REGULAMENTO ELEITORAL. Nossa Senhora do Rosário

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO ELEITORAL. Nossa Senhora do Rosário"

Transcrição

1 REGULAMENTO ELEITORAL APROSÁRIO Associação de Pais e Encarregados de Educação do Colégio de Nossa Senhora do Rosário Capítulo I - Disposições gerais Artigo 1º - Âmbito O presente regulamento contém as normas a que devem obedecer o processo eleitoral e as eleições para os órgãos sociais da APROSÁRIO Associação de Pais e Encarregados de Educação do Colégio de Nossa Senhora do Rosário. Artigo 2º - Princípios eleitorais 1. As eleições para os órgãos sociais da APROSÁRIO obedecem aos princípios da liberdade de apresentação de listas e do pluralismo de opiniões. 2. Com exceção do Conselho Consultivo, constituído nos termos do art. 24º dos Estatutos, os órgãos sociais são eleitos em escrutínio direto, por um período de dois anos, não sendo permitida a reeleição do mesmo associado para o mesmo cargo, por mais de dois mandatos consecutivos. 3. Nenhum associado pode estar representado em mais de um órgão eletivo.

2 4. O direito de voto pode ser exercido presencialmente ou por correspondência Artigo 3º - Fiscalização e recurso contencioso 1. A fiscalização do processo eleitoral é da responsabilidade da Mesa da Assembleia Geral em funções até serem aceites todas as listas candidatas a sufrágio, sendo que, após essa data, se constituirá a Mesa Eleitoral, nos termos do art.º 13º do presente Regulamento que assumirá a função de fiscalização de todo o restante processo eleitoral. 2. Os protestos apresentados antes de constituída a Mesa Eleitoral serão decididos pela Assembleia Geral e após a sua constituição, nomeadamente, no decorrer do ato eleitoral, serão decididos pela própria Mesa e poderá sempre e em qualquer um dos casos ser apresentado recurso do ato impugnado ao presidente da Mesa, nos termos descritos no capitulo VII deste Regulamento. Capítulo II - Recenseamento e capacidade eleitoral Artigo 4º - Capacidade eleitoral ativa Cada associado no pleno gozo dos seus direitos tem direito a um único voto. Artigo 5º - Capacidade eleitoral passiva Qualquer associado pode ser eleito para os órgãos sociais, desde que se encontre no pleno gozo dos seus direitos associativos e não tenha qualquer quotização em atraso, com exceção do disposto no art.º 2º n.º 2 do presente Regulamento.

3 Artigo 6º - Cadernos eleitorais 1. A Direção da APROSÁRIO deve elaborar cadernos eleitorais, nos quais constem todos os associados com direito a voto. 2. Os cadernos eleitorais ficarão à disposição de todos os associados, na secretaria do Colégio de Nossa Senhora do Rosário, para consulta, nas 48 horas anteriores ao ato eleitoral. 3. Todos os associados podem reclamar por escrito da omissão ou inclusão de qualquer associado nos cadernos eleitorais. 4. A Mesa Eleitoral delibera, sobre as reclamações apresentadas nos termos do número anterior, até à abertura do ato eleitoral. Capítulo III - Candidaturas Artigo 7º - Apresentação das listas 1. Por cada candidatura será apresentada uma lista única para a Mesa da Assembleia Geral, Direção e Conselho Fiscal. 2. As listas têm de integrar candidatos aos seguintes cargos: a) Um Presidente, um Vice-presidente e um Secretário, para a Mesa da Assembleia Geral; b) Um Presidente, um Vice-presidente, dois Secretários, um Tesoureiro e até quatro Vogais, para a Direção; c) Um Presidente e dois Vogais, para o Conselho Fiscal; 3. Nenhum dos representantes dos associados pode candidatar-se por mais do que uma lista e para mais de um cargo eletivo.

4 Artigo 8º - Prazo As listas são apresentadas ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral, até 72 horas antes da realização do ato eleitoral, que as escrutina e aceita. Artigo 9º - Requisitos formais 1. As listas devem conter a distribuição dos candidatos pelos cargos. 2. Cada lista deve abranger todas as posições elegendas. 3. Cada lista é entregue e subscrita por todos os candidatos como prova de aceitação da candidatura e após aprovação pela Mesa da Assembleia Geral, ficarão, obrigatoriamente, disponíveis para consulta por todos os associados, na secretaria do Colégio de Nossa Senhora do Rosário, e nos meios de comunicação usados pela APROSÁRIO. Artigo 10º - Falta de candidaturas Se, findo o prazo fixado no artigo 8º, não tiverem sido apresentadas listas de candidatura, deverá a Direção em exercício elaborar uma lista e apresentá-la ao Presidente da Assembleia Geral, nos cinco dias seguintes ao termo daquele prazo. Artigo 11º - Regularidade das listas de candidaturas 1. A Mesa da Assembleia Geral, aprecia e decide sobre a regularidade das listas de candidaturas apresentadas, nas 24 horas seguintes à sua receção. 2. Se ocorrer alguma irregularidade deve ser notificado o primeiro proponente da lista ou o representante que esta tiver designado, a fim de proceder à sua regularização em tempo útil.

5 Artigo 12º - Sorteio e publicidade das listas 1. Admitidas as listas e constituída a Mesa Eleitoral ou de Voto, nos termos previsto no art.º 13º do presente Regulamento, procederá, nas 24 horas seguintes ao termo do prazo de apresentação, ao seu sorteio, tendo em vista a atribuição a cada uma delas de uma letra que a identificará. 2. O sorteio será feito na presença do pleno da Mesa Eleitoral, designadamente, perante os representantes indicados por cada uma das listas candidatas. 3. Havendo uma única lista, não será feito o sorteio e a mesma será identificada pela letra A. 4. Com a aceitação definitiva, as listas são publicadas nos meios de comunicação usados pela APROSÁRIO, até às 24 horas anteriores ao ato eleitoral. Capítulo IV Da organização da votação e do ato eleitoral. Artigo 13º - Composição da Mesa Eleitoral ou de Voto 1. Admitidas as listas a sufrágio, o Presidente da Assembleia Geral notifica os representantes indicados por cada lista candidata, de que foram designados membros da Mesa Eleitoral, juntamente com os restantes membros da Mesa da Assembleia Geral. 2. A presidência da Mesa Eleitoral é assegurada pelo Presidente da Mesa da Assembleia Geral. Artigo 14º - Funcionamento da Mesa Eleitoral ou de Voto 1. A Mesa de Voto funciona na sede da associação, ou outro local constante do aviso convocatório.

