Regulamento Eleitoral. Primeira Eleição dos Órgãos Sociais do Clube ANA Madeira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regulamento Eleitoral. Primeira Eleição dos Órgãos Sociais do Clube ANA Madeira"

Transcrição

1 Regulamento Eleitoral Primeira Eleição dos Órgãos Sociais do Clube ANA Madeira 1. Objetivo 1.1. O presente regulamento tem como objetivo regulamentar o processo de eleição dos Órgãos Sociais do Clube ANA Madeira. 2. Mandato dos Órgãos Sociais 2.1. O mandato dos Órgãos Sociais é de três anos, findo o qual se realizam eleições ordinárias O mandato cessa no dia em que forem empossados os seus substitutos. 3. Capacidade Eleitoral 3.1. São eleitores e elegíveis os sócios efetivos do Clube ANA Madeira, com as quotas regularizadas à data de entrega das listas. 4. Processo Eleitoral 4.1. As eleições são convocadas pela Comissão Instaladora do Clube ANA Madeira. 5. Convocatória 5.1. O ato eleitoral é convocado com a antecedência mínima de 30 dias A convocatória mencionará expressamente o dia, o local e o objeto da votação A convocatória será difundida pelos meios adequados para garantir a sua ampla divulgação. 6. Princípios gerais sobre o voto 6.1. O voto é direto, secreto e presencial ou por correspondência. 7. Comissão Eleitoral 7.1. O processo de eleição será dirigido por uma Comissão Eleitoral constituída por três membros designados pela Comissão Instaladora do Clube ANA Madeira, que entre si elegerão um Presidente. 1/8

2 7.2. Fará também parte da Comissão Eleitoral um delegado a indicar por cada lista Os delegados serão designados pelas listas candidatas, no ato da apresentação das respetivas candidaturas, entrando em funções quando estas forem formalmente aceites. 8. Caderno Eleitoral 8.1. A Comissão Eleitoral elaborará o caderno eleitoral onde constarão todos os sócios com direito a voto, identificando os eleitores pelo nome completo, número de sócio do clube e número de trabalhador ANA O caderno eleitoral deverá estar disponível para a consulta de todos os sócios interessados, pelo menos, 10 dias antes do ato eleitoral. 9. Candidaturas 9.1. As propostas de candidatura deverão ser subscritas por um mínimo de quatro sócios efetivos As propostas deverão ser acompanhadas de declaração de aceitação das candidaturas As propostas deverão conter três listas: uma para a Assembleia Geral, uma para a Direção e outra para o Conselho Fiscal As listas devem conter as seguintes indicações: Para Assembleia Geral: Presidente; Primeiro Secretário; Segundo Secretário Para o Conselho Fiscal: Presidente Relator Vogal 2/8

3 Para a Direção: Presidente Vice Presidente Tesoureiro 4 Vogais 2 Vogais Suplentes (opcional) de uma lista Nenhum membro pode ser candidato, na mesma lista, a mais de um cargo, nem figurar em mais 9.6. No ato da candidatura, as listas poderão apresentar os seus programas de ação em suporte informático, cabendo à Comissão Eleitoral divulgá-los em simultâneo aos eleitores As assinaturas dos subscritores devem estar devidamente identificadas (nome completo legível e número de sócio do Clube ANA Madeira ou número de trabalhador ANA) Nenhum dos subscritores poderá fazer parte de listas a sufrágio. 10. Apresentação de candidaturas As candidaturas serão apresentadas até 15 dias antes da data marcada para o ato eleitoral Cada lista apresentará uma declaração de aceitação devidamente assinada e onde conste a sua identificação e meios de contacto, acompanhada da lista dos subscritores conforme o disposto nos números anteriores, do nome do delegado que a representará na Comissão Eleitoral e, querendo, do programa de ação A Comissão Eleitoral entregará aos apresentantes da candidatura um comprovativo com a data e hora da receção e regista essa mesma data e hora no original recebido Competirá à Comissão Eleitoral verificar a regularidade das candidaturas. Se nada for comunicado ao candidato durante o prazo previsto no número 11.2., a candidatura considera-se automaticamente aceite. 3/8

4 10.5. Todas as candidaturas têm o direito de fiscalizar a documentação recebida pela Comissão Eleitoral, para efeitos deste artigo. 11. Rejeição de candidaturas A Comissão Eleitoral deverá rejeitar as candidaturas entregues fora do prazo ou que não venham acompanhadas da documentação referida nos números 9.1, 9.3, 9.4 e A Comissão Eleitoral disporá do prazo máximo de 48 horas a contar da data e hora de entrega de cada candidatura, para apreciar a sua conformidade com o regulamento eleitoral Após a notificação pela Comissão Eleitoral, os candidatos podem suprimir as irregularidades detetadas no prazo de 48 horas a contar da hora da notificação Findo o prazo referido no número anterior, as candidaturas que continuarem a apresentar irregularidades serão definitivamente rejeitadas pela Comissão Eleitoral, através de declaração escrita e fundamentada. 12. Aceitação de candidaturas A Comissão Eleitoral publicitará a aceitação dos candidatos até 10 dias antes do ato eleitoral As listas serão identificadas por uma letra do alfabeto, atribuída por ordem cronológica de entrega das candidaturas. 13. Campanha eleitoral A campanha eleitoral terá lugar entre a data da publicitação da lista dos candidatos e o dia anterior à data das eleições. 14. Locais e horário da votação Os locais de voto e horários serão estipulados pela Comissão Eleitoral, por forma a assegurarse a boa acessibilidade dos eleitores. 15. Mesas de voto As mesas de voto serão colocadas por forma a permitir o acesso de todos os associados do Clube ANA Madeira. 16. Composição e formas de designação das mesas de voto As mesas de voto serão compostas por um Presidente e dois Secretários. 4/8

