INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO"

Transcrição

1 INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro

2 Lista de Abreviaturas e Siglas FOB Significa livre a bordo (free on board) o vendedor encerra suas obrigações quando a mercadoria transpõe a amurada do navio (ship's rail) no porto de embarque indicado e, a partir daquele momento, o comprador assume todas as responsabilidades quanto a perdas e danos; a entrega se consuma a bordo do navio designado pelo comprador, quando todas as despesas passam a correr por conta do comprador; o vendedor é o responsável pelo desembaraço da mercadoria para exportação; este termo pode ser utilizado no transporte aquaviário (marítimo, fluvial ou lacustre). Incoterms (International Commercial Terms / Termos Internacionais de Comércio) - site do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - Aprendendo a Exportar. Hab./km² Habitante por quilômetro quadrado M² Metro quadrado MGE Média e Grande Empresa MPE Micro e Pequena Empresa % Porcentagem US$ Cifra do dólar 2

3 Sumário Lista de Abreviaturas e Siglas... 2 Apresentação Perfil Sociopolítico do Estado do Rio de Janeiro Território Divisão Político Administrativa do Estado do Rio de Janeiro Área Territorial do Estado do Rio de Janeiro e suas Regiões Distâncias dos Municípios à Capital do Estado do Rio de Janeiro Demografia População por Região e Municípios do Estado do Rio de Janeiro Municípios mais populosos do Estado do Rio de Janeiro População por Situação de Sexo, Domicílio e Faixa Etária Eleitores inscritos, em número absoluto, do Estado do Rio de Janeiro Taxa Média Geométrica de Crescimento Demográfico e Densidade Demográfica do Estado do Rio de Janeiro e Municípios Índice de Desenvolvimento Humano IDH 2000, do Estado do Rio de Janeiro e Municípios Infra-Estrutura do Estado do Rio de Janeiro Perfil Econômico do Estado do Rio de Janeiro Produto Interno Bruto PIB 2004 e Estimativa do PIB para 2005, em valores totais, do Estado, das Regiões e dos Municípios do Rio de Janeiro Participação das Regiões no PIB do Estado do Rio de Janeiro 2004 (%) Potencial de Consumo Número de Domicílios Urbanos / Classes Econômicas do Estado do Rio de Janeiro Consumo Per Capita do Estado do Rio de Janeiro (US$1=R$ 3,00) Consumo familiar do Estado, por classe econômica, segundo categorias de consumo - em US$/ano (US$ 1= R$ 3,00) Estabelecimento e Empregos Número de Estabelecimentos por porte, Brasil / Estado do Rio de Janeiro 2002/ Variação percentual do número de estabelecimentos Brasil e Rio de Janeiro 2002/ Total de Estabelecimentos, por setor econômico e porte, no Estado do Rio de Janeiro Participação das empresas, por porte, na economia no Estado do Rio de Janeiro (%) Movimentação de Empresas no Estado do Rio de Janeiro 2005/ Número de Empregos, por porte, em 31 dez., do Brasil e do Rio de Janeiro 2002/ Variação percentual do número de Empregos Brasil e Rio de Janeiro 2002/ Distritos Industriais e Arranjos Produtivos Locais Distritos Industriais do Estado do Rio de Janeiro Quadro de Áreas Distritos Industriais do Estado do Rio de Janeiro - Mapa Principais Arranjos Produtivos Locais Exportação Evolução das Exportações no Estado do Rio de Janeiro Número de Empresas e Valor Exportado, segundo o porte, no Estado do Rio de Janeiro 2004/ Turismo Equipamentos e prestadores de serviços cadastrados na EMBRATUR Número de empregados, por atividade econômica, no turismo, segundo as Regiões de Governo do Estado do Rio de Janeiro Número de estabelecimentos, por atividade econômica, no turismo, segundo as Regiões de Governo do Estado do Rio de Janeiro Glossário Referências

4 Apresentação O Estado do Rio de Janeiro é composto por 92 municípios distribuídos em oito regiões de governo: Metropolitana, Noroeste Fluminense, Norte Fluminense, Serrana, Baixadas Litorâneas, Médio Paraíba, Centro- Sul Fluminense e Costa Verde. Sua grande diversidade cultural e geográfica ainda permite identificar regiões turísticas, como Costa Verde, Agulhas Negras, Vale do Paraíba, Vale do Ciclo do Café, Metropolitana, Baixada Fluminense, Serra Tropical, Serra Verde Imperial, Serra Norte, Baixada Litorânea, Costa do Sol, Costa Doce e Noroeste das Águas. O, com o intuito de democratizar o acesso às informações sociais, políticas e econômicas do nosso Estado, criou este documento, intitulado como Informações Socioeconômicas do Estado do Rio de Janeiro, para que estudantes, pesquisadores, empresários e empreendedores o utilizem em seus planejamentos, pesquisas e reflexões. Fundamentado em fontes oficiais, espera-se que este documento consolidado seja uma referência de consulta para aqueles que pesquisam informações sobre o perfil sociopolítico e econômico do Estado, com destaque para os dados sobre micro e pequenas empresas que ratificam sua importante participação no cenário do Estado do Rio de Janeiro. 4

5 1 Perfil Sociopolítico do Estado do Rio de Janeiro 1.1 Território Divisão Político Administrativa do Estado do Rio de Janeiro Regiões de Governo TABELA 1 - DIVISÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Número de Municípios por Região Estado 92 Região Metropolitana 17 Região Serrana 14 Região das Baixadas Litorâneas 13 Região Noroeste Fluminense 13 Região do Médio Paraíba 12 Região Centro-Sul Fluminense Região Norte Fluminense 9 10 Médio Paraíba 13% Noroeste Fluminense 14% Centro-Sul Fluminense 11% Baixadas Litorâneas 14% Norte Fluminense 10% Costa Verde 4% Serrana 15% Metropolitana 19% Região da Costa Verde 4 Figura 1 Fundação CIDE. Rio de Janeiro em Dados Observa-se que a Região Metropolitana apresenta o maior número de municípios (17), correspondendo a 19% do Estado e, em contraposição, a Região da Costa Verde aparece como a menos numerosa neste critério (4), com um percentual de 4% no total do território estadual Área Territorial do Estado do Rio de Janeiro e suas Regiões TABELA 2 - ÁREA TERRITORIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E SUAS REGIÕES ÁREA TOTAL EM PERCENTUAL NO 25 LOCALIDADE 22,22 KM² ESTADO (%) Estado ,3-20 Região Norte 15, ,22 Fluminense 15 12,36 12,24 12,24 Região Serrana ,81 10,65 Região das ,36 6,9 Baixadas Litorâneas 5,46 Região Noroeste ,24 Fluminense Região Médio ,24 Paraíba Norte Fluminense Serrana Região Baixadas Litorâneas Médio Paraíba ,65 Metropolitana Noroeste Fluminense Metropolitana Região Centro-Sul ,90 Centro-Sul Fluminense Costa Verde Fluminense Região da Costa Figura ,46 Verde Fundação CIDE. Anuário Estatístico 2006 O Estado do Rio de Janeiro possui uma extensão territorial de ,3 km², sendo a Região Norte Fluminense a maior em extensão, ocupando 22,22% do Estado, e a Região da Costa Verde a menor, ocupando 5,46% do total do território. 5

6 Distâncias dos Municípios à Capital do Estado do Rio de Janeiro INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TABELA 3 - DISTÂNCIAS DOS MUNICÍPIOS À CAPITAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Nome do Município Distância (km) Nome do Município Distância (km) Angra dos Reis 114 Niterói 11 Aperibé 182 Nova Friburgo 98 Araruama 89 Nova Iguaçu 30 Areal 75 Paracambi 61 Armação dos Búzios 137 Paraíba do Sul 83 Arraial do Cabo 121 Parati 158 Barra do Piraí 80 Paty do Alferes 57 Barra Mansa 107 Petrópolis 44 Belford Roxo 25 Pinheiral 92 Bom Jardim 116 Piraí 77 Bom Jardim do Itabapoana 252 Porciúncula 246 Cabo Frio 122 Porto Real 123 Cachoeiras de Macacu 75 Quatis 121 Cambuci 199 Queimados 41 Campos dos Goytacazes 232 Quissamã 199 Cantagalo 134 Resende 136 Carapebus 178 Rio Bonito 64 Cardoso Moreira 227 Rio Claro 97 Carmo 124 Rio das Flores 90 Casimiro de Abreu 113 Rio das Ostras 136 Comendador Levy Gasparian 97 Santa Maria Madalena 162 Conceição de Macabu 165 Santo Antônio de Pádua 185 Cordeiro 130 São Fidélis 205 Duas Barras 118 São Francisco de Itabapoana 292 Duque de Caxias 17 São Gonçalo 18 Engenheiro Paulo de Frontin 62 São João da Barra 263 Guapimirim 47 São João de Meriti 20 Iguaba Grande 101 São José de Ubá 215 Itaboraí 40 São José do Vale do Rio Preto 88 Itaguaí 58 São Pedro da Aldeia 114 Italva 227 São Sebastião do Alto 152 Itaocara 178 Sapucaia 105 Itaperuna 232 Saquarema 72 Itatiaia 146 Seropédica 54 Japeri 54 Silva Jardim 88 Laje do Muriaé 219 Sumidouro 109 Macaé 158 Tanguá 54 Macuco 141 Teresópolis 60 Magé 33 Trajano de Morais 150 Mangaratiba 86 Três Rios 87 Marica 40 Valença 89 Mendes 68 Varre-Sai 258 Mesquita 28 Vassouras 72 Miguel Pereira 56 Volta Redonda 101 Miracema 195 Obs.: Os dados da tabela referem-se à distância do município Natividade 242 em relação à capital da UF, calculada em linha reta, da sede Nilópolis 24 do município em referência até a sede da capital da UF. TARGET. Brasil em Foco 2007 As informações sobre distâncias, muitas vezes, colaboram na reflexão sobre logística, distribuição e planejamento de marketing. 6

7 1.2 Demografia População por Região e Municípios do Estado do Rio de Janeiro TABELA 4 - POPULAÇÃO POR REGIÃO E MUNICÍPIOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Estado LOCALIDADE QUANT. LOCALIDADE QUANT. Região Metropolitana Região Noroeste Fluminense Rio de Janeiro Itaperuna São Gonçalo Santo Antônio de Pádua Duque de Caxias Bom Jesus do Itabapoana Nova Iguaçu Miracema Niterói Itaocara São João de Meriti Porciúncula Belford Roxo Natividade Magé Cambuci Itaboraí Italva Mesquita Aperibé Nilópolis Laje do Muriaé Queimados Varre-Sai Japeri São José do Ubá Seropédica Região Médio Paraíba Paracambi Volta Redonda Guapimirim Barra Mansa Tanguá Resende Região Serrana Barra do Piraí Petrópolis Valença Nova Friburgo Itatiaia Teresópolis Piraí Bom Jardim Pinheiral Cantagalo Rio Claro São José do Vale do Rio Preto Porto Real Cordeiro Quatis Carmo Rio das Flores Sumidouro Região Centro-Sul Fluminense Santa Maria Madalena Três Rios Duas Barras Paraíba do Sul Trajano de Morais Vassouras São Sebastião do Alto Paty do Alferes Macuco Miguel Pereira Região das Baixadas Litorâneas Mendes Cabo Frio Sapucaia Rio das Ostras Engenheiro Paulo de Frontin Araruama Areal Marica Comendador Levy Gasparian São Pedro da Aldeia Região Norte Fluminense Saquarema Campos dos Goytacazes Rio Bonito Macaé Cachoeiras de Macacu São Francisco de Itabapoana Arraial do Cabo São Fidélis Casimiro de Abreu Conceição de Macabu Silva Jardim Quissamã Armação dos Búzios Cardoso Moreira Iguaba Grande Carapebus Região da Costa Verde Angra dos Reis Itaguaí Parati Mangaratiba Fundação CIDE. Anuário Estatístico 2006 (Censo 2000) 7