6 2. No local da Mesa de Voto existem listas identificáveis por ordem alfabética e com a distribuição de todos os candidatos pelos cargos a que concorrem. Artigo 15º. Formação de votação 1.Regularmente convocada a Assembleia Geral para fins eleitorais, nos termos do art.º 10º dos Estatutos da APROSÁRIO, à hora agendada, o Presidente da Mesa declarará a mesma aberta e proceder-se-à à votação, nos termos do n.º 3 do presente artigo. 2. Previamente à entrada na Assembleia Geral eleitoral, cada eleitor terá que ser previamente identificado, devendo assinar a folha de votantes. 3. De seguida, o Presidente da Mesa, seguindo a ordem alfabética designada pela letra que identifica cada uma das listas, perguntará à Assembleia o seu sentido de voto, procedendo-se à votação de braço no ar, não podendo cada eleitor votar favoravelmente em mais do que uma lista. Artigo 16º - Votação não presencial A pessoa que represente o associado no exercício do direito de voto, deve apresentar declaração ou carta comprovativa do mandato para o efeito, onde estejam indicados os elementos de identificação pessoal, ID do aluno, ou alunos, tendo de estar devidamente assinada e contendo, expressamente, o sentido de voto pretendido. O Presidente da Mesa pode decidir sobre o direito de voto, no caso de insuficiência ou ausência da respetiva declaração. Artigo 17º - Apuramento Eleitoral 1. Encerrada a votação, o Presidente da Mesa mandará contar todos os votantes e verificar a correspondência com a folha de presença e procurações entregues

7 2. O resultado do apuramento eleitoral será registado em ata que será assinada por todos os componentes da Mesa de Voto, considerando-se eleita a lista sobre a qual tenha recaído o maior número de votos. 3. No caso de empate entre as listas mais votadas, o ato eleitoral repetir-se-á 8 dias depois, apenas com a participação dessas listas, sendo eleita aquela que obtenha mais votos. Artigo 18º - Ata eleitoral Da ata elaborada pela Mesa da Assembleia Geral devem constar, para além do apuramento final das eleições, os seguintes elementos: a) O nome dos membros da Mesa e representantes das listas de candidaturas; b) A hora de abertura, encerramento da votação; c) As deliberações tomadas pela Mesa; d) O número dos associados com direito de voto e aqueles que o exerceram; e) O número de associados que votaram por correspondência/procuração; f) O número de votos obtidos por cada lista; g) O número de abstenções; h) Eventuais reclamações e protestos; i) As assinaturas de todos os componentes da Mesa Eleitoral. Artigo 19º - Afixação dos resultados Após a contagem final pela Mesa de voto, os resultados da votação serão publicados, oportunamente, nos meios de comunicação usados pela APROSÁRIO, bem como ficarão

8 disponíveis para consulta na secretaria do Colégio de Nossa Senhora do Rosário, contendo tal documento a assinatura do Presidente da Mesa da Assembleia Geral. Capítulo V - Fiscalização, controle e recurso do ato eleitoral Artigo 20º - Fiscalização eleitoral Ressalvado o disposto no art.º 3.º do presente Regulamento, a fiscalização do processo eleitoral é da responsabilidade da Mesa Eleitoral, constituída nos termos do art.º 13º do presente Regulamento. Artigo 21º - Competências eleitorais da Mesa da Assembleia-Geral Compete à Mesa da Assembleia-Geral: a) Coordenar e fiscalizar o processo eleitoral a que se reporta o presente regulamento até à validação da totalidade das listas candidatas; b) Verificar a regularidade da apresentação das listas de candidaturas; c) Organizar o processo de sorteio e publicidade das listas de candidaturas; d) Divulgar instruções sobre o processo eleitoral; e) Deliberar sobre os casos omissos no presente regulamento. Artigo 22º - Protestos e recursos 1. A Mesa de Voto decide os protestos apresentados no decurso do ato eleitoral em conformidade com os princípios consagrados e o disposto nos Estatutos da APROSÁRIO e no presente Regulamento. 2. Pode ser interposto, com fundamento em irregularidades práticas, recurso do ato eleitoral.

9 3. O recurso de que constarão as provas necessárias é apresentado por escrito ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral, no prazo máximo de 1 dia a contar da data de realização do ato eleitoral, e que fará a sua entrega à Mesa Eleitoral. 4. Recebido o recurso a Mesa Eleitoral ou de Voto reúne, de imediato, ou nos 5 dias seguintes à receção do recurso e delibera por voto da maioria dos seus membros, sendo que em caso de empate, o Presidente da Mesa tem voto de qualidade. 5. A Mesa Eleitoral recusa o recurso se não se fizer prova dos fatos ou se a prova for manifestamente insuficiente. 6. No caso de ser dado provimento ao recurso apresentado, pode anda ser convocada uma Assembleia Geral extraordinária que decide, por maioria absoluta dos votos dos associados presentes, como última instância. 7. Se a Assembleia julgar procedente o recurso, repete-se o ato eleitoral no prazo máximo de 15 dias a contar da decisão da Assembleia, concorrendo as mesmas listas com as alterações que tiverem de ser introduzidas por força da decisão emitida sobre o recurso. 8. O recurso tem efeito suspensivo dos resultados do ato eleitoral. Capítulo VI - Posse Artigo 23º - Posse 1. Os membros eleitos consideram-se em exercício a partir da data de posse. 2. A posse tem lugar imediatamente ou, tendo havido recurso de que resulte repetição do ato eleitoral, após a realização de novo ato eleitoral. 3. É da competência do Presidente da Mesa da Assembleia Geral dar posse aos membros efetivos e suplentes eleitos para os cargos associativos.

10 4. O ato de posse é formalizado no Livro de Atas da Direção. Capítulo VII - Disposições finais Artigo 24º - Alterações ao regulamento Qualquer alteração ao presente regulamento eleitoral deverá ser votada em Assembleia Geral ordinária, decidindo-se por maioria absoluta dos presentes e representados. Artigo 25º - Entrada em vigor O presente Regulamento Eleitoral entra em vigor no dia seguinte à sua aprovação.