5 16.2. Os membros das mesas de voto serão designados e credenciados pela Comissão Eleitoral, de entre os sócios com direito a voto Cada candidatura poderá designar localmente um delegado junto de cada mesa de voto, para acompanhar e fiscalizar o funcionamento da mesma. 17. Boletins de voto O voto é expresso em boletins de voto, em que é impresso o nome da lista candidata, pela ordem cronológica de entrega da candidatura A elaboração dos boletins de voto e a sua distribuição pelas mesas de voto é da responsabilidade da Comissão Eleitoral. 18. Ato eleitoral Compete à mesa de voto dirigir os trabalhos do ato eleitoral Antes do início da votação, o Presidente exibe aos presentes a urna aberta, depois fecha-a e procede à sua selagem Os membros da mesa de voto Presidente, Secretários e delegados das listas candidatas votam em primeiro lugar Será permitida votação presencial ou por correspondência A votação presencial deverá decorrer da seguinte forma: O eleitor deve identificar-se através do cartão de sócio do Clube ANA Madeira, do Cartão ANA ou do bilhete de identidade/ Cartão de Cidadão Em privacidade, o eleitor assinala com uma cruz o quadrado correspondente ao seu voto, dobra o boletim em quatro e entrega-o ao Presidente da Mesa, que o introduz na urna A votação por correspondência deverá decorrer da seguinte forma: Os associados poderão exercer o direito de voto por correspondência, considerandose para o efeito apenas os votos recebidos pelo presidente da Mesa de Voto até ao encerramento da votação presencial O voto por correspondência poderá ser remetido logo que o sócio eleitor esteja de posse dos boletins de voto em papel, disponibilizados na sede do Clube ANA Madeira. 5/8

6 Só será admitido o voto por correspondência se: a) Os boletins de voto em papel estiverem dobrados em quatro e inseridos no sobrescrito interior; b) O sobrescrito interior estiver fechado e assinado pelo membro eleitor; c) O sobrescrito interior estiver inserido no sobrescrito exterior; d) O sobrescrito exterior deverá conter a identificação do membro eleitor Os envelopes contendo os votos enviados por correio só poderão ser abertos no dia do ato eleitoral e após o encerramento da urna As presenças no ato da votação e os votos recebidos por correspondência deverão ser registados, devendo o registo conter um termo de abertura e um termo de encerramento, com indicação do número total de páginas, será assinado em todas as páginas pelos membros da mesa e ficará a constituir parte integrante da ata. 19. Valor dos votos Considera-se voto em branco o boletim de voto que não tenha sido objeto de qualquer marca Considera-se voto nulo o boletim de voto: desistido da eleição Em que tenha sido assinalado o quadrado correspondente a uma lista que tenha Em que tenha sido assinalado mais do que um quadrado Em que existam dúvidas sobre que quadrado é que se pretende assinalar Em que tenha sido feito qualquer corte, desenho ou rasura ou quando tenha qualquer inscrição para além da cruz. 20. Apuramento de resultados A abertura das urnas e o apuramento de resultados em cada mesa de voto efetuam- se logo após o encerramento do ato eleitoral Os resultados eleitorais de cada mesa de voto serão tornados públicos após ter sido elaborada a respetiva ata e assinada pelos membros da mesa de voto em todas as suas páginas e anexos. 6/8

7 conterá: As atas das mesas de voto serão elaboradas com o mesmo critério, a partir de um modelo que O número dos eleitores inscritos no caderno eleitoral, o número de votantes, o apuramento dos votos de cada candidato e o número de votos brancos e nulos. considerarem relevantes Um espaço onde serão anotadas todas as ocorrências que os membros da mesa O apuramento global será efetuado pela Comissão Eleitoral, após receção da ata da mesa de voto, a verificação da inexistência de irregularidades e o apuramento dos votos por correspondência A Comissão Eleitoral deverá lavrar uma ata de apuramento global, nos moldes previstos no deste regulamento. lista eleita Após a elaboração da ata de apuramento global, a Comissão Eleitoral proclamará o nome da A Comissão Eleitoral fará chegar à Comissão Instaladora do Clube ANA Madeira uma cópia do apuramento global, para seu conhecimento. 21. Publicidade A Comissão Instaladora do Clube ANA Madeira mandará afixar e divulgar a ata de apuramento global nos mesmos locais e pelos mesmos meios com que foi divulgada a convocatória. 22. Impugnação do ato eleitoral Qualquer sócio inscrito no caderno eleitoral terá o direito de solicitar a impugnação do ato eleitoral, desde que a fundamente e demonstre por escrito ter havido violação grave do Regulamento Eleitoral O requerimento de impugnação, acompanhado das provas disponíveis, deverá ser apresentado no prazo máximo de 5 dias úteis, a contar da data de divulgação dos resultados O requerimento de impugnação será dirigido à Comissão Eleitoral, a quem compete apreciar e deliberar por maioria, tendo o Presidente voto de qualidade, caso o número de votos, por empatado, o justifique. 7/8

8 23. Posse dos Órgão Sociais Findo o prazo previsto em e não tendo sido considerada qualquer impugnação, a Comissão Eleitoral proclamará os Órgãos Sociais perante os associados do Clube ANA Madeira Nos cinco dias seguintes à proclamação, a Comissão Instaladora do Clube ANA Madeira conferirá posse aos Órgãos Sociais A partir da posse e/ou da entrada em funções dos Órgãos Sociais, a Comissão Eleitoral e a Comissão Instaladora do Clube ANA Madeira consideram-se extintas. 8/8

Regulamento Eleitoral para a eleição dos Órgãos Sociais da APM CAPÍTULO I. Dos princípios gerais. Artigo 1º. Assembleia Eleitoral

Regulamento Eleitoral para a eleição dos Órgãos Sociais da APM CAPÍTULO I. Dos princípios gerais. Artigo 1º. Assembleia Eleitoral Regulamento Eleitoral para a eleição dos Órgãos Sociais da APM CAPÍTULO I Dos princípios gerais Artigo 1º Assembleia Eleitoral 1 - Em cumprimento do disposto no capítulo sexto dos Estatutos da APM, o presente

Leia mais

Regulamento Eleitoral para a. Eleição dos Órgãos Sociais da. Associação de Professores de Matemática

Regulamento Eleitoral para a. Eleição dos Órgãos Sociais da. Associação de Professores de Matemática Regulamento Eleitoral para a Eleição dos Órgãos Sociais da CAPÍTULO I Dos Princípios Gerais Artigo 1.º Assembleia Eleitoral 1 Em cumprimento do disposto no capítulo sétimo dos Estatutos da Associação de

Leia mais

Regulamento Eleitoral da Associação Cabo-verdiana de Luta Contra o Cancro

Regulamento Eleitoral da Associação Cabo-verdiana de Luta Contra o Cancro Regulamento Eleitoral da Associação Cabo-verdiana de Luta Contra o Cancro CAPÍTULO I Princípios gerais Artigo 1.º Âmbito de aplicação O presente Regulamento Eleitoral contém as normas a que devem obedecer

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Âmbito 1. O presente Regulamento contém as normas e procedimentos a que obedecerá o processo eleitoral para a Mesa da Assembleia-Geral, para

