Introduz áreas adicionais de conhecimento (reabilitação, segurança, sustentabilidade...)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Introduz áreas adicionais de conhecimento (reabilitação, segurança, sustentabilidade...)"

Transcrição

1

2 Aprofunda conhecimentos específicos já introduzidos nos anos anteriores nas cadeiras de Materiais de Construção, Física das Construções, Tecnologia das Construções e Direcção de Obras; Introduz áreas adicionais de conhecimento (reabilitação, segurança, sustentabilidade...) Disponibiliza a informação necessária para o início da actividade no sector produtivo da construção; Abre horizontes para posteriores estudos de pós-graduação no domínio dos materiais e das ciências da construção.

3 ... além das suas áreas específicas de intervenção onde os edifícios têm lugar de destaque, mas não esgotam o leque de matérias abordadas - privilegia uma visão interdisciplinar e integrada da Engenharia Civil e empenha-se no desenvolvimento da capacidade de diálogo técnico com outras especialidades envolvidas no processo da construção (Arquitectura, Gestão, Electrotecnia, etc.).

4 Cadeiras do Perfil Acústica Aplicada Comportamento Térmico e Energético de Edifícios Instalações e Sistemas Técnicos em Edíficios Sustentabilidade do Ambiente Construído Reabilitação Não-Estrutural

5 Acústica Aplicada Aprofundamento das noções de acústica já estudadas e dos modelos de análise de correção e isolamento acústico. Conhecimento de novas áreas de intervenção: acústica dos espaços públicos, ruído industrial, barreiras acústicas... Estudo e análise da legislação e normalizações aplicáveis. Utilização e domínio dos equipamentos de medição e controlo do ruído.

6 Acústica Aplicada Aulas Teórico-Práticas, com exposição dos conceitos e teoria, e com a resolução de exercícios e aplicações práticas. Avaliação: 2 Testes realizados durante as aulas ou Exame final; Trabalho de síntese, a realizar em grupos de 2 ou 3 alunos, com apresentação numa das aulas. Docentes: Professor António Tadeu

7 Visitas de Estudo Câmaras Acústicas DEC e ITeCons

8 Visitas de Estudo Casa da Música

9 Comportamento Térmico e Energético de Edifícios Programa: 1. Fundamentos de transferência de calor e massa 2. Caracterização térmica de elementos da envolvente 3. Regras de qualidade térmica, desempenho energético e de qualidade do ar interior 4. Conceitos de Utilização Racional de Energia

10 Comportamento Térmico e Energético de Edifícios Exemplos Dominar ferramentas de simulação energética Explorar técnica de termografia Ensaios laboratoriais Ficar a conhecer as metodologias de certificação energética Conhecer teste de pressurização

11 Comportamento Térmico e Energético de Edifícios Aulas: Teórico-práticas recorrendo sempre que possível a casos práticos; Avaliação: - Trabalho de síntese e/ou Trabalho de investigação (30%); - Exame(70%); Docentes: Professor Nuno Simões

12 Comportamento Térmico e Energético de Edifícios Estão previstos seminários envolvendo convidados: Passive House, Sistemas Envidraçados, Sistemas de Isolamento

13 Instalações Técnicas em Edifícios Aulas: Exposição da matéria teórica; Resolução acompanhada de exercícios; Acompanhamento da elaboração do projeto Avaliação: Frequência ou exame (10 valores); Trabalho prático (projecto, 7 valores); Trabalho de síntese (3 valores). Docente: Professor Luis Godinho

14 Sustentabilidade do Ambiente Construído Objetivos: Dotar os alunos de conhecimentos sobre a construção sustentável. No âmbito desta disciplina, os alunos irão: Compreender o conceito de sustentabilidade; Compreender o impacto do sector da construção no meio ambiente; Familiarizar-se com critérios de avaliação sustentável da construção; Adquirir competências que permitam fazer escolhas sustentáveis a nível de materiais e tecnologias.

15 Sustentabilidade do Ambiente Construído Programa: 1. Desenvolvimento sustentável e construção sustentável 2. Sustentabilidade dos materiais de construção Toxicidade dos materiais de construção; Materiais e energia 3. Resíduos Gestão de resíduos de construção e demolição; Valorização de resíduos e reciclagem 4. Critérios para a construção sustentável Análise do ciclo de vida; Sistemas de avaliação ambiental: sistemas de classificação ambiental de edifícios; declarações ambientais de produtos, etc. 5.Edifícios sustentáveis Eficiência energética; Energias renováveis; Qualidade do ar; Uso eficiente da água; Análise económica

16 Sustentabilidade do Ambiente Construído Aulas Teórico-Práticas em que se intercala a exposição, com recurso a meios audiovisuais, dos conceitos e teoria, com a apresentação de exemplos práticos que enquadrem os alunos com a matéria Avaliação: Trabalho de síntese individual Trabalho de investigação/projeto em grupo a realizar em grupos de 3 alunos, com apresentação numa das aulas Exame final Docente: Professor Paulo Santos

17 Reabilitação Não- Estrutural Sensibilização para os processos de manutenção, reabilitação e requalificação de edifícios fora do âmbito das intervenções estruturais. Conhecimento específico de técnicas e materiais de diagnóstico e reabilitação de patologias não-estruturais. Preparação básica para a actividade de projecto no domínio da reabilitação.

