Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 2

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 2"

Transcrição

1 Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 2

2 FICHA TÉCNICA Título: Protestos e Reclamações modelos. Eleições Legislativas 2002 Propriedade e edição: Comissão Nacional de Eleições Av. D. Carlos I, 128 7º piso LISBOA Telef Fax URL: Coordenação e revisão da presente edição: Fátima Abrantes Mendes e Paulo Madeira Concepção, redacção, grafismo e composição: Ruben Valle Santos Capa, impressão e acabamento: SOARTES artes gráficas, lda. Tiragem: exemplares distribuição gratuita Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 3

3 INTRODUÇÃO No âmbito das competências e atribuições cometidas à Comissão Nacional de Eleições em matéria de esclarecimento eleitoral cabe, por direito próprio, a de proporcionar, tanto ao agentes com intervenção directa nas eleições como aos cidadãos, condições que permitam que os actos eleitorais decorram em perfeita normalidade e no respeito pelos mais elementares valores cívicos. Para que uma e outra se verifiquem, tem importância relevante a circunstância de todos terem conhecimento de como proceder correctamente, quando da votação. É sabido que muitas situações menos claras são, nesse momento crucial da vida democrática do País, ocasionados por desconhecimento das disposições legais que protegem os referidos agentes, tal como os cidadãos eleitores, de comportamentos menos adequados e facilmente evitáveis. Na verdade, existindo o conhecimento de qual a atitude a assumir e a forma de a concretizar, tudo se torna mais fácil, transparente e, consequentemente, democrático. A questão da apresentação de protestos, pelas mais diversas razões, constitui um dos motivos de maior incomodidade, uma vez que não é de esperar que o cidadão comum se encontre de tal modo esclarecido que saiba, sempre que surge um problema no acto da votação, como apresentar o protesto que a lei prevê, de forma eficaz e em termos adequados. A Comissão Nacional de Eleições tem consciência de tais realidades, que se lhe evidenciam com maior acuidade no próprio dia da votação, por força das inúmeras solicitações, vindas de todas as regiões do País, no sentido de que preste esclarecimentos sobre qual a atitude correcta a assumir perante as diversas situações que surgem. Assim, deliberou elaborar os modelos de protestos que constituem a presente brochura, procedendo à sua difusão, a fim de que sejam integrados nos documentos distribuídos às mesas de voto, quando de actos eleitorais, e, dessa forma, estejam à disposição de quem deles venha a necessitar. Janeiro 2002 Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 4

4 ÍNDICE Mod. Assunto Pág. 1a-cne Abertura antecipada 7 2a-cne Local diverso 8 3a-cne Não constituição 9 4a-cne Votação sem mesa constituída 10 5a-cne Falta de quorum 11 6a-cne Interrupção do funcionamento 12 7a-cne Presença de não eleitores 13 8a-cne Cidadão embriagado/drogado/armado 14 Urna 9a-cne Não exibição 15 Câmara de voto e documentos da mesa 10a-cne Falta de revista 16 Delegado 11a-cne Localização 17 12a-cne Não audição 18 13a-cne Impedimento de assinatura 19 14a-cne Recusa de certidão 20 Votação 15a-cne Eleitor acompanhado 21 16a-cne Votante não inscrito 22 17a-cne Após hora de encerramento 23 Propaganda política 18a-cne Não retirada 24 Apuramento 19a-cne Contagem dos votantes 25 20a-cne Contagem dos votos da urna 26 21a-cne Reintrodução dos boletins 27 22a-cne Divergência boletins/descargas 28 23a-cne Edital com número de boletins de voto 29 24a-cne Anúncio do sentido do voto 30 25a-cne Contraprova 31 26a-cne Publicitação dos resultados 32 Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 5

5 N.B. Ressalvados os casos que se referem a operações a que apenas podem estar presentes os membros das mesas e os delegados das listas, ou que só às funções destes reportem, os protestos podem ser apresentados por qualquer eleitor. A recusa do recebimento de reclamação, protesto ou contraprotesto, por parte da mesa, configura a prática de um ilícito penal eleitoral, art.º 160º da Lei 14/79 de 16 de Maio. Pelo que, o eleitor a quem foi recusado o referido recebimento tem a possibilidade de participar essa ocorrência junto dos serviços do Ministério Público da respectiva Comarca. Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 6

6 mod 1a - cne ( abertura antecipada ) (nome) na qualidade de - a assembleia de voto / secção de voto ter sido constituída antes da hora legal (8h). - art.ºs 41º, 48º n.º 1 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 7

7 mod 2a - cne ( local diverso ) (nome) na qualidade de - a secção de voto ter sido constituída em local diverso do determinado. - art.º 48º n.º 1 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 8

8 mod 3a - cne ( não constituição ) (nome) na qualidade de - não ter sido constituída a secção de voto, nada o impedindo. - art.ºs 48º n.º 1, 2 e 3 e 49º da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 9

9 mod 4a - cne ( votação sem mesa constituída ) (nome) na qualidade de - ter havido votação sem que a mesa estivesse legalmente constituída. - art.ºs 48º n.º 1, 49º e 90º n.º 1 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 10

10 mod 5a - cne ( falta de quorum ) (nome) na qualidade de - a mesa ter funcionado sem o mínimo legal de membros. - art.º 49º n.º 2 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 11

11 mod 6a - cne ( interrupção do funcionamento ) (nome) na qualidade de - a secção de voto não ter funcionado entre as e as horas. - art.º 89º n.º 1 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 12

12 mod 7a - cne ( presença de não eleitores ) (nome) na qualidade de - não terem sido mandados retirar da secção de voto os não eleitores. - art.º 93º da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 13

13 mod 8a - cne ( cidadão embriagado / drogado / armado ) (nome) na qualidade de - ter sido admitido na secção de voto cidadão embriagado/drogado/armado. - art.º 91º n.º 2 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 14

14 mod 9a - cne Urna ( não exibição ) (nome) na qualidade de - não ter sido exibida a urna na abertura da votação. - art.º 86º n.º 1 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 15

15 mod 10a - cne Câmara de voto e documentos da mesa ( falta de revista ) (nome) na qualidade de - não ter sido feita revista à câmara de voto e aos documentos de trabalho da mesa. - art.º 86º n.º 1 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 16

16 mod 11a - cne Delegado ( localização ) (nome) na qualidade de delegado da candidatura - ter sido impedido de ocupar lugar que lhe permita fiscalizar todas as operações de votação/apuramento. - art.º 50º n.º 1 a) da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 17

17 mod 12a - cne Delegado ( não audição ) (nome) na qualidade de delegado da candidatura - não ter sido ouvido sobre questão(ões) suscitada(s) durante a votação/apuramento. - art.º 50º n.º 1 c) da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 18

