Complexo deltaico do rio Paraíba do Sul: caracterização geomorfológica do ambiente e sua dinâmica recente

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Complexo deltaico do rio Paraíba do Sul: caracterização geomorfológica do ambiente e sua dinâmica recente"

Transcrição

1 Complexo deltaico do rio Paraíba do Sul: caracterização geomorfológica do ambiente e sua dinâmica recente Gilberto Pessanha Ribeiro 1,2 1 Universidade do Estado do Rio de Janeiro Faculdade de Engenharia 2 Universidade Federal Fluminense Instituto de Geociências 1

2 Tópicos: 1. Introdução 2. Definições e conceitos: deltas 3. Processos costeiros (ventos, ondas e marés) 4. Dinâmica costeira: erosão e progradação em praias arenosas 5. Mapeamento temático e histórico da planície costeira do rio Paraíba do Sul 6. Mapeamento em execução desde Interpretações geológicas sobre o mapeamento em realização 8. Comentários e conclusões 2

3 Delta Sistema deposicional alimentado por um rio e que resulta na progradação irregular da linha de costa. Acumulação costeira subaquosas e subaéreas construída a partir de sedimentos trazidos por um rio, adjacentes ou de estreita proximidade, incluindo depósitos que foram modelados pelos agentes da bacia receptora: ondas, correntes e marés. 3

4 Delta oceânico 4

5 Deltas dominados por ondas 5

6 Classificação genética dos deltas 6

7 Planície deltaica marinha 7

8 Deltas quaternários do litoral brasileiro 8

9 Imagem CBERS 2004 RGB234 Área principal de estudos: mosaico de ortofotos digitais Área secundária de estudos: imagens de satélites 9

10 Mapeamento Costeiro Área principal de estudos 10

11 Foz do rio Paraíba do Sul: Ano 1956 Fonte: Dias G.,

12 Foz do rio Paraíba do Sul: Ano 1964 Fonte: Dias G.,

13 Fonte: Dias G.,

14 Feições: Sistema de cordões arenosos Planície de maré Planície de inundação Pântanos Fonte: Dias G.,

15 Feições: Praias atuais Mangues Pântanos Planície de inundação Lagoas costeiras Fonte: Dias G.,

16 Fonte: Fundação CIDE,

17 Fonte: Fundação CIDE,

18 Formação Barreiras Mapa geológico do Quaternário costeiro da metade norte do estado do Rio de Janeiro Depósitos Holocênicos Depósitos Pleistocênicos 18 Fonte: Martin et al., 1997

19 Mapeamento Costeiro Depósito marinho e flúvio-marinho síltico-arenoargiloso, rico em matéria orgânica, englobando linhas de praia atuais e antigas, além de manguezais Fonte: CDROM DRM-RJ

20 Mapeamento Costeiro Planície costeira: Terrenos arenosos de terraços marinhos, cordões arenosos e campos de dunas Fonte: CDROM DRM-RJ

21 Dados cartográficos: Imagens de satélites Fotografias aéreas GPS Bases cartográficas existentes Dados a partir de outras imagens (visões panorâmicas). 21

22 Imagem do baixo Rio Paraíba do Sul produzida a partir de composição colorida R3G2B1 LANDSAT7 ETM+ (25/8/1999) Pluma de sedimentos B1 azul B2 verde B3 vermelho B4 infravermelho próximo B5 infravermelho médio B7 infravermelho distante Deriva litorânea (indicativo) Resolução espacial = 30m 22

23 Imagem do baixo Rio Paraíba do Sul produzida a partir de composição colorida R4G5B3 LANDSAT7 ETM+ (25/8/1999) Paleolaguna B1 azul B2 verde B3 vermelho B4 infravermelho próximo B5 infravermelho médio B7 infravermelho distante Manguezal Lagoa do Campelo Resolução espacial = 30m 23

24 Imagem do baixo Rio Paraíba do Sul produzida a partir de cena SPOT 8 bits por pixel (2000) Paleocanais São João da Barra (sede) Campos dos Goytacazes (sede) Laguna de Grussaí Laguna de Iquipari Resolução espacial = 10m 24

25 Imagem do baixo Rio Paraíba do Sul (detalhe 1) produzida a partir de cena SPOT 8 bits por pixel (2000) Ilha barreira Banco arenoso Atafona (área urbana) Cordão arenoso Depósito (baixio) lamoso Pluma de sedimentos Resolução espacial = 10m 25

26 MOSAICO DE ORTOFOTOS, ANO 2000 ESCALA 1/ Fotografias aéreas métricas ano/escala/resolução espacial: / ,8 m / ,8 m / ,8 m / ,5 m / ,0 m / ,8 m (foto) 26

27 A metodologia utilizada partiu da interpretação e análise de mosaicos fotográficos produzidos a partir de séries históricas de fotografias aéreas

28 PLANÍCIE SUL: Litoral bastante retilíneo; Sucessivos cordões arenosos; 13 sistemas de cristas de praia. 28

29 PLANÍCIE SUL: sondagens 29

30 Pontal arenoso caracterizado por seu caráter dinâmico. 30

31 Dinâmica do pontal arenoso em Atafona 31

32 PLANÍCIE NORTE: Cristas arenosas intercaladas com baixios lamosos; Formação de um sistema de ilhas barreiras; Ao norte de Gargaú as cristas arenosas voltam a ser semelhantes às encontradas na planície sul. 32

33 EVOLUÇÃO DA FRENTE DELTAICA AO LONGO DOS ANOS 33

34 TENDÊNCIA PROGRADACIONAL DA FRENTE DELTAICA DO RIO PARAÍBA DO SUL 34

35 TENDÊNCIA PROGRADACIONAL DA FRENTE DELTAICA DO RIO PARAÍBA DO SUL 35

36 4. Conclusões Os resultados alcançados permitiram: Estabelecer a configuração espacial das feições costeiras em escala regional Conhecer a tendência da dinâmica costeira local Mapeamento com detalhes de feições contidas na planície e associá-las à erosão em Atafona Avaliar o processo erosivo e associá-lo às evidências de que no passado geológico evento desse tipo já ocorreu com fortes evidências Contribuir para apoiar projetos técnicos aplicados ao gerenciamento costeiro Divulgação... 36

37 37

38 FOTOGRAFIA AÉREA PANORÂMICA DA FOZ DO RIO PARAÍBA DO SUL ADQUIRIDA EM 08/05/2003 Atafona 38

39 FOTO PANORÂMICA DO HOTEL DO JULINHO, INTERDITADO PELA DEFESA CIVIL, NA FRENTE EROSIVA EM ATAFONA 39

40 DETALHE DA AVENIDA LITORÂNEA PARCIALMENTE DESTRUÍDA PELO MAR 40

41 FRENTE EROSIVA PRÓXIMA AO PONTAL DE ATAFONA 41

42 O MANGUEZAL TAMBÉM SOFRE COM O AVANÇO DO MAR 42

43 FOTO AÉREA DA ÁREA URBANA DO BALNEÁRIO DE ATAFONA Mai./

44 FOTO AÉREA DE PARTE DO CAMPO DE DUNAS EM ATAFONA Mai./

45 FOTO PANORÂMICA DE CASAS PARCIALMENTE DESTRUÍDAS NA FRENTE EROSIVA EM ATAFONA Jan./

46 FOTO PANORÂMICA DE CASAS PARCIALMENTE DESTRUÍDAS NA FRENTE EROSIVA EM ATAFONA Jan./

47 CONSTRUÇÃO DESTRUÍDA PELO MAR 47

48 Mapeamento Costeiro Agradecimentos: IBAMA-Campos DRM-RJ Equipes dos projetos de pesquisa e apoios das agências de fomento: Atafona, RJ: avaliação do processo de erosão marinha (CNPq) Erosão marinha no delta do rio Paraíba do Sul, RJ, presente, passado e futuro, avaliação de impactos (FAPERJ) 48