Leia mais

Regulamento Eleitoral para o Conselho de Gestão da Escola de Engenharia

Regulamento Eleitoral para o Conselho de Gestão da Escola de Engenharia Regulamento Eleitoral para o Conselho de Gestão da Escola de Engenharia Universidade do Minho, julho 2016 Universidade do Minho Regulamento Eleitoral para o Conselho de Gestão da Escola de Engenharia O

Leia mais

Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Geral

Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Geral Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Geral Artigo 1º Objeto 1. O presente Regulamento aplica-se exclusivamente ao processo eleitoral para os membros do Conselho Geral, de acordo com o regime

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL Eleição dos Representantes dos Pais e Encarregados de Educação para o Conselho Geral do Agrupamento de Escolas Sá da Bandeira Aprovado pelo Conselho Geral em 24 de setembro de 2015

Leia mais

ORDEM PROFISSIONAL DE AUDITORES E CONTABILISTAS CERTIFICADOS REGULAMENTO ELEITORAL

ORDEM PROFISSIONAL DE AUDITORES E CONTABILISTAS CERTIFICADOS REGULAMENTO ELEITORAL ORDEM PROFISSIONAL DE AUDITORES E CONTABILISTAS CERTIFICADOS REGULAMENTO ELEITORAL PRAIA CABO VERDE OUTUBRO DE 2012 ORDEM PROFISSIONAL DE AUDITORES E CONTABILISTAS CERTIFICADOS REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO

Leia mais

Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Pedagógico [Alterações aprovadas na reunião nº 9/2013 de 30 de outubro]

Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Pedagógico [Alterações aprovadas na reunião nº 9/2013 de 30 de outubro] ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Pedagógico [Alterações aprovadas na reunião nº 9/2013 de 30 de outubro] Página2 Capítulo I Disposições Gerais

Leia mais

Artigo 1.º. Artigo 2.º

Artigo 1.º. Artigo 2.º REGULAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL DA MESA DA ASSEMBLEIA GERAL, DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E DO CONSELHO FISCAL DA PARCERIA PORTUGUESA PARA A ÁGUA (PPA) Artigo 1.º 1. A eleição da Mesa da Assembleia Geral,

Leia mais

ABERTURA DO PROCESSO ELEITORAL DO CONSELHO GERAL TRANSITÓRIO

ABERTURA DO PROCESSO ELEITORAL DO CONSELHO GERAL TRANSITÓRIO ABERTURA DO PROCESSO ELEITORAL DO CONSELHO GERAL TRANSITÓRIO REGULAMENTO DE ELEIÇÃO E DESIGNAÇÃO DOS MEMBROS DO CONSELHO GERAL TRANSITÓRIO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº2 DE BEJA Artigo 1.º Objeto 1 - O

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Proposta de Regulamento Eleitoral das eleições primárias abertas a militantes e simpatizantes do PS para a designação do candidato do PS ao cargo do Primeiro-Ministro CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DO PORTO DE PARALISIA CEREBRAL

ASSOCIAÇÃO DO PORTO DE PARALISIA CEREBRAL ASSOCIAÇÃO DO PORTO DE PARALISIA CEREBRAL REGULAMENTO ELEITORAL Regulamento Eleitoral 2016 - appc.doc - 0 - Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º O presente Regulamento visa regular o processo eleitoral

Leia mais

Associação dos Antigos Alunos da Faculdade de Medicina de Lisboa. Regulamento Eleitoral CAPÍTULO I

Associação dos Antigos Alunos da Faculdade de Medicina de Lisboa. Regulamento Eleitoral CAPÍTULO I Associação dos Antigos Alunos da Faculdade de Medicina de Lisboa Regulamento Eleitoral CAPÍTULO I Princípios Gerais Artigo 1º Objeto O presente regulamento estabelece os princípios, as regras e os procedimentos

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO ELEITORAL

PROPOSTA DE REGULAMENTO ELEITORAL RESPIRA Associação Portuguesa de Pessoas com DPOC e outras Doenças Respiratórias Crónicas PROPOSTA DE REGULAMENTO ELEITORAL Com a publicação do Decreto-Lei nº. 172-A/2014, de 14 de novembro, e da Lei nº.

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA A CONSTITUIÇÃO DO CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 2 DE LOURES 1. OBJETO

REGULAMENTO ELEITORAL PARA A CONSTITUIÇÃO DO CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 2 DE LOURES 1. OBJETO REGULAMENTO ELEITORAL PARA A CONSTITUIÇÃO DO CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 2 DE LOURES 1. OBJETO O presente Regulamento rege a eleição para o Conselho Geral dos representantes do pessoal

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL MANDATO

REGULAMENTO ELEITORAL MANDATO REGULAMENTO ELEITORAL MANDATO 2008/2010 Apreciado na 33.ª reunião plenária do CDN, em 20 de Março de 2007 e pelo Conselho Nacional de Delegados no dia 31 de Março de 2007. Aprovado em reunião plenária

Leia mais

NRAçores-APCP REGULAMENTO ELEITORAL

NRAçores-APCP REGULAMENTO ELEITORAL NRAçores-APCP REGULAMENTO ELEITORAL Artigo 1º Considerações Gerais 1. O presente Regulamento: a. Rege-se pelos Estatutos da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos, adiante designada por APCP e pelo

Leia mais

Regulamento para a eleição dos Diretores de Departamento da Escola de Ciências da Vida e do Ambiente -ECVA-

Regulamento para a eleição dos Diretores de Departamento da Escola de Ciências da Vida e do Ambiente -ECVA- Regulamento para a eleição dos Diretores de Departamento da Escola de Ciências da Vida e do Ambiente -ECVA- Capítulo I Âmbito de aplicação e Princípios Artigo 1.º Âmbito de aplicação 1. O presente regulamento

Leia mais

ABERTURA DO PROCESSO ELEITORAL DO CONSELHO GERAL

ABERTURA DO PROCESSO ELEITORAL DO CONSELHO GERAL ABERTURA DO PROCESSO ELEITORAL DO CONSELHO GERAL (2014/2018) Nos termos do artigo 15º do Decreto-Lei nº 75/2008 de 22 de abril, na redação dada pelo Decreto-Lei n.º 137/2012, de 2 de Julho, o Conselho

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL. Representantes dos alunos no Conselho Geral

REGULAMENTO ELEITORAL. Representantes dos alunos no Conselho Geral REGULAMENTO ELEITORAL Representantes dos alunos no Conselho Geral 1 Artigo 1.º Âmbito O presente Regulamento contém as normas a que devem obedecer o processo eleitoral para a eleição dos representantes