18 mod 13a - cne Delegado ( impedimento de assinatura ) (nome) na qualidade de delegado da candidatura - ter sido impedido de assinar a acta e de rubricar os documentos. - art.º 50º n.º 1 e) da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 19

19 mod 14a - cne Delegado ( recusa de certidão ) (nome) na qualidade de delegado da candidatura - lhe ter sido recusada certidão sobre as operações de votação / apuramento. - art.º 50º n.º 1 f) da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 20

20 mod 15a - cne Votação ( eleitor acompanhado ) (nome) na qualidade de - ter sido recusado voto acompanhado a eleitor deficiente notório. - art.º 97º n.º 1 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 21

21 mod 16a - cne Votação ( votante não inscrito ) (nome) na qualidade de - ter sido admitido o voto de eleitor não constante dos cadernos. - art.º 83º da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 22

22 mod 17a - cne Votação ( após hora de encerramento ) (nome) na qualidade de - ter sido admitida, após o encerramento da secção de voto, a entrada de eleitores para votar. - art.º 89º n.º 2 e 3 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 23

23 mod 18a - cne Propaganda política ( não retirada ) (nome) na qualidade de - não ter sido retirada a propaganda política existente na assembleia / fora da assembleia, até à distância de 500 metros. - art.º 92º da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 24

24 mod 19a - cne Apuramento ( contagem dos votantes ) (nome) na qualidade de - falta de contagem dos votantes pela descarga efectuada nos cadernos. - art.º 101º n.º 1 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 25

25 mod 20a - cne Apuramento ( contagem dos votos da urna ) (nome) na qualidade de - não terem sido contados os boletins de voto entrados na urna. - art.º 101º n.º 2 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 26

26 mod 21a - cne Apuramento ( reintrodução dos boletins ) (nome) na qualidade de - após a contagem, os boletins não terem sido reintroduzidos na urna. - art.º 101º n.º 2 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 27

27 mod 22a - cne Apuramento ( divergência boletins/descargas ) (nome) na qualidade de - não ter prevalecido o número de votantes apurado pelos boletins de voto entrados na urna. - art.º 101º n.º 3 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 28

28 mod 23a - cne Apuramento ( edital com o número de boletins de voto ) (nome) na qualidade de - não ter sido afixado edital com o número total de boletins de voto entrados na urna. - art.º 101º n.º 4 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 29

29 mod 24a - cne Apuramento ( anúncio do sentido do voto ) (nome) na qualidade de - não ser anunciado o sentido do voto expresso em cada boletim. - art.º 102º n.º 1 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 30

30 mod 25a - cne Apuramento ( contraprova ) (nome) na qualidade de - não ter sido feita contraprova da contagem dos votos. - art.º 102º n.º 3 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 31

31 mod 26a - cne Apuramento ( publicitação dos resultados ) (nome) na qualidade de -_ - não ter sido afixado edital com os resultados do apuramento. - art.º 102º n.º 7 da Lei 14/79, de 16 de Maio Protestos e Reclamações modelos Eleições Legislativas 2002 pág. 32

FICHA TÉCNICA. Título: Modelos de Protestos e Reclamações. Eleições Legislativas 2005

FICHA TÉCNICA. Título: Modelos de Protestos e Reclamações. Eleições Legislativas 2005 FICHA TÉCNICA Título: Modelos de Protestos e Reclamações. Eleições Legislativas 2005 Propriedade e edição: Comissão Nacional de Eleições Av. D. Carlos I, 128 7º piso 1249-065 LISBOA Telef 213 923 800 Fax

Leia mais

Protestos e Reclamações modelos. Eleição do Presidente da República 2001 pág 3

Protestos e Reclamações modelos. Eleição do Presidente da República 2001 pág 3 pág 2 Protestos e Reclamações modelos. Eleições Presidenciais 2001 Protestos e Reclamações modelos. Eleição do Presidente da República 2001 pág 3 FICHA TÉCNICA Título: Protestos e Reclamações modelos.

Leia mais

Regulamento Eleitoral da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Lagos

Regulamento Eleitoral da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Lagos Artigo 1.º Princípios eleitorais O presente regulamento disciplina o processo eleitoral com vista à eleição dos Órgãos Sociais da Associação Humanitária dos Bombeiros. Artigo 2.º Calendário eleitoral O

Leia mais

Regulamento de Eleição do Estudante Delegado do Curso Escola Superior de Artes e Design de Caldas da Rainha Instituto Politécnico de Leiria

Regulamento de Eleição do Estudante Delegado do Curso Escola Superior de Artes e Design de Caldas da Rainha Instituto Politécnico de Leiria Regulamento de Eleição do Estudante Delegado do Curso Escola Superior de Artes e Design de Caldas da Rainha Instituto Politécnico de Leiria Preâmbulo Prevê o n.º 4 do artigo 35º dos Estatutos da Escola

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS SOCIAIS, DE LEIRIA

REGULAMENTO ELEITORAL DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS SOCIAIS, DE LEIRIA REGULAMENTO ELEITORAL DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS SOCIAIS, DE LEIRIA Secção I Do Conselho Técnico-Científico Artigo 1º Composição 1. De acordo com o disposto

Leia mais

ELEIÇÕES LEGISLATIVAS - 6 de Outubro de 1991

ELEIÇÕES LEGISLATIVAS - 6 de Outubro de 1991 ELEIÇÕES LEGISLATIVAS - 6 de Outubro de 1991 Mapa-Calendário a que se refere o art.º 6 da Lei n.º 71 78,de 27 de Dezembro. Quadro Cronológico das Operações Eleitorais. Lei 14/79, de 16 de Maio. 1.-O Presidente

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL AÇORES MAPA CALENDÁRIO

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL AÇORES MAPA CALENDÁRIO ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL AÇORES MAPA CALENDÁRIO (Artº 6º da Lei nº 71/78, de 27 de Dezembro) Quadro cronológico das operações eleitorais (Decreto-Lei 267/80, de 8 de Agosto, e diplomas complementares

Leia mais

Regulamento Eleitoral para o Conselho de Gestão da Escola de Engenharia

Regulamento Eleitoral para o Conselho de Gestão da Escola de Engenharia Regulamento Eleitoral para o Conselho de Gestão da Escola de Engenharia Universidade do Minho, julho 2016 Universidade do Minho Regulamento Eleitoral para o Conselho de Gestão da Escola de Engenharia O

Leia mais

ELEIÇÕES LEGISLATIVAS DE 5 DE OUTUBRO DE Mapa Calendário a que se refere o Art.º 6º da Lei n.º 71/78 de 27 de Dezembro

ELEIÇÕES LEGISLATIVAS DE 5 DE OUTUBRO DE Mapa Calendário a que se refere o Art.º 6º da Lei n.º 71/78 de 27 de Dezembro ELEIÇÕES LEGISLATIVAS DE 5 DE OUTUBRO DE 1980 Mapa Calendário a que se refere o Art.º 6º da Lei n.º 71/78 de 27 de Dezembro Quadro Cronológico das Operações Eleitorais Lei 14/79, de 16 de Maio 1 O Presidente

