Instituto Superior de Ciências Religiosas Da Arquidiocese do Rio de Janeiro REGULAMENTO DOS PROGRAMAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instituto Superior de Ciências Religiosas Da Arquidiocese do Rio de Janeiro REGULAMENTO DOS PROGRAMAS"

Transcrição

1 Instituto Superior de Ciências Religiosas Da Arquidiocese do Rio de Janeiro REGULAMENTO DOS PROGRAMAS

2 1. Natureza do ISCR O Instituto Superior de Ciências Religiosas, fundado e mantido pela Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, é uma Instituição de Ensino Superior ligada ao Departamento (Faculdade Eclesiástica) de Teologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), para obtenção do título acadêmico (com valor eclesiástico) de Bacharelado em Ciências Religiosas. O Instituto foi aprovado pela Congregação para a Educação Católica em O Instituto tem por finalidade a formação de fiéis leigos e religiosos em vista do enriquecimento da sua própria vida cristã, da capacidade de explicar a razão da sua fé, do exercício do apostolado que lhes é próprio e, em particular, da sua participação na evangelização. Ao mesmo tempo, ele prepara agentes pastorais inseridos nas dinâmicas culturais da sociedade contemporânea, para poder colaborar com os ministros sagrados na sua missão específica. Visa, assim, promover a busca das respostas às interrogações humanas, em perspectiva teológica e com a ajuda das ciências filosóficas, das ciências humanas e dos outros âmbitos disciplinares que se ocupam dos estudos religiosos. Dessa forma, o Instituto propõe-se a participar do esforço teológico de aprofundamento da verdade, acompanhando o crescimento das pessoas singularmente e de toda a comunidade, testemunhando e divulgando em todos os níveis as razões de nossa Fé, de modo a contribuir para a evangelização da cultura nacional contemporânea. O estudo e o ensino das Ciências Religiosas propõe-se igualmente a oferecer os elementos necessários para elaborar uma síntese entre a fé e a cultura na singularidade das situações vividas por esta igreja particular. A par dos requisitos exigidos pela sociedade civil, o ISCR qualifica, sob o ponto de vista da autoridade eclesiástica, ao Ensino Religioso nas escolas. 2. Grade curricular do Curso de Bacharelado em Ciências Religiosas O Curso tem um total de 182 créditos, assim distribuídos: Créditos-aula (20 créditos semanais: 4 horas-aula, 5 dias semanais): 120 Trabalho final de curso: 2 semestres, cada um com 10 créditos: 20 Exame de síntese: 1 semestre, com 10 créditos: 10 Estágios: 2 semestres, com 6 créditos cada um: 12 Atividades complementares (realizados no decorrer de seis semestres): 20 O curso é oferecido numa grade curricular constituída por seis semestres letivos (três anos). Como exceção, para os alunos que dispõem de tempo restrito para os estudos, este programa pode ser dilatado para um máximo de sete (7) anos.

3 2.1. Disciplinas por grupos Teologia Disciplina Cr Sagrada Escritura Introdução Geral 2 (24 cr) S.E. I: Sinóticos e Atos 4 S.E. II: Escritos Joaninos (Jo; Ap; Jo) 4 S.E. III: Escritos Paulinos; Hb; Cartas católicas (exceto Jo) 4 S.E. IV: Pentateuco e Intr. Aos Livros Históricos 4 S.E. V: Livros Proféticos 4 S.E.VI: Livros Sapienciais e outros Escritos 2 Teologia Introdução à Teologia e Teologia Fundamental 2 Sistemática Teol. Dogm. I: Deus Uno e Trino 4 (28 cr) Teol. Dogm. II: Antropologia Teológica 4 Teol. Dogm. III: Cristologia 4 Teol. Dogm. IV: Eclesiologia 4 Teol. Dogm. V: Graça 4 Teol. Dogm. VI: Sacramentos 4 Teol. Dogm. VII: Escatologia 2 Teol. Dogm. VIII: Mariologia 2 Teologia Moral Moral Fundamental 4 (10 cr) Moral Especial I 4 Moral Especial II 2 Outras áreas da Teologia Espiritual 2 Teologia Direito Canônico 2 (16 cr) Liturgia 4 História da Igreja I 2 História da Igreja II 4 Patrologia 2 Teologia Pastoral Pastoral I 2 (8 cr) Pastoral II 2 Metodologia catequética e acompanhamento espiritual de crianças e adolescentes 2 Metodologia catequética e acompanhamento espiritual de jovens e adultos 2 Seminários Seminário I 2 (4 cr) Seminário II 2 Total de créditos 92 Filosofia Introdução à Filosofia 2 Lógica 2 Metafísica 4