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL Regulamento Eleitoral para Eleição dos Órgãos Sociais da Casa do Povo de Alvito - IPSS Capítulo I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito O presente regulamento contém as normas a que

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL Eleição dos Representantes dos Pais e Encarregados de Educação para o Conselho Geral do Agrupamento de Escolas Sá da Bandeira Aprovado pelo Conselho Geral em 24 de setembro de 2015

Leia mais

Regulamento Eleitoral para a. Eleição dos Órgãos Sociais da. Associação de Professores de Matemática

Regulamento Eleitoral para a. Eleição dos Órgãos Sociais da. Associação de Professores de Matemática Regulamento Eleitoral para a Eleição dos Órgãos Sociais da CAPÍTULO I Dos Princípios Gerais Artigo 1.º Assembleia Eleitoral 1 Em cumprimento do disposto no capítulo sétimo dos Estatutos da Associação de

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Âmbito 1. O presente Regulamento contém as normas e procedimentos a que obedecerá o processo eleitoral para a Mesa da Assembleia-Geral, para

Leia mais

Associação de Ciclismo da Beira Interior REGULAMENTO ELEITORAL

Associação de Ciclismo da Beira Interior REGULAMENTO ELEITORAL Associação de Ciclismo da Beira Interior REGULAMENTO ELEITORAL Artigo 1.º Capacidade Eleitoral 1. São elegíveis para os órgãos sociais da ACBI apenas pessoas individuais. 2. São eleitores, todos os associados

Leia mais

Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Geral

Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Geral Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Geral Artigo 1º Objeto 1. O presente Regulamento aplica-se exclusivamente ao processo eleitoral para os membros do Conselho Geral, de acordo com o regime

Leia mais

DANÇA D IDEIAS ASSOCIAÇÃO REGULAMENTO ELEITORAL

DANÇA D IDEIAS ASSOCIAÇÃO REGULAMENTO ELEITORAL DANÇA D IDEIAS ASSOCIAÇÃO REGULAMENTO ELEITORAL Aprovado a 29 de Outubro de 2010 CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS Artigo 1º Objecto 1. O presente Regulamento estabelece os princípios reguladores do processo

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º. Objeto

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º. Objeto AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL Artigo 1.º Objeto O presente regulamento define o processo eleitoral dos membros do Conselho Geral referido nos artigos

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL Ténis de Mesa MODALIDADE OLÍMPICA CAPITULO I Princípios Gerais Artigo 1º (Objeto) 1. O presente regulamento estabelece os princípios reguladores do processo eleitoral da Federação

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL ENA - AGÊNCIA DE ENERGIA E AMBIENTE DA ARRÁBIDA REGULAMENTO ELEITORAL --------- --------- CAPÍTULO I CONSTITUIÇÃO E FUNCIONAMENTO DA ASSEMBLEIA ELEITORAL Artº 1º Constituição da Assembleia Eleitoral A

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. CARLOS I CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL. Preâmbulo. CAPÍTULO I Objeto e composição. Artigo 1.

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. CARLOS I CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL. Preâmbulo. CAPÍTULO I Objeto e composição. Artigo 1. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. CARLOS I CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL Preâmbulo O conselho geral é o órgão de direção estratégica responsável pela definição das linhas orientadoras da atividade da escola,

Leia mais

Agrupamento de Escolas José Estêvão. Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral

Agrupamento de Escolas José Estêvão. Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral Agrupamento de Escolas José Estêvão Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral Secção I Disposições gerais Artigo 1º Objeto O presente regulamento estabelece as condições e procedimentos

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO NO CONSELHO GERAL Biénio 2015/ /17

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO NO CONSELHO GERAL Biénio 2015/ /17 REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO NO CONSELHO GERAL Biénio 2015/16 2016/17 Nota Justificativa: Com o objetivo de regular o processo eleitoral de eleição

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DO PORTO DE PARALISIA CEREBRAL

ASSOCIAÇÃO DO PORTO DE PARALISIA CEREBRAL ASSOCIAÇÃO DO PORTO DE PARALISIA CEREBRAL REGULAMENTO ELEITORAL Regulamento Eleitoral 2016 - appc.doc - 0 - Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º O presente Regulamento visa regular o processo eleitoral

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL. Representantes dos alunos no Conselho Geral

REGULAMENTO ELEITORAL. Representantes dos alunos no Conselho Geral REGULAMENTO ELEITORAL Representantes dos alunos no Conselho Geral 1 Artigo 1.º Âmbito O presente Regulamento contém as normas a que devem obedecer o processo eleitoral para a eleição dos representantes

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL Aprovado em Assembleia Geral Extraordinária 13 Setembro de 2014 Regulamento Eleitoral Página 1 de 8 Artigo 1º Objeto 1º O presente regulamento estabelece os princípios reguladores

Leia mais

Artigo 1.º. Artigo 2.º

Artigo 1.º. Artigo 2.º REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL DA MESA DA ASSEMBLEIA GERAL, DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E DO CONSELHO FISCAL DA PARCERIA PORTUGUESA PARA A ÁGUA (PPA) Artigo 1.º 1. A eleição da Mesa da Assembleia Geral,

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO ELEITORAL ELABORADO NOS TERMOS DO ARTIGO 50.º DOS ESTATUTOS

PROPOSTA DE REGULAMENTO ELEITORAL ELABORADO NOS TERMOS DO ARTIGO 50.º DOS ESTATUTOS PROPOSTA DE REGULAMENTO ELEITORAL ELABORADO NOS TERMOS DO ARTIGO 50.º DOS ESTATUTOS Artigo 1.º (Âmbito) O presente regulamento contém as normas a que se devem submeter as eleições para os órgãos sociais

Leia mais

ABERTURA DO PROCESSO ELEITORAL DO CONSELHO GERAL

ABERTURA DO PROCESSO ELEITORAL DO CONSELHO GERAL ABERTURA DO PROCESSO ELEITORAL DO CONSELHO GERAL (2014/2018) Nos termos do artigo 15º do Decreto-Lei nº 75/2008 de 22 de abril, na redação dada pelo Decreto-Lei n.º 137/2012, de 2 de Julho, o Conselho