Leia mais

- Esclarecimentos DIA DA ELEIÇÃO. ELEIÇÃO DOS DEPUTADOS AO PARLAMENTO EUROPEU 7 de JUNHO de 2009

- Esclarecimentos DIA DA ELEIÇÃO. ELEIÇÃO DOS DEPUTADOS AO PARLAMENTO EUROPEU 7 de JUNHO de 2009 - Esclarecimentos DIA DA ELEIÇÃO ELEIÇÃO DOS DEPUTADOS AO PARLAMENTO EUROPEU 7 de JUNHO de 2009 1 2 Índice Introdução... 5 Delegados das listas... 7 Dispensa da actividade profissional: Facilitação do

Leia mais

REGULAMENTO DA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DO CONSELHO CONSULTIVO REFERIDOS NAS ALS. D) A F) DO N.º 2 DO ART. 109.º DA LEI N. 26.º, N.

REGULAMENTO DA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DO CONSELHO CONSULTIVO REFERIDOS NAS ALS. D) A F) DO N.º 2 DO ART. 109.º DA LEI N. 26.º, N. Comarca de REGULAMENTO DA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DO CONSELHO CONSULTIVO REFERIDOS NAS ALS. D) A F) DO N.º 2 DO ART. 109.º DA LEI N.º 62/2013, DE 26 DE AGOSTO (LOSJ) E ART. 26.º, N.º 2 DO DL N.º 49/2014,

Leia mais

ELEIÇÕES LEGISLATIVAS 10 de Outubro de MAPA-CALENDÁRIO a que se refere o artº 6º da Lei nº 71/78 de 27 de Dezembro

ELEIÇÕES LEGISLATIVAS 10 de Outubro de MAPA-CALENDÁRIO a que se refere o artº 6º da Lei nº 71/78 de 27 de Dezembro ELEIÇÕES LEGISLATIVAS 10 de Outubro de 1999 MAPA-CALENDÁRIO a que se refere o artº 6º da Lei nº 71/78 de 27 de Dezembro QUADRO CRONOLÓGICO DAS OPERAÇÕES ELEITORAIS Lei 14/79, de 16 de Maio - alterada pelas

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRECTOR DO CENTRO DE INVESTIGAÇÃO EM EDUCAÇÃO

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRECTOR DO CENTRO DE INVESTIGAÇÃO EM EDUCAÇÃO REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRECTOR DO CENTRO DE INVESTIGAÇÃO EM EDUCAÇÃO Artigo 1. 0 (Âmbito) O presente Regulamento rege a eleição do Director do. Artigo 2. 0 (Eleição do Director do Centro) O Director

Leia mais

PARLAMENTO DOS JOVENS

PARLAMENTO DOS JOVENS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº2 DE ABRANTES ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 2º e 3º C.E.B. DR. MANUEL FERNANDES PARLAMENTO DOS JOVENS Regulamento Eleitoral A Comissão Eleitoral Escolar, constituída nos termos do artigo

Leia mais

REFERENDO NACIONAL. Instituição em concreto das Regiões Administrativas

REFERENDO NACIONAL. Instituição em concreto das Regiões Administrativas REFERENDO NACIONAL Instituição em concreto das Regiões Administrativas 8 Novembro 1998 Artigo 115º Referendo 1. Os cidadãos eleitores recenseados no território nacional podem ser chamados a pronunciar-se

Leia mais

Regulamento Eleitoral do Presidente e Vice-Presidentes

Regulamento Eleitoral do Presidente e Vice-Presidentes Regulamento Eleitoral do Presidente e Vice-Presidentes Artº 1º Âmbito de aplicação O presente regulamento eleitoral estabelece as normas relativas à eleição do presidente e vice-presidentes de acordo com

Leia mais

Regulamento Eleitoral da Assembleia do ISPAJ

Regulamento Eleitoral da Assembleia do ISPAJ Versão aprovada em CD de 14 de Maio de 2015 Documento Regulamento Eleitoral da Assembleia do ISPAJ Data 14/05/2015 Conselho de Direcção 14/05/2014 Data entrega Assembleia A entregar REVISÃO DO DOCUMENTO

Leia mais

A S U A T E R R A A S U A V I D A O S E U V O T O ESCLARECIMENTOS DIA DA ELEIÇÃO

A S U A T E R R A A S U A V I D A O S E U V O T O ESCLARECIMENTOS DIA DA ELEIÇÃO A S U A T E R R A A S U A V I D A O S E U V O T O ESCLARECIMENTOS DIA DA ELEIÇÃO INTRODUÇÃO O presente caderno contém esclarecimentos e orientações da CNE relativamente a situações específicas que ocorrem

Leia mais

Eleição para o Parlamento Europeu 18 de Junho de 1989

Eleição para o Parlamento Europeu 18 de Junho de 1989 COMISSÃO NACIONAL DE ELEIÇÕES (Lei n. 71/78, de 27 de Dezembro) Eleição para o Parlamento Europeu 18 de Junho de 1989 Mapa-Calendário a que se refere o Artº 6º da Lei nº 71/78, de 27 de Dezembro Quadro

Leia mais

Regulamento para a eleição dos Diretores de Departamento da Escola de Ciências da Vida e do Ambiente -ECVA-

Regulamento para a eleição dos Diretores de Departamento da Escola de Ciências da Vida e do Ambiente -ECVA- Regulamento para a eleição dos Diretores de Departamento da Escola de Ciências da Vida e do Ambiente -ECVA- Capítulo I Âmbito de aplicação e Princípios Artigo 1.º Âmbito de aplicação 1. O presente regulamento

Leia mais

Mapa Calendário Referendo Local de 25 de Janeiro de Município de Viana do Castelo MAPA CALENDÁRIO

Mapa Calendário Referendo Local de 25 de Janeiro de Município de Viana do Castelo MAPA CALENDÁRIO MAPA CALENDÁRIO REFERENDO LOCAL de 25 de Janeiro de 2009 no município de Viana do Castelo «Concorda que o município de Viana do Castelo integre a Comunidade Intermunicipal Minho-Lima?» Legislação aplicável:

Leia mais

UNIVERSIDADE DOS AÇORES

UNIVERSIDADE DOS AÇORES UNIVERSIDADE DOS AÇORES Regulamento Eleitoral para o Conselho Geral da Universidade dos Açores Artigo 1.º Âmbito O presente regulamento disciplina o processo eleitoral do conselho geral da Universidade

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º (Objecto)

REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º (Objecto) REGULAMENTO ELEITORAL Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1.º (Objecto) 1. O regulamento eleitoral, adiante designado por regulamento, estabelece, ao abrigo do disposto no artigo 25.º dos estatutos, o