Leia mais

Associação de Ciclismo da Beira Interior REGULAMENTO ELEITORAL

Associação de Ciclismo da Beira Interior REGULAMENTO ELEITORAL Associação de Ciclismo da Beira Interior REGULAMENTO ELEITORAL Artigo 1.º Capacidade Eleitoral 1. São elegíveis para os órgãos sociais da ACBI apenas pessoas individuais. 2. São eleitores, todos os associados

Leia mais

REGULAMENTO DE ELEIÇÃO DAS COMISSÕES DE CURSO DAS ESCOLAS DO IPB

REGULAMENTO DE ELEIÇÃO DAS COMISSÕES DE CURSO DAS ESCOLAS DO IPB REGULAMENTO DE ELEIÇÃO DAS COMISSÕES DE CURSO DAS ESCOLAS DO IPB SECÇÃO I DEFINIÇÕES Artigo 1.º Objecto O presente regulamento define as normas aplicáveis ao processo de eleição das Comissões de Curso

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL Regulamento Eleitoral para Eleição dos Órgãos Sociais da Casa do Povo de Alvito - IPSS Capítulo I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito O presente regulamento contém as normas a que

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º (Objecto)

REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º (Objecto) REGULAMENTO ELEITORAL Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1.º (Objecto) 1. O regulamento eleitoral, adiante designado por regulamento, estabelece, ao abrigo do disposto no artigo 25.º dos estatutos, o

Leia mais

Artigo 1º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas pelas quais se rege o processo eleitoral para os órgãos da SPG.

Artigo 1º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas pelas quais se rege o processo eleitoral para os órgãos da SPG. REGULAMENTO ELEITORAL SOCIEDADE PORTUGUESA DE GINECOLOGIA (SPG) Artigo 1º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas pelas quais se rege o processo eleitoral para os órgãos da SPG. Artigo 2º Capacidade

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL Artigo 1.º Capacidade Eleitoral 1. São elegíveis para os órgãos sociais da A.A.C.B. apenas pessoas individuais. 2. São eleitores, todos os associados efectivos e extraordinários no

Leia mais

Regulamento do processo eleitoral para o Conselho Geral Transitório

Regulamento do processo eleitoral para o Conselho Geral Transitório Regulamento do processo eleitoral para o Conselho Geral Transitório Artigo 1º Objeto 1. O presente Regulamento aplica-se exclusivamente ao processo eleitoral para os membros do Conselho Geral Transitório,

Leia mais

VI CONGRESSO DOS SOLICITADORES REGULAMENTO

VI CONGRESSO DOS SOLICITADORES REGULAMENTO VI CONGRESSO DOS SOLICITADORES REGULAMENTO Capítulo I Objetivos, data e local de realização Artigo 1.º Objetivos O Congresso tem como objetivos pronunciar-se sobre o exercício da solicitadoria, sobre questões

Leia mais

REGULAMETO ELEITORAL DO CENTRO CULTURAL SOCIAL E DESPORTIVO NÚMERO QUINHENTOS DOS TRABALHADORES DA SAÚDE E SEGURANÇA SOCIAL DO DISTRITO DE VISEU

REGULAMETO ELEITORAL DO CENTRO CULTURAL SOCIAL E DESPORTIVO NÚMERO QUINHENTOS DOS TRABALHADORES DA SAÚDE E SEGURANÇA SOCIAL DO DISTRITO DE VISEU REGULAMETO ELEITORAL DO CENTRO CULTURAL SOCIAL E DESPORTIVO NÚMERO QUINHENTOS DOS TRABALHADORES DA SAÚDE E SEGURANÇA SOCIAL DO DISTRITO DE VISEU Artigo Primeiro (A eleição) Os diversos órgãos sociais do

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL 2014

REGULAMENTO ELEITORAL 2014 REGULAMENTO ELEITORAL 2014 Artigo 1.º Organização 1. A organização das eleições é da competência do Conselho Diretivo Nacional da OET Ordem dos Engenheiros Técnicos, doravante designado por Conselho Diretivo

Leia mais

Escola de Arquitetura. Regulamento eleitoral para o Conselho Científico da Escola de Arquitetura

Escola de Arquitetura. Regulamento eleitoral para o Conselho Científico da Escola de Arquitetura Escola de Arquitetura Regulamento eleitoral para o Conselho Científico da Escola de Arquitetura Universidade do Minho, Junho de 2016 Regulamento eleitoral para o Conselho Científico Escola de Arquitetura

Leia mais

Agrupamento de Escolas José Estêvão. Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral

Agrupamento de Escolas José Estêvão. Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral Agrupamento de Escolas José Estêvão Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral Secção I Disposições gerais Artigo 1º Objeto O presente regulamento estabelece as condições e procedimentos

Leia mais

Despacho Presidente n.º 2013/44

Despacho Presidente n.º 2013/44 ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO Despacho Presidente n.º 2013/44 Aprovação do Regulamento e do calendário eleitoral para a eleição simultânea dos órgãos de governo e de gestão da Escola Superior

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. CARLOS I CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL. Preâmbulo. CAPÍTULO I Objeto e composição. Artigo 1.

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. CARLOS I CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL. Preâmbulo. CAPÍTULO I Objeto e composição. Artigo 1. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. CARLOS I CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL Preâmbulo O conselho geral é o órgão de direção estratégica responsável pela definição das linhas orientadoras da atividade da escola,

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA ASSOCIAÇÃO DE PARALISIA CEREBRAL DE LISBOA APCL. Capitulo I Disposições gerais. Artigo 1º Âmbito

REGULAMENTO ELEITORAL DA ASSOCIAÇÃO DE PARALISIA CEREBRAL DE LISBOA APCL. Capitulo I Disposições gerais. Artigo 1º Âmbito REGULAMENTO ELEITORAL DA ASSOCIAÇÃO DE PARALISIA CEREBRAL DE LISBOA Capitulo I Disposições gerais Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento visa regular o processo eleitoral dos Órgãos Sociais da Associação

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS MEMBROS DO SENADO ACADÉMICO. Artigo 1.º. Objeto

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS MEMBROS DO SENADO ACADÉMICO. Artigo 1.º. Objeto REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DOS MEMBROS DO SENADO ACADÉMICO (Aprovado em reunião do Senado Académico de 2 de fevereiro de 2012) Artigo 1.º Objeto O presente regulamento rege a eleição dos representantes dos

