IPEN-CNEN/SP Biblioteca Terezine Arantes Ferraz Coleção Normas Fevereiro 2014

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IPEN-CNEN/SP Biblioteca Terezine Arantes Ferraz Coleção Normas Fevereiro 2014"

Transcrição

1 IPEN-CNEN/SP Biblioteca Terezine Arantes Ferraz Coleção Normas Fevereiro 2014 ABNT ISO GUIA 35 Materiais de referência: princípios gerais e estatísticos para certificação 73p. ABNT NBR Conjunto de equipamentos para emergências no transporte rodoviário de ácido fluorídrico 7p. ABNT NBR Desvaporização de tanque para transporte terrestre de produtos perigosos: classe de risco 3 - líquidos inflamáveis 11p ABNT NBR Transporte terrestre de resíduos 6p. 2010

2 ABNT NBR Atendimento a emergência no transporte de produtos perigosos 12p ABNT NBR Transporte rodoviário de produtos perigosos: área de estacionamento para veículos, requisitos de segurança 14p ABNT NBR Transporte terrestre de produtos perigosos : incompatibilidade química 8p ABNT NBR Produtos químicos, informações sobre segurança, saúde e meio ambiente : parte 4: ficha de informações de segurança de produtos químicos (FISPQ) 26p. ABNT NBR / 2010 Produtos químicos,informações sobre segurança, saúde e meio ambiente : parte 1: terminologia 9p. 2009

3 ABNT NBR / 2010 Produtos químicos, informações sobre segurança, saúde e meio ambiente : parte 2: sistema de classificação de perigo 98p ABNT NBR Transporte rodoviário de produtos perigosos: plano de ação de emergência (PAE) no atendimento a acidentes 9p ABNT NBR Manutenção de elevadores, escadas rolantes e esteiras rolantes: requisitos para instruções de manutenção 22p. ABNT NBR Identificação para o transporte terrestre, manuseio, movimentação e armazenamento de produtos. 77p ABNT NBR 7501 Transporte terrestre de produtos perigosos: terminologia 17p.

4 ABNT NBR ISO Gestão ambiental: avaliação de desempenho ambiental, diretrizes 38p ABNT NBR ISO Salas limpas e ambientes controlados associados, parte 4: projeto, construção e partida 50p ABNT NBR-9735 Conjunto de equipamentos para emergências no transporte terrestre de produtos perigosos 30p BS EN / IEC BSI - British Standards Institution; CENELEC - European Committee for Electrotechnical Standardization Medical electric equipment: Dosimeters with ionization chambers and/or semi-conductor detectors as used in X-ray diagnosis imaging 34p BS ISO Measurement of radioactivity in the environment, air: radon-222: part 1: Origins of radon and its short-lived decay products and associated measurement methods 30p.

5 ISO / TR Nanotechnologies : Characterization of multiwall carbon nanotube (MWCNT) samples 6p. ISO / TS Nanotechnologies: Characterization of single-wall carbon nanotubes using transmission electron microscopy 33p. ISO / TS Nanotechnologies : Characterization of single-wall carbon nanotubes using scanning electron microscopy and energy dispersive X-ray spectrometry analysis 26p. ISO / TS Nanotechnologies: Characterization of single-wall carbon nanotubes using near infrared photoluminescence spectroscopy 14p ISO / TS Nanotechnologies : Characterization of single-wall carbon nanotubes using ultravioletvisible-near infrared (UV-Vis-NIR) absorption spectroscopy 19p.

6 ISO / TS Nanotechnologies: Characterization of volatile components in single-wall carbon nanotube samples using evolved gas analysis/gas chromatograph-mass spectrometry 10p ISO / TS Nanotechnologies : Characterization of single-wall carbon nanotubes using thermogravimetric analysis 22p. ISO / TS Nanotechnologies : Characterization of multiwall carbon nanotubes, Mesoscopic shape factors 17p. ISO / TS Nanotechnologies: Determination of elemental impurities in samples of carbon nanotubes using inductively coupled plasma mass spectrometry 19p. ISO Sterilization of health care products radiation: part 1: Requirements for development, validation and routine control of a sterilization process for medical devices 37p. 2006

7 ISO Sterilization of health care products Radiation: part 2: Establishing the sterilization dose 68p ISO Sterilization of health care products, radiation : part 3: Guidance on dosimetric aspects 16p Total: 31

Nanotecnologia Normalização em nível internacional

Nanotecnologia Normalização em nível internacional www.abnt.org.br Nanotecnologia Normalização em nível internacional Nanotechnologies Secretaria: BSI (Inglaterra) Secretário: Mr. David I. Hyde Chairperson: Dr. Peter Hatto (Inglaterra) até o final de 2010

Leia mais

CURSO II - PRÉ-CONGRESSO

CURSO II - PRÉ-CONGRESSO RUA DO ROSÁRIO, 135 4º ANDAR / CENTRO RIO DE JANEIRO / RJ CEP.: 20041-005 (21) 2224-2237 (31) 2224-3237 www.abebrasil.org.br 11º Congresso Mundial de Esterilização e 7 Edição do Simpósio Internacional

Leia mais

- Projeto de atualização da Norma Brasileira NBR 11.817:2003 Esterilização Esterilizadores sem vácuo, para produtos para saúde.