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES AO CONSELHO GERAL

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES AO CONSELHO GERAL ARTIGO 1. Objeto O presente regulamento tem por objeto a eleição dos representantes dos professores e investigadores, dos representantes dos estudantes e do representante do pessoal não docente e não investigador,

Leia mais

NRAçores-APCP REGULAMENTO ELEITORAL

NRAçores-APCP REGULAMENTO ELEITORAL NRAçores-APCP REGULAMENTO ELEITORAL Artigo 1º Considerações Gerais 1. O presente Regulamento: a. Rege-se pelos Estatutos da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos, adiante designada por APCP e pelo

Leia mais

Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Pedagógico [Alterações aprovadas na reunião nº 9/2013 de 30 de outubro]

Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Pedagógico [Alterações aprovadas na reunião nº 9/2013 de 30 de outubro] ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Pedagógico [Alterações aprovadas na reunião nº 9/2013 de 30 de outubro] Página2 Capítulo I Disposições Gerais

Leia mais

Regulamento Eleitoral da Associação de Atletismo de Braga

Regulamento Eleitoral da Associação de Atletismo de Braga Regulamento Eleitoral da Associação de Atletismo de Braga Artigo 1º Objeto 1. O presente Regulamento estabelece os princípios reguladores do processo eleitoral da Associação de Atletismo de Braga (adiante

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Proposta de Regulamento Eleitoral das eleições primárias abertas a militantes e simpatizantes do PS para a designação do candidato do PS ao cargo do Primeiro-Ministro CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL 2014

REGULAMENTO ELEITORAL 2014 REGULAMENTO ELEITORAL 2014 Artigo 1.º Organização 1. A organização das eleições é da competência do Conselho Diretivo Nacional da OET Ordem dos Engenheiros Técnicos, doravante designado por Conselho Diretivo

Leia mais

CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I. Objeto. CAPÍTULO II Abertura do processo eleitoral

CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I. Objeto. CAPÍTULO II Abertura do processo eleitoral CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I Objeto Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas aplicáveis ao processo de eleição dos representantes dos alunos e dos pais e encarregados

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS MEMBROS DO SENADO ACADÉMICO. Artigo 1.º. Objeto

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS MEMBROS DO SENADO ACADÉMICO. Artigo 1.º. Objeto REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS MEMBROS DO SENADO ACADÉMICO (Aprovado em reunião do Senado Académico de 2 de fevereiro de 2012) Artigo 1.º Objeto O presente regulamento rege a eleição dos representantes dos

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL ELABORADO NOS TERMOS DO ARTIGO 50.º DOS ESTATUTOS. Artigo 1.º (Âmbito)

REGULAMENTO ELEITORAL ELABORADO NOS TERMOS DO ARTIGO 50.º DOS ESTATUTOS. Artigo 1.º (Âmbito) REGULAMENTO ELEITORAL ELABORADO NOS TERMOS DO ARTIGO 50.º DOS ESTATUTOS Artigo 1.º (Âmbito) O presente regulamento contém as normas a que se devem submeter as eleições para os órgãos sociais do Futebol

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRETOR DA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRETOR DA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRETOR DA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA Considerando que compete ao conselho de representantes das unidades orgânicas de ensino

Leia mais

Artigo 1º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas pelas quais se rege o processo eleitoral para os órgãos da SPG.

Artigo 1º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas pelas quais se rege o processo eleitoral para os órgãos da SPG. REGULAMENTO ELEITORAL SOCIEDADE PORTUGUESA DE GINECOLOGIA (SPG) Artigo 1º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas pelas quais se rege o processo eleitoral para os órgãos da SPG. Artigo 2º Capacidade

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO ELEITORAL

PROPOSTA DE REGULAMENTO ELEITORAL RESPIRA Associação Portuguesa de Pessoas com DPOC e outras Doenças Respiratórias Crónicas PROPOSTA DE REGULAMENTO ELEITORAL Com a publicação do Decreto-Lei nº. 172-A/2014, de 14 de novembro, e da Lei nº.

Leia mais

Eleição para os órgãos colegiais de governo da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (Ato eleitoral em 30 de Outubro de 2013)

Eleição para os órgãos colegiais de governo da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (Ato eleitoral em 30 de Outubro de 2013) ASSEMBLEIA DA FMUC Eleição para os órgãos colegiais de governo da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (Ato eleitoral em 30 de Outubro de 2013) REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I Princípios Gerais

Leia mais

Regulamento do processo eleitoral para o Conselho Geral Transitório

Regulamento do processo eleitoral para o Conselho Geral Transitório Regulamento do processo eleitoral para o Conselho Geral Transitório Artigo 1º Objeto 1. O presente Regulamento aplica-se exclusivamente ao processo eleitoral para os membros do Conselho Geral Transitório,

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º (Objecto)

REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º (Objecto) REGULAMENTO ELEITORAL Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1.º (Objecto) 1. O regulamento eleitoral, adiante designado por regulamento, estabelece, ao abrigo do disposto no artigo 25.º dos estatutos, o

Leia mais

Regulamento Eleitoral da Associação Cabo-verdiana de Luta Contra o Cancro

Regulamento Eleitoral da Associação Cabo-verdiana de Luta Contra o Cancro Regulamento Eleitoral da Associação Cabo-verdiana de Luta Contra o Cancro CAPÍTULO I Princípios gerais Artigo 1.º Âmbito de aplicação O presente Regulamento Eleitoral contém as normas a que devem obedecer

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARCERIA TERRITORIAL ALENTEJO CENTRAL

REGULAMENTO ELEITORAL PARCERIA TERRITORIAL ALENTEJO CENTRAL REGULAMENTO ELEITORAL PARCERIA TERRITORIAL ALENTEJO CENTRAL 2014-2020 ARTIGO PRIMEIRO O Regulamento Eleitoral estabelece as normas que regulam o Processo Eleitoral da Mesa do Conselho de Parceiros, Seis

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA ASSOCIAÇÃO DE PARALISIA CEREBRAL DE LISBOA APCL. Capitulo I Disposições gerais. Artigo 1º Âmbito