49 49

50 50

51 Mapeamento Costeiro 51

52 Delta lacustre 52

53 Diápiro de lama prodeltaica 53

54 Arcabouços faciológicos dos deltas 54

55 Classificação dos deltas oceânicos 55

56 Transformação de estuário em delta 56

57 Evolução paleogeográfica para as planícies costeiras do litoral brasileiro entre Macaé (RJ) e Maceió (AL) 57

58 Evolução paleogeográfica para as planícies costeiras do litoral brasileiro entre Macaé (RJ) e Maceió (AL) 58

59 5.100 anos AP anos AP Estádio 1 Estádio 2 59

60 anos AP anos AP Estádio 2 Estádio 3 60

61 anos AP anos AP Estádio 3 Estádio 4 61

62 anos AP anos AP Estádio 5 Estádio 6 62

63 anos AP anos AP Estádio 6 Estádio 7 63

64 anos AP anos AP Estádio 7 Estádio 8 64

65 2.500 anos AP anos AP Estádio 9 Estádio 10 65

66 2.500 anos AP anos AP Estádio 11 Estádio 11 66

Mapeamento Costeiro. Métodos e técnicas para configurar espacialmente feições costeiras para interpretações geológicas e geomorfológicas

Mapeamento Costeiro. Métodos e técnicas para configurar espacialmente feições costeiras para interpretações geológicas e geomorfológicas Mapeamento Costeiro Métodos e técnicas para configurar espacialmente feições costeiras para interpretações geológicas e geomorfológicas Gilberto Pessanha Ribeiro 1,2 1 Universidade do Estado do Rio de

Leia mais

MAPEAMENTO COSTEIRO INTEGRADO

MAPEAMENTO COSTEIRO INTEGRADO MAPEAMENTO COSTEIRO INTEGRADO Prof. Gilberto Pessanha Ribeiro Cartografia/Geodésia/Geografia/Geologia do Quaternário gilberto.pessanha@gmail.com Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP Instituto do

Leia mais

ROSAS, R. O. UFF, Instituto de Geociências, Departamento de Geografia Laboratório de Geografia Física Aplicada Tel.: (21)

ROSAS, R. O. UFF, Instituto de Geociências, Departamento de Geografia Laboratório de Geografia Física Aplicada Tel.: (21) PROCESSOS COSTEIROS: EROSÃO EM ATAFONA E PROGRADAÇÃO EM GRUSSAÍ, SÃO JOÃO DA BARRA (RJ) MORFOMETRIA PARA RETRATAÇÃO ESPACIAL DESSES EVENTOS E IDENTIFICAÇÃO DE SUA TENDÊNCIA EVOLUTIVA RESUMO RIBEIRO, G.

Leia mais

A AMEAÇA QUE VEM DO MAR: A ÁREA DE RISCO DA PRAIA DE ATAFONA (RJ-BRASIL)

A AMEAÇA QUE VEM DO MAR: A ÁREA DE RISCO DA PRAIA DE ATAFONA (RJ-BRASIL) I Seminário da Rede Incêndios-Solo e I Simpósio Ibero-Afro-Americano de Riscos 4 a 7 Nov 2015 A AMEAÇA QUE VEM DO MAR: A ÁREA DE RISCO DA PRAIA DE ATAFONA (RJ-BRASIL) Cláudio Henrique Reis Departamento

Leia mais

LAGEMAR, UFF; 3 Depto. Engenharia Cartográfica, UERJ; 4 Depto. Geologia, UERJ. Depto. Geografia, UFF 2

LAGEMAR, UFF; 3 Depto. Engenharia Cartográfica, UERJ; 4 Depto. Geologia, UERJ. Depto. Geografia, UFF 2 DINÂMICA DA DESEMBOCADURA DA LAGUNA DE GRUSSAÍ AO LONGO DO TEMPO COMO CONSEQÜENCIA DO PROCESSO DE EROSÃO E PROGRADAÇÃO NAS PRAIAS DE ATAFONA E GRUSSAÍ, SÃO JOÃO DA BARRA (RJ). Ricardo Alvares dos Santos

Leia mais

ESTRATIGRAFIA DO QUATERNÁRIO DA PLANÍCIE DELTAICA AO SUL DO RIO PARAÍBA DO SUL, RJ

ESTRATIGRAFIA DO QUATERNÁRIO DA PLANÍCIE DELTAICA AO SUL DO RIO PARAÍBA DO SUL, RJ ESTRATIGRAFIA DO QUATERNÁRIO DA PLANÍCIE DELTAICA AO SUL DO RIO PARAÍBA DO SUL, RJ Anderson Gomes de Almeida 1 ; Alberto Garcia de Figueiredo Jr. 2 ; Gilberto Pessanha Ribeiro 3 ; 4 Cleverson Guizan Silva;

Leia mais

GEOLOGIA DO QUATERNÁRIO

GEOLOGIA DO QUATERNÁRIO GEOLOGIA DO QUATERNÁRIO Terça 14 às 18h IC3 sala 16 Variação do nível do mar e suas evidências Turma: 2015/2 Prof as. Jacqueline Albino e Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com GLACIAÇÕES QUATERNÁRIAS

Leia mais

MAPEAMENTO DIGITAL DA DINÂMICA RECENTE DO DELTA DO RIO PARAÍBA DO SUL A PARTIR DE IMAGENS SENSORIAIS

MAPEAMENTO DIGITAL DA DINÂMICA RECENTE DO DELTA DO RIO PARAÍBA DO SUL A PARTIR DE IMAGENS SENSORIAIS MAPEAMENTO DIGITAL DA DINÂMICA RECENTE DO DELTA DO RIO PARAÍBA DO SUL A PARTIR DE IMAGENS SENSORIAIS THIAGO DA SILVA ROCHA GILBERTO PESSANHA RIBEIRO Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ Faculdade

Leia mais

GEOLOGIA COSTEIRA DA ILHA DE SÃO FRANCISCO DO SUL/SC COASTAL GEOLOGY OF THE SÃO FRANCISCO DO SUL/SC ISLAND.

GEOLOGIA COSTEIRA DA ILHA DE SÃO FRANCISCO DO SUL/SC COASTAL GEOLOGY OF THE SÃO FRANCISCO DO SUL/SC ISLAND. GEOLOGIA COSTEIRA DA ILHA DE SÃO FRANCISCO DO SUL/SC COASTAL GEOLOGY OF THE SÃO FRANCISCO DO SUL/SC ISLAND. Celso Voos Vieira 1 ; Tarcísio Possamai 2 ; Norberto Olmiro Horn Filho 3 celso.v@univille.net

Leia mais

MAPEAMENTO DIGITAL DA EROSÃO COSTEIRA EM ATAFONA, SÃO JOÃO DA BARRA, RJ, A PARTIR DE IMAGENS SENSORIAIS E DADOS GPS

MAPEAMENTO DIGITAL DA EROSÃO COSTEIRA EM ATAFONA, SÃO JOÃO DA BARRA, RJ, A PARTIR DE IMAGENS SENSORIAIS E DADOS GPS ISSN 1981-6251, p. 746-754 MAPEAMENTO DIGITAL DA EROSÃO COSTEIRA EM ATAFONA, SÃO JOÃO DA BARRA, RJ, A PARTIR DE IMAGENS SENSORIAIS E DADOS GPS GILBERTO PESSANHA RIBEIRO ANDRÉ ESCOVINO DA SILVA TADEU CORRÊA

Leia mais

SÍNTESE DA EVOLUÇÃO GEOLÓGICA CENOZÓICA DA BAÍA DE SEPETIBA E RESTINGA DE MARAMBAIA, SUL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

SÍNTESE DA EVOLUÇÃO GEOLÓGICA CENOZÓICA DA BAÍA DE SEPETIBA E RESTINGA DE MARAMBAIA, SUL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SÍNTESE DA EVOLUÇÃO GEOLÓGICA CENOZÓICA DA BAÍA DE SEPETIBA E RESTINGA DE MARAMBAIA, SUL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Soraya Gardel Carelli 1 ; Hélio Roncarati 2 ; Dione Nunes do Nascimento 3 ; Mauro César

Leia mais

Oscilação Marinha. Regressão diminuição do nível do mar (Glaciação) Transgressão aumento do nível do mar (Inundação)

Oscilação Marinha. Regressão diminuição do nível do mar (Glaciação) Transgressão aumento do nível do mar (Inundação) Oscilação Marinha Regressão diminuição do nível do mar (Glaciação) Transgressão aumento do nível do mar (Inundação) Devido a variação do nível do mar a região costeira sofre alterações profundas em sua

Leia mais

OS IMPACTOS SÓCIO - AMBIENTAIS DA PRAIA DE ATAFONA LITORAL NORTE FLUMINENSE.