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Proposta de Regulamento Eleitoral das eleições primárias abertas a militantes e simpatizantes do PS para a designação do candidato do PS ao cargo do Primeiro-Ministro CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DOS ÓRGÃOS LOCAIS DA JSD MADEIRA

REGULAMENTO ELEITORAL DOS ÓRGÃOS LOCAIS DA JSD MADEIRA REGULAMENTO ELEITORAL DOS ÓRGÃOS LOCAIS DA JSD MADEIRA Artigo 1.º É aprovado como regulamento o documento que regula as eleições dos órgãos locais regionais, nos termos seguintes: Parte I Parte geral Artigo

Leia mais

Eleição dos Órgãos das Autarquias Locais. - 9 de Outubro de Mapa Calendário

Eleição dos Órgãos das Autarquias Locais. - 9 de Outubro de Mapa Calendário Eleição dos Órgãos das Autarquias Locais - 9 de Outubro de 2005 - - Mapa Calendário Quadro Cronológico das Operações Eleitorais art. 6º da Lei 71/78, 27 Dezembro Nota: As datas indicadas constituem limites

Leia mais

REGULAMENTO DE ELEIÇÃO DAS COMISSÕES DE CURSO DAS ESCOLAS DO IPB

REGULAMENTO DE ELEIÇÃO DAS COMISSÕES DE CURSO DAS ESCOLAS DO IPB REGULAMENTO DE ELEIÇÃO DAS COMISSÕES DE CURSO DAS ESCOLAS DO IPB SECÇÃO I DEFINIÇÕES Artigo 1.º Objecto O presente regulamento define as normas aplicáveis ao processo de eleição das Comissões de Curso

Leia mais

Regulamento Eleitoral da SPOT. (aprovado na Assembleia Geral de 18 de Outubro de 2012)

Regulamento Eleitoral da SPOT. (aprovado na Assembleia Geral de 18 de Outubro de 2012) Regulamento Eleitoral da SPOT (aprovado na Assembleia Geral de 18 de Outubro de 2012) Artigo 1º O presente regulamento estabelece as regras pelas quais se regerá o processo eleitoral e a eleição dos órgãos

Leia mais

Regulamento do Processo Eleitoral dos membros representantes dos beneficiários titulares da ADSE para o Conselho Geral e de Supervisão da ADSE, I.P.

Regulamento do Processo Eleitoral dos membros representantes dos beneficiários titulares da ADSE para o Conselho Geral e de Supervisão da ADSE, I.P. Regulamento n.º X/2017 Regulamento do Processo Eleitoral dos membros representantes dos beneficiários titulares da ADSE para o Conselho Geral e de Supervisão da ADSE, I.P. Ao abrigo do disposto no artigo

Leia mais

QUADRO CRONOLÓGICO DAS OPERAÇÕES ELEITORAIS PARA A ELEIÇÃO DAS AUTARQUIAS LOCAIS DE 12 DE DEZEMBRO DE Até

QUADRO CRONOLÓGICO DAS OPERAÇÕES ELEITORAIS PARA A ELEIÇÃO DAS AUTARQUIAS LOCAIS DE 12 DE DEZEMBRO DE Até QUADRO CRONOLÓGICO DAS OPERAÇÕES ELEITORAIS PARA A ELEIÇÃO DAS AUTARQUIAS LOCAIS DE 12 DE DEZEMBRO DE 1976 DECRETO-LEI N.º 701-B/76, DE 29 de SETEMBRO Alterações: Decretos-lei n.ºs 757/76, 21 Outubro e

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DOS REPRESENTANTES DOS ESTUDANTES

REGULAMENTO ELEITORAL DOS REPRESENTANTES DOS ESTUDANTES UNIVERSIDADE DO MINHO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO REGULAMENTO ELEITORAL DOS REPRESENTANTES DOS ESTUDANTES DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO NO CONSELHO PEDAGÓGICO MARÇO DE 2011 Regulamento Eleitoral para Eleição dos

Leia mais

OET Ordem dos Engenheiros Técnicos REGULAMENTO ELEITORAL 2011

OET Ordem dos Engenheiros Técnicos REGULAMENTO ELEITORAL 2011 OET Ordem dos Engenheiros Técnicos REGULAMENTO ELEITORAL 2011 Artigo 1.º Organização 1. A organização das eleições é da competência do Conselho Directivo Nacional da ANET Associação Nacional dos Engenheiros

Leia mais

CAPÍTULO I Disposições Gerais

CAPÍTULO I Disposições Gerais Regulamento para a Eleição dos Membros do Conselho Pedagógico da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Objeto O presente regulamento

Leia mais

IPL escola superior de tecnologia e gesrão insrlruro polirécnico de leiria

IPL escola superior de tecnologia e gesrão insrlruro polirécnico de leiria insrlruro polirécnico I' REGULAMENTO ELEITORAL DO CONSELHO PEDAGÓGICO DA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA Aprovado pelo Diretor da ESTG, em 17/11/2010 (Despacho

Leia mais

Regulamento Eleitoral

Regulamento Eleitoral Largo Adelino Amaro da Costa, 5-3.º 1149-063 Lisboa PORTUGAL Telf. +351 218 814 726 Fax: +351 218 862 396 sedenacional@juventudepopular.org Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1.º (Âmbito de Aplicação)

Leia mais

Regulamento Eleitoral do Conselho Pedagógico da Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova

Regulamento Eleitoral do Conselho Pedagógico da Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova Regulamento Eleitoral do Conselho Pedagógico da Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova Artigo 1º Âmbito de Aplicação O presente regulamento destina-se à eleição dos representantes dos docentes e dos

Leia mais

INTRODUÇÃO. Com as alterações introduzidas pela Lei Orgânica n.º 1/2009, de 19 de janeiro.

INTRODUÇÃO. Com as alterações introduzidas pela Lei Orgânica n.º 1/2009, de 19 de janeiro. INTRODUÇÃO O presente caderno contém esclarecimentos e orientações da CNE relativamente a situações específicas que ocorrem no dia da eleição. A votação é a fase do processo eleitoral conducente à concretização

Leia mais

Regulamento do. Agrupamento de Escolas Pedro Eanes Lobato. Processo. Eleitoral. para o. Conselho Geral

Regulamento do. Agrupamento de Escolas Pedro Eanes Lobato. Processo. Eleitoral. para o. Conselho Geral Agrupamento de Escolas Pedro Eanes Lobato Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Geral Julho de 2017 Artigo 1º Objeto 1. O presente Regulamento aplica-se, exclusivamente, ao processo eleitoral

Leia mais

Esclarecimentos sobre o acto eleitoral para quem vota no estrangeiro

Esclarecimentos sobre o acto eleitoral para quem vota no estrangeiro Arquivo Municipal de Lisboa Arquivo Fotográfico Benoliel, Joshua Cota JBN000444 A4228 22 e 23 de Janeiro de 2011 Eleição do Presidente da República Esclarecimentos sobre o acto eleitoral para quem vota