4 Teoria do Conhecimento 2 História da Filosofia I 4 História da Filosofia II 2 Total de créditos 16 Outras Ciências Humanas Seminário de Metodologia Científica 2 Psicologia aplicada 2 Didática 4 Estágio Supervisionado I 2 Estágio Supervisionado II 2 Total de créditos 12 Outros instrumentos didáticos Estágio I 6 Estágio II 6 Trabalho final de Curso 20 Preparação do Exame de Síntese 10 Atividades extra-classe 20 Total de créditos Distribuição das disciplinas por semestre Disciplinas Cr 1º Introdução à Filosofia 2 Lógica 2 História da Filosofia I 4 Psicologia aplicada 2 Introdução Geral à Sagrada Escritura 2 Introdução à Teologia e Teologia Fundamental 2 S.E. I: Evangelhos Sinóticos e Atos dos Apóstolos 4 Teologia Espiritual 2 2º História da Filosofia II 2 Metafísica 4 Teoria do Conhecimento 2 S.E. II: Escritos Joaninos 4 Didática 4 Teol. Dogm. I: Deus Uno e Trino 4 3º S.E. III: Escritos Paulinos e Outras Cartas 4 Teol. Dogm. II: Antropologia Teológica 4 Teol. Dogm. III: Cristologia 4 Moral Fundamental 4 Patrologia 2 Teol. Dogm.V III: Mariologia 2

5 4º S.E. IV: Pentateuco e Intr. aos Livros Históricos 4 Teol. Dogm. IV: Eclesiologia 4 Moral Especial I 4 Moral Especial II 2 Direito Canônico 2 Pastoral I 2 Seminário de Metodologia Científica 2 5º S.E. V: Livros Proféticos 4 Teol. Dogm. V: Graça 4 Teol. Dogm. VI: Sacramentos 4 História da Igreja I 2 Seminário I 2 Met. Catequética e acompanhamento espiritual de crianças e adolescentes 2 Estágio Supervisionado I 2 Estágio I 6 Trabalho Final de Curso 10 6º S.E. VI: Livros Sapienciais e Outros Escritos 2 Teol. Dogm. VII: Escatologia 2 História da Igreja II 4 Liturgia 4 Seminário II 2 Pastoral II 2 Metodologia Catequética e acompanhamento espiritual de jovens e adultos 2 Estágio Supervisionado II 2 Estágio II 6 Trabalho Final de Curso 10 Preparação do Exame de síntese Normas gerais 3.1. Categorias de Alunos Os alunos podem matricular-se nas condições de ordinários, extraordinários, hóspedes e ouvintes. Aluno ordinário é aquele que, aspirando a obter o grau acadêmico, freqüenta todos os cursos e os exercícios prescritos pelo mesmo Instituto, com a regular superação dos relativos exames prescritos. Aluno extraordinário é o que não possui o título de admissão à Universidade civil ou não aspira ao grau acadêmico, mas deseja aceder ao ensino predisposto pelo Instituto para a obtenção de um simples Atestado de freqüência. Aluno hóspede é aquele que, sem desejar obter o grau acadêmico no Instituto, quer freqüentar alguns cursos e fazer os relativos exames para um eventual reconhecimento noutro Instituto. Aluno ouvinte é aquele que, sem desejar obter o grau acadêmico no Instituto, quer freqüentar alguns cursos em vista da obtenção do relativo Atestado de freqüência.