8 Observa-se na tabela anterior e no gráfico, a seguir, que a Região Metropolitana concentra o maior número de municípios com alto número demográfico do Estado Municípios mais populosos do Estado do Rio de Janeiro TABELA 5 MUNICÍPIOS MAIS POPULOSOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (%) Municípios População % Estado ,282 * Rio de Janeiro ,7 São Gonçalo ,2 Duque de Caxias ,4 3,0% 3,1% 3,2% 5,3% 2,8% 2,0% 1,7% Nova Iguaçu ,3 Niterói ,2 5,4% 6,2% 40,7% São João do Meriti ,1 Belford Roxo ,0 Campos dos Goytacazes ,8 Petropólis ,0 Volta Redonda ,7 Rio de Janeiro Duque de Caxias Niterói Belford Roxo Petrópolis São Gonçalo Nova Iguaçu São João de Meriti Campos dos Goytacazes Volta Redonda Figura 3 Fundação CIDE. Anuário Estatístico 2006 (Censo 2000) Este gráfico permite a visualização dos municípios mais populosos do Estado. Na Região Metropolitana, é que se encontram os municípios com maior concentração populacional, sendo que, dos dez mais populosos, sete são desta região, representando 74,42% da população estadual População por Situação de Sexo, Domicílio e Faixa Etária TABELA 6 - POPULAÇÃO POR SITUAÇÃO DE SEXO, DOMICÍLIO E FAIXA ETÁRIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Por Sexo - Total Quant. Homens Mulheres Por Situação de Domicílio e Sexo Quant. Urbana - Total Urbana - Homens Urbana - Mulheres Rural - Total Rural Homens Rural - Mulheres Faixa Etária Quant. 0 4 anos anos anos anos anos anos anos Fundação CIDE. Anuário Estatístico 2006 (Censo 2000) 8

9 1.2.4 Eleitores inscritos, em número absoluto, do Estado do Rio de Janeiro TABELA 7 - ELEITORES INSCRITOS, EM NÚMEROS ABSOLUTOS, DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Por sexo Quant. Mulheres Homens Não Informado Total Doze Maiores Colégios Eleitorais do Estado do RJ Rio de Janeiro São Gonçalo Duque de Caxias Nova Iguaçu São João de Meriti Niterói Campos dos Goytacazes Belford Roxo Petrópolis Volta Redonda Magé Nova Friburgo Fundação CIDE. Anuário Estatístico 2006 (Censo 2000) O Estado do Rio de Janeiro tem uma população de habitantes. Observa-se que a população é predominantemente urbana e apresenta uma participação masculina equivalente à feminina em uma proporção de 92 homens para cada 100 mulheres. A maioria da população encontra-se na faixa etária entre 30 e 49 anos, seguida pela faixa de 50 ou mais anos. O Estado possui um total de eleitores. Considerando os três maiores colégios eleitorais, registrase o Município do Rio de Janeiro, com 41,63% dos eleitores do Estado, seguido por São Gonçalo, com 5,66%, e Duque de Caxias, correspondendo a aproximadamente 5% de todo o eleitorado estadual 9

10 Taxa Média Geométrica de Crescimento Demográfico e Densidade Demográfica do Estado do Rio de Janeiro e Municípios TABELA 8 - TAXA MÉDIA GEOMÉTRICA DE CRESCIMENTO DEMOGRÁFICO E DENSIDADE DEMOGRÁFICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E MUNICÍPIOS Taxa média Geométrica de LOCALIDADE Crescimento anual (1991/2000 (%)) DENSIDADE DEMOGRÁFICA LOCALIDADE (hab./km²) Taxa média DENSIDADE Geométrica de DEMOGRÁFICA Crescimento anual (hab./km²) (1991/2000 (%)) Estado 1,30 358,08 ************ Região Metropolitana 1, ,49 Região Noroeste Fluminense 0,96 55,28 Rio de Janeiro 0, ,11 Aperibé 2,70 86,77 Belford Roxo 2, ,67 Bom Jesus do Itabapoana 1,33 56,16 Duque de Caxias 1, ,90 Cambuci -0,21 26,13 Guapimirim 3,44 104,87 Italva -0,13 42,81 Itaboraí 3,34 436,81 Itaocara 0,03 53,66 Japeri 2, ,07 Itaperuna 1,18 78,16 Magé 2,57 532,14 Laje do Muriaé 0,65 31,43 Mesquita 1, ,31 Miracema 0,84 89,47 Nilópolis -0, ,30 Natividade 0,36 38,72 Niterói 0, ,99 Porciúncula 1,02 52,91 Nova Iguaçu 2, ,60 Santo Antônio de Pádua 1,68 63,36 Paracambi 1,18 216,68 São José do Ubá 0,64 25,49 Queimados 2, ,52 Varre-Sai 1,09 41,19 São Gonçalo 1, ,11 Região Médio Paraíba 1,38 126,57 São João de Meriti 0, ,20 Barra do Piraí 1,24 152,04 Tanguá 1,27 182,47 Barra Mansa 0,49 311,59 Seropédica 2,48 243,33 Itatiaia 4,91 102,27 Região Serrana 1,01 108,04 Pinheiral 4,17 250,40 Bom Jardim 1,04 58,71 Piraí 0,96 43,83 Cantagalo 0,09 26,30 Porto Real 4,23 237,62 Carmo 0,58 47,67 Quatis 2,23 37,36 Cordeiro 1,46 165,34 Resende 2,54 95,03 Duas Barras 0,51 27,46 Rio Claro 1,93 19,24 Macuco 1,02 62,96 Rio das Flores 1,88 15,90 Nova Friburgo 0,41 184,80 Valença 0,97 50,78 Petrópolis 1,28 359,47 Volta Redonda 1, ,02 Santa Maria Madalena -0,39 12,83 Região Centro-Sul Fluminense 1,19 83,67 São José do Vale do Rio Preto 2,47 87,27 Areal 2,08 89,58 São Sebastião do Alto 0,40 21,16 Comendador Levy Gasparian 1,29 72,30 Sumidouro 0,99 35,65 Engenheiro Paulo de Frontin 0,09 85,12 Teresópolis 1,51 178,65 Mendes 0,45 179,53 Trajano de Morais -0,65 16,93 Miguel Pereira 2,32 84,0 Região das Baixadas Litorâneas 4,31 117,41 Paraíba do Sul 1,09 63,48 Araruama 3,83 129,52 Paty do Alferes 1,87 81,16 Armação dos Búzios 8,68 253,89 Sapucaia 1,19 31,84 Arraial do Cabo 2,06 151,50 Três Rios 0,97 224,22 Cabo Frio 5,81 308,73 Vassouras 1,04 59,07 Cachoeiras de Macacu 2,12 50,73 Região Norte Fluminense 1,49 71,54 Casimiro de Abreu 3,94 48,59 Campos dos Goytacazes 0,88 100,73 Iguaba Grande 7,20 309,84 Carapebus 2,02 34,46 Maricá 5,71 210,87 Cardoso Moreira -0,20 24,35 Rio Bonito 1,07 107,30 Conceição de Macabu 1,14 47,07 Rio das Ostras 8,02 158,07 Macaé 3,93 107,77 São Pedro da Aldeia 4,54 187,78 Quissamã 3,01 19,15 Saquarema 3,68 148,36 São Fidélis 0,69 35,52 Silva Jardim 1,78 22,63 São Francisco de Itabapoana 0,68 36,67 Região da Costa Verde 3,47 106,70 Angra dos Reis 3,76 145,51 Itaguaí 3,40 291,51 Mangaratiba 3,72 68,83 Parati 2,37 31,64 Fundação CIDE. Anuário Estatístico

11 A taxa média geométrica de crescimento demográfico permite identificar o crescimento da população em uma determinada localidade em um período de tempo específico. A população do Estado cresceu em média 1,30% ao ano, nos últimos 10 anos. O município que obteve o maior crescimento médio neste período foi Armação dos Búzios, pertencente à Região das Baixadas Litorâneas, que apresentou uma taxa média de 8,68%, superior ao percentual apresentado pela sua região e pelo Estado. A densidade demográfica é calculada, dividindo-se o número da população residente pela área terrestre do Estado. Verifica-se uma concentração de 358,08 habitantes por quilômetro quadrado, no Estado do Rio de Janeiro. Constata-se que, o Município de São João de Meriti, pertencente à Região Metropolitana, é o que concentra o maior número de pessoas por quilômetro quadrado, apresentando ,20 hab./km², enquanto Trajano de Morais, que integra a Região Serrana, é o que apresenta menor densidade demográfica, com um número correspondente a 16,93 hab./km². 11

