 0,220 0,229 0,245 0,252 São Pedro da Aldeia 0,287 0,282 0,274 0,277 0,277 0,289 0,290 0,288 0,285 0,301 0,305 0,310 São Sebastião do Alto 0,237 0,240 0,238 0,240 0,240 0,245 0,243 0,243 0,244 0,239 0,246 0,229 Sapucaia 0,266 0,269 0,262 0,252 0,252 0,256 0,255 0,256 0,258 0,260 0,269 0,278 Saquarema 0,264 0,269 0,268 0,264 0,264 0,269 0,266 0,269 0,265 0,269 0,268 0,275 Seropédica 0,292 0,281 0,274 0,273 0,273 0,273 0,287 0,293 0,296 0,316 0,329 0,310 Silva Jardim 0,306 0,308 0,303 0,302 0,302 0,302 0,302 0,301 0,302 0,321 0,350 0,409 Sumidouro 0,266 0,262 0,249 0,250 0,250 0,254 0,258 0,259 0,264 0,259 0,256 0,272 Tanguá 0,244 0,231 0,223 0,218 0,218 0,209 0,209 0,209 0,210 0,213 0,217 0,215 Teresópolis 0,659 0,643 0,621 0,613 0,613 0,626 0,627 0,622 0,624 0,619 0,621 0,698 Trajano de Moraes 0,295 0,292 0,295 0,290 0,290 0,286 0,282 0,281 0,279 0,279 0,283 0,275 Três Rios 0,446 0,429 0,404 0,393 0,393 0,414 0,393 0,367 0,376 0,377 0,384 0,450 Valença 0,456 0,442 0,428 0,425 0,425 0,430 0,427 0,429 0,431 0,405 0,384 0,381 Varre-Sai 0,184 0,184 0,189 0,183 0,183 0,183 0,182 0,182 0,181 0,177 0,174 0,176 Vassouras 0,288 0,287 0,287 0,284 0,284 0,281 0,279 0,277 0,279 0,270 0,259 0,257 Volta Redonda 4,647 4,272 3,892 3,490 3,490 3,474 3,504 3,596 3,282 3,209 4,238 3,786 Total 100, , , , , , , , , , , , receita Fonte: Secretaria da Fazenda do Estado do Rio de Janeiro. Notas: a restabelecimento do IPM 2002 fixado pelo Decreto nº /2001 em face da revogação do Decreto nº /2002 pelo Decreto nº /2002. b IPM 2003 publicado pelo Decreto nº , de 8 de dezembro de c restabelecimento do IPM 2003, para vigorar temporariamente em 2004, em face da suspensão dos efeitos do Decreto nº /2004 pelo Decreto nº /2004. d índices fixados pelo Decreto nº /2004. e índices de 2006 fixados pelo Decreto nº , de 20/02/2006. f índices de 2007 fixados pelo Decreto nº , de 09/02/2007. g o Decreto nº /2008 alterou os índices para 2008 anteriormente fixados pelo Decreto nº /2007.

32 FPM Desempenho Buscando minimizar os impactos da crise financeira internacional e fomentar a economia do país, o governo federal realizou, em, algumas alterações na política fiscal, reduzindo, por exemplo, as alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos setores de automóveis, materiais de construção, móveis e alguns eletrodomésticos, além do Imposto de Renda das Pessoas Físicas (IRPF). Entretanto, essas alterações provocaram a redução da arrecadação global desses dois tributos em -25,7% e -4,7%, respectivamente, impactando diretamente os repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) em todo o Brasil. Os municípios do Rio de Janeiro receberam, em, R$ 1,47 bilhão em transferências do FPM, sendo R$ 137,5 milhões a menos que o total recebido em 2008, o que representou uma retração de 8,6%. Os municípios que integram o FPM-Reserva foram os mais prejudicados, apresentando uma redução de 10,1% nas transferências do FPM. Na capital, os recursos tiveram uma queda de 9,2%, o que equivaleu a um corte de R$ 14,5 milhões nas transferências. Já nos demais municípios fluminenses, a maioria (67,%) registrou uma redução de 9,3% nos repasses do FPM. As exceções ocorreram em Angra dos Reis, Nilópolis, Teresópolis, Maricá, Itaguaí, Barra do Piraí, Araruama, Rio das Ostras, São Pedro da Aldeia, e Valença, que tiveram uma queda menor Evolução das transferências do FPM milhões - IPCA médio de nos repasses, entre 6,5% e 1,8%. Já Paracambi, Mangaratiba, Carmo e Sapucaia apresentaram aumentos que oscilaram entre 0,7% e 8,8%. Essas exceções deveram-se ao aumento do número de habitantes nessas cidades, que provocou a elevação de seus índices de participação na distribuição do FPM, minimizando assim a redução dos repasses. Taxa anual de crescimento do FPM em relação ao ano anterior Compensação Com o intuito de minimizar os impactos da crise internacional nas finanças dos municípios e compensá-los pela redução dos repasses do FPM, causada pela crise econômica e pelas isenções do IPI e do IRPF, o governo federal promulgou a Medida Provisória nº 462, de 14 de maio de, posteriormente transformada na Lei nº , de 13 de outubro de. A medida compensatória previa que as cidades que apresentassem diminuição nas transferências do FPM, no exercício de em relação a 2008, receberiam uma complementação para que a sua variação nominal fosse igual a zero. Ou seja, a União garantiria aos municípios, no mínimo, o mesmo repasse nominal do FPM do exercício de Os valores das compensações foram repassados em cinco parcelas, tendo sido quatro em, e uma em janeiro de A tabela abaixo traz a síntese dos valores repassados a título de compensação do FPM para todos os municípios do Brasil e do Estado do Rio de Janeiro. Valores das parcelas das compensações do FPM repassadas aos municípios do Brasil e do Rio de Janeiro em Brasil Rio de Janeiro Parcela Data do crédito 1ª 25/5/ , ,05 2ª 22/6/ , ,53 3ª 21/7/ ,18-4ª 19/10/ , ,23 Subtotal , ,81 5ª 28/1/ , ,02 Total , ,83 Fonte: Secretaria do Tesouro Nacional. 30 Finanças dos Municípios Fluminenses

33 Importância do FPM O FPM é uma transferência de singular importância para o equilíbrio financeiro dos municípios brasileiros, especialmente aqueles com menor porte populacional. Entretanto, essa dependência é menos acentuada entre as cidades fluminenses. Essa relativa independência dos municípios fluminenses, com relação ao FPM, se justifica pela presença marcante dos repasses da quota-parte do ICMS, e dos recursos dos royalties do petróleo na receita total. Em 2007, visando a auxiliar os municípios no encerramento do exercício fiscal, o Congresso Nacional aprovou a Emenda Constitucional nº 55, destinando mais 1% do IR e do IPI, arrecadados no período de 12 meses, perfazendo assim 23,5% da arrecadação desses tributos. O repasse desse adicional de 1% é feito uma única vez ao ano, no primeiro decêndio de dezembro. O FPM é dividido em três categorias: FPM-Interior, FPM-Reserva e FPM-Capital. Do total dos recursos transferidos, 86,4% são destinados aos municípios do interior, 10% para as capitais e 3,6% compõem o fundo de reserva, conforme os critérios abaixo. Para efeitos de comparação, no Estado do Rio de Janeiro, em, a participação média do FPM no total da receita dos municípios com menos de 50 mil habitantes foi de 14,1%, o que, excluindo os recursos dos royalties, sobe para 18,2%. Já entre os municípios da região Sudeste, com a mesma faixa populacional, essa participação chega a 31,7%. Subdivisões do FPM Critérios de distribuição FPM-Interior 86,4% do FPM total. É distribuído aos municípios do interior do país. Coeficientes definidos por faixa populacional no Decreto-Lei nº 1.881/81. Desde 1990, a participação de cada município é obtida dividindo-se seu respectivo coeficiente pelo somatório dos coeficientes dos municípios do Estado. Participação do FPM na receita total dos municípios agrupados por faixa populacional - FPM-Reserva 3,6% do FPM total. É enviado aos municípios do interior com população superior a habitantes. De acordo com coeficientes que consideram a população e o inverso da renda per capita do respectivo Estado. Em 2008, participaram desse fundo 147 municípios brasileiros. O Rio de Janeiro possui 19 municípios enquadrados nesse grupo. receita FPM-Capital 10% do FPM total. É distribuído às capitais estaduais. Coeficientes que consideram a população e o inverso da renda per capita do Estado. A participação da capital é obtida dividindo-se seu coeficiente pelo somatório dos coeficientes de todas as capitais. 31 Fonte: Lei nº 5.172/66, Decreto-lei nº 1.881/81 e Decisão Normativa nº 92/2008. Critérios de distribuição do FPM O FPM é uma transferência constitucional da União, formada por 22,5% da arrecadação líquida do IRPF e do IPI, repassada a cada dez dias aos municípios. Em 2 de janeiro de 1990, o Tribunal de Contas da União publicou a Resolução nº 242, que fixou a participação de cada Estado no conjunto dos recursos do FPM-Interior. O congelamento dos percentuais por Estado garante que a criação de novos municípios não diminua o coeficiente e a participação de cidades de outros estados no Fundo. Composição da receita total - Receita Município tributária Royalties FPM QPM-ICMS Outras Total a em % Até 25 mil habitantes 5,7 17,9 15,7 38,2 22,5 100, De 25 mil a 50 mil habitantes 10,3 26,3 12,8 23,4 27,2 100, De 50 mil a 100 mil habitantes 13,8 24,9 12,5 15,5 33,3 100, De 100 mil a 300 mil habitantes 19,7 14,0 10,2 21,3 34,7 100, Acima de 300 mil habitantes b 18,6 16,3 4,4 19,0 41,8 100, Total sem a capital 16,6 17,4 8,8 21,6 35,6 100, Rio de Janeiro 43,4 0,4 1,2 12,6 42,4 100, Total 28,3 10,0 5,5 17,7 38,6 100,0 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a receita total ajustada dos efeitos da conta Fundef / Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). b exceto Rio de Janeiro.

34 Participação no FPM-Interior, número de municípios e população por Estado - Unidades da Federação Participação em em % Número de municípios Coeficientes para distribuição do FPM-Interior Estimativa populacional 2008 Acre 0, Alagoas 2, Amapá 0, Amazonas 1, Bahia 9, Ceará 4, Espírito Santo 1, Goiás 3, Maranhão 3, Mato Grosso 1, Mato Grosso do Sul 1, Minas Gerais 14, Pará 3, Paraíba 3, Paraná 7, Pernambuco 4, Piauí 2, Rio de Janeiro 2, Rio Grande do Norte 2, Rio Grande do Sul 7, Rondônia 0, Roraima 0, Santa Catarina 4, São Paulo 14, Sergipe 1, Tocantins 1, Total 100, Fonte: Decisão Normativa nº 92/ Tribunal de Contas da União. Nota: ¹exceto as capitais. A distribuição do FPM-Interior é feita de acordo com o número de habitantes. São fixadas 18 faixas populacionais, cabendo a cada uma delas um coeficiente individual que varia de um mínimo de 0,6, para municípios com até habitantes, a um máximo de 4,0, para aqueles com população acima de habitantes. Categoria do município segundo o número de habitantes Coeficiente Até ,6 De a ,8 De a ,0 De a ,2 De a ,4 De a ,6 De a ,8 De a ,0 De a ,2 De a ,4 De a ,6 De a ,8 De a ,0 De a ,2 De a ,4 De a ,6 De a ,8 Além de ,0 Fonte: Decreto-lei nº 1.881/81. Desse modo, ao aumentar a população do município, seu coeficiente e sua participação no FPM também aumenta. Entretanto, o crescimento das faixas populacionais estabelecidas é proporcionalmente maior que o dos coeficientes, beneficiando, assim, os municípios com menos habitantes, os quais recebem mais recursos que os mais populosos, em termos per capita. Os municípios do interior com mais de habitantes também são incluídos no FPM-Reserva. Com o objetivo de beneficiar as cidades localizadas em estados pobres, é considerado para o cálculo do seu repasse, além do número de habitantes, o fator representativo do inverso da renda per capita do Estado. No Estado do Rio de Janeiro, 19 cidades são beneficiadas com esse adicional de recursos. São elas: Angra dos Reis, Barra Mansa, Belford Roxo, Cabo Frio, Campos dos Goytacazes, Duque de Caxias, Itaboraí, Macaé, Magé, Mesquita, Nilópolis, Niterói, Nova Friburgo, Nova Iguaçu, Petrópolis, São Gonçalo, São João de Meriti, Teresópolis e Volta Redonda. Já o FPM-Capital, destinado exclusivamente as 27 capitais brasileiras, também utiliza como critérios de distribuição a população e o inverso da renda per capita do respectivo Estado, favorecendo as capitais localizadas nos estados mais pobres. A participação de cada capital no total do FPM-Capital é obtida com a divisão de seu coeficiente pela soma dos coeficientes de todas as capitais. Coeficiente, participação no FPM-Capital e população das capitais - Capital UF Coeficiente de Participação no total em % 2008 Aracaju SE 3,20 2, Belém PA 7,00 5, Belo Horizonte MG 6,00 5, Boa Vista RR 2,80 2, Brasília DF 2,00 1, Campo Grande MS 2,40 2, Cuiabá MT 2,00 1, Curitiba PR 4,50 3, Florianópolis SC 1,60 1, Fortaleza CE 12,50 10, Goiânia GO 3,60 3, João Pessoa PB 5,00 4, Macapá AP 2,80 2, Maceió AL 6,25 5, Manaus AM 4,00 3, Natal RN 3,60 3, Palmas TO 3,60 3, Porto Alegre RS 3,15 2, Porto Velho RO 3,20 2, Recife PE 7,00 5, Rio Branco AC 3,60 3, Rio de Janeiro RJ 3,50 2, Salvador BA 9,00 7, São Luís MA 6,25 5, São Paulo SP 3,00 2, Teresina PI 5,00 4, Vitória ES 1,60 1, Total 118,15 100, Fonte: Decisão Normativa nº 92/ Tribunal de Contas da União. 32 Finanças dos Municípios Fluminenses

35

36 evolução FPM a Município Variação / 2008 mil - IPCA médio de em % Partic. na rec. total b FPM per capita Angra dos Reis , , , , , ,4-6,5 6,7 193, Aperibé 2.499, , , , , ,9-9,3 16,3 394, Araruama , , , , , ,1-3,3 16,4 183, Areal 3.332, , , , , ,5-9,3 19,5 419, Armação dos Búzios 4.998, , , , , ,4-9,3 8,0 306, Arraial do Cabo 5.831, , , , , ,4-9,3 18,6 326, Barra do Piraí , , , , , ,1-3,3 16,8 193, Barra Mansa , , , , , ,4-10,1 13,6 184, Belford Roxo , , , , , ,4-10,1 10,1 65, Bom Jardim 5.182, , , , , ,4-9,3 21,3 331, Bom Jesus do Itabapoana 6.664, , , , , ,0-9,3 22,0 284, Cabo Frio , , , , , ,4-10,1 8,7 175, Cachoeiras de Macacu 9.163, , , , , ,9-9,3 12,4 241, Cambuci 4.696, , , , , ,1-9,3 21,0 425, Campos dos Goytacazes , , , , , ,4-10,1 2,3 75, Cantagalo 4.998, , , , , ,8-9,3 16,3 366, Carapebus 2.499, , , , , ,5-9,3 9,6 420, Cardoso Moreira 3.332, , , , , ,5-9,3 21,6 402, Carmo 4.165, , , , , ,8 8,8 19,8 417, Casimiro de Abreu 6.639, , , , , ,4-9,3 6,4 287, Comendador Levy Gasparian 2.499, , , , , ,9-9,3 18,9 426, Conceição de Macabu 4.998, , , , , ,8-9,3 19,6 364, Cordeiro 4.998, , , , , ,8-9,3 24,9 378, Duas Barras 3.332, , , , , ,5-9,3 18,1 461, Duque de Caxias , , , , , ,4-10,1 2,7 37, Engenheiro Paulo de Frontin 3.886, , , , , ,5-9,3 18,9 380, Guapimirim 7.497, , , , , ,3-9,3 14,7 252, Iguaba Grande 4.998, , , , , ,8-9,3 17,7 328, Itaboraí , , , , , ,4-10,1 13,4 142, Itaguaí , , , , , ,1-3,3 8,5 190, Italva 3.562, , , , , ,1-9,3 23,4 427, Itaocara 5.182, , , , , ,8-9,3 20,3 335, Itaperuna , , , , , ,4-9,3 12,3 189, Itatiaia 5.831, , , , , ,0-9,3 17,0 282, Japeri , , , , , ,4-9,3 20,6 185, Laje do Muriaé 2.499, , , , , ,9-9,3 17,9 471, Macaé , , , , , ,4-10,1 2,9 167, Macuco 2.499, , , , , ,9-9,3 19,2 669, Magé , , , , , ,4-10,1 13,9 133, Mangaratiba 6.316, , , , , ,0 3,6 7,0 308, Maricá , , , , , ,7-3,7 15,6 172, Mendes 4.998, , , , , ,8-9,3 26,8 421, Mesquita , , , , , ,4-10,1 24,9 171, Miguel Pereira 5.831, , , , , ,4-9,3 19,8 339, Miracema 5.831, , , , , ,4-9,3 20,8 327, Natividade 4.696, , , , , ,1-9,3 18,2 407, Nilópolis , , , , , ,4-6,5 23,9 204, Niterói , , , , , ,4-10,1 3,7 68,04 34 Finanças dos Municípios Fluminenses

37 Município Variação / 2008 Partic. na rec. total b FPM per capita mil - IPCA médio de em % Nova Friburgo , , , , , ,4-10,1 14,9 182, Nova Iguaçu , , , , , ,4-10,1 4,6 37, Paracambi 7.497, , , , , ,3 0,7 18,0 278, Paraíba do Sul 7.497, , , , , ,7-9,3 21,4 271, Paraty 6.664, , , , , ,0-9,3 8,0 281, Paty do Alferes 5.831, , , , , ,4-9,3 20,1 335, Petrópolis , , , , , ,4-10,1 4,9 103, Pinheiral 4.998, , , , , ,8-9,3 21,1 336, Piraí 5.830, , , , , ,4-9,3 8,3 336, Porciúncula 4.165, , , , , ,8-9,3 22,8 408, Porto Real 3.332, , , , , ,1-9,3 7,4 386, Quatis 3.332, , , , , ,5-9,3 16,7 382, Queimados , , , , , ,3-9,3 22,8 162, Quissamã 4.165, , , , , ,8-9,3 4,5 379, Resende , , , , , ,7-9,3 10,2 164, Rio Bonito 9.163, , , , , ,9-9,3 17,8 250, Rio Claro 4.998, , , , , ,8-9,3 16,7 410, Rio das Flores 2.499, , , , , ,9-9,3 11,8 428, Rio das Ostras 7.497, , , , , ,8-2,4 4,4 181, Santa Maria Madalena 3.332, , , , , ,5-9,3 17,0 466, Santo Antônio de Pádua 7.497, , , , , ,7-9,3 19,1 266, São Fidélis 7.611, , , , , ,7-9,3 22,7 287, São Francisco de Itabapoana 7.497, , , , , ,3-9,3 20,3 262, São Gonçalo , , , , , ,9-10,2 6,4 34, São João da Barra 7.611, , , , , ,4-9,3 4,1 287, São João de Meriti , , , , , ,4-10,1 11,7 69, São José de Ubá 2.499, , , , , ,9-9,3 17,8 516, São José do Vale do Rio Preto 4.998, , , , , ,8-9,3 22,7 366, São Pedro da Aldeia 9.996, , , , , ,8-2,4 22,9 207, São Sebastião do Alto 2.753, , , , , ,9-9,3 16,1 416, Sapucaia 4.998, , , , , ,8 8,8 20,2 434, Saquarema 9.163, , , , , ,6-9,3 15,3 217, Seropédica 9.996, , , , , ,2-9,3 18,7 207, Silva Jardim 5.182, , , , , ,8-9,3 11,0 338, Sumidouro 4.165, , , , , ,1-9,3 19,4 409, Tanguá 5.831, , , , , ,4-9,3 22,8 287, Teresópolis , , , , , ,4-6,5 15,0 201, Trajano de Moraes 2.753, , , , , ,9-9,3 17,5 379, Três Rios , , , , , ,2-9,3 21,2 214, Valença , , , , , ,2-1,8 19,7 215, Varre-Sai 2.499, , , , , ,9-9,3 19,0 425, Vassouras 6.664, , , , , ,0-9,3 15,9 293, Volta Redonda , , , , , ,4-10,1 6,2 124, Interior , , , , , ,9-8,5 8,8 135, Rio de Janeiro , , , , , ,0-9,2 1,2 23, Total , , , , , ,9-8,6 5,5 91,83 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a valores integrais, sem as deduções destinadas à formação do Fundef / Fundeb; b receita total ajustada dos efeitos da conta Fundef / Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). 35 receita

38 ranking FPM a Valores absolutos Posição Municípios FPM a Posição Municípios FPM a 1º Rio de Janeiro º São Gonçalo º Volta Redonda º Petrópolis º Barra Mansa º Belford Roxo º Duque de Caxias º Itaboraí º Macaé º Magé º Niterói º Nova Friburgo º Nova Iguaçu º São João de Meriti º Campos dos Goytacazes º Cabo Frio º Angra dos Reis º Nilópolis º Teresópolis º Mesquita º Queimados º Resende º Maricá º Barra do Piraí º Itaguaí º Araruama º Japeri º Itaperuna º Rio das Ostras º São Pedro da Aldeia º Seropédica º Três Rios º Valença º Saquarema º Cachoeiras de Macacu º Rio Bonito º São Francisco de Itabapoana º Guapimirim º Paracambi º Paraíba do Sul º Santo Antônio de Pádua º São Fidélis º Itatiaia º Vassouras º Bom Jesus do Itabapoana º Paraty º Mangaratiba º Armação dos Búzios º Arraial do Cabo º Bom Jardim º Casimiro de Abreu º Miguel Pereira º Paty do Alferes º Piraí º São João da Barra º Tanguá º Miracema º Cantagalo º Cordeiro º Rio Claro º Silva Jardim º Conceição de Macabu º Iguaba Grande º Itaocara º Mendes º Pinheiral º Quissamã º São José do Vale do Rio Preto º Carmo º Sapucaia º Porciúncula º Cambuci º Italva º Natividade º Porto Real º Sumidouro º Areal º Carapebus º Cardoso Moreira º Duas Barras º Engenheiro Paulo de Frontin º Santa Maria Madalena º Quatis º Rio das Flores º Aperibé º Laje do Muriaé º São José de Ubá º São Sebastião do Alto º Trajano de Moraes º Varre-Sai º Macuco º Comendador Levy Gasparian Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a valores integrais, sem as deduções destinadas à formação do Fundef/Fundeb. 36 Finanças dos Municípios Fluminenses

39 Valores per capita Posição Municípios FPM a per capita FPM a 1º Macuco º São José de Ubá º Laje do Muriaé º Santa Maria Madalena º Duas Barras º Sapucaia º Rio das Flores º Italva º Comendador Levy Gasparian º Varre-Sai º Cambuci º Mendes º Carapebus º Areal º Carmo º São Sebastião do Alto º Rio Claro º Sumidouro º Porciúncula º Natividade º Cardoso Moreira º Aperibé º Porto Real º Quatis º Engenheiro Paulo de Frontin º Trajano de Moraes º Quissamã º Cordeiro º Cantagalo º São José do Vale do Rio Preto º Conceição de Macabu º Miguel Pereira º Silva Jardim º Pinheiral º Piraí º Itaocara º Paty do Alferes º Bom Jardim º Iguaba Grande º Miracema º Arraial do Cabo º Mangaratiba º Armação dos Búzios º Vassouras º Tanguá º São Fidélis Posição Municípios FPM a FPM per capita 47º Casimiro de Abreu º São João da Barra º Bom Jesus do Itabapoana º Itatiaia º Paraty º Paracambi º Paraíba do Sul º Santo Antônio de Pádua º São Francisco de Itabapoana º Guapimirim º Rio Bonito º Cachoeiras de Macacu º Saquarema º Valença º Três Rios º São Pedro da Aldeia º Seropédica º Nilópolis º Teresópolis º Barra do Piraí º Angra dos Reis º Itaguaí º Itaperuna º Japeri º Barra Mansa º Araruama º Nova Friburgo º Rio das Ostras º Cabo Frio º Maricá º Mesquita º Macaé º Resende º Queimados º Itaboraí º Magé º Volta Redonda º Petrópolis º Campos dos Goytacazes º São João de Meriti º Niterói º Belford Roxo º Nova Iguaçu º Duque de Caxias º São Gonçalo º Rio de Janeiro Total receita Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a valores integrais, sem as deduções destinadas à formação do Fundef/Fundeb.

40 Royalties Royalties e participações especiais do petróleo e gás Os royalties do petróleo e do gás natural são uma compensação financeira devida ao Estado pelas empresas que exploram e produzem petróleo e gás natural. É uma remuneração à sociedade pela exploração desses recursos, que são escassos e não renováveis, segundo definição contida no Guia dos Royalties do Petróleo e do Gás Natural, elaborado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Já as participações especiais são compensações financeiras, de caráter extraordinário, nos casos de grandes volumes de produção ou em campos de grande rentabilidade. Segundo estabelece a Lei nº 9.478, de 6 de agosto de 1997, conhecida como a Lei do Petróleo, a alíquota básica dos royalties de petróleo é de 10%, sendo facultado à ANP reduzi-la até um mínimo de 5%, em função de fatores adversos e riscos geológicos do processo de exploração. Essas alíquotas incidem sobre o valor da produção do petróleo e do gás, dando origem às somas financeiras a serem pagas pelas concessionárias. Na parcela destinada aos municípios, recebem royalties aqueles que possuem alguma atividade relacionada à exploração de petróleo e gás natural em seus territórios, ou que são confrontantes com Desempenho Os pagamentos proveniente de royalties do petróleo e da participação especial no conjunto dos municípios fluminenses, em, foi R$ 1,09 bilhão menor que a de 2008, em valores corrigidos pelo IPCA médio de. O montante recebido pelas cidades caiu de R$ 3,77 bilhões para R$ 2,67 bilhões, representando uma queda de 29%. Os royalties são calculados pela multiplicação do preço do petróleo e do gás natural pela sua produção. A produção de petróleo explorada em território fluminense foi 10,6% maior que em 2008, de acordo com dados da ANP. Entretanto, os preços internacionais do petróleo, divulgados pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opec, na sigla em inglês), declinaram no mesmo período. Devido ao mercado internacional aquecido no início de 2008, houve uma cotação recorde nesse os campos de exploração em plataforma continental. Os municípios podem pertencer a três tipos de zonas territoriais, de acordo com as quais recebem percentuais diferentes de royalties: a Zona de Produção Principal (ZPP), a Zona de Produção Secundária (ZPS) e Zona Limítrofe (ZL). O IBGE, desde 1986, identifica e classifica as unidades territoriais beneficiadas com relação à produção marítima de petróleo e gás natural, e emite um ofício destinado a ANP informando a relação dos municípios beneficiados. A ZPP é o conjunto formado pelos municípios confrontantes com os poços produtores e aqueles onde estiverem localizadas três ou mais instalações industriais relacionadas à atividade petrolífera. No Rio de Janeiro, 15 são classificados pelo IBGE na ZPP, dentre eles os noves confrontantes com a Bacia de Campos. Esses municípios recebem as maiores parcelas de royalties. A ZPS abrange quatro municípios fluminenses atravessados por oleodutos ou gasodutos e aqueles que sofrem influência das instalações de embarque e desembarque. Já a ZL agrega os municípios que fazem parte da mesma área geoeconômica, definida pelo IBGE, daqueles da ZPP. Essa zona é composta por 64 municípios fluminenses. ano, de US$ 94,45 o barril. Já em, ano de crise financeira, a média cotada foi de US$ 61,06, valores semelhantes aos de Curiosamente, em 2007, a receita de royalties recebida pelos municípios fluminenses também caíram, mas em função da menor produção e não em consequência de uma baixa na cotação do preço médio. Evolução dos royalties de petróleo pagos pelas concessionárias aos municípios fluminenses bilhões - IPCA médio de 38 Finanças dos Municípios Fluminenses

41 Taxa anual de crescimento dos royalties de petróleo em relação ao ano anterior Os municípios que integram a Zona de Produção Principal (ZPP) são Rio de Janeiro, Angra dos Reis, Duque de Caxias, Niterói, Paraty e Maricá e os nove confrontantes com a Bacia de Campos. Essas cidades receberam 83,4% do total de royalties repassados aos municípios fluminenses. Em quatro desses municípios, os royalties e as participações representaram mais de 50% da receita total, com destaque para São João da Barra, onde a arrecadação com royalties representou 73,4% de sua receita contabilizada em. Produção de petróleo no Estado do Rio de Janeiro em milhões de barris equivalentes de petróleo Apesar dessa concentração, a importância dos royalties também é grande nos demais municípios, devido aos valores que representam. Em 48 municípios do Rio de Janeiro essa receita foi superior a sua arrecadação tributária. E em 56, o valor recebido foi maior que os recursos direcionados para realizações de obras e aquisição de equipamentos. Preço do barril do petróleo em US$ Os municípios situados na Bacia de Campos são os detentores das maiores receitas. Campos dos Goytacazes recebeu a maior parcela, de R$ 883 milhões. Comparado a 2008, houve um decréscimo de 28,7%. Macaé (R$ 355,6 milhões), Rio das Ostras (R$ 234,4 milhões), São João da Barra (R$ 158,6 milhões), Cabo Frio (R$ 125 milhões ) e Quissamã (R$ 91,5 milhões) seguem o ranking com os maiores recebíveis em royalties e participações especiais. Desses, apenas São João da Barra teve um crescimento de receita em, ainda que bem tímido: 2,4%. Os demais registraram quedas em percentuais bem elevados, entre 33% e 42,4%. Juntamente com São João da Barra, Paraty e Maricá foram as únicas cidades fluminenses que tiveram aumento nas receitas de royalties. Em Maricá, o crescimento de 201,8% se deve ao enquadramento do município na ZPP, conforme ofício nº 231/ enviado pelo IBGE à ANP em 8 de julho de. Já nas localidades pertencentes às ZPS e ZL, todos tiveram variações negativas acima da casa de 20%. 39 receita Royalties per capita dos municípios da Bacia de Campos - Concentração e importância O Estado do Rio de Janeiro é o maior produtor de petróleo do Brasil. Em, sua receita de royalties e participações especiais respondeu por 84,7% do total repassado aos estados brasileiros. Os municípios fluminenses, por sua vez, concentraram 74% do repasse total de royalties e de participações especiais distribuídas nas cidades brasileiras que se enquadram nos critérios das leis.

42 EVOLUção Royalties a Área geoeconômica Município b Variação / 2008 Participação no total dos royalties a mil - IPCA médio de em % na rec. total c Royalties a per capita ZPP Angra dos Reis , , , , , ,2-28,3 2,5 13,5 392,01 ZL Aperibé 3.269, , , , , ,4-24,4 0,1 13,0 314,82 ZL Araruama 5.885, , , , , ,2-24,4 0,2 4,6 50, Areal 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0, ZPP Armação dos Búzios* , , , , , ,1-40,6 1,5 37, ,23 ZL Arraial do Cabo 4.782, , , , , ,2-34,5 0,2 11,1 194,79 ZL Barra do Piraí 0,0 0,0 0, , , ,2-25,8 0,2 4,7 53,60 ZL Barra Mansa 5.432, , , , , ,5-23,5 0,4 4,9 66,47 ZL Belford Roxo 5.167, , , , , ,8-24,4 0,2 1,9 12,00 ZL Bom Jardim 4.250, , , , , ,0-24,5 0,2 9,8 152,96 ZL Bom Jesus do Itabapoana 4.740, , , , , ,2-24,4 0,2 9,6 123,56 ZPP Cabo Frio* , , , , , ,6-40,6 4,7 33,3 671,83 ZPS Cachoeiras de Macacu , , , , , ,0-27,7 0,9 21,1 412,67 ZL Cambuci 3.760, , , , , ,7-24,4 0,1 11,6 234,24 ZPP Campos dos Goytacazes* , , , , , ,0-28,7 33,0 62, ,50 ZL Cantagalo 4.087, , , , , ,5-24,4 0,1 8,1 183,08 ZPP Carapebus* , , , , , ,1-39,2 0,8 43, ,99 ZL Cardoso Moreira 3.596, , , , , ,2-24,4 0,1 14,2 265,14 ZL Carmo 3.760, , , , , ,8-24,5 0,1 9,5 200,28 ZPP Casimiro de Abreu* , , , , , ,0-38,3 2,0 39, , Comendador Levy Gasparian 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0, ZL Conceição de Macabu 4.087, , , , , ,5-24,4 0,1 9,8 181,78 ZL Cordeiro 4.087, , , , , ,5-24,4 0,1 12,4 188,95 ZL Duas Barras 3.433, , , , , ,8-24,4 0,1 11,4 290,04 ZPP Duque de Caxias , , , , , ,9-36,4 1,3 2,8 38,91 ZL Engenheiro Paulo de Frontin 0,0 0, , , , ,2-39,4 0,1 12,5 250,43 ZPS Guapimirim , , , , , ,5-27,8 1,0 30,4 523,29 ZL Iguaba Grande 3.760, , , , , ,8-24,5 0,1 8,8 163,85 ZL Itaboraí 5.325, , , , , ,6-25,1 0,3 2,8 29,58 ZL Itaguaí 4.651, , , , , ,9-24,3 0,2 2,3 51,35 ZL Italva 3.596, , , , , ,2-24,4 0,1 12,3 225,49 ZL Itaocara 4.250, , , , , ,9-24,4 0,1 10,5 174,19 ZL Itaperuna 5.885, , , , , ,1-24,4 0,2 3,5 54,45 ZL Itatiaia 0,0 0,0 0, , , ,4-25,8 0,2 7,1 118,38 ZL Japeri , , , , , ,8-22,7 0,4 12,2 109,71 ZL Laje do Muriaé 3.269, , , , , ,4-24,4 0,1 14,3 376,19 ZPP Macaé* , , , , , ,7-33,0 13,3 31, ,89 ZL Macuco 3.269, , , , , ,4-24,4 0,1 15,4 534,73 ZPS Magé , , , , , ,4-27,8 1,1 12,8 123,23 ZL Mangaratiba 6.567, , , , , ,5-13,0 0,8 15,8 698,44 ZPP Maricá 4.521, , , , , ,0 201,8 0,8 16,2 180,12 ZL Mendes 0,0 0, , , , ,1-39,4 0,1 12,9 201,91 ZL Mesquita 5.167, , , , , ,8-24,4 0,2 4,6 31,66 ZL Miguel Pereira 0,0 0, , , , ,2-39,1 0,2 9,1 156,78 ZL Miracema 4.413, , , , , ,4-24,4 0,2 9,6 151,41 ZL Natividade 3.760, , , , , ,7-24,4 0,1 10,0 224,57 ZL Nilópolis 5.167, , , , , ,8-24,4 0,2 4,4 37,74 ZPP Niterói , , , , , ,9-36,4 1,3 3,8 70,84 40 Finanças dos Municípios Fluminenses

43 Área geoeconômica Município b Variação / 2008 Participação no total dos royalties a mil - IPCA médio de em % na rec. total c Royalties a per capita ZL Nova Friburgo 6.539, , , , , ,8-24,4 0,2 2,7 33,68 ZL Nova Iguaçu 5.167, , , , , ,8-24,4 0,2 0,8 6,96 ZL Paracambi 4.005, , , , , ,0-24,4 0,2 6,7 103, Paraíba do Sul 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0, ZPP Paraty 3.079, , , , , ,5 31,2 2,4 49, ,83 ZL Paty do Alferes 0,0 0, , , , ,4-39,0 0,2 9,3 155,04 ZL Petrópolis 6.539, , , , , ,8-24,4 0,2 0,9 19,09 ZL Pinheiral 0,0 0,0 0, , , ,6-25,8 0,1 10,9 174,72 ZL Piraí 5.432, , , , , ,7-23,0 0,4 9,2 375,38 ZL Porciúncula 3.760, , , , , ,8-24,5 0,1 10,9 195,71 ZL Porto Real 0,0 0,0 0, , , ,3-25,8 0,1 4,1 212,84 ZL Quatis 0,0 0,0 0, , , ,9-25,8 0,1 11,0 251,88 ZL Queimados 4.909, , , , , ,1-24,4 0,2 5,9 42,09 ZPP Quissamã* , , , , , ,0-42,4 3,4 54, ,94 receita ZL Resende 0,0 0,0 0, , , ,6-25,8 0,2 2,7 43,95 ZL Rio Bonito 5.231, , , , , ,5-24,4 0,2 6,2 87,44 ZL Rio Claro 0,0 0,0 0, , , ,1-25,8 0,1 8,0 196,56 ZL Rio das Flores 0,0 0,0 0, , , ,0-25,9 0,1 9,4 341,87 ZPP Rio das Ostras* , , , , , ,5-34,6 8,8 59, ,01 ZL Santa Maria Madalena 3.433, , , , , ,8-24,4 0,1 10,7 293,16 ZL Santo Antônio de Pádua 4.904, , , , , ,7-24,5 0,2 7,9 109,96 41 ZL São Fidélis 4.904, , , , , ,6-24,4 0,2 9,1 114,95 ZL São Francisco de Itabapoana 5.067, , , , , ,0-24,4 0,2 7,5 97,49 ZL São Gonçalo 5.325, , , , , ,6-25,1 0,3 1,3 6,83 ZPP São João da Barra* , , , , , ,9 2,4 5,9 73, ,16 ZL São João de Meriti 5.167, , , , , ,8-24,4 0,2 2,2 12,81 ZL São José de Ubá 3.269, , , , , ,4-24,4 0,1 14,2 412,28 ZL São José do Vale do Rio Preto 4.087, , , , , ,5-24,4 0,1 11,3 182,78 ZL São Pedro da Aldeia 5.394, , , , , ,0-24,5 0,2 6,9 62,03 ZL São Sebastião do Alto 3.269, , , , , ,4-24,4 0,1 12,8 332, Sapucaia 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0, ZL Saquarema 5.231, , , , , ,5-24,5 0,2 5,0 71,55 ZL Seropédica 4.392, , , , , ,4-24,5 0,2 6,0 66,79 ZPS Silva Jardim , , , , , ,8-27,7 0,8 31,0 953,66 ZL Sumidouro 3.760, , , , , ,7-24,4 0,1 10,7 225,93 ZL Tanguá 3.488, , , , , ,4-24,5 0,2 10,9 137,94 ZL Teresópolis 6.375, , , , , ,5-24,4 0,2 2,8 37,12 ZL Trajano de Moraes 3.433, , , , , ,7-24,3 0,1 13,9 303, Três Rios 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0, ZL Valença 0,0 0,0 0, , , ,3-25,8 0,2 6,2 67,45 ZL Varre-Sai 3.269, , , , , ,4-24,4 0,1 15,2 339,86 ZL Vassouras 0,0 0, , , , ,9-39,0 0,2 6,9 127,32 ZL Volta Redonda 5.432, , , , , ,5-23,5 0,4 2,2 44, Interior , , , , , ,3-28,9 98,3 17,4 267,62 ZPP Rio de Janeiro , , , , , ,2-35,6 1,7 0,4 7, Total , , , , , ,6-29,0 100,0 10,0 167,00 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados sobre royalties da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), receita total da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a inclui as participações especiais. b área geoeconômica conforme Ofício nº 042/ do IBGE enviado à ANP. Legenda: ZPP: Zona de Produção Principal, ZPS: Zona de Produção Secundária, ZL: Zona Limítrofe. c receita total ajustada dos efeitos da conta Fundef / Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2).*Municípios confrontantes com a Bacia Petrolífera de Campos.