- Projeto de atualização da Norma Brasileira NBR 11.817:2003 Esterilização Esterilizadores sem vácuo, para produtos para saúde. ABNT (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS) CB-26 - PRODUTOS MEDICO ODONTO HOSPITALARES CE-26:090.01 - COMISSÃO DE ESTUDOS DE ESTERILIZAÇÃO DE PRODUTOS PARA SAÚDE ISO TC-198 STERILIZATION OF HEALTH

Leia mais

Desenvolvimento do Controle Metrológico de Instrumentos na Área da Saúde e Meio Ambiente

Desenvolvimento do Controle Metrológico de Instrumentos na Área da Saúde e Meio Ambiente Desenvolvimento do Controle Metrológico de Instrumentos na Área da Saúde e Meio Ambiente Marcos A. Salvino da Silva Eng. Mecatrônico - MSc INMETRO / DIMEL / DISMA Sumário Introdução Vocabulário de Metrologia

Leia mais

8 Referências Bibliográficas

8 Referências Bibliográficas 8 Referências Bibliográficas ANDRADE D & ANGERAMI ELS. Reflexões acerca das infecções hospitalares às portas do terceiro milênio. Medicina, Ribeirão Preto, 32: 492-497 out./dez. 1999. ANVISA. AGENCIA NACIONAL

Leia mais

NORMAS SÉRIE ISO 14000

NORMAS SÉRIE ISO 14000 NORMAS SÉRIE ISO 14000 O que é a ISO? Organização Internacional para Padronização História e Filosofia da ISO A ISO foi fundada em 1947, tem sede em Genebra (Suíça) e é uma federação mundial de organismos

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas. Módulo: Gestão da Qualidade. Profa. Maria do Carmo Calado

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas. Módulo: Gestão da Qualidade. Profa. Maria do Carmo Calado FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo: Gestão da Qualidade Profa. Maria do Carmo Calado Aula 3 O surgimento e a importância das Normas ISO Objetivos: Esclarecer como se deu o processo

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA - UNIPAMPA Monitoramento de Acesso Norma: - Data:

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA - UNIPAMPA Monitoramento de Acesso Norma: - Data: ABNT Coletânea de Normas Técnicas - Ambiente de Trabalho:2011 1 0 0 ABNT Coletânea de Normas Técnicas - Ambiente de Trabalho:2013 8 12 0 ABNT Coletânea de Normas Técnicas - Edificações Habitacionais -

Leia mais

Avaliação da técnica de medição do radônio utilizando detector passivo com carvão ativado

Avaliação da técnica de medição do radônio utilizando detector passivo com carvão ativado Avaliação da técnica de medição do radônio utilizando detector passivo com carvão ativado Paulo Roberto Rocha Ferreira (M.Sc.) 1, Edmilson de Lima Lessa 2, Evaldo Paulo de Olveira 3 1 Divisão de Radioproteção

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 Sociedade & Natureza Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 Introdução EVOLUÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL Passou por três grandes etapas: 1ª. Os problemas ambientais são localizados e atribuídos

Leia mais

Instruções de Uso PARAFUSOS EM TITÂNIO

Instruções de Uso PARAFUSOS EM TITÂNIO Instruções de Uso PARAFUSOS EM TITÂNIO As técnicas para a utilização dos Parafusos em Titânio Signo Vinces são altamente especializadas e envolvem procedimentos específicos, que devem ser realizados por

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ FISPQ nº : 15 ALB-IPEN-131

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ FISPQ nº : 15 ALB-IPEN-131 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ FISPQ nº : 15 ALB-IPEN-131 1. Identificação do produto e da empresa Nome do produto/substância Uso do produto/substância ALB-IPEN-131 Produto

Leia mais

Instruções de Uso ESTOJOS AUTOCLA- VÁVEIS

Instruções de Uso ESTOJOS AUTOCLA- VÁVEIS Instruções de Uso ESTOJOS AUTOCLA- VÁVEIS Os estojos autoclaváveis são usados para acondicionamento, guarda e garantir a esterilização segura na autoclavagem. Foram desenvolvidos em materiais que suportam

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO ANP Nº 52, DE 29.12.2010 - DOU 30.12.2010 O DIRETOR-GERAL da AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS - ANP, no

Leia mais

Sistemas e Instrumentos de Gestão Ambiental

Sistemas e Instrumentos de Gestão Ambiental Sistemas e Instrumentos de Gestão Ambiental ISO 14001 Prof. Gustavo Rodrigo Schiavon Eng. Ambiental ISO 14001 Existem duas normas bastante difundidas para orientação da implantação de um Sistema de Gestão

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS 1. IDENTIFICAÇÃO Nome do produto: Aplicação: Desmoldante líquido a base de óleo vegetal e aditivos. Utilizado na produção de prémoldados, vigas e pilares em concreto aparente Nome da empresa: Avaré Concreto

Leia mais

EMISSÕES EM MOTOCICLOS: PRIMEIRO ENSAIO DE PROFICIÊNCIA. E-mails: prsilva@inmetro.gov.br, vscunha@inmetro.gov.br,

EMISSÕES EM MOTOCICLOS: PRIMEIRO ENSAIO DE PROFICIÊNCIA. E-mails: prsilva@inmetro.gov.br, vscunha@inmetro.gov.br, EMISSÕES EM MOTOCICLOS: PRIMEIRO ENSAIO DE PROFICIÊNCIA Paulo R. M. Silva 1, Valnei S. Cunha 1, Werickson F. C. Rocha 1, Gabriel F. Sarmanho 1, Joyce C. Andrade 2 and Marcello Depieri 3 1 Inmetro - Divisão

Leia mais

Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade Enquadramento Nacional

Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade Enquadramento Nacional Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade Enquadramento Nacional 15-07-2014 Teresa Guimarães CERTIFICAÇÃO é uma das atividades de avaliação da conformidade de sistemas de gestão (Entidades) de produtos

Leia mais

RESOLUÇÃO ANP Nº 57, DE 20.10.2011 - DOU 21.10.2011

RESOLUÇÃO ANP Nº 57, DE 20.10.2011 - DOU 21.10.2011 AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO ANP Nº 57, DE 20.10.2011 - DOU 21.10.2011 O DIRETOR-GERAL da AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS - ANP - no