12 Índice de Desenvolvimento Humano IDH 2000, do Estado do Rio de Janeiro e Municípios TABELA 9- ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO IDH 2000, DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E MUNICÍPIOS Estado 0,802 - Alto Região Metropolitana Região Noroeste Fluminense LOCALIDADE IDH Ranking Estadual / Ranking Estadual / LOCALIDADE IDH Classificação de Índice Classificação de Índice Niterói 0,886 1 / Alto Itaperuna 0, / Médio Rio de Janeiro 0,842 2 / Alto Itaocara 0, / Médio Nilópolis 0, / Médio Aperibé 0, / Médio São Gonçalo 0, / Médio Santo Antônio de Pádua 0, / Médio São João de Meriti 0, / Médio Bom Jesus do Itabapoana 0, / Médio Paracambi 0, / Médio Natividade 0, / Médio Nova Iguaçu 0, / Médio Cambuci 0, / Médio Seropédica 0, / Médio Miracema 0, / Médio Duque de Caxias 0, / Médio Porciúncula 0, / Médio Magé 0, / Médio Italva 0, / Médio Belford Roxo 0, / Médio São José do Ubá 0, / Médio Guapimirim 0, / Médio Laje do Muriaé 0, / Médio Itaboraí 0, / Médio Varre-Sai 0, / Médio Queimados 0, / Médio Região Médio Paraíba Japeri 0, / Médio Volta Redonda 0,815 3 / Alto Tanguá 0, / Médio Resende 0,809 5 / Médio-Alto MesquitaTP 1 -x- -x- Barra Mansa 0,806 6 / Médio-Alto Região Serrana Itatiaia 0,800 8 / Médio-Alto Nova Friburgo 0,810 4 / Alto Pinheiral 0, / Médio Petrópolis 0,804 7 / Médio-Alto Quatis 0, / Médio Teresópolis 0, / Médio Barra do Piraí 0, / Médio Cordeiro 0, / Médio Piraí 0, / Médio Cantagalo 0, / Médio Valença 0, / Médio Macuco 0, / Médio Porto Real 0, / Médio Carmo 0, / Médio Rio das Flores 0, / Médio Santa Maria Madalena 0, / Médio Rio Claro 0, / Médio Bom Jardim 0, / Médio Região Centro-Sul Fluminense Trajano de Morais 0, / Médio Três Rios 0, / Médio São Sebastião do Alto 0, / Médio Vassouras 0, / Médio São José do Vale do Rio Preto 0, / Médio Miguel Pereira 0, / Médio Duas Barras 0, / Médio Mendes 0, / Médio Sumidouro 0, / Médio Paraíba do Sul 0, / Médio Região das Baixadas Litorâneas Areal 0, / Médio Iguaba Grande 0,796 9 / Médio Engº Paulo de Frontin 0, / Médio Cabo Frio 0, / Médio Comend. Levy Gasparian 0, / Médio Armação dos Búzios 0, / Médio Sapucaia 0, / Médio Arraial do Cabo 0, / Médio Paty do Alferes 0, / Médio Marica 0, / Médio Região Norte Fluminense Casimiro de Abreu 0, / Médio Macaé 0, / Médio São Pedro da Aldeia 0, / Médio Campos dos Goytacazes 0, / Médio Rio das Ostras 0, / Médio São Fidélis 0, / Médio Rio Bonito 0, / Médio Carapebus 0, / Médio Saquarema 0, / Médio Conceição de Macabu 0, / Médio Araruama 0, / Médio Quissamã 0, / Médio Cachoeiras de Macacu 0, / Médio Cardoso Moreira 0, / Médio Região da Costa Verde S.Francisco de Itabapoana 0, / Médio Angra dos Reis 0, / Médio Itaguaí 0, / Médio Mangaratiba 0, / Médio Parati 0, / Médio Fundação CIDE. Anuário Estatístico 2006 (Censo 2000) O IDH permite medir o desenvolvimento de uma população além da dimensão econômica. É calculado com base na: 1 De acordo com a Fundação CIDE, 27 municípios foram criados entre 1986 e 1995; destes, 10 foram criados em 1995, e foram instalados em janeiro de 1997, quando tomaram posse seus primeiros prefeitos e vereadores. Em 25/09/99, pela Lei Estadual n.º 3.253, foi criado o Município de Mesquita, desmembrado de Nova Iguaçu e instalado em 1º de janeiro de 2001 e, por este motivo, não constam dados de IDH do Município de Mesquita. 12

13 renda familiar per capita (soma dos rendimentos divididos pelo número de habitantes); expectativa de vida dos moradores (esperança de vida ao nascer); taxa de alfabetização de maiores de 15 anos (número médio de anos de estudos da população local). Variando de zero a um, o IDH classifica os municípios segundo três níveis de desenvolvimento humano: localidades com baixo desenvolvimento humano (IDH até 0,5); localidades com médio desenvolvimento humano (IDH entre 0,5 e 0,8) e localidades com alto desenvolvimento humano (IDH acima de 0,8). Quanto mais próximo de um, mais alto é o desenvolvimento humano. O Estado do Rio de janeiro está classificado como de alto desenvolvimento humano, com um índice de 0,802. No ranking estadual, Niterói ocupa a primeira posição, apresentando um índice de 0,886, seguido do Município do Rio de Janeiro, com o índice de 0,

14 Infra-Estrutura do Estado do Rio de Janeiro 2 TABELA 10 - EDUCAÇÃO NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS Ensino Pré-escolar Ensino Fundamental Ensino Médio Ensino de Jovens e Adultos (supletivo) Ensino Especial 724 Ensino Superior (graduação) 118 Fonte: Fundação CIDE. Anuário Estatístico 2006 (Censo 2000) TABELA 11- SAÚDETP3PT QUANTIDADE OFERECIDA Hospitais Gerais 329 Postos de Saúde 425 Leitos Hospitalares SUS Leitos Hospitalares Não SUS Fonte: Elaboração própria a partir do Ministério da Saúde (TUwww.datasus.gov.br)UT. Acesso em 16 ago.2007 TABELA 12- TURISMO E CULTURA NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS Estabelecimentos Hoteleiros Cinema (Filmes e Vídeos) 156 Teatro, músicas, atividades artísticas e literárias Museus e Conservação do Patrimônio Histórico 37 Biblioteca e Arquivos 45 Fonte: RAIS/ MTE 2005 TABELA 13- FINANCEIRO E COMUNICAÇÃO NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS Agências dos Correios 223 Agências Bancárias Fundação CIDE. Anuário Estatístico 2006 A leitura das tabelas anteriores permite identificar a estrutura básica do Estado, conforme dados oficiais da Fundação Centro de Informações e Dados do Rio de Janeiro CIDE, do Relatório Anual de Informações Sociais 2005 e do Ministério da Saúde. A infra-estrutura é um dos aspectos que devem ser considerados na análise das condições básicas favoráveis à implantação e à operação de empresas, assim como das condições de atendimento às necessidades básicas da população local. TP2PT Todos os itens destacados nesta seção contemplam estabelecimentos públicos (municipais, estaduais e federais) e privados. TP3PT Site do Ministério da Saúde (TUwww.datasus.gov.brUT ) Informações de Saúde/ Rede Assistencial / Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde/ Indicadores. Atualizado em 16/07/

15 2 - Perfil Econômico do Estado do Rio de Janeiro 2.1 Produto Interno Bruto PIB 2004 e Estimativa do PIB para , em valores totais, do Estado, das Regiões e dos Municípios do Rio de Janeiro. Região Metropolitana e Serrana TABELA 14- PIB E ESTIMATIVA DO PIB 2005, EM VALORES TOTAIS, DO ESTADO, DAS REGIÕES E DOS MUNICÍPIOS DO RIO DE JANEIRO Localidade PIB, em valores totais (R$ mil) 2004 Estimativa do PIB, em valores totais (R$ mil) Localidade PIB, em valores totais (R$ mil) 2004 Estimativa do PIB, em valores totais (R$ mil) 2005 Estado Estado Região Metropolitana Região Serrana Rio de Janeiro Petrópolis Duque de Caxias Nova Friburgo Niterói Teresópolis São Gonçalo Cantagalo Nova Iguaçu Carmo Belford Roxo Bom Jardim São João de Meriti São José do Vale do Rio Preto Mesquita Cordeiro Magé Sumidouro Itaboraí Trajano de Morais Nilópolis Duas Barras Queimados Santa Maria Madalena Japeri Macuco Seropédica São Sebastião do Alto Paracambi Guapimirim Tanguá Fundação CIDE. Anuário Estatístico Valores preliminares sujeitos à revisão pela Fundação CIDE. 15

16 Região das Baixadas Litorâneas e Noroeste Fluminense TABELA 15- PIB E ESTIMATIVA DO PIB 2005, EM VALORES TOTAIS DO ESTADO, DAS REGIÕES E DOS MUNICÍPIOS DO RIO DE JANEIRO Localidade PIB, em valores totais (R$ mil) Estimativa do PIB, em valores totais (R$ mil) Localidade PIB, em valores totais (R$ mil) Estimativa do PIB, em valores totais (R$ mil) Estado Estado Região das Baixadas Região Noroeste Litorâneas Fluminense Cabo Frio Itaperuna Rio Bonito Santo Antônio de Pádua Araruama Bom Jesus do Itabapoana Marica Itaocara Cachoeiras de Macacu Miracema Rio das Ostras Cambuci São Pedro da Aldeia Natividade Saquarema Porciúncula Casimiro de Abreu Italva Armação de Búzios Aperibé Arraial do Cabo Laje do Muriaé Silva Jardim Varre-Sai Iguaba Grande São José do Ubá Fundação CIDE. Anuário Estatístico Região do Médio Paraíba e Centro-Sul Fluminense TABELA 16- PIB E ESTIMATIVA DO PIB 2005, EM VALORES TOTAIS DO ESTADO, DAS REGIÕES E DOS MUNICÍPIOS DO RIO DE JANEIRO Localidade PIB, em valores totais (R$ mil) Estimativa do PIB, em valores totais (R$ mil) Localidade PIB, em valores totais (R$ mil) Estimativa do PIB, em valores totais (R$ mil) Estado Estado Região Médio Paraíba Região Centro-Sul Fluminense Volta Redonda Três Rios Resende Paraíba do Sul Porto Real Miguel Pereira Barra Mansa Sapucaia Piraí Vassouras Barra do Piraí Areal Itatiaia Paty do Alferes Valença Engenheiro Paulo de Frontin Rio Claro Mendes Pinheiral Comendador Levy Gasparian Quatis Rio das Flores Fundação CIDE. Anuário Estatístico

17 Região Norte Fluminense e da Costa Verde Localidade TABELA 17- PIB E ESTIMATIVA DO PIB 2005, EM VALORES TOTAIS DO ESTADO, DAS REGIÕES E DOS MUNICÍPIOS DO RIO DE JANEIRO PIB, em Estimativa do PIB, em valores totais PIB, em valores totais valores totais (R$ mil) Localidade (R$ mil) - (R$ mil) Estimativa do PIB, em valores totais (R$ mil) Estado Estado Região Norte Região da Costa Fluminense Verde Macaé Angra dos Reis Campos dos Goytacazes Itaguaí S.Francisco de Itabapoana Mangaratiba São Fidélis Parati São João da Barra Quissamã Conceição de Macabu Cardoso Moreira Carapebus Fundação CIDE. Anuário Estatístico O PIB - Produto Interno Bruto é um indicador que mede a produção de um país, levando em conta três grupos principais: Agropecuária, formada por Agricultura, Extrativa Vegetal e Pecuária; Indústria, que engloba Extrativa Mineral, Transformação, Serviços Industriais de Utilidade Pública e Construção Civil; e Serviços, que incluem Comércio, Transporte, Comunicação, Serviços da Administração Pública e outros serviços. O PIB identifica a capacidade de geração de riqueza do país, do estado, da região ou do município. Considerando a dinâmica da economia e a constante demanda por informações econômicas municipais, a Fundação CIDE disponibiliza estimativas anuais do PIB para os municípios do Estado do Rio de Janeiro. 17

18 Participação das Regiões no PIB do Estado do Rio de Janeiro 2004 (%) PARTICIPAÇÃO DAS REGIÕES NO PIB DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 2004 (%) 10% 4% 3% 3% 2% 1% 1% Região Metropolitana Região do Médio Paraíba Região Norte Fluminense Região Serrana Região das Baixadas Litorâneas 76% Região da Costa Verde Região Centro-Sul Fluminense Região Noroeste Fluminense Figura 4. Fundação CIDE. Anuário Estatístico 2006 Verifica-se que a maior contribuição no PIB estadual é da Região Metropolitana, que corresponde a 76%, seguida da Região Médio Paraíba, com 10% de contribuição. 18