18 Reabilitação Não- Estrutural Aulas Teórico-práticas e visitas de estudo; Avaliação: Trabalho de grupo (8 valores) Exame final (12 valores); Docente: Professora Isabel Torres

19 Visitas de Estudo

20 Visitas de Estudo

21 Visitas de Estudo

22 Visitas de Estudo

23 Visitas de Estudo

Marvão - Caso Prático Construção Sustentável ReHabitar

Marvão - Caso Prático Construção Sustentável ReHabitar Marvão - Caso Prático Construção Sustentável ReHabitar Marvão, 29 th May A ECOCHOICE é uma empresa de consultoria de referência na área da construção sustentável em Portugal, satisfazendo as necessidades

Leia mais

Responsabilidade Social e Ambiental na Edificação. Funchal, 4 Junho

Responsabilidade Social e Ambiental na Edificação. Funchal, 4 Junho Responsabilidade Social e Ambiental na Edificação Funchal, 4 Junho 2 instrumentos para a Responsabilidade Social, Económica e Ambiental na Edificação Declaração de conformidade que visa verificar o cumprimento

Leia mais

ENVELOPE ESTRUTURAS SISTEMAS PREDIAIS

ENVELOPE ESTRUTURAS SISTEMAS PREDIAIS Disposição final Planejamento Uso e Operação ENVELOPE ESTRUTURAS Projeto SISTEMAS PREDIAIS Construção Implantação PPI Conceituação Planejamento Definição Módulo escopoi Documentação Estudos de Projeto

Leia mais

Evento REABILITAÇÃO ENERGETICAMENTE EFICIENTE DE EDIFÍCIOS URBANOS. Termografia. Técnicas de Inspecçãoe Avaliação do Desempenho de Edifícios

Evento REABILITAÇÃO ENERGETICAMENTE EFICIENTE DE EDIFÍCIOS URBANOS. Termografia. Técnicas de Inspecçãoe Avaliação do Desempenho de Edifícios Evento REABILITAÇÃO ENERGETICAMENTE EFICIENTE DE EDIFÍCIOS URBANOS Técnicas de Inspecçãoe Avaliação do Desempenho de Edifícios Termografia Inês Simões www.itecons.uc.pt O que é a termografia infravermelha?

Leia mais

Evento PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS, SUSTENTABILIDADE E CONFORTO INTERIOR OPTIMIZAÇÃO DE SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS TERMOGRAFIA

Evento PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS, SUSTENTABILIDADE E CONFORTO INTERIOR OPTIMIZAÇÃO DE SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS TERMOGRAFIA Evento PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS, SUSTENTABILIDADE E CONFORTO INTERIOR OPTIMIZAÇÃO DE SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS Técnicas de Inspecção e Avaliação do Desempenho de Edifícios Inês Simões

Leia mais

Promoção da Etiquetagem Energética de Produtos - PEEP. Enquadramento e Objetivos

Promoção da Etiquetagem Energética de Produtos - PEEP. Enquadramento e Objetivos Promoção da Etiquetagem Energética de Produtos - PEEP Enquadramento e Objetivos ITeCons Missão do ITeCons Dinamizar a transf. de tecnologia entre a Universidade, a Indústria e a Sociedade Prestar apoio

Leia mais

Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos

Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos SECÇÃO 4 Apoio à eficiência energética, à gestão inteligente da energia e à utilização das energias renováveis nas infraestruturas públicas da Administração Local Objetivos Específicos: Os apoios têm como

Leia mais

Prof. Doutor Engº Jorge Nhambiu Geradores de Vapor. Geradores de Vapor. 4º ano Aula 1

Prof. Doutor Engº Jorge Nhambiu Geradores de Vapor. Geradores de Vapor. 4º ano Aula 1 Prof. Doutor Engº Jorge Nhambiu Geradores de Vapor Geradores de Vapor 4º ano Aula 1 1 Prof. Doutor Eng.º Jorge Nhambiu Geradores de Vapor 2 Objectivos Gerais No fim desta disciplina os estudantes devem

Leia mais

Formação Pedagógica Inicial de Formadores Objetivos Gerais Este Curso, homologado pelo IEFP, visa dotar os participantes das técnicas, conhecimentos e competências necessárias á apresentação com sucesso

Leia mais

ÁREAS DE ESPECIALIZAÇÃO:

ÁREAS DE ESPECIALIZAÇÃO: MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA DO AMBIENTE ÁREAS DE ESPECIALIZAÇÃO: TERRITÓRIO E GESTÃO DO AMBIENTE E TECNOLOGIA E GESTÃO DO AMBIENTE MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA DO AMBIENTE ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INFRAESTRUTURAS TÉCNICAS Ano Lectivo 2016/2017

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INFRAESTRUTURAS TÉCNICAS Ano Lectivo 2016/2017 Programa da Unidade Curricular INFRAESTRUTURAS TÉCNICAS Ano Lectivo 2016/2017 1. Unidade Orgânica Arquitectura e Artes (1º Ciclo) 2. Curso Arquitectura 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular INFRAESTRUTURAS

Leia mais

Apresentação da AMES

Apresentação da AMES Apresentação da AMES = Objectivos, Visão e Missão = Seminário Serviços Energéticos e contratos de Performance de Energia Guimarães, 14 de Fevereiro de 2011 AGÊNCIA MUNICIPAL DE ENERGIA DE SINTRA Associação

Leia mais

Complexos Escolares. Exemplos de Eficiência Energética

Complexos Escolares. Exemplos de Eficiência Energética Complexos Escolares Exemplos de Eficiência Energética Empresa de consultoria em Construção Sustentável, especializada no acompanhamento ao Gabinete de Arquitectura ou Promotor. Desde o inicio em assessoria

Leia mais

Serra do Saber. Formação Pedagógica Inicial de Formadores

Serra do Saber. Formação Pedagógica Inicial de Formadores Formação Pedagógica Inicial de Formadores Fundamentação Este curso apresenta de uma forma clara e recorrendo a uma metodologia teórico-prática, os conhecimentos necessários para a formação de formadores

Leia mais

Anexo I Requisitos das medidas e Despesas Elegíveis em Eficiência Energética e Energias Renováveis, por tipologia de operação

Anexo I Requisitos das medidas e Despesas Elegíveis em Eficiência Energética e Energias Renováveis, por tipologia de operação Anexo I Requisitos das medidas e Despesas Elegíveis em Eficiência Energética e Energias Renováveis, por tipologia de operação Requisitos das medidas Despesas Elegíveis a) Intervenções que visem o aumento

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO E AMBIENTE PLANO DE ESTUDOS

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO E AMBIENTE PLANO DE ESTUDOS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO E AMBIENTE PLANO DE ESTUDOS Componentes de Formação Componente de Formação Sociocultural Português (b) Língua Estrangeira I ou II (c) Área