REGULAMENTO ELEITORAL DA ASSOCIAÇÃO DE PARALISIA CEREBRAL DE LISBOA APCL. Capitulo I Disposições gerais. Artigo 1º Âmbito REGULAMENTO ELEITORAL DA ASSOCIAÇÃO DE PARALISIA CEREBRAL DE LISBOA Capitulo I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento visa regular o processo eleitoral dos Órgãos Sociais da Associação

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE PETANCA

REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE PETANCA REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE PETANCA Artigo 1º Objecto 1º. O presente regulamento estabelece os princípios reguladores do processo eleitoral da Federação Portuguesa de Petanca (adiante

Leia mais

ORDEM PROFISSIONAL DE AUDITORES E CONTABILISTAS CERTIFICADOS REGULAMENTO ELEITORAL

ORDEM PROFISSIONAL DE AUDITORES E CONTABILISTAS CERTIFICADOS REGULAMENTO ELEITORAL ORDEM PROFISSIONAL DE AUDITORES E CONTABILISTAS CERTIFICADOS REGULAMENTO ELEITORAL PRAIA CABO VERDE OUTUBRO DE 2012 ORDEM PROFISSIONAL DE AUDITORES E CONTABILISTAS CERTIFICADOS REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO

Leia mais

Declaração de Aceitação. Para Membro da Comissão Eleitoral

Declaração de Aceitação. Para Membro da Comissão Eleitoral Declaração de Aceitação Para Membro da Comissão Eleitoral Nos termos do disposto no artigo n.º 1º do artigo n.º 56º dos estatutos do Sindicato Nacional dos Registos e Notariado eu,..., venho por este meio

Leia mais

Regulamento Eleitoral do Presidente e Vice-Presidentes

Regulamento Eleitoral do Presidente e Vice-Presidentes Regulamento Eleitoral do Presidente e Vice-Presidentes Artº 1º Âmbito de aplicação O presente regulamento eleitoral estabelece as normas relativas à eleição do presidente e vice-presidentes de acordo com

Leia mais

HIDERALDO LUIZ DE ALMEIDA Presidente da Diretoria Executiva da ASCT

HIDERALDO LUIZ DE ALMEIDA Presidente da Diretoria Executiva da ASCT EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ELEIÇÃO GERAL DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS SERVIDORES DO MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO ASCT O Presidente da Diretoria Executiva

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL 1 CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1 (Âmbito) 1. O presente Regulamento, destina-se a disciplinar e organizar o processo eleitoral, de forma complementar ao previsto no Compromisso

Leia mais

Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio

Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR ARMANDO DE LUCENA MALVEIRA Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio 2017-2021 Preâmbulo O presente regulamento define as regras

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL. Do Agrupamento de Escolas Elias Garcia

REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL. Do Agrupamento de Escolas Elias Garcia REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL Do Agrupamento de Escolas Elias Garcia Introdução Nos termos do artigo 15º do Decreto-Lei nº 75/2008 de 22 de abril, na redação dada pelo Decreto-Lei n.º 137/2012,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS DA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS DA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS EDITAL PNAP Nº01/2015 DA DIRETORIA DA FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS A DIRETORA DA FACULDADE

Leia mais

Conselho Geral 2016/2020. Processo Eleitoral Regulamento

Conselho Geral 2016/2020. Processo Eleitoral Regulamento Conselho Geral 2016/2020 Processo Eleitoral Regulamento Artigo 1.º Enquadramento legal 1. O processo eleitoral do Conselho Geral para o quadriénio 2016/20 obedece aos seguintes normativos legais: a) Regime

Leia mais

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO FERNANDO NAMORA DE CONDEIXA-A-NOVA

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO FERNANDO NAMORA DE CONDEIXA-A-NOVA CÓDIGO DA ESCOLA 404457 CONTRIBUINTE Nº: 600074129 RUA LONGJUMEAU 3150-122 CONDEIXA-A-NOVA Telf.: 239940200 Fax: 239941090 Email: info@eps-condeixa-a-nova.rcts.pt REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR

Leia mais

Regimento dos Grupos de Recrutamento 300 e 320 Português e Francês

Regimento dos Grupos de Recrutamento 300 e 320 Português e Francês Regimento dos Grupos de Recrutamento 300 e 320 Português e Francês Art.º 1º Composição e competências O Grupo de Recrutamento tem a composição e as competências determinadas pelo Decreto-lei 75/2008 de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/2010 - DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL Art. 1º - Este Regulamento fixa normas para eleição da Diretoria Executiva e Conselho Fiscal da, de

Leia mais

REGULAMENTO DAS ELEIÇÕES. Título I

REGULAMENTO DAS ELEIÇÕES. Título I Das finalidades REGULAMENTO DAS ELEIÇÕES Título I Art. 1º - O presente Regulamento, elaborado em cumprimento ao disposto no inciso III do Art. 53 do Estatuto Social, tem por finalidade disciplinar as eleições

Leia mais

a. O Conselho Pedagógico é composto por docentes e discentes, eleitos pelos membros de cada um dos respectivos cursos.

a. O Conselho Pedagógico é composto por docentes e discentes, eleitos pelos membros de cada um dos respectivos cursos. Regulamento Interno do Conselho Pedagógico da ESAP (Nº de Membros para o biénio 2013/2015: 14) Aprovado por unanimidade na reunião de 27.02.2014 1. Funcionamento a. O Conselho Pedagógico é composto por

Leia mais

REGULAMENTO NOS, SGPS, S.A.

REGULAMENTO NOS, SGPS, S.A. REGULAMENTO DA COMISSÃO DE AUDITORIA E FINANÇAS NOS, SGPS, S.A. 1/5 O presente instrumento regulamenta o exercício de competências e deveres, e o funcionamento, da Comissão de Auditoria e Finanças da NOS

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO JURISDICIONAL

PROPOSTA DE REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO JURISDICIONAL PROPOSTA DE REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO JURISDICIONAL Proposta de adequação ao novo EOE (Lei n.º 123/2015, de 2 de Setembro) PROPOSTA DE REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DO CONSELHO JURISDICIONAL

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL 2016 IAB RS

REGULAMENTO ELEITORAL 2016 IAB RS A Comissão Eleitoral constituída nos termos do Art. 80 do Estatuto do IAB RS, vem, através deste Regulamento Eleitoral Eleições 2016, editado nos termos do parágrafo único do Artigo 80 do Estatuto do IAB