Leia mais

Orientação e Salvamento

Orientação e Salvamento Orientação e Salvamento Photoluminescent Safety Signs ÍNDICE / INDEX CATÁLOGOS DE PRODUTOS / PRODUCT CATALOGS EVERGLOW Guidance and Rescue 1 Orientação e Salvamento Guidance and Rescue PRODUTOS DESENVOLVIDOS

Leia mais

Instruções de Uso COMPONENTES PROTÉTICOS BASE METÁLICA

Instruções de Uso COMPONENTES PROTÉTICOS BASE METÁLICA Instruções de Uso COMPONENTES PROTÉTICOS BASE METÁLICA As técnicas utilizadas para a realização da prótese sobre implantes são altamente especializadas e envolvem procedimentos específicos, que devem ser

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança para Produto Químico (FISPQ) BORRACHA NATURAL SVR 3L Página 1 de 5

Ficha de Informação de Segurança para Produto Químico (FISPQ) BORRACHA NATURAL SVR 3L Página 1 de 5 Página 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome: Borracha Natural SVR 3L Empresa: Kalium Chemical Com. Import. E Export. Ltda Matriz: Av. das Nações Unidas, 10.989 Conj. 141-14º andar Parte

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente Superintendência Estadual do Meio Ambiente SEMACE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente Superintendência Estadual do Meio Ambiente SEMACE 1. OBJETIVO: Este Termo de Referência têm como objetivo estabelecer diretrizes para elaboração do Plano de Emergência para Transporte de Produtos Perigosos. O plano deverá garantir de imediato, no ato

Leia mais

CENTRAL ANALÍTICA ESPECTROSCOPIA ATÔMICA

CENTRAL ANALÍTICA ESPECTROSCOPIA ATÔMICA CENTRAL ANALÍTICA ESPECTROSCOPIA ATÔMICA Com a descoberta que o átomo possui estrutura; isto é, é composta de partículas menores tais como elétrons os quais são ordenados de acordo a critérios quânticos

Leia mais

Trabalhos em Capelas Químicas. Julio Carlos Alves e Ailton Pupo Baratella Designs Laboratório

Trabalhos em Capelas Químicas. Julio Carlos Alves e Ailton Pupo Baratella Designs Laboratório Recomendações de Segurança a para Trabalhos em Capelas Químicas Julio Carlos Alves e Ailton Pupo Baratella Designs Laboratório 1 1 - DEFINIÇÕES DE CAPELA 2 - PLANEJAMENTO NO LAY OUT 3 - PREVENÇÃO DE ACIDENTES

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.763/12, DE 26 DE JANEIRO DE 2012

RESOLUÇÃO Nº 3.763/12, DE 26 DE JANEIRO DE 2012 Altera o Anexo da Resolução nº 420, de 12 de fevereiro de 2004, que aprova as Instruções Complementares ao Regulamento do Transporte Terrestre de Produtos Perigosos. A Diretoria da Agência Nacional de

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Segurança da Informação Norma: ISO/IEC NBR 27001 e ISO/IEC NBR 27002 Norma: ISO/IEC NBR 27001 e ISO/IEC NBR 27002 Histórico O BSi (British Standard Institute) criou a norma BS 7799,

Leia mais

Horário de Funcionamento

Horário de Funcionamento Horário de Funcionamento A biblioteca estará com horário diferenciado de atendimento no período de 02 de janeiro à 17 de fevereiro de 2012: Das 9h às 12h e das 13h às 17h Contamos com a colaboração de

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISAS ENERGETICAS E NUCLEARES IPEN-CNEN/SP BIBLIOTECA TEREZINE ARANTES FERRAZ

INSTITUTO DE PESQUISAS ENERGETICAS E NUCLEARES IPEN-CNEN/SP BIBLIOTECA TEREZINE ARANTES FERRAZ INSTITUTO DE PESQUISAS ENERGETICAS E NUCLEARES IPEN-CNEN/SP BIBLIOTECA TEREZINE ARANTES FERRAZ Como referenciar? Guia rápido Neste guia rápido, estão registrados exemplos de como referenciar os principais

Leia mais

Ficha de Segurança de Produtos Químicos (FISPQ) FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

Ficha de Segurança de Produtos Químicos (FISPQ) FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Página 1 de 9 Página 01/07 SEÇÃO 1.0 NOME DO PRODUTO NOME DO FABRICANTE ENDEREÇO Rua Dr. Fernão Pompeu de Camargo, 1704/52 Jardim do Trevo - Campinas/SP - CEP: 13040-010 SEÇÃO 2.0 TIPO DE PRODUTO PREPARADO

Leia mais

A Norma ABNT NBR ISO 50001 Gestão de energia. André Carvalho

A Norma ABNT NBR ISO 50001 Gestão de energia. André Carvalho Normalização A Norma ABNT NBR ISO 50001 Gestão de energia Cursos André Carvalho Analista Técnico Certificação ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT Normalização Entidade sem fins lucrativos

Leia mais

BASE NORMATIVA. Normas Brasileiras para o Transporte Terrestre de Produtos Perigosos

BASE NORMATIVA. Normas Brasileiras para o Transporte Terrestre de Produtos Perigosos PRODUTOS PERIGOSOS Geraldo André Thurler Fontoura ABNT/CB-16 Comitê Brasileiro de Transportes e Tráfego Comissão de Estudos de Transporte Comissão de Estudos de Transporte 11 Normas Publicadas Reuniões

Leia mais

PORTARIA Nº 309, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2001

PORTARIA Nº 309, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2001 AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO PORTARIA Nº 309, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2001 Estabelece as especificações para a comercialização de gasolinas automotivas em todo o território nacional e define obrigações dos

Leia mais

Painel 4 Vistorias em Edificações

Painel 4 Vistorias em Edificações Diagnósticos Técnicos e a Preservação de Direitos na Construção Civil Painel 4 Vistorias em Edificações Palestrante José Carlos Muniz Falcon Realização Apoio Técnico Apoio Institucional Vistorias em Edificações-