Leia mais

REGULAMENTO DAS ASSEMBLEIAS GERAIS

REGULAMENTO DAS ASSEMBLEIAS GERAIS REGULAMENTO DAS ASSEMBLEIAS GERAIS MECODEC DEZEMBRO 2009 REGULAMENTO DAS ASSEMBLEIAS GERAIS Secção I Assembleias Gerais Eleitorais Artigo 1.º Competências da assembleia geral eleitoral 1 A assembleia geral

Leia mais

REGULAMENTO DE REFERENDO

REGULAMENTO DE REFERENDO REGULAMENTO DE REFERENDO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º - Âmbito O presente regulamento contém as normas a que deve obedecer o processo de Referendo Deve o evento Garraiada continuar no Programa

Leia mais

REGULAMENTO de ELEIÇÃO do DIRETOR da ESCOLA SUPERIOR de CIÊNCIAS EMPRESARIAIS do INSTITUTO POLITÉCNICO de SETÚBAL

REGULAMENTO de ELEIÇÃO do DIRETOR da ESCOLA SUPERIOR de CIÊNCIAS EMPRESARIAIS do INSTITUTO POLITÉCNICO de SETÚBAL REGULAMENTO de ELEIÇÃO do DIRETOR da ESCOLA SUPERIOR de CIÊNCIAS EMPRESARIAIS do INSTITUTO POLITÉCNICO de SETÚBAL Aprovado na 20ª Reunião do Conselho de Representantes da ESCE/IPS, em 18 de janeiro de

Leia mais

Regulamento eleitoral. para o CONSELHO DE ESCOLA ESCOLA DE ENGENHARIA. Universidade do Minho, Abril de 2011

Regulamento eleitoral. para o CONSELHO DE ESCOLA ESCOLA DE ENGENHARIA. Universidade do Minho, Abril de 2011 Escola de Engenharia Regulamento eleitoral para o CONSELHO DE ESCOLA da ESCOLA DE ENGENHARIA Universidade do Minho, Abril de 20 Universidade do Minho Escola de Engenharia Regulamento Eleitoral para o Conselho

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL ENA - AGÊNCIA DE ENERGIA E AMBIENTE DA ARRÁBIDA REGULAMENTO ELEITORAL --------- --------- CAPÍTULO I CONSTITUIÇÃO E FUNCIONAMENTO DA ASSEMBLEIA ELEITORAL Artº 1º Constituição da Assembleia Eleitoral A

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES NO CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALMEIRIM CAPÍTULO II PRINCÍPIOS GERAIS

REGULAMENTO ELEITORAL PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES NO CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALMEIRIM CAPÍTULO II PRINCÍPIOS GERAIS REGULAMENTO ELEITORAL PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES NO CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALMEIRIM PESSOAL DOCENTE/NÃO DOCENTE/ALUNOS CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS Artigo 1.º Âmbito de Aplicação

Leia mais

Condeixa Aqua Clube Regulamento Eleitoral Extraordinário

Condeixa Aqua Clube Regulamento Eleitoral Extraordinário Condeixa Aqua Clube Regulamento Eleitoral Extraordinário Eleição da Direcção Aprovado em 16/07/2011 De harmonia com a Lei e com o disposto no nº 2 dos Estatutos do CAC, conjugado com os artºs 19º ao 23º,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DO PORTO DE PARALISIA CEREBRAL

ASSOCIAÇÃO DO PORTO DE PARALISIA CEREBRAL ASSOCIAÇÃO DO PORTO DE PARALISIA CEREBRAL REGULAMENTO ELEITORAL Regulamento Eleitoral 2016 - appc.doc - 0 - Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º O presente Regulamento visa regular o processo eleitoral

Leia mais

Artigo 1.º. Artigo 2.º

Artigo 1.º. Artigo 2.º REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL DA MESA DA ASSEMBLEIA GERAL, DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E DO CONSELHO FISCAL DA PARCERIA PORTUGUESA PARA A ÁGUA (PPA) Artigo 1.º 1. A eleição da Mesa da Assembleia Geral,

Leia mais

ch 4 Participação sobre transporte de eleitores na freguesia dos Anjos em anexo, e deliberou, por unanimidade dos Membros presentes: ATA N.

ch 4 Participação sobre transporte de eleitores na freguesia dos Anjos em anexo, e deliberou, por unanimidade dos Membros presentes: ATA N. ch 4 COMISSÃO NACIONAL DE ELEIÇÔES ATA N. 115/XIV Teve lugar no dia vinte e nove de setembro de dois mil e treze, a reunião número cento e quinze da Comissão Nacional de Eleições, na sala de reuniões sita

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE ELEIÇÕES ATA N. 225/XIV

COMISSÃO NACIONAL DE ELEIÇÕES ATA N. 225/XIV ATA N. 225/XIV Teve lugar no dia quatro de outubro de dois mil e quinze, a reunião número duzentos e vinte e cinco da Comissão Nacional de Eleições, na sala de reuniões sita na Av. D. Carlos I, n. 128

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO CONSELHO DE REPRESENTANTES DA ESCOLA SUPERIOR DE TURISMO E TECNOLOGIA DO MAR DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA

REGULAMENTO ELEITORAL DO CONSELHO DE REPRESENTANTES DA ESCOLA SUPERIOR DE TURISMO E TECNOLOGIA DO MAR DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA REGULAMENTO ELEITORAL DO CONSELHO DE REPRESENTANTES DA ESCOLA SUPERIOR DE TURISMO E TECNOLOGIA DO MAR DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA Considerando que: A alínea b) do n.º 1 do art.º 60.º dos Estatutos

Leia mais

Agrupamento de Escolas Raul Proença

Agrupamento de Escolas Raul Proença Agrupamento de Escolas Raul Proença Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral Secção I Disposições gerais Artigo 1º Objeto O presente regulamento estabelece as condições e procedimentos

Leia mais

Artigo 1.º Composição do conselho técnico-científico. 1- Os CTC das Escolas do ISEC são constituídos, no seu primeiro mandato por 20 (vinte) membros:

Artigo 1.º Composição do conselho técnico-científico. 1- Os CTC das Escolas do ISEC são constituídos, no seu primeiro mandato por 20 (vinte) membros: REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DO CORPO DOCENTE PARA OS CONSELHOS TÉCNICO-CIENTÍFICO das ESCOLAS do INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS O presente regulamento rege a eleição para o Conselho

Leia mais

ESCLARECIMENTOS DIA DA ELEIÇÃO

ESCLARECIMENTOS DIA DA ELEIÇÃO ESCLARECIMENTOS DIA DA ELEIÇÃO 2 ESCLARECIMENTOS DIA DA ELEIÇÃO INTRODUÇÃO O presente caderno contém esclarecimentos e orientações da CNE relativamente a algumas situações específicas que ocorrem no dia