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO OSAMARANTEBRAGAREGULAMENT INTERNODOAGRUPAMENTODEESCO. Anexo I ASCARLOSAMARANTEBRAGAREGUL

REGULAMENTO INTERNO OSAMARANTEBRAGAREGULAMENT INTERNODOAGRUPAMENTODEESCO. Anexo I ASCARLOSAMARANTEBRAGAREGUL EGULAMENTOINTERNODOAGRUPA ENTODEESCOLASCARLOSAMARANT BRAGAREGULAMENTOINTERNODOA RUPAMENTODEESCOLASCARLOSAM RANTEBRAGAREGULAMENTOINTER ODOAGRUPAMENTODEESCOLASCAR REGULAMENTO INTERNO OSAMARANTEBRAGAREGULAMENT

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Santa Maria da Feira

Agrupamento de Escolas de Santa Maria da Feira Agrupamento de Escolas de Santa Maria da Feira - 151660 Regulamento Interno 2015 Capítulo II ORGANIZAÇÃO FUNCIONAL E ADMINISTRATIVA Artigo 3º ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO Nos termos do regime de autonomia,

Leia mais

Preâmbulo. O presente regulamento define as regras a observar no procedimento concursal para a eleição do

Preâmbulo. O presente regulamento define as regras a observar no procedimento concursal para a eleição do ESCOLA SECUNDÁRIA JOSÉ SARAMAGO-MAFRA Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio 2015-2019 Preâmbulo O presente regulamento define as regras a observar no procedimento

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA OS CARGOS SOCIAIS DA FENACAM - FEDERAÇÃO NACIONAL DAS CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO, FCRL. Artigo 1º

REGULAMENTO ELEITORAL PARA OS CARGOS SOCIAIS DA FENACAM - FEDERAÇÃO NACIONAL DAS CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO, FCRL. Artigo 1º V.3-01.11.2012 REGULAMENTO ELEITORAL PARA OS CARGOS SOCIAIS DA FENACAM - FEDERAÇÃO NACIONAL DAS CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO, FCRL Através da vontade expressa dos seus membros em Assembleia-geral de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 001 DE 15 DE JULHO DE 2016.

RESOLUÇÃO Nº 001 DE 15 DE JULHO DE 2016. RESOLUÇÃO Nº 001 DE 15 DE JULHO DE 2016. Dispõe sobre a aprovação Ad Referendum do Regulamento para eleição dos representantes dos corpos discente, docente e técnico-administrativo do Conselho Acadêmico

Leia mais

Regulamento de concurso para Diretor

Regulamento de concurso para Diretor Regulamento de concurso para Diretor Nos termos do disposto no artigo 22.º, do Decreto-Lei n.º 75/2008, de 22 de abril, e do Decreto-Lei nº 137/2012 de 2 de Julho, torna-se público, que se encontra aberto

Leia mais

REGIMENTO DA SECÇÃO DE FORMAÇÃO E MONITORIZAÇÃO DA COMISSÃO PEDAGÓGICA

REGIMENTO DA SECÇÃO DE FORMAÇÃO E MONITORIZAÇÃO DA COMISSÃO PEDAGÓGICA REGIMENTO DA SECÇÃO DE FORMAÇÃO E MONITORIZAÇÃO DA COMISSÃO PEDAGÓGICA REGIMENTO DA SECÇÃO DE FORMAÇÃO E MONITORIZAÇÃO DO CENFORMA 2 Artigo 1.º Definição 1. O Regimento Interno da Secção de Formação e

Leia mais

Regimento do Conselho Geral do Fórum Académico para a Informação e Representação Externa

Regimento do Conselho Geral do Fórum Académico para a Informação e Representação Externa Regimento do Conselho Geral do Fórum Académico para a Informação e Representação Externa CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Natureza O Conselho Geral é o órgão deliberativo intermédio do Fórum Académico

Leia mais

Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO

Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO Dias 25,26,27 e 28 de agosto de 2011. Capítulo I - Das Disposições Gerais Art. 1º - A

Leia mais

Estatutos da Associação de Estudantes

Estatutos da Associação de Estudantes Estatutos da Associação de Estudantes Escola Básica e Secundária de Melgaço A.E.E.B.S.M. CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Designação 1 A associação denomina-se A.E.E.B.S.M. e é uma coletividade

Leia mais

Regulamento para a Eleição do Diretor da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto,

Regulamento para a Eleição do Diretor da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto, Regulamento para a Eleição do Diretor da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto, Artigo 1º Objetivo Este regulamento organiza o procedimento para a eleição do Diretor da Faculdade de Farmácia da

Leia mais

Regulamento Eleitoral

Regulamento Eleitoral Regulamento Eleitoral Lisboa, 29 de Outubro de 2016 Capítulo I Das condições Gerais Artigo 1.º (Princípios gerais) 1. As eleições para os órgãos nacionais, regionais e locais do PAN cumprem princípios

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA ORDEM DOS ARQUITECTOS

REGULAMENTO ELEITORAL DA ORDEM DOS ARQUITECTOS REGULAMENTO ELEITORAL DA ORDEM DOS ARQUITECTOS Apreciado na XX reunião plenária do CDN, em XX de XXXX de XXXX, e pelo Conselho Nacional de Delegados no dia XX de XXXX de XXXX. Aprovado em reunião plenária

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO RESOLUÇÃO CEE N.º 02, DE 13 DE JUNHO DE 2016.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO RESOLUÇÃO CEE N.º 02, DE 13 DE JUNHO DE 2016. RESOLUÇÃO CEE N.º 02, DE 13 DE JUNHO DE 2016. O COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL DA FUNDAÇÃO, CONSTITUÍDO DA REUNIÃO DO CONSELHO DIRETOR, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO E DO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO,

Leia mais

PARLAMENTO DOS JOVENS E N S I N O B Á S I C O E S E C U N D Á R I O

PARLAMENTO DOS JOVENS E N S I N O B Á S I C O E S E C U N D Á R I O PARLAMENTO DOS JOVENS E N S I N O B Á S I C O E S E C U N D Á R I O O QUE É? O programa Parlamento dos Jovens é uma iniciativa da Assembleia da República (AR) dirigida aos jovens do 2.º e do 3.º ciclos