44 ranking Royalties a Valores absolutos Posição Municípios Royalties a Posição Municípios Royalties a 1º Campos dos Goytacazes* º Macaé* º Rio das Ostras* º São João da Barra* º Cabo Frio* º Quissamã* º Angra dos Reis º Paraty º Casimiro de Abreu* º Rio de Janeiro º Armação dos Búzios* º Duque de Caxias º Niterói º Magé º Guapimirim º Cachoeiras de Macacu º Mangaratiba º Carapebus* º Maricá º Silva Jardim º Barra Mansa º Volta Redonda º Japeri º Piraí º São Gonçalo º Itaboraí º Belford Roxo º Mesquita º Nilópolis º Nova Friburgo º Nova Iguaçu º Petrópolis º São João de Meriti º Teresópolis º Queimados º Resende º Barra do Piraí º Araruama º Itaguaí º Itaperuna º Seropédica º São Pedro da Aldeia º Arraial do Cabo º Valença º Saquarema º Rio Bonito º Paracambi º São Francisco de Itabapoana º Santo Antônio de Pádua º São Fidélis º Bom Jesus do Itabapoana º Vassouras º Itatiaia º Tanguá º Paty do Alferes º Miracema º Bom Jardim º Miguel Pereira º Itaocara º Pinheiral º Cantagalo º Conceição de Macabu º Cordeiro º São José do Vale do Rio Preto º Iguaba Grande º Mendes º Rio Claro º Carmo º Porciúncula º Cambuci º Natividade º Sumidouro º Porto Real º Engenheiro Paulo de Frontin º Cardoso Moreira º Italva º Quatis º Duas Barras º Santa Maria Madalena º Trajano de Moraes º Aperibé º Laje do Muriaé º Macuco º São José de Ubá º São Sebastião do Alto º Varre-Sai º Rio das Flores º Areal º Comendador Levy Gasparian º Paraíba do Sul º Sapucaia º Três Rios Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados sobre royalties da Agência Nacional de Petróleo (ANP) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a inclui as participações especiais. *Municípios confrontantes com a Bacia de Campos. 42 Finanças dos Municípios Fluminenses

45 Valores per capita Posição Municípios Royalties a per capita Royalties a 1º São João da Barra* º Quissamã* º Rio das Ostras* º Campos dos Goytacazes* º Carapebus* º Macaé* º Casimiro de Abreu* º Paraty º Armação dos Búzios* º Silva Jardim º Mangaratiba º Cabo Frio* º Macuco º Guapimirim º Cachoeiras de Macacu º São José de Ubá º Angra dos Reis º Laje do Muriaé º Piraí º Rio das Flores º Varre-Sai º São Sebastião do Alto º Aperibé º Trajano de Moraes º Santa Maria Madalena º Duas Barras º Cardoso Moreira º Quatis º Engenheiro Paulo de Frontin º Cambuci º Sumidouro º Italva º Natividade º Porto Real º Mendes º Carmo º Rio Claro º Porciúncula º Arraial do Cabo º Cordeiro º Cantagalo º São José do Vale do Rio Preto º Conceição de Macabu º Maricá º Pinheiral º Itaocara Posição Municípios Royalties a per capita Royalties a 47º Iguaba Grande º Miguel Pereira º Paty do Alferes º Bom Jardim º Miracema º Tanguá º Vassouras º Bom Jesus do Itabapoana º Magé º Itatiaia º São Fidélis º Santo Antônio de Pádua º Japeri º Paracambi º São Francisco de Itabapoana º Rio Bonito º Saquarema º Niterói º Valença º Seropédica º Barra Mansa º São Pedro da Aldeia º Itaperuna º Barra do Piraí º Itaguaí º Araruama º Volta Redonda º Resende º Queimados º Duque de Caxias º Nilópolis º Teresópolis º Nova Friburgo º Mesquita º Itaboraí º Petrópolis º São João de Meriti º Belford Roxo º Rio de Janeiro º Nova Iguaçu º São Gonçalo º Areal º Comendador Levy Gasparian º Paraíba do Sul º Sapucaia º Três Rios Total receita Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados sobre royalties da Agência Nacional de Petróleo (ANP) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a inclui as participações especiais. *Municípios confrontantes com a Bacia de Campos.

46 ISS Desempenho A crise financeira internacional impactou diretamente o nível de atividade econômica do país. O setor de serviços avançou apenas 2,6%. Nesse cenário, a arrecadação do Imposto sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISS) do conjunto dos municípios fluminenses que vinha se expandindo num ritmo muito forte em 2007 e 2008, com taxas de 14,4% e 17,5%, respectivamente, desacelerou. Em, o aumento de 9,4% rendeu uma arrecadação global de R$ 4,06 bilhões. Desse total, a cidade do Rio de Janeiro movimentou R$ 2,77 bilhões, o que significou um incremento de R$ 200,8 milhões, em relação ao ano anterior. Em termos percentuais, os aumentos excepcionais de 12,1%, em 2007, e 17%, em 2008, deram lugar a um avanço de 7,8%, em. Evolução da arrecadação do ISS na capital e no interior milhões - IPCA médio de tantes, que registraram crescimento muito abaixo da média (5,3%), resultado influenciado pela queda na arrecadação registrada em Petrópolis, Campos dos Goytacazes e Duque de Caxias. Taxas anuais de crescimento do ISS em relação ao ano anterior Entre os municípios do interior, Macaé foi o que apresentou o maior aumento absoluto na receita de ISS, com R$ 51,4 milhões de recursos adicionais. Em seguida aparecem Niterói, Cachoeiras de Macacu, Itaboraí e São Gonçalo, cujos incrementos variaram entre R$ 13,2 milhões e R$ 19,7 milhões. Em termos percentuais, a cidade de Silva Jardim exibiu o crescimento mais intenso na receita de ISS. O valor arrecadado pelo município em foi quase dez vezes superior ao do ano anterior. São Sebastião do Alto, Aperibé, Rio das Flores, Cachoeiras de Macacu, Varre-Sai, Casimiro de Abreu e Vassouras recolheram valores que foram de duas a cinco vezes maiores que os verificados em No corte populacional observaram-se bons desempenhos em quase todas as faixas de agrupamento dos municípios. O grupo das cidades com até 50 mil habitantes mostrou variação acima de 20%. O desempenho menos favorável ficou por conta dos municípios com população acima de 300 mil habi- Ao longo da ultima década a arrecadação do tributo cresceu de forma mais intensa no interior, se comparada com a capital. Em 2000, a cidade do Rio de Janeiro detinha quase 80% de toda arrecadação de ISS do Estado fluminense. Nove anos depois, a cidade perdeu 11 pontos percentuais, fazendo com que sua participação recuasse para 68,2%. Arrecadação de ISS por faixa populacional Faixa populacional dos municípios 2008 Variação /2008 mil - IPCA médio de em % Até 25 mil habitantes , ,9 26,3 De 25 mil a 50 mil habitantes , ,7 20,8 De 50 mil a 100 mil habitantes , ,4 6,9 De 100 mil a 300 mil habitantes , ,1 19,2 Acima de 300 mil habitantes* , ,7 5,3 Total sem a capital , ,8 12,9 Rio de Janeiro , ,7 7,8 Total , ,6 9,4 *exceto Rio de Janeiro 44 Finanças dos Municípios Fluminenses

47 Participação da cidade do Rio de Janeiro na arrecadação total do ISS importância do ISS no orçamento desse conjunto. Nas pequenas cidades, sua importância é significativamente menor. No grupo de localidades com até 25 mil habitantes, o imposto correspondeu a apenas 3,3% da receita total. Participação do ISS na receita total dos municípios por faixa populacional - Em contrapartida, o peso do interior aumentou, mas de uma forma bastante concentrada. Macaé, por exemplo, impulsionado pelas atividades de exploração de petróleo e gás, teve um salto de arrecadação. A participação da cidade no total do ISS avançou de 1,1%, em 2000, para 6,6%, em. Além de deter a segunda maior receita do imposto, Macaé liderou, em, a arrecadação per capita, com R$ 1.384,23. Esse valor representa mais que o quíntuplo da média dos municípios fluminenses, que é de R$ 253,40. Na segunda colocação aparece Itaguaí (R$ 643,72), seguido por Mangaratiba (R$ 474,74), Casimiro de Abreu (R$ 463,37) e Rio de Janeiro (R$ 447,27). Em contraste, nas últimas posições, constam cinco municípios cuja arrecadação per capita sequer alcança os R$ 15: Paty do Alferes (R$ 14,82), Valença (R$ 14,76), Laje do Muriaé (R$ 13,90), Italva (R$ 13,40) e São Fidélis (R$ 11,61). O ISS tem maior representatividade nos maiores municípios. Naqueles com mais de 100 mil habitantes, exceto a capital, ele respondeu em média por 10% da receita total, percentual que sobe para 23,7% na cidade do Rio de Janeiro. Note-se que, na faixa de 100 mil a 300 mil habitantes, está o Município de Macaé, cuja elevada arrecadação contribui para elevar a Os dez municípios de maior participação do ISS na receita total - Saiba mais sobre o ISS O ISS incide sobre a prestação de serviços por empresas ou profissionais autônomos. Até 1965, existiam o Imposto sobre Indústrias e Profissões e o Imposto sobre Diversões Públicas, que foram unificados e chamados de ISS por meio da Emenda Constitucional nº 18/1965. O fato gerador do ISS são os serviços listados na Lei Complementar (LC) nº 116, de 31 de julho de 2003, e os contribuintes são a própria empresa ou o profissional autônomo que presta esses serviços, sendo a arrecadação realizada nas cidades onde ocorre a prestação de serviços. Além de ampliar a cobrança do ISS para cerca de 40 setores de atividade, a LC nº 116/2003 favoreceu a ampliação e a utilização da substituição tributária que, associada ao uso de sistemas inteligentes, baseados em tecnologia da informação, têm se mostrado eficiente na cobrança, na fiscalização e no combate mais eficaz da sonegação do tributo. 45 receita Posição Município Participação do ISS na receita total 1º Itaguaí 28,8% 2º Macaé 24,2% 3º Rio de Janeiro 23,7% 4º Sapucaia 18,6% 5º Rio Bonito 18,1% 6º Cachoeiras de Macacu 17,6% 7º Niterói 15,1% 8º Duque de Caxias 13,5% 9º Resende 11,2% 10º Mangaratiba 10,8% Cada município possui autonomia para fixar as alíquotas tributárias que variam de 2% a 5%. Além disso, visando a por fim à guerra fiscal entre os municípios, a Emenda Constitucional nº 37/2002 proibiu isenções, incentivos ou benefícios fiscais que venham a resultar na redução da alíquota mínima do ISS, o que contribuiu para a expansão da arrecadação. Nos últimos anos, os municípios brasileiros vêm presenciando um extraordinário aumento na arrecadação do ISS. Esse crescimento está ligado à recente expansão do setor de serviços em âmbito nacional e, no Estado do Rio de Janeiro, acrescenta-se ainda a ampliação das atividades da Petrobras.

48 evolução ISS Município Variação Participação / no total na rec do ISS total a mil - IPCA médio de em % ISS per capita Angra dos Reis , , , , , ,1 8,6 1,0 8,7 252, Aperibé 31, ,0 90,9 67,2 318,3 374,0 0,0 1,4 33, Araruama 3.164, , , , , ,8 6,0 0,1 4,8 54, Areal 1.781, , , , , ,4-7,6 0,0 7,1 152, Armação dos Búzios 4.518, , , , , ,4-25,1 0,1 4,5 171, Arraial do Cabo 1.417, , , , , ,3-23,7 0,0 2,5 43, Barra do Piraí 3.050, , , , , ,4 49,5 0,2 6,3 72, Barra Mansa , , , , , ,8-13,0 0,4 6,6 89, Belford Roxo 6.338, , , , , ,0 27,1 0,4 5,2 33, Bom Jardim 352,6 559,9 898, , , ,7-18,6 0,0 2,8 43, Bom Jesus do Itabapoana 609,7 750, , , , ,9-44,5 0,0 2,7 34, Cabo Frio 8.205, , , , , ,8 2,0 0,4 4,0 80, Cachoeiras de Macacu 2.162, , , , , ,9 343,9 0,5 17,6 343, Cambuci 147, ,6 139,0 121,9 288,5 136,7 0,0 1,0 19, Campos dos Goytacazes , , , , , ,3-12,9 1,0 2,7 89, Cantagalo 1.620, , , , , ,9 28,2 0,1 6,5 147, Carapebus 632,8 901,3 592, , ,6 640,9-40,0 0,0 1,2 53, Cardoso Moreira 90,9 210,2 162,9 169,9 226,9 0,0-100,0 0,0 0,0 0, Carmo 235,1 329,1 403,1 452,8 316,6 614,6 94,1 0,0 1,6 34, Casimiro de Abreu 575,1 825, , , , ,3 220,9 0,3 10,4 463, Comendador Levy Gasparian 609,0 801, , , , ,5-41,4 0,0 8,6 193, Conceição de Macabu 186,4 241,1 370,0 270,6 347,5 500,8 44,1 0,0 1,3 24, Cordeiro 246,3 271,4 219,8 973,8 249,9 701,4 180,7 0,0 2,3 35, Duas Barras 169,8 215,7 330,4 357,0 256,2 237,3-7,4 0,0 0,9 21, Duque de Caxias , , , , , ,2-2,0 4,0 13,5 186, Engenheiro Paulo de Frontin 208,2 168,0 379,1 358,6 334,2 320,5-4,1 0,0 1,2 24, Guapimirim , , , , ,7 103,6 0,1 6,2 107, Iguaba Grande 1.012,3 962,3 938, , , ,3-6,3 0,0 2,4 44, Itaboraí 3.331, , , , , ,8 136,5 0,6 10,5 112, Itaguaí , , , , , ,3 10,3 1,7 28,8 643, Italva 139,5 151,8 213,9 270,9 245,4 196,6-19,9 0,0 0,7 13, Itaocara 309,3 352,9 359,3 375,8 504,7 888,8 76,1 0,0 2,4 39, Itaperuna 2.617, , , , , ,9 14,4 0,1 3,7 57, Itatiaia 4.517, , , , , ,0-8,9 0,1 6,4 106, Japeri 1.616, , , , , ,3 85,5 0,1 3,3 29, Laje do Muriaé 168,0 129,1 131,8 127,4 121,3 111,2-8,4 0,0 0,5 13, Macaé , , , , , ,4 23,6 6,6 24, , Macuco 236,9 187,1 202,9 273,4 316,1 418,9 32,5 0,0 2,1 74, Magé , , , , , ,2 77,6 0,6 9,6 92, Mangaratiba , , , , , ,8 3,9 0,4 10,8 474, Maricá 2.310, , , , , ,5-1,2 0,1 2,8 31, Mendes 473,4 395,5 478,2 531,9 624,4 497,3-20,4 0,0 1,8 27, Mesquita 2.657, , , , , ,1-14,1 0,1 2,9 19, Miguel Pereira 1.911, , , , , ,1-7,8 0,0 3,9 67, Miracema 189,0 250,4 328,2 251,1 340,0 737,2 116,8 0,0 1,7 27, Natividade 247,8 235,7 283,9 252,8 346,1 515,1 48,8 0,0 1,5 33, Nilópolis 3.024, , , , , ,4 6,6 0,2 4,8 41, Niterói , , , , , ,6 17,3 3,3 15,1 279,58 46 Finanças dos Municípios Fluminenses

49 Município Variação / no total 2008 do ISS mil - IPCA médio de em % Participação ISS per capita Nova Friburgo 9.958, , , , , ,1 5,1 0,3 5,1 62, Nova Iguaçu , , , , , ,1 23,0 1,3 7,5 61, Paracambi 2.310, , , , , ,1-12,3 0,1 4,0 62, Paraíba do Sul ,3 983, , ,6 31,9 0,0 2,9 37, Paraty 2.705, , , , , ,3 29,8 0,1 3,3 115, Paty do Alferes 257,2 252,8 366,0 473,6 605,0 388,3-35,8 0,0 0,9 14, Petrópolis , , , , , ,1-33,1 0,8 5,1 106, Pinheiral 423,3 720,0 794,5 736, , ,5 69,9 0,0 5,5 88, Piraí 4.051, , , , , ,4 4,4 0,1 5,6 226, Porciúncula 202,5 242,8 231,8 224,1 326,8 539,5 65,1 0,0 1,6 29, Porto Real 1.993, , , , , ,7-21,9 0,1 4,1 215, Quatis 245,0 183,1 194,9 411,6 467,9 417,1-10,8 0,0 1,4 31, Queimados 3.833, , , , , ,3 1,7 0,1 5,6 39, Quissamã 2.570, , , , , ,1-54,4 0,1 1,5 124, Resende , , , , , ,5 18,6 0,6 11,2 181, Rio Bonito , , , , , ,5-13,7 0,3 18,1 254, Rio Claro 235,7 580,3 368,1 292,4 839,6 989,1 17,8 0,0 2,2 53, Rio das Flores 868,5 879,8 827, ,4 613, ,4 348,7 0,1 8,7 313, Rio das Ostras , , , , , ,5-32,5 0,4 4,3 178, Santa Maria Madalena 60,3 91,3 123,4 157,3 210,8 571,3 171,0 0,0 1,9 53, Santo Antônio de Pádua 780,0 717,8 694,6 840,0 912, ,7 39,6 0,0 2,2 30, São Fidélis 284,8 393,3 446,5 500,1 512,9 455,7-11,2 0,0 0,9 11, São Francisco de Itabapoana 470,3 508,3 721, , , ,6-9,8 0,0 1,7 21, São Gonçalo , , , , , ,4 50,7 1,0 7,3 39, São João da Barra 1.274,1 897, , , , ,3 7,7 0,2 3,8 268, São João de Meriti 6.161, , , , , ,1 33,1 0,4 6,0 35, São José de Ubá 207,1 172,0 336,3 236,3 155,0 150,1-3,1 0,0 0,7 20, São José do Vale do Rio Preto 402,6 419,4 36,2 358,4 353,8 344,6-2,6 0,0 1,0 16, São Pedro da Aldeia 1.962, , , , , ,3-7,9 0,1 3,8 34, São Sebastião do Alto 45,5 56,3 73,4 91,2 72,3 405,5 461,2 0,0 1,7 44, Sapucaia 263, , , , , ,9 36,3 0,2 18,6 399, Saquarema 1.582, , , , , ,8-5,3 0,2 9,0 128, Seropédica 2.412, , , , , ,2 5,1 0,2 8,7 96, Silva Jardim 729,0 589,0 893,4 607,2 635, ,1 984,3 0,2 10,1 310, Sumidouro 73,0 144,0 151,3 165,5 152,9 239,2 56,4 0,0 0,7 15, Tanguá 302, ,1 735,8 881, ,6 23,6 0,0 2,8 35, Teresópolis 7.493, , , , , ,1-9,6 0,2 4,2 56, Trajano de Moraes 106,2 91,1 105,5 87,4 246,3 247,9 0,7 0,0 1,1 25, Três Rios 3.866, , , , , ,9 12,4 0,1 6,9 70, Valença 1.437, , , , , ,3-23,9 0,0 1,3 14, Varre-Sai 48,6 68,7 104,7 127,6 147,2 500,5 240,1 0,0 2,5 56, Vassouras 505,5 561,8 524,1 752,4 931, ,8 216,9 0,1 4,7 86, Volta Redonda , , , , , ,2 8,6 1,3 9,7 195, Interior , , , , , ,8 12,9 31,8 8,5 131, Rio de Janeiro , , , , , ,7 7,8 68,2 23,7 447, Total , , , , , ,6 9,4 100,0 15,2 253,40 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a receita total ajustada dos efeitos da conta Fundef / Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). na rec. total a 47 receita

50 ranking ISS Valores absolutos Posição Municípios ISS Posição Municípios ISS 1º Rio de Janeiro º Macaé º Duque de Caxias º Niterói º Itaguaí º Nova Iguaçu º Volta Redonda º Angra dos Reis º São Gonçalo º Campos dos Goytacazes º Petrópolis º Itaboraí º Resende º Magé º Cachoeiras de Macacu º Rio das Ostras º Belford Roxo º São João de Meriti º Barra Mansa º Mangaratiba º Cabo Frio º Casimiro de Abreu º Rio Bonito º Nova Friburgo º Teresópolis º Saquarema º São João da Barra º Seropédica º Barra do Piraí º Sapucaia º Silva Jardim º Nilópolis º Araruama º Piraí º Itaperuna º Queimados º Três Rios º Guapimirim º Armação dos Búzios º Paraty º Maricá º Itatiaia º Mesquita º Porto Real º Japeri º Cantagalo º Vassouras º São Pedro da Aldeia º Paracambi º Rio das Flores º Quissamã º Pinheiral º Areal º Miguel Pereira º Comendador Levy Gasparian º Paraíba do Sul º Santo Antônio de Pádua º Bom Jesus do Itabapoana º Arraial do Cabo º Bom Jardim º Valença º Tanguá º São Francisco de Itabapoana º Iguaba Grande º Rio Claro º Itaocara º Miracema º Cordeiro º Carapebus º Carmo º Santa Maria Madalena º Porciúncula º Natividade º Conceição de Macabu º Varre-Sai º Mendes º São Fidélis º Macuco º Quatis º São Sebastião do Alto º Paty do Alferes º São José do Vale do Rio Preto º Engenheiro Paulo de Frontin º Aperibé º Cambuci º Trajano de Moraes º Sumidouro º Duas Barras º Italva º São José de Ubá º Laje do Muriaé º Cardoso Moreira Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 48 Finanças dos Municípios Fluminenses

51 Valores per capita Posição Municípios ISS per capita ISS 1º Macaé º Itaguaí º Mangaratiba º Casimiro de Abreu º Rio de Janeiro º Sapucaia º Cachoeiras de Macacu º Rio das Flores º Silva Jardim º Niterói º São João da Barra º Rio Bonito º Angra dos Reis º Piraí º Porto Real º Volta Redonda º Comendador Levy Gasparian º Duque de Caxias º Resende º Rio das Ostras º Armação dos Búzios º Areal º Cantagalo º Saquarema º Quissamã º Paraty º Itaboraí º Guapimirim º Petrópolis º Itatiaia º Seropédica º Magé º Campos dos Goytacazes º Barra Mansa º Pinheiral º Vassouras º Cabo Frio º Macuco º Barra do Piraí º Três Rios º Miguel Pereira º Nova Friburgo º Paracambi º Nova Iguaçu º Itaperuna º Teresópolis Posição Municípios ISS per capita ISS 47º Varre-Sai º Araruama º Rio Claro º Carapebus º Santa Maria Madalena º São Sebastião do Alto º Iguaba Grande º Arraial do Cabo º Bom Jardim º Nilópolis º Queimados º São Gonçalo º Itaocara º Paraíba do Sul º Tanguá º São João de Meriti º Cordeiro º Bom Jesus do Itabapoana º Carmo º São Pedro da Aldeia º Natividade º Belford Roxo º Aperibé º Quatis º Maricá º Santo Antônio de Pádua º Japeri º Porciúncula º Mendes º Miracema º Trajano de Moraes º Engenheiro Paulo de Frontin º Conceição de Macabu º Duas Barras º São Francisco de Itabapoana º São José de Ubá º Mesquita º Cambuci º São José do Vale do Rio Preto º Sumidouro º Paty do Alferes º Valença º Laje do Muriaé º Italva º São Fidélis º Cardoso Moreira Total receita Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

52 IPTU O Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) tem como fato gerador, conforme o Código Tributário Nacional, (...) a propriedade, o domínio útil ou a posse de bem imóvel (...), localizado na zona urbana do município (artigo 32), sendo o contribuinte (...) o proprietário do imóvel, o titular de seu domínio útil ou o seu possuidor a qualquer título (artigo 34). A base de cálculo do imposto baseia-se no valor venal do imóvel, sobre o qual recai uma alíquota definida em nível municipal. O valor venal é definido por meio da Planta Genérica de Valores (PGV), a qual contém os preços básicos dos terrenos e edificações do município. O IPTU é um tributo de longa tradição municipal. A partir da Constituição Federal de 1934, sua administração, fiscalização e arrecadação passaram para a competência dos municípios (artigo 13, 2º, II). Anteriormente, a arrecadação sobre a propriedade de imóveis pertencia aos estados. Taxa anual de crescimento do IPTU em relação ao ano anterior Já no conjunto dos municípios do interior, o aumento foi de 0,8%. O desempenho só não foi melhor, porque Volta Redonda teve uma retração de R$ 20,7 milhões. Desconsiderando o município da análise do conjunto das cidades do interior, o aumento seria de 4,7%. Desempenho A arrecadação do IPTU do conjunto dos municípios fluminenses, em, apresentou uma ligeira alta de 1,7%, se comparada com o ano anterior. A receita gerada pelo imposto de R$ 1,88 bilhão representou um crescimento absoluto de R$ 31,2 milhões comparado a A expansão foi influenciada principalmente pelo resultado apresentado pela capital do Estado, que sozinha detém uma participação de 67,8% do montante arrecadado pelos municípios fluminenses. Dos R$ 31,2 milhões acrescidos, o município do Rio de Janeiro respondeu por R$ 26,5 milhões. Angra dos Reis, com um acréscimo de R$ 3,8 milhões, foi o que mais contribuiu para o aumento do IPTU no conjunto dos municípios do interior. Nova Iguaçu, Teresópolis e Campos dos Goytacazes também se destacaram com aumentos acima de R$ 2 milhões. As maiores taxas de crescimento foram observadas em Silva Jardim e Japeri, que arrecadaram mais que o dobro do verificado no ano anterior. Na contra mão desse movimento, as cidades de São João da Barra, Cambuci, Arraial do Cabo e Cordeiro tiveram as maiores quedas, recolhendo menos da metade dos valores observados em Importância orçamentária e resultado per capita Evolução da arrecadação do IPTU milhões - IPCA médio de Nos últimos anos, observa-se que houve uma redução da importância do IPTU na composição da receita total dos municípios fluminenses. Em 2004, o tributo respondia por 8,2% de toda receita municipal, enquanto, em 2008, essa participação caiu para 6,7%. Já em, com o crescimento do IPTU aliado à queda na receita municipal, o tributo respondeu por 7,0%. A tendência para os próximos anos é que a participação no total da receita volte a decrescer com a recuperação econômica e a arrecadação das demais receitas volte a crescer. 50 Finanças dos Municípios Fluminenses

53 Na capital, o comportamento do IPTU oscilou entre 10,9% e 13% nos últimos seis anos. Ainda assim, ele continua sendo o segundo imposto municipal mais importante para a formação da receita orçamentária. Já nas cidades do interior, o IPTU tem menor importância, com sua participação média próxima de 4%. Participação do IPTU na receita total dos municípios agrupados por faixa populacional - Participação do IPTU na receita total Verifica-se também que há uma relação entre a participação do IPTU na receita municipal e o porte habitacional. Na divisão dos municípios por faixas populacionais, a importância do IPTU na receita cresce à medida que aumenta o número de moradores. Entretanto, no grupo com mais de 300 mil habitantes, exceto a capital, a participação de 5,2% na receita total deve-se, principalmente, à influência do município de Niterói, cuja arrecadação do IPTU responde por 17% da receita municipal. Excluindo-se esse município, a participação do tributo na receita total desse grupo caiu para 3,2%. Em, a arrecadação média do IPTU per capita dos municípios fluminenses foi de R$ 117,70, valor superior ao constatado no ano anterior (R$ 116,76). Os melhores resultados ocorreram em Niterói, com R$ 313,76, e Mangaratiba, com R$ 307,82. Armação dos Búzios e Rio de Janeiro arrecadaram acima de R$ 200 por habitante. Importante frisar que apenas oito cidades tiveram resultados per capita acima da média dos municípios fluminenses. Isso mostra a alta disparidade da arrecadação do IPTU, onde 24 municípios tiveram arrecadação menor que R$ 15 por habitante. Os menores valores per capita ocorrem em São Sebastião do Alto (R$ 3,90) e Sumidouro (R$ 3,50). Os municípios que apresentaram altas arrecadações per capita possuem, em sua maioria, um alto potencial turístico, onde a maior parte do IPTU é paga por contribuintes não residentes, que têm contabilizado seus tributos na receita do município, mas não entram no cômputo da população. 51 receita Cada vez mais presente nas prefeituras de todo o Brasil Tel.: (27)

54 evolução IPTU Município Variação Participação / no total na rec do IPTU total a mil - IPCA médio de em % IPTU per capita Angra dos Reis , , , , , ,7 16,4 1,4 5,5 159, Aperibé 66, ,3 88,7 86,8 58,5-32,6 0,0 0,3 6, Araruama 7.723, , , , , ,7 6,1 0,5 7,3 81, Areal 428,3 440,0 502,5 419,5 420,5 432,5 2,9 0,0 1,7 36, Armação dos Búzios 5.412, , , , , ,0 12,7 0,4 6,1 234, Arraial do Cabo 2.274, , , , ,4 224,0-88,3 0,0 0,5 8, Barra do Piraí 2.008, , , , , ,4 3,0 0,1 2,2 24, Barra Mansa 5.760, , , , , ,7 5,2 0,4 2,9 38, Belford Roxo 5.943, , , , , ,6-1,2 0,3 1,7 10, Bom Jardim 202,3 230,7 247,4 464,3 225,7 278,6 23,5 0,0 0,7 10, Bom Jesus do Itabapoana 1.092, , ,5 966,6 965,9 910,9-5,7 0,0 2,0 25, Cabo Frio , , , , , ,3 5,1 1,0 5,2 104, Cachoeiras de Macacu 1.224,3 645,1 944, , , ,4-3,8 0,1 0,9 18, Cambuci 146, ,4 325,7 329,4 117,4-64,4 0,0 0,4 7, Campos dos Goytacazes , , , , , ,5 17,0 0,8 1,0 34, Cantagalo 246,0 398,8 679,5 103,8 220,8 148,4-32,8 0,0 0,3 7, Carapebus 105,6 109,1 110,9 112,3 106,9 126,1 18,0 0,0 0,2 10, Cardoso Moreira 83,3 239,9 105,8 112,7 110,1 95,6-13,1 0,0 0,4 7, Carmo 106,7 142,8 160,2 165,1 158,5 179,9 13,5 0,0 0,5 9, Casimiro de Abreu 1.292,3 259, , , , ,3 2,3 0,1 1,0 43, Comendador Levy Gasparian 77,1 79,9 87,8 94,0 78,5 91,9 17,0 0,0 0,5 10, Conceição de Macabu 293,6 311,4 251,7 282,8 280,5 277,7-1,0 0,0 0,7 13, Cordeiro 305,9 886, , , ,6 791,5-64,9 0,0 2,6 39, Duas Barras 102,8 122,8 121,8 131,4 119,5 127,1 6,4 0,0 0,5 11, Duque de Caxias , , , , , ,9 0,7 2,1 3,2 44, Engenheiro Paulo de Frontin 177,3 189,5 202,0 211,6 197,9 242,6 22,6 0,0 0,9 18, Guapimirim , , , , ,4 0,5 0,1 1,8 30, Iguaba Grande 2.530, , , , , ,4-4,0 0,1 6,4 118, Itaboraí 1.407, , , , , ,1 14,7 0,4 3,2 34, Itaguaí 7.903, , , , , ,4 12,5 0,6 4,9 108, Italva 214,7 215,7 216,0 231,5 228,3 272,9 19,6 0,0 1,0 18, Itaocara 487,5 674,8 641,0 621,8 423,6 499,5 17,9 0,0 1,3 22, Itaperuna 2.998, , , , , ,9-0,2 0,2 2,0 31, Itatiaia 1.561, , , , , ,9 6,9 0,1 4,1 68, Japeri 234,9 201,5 307,5 352,4 202,7 454,9 124,4 0,0 0,5 4, Laje do Muriaé 21,0 25,8 33,0 29,8 29,8 51,3 71,9 0,0 0,2 6, Macaé 3.580, , , , , ,7 11,2 0,5 0,9 49, Macuco 278,8 323,7 164,2 171,2 183,1 199,7 9,1 0,0 1,0 35, Magé 4.443, , , , , ,2 37,2 0,3 2,6 25, Mangaratiba 6.921, , , , , ,2 9,9 0,5 7,0 307, Maricá , , , , , ,0 9,6 0,8 10,5 116, Mendes 178,3 153,8 144,2 174,2 187,9 198,8 5,8 0,0 0,7 11, Mesquita 3.791, , , , , ,8 6,2 0,2 3,0 20, Miguel Pereira 1.725, , , , , ,5-5,2 0,1 4,2 72, Miracema 388,6 244,0 279,0 294,6 477,1 568,5 19,2 0,0 1,3 21, Natividade 215,0 219,2 260,5 282,6 272,8 291,1 6,7 0,0 0,8 18, Nilópolis 4.469, , , , , ,7 3,0 0,3 3,9 33, Niterói , , , , , ,8 0,1 8,0 17,0 313,76 52 Finanças dos Municípios Fluminenses