19 2.2 Potencial de Consumo Número de Domicílios Urbanos / Classes Econômicas do Estado do Rio de Janeiro TABELA 18 - NÚMERO DE DOMICÍLIOS URBANOS/CLASSES ECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Classes Econômicas Número de Domicílios Urbanos A A B B C D E Total Número de domicílios urbanos Classes econômicas A1 A2 B1 B2 C D E Figura 5 TARGET. Brasil em Foco 2007TP5PT Classes econômicas (em salários mínimos) (*) classe A1 = acima de 45 salários mínimos/mês (*) classe A2 = entre 25 e 45 salários mínimos/mês (*) classe B1 = entre 15 e 25 salários mínimos/mês (*) classe B2 = entre 10 e 15 salários mínimos/mês (*) classe C = entre 4 e 10 salários mínimos/mês (*) classe D = entre 2 e 4 salários mínimos/mês (*) classe E = até 2 salários mínimos/mês O Estado do Rio de Janeiro apresenta o universo de domicílios, sendo que 41,17% deles são de famílias pertencentes à Classe Econômica C que possuem renda familiar entre 4 e 10 salários mínimos/mês Consumo Per Capita do Estado do Rio de Janeiro (US$1=R$ 3,00) TABELA 19 - CONSUMO PER CAPITA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (US$/ANO) Urbano 5.153,49 Rural 1.649,65 TARGET. Brasil em Foco 2007 De acordo com o estudo Brasil em Foco 2007, consumo per capita ou consumo médio é o resultado da divisão entre o potencial de consumo esperado pelo total da população residente. Este indicador está desdobrado para as áreas urbana e rural e é expresso em US$/ano. Observa-se que o consumo per capita urbano é de 51,50%, maior que o da área rural do Estado. 5 O estudo BRASIL EM FOCO 2007 é um banco de dados secundários, preparado e atualizado anualmente pela TARGET MARKETING LTDA, tendo como base dados divulgados pelo IBGE e por outras instituições oficiais. Este estudo contempla o consumo das populações urbanas e rurais e traz dados demográficos de todos os municípios brasileiros, atualizados para a nova malha municipal brasileira. 19

20 TP PT Outras INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Consumo familiar do Estado, por classe econômica, segundo categorias de consumo - em US$/ano (US$ 1= R$ 3,00) TABELA 20 - CONSUMO FAMILIAR DO ESTADO POR CLASSE ECONÔMICA, SEGUNDO CATEGORIAS DE CONSUMO EM US$/ANO (US$ 1= R$ 3,00) Categoria de consumo/classe econômica Alimentação no domicílio A1 A2 B1 B2 C D E Total Alimentação fora do domicílio Bebidas Manutenção do lar Artigos de limpeza Mobiliários e artigos do lar Eletrodomésticos e equipamentos Vestuário confeccionado Calçados Outras despesas com vestuário Transportes urbanos Gastos com veículo próprio Higiene e cuidados pessoais Gastos com medicamentos Outras despesas com saúde Livros e material escolar Matrículas e mensalidades Despesas com recreação e cultura Despesas com viagens Fumo Outras despesastp 6 PT Total do consumo urbano TARGET. Brasil em Foco Despesas referem-se aos gastos com cabeleireiros, manicuras, pedicuros, sapateiros, barbeiros, alfaiates, costureiras, relojoeiros, tinturarias, lavanderias, empregados domésticos, fotografias para documentação, cerimônias familiares e práticas religiosas, serviços de cartório e profissionais (advogados, despachantes, contadores), jogos de azar e apostas, construção, reforma e manutenção de jazigos, aluguel de aparelhos e utilidades de uso doméstico, alimentos e outros produtos para animais, flores, despesas de mudança, imposto de renda, imposto sobre serviços, contribuições trabalhistas à previdência social e associações de classe, pensão alimentícia, tarifas bancárias, justiça do trabalho e seguro de vida. Compreende ainda aumento do ativo e diminuição do passivo referente a pagamento de prestações para aquisição de veículos, imóveis, reformas de imóveis, empréstimos e carnês e outros investimentos. 20

21 Os resultados apresentados na tabela permitem aprofundar o conhecimento sobre as diferenças do padrão de consumo entre as diversas classes de renda. Na leitura dos dados do consumo familiar dos grupos de famílias pertencentes à classe C, predominante no Estado, observa-se a representativa participação dos gastos nas categorias de consumo: alimentação no domicílio, manutenção do lar, transportes urbanos, bem como com outras despesas. 2.3 Estabelecimento e Empregos Número de Estabelecimentos por porte, Brasil / Estado do Rio de Janeiro 2002/2005 TABELA 21 - NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS POR PORTE, BRASIL / ESTADO DO RIO DE JANEIRO 2002/2005 PorteTP7PT Brasil RJ Brasil RJ Brasil RJ Brasil RJ MPE Micro Pequena MGE Média Grande TOTAL MPE + MGE Fonte: Elaboração própria a partir da RAIS/MTE 2005 Os dados dessa tabela foram extraídos da Relação Anual de Informações Sociais RAIS, do Ministério do Trabalho e Emprego, que é um questionário anual, preenchido obrigatoriamente por todas as firmas registradas no País. Com esses dados, pode-se analisar a participação dos estabelecimentos segmentados por porte em relação ao total do Estado. Observa-se que as microempresas representavam, em 2005, 91,4% do total dos estabelecimentos formais existentes no Estado do Rio de Janeiro e 94,2% do total de empresas formais no Brasil. TP7PT Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE, considera-se: Microempresa I) para Indústria até 19 vínculos; II) para Comércio, Serviços e Agropecuário até 9 vínculos; Pequena Empresa I) para Indústria de 20 a 99 vínculos; II) para Comércio, Serviços e Agropecuário de 10 a 49 vínculos; Média Empresa I) para Indústria de 100 a 499 vínculos; II) para Comércio, Serviços e Agropecuário de 50 a 99 vínculos; Grande Empresa I) para Indústria acima de 500 vínculos; II) para Comércio, Serviços e Agropecuário acima de 100 vínculos. 21

22 Variação percentual do número de estabelecimentos Brasil e Rio de Janeiro 2002/2005 TABELA 22 - VARIAÇÃO PERCENTUAL DO NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS - BRASIL E RJ /2005 Porte Var. % Brasil RJ MPE 11,3 8,5 Micro 11 8,3 Pequena 17,7 11,5 MGE 14,8 11,6 Média 15,2 14 Grande 14,3 8,6 TOTAL 11,4 8, % ,3 14,8 11,4 8,5 11,6 8,6 MPE MGE TOTAL Var.% Brasil Var.% RJ Figura 6 Fonte: RAIS / MTE 2005 A partir de informações extraídas da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), apresentadas no gráfico, verificou-se que, no Estado do Rio de Janeiro, o crescimento do número de estabelecimentos no período de 2002 a 2005 foi positivo, tanto para as micro e pequenas empresas (8,5%) quanto para as médias e grandes (11,6%). Já quando se verifica o crescimento dos estabelecimentos instalados no Brasil, percebe-se uma pequena vantagem com relação ao Estado do Rio de Janeiro, uma vez que as MPE e as MGE apresentaram variações positivas de 11,3% e 14,8%, respectivamente Total de Estabelecimentos, por setor econômico e porte, no Estado do Rio de Janeiro 2005 TABELA 23 - TOTAL DE ESTABELECIMENTOS, POR SETOR ECONÔMICO E PORTE, NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Setor Econômico Micro Pequena Média Grande Total % Setor Indústria ,5 Comércio ,9 Serviços ,6 Agronegócios ,8 Total ,00 % Porte 91,4 7,1 0,8 0,6 100,00 *** Fonte: Elaboração própria a partir da RAIS/MTE

23 P8PT Os INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Participação das empresas, por porte, na economia no Estado do Rio de Janeiro (%) PARTICIPAÇÃO DAS EMPRESAS, POR PORTE, NA ECONOMIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (%) , ,1 0,8 0,6 0 Micro Pequena Média Grande Figura 7 Fonte: Elaboração própria a partir da RAIS/MTE O Estado do Rio de Janeiro registrou, em 2005, aproximadamente, 460 mil estabelecimentos formais. As microempresas representaram 91,4% e o conjunto de micro e pequenas empresas, 96,6% do total fluminense. Apenas 0,6% dos estabelecimentos formais do Rio de Janeiro são de grande porte. A distribuição dos estabelecimentos por setor mostra a predominância dos serviços entre as microempresas do Estado, apresentando um percentual de 51,4% ( estabelecimentos) Movimentação de Empresas no Estado do Rio de Janeiro 2005/2006 TABELA 24 - MOVIMENTAÇÃO DE EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 2005/ Constituição de Empresas Extinção de Empresas Ano Total Ano Total Fonte: Elaboração própria a partir da JUCERJA. Comparando os dados de 2005 e 2006 apresentados na tabela, verifica-se um decréscimo de 5,98% no total de empresas constituídas e um crescimento de 4,05% na extinção de empresas no mesmo período. dados registrados nesta tabela contemplam apenas a movimentação de empresas registradas na Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro, considerando: Requerimento de Empresário, Ltda. (limitadas), S.A. (Sociedades Anônimas), Cooperativas e Consórcios. 23

24 Número de Empregos, por porte, em 31 dez., do Brasil e do Rio de Janeiro 2002/2005 TABELA 25 - NÚMERO DE EMPREGOS, POR PORTE, EM 31 DEZ. BRASIL E RJ 2002/ PorteTP9PT Brasil RJ Brasil RJ Brasil RJ Brasil RJ MPE Micro Pequena MGE Média Grande TOTAL Fonte: Elaboração própria a partir da RAIS/MTE Variação percentual do número de Empregos Brasil e Rio de Janeiro 2002/2005 TABELA 26 - VARIAÇÃO PERCENTUAL DO NÚMERO DE EMPREGOS - BRASIL E RJ /2005 Var. % Porte Brasil RJ MPE 15,1 8,8 Micro 12,9 5, % 10 15,1 16,4 15,9 8,8 9,5 9,2 Pequena 17,1 11,5 5 MGE 16,4 9,5 Média 14,2 11,0 Grande 17,0 9,1 TOTAL 15,9 9,2 0 MPE MGE TOTAL Var.% Brasil Var.% RJ Figura 8 Fonte: Elaboração própria a partir da RAIS/MTE. Verificou-se que, no Estado do Rio de Janeiro, o crescimento do número de empregos (em 31 de dezembro) no período de 2002 a 2005 foi positivo, tanto para as micro e pequenas empresas (8,8%) quanto para as médias e grandes (9,5%). Já quando se verifica o crescimento dos empregos (em 31 de dezembro) no Brasil, percebe-se uma vantagem com relação ao Estado do Rio de Janeiro, uma vez que as MPE e as MGE apresentaram variações positivas de 15,1% e 16,4%, respectivamente. TP9PT Idem à nota 7. 24