Leia mais

Diário Oficial Imprensa Nacional

Diário Oficial Imprensa Nacional INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 11, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos III e IV, do art. 15 da Lei n.º

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Trabasil NP3. FISPQ Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos Pág. 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO 2. IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS

Trabasil NP3. FISPQ Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos Pág. 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO 2. IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS FISPQ Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos Pág. 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Identificação do Produto Nome do Produto: 1.2 Usos relevantes identificados da substância ou mistura e usos

Leia mais

MAMOGRAFIA DIGITAL. Especialista em Controle de Qualidade p/ Radiologia computadorizada

MAMOGRAFIA DIGITAL. Especialista em Controle de Qualidade p/ Radiologia computadorizada MAMOGRAFIA DIGITAL Material gentilmente cedido pela Tecnóloga Vanessa Dias. Vanessa Dias Tecnóloga em Radiologia Médica 2001 Especialista em Imagens e Produtos para Mamografia Pós Graduação Tomografia

Leia mais

NORMAS E LEGISLAÇÃO NO BRASIL. Leis, medidas provisórias e decretos:

NORMAS E LEGISLAÇÃO NO BRASIL. Leis, medidas provisórias e decretos: NORMAS E LEGISLAÇÃO NO BRASIL Leis, medidas provisórias e decretos: Lei nº 5.433, de 8 de maio de 1968. Regula a microfilmagem de documentos oficiais e dá outras providências. Diário Oficial da República

Leia mais

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Ar Condicionado

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Ar Condicionado Mod 10-381 rev 0 Manual de Boas Práticas Ambientais Prestadores de Serviços de Manutenção de Ar Condicionado Mensagem do Conselho de Administração Mensagem do Conselho de Administração A implementação

Leia mais

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Limpeza e/ou Resíduos

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Limpeza e/ou Resíduos Mod 10-381 rev 0 Manual de Boas Práticas Ambientais Prestadores de Serviços de Limpeza e/ou Resíduos Mensagem do Conselho de Administração Mensagem do Conselho de Administração A implementação de um Sistema

Leia mais

Aplicação de Metodologia de Testes de Desempenho de Monitores Portáteis. de Radiação. V. Vivolo, L.V.E. Caldas

Aplicação de Metodologia de Testes de Desempenho de Monitores Portáteis. de Radiação. V. Vivolo, L.V.E. Caldas Aplicação de Metodologia de Testes de Desempenho de Monitores Portáteis de Radiação V. Vivolo, L.V.E. Caldas Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, Comissão Nacional de Energia Nuclear, P.O. Box

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº. SÚMULA: Dispõe sobre a Produção, o Armazenamento e o Transporte de Cargas Perigosas no Estado do Paraná e dá outras providências.

PROJETO DE LEI Nº. SÚMULA: Dispõe sobre a Produção, o Armazenamento e o Transporte de Cargas Perigosas no Estado do Paraná e dá outras providências. PROJETO DE LEI Nº SÚMULA: Dispõe sobre a Produção, o Armazenamento e o Transporte de Cargas Perigosas no Estado do Paraná e dá outras providências. Art. 1º - As operações de transporte e armazenamento

Leia mais

PLANOS DE CONTINGÊNCIA, PROGRAMA DE ALERTA E PREPARAÇÃO DE COMUNIDADES PARA EMERGÊNCIAS LOCAIS

PLANOS DE CONTINGÊNCIA, PROGRAMA DE ALERTA E PREPARAÇÃO DE COMUNIDADES PARA EMERGÊNCIAS LOCAIS PLANOS DE CONTINGÊNCIA, PROGRAMA DE ALERTA E PREPARAÇÃO DE COMUNIDADES PARA EMERGÊNCIAS LOCAIS Eduardo Lucena C. de Amorim 1 - INTRODUÇÃO IMPACTOS AMBIENTAIS O impacto ambiental é um desequilíbrio provocado

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DOS ISOLADORES ELÉTRICOS CERÂMICOS DESCARTADOS PELAS REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ELETRECIDADE E COMPARAÇÃO COM PRODUTOS SIMILARES SEM USO.

CARACTERIZAÇÃO DOS ISOLADORES ELÉTRICOS CERÂMICOS DESCARTADOS PELAS REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ELETRECIDADE E COMPARAÇÃO COM PRODUTOS SIMILARES SEM USO. CARACTERIZAÇÃO DOS ISOLADORES ELÉTRICOS CERÂMICOS DESCARTADOS PELAS REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ELETRECIDADE E COMPARAÇÃO COM PRODUTOS SIMILARES SEM USO. C.S. Franco 1 ; V.A. Mantovani 1 ; M. Fávero 1 ; J.

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES. RESOLUÇÃO Nº 3.763, DE 26 DE JANEIRO DE 2012 (DOU de 08/02/2012 Seção I Pág. 68)

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES. RESOLUÇÃO Nº 3.763, DE 26 DE JANEIRO DE 2012 (DOU de 08/02/2012 Seção I Pág. 68) AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES RESOLUÇÃO Nº 3.763, DE 26 DE JANEIRO DE 2012 (DOU de 08/02/2012 Seção I Pág. 68) Altera o Anexo da Resolução nº 420, de 12 de fevereiro de 2004, que aprova as

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, CSPO, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 ZOOTECNIA/UFG DISCIPLINA DE GPA Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 Introdução EVOLUÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL Passou por três grandes etapas: 1ª. Os problemas ambientais são localizados

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS Minuta 03/11/2010 RESOLUÇÃO N, de de de. O DIRETOR-GERAL da AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS ANP, no uso das atribuições

Leia mais

REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AUDITOR DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NBR 15100

REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AUDITOR DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NBR 15100 REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AUDITOR DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NBR 15100 NORMA Nº NIT-DICOR-062 APROVADA EM ABR/07 Nº 01/05 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico

Leia mais

Referências - Item 32.3.8 / Subitem 32.3.8.1.1 - Dos Gases Medicinais

Referências - Item 32.3.8 / Subitem 32.3.8.1.1 - Dos Gases Medicinais 1801 a) Preto: Líquidos inflamáveis e combustíveis; b) Amarelo: Gás não liquefeito (ex: gás natural); c) Azul: Ar comprimido; d) Verde: Mangueiras de oxigênio (solda oxiacetilênica) e água industrial;

Leia mais

GLÁUCIO SANTOS Tecnologia, Universidade Mackenzie, 1991 CONSIDERAÇÕES DO AMBIENTE ELETROMAGNÉTICO URBANO NA ANÁLISE

GLÁUCIO SANTOS Tecnologia, Universidade Mackenzie, 1991 CONSIDERAÇÕES DO AMBIENTE ELETROMAGNÉTICO URBANO NA ANÁLISE GLÁUCIO SANTOS Tecnologia, Universidade Mackenzie, 1991 CONSIDERAÇÕES DO AMBIENTE ELETROMAGNÉTICO URBANO NA ANÁLISE DE INTERFERÊNCIAS EM VEÍCULOS AUTOMOTORES Dissertação apresentada à Escola Politécnica

Leia mais

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO FISPQ Nº: 009/2016 Páginas: 01/09 Revisão: 0 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: MASSA CORRIDA PVA MISTER CRYL Código

Leia mais

TECHNICAL SPECIFICATION CORRELATION OF BRAZILIAN AND INTERNATIONAL STANDARDS

TECHNICAL SPECIFICATION CORRELATION OF BRAZILIAN AND INTERNATIONAL STANDARDS TECHNICAL SPECIFICATION CORRELATION OF BRAZILIAN AND INTERNATIONAL STANDARDS ET-DD-022/2010 Pág. 1 de 5 1. OBJECTIVE 1.1. Establishment of correlation between the Brazilian Technical Standards (ABNT) and

Leia mais

NORMA OPERACIONAL PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL DA ATIVIDADE DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

NORMA OPERACIONAL PARA O LICENCIAMENTO AMBIENTAL DA ATIVIDADE DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1 OBJETIVO Estabelecer os critérios para o licenciamento ambiental das atividades de transporte rodoviário de produtos perigosos (exceto os das classes 1 e 7 da Resolução ANTT 42) que circulam apenas no

Leia mais

Pode causar dores abdominais e irritação gástrica. Por não ser um produto totalmente bio-degradável, pode afetar o ecosistema.

Pode causar dores abdominais e irritação gástrica. Por não ser um produto totalmente bio-degradável, pode afetar o ecosistema. 1 Identificação do produto e da empresa Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos - FISPQ FISPQ nº 012 Página 1 / 5 Data da última revisão 17/072008 Nome do produto: Acrilpen Código interno

Leia mais

Controle Ambiental do Transporte de Produtos Perigosos. Belo Horizonte, Fevereiro de 2015

Controle Ambiental do Transporte de Produtos Perigosos. Belo Horizonte, Fevereiro de 2015 Controle Ambiental do Transporte de Produtos Perigosos Belo Horizonte, Fevereiro de 2015 OCORRÊNCIA 2006 M OCORRÊNCIA 2007 OCORRÊNCIA 2008 SUMÁRIO 1) Histórico 2) Instrução Normativa IBAMA n.º 05/2012

Leia mais

ABINEE TEC 2007. Diretivas RoHS e WEEE

ABINEE TEC 2007. Diretivas RoHS e WEEE ABINEE TEC 2007 Diretivas RoHS e WEEE Restrição ao uso de substâncias perigosas RoHS - Restriction of Harzadous Substances: Diretiva 2002/95/EC da União Européia de 27/01/2003, restringe certas substâncias

Leia mais

FLUORESCÊNCIA DE RAIOS X: METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO DE METAIS PRESENTES EM MEDICAMENTO

FLUORESCÊNCIA DE RAIOS X: METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO DE METAIS PRESENTES EM MEDICAMENTO FLUORESCÊNCIA DE RAIOS X: METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO DE METAIS PRESENTES EM MEDICAMENTO Assis, J.T., joaquim@iprj.uerj.br Friburgo, RJ, Brasil Carvalho, G.de, gilde@iprj.uerj.br; gil.carvalho@estacio.br

Leia mais

Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores NBR ISO 27001

Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores NBR ISO 27001 Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores 1 É a norma de certificação para SGSI ( Sistemas de Gestão da Segurança da Informação), editada em português em abril de 2006 e que substituiu a BS 7799-2.

Leia mais

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO Página 01/07 SEÇÃO 1.0 NOME DO PRODUTO LIMPA VIDROS NOME DO FABRICANTE ENDEREÇO Rua Dr. Fernão Pom peu de Cam argo, 1704/52 Jardim do Trevo - Cam pinas/sp - CEP: 13040-010 SEÇÃO 2.0 TIPO DE PRODUTO PREPARADO

Leia mais

Produto: SANYTABS SANYTABS (85) 3366-2350 (19) 3455-8900 (85) 3366-2350 (19) 3455-8900. emergencia@beraca.com

Produto: SANYTABS SANYTABS (85) 3366-2350 (19) 3455-8900 (85) 3366-2350 (19) 3455-8900. emergencia@beraca.com FISPQ-016 Revisão: 08 Data: 28/04/2009 Página: 1 de 7 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Empresa Distribuidora: SANYTABS Telefones para Emergências: (62) 3310-2700 (81) 3543-0571