55 Município Variação / no total 2008 do IPTU mil - IPCA médio de em % Participação IPTU per capita Nova Friburgo 5.392, , , , , ,7 5,1 0,6 5,5 67, Nova Iguaçu , , , , , ,7 11,5 1,5 3,8 31, Paracambi 603,9 558,0 606,9 775,2 724,1 741,7 2,4 0,0 1,1 16, Paraíba do Sul , , , ,5 8,0 0,1 3,4 43, Paraty 3.120, , , , , ,6-0,4 0,2 2,6 90, Paty do Alferes 950,5 984,2 999, , , ,5 2,6 0,1 2,5 41, Petrópolis , , , , , ,0-2,5 1,9 5,4 114, Pinheiral 300,7 375,4 298,3 380,0 386,7 400,7 3,6 0,0 1,1 17, Piraí 1.412, , , , , ,7 8,8 0,1 1,6 66, Porciúncula 556,0 573,5 526,5 600,3 686,3 598,0-12,9 0,0 1,8 32, Porto Real 409,7 538,4 433,9 467,8 486,3 306,6-37,0 0,0 0,4 18, Quatis 312,1 267,3 257,7 267,4 264,1 273,8 3,7 0,0 0,9 20, Queimados 1.674, , , , , ,6 15,5 0,1 2,0 14, Quissamã 414,3 376,5 389,3 485,9 524,0 568,6 8,5 0,0 0,3 28, Resende 6.299, , , , , ,3 4,9 0,5 4,2 67, Rio Bonito 1.372,7 899, , , , ,5 2,2 0,1 2,4 33, Rio Claro 311,9 315,4 360,6 314,1 340,9 424,6 24,6 0,0 0,9 23, Rio das Flores 103,5 115,8 124,6 140,2 133,0 147,4 10,8 0,0 0,5 16, Rio das Ostras 5.049, , , , , ,4 22,7 0,4 1,9 79, Santa Maria Madalena 76,0 87,1 82,9 91,8 104,7 130,7 24,9 0,0 0,4 12, Santo Antônio de Pádua 1.194, , , , , ,7 3,3 0,1 2,4 33, São Fidélis 841,3 477,9 452,4 577,4 508,4 515,0 1,3 0,0 1,0 13, São Francisco de Itabapoana 680,8 848,7 618,6 635,1 643,6 684,7 6,4 0,0 1,1 14, São Gonçalo , , , , , ,0 3,6 1,5 5,4 29, São João da Barra 616,6 583,6 617,4 666, ,5 697,7-59,1 0,0 0,3 22, São João de Meriti , , , , , ,6 7,3 0,7 4,7 27, São José de Ubá 70,2 59,8 74,8 87,8 53,1 56,5 6,2 0,0 0,3 7, São José do Vale do Rio Preto 285,9 284,0 319,0 330,9 319,0 348,4 9,2 0,0 1,1 16, São Pedro da Aldeia 4.757, , , , , ,0 3,9 0,3 7,9 71, São Sebastião do Alto 38,3 38,4 31,1 33,9 35,0 35,3 0,9 0,0 0,2 3, Sapucaia 230,3 252,2 287,8 308,8 337,3 355,2 5,3 0,0 1,0 20, Saquarema 5.221, , , , , ,8 10,7 0,5 10,0 142, Seropédica 1.217, , , , , ,2 7,2 0,1 1,5 16, Silva Jardim 168,0 177,2 171,0 169,7 173,3 399,4 130,5 0,0 0,6 17, Sumidouro 46,3 40,8 42,5 45,0 44,2 53,6 21,4 0,0 0,2 3, Tanguá 404, ,6 645,7 622,7 593,0-4,8 0,0 1,5 19, Teresópolis , , , , , ,3 15,9 0,9 8,0 107, Trajano de Moraes 28,7 30,7 43,4 32,1 25,7 46,0 78,8 0,0 0,2 4, Três Rios 2.306, , , , , ,8 10,4 0,2 4,1 41, Valença 2.176, , , , , ,9 39,1 0,3 7,8 85, Varre-Sai 42,5 41,6 41,9 40,8 42,1 36,4-13,6 0,0 0,2 4, Vassouras 925,2 964,4 797,6 722,4 781,0 871,3 11,6 0,0 1,4 25, Volta Redonda , , , , , ,3-36,1 1,9 6,9 140, Interior , , , , , ,6 0,8 32,2 4,0 61, Rio de Janeiro , , , , , ,1 2,1 67,8 10,9 206, Total , , , , , ,7 1,7 100,0 7,0 117,70 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a receita total ajustada dos efeitos da conta Fundef / Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). na rec. total a 53 receita

56 ranking IPTU Valores absolutos Posição Municípios IPTU Posição Municípios IPTU 1º Rio de Janeiro º Niterói º Duque de Caxias º Volta Redonda º Petrópolis º São Gonçalo º Nova Iguaçu º Angra dos Reis º Cabo Frio º Teresópolis º Campos dos Goytacazes º Maricá º São João de Meriti º Nova Friburgo º Itaguaí º Mangaratiba º Saquarema º Macaé º Araruama º Resende º Itaboraí º Rio das Ostras º Barra Mansa º Armação dos Búzios º Valença º Magé º São Pedro da Aldeia º Belford Roxo º Nilópolis º Mesquita º Paraty º Três Rios º Itaperuna º Iguaba Grande º Barra do Piraí º Itatiaia º Queimados º Miguel Pereira º Rio Bonito º Paraíba do Sul º Piraí º Guapimirim º Santo Antônio de Pádua º Casimiro de Abreu º Seropédica º Paty do Alferes º Cachoeiras de Macacu º Bom Jesus do Itabapoana º Vassouras º Cordeiro º Paracambi º São João da Barra º São Francisco de Itabapoana º Porciúncula º Tanguá º Quissamã º Miracema º São Fidélis º Itaocara º Japeri º Areal º Rio Claro º Pinheiral º Silva Jardim º Sapucaia º São José do Vale do Rio Preto º Porto Real º Natividade º Bom Jardim º Conceição de Macabu º Quatis º Italva º Engenheiro Paulo de Frontin º Arraial do Cabo º Macuco º Mendes º Carmo º Cantagalo º Rio das Flores º Santa Maria Madalena º Duas Barras º Carapebus º Cambuci º Cardoso Moreira º Comendador Levy Gasparian º Aperibé º São José de Ubá º Sumidouro º Laje do Muriaé º Trajano de Moraes º Varre-Sai º São Sebastião do Alto Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 54 Finanças dos Municípios Fluminenses

57 Valores per capita Posição Municípios IPTU per capita IPTU 1º Niterói º Mangaratiba º Armação dos Búzios º Rio de Janeiro º Angra dos Reis º Saquarema º Volta Redonda º Iguaba Grande º Maricá º Petrópolis º Itaguaí º Teresópolis º Cabo Frio º Paraty º Valença º Araruama º Rio das Ostras º Miguel Pereira º São Pedro da Aldeia º Itatiaia º Nova Friburgo º Resende º Piraí º Macaé º Duque de Caxias º Casimiro de Abreu º Paraíba do Sul º Paty do Alferes º Três Rios º Cordeiro º Barra Mansa º Areal º Macuco º Itaboraí º Campos dos Goytacazes º Santo Antônio de Pádua º Rio Bonito º Nilópolis º Porciúncula º Nova Iguaçu º Itaperuna º Guapimirim º São Gonçalo º Quissamã º São João de Meriti º Bom Jesus do Itabapoana Posição Municípios IPTU per capita IPTU 47º Vassouras º Magé º Barra do Piraí º Rio Claro º São João da Barra º Itaocara º Miracema º Quatis º Mesquita º Sapucaia º Tanguá º Natividade º Porto Real º Italva º Engenheiro Paulo de Frontin º Cachoeiras de Macacu º Silva Jardim º Pinheiral º Seropédica º São José do Vale do Rio Preto º Rio das Flores º Paracambi º Queimados º São Francisco de Itabapoana º Conceição de Macabu º São Fidélis º Santa Maria Madalena º Duas Barras º Mendes º Belford Roxo º Carapebus º Bom Jardim º Comendador Levy Gasparian º Carmo º Arraial do Cabo º Cambuci º São José de Ubá º Cardoso Moreira º Cantagalo º Laje do Muriaé º Aperibé º Trajano de Moraes º Japeri º Varre-Sai º São Sebastião do Alto º Sumidouro Total receita Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

58 ITBI O que é o ITBI? Desde a primeira Constituição Federal do período republicano brasileiro, em 1891, já era feita a cobrança do Imposto sobre Transmissão de Bens e Imóveis (ITBI). Durante as várias constituições que se sucederam, esse tributo acabou sofrendo alterações, sendo subdividido em causa mortis (herança ou sucessão) e inter vivos (transações imobiliárias) já na Constituição de A princípio, esses dois tributos eram de competência dos estados, mas com a Emenda Constitucional n 5, de 1961, houve uma divisão. As unidades da federação passaram a cuidar dos casos de herança ou sucessão, enquanto os municípios ficaram responsáveis pelas transações imobiliárias. Evolução da arrecadação do ITBI milhões - IPCA médio de Taxa de crescimento do ITBI em relação ao ano anterior Embora a Constituição de 1965 tenha novamente unificado esses dois impostos e recolocado nas mãos dos estados a tarefa de arrecadá-los, com a Constituição de 1988, eles foram definitivamente divididos e a competência do inter vivos voltou a ser das prefeituras, enquanto o ITBI causa mortis permaneceu a cargo dos estados. O ITBI tem como fato gerador a transmissão da propriedade ou do domínio útil de bens imóveis e a transmissão de direitos reais sobre imóveis, exceto os direitos reais de garantia. O contribuinte é definido em lei municipal, podendo ser qualquer uma das partes envolvidas na transação. A base de cálculo do imposto é o valor venal do imóvel, e a definição da alíquota que incide sobre essa base é de plena competência municipal, não existindo limite para sua fixação. Participação na arrecadação do ITBI - Em, a arrecadação do ITBI do conjunto dos municípios fluminenses somou R$ 542,7 milhões, mantendo sua trajetória de aumento 35,4 milhões, o que representou um acréscimo de 7% comparado com Mesmo sendo um bom desempenho, pode-se notar que desde 2007 houve uma desaceleração no ritmo de crescimento. Na cidade do Rio de Janeiro o recolhimento totalizou R$ 390 milhões, o que representou um aumento de 8%. Devido a seu elevado peso na arrecadação total do ITBI (71,9%), a capital angariou a maior soma de recursos adicionais, com R$ 28,9 milhões. Nos demais municípios, o aumento médio foi de 4,4%, o que totalizou uma arrecadação de R$ 152,8 milhões. Das 91 prefeituras do interior fluminense, 59 apresentaram aumento, sendo que em 31 delas foi superior a 20%. Outros 33 municípios mostraram um recuo desse imposto. 56 Finanças dos Municípios Fluminenses

59 Separados por faixas populacionais, as maiores expansões ocorreram nas menores cidades, com até 50 mil habitantes, cujo aumento médio foi próximo de 6,8%. Já nos maiores municípios, com mais de 100 mil habitantes, exceto a capital, a média de crescimento foi um pouco superior a 5%. As localidades com população entre 50 mil e 100 mil habitantes apresentaram retração de -4,3%. Essa queda foi influenciada por Rio das Ostras, que registrou uma queda de R$ 1 milhão em seus balanços. Desconsiderando-se esse município, o grupo apresenta um avanço de 8% no exercício de. O resultado obtido no interior se deve em grande parte ao avanço na arrecadação do ITBI nos municípios de Cabo Frio (R$ 4,5 milhões), São Gonçalo (R$ 2,2 milhões), Arraial do Cabo (R$ 2,1 milhões) e Niterói (R$ 1,5 milhão). Por outro lado, municípios como Itaguaí (-R$ 2,5 milhões), Nova Iguaçu (-R$ 1,8 milhão), Paraty (-R$ 1,2 milhão) e Rio das Ostras (-R$ 1 milhão) frearam a expansão. Relativamente, o município de Queimados foi o que mais se destacou, aumentando em mais de seis vezes sua arrecadação, seguidos por Arraial do Cabo e Miracema, que apresentaram um ITBI três vezes maior que no ano de Outros 13 municípios obtiveram resultados superiores a 50%. Em contrapartida, Itaguaí (-65,1%) e São Sebastião do Alto (-64,6%) foram os que apresentam maior queda. O Município de Cambuci registrou recolhimento muito pequeno em seus balanços contábeis de 2008, distorcendo a variação com. Taxa de crescimento do ITBI por faixa populacional - /2008 A arrecadação média per capita foi de R$ 33,90. Dos cinco municípios com melhor resultado, os três primeiros se concentram na faixa populacional que compreende os municípios de 25 mil até 50 mil habitantes. São eles: Armação dos Búzios (R$ 138,47), Arraial do Cabo (R$ 107,95) e Mangaratiba (R$ 91,79). Os outros dois municípios são Rio das Ostras (R$ 85,36) e Niterói (R$ 84,17). A participação do ITBI na receita total dos municípios fluminenses foi em média de 2%. O tributo foi mais importante em Arraial do Cabo (6,1%), Niterói (4,6%), Armação dos Búzios (3,6%) e no Rio de Janeiro (3,3%). receita 57

60 evolução ITBI Município Variação Participação / no total na rec do ITBI total a mil - IPCA médio de em % ITBI per capita Angra dos Reis 3.734, , , , , ,2 3,6 1,1 1,2 36, Aperibé 12, ,7 15,6 31,7 28,6-9,6 0,0 0,1 2, Araruama 1.327, , , , , ,1 22,5 0,4 1,7 19, Areal 61,5 120,8 92,4 170,5 197,0 158,3-19,7 0,0 0,6 13, Armação dos Búzios 2.578, , , , , ,6-9,2 0,7 3,6 138, Arraial do Cabo 615,5 587,2 568,7 818,0 824, ,4 252,3 0,5 6,1 107, Barra do Piraí 264,7 402,3 493,2 573,1 628,1 561,0-10,7 0,1 0,5 5, Barra Mansa 643,0 765,3 781,6 928, , ,4 0,9 0,2 0,4 6, Belford Roxo 219,6 317,8 325,9 529, ,6 667,2-46,7 0,1 0,2 1, Bom Jardim 128,3 181,9 133,6 177,7 208,8 257,6 23,3 0,0 0,6 9, Bom Jesus do Itabapoana 183,3 155,7 173,4 98,0 236,3 256,9 8,7 0,0 0,6 7, Cabo Frio 3.616, , , , , ,2 88,8 1,8 2,6 51, Cachoeiras de Macacu 338,6 331,3 359,0 632,2 552,9 705,2 27,6 0,1 0,6 12, Cambuci 39, ,7 5,6 0,4 42, ,1 0,0 0,1 2, Campos dos Goytacazes 2.437, , , , , ,4 10,1 1,3 0,5 16, Cantagalo 77,5 58,5 125,8 84,1 122,7 243,4 98,4 0,0 0,5 11, Carapebus 39,5 37,2 19,3 40,0 13,3 15,4 15,4 0,0 0,0 1, Cardoso Moreira 24,1 32,4 26,9 49,4 74,6 52,1-30,1 0,0 0,2 4, Carmo 34,0 36,3 50,6 54,5 42,4 74,1 74,6 0,0 0,2 4, Casimiro de Abreu 188,4 195,3 202,4 268,9 325,4 491,6 51,1 0,1 0,4 16, Comendador Levy Gasparian 60,1 12,0 10,8 38,3 49,8 31,7-36,2 0,0 0,2 3, Conceição de Macabu 49,3 180,0 35,0 35,8 33,6 68,5 103,9 0,0 0,2 3, Cordeiro 80,9 31,4 18,6 65,5 62,3 119,2 91,3 0,0 0,4 5, Duas Barras 39,3 54,3 56,6 192,1 68,0 53,0-22,1 0,0 0,2 4, Duque de Caxias 1.874, , , , , ,6 35,7 0,5 0,2 3, Engenheiro Paulo de Frontin 17,4 38,2 30,0 20,4 48,1 50,4 4,6 0,0 0,2 3, Guapimirim ,0 380,9 365,0 442,4 430,2-2,8 0,1 0,5 8, Iguaba Grande 331,1 394,6 375,1 459,5 546,3 605,4 10,8 0,1 1,4 26, Itaboraí 1.205, ,6 698, , , ,8 17,7 0,5 1,1 11, Itaguaí 398,9 452,4 646,8 649, , ,9-65,1 0,3 0,6 12, Italva 24,5 19,6 20,6 31,1 31,7 37,6 18,5 0,0 0,1 2, Itaocara 52,8 78,9 99,0 137,4 150,7 178,0 18,1 0,0 0,5 7, Itaperuna 449,9 580,5 570,9 553,9 829,7 837,9 1,0 0,2 0,5 8, Itatiaia 157,6 362,3 331,4 517,8 500,7 342,2-31,7 0,1 0,6 9, Japeri 11,5 10,8 12,1 22,1 37,8 40,8 8,0 0,0 0,0 0, Laje do Muriaé 20,4 19,0 17,8 7,8 11,3 19,0 68,8 0,0 0,1 2, Macaé 3.149, , , , , ,9-12,7 1,2 0,6 32, Macuco 47,6 13,7 29,8 21,4 18,5 36,7 98,0 0,0 0,2 6, Magé 286,6 302,1 437,5 644,8 810,5 819,2 1,1 0,2 0,3 3, Mangaratiba 1.328, , , , , ,3 3,7 0,6 2,1 91, Maricá 2.388, , , , , ,2 9,2 0,6 2,5 28, Mendes 82,1 77,8 76,0 67,0 75,9 79,5 4,8 0,0 0,3 4, Mesquita 219,0 413,9 419,1 439,6 455,7 422,2-7,3 0,1 0,3 2, Miguel Pereira 218,8 259,3 289,0 367,0 393,0 461,4 17,4 0,1 1,0 17, Miracema 71,3 57,2 89,8 68,8 26,7 87,1 226,0 0,0 0,2 3, Natividade 71,7 67,1 82,2 58,9 70,9 83,3 17,5 0,0 0,2 5, Nilópolis 367,7 457,0 606,8 655,5 701,7 896,8 27,8 0,2 0,7 5, Niterói , , , , , ,6 3,9 7,4 4,6 84,17 58 Finanças dos Municípios Fluminenses

61 Município Variação / no total 2008 do ITBI mil - IPCA médio de em % Participação ITBI per capita Nova Friburgo 1.820, , , , , ,6-3,1 0,6 1,4 16, Nova Iguaçu 1.750, , , , , ,2-29,3 0,8 0,6 5, Paracambi 55,5 44,5 36,5 51,2 55,5 77,8 40,2 0,0 0,1 1, Paraíba do Sul ,2 337,6 498,3 431,9-13,3 0,1 0,8 10, Paraty 893, , , , , ,3-48,4 0,2 1,0 35, Paty do Alferes 131,6 168,3 153,3 124,0 141,1 195,3 38,5 0,0 0,4 7, Petrópolis 5.244, , , , , ,8 15,5 1,3 1,1 22, Pinheiral 33,8 66,6 35,0 87,8 88,1 90,0 2,2 0,0 0,3 4, Piraí 116,9 180,6 155,0 173,7 224,1 239,1 6,7 0,0 0,2 9, Porciúncula 33,4 46,1 43,3 49,0 94,4 89,1-5,6 0,0 0,3 4, Porto Real 44,7 54,5 231,2 89,4 130,0 123,6-4,9 0,0 0,1 7, Quatis 24,6 24,3 27,5 32,0 27,6 45,2 63,6 0,0 0,2 3, Queimados 60,2 69,1 138,1 135,7 82,7 559,6 577,0 0,1 0,6 4, Quissamã 112,2 212,1 42,8 34,1 85,0 78,7-7,4 0,0 0,0 3, Resende 1.068, , , , , ,9-6,7 0,4 1,0 16, Rio Bonito 239,7 164,0 449,4 337,1 230,4 427,7 85,7 0,1 0,6 7, Rio Claro 41,2 97,0 126,7 132,6 163,6 165,5 1,2 0,0 0,4 9, Rio das Flores 73,0 49,1 27,6 50,2 85,0 114,2 34,4 0,0 0,4 13, Rio das Ostras 3.264, , , , , ,1-11,2 1,5 2,1 85, Santa Maria Madalena 129,6 39,6 69,6 52,5 101,7 114,6 12,7 0,0 0,4 10, Santo Antônio de Pádua 202,6 256,6 235,6 181,6 202,1 273,9 35,5 0,1 0,5 6, São Fidélis 159,0 189,7 205,0 181,4 192,0 315,5 64,3 0,1 0,6 8, São Francisco de Itabapoana 175,0 245,6 275,9 162,7 175,0 123,0-29,7 0,0 0,2 2, São Gonçalo 2.740, , , , , ,5 40,7 1,4 1,4 7, São João da Barra 178,7 226,7 97,9 530,6 143,0 199,9 39,8 0,0 0,1 6, São João de Meriti 633,2 884,7 651,2 485,8 974,2 812,3-16,6 0,1 0,3 1, São José de Ubá 39,7 22,6 19,4 31,7 15,5 20,2 30,2 0,0 0,1 2, São José do Vale do Rio Preto 54,8 61,5 92,8 122,0 121,3 174,3 43,7 0,0 0,5 8, São Pedro da Aldeia 585,6 666,5 698,7 744,8 940, ,3 30,9 0,2 1,6 14, São Sebastião do Alto 16,8 45,7 25,3 23,1 102,4 36,3-64,6 0,0 0,2 4, Sapucaia 101,6 126,5 82,1 87,3 192,2 114,9-40,2 0,0 0,3 6, Saquarema 1.005, , , , , ,5-6,7 0,3 1,4 19, Seropédica 147,8 153,0 143,7 299,5 283,5 310,4 9,5 0,1 0,4 3, Silva Jardim 160,6 178,3 119,3 236,8 293,5 170,8-41,8 0,0 0,2 7, Sumidouro 52,9 62,9 58,3 65,9 72,4 82,1 13,4 0,0 0,3 5, Tanguá 88, ,7 89,9 172,2 172,1-0,1 0,0 0,4 5, Teresópolis 3.782, , , , , ,0-0,2 0,9 2,2 30, Trajano de Moraes 33,4 23,8 11,8 24,6 45,0 75,0 66,6 0,0 0,3 7, Três Rios 223,9 172,3 201,8 359,3 473,5 281,1-40,6 0,1 0,4 3, Valença 250,3 293,1 403,0 486,6 373,8 402,7 7,7 0,1 0,5 5, Varre-Sai 14,9 36,1 17,5 24,9 22,3 36,7 64,2 0,0 0,2 4, Vassouras 140,7 184,8 193,0 175,9 247,3 223,4-9,7 0,0 0,4 6, Volta Redonda 1.783, , , , , ,7-10,3 0,5 0,5 10, Interior , , , , , ,6 4,4 28,1 1,0 15, Rio de Janeiro , , , , , ,5 8,0 71,9 3,3 63, Total , , , , , ,1 7,0 100,0 2,0 33,90 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a receita total ajustada dos efeitos da conta Fundef / Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). na rec. total a 59 receita

62 ranking ITBI Valores absolutos Posição Municípios ITBI Posição Municípios ITBI 1º Rio de Janeiro º Niterói º Cabo Frio º Rio das Ostras º São Gonçalo º Campos dos Goytacazes º Petrópolis º Macaé º Angra dos Reis º Teresópolis º Nova Iguaçu º Armação dos Búzios º Maricá º Nova Friburgo º Mangaratiba º Duque de Caxias º Arraial do Cabo º Volta Redonda º Itaboraí º Araruama º Resende º Saquarema º Itaguaí º Paraty º São Pedro da Aldeia º Barra Mansa º Nilópolis º Itaperuna º Magé º São João de Meriti º Cachoeiras de Macacu º Belford Roxo º Iguaba Grande º Barra do Piraí º Queimados º Casimiro de Abreu º Miguel Pereira º Paraíba do Sul º Guapimirim º Rio Bonito º Mesquita º Valença º Itatiaia º São Fidélis º Seropédica º Três Rios º Santo Antônio de Pádua º Bom Jardim º Bom Jesus do Itabapoana º Cantagalo º Piraí º Vassouras º São João da Barra º Paty do Alferes º Itaocara º São José do Vale do Rio Preto º Tanguá º Silva Jardim º Rio Claro º Areal º Porto Real º São Francisco de Itabapoana º Cordeiro º Sapucaia º Santa Maria Madalena º Rio das Flores º Pinheiral º Porciúncula º Miracema º Natividade º Sumidouro º Mendes º Quissamã º Paracambi º Trajano de Moraes º Carmo º Conceição de Macabu º Duas Barras º Cardoso Moreira º Engenheiro Paulo de Frontin º Quatis º Cambuci º Japeri º Italva º Macuco º Varre-Sai º São Sebastião do Alto º Comendador Levy Gasparian º Aperibé º São José de Ubá º Laje do Muriaé º Carapebus Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 60 Finanças dos Municípios Fluminenses

63 Valores per capita Posição Municípios ITBI per capita ITBI 1º Armação dos Búzios º Arraial do Cabo º Mangaratiba º Rio das Ostras º Niterói º Rio de Janeiro º Cabo Frio º Angra dos Reis º Paraty º Macaé º Teresópolis º Maricá º Iguaba Grande º Petrópolis º Saquarema º Araruama º Miguel Pereira º Nova Friburgo º Campos dos Goytacazes º Casimiro de Abreu º Resende º São Pedro da Aldeia º Areal º Rio das Flores º Itaguaí º Cachoeiras de Macacu º Cantagalo º Itaboraí º Santa Maria Madalena º Volta Redonda º Paraíba do Sul º Bom Jardim º Itatiaia º Piraí º Rio Claro º Guapimirim º São José do Vale do Rio Preto º Itaperuna º São Fidélis º Itaocara º Rio Bonito º São Gonçalo º Silva Jardim º Porto Real º Trajano de Moraes º Paty do Alferes Posição Municípios ITBI per capita ITBI 47º Bom Jesus do Itabapoana º Sapucaia º São João da Barra º Macuco º Vassouras º Santo Antônio de Pádua º Barra Mansa º Cordeiro º Tanguá º Nilópolis º Natividade º Barra do Piraí º Sumidouro º Valença º Nova Iguaçu º Duas Barras º Porciúncula º Mendes º Cardoso Moreira º Varre-Sai º Carmo º Pinheiral º Queimados º São Sebastião do Alto º Quissamã º Seropédica º Engenheiro Paulo de Frontin º Três Rios º Comendador Levy Gasparian º Quatis º Duque de Caxias º Magé º Conceição de Macabu º Miracema º Aperibé º Cambuci º São José de Ubá º São Francisco de Itabapoana º Italva º Laje do Muriaé º Mesquita º São João de Meriti º Paracambi º Belford Roxo º Carapebus º Japeri Total receita Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

64 Taxas Taxas são tributos com destinação vinculada ao custeio de determinadas atividades realizadas pelo governo. Uma das principais características das taxas é sua cobrança estar vinculada a alguma atividade estatal específica, diferentemente do imposto cuja cobrança é independente deste tipo de atividade. A tributação municipal de taxas foi instituída a partir da Constituição Federal de 1934 (artigo 13, 2º, V). Em 1965, com a aprovação da Emenda Constitucional nº 18, as taxas foram subdivididas em dois grupos. O primeiro, composto de taxas pela prestação de serviços cuja receita destina-se ao custeio de serviços públicos prestados ao contribuinte ou postos a sua disposição, específicos e divisíveis, ou seja, podem ser utilizados separadamente pelos seus usuários. O segundo compreende as taxas pelo exercício do poder de polícia, recolhidas para custear as atividades relativas à segurança, higiene, ordem social e urbana, autorização para o funcionamento de atividades econômicas, etc. Desempenho Os municípios fluminenses arrecadaram em conjunto, R$ 469,7 milhões com taxas em, representando uma expansão de 4,1% em relação ao ano anterior, o que gerou uma receita adicional de R$ 18,5 milhões. Na capital, esse resultado foi 5,3% maior que em 2008, o que configurou o terceiro ano de aumento seguido. Foram arrecadados, no total, R$ 278,7 milhões, gerando R$ 14,1 milhões em recursos adicionais. Com isso, o Município do Rio de Janeiro passou a ser responsável por 59,3% de toda a arrecadação com taxas efetuada no Estado. Evolução da arrecadação das taxas milhões - IPCA médio de A base de cálculo da taxa deve estar vinculada ao custo da atividade prestada ou posta à disposição do contribuinte. Desta forma, deve haver uma razoável equivalência de valor global entre o custo da Administração Pública e a receita prevista pela cobrança do tributo. Os municípios possuem competência para definir os critérios de distribuição desses custos entre os contribuintes, considerando sempre os princípios de divisibilidade e especificidade da atividade pública, exigidas pelo artigo 145, inciso II, da Constituição Federal. Taxa de crescimento da arrecadação de taxas em relação ao ano anterior Algumas vezes, a aplicabilidade desses princípios é controversa, o que tem resultado em frequentes questionamentos legais. Foi o que aconteceu com a Taxa de Iluminação Pública (TIP), que sofreu inúmeras contestações, quando ganhou força o argumento de que o uso da iluminação pública não seria específico nem divisível. Esse entendimento levou o Supremo Tribunal Federal a firmar jurisprudência contra a sua cobrança, em Contudo, dada a dificuldade dos municípios em custear os serviços de iluminação, foi promulgada a Emenda Constitucional nº 39, em 2002, que criou a Contribuição para o Custeio dos Serviços de Iluminação Pública (Cosip) e permitiu que sua cobrança fosse feita através das contas de energia elétrica. Em termos contábeis, os municípios que trocaram a TIP pela Cosip deixaram de registrar os valores no item taxas, da receita tributária, para inseri-los no item da receita de contribuições econômicas. No interior, o valor arrecadado foi de R$ 190,9 milhões, o que representou uma expansão de 2,3%. Com o aumento de R$ 4,4 milhões, essas localidades emplacaram a quarta elevação seguida na arrecadação de taxas, mantendo a trajetória iniciada em Em valores absolutos, excluindo a capital, apresentaram as expansões mais vigorosas as cidades de Campos dos Goytacazes (R$ 3,2 milhões), Nova Iguaçu (R$ 2,3 milhões) e Três Rios (R$ 1,1 milhão). Em contrapartida, Niterói (-R$ 5,4 milhões), Angra dos Reis (-R$ 2,0 milhões) e Petrópolis (-R$ 809,2 mil) tiveram os piores desempenhos. 62 Finanças dos Municípios Fluminenses

65 Dos municípios que mais expandiram suas arrecadações com taxas, Rio das Flores se destacou com um resultado superior a quatro vezes o alcançado em Três Rios, Cardoso Moreira e Trajano de Morais tiveram resultado superior a três vezes o recolhido no ano anterior. Já Casimiro de Abreu, São José de Ubá e Quissamã mais que dobraram suas receitas com taxas. Devido a uma inexpressiva arrecadação em 2007 e 2008, Cambuci figura entre os maiores avanços. Os municípios de Angra dos Reis (-81%), Guapimirim (-78,3%), Valença (-58,6%), Rio Bonito (-55,5%) e Engenheiro Paulo de Frontin (-53,3%) apresentaram os piores resultados. Participação das taxas na receita total municipal. No entanto, em, a participação voltou a subir e a média ficou em 1,3%. Elas acabaram sendo mais significativas nos orçamentos de Teresópolis (4,6%) e Araruama (4,4%). Resultado per capita A arrecadação per capita média ficou 29,33, resultado fortemente influenciado pela cidade do Rio de Janeiro, onde a receita com taxas por habitante ficou 45,03. Ao desconsiderar a capital, essa média nas demais localidades cai para R$ 19,44. Nessa conjuntura, destacam-se os municípios de Armação dos Búzios (R$ 121,04), Mangaratiba (R$ 95,88), Teresópolis (R$ 62,29) e Niterói (R$ 59,90), que apresentaram os melhores resultados. Enquanto que Valença ficou com R$ 0,48 por habitante, sendo o único município com arrecadação inferior a R$ 1. Arrecadação de taxas per capita Ao longo dos últimos anos, a participação das taxas na receita total da capital não sofreu grandes oscilações. Em ela foi responsável por 2,4% do orçamento municipal, o mesmo percentual encontrado em 2007 e ligeiramente abaixo do observado em receita No interior, até o ano de 2008, houve uma leve tendência de queda na representatividade das taxas na receita 63 Cada vez mais presente nas prefeituras de todo o Brasil Tel.: (27)