25 2.4 Distritos Industriais e Arranjos Produtivos Locais Distritos Industriais do Estado do Rio de Janeiro Quadro de Áreas TABELA 27 - DISTRITOS INDUSTRIAIS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO QUADRO DE ÁREAS Distritos Industriais Área Total (m²) Área Vinculada à Área Industrial Área Vendida Área Disponível Prefeitura/Fazenda ou com (m²) (m²) (m²) posseiros (m²) Santa Cruz , , , , ,00 Campo Grande , , , , ,00 Queimados , , , , ,33 Duque de Caxias , , , ,13 *** Fazenda Botafogo , , , ,45 *** Campos , , , ,34 *** Palmares , , ,11 *** *** Paciência , , ,06 *** *** Macaé , , , , ,23 Fonte: Elaboração própria a partir de informações da CODIN Distritos Industriais do Estado do Rio de Janeiro - Mapa Figura 9 Fonte: Elaboração própria a partir de informações da CODIN 10 De acordo com a tabela anterior, o maior distrito industrial do Rio de Janeiro localiza-se na área de Santa Cruz que compreende ,33m², tendo ,74m² de área disponível. Além da localização dos Distritos Industriais, o mapa possibilita a visualização da infra-estrutura de transporte e logística. 10 CODIN - Acesso em 9 jul

26 TP11PT A INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Principais Arranjos Produtivos Locais 2005 Figura 10 Fonte: Arranjos Produtivos Locais Perfil das Concentrações de Atividades Econômicas no Estado do Rio de Janeiro O Estudo Arranjos Produtivos Locais Perfil das Concentrações de Atividades Econômicas no Estado do Rio de Janeiro da Série Estudos do, produzido por Jorge Britto em 2004, indica que, nos últimos anos, a realização de diversos estudos empíricos, acrescida a uma rica discussão analítica, tem permitido avançarse para uma definição mais rigorosa do conceito de Arranjos Produtivos Locais (APL). Considerando a definição elaborada pela RedeSist 11 utilizada como referência pelo Sebrae o conceito de Arranjos Produtivos Locais pode ser associado à aglomeração espacial de agentes econômicos, políticos e sociais, com foco em um conjunto específico de atividades econômicas e que apresenta vínculos e interdependência. Por meio desses vínculos, origina-se um processo de aprendizagem que possibilita a introdução de inovações de produtos, processos e formatos organizacionais, gerando maior competitividade para as empresas integradas ao arranjo. A formação de APL encontra-se associada a trajetórias históricas de formação de vínculos territoriais (regionais e locais), a partir de uma base social, cultural, política e econômica comum. RedeSist é uma rede de pesquisa interdisciplinar, formada em 1997, sediada no Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro e coordenada pelos professores José Eduardo Cassiolato e Helena Lastres, cujo principal foco de pesquisa é a discussão sobre os arranjos e sistemas produtivos locais. Engloba outras universidades e instituições de pesquisa em diversos estados brasileiros, bem como parceiros em instituições da América Latina, Europa e Ásia. 26

27 2.5 Exportação Evolução das Exportações no Estado do Rio de Janeiro TABELA 28 - EVOLUÇÃO DAS EXPORTAÇÕES FLUMINENSES (US$ FOB) Ano Exportações Importações Saldo Figura 11 Fonte: Fundação CIDE - Rio de Janeiro em Dados Número de Empresas e Valor Exportado, segundo o porte, no Estado do Rio de Janeiro 2004/2005 TABELA 29 - NÚMERO DE EMPRESAS E VALOR EXPORTADO, SEGUNDO O PORTE, NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO /2005 PorteTP12PT Número de Empresas Valor (US$ Milhões) Micro ,2 11,8 Pequena ,3 72,5 MP especial ,3 93,1 Média ,3 558 Grande ,8 7414,2 Empresa não classificada ** 14 ** 41,5 Total de empresas exportadoras ,8 8191,1 Fonte: As MPEs na Exportação Brasileira A tabela anterior registra uma variação positiva de 16,60% no valor total das exportações realizadas no período de 2004 a Segundo a publicação do Sebrae Nacional As Micro e Pequenas Empresas na Exportação Brasileira Brasil e Estados , em termos de distribuição, segundo classe de produtos, as exportações das micro e pequenas empresas fluminenses em 2005 foram altamente concentradas nos manufaturados, com participação de 80,3%, atingindo um percentual superior ao referente às vendas totais de manufaturados por todas as firmas do estado, que foi de 42,2%. 12 A publicação As MPE s na Exportação Brasileira considera como microempresas aquelas que possuem menos de 20 pessoas ocupadas e que exportam até US$ 300 mil/ano; como pequenas empresas aquelas com menos de 100 pessoas ocupadas e exportações anuais até US$ 2,5 milhões (excluídas, naturalmente, aquelas já classificadas como microempresas); e como micro e pequenas especiais as que possuem menos de 100 pessoas ocupadas e exportações anuais superiores a US$ 2,5 milhões. 27

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO * RESOLUÇÃO N o 746/10 TRE/RJ O TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, e CONSIDERANDO que compete, privativamente, aos Tribunais Regionais, nos

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 20 de 2017 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 7 de 2017 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 47 de 2016 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Agosto, Setembro e Outubro de François E. J. de Bremaeker Rio de Janeiro, agosto de ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Agosto, Setembro e Outubro de

Leia mais

ATENÇÃO PSICOS. EXTRA-HOSP. ATENÇÃO PSICOS. EXTRA- HOSP res.235 PORTARIAS SIA

ATENÇÃO PSICOS. EXTRA-HOSP. ATENÇÃO PSICOS. EXTRA- HOSP res.235 PORTARIAS SIA 1 PROGRAMAÇÃO PACTUADA E INTEGRADA DA ASSISTÊNCIA À SAÚDE NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO LIMITES FINANCEIROS GLOBAIS MENSAIS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - TETO ABRIL DE 2009 APROVADO EM REUNIÃO

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Dezembro de, Janeiro e Fevereiro de François E. J. de Bremaeker Rio de Janeiro, dezembro de ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Dezembro de, Janeiro

Leia mais

Q1 Cidade de Residência:

Q1 Cidade de Residência: Q Cidade de Residência: Respondidas: 8 Ignoradas: RIO DE JANEIRO ANGRA DO REIS APERIBE ARARUAMA AREAL ARMACAO DO BUZIOS ARRAIAL DO CABO BARRA DO PIRAI BARRA MANSA BELFORD ROXO BOM JARDIM BOM JESUS DO ITABAPOANA

Leia mais

CUSTEIO 339093. Total: 12.860,57. Total: 6.513,13. Total: 8.272,46. Total: 10.317,23 33909302 RESTITUIÇÕES

CUSTEIO 339093. Total: 12.860,57. Total: 6.513,13. Total: 8.272,46. Total: 10.317,23 33909302 RESTITUIÇÕES CREDORES - R.P. e Realizadas - /INVESTIMENTO - Página: Page 1 of 16 02 RESTITUIÇÕES 2º DISTRITO DA COMARCA DE CAMPOS DOS GOYTACAZES CNPJ/CPF: 23064378000154 2º RCPN DA COMARCA DA CAPITAL CNPJ/CPF: 23407222000129

Leia mais

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro.

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro. Circular 11/2016 Rio de Janeiro, 29 de março de 2016. Ref: Desconto da Contribuição Sindical Ilmo Provedor / Presidente / Diretor Novamente estamos no período do desconto da Contribuição Sindical, anteriormente

Leia mais

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE MESQUITA

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE MESQUITA INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE MESQUITA Rio de Janeiro - 2010 SEBRAE/RJ 1 Sumário Apresentação 1 - Perfil da Localidade.... 4 1.1 Demografia e Território.... 4 1.1.1 Informações Socioeconômicas

Leia mais

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE ANGRA DOS REIS

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE ANGRA DOS REIS INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE ANGRA DOS REIS Rio de Janeiro - 2011 Sumário Apresentação 1.Perfil da Localidade.... 4 1.1 - Demografia e Território.... 4 1.1.1 - Informações Socioeconômicas

Leia mais

Saneamento no estado do Rio de Janeiro Cobertura e Oportunidades de Investimentos

Saneamento no estado do Rio de Janeiro Cobertura e Oportunidades de Investimentos Novembro/2017 Saneamento no estado do Rio de Janeiro Cobertura e Oportunidades de Investimentos Saneamento básico é o conjunto de serviços, infraestruturas e instalações operacionais de abastecimento de

Leia mais

PANORAMA DA PISCICULTURA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Augusto da Costa Pereira Pesquisador e Biólogo F I P E R J

PANORAMA DA PISCICULTURA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Augusto da Costa Pereira Pesquisador e Biólogo F I P E R J PANORAMA DA PISCICULTURA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Augusto da Costa Pereira Pesquisador e Biólogo F I P E R J MUNDIAL Produção Mundial de Pescado,5 milhões de toneladas FAO - 2 5,6 milhões ton. Consumo

Leia mais

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE BELFORD ROXO

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE BELFORD ROXO INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE BELFORD ROXO Rio de Janeiro - 2010 SEBRAE/RJ 1 Sumário Apresentação 1-Perfil da Localidade.... 4 1.1 Demografia e Território.... 4 1.1.1 Informações Socioeconômicas

Leia mais

O Estado do Rio de Janeiro no Censo 2010

O Estado do Rio de Janeiro no Censo 2010 O Estado do Rio de Janeiro no Censo 2010 Documento preliminar Coordenação: Luiz Cesar Ribeiro Responsável: Érica Tavares da Silva Colaboração: Juciano Rodrigues e Arthur Molina 1 P á g i n a Introdução

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 010/2014

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 010/2014 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL GERÊNCIA DE DOENÇAS TRANSMITIDAS POR VETORES E ZOONOSES -

Leia mais

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE PETRÓPOLIS

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE PETRÓPOLIS INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE PETRÓPOLIS Rio de Janeiro - 2010 SEBRAE/RJ 1 Sumário Apresentação 1- Perfil da Localidade.... 4 1.1 Demografia e Território.... 4 1.1.1 Informações Socioeconômicas

Leia mais

JORGE LUIZ GONÇALVES DE ALMEIDA Presidente Nacional da Comissão Organizadora DIRETORIA:

JORGE LUIZ GONÇALVES DE ALMEIDA Presidente Nacional da Comissão Organizadora DIRETORIA: Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos Administração Central Processo seletivo para o Programa Jovem Aprendiz dos Correios Inscrição Indeferida Edital Nº 125/2014 A Empresa Brasileira de Correios

Leia mais

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE ARARUAMA

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE ARARUAMA INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE ARARUAMA Rio de Janeiro - 2010 1 Sumário Apresentação 1 Perfil da Localidade.... 4 1.1 Demografia e Território.... 4 1.1.1 Informações Socioeconômicas do Município

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO SOMANDO FORÇAS Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO Localização: Região Sudeste 57% do PIB Nacional Área: 43.696

Leia mais

Polícia Civil Principais Ocorrências Registro Interior - RJ 2010 Números Absolutos

Polícia Civil Principais Ocorrências Registro Interior - RJ 2010 Números Absolutos 1/8 Totais 88a. DP 89a. DP 90a. DP 91a. DP 92a. DP 93a. DP 94a. DP 95a. DP 96a. DP 97a. DP 98a. DP 99a. DP 100a. DP 101 DP 104a. DP 105a. DP Barra do Piraí Resende Barra Mansa Valença Rio das Flores Volta

Leia mais

Sumário. Introdução 3 Educação Superior: Brasil 5. Educação Superior: Rio de Janeiro 13. Perfil das Regiões Administrativas: Região Metropolitana 21

Sumário. Introdução 3 Educação Superior: Brasil 5. Educação Superior: Rio de Janeiro 13. Perfil das Regiões Administrativas: Região Metropolitana 21 Sumário Introdução 3 Educação Superior: Brasil 5 Número de Instituições de Ensino Superior no Brasil 6 Distribuição de Matrículas por Estado Cursos de Graduação Presenciais nas Redes Privada e Pública

Leia mais

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro - 2010 Sumário Apresentação 1 - Perfil da Localidade.... 4 1.1 Demografia e Território.... 4 1.1.1 Informações Socioeconômicas

Leia mais

I. INTRODUÇÃO OUTRAS INFORMAÇÕES

I. INTRODUÇÃO OUTRAS INFORMAÇÕES 1 SUMÁRIO I. Introdução... 3 II. Informações Gerais... 3 Público Alvo... 3 Matrícula (Informatizada)... 3 Matrícula (Direto na escola)... 3 Outras Informações...3 III. Acessando o sistema... 5 IV. Como

Leia mais

RESOLUÇÃO/CERHI-RJ Nº 18 DE 08 DE NOVEMBRO DE 2006 APROVA A DEFINIÇÃO DAS REGIÕES HIDROGRÁFICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.