OS IMPACTOS SÓCIO - AMBIENTAIS DA PRAIA DE ATAFONA LITORAL NORTE FLUMINENSE. OS IMPACTOS SÓCIO - AMBIENTAIS DA PRAIA DE ATAFONA LITORAL NORTE FLUMINENSE. Mauro Sérgio Fernandes Argento 1 Daniella Tancredo de Matos Alves Costa 2 Resumo: Este texto está associado a compreensão do

Leia mais

MAPEAMENTO COSTEIRO COM APOIO DE IMAGENS DE SATÉLITES THEOS E WORLDVIEW

MAPEAMENTO COSTEIRO COM APOIO DE IMAGENS DE SATÉLITES THEOS E WORLDVIEW 1 MAPEAMENTO COSTEIRO COM APOIO DE IMAGENS DE SATÉLITES THEOS E WORLDVIEW Gilberto Pessanha Ribeiro, gilberto.pessanha@gmail.com Artur Willcox dos Santos, arturwillcox@gmail.com Ubiratan de Souza Dias

Leia mais

ILHAS FLUVIAIS E LACUSTRES: ASPECTOS GERAIS DE FORMAÇÃO E DE ANÁLISE MORFOMÉTRICA E AMBIENTAL

ILHAS FLUVIAIS E LACUSTRES: ASPECTOS GERAIS DE FORMAÇÃO E DE ANÁLISE MORFOMÉTRICA E AMBIENTAL ILHAS FLUVIAIS E LACUSTRES: ASPECTOS GERAIS DE FORMAÇÃO E DE ANÁLISE MORFOMÉTRICA E AMBIENTAL Gilberto Pessanha Ribeiro 1,2,3,4 Artur Willcox dos Santos 4 Ubiratan de Souza Dias Junior 4 1 Universidade

Leia mais

MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO COMO APOIO AO PROCESSO DE RESTAURAÇÃO AMBIENTAL DO PARQUE ESTADUAL DO RIO VERMELHO, FLORIANÓPOLIS/SC

MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO COMO APOIO AO PROCESSO DE RESTAURAÇÃO AMBIENTAL DO PARQUE ESTADUAL DO RIO VERMELHO, FLORIANÓPOLIS/SC MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO COMO APOIO AO PROCESSO DE RESTAURAÇÃO AMBIENTAL DO PARQUE ESTADUAL DO RIO VERMELHO, FLORIANÓPOLIS/SC Heberle, D.A. (UDESC) ; Marimon, M.P.C. (UDESC) ; Luiz, E.L. (UDESC) RESUMO

Leia mais

ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL NO SUPORTE À AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE EROSÃO COSTEIRA EM ATAFONA, SÃO JOÃO DA BARRA (RJ)

ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL NO SUPORTE À AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE EROSÃO COSTEIRA EM ATAFONA, SÃO JOÃO DA BARRA (RJ) ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL NO SUPORTE À AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE EROSÃO COSTEIRA EM ATAFONA, SÃO JOÃO DA BARRA (RJ) Time-spatial analysis supporting coastal erosion process evaluation at Atafona, São João

Leia mais

Gilberto Pessanha Ribeiro. UFRJ Museu Nacional Geologia do Quaternário Turma Orientador: prof. Dr. João Wagner de Alencar Castro

Gilberto Pessanha Ribeiro. UFRJ Museu Nacional Geologia do Quaternário Turma Orientador: prof. Dr. João Wagner de Alencar Castro AVALIAÇÃO DA DINÂMICA DO PONTAL ARENOSO E CAMPO DE DUNAS EM ATAFONA, SÃO JOÃO DA BARRA (RJ), COMO REQUISITO PARA INTERPRETAÇÃO DO PROCESSO EROSIVO MARINHO Gilberto Pessanha Ribeiro Orientador: prof. Dr.

Leia mais

Rua Agostinho Barbalho, nº 77, ap 503, bl 2, Madureira, Rio de Janeiro RJ. cep

Rua Agostinho Barbalho, nº 77, ap 503, bl 2, Madureira, Rio de Janeiro RJ. cep PROPAGAÇÃO DE ONDAS NA BACIA DE CAMPOS, FOZ DO RIO PARAÍBA DO SUL: SUBSÍDIOS PARA ESTUDOS DE INCIDÊNCIA DE ONDAS NAS MARGENS NORTE E SUL DO DELTA E EROSÃO COSTEIRA. Souza, R. D. 1 ; Bulhões, E. M. R. 2

Leia mais

Chefe do Departamento de Engenharia Cartográfica (desde 28/04/2008)

Chefe do Departamento de Engenharia Cartográfica (desde 28/04/2008) Gilberto Pessanha Ribeiro, Dr. Chefe do Departamento de Engenharia Cartográfica (desde 28/04/2008) gilberto.pessanha@gmail.com Mauro Pereira de Mello, M.Sc. Sub-chefe do Departamento de Engenharia Cartográfica

Leia mais

DELTAS. Deltas são formados pela acumulação de sedimentos alóctonos à frente de desembocaduras fluviais, promovendo a progradação da linha de costa.

DELTAS. Deltas são formados pela acumulação de sedimentos alóctonos à frente de desembocaduras fluviais, promovendo a progradação da linha de costa. DELTAS Deltas são formados pela acumulação de sedimentos alóctonos à frente de desembocaduras fluviais, promovendo a progradação da linha de costa. A acumulação sedimentar ocorre tanto acima como abaixo

Leia mais

ANÁLISE GEOCRONOLÓGICA DE CONCHAS DA PLANÍCIE COSTEIRA DE ITAGUAÍ-RJ E SUAS IMPLICAÇÕES

ANÁLISE GEOCRONOLÓGICA DE CONCHAS DA PLANÍCIE COSTEIRA DE ITAGUAÍ-RJ E SUAS IMPLICAÇÕES ANÁLISE GEOCRONOLÓGICA DE CONCHAS DA PLANÍCIE COSTEIRA DE ITAGUAÍ-RJ E SUAS IMPLICAÇÕES Soraya Gardel Carelli 1 ; Dione Nunes do Nascimento 2 ; Mauro Cesar Geraldes 3 1 carelli@ufrrj.br UFRuralRJ Departamento

Leia mais

Resoluções das Imagens fotogramétricas e digitais. Fotogrametria e Fotointerpretação Prof. Dr. Raoni W. D. Bosquilia

Resoluções das Imagens fotogramétricas e digitais. Fotogrametria e Fotointerpretação Prof. Dr. Raoni W. D. Bosquilia Resoluções das Imagens fotogramétricas e digitais Fotogrametria e Fotointerpretação Prof. Dr. Raoni W. D. Bosquilia Classificação dos filmes aerofotogramétricos Os filmes podem ser: preto e branco ou coloridos.

Leia mais

45 mm. Palavras-chave: Sistemas Laguna-Barreira, Sedimentação Lagunar, Terraços Lagunares, Evolução Costeira, GPR. 1. INTRODUÇÃO

45 mm. Palavras-chave: Sistemas Laguna-Barreira, Sedimentação Lagunar, Terraços Lagunares, Evolução Costeira, GPR. 1. INTRODUÇÃO TERRAÇOS LAGUNARES HOLOCÊNICOS DA MARGEM DA LAGOA DO GENTIL, LITORAL NORTE DO RIO GRANDE DO SUL: GÊNESE E SIGNIFICADO PARA A EVOLUÇÃO GEOLÓGICA REGIONAL. Luiz José Tomazelli 2 ;Eduardo G. Barboza 2 ; Maria

Leia mais

GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Quarta 14 às 18h museu IC II Aula 15 Ambientes de transição Estuários e Deltas Turma: 2015/1 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com Estuário Diversas definições

Leia mais

O COMPLEXO INDUSTRIAL E PORTUÁRIO DO AÇU (CIPA) E OS AMBIENTES COSTEIROS EM SÃO JOÃO DA BARRA (RJ)