6 3.2. Matrícula Para o curso de Bacharelado exige-se o diploma do ensino médio e classificação em provas vestibulares ou então diploma de curso superior (em qualquer área). A matrícula de todas as categorias de alunos do Instituto é ser realizada em cada período letivo, de acordo com as normas e os prazos estabelecidos Aprovação nas disciplinas Para ser aprovado numa disciplina, o Aluno deverá ter freqüência não inferior a dois terços (2/3) das aulas dadas e a obtenção de avaliação final de valor numérico igual ou superior a seis (6). O aluno que não atingir a média seis (6) tem o direito a um exame final, que compreende toda a matéria lecionada no semestre. Para ter direito ao exame final, o aluno deverá ter a média entre 3,5 e 5,9. A nota do exame final substitui as notas anteriores. O aluno reprovado em qualquer matéria deverá repeti-la quando esta for novamente oferecida Segunda chamada O aluno que, por grave motivo, não comparecer a uma avaliação marcada antecipadamente pelo professor deverá, no prazo de uma semana a contar do dia da avaliação, requerer uma avaliação em regime de segunda chamada, agregando os comprovantes que justifiquem sua falta. O requerimento será analisado pelo professor da disciplina, que dará seu parecer e, em caso de ser aceita a justificativa, marcará a data para o exame de segunda chamada. O exame de segunda chamada deve ser feito no horário da aula, na própria sala ou na secretaria, conforme indicar o professor Atividades Complementares Durante o curso, o Aluno deverá cumprir 300 horas de atividades complementares extraclasse. As atividades complementares são realizadas fora do horário de aula e consistirão em leituras acompanhadas, participação em palestras, cursos monográficos, congressos, seminários e semelhantes, nas áreas de Teologia, Filosofia e Ciências Humanas afins ao Curso. Para obter a aprovação da atividade complementar realizada, está à disposição do Aluno, na Secretaria, um formulário para o pedido de computação de atividade complementar, que deve ser preenchido e receber como anexo o comprovante da atividade realizada. A Direção avaliará a pertinência do pedido, encaminhando-o, se necessário, a um professor do Instituto competente na área de estudo da atividade complementar apresentada. Sendo aprovada a solicitação pela Direção, lhe será atribuída uma carga horária congruente. Os pedidos são encaminhados duas vezes a cada semestre, em data a ser fixada pela Secretaria. A resposta à solicitação do Aluno, deferindo ou indeferindo o pedido, será dada no prazo de 30 (trinta) dias corridos, a contar da data de entrega do formulário. Discordando da avaliação feita acerca de seu pedido, o Aluno poderá recorrer à Direção, através de formulário próprio, no prazo de 30 (trinta) dias, a contar do recebimento da avaliação. A direção terá então o prazo de 15 (quinze) dias para responder à solicitação feita pelo Aluno.

7 A Secretaria mantém, na pasta do Aluno, todos os pedidos de aprovação de atividades complementares por ele realizados, juntamente com uma ficha sinótica das solicitações feitas. A atribuição de carga horária às atividades complementares será feita segundo os limites apresentados numa tabela própria, que se encontra na Secretaria Aproveitamento de estudos O aluno que desejar fazer o aproveitamento de disciplinas cursadas em outras instituições deverá dar entrada, na Secretaria, em requerimento próprio, juntamente com cópia dos programas das matérias cursadas e respectivas cargas horárias. Cabe ao Diretor avaliar a equivalência dos estudos, podendo encaminhar a análise para os professores das disciplinas envolvidas no requerimento. O número total de créditos conseguidos em outras instituições a serem aproveitados no ISCR não poderá exceder a 2/3 (dois terços) do total de créditos do programa de estudos Representação do Corpo Discente O Corpo Discente terá representação com direito a voz e voto no Conselho Acadêmico, bem como em eventuais comissões constituídas legitimamente. A representação estudantil tem por objetivo a cooperação entre direção, professores e alunos. São elegíveis somente alunos ordinários, dois por classe de ano acadêmico, sendo um representante e um vice-representante. A eleição é feita para o mandato de um período de um ano, renovável Horário das Aulas 1º e 2º tempos: 18:30 20:00 Intervalo: 20:00 20:10 3º e 4º tempos: 20:10 21:40

COORDENAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM TEOLOGIA

COORDENAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM TEOLOGIA COORDENAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM TEOLOGIA MATRIZ CURRICULAR Macapá 2011 FATECH FACULDE DE TEOLOGIA E CIÊNCIAS HUMANAS 1 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO PERFIL DE FORMAÇÃO A representação gráfica do perfil

Leia mais

ANEXO III REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES DO CURSO DE PSICOLOGIA. Do Objetivo das Atividades Complementares