Leia mais

ulamento Eleitoral ALADI ASSOCIAÇÃO LAVRENSE DE APOIO AO DIMINUIDO II\TELECTUAL

ulamento Eleitoral ALADI ASSOCIAÇÃO LAVRENSE DE APOIO AO DIMINUIDO II\TELECTUAL ALADI ASSOCIAÇÃO LAVRENSE DE APOIO AO DIMINUIDO II\TELECTUAL Re ulamento Eleitoral Capítulo - Disposições gerais Artigo te - Âmbito O presente regulamento contém as normas a que devem obedecer o processo

Leia mais

Instituto Superior Técnico. Regulamento Eleitoral para a constituição do Conselho Pedagógico do IST. SECÇÃO I (Comissão Eleitoral)

Instituto Superior Técnico. Regulamento Eleitoral para a constituição do Conselho Pedagógico do IST. SECÇÃO I (Comissão Eleitoral) Instituto Superior Técnico Regulamento Eleitoral para a constituição do Conselho Pedagógico do IST SECÇÃO I (Comissão Eleitoral) Artigo 1.º Constituição e Competência 1. O Presidente do IST designará,

Leia mais

Declaração de Aceitação. Para Membro da Comissão Eleitoral

Declaração de Aceitação. Para Membro da Comissão Eleitoral Declaração de Aceitação Para Membro da Comissão Eleitoral Nos termos do disposto no artigo n.º 1º do artigo n.º 56º dos estatutos do Sindicato Nacional dos Registos e Notariado eu,..., venho por este meio

Leia mais

Regulamento Eleitoral da Associação de Atletismo de Braga

Regulamento Eleitoral da Associação de Atletismo de Braga Regulamento Eleitoral da Associação de Atletismo de Braga Artigo 1º Objeto 1. O presente Regulamento estabelece os princípios reguladores do processo eleitoral da Associação de Atletismo de Braga (adiante

Leia mais

REGULAMENTO de ELEIÇÃO do DIRETOR da ESCOLA SUPERIOR de CIÊNCIAS EMPRESARIAIS do INSTITUTO POLITÉCNICO de SETÚBAL

REGULAMENTO de ELEIÇÃO do DIRETOR da ESCOLA SUPERIOR de CIÊNCIAS EMPRESARIAIS do INSTITUTO POLITÉCNICO de SETÚBAL REGULAMENTO de ELEIÇÃO do DIRETOR da ESCOLA SUPERIOR de CIÊNCIAS EMPRESARIAIS do INSTITUTO POLITÉCNICO de SETÚBAL Aprovado na 20ª Reunião do Conselho de Representantes da ESCE/IPS, em 18 de janeiro de

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL ENA - AGÊNCIA DE ENERGIA E AMBIENTE DA ARRÁBIDA REGULAMENTO ELEITORAL --------- --------- CAPÍTULO I CONSTITUIÇÃO E FUNCIONAMENTO DA ASSEMBLEIA ELEITORAL Artº 1º Constituição da Assembleia Eleitoral A

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL Ténis de Mesa MODALIDADE OLÍMPICA CAPITULO I Princípios Gerais Artigo 1º (Objeto) 1. O presente regulamento estabelece os princípios reguladores do processo eleitoral da Federação

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL CEMELB - CONVENÇÃO EUROPEIA DE MINISTROS LUSO-BRASILEIROS Página 1 de 6

REGULAMENTO ELEITORAL CEMELB - CONVENÇÃO EUROPEIA DE MINISTROS LUSO-BRASILEIROS Página 1 de 6 REGULAMENTO ELEITORAL Página 1 de 6 PARA OS CORPOS GERENTES DA CONVENÇÃO EUROPEIA DE MINISTROS EVANGÉLICOS LUSO-BRASILEIROS REFERENTE AO MANDATO DE 2010/2014 Capítulo I (Objectivo, âmbito, composição e

Leia mais

CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I. Objeto. CAPÍTULO II Abertura do processo eleitoral

CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I. Objeto. CAPÍTULO II Abertura do processo eleitoral CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I Objeto Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento estabelece as normas aplicáveis ao processo de eleição dos representantes dos alunos e dos pais e encarregados

Leia mais

Eleição para os órgãos colegiais de governo da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (Ato eleitoral em 30 de Outubro de 2013)

Eleição para os órgãos colegiais de governo da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (Ato eleitoral em 30 de Outubro de 2013) ASSEMBLEIA DA FMUC Eleição para os órgãos colegiais de governo da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (Ato eleitoral em 30 de Outubro de 2013) REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I Princípios Gerais

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL Aprovado em Assembleia Geral Extraordinária 13 Setembro de 2014 Regulamento Eleitoral Página 1 de 8 Artigo 1º Objeto 1º O presente regulamento estabelece os princípios reguladores

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO NO CONSELHO GERAL Biénio 2015/ /17

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO NO CONSELHO GERAL Biénio 2015/ /17 REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO NO CONSELHO GERAL Biénio 2015/16 2016/17 Nota Justificativa: Com o objetivo de regular o processo eleitoral de eleição

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL E DE FUNCIONAMENTO DO CONGRESSO FAPPC 2014

REGULAMENTO ELEITORAL E DE FUNCIONAMENTO DO CONGRESSO FAPPC 2014 REGULAMENTO ELEITORAL E DE FUNCIONAMENTO DO CONGRESSO FAPPC 2014 ÍNDICE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS... 4 Artigo 1º - Do âmbito do presente regulamento... 4 Artigo 2º - Do Congresso da Federação... 4

Leia mais

Regulamento Eleitoral para os representantes dos trabalhadores não docentes e não investigadores para o Conselho Geral da Universidade da Madeira 1

Regulamento Eleitoral para os representantes dos trabalhadores não docentes e não investigadores para o Conselho Geral da Universidade da Madeira 1 Regulamento Eleitoral para os representantes dos trabalhadores não docentes e não investigadores para o Conselho Geral da Universidade da Madeira 1 O presente regulamento rege a eleição do representante

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARCERIA TERRITORIAL ALENTEJO CENTRAL

REGULAMENTO ELEITORAL PARCERIA TERRITORIAL ALENTEJO CENTRAL REGULAMENTO ELEITORAL PARCERIA TERRITORIAL ALENTEJO CENTRAL 2014-2020 ARTIGO PRIMEIRO O Regulamento Eleitoral estabelece as normas que regulam o Processo Eleitoral da Mesa do Conselho de Parceiros, Seis