O COMPLEXO INDUSTRIAL E PORTUÁRIO DO AÇU (CIPA) E OS AMBIENTES COSTEIROS EM SÃO JOÃO DA BARRA (RJ) O COMPLEXO INDUSTRIAL E PORTUÁRIO DO AÇU (CIPA) E OS AMBIENTES COSTEIROS EM SÃO JOÃO DA BARRA (RJ) Gilberto Pessanha Ribeiro, UFF e UERJ Artur Willcox dos Santos, Gestão Ambiental/UFRJ Ubiratan de Souza

Leia mais

GEOMORFOLOGIA DA PLATAFORMA CONTINENTAL DA BACIA DE CAMPOS

GEOMORFOLOGIA DA PLATAFORMA CONTINENTAL DA BACIA DE CAMPOS GEOMORFOLOGIA DA PLATAFORMA CONTINENTAL DA BACIA DE CAMPOS Figueiredo Jr. 1, A.G.; Pacheco 1 C.E.P. e Vasconcelos 2 S.C. afigueiredo@id.uff.br 1 - Universidade Federal Fluminense - UFF, Instituto de Geociências,

Leia mais

ANÁLISE DA DINÂMICA DUNÁRIA E DA EXPANSÃO URBANA DA CIDADE DE TUTÓIA (MA) ENTRE 1987 E 2010

ANÁLISE DA DINÂMICA DUNÁRIA E DA EXPANSÃO URBANA DA CIDADE DE TUTÓIA (MA) ENTRE 1987 E 2010 Fabiano Capeleto Schaeffer (Graduando em Geografia) E-mail: fabianoschaeffer@hotmail.com Universidade Federal do Rio Grande do Sul Genílson Gonçalves Nunes (Graduando em Geografia) E-mail: genilson1988@hotmail.com

Leia mais

MAPEAMENTO DE AMBIENTES DA PLANÍCIE COSTEIRA DE SOURE (ILHA DE MARAJÓ), A PARTIR DE IMAGENS IKONOS: UMA ABORDAGEM DE CLASSIFICAÇÃO ORIENTADA A OBJETO

MAPEAMENTO DE AMBIENTES DA PLANÍCIE COSTEIRA DE SOURE (ILHA DE MARAJÓ), A PARTIR DE IMAGENS IKONOS: UMA ABORDAGEM DE CLASSIFICAÇÃO ORIENTADA A OBJETO MAPEAMENTO DE AMBIENTES DA PLANÍCIE COSTEIRA DE SOURE (ILHA DE MARAJÓ), A PARTIR DE IMAGENS IKONOS: UMA ABORDAGEM DE CLASSIFICAÇÃO ORIENTADA A OBJETO Diogo Corrêa Santos 1 ; Wilson da Rocha Nascimento

Leia mais

Utilização de imagens satélites, fotografias aéreas, MDT s e MDE no estudo de processos costeiros Cabo Frio/RJ

Utilização de imagens satélites, fotografias aéreas, MDT s e MDE no estudo de processos costeiros Cabo Frio/RJ Utilização de imagens satélites, fotografias aéreas, MDT s e MDE no estudo de processos costeiros Cabo Frio/RJ Abstract Fábio Ferreira Dias 1 (fabiofgeo@yahoo.com.br/fabiofgeo@mn.ufrj.br) Rodrigo da Silveira

Leia mais

MAPA GEOMORFOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE ITANHAÉM BAIXADA SANTISTA, SÃO PAULO, BRASIL

MAPA GEOMORFOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE ITANHAÉM BAIXADA SANTISTA, SÃO PAULO, BRASIL MAPA GEOMORFOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE ITANHAÉM BAIXADA Sato, S.E. 1 ; Cunha, C.M.L. 2 ; 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG Email:s.e.sato@furg.br; 2 UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - UNESP RIO CLARO

Leia mais

Causas Naturais da Erosão Costeira

Causas Naturais da Erosão Costeira Causas Naturais da Erosão Costeira Fonte: Souza et al. (2005) CAUSAS NATURAIS DA EROSÃO COSTEIRA 1 2 3 4 5 6 Dinâmica de circulação costeira (centros de divergência de células de deriva litorânea - efeito

Leia mais

MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO PRELIMINAR DO LITORAL SUL DO RIO GRANDE DO NORTE NE DO BRASIL

MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO PRELIMINAR DO LITORAL SUL DO RIO GRANDE DO NORTE NE DO BRASIL MAPEAMENTO GEOMORFOLÓGICO PRELIMINAR DO LITORAL SUL DO RIO GRANDE DO NORTE NE DO BRASIL Oliveira, F.F.G. (IBAMA E UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS - UEG) RESUMO Este trabalho levantou, preliminarmente, os

Leia mais

Aula 10 OS DELTAS - quando os rios depositam mar-adentro

Aula 10 OS DELTAS - quando os rios depositam mar-adentro Aula 10 OS DELTAS - quando os rios depositam mar-adentro Há vários tipos de Leques deltaicos, continentais e marinhos. Vamos tratar apenas dos Deltas s s., fluviais, costeiros. Os Deltas costeiros traduzem

Leia mais

Pablo Merlo Prata. Vitória, 17 de junho de 2008.

Pablo Merlo Prata. Vitória, 17 de junho de 2008. GERÊNCIA DE RECURSOS NATURAIS - GRN SUBGERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO DA ZONA COSTEIRA - SUCOST Aspectos práticos da linha de costa: experiências, desafios e problemas na gestão costeira do ES. Pablo

Leia mais

A QUESTÃO DA ÁGUA NO NORDESTE Meio Ambiente e Qualidade da Água

A QUESTÃO DA ÁGUA NO NORDESTE Meio Ambiente e Qualidade da Água A QUESTÃO DA ÁGUA NO NORDESTE Meio Ambiente e Qualidade da Água O caso do Rio São Francisco. Como a degradação ambiental afeta a quantidade e a qualidade da água na bacia. Como os problemas ambientais

Leia mais

ILHAS FLUVIAIS E LACUSTRES: ESTUDOS DE CASO COM EXPLORAÇÃO DESCRITIVA DE ASPECTOS GERAIS DE FORMAÇÃO E EVOLUÇÃO NUMA ANÁLISE MORFOMÉTRICA

ILHAS FLUVIAIS E LACUSTRES: ESTUDOS DE CASO COM EXPLORAÇÃO DESCRITIVA DE ASPECTOS GERAIS DE FORMAÇÃO E EVOLUÇÃO NUMA ANÁLISE MORFOMÉTRICA ILHAS FLUVIAIS E LACUSTRES: ESTUDOS DE CASO COM EXPLORAÇÃO DESCRITIVA DE ASPECTOS GERAIS DE FORMAÇÃO E EVOLUÇÃO NUMA ANÁLISE MORFOMÉTRICA Gilberto Pessanha Ribeiro, UFF e UERJ Artur Willcox dos Santos,

Leia mais

MAPEAMENTO TEMÁTICO DIGITAL A PARTIR DE IMAGENS SENSORIAS PARA O PLANO URBANO DO COMPLEXO INDUSTRIAL DO PORTO DO AÇU

MAPEAMENTO TEMÁTICO DIGITAL A PARTIR DE IMAGENS SENSORIAS PARA O PLANO URBANO DO COMPLEXO INDUSTRIAL DO PORTO DO AÇU MAPEAMENTO TEMÁTICO DIGITAL A PARTIR DE IMAGENS SENSORIAS PARA O PLANO URBANO DO COMPLEXO INDUSTRIAL DO PORTO DO AÇU GILBERTO PESSANHA RIBEIRO 1 ANDRÉ ESCOVINO DA SILVA 1 CRISTIANE RAMOS MAGALHÃES 2 YGOR

Leia mais

Tadeu Corrêa Pinheiro. Orientador: Prof. Dr. Gilberto Pessanha Ribeiro

Tadeu Corrêa Pinheiro. Orientador: Prof. Dr. Gilberto Pessanha Ribeiro Tadeu Corrêa Pinheiro Orientador: Prof. Dr. Gilberto Pessanha Ribeiro 1 Tópicos 1. Introdução 2. Fundamentação teórica 3. Desenvolvimento do trabalho - Metodologia 4. Apresentação dos resultados 5. Análise

Leia mais

Agentes Externos ou Exógenos

Agentes Externos ou Exógenos RELEVO Relevo Terrestre Agentes Internos Agentes Externos Tectonismo Vulcanismo Abalos Sísmicos Intemperismo Erosão Agentes Externos ou Exógenos Em síntese, pode-se afirmar que os agentes exógenos realizam