66 evolução Taxas Município Variação Participação / no total na rec das taxas total a mil - IPCA médio de em % Taxas per capita Angra dos Reis 1.767, , , , ,3 480,6-81,0 0,1 0,1 2, Aperibé 59, ,6 55,1 54,0 77,5 43,4 0,0 0,3 8, Araruama 4.176, , , , , ,7-1,6 1,1 4,4 48, Areal 213,3 220,0 260,6 257,6 191,9 245,3 27,8 0,1 1,0 20, Armação dos Búzios 2.565, , , , , ,2 0,8 0,7 3,2 121, Arraial do Cabo 696,9 559,1 621,2 616,5 658,2 752,5 14,3 0,2 1,6 27, Barra do Piraí 1.889, , , , , ,4 4,9 0,5 2,0 23, Barra Mansa 269,0 968, , , , ,7 8,8 0,3 0,6 7, Belford Roxo 2.594, , , , , ,4 17,4 1,2 1,7 10, Bom Jardim 482,7 572,8 523,5 358,9 589,8 621,2 5,3 0,1 1,5 23, Bom Jesus do Itabapoana 206,9 166,9 315,6 428,3 468,0 560,0 19,7 0,1 1,2 15, Cabo Frio 2.606, , , , , ,0-3,2 1,0 1,3 25, Cachoeiras de Macacu 79,0 60,1 708,9 73,5 0,0 73,6.. 0,0 0,1 1, Cambuci 41, ,2 2,4 2,2 45,2 1970,9 0,0 0,2 3, Campos dos Goytacazes 406, , , , , ,5 77,2 1,5 0,5 16, Cantagalo 299,8 232,8 190,3 262,5 348,2 311,6-10,5 0,1 0,7 15, Carapebus 61,1 56,1 53,4 53,3 54,4 55,7 2,4 0,0 0,1 4, Cardoso Moreira 61,1 37,9 65,0 86,9 51,4 191,0 271,5 0,0 0,8 15, Carmo 66,6 72,0 71,8 71,4 74,2 78,4 5,6 0,0 0,2 4, Casimiro de Abreu 61,7 69,1 86,4 90,7 64,6 187,0 189,6 0,0 0,1 6, Comendador Levy Gasparian 186,4 183,4 64,2 31,9 27,1 25,6-5,3 0,0 0,1 2, Conceição de Macabu 96,6 125,1 298,7 339,2 384,7 411,2 6,9 0,1 1,1 19, Cordeiro 40,1 54,1 3,5 5,1 0,0 136,7.. 0,0 0,5 6, Duas Barras 76,2 81,7 85,8 87,9 30,0 29,3-2,4 0,0 0,1 2, Duque de Caxias 3.337, , , , , ,3 6,6 1,2 0,5 6, Engenheiro Paulo de Frontin 23,2 45,4 30,4 39,4 51,4 24,0-53,3 0,0 0,1 1, Guapimirim ,4 433,8 444,3 396,9 86,2-78,3 0,0 0,1 1, Iguaba Grande 599,4 651,9 567,2 589,1 648,7 612,2-5,6 0,1 1,4 26, Itaboraí 8.056, , , , , ,4-4,3 0,7 1,3 13, Itaguaí 1.056, , , , , ,5 15,8 0,4 0,8 18, Italva 55,2 59,0 59,0 87,6 89,8 54,3-39,6 0,0 0,2 3, Itaocara 99,8 115,8 128,0 122,2 178,6 94,5-47,1 0,0 0,3 4, Itaperuna 958, ,2 908,7 918,4 928, ,1 28,1 0,3 0,8 11, Itatiaia 118,6 149,8 297,6 437,9 661,4 558,0-15,6 0,1 0,9 15, Japeri 1.442,9 248,2 393,0 368,4 255,1 405,6 59,0 0,1 0,4 3, Laje do Muriaé 22,3 14,4 15,6 19,7 21,2 21,4 0,9 0,0 0,1 2, Macaé 4.481, , , , , ,5 8,1 1,2 0,5 29, Macuco 52,8 0,0 51,4 69,0 64,7 75,6 16,8 0,0 0,4 13, Magé 2.065, , , , , ,0 1,1 0,8 1,6 15, Mangaratiba 4.535, , , , , ,2 26,4 0,7 2,2 95, Maricá 932,1 898, , , , ,0-17,1 0,3 1,0 11, Mendes 382,2 402,6 422,4 444,4 451,7 479,4 6,1 0,1 1,7 26, Mesquita 1.987, , , , , ,3 73,0 0,5 1,7 11, Miguel Pereira 209,3 180,7 191,0 209,3 204,6 208,5 1,9 0,0 0,5 8, Miracema 177,8 197,4 510,9 545,4 614,7 336,8-45,2 0,1 0,8 12, Natividade 50,7 48,5 53,9 64,2 84,2 159,2 89,1 0,0 0,5 10, Nilópolis 3.686, , , , , ,7-1,6 1,0 3,4 28, Niterói , , , , , ,2-15,9 6,1 3,2 59,90 64 Finanças dos Municípios Fluminenses

67 Município Participação Variação / no total 2008 das taxas mil - IPCA médio de em % Taxas per capita Nova Friburgo , , , , , ,5 5,9 1,5 3,3 39, Nova Iguaçu , , , , , ,5 21,3 2,8 1,8 15, Paracambi 317,4 266,6 484,8 376,9 346,6 357,2 3,1 0,1 0,5 7, Paraíba do Sul ,4 578, , ,3 11,2 0,3 2,7 34, Paraty 1.414, , , , , ,2-9,0 0,3 1,1 40, Paty do Alferes 436,0 346,5 337,4 347,3 348,5 360,6 3,5 0,1 0,8 13, Petrópolis , , , , , ,5-5,6 2,9 2,1 43, Pinheiral 124,1 202,4 72,2 103,3 94,8 95,7 1,0 0,0 0,3 4, Piraí 852,0 702,9 921, , , ,9 5,6 0,2 1,0 40, Porciúncula 87,6 111,1 68,3 95,1 82,8 117,3 41,7 0,0 0,4 6, Porto Real 68,4 238,4 288,1 247,1 94,7 89,0-6,0 0,0 0,1 5, Quatis 78,4 292,3 304,5 373,8 363,6 367,5 1,1 0,1 1,2 27, Queimados 874,0 543,6 545,0 596,0 504,0 567,3 12,6 0,1 0,6 4, Quissamã 51,2 41,0 14,3 19,2 15,8 32,3 104,7 0,0 0,0 1, Resende 348,1 338,4 322,9 765,5 644,6 816,0 26,6 0,2 0,4 6, Rio Bonito 652,4 639,2 490,2 762,1 182,2 81,1-55,5 0,0 0,1 1, Rio Claro 162,6 190,0 172,0 250,5 233,6 210,0-10,1 0,0 0,5 11, Rio das Flores 37,8 40,5 25,7 27,4 55,7 255,4 358,4 0,1 0,8 29, Rio das Ostras 2.651, , , , , ,4 16,4 0,7 0,8 33, Santa Maria Madalena 100,9 100,0 94,7 105,9 110,7 123,5 11,6 0,0 0,4 11, Santo Antônio de Pádua 204,4 364,2 431,1 349,4 405,2 457,1 12,8 0,1 0,8 10, São Fidélis 423,0 870,7 696,9 868,0 814,2 827,7 1,7 0,2 1,7 21, São Francisco de Itabapoana 534,5 465,7 401,5 399,5 513,3 479,9-6,5 0,1 0,8 10, São Gonçalo , , , , , ,7 3,2 4,1 3,5 19, São João da Barra 283,2 188,1 214,9 251,1 255,8 279,6 9,3 0,1 0,1 9, São João de Meriti 5.678, , , , , ,3 8,6 1,5 2,6 15, São José de Ubá 6,1 89,0 53,1 46,0 39,7 113,3 185,3 0,0 0,5 15, São José do Vale do Rio Preto 363,8 366,2 470,4 492,3 508,2 531,2 4,5 0,1 1,6 25, São Pedro da Aldeia 1.564, , , , , ,1-3,8 0,4 2,4 21, São Sebastião do Alto 23,3 21,3 21,6 47,1 30,9 34,4 11,2 0,0 0,1 3, Sapucaia 142,4 158,9 166,3 181,4 199,9 201,1 0,6 0,0 0,5 11, Saquarema 1.786, , , , , ,3 3,9 0,4 1,9 27, Seropédica 1.042,1 332,4 283,0 538,6 509,2 525,0 3,1 0,1 0,6 6, Silva Jardim 262,2 227,1 258,1 276,7 298,2 230,2-22,8 0,0 0,3 10, Sumidouro 22,1 26,2 26,4 22,0 25,9 28,2 9,0 0,0 0,1 1, Tanguá 297, ,3 503,0 510,2 462,5-9,4 0,1 1,2 15, Teresópolis 9.365, , , , , ,5 0,7 2,1 4,6 62, Trajano de Moraes 25,7 20,7 10,6 3,5 9,8 30,5 210,7 0,0 0,1 3, Três Rios 372,9 485,0 941,9 256,6 359, ,2 293,0 0,3 1,8 18, Valença 181,6 161,9 253,4 241,5 88,3 36,5-58,6 0,0 0,0 0, Varre-Sai 20,4 24,0 19,3 21,1 32,8 28,3-13,7 0,0 0,1 3, Vassouras 90,9 138,1 253,4 315,7 245,7 241,5-1,7 0,1 0,4 7, Volta Redonda 1.109, , , , , ,0 10,2 0,3 0,3 5, Interior , , , , , ,7 2,3 40,7 1,3 19, Rio de Janeiro , , , , , ,6 5,3 59,3 2,4 45, Total , , , , , ,2 4,1 100,0 1,8 29,33 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a receita total ajustada dos efeitos da conta Fundef / Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). na rec. total a 65 receita

68 ranking Taxas Valores absolutos Posição Municípios Taxas Posição Municípios Taxas 1º Rio de Janeiro º Niterói º São Gonçalo º Petrópolis º Nova Iguaçu º Teresópolis º Campos dos Goytacazes º Nova Friburgo º São João de Meriti º Macaé º Belford Roxo º Duque de Caxias º Araruama º Cabo Frio º Nilópolis º Magé º Armação dos Búzios º Rio das Ostras º Mangaratiba º Itaboraí º Barra do Piraí º Mesquita º Itaguaí º Saquarema º São Pedro da Aldeia º Volta Redonda º Paraty º Maricá º Paraíba do Sul º Três Rios º Barra Mansa º Itaperuna º Piraí º São Fidélis º Resende º Arraial do Cabo º Bom Jardim º Iguaba Grande º Queimados º Bom Jesus do Itabapoana º Itatiaia º São José do Vale do Rio Preto º Seropédica º Angra dos Reis º São Francisco de Itabapoana º Mendes º Tanguá º Santo Antônio de Pádua º Conceição de Macabu º Japeri º Quatis º Paty do Alferes º Paracambi º Miracema º Cantagalo º São João da Barra º Rio das Flores º Areal º Vassouras º Silva Jardim º Rio Claro º Miguel Pereira º Sapucaia º Cardoso Moreira º Casimiro de Abreu º Natividade º Cordeiro º Santa Maria Madalena º Porciúncula º São José de Ubá º Pinheiral º Itaocara º Porto Real º Guapimirim º Rio Bonito º Carmo º Aperibé º Macuco º Cachoeiras de Macacu º Carapebus º Italva º Cambuci º Valença º São Sebastião do Alto º Quissamã º Trajano de Moraes º Duas Barras º Varre-Sai º Sumidouro º Comendador Levy Gasparian º Engenheiro Paulo de Frontin º Laje do Muriaé Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 66 Finanças dos Municípios Fluminenses

69 Valores per capita Posição Municípios Taxas Taxas per capita 1º Armação dos Búzios º Mangaratiba º Teresópolis º Niterói º Araruama º Rio de Janeiro º Petrópolis º Piraí º Paraty º Nova Friburgo º Paraíba do Sul º Rio das Ostras º Macaé º Rio das Flores º Nilópolis º Arraial do Cabo º Quatis º Saquarema º Mendes º Iguaba Grande º São José do Vale do Rio Preto º Cabo Frio º Bom Jardim º Barra do Piraí º São Pedro da Aldeia º São Fidélis º Areal º Conceição de Macabu º São Gonçalo º Itaguaí º Três Rios º Campos dos Goytacazes º Bom Jesus do Itabapoana º Magé º Itatiaia º São José de Ubá º Cardoso Moreira º São João de Meriti º Cantagalo º Tanguá º Nova Iguaçu º Paty do Alferes º Macuco º Itaboraí º Miracema º Itaperuna Posição Municípios Taxas Taxas per capita 47º Mesquita º Sapucaia º Maricá º Santa Maria Madalena º Rio Claro º Belford Roxo º Santo Antônio de Pádua º Silva Jardim º Natividade º São Francisco de Itabapoana º São João da Barra º Aperibé º Miguel Pereira º Paracambi º Barra Mansa º Vassouras º Cordeiro º Seropédica º Porciúncula º Resende º Duque de Caxias º Casimiro de Abreu º Volta Redonda º Porto Real º Carapebus º Carmo º Pinheiral º Itaocara º Queimados º Japeri º São Sebastião do Alto º Italva º Varre-Sai º Trajano de Moraes º Cambuci º Comendador Levy Gasparian º Angra dos Reis º Duas Barras º Laje do Muriaé º Sumidouro º Engenheiro Paulo de Frontin º Guapimirim º Quissamã º Rio Bonito º Cachoeiras de Macacu º Valença Total receita Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

70 Pessoal Desempenho Os municípios do Rio de Janeiro registraram, em, um gasto com pessoal, incluindo as despesas com encargos sociais, inativos e pensionistas, de R$ 13,24 bilhões, superando ligeiramente o valor de 13,07 bilhões registrados em Esse resultado mostra que houve um desaquecimento no aumento dos gastos com pessoal. Nos últimos anos, a despesa com funcionalismo público tem tido taxas de crescimento bem oscilantes, variando entre 1,4% e 18,9%. O crescimento de 1,4%, apontado em, foi um dos menores da década, indicativo de que houve certa precaução das administrações municipais em refrear os gastos com essa categoria de despesa para manter regularizadas as contas num cenário de crise econômica. Taxas anuais de crescimento da despesa com pessoal em relação ao ano anterior que lideraram o ranking com percentuais acima de 40%. Enquanto isso, 40 tiveram crescimento inferior a 10%, como a capital, que praticamente manteve seus gastos constantes (taxa de 0,4%). A cidade do Rio de Janeiro desembolsou, em, R$ 6,18 bilhões com pessoal, valor que correspondeu a 46,6% do total da despesa efetuada pelos municípios do Estado. Os dez municípios com maior gasto com pessoal representam 72,1% do total do Estado do Rio de Janeiro. Evolução do gasto com pessoal e receita corrente bilhões - IPCA médio de Pessoal na receita corrente Dos 92 municípios fluminense, 16 recuaram os valores pagos com pessoal em. Desses, cinco tiveram quedas superiores a 10%, se comparados a 2008: Nova Iguaçu (-22%), Campos dos Goytacazes (-21,2%), Trajano de Moraes (-20,2%), Quissamã (-14,8%) e Paraíba do Sul (-14%). Nos casos de Campos dos Goytacazes, Nova Iguaçu e Quissamã, a intensidade da queda deve-se ao fato de terem acusado forte aumento dos gastos com pessoal em Por outro lado, entre os 76 municípios que apresentaram aumento nos gastos com pessoal, 16 tiveram taxas superiores a 20%. Entre eles estão Bom Jardim e Paraty, Entre os municípios do interior, a desaceleração do gasto com pessoal foi menor que a queda da receita corrente municipal provocada pela crise financeira internacional. Com isso, a participação da despesa com pessoal na receita corrente saltou de 43,8%, em 2008, para 47,5%, em. Nesse grupo, São Pedro da Aldeia e Italva comprometeram, respectivamente, 71,4% e 68,2%. Já os menores índices ocorreram em São João da Barra (27,5%), Itaperuna (34,1%) e Paraty (34,2%). Na capital fluminense, o nível de comprometimento da receita corrente com a despesa de pessoal praticamente repetiu o resultado de 2008, de 55%, valor acima da média do total dos municípios do Rio de Janeiro, de 50,5%. A cidade registrou crescimento no gasto com pessoal (0,4%) inferior ao da receita corrente (1,5%). 68 Finanças dos Municípios Fluminenses

71 Evolução da participação da despesa com pessoal na receita corrente Desse total, referem-se à cidade do Rio de Janeiro, ou seja, 28,8% do total. A maioria (60,1%) está contratada sob o regime estatutário, enquanto que outros 15,3% são regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Os servidores comissionados equivalem a 9,5% do total, e os estagiários a 1,6%. Os 13,5% restantes são formados por servidores sem vínculo permanente. Proporção de municípios em relação à participação do gasto com pessoal na receita corrente Segundo o IBGE, essa última categoria abriga todos os servidores cedidos por outros órgãos públicos federais ou estaduais, os prestadores de serviços que atuam como profissionais liberais - por exemplo, um contador contratado pela prefeitura para fazer o balanço, um advogado contratado para uma consultoria jurídica, um publicitário para uma campanha de marketing, etc. -, os voluntários, os contratados administrativamente, dentre outros. As cidades de menor porte tendem a apresentar um maior número de servidores proporcionalmente à população. A quantidade de servidores para cada mil habitantes cai gradativamente à medida que aumenta a população dos municípios. Gasto per capita Nas cidades com até 25 mil habitantes, a relação é de 68,4 servidores públicos para cada mil moradores. Já naquelas com população superior a 300 mil habitantes, a relação é de 18,9 servidores, número semelhante ao da capital, de 19,3. Essa relação pode ser explicada pelo ganho de escala que os municípios possuem no atendimento de serviços públicos. Vale destacar também que, nas cidades menores, a oferta de trabalho no setor privado é relativamente menor, o que naturalmente pressiona o poder público a realizar uma maior contratação de pessoal. 69 DESPESA Em média, os municípios fluminenses gastaram com pessoal o equivalente a R$ 827,21 por habitante. Na liderança do ranking per capita, se concentra os municípios com as mais altas receitas per capita. Dentre os dez maiores gastos per capita nesse item, seis pertencem a municípios que recebem os maiores valores em royalties de petróleo no Estado. Mesmo com uma queda de 14,8% no gasto com pessoal, o maior valor coube a Quissamã, com R$ 3.468,70. No outro extremo, municípios com alta população e baixa receita per capita obtiveram os menores resultados: Belford Roxo (R$ 345,00), São João do Meriti (R$ 329,35), Queimados (R$ 306,15), Nova Iguaçu (R$ 291,53) e São Gonçalo (R$ 261,75). Os municípios que apresentam o maior número de servidores para cada grupo de mil habitantes são: Carapebus (140,5), Mangaratiba (128,8), Trajano de Moraes (121,4), Aperibé (115,7), Quissamã (101) e Macuco (100,2). No outro extremo encontram-se Magé (7,6), São Gonçalo (10,9), São João de Meriti (11,1), Belford Roxo (12,4), Nova Iguaçu (13,3) e Queimados (13,7). Número de servidores municipais por mil habitantes agrupados por faixa populacional - Número de servidores De acordo com a pesquisa Perfil dos Municípios Brasileiros, realizada em, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os municípios fluminenses mantinham servidores.

72 EVOLUÇÃO Pessoal a Município Variação / 2008 mil - IPCA médio de em % Participação no total na rec. da desp. pessoal a corr. b Desp. pessoal a per capita Angra dos Reis , , , , , ,3 9,2 1,9 52, , Aperibé 5.337, , , , ,1 23,0 0,1 54, , Araruama , , , , , ,0 29,9 0,6 60,7 689, Areal , , , , , ,1 2,9 0,1 48, , Armação dos Búzios , , , , , ,5-1,1 0,5 60, , Arraial do Cabo , , , , , ,4 3,2 0,2 61, , Barra do Piraí , , , , , ,1 5,0 0,3 38,1 405, Barra Mansa , , , , , ,9 6,4 0,9 51,0 684, Belford Roxo , , , , , ,6 4,9 1,3 54,6 345, Bom Jardim , , , , , ,1 42,5 0,2 54,1 809, Bom Jesus do Itabapoana , , , , , ,6 2,6 0,2 62,1 785, Cabo Frio , , , , , ,4 6,5 1,5 52, , Cachoeiras de Macacu , , , , , ,7 12,5 0,4 45,8 871, Cambuci , , , , ,9 6,6 0,1 50,3 966, Campos dos Goytacazes , , , , , ,1-21,2 4,0 38, , Cantagalo , , , , , ,6 9,5 0,2 63, , Carapebus , , , , , ,1 2,0 0,2 59, , Cardoso Moreira , , , , , ,6-1,9 0,1 62, , Carmo , , , , , ,3 9,4 0,1 50, , Casimiro de Abreu , , , , , ,2 14,3 0,5 45, , Comendador Levy Gasparian 7.204, , , , , ,3-3,1 0,1 58, , Conceição de Macabu , , , , , ,5 9,0 0,1 52,4 921, Cordeiro 6.051, , , , , ,9 17,3 0,1 42,9 653, Duas Barras 9.954, , , , , ,4 7,4 0,1 56, , Duque de Caxias , , , , , ,2 1,0 5,0 55,7 763, Engenheiro Paulo de Frontin 6.651, , , , , ,8 26,1 0,1 39,5 794, Guapimirim , , , , ,7-5,4 0,3 43,5 700, Iguaba Grande , , , , , ,9 22,1 0,2 54,5 989, Itaboraí , , , , , ,2 15,7 0,9 50,0 531, Itaguaí , , , , , ,3 9,8 1,0 55, , Italva , , , , , ,1 24,6 0,1 68, , Itaocara , , , , , ,1-6,4 0,1 45,4 750, Itaperuna , , , , , ,0 10,7 0,4 34,1 525, Itatiaia , , , , , ,8 4,0 0,2 53,6 890, Japeri , , , , , ,1 22,0 0,3 44,5 400, Laje do Muriaé 7.933, , , , , ,8 1,4 0,1 45, , Macaé , , , , , ,7-8,0 3,3 39, , Macuco 6.850, , , , , ,1 3,1 0,1 43, , Magé , , , , , ,5 37,6 0,9 49,8 476, Mangaratiba , , , , , ,1 5,5 0,5 48, , Maricá , , , , , ,3 17,4 0,5 47,6 526, Mendes 9.761, , , , , ,2 10,5 0,1 56,8 891, Mesquita , , , , , ,8 34,4 0,5 55,6 347, Miguel Pereira , , , , , ,3 3,1 0,2 58,3 990, Miracema , , , , , ,9 1,9 0,2 52,6 816, Natividade , , , , , ,9 7,4 0,1 47, , Nilópolis , , , , , ,1 1,0 0,6 62,5 496, Niterói , , , , , ,9 2,5 3,8 56, ,17 70 Finanças dos Municípios Fluminenses

73 Variação Participação Desp. Município / no total pessoal na rec. a da desp. per capita 2008 pessoal a corr. b mil - IPCA médio de em % Nova Friburgo , , , , , ,9 8,7 0,9 57,1 662, Nova Iguaçu , , , , , ,8-22,0 1,9 39,9 291, Paracambi , , , , , ,9-9,2 0,2 40,4 616, Paraíba do Sul , , , ,1-14,0 0,2 43,6 565, Paraty , , , , , ,1 42,8 0,3 34, , Paty do Alferes , , , , , ,9 11,1 0,2 53,8 873, Petrópolis , , , , , ,7 10,3 1,8 35,1 740, Pinheiral , , , , , ,9 5,2 0,2 56,9 903, Piraí , , , , , ,3 6,4 0,4 52, , Porciúncula , , , , , ,2 10,5 0,1 59, , Porto Real , , , , , ,2 5,6 0,2 37, , Quatis 9.332, , , , , ,8-0,5 0,1 38,2 856, Queimados , , , , , ,8-3,6 0,3 43,6 306, Quissamã , , , , , ,8-14,8 0,5 40, , Resende , , , , , ,4 0,2 0,8 49,6 776, Rio Bonito , , , , , ,7-7,8 0,3 56,3 794, Rio Claro , , , , , ,1 28,0 0,2 54, , Rio das Flores 6.948, , , , , ,2 10,7 0,1 44, , Rio das Ostras , , , , , ,9 0,9 1,1 36, , Santa Maria Madalena , , , , , ,4-0,4 0,1 52, , Santo Antônio de Pádua , , , , , ,5 22,4 0,2 50,3 695, São Fidélis , , , , , ,1 1,7 0,2 52,1 627, São Francisco de Itabapoana , , , , , ,0 1,4 0,3 62,1 803, São Gonçalo , , , , , ,7 4,1 2,0 49,0 261, São João da Barra , , , , , ,9 27,8 0,4 27, , São João de Meriti , , , , , ,8 25,6 1,2 55,3 329, São José de Ubá 4.215, , , , , ,2 0,8 0,1 36, , São José do Vale do Rio Preto , , , , , ,2 14,1 0,1 56,9 917, São Pedro da Aldeia , , , , , ,5 11,8 0,4 71,4 643, São Sebastião do Alto 8.675, , , , , ,7 29,6 0,1 53, , Sapucaia , , , , , ,1 18,1 0,2 56, , Saquarema , , , , , ,4 7,1 0,4 47,4 740, Seropédica , , , , , ,0 6,8 0,3 52,2 576, Silva Jardim , , , , , ,6 13,9 0,2 45, , Sumidouro , , , , , ,3 14,0 0,1 56, , Tanguá , , , , ,9 10,8 0,1 50,5 638, Teresópolis , , , , , ,4 18,6 1,0 58,0 778, Trajano de Moraes , , , , , ,9-20,2 0,1 42,9 933, Três Rios , , , , , ,8 12,5 0,4 61,3 617, Valença , , , , , ,2 20,3 0,3 58,1 590, Varre-Sai 7.631, , , , , ,5 11,9 0,1 52, , Vassouras , , , , , ,0 3,2 0,2 46,3 826, Volta Redonda , , , , , ,6 5,0 1,7 44,0 883, Interior , , , , , ,4 2,2 53,4 47,5 719, Rio de Janeiro , , , , , ,5 0,4 46,6 54,4 998, Total , , , , , ,0 1,4 100,0 50,5 827,21 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a inclui encargos, inativos, pensionistas e salários-família. b receita corrente ajustada dos efeitos da conta Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). 71 DESPESA

74 EVOLUÇÃO Servidores municipais Município Variação /2008 Total de servidores ativos em % Variação /2008 Servidores por mil habitantes em % Angra dos Reis ,1 37,4 36,7 39,5 33,1 34,2 3, Aperibé ,9 62,5 63,5 58,2 54,9 115,7 110, Araruama ,6 41,9 47,3 53,9 24,2 33,7 39, Areal ,5 68,6 61,5 55,5 51,0 50,0-2, Armação dos Búzios ,5 64,0 86,7 93,2 97,6 88,2-9, Arraial do Cabo ,2 70,8 60,6 74,2 83,3 79,0-5, Barra do Piraí ,9 22,8 21,4 23,0 22,6 24,3 7, Barra Mansa ,7 23,9 26,2 27,7 25,6 27,5 7, Belford Roxo ,1 14,7 15,2 17,0 16,4 12,4-24, Bom Jardim ,6 38,4 18,4 31,2 27,7 27,5-0, Bom Jesus do Itabapoana ,5 31,9 30,8 29,3 30,5 42,7 40, Cabo Frio ,2 47,0.. 56,2 78,0 62,7-19, Cachoeiras de Macacu ,8 30,9 33,6 41,1 41,0 44,0 7, Cambuci ,8 83,6 84,4 75,6 76,8 64,7-15, Campos dos Goytacazes ,6 31,6 58,4 62,5 31,1 48,1 54, Cantagalo ,7 54,7 44,6 54,3 60,5 54,5-9, Carapebus ,0 155,0 113,2 146,4 138,2 140,5 1, Cardoso Moreira ,2 77,4 62,9 74,9 87,4 64,7-26, Carmo ,5 61,9 65,2 65,3 57,1 60,5 6, Casimiro de Abreu ,6 60,3 62,2 76,4 83,5 90,8 8, Comendador Levy Gasparian ,4 59,5 47,4 74,8 76,0 80,9 6, Conceição de Macabu ,0 57,7 39,1 56,7 64,5 60,1-6, Cordeiro ,0 30,6 31,8 32,5 36,1 33,4-7, Duas Barras ,3 74,8 82,0 71,2 70,7 65,3-7, Duque de Caxias ,7 20,5 15,6.. 15, Engenheiro Paulo de Frontin ,1 39,8 42,4 41,9 77,1 82,8 7, Guapimirim ,2 32,9 34,6 42,0 46,8 45,7-2, Iguaba Grande ,9 46,4 70,2 66,1 69,9 66,3-5, Itaboraí ,4 19,8 21,0 21,7 17,7 23,7 34, Itaguaí ,2 49,2 57,3 60,0 58,4 68,2 16, Italva ,9 65,5 53,1 61,0 52,6 99,6 89, Itaocara ,8 43,1 39,9 41,6 44,1 36,8-16, Itaperuna ,9 15,4 18,9 16,8 16,8 20,2 20, Itatiaia ,5 63,1 66,2 60,3 61,2 62,2 1, Japeri ,7 22,5 24,1 25,9 29,2 25,3-13, Laje do Muriaé ,1 83,7 102,8 105,0 104,4 90,8-13, Macaé ,5 68,1 60,1.. 87, Macuco ,4 108,3 88,9 104,9 88,7 100,2 13, Magé ,5 20,6 11,1 23,1 10,7 7,6-29, Mangaratiba ,8 119,2 103,2 104,5 117,7 128,8 9, Maricá ,6 25,8 24,8 24,8 22,4 25,5 13, Mendes ,7 26,7 27,1 62,1 62,8 63,8 1, Mesquita ,7 3,1 3,0 9,1 10,4 16,3 57, Miguel Pereira ,0 32,9 39,2 44,4 45,2 45,3 0, Miracema ,7 39,9 49,6 47,4 34,7 36,3 4, Natividade ,6 63,0 61,6 67,9 66,5 76,1 14, Nilópolis ,9 20,8 20,7 24,2 19,1 25,5 33, Niterói ,2 27,1 27,7 27,5 27,8 33,3 19,8 72 Finanças dos Municípios Fluminenses

75 Município Variação /2008 Total de servidores ativos em % Variação /2008 Servidores por mil habitantes em % Nova Friburgo ,4 20,4 32,3 35,8 39,8 26,5-33, Nova Iguaçu ,1 8,9 10,3 9,7 9,1 13,3 46, Paracambi ,5 28,1 27,1 27,9 29,1 29,0-0, Paraíba do Sul ,7 22,7 47,4 49,0 49,4 42,8-13, Paraty ,2 30,1 33,3 36,7 38,7 44,7 15, Paty do Alferes ,7 32,7 33,2 40,1 44,9 48,2 7, Petrópolis ,6 25,8 25,5 25,6 25,9 28,7 10, Pinheiral ,2 48,9 29,9 39,9 50,9 51,5 1, Piraí ,0 87,9 79,3 87,3 76,7 83,3 8, Porciúncula ,4 42,2 41,1 42,8 39,6 50,6 27, Porto Real ,6 62,8 100,6 104,8 79,5 69,4-12, Quatis ,5 59,2 69,5 64,8 64,9 61,7-5, Queimados ,3 16,9 19,1 17,3 17,9 13,7-23, Quissamã ,5 124,3 126,3 119,4 114,8 101,0-12, Resende ,6 35,5 38,4 41,1 34,8 33,3-4, Rio Bonito ,2 70,1 67,1 70,6 68,6 42,1-38, Rio Claro ,0 52,2 52,9 58,5 59,4 61,7 3, Rio das Flores ,1 94,4 83,5 88,1 103,6 94,1-9, Rio das Ostras ,6 67,8 67,2 73,6 70,2 60,5-13, Santa Maria Madalena ,7 85,7 87,1 97,8 99,7 97,8-1, Santo Antônio de Pádua ,0 47,7 28,3 29,0 24,8 45,1 81, São Fidélis ,5 50,6 42,8 47,1 52,4 63,8 21, São Francisco de Itabapoana ,5 37,8 46,5 31,7 47,1 60,2 27, São Gonçalo ,3 11,4 11,9 12,6 12,4 10,9-12, São João da Barra ,8 82,8 64,0 64,8 80,1 96,0 19, São João de Meriti ,5 12,2 13,9 13,3 12,4 11,1-10, São José de Ubá ,4 62,4 64,0 79,7 75,5 72,9-3, São José do Vale do Rio Preto ,2 40,6 30,5 41,9 28,0 47,9 70, São Pedro da Aldeia ,6 35,0 35,0 35,2 37,1 44,8 20, São Sebastião do Alto ,5 61,1 56,0 54,7 62,2 49,8-19, Sapucaia ,0 32,0 32,3 29,2 33,3 42,2 27, Saquarema ,4 52,4 49,5 43,8 46,8 46,4-0, Seropédica ,3 23,6 34,7 27,7 23,2 22,1-4, Silva Jardim ,7 74,0 73,8 74,0 75,0 79,7 6, Sumidouro ,2 50,8 49,8 50,1 45,4 50,6 11, Tanguá ,7 26,1 41,0 39,8 30,3 36,4 20, Teresópolis ,5 25,3 25,9 26,2 25,6 27,4 7, Trajano de Moraes ,3 147,0 104,6 112,7 119,7 121,4 1, Três Rios ,1 25,3 34,0 30,1 32,9 29,8-9, Valença ,0 33,0 14,2 40,1 46,0 45,6-1, Varre-Sai ,6 83,5 84,6 86,4 91,9 87,8-4, Vassouras ,4 36,4 42,6 43,8 46,7 42,0-10, Volta Redonda ,0 35,1 48,7 43,6 47,9 38,5-19, Interior ,7 25,5 27,8 29,7 25,9 30,1 16, Rio de Janeiro ,1 15,4 19,4 18,6 14,1 19,3 37, Total ,9 21,4 24,4 25,3 21,3 25,9 21,8 73 DESPESA Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa de Informações Básicas Municipais - Perfil dos Municípios Brasileiros -.

76 ranking Pessoal a Valores absolutos Posição Municípios Despesa com pessoal a 1º Rio de Janeiro º Duque de Caxias º Campos dos Goytacazes º Niterói º Macaé º São Gonçalo º Angra dos Reis º Nova Iguaçu º Petrópolis º Volta Redonda º Cabo Frio º Belford Roxo º São João de Meriti º Rio das Ostras º Itaguaí º Teresópolis º Itaboraí º Barra Mansa º Nova Friburgo º Magé º Resende º Nilópolis º Araruama º Mangaratiba º Quissamã º Mesquita º Maricá º Armação dos Búzios º Casimiro de Abreu º São João da Barra º São Pedro da Aldeia º Itaperuna º Piraí º Saquarema º Cachoeiras de Macacu º Três Rios º Seropédica º Valença º Rio Bonito º Queimados º Paraty º Barra do Piraí º Japeri º São Francisco de Itabapoana º Guapimirim º Itatiaia Posição Municípios Despesa com pessoal a 47º Porto Real º Carapebus º Silva Jardim º Arraial do Cabo º Santo Antônio de Pádua º Cantagalo º Vassouras º Paracambi º Bom Jesus do Itabapoana º Miguel Pereira º São Fidélis º Rio Claro º Paraíba do Sul º Paty do Alferes º Iguaba Grande º Miracema º Bom Jardim º Sapucaia º Pinheiral º Tanguá º Porciúncula º Conceição de Macabu º São José do Vale do Rio Preto º Carmo º Italva º Sumidouro º Itaocara º Mendes º Natividade º Santa Maria Madalena º Duas Barras º Cardoso Moreira º Cambuci º Cordeiro º Rio das Flores º Areal º São Sebastião do Alto º Aperibé º Comendador Levy Gasparian º Varre-Sai º Quatis º Engenheiro Paulo de Frontin º Laje do Muriaé º Trajano de Moraes º Macuco º São José de Ubá Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a inclui encargos, inativos, pensionistas e salários-família. 74 Finanças dos Municípios Fluminenses

77 Valores per capita Desp. com pessoal a per capita Despesa com pessoal a Posição Municípios 1º Quissamã º Carapebus º Armação dos Búzios º Macaé º Mangaratiba º Piraí º Casimiro de Abreu º Porto Real º São João da Barra º Angra dos Reis º Macuco º Rio das Ostras º Rio das Flores º Santa Maria Madalena º Cantagalo º Silva Jardim º São Sebastião do Alto º Duas Barras º Rio Claro º Comendador Levy Gasparian º Varre-Sai º Aperibé º Italva º Campos dos Goytacazes º Itaguaí º Sapucaia º Laje do Muriaé º Paraty º Sumidouro º Cardoso Moreira º Arraial do Cabo º Cabo Frio º Areal º Porciúncula º Niterói º São José de Ubá º Natividade º Carmo º Rio de Janeiro º Miguel Pereira º Iguaba Grande º Cambuci º Trajano de Moraes º Conceição de Macabu º São José do Vale do Rio Preto º Pinheiral Desp. com pessoal a per capita Despesa com pessoal a Posição Municípios 47º Mendes º Itatiaia º Volta Redonda º Paty do Alferes º Cachoeiras de Macacu º Quatis º Vassouras º Miracema º Bom Jardim º São Francisco de Itabapoana º Engenheiro Paulo de Frontin º Rio Bonito º Bom Jesus do Itabapoana º Teresópolis º Resende º Duque de Caxias º Itaocara º Petrópolis º Saquarema º Guapimirim º Santo Antônio de Pádua º Araruama º Barra Mansa º Nova Friburgo º Cordeiro º São Pedro da Aldeia º Tanguá º São Fidélis º Três Rios º Paracambi º Valença º Seropédica º Paraíba do Sul º Itaboraí º Maricá º Itaperuna º Nilópolis º Magé º Barra do Piraí º Japeri º Mesquita º Belford Roxo º São João de Meriti º Queimados º Nova Iguaçu º São Gonçalo Total DESPESA Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a inclui encargos, inativos, pensionistas e salários-família.