Leia mais

V 2 O 5 /TiO 2, especificamente, o vanádio encontra-se altamente disperso. Os resultados de XPS indicaram a presença de íons V 4+ e V 5+ nos

V 2 O 5 /TiO 2, especificamente, o vanádio encontra-se altamente disperso. Os resultados de XPS indicaram a presença de íons V 4+ e V 5+ nos Resumo Os óxidos mistos V 2 O 5 /SiO 2, V 2 O 5 /TiO 2 e V 2 O 5 /Al 2 O 3 foram sintetizados pelo método sol-gel, bem como seus correspondentes óxidos puros, SiO 2, TiO 2 e Al 2 O 3. Os óxidos mistos

Leia mais

CALIBRAÇÃO DAS CÂMARAS DE IONIZAÇÃO PARA FEIXES DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA NO BRASIL: A REALIDADE ATUAL*

CALIBRAÇÃO DAS CÂMARAS DE IONIZAÇÃO PARA FEIXES DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA NO BRASIL: A REALIDADE ATUAL* Artigo Original Calibração das câmaras de ionização para feixes de TC no Brasil CALIBRAÇÃO DAS CÂMARAS DE IONIZAÇÃO PARA FEIXES DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA NO BRASIL: A REALIDADE ATUAL* Ana Figueiredo

Leia mais

1. FORNECIMENTOS. Requisitos para Fornecedores e Prestadores de Serviços. RG-GE-101 Revisão 12

1. FORNECIMENTOS. Requisitos para Fornecedores e Prestadores de Serviços. RG-GE-101 Revisão 12 1. FORNECIMENTOS Fornecimentos 1.1 - Ácido Clorídrico Comercial Licença da Polícia Federal 1.2 - Hidróxido de Sódio Licença da Polícia Federal 1.3 Produtos químicos em geral 1.4 - Gases Industriais 1.5

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Qualidade de Software Prof. Sam da Silva Devincenzi sam.devincenzi@gmail.com ISO International Organization for Standardization Organização não governamental que elabora normas internacionais, que visam

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO ANP Nº 1, DE 6.1.2014 - DOU 7.1.2014 RETIFICADA DOU 15.4.

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO ANP Nº 1, DE 6.1.2014 - DOU 7.1.2014 RETIFICADA DOU 15.4. AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO ANP Nº 1, DE 6.1.2014 - DOU 7.1.2014 RETIFICADA DOU 15.4.2014 A DIRETORIA-GERAL da AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS

Leia mais

MANUSEIO, ACONDICIONAMENTO, ARMAZENAMENTO E TRANSPORTE DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS. Profa. Margarita Maria Dueñas O.

MANUSEIO, ACONDICIONAMENTO, ARMAZENAMENTO E TRANSPORTE DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS. Profa. Margarita Maria Dueñas O. MANUSEIO, ACONDICIONAMENTO, ARMAZENAMENTO E TRANSPORTE DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS Profa. Margarita Maria Dueñas O. RESÍDUOS PERIGOSOS Ponto de geração Destino final FASE INTERNA COLETA ACONDICIONAMENTO FASE

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 32/2015

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 32/2015 Instrução Técnica nº 26/2011 - Sistema fixo de gases para combate a incêndio 645 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO

Leia mais

Boletim Técnico Organização & Estratégia 2 (1) 112-135 Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Sistemas de Gestão, LATEC/TEP/TCE/CTC/UFF

Boletim Técnico Organização & Estratégia 2 (1) 112-135 Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Sistemas de Gestão, LATEC/TEP/TCE/CTC/UFF O&E 1 Organização & Estratégia Boletim Técnico Organização & Estratégia 2 (1) 112-135 Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Sistemas de Gestão, LATEC/TEP/TCE/CTC/UFF PROPOSTA DE GUIA DE SISTEMA DE

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ PRODUTO: SULFATO DE ALUMÍNIO LÍQUIDO 1/5 1. IDENTIFICACÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Empresa: Endereço: Telefone de emergência: e-mail: SULFATO DE ALUMINIO LÍQUIDO Sasil Comercial e Industrial

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO PORTARIA CONJUNTA Nº 01, DE 19 DE JUNHO DE 2000

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO PORTARIA CONJUNTA Nº 01, DE 19 DE JUNHO DE 2000 AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO PORTARIA CONJUNTA Nº 01, DE 19 DE JUNHO DE 2000 O DIRETOR GERAL da AGÊNCIA NACIONAL DO PETROLEO - ANP, no uso de suas atribuições legais, conferidas pela Lei nº 9.478, de 06

Leia mais

ABNT ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS

ABNT ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS Rótulo Ecológico para Serviços de Asseio e Pág. Nº 1/13 SUMÁRIO Histórico das revisões 0 Introdução 1 Objetivo 2 Referências normativas 3 Definições 4 Siglas 5 Escopo de Produtos 6 Critérios técnicos 7

Leia mais

Mini-curso Sistema de Gestão Ambiental. Ivo Neves Gerente de Consultoria. For the benefit of business and people

Mini-curso Sistema de Gestão Ambiental. Ivo Neves Gerente de Consultoria. For the benefit of business and people Mini-curso Sistema de Gestão Ambiental Ivo Neves Gerente de Consultoria For the benefit of business and people UNICAMP, Outubro 2005 1 Módulo I MÓDULO I VISÃO GERAL DE TEMAS AMBIENTAIS 2 1 Módulo I Conceitos

Leia mais

ÁREAS DE ATUAÇÃO SENAC EM JUNDIAÍ. Inspeções Internas. João Gama Godoy. Técnico de Segurança do Trabalho. Senac - 2009

ÁREAS DE ATUAÇÃO SENAC EM JUNDIAÍ. Inspeções Internas. João Gama Godoy. Técnico de Segurança do Trabalho. Senac - 2009 ÁREAS DE ATUAÇÃO SENAC EM JUNDIAÍ Inspeções Internas João Gama Godoy Técnico de Segurança do Trabalho Senac - 2009 É proibida a reprodução do conteúdo desta apresentação em qualquer meio de comunicação,