Leia mais

SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS PRÓ-EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E CONFORTO TÉRMICO

SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS PRÓ-EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E CONFORTO TÉRMICO António Curado SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS PRÓ-EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E CONFORTO TÉRMICO Índice 1. ENERGIA E CONFORTO TÉRMICO 2. SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS REGULAMENTARES 2.1. REQUISITOS DE DESEMPENHO 2.2. FACHADAS

Leia mais

Plataforma para a Construção Sustentável rede para o cluster Habitat. Victor M. Ferreira Faro 10/07/2009

Plataforma para a Construção Sustentável rede para o cluster Habitat. Victor M. Ferreira Faro 10/07/2009 Plataforma para a Construção Sustentável rede para o cluster Habitat Victor M. Ferreira Faro 10/07/2009 Sumário A Plataforma e o Cluster Habitat Missão e Objectivos Parceiros/Associados? Contributo? Programa

Leia mais

CAP. III. DECivil GESTEC UMA VISÃO DA CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL EM EDIFÍCIOS FERNANDO BRANCO

CAP. III. DECivil GESTEC UMA VISÃO DA CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL EM EDIFÍCIOS FERNANDO BRANCO CAP. III UMA VISÃO DA CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL EM EDIFÍCIOS FERNANDO BRANCO 1. INTRODUÇÃO Suponha então que um dono de obra lhe dizia:...snr. PROJECTISTA QUERIA QUE ME PROJECTASSE UM EDIFÍCIO SUSTENTÁVEL!

Leia mais

Introduz áreas adicionais de conhecimento (reabilitação, segurança, sustentabilidade...)

Introduz áreas adicionais de conhecimento (reabilitação, segurança, sustentabilidade...) Aprofunda conhecimentos específicos já introduzidos nos anos anteriores nas cadeiras de Materiais de Construção, Física das Construções, Tecnologia das Construções e Direcção de Obras; Introduz áreas adicionais

Leia mais

ÍNDICE. Sistema de Certificação Energética. Revisão da Legislação. Edifícios Sustentáveis. A importância da legislação

ÍNDICE. Sistema de Certificação Energética. Revisão da Legislação. Edifícios Sustentáveis. A importância da legislação Edifícios Sustentáveis. A importância da legislação Congresso LiderA 2011 IST Lisboa, 25 e 26 de Maio de 2011 ADENE Agência para a Energia Nuno Baptista sce@adene.pt ÍNDICE Sistema de Certificação Evolução

Leia mais

Dia 28 de Maio Renovar com Sustentabilidade. Arq.º Miguel Nery OASRN

Dia 28 de Maio Renovar com Sustentabilidade. Arq.º Miguel Nery OASRN 04-06-2009 Dia 28 de Maio Renovar com Sustentabilidade Arq.º Miguel Nery OASRN 1 oasrn edifício sede porto criatividade sustentabilidade O Conceito _ a oasrn estableceu um compromisso para a promoção da

Leia mais

SUCH Serviço de Utilização Comum dos Hospitais

SUCH Serviço de Utilização Comum dos Hospitais SUCH Serviço de Utilização Comum dos Hospitais SETEMBRO 2016 O SUCH hoje O SUCH - Serviço de Utilização Comum dos Hospitais, é uma Associação privada, sem fins lucrativos cuja Missão visa promover a redução

Leia mais

E C O N O M I A d o P R O J E C T O

E C O N O M I A d o P R O J E C T O UNIVERSIDADE LUSÍADA (Vila Nova de Famalicão) FACULDADE DE ARQUITECTURA E ARTES E C O N O M I A d o P R O J E C T O Unidade Curricular semestral do 4º ano - 2h / semana Aulas Teóricas e Práticas Regente

Leia mais

Curso Técnico/a Segurança e Higiene no Trabalho. Projecto Integrador Seminário Como Minimizar os Riscos no Trabalho

Curso Técnico/a Segurança e Higiene no Trabalho. Projecto Integrador Seminário Como Minimizar os Riscos no Trabalho Pág 1 Curso Técnico/a Segurança e Higiene no Trabalho Projecto Integrador Seminário Como Minimizar os Riscos no Trabalho Pág 2 Tema: Seminário: Como Minimizar os riscos no Trabalho Questões Geradoras:

Leia mais

Universidade dos Açores

Universidade dos Açores Universidade dos Açores Licenciatura em Engenharia e Gestão do Ambiente: Duração: 3 anos Grau: Licenciatura Responsável: Professor Doutor Rui Bento Elias Objectivos: Na sequência da adequação dos cursos

Leia mais

População Aprox habitantes. Área Aprox. 650 Km 2. Obras Licenciadas 2007 Grande Porto Edificação Demolição

População Aprox habitantes. Área Aprox. 650 Km 2. Obras Licenciadas 2007 Grande Porto Edificação Demolição População Aprox. 969.036 habitantes Área Aprox. 650 Km 2 Obras Licenciadas 2007 Grande Porto 2354 2189 Edificação 165 - Demolição Obras Concluídas2007 Grande Porto 1853 1794 Edificação 59 - Demolição Resíduos

Leia mais

1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações em curso

1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações em curso Política de Cidades Polis XXI Acções Inovadoras para o Desenvolvimento Urbano QREN/ POVT/ Eixo IX Desenvolvimento do Sistema Ub Urbano Nacional 1.º SEMINÁRIO DE ACOMPANHAMENTO Apresentação das operações

Leia mais

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES ACÇÃO TIPO: Formação Pedagógica Inicial de Formadores PÚBLICO ALVO: Futuros formadores, formadores sem formação pedagógica. DURAÇÃO: 96 Horas N.º de ACÇÕES: 1

Leia mais

Eficiência Hídrica para Edifícios e Espaços Públicos O Caminho para a Gestão Sustentável da Água POVT FEDER