RESOLUÇÃO/CERHI-RJ Nº 18 DE 08 DE NOVEMBRO DE 2006 APROVA A DEFINIÇÃO DAS REGIÕES HIDROGRÁFICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. RESOLUÇÃO/CERHI-RJ Nº 18 DE 08 DE NOVEMBRO DE 2006 APROVA A DEFINIÇÃO DAS REGIÕES HIDROGRÁFICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. O CONSELHO ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

RETRATO DA QUALIDADE DA ENERGIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

RETRATO DA QUALIDADE DA ENERGIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Julho/2017 RETRATO DA QUALIDADE DA ENERGIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Energia elétrica é um insumo fundamental para o desenvolvimento socioeconômico e industrial. O acesso a esse insumo com qualidade,

Leia mais

Tarifa do Serviço de Transporte Complementar. 10% acima do serviço de transporte regular

Tarifa do Serviço de Transporte Complementar. 10% acima do serviço de transporte regular Tarifa do Serviço de Transporte Complementar. 10% acima do serviço de transporte regular REGIÃO METROPOLITANA LINHA: M500 ALCÂNTARA - ALDEIA DA PRATA TARIFA BILHETE ÚNICO R$ 2,75 LINHA: M501 ALCÂNTARA

Leia mais

Situação de estados e municípios em relação à meta nacional

Situação de estados e municípios em relação à meta nacional Construindo as Metas Situação de estados e municípios em relação à meta nacional Região: Sudeste; UF: Mesorregião: Município: Angra dos Reis; Aperibé; Araruama; Areal; Armação dos Búzios; Arraial do Cabo;

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO SOMANDO FORÇAS Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO Localização: Região Sudeste 57% do PIB Nacional Área: 43.696

Leia mais

2 Estudo de Caso Descrição da Empresa

2 Estudo de Caso Descrição da Empresa 2 Estudo de Caso Descrição da Empresa A Companhia estudada é uma empresa distribuidora de energia elétrica. Uma sociedade anônima de capital aberto, concessionária de Serviço Público de Energia Elétrica,

Leia mais

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro - 2010 Lista de Abreviaturas e Siglas FOB Significa livre a bordo (free on board) o vendedor encerra suas obrigações quando a mercadoria

Leia mais

IFGF 2016 Análise Especial Rio de Janeiro

IFGF 2016 Análise Especial Rio de Janeiro IFGF 2016 Análise Especial Rio de Janeiro A edição 2016 do Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF) mais uma vez joga luz sobre a situação das contas públicas municipais. Construído exclusivamente com base

Leia mais

EMPRESA DE ASSISTENCIA TECNICA E EXTENSAO RURAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESCA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

EMPRESA DE ASSISTENCIA TECNICA E EXTENSAO RURAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESCA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UF Municipio RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Aperibé RJ Aperibé CNPJ Razão Social FUNDAÇÃO INSTITUTO DE DO ESTADO DO RIO DE

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado do Ambiente - SEA Instituto Estadual do Ambiente - INEA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado do Ambiente - SEA Instituto Estadual do Ambiente - INEA GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado do Ambiente - SEA Instituto Estadual do Ambiente - INEA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO R3-A TEMAS

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DENGUE 006/2016

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DENGUE 006/2016 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE DOENÇAS

Leia mais

Coordenadoria Regional Metropolitana I E/CR19.R. Coordenadoria Regional Metropolitana II E/CR23.R. Coordenadoria Regional Metropolitana III E/CR26.

Coordenadoria Regional Metropolitana I E/CR19.R. Coordenadoria Regional Metropolitana II E/CR23.R. Coordenadoria Regional Metropolitana III E/CR26. Coordenadoria Regional Metropolitana I E/CR19.R Endereço: Rua: Profª Venina Correa Torres, nº 41 Bairro: Centro Município: Nova Iguaçu CEP: 26.220-100 Abrangência: Nova Iguaçu, Japeri, Mesquita, Nilópolis,

Leia mais

Acompanhamento do Mercado Formal de Trabalho Fluminense - Resultados Evolução do Emprego Formal (Saldo anual em milhares)

Acompanhamento do Mercado Formal de Trabalho Fluminense - Resultados Evolução do Emprego Formal (Saldo anual em milhares) nº 0 Acompanhamento do Mercado Formal de Trabalho Fluminense - Resultados Em, a desaceleração da atividade econômica teve reflexos diretos sobre o mercado de trabalho formal. No ano passado foram gerados

Leia mais

LEI Nº DE 19 DE JUNHO DE 2015.

LEI Nº DE 19 DE JUNHO DE 2015. LEI Nº 2.594 DE 19 DE JUNHO DE 2015. Regulamenta a concessão de diárias e cotas de traslado aos servidores (as) ou ocupantes de cargo comissionado da Câmara Municipal de Sapucaia, Estado do Rio de Janeiro,

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO ARBOVIROSES Nº 008/2016

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO ARBOVIROSES Nº 008/2016 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE DOENÇAS

Leia mais

Dados dos Distritos do Estado do Rio de Janeiro

Dados dos Distritos do Estado do Rio de Janeiro Dados dos Distritos do Estado do Rio de Janeiro Mapa Social Ranking Anos Médios de Estudo Os cinco mais Niterói i (Niterói) i) 7,94 Itaipu (Niterói) i) 7,78 Rio de Janeiro (Rio de Janeiro) 6,87 Unidade

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 002/2014

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 002/2014 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 2/214 Gerência de Doenças Imunopreveníveis

Leia mais

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO E TRANSPORTES

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO E TRANSPORTES VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO E TRANSPORTES Orientador Empresarial Serviços de Transporte Complementar em Veículos de Baixa Capacidade-Estado do RJ:

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 005/2016 Gerência de Doenças Transmitidas por Vetores e Zoonoses

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 005/2016 Gerência de Doenças Transmitidas por Vetores e Zoonoses SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Leia mais

RESULTADOS E DISCUSSÃO

RESULTADOS E DISCUSSÃO RESULTADOS E DISCUSSÃO 72 O baixo número de indicadores nas dimensões espacial e ecológica reflete a pouca disponibilidade de dados relacionados. Contudo, os temas analisados nessas dimensões estão estritamente

Leia mais

EMISSORAS DE RÁDIOS e TVS. Perfil / Área de Abrangência / Melhor programa / melhor apresentador Tabela de Preços. Outubro_2016.

EMISSORAS DE RÁDIOS e TVS. Perfil / Área de Abrangência / Melhor programa / melhor apresentador Tabela de Preços. Outubro_2016. EMISSORAS DE RÁDIOS e TVS. Perfil / Área de Abrangência / Melhor programa / melhor apresentador Tabela de Preços. Outubro_ Emissoras do Rio de Janeiro - Tráfego. Itaperuna AM Light FM Bom Jesus AM Mania

Leia mais

Informe Epidemiológico 076/2017

Informe Epidemiológico 076/2017 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL Informe Epidemiológico 076/2017 Centro de Informações Estratégicas

Leia mais

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro.

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro. Circular 16/2015 Rio de Janeiro, 16 de abril de 2015. Ref: Orientações para o Recolhimento da Contribuição Sindical Ilmo Provedor / Presidente / Diretor A contribuição sindical está prevista nos artigos

Leia mais

O impacto econômico do roubo de cargas no estado do Rio de Janeiro

O impacto econômico do roubo de cargas no estado do Rio de Janeiro Fevereiro/2017 O impacto econômico do roubo de cargas no estado do Rio de Janeiro A economia brasileira tem sido fortemente afetada pelo aumento do número de roubos de cargas no país. Este crime afeta

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Setembro, Outubro e Novembro de François E. J. de Bremaeker Salvador, setembro de A Associação Transparência Municipal (ATM) é uma instituição brasileira sem

Leia mais

necessidades habitacionais

necessidades habitacionais i m necessidades habitacionais CIDE CentrodeInformaçõese Dados doriodejaneiro FAZENDONOSSOPOVOMAISFELIZ CIDE Centro de Informações e Dados do Rio de Janeiro i m necessidades habitacionais ÍNDICE DE QUALIDADE

Leia mais

CONVENÇÕES COLETIVAS EMPREGADOS EM CONDOMÍNIOS. Sindicato Profissional Base Territorial PISO CCT PISO REGIONAL 1. Sind. Empreg. Edifícios Teresópolis

CONVENÇÕES COLETIVAS EMPREGADOS EM CONDOMÍNIOS. Sindicato Profissional Base Territorial PISO CCT PISO REGIONAL 1. Sind. Empreg. Edifícios Teresópolis CONVENÇÕES COLETIVAS EMPREGADOS EM CONDOMÍNIOS Sindicato Profissional Base Territorial PISO CCT PISO REGIONAL 1. Sind. Empreg. Edifícios Teresópolis Teresópolis a) R$ 500,00 (quinhentos reais): Porteiro,

Leia mais

Deliberação CIB nº 1936 de 09 de Agosto de 2012 Republicada. SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE COMISSÃO INTERGESTORES BIPARTITE ATO DO PRESIDENTE

Deliberação CIB nº 1936 de 09 de Agosto de 2012 Republicada. SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE COMISSÃO INTERGESTORES BIPARTITE ATO DO PRESIDENTE 16/07/2015 CIB RJ Comissão Intergestores Bipartite do Estado do Rio de Janeiro Deliberação CIB nº 1936 de 09 de Agosto de 2012 Republicada. Imprimir Deliberação CIB nº 1936 de 09 de Agosto de 2012 Republicada.