78 ranking Servidores municipais Número de servidores Posição Municípios Servidores Posição Municípios Servidores 1º Rio de Janeiro º Campos dos Goytacazes º Macaé º Niterói º Duque de Caxias º Cabo Frio º Nova Iguaçu º São Gonçalo º Volta Redonda º Petrópolis º Itaguaí º Belford Roxo º Rio das Ostras º Angra dos Reis º Itaboraí º São João de Meriti º Barra Mansa º Nova Friburgo º Teresópolis º Resende º Mangaratiba º Nilópolis º São Pedro da Aldeia º Araruama º Valença º Saquarema º Maricá º Mesquita º São João da Barra º São Francisco de Itabapoana º Casimiro de Abreu º Japeri º Armação dos Búzios º Cachoeiras de Macacu º Barra do Piraí º São Fidélis º Rio Bonito º Guapimirim º Três Rios º Itatiaia º Piraí º Arraial do Cabo º Itaperuna º Quissamã º Queimados º Santo Antônio de Pádua º Magé º Paraíba do Sul º Silva Jardim º Seropédica º Carapebus º Paraty º Iguaba Grande º Bom Jesus do Itabapoana º Italva º Vassouras º Paracambi º Paty do Alferes º Conceição de Macabu º Trajano de Moraes º Miguel Pereira º Natividade º Pinheiral º Mendes º Rio Claro º Porto Real º Cantagalo º Tanguá º Aperibé º Engenheiro Paulo de Frontin º Carmo º Santa Maria Madalena º São José do Vale do Rio Preto º Miracema º Cambuci º Porciúncula º Itaocara º Rio das Flores º Quatis º Cardoso Moreira º Varre-Sai º Sumidouro º Sapucaia º Bom Jardim º Laje do Muriaé º Comendador Levy Gasparian º Duas Barras º Cordeiro º Areal º Macuco º São José de Ubá º São Sebastião do Alto Total Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa de Informações Básicas Municipais - Perfil dos Municípios Brasileiros - Gestão Pública. 76 Finanças dos Municípios Fluminenses

79 Servidores por mil habitantes Posição Municípios Servidores por mil habitantes Servidores Posição Municípios Servidores por mil habitantes Servidores 1º Carapebus º São José do Vale do Rio Preto º Mangaratiba º Saquarema º Trajano de Moraes º Guapimirim º Aperibé º Valença º Quissamã º Miguel Pereira º Macuco º Santo Antônio de Pádua º Italva º São Pedro da Aldeia º Santa Maria Madalena º Paraty º São João da Barra º Cachoeiras de Macacu º Rio das Flores º Paraíba do Sul º Casimiro de Abreu º Laje do Muriaé º Armação dos Búzios º Varre-Sai º Macaé º Bom Jesus do Itabapoana º Sapucaia º Rio Bonito º Vassouras º Volta Redonda DESPESA 16º Piraí º Itaocara º Engenheiro Paulo de Frontin º Tanguá º Comendador Levy Gasparian º Miracema º Silva Jardim º Angra dos Reis º Arraial do Cabo º Natividade º São José de Ubá º Araruama º Cordeiro º Niterói º Porto Real º Resende º Itaguaí º Três Rios º Iguaba Grande º Paracambi º Duas Barras º Petrópolis º Cambuci º Bom Jardim º Cardoso Moreira º Barra Mansa º São Fidélis º Teresópolis º Mendes º Nova Friburgo º Cabo Frio º Nilópolis º Itatiaia º Maricá º Rio Claro º Japeri º Quatis º Barra do Piraí º Carmo º Itaboraí º Rio das Ostras º Seropédica º São Francisco de Itabapoana º Itaperuna º Conceição de Macabu º Rio de Janeiro º Cantagalo º Mesquita º Pinheiral º Duque de Caxias º Sumidouro º Queimados º Porciúncula º Nova Iguaçu º Areal º Belford Roxo º São Sebastião do Alto º São João de Meriti º Paty do Alferes º São Gonçalo º Campos dos Goytacazes º Magé Total Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa de Informações Básicas Municipais - Perfil dos Municípios Brasileiros - Gestão Pública.

80 Custeio Finanças dos Municípios Fluminenses adota como critério para a apuração do custeio municipal toda a despesa corrente, exceto pessoal e juros e encargos da dívida. Dessa forma, compreende os gastos voltados para a operacionalização dos serviços prestados pela prefeitura, bem como para cobrir os custos inerentes à burocracia estatal. Seus principais itens são os serviços de iluminação pública, limpeza urbana, coleta de lixo, aterro sanitário, sinalização da cidade, manutenção de equipamentos e áreas públicas como vias, escolas, postos de saúde, centros esportivos, praças, parques, jardins e teatros. A aquisição de material de consumo, tais como os utilizados nos serviços de saúde (farmacológicos, hospitalares, laboratoriais e ambulatoriais), os combustíveis, as peças, o material das escolas, de limpeza, de escritório, entre outros, também é uma parte importante do custeio municipal. Desempenho Em, a despesa com custeio nos municípios do Estado do Rio de Janeiro foi de R$ 8,81 bilhões, 5,7% a menos que no ano anterior. Essa retração se deu em 59,8% das cidades, movida, principalmente, pelo ajuste realizado em toda a despesa municipal, visando à readequação dessa à redução da receita, no mesmo ano. Evolução da despesa com custeio bilhões - IPCA médio de Taxa de crescimento do gasto com custeio em relação ao ano anterior Excluindo a capital, os gastos dos municípios do interior totalizaram R$ 5,76 bilhões, o que representou uma queda real de 5,4% em relação a As maiores reduções, em termos relativos, ocorreram em Trajano de Moraes (-46,1%), Armação dos Búzios (-35,3%), Casimiro de Abreu (-33,4%), Cabo Frio (-32,6%), São José do Vale do Rio Preto (-28,1%) e Campos dos Goytacazes (-25,7%), sendo que a queda da despesa dessa última equivaleu a uma economia de R$ 137,4 milhões, a segunda maior, em termos absolutos, no Estado. Em sentido oposto, 37 municípios apontaram aumento em seus custeios. Dentre esses, Aperibé (44,1%), Silva Jardim (42%), Paraty (39%), São Gonçalo (33,1%) e São João da Barra (31,2%) foram os que mais expandiram suas despesas, em termos relativos. Considerando o volume adicional de recursos despendidos, as cidades de Nova Iguaçu, São Gonçalo e Volta Redonda lideraram o ranking, com R$ 69,6 milhões, R$ 55,6 milhões e R$ 40 milhões, respectivamente. Na capital, os R$ 3,05 bilhões empenhados em custeio no ano de ficaram 6,3% abaixo do total gasto em 2008, o que representou uma economia de R$ 205,2 milhões. A cidade do Rio de Janeiro possui um peso importante no comportamento do custeio, haja vista que a mesma respondeu, sozinha, por 34,6% de todo o As dez maiores despesas com custeio no estado do Rio de Janeiro em Posição Municípios Despesa com custeio a Participação no total acumulada 1º Rio de Janeiro 3.052,2 34,6% 34,6% 2º Duque de Caxias 436,1 4,9% 39,6% 3º Macaé 420,4 4,8% 44,3% 4º Campos dos Goytacazes 396,6 4,5% 48,8% 5º Niterói 339,1 3,8% 52,7% 6º Nova Iguaçu 294,6 3,3% 56,0% 7º Volta Redonda 257,1 2,9% 58,9% 8º São Gonçalo 223,8 2,5% 61,5% 9º Petrópolis 201,0 2,3% 63,8% 10º Rio das Ostras 195,2 2,2% 66,0% Total 8.814,7 100,0% 100,0% 78 Finanças dos Municípios Fluminenses

81 gasto realizado pelos municípios fluminenses, em. Acrescentando-se os outros nove maiores gastos, essa concentração sobe para 66%, conforme mostra a tabela da página anterior. Importância orçamentária Os gastos referentes ao custeio compuseram 34,7% da despesa total dos municípios fluminenses, em. É o segundo item de maior peso nos orçamentos, ficando atrás somente dos gastos com pessoal, que representaram 52,1% do total das despesas, no mesmo ano. Em apenas 15 municípios, o custeio superou o gasto com pessoal. No sentido oposto, os menores resultados foram semelhantes ao apresentado em Os municípios com população acima de 100 mil habitantes, e com baixa receita per capita, registraram as menores cifras, dos quais destacam-se: Japeri (R$ 277,14), Belford Roxo (R$ 252,74), Mesquita (R$ 228,04), São Gonçalo (R$ 225,73), Nilópolis ( R$ 200,20), Queimados (R$ 194,87) e São João de Meriti (R$ 179,79). As cinco maiores e menores despesas com custeio per capita no Estado do Rio de Janeiro Em relação à receita corrente, os municípios do interior aumentaram ligeiramente sua participação, passando de 38,6%, em 2008, para 38,8%, em. Apesar disso, o índice permaneceu próximo ao realizado nos anos anteriores, entre 38,1% e 43,2%. Dos 92 municípios fluminenses, nove apresentaram gastos com custeio superior a 50% da receita corrente. Os maiores foram em Paracambi (60,4%) e Itaperuna (60,3%). Já na capital, o desempenho manteve o movimento de queda registrada a partir de Com exceção de 2007, em todos os anos a participação na receita corrente é menor que a do ano anterior. Isso se explica pelo crescimento da receita corrente, aliado às sucessivas reduções na despesa com custeio. Evolução dos gastos com custeio sobre a receita corrente Composição As despesas com custeio são compostas pelos serviços de terceiros, material de consumo e outras despesas. Em, os dois primeiros itens representaram quase 80% do total dessa despesa. DESPESA Em, os serviços de terceiros foram reduzidos em 6,4%, reduzindo de R$ 6,20 bilhões em 2008 para R$ 5,81 bilhões. Já as despesas para aquisição de material de consumo foi reduzida em 16%, em decorrência do expressivo aumento no período anterior. Em, foram gastos R$ 1,17 bilhão, valores próximos ao realizado em Composição da despesa de custeio Despesa per capita Em, o gasto médio com custeio per capita nos municípios do Rio de Janeiro foi de R$ 550,56. As maiores despesas com custeio por habitante ocorreram em Quissamã (R$ 4.711,61), São João da Barra (R$ 3.542,35) e Porto Real (R$ 2.965,11). Além dessas, outras 17 cidades apresentam uma despesa per capita acima de R$ 1 mil.

82 EVOLUÇÃO Custeio a Município Variação / 2008 mil - IPCA médio de em % Participação no total na rec. da desp. custeio corr. b Desp. custeio a per capita Angra dos Reis , , , , , ,8-1,3 2,1 38, , Aperibé 8.512, , , , ,4 44,1 0,1 42,4 977, Araruama , , , , , ,9-19,7 0,5 36,2 411, Areal 7.100, , , , , ,9-2,2 0,1 43,1 925, Armação dos Búzios , , , , , ,4-35,3 0,5 37, , Arraial do Cabo 9.565, , , , , ,4 17,8 0,2 45,5 810, Barra do Piraí , , , , , ,6 19,4 0,5 38,5 410, Barra Mansa , , , , , ,0 11,0 1,3 49,4 663, Belford Roxo , , , , , ,2-5,8 1,4 40,0 252, Bom Jardim , , , , , ,6-23,4 0,2 41,8 624, Bom Jesus do Itabapoana , , , , , ,4-4,3 0,2 34,4 434, Cabo Frio , , , , , ,4-32,6 1,7 40,4 816, Cachoeiras de Macacu , , , , , ,0 29,2 0,5 40,8 775, Cambuci 6.673, , , , ,9-7,0 0,1 36,1 692, Campos dos Goytacazes , , , , , ,6-25,7 4,5 28,1 913, Cantagalo , , , , , ,8-13,6 0,2 31,7 698, Carapebus , , , , , ,4-17,7 0,3 46, , Cardoso Moreira 9.656, , , , , ,1-8,3 0,1 37,6 700, Carmo , , , , , ,8-11,2 0,2 41,3 839, Casimiro de Abreu , , , , , ,1-33,4 0,6 41, , Comendador Levy Gasparian 6.536, , , , , ,5-10,3 0,1 35,4 796, Conceição de Macabu 9.467, , , , , ,3-11,6 0,1 30,8 540, Cordeiro 8.682, , , , , ,1 3,9 0,2 54,5 828, Duas Barras 8.542, , , , , ,7-10,2 0,1 38,6 920, Duque de Caxias , , , , , ,1-12,3 4,9 36,5 499, Engenheiro Paulo de Frontin 7.641, , , , , ,6-10,6 0,2 51, , Guapimirim , , , , ,9-5,4 0,5 51,7 832, Iguaba Grande , , , , , ,2-10,3 0,2 33,0 599, Itaboraí , , , , , ,9 15,5 1,1 38,2 406, Itaguaí , , , , , ,9 17,2 1,0 36,8 822, Italva 6.876, , , , , ,9-2,8 0,1 30,7 557, Itaocara 9.831, , , , , ,6-2,5 0,2 36,4 601, Itaperuna , , , , , ,8 6,9 1,0 60,3 929, Itatiaia , , , , , ,3-9,0 0,2 36,9 613, Japeri , , , , , ,1-21,2 0,3 30,8 277, Laje do Muriaé 7.688, , , , , ,7 6,3 0,1 37,1 977, Macaé , , , , , ,1-9,9 4,8 37, , Macuco 5.348, , , , , ,0-13,7 0,1 40, , Magé , , , , , ,2 3,8 1,0 39,2 375, Mangaratiba , , , , , ,8-7,8 0,6 39, , Maricá , , , , , ,1 2,8 0,6 36,7 405, Mendes 7.070, , , , , ,6-7,1 0,1 45,6 716, Mesquita , , , , , ,0-3,2 0,5 36,4 228, Miguel Pereira , , , , , ,5 0,8 0,2 36,1 613, Miracema 6.338, , , , , ,7 15,6 0,2 40,6 631, Natividade , , , , , ,0 12,0 0,2 42,5 913, Nilópolis , , , , , ,0-2,5 0,4 25,2 200, Niterói , , , , , ,6-15,4 3,8 38,3 707,38 80 Finanças dos Municípios Fluminenses

83 Município Variação / 2008 Participação no total na rec. da desp. custeio corr. b Desp. custeio a per capita mil - IPCA médio de em % Nova Friburgo , , , , , ,4-6,1 0,8 35,6 413, Nova Iguaçu , , , , , ,5 30,9 3,3 46,6 340, Paracambi , , , , , ,1 1,1 0,5 60,4 921, Paraíba do Sul , , , ,3 27,5 0,3 41,5 537, Paraty , , , , , ,5 39,0 0,6 40, , Paty do Alferes , , , , , ,5-11,4 0,2 36,9 598, Petrópolis , , , , , ,0-16,4 2,3 30,2 637, Pinheiral 8.298, , , , , ,6 6,4 0,1 32,7 519, Piraí , , , , , ,7 14,2 0,4 37, , Porciúncula 8.309, , , , , ,9-10,2 0,1 37,2 658, Porto Real , , , , , ,0 10,9 0,5 56, , Quatis 7.083, , , , , ,8 19,5 0,2 48, , Queimados , , , , , ,3-9,3 0,3 27,7 194, Quissamã , , , , , ,4-25,0 1,1 55, , Resende , , , , , ,3 0,6 0,8 36,4 569, Rio Bonito , , , , , ,3 8,2 0,4 46,7 658, Rio Claro 8.312, , , , , ,1-13,9 0,1 28,6 698, Rio das Flores 6.249, , , , , ,5 14,7 0,1 32, , Rio das Ostras , , , , , ,5-14,7 2,2 49, , Santa Maria Madalena 9.047, , , , , ,1 7,4 0,1 40, , Santo Antônio de Pádua , , , , , ,2-21,3 0,2 33,5 462, São Fidélis , , , , , ,6-1,9 0,2 36,5 439, São Francisco de Itabapoana , , , , , ,1 16,9 0,3 39,3 508, São Gonçalo , , , , , ,9 33,1 2,5 42,3 225, São João da Barra , , , , , ,3 31,2 1,2 50, , São João de Meriti , , , , , ,1-12,5 1,0 30,2 179, São José de Ubá 5.734, , , , , ,9-5,8 0,1 46, , São José do Vale do Rio Preto 8.962, , , , , ,1-28,1 0,1 33,0 531, São Pedro da Aldeia , , , , , ,5 2,4 0,3 39,2 353, São Sebastião do Alto 9.189, , , , , ,0-21,1 0,1 41, , Sapucaia 9.117, , , , , ,9 12,5 0,1 33,9 730, Saquarema , , , , , ,0-12,4 0,4 28,6 446, Seropédica , , , , , ,6 15,7 0,4 42,7 471, Silva Jardim , , , , , ,1 42,0 0,3 35, , Sumidouro 7.977, , , , , ,7-17,5 0,1 25,1 521, Tanguá 9.775, , , , ,1-3,9 0,2 39,9 504, Teresópolis , , , , , ,4-9,0 1,0 39,2 526, Trajano de Moraes 8.361, , , , , ,5-46,1 0,1 26,5 577, Três Rios , , , , , ,8 27,7 0,4 44,8 451, Valença , , , , , ,4 14,7 0,5 53,0 538, Varre-Sai 8.690, , , , , ,1-9,4 0,1 36,7 901, Vassouras , , , , , ,0-1,0 0,3 40,7 726, Volta Redonda , , , , , ,3 18,4 2,9 48,9 983, Interior , , , , , ,1-5,4 65,4 38,8 586, Rio de Janeiro , , , , , ,3-6,3 34,6 26,9 493, Total , , , , , ,4-5,7 100,0 33,6 550,56 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a despesa de custeio abrange toda a despesa corrente exceto as de pessoal e encargos, inativos, pensionistas, salários-família e pagamentos de juros. b receita corrente ajustada dos efeitos da conta Fundeb (ver Nota metodológica, página 2). 81 DESPESA

84 ranking Custeio a Valores absolutos Posição Municípios Despesa com custeio a 1º Rio de Janeiro º Duque de Caxias º Macaé º Campos dos Goytacazes º Niterói º Nova Iguaçu º Volta Redonda º São Gonçalo º Petrópolis º Rio das Ostras º Angra dos Reis º Cabo Frio º Belford Roxo º Barra Mansa º São João da Barra º Quissamã º Itaboraí º Itaperuna º Magé º Itaguaí º Teresópolis º São João de Meriti º Resende º Nova Friburgo º Mangaratiba º Casimiro de Abreu º Paraty º Maricá º Porto Real º Araruama º Cachoeiras de Macacu º Mesquita º Barra do Piraí º Paracambi º Guapimirim º Valença º Armação dos Búzios º Piraí º Seropédica º Rio Bonito º Três Rios º Nilópolis º Saquarema º São Pedro da Aldeia º Japeri º Queimados Posição Municípios Despesa com custeio a 47º Vassouras º Carapebus º São Francisco de Itabapoana º Silva Jardim º Paraíba do Sul º Itatiaia º Arraial do Cabo º Santo Antônio de Pádua º São Fidélis º Miracema º Bom Jardim º Cordeiro º Miguel Pereira º Paty do Alferes º Tanguá º Bom Jesus do Itabapoana º Carmo º Cantagalo º Quatis º Natividade º Iguaba Grande º Engenheiro Paulo de Frontin º Itaocara º Rio Claro º Mendes º Sapucaia º Porciúncula º Santa Maria Madalena º Pinheiral º Conceição de Macabu º Areal º São José do Vale do Rio Preto º Cambuci º Duas Barras º São Sebastião do Alto º São José de Ubá º Rio das Flores º Aperibé º Cardoso Moreira º Italva º Sumidouro º Varre-Sai º Macuco º Laje do Muriaé º Comendador Levy Gasparian º Trajano de Moraes Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a despesa de custeio abrange toda a despesa corrente exceto as de pessoal e encargos, inativos, pensionistas, salários-família e pagamentos de juros. 82 Finanças dos Municípios Fluminenses

85 Valores per capita Desp. com custeio a per capita Despesa com custeio a Posição Municípios 1º Quissamã º São João da Barra º Porto Real º Macaé º Carapebus º Rio das Ostras º Casimiro de Abreu º Mangaratiba º Piraí º Paraty º Armação dos Búzios º Macuco º São José de Ubá º Angra dos Reis º Santa Maria Madalena º Quatis º Silva Jardim º Rio das Flores º São Sebastião do Alto º Engenheiro Paulo de Frontin º Volta Redonda º Aperibé º Laje do Muriaé º Itaperuna º Areal º Paracambi º Duas Barras º Campos dos Goytacazes º Natividade º Varre-Sai º Carmo º Guapimirim º Cordeiro º Itaguaí º Cabo Frio º Arraial do Cabo º Comendador Levy Gasparian º Cachoeiras de Macacu º Sapucaia º Vassouras º Mendes º Niterói º Cardoso Moreira º Rio Claro º Cantagalo º Cambuci Desp. com custeio a per capita Despesa com custeio a Posição Municípios 47º Barra Mansa º Porciúncula º Rio Bonito º Petrópolis º Miracema º Bom Jardim º Itatiaia º Miguel Pereira º Itaocara º Iguaba Grande º Paty do Alferes º Trajano de Moraes º Resende º Italva º Conceição de Macabu º Valença º Paraíba do Sul º São José do Vale do Rio Preto º Teresópolis º Sumidouro º Pinheiral º São Francisco de Itabapoana º Tanguá º Duque de Caxias º Rio de Janeiro º Seropédica º Santo Antônio de Pádua º Três Rios º Saquarema º São Fidélis º Bom Jesus do Itabapoana º Nova Friburgo º Araruama º Barra do Piraí º Itaboraí º Maricá º Magé º São Pedro da Aldeia º Nova Iguaçu º Japeri º Belford Roxo º Mesquita º São Gonçalo º Nilópolis º Queimados º São João de Meriti Total DESPESA Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a despesa de custeio abrange toda a despesa corrente exceto as de pessoal e encargos, inativos, pensionistas, salários-família e pagamentos de juros.

86 Investimentos Desempenho Após três anos de crescimento contínuo, os investimentos dos municípios fluminenses caíram acentuadamente, em, atingindo resultados próximos aos registrados em Em valores absolutos, foram investidos R$ 2,02 bilhões, o que representou uma queda de 37,3%, frente ao recorde de R$ 3,23 bilhões, realizado em Evolução dos investimentos milhões - IPCA médio de Dois fatores conjugam-se para explicar a retração dos investimentos. Em, em função da crise que abalou o mercado financeiro internacional, houve retração no nível da atividade econômica no Brasil. Isso contribuiu para que a receita total no conjunto dos municípios do Rio de Janeiro reduzisse em 2,6%, obrigando os mesmos a efetuar cortes em suas despesas. Além do ótimo desempenho da receita municipal em 2008, que provocou um aumento nos gastos públicos, o ano foi o último de mandato dos prefeitos, que naturalmente se caracteriza por taxas de investimentos maiores que nos anos anteriores. Já, foi o primeiro ano de governo das novas administrações, que preferem, nesse período, planejar sua gestão, estabelecendo as políticas prioritárias, postergando os investimentos para os anos seguintes. Dos 92 municípios fluminenses, 55 acusaram queda nos investimentos. A cidade do Rio de Janeiro acusou a maior retração, com redução absoluta de R$ 822,5 milhões, ou -62,9%, frente a Já nos municípios do interior, as maiores quedas ocorreram em Campos dos Goytacazes (R$ 209,9 milhões), Duque de Caxias (R$ 138,5 milhões) e Rio das Ostras (R$ 71,4 milhões). Também tiveram quedas monetárias significativas, além de R$ 20 milhões, os municípios de Cabo Frio, Quissamã, Angra dos Reis, Petrópolis e Resende. Já em termos percentuais, as maiores quedas foram em Arraial do Cabo, Miguel Pereira, Quatis, São Fidélis e Carapebus, com retrações superiores a 80%. Entre as 37 cidades que tiveram crescimento nos investimentos, São João da Barra foi o município, em termos absolutos, com o maior volume de recursos adicionais direcionado para a realização de obras e aquisição de equipamentos, na ordem de R$ 81,1 milhões. Foi acompanhado por Macaé (R$ 74,9 milhões), Nova Iguaçu (R$ 39,5 milhões), Barra Mansa (R$ 23,3 milhões), Magé (R$ 18 milhões) e Niterói (R$ 17,4 milhões). Em termos percentuais, o maior crescimento foi em Lage do Muriaé (1.626,5%), após um inexpressivo valor realizado em Além desses, mais seis cidades tiveram crescimento com taxas acima de 100%. São elas: São João da Barra (259,1%), Aperibé (222,6%), Cachoeiras de Macacu (202,5%), São José de Ubá (177,3%), Itaperuna (105,6%) e Bom Jesus do Itabapoana (104,9%). Analisando os municípios da Bacia de Campos, observa-se que, em alguns casos, a variação do investimento acompanhou o desempenho da receita de royalties do petróleo. São João da Barra, única cidade com desempenho positivo na receita de royalties, teve um aumento de 259,1% na despesa de investimento. Já as cidades com quedas na receita de royalties viram seus investimentos serem reduzidos. A única exceção foi Macaé, que manteve altas taxas de investimento, que pode ser justificado pelo bom desempenho da receita tributária. Variação da despesa com investimento e da receita de royalties do petróleo nos municípios situados na Bacia de Campos Variação /2008 em % Municípios Royalties do Investimento petróleo a Armação dos Búzios -21,2% -40,6% Cabo Frio -64,6% -40,6% Campos dos Goytacazes -56,1% -28,7% Carapebus -81,5% -39,2% Casimiro de Abreu -47,6% -38,3% Macaé 70,2% -33,0% Quissamã -72,4% -42,4% Rio das Ostras -59,3% -34,6% São João da Barra 259,1% 2,4% Total -37,4% -29,0% Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e da Agência Nacional do petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Nota: a inclui as participações especiais. 84 Finanças dos Municípios Fluminenses

87 A capital fluminense lidera o ranking com os maiores investimentos. Em respondeu por 24% do total. Nos dois últimos anos sua participação havia sido de acerca de 40%. Ao desconsiderarmos o município da média das cidades, a queda seria bem mais amena (-20,1%). Nas cidades com população acima de 300 mil, excluída a capital, a queda foi de 40,3%. Esse grupo responde por 25,5% do total. Além da capital, os municípios com os maiores gastos com investimentos foram Nova Iguaçu, Macaé, Campos dos Goytacazes e São João da Barra, com despesas acima de R$ 100 milhões. fontes de investimento aumentaram de 21,1% para 29,3%, no mesmo período. Investimento por fonte de recurso em Os altos investimentos registrados em São João da Barra fizeram com o que o município liderasse com folga o ranking per capita, com a despesa de R$ 3.673,06 por habitante. Para se ter uma ideia da disparidade dessa cidade, Macaé e Rio das Flores, que ocupam a segunda e a terceira posições no ranking, investiram, respectivamente, R$ 933,84 e R$ 804,67 por habitante. A média do conjunto das cidades fluminenses foi de R$ 126,45. Investimento com recursos próprios O desempenho negativo da receita se refletiu também na composição dos recursos que são direcionados para os investimentos. A parcela dos investimentos efetuada com recursos próprios das prefeituras, ou seja, com suas receitas correntes, sofreu uma retração maior que a parcela advinda das receitas de capital, em especial das transferências de capital. Dessa forma, a parcela do investimento total dos municípios feito através de suas receitas correntes, que foi de 78,9%, em 2008, caiu para 70,7%, em. Já a utilização de transferências de capital do Estado da União, operações de crédito e outras Apesar de terem aumentado suas participações na composição total dos investimentos, as transferências voluntárias de capital da União e do Estado encolheram em termos monetários. Em 2008, foram registrados R$ 402,8 milhões em transferências da União, sendo que no ano seguinte o valor caiu quase que pela metade: R$ 216,8 milhões. Já as transferências do Estado, que representam apenas 1,7% do total investido, tiveram um decréscimo de 39,8%. Observa-se também um significativo aumento das operações de crédito, com a participação saltando de 2% para 6,6%. O conceito de investimentos com recursos próprios utilizado aqui refere-se ao valor total dos investimentos (que inclui as inversões financeiras) menos o valor das receitas de capital. Desse modo, é possível avaliar quanto os municípios investiram de suas receitas correntes, sem contar com as operações de crédito que tenham sido realizadas e as transferências de capital recebidas do Estado ou da União. 85 DESPESA Recursos destinados aos investimentos dos municípios do Rio de Janeiro Origem dos recursos mil - IPCA médio de Recursos próprios , , , , , , , ,3 Receita de capital , , , , , , , ,1 Transf. da União , , , , , , , ,9 Transf. do Estado , , , , , , , ,9 Operações de crédito , , , , , , , ,8 Outras receitas de capital , , , , , , , ,5 Investimento total , , , , , , , ,5 Participação dos recursos destinados aos investimentos dos municípios do Rio de Janeiro Origem dos recursos em % Recursos próprios 71,3 78,3 88,3 85,6 68,9 85,4 78,9 70,7 Receita de capital 28,7 21,7 11,7 14,4 31,1 14,6 21,1 29,3 Transf. da União 8,2 2,2 3,8 2,5 5,5 7,3 12,4 10,7 Transf. do Estado 7,9 0,2 3,1 1,7 3,4 1,2 1,8 1,7 Operações de crédito 4,5 4,6 9,8 4,8 1,2 0,9 2,0 6,6 Outras receitas de capital 8,1 14,7-5,1 5,4 21,1 5,2 4,8 10,2 Investimento total 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0

88 EVOLUÇÃO Investimentos a Município Variação / 2008 mil - IPCA médio de em % Participação no total na rec. da desp. invest. a total b Desp. invest. a per capita Angra dos Reis , , , , , ,5-32,9 2,4 10,1 292, Aperibé 195, , , , ,2 222,6 0,2 21,3 514, Araruama 6.454, , , , , ,0-74,6 0,1 1,9 20, Areal 1.949,3 463,4 971,7 419, ,3 941,9-57,4 0,0 3,7 78, Armação dos Búzios , , , , , ,6-21,2 0,2 4,3 163, Arraial do Cabo 3.878, , , , ,6 514,9-87,8 0,0 1,1 19, Barra do Piraí 5.692, , , , , ,9-48,2 0,3 5,0 57, Barra Mansa , , , , , ,7 84,8 2,5 21,2 287, Belford Roxo 9.306, , , , , ,4-53,9 0,4 2,6 16, Bom Jardim 1.715,0 476,7 820, , , ,9-20,1 0,1 5,4 84, Bom Jesus do Itabapoana 2.050, ,0 405, ,0 830, ,8 104,9 0,1 3,7 48, Cabo Frio , , , , , ,9-64,6 0,9 4,9 99, Cachoeiras de Macacu 2.037, , , , , ,9 202,5 0,4 8,1 157, Cambuci 3.261, , , , ,2 80,7 0,1 8,6 174, Campos dos Goytacazes , , , , , ,6-56,1 8,1 11,5 378, Cantagalo 1.652, , , , , ,1 33,7 0,2 9,1 204, Carapebus 5.999, , , , ,6 985,3-81,5 0,0 1,9 82, Cardoso Moreira 2.008, , , , , ,9-68,6 0,1 5,7 107, Carmo 1.037,0 479,8 757, ,9 866, ,5 81,1 0,1 4,1 87, Casimiro de Abreu 5.597, , , , , ,3-47,6 0,3 4,5 198, Comendador Levy Gasparian 775, ,0 895,7 388,7 730,0 607,3-16,8 0,0 3,1 68, Conceição de Macabu 4.578, , , , , ,6-46,0 0,1 6,4 118, Cordeiro 354, , , ,8 555,3 772,6 39,1 0,0 2,6 38, Duas Barras 957,7 604, , , , ,4 6,4 0,1 9,6 244, Duque de Caxias , , , , , ,9-72,0 2,7 4,5 61, Engenheiro Paulo de Frontin 1.831, , , , , ,2-50,6 0,1 7,7 153, Guapimirim , , , , ,5-53,5 0,3 7,1 122, Iguaba Grande 1.904, , , , , ,4-44,0 0,1 4,5 84, Itaboraí , , , , , ,5 15,2 1,1 9,2 98, Itaguaí 5.404, , , , , ,8-5,0 2,0 17,4 388, Italva 298, ,2 600,3 805, , ,3-14,3 0,0 3,7 68, Itaocara 2.631, , , , , ,4-13,6 0,1 6,1 101, Itaperuna 3.918, , , , , ,8 105,6 0,5 7,0 108, Itatiaia 1.897,0 832, , , ,1 628,8-78,2 0,0 1,1 17, Japeri , , , , , ,5 23,5 0,5 11,8 106, Laje do Muriaé 1.540,8 534,2 878,8 288,7 72, ,7 1626,5 0,1 5,9 156, Macaé , , , , , ,7 70,2 9,0 16,3 933, Macuco 1.927, , , , , ,4 46,7 0,2 20,2 703, Magé , , , , , ,2 73,0 2,1 18,2 174, Mangaratiba 9.967,3 838, , , , ,6-33,2 0,6 8,2 363, Maricá , , , , , ,0-39,3 0,3 5,0 55, Mendes 3.289, , , , , ,6-38,4 0,1 7,6 119, Mesquita 9.951, , , , , ,1 10,8 0,9 14,4 99, Miguel Pereira 2.094, , , , ,8 650,1-87,5 0,0 1,5 25, Miracema 1.859, , , , , ,3-54,6 0,1 5,4 85, Natividade 1.680, ,4 849, , , ,6-72,6 0,1 3,1 69, Nilópolis 9.885, , , , , ,2 62,1 1,2 17,9 152, Niterói , , , , , ,6 59,8 2,3 5,3 97,07 86 Finanças dos Municípios Fluminenses