Eficiência Hídrica para Edifícios e Espaços Públicos O Caminho para a Gestão Sustentável da Água POVT FEDER Seminário Final do Projeto Aveiro, 30/05/2012 Eficiência Hídrica para Edifícios e Espaços Públicos O Caminho para a Gestão Sustentável da Água POVT-09-142-FEDER-000022 Victor M. Ferreira 1 O desafio Em

Leia mais

Evento REABILITAÇÃO ENERGETICAMENTE EFICIENTE DE EDIFÍCIOS URBANOS. Ferramentas de Apoio aos Diversos Agentes do Sector da Construção

Evento REABILITAÇÃO ENERGETICAMENTE EFICIENTE DE EDIFÍCIOS URBANOS. Ferramentas de Apoio aos Diversos Agentes do Sector da Construção Evento REABILITAÇÃO ENERGETICAMENTE EFICIENTE DE EDIFÍCIOS URBANOS Ferramentas de Apoio aos Diversos Agentes do Sector da Construção Nuno Simões Vítor Gil Sessão realizada no âmbito do projecto SIAC22994:

Leia mais

Desenvolvimento sustentável significa que as necessidades da actual geração devem ser satisfeitas sem comprometer a capacidade de as futuras gerações

Desenvolvimento sustentável significa que as necessidades da actual geração devem ser satisfeitas sem comprometer a capacidade de as futuras gerações Desenvolvimento sustentável significa que as necessidades da actual geração devem ser satisfeitas sem comprometer a capacidade de as futuras gerações satisfazerem as suas próprias necessidades. COMISSÃO

Leia mais

Agradecimentos... I Resumo... III Abstract... IV Índice... V Índice de figuras... X Índice de gráficos... XXII Abreviaturas... XXIII Glossário...

Agradecimentos... I Resumo... III Abstract... IV Índice... V Índice de figuras... X Índice de gráficos... XXII Abreviaturas... XXIII Glossário... ÍNDICE Agradecimentos... I Resumo... III Abstract... IV Índice... V Índice de figuras... X Índice de gráficos... XXII Abreviaturas... XXIII Glossário... XXIV CAPÍTULO 1 1.1. - Introdução... 1 1.2. - Metodologia

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Turma: A, B, C, D ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 ACTIVIDADES/ ESTRATÉGIAS. Discussão / Debate.

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. Turma: A, B, C, D ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 ACTIVIDADES/ ESTRATÉGIAS. Discussão / Debate. ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES 3º C.E.B. DISCIPLINA: Ciências Naturais Turma: A, B, C, D ANO: 8º ANO LECTIVO 2010/2011 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES/ ESTRATÉGIAS AULAS

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OFICINA DE ILUMINAÇÃO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OFICINA DE ILUMINAÇÃO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular OFICINA DE ILUMINAÇÃO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Comunicação e Multimédia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO -Sustentabilidade na Terra-

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO -Sustentabilidade na Terra- PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 8º ANO -Sustentabilidade na Terra- Tema / Capítulos Competências/Objectivos Estratégias / Actividades Recursos/ Materiais Avaliação Aulas previstas (45 min) Tema I Ecossistemas

Leia mais

Conceito sobre plano de gestão da adaptação Reunião de divulgação de resultados do projeto AdaPT AC:T Hotéis parceiros do projeto

Conceito sobre plano de gestão da adaptação Reunião de divulgação de resultados do projeto AdaPT AC:T Hotéis parceiros do projeto Conceito sobre plano de gestão da adaptação Reunião de divulgação de resultados do projeto AdaPT AC:T Hotéis parceiros do projeto Lisboa, LNEC, 25 de maio de 2016 Divulgação Alterações climáticas Definição

Leia mais

PERGUNTAS & RESPOSTAS

PERGUNTAS & RESPOSTAS PERGUNTAS & RESPOSTAS O presente documento inclui um conjunto de perguntas e respostas sobre Formação de Peritos Qualificados no âmbito do Sistema Nacional de Certificação Energética e da Qualidade do

Leia mais

Potencial de eficiência energética em edifícios

Potencial de eficiência energética em edifícios Potencial de eficiência energética em edifícios PORTUGAL EM CONFERÊNCIA PARA UMA ECONOMIA ENERGETICAMENTE EFICIENTE Coimbra, 22 de Junho de 2012 Potencial de eficiência energética em edifícios Enquadramento

Leia mais

Indicadores de performance ambiental e a sua relação com factores económicos na implementação de MTD no sector têxtil LIFE 07 ENV/PT/000625

Indicadores de performance ambiental e a sua relação com factores económicos na implementação de MTD no sector têxtil LIFE 07 ENV/PT/000625 Indicadores de performance ambiental e a sua relação com factores económicos na implementação de MTD no sector têxtil LIFE 07 ENV/PT/000625 Layman s Report ÂMBITO E OBJECTIVO No sector têxtil não estão

Leia mais

PROCESSO DE CANDIDATURA À LICENCIATURA EM ARQUITECTURA NA UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA

PROCESSO DE CANDIDATURA À LICENCIATURA EM ARQUITECTURA NA UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA PROCESSO DE CANDIDATURA À LICENCIATURA EM ARQUITECTURA NA UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA CURRICULUM PROFISSIONAL DE. (Nome) Bacharel ou Licenciado em Engenharia Civil ÍNDICE 1. DADOS BIOGRÁFICOS 2. GRAU

Leia mais

CALENDÁRIO * * O calendário poderá estar sujeito a pequenas alterações. Por favor confirme a data. actualizada no site da OASRN.