Leia mais

5ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES

5ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES 5ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES Art. 1º - São objetivos da 5ª Conferência Estadual das Cidades: I - propor a interlocução entre autoridades

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 009/2015

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 009/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE DOENÇAS

Leia mais

Abrangência. Niterói Petrópolis Teresópolis Nova Friburgo Armação dos Búzios Cabo Frio Arraial do Cabo Rio das Ostras Macaé Casimiro de Abreu

Abrangência. Niterói Petrópolis Teresópolis Nova Friburgo Armação dos Búzios Cabo Frio Arraial do Cabo Rio das Ostras Macaé Casimiro de Abreu Apresentação: Lançado pelo SEBRAE RJ, é um roteiro turístico composto por 10 municípios do Estado do Rio de Janeiro; 3 Regiões turísticas: Metropolitana, Serra Verde Imperial, Costa do Sol - integradas

Leia mais

Tabela 1 - Dados Operacionais dos Sistemas Isolados de Abastecimento de Água das Sedes Municipais

Tabela 1 - Dados Operacionais dos Sistemas Isolados de Abastecimento de Água das Sedes Municipais Tabela 1 Dados Operacionais dos Sistemas Isolados de Abastecimento de Água das Sedes Municipais Nome Aduzida Nome da / UT/ Angra dos Reis Barragem Banqueta (afluente de Rio Japuíba) 22 57'31,3" 44 16'21,9"

Leia mais

Matemática Aplicada ao Direito: Um estudo de caso. Prevenção, Tratamento e Redução de Litígios de Consumo no Setor Elétrico

Matemática Aplicada ao Direito: Um estudo de caso. Prevenção, Tratamento e Redução de Litígios de Consumo no Setor Elétrico Matemática Aplicada ao Direito: Um estudo de caso Prevenção, Tratamento e Redução de Litígios de Consumo no Setor Elétrico AS DEMANDAS JUDICIAIS ILUSTRATIVO Custo anual: 90 milhões Estoque: 35 mil ações

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro em 2013 FEVEREIRO DE 2014 RESUMO O país criou 730.687 novos postos de trabalho em 2013, desempenho este 16% menor do que o apresentado em 2012. No

Leia mais

Subnotificação de acidentes por animais peçonhentos registrados pelo SINAN no Estado do Rio de Janeiro no período de 2001 a 2005*

Subnotificação de acidentes por animais peçonhentos registrados pelo SINAN no Estado do Rio de Janeiro no período de 2001 a 2005* Subnotificação de acidentes por animais peçonhentos registrados pelo SINAN no Estado do Rio de Janeiro no período de 2001 a 2005* Underreporting of accidents with venomous animals registered by SINAN in

Leia mais

CONTRASTES ENTRE A METRÓPOLE E O INTERIOR FLUMINENSE A PARTIR DA DINÂMICA POPULACIONAL

CONTRASTES ENTRE A METRÓPOLE E O INTERIOR FLUMINENSE A PARTIR DA DINÂMICA POPULACIONAL CONTRASTES ENTRE A METRÓPOLE E O INTERIOR FLUMINENSE A PARTIR DA DINÂMICA POPULACIONAL CONSIDERATIONS ON RIO DE JANEIRO STATE S POPULATION DYNAMICS: CONTRASTS BETWEEN METROPOLIS AND HINTERLAND Dr. Miguel

Leia mais

EDITAL. II O Concurso destina-se ao preenchimento de 200 vagas, bem como daquelas que surgirem no decorrer do prazo de validade do Concurso.

EDITAL. II O Concurso destina-se ao preenchimento de 200 vagas, bem como daquelas que surgirem no decorrer do prazo de validade do Concurso. DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO COORDENAÇÃO GERAL DO ESTÁGIO FORENSE 40º CONCURSO PARA ADMISSÃO AO ESTÁGIO FORENSE DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EDITAL A Coordenadora

Leia mais

Boletim Informativo. Atenção Integral às Pessoas com Doença Falciforme no Estado do Rio de Janeiro. Introdução. O Programa Primeiros Passos

Boletim Informativo. Atenção Integral às Pessoas com Doença Falciforme no Estado do Rio de Janeiro. Introdução. O Programa Primeiros Passos Dezembro de 2014 HEMORIO ASSESSORIA HEMORREDE Boletim Informativo Atenção Integral às Pessoas com Doença Falciforme no Estado do Rio de Janeiro Introdução O Hemocentro Coordenador do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

ANEXO III - RELAÇÃO DAS COORDENADORIAS REGIONAIS

ANEXO III - RELAÇÃO DAS COORDENADORIAS REGIONAIS ANEXO III - RELAÇÃO DAS COORDENADORIAS REGIONAIS COORDENADORIAS REGIONAIS Noroeste Fluminense I Noroeste Fluminense II Noroeste Fluminense III Norte Fluminense I BOM JESUS DE ITABAPOANA (SEDE) Natividade,

Leia mais

A V. vota aqui em (CIDADE PESQUISADA) e pretende votar nas eleições deste ano, ou não? Metropolitana do Rio/Niterói-Manilha

A V. vota aqui em (CIDADE PESQUISADA) e pretende votar nas eleições deste ano, ou não? Metropolitana do Rio/Niterói-Manilha Data: Rua Coronel Gomes Machado, nº 192 Centro Niterói/RJ Nº Questionário: Proposta Nº: Questionário: Amostra: 1466 1.300 Nome: Endereço: Projeto: 8ª ELEIÇÕES / GOVERNADOR 2014 ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

COMARCAS DO INTERIOR. NITERÓI, SÃO GONÇALO, MARICÁ e ITABORAÍ Alcântara - 2ª Promotoria de Justiça de Alcântara 05 (sábado)

COMARCAS DO INTERIOR. NITERÓI, SÃO GONÇALO, MARICÁ e ITABORAÍ Alcântara - 2ª Promotoria de Justiça de Alcântara 05 (sábado) COMARCAS DO INTERIOR NITERÓI, SÃO GONÇALO, MARICÁ e ITABORAÍ Alcântara - 2ª Promotoria de Justiça de Alcântara Voluntário: Érika da Rocha Figueiredo Alcântara Promotoria de Justiça junto à 1ª Vara 06 (domingo)

Leia mais

SEFAZ-RJ NOTA TÉCNICA. Receita Declarada e Informada: Análise de uma Amostra de Estabelecimentos do Estado do Rio de Janeiro

SEFAZ-RJ NOTA TÉCNICA. Receita Declarada e Informada: Análise de uma Amostra de Estabelecimentos do Estado do Rio de Janeiro SEFAZ-RJ NOTA TÉCNICA Receita Declarada e Informada: Análise de uma Amostra de Estabelecimentos do Estado do Rio de Janeiro 13 de Novembro de 2007 Receita Declarada e Informada: Análise de uma Amostra

Leia mais

SINAL FECHADO: CUSTO ECONÔMICO DO TEMPO DE DESLOCAMENTO PARA O TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO

SINAL FECHADO: CUSTO ECONÔMICO DO TEMPO DE DESLOCAMENTO PARA O TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO SINAL FECHADO: CUSTO ECONÔMICO DO TEMPO DE DESLOCAMENTO PARA O TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO Carlos Eduardo Frickmann Young (GEMA- IE/UFRJ; young@ie.ufrj.br) Camilla Aguiar (GEMA-

Leia mais

Indicadores das Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio de Janeiro - IMPE

Indicadores das Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio de Janeiro - IMPE Indicadores das Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio de Janeiro - IMPE Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Estado do Rio de Janeiro SEBRAE/RJ Divulgação dos Resultados de Janeiro de

Leia mais

Coordenação de Vigilância em Saúde e Laboratórios de Referência

Coordenação de Vigilância em Saúde e Laboratórios de Referência Coordenação de Vigilância em Saúde e Laboratórios de Referência Seminário oficina conjunta UNASUR/ CPLP de atualização científica e tecnológica sobre febre amarela e outras arboviroses emergentes e re-emergentes

Leia mais

PESQUISA ELEITORAL RIO DE JANEIRO AGOSTO/2014

PESQUISA ELEITORAL RIO DE JANEIRO AGOSTO/2014 PESQUISA ELEITORAL RIO DE JANEIRO AGOSTO/2014 2 1. COMO FOI FEITA A PESQUISA... 5 2. RESPOSTAS... 7 2.1. ESTE ANO TEREMOS ELEIÇÃO PARA PRESIDENTE E GOVERNADOR, SENADOR E DEPUTADOS. EM QUAL DESTES CANDIDATOS

Leia mais

CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ C129 Caderno de turismo do Estado do Rio de Janeiro : passaporte para o desenvolvimento do Estado / [João Carlos Gomes, organização].

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PANORAMA ECONÔMICO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PANORAMA ECONÔMICO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PANORAMA ECONÔMICO Maio/2015 Investidores Municípios Geolocalização Soluções tributárias Suporte na implantação e na ampliação Criação de Distritos Industriais Projetos especiais

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. Presidente DESEMBARGADOR LUIZ ZVEITER. Vice - Presidente DESEMBARGADORA LETICIA DE FARIA SARDAS

Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. Presidente DESEMBARGADOR LUIZ ZVEITER. Vice - Presidente DESEMBARGADORA LETICIA DE FARIA SARDAS Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro Presidente DESEMBARGADOR LUIZ ZVEITER Vice - Presidente DESEMBARGADORA LETICIA DE FARIA SARDAS Corregedor JUIZ ANTONIO AUGUSTO DE TOLEDO GASPAR Diretora -

Leia mais

GEOLOGIA PRINCIPAIS ÁREAS DE ATUAÇÃO DO DRM - RJ MINERAÇÃO & DESENVOLVIMENTO RISCOS GEOLÓGICOS GEOLOGIA BÁSICA E APLICADA PETRÓLEO&GÁS HIDROGEOLOGIA

GEOLOGIA PRINCIPAIS ÁREAS DE ATUAÇÃO DO DRM - RJ MINERAÇÃO & DESENVOLVIMENTO RISCOS GEOLÓGICOS GEOLOGIA BÁSICA E APLICADA PETRÓLEO&GÁS HIDROGEOLOGIA PRINCIPAIS ÁREAS DE ATUAÇÃO DO DRM - RJ DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DISSEMINAÇÃO DO CONHECIMENTO MINERAÇÃO & DESENVOLVIMENTO RISCOS GEOLÓGICOS GEOLOGIA BÁSICA E APLICADA GEOLOGIA PETRÓLEO&GÁS HIDROGEOLOGIA

Leia mais

SUA ÁGUA É LEGAL? FALE COM O INEA NA SUA CASA OU EMPRESA VOCÊ USA ÁGUA DE POÇO, RIO, LAGOA, CÓRREGO, RESERVATÓRIO OU NASCENTE?