89 Variação Participação Desp. Município / no total invest. na rec. a per capita 2008 da desp. invest. a total b mil - IPCA médio de em % Nova Friburgo 8.051, , , , , ,0 28,9 1,3 12,0 147, Nova Iguaçu , , , , , ,8 27,5 9,1 25,6 212, Paracambi 8.789, , , , ,0 981,6-66,3 0,0 1,4 21, Paraíba do Sul ,5 674, , ,1 16,1 0,2 7,9 100, Paraty 3.384, , , , , ,8 27,1 1,2 19,3 681, Paty do Alferes 2.220, , , , , ,2-78,7 0,1 2,6 42, Petrópolis , , , , , ,9-78,4 0,3 0,9 19, Pinheiral 1.295, , , , , ,7-73,3 0,1 6,1 97, Piraí , , , , , ,2 95,3 0,8 15,5 631, Porciúncula 887, , , , , ,8-54,6 0,1 6,2 111, Porto Real , , , , , ,8-25,0 0,4 9,6 501, Quatis 3.940,9 966, , , ,0 923,9-82,7 0,0 3,1 70, Queimados , , , , , ,2-24,8 0,4 8,8 62, Quissamã , , , , , ,1-72,4 0,6 7,0 598, Resende , , , , , ,6-67,9 0,5 4,8 77, Rio Bonito 3.206, , , , , ,5 19,8 0,2 5,6 79, Rio Claro 5.238, , , , , ,9-76,2 0,1 4,9 120, Rio das Flores 3.954, , , , , ,6 69,7 0,3 22,2 804, Rio das Ostras , , , , , ,9-59,3 2,4 12,4 507, Santa Maria Madalena 4.773, , , , , ,4-31,7 0,1 5,1 138, Santo Antônio de Pádua 5.756, , , , , ,0 68,9 0,3 10,0 139, São Fidélis 3.321, , , , , ,0-82,4 0,1 2,2 27, São Francisco de Itabapoana 1.450, , , , , ,2 30,9 0,2 5,4 69, São Gonçalo , , , , , ,2-22,5 1,7 6,4 34, São João da Barra 9.906, , , , , ,3 259,1 5,6 52, , São João de Meriti 8.490, , , , , ,7-44,2 1,0 7,2 42, São José de Ubá 356, , , , , ,3 177,3 0,2 14,4 417, São José do Vale do Rio Preto 3.766, , , , , ,6-32,6 0,1 4,2 68, São Pedro da Aldeia 9.064, , , , , ,2-62,5 0,2 4,3 38, São Sebastião do Alto 2.198,0 301,1 474,1 868, ,8 879,0-20,7 0,0 3,7 97, Sapucaia 1.135, , , , , ,6 16,6 0,1 7,5 160, Saquarema , , , , , ,6-42,5 0,5 10,9 154, Seropédica 6.816, , , , , ,5-44,5 0,2 5,2 57, Silva Jardim 5.289, , , , , ,0 50,6 0,3 10,3 315, Sumidouro 2.292, , , , , ,4-69,6 0,1 4,5 94, Tanguá 3.145, , , , ,3-26,2 0,2 11,7 147, Teresópolis , , , , , ,4 24,6 0,4 4,1 54, Trajano de Moraes 672, , ,8 167,9 665,6 848,0 27,4 0,0 3,9 85, Três Rios 5.378, , , , , ,0 10,5 0,4 11,5 115, Valença 4.854, , , , , ,6-39,5 0,1 2,2 24, Varre-Sai 606,4 855,6 886,6 449, , ,6-15,7 0,1 5,5 123, Vassouras 7.204, , , , , ,8 16,6 0,1 4,7 86, Volta Redonda , , , , , ,0 8,2 4,1 15,8 318, Interior , , , , , ,4-20,1 76,0 10,2 156, Rio de Janeiro , , , , , ,1-62,9 24,0 4,2 78, Total , , , , , ,5-37,4 100,0 7,6 126,45 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Notas: a as inversões financeiras e as transferências de capital (exceto as amortizações da dívida) estão incluídas nos investimentos por referirem-se sobretudo a esse item do gasto. b receita total ajustada dos efeitos da conta Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). 87 DESPESA

90 ranking Investimentos a Valores absolutos Posição Municípios Investimentos a Posição Municípios Investimentos a 1º Rio de Janeiro º Nova Iguaçu º Macaé º Campos dos Goytacazes º São João da Barra º Volta Redonda º Duque de Caxias º Barra Mansa º Angra dos Reis º Rio das Ostras º Niterói º Magé º Itaguaí º São Gonçalo º Nova Friburgo º Nilópolis º Paraty º Itaboraí º São João de Meriti º Mesquita º Cabo Frio º Piraí º Quissamã º Mangaratiba º Japeri º Itaperuna º Saquarema º Resende º Cachoeiras de Macacu º Teresópolis º Três Rios º Queimados º Belford Roxo º Porto Real º Rio das Flores º Silva Jardim º Maricá º Petrópolis º Guapimirim º Casimiro de Abreu º Barra do Piraí º Santo Antônio de Pádua º Aperibé º Armação dos Búzios º Seropédica º Tanguá º Rio Bonito º Cantagalo º Paraíba do Sul º Macuco º São Francisco de Itabapoana º São Pedro da Aldeia º São José de Ubá º Vassouras º Sapucaia º Duas Barras º Cambuci º Conceição de Macabu º Araruama º Miracema º Itaocara º Bom Jardim º Rio Claro º Pinheiral º Mendes º Porciúncula º Engenheiro Paulo de Frontin º Iguaba Grande º Valença º Bom Jesus do Itabapoana º Carmo º Santa Maria Madalena º Sumidouro º São José do Vale do Rio Preto º Cardoso Moreira º Laje do Muriaé º Paty do Alferes º Varre-Sai º São Fidélis º Natividade º Italva º Carapebus º Paracambi º Areal º Quatis º São Sebastião do Alto º Trajano de Moraes º Cordeiro º Miguel Pereira º Itatiaia º Comendador Levy Gasparian º Arraial do Cabo Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a as inversões financeiras e as transferências de capital (exceto as amortizações da dívida) estão incluídas nos investimentos por referirem-se sobretudo a esse item do gasto. 88 Finanças dos Municípios Fluminenses

91 Valores per capita Posição Municípios Invest. a per capita Investimentosa 1º São João da Barra º Macaé º Rio das Flores º Macuco º Paraty º Piraí º Quissamã º Aperibé º Rio das Ostras º Porto Real º São José de Ubá º Itaguaí º Campos dos Goytacazes º Mangaratiba º Volta Redonda º Silva Jardim º Angra dos Reis º Barra Mansa º Duas Barras º Nova Iguaçu º Cantagalo º Casimiro de Abreu º Magé º Cambuci º Armação dos Búzios º Sapucaia º Cachoeiras de Macacu º Laje do Muriaé º Saquarema º Engenheiro Paulo de Frontin º Nilópolis º Nova Friburgo º Tanguá º Santo Antônio de Pádua º Santa Maria Madalena º Varre-Sai º Guapimirim º Rio Claro º Mendes º Conceição de Macabu º Três Rios º Porciúncula º Itaperuna º Cardoso Moreira º Japeri º Itaocara Posição Municípios Invest. a per capita Investimentosa 47º Paraíba do Sul º Cabo Frio º Mesquita º Itaboraí º Pinheiral º São Sebastião do Alto º Niterói º Sumidouro º Carmo º Vassouras º Trajano de Moraes º Miracema º Bom Jardim º Iguaba Grande º Carapebus º Rio Bonito º Areal º Rio de Janeiro º Resende º Quatis º Natividade º São Francisco de Itabapoana º Comendador Levy Gasparian º Italva º São José do Vale do Rio Preto º Queimados º Duque de Caxias º Seropédica º Barra do Piraí º Maricá º Teresópolis º Bom Jesus do Itabapoana º Paty do Alferes º São João de Meriti º Cordeiro º São Pedro da Aldeia º São Gonçalo º São Fidélis º Miguel Pereira º Valença º Paracambi º Araruama º Petrópolis º Arraial do Cabo º Itatiaia º Belford Roxo Total DESPESA Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a as inversões financeiras e as transferências de capital (exceto as amortizações da dívida) estão incluídas nos investimentos por referirem-se sobretudo a esse item do gasto.

92 Juros e amortizações Os juros, demais encargos e as amortizações da dívida são despesas geradas pela dívida consolidada (também chamada de dívida fundada), ou seja, dívidas cujos vencimentos para sua liquidação ultrapassam um ano. A principal dívida fundada dos municípios brasileiros refere-se a débitos previdenciários junto ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Algumas cidades também possuem dívidas relativas a operações de crédito contratadas junto a instituições financeiras de fomento para a realização de investimentos de maior porte. Em, com a promulgação da Lei nº /, e da Portaria Conjunta nº 7/, da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e da Receita Federal do Brasil (RFB), a União refinanciou as dívidas dos municípios com o INSS. Puderam ser renegociados, até 31 de agosto de, todos os débitos dos municípios junto ao Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) com vencimentos até 31 de janeiro de, tanto os de responsabilidade da administração direta como da indireta, inclusive os já inscritos na Dívida Ativa da União. Dentre as vantagens auferidas, encontram-se: a) carência de até seis meses, dependendo do porte populacional do município, para o pagamento da primeira parcela do refinanciamento; b) prazo de 10 a 20 anos para a liquidação dos débitos patronais e de cinco anos para os de origem na retenção das contribuições dos servidores, corrigidos com base na taxa de juros Selic, que mede os juros básicos da economia; c) eliminação das multas moratórias (vinculadas ao principal da dívida) e de ofício (que independem do principal), além da redução de 50% dos juros de mora; e d) pagamento das prestações diretamente ao Tesouro, sem retenção prévia dos recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), exceto em casos de inadimplência, cuja dedução será apenas em relação à prestação mensal não paga no vencimento. Após a formalização do pedido de renegociação, em até dois dias úteis, os municípios puderam receber a Certidão Negativa de Débitos junto à União, o que libera os mesmos a contrair empréstimos. As despesas com juros, encargos e amortizações da dívida nos municípios fluminenses alcançaram R$ 1,34 bilhão em, sendo o quinto ano de aumento consecutivo. Desse total, R$ 1,06 bilhão, ou 78,7%, é referente à cidade do Rio de Janeiro. Frente a 2008, a cidade ampliou sua despesa nesse item em 7,8%. Gastos expressivos também foram efetuados pelos municípios de Duque de Caxias (R$ 36 milhões), Nova Iguaçu (R$ 24,4 milhões), Campos dos Goytacazes (R$ 21,9 milhões), Macaé (R$ 15,9 milhões), São Gonçalo (R$ 12,4 milhões), Niterói (R$ 11,9 milhões) e Volta Redonda (R$ 11,6 milhões). Nos últimos seis anos, a participação da despesa com juros e amortizações da dívida na receita corrente da cidade do Rio de Janeiro tem oscilado entre 8,7% e 9,9%, sendo que, em, esse indicador ficou em 9,3%. Os elevados desembolsos têm comprometido seriamente a capacidade de investimento da cidade. Além da capital, apresentaram os maiores comprometimentos os municípios de Armação dos Búzios (6%), Três Rios (5,3%) e São Fidélis (5,1%). De um modo geral, esses encargos têm um pequeno peso nos orçamentos dos demais municípios. Evolução do gasto com juros e amortizações da dívida milhões - IPCA médio de Evolução da despesa com juros e amortizações e investimento no Município do Rio de Janeiro milhões O Município de São Gonçalo apresentou um grande salto em seus gastos com juros e amortizações da dívida, que passou de apenas R$ 1,5 milhão, em 2008, para R$ 12,4 milhões, em. Duque de Caxias e Araruama aumentaram em mais de duas vezes suas despesas com esse tipo de despesa. Já os municípios de Barra do Piraí, Armação dos Búzios, Laje do Muriaé, Paraty, Conceição de Macabu e Rio Claro mais que dobraram seus gastos. Por outro lado, Teresópolis, que havia despendido R$17,1 milhões com juros e encargos de dívidas em 2008, reduziu seus gastos para apenas R$ 34,4 mil, em. Ainda apresentaram acentuadas quedas os municípios de Duas Barras, Japerí e Paty do Alferes, que empenharam respectivamente 73,4%, 70,2% e 65,7% a menos de seus orçamentos, se comparado com Mendes, Paraíba do Sul, Piraí, Paraty, Sumidouro e São Francisco do Itabapoana ainda cortaram em mais da metade o orçamento destinado à divida no exercício de. 90 Finanças dos Municípios Fluminenses

93 Cada vez mais presente nas prefeituras de todo o Brasil Tel.: (27)

94 EVOLUÇÃO Juros e amortizações da dívida Município Variação / 2008 mil - IPCA médio de em % Participação no total na rec. do juros amort. corr. a Juros amort. per capita Angra dos Reis 3.616, , , , , ,9 3,9 0,5 1,3 37, Aperibé 174, , ,1 0,0 359,5.. 0,0 1,6 37, Araruama 913, , , , , ,1 237,3 0,5 4,9 55, Areal 0,0 510,9 508,5 495,1 517,6 550,3 6,3 0,0 2,1 45, Armação dos Búzios 751, , , , , ,2 162,8 0,5 6,0 224, Arraial do Cabo 890,6 851,2 728, , , ,7 12,4 0,1 3,0 53, Barra do Piraí 2.522, , , , , ,4 179,0 0,2 2,6 28, Barra Mansa 5.976, , , , , ,5-10,7 0,7 3,7 49, Belford Roxo 947, , , , , ,9-15,3 0,6 2,6 16, Bom Jardim 19,7 506,3 714,7 961, , ,9-23,1 0,1 3,2 47, Bom Jesus do Itabapoana 23, ,3 931,9 771, ,2 837,3-19,0 0,1 1,9 23, Cabo Frio 57, , , , , ,5-5,5 0,3 1,0 19, Cachoeiras de Macacu 976, , , , , ,5-43,9 0,1 1,4 27, Cambuci 590, ,5 714,3 874,6 897,3 2,6 0,1 3,2 60, Campos dos Goytacazes , , , , ,6-13,9 1,6 1,6 50, Cantagalo 735,7 930, , , ,0 578,0-45,6 0,0 1,3 28, Carapebus 437,3 217,1 719,6 510,4 417,3 627,0 50,3 0,0 1,2 52, Cardoso Moreira 195,4 243,7 247,6 325,6 615, ,5 79,0 0,1 4,7 88, Carmo 369,2 585,9 678,3 731,6 848,3 770,2-9,2 0,1 2,1 42, Casimiro de Abreu 597,6 673,1 675,1 698,3 867,9 775,9-10,6 0,1 0,6 25, Comendador Levy Gasparian 244,2 408,1 717,0 701,0 636,6 446,3-29,9 0,0 2,2 50, Conceição de Macabu 434,5 492,2 435,7 787,7 813, ,3 113,1 0,1 4,8 83, Cordeiro 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 162,5.. 0,0 0,5 8, Duas Barras 387,2 398,2 550,3 623,1 522,0 138,6-73,4 0,0 0,5 12, Duque de Caxias 2.812, , , , , ,3 259,1 2,7 3,0 41, Engenheiro Paulo de Frontin 69,6 0,0 109,3 170,8 141,2 107,7-23,8 0,0 0,4 8, Guapimirim... 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0.. 0,0 0,0 0, Iguaba Grande 783,5 488,9 564,0 699, , ,7-6,7 0,1 2,5 44, Itaboraí 212,1 259,5 68,9 10, , ,7 98,7 0,4 2,0 21, Itaguaí 242, , , , , ,1 4,9 0,2 1,3 29, Italva 0,0 0,0 0,0 493,8 772,4 587,7-23,9 0,0 2,2 40, Itaocara 624,2 409,4 822,1 851, , ,0-14,8 0,1 3,0 49, Itaperuna 691,8 787, , , , ,6-3,1 0,1 0,8 12, Itatiaia 1.200,9 673,0 649,0 961,0 935,7 661,4-29,3 0,0 1,1 18, Japeri 0, , , , ,1 615,3-70,2 0,0 0,7 6, Laje do Muriaé 221,5 250,9 251,6 104,2 126,3 320,8 154,0 0,0 1,5 40, Macaé 998, ,5 192, , , ,1-40,0 1,2 1,4 81, Macuco 0,0 0,0 0,0 0,0 609,4 317,8-47,8 0,0 1,6 56, Magé 759,8 778,0 492,7 0,0 0,0 543,3.. 0,0 0,2 2, Mangaratiba 5, , , , , ,4-27,5 0,1 0,9 38, Maricá 866, , , , , ,1-2,5 0,2 1,8 20, Mendes 324,2 351,0 280,7 14,1 207,3 85,8-58,6 0,0 0,3 4, Mesquita 0,0 0,0 924,1 989,2 921, ,8 15,9 0,1 0,9 5, Miguel Pereira 38,6 177,8 549,9 743,0 859,3 582,5-32,2 0,0 1,3 22, Miracema 0,0 115,4 951, , , ,7 9,4 0,1 3,2 49, Natividade 290,7 583,5 566,2 653,0 640,7 910,0 42,0 0,1 2,7 59, Nilópolis 3.596, , , , , ,4 0,5 0,2 2,2 17, Niterói , , , , , ,7-12,7 0,9 1,3 24,73 92 Finanças dos Municípios Fluminenses

95 Município Variação / 2008 Participação no total na rec. do juros amort. corr. a Juros amort. per capita mil - IPCA médio de em % Nova Friburgo 2.960, , , , , ,6-37,6 0,3 1,7 20, Nova Iguaçu 6.810, , , , , ,7 80,5 1,8 3,9 28, Paracambi 1.556, , , , , ,4-11,6 0,1 2,1 31, Paraíba do Sul ,7 709, ,1 549,8-53,8 0,0 1,0 13, Paraty 306,2 377,3 239,4 497,6 441,1 940,0 113,1 0,1 0,8 26, Paty do Alferes 19,9 248,2 290,8 302,9 93,4 32,0-65,7 0,0 0,1 1, Petrópolis 6.329, , , , , ,3 0,4 0,6 1,3 26, Pinheiral 0,0 172,6 303,8 646,9 932, ,2 23,1 0,1 3,2 51, Piraí 1.329,7 768,9 793,5 784, ,3 483,0-52,5 0,0 0,5 18, Porciúncula 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0.. 0,0 0,0 0, Porto Real 647,5 18,8 780,4 0,0 0, ,0.. 0,2 2,7 139, Quatis 271,0 184,5 0,0 0,0 737,0 438,4-40,5 0,0 1,5 33, Queimados 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0.. 0,0 0,0 0, Quissamã 17,5 638,5 124,1 148,8 32,5 32,4-0,5 0,0 0,0 1, Resende 9.498, , , , , ,9-4,9 0,6 4,3 66, Rio Bonito 986, ,6 804, , , ,5 34,2 0,1 2,2 31, Rio Claro 162,4 67,4 76,7 193,3 882, ,5 110,1 0,1 4,1 100, Rio das Flores 299,4 310,6 419,8 113,8 564,5 736,9 30,5 0,1 2,6 83, Rio das Ostras 0,0 0,0 0,0 0,0 0, ,0.. 0,1 0,4 16, Santa Maria Madalena 193,9 837,8 655,9 818,0 873,5 742,0-15,1 0,1 2,6 68, Santo Antônio de Pádua 1.013,9 491,0 550, , , ,7-11,1 0,1 2,2 30, São Fidélis 1.570, , , , , ,1-13,0 0,2 5,1 61, São Francisco de Itabapoana 17,2 797,8 811,6 931, ,3 470,9-54,4 0,0 0,8 9, São Gonçalo 4.453, , , , , ,9 735,3 0,9 2,3 12, São João da Barra 1.916, , , , , ,9 18,6 0,4 2,4 166, São João de Meriti 2.728, , , , , ,9-34,7 0,5 2,2 13, São José de Ubá 0,0 108,6 123,8 130,8 156,0 109,9-29,6 0,0 0,5 15, São José do Vale do Rio Preto 27,2 31,6 617,6 687,8 741,0 726,7-1,9 0,1 2,2 35, São Pedro da Aldeia 2.419, , , , , ,4-8,7 0,3 5,0 45, São Sebastião do Alto 188,0 0,0 203,7 149,1 228,0 315,1 38,2 0,0 1,3 34, Sapucaia 1.081,8 809, , , ,9 693,1-37,6 0,1 1,9 39, Saquarema 1.480, , , , , ,9-12,9 0,3 4,2 66, Seropédica 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 906,6.. 0,1 1,0 11, Silva Jardim 604,1 648,1 873, , , ,5 0,3 0,1 1,8 54, Sumidouro 527,1 639,1 749,8 782,3 734,2 332,8-54,7 0,0 1,0 21, Tanguá 134, ,8 196,7 271,4 254,6-6,2 0,0 0,7 8, Teresópolis 748,4 683, , , ,3 34,4-99,8 0,0 0,0 0, Trajano de Moraes 490,8 355,1 484,2 397,0 444,8 364,8-18,0 0,0 1,7 36, Três Rios 2.026, ,9 812, , , ,9-7,1 0,3 5,3 53, Valença 1.483,7 563,6 601,3 377,2 993, ,6 61,1 0,1 2,1 21, Varre-Sai 418,8 447,9 415,3 595,3 928,8 610,2-34,3 0,0 2,8 68, Vassouras 528,7 939, , , ,3 926,1-36,3 0,1 1,5 27, Volta Redonda 6.390, , , , , ,9 3,8 0,9 2,2 44, Interior , , , , , ,4 7,2 21,3 1,9 29, Rio de Janeiro , , , , , ,1 7,8 78,7 9,3 170, Total , , , , , ,6 7,7 100,0 5,1 83,80 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a receita corrente ajustada dos efeitos da conta Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). 93 DESPESA

96 ranking Juros e amortizações da dívida Valores absolutos Posição Municípios Juros e amort. da dívida 1º Rio de Janeiro º Duque de Caxias º Nova Iguaçu º Campos dos Goytacazes º Macaé º São Gonçalo º Niterói º Volta Redonda º Barra Mansa º Resende º Petrópolis º Belford Roxo º Armação dos Búzios º Angra dos Reis º São João de Meriti º Araruama º São João da Barra º Itaboraí º Saquarema º Três Rios º São Pedro da Aldeia º Cabo Frio º Nova Friburgo º Itaguaí º Barra do Piraí º Nilópolis º Maricá º São Fidélis º Porto Real º Rio Claro º Rio Bonito º Conceição de Macabu º Rio das Ostras º Valença º Cachoeiras de Macacu º Arraial do Cabo º Paracambi º Miracema º Itaperuna º Santo Antônio de Pádua º Bom Jardim º Mangaratiba º Silva Jardim º Pinheiral º Itaocara º Cardoso Moreira Posição Municípios Juros e amort. da dívida 47º Mesquita º Iguaba Grande º Paraty º Vassouras º Natividade º Seropédica º Cambuci º Bom Jesus do Itabapoana º Casimiro de Abreu º Carmo º Santa Maria Madalena º Rio das Flores º São José do Vale do Rio Preto º Sapucaia º Itatiaia º Carapebus º Japeri º Varre-Sai º Italva º Miguel Pereira º Cantagalo º Areal º Paraíba do Sul º Magé º Piraí º São Francisco de Itabapoana º Comendador Levy Gasparian º Quatis º Trajano de Moraes º Aperibé º Sumidouro º Laje do Muriaé º Macuco º São Sebastião do Alto º Tanguá º Cordeiro º Duas Barras º São José de Ubá º Engenheiro Paulo de Frontin º Mendes º Teresópolis º Quissamã º Paty do Alferes º Guapimirim º Porciúncula º Queimados Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 94 Finanças dos Municípios Fluminenses

97 Valores per capita Juros e amort. da dívida per capita Juros e amortizações da dívida Posição Municípios 1º Armação dos Búzios º Rio de Janeiro º São João da Barra º Porto Real º Rio Claro º Cardoso Moreira º Rio das Flores º Conceição de Macabu º Macaé º Varre-Sai º Santa Maria Madalena º Resende º Saquarema º São Fidélis º Cambuci º Natividade º Macuco º Araruama º Silva Jardim º Arraial do Cabo º Três Rios º Carapebus º Pinheiral º Campos dos Goytacazes º Comendador Levy Gasparian º Barra Mansa º Itaocara º Miracema º Bom Jardim º Areal º São Pedro da Aldeia º Iguaba Grande º Volta Redonda º Carmo º Duque de Caxias º Laje do Muriaé º Italva º Sapucaia º Mangaratiba º Angra dos Reis º Aperibé º Trajano de Moraes º São José do Vale do Rio Preto º São Sebastião do Alto º Quatis º Paracambi Juros e amort. da dívida per capita Juros e amortizações da dívida Posição Municípios 47º Rio Bonito º Santo Antônio de Pádua º Itaguaí º Nova Iguaçu º Cantagalo º Barra do Piraí º Cachoeiras de Macacu º Vassouras º Petrópolis º Paraty º Casimiro de Abreu º Niterói º Bom Jesus do Itabapoana º Miguel Pereira º Sumidouro º Itaboraí º Valença º Nova Friburgo º Maricá º Cabo Frio º Itatiaia º Piraí º Nilópolis º Rio das Ostras º Belford Roxo º São José de Ubá º Paraíba do Sul º São João de Meriti º Itaperuna º Duas Barras º São Gonçalo º Seropédica º São Francisco de Itabapoana º Tanguá º Cordeiro º Engenheiro Paulo de Frontin º Japeri º Mesquita º Mendes º Magé º Quissamã º Paty do Alferes º Teresópolis º Guapimirim º Porciúncula º Queimados Total DESPESA Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

98 Legislativos municipais Desempenho Os municípios fluminenses mantiveram em a trajetória de aumento das despesas com o Legislativo municipal. O montante total destinado às Câmaras de Vereadores foi de R$ 855,8 milhões, representando um acréscimo de 6,4%, se comparado com Na capital, o resultado foi apenas 1% maior que o observado em 2008, o que representou um volume de R$ 3,98 milhões de recursos adicionais direcionados ao Legislativo Municipal, que inclui a Câmara e o Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro, órgão que exerce a função de auxilio ao Poder Legislativo. Foi o menor aumento desde 2005, sendo que no biênio 2007/2008 as despesas da capital cresceram cerca de a 4% ao ano. Entre os municípios do interior, o aumento médio foi de 11,9%. As localidades que mais expandiram seus gastos foram Cachoeiras de Macacu (99,6%), Itaguaí (64,2%) e Magé (49,0%). Por outro lado, Itaboraí (-27,2%), Rio das Flores (-18,1%), Cordeiro (-10,5%) e Cantagalo (-10,3%) foram as que mais reduziram as despesas com o Legislativo. As cidades de Guapimirim e Trajano de Moraes não apresentam em seus balanços contábeis despesas com a Câmara em, prejudicando a análise nos respectivos municípios. Das 92 localidades do Estado, 80 aumentaram seus gastos com seus parlamentos, enquanto dez reduziram. Esse aumento dos gastos dos legislativos municipais, ocorrido em um ano marcado por uma crise econômica, explica-se pela vinculação dos repasses aos legislativos municipais ao somatório da receita tributária e de transferências recebidas pela prefeitura no ano anterior. Portanto, os recursos à disposição das Câmaras, em, são um percentual sobre a receita das prefeituras de 2008, que, como se sabe, tiveram um desempenho excelente naquele ano. Pela primeira vez, desde 2001, a soma da despesa com as Câmaras do interior ficou acima do gasto na capital. Os gastos chegaram a R$ 447,2 milhões, enquanto na cidade do Rio de Janeiro ficaram em R$ 408,6 milhões, liderando isoladamente esse ranking. Em segundo lugar aparece o município de Duque de Caxias (R$ 38 milhões), seguido por Niterói e Macaé, com R$ 35,6 milhões e R$ 34,6 milhões, ficando em terceiro e quarto lugares respectivamente. Evolução dos gastos com legislativos municipais milhões - IPCA médio de Taxas de crescimento da despesa com legislativos municipais em relação ao ano anterior Participação na receita corrente Os municípios fluminenses comprometeram, em média, 3,3% de suas receitas correntes com o Legislativo municipal no ano de. Na cidade do Rio de Janeiro, o percentual foi de 3,6%, reproduzindo os dois anos anteriores. Isso significa que tanto a receita corrente quanto os gastos com o Legislativo, subiram na mesma intensidade na capital fluminense. No interior, essa participação aumentou de 2,5%, em 2008, para 3%, em, devido ao crescimento de 11,9% das despesas com o Legislativo, num ambiente de retração média de 5,8% da receita corrente, provocada pela crise financeira internacional. Participação do gasto com legislativos municipais na receita corrente 96 Finanças dos Municípios Fluminenses

99 Limites A Emenda Constitucional (EC) nº 25, de fevereiro de 2000, que inseriu o artigo 29-A na Constituição Federal, fixou os limites máximos para os gastos com o Legislativo, em proporção ao somatório da receita tributária e das transferências previstas no parágrafo 5º do artigo 153 (imposto sobre o ouro) e nos artigos 158 (IRRF, ITR, IPVA, ICMS) e 159 (FPM, IPI-exportação), realizada efetivamente no ano anterior. Os limites variavam de acordo com o tamanho populacional do município. Em 23 de setembro de, o Congresso Nacional promulgou a EC n 58, que altera a redação do artigo 29-A da Constituição Federal, prevendo uma redução nos percentuais sobre a receita a ser repassada às Câmaras a partir do ano subsequente à sua promulgação, conforme mostra a tabela abaixo. Limites do gasto com legislativos municipais Limites máximos Faixas populacionais EC nº 25 EC nº 58 Até 100 mil habitantes 8% 7% De 100 mil e um a 300 mil habitantes 7% 6% De 300 mil e um a 500 mil habitantes 6% 5% Acima de 500 mil habitantes 5% - De 500 mil e um a 3 milhões de habitantes - 4,5% De 3 milhões e um a 8 milhões de habitantes - 4% Acima de 8 milhões de habitantes - 3,5% Fonte: EC nº 25, 14/02/2000 e EC nº 58, 23/09/. Número de vereadores A EC n 58 também institui uma alteração no número de vereadores, estabelecendo 24 faixas com o número de habitantes e representantes em cada uma. O total de parlamentares sempre é ímpar, com o intuito de facilitar o processo de deliberação local, como mostra a tabela a seguir. Apesar de diminuir a quantidade atual de faixas (36), aumenta-se o número de vereadores. Estima-se que no Brasil o número de vereadores passará dos atuais para , o que representa um aumento de 14%. No Estado do Rio de Janeiro, calcula-se que o atual número de vereadores será ampliado para 1.338, o que significará um aumento de 33%. Em 2004, houve uma redução do número de representantes dos Legislativos municipais através da Resolução nº de 2004, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), cujo objetivo era o de equilibrar as disparidades demonstradas por municípios com populações semelhantes e número de representantes muito diferentes. Naquela época, o número total de membros das câmaras fluminenses passou de para 999. Em 2008, esse quantitativo foi ampliado para 1.007, tendo por base a estimativa populacional dos municípios do Estado, divulgada em 2007 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No entanto, mesmo com a redução, não houve queda nas despesas com as Câmaras, que retomaram o crescimento, de forma acentuada, a partir de 2005 (veja gráfico da página anterior). Número de vereadores por faixa populacional do município - EC nº 58/ Nº de habitantes do município Número de vereadores até de até de até de até de até de até de até de até de até de até de até de até de até de até de até de até de até de até de até de até de até de até de até Acima de Fonte: Emenda Constitucional (EC) nº 58/. Resultado per capita O gasto médio por habitante das prefeituras do Estado do Rio de Janeiro com o Poder Legislativo foi de R$ 53,45. Quanto maior o município, menor tende ser o gasto per capita. Desse modo, aqueles com até 25 mil habitantes foram em média os que mais despenderam: R$ 103,08 por pessoa. Já os com mais de 300 mil habitantes gastaram em média R$ 29,32 por morador. As cidades com maior gasto per capita foram Quissamã e Mangaratiba, com R$ 277,02 e R$ 218,63, respectivamente. Macuco (R$ 189,59), Macaé (R$ 177,79) e Carapebus (R$ 169,02) apareceram nas posições subsequentes. A capital ocupou a 53 posição, com um gasto por habitante no valor de R$ 66,05. Despesa com os legislativos municipais por habitante - 97 DESPESAS por função

100 EVOLUÇÃO Legislativos municipais Município Variação / 2008 mil - IPCA médio de em % Participação no total na rec. da desp. legisl. corr. a Desp. legisl. per capita Angra dos Reis , , , , , ,2 22,7 2,7 4,7 135, Aperibé ,5 812,7 895,9 926,5 3,4 0,1 4,2 96, Araruama 3.601, , , , , ,0 4,7 0,6 4,0 45, Areal 1.024, ,0 872, , , ,2-9,2 0,1 4,1 87, Armação dos Búzios 3.007, , , , , ,6 11,0 0,5 3,7 139, Arraial do Cabo , , , , ,8 9,5 0,3 4,7 84, Barra do Piraí , , , , ,9 6,7 0,5 3,5 37, Barra Mansa 6.018, , , , , ,2 9,5 1,0 3,4 46, Belford Roxo 0, , , , , ,9 6,0 1,0 2,8 17, Bom Jardim 1.254, ,2 219, , , ,8 17,4 0,2 3,3 49, Bom Jesus do Itabapoana 1.305, , , , ,3 7,3 0,3 5,1 65, Cabo Frio 8.718, , , , , ,5-7,3 0,9 2,0 40, Cachoeiras de Macacu 1.596, , , , , ,0 99,6 0,4 3,1 59, Cambuci 1.053, , , , ,0 22,9 0,2 5,1 97, Campos dos Goytacazes 105, , , , , ,5 10,1 2,0 1,2 39, Cantagalo , , , , ,4-10,3 0,3 4,8 106, Carapebus 1.697, , , , , ,9 14,3 0,2 3,9 169, Cardoso Moreira 1.070, , , , , ,1 11,1 0,2 6,0 111, Carmo 1.209, , , , , ,0 6,4 0,2 4,8 98, Casimiro de Abreu 3.569, , , , , ,7 23,3 0,5 3,0 132, Comendador Levy Gasparian 273, ,8 269,7 305,9 366,6 19,8 0,0 1,8 41, Conceição de Macabu 1.187, , , , , ,9 12,9 0,2 4,6 80, Cordeiro 0, , , , , ,0-10,5 0,2 4,5 69, Duas Barras 900, , , , ,2 9,6 0,2 5,1 120, Duque de Caxias , , , , , ,3 21,6 4,4 3,2 43, Engenheiro Paulo de Frontin 920, , , , , ,9 8,6 0,1 4,7 94, Guapimirim ,8 539,0 576,4 795, , Iguaba Grande 1.356, , , , , ,0 10,1 0,2 5,0 90, Itaboraí 3.911, , , , , ,6-27,2 0,5 1,8 19, Itaguaí 6.153, , , , , ,8 64,2 0,3 1,0 22, Italva 936,7 965, , , , ,1 22,0 0,2 5,1 93, Itaocara 1.413, , , , , ,5 11,7 0,2 4,7 77, Itaperuna 3.122, , , , , ,7 21,3 0,6 3,2 49, Itatiaia , , , , ,8-2,0 0,3 4,3 71, Japeri 1.832, , , , , ,7 14,5 0,4 3,5 31, Laje do Muriaé 775,5 865,5 916,5 960,2 988, ,3 12,3 0,1 5,3 138, Macaé , , , , , ,4 39,6 4,0 3,1 177, Macuco ,2 898,5 939,2 970, ,6 9,9 0,1 5,5 189, Magé 1.573, , , , , ,9 49,0 0,3 1,1 10, Mangaratiba 2.650, , , , , ,8 36,7 0,8 5,0 218, Maricá 3.532, , , , , ,0 8,1 0,6 3,9 42, Mendes 910,7 859,1 832,6 974, , ,9 10,6 0,1 4,4 69, Mesquita , , , , ,2 13,5 0,5 3,5 21, Miguel Pereira , , , , ,1 0,9 0,2 4,1 69, Miracema 1.056, , , , , ,7 10,4 0,2 4,3 66, Natividade 1.105, , , , , ,7 1,0 0,2 4,3 92, Nilópolis 3.595, , , , , ,3 10,8 0,6 4,4 34, Niterói , , , , , ,8 4,1 4,2 4,0 74,24 98 Finanças dos Municípios Fluminenses