CALENDÁRIO * * O calendário poderá estar sujeito a pequenas alterações. Por favor confirme a data. actualizada no site da OASRN. CICLO DE LEGISL AÇÃO NA PRÁTICA PROFISSIONAL 2009 CALENDÁRIO * FORMAÇÃO FORMADOR VISEU COIMBRA BRAGA AVEIRO L1 DL60/2007 (RJUE) Dr. Nuno César Machado 4 Junho 18 Junho 30 Abril 7 Maio L2 DL163/2006 (ACESSIBILIDADE)

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular

Ficha de Unidade Curricular Ficha de Unidade Curricular Unidade Curricular Designação Forma e Design (prática laboratorial) Área Científica: Design de Produto Ciclo de Estudos: Licenciatura Carácter: Obrigatória Semestre: 1º ECTS:

Leia mais

OFERTA DE SERVIÇOS DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA PARA A CADEIA DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL

OFERTA DE SERVIÇOS DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA PARA A CADEIA DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL Lançamento do PROMINP na Bahia Auditório FIEB OFERTA DE SERVIÇOS DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA PARA A CADEIA DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL SENAI - IEL OFERTA DE SERVIÇOS DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA PARA A CADEIA

Leia mais

851 Tecnologia de Proteção do Ambiente

851 Tecnologia de Proteção do Ambiente 851 Tecnologia de Proteção do Ambiente Educação Ambiental de Adultos Destinatários Público em geral. Requisitos de acesso 9º ano de escolaridade. Modalidade de Formação Formação Continua. Objetivo Geral

Leia mais

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE UDM DIRECÇÃO ACADÉMICA ÁREA DE FORMAÇÃO EM CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CURRÍCULO DO CURSO

UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE UDM DIRECÇÃO ACADÉMICA ÁREA DE FORMAÇÃO EM CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CURRÍCULO DO CURSO UNIVERSIDADE TÉCNICA DE MOÇAMBIQUE UDM DIRECÇÃO ACADÉMICA ÁREA DE FORMAÇÃO EM CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CURRÍCULO DO CURSO Licenciatura em Engenharia Ambiental e de Gestão de Desastres ( LEBA-GD ) 1 A UNIVERSIDADE

Leia mais

Apresentação das Áreas do DEE ENERGIA

Apresentação das Áreas do DEE ENERGIA Apresentação das Áreas do DEE ENERGIA 11 de Maio de 2016 1 Maio 2016 Área de ENERGIA Prof. Ventim Neves Prof. Stan Valtchev Prof. João Martins Profª Anabela Pronto Prof. João Murta Pina Engº Pedro Pereira

Leia mais

Disciplina: GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS Curso: ENGENHARIA AMBIENTAL Código Créditos Carga Horária Período Có-requisito Pré-requisito ENG 1790

Disciplina: GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS Curso: ENGENHARIA AMBIENTAL Código Créditos Carga Horária Período Có-requisito Pré-requisito ENG 1790 Disciplina: GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS Curso: ENGENHARIA AMBIENTAL Código Créditos Carga Horária Período Có-requisito Pré-requisito ENG 1790 4 80 72+8 (AED) 6º - ENG 4201 1. EMENTA Os recursos hídricos.

Leia mais

Planeamento e Gestão de Resíduos de Construção e Demolição (RCD)

Planeamento e Gestão de Resíduos de Construção e Demolição (RCD) Planeamento e Gestão de Resíduos de Construção e Demolição (RCD) Rita Teixeira d Azevedo O planeamento e a gestão de resíduos de construção e demolição pretende identificar e implementar os elementos necessários

Leia mais

Centro Paroquial e Social de Barroselas Casa de S.Pedro

Centro Paroquial e Social de Barroselas Casa de S.Pedro Centro Paroquial e Social de Barroselas Casa de S.Pedro Estudos, certificação, auditoria e assessoria no contexto da implementação de sistema solar térmico, sistema fotovoltaico e bomba de calor Proposta

Leia mais

1.7. Número de unidades curriculares em que participou no segundo semestre de 2006/2007:

1.7. Número de unidades curriculares em que participou no segundo semestre de 2006/2007: INQUÉRITO AOS DOCENTES SOBRE CONDIÇÕES E ACTIVIDADES DE ENSINO/APRENDIZAGEM ANO LECTIVO 2006/2007-2º SEMESTRE 1.1. Categoria e Vínculo Doutorado Convidado Tempo Integral Doutorado Convidado Tempo Parcial

Leia mais

Curso de Formação de. Curso de Formação de. Actualização de Instalador ITED 2 (75h)

Curso de Formação de. Curso de Formação de. Actualização de Instalador ITED 2 (75h) Curso de Formação de O curso tem como objectivos específicos, dotar os participantes de conhecimentos que lhes permitam: Obter a RENOVAÇÃO da CERTIFICAÇÃO reconhecida pela ANACOM como técnico instalador

Leia mais

Testemunhos da cooperação: os projetos do Espaço o Sudoeste Europeu (SUDOE)

Testemunhos da cooperação: os projetos do Espaço o Sudoeste Europeu (SUDOE) Testemunhos da cooperação: os projetos do Espaço o Sudoeste Europeu (SUDOE) Do SUDOE 2007-2013 à Estratégia 2020 Promoção da inovação e constituição de redes estáveis de cooperação em matéria tecnológica

Leia mais

9. as Jornadas de Climatização

9. as Jornadas de Climatização 9. as Jornadas de Climatização A Fronteira entre as Responsabilidades dos Projectistas e dos Peritos Qualificados do SCE Ordem dos Engenheiros 15 de Outubro de 2009 Grupo de Trabalho dos PQs Especialistas

Leia mais

Ação de Formação: Projeto de Reabilitação de Edifícios Antigos

Ação de Formação: Projeto de Reabilitação de Edifícios Antigos Ação de Formação: Projeto de Reabilitação de Edifícios Antigos INTRODUÇÃO OBJETIVOS DESTINATÁRIOS A intervenção da engenharia civil tem sofrido alterações ao longo do tempo em função da necessidade de

Leia mais

Arquitectura e Sustentabilidade: O caso do Centro de Educação Ambiental de Torres Vedras. Centro de Educação Ambiental. Área de Projecto CMTV

Arquitectura e Sustentabilidade: O caso do Centro de Educação Ambiental de Torres Vedras. Centro de Educação Ambiental. Área de Projecto CMTV Arquitectura e Sustentabilidade: O caso do Centro de Educação Ambiental de Torres Vedras Centro de Educação Ambiental. Área de Projecto CMTV Da construção sustentável e da ideia de projecto responsável

Leia mais

BloCork Desenvolvimento de blocos de betão com cortiça

BloCork Desenvolvimento de blocos de betão com cortiça BloCork Desenvolvimento de blocos de betão com cortiça N. Simões, I. Castro, J. Nascimento, A. Nascimento SEMINÁRIO TECNOLOGIAS E SISTEMAS DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL - INVESTIGAÇÃO EM ACÇÃO - Viabilizar

Leia mais

O Edifício Solar XXI um exemplo de sustentabilidade na construção. João Mariz Graça, Arq.