SUA ÁGUA É LEGAL? FALE COM O INEA NA SUA CASA OU EMPRESA VOCÊ USA ÁGUA DE POÇO, RIO, LAGOA, CÓRREGO, RESERVATÓRIO OU NASCENTE? FALE COM O INEA SEDE Av. Venezuela, 110 - Saúde Rio de Janeiro - RJ - CEP 20081-312 DISQUE AMBIENTE Informações gerais sobre as atividades do Instituto Tel.: (21) 2332-4604 Atendimento: de 2ª a 6ª feira,

Leia mais

SISTEMA CONFEA/CREA O

SISTEMA CONFEA/CREA O PARQUES DE DIVERSÃO INTRODUÇÃO SISTEMA CONFEA/CREA O Sistema Confea/Crea é composto por um Conselho Federal e vinte e sete Conselhos Regionais, autarquias federais, que tem por objetivo orientar, verificar

Leia mais

Resolução Normativa RN 259

Resolução Normativa RN 259 Resolução Normativa RN 259 (Publicada em 17/06/11, alterada pela RN 268 de 20/10/11 e complementada pela IN/DIPRO nº n 37 de 07/12/11) Gerência de Regulação 27 de janeiro de 2012 Apresentação da Norma

Leia mais

Pobreza extrema no Rio de Janeiro: Uma espacialização alternativa *

Pobreza extrema no Rio de Janeiro: Uma espacialização alternativa * SONIA ROCHA / ROBERTO CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE 63 Pobreza extrema no Rio de Janeiro: Uma espacialização alternativa * Sonia Rocha** Roberto Cavalcanti de Albuquerque*** Resumo Este texto tem um duplo

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO RIO DE JANEIRO COORDENAÇÃO GERAL DO ESTÁGIO FORENSE 42º CONCURSO PARA ADMISSÃO AO ESTÁGIO FORENSE EDITAL

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO RIO DE JANEIRO COORDENAÇÃO GERAL DO ESTÁGIO FORENSE 42º CONCURSO PARA ADMISSÃO AO ESTÁGIO FORENSE EDITAL DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO RIO DE JANEIRO COORDENAÇÃO GERAL DO ESTÁGIO FORENSE 42º CONCURSO PARA ADMISSÃO AO ESTÁGIO FORENSE EDITAL A COORDENADORA GERAL DO ESTÁGIO FORENSE, no uso de suas atribuições

Leia mais

I OLIMPÍADA DA OABRJ 2016

I OLIMPÍADA DA OABRJ 2016 CEE COMISSÃO DE EVENTOS ESPORTIVOS I OLIMPÍADA DA OABRJ 2016 A I Olimpíada da OABRJ promoverá 3 modalidades de esporte: Futebol, Futevolei e Volei feminino. FUTEBOL SOCIETY MASCULINO (7 + Goleiro) REGULAMENTO

Leia mais

Seminário Planejamento Estratégico do IFRJ. Trajetória e perspectiva econômica do Estado do Rio de Janeiro: Suas macrorregiões e o papel dos APLs

Seminário Planejamento Estratégico do IFRJ. Trajetória e perspectiva econômica do Estado do Rio de Janeiro: Suas macrorregiões e o papel dos APLs Seminário Planejamento Estratégico do IFRJ Trajetória e perspectiva econômica do Estado do Rio de Janeiro: Suas macrorregiões e o papel dos APLs Variação da participação relativa das unidades federativas

Leia mais

Companhia Estadual de Águas e Esgotos. EDITAL DE AUDIÊNCIA PÚBLICA nº 001/2016

Companhia Estadual de Águas e Esgotos. EDITAL DE AUDIÊNCIA PÚBLICA nº 001/2016 Companhia Estadual de Águas e Esgotos EDITAL DE AUDIÊNCIA PÚBLICA nº 001/2016 A Presidência da Companhia Estadual de Águas e Esgoto - CEDAE no uso de suas atribuições comunica aos interessados que em cumprimento

Leia mais

VI CONGRESSO ABAR Rio de Janeiro

VI CONGRESSO ABAR Rio de Janeiro VI CONGRESSO ABAR Rio de Janeiro - 2009 Estabelecimento de Critérios e de Mecanismos para Regulação da Situação atual da destinação final de resíduos no Estado do Rio de Janeiro 92 Municípios Aproximadamente

Leia mais

Custo Econômico do Tempo de Deslocamento para o Trabalho na Região Metropolitana do Rio de Janeiro

Custo Econômico do Tempo de Deslocamento para o Trabalho na Região Metropolitana do Rio de Janeiro Carlos Eduardo Frickmann Young, Camilla Aguiar, Elisa Possas - 9 Custo Econômico do Tempo de Deslocamento para o Trabalho na Região Metropolitana do Rio de Janeiro Carlos Eduardo Frickmann Young* Camilla

Leia mais

ECONOMIC DEVELOPMENT, ENERGY, INDUSTRY AND SERVICES STATE SECRETARIAT RIO DE JANEIRO STATE: ECONOMIC OVERVIEW

ECONOMIC DEVELOPMENT, ENERGY, INDUSTRY AND SERVICES STATE SECRETARIAT RIO DE JANEIRO STATE: ECONOMIC OVERVIEW ECONOMIC DEVELOPMENT, ENERGY, INDUSTRY AND SERVICES STATE SECRETARIAT RIO DE JANEIRO STATE: ECONOMIC OVERVIEW de Janeiro that you already know have heard about... ...and the Rio de Janeiro that you should

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ATOS DO DEFENSOR PÚBLICO GERAL DE

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ATOS DO DEFENSOR PÚBLICO GERAL DE 1 DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ATOS DO DEFENSOR PÚBLICO GERAL DE 23.05.2013 APROVA a Tabela de Plantão dos Defensores Públicos para o mês de JUNHO DE 2013, nos termos da RESOLUÇÃO nº

Leia mais

EDITAL REGIÃO E COMARCAS

EDITAL REGIÃO E COMARCAS DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO COORDENAÇÃO GERAL DO ESTÁGIO FORENSE E RESIDÊNCIA JURÍDICA 45º CONCURSO PARA ADMISSÃO AO ESTÁGIO FORENSE EDITAL A Coordenadora Geral do Estágio e Residência

Leia mais

CONCEITOS E TERMINOLOGIA DAS CARTAS DE RISCO QUE SE IMPUSERAM NA GESTÃO DO RISCO A ESCORREGAMENTOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CONCEITOS E TERMINOLOGIA DAS CARTAS DE RISCO QUE SE IMPUSERAM NA GESTÃO DO RISCO A ESCORREGAMENTOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CONCEITOS E TERMINOLOGIA DAS CARTAS DE RISCO QUE SE IMPUSERAM NA GESTÃO DO RISCO A ESCORREGAMENTOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Ingrid Lima e Claudio Amaral DRM-RJ 1 Introdução Os desastres associados a

Leia mais

O estado do Rio de Janeiro no Censo 2010

O estado do Rio de Janeiro no Censo 2010 O estado do Rio de Janeiro no Censo 2010 Documento preliminar Coordenação: Luiz Cesar Ribeiro Responsável: Érica Tavares da Silva Colaboração: Juciano Rodrigues e Arthur Molina 1 P á g i n a Introdução

Leia mais

TABELA DAS PROMOTORIAS COM ATRIBUIÇÃO EM EDUCAÇÃO atualizada em jul/2015

TABELA DAS PROMOTORIAS COM ATRIBUIÇÃO EM EDUCAÇÃO atualizada em jul/2015 TABELA DAS PROMOTORIAS COM ATRIBUIÇÃO EM EDUCAÇÃO atualizada em jul/2015 s Centro Regional de Apoio Administrativo Institucional MUNICÍPIOS Promotorias de Justiça ÚNICAS, CÍVEIS e de Proteção à INFÂNCIA

Leia mais

Municípios em Dados. SUBSECRETÁRIA DE PLANEJAMENTO Cláudia Uchôa Cavalcanti

Municípios em Dados. SUBSECRETÁRIA DE PLANEJAMENTO Cláudia Uchôa Cavalcanti Municípios em Dados SUBSECRETÁRIA DE PLANEJAMENTO Cláudia Uchôa Cavalcanti Equipe da Dimensão Territorial do Planejamento: Haidine da Silva Barros Duarte Francisco Filomeno Abreu Neto Paulo Cesar Figueredo

Leia mais

IMPE INDICADORES DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RESULTADOS DE MAIO DE 2007

IMPE INDICADORES DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RESULTADOS DE MAIO DE 2007 IMPE INDICADORES DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RESULTADOS DE MAIO DE 2007 Rio de Janeiro, 10 de julho de 2007 ÍNDICE ÍNDICE...1 1 Introdução...2 2 Índice de Desempenho (IDES)

Leia mais

RIO DE JANEIRO Nome Número Localidade

RIO DE JANEIRO Nome Número Localidade RIO DE JANEIRO Nome Número Localidade ANGRA DOS REIS 460 ANGRA DOS REIS ARARUAMA 893 ARARUAMA AREAL 2941 AREAL ARMACAO DOS BUZIOS 1592 ARMACAO DOS BUZIOS ARRAIAL DO CABO 3839 ARRAIAL DO CABO BARRA DO PIRAI

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 42, DE 23 DE AGOSTO DE 2011 TÍTULO I NORMAS GERAIS

RESOLUÇÃO Nº 42, DE 23 DE AGOSTO DE 2011 TÍTULO I NORMAS GERAIS RESOLUÇÃO Nº 42, DE 23 DE AGOSTO DE 2011 Dispõe sobre a competência territorial e em razão da matéria da Justiça Federal da 2ª Região A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO, no uso de suas

Leia mais

Palavras-chave: localidades centrais; rede urbana; hierarquia urbana; nordeste fluminense, centralidades

Palavras-chave: localidades centrais; rede urbana; hierarquia urbana; nordeste fluminense, centralidades Revista Geográfica de América Central Número Especial EGAL, 2011- Costa Rica II Semestre 2011 pp. 1-15 O PAPEL DOS CENTROS URBANOS NA REDE DE LOCALIDADES CENTRAIS FLUMINENSE: CAMPOS DOS GOYTACAZES, MACAÉ

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. RESOLUÇÃO Nº TRF2-RSP-2016/00021 de 8 de julho de 2016

PODER JUDICIÁRIO. RESOLUÇÃO Nº TRF2-RSP-2016/00021 de 8 de julho de 2016 RESOLUÇÃO Nº TRF2-RSP-2016/00021 de 8 de julho de 2016 O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, considerando as razões expendidas na decisão

Leia mais

Águas & Território. Boletim. nº5 - Dezembro 2014 Publicação da Diretoria de Gestão das Águas e do Território (Digat) Agenda 21

Águas & Território. Boletim. nº5 - Dezembro 2014 Publicação da Diretoria de Gestão das Águas e do Território (Digat) Agenda 21 Boletim Águas & Território nº5 - Dezembro 2014 Publicação da Diretoria de Gestão das Águas e do Território (Digat) Agenda 21 Esta edição do Boletim Águas & Território apresenta as principais ações da Agenda

Leia mais

Eloisa Elena Torres Superintendente SEA

Eloisa Elena Torres Superintendente SEA Eloisa Elena Torres Superintendente SEA Parque Nacional de Tijuca Patrimônio Ambiental do Estado do Rio de Janeiro Juatinga Cunhambebe Araras Pedra Branca Ilha Grande Perfil de distribuição da população

Leia mais