Leia mais

Regulamento Eleitoral para a eleição dos Órgãos Sociais da APM CAPÍTULO I. Dos princípios gerais. Artigo 1º. Assembleia Eleitoral

Regulamento Eleitoral para a eleição dos Órgãos Sociais da APM CAPÍTULO I. Dos princípios gerais. Artigo 1º. Assembleia Eleitoral Regulamento Eleitoral para a eleição dos Órgãos Sociais da APM CAPÍTULO I Dos princípios gerais Artigo 1º Assembleia Eleitoral 1 - Em cumprimento do disposto no capítulo sexto dos Estatutos da APM, o presente

Leia mais

ulamento Eleitoral ALADI ASSOCIAÇÃO LAVRENSE DE APOIO AO DIMINUIDO II\TELECTUAL

ulamento Eleitoral ALADI ASSOCIAÇÃO LAVRENSE DE APOIO AO DIMINUIDO II\TELECTUAL ALADI ASSOCIAÇÃO LAVRENSE DE APOIO AO DIMINUIDO II\TELECTUAL Re ulamento Eleitoral Capítulo - Disposições gerais Artigo te - Âmbito O presente regulamento contém as normas a que devem obedecer o processo

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE TURISMO E TECNOLOGIA DO MAR DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA

REGULAMENTO ELEITORAL DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE TURISMO E TECNOLOGIA DO MAR DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA REGULAMENTO ELEITORAL DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE TURISMO E TECNOLOGIA DO MAR DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA Considerando que: A alínea c) do n.º 1 do art.º 60.º dos Estatutos

Leia mais

Instituto Superior Técnico. Regulamento Eleitoral para a constituição do Conselho Pedagógico do IST. SECÇÃO I (Comissão Eleitoral)

Instituto Superior Técnico. Regulamento Eleitoral para a constituição do Conselho Pedagógico do IST. SECÇÃO I (Comissão Eleitoral) Instituto Superior Técnico Regulamento Eleitoral para a constituição do Conselho Pedagógico do IST SECÇÃO I (Comissão Eleitoral) Artigo 1.º Constituição e Competência 1. O Presidente do IST designará,

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ELEIÇAO DOS DIRETORES DOS DEPARTAMENTOS DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO. Artigo 1º (Âmbito) (Princípios)

REGULAMENTO PARA A ELEIÇAO DOS DIRETORES DOS DEPARTAMENTOS DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO. Artigo 1º (Âmbito) (Princípios) REGULAMENTO PARA A ELEIÇAO DOS DIRETORES DOS DEPARTAMENTOS DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO Artigo 1º (Âmbito) O presente Regulamento define os trâmites para as eleições dos Diretores dos Departamentos do Instituto

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA APEPCCA ASSOCIAÇÃO DOS PROFESSORES DO ENSINO PARTICULAR E COOPERATIVO COM CONTRATO DE ASSOCIAÇÃO

REGULAMENTO ELEITORAL DA APEPCCA ASSOCIAÇÃO DOS PROFESSORES DO ENSINO PARTICULAR E COOPERATIVO COM CONTRATO DE ASSOCIAÇÃO REGULAMENTO ELEITORAL DA APEPCCA ASSOCIAÇÃO DOS PROFESSORES DO ENSINO PARTICULAR E COOPERATIVO COM CONTRATO DE ASSOCIAÇÃO Capítulo I Princípios eleitorais Artigo 1º - Âmbito O presente regulamento contém

Leia mais

Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral

Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral Secção I Disposições gerais Artigo 1º Objeto O presente regulamento estabelece as condições e procedimentos relativos ao processo de eleição

Leia mais

Conselho Geral. Campus de Campolide, Lisboa - Tel.: / 58 - Fax.:

Conselho Geral. Campus de Campolide, Lisboa - Tel.: / 58 - Fax.: 3. Sem prejuízo do disposto no número seguinte os membros da Comissão Eleitoral devem ser substituídos, no caso de integrarem alguma lista concorrente. 4. A Comissão Eleitoral integrará ainda, após a entrega

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL 2014

REGULAMENTO ELEITORAL 2014 REGULAMENTO ELEITORAL 2014 Artigo 1.º Organização 1. A organização das eleições é da competência do Conselho Diretivo Nacional da OET Ordem dos Engenheiros Técnicos, doravante designado por Conselho Diretivo

Leia mais

REGULAMENTO PARA A PRIMEIRA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES AO CONSELHO GERAL. ARTIGO 1. Objecto

REGULAMENTO PARA A PRIMEIRA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES AO CONSELHO GERAL. ARTIGO 1. Objecto REGULAMENTO PARA A PRIMEIRA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES AO CONSELHO GERAL ARTIGO 1. Objecto O presente Regulamento tem por objecto a eleição dos representantes dos professores e investigadores, dos representantes

Leia mais

Regulamento Eleitoral para o Conselho Geral

Regulamento Eleitoral para o Conselho Geral Agrupamento de Escolas Professor Abel Salazar Guimarães (508) Escola EB,3 Abel Salazar Ronfe, Guimarães (343638) APLICAÇÃO DO REGIME DE AUTONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO (Decreto Lei n.º 75/008, de de

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL. Nossa Senhora do Rosário

REGULAMENTO ELEITORAL. Nossa Senhora do Rosário REGULAMENTO ELEITORAL APROSÁRIO Associação de Pais e Encarregados de Educação do Colégio de Nossa Senhora do Rosário Capítulo I - Disposições gerais Artigo 1º - Âmbito O presente regulamento contém as

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS e MODELOS EXEMPLIFICATIVOS. Com base no texto da nova lei eleitoral aprovada pela Lei Orgânica nº 1/2001, de 14 de Agosto.

NOTAS EXPLICATIVAS e MODELOS EXEMPLIFICATIVOS. Com base no texto da nova lei eleitoral aprovada pela Lei Orgânica nº 1/2001, de 14 de Agosto. PROCESSO DE CANDIDATURA DE GRUPOS DE CIDADÃOS INDEPENDENTES NOTAS EXPLICATIVAS e MODELOS EXEMPLIFICATIVOS Com base no texto da nova lei eleitoral aprovada pela Lei Orgânica nº 1/2001, de 14 de Agosto.