O Edifício Solar XXI um exemplo de sustentabilidade na construção. João Mariz Graça, Arq. O Edifício Solar XXI um exemplo de sustentabilidade na construção João Mariz Graça, Arq. joao.mariz@lneg.pt Introdução conceito de sustentabilidade Bom desempenho Ambiental ciclo de vida do edifício; Fase

Leia mais

Portaria nº 1379/2009, de 30 de Outubro

Portaria nº 1379/2009, de 30 de Outubro Portaria nº 1379/2009, de 30 de Outubro Anexo B A Lei n.º 31/2009, de 3 de Julho, que revogou o Decreto n.º 73/73, de 28 de Fevereiro, aprovou o regime jurídico que estabelece a qualificação exigível aos

Leia mais

DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 8º Ano

DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 8º Ano DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 8º Ano 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS Promover o pensamento de uma forma criativa e crítica, relacionando evidências e explicações, confrontando diferentes

Leia mais

Painéis X-Lam da KLH nova geração de edifícios

Painéis X-Lam da KLH nova geração de edifícios Painéis X-Lam da KLH nova geração de edifícios Luís Jorge Jornada Técnica Eficiência Energética em Edifícios FABRICANTE DE PAINÉIS X-LAM MAIOR PRODUTOR EUROPEU APROVAÇÃO TÉCNICA EUROPEIA GABINETE DE ENGENHARIA

Leia mais

Cursos de Formação COTHN / SGS

Cursos de Formação COTHN / SGS ACÇÃO DE FORMAÇÃO Organização da emergência / Plano de emergência interno Permitir identificar situações de emergência e a elaborar um Plano de Emergência Interno. Curso Reconhecido pela ACT para Renovação

Leia mais

PDR Pequenos Investimentos na Exploração Agrícola

PDR Pequenos Investimentos na Exploração Agrícola PDR 2014-2020 3.2.2 Pequenos Investimentos na Exploração Agrícola Portal dos Incentivos Maio 2015 Índice 1 Apresentação de Tema... 2 1.1 Enquadramento... 2 1.2 Beneficiários... 2 1.3 Critérios de Elegibilidade

Leia mais

SKETCHUP & SUSTENTABILIDADE - FREEWARE PARA MODELAÇÃO 3D

SKETCHUP & SUSTENTABILIDADE - FREEWARE PARA MODELAÇÃO 3D DESIGNAÇÃO DO CURSO SketchUp & Sustentabilidade - freeware para modelação 3D - nível I OBJECTIVOS O curso de SketchUp & Sustentabilidade pretende introduzir estudantes e profissionais da industria da construção

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais.  PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

CURSO ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria nº de 25/08/10 D.O.U de 27/08/10 Componente Curricular: Energia e Instalações Elétricas

CURSO ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria nº de 25/08/10 D.O.U de 27/08/10 Componente Curricular: Energia e Instalações Elétricas CURSO ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria nº 1.150 de 25/08/10 D.O.U de 27/08/10 Componente Curricular: Energia e Instalações Elétricas Código: ENGP 579 Pré-requisito: Período Letivo: 2016.2

Leia mais

Lacunas de conhecimento tecnológico para o desempenho de edificações residenciais Luis Carlos Bonin

Lacunas de conhecimento tecnológico para o desempenho de edificações residenciais Luis Carlos Bonin 18/junho/2015 Caesar Business Faria Lima São Paulo, SP Lacunas de conhecimento tecnológico para o desempenho de edificações residenciais Luis Carlos Bonin Esta apresentação mostra os resultados de um trabalho

Leia mais

Duração: 17 horas, em sessões de 2 a 3 horas Inicio: 16 Outubro 2007 Fim: 6 Novembro 2007

Duração: 17 horas, em sessões de 2 a 3 horas Inicio: 16 Outubro 2007 Fim: 6 Novembro 2007 1 Curso de Formação Monitorização Bacteriológica de Águas Formadores: Dr. Nuno Ferreiro (Hidrobiólogo) Duração: 17 horas, em sessões de 2 a 3 horas Inicio: 16 Outubro 2007 Fim: 6 Novembro 2007 Local: Centro

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 238 aprovado pela portaria Cetec nº 172 de 13/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Controle e

Leia mais

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS / COMPETÊNCIAS A ADQUIRIR PELOS FORMANDOS

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS / COMPETÊNCIAS A ADQUIRIR PELOS FORMANDOS ESTRUTURA PROGRAMÁTICA DO CURSO MÓDULOS OBJECTIVOS ESPECÍFICOS / COMPETÊNCIAS A ADQUIRIR PELOS FORMANDOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Acolhimento dos formandos e Apresentação do Curso A entidade formadora;

Leia mais

Caros Irmãos Escutas,

Caros Irmãos Escutas, Circular 10-1-048 de 06 de Abril De: Para: Assunto: Data: Secretário Nacional Pedagógico JJRR, JJNN, Agrupamentos, Mesas dos Conselhos Nacional, Regionais e Núcleo, Formadores Acções de Formação Membros

Leia mais

A Empresa. Soluções Integradas. Qualidade de Gestão

A Empresa. Soluções Integradas. Qualidade de Gestão A Empresa A ES Engenharia, empresa dedicada à engenharia de equipamentos surgiu, em 2009, da união de engenheiros e técnicos qualificados e experientes, oriundos de indústrias químicas e petroquímicas.