Leia mais

ANO LETIVO 2014/2015 REGIMENTO DO CONSELHO DE DOCENTES 1º CEB

ANO LETIVO 2014/2015 REGIMENTO DO CONSELHO DE DOCENTES 1º CEB ANO LETIVO 2014/2015 REGIMENTO DO CONSELHO DE DOCENTES 1º CEB 1 Preâmbulo O Conselho de Docentes do 1.º ciclo do ensino básico é uma estrutura constituída para efeitos de avaliação dos alunos. Artigo 1.º

Leia mais

EDITAL N 002 /2016 DA COMISSÃO ELEITORAL ESPECIAL DA COMPETÊNCIA DA COMISSÃO ELEITORAL ESPECIAL

EDITAL N 002 /2016 DA COMISSÃO ELEITORAL ESPECIAL DA COMPETÊNCIA DA COMISSÃO ELEITORAL ESPECIAL EDITAL N 002 /2016 NORMAS DO PROCESSO ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS MEMBROS DA COMISSÃO PERMANENTE DE PESSOAL DOCENTE (CPPD) DO INSTITUTO FEDERAL GOIANO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS AVANÇADO CRISTALINA.

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DO CONCELHO DE OLIVEIRA DO BAIRRO

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DO CONCELHO DE OLIVEIRA DO BAIRRO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º (Âmbito) 1. O presente Regulamento define o processo eleitoral em complemento ao previsto no Compromisso da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia do Concelho

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS SOCIAIS, DE LEIRIA

REGULAMENTO ELEITORAL DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS SOCIAIS, DE LEIRIA REGULAMENTO ELEITORAL DO CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS SOCIAIS, DE LEIRIA Secção I Do Conselho Técnico-Científico Artigo 1º Composição 1. De acordo com o disposto

Leia mais

FUTEBOL CLUBE DO PORTO Futebol, SAD

FUTEBOL CLUBE DO PORTO Futebol, SAD ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA Aviso Convocatório Nos termos do disposto no artigo 22.º dos Estatutos da Futebol Clube do Porto Futebol, SAD ( Sociedade ) e no artigo 377.º do Código das Sociedades Comerciais,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTICIPANTES DO PB1 DA PREVI - ANAPLAB

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTICIPANTES DO PB1 DA PREVI - ANAPLAB ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTICIPANTES DO PB1 DA PREVI - ANAPLAB REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DO REGULAMENTO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - O presente Regulamento tem por objetivo definir as normas que

Leia mais

REGULAMETO ELEITORAL DO CENTRO CULTURAL SOCIAL E DESPORTIVO NÚMERO QUINHENTOS DOS TRABALHADORES DA SAÚDE E SEGURANÇA SOCIAL DO DISTRITO DE VISEU

REGULAMETO ELEITORAL DO CENTRO CULTURAL SOCIAL E DESPORTIVO NÚMERO QUINHENTOS DOS TRABALHADORES DA SAÚDE E SEGURANÇA SOCIAL DO DISTRITO DE VISEU REGULAMETO ELEITORAL DO CENTRO CULTURAL SOCIAL E DESPORTIVO NÚMERO QUINHENTOS DOS TRABALHADORES DA SAÚDE E SEGURANÇA SOCIAL DO DISTRITO DE VISEU Artigo Primeiro (A eleição) Os diversos órgãos sociais do

Leia mais

Regulamento para o procedimento concursal para a eleição do Diretor

Regulamento para o procedimento concursal para a eleição do Diretor Regulamento para o procedimento concursal para a eleição do Diretor OBJECTO O presente regulamento estabelece as condições de acesso e normas para a eleição do diretor da Escola Secundária Quinta das Palmeiras,

Leia mais

Regulamento Eleitoral (Aprovado em Conselho Nacional de )

Regulamento Eleitoral (Aprovado em Conselho Nacional de ) Regulamento Eleitoral (Aprovado em Conselho Nacional de 02.09.2004) Artigo 1º (Princípios gerais) 1. As eleições para os órgãos distritais e locais do PSD obedecem aos princípios da democraticidade interna,

Leia mais

Casa do Povo de Fermentões

Casa do Povo de Fermentões REGULAMENTO ELEITORAL da Casa do Povo de Fermentões Artigo 1.º (Realização das eleições) 1 - Salvo disposição estatutária em contrário, devem realizar-se eleições em cada Casa do Povo, para a totalidade

Leia mais

Regulamento eleitoral para as eleições dos estudantes dos Conselhos Pedagógicos dos Centros de Competência. Preâmbulo

Regulamento eleitoral para as eleições dos estudantes dos Conselhos Pedagógicos dos Centros de Competência. Preâmbulo Regulamento eleitoral para as eleições dos estudantes dos Conselhos Pedagógicos dos Centros de Competência Preâmbulo O artigo 72.º dos Estatutos da Universidade da Madeira prevê que compete à Reunião Geral

Leia mais

EDITAL DE ELEIÇÃO 001/2016

EDITAL DE ELEIÇÃO 001/2016 EDITAL DE ELEIÇÃO 001/2016 Convoca Eleição para a Presidência do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Santa Maria da Vitória, Bahia. A Presidente do CAPREVAS Instituto de Previdência

Leia mais

Regulamento para o Recrutamento do Diretor da Escola Secundária Fernão Mendes Pinto, Almada

Regulamento para o Recrutamento do Diretor da Escola Secundária Fernão Mendes Pinto, Almada Escola Secundária Fernão Mendes Pinto Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares Regulamento para o Recrutamento do Diretor da Escola Secundária Fernão Mendes Pinto, Almada Objeto O presente regulamento

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016 O CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO do município de Areal, no âmbito de ação e conforme preceitua sua Lei de Criação

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL CEMELB - CONVENÇÃO EUROPEIA DE MINISTROS LUSO-BRASILEIROS Página 1 de 6

REGULAMENTO ELEITORAL CEMELB - CONVENÇÃO EUROPEIA DE MINISTROS LUSO-BRASILEIROS Página 1 de 6 REGULAMENTO ELEITORAL Página 1 de 6 PARA OS CORPOS GERENTES DA CONVENÇÃO EUROPEIA DE MINISTROS EVANGÉLICOS LUSO-BRASILEIROS REFERENTE AO MANDATO DE 2010/2014 Capítulo I (Objectivo, âmbito, composição e