Leia mais

PROCESSOS MORFODINÂMICOS NA PRAIA DA PONTA D AREIA: USO DE ESPAÇOS LITORÂNEOS E IMPACTOS AMBIENTAIS

PROCESSOS MORFODINÂMICOS NA PRAIA DA PONTA D AREIA: USO DE ESPAÇOS LITORÂNEOS E IMPACTOS AMBIENTAIS PROCESSOS MORFODINÂMICOS NA PRAIA DA PONTA D AREIA: USO DE ESPAÇOS LITORÂNEOS E IMPACTOS AMBIENTAIS Simone Cristina de Oliveira Silva, mestranda em Geografia-UFC simone.cristina.geo@gmail.com Profª Drª

Leia mais

Mapeamento digital da área urbana na frente erosiva em Atafona e progradacional em Grussaí, São João da Barra (RJ): impactos urbanos e ambientais

Mapeamento digital da área urbana na frente erosiva em Atafona e progradacional em Grussaí, São João da Barra (RJ): impactos urbanos e ambientais 1 Mapeamento digital da área urbana na frente erosiva em Atafona e progradacional em Grussaí, São João da Barra (RJ): impactos urbanos e ambientais Gilberto Pessanha Ribeiro 1,2 Bruno Ferraz Bartel 2 Christiane

Leia mais

DEFORMAÇÃO NEOTECTÔNICA DOS TABULEIROS COSTEIROS DA FORMAÇÃO BARREIRAS ENTRE OS RIOS PARAÍBA DO SUL (RJ) E DOCE (ES), NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL

DEFORMAÇÃO NEOTECTÔNICA DOS TABULEIROS COSTEIROS DA FORMAÇÃO BARREIRAS ENTRE OS RIOS PARAÍBA DO SUL (RJ) E DOCE (ES), NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL DEFORMAÇÃO NEOTECTÔNICA DOS TABULEIROS COSTEIROS DA FORMAÇÃO BARREIRAS ENTRE OS RIOS PARAÍBA DO SUL (RJ) E DOCE (ES), NA REGIÃO SUDESTE DO BRASIL Carolina da Silva Ribeiro 1 & Claudio Limeira Mello 2 carolina_geol@yahoo.com.br

Leia mais

Rio Guaíba. Maio de 2009

Rio Guaíba. Maio de 2009 Rio Guaíba Elírio Ernestino Toldo Jr. Luiz Emílio Sá Brito de Almeida CECO-IG-UFRGS* toldo@ufrgs.br IPH-UFRGS luiz.almeida@ufrgs.br Maio de 2009 *Centro de Estudos de Geologia Costeira e Oceânica CP 15001

Leia mais

1. Introdução: um breve histórico

1. Introdução: um breve histórico 1. Introdução: um breve histórico Sensoriamento Remoto no Brasil Início das Atividades 1968 - Projeto SERE 1972 - PG em SR 1973 - Recepção de dados Landsat 1975-1 a Dissertação de Mestrado Sensoriamento

Leia mais

FUNÇÕES DESEMPENHADAS PELAS DIFERENTES TIPOLOGIAS DA REN

FUNÇÕES DESEMPENHADAS PELAS DIFERENTES TIPOLOGIAS DA REN FUNÇÕES DESEMPENHADAS PELAS DIFERENTES TIPOLOGIAS DA REN (Anexo I do DL n.º 166/2008, de 22 de agosto, na redação do DL n.º 239/2012, de 2 de novembro) ÁREAS DE PROTEÇÃO DO LITORAL Faixa marítima de proteção

Leia mais

O CONHECIMENTO GEOLOGICO COMO FERRAMENTA DO MONITORAMENTO COSTEIRO E APOIO AO USO E OCUPAQAO DO LITORAL: ESTUDO DE CAS0 NO LITORAL DE SERGIPE, BRASIL

O CONHECIMENTO GEOLOGICO COMO FERRAMENTA DO MONITORAMENTO COSTEIRO E APOIO AO USO E OCUPAQAO DO LITORAL: ESTUDO DE CAS0 NO LITORAL DE SERGIPE, BRASIL O CONHECIMENTO GEOLOGICO COMO FERRAMENTA DO MONITORAMENTO COSTEIRO E APOIO AO USO E OCUPAQAO DO LITORAL: ESTUDO DE CAS0 NO LITORAL DE SERGIPE, BRASIL Guilherme dos Santos Teles*; Liana Matos Rocha* e Antonio

Leia mais

MORFOLOGIA E DINÂMICA DA PRAIA ENTRE ATAFONA E GRUSSAÍ, LITORAL NORTE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FERNANDEZ, G.B. 1 ROCHA, T.B. 2 PEREIRA, T.G.

MORFOLOGIA E DINÂMICA DA PRAIA ENTRE ATAFONA E GRUSSAÍ, LITORAL NORTE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FERNANDEZ, G.B. 1 ROCHA, T.B. 2 PEREIRA, T.G. MORFOLOGIA E DINÂMICA DA PRAIA ENTRE ATAFONA E GRUSSAÍ, LITORAL NORTE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FERNANDEZ, G.B. 1 1 Departamento de Geografia, Laboratório de Geografia Física (LAGEF), Departamento de

Leia mais

LAMA DE PRAIA CASSINO

LAMA DE PRAIA CASSINO LAMA DE PRAIA CASSINO Publicado no site em 18/09/2014 Euripedes Falcão Vieira* Os estuários são áreas de intensa movimentação de sedimentos produzidas pelas correntes que nelas atuam. A natureza dos sedimentos,

Leia mais

METODOLOGIA PARA MAPEAMENTO DE TERRENOS QUATERNÁRIOS NO MUNICÍPIO DE CANANÉIA, LITORAL SUL DO ESTADO DE SÃO PAULO

METODOLOGIA PARA MAPEAMENTO DE TERRENOS QUATERNÁRIOS NO MUNICÍPIO DE CANANÉIA, LITORAL SUL DO ESTADO DE SÃO PAULO METODOLOGIA PARA MAPEAMENTO DE TERRENOS QUATERNÁRIOS NO MUNICÍPIO DE CANANÉIA, LITORAL SUL DO ESTADO DE SÃO PAULO *Thomaz Alvisi de Oliveira 1 ; Paulina Setti Riedel 2 ; Célia Regina de Gouveia Souza 3

Leia mais

MAPEAMENTO DIGITAL DE AMBIENTES COSTEIROS COM APOIO DE IMAGENS DE SATÉLITES E DADOS GNSS

MAPEAMENTO DIGITAL DE AMBIENTES COSTEIROS COM APOIO DE IMAGENS DE SATÉLITES E DADOS GNSS MAPEAMENTO DIGITAL DE AMBIENTES COSTEIROS COM APOIO DE IMAGENS DE SATÉLITES E DADOS GNSS Gilberto Pessanha Ribeiro ¹, ², ³ gilberto@globalgeo.com.br ¹ Globalgeo Geotecnologias www.globalgeo.com.br ² Faculdade

Leia mais

Gilberto Pessanha Ribeiro 1,2 Artur Willcox dos Santos 2 Filipe Quintanilha Pereira 1 Lais Ribeiro Baroni 1 Ubiratan de Souza Dias Junior 1

Gilberto Pessanha Ribeiro 1,2 Artur Willcox dos Santos 2 Filipe Quintanilha Pereira 1 Lais Ribeiro Baroni 1 Ubiratan de Souza Dias Junior 1 MAPEAMENTO DE USO DA TERRA EM ZONA COSTEIRA IMPACTADA PELO COMPLEXO INDUSTRIAL PORTUÁRIO DO AÇU (CIPA) NO NORTE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO-BRASIL, COM APOIO DE IMAGENS DE SATÉLITES GEOEYE Gilberto Pessanha

Leia mais

Aula AMBIENTE DELTAICO. META Apresentar os conceitos de deltas, fatores de formação e diferentes classifi cações.