Leia mais

Os Resultados da Verificação do RCCTE em Almada

Os Resultados da Verificação do RCCTE em Almada Workshop Os Aspectos Energéticos na Concepção de Edifícios Os Resultados da Verificação do RCCTE em Almada Carlos Sousa Elisabete Serra AGENEAL, Agência Municipal de Energia de Almada Fórum Romeu Correia

Leia mais

EXPERIÊNCIA DE CERTIFICAÇÃO E ACREDITAÇÃO

EXPERIÊNCIA DE CERTIFICAÇÃO E ACREDITAÇÃO EXPERIÊNCIA DE CERTIFICAÇÃO E ACREDITAÇÃO 18 de Novembro 2016 ENQUADRAMENTO Hospital gerido em regime de Parceria Público-Privada, prestador de cuidados de saúde diferenciados, integrado na rede do SNS

Leia mais

Curso de Especialização Tecnológica em Automação e Manutenção Industrial

Curso de Especialização Tecnológica em Automação e Manutenção Industrial Curso de Especialização Tecnológica em Automação e Manutenção Industrial Época Normal** Época de Recurso** Finalistas/Trabalhador Automação e Instrumentação 18/Abr 10h * 23/Mai 10h * 04/Jul 10h * Inglês

Leia mais

www.solucoesparaconstrucao.com Grupo Preceram - grupo familiar de capital nacional Águeda Oliveira do Bairro Figueira da Foz Pombal www.solucoesparaconstrucao.com Fábricas em Pombal e Águeda. Tijolo PRECERAM

Leia mais

Planificação Desenho A 10º Ano

Planificação Desenho A 10º Ano Planificação Desenho A 10º Ano Ano lectivo 2013/2014 O programa é elaborado dentro dos princípios de flexibilidade, continuidade e adequação à realidade. Também de acordo com as indicações referente aos

Leia mais

PRINCIPAIS INTERVENIENTES E FUNÇÕES, NAS OBRAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL J. AMORIM FARIA FEUP

PRINCIPAIS INTERVENIENTES E FUNÇÕES, NAS OBRAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL J. AMORIM FARIA FEUP PRINCIPAIS INTERVENIENTES E FUNÇÕES, NAS OBRAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL J. AMORIM FARIA FEUP 2008 / Fevereiro 1 Objecto da apresentação Definir principais áreas de actividade dos engenheiros civis Definir principais

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA Página 1 de 5 INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 237, DE 4 DE AGOSTO DE 2011 A Presidenta do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

A importância da legislação na eficiência energética dos Edifícios

A importância da legislação na eficiência energética dos Edifícios A importância da legislação na eficiência energética dos Edifícios Lisboa, 8 de Maio de 2012 ADENE Agência para a Energia sce@adene.pt ÍNDICE A Directiva Europeia EPBD Sistema de Certificação Energética

Leia mais

Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho

Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho CURSO Gestão de Recursos Humanos ÁREA CIENTÍFICA Gestão de Pessoal CICLO 1º GRAU Licenciatura PROGRAMA DA DISCIPLINA DOCENTE(S) RESPONSÁVEL(EIS) Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Filipe Alberto Marques

Leia mais

Resultados da Pesquisa Virtual: Consulta aos Profissionais do Setor

Resultados da Pesquisa Virtual: Consulta aos Profissionais do Setor Resultados da Pesquisa Virtual: Consulta aos Profissionais do Setor Anexo Gráficos de resultados Perfil entrevistado Perfil por Região do Brasil Qual setor representa 30,0% 28,5% 26,6% 25,9% 25,0% 20,0%

Leia mais

M O D E L O E U R O P E U D E INFORMAÇÃO PESSOAL. Telefone. Fax. Data de nascimento 30 de Maio de 1984 ACTIVIDADE PROFISSIONAL

M O D E L O E U R O P E U D E INFORMAÇÃO PESSOAL. Telefone. Fax. Data de nascimento 30 de Maio de 1984 ACTIVIDADE PROFISSIONAL M O D E L O E U R O P E U D E C U R R I C U L U M V I T A E INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Morada Ramos, Márcia Catiana Martins Faro Telefone Fax Correio electrónico m_catiana@hotmail.com Nacionalidade Portuguesa

Leia mais

INVESTIGAÇÃO EM ECO SUSTENTABILIDADE DA HABITAÇÃO CONCEITO DE SUSTENTABILIDADE ECOLÓGICA PRINCÍPIOS DE EDIFICAÇÃO SUSTENTÁVEL

INVESTIGAÇÃO EM ECO SUSTENTABILIDADE DA HABITAÇÃO CONCEITO DE SUSTENTABILIDADE ECOLÓGICA PRINCÍPIOS DE EDIFICAÇÃO SUSTENTÁVEL INVESTIGAÇÃO EM ECO SUSTENTABILIDADE DA HABITAÇÃO CONCEITO DE SUSTENTABILIDADE ECOLÓGICA PRINCÍPIOS DE EDIFICAÇÃO SUSTENTÁVEL ESTRATÉGIAS DE ACTUAÇÃO Arq. Joana Mourão 28.11.2011 Solo Recursos Naturais

Leia mais

Evento EDIFÍCIOS BALANÇO. Rumo ao Impacte Nulo da Construção e Reabilitação nas Cidades. 22 Novembro Museu das Comunicações.

Evento EDIFÍCIOS BALANÇO. Rumo ao Impacte Nulo da Construção e Reabilitação nas Cidades. 22 Novembro Museu das Comunicações. Evento EDIFÍCIOS BALANÇO Rumo ao Impacte Nulo da Construção e Reabilitação nas Cidades PARTICIPE 22 Novembro 2011 Museu das Comunicações Lisboa ORGANIZAÇÃO UMA PUBLICAÇÃO APOIO APRESENTAÇÃO A conferência

Leia mais

Área Disciplinar de Educação Tecnológica. 1º Semestre 15/09/2014 a 24/01/2015 (17 semanas) Aulas Previstas (50 m) 32 a a 34.