Leia mais

Curso de Embalagem para Transporte e Exportação

Curso de Embalagem para Transporte e Exportação Curso de Embalagem para Transporte e Exportação Curso de Embalagem para Transporte e Exportação São Paulo/2013 Gloria Benazzi Sinopse do Curriculum Engenheira química formada em 1975 pela UFRJ; Aposentada

Leia mais

Sumário DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO 15.1.28. Sistemas Mecânica Escadas Rolantes

Sumário DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO 15.1.28. Sistemas Mecânica Escadas Rolantes http://www.bancodobrasil.com.br 1 DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO 15.1.28 Sistemas Mecânica Escadas Rolantes Sumário 1. OBJETIVO... 2 2. CONDIÇÕES GERAIS... 2 3. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS... 4 4.

Leia mais

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES Página: 1 de 7 Esta FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico está em conformidade com a NBR 14725, e contém informações baseadas em dados disponíveis das unidades Henkel no Brasil, e/ou

Leia mais

DETERMINAÇÃO SIMULTÂNEA DE Ca, Cu, Fe, Mg, Mn e Na EM AMOSTRAS DE BIODIESEL POR ICP OES COM VISUALIZAÇÃO RADIAL E AXIAL

DETERMINAÇÃO SIMULTÂNEA DE Ca, Cu, Fe, Mg, Mn e Na EM AMOSTRAS DE BIODIESEL POR ICP OES COM VISUALIZAÇÃO RADIAL E AXIAL DETERMINAÇÃO SIMULTÂNEA DE Ca, Cu, Fe, Mg, Mn e Na EM AMOSTRAS DE BIODIESEL POR ICP OES COM VISUALIZAÇÃO RADIAL E AXIAL Aluno: Luiz Gustavo Leocádio Orientador: Carmem Lúcia Porto da Silveira 1. Introdução

Leia mais

NANOMETROLOGIA. a ciência da medição à escala nanométrica

NANOMETROLOGIA. a ciência da medição à escala nanométrica NANOMETROLOGIA a ciência da medição à escala nanométrica - Rui F. Silva Dep. Eng. Materiais e Cerâmica (DEMaC) Centro de Investigação em Materiais Cerâmicos e Compósitos (CICECO) Universidade de Aveiro

Leia mais

Joana Miguel Sarmento Castelhano Dias Coimbra. Controlo de Qualidade Aplicado à Análise de Água de Consumo por ICP-MS

Joana Miguel Sarmento Castelhano Dias Coimbra. Controlo de Qualidade Aplicado à Análise de Água de Consumo por ICP-MS Departamento de Química 007 Joana Miguel Sarmento Castelhano Dias Coimbra Controlo de Qualidade Aplicado à Análise de Água de Consumo por ICP-MS 007 Departamento de Química Joana Miguel Sarmento Castelhano

Leia mais

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES Página: 1 de 7 Esta FISPQ Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico está em conformidade com a NBR 14725, e contém informações baseadas em dados disponíveis das unidades Henkel no Brasil, e/ou

Leia mais

DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

DISSERTAÇÃO DE MESTRADO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE MATERIAIS DISSERTAÇÃO DE MESTRADO Avaliação da dolomita funcionalizada

Leia mais

REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AUDITOR DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NBR 15100

REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AUDITOR DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NBR 15100 REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AUDITOR DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NBR 15100 NORMA Nº NIT-DICOR-062 APROVADA EM FEV/08 Nº 01/07 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS ( FISPQ)

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS ( FISPQ) Nome do Produto DNC Página 01/06 SEÇÃO 1.0 NOME DO PRODUTO Detergente Neutro Concentrado - HERMON Limpeza- Ltda Rua Vicente Melle,771-Bairro Ana Jacinta- Presidente Prudente-São Paulo - CEP: IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

CORROSÃO EM MEIO DE DIESEL DO AÇO CARBONO REVESTIDO COM COBRE. Danielle Cristina Silva (Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil)

CORROSÃO EM MEIO DE DIESEL DO AÇO CARBONO REVESTIDO COM COBRE. Danielle Cristina Silva (Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil) CORROSÃO EM MEIO DE DIESEL DO AÇO CARBONO REVESTIDO COM COBRE Danielle Cristina Silva (Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil) Julian Johann (Universidade Estadual do Centro-Oeste - Brasil) Maico

Leia mais

www.apncf.pt 1ª fase de candidaturas alargada até final de Abril de 2008

www.apncf.pt 1ª fase de candidaturas alargada até final de Abril de 2008 enews@apncf Newsletter Março 2008 www.apncf.pt Projecto APNCF Organismo Notificado (ON) Candidaturas para constituição da Bolsa de Avaliadores 1ª fase de candidaturas alargada até final de Abril de 2008

Leia mais

Produto: CLOROPAST 6040. BR 101 Norte, Km 38 Distrito Industrial 53700-000 Itapissuma/PE Brasil (81) 3543-0019

Produto: CLOROPAST 6040. BR 101 Norte, Km 38 Distrito Industrial 53700-000 Itapissuma/PE Brasil (81) 3543-0019 FISPQ-006 Revisão: 08 Data: 15/05/2011 Página: 1 de 7 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: CLOROPAST 6040 Empresa Distribuidora: Telefones para Emergências: (62) 3310-2700 (81) 3543-0571

Leia mais

PROCEDIMENTO MEIO AMBIENTE IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS DO SGA

PROCEDIMENTO MEIO AMBIENTE IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE ASPECTOS E IMPACTOS AMBIENTAIS DO SGA 1. ESCOPO Identificar e classificar os aspectos ambientais das atividades, produtos e serviços da XXXX, visando estabelecer quais causam ou poderão causar impactos ambientais significativos. 2. DEFINIÇÕES