101 Município Variação / 2008 Participação no total na rec. da desp. legisl. corr. a Desp. legisl. per capita mil - IPCA médio de em % Nova Friburgo 7.687, , , , , ,8-1,1 0,9 3,5 40, Nova Iguaçu , , , , ,4 7,0 1,4 1,9 14, Paracambi , , , ,8 9,6 0,3 3,1 47, Paraíba do Sul , , , ,4 13,4 0,2 3,9 51, Paraty 1.750, , , , , ,0 15,0 0,4 2,7 94, Paty do Alferes 1.412, , , , , ,0 8,2 0,2 4,6 74, Petrópolis 9.981, , , , , ,8 14,6 1,4 1,8 38, Pinheiral 1.066, ,9 522, , , ,4 12,4 0,2 4,6 72, Piraí 3.166, , , , , ,2 18,2 0,4 3,9 146, Porciúncula 1.005,0 0, , , , ,0 19,4 0,2 4,6 82, Porto Real 1.662, , , , , ,7 4,7 0,3 3,0 159, Quatis 924,3 947,1 876,5 937,3 867, ,5 32,0 0,1 3,9 87, Queimados 2.636, , , , , ,4 14,5 0,4 3,9 27, Quissamã 5.452, , , , , ,6 26,9 0,6 3,3 277, Resende 5.323, , , , , ,7 2,0 0,7 3,0 46, Rio Bonito , , , , ,5-0,7 0,5 5,3 75, Rio Claro 1.135, , , , , ,5 8,3 0,2 3,9 95, Rio das Flores ,6 978, , ,3 903,1-18,1 0,1 3,2 102, Rio das Ostras 5.487, , , , , ,0 28,2 1,0 2,1 85, Santa Maria Madalena 1.215, , , , , ,6 11,5 0,2 5,8 156, Santo Antônio de Pádua 1.635, , , , , ,5 9,1 0,3 3,9 53, São Fidélis 1.737, , , , , ,6 10,6 0,3 5,4 64, São Francisco de Itabapoana , , , , ,2 14,7 0,4 5,4 70, São Gonçalo 6.994, , , , , ,2 4,8 1,4 2,2 11, São João da Barra , , , , ,0 16,6 0,4 1,5 107, São João de Meriti 6.435, , , , , ,2 13,8 1,0 3,2 19, São José de Ubá ,7 879,8 908,5 968, ,5 4,5 0,1 4,9 138, São José do Vale do Rio Preto 1.260, , , , , ,1 15,7 0,2 4,2 67, São Pedro da Aldeia , , , , ,3 12,1 0,5 5,1 46, São Sebastião do Alto 1.042, , , , , ,2 10,2 0,1 5,4 138, Sapucaia 1.159, , , , , ,5 17,2 0,2 5,0 108, Saquarema 2.529, , , , , ,4 8,5 0,5 4,3 66, Seropédica , , , ,3 15,6 0,4 3,9 42, Silva Jardim 1.417, , , , , ,1 8,1 0,2 2,8 87, Sumidouro 977, , , , , ,7 9,2 0,2 4,6 95, Tanguá 426,8 0, , , , ,0 15,3 0,2 4,6 58, Teresópolis 5.760, , , , , ,8 6,0 1,0 4,1 54, Trajano de Moraes 1.089, , , , , , Três Rios 3.592, , , , , ,0 11,7 0,6 6,2 62, Valença , , , ,8 7,7 0,3 3,7 37, Varre-Sai 720,8 794,7 821,2 858,8 893, ,4 13,0 0,1 4,6 114, Vassouras 658,9 368,6 354,7 342,6 324,1 401,2 23,8 0,0 0,7 11, Volta Redonda , , , , , ,2-0,4 2,2 3,7 73, Interior , , , , , ,8 11,9 52,3 3,0 45, Rio de Janeiro , , , , , ,6 1,0 47,7 3,6 66, Total , , , , , ,4 6,4 100,0 3,3 53,45 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a receita corrente ajustada dos efeitos da conta Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). 99 DESPESAS por função

102 ranking Legislativos municipais Valores absolutos Posição Municípios Despesa com legislativo 1º Rio de Janeiro º Duque de Caxias º Niterói º Macaé º Angra dos Reis º Volta Redonda º Campos dos Goytacazes º Nova Iguaçu º Petrópolis º São Gonçalo º São João de Meriti º Teresópolis º Belford Roxo º Rio das Ostras º Barra Mansa º Cabo Frio º Nova Friburgo º Mangaratiba º Resende º Nilópolis º Quissamã º Maricá º Araruama º Itaperuna º Três Rios º Saquarema º Itaboraí º Mesquita º Rio Bonito º Casimiro de Abreu º Armação dos Búzios º São Pedro da Aldeia º Barra do Piraí º Piraí º Queimados º Cachoeiras de Macacu º Paraty º Seropédica º São Francisco de Itabapoana º São João da Barra º Japeri º Valença º Porto Real º Itatiaia º São Fidélis º Magé Posição Municípios Despesa com legislativo 47º Itaguaí º Bom Jesus do Itabapoana º Santo Antônio de Pádua º Arraial do Cabo º Cantagalo º Paracambi º Paraíba do Sul º Iguaba Grande º Carapebus º Paty do Alferes º Silva Jardim º Sapucaia º Miguel Pereira º Tanguá º Miracema º Carmo º Rio Claro º Itaocara º Santa Maria Madalena º Conceição de Macabu º Pinheiral º Porciúncula º Sumidouro º Cambuci º Natividade º Cardoso Moreira º São José do Vale do Rio Preto º Cordeiro º Italva º Duas Barras º Bom Jardim º São Sebastião do Alto º Engenheiro Paulo de Frontin º Mendes º Quatis º Laje do Muriaé º Macuco º Areal º São José de Ubá º Varre-Sai º Aperibé º Rio das Flores º Vassouras º Comendador Levy Gasparian º Trajano de Moraes º Guapimirim Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 100 Finanças dos Municípios Fluminenses

103 Valores per capita Desp. com legislativo per capita Despesa com legislativo Posição Municípios 1º Quissamã º Mangaratiba º Macuco º Macaé º Carapebus º Porto Real º Santa Maria Madalena º Piraí º Armação dos Búzios º Laje do Muriaé º São José de Ubá º São Sebastião do Alto º Angra dos Reis º Casimiro de Abreu º Duas Barras º Varre-Sai º Cardoso Moreira º Sapucaia º São João da Barra º Cantagalo º Rio das Flores º Carmo º Cambuci º Aperibé º Sumidouro º Rio Claro º Paraty º Engenheiro Paulo de Frontin º Italva º Natividade º Iguaba Grande º Areal º Quatis º Silva Jardim º Rio das Ostras º Arraial do Cabo º Porciúncula º Conceição de Macabu º Itaocara º Rio Bonito º Paty do Alferes º Niterói º Volta Redonda º Pinheiral º Itatiaia º São Francisco de Itabapoana Desp. com legislativo per capita Despesa com legislativo Posição Municípios 47º Miguel Pereira º Mendes º Cordeiro º São José do Vale do Rio Preto º Saquarema º Miracema º Rio de Janeiro º Bom Jesus do Itabapoana º São Fidélis º Três Rios º Cachoeiras de Macacu º Tanguá º Teresópolis º Santo Antônio de Pádua º Paraíba do Sul º Itaperuna º Bom Jardim º Paracambi º Resende º Barra Mansa º São Pedro da Aldeia º Araruama º Duque de Caxias º Seropédica º Maricá º Comendador Levy Gasparian º Nova Friburgo º Cabo Frio º Campos dos Goytacazes º Petrópolis º Valença º Barra do Piraí º Nilópolis º Japeri º Queimados º Itaguaí º Mesquita º Itaboraí º São João de Meriti º Belford Roxo º Nova Iguaçu º São Gonçalo º Vassouras º Magé º Trajano de Moraes º Guapimirim Total DESPESAS por função Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

104 Educação Os municípios fluminenses despenderam R$ 5,56 bilhões com educação em, o que representou uma queda real de 2,2% em relação ao ano anterior, interrompendo uma trajetória de quatro anos de seguidas expansões. Esse desempenho negativo foi influenciado, principalmente, pela forte retração de 8% na cidade do Rio de Janeiro, o que representou uma diminuição de R$ 186,5 milhões nos recursos destinados à educação entre 2008 e. Desconsiderando a capital, os municípios do interior apresentaram uma alta de 1,8%, expandindo seus gastos de R$ 3,35 bilhões, em 2008, para R$ 3,41 bilhões, em. Dentre as oito cidades fluminenses com mais de 300 mil habitantes, apenas São Gonçalo aumentou a aplicação de recursos na educação (8,7%), representando um incremento de R$ 10,9 milhões. Em Belford Roxo, essa despesa permaneceu estável. O restante dos municípios registrou queda, fazendo com que o desempenho médio do grupo retraísse 1,8%, destacando-se São João de Meriti, com a maior queda, de 15%. Evolução dos gastos com educação bilhões - IPCA médio de Gasto por aluno O Estado do Rio de Janeiro possuía, em, um contingente de alunos matriculados na rede municipal de ensino, 1,4% a menos que em Com isso, o gasto médio anual dos municípios fluminenses com educação por aluno ficou praticamente estável (-0,9%), passando de R$ 3.120,07, em 2008, para R$ 3.093,03, em. A capital, que abriga alunos, 38,8% do total do Estado, registrou uma queda de 5,8% na despesa por aluno, passando de R$ 3.278,15 para R$ 3.089,64, entre 2008 e. Evolução do gasto médio anual por aluno da rede municipal de ensino As cidades que tiveram os maiores gastos por estudante foram Quissamã (R$ 8.276,76), São João da Barra (R$ 7.015,80) e Niterói (R$ 6.804,75), enquanto que as que apresentaram as menores despesas foram São João de Meriti (R$ 1.885,70), Japeri (R$ 1.987,91) e Queimados (R$ 2.097,66). Quissamã, primeira colocada nesse ranking, gastou 4,4 vezes a mais que São João de Meriti, última colocada, o que revela uma grande disparidade de despesa entre os municípios. Taxa de crescimento dos gastos com educação em relação ao ano anterior Em média, os municípios com até 25 mil habitantes tiveram os maiores gastos por aluno no Estado: R$ 3.707,75. Em contrapartida, o menor gasto ficou entre as cidades com população entre 50 mil e 100 mil habitantes, com média de R$ 2.798,89, por estudante. Os cinco maiores e menores gastos em educação por aluno da rede municipal de ensino - Do total, 47 municípios elevaram suas despesas com educação. Os maiores aumentos, em termos percentuais, ocorreram em Silva Jardim (49,9%), São João da Barra (46,1%), Mesquita (34%), Rio das Flores (28,1%) e Valença (24,5%). No extremo oposto estão Rio das Ostras (-23,9%), Quatis (-23,7%), Guapimirim (-15,9%), Engenheiro Paulo de Frontin (-14,9%), Miguel Pereira (-14,9%) e São João de Meriti, já mencionado. 102 Finanças dos Municípios Fluminenses

105 Cada vez mais presente nas prefeituras de todo o Brasil DESPESAS por função Tel.: (27)

106 EVOLUÇÃO Educação Número de alunos da rede municipal Município Variação / 2008 no total da desp. educ. mil - IPCA médio de em % Participação na rec. corr. a Part. das receitas de impostos na MDE (CF art. 212) b Desp. educ. por aluno da rede municipal Angra dos Reis , , , , , ,0 9,8 1,9 21,6 30, , Aperibé 2.827, , , , ,6 4,8 0,1 18,8 33, , Araruama , , , , , ,9-5,8 0,8 36,4 25, , Areal 5.525, , , , , ,3-9,7 0,1 29,7 29, , Armação dos Búzios , , , , , ,1-1,1 0,5 27,2 31, , Arraial do Cabo 8.729, , , , , ,5 2,2 0,2 25,6 31, , Barra do Piraí , , , , , ,4-2,0 0,3 16,3 25, , Barra Mansa , , , , , ,8-2,2 1,2 27,4 32, , Belford Roxo , , , , , ,6 0,4 1,9 33,5 27, , Bom Jardim 5.366, , , , , ,4-5,3 0,2 22,6 34, , Bom Jesus do Itabapoana 7.783, , , , , ,2 7,4 0,2 23,3 25, , Cabo Frio , , , , , ,9 15,5 1,7 25,2 34, , Cachoeiras de Macacu , , , , , ,6 13,9 0,4 22,0 26, , Cambuci 3.920, , , , ,3 12,5 0,1 21,5 28, , Campos dos Goytacazes , , , , , ,2-1,8 3,1 12,2 33, , Cantagalo 7.635, , , , , ,9-10,3 0,1 17,5 29, , Carapebus 9.335, , , , , ,8-3,4 0,2 17,7 34, , Cardoso Moreira , , , , ,0-8,7 0,1 30,7 32, , Carmo 4.453, , , , , ,3 5,6 0,1 20,4 29, , Casimiro de Abreu , , , , , ,0 1,0 0,4 16,7 29, , Comendador Levy Gasparian 3.933, , , , , ,5-4,0 0,1 25,7 27, , Conceição de Macabu 4.875, , , , , ,9 12,5 0,1 20,9 27, , Cordeiro 4.449, , , , , ,6 14,4 0,1 23,1 30, , Duas Barras 4.917, , , , , ,2-4,8 0,1 23,8 34, , Duque de Caxias , , , , , ,1-3,2 6,3 29,2 33, , Engenheiro Paulo de Frontin 2.367, , , , , ,6-14,9 0,1 19,3 30, , Guapimirim , , , , ,1-15,9 0,4 25, , Iguaba Grande 5.338, , , , , ,3-9,5 0,1 20,0 25, , Itaboraí , , , , , ,8 11,5 1,2 28,3 25, , Itaguaí , , , , , ,2 6,7 1,3 31,0 29, , Italva 4.315, , , , , ,9 13,3 0,1 20,1 34, , Itaocara 5.597, , , , , ,8 8,1 0,1 16,8 27, , Itaperuna , , , , , ,4-2,9 0,5 16,7 26, , Itatiaia , , , , , ,0 10,4 0,3 30,3 33, , Japeri , , , , , ,5 6,6 0,5 32,2 26, , Laje do Muriaé 3.122, , , , , ,3 6,4 0,1 14,0 28, , Macaé , , , , , ,1 3,7 3,5 17,7 26, , Macuco 2.643, , , , , ,8-6,1 0,1 19,3 26, , Magé , , , , , ,3 19,1 1,6 38,9 28, , Mangaratiba , , , , , ,1-4,4 0,6 22,0 29, , Maricá , , , , , ,7 7,8 0,6 26,2 25, , Mendes 5.117, , , , , ,2 14,2 0,1 26,6 33, , Mesquita , , , , , ,3 34,0 0,7 30,8 25, , Miguel Pereira 7.609, , , , , ,0-14,9 0,2 22,4 27, , Miracema 4.610, , , , , ,7-4,1 0,2 21,0 27, , Natividade 5.712, , , , , ,1-5,9 0,1 20,3 32, , Nilópolis , , , , , ,1-7,2 0,5 21,2 25, , Niterói , , , , , ,8-1,5 3,1 19,2 26, , Finanças dos Municípios Fluminenses

107 Número de alunos da rede municipal Município Variação / 2008 no total da desp. educ. Participação na rec. corr. a Part. das receitas de impostos na MDE (CF art. 212) b Desp. educ. por aluno da rede municipal mil - IPCA médio de em % Nova Friburgo , , , , , ,1-2,6 0,9 25,0 26, , Nova Iguaçu , , , , , ,0-4,7 2,5 22,2 25, , Paracambi , , , , , ,3-2,6 0,3 21,9 28, , Paraíba do Sul , , , ,4-1,5 0,3 28,3 30, , Paraty 9.933, , , , , ,2 16,2 0,4 16,5 33, , Paty do Alferes 6.675, , , , , ,7-0,4 0,2 22,0 27, , Petrópolis , , , , , ,7-0,7 2,3 19,3 25, , Pinheiral 6.691, , , , , ,0-0,6 0,1 22,3 27, , Piraí , , , , , ,7 22,3 0,5 27,9 32, , Porciúncula 4.854, , , , , ,3-9,5 0,1 21,4 28, , Porto Real 9.050, , , , , ,4 0,7 0,3 20,0 29, , Quatis 5.078, , , , , ,6-23,7 0,1 21,5 28, , Queimados , , , , , ,1 6,6 0,6 31,3 27, , Quissamã , , , , , ,7 9,0 0,6 21,2 32, , Resende , , , , , ,5 2,8 0,9 23,5 25, , Rio Bonito , , , , , ,9-10,4 0,4 30,5 25, , Rio Claro 7.814, , , , , ,5 3,7 0,2 21,0 29, ,63 DESPESAS por função Rio das Flores 4.399, , , , , ,1 28,1 0,1 29,0 34, , Rio das Ostras , , , , , ,5-23,9 1,2 16,6 25, , Santa Maria Madalena 3.689, , , , , ,0-2,9 0,1 24,9 30, , Santo Antônio de Pádua 9.869, , , , , ,3 8,7 0,3 27,1 28, , São Fidélis 8.642, , , , , ,1-7,8 0,2 21,3 30, , São Francisco de Itabapoana 8.065, , , , , ,8-9,3 0,3 29,3 26, , São Gonçalo , , , , , ,8 8,7 2,4 25,7 26, , São João da Barra , , , , , ,4 46,1 0,7 18,1 37, , São João de Meriti , , , , , ,7-15,0 1,0 19,0 27, , São José de Ubá 3.471, , , , , ,9 1,5 0,1 17,8 32, , São José do Vale do Rio Preto 4.510, , , , , ,8-5,9 0,2 27,8 25, , São Pedro da Aldeia , , , , , ,6-11,8 0,5 35,3 24, , São Sebastião do Alto 3.259, , , , , ,2 1,6 0,1 18,1 28, , Sapucaia 4.890, , , , , ,1 17,5 0,1 20,4 26, , Saquarema , , , , , ,4-7,4 0,5 27,4 24, , Seropédica , , , , , ,4 4,0 0,7 44,2 30, , Silva Jardim , , , , , ,1 49,9 0,3 27,5 25, , Sumidouro 5.082, , , , , ,5 2,6 0,1 19,4 30, , Tanguá 6.709, , , , ,5 17,6 0,2 32,6 30, , Teresópolis , , , , , ,2 5,2 1,3 33,0 35, , Trajano de Moraes 3.101, , , , , ,6-7,6 0,1 23,9 31, , Três Rios , , , , , ,3 5,5 0,4 30,5 25, , Valença , , , , ,5 24,5 0,5 34,5 35, , Varre-Sai 4.731, , , , , ,9 6,2 0,1 28,1 37, , Vassouras 6.675, , , , , ,8-1,2 0,2 18,4 28, , Volta Redonda , , , , , ,7 8,7 2,3 24,3 25, , Interior , , , , , ,4 1,8 61,2 22, , Rio de Janeiro , , , , , ,0-8,0 38,8 19, , Total , , , , , ,4-2,2 100,0 21, ,03 Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nota: a receita corrente ajustada dos efeitos da conta Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). b valores para atendimento do artigo 212 da Consituição Federal, dados do Siope.

108 ranking Educação Despesa com educação Posição Municípios Despesa com educação Número de alunos da rede municipal 1º Rio de Janeiro º Duque de Caxias º Macaé º Campos dos Goytacazes º Niterói º Nova Iguaçu º São Gonçalo º Petrópolis º Volta Redonda º Belford Roxo º Angra dos Reis º Cabo Frio º Magé º Itaguaí º Teresópolis º Itaboraí º Rio das Ostras º Barra Mansa º São João de Meriti º Nova Friburgo º Resende º Araruama º São João da Barra º Seropédica º Mesquita º Maricá º Quissamã º Mangaratiba º Queimados º Saquarema º Japeri º Armação dos Búzios º Piraí º São Pedro da Aldeia º Nilópolis º Valença º Itaperuna º Cachoeiras de Macacu º Rio Bonito º Três Rios º Casimiro de Abreu º Guapimirim º Paraty º Silva Jardim º São Francisco de Itabapoana º Barra do Piraí Posição Municípios Despesa com educação Número de alunos da rede municipal 47º Itatiaia º Porto Real º Santo Antônio de Pádua º Paraíba do Sul º Paracambi º Tanguá º Arraial do Cabo º Vassouras º Bom Jesus do Itabapoana º São Fidélis º Miguel Pereira º Rio Claro º Paty do Alferes º Carapebus º São José do Vale do Rio Preto º Bom Jardim º Miracema º Iguaba Grande º Rio das Flores º Pinheiral º Cantagalo º Areal º Sapucaia º Conceição de Macabu º Mendes º Carmo º Santa Maria Madalena º Cardoso Moreira º Cordeiro º Porciúncula º Natividade º Quatis º Itaocara º Duas Barras º Sumidouro º Varre-Sai º Cambuci º Italva º Trajano de Moraes º Engenheiro Paulo de Frontin º Comendador Levy Gasparian º São Sebastião do Alto º Aperibé º Macuco º São José de Ubá º Laje do Muriaé Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), e do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). 106 Finanças dos Municípios Fluminenses

109 Despesa com educação por aluno na rede pública municipal Despesa por aluno Desp. com educação Nº de alunos da rede municipal Posição Municípios 1º Quissamã º São João da Barra º Niterói º Macaé º Porto Real º Macuco º São José de Ubá º Rio das Flores º Piraí º Silva Jardim º Mendes º Angra dos Reis º Carmo º Itaocara º Duque de Caxias º Carapebus º Paraty º Natividade º Armação dos Búzios º Cantagalo º Casimiro de Abreu º Mangaratiba º Rio das Ostras º São Sebastião do Alto º Italva º Cordeiro º Itatiaia º Sapucaia º Trajano de Moraes º Resende º Itaguaí º Duas Barras º Santa Maria Madalena º Cachoeiras de Macacu º Areal º Volta Redonda º Bom Jardim º Campos dos Goytacazes º Aperibé º Varre-Sai º Rio Claro º Cardoso Moreira º Barra Mansa º Rio de Janeiro º Sumidouro º São Fidélis Despesa por aluno Desp. com educação Nº de alunos da rede municipal Posição Municípios 47º Bom Jesus do Itabapoana º Miguel Pereira º Valença º Vassouras º Cambuci º Conceição de Macabu º Teresópolis º Cabo Frio º Paty do Alferes º Itaperuna º Comendador Levy Gasparian º Quatis º Petrópolis º Tanguá º São Gonçalo º Iguaba Grande º Porciúncula º Engenheiro Paulo de Frontin º Nova Friburgo º Paracambi º Santo Antônio de Pádua º Pinheiral º Saquarema º São José do Vale do Rio Preto º Maricá º Seropédica º Guapimirim º Três Rios º Mesquita º Arraial do Cabo º Miracema º Paraíba do Sul º Rio Bonito º Laje do Muriaé º São Francisco de Itabapoana º Barra do Piraí º Itaboraí º Nilópolis º São Pedro da Aldeia º Belford Roxo º Araruama º Nova Iguaçu º Magé º Queimados º Japeri º São João de Meriti Total DESPESAS por função Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), e do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP).

110 Saúde Desempenho Após apresentar boas taxas de expansão entre 2006 e 2008, os gastos com a saúde do conjunto dos municípios fluminenses aumentaram de forma mais moderada em, com evolução de 3,2%, se comparado com o ano anterior. A despesa com a área foi de R$ 5,59 bilhões. Evolução do gasto com saúde bilhões - IPCA médio de Taxa de crescimento do gasto com saúde em relação ao ano anterior No interior, a alta de 5,3% na despesa com a função saúde, em, pode ser avaliada positivamente, ainda mais quando considerados os efeitos da crise que atingiu a economia brasileira no ano passado, que repercutiram fortemente na receita corrente dessas cidades, fazendo-as declinar em 5,8%. Classificando os municípios do interior por faixas populacionais, é possível perceber que o avanço dos gastos com saúde só não ocorreu nas cidades com população superior a 300 mil habitantes, exceto a capital. Em sentido contrário, naquelas com até 25 mil habitantes, houve um aumento médio de 2,9%, enquanto, nas com faixas populacionais que abrangem as localidades de 25 mil a 300 mil habitantes, as taxas de crescimento variaram entre 7% e 13,8%. Individualmente os maiores aumentos em valores absolutos foram observados nos municípios de São Gonçalo, Angra dos Reis e Volta Redonda, que agregaram mais de R$ 21 milhões a suas despesas, cada um. Em termos percentuais, o gasto com saúde cresceu mais em Valença (65,7%), Magé (58%), Paraty (54,8%) e Aperibé (53,4%). Além de Volta Redonda, Barra do Piraí, Iguaba Grande, São João da Barra e Quatis tiveram aumentos superiores a 30%. Inversamente, os gastos com a pasta recuaram com maior intensidade em São João de Meriti (-27,2%), Quissamã (-17,7%), Macuco (-17,5%), Carapebus (-16,7%) e Guapimirim (-13,9%). Gastos com recursos próprios Na capital, a aplicação de recursos na saúde ficou praticamente estável (-0,5%), influenciada pelo ínfimo aumento de 1,5% de sua receita corrente. O dispêndio na área foi de R$ 2,02 bilhões, o segundo maior montante do município, considerando a série histórica iniciada em O sistema público de saúde é financiado pelos três níveis de governo. Na esfera municipal são utilizados para esse fim as receitas próprias e os recursos que os municípios recebem da União e dos estados e que são direcionados para o Sistema Único de Saúde (SUS). Despesa com saúde por faixa populacional Faixa populacional dos municípios 2008 Variação /2008 em % Até 25 mil habitantes , ,2 2,9 De 25 mil a 50 mil habitantes , ,1 7,0 De 50 mil a 100 mil habitantes , ,2 8,3 De 100 mil a 300 mil habitantes , ,9 13,8 Acima de 300 mil habitantes* , ,5-0,8 Total sem a capital , ,8 5,3 Rio de Janeiro , ,7-0,5 Total , ,5 3,2 *exceto Rio de Janeiro. 108 Finanças dos Municípios Fluminenses

111 Com relação aos recursos próprios, a Emenda Constitucional nº 29 (EC 29), promulgada pelo Congresso Nacional em 13 de setembro de 2000, estipula que, desde 2004, os municípios devem aplicar, no mínimo, 15% de suas receitas do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), do Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), do Imposto sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISS), do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) e dos valores integrais das transferências constitucionais do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), do Imposto Territorial Rural (ITR) e do Imposto Sobre Produtos Industrializados Exportação (IPI-exportação) em gastos com a saúde. Sobre os recursos provenientes da União e dos estados, que são repassados aos municípios para custear os serviços prestados pelo SUS, são provenientes do Fundo Nacional de Saúde e do Fundo Estadual de Saúde. O indicador atingiu seu maior patamar em Campos dos Goytacazes (86,4%), Japeri (38,2%), Rio das Ostras (37,1%), São Sebastião do Alto (34,9%) e Armação de Búzios (34,8%). A maior parte dos municípios aplicou mais de 20% de seus recursos em saúde, em. Enquanto 23 cidades destinaram entre 15% e 20%, outras 69 registraram percentuais maiores. Nenhum município aplicou menos de 15%. O alto comprometimento dos orçamentos municipais com a despesa com saúde demonstra a elevada importância dessa área para as gestões municipais. Número de municípios de acordo com o percentual de recursos próprios sobre a receita vinculada destinada à saúde para atender à Emenda Constitucional nº 29 Faixa percentual Acima de 30% Entre 25% e 30% A maior parcela do gasto com saúde dos municípios fluminenses é custeada com recursos próprios. Em, eles representaram 62,8% do total, contra 37,2% das transferências para o SUS. A importância dos repasses varia conforme o porte populacional dos municípios. Eles corresponderam a 22,3% nas localidades com até 25 mil habitantes e atingiram seu maior patamar naquelas com mais de 300 mil habitantes, exceto a capital, nas quais chegou a responder por 42,7% do total. A parcela da receita própria que os municípios fluminenses vêm aplicando na saúde tem sido superior ao mínimo de 15% exigido pela EC 29. De acordo com os dados do Sistema de Informações sobre Orçamento Público em Saúde (Siops), em, o gasto com recursos próprios como proporção da receita vinculada foi de 21%, parcela ligeiramente superior aos percentuais verificados em 2007 e Entre 20% e 25% Entre 15% e 20% Abaixo de 15% Total de municípios Fonte: Sistema de Informação sobre Orçamento Público da Saúde - Siops. Gasto per capita O gasto com saúde por habitante é maior no grupo de menores cidades, reduzindo-se progressivamente na medida em que aumenta o porte populacional. As cidades com até 25 mil habitantes aplicaram, em média, R$ 611,50 per capita, valor que cai progressivamente para R$ 296,17 nas localidades com mais de 300 mil habitantes, exceto a capital. No Município do Rio de Janeiro o dispêndio per capita foi de R$ 327,08, valor um pouco abaixo da média do conjunto dos municípios, que foi de R$ 349, DESPESAS por função Gasto em saúde com recursos próprios em relação à receita vinculada As dez primeiras cidades do ranking per capita abrigam um reduzido contingente populacional. Apenas Macaé, Rio das Ostras e Angra dos Reis têm mais de 50 mil habitantes. A liderança coube mais uma vez a Quissamã, que apresentou uma despesa por habitante de R$ 1.938,12. Em seguida, aparecem mais quatro cidades com valores superiores a R$ 1.000: Porto Real (R$ 1.487,84), São João da Barra (R$ 1.220,16), Carapebus (R$ 1.177,35) e Armação dos Búzios (R$ 1.045,62). Os menores gastos per capita com saúde foram verificados em Mesquita (R$ 145,62), São João de Meriti (R$ 144,08), São Gonçalo (R$ 143,56), Queimados (R$ 131,94) e São Francisco de Itabapoana (R$ 123,56).

112 EVOLUÇÃO Saúde Município Variação / 2008 no total da desp. saúde Participação na rec. corr. a mil - IPCA médio de em % Gasto em saúde com recursos próprios sobre a rec. vinculada Desp. saúde per capita Angra dos Reis , , , , , ,7 18,3 2,5 28,2 30,3 815, Aperibé 5.484, , , , ,5 53,4 0,1 26,4 25,6 608, Araruama , , , , , ,6-6,4 0,4 17,8 22,1 201, Areal 5.448, , , , , ,9 2,3 0,1 26,9 19,5 579, Armação dos Búzios , , , , , ,2-9,6 0,5 28,0 34, , Arraial do Cabo , , , , ,8 12,7 0,2 24,8 22,1 442, Barra do Piraí , , , , ,3 46,1 0,5 24,1 20,0 257, Barra Mansa , , , , , ,7 17,1 1,1 25,2 25,8 338, Belford Roxo , , , , , ,1 0,6 1,6 29,1 22,3 183, Bom Jardim 7.054, , , , ,8 7,3 0,2 24,6 28,8 367, Bom Jesus do Itabapoana 4.153, , , , , ,5 5,4 0,2 21,9 17,8 277, Cabo Frio , , , , , ,6 13,3 1,5 22,7 16,5 457, Cachoeiras de Macacu , , , , , ,1 16,3 0,3 17,9 33,9 341, Cambuci 3.871, , , , ,8 6,7 0,1 18,0 18,4 346, Campos dos Goytacazes , , , , , ,8 5,7 5,8 23,0 86,4 746, Cantagalo , , , , ,9 6,9 0,2 23,5 20,9 518, Carapebus , , , , , ,4-16,7 0,3 26,9 25, , Cardoso Moreira , , , , ,1 12,6 0,1 24,5 22,8 456, Carmo , , , , ,3-4,3 0,2 29,2 23,8 593, Casimiro de Abreu , , , , , ,9-6,7 0,4 16,9 30,9 741, Comendador Levy Gasparian 4.173, , , , , ,0-4,4 0,1 29,2 23,1 658, Conceição de Macabu 7.431, , , , , ,3 20,2 0,1 21,3 22,6 373, Cordeiro , , , , ,9-1,8 0,1 26,1 23,4 397, Duas Barras 4.634, , , , ,2 6,3 0,1 25,2 23,6 600, Duque de Caxias , , , , , ,1-8,4 5,5 25,8 21,7 353, Engenheiro Paulo de Frontin 3.973, , , , , ,7 16,3 0,1 25,6 30,8 515, Guapimirim , , , , ,0-13,9 0,3 22,8 23,7 366, Iguaba Grande 2.169, , , , , ,2 35,6 0,2 26,2 29,0 476, Itaboraí , , , , , ,7 4,6 1,1 25,0 20,3 266, Itaguaí , , , , , ,8 6,2 0,9 21,3 19,1 476, Italva 4.602, , , , , ,6 17,4 0,1 26,1 26,2 473, Itaocara 4.991, , , , , ,0 3,9 0,2 25,8 21,6 426, Itaperuna , , , , , ,0 12,1 1,3 49,2 20,5 758, Itatiaia 7.572, , , , , ,6-1,6 0,2 20,6 24,0 341, Japeri , , , , , ,6 9,2 0,4 21,7 38,2 195, Laje do Muriaé 3.769, , , , , ,9-1,5 0,1 22,3 21,1 586, Macaé , , , , , ,1 2,4 3,4 17,2 22,2 987, Macuco 2.230, , , , , ,0-17,5 0,1 21,3 22,3 739, Magé , , , , , ,6 58,0 0,9 20,6 22,3 197, Mangaratiba 8.418, , , , , ,9 12,0 0,4 17,1 23,5 752, Maricá , , , , , ,7 29,9 0,5 19,5 23,7 216, Mendes 4.627, , , , , ,1 8,3 0,1 28,0 24,5 440, Mesquita , , , , , ,5 15,0 0,5 23,3 19,6 145, Miguel Pereira 5.826, , , , , ,7 6,5 0,2 28,2 22,0 479, Miracema 258, , , , , ,6-2,3 0,2 21,1 29,8 328, Natividade 4.846, , , , , ,7 24,5 0,2 26,3 18,0 565, Nilópolis , , , , , ,6-6,4 0,5 21,0 16,5 166, Niterói , , , , , ,7-5,0 3,6 22,5 16,0 415, Finanças dos Municípios Fluminenses

113 Município Variação / 2008 no total da desp. saúde Participação Desp. saúde per capita Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Sistema de Informação sobre Orçamento Público da Saúde (Siops), dados coletados em 17/12/2010. Nota: a receita corrente ajustada dos efeitos da conta Fundeb (ver Nota metodológica, na página 2). na rec. corr. a Gasto em saúde com recursos próprios sobre a rec. vinculada mil - IPCA médio de em % Nova Friburgo , , , , , ,7 6,7 1,2 33,5 29,2 389, Nova Iguaçu , , , , , ,5-1,9 3,4 29,7 15,6 217, Paracambi , , , , , ,6-2,0 0,6 46,7 16,7 712, Paraíba do Sul , , , ,1 8,0 0,2 24,2 20,6 313, Paraty , , , , , ,5 54,8 0,5 24,1 30,9 843, Paty do Alferes 5.625, , , , , ,5-4,6 0,2 23,3 25,5 378, Petrópolis , , , , , ,7 9,8 2,5 20,8 29,4 439, Pinheiral 6.116, , , , , ,3 4,2 0,2 31,4 31,0 497, Piraí , , , , , ,3 9,5 0,4 24,2 29,1 916, Porciúncula 4.490, , , , ,2 22,1 0,2 26,9 23,1 477, Porto Real , , , , , ,9 9,9 0,4 28,4 26, , Quatis 3.293, , , , , ,9 34,7 0,1 25,0 15,5 559, Queimados , , , , , ,0 15,5 0,3 18,8 27,4 131, Quissamã , , , , , ,0-17,7 0,7 22,9 16, , Resende , , , , , ,7 7,2 0,9 25,3 22,5 397, Rio Bonito , , , , , ,5 7,8 0,4 25,7 25,1 362, Rio Claro 5.766, , , , , ,0-5,3 0,2 21,5 21,9 526, Rio das Flores 3.588, , , , , ,9 14,4 0,1 18,8 20,7 612, Rio das Ostras , , , , , ,8-5,8 1,4 20,0 37,1 818, Santa Maria Madalena 5.844, , , , , ,5 7,6 0,1 20,4 19,1 546, Santo Antônio de Pádua 9.308, , , , , ,9-2,9 0,2 22,3 24,6 308, São Fidélis 5.813, , , , , ,4 16,1 0,1 16,4 17,9 197, São Francisco de Itabapoana 1.714, , , , , ,0 29,7 0,1 9,6 21,3 123, São Gonçalo , , , , , ,8 21,3 2,5 26,9 21,5 143, São João da Barra , , , , ,8 32,2 0,7 17,4 22, , São João de Meriti , , , , , ,8-27,2 1,2 24,2 17,2 144, São José de Ubá 176, , , , , ,9-8,4 0,1 26,0 30,9 729, São José do Vale do Rio Preto 543, , , , , ,4 0,9 0,2 26,5 26,7 426, São Pedro da Aldeia , , , , , ,4 11,5 0,4 28,7 26,1 259, São Sebastião do Alto 5.522, , , , , ,3 0,2 0,1 24,7 34,9 638, Sapucaia 5.877, , , , , ,2 8,7 0,2 23,7 24,1 509, Saquarema , , , , , ,4-5,7 0,4 18,7 23,3 292, Seropédica , , , , , ,2 3,0 0,4 23,6 27,3 260, Silva Jardim , , , , , ,0 13,9 0,2 20,5 24,8 626, Sumidouro 6.256, , , , , ,6-3,7 0,1 25,7 26,0 534, Tanguá 1.843, , , , ,0 12,4 0,2 22,7 24,0 287, Teresópolis , , , , , ,6 6,1 0,9 24,3 18,5 326, Trajano de Moraes 3.469, , , , , ,7 8,2 0,1 23,7 17,4 516, Três Rios 6.962, , , , , ,6 25,9 0,3 19,4 15,9 195, Valença , , , , ,1 65,7 0,5 35,5 24,4 360, Varre-Sai 2.894, , , , , ,8-0,8 0,1 15,8 17,1 387, Vassouras , , , , , ,9 6,8 0,4 33,2 16,1 593, Volta Redonda , , , , , ,5 34,8 2,8 29,3 31,7 589, Interior , , , , , ,8 5,3 63,8 24,0 25,7 363, Rio de Janeiro , , , , , ,7-0,5 36,2 17,8 16,1 327, Total , , , , , ,5 3,2 100,0 21,3 21,0 349, DESPESAS por função