Leia mais

REGULAMENTO DA ELEIÇÃO DO PRESIDENTE DA COMISSÃO POLÍTICA NACIONAL E DO 36.º CONGRESSO NACIONAL

REGULAMENTO DA ELEIÇÃO DO PRESIDENTE DA COMISSÃO POLÍTICA NACIONAL E DO 36.º CONGRESSO NACIONAL REGULAMENTO DA ELEIÇÃO DO PRESIDENTE DA COMISSÃO POLÍTICA NACIONAL E DO 36.º CONGRESSO NACIONAL CAPÍTULO I ELEIÇÃO DO PRESIDENTE DA COMISSÃO POLÍTICA NACIONAL Artigo 1.º (Eleição do Presidente da CPN)

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º. Objeto

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL. Artigo 1.º. Objeto AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL Artigo 1.º Objeto O presente regulamento define o processo eleitoral dos membros do Conselho Geral referido nos artigos

Leia mais

REGULAMENTO ELEIÇÃO DO REPRESENTANTE DOS TRABALHADORES NO CONSELHO DE AUDITORIA

REGULAMENTO ELEIÇÃO DO REPRESENTANTE DOS TRABALHADORES NO CONSELHO DE AUDITORIA Área Proponente GGV REGULAMENTO ELEIÇÃO DO REPRESENTANTE DOS TRABALHADORES NO CONSELHO DE AUDITORIA Data de Emissão 02-08-2013 Regulamento Eleitoral Artigo 1.º (Direito de voto) Compete aos trabalhadores

Leia mais

DANÇA D IDEIAS ASSOCIAÇÃO REGULAMENTO ELEITORAL

DANÇA D IDEIAS ASSOCIAÇÃO REGULAMENTO ELEITORAL DANÇA D IDEIAS ASSOCIAÇÃO REGULAMENTO ELEITORAL Aprovado a 29 de Outubro de 2010 CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS Artigo 1º Objecto 1. O presente Regulamento estabelece os princípios reguladores do processo

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA ORDEM DOS ARQUITECTOS

REGULAMENTO ELEITORAL DA ORDEM DOS ARQUITECTOS REGULAMENTO ELEITORAL DA ORDEM DOS ARQUITECTOS Apreciado na XX reunião plenária do CDN, em XX de XXXX de XXXX, e pelo Conselho Nacional de Delegados no dia XX de XXXX de XXXX. Aprovado em reunião plenária

Leia mais

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO E COOPTAÇÃO DOS MEMBROS DO CONSELHO GERAL DO IPCB. Capítulo I Âmbito de Aplicação e Princípios Gerais

REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO E COOPTAÇÃO DOS MEMBROS DO CONSELHO GERAL DO IPCB. Capítulo I Âmbito de Aplicação e Princípios Gerais REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO E COOPTAÇÃO DOS MEMBROS DO CONSELHO GERAL DO IPCB Capítulo I Âmbito de Aplicação e Princípios Gerais Artº 1º Âmbito de Aplicação O presente Regulamento estabelece as normas aplicáveis

Leia mais

CONSELHO GERAL ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL EDITAL

CONSELHO GERAL ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL EDITAL ELEIÇÃO DO CONSELHO GERAL EDITAL Nos termos do artigo 16.º do Regulamento Interno do Agrupamento de Escolas Poeta Joaquim Serra, declaro aberto, com efeitos a contar do dia imediato ao do presente Edital,

Leia mais

Regulamento para a Eleição do Diretor do Agrupamento de Escolas de Carvalhos

Regulamento para a Eleição do Diretor do Agrupamento de Escolas de Carvalhos Regulamento para a Eleição do Diretor do Agrupamento de Escolas de Carvalhos Artigo 1.º Objeto O presente regulamento define as regras a observar no procedimento concursal para a eleição do Diretor do

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA OS CARGOS SOCIAIS DA FENACAM - FEDERAÇÃO NACIONAL DAS CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO, FCRL. Artigo 1º

REGULAMENTO ELEITORAL PARA OS CARGOS SOCIAIS DA FENACAM - FEDERAÇÃO NACIONAL DAS CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO, FCRL. Artigo 1º V.3-01.11.2012 REGULAMENTO ELEITORAL PARA OS CARGOS SOCIAIS DA FENACAM - FEDERAÇÃO NACIONAL DAS CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO, FCRL Através da vontade expressa dos seus membros em Assembleia-geral de

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS. Regulamento n.º602/ 2016

ORDEM DOS ADVOGADOS. Regulamento n.º602/ 2016 Regulamento n.º 602/2016 (Série II), de 20 de Junho de 2016 / Ordem dos Advogados Regulamento Eleitoral. Diário da República - Série II - n.º 116 (20-06-2016), p. 19152-19155. ORDEM DOS ADVOGADOS Regulamento

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO

REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO Art. 1º - Este Regulamento disciplina os procedimentos que regem as eleições previstas no artigo 69 do Estatuto Social da COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL Deliberação CG 05/2017 11 04 2017 01 ELEIÇÃO DO(A) PRESIDENTE DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE PORTALEGRE REGULAMENTO ELEITORAL ART. 1.º (ELEGIBILIDADE) São elegíveis as individualidades que satisfaçam os requisitos

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA A ELEIÇÃO DO PRESIDENTE DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO

REGULAMENTO ELEITORAL PARA A ELEIÇÃO DO PRESIDENTE DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO CONSELHO GERAL REGULAMENTO ELEITORAL PARA A ELEIÇÃO DO PRESIDENTE DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO Artigo 1.º Âmbito Visa o presente regulamento definir o procedimento a seguir para a eleição do Presidente

Leia mais

Condeixa Aqua Clube Regulamento Eleitoral Extraordinário

Condeixa Aqua Clube Regulamento Eleitoral Extraordinário Condeixa Aqua Clube Regulamento Eleitoral Extraordinário Eleição da Direcção Aprovado em 16/07/2011 De harmonia com a Lei e com o disposto no nº 2 dos Estatutos do CAC, conjugado com os artºs 19º ao 23º,

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE PETANCA

REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE PETANCA REGULAMENTO ELEITORAL DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE PETANCA Artigo 1º Objecto 1º. O presente regulamento estabelece os princípios reguladores do processo eleitoral da Federação Portuguesa de Petanca (adiante

Leia mais

Notaria de Isaura Abrantes Martins, na cidade de Viana do Castelo.