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO CONSELHO TÉCNICO CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE ARTES E DESIGN DE CALDAS DA RAINHA

REGULAMENTO ELEITORAL DO CONSELHO TÉCNICO CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE ARTES E DESIGN DE CALDAS DA RAINHA REGULAMENTO ELEITORAL DO CONSELHO TÉCNICO CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE ARTES E DESIGN DE CALDAS DA RAINHA Considerando que: A alínea c), do n.º 1, do art.º 60º, dos estatutos do Instituto Politécnico

Leia mais

Associação dos Antigos Alunos da Faculdade de Medicina de Lisboa. Regulamento Eleitoral CAPÍTULO I

Associação dos Antigos Alunos da Faculdade de Medicina de Lisboa. Regulamento Eleitoral CAPÍTULO I Associação dos Antigos Alunos da Faculdade de Medicina de Lisboa Regulamento Eleitoral CAPÍTULO I Princípios Gerais Artigo 1º Objeto O presente regulamento estabelece os princípios, as regras e os procedimentos

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO ELEITORAL ELABORADO NOS TERMOS DO ARTIGO 50.º DOS ESTATUTOS

PROPOSTA DE REGULAMENTO ELEITORAL ELABORADO NOS TERMOS DO ARTIGO 50.º DOS ESTATUTOS PROPOSTA DE REGULAMENTO ELEITORAL ELABORADO NOS TERMOS DO ARTIGO 50.º DOS ESTATUTOS Artigo 1.º (Âmbito) O presente regulamento contém as normas a que se devem submeter as eleições para os órgãos sociais

Leia mais

Caderno de ESCLARECIMENTOS DIA DA ELEIÇÃO

Caderno de ESCLARECIMENTOS DIA DA ELEIÇÃO Caderno de ESCLARECIMENTOS DIA DA ELEIÇÃO www.cne.pt INTRODUÇÃO O presente caderno contém esclarecimentos e orientações da CNE relativamente a algumas situações específicas que ocorrem no dia da eleição

Leia mais

Normas Básicas, e Respectivos Princípios

Normas Básicas, e Respectivos Princípios TITULO I Art.1ª a 4ª do CE e art. 104º da CRCV Objeto: Regula as Eleições de todos os Titulares dos Órgãos Eletivos do poder politico, a saber: Presidente da República Deputados à Assembleia Nacional Titulares

Leia mais

Regulamento Eleitoral para a. Eleição dos Órgãos Sociais da. Associação de Professores de Matemática

Regulamento Eleitoral para a. Eleição dos Órgãos Sociais da. Associação de Professores de Matemática Regulamento Eleitoral para a Eleição dos Órgãos Sociais da CAPÍTULO I Dos Princípios Gerais Artigo 1.º Assembleia Eleitoral 1 Em cumprimento do disposto no capítulo sétimo dos Estatutos da Associação de

Leia mais

Regulamento Eleitoral para a eleição dos representantes dos estudantes para o Conselho Geral.

Regulamento Eleitoral para a eleição dos representantes dos estudantes para o Conselho Geral. Regulamento Eleitoral para a eleição dos representantes dos estudantes para o Conselho Geral. Eleições de 2011 CAPÍTULO I Princípios gerais Artigo 1.º Âmbito de aplicação O presente regulamento estabelece

Leia mais

Associação dos Bombeiros Voluntários de Sacavém

Associação dos Bombeiros Voluntários de Sacavém Associação dos Bombeiros Voluntários de Sacavém Proposta de Regulamento Eleitoral REGULAMENTO ELEITORAL Artigo 1 1. As eleições para os órgãos sociais realizam-se trienalmente em assembleia-geral expressamente

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA A CONSTITUIÇÃO DO CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 2 DE LOURES 1. OBJETO

REGULAMENTO ELEITORAL PARA A CONSTITUIÇÃO DO CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 2 DE LOURES 1. OBJETO REGULAMENTO ELEITORAL PARA A CONSTITUIÇÃO DO CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 2 DE LOURES 1. OBJETO O presente Regulamento rege a eleição para o Conselho Geral dos representantes do pessoal

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL

REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL (APROVADO EM REUNIÃO DE 23 DE MAIO DE 2017) Artigo 1º Objecto 1. O presente Regulamento aplica-se exclusivamente ao processo eleitoral para os membros

Leia mais

REGULAMENTO DE ELEIÇÃO E COOPTAÇÃO DO CONSELHO GERAL DO IPVC

REGULAMENTO DE ELEIÇÃO E COOPTAÇÃO DO CONSELHO GERAL DO IPVC REGULAMENTO DE ELEIÇÃO E COOPTAÇÃO DO CONSELHO GERAL DO IPVC Nos termos das disposições conjugadas do n.º 9 do artigo 172º e n. os 1 a 3 do artigo 173º do RJIES 1 e do n.º 1 do artigo 95.º dos Estatutos

Leia mais

Eleição para os órgãos colegiais de governo da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (Ato eleitoral em 30 de Outubro de 2013)

Eleição para os órgãos colegiais de governo da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (Ato eleitoral em 30 de Outubro de 2013) ASSEMBLEIA DA FMUC Eleição para os órgãos colegiais de governo da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (Ato eleitoral em 30 de Outubro de 2013) REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I Princípios Gerais

Leia mais

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA REITORIA. Regulamento para Eleição e Cooptação dos Membros da Assembleia Estatutária da Universidade Técnica de Lisboa

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA REITORIA. Regulamento para Eleição e Cooptação dos Membros da Assembleia Estatutária da Universidade Técnica de Lisboa UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA REITORIA Regulamento para Eleição e Cooptação dos Membros da Assembleia Estatutária da Universidade Técnica de Lisboa O RJIES estabelece no n.º2 do artigo 172.º que os novos

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL E DE FUNCIONAMENTO DO CONGRESSO FAPPC 2014

REGULAMENTO ELEITORAL E DE FUNCIONAMENTO DO CONGRESSO FAPPC 2014 REGULAMENTO ELEITORAL E DE FUNCIONAMENTO DO CONGRESSO FAPPC 2014 ÍNDICE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS... 4 Artigo 1º - Do âmbito do presente regulamento... 4 Artigo 2º - Do Congresso da Federação... 4

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES AO CONSELHO GERAL

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES AO CONSELHO GERAL ARTIGO 1. Objeto O presente regulamento tem por objeto a eleição dos representantes dos professores e investigadores, dos representantes dos estudantes e do representante do pessoal não docente e não investigador,

Leia mais

CADERNO DE ESCLARECIMENTOS DIA DA ELEIÇÃO

CADERNO DE ESCLARECIMENTOS DIA DA ELEIÇÃO CADERNO DE ESCLARECIMENTOS DIA DA ELEIÇÃO 1 INTRODUÇÃO O presente caderno contém esclarecimentos e orientações da CNE relativamente a situações específicas que ocorrem no dia da eleição. A votação é a

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE PETANCA

REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE PETANCA REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE PETANCA Artigo 1º Objecto 1º. O presente regulamento estabelece os princípios reguladores do processo eleitoral da Federação Portuguesa de Petanca (adiante

Leia mais

INVÁLIDOS DO COMÉRCIO

INVÁLIDOS DO COMÉRCIO REGULAMENTO ELEITORAL DOS ÓRGÃOS SOCIAIS DA INSTITUIÇÃO PARTICULAR DE SOLIDARIEDADE SOCIAL INVÁLIDOS DO COMÉRCIO Aprovado em Assembleia Geral de 08/11/2003 REGULAMENTO ELEITORAL DE INVÁLIDOS DO COMÉRCIO

Leia mais

Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO

Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO Dias 25,26,27 e 28 de agosto de 2011. Capítulo I - Das Disposições Gerais Art. 1º - A

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARCERIA TERRITORIAL ALENTEJO CENTRAL

REGULAMENTO ELEITORAL PARCERIA TERRITORIAL ALENTEJO CENTRAL REGULAMENTO ELEITORAL PARCERIA TERRITORIAL ALENTEJO CENTRAL 2014-2020 ARTIGO PRIMEIRO O Regulamento Eleitoral estabelece as normas que regulam o Processo Eleitoral da Mesa do Conselho de Parceiros, Seis

Leia mais

Glossário. Apuramento de votos é a contabilização dos votos feita na mesa da assembleia de voto.