Área Disciplinar de Educação Tecnológica. 1º Semestre 15/09/2014 a 24/01/2015 (17 semanas) Aulas Previstas (50 m) 32 a a 34. 1º Semestre 15/09/2014 a 24/01/2015 (17 semanas) 2º Semestre 2/01/2015 a 12/06/2015 (17 semanas) Aulas Previstas 32 a 34 32 a 34 Apresentação 2 2 Diagnose/Gestão de conteúdos 30 a 32 30 a 32 Plano Semestral

Leia mais

Aviso E EEA/2010 UTILIZAÇÃO RACIONAL DE ENERGIA E EFICIÊNCIA ENERGETICO- AMBIENTAL EM EQUIPAMENTOS COLECTIVOS

Aviso E EEA/2010 UTILIZAÇÃO RACIONAL DE ENERGIA E EFICIÊNCIA ENERGETICO- AMBIENTAL EM EQUIPAMENTOS COLECTIVOS Aviso E EEA/2010 UTILIZAÇÃO RACIONAL DE ENERGIA E EFICIÊNCIA ENERGETICO- AMBIENTAL EM EQUIPAMENTOS COLECTIVOS Instituições Particulares sem Fins Lucrativos e Associações Desportivas de Utilidade Pública

Leia mais

CONCEITOS E DEFINIÇÕES

CONCEITOS E DEFINIÇÕES CONCEITOS E DEFINIÇÕES Patologia da Construção Anomalia Degradação Inoperacionalidade Envelhecimento Tempo de vida útil Sintoma Diagnóstico Reabilitação Estudo das anomalias das construções, dos seus elementos

Leia mais

João Mariz Graça,

João Mariz Graça, Formação Para as Renováveis e Eficiência Energética no sector da Construção João Mariz Graça, joao.mariz@lneg.pt Formação Para as Renováveis e Eficiência Energética no sector da Construção 1 O Projecto

Leia mais

"A iluminação no contexto do sistema de certificação energética dos edifícios

A iluminação no contexto do sistema de certificação energética dos edifícios "A iluminação no contexto do sistema de certificação energética dos edifícios Ordem dos Engenheiros Lisboa ADENE Pedro Mateus A nova regulamentação de eficiência energética em edifícios 1. Sistema de Certificação

Leia mais

Sistemas Digitais e Arquitectura de Computadores

Sistemas Digitais e Arquitectura de Computadores Ano Letivo 2013/2014 Planificação Anual Resumida Sistemas Digitais e Arquitectura de Computadores 12ºAno João Paulo Portela Araújo Elenco Modular e Cronograma Geral Sistemas Digitais e Arquitetura de Computadores

Leia mais

A ESTRUTURA DE CUSTOS DO IST

A ESTRUTURA DE CUSTOS DO IST A ESTRUTURA DE CUSTOS DO IST Isabel Ribeiro INSTITUTO DE SISTEMAS E ROBÓTICA INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO António Cruz Serra INSTITUTO DE TELECOMUNICAÇÕES INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Sumário da Apresentação

Leia mais

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES (90 horas)

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES (90 horas) FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES (90 horas) DESTINATÁRIOS: O curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores da SALSUS destina-se a 14 formandos por grupo, sendo que deverá cumprir as seguintes

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS. Apresentação

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS. Apresentação ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES SECUNDÁRIO DISCIPLINA: OFICINA DE MULTIMÉDIA B ANO: º ANO LECTIVO 00/0 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS INSTRUMENTOS

Leia mais

Estrutura Geral do Projeto. Propostas e iniciativas internacionais

Estrutura Geral do Projeto. Propostas e iniciativas internacionais Usos Inovadores do Gás Natural (GN) Promoção da eficiência energética em Arranjos Produtivos Locais (APLs) Temas Estrutura Geral do Projeto As investigações em Viena As investigações em Viena Propostas

Leia mais

A quem se destina. Principais Benefícios. Empresas que pretendam reduzir os seus consumos energéticos localização: Norte Centro

A quem se destina. Principais Benefícios. Empresas que pretendam reduzir os seus consumos energéticos localização: Norte Centro FORMAÇÃO FORMAÇÃO A quem se destina Empresas que pretendam reduzir os seus consumos energéticos localização: Norte Centro Principais Benefícios Conhecimento do perfil energético da empresa; Verificação

Leia mais

Substituição do antigo RSECE (Regulamento dos Sistemas Energéticos de Climatização em Edifícios) (1)

Substituição do antigo RSECE (Regulamento dos Sistemas Energéticos de Climatização em Edifícios) (1) A energia é indispensável para o funcionamento da generalidade das empresas, e em particular para os edifícios de comércio e serviços, responsáveis por mais de 40% do consumo de energia final na Europa.

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DA ÁREA DE EQUIPAMENTOS DA FRENTE MARÍTIMA DA COSTA NOVA - ÍLHAVO

PLANO DE PORMENOR DA ÁREA DE EQUIPAMENTOS DA FRENTE MARÍTIMA DA COSTA NOVA - ÍLHAVO PLANO DE PORMENOR DA ÁREA DE EQUIPAMENTOS DA FRENTE MARÍTIMA DA COSTA NOVA - ÍLHAVO PROGRAMA DE EXECUÇÃO E PLANO DE FINANCIAMENTO janeiro de 2012 ÍNDICE 1 PROGRAMA DE EXECUÇÃO... 3 1.1 IMPLEMENTAÇÃO DO

Leia mais

Eficiência Hídrica para Edifícios e Espaços Públicos O Caminho para a Gestão Sustentável da Água POVT FEDER

Eficiência Hídrica para Edifícios e Espaços Públicos O Caminho para a Gestão Sustentável da Água POVT FEDER Seminários de Divulgação nos Municípios da CIRA Eficiência Hídrica para Edifícios e Espaços Públicos O Caminho para a Gestão Sustentável da Água POVT-15-142-FEDER-000022 Victor M. Ferreira 1 O desafio

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO EM CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS

CURSO DE FORMAÇÃO EM CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS 1 CURSO DE FORMAÇÃO EM CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS INTRODUÇÃO Os Cuidados de Saúde Primários (CSP), em Portugal, atravessam um momento de grande crescimento científico e afirmação como pilar essencial

Leia mais