Notaria de Isaura Abrantes Martins, na cidade de Viana do Castelo. Proposta de Regulamento Eleitoral para a Assembleia Geral Electiva prevista no artigo 10.º dos Estatutos do Viana Remadores do Lima Clube Desportivo Sem Fins Lucrativos 1 a realizar em 27 de Julho de 2013,

Leia mais

Notas sobre a Organização e os Processos Eleitorais

Notas sobre a Organização e os Processos Eleitorais Notas sobre a Organização e os Processos Eleitorais Versão 3.0, Outubro de 2015 Quando se realizam as eleições para os órgãos da Juventude Socialista? Nacional: Delegados ao Congresso Nacional, eleitos

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL. Do Agrupamento de Escolas Elias Garcia

REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL. Do Agrupamento de Escolas Elias Garcia REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL Do Agrupamento de Escolas Elias Garcia Introdução Nos termos do artigo 15º do Decreto-Lei nº 75/2008 de 22 de abril, na redação dada pelo Decreto-Lei n.º 137/2012,

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES AO CONSELHO GERAL

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES AO CONSELHO GERAL ARTIGO 1. Objeto O presente regulamento tem por objeto a eleição dos representantes dos professores e investigadores, dos representantes dos estudantes e do representante do pessoal não docente e não investigador,

Leia mais

ESTATUTOS DO SINDICATO BANCÁRIOS DO NORTE

ESTATUTOS DO SINDICATO BANCÁRIOS DO NORTE ARTIGO 23º (Competência da Assembleia Geral) 1 Compete à Assembleia Geral eleger a MAGCGC, o Conselho Geral e a Direcção; 2 Compete, ainda, à Assembleia Geral deliberar sobre: a) A destituição, no todo

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL

REGULAMENTO ELEITORAL REGULAMENTO ELEITORAL 1 CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1 (Âmbito) 1. O presente Regulamento, destina-se a disciplinar e organizar o processo eleitoral, de forma complementar ao previsto no Compromisso

Leia mais

Regulamento Eleitoral (*)

Regulamento Eleitoral (*) Regulamento Eleitoral (*) CAPITULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Das eleições em geral 1. As eleições ordinárias para o Presidente da Ordem dos Médicos, para a Mesa das Assembleias Regionais, para os

Leia mais

APG-UENF Associação dos Pós-graduandos da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro

APG-UENF Associação dos Pós-graduandos da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro De acordo com o capítulo VI (Das Eleições) do estatuto da Associação de Pós-Graduandos da Universidade Estadual do (APG-UENF), torna-se público o edital de convocação para eleição de Coordenadoria Geral

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº2 DE LOURES

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº2 DE LOURES REGULAMENTO ELEITORAL PARA A CONSTITUIÇÃO DO CONSELHO GERAL TRANSITÓRIO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº2 DE LOURES 1.Objeto O presente Regulamento rege a eleição para o Conselho Geral Transitório dos representantes

Leia mais

Regulamento Eleitoral do Presidente e Vice-Presidentes

Regulamento Eleitoral do Presidente e Vice-Presidentes Regulamento Eleitoral do Presidente e Vice-Presidentes Artº 1º Âmbito de aplicação O presente regulamento eleitoral estabelece as normas relativas à eleição do presidente e vice-presidentes de acordo com

Leia mais

Comissão Sindical de Empresa do Banco Comercial Português (Centro)

Comissão Sindical de Empresa do Banco Comercial Português (Centro) Regulamento Comissão Sindical de Empresa Grupo Banco Artigo 1º Âmbito do Regulamento Nos termos dos Estatutos a organização e funcionamento da Comissão Sindical de Empresa reger-se-á pelo presente Regulamento,

Leia mais

REGULAMENTO PARA A PRIMEIRA ELEIÇÃO DOS CONSELHOS CIENTÍFICOS DAS ESCOLAS DE NATUREZA UNIVERSITÁRIA. ARTIGO 1. Objecto

REGULAMENTO PARA A PRIMEIRA ELEIÇÃO DOS CONSELHOS CIENTÍFICOS DAS ESCOLAS DE NATUREZA UNIVERSITÁRIA. ARTIGO 1. Objecto REGULAMENTO PARA A PRIMEIRA ELEIÇÃO DOS CONSELHOS CIENTÍFICOS DAS ESCOLAS DE NATUREZA UNIVERSITÁRIA ARTIGO 1. Objecto O presente Regulamento tem por objecto a eleição dos membros dos Conselhos Científicos

Leia mais

NORMAS DE CRIAÇÃO E ELEIÇÕESDOS NÚCLEOS DA SECÇÃO REGIONAL DO NORTE

NORMAS DE CRIAÇÃO E ELEIÇÕESDOS NÚCLEOS DA SECÇÃO REGIONAL DO NORTE NORMAS DE CRIAÇÃO E ELEIÇÕES DOS NÚCLEOS DA SECÇÃO REGIONAL DO NORTE As presentes Normas foram aprovadas em reunião do CDRN da OA em 12 de Janeiro de 2011, e objecto de alteração por deliberação do CDRN

Leia mais

Regulamento eleitoral para as eleições dos estudantes dos Conselhos Pedagógicos dos Centros de Competência. Preâmbulo

Regulamento eleitoral para as eleições dos estudantes dos Conselhos Pedagógicos dos Centros de Competência. Preâmbulo Regulamento eleitoral para as eleições dos estudantes dos Conselhos Pedagógicos dos Centros de Competência Preâmbulo O artigo 72.º dos Estatutos da Universidade da Madeira prevê que compete à Reunião Geral

Leia mais

REGULAMENTO DA ELEIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS E DA REALIZAÇÃO DE REFERENDOS DA ORDEM DOS ARQUITECTOS

REGULAMENTO DA ELEIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS E DA REALIZAÇÃO DE REFERENDOS DA ORDEM DOS ARQUITECTOS REGULAMENTO DA ELEIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS E DA REALIZAÇÃO DE REFERENDOS DA ORDEM DOS ARQUITECTOS Apreciado na 42.ª reunião plenária do Conselho Directivo Nacional, em 18 de Maio de 2010, e pelo Conselho

Leia mais

Regulamento eleitoral. para o CONSELHO DE ESCOLA ESCOLA DE ENGENHARIA. Universidade do Minho, Abril de 2011

Regulamento eleitoral. para o CONSELHO DE ESCOLA ESCOLA DE ENGENHARIA. Universidade do Minho, Abril de 2011 Escola de Engenharia Regulamento eleitoral para o CONSELHO DE ESCOLA da ESCOLA DE ENGENHARIA Universidade do Minho, Abril de 20 Universidade do Minho Escola de Engenharia Regulamento Eleitoral para o Conselho

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DA APEPCCA ASSOCIAÇÃO DOS PROFESSORES DO ENSINO PARTICULAR E COOPERATIVO COM CONTRATO DE ASSOCIAÇÃO

REGULAMENTO ELEITORAL DA APEPCCA ASSOCIAÇÃO DOS PROFESSORES DO ENSINO PARTICULAR E COOPERATIVO COM CONTRATO DE ASSOCIAÇÃO REGULAMENTO ELEITORAL DA APEPCCA ASSOCIAÇÃO DOS PROFESSORES DO ENSINO PARTICULAR E COOPERATIVO COM CONTRATO DE ASSOCIAÇÃO Capítulo I Princípios eleitorais Artigo 1º - Âmbito O presente regulamento contém

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL E REFERENDÁRIO DA ORDEM DOS FARMACÊUTICOS PARTE I. Regulamento Eleitoral CAPÍTULO I. Disposições Gerais. Artigo 1.