Glossário. Apuramento de votos é a contabilização dos votos feita na mesa da assembleia de voto. ANEXO Glossário Para efeitos da presente Lei, entende-se por: A Abertura da assembleia de voto é o procedimento através do qual o presidente da mesa de assembleia de voto, em cumprimento das directivas

Leia mais

Escola de Arquitetura. Regulamento eleitoral para o Conselho Científico da Escola de Arquitetura

Escola de Arquitetura. Regulamento eleitoral para o Conselho Científico da Escola de Arquitetura Escola de Arquitetura Regulamento eleitoral para o Conselho Científico da Escola de Arquitetura Universidade do Minho, Junho de 2016 Regulamento eleitoral para o Conselho Científico Escola de Arquitetura

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL ELABORADO NOS TERMOS DO ARTIGO 50.º DOS ESTATUTOS. Artigo 1.º (Âmbito)

REGULAMENTO ELEITORAL ELABORADO NOS TERMOS DO ARTIGO 50.º DOS ESTATUTOS. Artigo 1.º (Âmbito) REGULAMENTO ELEITORAL ELABORADO NOS TERMOS DO ARTIGO 50.º DOS ESTATUTOS Artigo 1.º (Âmbito) O presente regulamento contém as normas a que se devem submeter as eleições para os órgãos sociais do Futebol

Leia mais

VI CONGRESSO DOS SOLICITADORES REGULAMENTO

VI CONGRESSO DOS SOLICITADORES REGULAMENTO VI CONGRESSO DOS SOLICITADORES REGULAMENTO Capítulo I Objetivos, data e local de realização Artigo 1.º Objetivos O Congresso tem como objetivos pronunciar-se sobre o exercício da solicitadoria, sobre questões

Leia mais

Nota Introdutória. Regulamento Eleitoral e Referendário da Ordem dos Farmacêuticos

Nota Introdutória. Regulamento Eleitoral e Referendário da Ordem dos Farmacêuticos Nota Introdutória Tendo entrado em vigor o novo Estatuto da Ordem dos Farmacêuticos, atravé s da Lei n.º 131/2015, de 4 de Setembro, torna-se necessário que os regulamentos vigentes se adaptem às normas

Leia mais

REGULAMENTO PARA A PRIMEIRA ELEIÇÃO DOS CONSELHOS CIENTÍFICOS DAS ESCOLAS DE NATUREZA UNIVERSITÁRIA. ARTIGO 1. Objecto

REGULAMENTO PARA A PRIMEIRA ELEIÇÃO DOS CONSELHOS CIENTÍFICOS DAS ESCOLAS DE NATUREZA UNIVERSITÁRIA. ARTIGO 1. Objecto REGULAMENTO PARA A PRIMEIRA ELEIÇÃO DOS CONSELHOS CIENTÍFICOS DAS ESCOLAS DE NATUREZA UNIVERSITÁRIA ARTIGO 1. Objecto O presente Regulamento tem por objecto a eleição dos membros dos Conselhos Científicos

Leia mais

Agrupamento de Escolas José Estêvão. Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral

Agrupamento de Escolas José Estêvão. Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral Agrupamento de Escolas José Estêvão Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral Secção I Disposições gerais Artigo 1º Objeto O presente regulamento estabelece as condições e procedimentos

Leia mais

REGULAMENTO DE ELEIÇÃO DO PRESIDENTE DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL

REGULAMENTO DE ELEIÇÃO DO PRESIDENTE DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL REGULAMENTO DE ELEIÇÃO DO PRESIDENTE DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SETÚBAL Considerando o disposto nos artigos 82.º, n.º 1, alínea d) e no artigo 86.º do Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior

Leia mais

ESCLARECIMENTOS DIA DA ELEIÇÃO

ESCLARECIMENTOS DIA DA ELEIÇÃO 9 de Outubro de 2011 VOTE PELA SUA REGIÃO Se sai à rua para conviver, trabalhar, estudar ou passear. Saia a rua para votar. ESCLARECIMENTOS DIA DA ELEIÇÃO ELEIÇÃO PARA A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO

Leia mais

- Esclarecimentos DIA DA ELEIÇÃO. ELEIÇÃO DOS ÓRGÃOS DAS AUTARQUIAS LOCAIS 11 de OUTUBRO de 2009

- Esclarecimentos DIA DA ELEIÇÃO. ELEIÇÃO DOS ÓRGÃOS DAS AUTARQUIAS LOCAIS 11 de OUTUBRO de 2009 - Esclarecimentos DIA DA ELEIÇÃO ELEIÇÃO DOS ÓRGÃOS DAS AUTARQUIAS LOCAIS 11 de OUTUBRO de 2009 1 INTRODUÇÃO O presente caderno contém esclarecimentos e orientações da CNE relativamente a situações específicas

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA de BILHAR

REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA de BILHAR REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA de BILHAR Artigo 1.º Objecto 1 O presente regulamento estabelece os princípios reguladores do processo eleitoral da Federação Portuguesa de Bilhar (adiante

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL E REFERENDÁRIO DA ORDEM DOS FARMACÊUTICOS PARTE I. Regulamento Eleitoral CAPÍTULO I. Disposições Gerais. Artigo 1.

REGULAMENTO ELEITORAL E REFERENDÁRIO DA ORDEM DOS FARMACÊUTICOS PARTE I. Regulamento Eleitoral CAPÍTULO I. Disposições Gerais. Artigo 1. REGULAMENTO ELEITORAL E REFERENDÁRIO DA ORDEM DOS FARMACÊUTICOS PARTE I Regulamento Eleitoral CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º O mandato dos órgãos da Ordem tem a duração de três anos, não podendo

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL Regulamento Eleitoral para Eleição dos Órgãos Sociais da Casa do Povo de Alvito - IPSS Capítulo I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito O presente regulamento contém as normas a que

Leia mais