Aula AMBIENTE DELTAICO. META Apresentar os conceitos de deltas, fatores de formação e diferentes classifi cações. AMBIENTE DELTAICO Aula 7 META Apresentar os conceitos de deltas, fatores de formação e diferentes classifi cações. OBJETIVOS Ao fi nal desta aula, o aluno deverá: conhecer os diferentes conceitos de deltas;

Leia mais

45 mm COMPORTAMENTO MORFO-SEDIMENTAR DAS PRAIAS DO MUNICÍPIO DE PONTAL DO PARANÁ PR: DADOS PRELIMINARES

45 mm COMPORTAMENTO MORFO-SEDIMENTAR DAS PRAIAS DO MUNICÍPIO DE PONTAL DO PARANÁ PR: DADOS PRELIMINARES COMPORTAMENTO MORFO-SEDIMENTAR DAS PRAIAS DO MUNICÍPIO DE PONTAL DO PARANÁ PR: DADOS PRELIMINARES Rafael A. PILATO¹*; Felipe R. FREITAS¹; Marcelo R. LAMOUR¹ *pilato@ufpr.br 1 Centro de Estudos do Mar (CEM/UFPR)

Leia mais

Relevo Brasileiro. Professora: Jordana Costa

Relevo Brasileiro. Professora: Jordana Costa Relevo Brasileiro Professora: Jordana Costa Relevo Observando a parte superficial da litosfera, isto é, o terreno sobre o qual vivemos, sobre o qual construímos cidades e estradas, vemos que ela apresenta

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO SEDIMENTAR E MORFODINÂMICA DO LITORAL NORTE DO ESTADO DE SERGIPE-CONTRIBUIÇÃO AO ORDENAMENTO TERRITORIAL

CARACTERIZAÇÃO SEDIMENTAR E MORFODINÂMICA DO LITORAL NORTE DO ESTADO DE SERGIPE-CONTRIBUIÇÃO AO ORDENAMENTO TERRITORIAL CARACTERIZAÇÃO SEDIMENTAR E MORFODINÂMICA DO LITORAL NORTE DO ESTADO DE SERGIPE-CONTRIBUIÇÃO AO ORDENAMENTO TERRITORIAL FONTES, A. L.¹ ¹Universidade Federal de Sergipe. Núcleo de Pós-Graduação em Geografia.

Leia mais

FOTOGRAMETRIA E FOTOINTERPRETAÇÃO

FOTOGRAMETRIA E FOTOINTERPRETAÇÃO FOTOGRAMETRIA E FOTOINTERPRETAÇÃO GENERALIDADES Fotogrametria => é o processo de derivação de informação métrica de um objeto através de medições feitas em fotografias desse objeto Foto-interpretação =>

Leia mais

Região de Itaituba-PA

Região de Itaituba-PA Região de Itaituba-PA O exemplo de interpretação de imagens apresentado a seguir foi elaborado por: André Augusto Gavlak, Kleber Trabaquini e Raian Vargas Maretto (alunos do mestrado em Sensoriamento Remoto

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco, Avenida Arquitetura S/N Cidade Universitária Recife (PE), CEP Recife, PE

Universidade Federal de Pernambuco, Avenida Arquitetura S/N Cidade Universitária Recife (PE), CEP Recife, PE MUDANÇA DA LINHA DE COSTA À MÉDIO PRAZO NO MUNICIPIO DO CABO SANTO AGOSTINHO, PERNAMBUCO BRASIL Maria das Neves Gregório 1 ; Weyller Diogo Albuquerque Melo 1 ; Alderlan 1 W. de Oliveira Silva; Tereza Cristina

Leia mais

09/03/2017. O que é Sensoriamento Remoto? Tipos de Sensoriamento Remoto REVISÃO SENSORIAMENTO REMOTO AULA ZERO. Satélites.

09/03/2017. O que é Sensoriamento Remoto? Tipos de Sensoriamento Remoto REVISÃO SENSORIAMENTO REMOTO AULA ZERO. Satélites. REVISÃO SENSORIAMENTO REMOTO AULA ZERO Daniel C. Zanotta 09/03/2017 O que é Sensoriamento Remoto? Arte e ciência da obtenção de informações sobre um objeto, através de radiação eletromagnética, sem contato

Leia mais

IMAGENS DE SATÉLITE PROF. MAURO NORMANDO M. BARROS FILHO

IMAGENS DE SATÉLITE PROF. MAURO NORMANDO M. BARROS FILHO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE TECNOLOGIA E RECURSOS HUMANOS UNIDADE ACADÊMICA DE ENGENHARIA CIVIL IMAGENS DE SATÉLITE PROF. MAURO NORMANDO M. BARROS FILHO Sumário 1. Conceitos básicos

Leia mais

Riscos no Litoral: O Plano Sectorial de Prevenção e Redução de. Riscos e o contributo da Direcção Geral do. Território DGT

Riscos no Litoral: O Plano Sectorial de Prevenção e Redução de. Riscos e o contributo da Direcção Geral do. Território DGT Riscos no Litoral: O Plano Sectorial de Prevenção e Redução de Riscos e o contributo da Direcção Geral do Território DGT António Amílcar M. Alves-da-Silva Geógrafo, Investigador auxiliar (aalves@dgterritorio.pt)

Leia mais

Interpretação Visual de Produtos de Sensoriamento Remoto

Interpretação Visual de Produtos de Sensoriamento Remoto UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Interpretação Visual de Produtos de Sensoriamento Remoto Prof. Dr. Richarde Marques IMAGENS DE SENSORIAMENTO

Leia mais

Zonas Costeiras: - Erosão costeira - Elevada pressão urbanística

Zonas Costeiras: - Erosão costeira - Elevada pressão urbanística Zonas Costeiras: - Erosão costeira - Elevada pressão urbanística Linha de costa de Portugal FAIXA LITORAL OU COSTEIRA: Zona de transição entre o domínio continental e o domínio marinho. É uma faixa complexa,

Leia mais

DINÂMICA MORFOLÓGICA DA BORDA NORTE DO ATUAL DELTA DO RIO PARAÍBA DO SUL, RJ

DINÂMICA MORFOLÓGICA DA BORDA NORTE DO ATUAL DELTA DO RIO PARAÍBA DO SUL, RJ DINÂMICA MORFOLÓGICA DA BORDA NORTE DO ATUAL DELTA DO RIO PARAÍBA DO SUL, RJ VASCONCELOS 1 Sérgio Cadena de; FERNANDEZ 2 Guilherme Borges sergio.cadena82@gmail.com 1 - Universidade Federal Fluminense -

Leia mais

GEOLOGIA GERAL: CARTOGRAFIA E MAPEAMENTO DIGITAL. Departamento de Ciências do Mar Prof. Dr. Gilberto Pessanha Ribeiro

GEOLOGIA GERAL: CARTOGRAFIA E MAPEAMENTO DIGITAL. Departamento de Ciências do Mar Prof. Dr. Gilberto Pessanha Ribeiro GEOLOGIA GERAL: CARTOGRAFIA E MAPEAMENTO DIGITAL Departamento de Ciências do Mar Prof. Dr. Gilberto Pessanha Ribeiro gilberto.unifesp@gmail.com 1 www.georeferencial.com.br/artigos-cientificos/ 3.4. Geologia

Leia mais

GEOMORFOLOGIA DA REGIÃO DE SIRIBINHA, MUNICÍPIO DE CONDE LITORAL NORTE DO ESTADO DA BAHIA

GEOMORFOLOGIA DA REGIÃO DE SIRIBINHA, MUNICÍPIO DE CONDE LITORAL NORTE DO ESTADO DA BAHIA GEOMORFOLOGIA DA REGIÃO DE SIRIBINHA, MUNICÍPIO DE CONDE LITORAL NORTE DO ESTADO DA BAHIA Ângela Brito Almeida 1 ; Felipe Machado de Araújo 2 ; Sálvio Henrique Santos Ribeiro 3 ; Antônio Marcos Santos

Leia mais

RESTINGAS: SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO...

RESTINGAS: SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO... RESTINGAS: SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO... Pereira, M.L.M ¹,²; Souza, K. I. S ³.; Vieira, C.V. 4 mario.pereira@icmbio.gov.br ICMBio 1 UFSC-LOC; 2 - IBAMA³; UNIVILLE 4 Rod. Mauricio Sirotsky Sobrinho,

Leia mais

MAPEAMENTO COSTEIRO. DINÂMICA COSTEIRA E MONITORAMENTO GEODÉSICO DA LINHA DE COSTA.