Leia mais

Clean Working Clean Living. Green Paper. O que faz o mundo mudar não são pensamentos, idéias ou palavras... São atitudes! *

Clean Working Clean Living. Green Paper. O que faz o mundo mudar não são pensamentos, idéias ou palavras... São atitudes! * Green Paper O que faz o mundo mudar não são pensamentos, idéias ou palavras... São atitudes! * * Albert Einstein millicare: um parceiro em manutenção para construções já existentes. Operação e Manutenção

Leia mais

DÉCADA DE 80, DEVIDO A GRANDES ACIDENTES, PREOCUPAÇÃO MUNDIAL BRASIL, 1984, PREOCUPAÇÃO GEROU ÊNFASE APÓS ROMPIMENTO DE DUTO, SEGUIDO DE

DÉCADA DE 80, DEVIDO A GRANDES ACIDENTES, PREOCUPAÇÃO MUNDIAL BRASIL, 1984, PREOCUPAÇÃO GEROU ÊNFASE APÓS ROMPIMENTO DE DUTO, SEGUIDO DE DÉCADA DE 80, DEVIDO A GRANDES ACIDENTES, PREOCUPAÇÃO MUNDIAL BRASIL, 1984, PREOCUPAÇÃO GEROU ÊNFASE APÓS ROMPIMENTO DE DUTO, SEGUIDO DE INCÊNDIO, CAUSANDO CERCA DE 500 VÍTIMA, 93 FATAIS. VILA SOCÓ CUBATÃO

Leia mais

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Elevadores e Escadas Rolantes

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Elevadores e Escadas Rolantes Mod 10-381 rev 0 Manual de Boas Práticas Ambientais Prestadores de Serviços de Manutenção de Elevadores e Escadas Rolantes Mensagem do Conselho de Administração Mensagem do Conselho de Administração A

Leia mais

A NOVA ISO 45001:2016 E SUAS CONTRIBUIÇÕES

A NOVA ISO 45001:2016 E SUAS CONTRIBUIÇÕES A NOVA ISO 45001:2016 E SUAS CONTRIBUIÇÕES Clovis Correa de Albuquerque Segundo clovissegundo@hotmail.com UCM Solange Evangelista de Souza solangeev@ig.com.br UNIFAVIP Devry Resumo:Os dados da Organização

Leia mais

1 - abpe/gq01: setembro 2011 Programa de Gestão da Qualidade para Tubulações Poliolefínicas e Procedimentos de Instalação

1 - abpe/gq01: setembro 2011 Programa de Gestão da Qualidade para Tubulações Poliolefínicas e Procedimentos de Instalação Normas e Padrões. A qualidade e os padrões dos tubos de PEAD são controlados por órgão nacionais e internacionais como a ABNT (Agência Nacional de Normas Técnicas) e o ISO (International Organization for

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA - PR

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA - PR JANEIRO 75 0 75 2 73 1440 0 1440 104 1336 7 0 7 5 2 119 0 119 1 118 293 0 293 11 282 225 0 225 5 220 2 0 2 0 2 116 0 116 4 112 Página 1 de 12 FEVEREIRO 73 0 73 2 71 1336 0 1336 385 951 2 0 2 2 0 118 0

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA - PR. Planilha Controle de Estoque - Materiais de Limpeza - 2013 ESTOQUE ANTERIOR

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO ANTÔNIO DA PLATINA - PR. Planilha Controle de Estoque - Materiais de Limpeza - 2013 ESTOQUE ANTERIOR JANEIRO 20 0 20 1 19 13 0 13 0 13 0 5 5 0 5 16 0 16 1 15 17 0 17 0 17 5 0 5 2 3 20 0 20 2 18 107 0 107 5 102 59 0 59 1 58 23 0 23 1 22 215 0 215 7 208 60 0 60 1 59 5 0 5 0 5 5 0 5 1 4 Página 1 de 12 FEVEREIRO

Leia mais

Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado

Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado Introdução aos sistemas de cabeamento estruturado Prof. José Maurício S. Pinheiro 2010 1 Histórico No início da década de 80 os sistemas Mainframe dominavam o mercado. Surgem os conceitos de "Networking"

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Nome do produto: Cloreto de Zinco

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Nome do produto: Cloreto de Zinco 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E EMPRESA Nome comercial: Cloreto de Zinco Código interno de identificação do produto: A023 Nome da Empresa: Endereço: Estrada Municipal Engenheiro Abílio Gondin Pereira, 72

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DE VALORES DE REFLETÂNCIA SOLAR DE SUPERFÍCIES OPACAS UTILIZANDO DIFERENTES EQUIPAMENTOS DE MEDIÇÃO EM LABORATÓRIO

ANÁLISE COMPARATIVA DE VALORES DE REFLETÂNCIA SOLAR DE SUPERFÍCIES OPACAS UTILIZANDO DIFERENTES EQUIPAMENTOS DE MEDIÇÃO EM LABORATÓRIO ANÁLISE COMPARATIVA DE VALORES DE REFLETÂNCIA SOLAR DE SUPERFÍCIES OPACAS UTILIZANDO DIFERENTES EQUIPAMENTOS DE MEDIÇÃO EM LABORATÓRIO Deivis L. Marinoski (1); Leandro P. Orige (2); Alexandre Guesser (3);

Leia mais

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES Página 1 de 8 Página 01/07 SEÇÃO 1.0 NOME DO PRODUTO NOME DO FABRICANTE ENDEREÇO Rua Dr. Fernão Pompeu de Camargo, 1704/52 Jardim do Trevo - Campinas/SP - CEP: 13040-010 SEÇÃO 2.0 TIPO DE PRODUTO PREPARADO

Leia mais