114 ranking Saúde Valores absolutos Posição Municípios Despesa com saúde 1º Rio de Janeiro º Campos dos Goytacazes º Duque de Caxias º Niterói º Macaé º Nova Iguaçu º Volta Redonda º São Gonçalo º Petrópolis º Angra dos Reis º Belford Roxo º Cabo Frio º Rio das Ostras º Itaperuna º Nova Friburgo º São João de Meriti º Itaboraí º Barra Mansa º Teresópolis º Resende º Itaguaí º Magé º Quissamã º São João da Barra º Paracambi º Paraty º Armação dos Búzios º Mesquita º Valença º Maricá º Barra do Piraí º Nilópolis º Mangaratiba º Porto Real º Piraí º Casimiro de Abreu º Araruama º São Pedro da Aldeia º Seropédica º Saquarema º Vassouras º Rio Bonito º Japeri º Cachoeiras de Macacu º Queimados º Guapimirim Posição Municípios Despesa com saúde 47º Três Rios º Carapebus º Silva Jardim º Santo Antônio de Pádua º Paraíba do Sul º Miguel Pereira º Itatiaia º Arraial do Cabo º Pinheiral º Iguaba Grande º Carmo º Cantagalo º Paty do Alferes º Bom Jesus do Itabapoana º Bom Jardim º Rio Claro º Itaocara º Sapucaia º Porciúncula º Miracema º São José do Vale do Rio Preto º Tanguá º Natividade º Sumidouro º Cordeiro º Mendes º São Fidélis º Conceição de Macabu º Quatis º Italva º Areal º Engenheiro Paulo de Frontin º Duas Barras º São Francisco de Itabapoana º Santa Maria Madalena º Comendador Levy Gasparian º Aperibé º São Sebastião do Alto º Cardoso Moreira º Rio das Flores º São José de Ubá º Trajano de Moraes º Cambuci º Laje do Muriaé º Macuco º Varre-Sai Total Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 112 Finanças dos Municípios Fluminenses

115 Valores per capita Desp. com saúde per capita Despesa com saúde Posição Municípios 1º Quissamã º Porto Real º São João da Barra º Carapebus º Armação dos Búzios º Macaé º Piraí º Paraty º Rio das Ostras º Angra dos Reis º Itaperuna º Mangaratiba º Campos dos Goytacazes º Casimiro de Abreu º Macuco º São José de Ubá º Paracambi º Comendador Levy Gasparian º São Sebastião do Alto º Silva Jardim º Rio das Flores º Aperibé º Duas Barras º Carmo º Vassouras º Volta Redonda º Laje do Muriaé º Areal º Natividade º Quatis º Santa Maria Madalena º Sumidouro º Rio Claro º Cantagalo º Trajano de Moraes º Engenheiro Paulo de Frontin º Sapucaia º Pinheiral º Miguel Pereira º Porciúncula º Itaguaí º Iguaba Grande º Italva º Cabo Frio º Cardoso Moreira º Arraial do Cabo Desp. com saúde per capita Despesa com saúde Posição Municípios 47º Mendes º Petrópolis º São José do Vale do Rio Preto º Itaocara º Niterói º Cordeiro º Resende º Nova Friburgo º Varre-Sai º Paty do Alferes º Conceição de Macabu º Bom Jardim º Guapimirim º Rio Bonito º Valença º Duque de Caxias º Cambuci º Itatiaia º Cachoeiras de Macacu º Barra Mansa º Miracema º Rio de Janeiro º Teresópolis º Paraíba do Sul º Santo Antônio de Pádua º Saquarema º Tanguá º Bom Jesus do Itabapoana º Itaboraí º Seropédica º São Pedro da Aldeia º Barra do Piraí º Nova Iguaçu º Maricá º Araruama º São Fidélis º Magé º Japeri º Três Rios º Belford Roxo º Nilópolis º Mesquita º São João de Meriti º São Gonçalo º Queimados º São Francisco de Itabapoana Total DESPESAS por função Fonte: elaborado por Aequus Consultoria com base nos dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) e estimativa populacional para do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

116 O Multicidades Online é um site de fácil navegação, com acesso rápido a informações sobre as finanças públicas de qualquer cidade brasileira. Com ele é possível comparar o desempenho entre municípios, fazer pesquisas, relatórios, montar rankings e gráficos. VANTAGENS E UTILIDADES DO MULTICIDADES ONLINE w Ter acesso fácil, rápido e seguro às finanças de cada uma das cidades brasileiras. w Comparar as finanças das cidades. w Elaborar rankings. w Gerar planilhas e gráficos. w Ter acesso as informações em qualquer lugar com acesso à internet. w Exportar e salvar relatórios em Excel. w Incrementar suas pesquisas, relatórios ou reportagens com dados confiáveis de fonte oficial. w Basear e otimizar as tomadas de decisões ou a formulação de políticas públicas em dados seguros. w Direcionar estratégias de marketing público e privado com base em informações selecionadas. w Auxiliar organizações que acompanham as contas públicas. Todo o conteúdo deste anuário e muito mais pode ser acessado no Multicidades Online! Acesse experimente e assine! Desenvolvido por online 114 Finanças dos Municípios Fluminenses

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO * RESOLUÇÃO N o 746/10 TRE/RJ O TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, e CONSIDERANDO que compete, privativamente, aos Tribunais Regionais, nos

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Agosto, Setembro e Outubro de François E. J. de Bremaeker Rio de Janeiro, agosto de ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Agosto, Setembro e Outubro de

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Setembro, Outubro e Novembro de François E. J. de Bremaeker Rio de Janeiro, setembro de ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Setembro, Outubro e Novembro

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Outubro, Novembro e Dezembro de François E. J. de Bremaeker Rio de Janeiro, outubro de ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Outubro, Novembro e Dezembro

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Novembro e Dezembro de e Janeiro de François E. J. de Bremaeker Rio de Janeiro, novembro de ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Novembro e Dezembro de

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Dezembro de 2018 e Janeiro e Fevereiro de François E. J. de Bremaeker Rio de Janeiro, dezembro de 2018 ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Dezembro de

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Janeiro, Fevereiro e Março de François E. J. de Bremaeker Rio de Janeiro, janeiro de ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Janeiro, Fevereiro e Março de

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Dezembro de e Janeiro e Fevereiro de François E. J. de Bremaeker Rio de Janeiro, dezembro de ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Dezembro de e Janeiro

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Agosto, Setembro e Outubro de François E. J. de Bremaeker Rio de Janeiro, agosto de ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Agosto, Setembro e Outubro de

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Dezembro de, Janeiro e Fevereiro de François E. J. de Bremaeker Rio de Janeiro, dezembro de ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Dezembro de, Janeiro

Leia mais

PROFESSORA RAQUEL TINOCO

PROFESSORA RAQUEL TINOCO PROFESSORA RAQUEL TINOCO DIVISÃO TERRITORIAL Art. 9º ao14 ADMINISTRAÇÃO DA JUSTIÇA Regiões Judiciárias Comarcas Distritos Zonas Judiciárias Subdistritos Circunscrições 1 DIVISÃO JUDICIÁRIA Regiões Judiciárias

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 34 de 2016 O Estado Regionais de Saúde: Metropolitana I Metropolitana II Litoral Sul Médio Paraíba Centro Sul Serrana Baixada Litorânea Norte Noroeste Municípios: Tabela de Municípios

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 36 de 2016 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II Municípios: Tabela de Municípios

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 39 de 2016 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II Municípios: Tabela de Municípios

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 31 de 2016 O Estado Regionais de Saúde: Metropolitana I Metropolitana II Litoral Sul Médio Paraíba Centro Sul Serrana Baixada Litorânea Norte Noroeste Municípios: Tabela de Municípios

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 49 de 2016 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 46 de 2016 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 25 de 2016 O Estado Regionais de Saúde: Metropolitana I Metropolitana II Litoral Sul Médio Paraíba Centro Sul Serrana Baixada Litorânea Norte Noroeste Municípios: Tabela de Municípios

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 47 de 2016 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 44 de 2016 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 43 de 2016 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II Municípios: Tabela de Municípios

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 15 de 2017 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 20 de 2017 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 7 de 2017 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 46 de 2018 O Estado Regionais de Saúde: Metropolitana I Metropolitana II Litoral Sul Médio Paraíba Centro Sul Serrana Baixada Litorânea Norte Noroeste : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 2 de 2019 O Estado Regionais de Saúde: Metropolitana I Metropolitana II Litoral Sul Médio Paraíba Centro Sul Serrana Baixada Litorânea Norte Noroeste : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 9 de 2019 O Estado Regionais de Saúde: Metropolitana I Metropolitana II Litoral Sul Médio Paraíba Centro Sul Serrana Baixada Litorânea Norte Noroeste : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 11 de 2019 O Estado Regionais de Saúde: Metropolitana I Metropolitana II Litoral Sul Médio Paraíba Centro Sul Serrana Baixada Litorânea Norte Noroeste : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

RESOLUÇÃO SES N 1477 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2016 ATUALIZA O PROGRAMA DE FINANCIAMENTO INTEGRADO DA ATENÇÃO BÁSICA COFINANCIAMENTO ESTADUAL.

RESOLUÇÃO SES N 1477 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2016 ATUALIZA O PROGRAMA DE FINANCIAMENTO INTEGRADO DA ATENÇÃO BÁSICA COFINANCIAMENTO ESTADUAL. RESOLUÇÃO SES N 1477 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2016 ATUALIZA O PROGRAMA DE FINANCIAMENTO INTEGRADO DA ATENÇÃO BÁSICA COFINANCIAMENTO ESTADUAL. O SECRETÁRIO DE ESTADO DE SAÚDE e Gestor do Sistema Único de Saúde

Leia mais

Info Dengue Relatório de situação da dengue no Estado do Rio de Janeiro

Info Dengue Relatório de situação da dengue no Estado do Rio de Janeiro Info Dengue Relatório de situação da dengue no Estado do Rio de Janeiro Data: 2016-05-05 Índice Mapa do Estado Código de Cores Sinopse Variáves nas tabelas Região Metropolitana I Duque de Caxias e Rio

Leia mais

Info Dengue Relatório de situação da dengue no Estado do Rio de Janeiro

Info Dengue Relatório de situação da dengue no Estado do Rio de Janeiro Info Dengue Relatório de situação da dengue no Estado do Rio de Janeiro Data: 2016-03-07 Situação da dengue em todos os municípios do estado do Rio de Janeiro referentes a semana epidemiológica 07-2016,

Leia mais

Info Dengue Relatório de situação da dengue no Estado do Rio de Janeiro

Info Dengue Relatório de situação da dengue no Estado do Rio de Janeiro Info Dengue Relatório de situação da dengue no Estado do Rio de Janeiro Data: 2016-02-28 Situação da dengue em todos os municípios do estado do Rio de Janeiro referentes a semana epidemiológica 06-2016,

Leia mais

Info Dengue Relatório de situação da dengue no Estado do Rio de Janeiro

Info Dengue Relatório de situação da dengue no Estado do Rio de Janeiro Info Dengue Relatório de situação da dengue no Estado do Rio de Janeiro Data: 2016-03-16 Situação da dengue em todos os municípios do estado do Rio de Janeiro referentes a semana epidemiológica 10-2016,

Leia mais

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro.

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro. Circular 11/2016 Rio de Janeiro, 29 de março de 2016. Ref: Desconto da Contribuição Sindical Ilmo Provedor / Presidente / Diretor Novamente estamos no período do desconto da Contribuição Sindical, anteriormente

Leia mais

ATENÇÃO PSICOS. EXTRA-HOSP. ATENÇÃO PSICOS. EXTRA- HOSP res.235 PORTARIAS SIA

ATENÇÃO PSICOS. EXTRA-HOSP. ATENÇÃO PSICOS. EXTRA- HOSP res.235 PORTARIAS SIA 1 PROGRAMAÇÃO PACTUADA E INTEGRADA DA ASSISTÊNCIA À SAÚDE NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO LIMITES FINANCEIROS GLOBAIS MENSAIS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - TETO ABRIL DE 2009 APROVADO EM REUNIÃO

Leia mais

CUSTEIO 339093. Total: 12.860,57. Total: 6.513,13. Total: 8.272,46. Total: 10.317,23 33909302 RESTITUIÇÕES

CUSTEIO 339093. Total: 12.860,57. Total: 6.513,13. Total: 8.272,46. Total: 10.317,23 33909302 RESTITUIÇÕES CREDORES - R.P. e Realizadas - /INVESTIMENTO - Página: Page 1 of 16 02 RESTITUIÇÕES 2º DISTRITO DA COMARCA DE CAMPOS DOS GOYTACAZES CNPJ/CPF: 23064378000154 2º RCPN DA COMARCA DA CAPITAL CNPJ/CPF: 23407222000129

Leia mais

Pesquisa de Opinião Pública Estado do Rio de Janeiro

Pesquisa de Opinião Pública Estado do Rio de Janeiro Pesquisa Estado do Paraná Rio de Janeiro Outubro Junho de de 2018 Pesquisa Espírito Santo Junho de 2018 1 essa Pesquisa de Opinião Pública Estado do Rio de Janeiro Account Manager: Murilo Hidalgo (paranapesquisas@gmail.com

Leia mais

Q1 Cidade de Residência:

Q1 Cidade de Residência: Q Cidade de Residência: Respondidas: 8 Ignoradas: RIO DE JANEIRO ANGRA DO REIS APERIBE ARARUAMA AREAL ARMACAO DO BUZIOS ARRAIAL DO CABO BARRA DO PIRAI BARRA MANSA BELFORD ROXO BOM JARDIM BOM JESUS DO ITABAPOANA

Leia mais

Acesse experimente e assine!

Acesse  experimente e assine! O Multicidades Online é um site de fácil navegação, com acesso rápido a informações sobre as finanças públicas de qualquer cidade brasileira. Com ele é possível comparar o desempenho entre municípios,

Leia mais

Processos distribuídos em 2006

Processos distribuídos em 2006 Rio de Janeiro, 3 de julho de 06. Diante da solicitação realizada por Leonardo Ostwald Vilardi, doutorando na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, seguem as respostas às informações requeridas..

Leia mais

Saneamento no estado do Rio de Janeiro Cobertura e Oportunidades de Investimentos

Saneamento no estado do Rio de Janeiro Cobertura e Oportunidades de Investimentos Novembro/2017 Saneamento no estado do Rio de Janeiro Cobertura e Oportunidades de Investimentos Saneamento básico é o conjunto de serviços, infraestruturas e instalações operacionais de abastecimento de

Leia mais

USANDO O IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA PARA DOAR. Prof.ª Msc Sandra Helena Pedroso Contadora CRC-RJ Abril, 2018.

USANDO O IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA PARA DOAR. Prof.ª Msc Sandra Helena Pedroso Contadora CRC-RJ Abril, 2018. USANDO O IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA PARA DOAR Prof.ª Msc Sandra Helena Pedroso Contadora CRC-RJ Abril, 2018. Você é um doador? Já foi? Você gostaria de ser? Sabe como doar? FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA

Leia mais

CIDADES CRIATIVAS. Dilemas e oportunidades

CIDADES CRIATIVAS. Dilemas e oportunidades FGV, setembro 2011 CIDADES CRIATIVAS Dilemas e oportunidades Dilemas: economia de setores não priorizados pelo mercado Literatura, Descentraliza editoração, Descentraliza publicação ç ão ç ão Artes Cênicas,

Leia mais

IV Simpósio Internacional de Salvamento Aquático

IV Simpósio Internacional de Salvamento Aquático TRAMANDAÍ-HEL.wmv SOCIEDADE BRASILEIRA DE SALVAMENTO AQUÁTICO-SOBRASA IV Simpósio Internacional de Salvamento Aquático O USO DO HELICÓPTERO NO SALVAMENTO AQUÁTICO Paulo Roberto Moreira Goulart Rio de Janeiro

Leia mais

PANORAMA DA PISCICULTURA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Augusto da Costa Pereira Pesquisador e Biólogo F I P E R J

PANORAMA DA PISCICULTURA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Augusto da Costa Pereira Pesquisador e Biólogo F I P E R J PANORAMA DA PISCICULTURA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Augusto da Costa Pereira Pesquisador e Biólogo F I P E R J MUNDIAL Produção Mundial de Pescado,5 milhões de toneladas FAO - 2 5,6 milhões ton. Consumo

Leia mais

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do Curso Superior de Tecnologia em Recursos Humanos

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do Curso Superior de Tecnologia em Recursos Humanos Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do Curso Superior de Tecnologia em Recursos Humanos A presente pesquisa foi realizada em abril de 2012, na Unidade da Carioca,

Leia mais

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética

Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética Relatório da CPA (Comissão Própria de Avaliação) da Pesquisa com os Estudantes do Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética A presente pesquisa foi realizada em abril de 2012, na unidade da

Leia mais

Análise Especial IFDM 2018 Ano Base 2016: Rio de Janeiro

Análise Especial IFDM 2018 Ano Base 2016: Rio de Janeiro Análise Especial IFDM 2018 Ano Base 2016: Rio de Janeiro O Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal (IFDM) acompanha o desenvolvimento socioeconômico dos mais de cinco mil municípios brasileiros com

Leia mais

Reunião CIB arboviroses / de abril de 2017

Reunião CIB arboviroses / de abril de 2017 Reunião CIB arboviroses / 2017 06 de abril de 2017 VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Região Residência Notificações de Dengue, Chikungunya e Zika em 2017. Casos Notif. DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA Incid/100 mil hab

Leia mais

Vigilância e Controle da FA no ERJ

Vigilância e Controle da FA no ERJ Vigilância e Controle da FA no ERJ - 2017 ESTADO DO RIO DE JANEIRO Regiões de Saúde NOROESTE N SERRANA NORTE CENTRO SUL MÉDIO PARAÍBA BAIXADA LITORÂNEA METROPOLITANA I METROPOLITANA II BAÍA DA ILHA GRANDE

Leia mais

Tuberculose: panorama nacional. Maria de Fatima Bazhuni Pombo

Tuberculose: panorama nacional. Maria de Fatima Bazhuni Pombo Tuberculose: panorama nacional Maria de Fatima Bazhuni Pombo 1 2 TB na infancia 3 Epidemiologia 4 Óbitos por TB em < 5 anos, 2015 Dodd P. et al 5 Óbitos por TB em < 15 anos, 2015 Dodd P. et al 6 TB nas

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO ARBOVIROSES Nº 002/2019

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO ARBOVIROSES Nº 002/2019 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE DOENÇAS

Leia mais

O Estado do Rio de Janeiro no Censo 2010

O Estado do Rio de Janeiro no Censo 2010 O Estado do Rio de Janeiro no Censo 2010 Documento preliminar Coordenação: Luiz Cesar Ribeiro Responsável: Érica Tavares da Silva Colaboração: Juciano Rodrigues e Arthur Molina 1 P á g i n a Introdução

Leia mais

JORGE LUIZ GONÇALVES DE ALMEIDA Presidente Nacional da Comissão Organizadora DIRETORIA:

JORGE LUIZ GONÇALVES DE ALMEIDA Presidente Nacional da Comissão Organizadora DIRETORIA: Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos Administração Central Processo seletivo para o Programa Jovem Aprendiz dos Correios Inscrição Indeferida Edital Nº 125/2014 A Empresa Brasileira de Correios

Leia mais

Rio de Janeiro Destino seguro para seu investimento

Rio de Janeiro Destino seguro para seu investimento Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro Rio de Janeiro Destino seguro para seu investimento Com um PIB superior a US$ 200 bilhões, previsão de investimentos da ordem de US$

Leia mais

IFGF 2017 Análise Especial Rio de Janeiro

IFGF 2017 Análise Especial Rio de Janeiro 2017 Análise Especial Rio de Janeiro Esta edição do Índice FIRJAN de Gestão Fiscal () apresenta uma radiografia completa da situação das contas públicas municipais, com base em dados inéditos e recém-publicados

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 008/2015

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 008/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE DOENÇAS

Leia mais

FINANÇAS DOS MUNICÍPIOS FLUMINENSES ANO

FINANÇAS DOS MUNICÍPIOS FLUMINENSES ANO ISSN 2317-1936 FINANÇAS DOS MUNICÍPIOS FLUMINENSES ANO 8 2015 ANO 8 2015 Apresentação O anuário Finanças dos Municípios Fluminenses é um importante instrumento para o desenvolvimento de todo o Estado

Leia mais

Somos vinculados à FECOMBUSTÍVEIS e mantemos ligação permanente com as entidades coirmãs em todo o Brasil.

Somos vinculados à FECOMBUSTÍVEIS e mantemos ligação permanente com as entidades coirmãs em todo o Brasil. Página 1 Conheça o seu Sindicato O Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência no Estado do Rio de Janeiro (SINDESTADO-RJ) existe desde 1963, sendo a entidade

Leia mais

RESOLUÇÃO/CERHI-RJ Nº 18 DE 08 DE NOVEMBRO DE 2006 APROVA A DEFINIÇÃO DAS REGIÕES HIDROGRÁFICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.

RESOLUÇÃO/CERHI-RJ Nº 18 DE 08 DE NOVEMBRO DE 2006 APROVA A DEFINIÇÃO DAS REGIÕES HIDROGRÁFICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. RESOLUÇÃO/CERHI-RJ Nº 18 DE 08 DE NOVEMBRO DE 2006 APROVA A DEFINIÇÃO DAS REGIÕES HIDROGRÁFICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. O CONSELHO ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

Sumário. Introdução 3 Educação Superior: Brasil 5. Educação Superior: Rio de Janeiro 13. Perfil das Regiões Administrativas: Região Metropolitana 21

Sumário. Introdução 3 Educação Superior: Brasil 5. Educação Superior: Rio de Janeiro 13. Perfil das Regiões Administrativas: Região Metropolitana 21 Sumário Introdução 3 Educação Superior: Brasil 5 Número de Instituições de Ensino Superior no Brasil 6 Distribuição de Matrículas por Estado Cursos de Graduação Presenciais nas Redes Privada e Pública

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 010/2014

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 010/2014 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL GERÊNCIA DE DOENÇAS TRANSMITIDAS POR VETORES E ZOONOSES -

Leia mais

IFGF 2016 Análise Especial Rio de Janeiro

IFGF 2016 Análise Especial Rio de Janeiro IFGF 2016 Análise Especial Rio de Janeiro A edição 2016 do Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF) mais uma vez joga luz sobre a situação das contas públicas municipais. Construído exclusivamente com base

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 004/2015

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 004/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE DOENÇAS

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO SOMANDO FORÇAS Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO Localização: Região Sudeste 57% do PIB Nacional Área: 43.696

Leia mais

O impacto econômico do roubo de cargas no estado do Rio de Janeiro

O impacto econômico do roubo de cargas no estado do Rio de Janeiro Janeiro/2018 O impacto econômico do roubo de cargas no estado do Rio de Janeiro A segurança pública possui papel central no desenvolvimento de qualquer localidade. De fato, é notório que regiões mais seguras

Leia mais

I. INTRODUÇÃO OUTRAS INFORMAÇÕES

I. INTRODUÇÃO OUTRAS INFORMAÇÕES 1 SUMÁRIO I. Introdução... 3 II. Informações Gerais... 3 Público Alvo... 3 Matrícula (Informatizada)... 3 Matrícula (Direto na escola)... 3 Outras Informações...3 III. Acessando o sistema... 5 IV. Como

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO ARBOVIROSES Nº 002/2018

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO ARBOVIROSES Nº 002/2018 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE DOENÇAS

Leia mais

RETRATO DA QUALIDADE DA ENERGIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

RETRATO DA QUALIDADE DA ENERGIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Julho/2017 RETRATO DA QUALIDADE DA ENERGIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Energia elétrica é um insumo fundamental para o desenvolvimento socioeconômico e industrial. O acesso a esse insumo com qualidade,

Leia mais

Polícia Civil Principais Ocorrências Registro Interior - RJ 2010 Números Absolutos

Polícia Civil Principais Ocorrências Registro Interior - RJ 2010 Números Absolutos 1/8 Totais 88a. DP 89a. DP 90a. DP 91a. DP 92a. DP 93a. DP 94a. DP 95a. DP 96a. DP 97a. DP 98a. DP 99a. DP 100a. DP 101 DP 104a. DP 105a. DP Barra do Piraí Resende Barra Mansa Valença Rio das Flores Volta

Leia mais

Projeto de Monitoria Exercícios de análise de regressão linear aplicados: uma abordagem usando o programa R. Monitora: Rosana Gayer Carvalho

Projeto de Monitoria Exercícios de análise de regressão linear aplicados: uma abordagem usando o programa R. Monitora: Rosana Gayer Carvalho 1 2 Universidade Federal Fluminense (UFF) Universidade Federal Fluminense (UFF) Instituto de Matemática e Estatística (IME) Departamento de Estatística (GET) Instituto de Matemática e Estatística (IME)

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 006/2015

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 006/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE DOENÇAS

Leia mais

Situação de estados e municípios em relação à meta nacional

Situação de estados e municípios em relação à meta nacional Construindo as Metas Situação de estados e municípios em relação à meta nacional Região: Sudeste; UF: Mesorregião: Município: Angra dos Reis; Aperibé; Araruama; Areal; Armação dos Búzios; Arraial do Cabo;

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 005/2015

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 005/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE DOENÇAS

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO ARBOVIROSES Nº 004/2018

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO ARBOVIROSES Nº 004/2018 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE DOENÇAS

Leia mais

Tarifa do Serviço de Transporte Complementar. 10% acima do serviço de transporte regular

Tarifa do Serviço de Transporte Complementar. 10% acima do serviço de transporte regular Tarifa do Serviço de Transporte Complementar. 10% acima do serviço de transporte regular REGIÃO METROPOLITANA LINHA: M500 ALCÂNTARA - ALDEIA DA PRATA TARIFA BILHETE ÚNICO R$ 2,75 LINHA: M501 ALCÂNTARA

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Setembro, Outubro e Novembro de François E. J. de Bremaeker Salvador, setembro de A Associação Transparência Municipal (ATM) é uma instituição brasileira sem

Leia mais

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro - 2007 Lista de Abreviaturas e Siglas FOB Significa livre a bordo (free on board) o vendedor encerra suas obrigações quando a mercadoria

Leia mais

Informe Epidemiológico 019/2018

Informe Epidemiológico 019/2018 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL Informe Epidemiológico 019/2018 Centro de Informações Estratégicas

Leia mais

LEI Nº DE 19 DE JUNHO DE 2015.

LEI Nº DE 19 DE JUNHO DE 2015. LEI Nº 2.594 DE 19 DE JUNHO DE 2015. Regulamenta a concessão de diárias e cotas de traslado aos servidores (as) ou ocupantes de cargo comissionado da Câmara Municipal de Sapucaia, Estado do Rio de Janeiro,

Leia mais

DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E ASSOCIATIVO

DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E ASSOCIATIVO ABR/213 Referência: 1º Trimestre 213 DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E ASSOCIATIVO GERÊNCIA DE ESTUDOS ECONÔMICOS Acompanhamento do Mercado Formal de Trabalho Fluminense 1 Trimestre de 213 No primeiro

Leia mais

2 Estudo de Caso Descrição da Empresa

2 Estudo de Caso Descrição da Empresa 2 Estudo de Caso Descrição da Empresa A Companhia estudada é uma empresa distribuidora de energia elétrica. Uma sociedade anônima de capital aberto, concessionária de Serviço Público de Energia Elétrica,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado do Ambiente - SEA Instituto Estadual do Ambiente - INEA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado do Ambiente - SEA Instituto Estadual do Ambiente - INEA GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado do Ambiente - SEA Instituto Estadual do Ambiente - INEA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO R3-A TEMAS

Leia mais

EMPRESA DE ASSISTENCIA TECNICA E EXTENSAO RURAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESCA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

EMPRESA DE ASSISTENCIA TECNICA E EXTENSAO RURAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESCA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UF Municipio RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Aperibé RJ Aperibé CNPJ Razão Social FUNDAÇÃO INSTITUTO DE DO ESTADO DO RIO DE

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO SOMANDO FORÇAS Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO Localização: Região Sudeste 57% do PIB Nacional Área: 43.696

Leia mais

O impacto econômico do roubo de cargas no estado do Rio de Janeiro

O impacto econômico do roubo de cargas no estado do Rio de Janeiro Fevereiro/2017 O impacto econômico do roubo de cargas no estado do Rio de Janeiro A economia brasileira tem sido fortemente afetada pelo aumento do número de roubos de cargas no país. Este crime afeta

Leia mais

5ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES

5ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES 5ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES Art. 1º - São objetivos da 5ª Conferência Estadual das Cidades: I - propor a interlocução entre autoridades

Leia mais

Informe Epidemiológico 020/2018

Informe Epidemiológico 020/2018 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL Informe Epidemiológico 020/2018 Centro de Informações Estratégicas

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 14/2013, de 11 de outubro de 2013

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 14/2013, de 11 de outubro de 2013 TERMO DE REFERÊNCIA Nº 14/2013, de 11 de outubro de 2013 Seleção de Tutores do projeto Caminhos do Cuidado - Formação em Saúde Mental (crack, álcool e outras drogas) para Agentes Comunitários de Saúde

Leia mais

Coordenadoria Regional Metropolitana I E/CR19.R. Coordenadoria Regional Metropolitana II E/CR23.R. Coordenadoria Regional Metropolitana III E/CR26.

Coordenadoria Regional Metropolitana I E/CR19.R. Coordenadoria Regional Metropolitana II E/CR23.R. Coordenadoria Regional Metropolitana III E/CR26. Coordenadoria Regional Metropolitana I E/CR19.R Endereço: Rua: Profª Venina Correa Torres, nº 41 Bairro: Centro Município: Nova Iguaçu CEP: 26.220-100 Abrangência: Nova Iguaçu, Japeri, Mesquita, Nilópolis,

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ATOS DO DEFENSOR PÚBLICO GERAL DE

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ATOS DO DEFENSOR PÚBLICO GERAL DE DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ATOS DO DEFENSOR PÚBLICO GERAL DE 20.07.2012 APROVA a Tabela de Plantão dos Defensores Públicos para o mês de AGOSTO DE 2012, nos termos da RESOLUÇÃO nº 430/2007:

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DENGUE 006/2016

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DENGUE 006/2016 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE DOENÇAS

Leia mais

Deliberação CIB nº 1936 de 09 de Agosto de 2012 Republicada. SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE COMISSÃO INTERGESTORES BIPARTITE ATO DO PRESIDENTE

Deliberação CIB nº 1936 de 09 de Agosto de 2012 Republicada. SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE COMISSÃO INTERGESTORES BIPARTITE ATO DO PRESIDENTE 16/07/2015 CIB RJ Comissão Intergestores Bipartite do Estado do Rio de Janeiro Deliberação CIB nº 1936 de 09 de Agosto de 2012 Republicada. Imprimir Deliberação CIB nº 1936 de 09 de Agosto de 2012 Republicada.

Leia mais

Acompanhamento do Mercado Formal de Trabalho Fluminense - Resultados Evolução do Emprego Formal (Saldo anual em milhares)

Acompanhamento do Mercado Formal de Trabalho Fluminense - Resultados Evolução do Emprego Formal (Saldo anual em milhares) nº 0 Acompanhamento do Mercado Formal de Trabalho Fluminense - Resultados Em, a desaceleração da atividade econômica teve reflexos diretos sobre o mercado de trabalho formal. No ano passado foram gerados

Leia mais

NÚMEROS DA EDUCAÇÃO: O QUE REVELAM E ESCONDEM? 18

NÚMEROS DA EDUCAÇÃO: O QUE REVELAM E ESCONDEM? 18 67 Dossiê Temático NÚMEROS DA EDUCAÇÃO: O QUE REVELAM E ESCONDEM? 18 Nicholas Davies 19 RESUMO O objetivo deste texto é examinar, com base em pesquisa bibliográfica e documental, a confiabilidade e comparabilidade

Leia mais

AEDES AEGYPTI: Mosquito avança e leva doença a 45 dos 92 municípios do estado

AEDES AEGYPTI: Mosquito avança e leva doença a 45 dos 92 municípios do estado AEDES AEGYPTI: Mosquito avança e leva doença a 45 dos 92 municípios do estado Durante a 13ª semana epidemiológica de 2013 (de 1º de janeiro até 30 de março), foram notificados 79.587 casos suspeitos de

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 005/2016 Gerência de Doenças Transmitidas por Vetores e Zoonoses

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 005/2016 Gerência de Doenças Transmitidas por Vetores e Zoonoses SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Leia mais

Tabela 1 - Dados Operacionais dos Sistemas Isolados de Abastecimento de Água das Sedes Municipais

Tabela 1 - Dados Operacionais dos Sistemas Isolados de Abastecimento de Água das Sedes Municipais Tabela 1 Dados Operacionais dos Sistemas Isolados de Abastecimento de Água das Sedes Municipais Nome Aduzida Nome da / UT/ Angra dos Reis Barragem Banqueta (afluente de Rio Japuíba) 22 57'31,3" 44 16'21,9"

Leia mais

Informe Epidemiológico 076/2017

Informe Epidemiológico 076/2017 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL Informe Epidemiológico 076/2017 Centro de Informações Estratégicas

Leia mais

Oportunidades em Concessões e PPPs no estado e municípios do Rio de Janeiro

Oportunidades em Concessões e PPPs no estado e municípios do Rio de Janeiro Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2017 Oportunidades em Concessões e PPPs no estado e municípios do Rio de Janeiro William Figueiredo Assessor dos Conselhos Empresariais da Indústria de Construção e Infraestrutura

Leia mais