MAPEAMENTO COSTEIRO. DINÂMICA COSTEIRA E MONITORAMENTO GEODÉSICO DA LINHA DE COSTA. MAPEAMENTO COSTEIRO. DINÂMICA COSTEIRA E MONITORAMENTO Prof. Gilberto Pessanha Ribeiro gilberto.pessanha@gmail.com Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP Instituto do Mar Campus Baixada Santista www.mapasdigitais.uerj.br

Leia mais

ANÁLISE DA LINHA DE COSTA ENTRE O RIO MACAÉ E O CANAL DAS FLECHAS (RJ) DE 1967 A 2007 POR MEIO DE FOTOGRAFIAS AÉREAS

ANÁLISE DA LINHA DE COSTA ENTRE O RIO MACAÉ E O CANAL DAS FLECHAS (RJ) DE 1967 A 2007 POR MEIO DE FOTOGRAFIAS AÉREAS ANÁLISE DA LINHA DE COSTA ENTRE O RIO MACAÉ E O CANAL DAS Folharini, S.O. 1 ; Oliveira, R.C. 2 ; Conceição, A.F. 3 ; Furtado, A.L.S. 3 ; 1 UNICAMP/EMBRAPA MONITORAMENTO POR SATÉLITE Email:saulofolharini@yahoo.com.br;

Leia mais

Reyes-Pérez, Y.A. Tese de Doutorado 51

Reyes-Pérez, Y.A. Tese de Doutorado 51 Reyes-Pérez, Y.A. Tese de Doutorado 51 4.3.1- MODELO ESTÁTICO 3D Nesta etapa foi empregado o software Gocad em sua versão 2.1 para integrar, modelar e visualizar tridimensionalmente os dados geológicos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROF. PAULA NOGUEIRA - OLHÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS PROGRAMA CURRICULAR - 3º CICLO - 7º ANO GEOGRAFIA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROF. PAULA NOGUEIRA - OLHÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS PROGRAMA CURRICULAR - 3º CICLO - 7º ANO GEOGRAFIA ANO 2015-2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROF. PAULA NOGUEIRA - OLHÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS PROGRAMA CURRICULAR - 3º CICLO - 7º ANO GEOGRAFIA DOMINÍOS e SUBDOMÍNIOS OBJETIVOS 1 1º PERÍODO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS GRADUAÇÃO EM GEOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS GRADUAÇÃO EM GEOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS GRADUAÇÃO EM GEOLOGIA ALITA DE SOUZA PAIXÃO ALVES O DELTA DO SÃO FRANCISCO: USO DA COMPOSIÇÃO DO SEDIMENTO NA RECONSTRUÇÃO HOLOCÊNICA DA SEDIMENTAÇÃO

Leia mais

GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Quarta 14 às 18h museu IC II Aula 13 Variação do nível do mar Turma: 2015/1 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com Variação do nível do mar Porque o nível do

Leia mais

GEOPROCESSAMENTO EAPLICAÇÕESEM MODELAGEM E SIMULAÇÃO DO NÍVELDO MAR

GEOPROCESSAMENTO EAPLICAÇÕESEM MODELAGEM E SIMULAÇÃO DO NÍVELDO MAR GEOPROCESSAMENTO EAPLICAÇÕESEM MODELAGEM E SIMULAÇÃO DO NÍVELDO MAR GIAGEO GRUPO DE INFORMÁTICA APLICADA E GEOPROCESSAMENTO Coordenador: André Luis Silva dos Santos Departamento Acadêmico de Informática

Leia mais

044.ASR.SRE.16 - Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto

044.ASR.SRE.16 - Princípios Físicos do Sensoriamento Remoto Texto: Sensoriamento Remoto e suas Aplicações para Recursos Naturais Autora: TANIA MARIA SAUSEN Coordenadoria de Ensino, Documentação e Programa Especiais Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais São

Leia mais

Anderson Gomes de Almeida 1, Alberto Garcia de Figueiredo Jr. 2, Gilberto Pessanha Ribeiro 3

Anderson Gomes de Almeida 1, Alberto Garcia de Figueiredo Jr. 2, Gilberto Pessanha Ribeiro 3 MODELAGEM NUMÉRICA DO TERRENO A PARTIR DA RECUPERAÇÃO DA BATIMETRIA DE 1958 NA FOZ DO RIO PARAÍBA DO SUL E DA ÁREA DA PLATAFORMA CONTINENTAL ADJACENTE, E SUAS APLICAÇÕES GEOLÓGICAS Anderson Gomes de Almeida

Leia mais

Espacialização das Áreas de Exploração de Argilas em Campos do Goytacazes Izabel de Souza Ramos 1 Josué Alves Barroso 1 Roberta de Sousa Ramalho 1

Espacialização das Áreas de Exploração de Argilas em Campos do Goytacazes Izabel de Souza Ramos 1 Josué Alves Barroso 1 Roberta de Sousa Ramalho 1 Espacialização das Áreas de Exploração de Argilas em Campos do Goytacazes Izabel de Souza Ramos 1 Josué Alves Barroso 1 Roberta de Sousa Ramalho 1 1 UENF - Universidade Estadual do Norte Fluminense CCT

Leia mais

MAPEAMENTO DIGITAL DA DINÂMICA DO PONTAL ARENOSO E DO CAMPO DE DUNAS DE ATAFONA, SÃO JOÃO DA BARRA (RJ)

MAPEAMENTO DIGITAL DA DINÂMICA DO PONTAL ARENOSO E DO CAMPO DE DUNAS DE ATAFONA, SÃO JOÃO DA BARRA (RJ) MAPEAMENTO DIGITAL DA DINÂMICA DO PONTAL ARENOSO E DO CAMPO DE DUNAS DE ATAFONA, SÃO JOÃO DA BARRA (RJ) GILBERTO PESSANHA RIBEIRO CLAUDIO QUARESMA PEREIRA ANDRÉ ESCOVINO DA SILVA Universidade do Estado

Leia mais

Análise multitemporal da linha de costa do município de Acaraú Ceará Brasil. Maria Valdirene Araújo 1,2

Análise multitemporal da linha de costa do município de Acaraú Ceará Brasil. Maria Valdirene Araújo 1,2 Anais XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Curitiba, PR, Brasil, 30 de abril a 05 de maio de 2011, INPE p.7674 Análise multitemporal da linha de costa do município de Acaraú Ceará Brasil

Leia mais

ESTUÁRIOS. - quando os rios encontram o mar...

ESTUÁRIOS. - quando os rios encontram o mar... ESTUÁRIOS - quando os rios encontram o mar... I. INTRODUÇÃO - DAS MONTANHAS ATÉ AO LITORAL 1. A PRODUÇÃO DE SEDIMENTOS 2. O TRANSPORTE E SEDIMENTAÇÃO FLUVIAIS 3. A ÁGUA E OS SEDIMENTOS QUE OS RIOS LANÇAM

Leia mais

ANÁLISE VISUAL DE IMAGENS ORBITAIS MULTIESPECTRAIS

ANÁLISE VISUAL DE IMAGENS ORBITAIS MULTIESPECTRAIS UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS DISCIPLINA: LEB450 TOPOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO II PROF. DR. CARLOS ALBERTO VETTORAZZI

Leia mais

A discussão da política ambiental no Plano Diretor de São João da Barra

A discussão da política ambiental no Plano Diretor de São João da Barra A discussão da política ambiental no Plano Diretor de São João da Barra Vicente de Paulo Santos de Oliveira * José Manoel de Siqueira Pereira ** José Alves de Azevedo Neto *** Rossana Florêncio Machado

Leia mais

SUBDOMÍNIO OBJETIVOS DESCRITORES CONTEÚDOS

SUBDOMÍNIO OBJETIVOS DESCRITORES CONTEÚDOS DISCIPLINA: Geografia ANO DE ESCOLARIDADE: 7.º Ano 2016/2017 METAS CURRICULARES PROGRAMA SUBDOMÍNIO OBJETIVOS DESCRITORES CONTEÚDOS A Terra: Estudos e Representações - A Geografia e o Território - A representação

Leia mais

DINÂMICA COSTEIRA: Principais elementos do sistema praial

DINÂMICA COSTEIRA: Principais elementos do sistema praial DINÂMICA COSTEIRA: Principais elementos do sistema praial ELEMENTOS DOS PROCESSOS COSTEIROS Marés Ondas Correntes induzidas por ondas Nível do mar Sedimentos MARÉS - oscilações verticais periódicas do