Leia mais

Associação Alentejo de Excelência ESTATUTOS. Artigo 1º Denominação, Sede e Duração

Associação Alentejo de Excelência ESTATUTOS. Artigo 1º Denominação, Sede e Duração Associação Alentejo de Excelência ESTATUTOS Artigo 1º Denominação, Sede e Duração 1. A associação, sem fins lucrativos, adopta a denominação de Alentejo de Excelência - Associação para a Competitividade,

Leia mais

Comissão Sindical de Empresa do Banco Comercial Português (Centro)

Comissão Sindical de Empresa do Banco Comercial Português (Centro) Regulamento Comissão Sindical de Empresa Grupo Banco Artigo 1º Âmbito do Regulamento Nos termos dos Estatutos a organização e funcionamento da Comissão Sindical de Empresa reger-se-á pelo presente Regulamento,

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS DOS LOUROS ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCAREGADOS DE EDUCAÇÃO

ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS DOS LOUROS ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCAREGADOS DE EDUCAÇÃO CAPITULO I ARTIGO 1.º (Denominação, natureza, sede e âmbito) 1. A Associação adopta a designação de Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos dos Louros. 2. É uma

Leia mais

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA. Edital de Eleição nº 001/2016 Gestão 2016/2017.

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA. Edital de Eleição nº 001/2016 Gestão 2016/2017. Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA Edital de Eleição nº 001/2016 Gestão 2016/2017. Anuncia e convoca eleições para a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes das Escolas Unidas do Planalto

Leia mais

Regulamento Eleitoral da Santa Casa da Misericórdia de Moura Lar de São Francisco

Regulamento Eleitoral da Santa Casa da Misericórdia de Moura Lar de São Francisco Regulamento Eleitoral da Santa Casa da Misericórdia de Moura Lar de São Francisco Capítulo I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º (Âmbito) 1 O presente Regulamento rege e organiza o processo eleitoral da Santa

Leia mais

Conselho das Comunidades Portuguesas

Conselho das Comunidades Portuguesas Regulamento Interno do Conselho Regional das Comunidades Portuguesas na América do Norte Aprovado nos termos do número 3 do artigo 39.º-A e do número 1 do artigo 39.º-C da Lei n.º 66- A/2007, de 11 de

Leia mais

REGULAMENTO DE ELEIÇÃO PARA COLEGIADO DO CURSO SUPERIOR EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO E CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET.

REGULAMENTO DE ELEIÇÃO PARA COLEGIADO DO CURSO SUPERIOR EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO E CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET. Ministério da Educação Universidade Tecnologia Federal do Paraná Câmpus Campo Mourão Diretoria de Graduação e Educação Profissional REGULAMENTO DE ELEIÇÃO PARA COLEGIADO DO CURSO SUPERIOR EM CIÊNCIA DA

Leia mais

Artigo 1.º Composição do conselho técnico-científico. 1- Os CTC das Escolas do ISEC são constituídos, no seu primeiro mandato por 20 (vinte) membros:

Artigo 1.º Composição do conselho técnico-científico. 1- Os CTC das Escolas do ISEC são constituídos, no seu primeiro mandato por 20 (vinte) membros: REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DO CORPO DOCENTE PARA OS CONSELHOS TÉCNICO-CIENTÍFICO das ESCOLAS do INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS O presente regulamento rege a eleição para o Conselho

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS I DEFINIÇÃO Este Regimento Interno, organizado em conformidade com o Estatuto Social da Ser Educacional S.A. ( Companhia ), estabelece procedimentos a serem observados

Leia mais

3 Consideram -se qualificados para o exercício de funções de administração e gestão os docentes que preencham uma das seguintes condições:

3 Consideram -se qualificados para o exercício de funções de administração e gestão os docentes que preencham uma das seguintes condições: Concurso para Director (a) Agrupamento Vertical de escolas de ferreira de Aves Procedimento concursal: 1 Nos termos do disposto nos artigos 21.º e 22.º, do Decreto Lei n.º 75/2008, de 22 de Abril, e da

Leia mais

Regulamento Eleitoral (*)

Regulamento Eleitoral (*) Regulamento Eleitoral (*) CAPITULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Das eleições em geral 1. As eleições ordinárias para o Presidente da Ordem dos Médicos, para a Mesa das Assembleias Regionais, para os

Leia mais

EDITAL PROGRAD Nº 44, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2014

EDITAL PROGRAD Nº 44, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2014 EDITAL PROGRAD Nº 44, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2014 A PRÓ-REITORA DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE (UFCSPA), no uso de suas atribuições legais, estatutárias e regimentais

Leia mais

Regimento. Conselhos de Turma dos Cursos Profissionais e CEF. Capítulo I Enquadramento, composição e competências. Artigo 1º. Enquadramento.

Regimento. Conselhos de Turma dos Cursos Profissionais e CEF. Capítulo I Enquadramento, composição e competências. Artigo 1º. Enquadramento. Capítulo I Enquadramento, composição e competências Artigo 1º Enquadramento 1. O presente documento estabelece o Regimento Interno de funcionamento dos Profissionais e dos Cursos de Educação e Formação.

Leia mais

ELEIÇÕES PARA PRESIDENTE DA FIOCRUZ REGULAMENTO ELEITORAL

ELEIÇÕES PARA PRESIDENTE DA FIOCRUZ REGULAMENTO ELEITORAL I - DA ELEIÇÃO ELEIÇÕES PARA PRESIDENTE DA FIOCRUZ - 2008 REGULAMENTO ELEITORAL Artigo 1º - A data de eleição do Presidente da FIOCRUZ será marcada pelo Conselho Deliberativo da FIOCRUZ. II - DOS CANDIDATOS

Leia mais

REGULAMENTO DA ELEIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS E DA REALIZAÇÃO DE REFERENDOS DA ORDEM DOS ARQUITECTOS

REGULAMENTO DA ELEIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS E DA REALIZAÇÃO DE REFERENDOS DA ORDEM DOS ARQUITECTOS REGULAMENTO DA ELEIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS E DA REALIZAÇÃO DE REFERENDOS DA ORDEM DOS ARQUITECTOS Apreciado na 42.ª reunião plenária do Conselho Directivo Nacional, em 18 de Maio de 2010, e pelo Conselho

Leia mais