REGULAMENTO ELEITORAL E REFERENDÁRIO DA ORDEM DOS FARMACÊUTICOS PARTE I. Regulamento Eleitoral CAPÍTULO I. Disposições Gerais. Artigo 1. REGULAMENTO ELEITORAL E REFERENDÁRIO DA ORDEM DOS FARMACÊUTICOS PARTE I Regulamento Eleitoral CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º O mandato dos órgãos da Ordem tem a duração de três anos, não podendo

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DO CONCELHO DE OLIVEIRA DO BAIRRO

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DO CONCELHO DE OLIVEIRA DO BAIRRO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º (Âmbito) 1. O presente Regulamento define o processo eleitoral em complemento ao previsto no Compromisso da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia do Concelho

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRETOR DA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRETOR DA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRETOR DA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA Considerando que compete ao conselho de representantes das unidades orgânicas de ensino

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL 2016 IAB RS

REGULAMENTO ELEITORAL 2016 IAB RS A Comissão Eleitoral constituída nos termos do Art. 80 do Estatuto do IAB RS, vem, através deste Regulamento Eleitoral Eleições 2016, editado nos termos do parágrafo único do Artigo 80 do Estatuto do IAB

Leia mais

CONVOCATÓRIA. Sociedade Aberta - Capital Social ,00 - Pessoa Colectiva n.º C.R.C. Lisboa

CONVOCATÓRIA. Sociedade Aberta - Capital Social ,00 - Pessoa Colectiva n.º C.R.C. Lisboa JERÓNIMO MARTINS, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Rua Tierno Galvan, Torre 3 9.º J, Lisboa Capital Social de Euro 629.293.220,00 Matricula na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa e NIPC: 500 100 144

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE S. JOÃO DA MADEIRA REGULAMENTO ELEITORAL

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE S. JOÃO DA MADEIRA REGULAMENTO ELEITORAL SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE S. JOÃO DA MADEIRA REGULAMENTO ELEITORAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º (Âmbito) Nos termos do n.º5, do art.º33º do Compromisso da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia

Leia mais

ELEIÇÕES PARA REPRESENTANTE DOS SERVIDORES NO CONSELHO DELIBERATIVO DO ILMD. Edital de Convocação

ELEIÇÕES PARA REPRESENTANTE DOS SERVIDORES NO CONSELHO DELIBERATIVO DO ILMD. Edital de Convocação ELEIÇÕES PARA REPRESENTANTE DOS SERVIDORES NO CONSELHO DELIBERATIVO DO ILMD Edital de Convocação A Comissão Eleitoral, composta pelos servidores, Felipe dos Santos Costa, Antônio Ferreira de Carvalho e

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO ELEITORAL ELABORADO NOS TERMOS DO ARTIGO 50.º DOS ESTATUTOS

PROPOSTA DE REGULAMENTO ELEITORAL ELABORADO NOS TERMOS DO ARTIGO 50.º DOS ESTATUTOS PROPOSTA DE REGULAMENTO ELEITORAL ELABORADO NOS TERMOS DO ARTIGO 50.º DOS ESTATUTOS Artigo 1.º (Âmbito) O presente regulamento contém as normas a que se devem submeter as eleições para os órgãos sociais

Leia mais

Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO

Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO Dias 25,26,27 e 28 de agosto de 2011. Capítulo I - Das Disposições Gerais Art. 1º - A

Leia mais

Casa do Professor REGULAMENTO ELEITORAL CASA DO PROFESSOR

Casa do Professor REGULAMENTO ELEITORAL CASA DO PROFESSOR Casa do Professor REGULAMENTO ELEITORAL CASA DO PROFESSOR Aprovado em reunião da Assembleia Geral de 27 de março de 2012 ÍNDICE I. Artigo 1.º Capacidade Eleitoral Ativa 2 II. Artigo 2.º Capacidade Eleitoral

Leia mais

REGULAMENTO DAS ELEIÇÕES. Título I

REGULAMENTO DAS ELEIÇÕES. Título I Das finalidades REGULAMENTO DAS ELEIÇÕES Título I Art. 1º - O presente Regulamento, elaborado em cumprimento ao disposto no inciso III do Art. 53 do Estatuto Social, tem por finalidade disciplinar as eleições

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA REGULAMENTO DA ELEIÇÃO PARA CARGOS DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL Em atendimento

Leia mais

Regulamento Interno ANEXO III

Regulamento Interno ANEXO III Regulamento Interno ANEXO III Agrupamento de Escolas Raul Proença Regulamento do Concurso Prévio e da Eleição do Diretor Artigo 1º Objeto O presente regulamento estabelece as condições de acesso e as normas

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO REITOR DA UTAD

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO REITOR DA UTAD REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO REITOR DA UTAD UTAD, janeiro de 2017 Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento destina-se a organizar o processo de eleição para Reitor da Universidade de Trás-os-Montes e

Leia mais

REGULAMENTO PARA A PRIMEIRA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES AO CONSELHO GERAL. ARTIGO 1. Objecto

REGULAMENTO PARA A PRIMEIRA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES AO CONSELHO GERAL. ARTIGO 1. Objecto REGULAMENTO PARA A PRIMEIRA ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES AO CONSELHO GERAL ARTIGO 1. Objecto O presente Regulamento tem por objecto a eleição dos representantes dos professores e investigadores, dos representantes

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO ELEITORAL DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO ELEITORAL DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Eleições 1 - As eleições para os órgãos da Ordem realizar-se-ão no mês de novembro do ano em que termina o mandato dos órgãos eleitos em data designada

Leia mais