Leia mais

PMI 3331 GEOMÁTICA APLICADA À ENGENHARIA DE PETRÓLEO

PMI 3331 GEOMÁTICA APLICADA À ENGENHARIA DE PETRÓLEO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Escola Politécnica Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo PMI Graduação em Engenharia de Petróleo PMI 3331 GEOMÁTICA APLICADA À ENGENHARIA DE PETRÓLEO PROCESSAMENTO

Leia mais

Cartas de Sensibilidade a Derramamento de Óleo Costeira e Terrestre. Prof Dr Paulo Márcio Leal de Menezes ICA SBC - UFRJ

Cartas de Sensibilidade a Derramamento de Óleo Costeira e Terrestre. Prof Dr Paulo Márcio Leal de Menezes ICA SBC - UFRJ Cartas de Sensibilidade a Derramamento de Óleo Costeira e Terrestre Prof Dr Paulo Márcio Leal de Menezes ICA SBC - UFRJ pmenezes@acd.ufrj.br 1 Introdução Cartografia Temática Cartografia Ambiental Cartografia

Leia mais

GEOMORFOLOGIA GERAL E DO BRASIL

GEOMORFOLOGIA GERAL E DO BRASIL GEOMORFOLOGIA GERAL E DO BRASIL ESTRUTURA GEOLÓGICA DA TERRA Manto Superior Manto Inferior Núcleo SIAL SIMA TECTÔNICA DE PLACAS TECTÔNICA DE PLACAS FORÇAS TECTÔNICAS DERIVA CONTINENTAL MAIOR EXTINÇÃO EM

Leia mais

ELABORAÇÃO DE MAPA GEOMORFOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP.

ELABORAÇÃO DE MAPA GEOMORFOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP. ELABORAÇÃO DE MAPA GEOMORFOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP. João Osvaldo Rodrigues Nunes (joaosvaldo@fct.unesp.br), Melina Fushimi (melinafushimi@yahoo.com.br) Universidade Estadual Paulista

Leia mais

PALEOCANAL PLEISTOCÊNICO NA BARREIRA III ENTRE O CHUÍ E O BALNEÁRIO HERMENEGILDO - RIO GRANDE DO SUL

PALEOCANAL PLEISTOCÊNICO NA BARREIRA III ENTRE O CHUÍ E O BALNEÁRIO HERMENEGILDO - RIO GRANDE DO SUL PALEOCANAL PLEISTOCÊNICO NA BARREIRA III ENTRE O CHUÍ E O BALNEÁRIO HERMENEGILDO - RIO GRANDE DO SUL Eduardo Guimarães Barboza 1 ; Ricardo N. Ayup-Zouain 1 ; Luiz José Tomazelli 1, Maria Luiza C. C. Rosa

Leia mais

ANÁLISE MULTITEMPORAL DOS ELEMENTOS GEOAMBIENTAIS DA DINÂMICA COSTEIRA DA REGIÃO DA PONTA DO TUBARÃO, MUNICÍPIO DE MACAU/RN, COM

ANÁLISE MULTITEMPORAL DOS ELEMENTOS GEOAMBIENTAIS DA DINÂMICA COSTEIRA DA REGIÃO DA PONTA DO TUBARÃO, MUNICÍPIO DE MACAU/RN, COM ANÁLISE MULTITEMPORAL DOS ELEMENTOS GEOAMBIENTAIS DA DINÂMICA COSTEIRA DA REGIÃO DA PONTA DO TUBARÃO, MUNICÍPIO DE MACAU/RN, COM BASE EM PRODUTOS DE SENSORIAMENTO REMOTO E INTEGRAÇÃO EM SISTEMA DE INFORMAÇÃO

Leia mais

Análise da variação da linha de costa a noroeste do Estado do Pará (Baía de Curuçá) através das imagens Landsat TM e ETM + e CBERS 2B.

Análise da variação da linha de costa a noroeste do Estado do Pará (Baía de Curuçá) através das imagens Landsat TM e ETM + e CBERS 2B. nais XV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Curitiba, PR, Brasil, 30 de abril a 05 de maio de 2011, INPE p.5061 nálise da variação da linha de costa a noroeste do Estado do Pará (Baía de

Leia mais

Análise espacial da expansão urbana na Região Lagunar de Itaipu, Niterói - RJ.

Análise espacial da expansão urbana na Região Lagunar de Itaipu, Niterói - RJ. Análise espacial da expansão urbana na Região Lagunar de Itaipu, Niterói - RJ. Felipe Nascimento Werminghoff¹ Raphael e Silva Girão² Pedro José Farias Fernandes 3 ¹ UFF - Instituto de Geociências Departamento

Leia mais

Mário Neves. Formas e Processos Litorais 2007/08. Programa 2007/2008

Mário Neves. Formas e Processos Litorais 2007/08. Programa 2007/2008 Formas e Processos Litorais 2007/08 Mário Neves Programa 2007/2008 1. Introdução 1.1. Os vários conceitos de litoral 2. Os factores gerais da dinâmica litoral 2.1. O condicionamento geomorfológico 2.2.

Leia mais

VULNERABILIDADE AMBIENTAL DAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DE SABIAGUABA, FORTALEZA-CE.

VULNERABILIDADE AMBIENTAL DAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DE SABIAGUABA, FORTALEZA-CE. VULNERABILIDADE AMBIENTAL DAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DE SABIAGUABA, FORTALEZA-CE. Andrea Bezerra Crispim Mestranda em Geografia (UECE) E-mail: andreacrispim1@yahoo.com.br Jader de Oliveira Santos Doutorando

Leia mais

Bacias Hidrográficas: - Erosão fluvial - Cheias - Exploração de inertes

Bacias Hidrográficas: - Erosão fluvial - Cheias - Exploração de inertes Bacias Hidrográficas: - Erosão fluvial - Cheias - Exploração de inertes Bacias Hidrográficas Bacias Hidrográficas: - Erosão fluvial - Cheias - Exploração de inertes Mas primeiro alguns conceitos!! Rio

Leia mais

Importância dos oceanos

Importância dos oceanos AMBIENTE MARINHO Importância dos oceanos Os oceanos cobrem 70% da superfície da Terra. Figuram entre os maiores transpor-tadores tadores de calor do planeta, controlando o clima e seus efeitos. Constituem

Leia mais

EAD SR-II Geomorfologia. Ciência que estuda o Relevo da Superfície Terrestre. Teresa G. Florenzano DSR/OBT/INPE

EAD SR-II Geomorfologia. Ciência que estuda o Relevo da Superfície Terrestre. Teresa G. Florenzano DSR/OBT/INPE EAD SR-II - 2013 Geomorfologia Ciência que estuda o Relevo da Superfície Terrestre Teresa G. Florenzano DSR/OBT/INPE Relevo da Superfície Terrestre Caracteriza-se - elevações e depressões de diferentes

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE SUBDOMÍNIOS. Geografia 7º ANO ANO LETIVO 2015 / 2016

PLANIFICAÇÃO DE SUBDOMÍNIOS. Geografia 7º ANO ANO LETIVO 2015 / 2016 SUBDOMÍNIO: 1 A geografia e o território PLANIFICAÇÃO DE SUBDOMÍNIOS Geografia 7º ANO ANO LETIVO 2015 / 2016 DOMÍNIO: A TERRA: ESTUDOS E REPRESENTAÇÕES 1. Compreender o objeto e o método da Geografia 1.1.

Leia mais

XIX CONGRESSO BRASILEIRO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS ANÁLISE DA PRODUTIVIDADE DE POÇOS TUBULARES PROFUNDOS NO MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DA BARRA/RJ

XIX CONGRESSO BRASILEIRO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS ANÁLISE DA PRODUTIVIDADE DE POÇOS TUBULARES PROFUNDOS NO MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DA BARRA/RJ XIX CONGRESSO BRASILEIRO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS ANÁLISE DA PRODUTIVIDADE DE POÇOS TUBULARES PROFUNDOS NO MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DA BARRA/RJ Lyndemberg Campelo Correia 1 ; Maria da Glória Alves 1 ; Zélia

Leia mais