ANEXO III REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES DO CURSO DE PSICOLOGIA. Do Objetivo das Atividades Complementares ANEXO III REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES DO CURSO DE PSICOLOGIA Do Objetivo das Atividades Complementares Artigo 1º - O objetivo das Atividades Complementares é o enriquecimento da

Leia mais

Bacharelado em Teologia. Regulamento do Estágio Supervisionado Obrigatório FUNDAMENTOS LEGAIS E REGULAMENTAÇÃO

Bacharelado em Teologia. Regulamento do Estágio Supervisionado Obrigatório FUNDAMENTOS LEGAIS E REGULAMENTAÇÃO Página 1 de 7 Bacharelado em Teologia Regulamento do Estágio Supervisionado Obrigatório FUNDAMENTOS LEGAIS E REGULAMENTAÇÃO Art. 1º. O estágio supervisionado obrigatório do curso de graduação em Teologia

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Praia Grande São Paulo Dezembro de 2008 CAPÍTULO I DA NATUREZA Artigo 1º O presente regulamento tem como objetivo normatizar as atividades relacionadas com o estágio

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Este Regulamento dispõe sobre as Atividades Complementares do Curso de Direito. CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

FACULDADE UNIDA DE VITÓRIA

FACULDADE UNIDA DE VITÓRIA FACULDADE UNIDA DE VITÓRIA Grade e Corpo Docente Informações Sobre o Curso de Graduação em Teologia Bacharelado Presencial Conforme Disposto na Lei Nº. 13.168, de 06 de Outubro de 2015. I - ANO DE OFERTA

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DOS CURSOS DA FACULDADE DE COLIDER - FACIDER CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, bacharelado. Aos 20 dias do mês de agosto do ano de dois mil e treze, Coordenação do Curso de Administração, bacharelado da Faculdade

Leia mais

ANEXO D - REGULAMENTO DE AAC (ATIVIDADE ACADÊMICA COMPLEMENTAR)

ANEXO D - REGULAMENTO DE AAC (ATIVIDADE ACADÊMICA COMPLEMENTAR) ANEXO D - REGULAMENTO DE AAC (ATIVIDADE ACADÊMICA COMPLEMENTAR) REGIMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS - SEMESTRAL DA FACULDADE DE APUCARANA-FAP

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO CAMPUS DE COXIM DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO CAMPUS DE COXIM DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL RESOLUÇÃO Nº 5, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2015. O COLEGIADO DE CURSO DO CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO CÂMPUS DE COXIM da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso Do Sul, no uso de suas atribuições

Leia mais

CURSO DE DIREITO FAPAS

CURSO DE DIREITO FAPAS CURSO DE DIREITO FAPAS Descrição Carga Horárias Disciplinas Obrigatórias 2850 Disciplinas de Prática Jurídica ( Estágio Curricular) 300 Disciplinas complementares de Graduação - DCGs 270 Atividades complementares

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS Comissão de Graduação do Curso de Ciências Biológicas COMGRAD/BIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS Comissão de Graduação do Curso de Ciências Biológicas COMGRAD/BIO DECISÃO 03/2015 - Altera: Decisão n o 03/2013 ESTÁGIO SUPERVISIONADO A, reunida em 18 de novembro de 2015, no uso de suas atribuições, DECIDE Regulamentar a atividade de Ensino de Estágio Supervisionado,

Leia mais

REGULAMENTO DA DISCIPLINA ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DA DISCIPLINA ATIVIDADES COMPLEMENTARES RESOLUÇÃO Nº117, DE 8 DE DEZEMBRO DE 2015. O COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA DA FACULDADE DE ENGENHARIAS, ARQUITETURA E URBANISMO E GEOGRAFIA da Fundação Universidade Federal de

Leia mais

Faculdade de Serviço Social Programa de Pós-Graduação em Serviço Social Regulamento

Faculdade de Serviço Social Programa de Pós-Graduação em Serviço Social Regulamento Faculdade de Serviço Social Programa de Pós-Graduação em Serviço Social Regulamento Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Serviço Social (PPGSS), vinculado

Leia mais

Faculdade de Biociências Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular. Regulamento

Faculdade de Biociências Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular. Regulamento Faculdade de Biociências Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Regulamento Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular

Leia mais

REGULAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE AULAS PRÁTICAS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO

REGULAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE AULAS PRÁTICAS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE TURISMO Curso de Turismo REGULAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE AULAS PRÁTICAS CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO Art. 1º - De acordo com a Resolução

Leia mais

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DO CURSO DE DIREITO. Título I Do Núcleo de Monografia

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DO CURSO DE DIREITO. Título I Do Núcleo de Monografia REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DO CURSO DE DIREITO Este regulamento destina-se a normatizar as atividades relacionadas com o Projeto de Monografia e a Monografia de Conclusão do Curso de Graduação em

Leia mais

PRESSUPOSTOS METODOLÓGICOS PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

PRESSUPOSTOS METODOLÓGICOS PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PRESSUPOSTOS METODOLÓGICOS PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Objetivando atingir o perfil profissional definido e exigido pelo mercado e também pela sociedade, seguindo as diretrizes curriculares nacionais

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFSM/CESNORS

ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFSM/CESNORS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENFERMAGEM UFSM/CESNORS 1 - Disposições introdutórias A formação do enfermeiro prevê, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso

Leia mais

ANEXO III - REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES ACADÊMICAS AAC. Título I Das Condições Gerais

ANEXO III - REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES ACADÊMICAS AAC. Título I Das Condições Gerais ANEXO III - REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES ACADÊMICAS AAC Título I Das Condições Gerais Capítulo I Do Objetivo das Atividades Complementares Art. 1 As atividades complementares têm por objetivo

Leia mais

REGIMENTO DE DEPENDÊNCIA E/OU ADAPTAÇÃO Faculdade Metropolitana São Carlos - FAMESC

REGIMENTO DE DEPENDÊNCIA E/OU ADAPTAÇÃO Faculdade Metropolitana São Carlos - FAMESC REGIMENTO DE DEPENDÊNCIA E/OU ADAPTAÇÃO Faculdade Metropolitana São Carlos - FAMESC Bom Jesus do Itabapoana Atualizado em 2017 REGIMENTO DE DEPENDÊNCIA E/OU ADAPTAÇÃO Art. 1º - O presente Regimento tem

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADE ACADÊMICA COMPLEMENTAR (AAC) para os cursos de Letras da UNESPAR / APUCARANA

REGULAMENTO DE ATIVIDADE ACADÊMICA COMPLEMENTAR (AAC) para os cursos de Letras da UNESPAR / APUCARANA REGULAMENTO DE ATIVIDADE ACADÊMICA COMPLEMENTAR (AAC) para os cursos de Letras da UNESPAR / APUCARANA Do Objetivo das Atividades Acadêmicas Complementares Art. 1º O objetivo das Atividades Acadêmicas Complementares

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES (AAC) CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS INGLÊS Campus Apucarana

REGULAMENTO DE ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES (AAC) CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS INGLÊS Campus Apucarana REGULAMENTO DE ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES (AAC) CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS INGLÊS Campus Apucarana Do Objetivo das Atividades Acadêmicas Complementares Art. 1º O objetivo das Atividades

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB) CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE)

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB) CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB) CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO (CONSEPE) RESOLUÇÃO N.º 1022/2008 Publicado no D.O.E. de 18-12-08, p.45/46 Regulamenta as Atividades Complementares

Leia mais

RESOLUÇÃO TGT Nº 04/2015

RESOLUÇÃO TGT Nº 04/2015 ANO XLV N. 078 26/05/2015 SEÇÃO II PÁG. 028 RESOLUÇÃO TGT Nº 04/2015 Niterói, 06 de maio de 2015 O Colegiado do Curso de Graduação em Engenharia de Telecomunicações, em reunião ordinária de 06/05/2015,

Leia mais

Para se inscrever o candidato deverá observar o disposto no Edital nº01/2016.

Para se inscrever o candidato deverá observar o disposto no Edital nº01/2016. Aos Presbíteros Paz e Bem! Seminário São José Instituto de Teologia Mariana, 01 de julho de 2016 Após o Seminário Arquidiocesano São José ter firmado o convênio de afiliação com o Centro de Estudos Superiores

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS CURRICULARES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS CURRICULARES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS CURRICULARES COMPLEMENTARES Artigo 1 o : As Atividades Acadêmicas Curriculares Complementares (AACC) do Curso de Graduação em Ciências Econômicas do Câmpus de Ciências

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ RESOLUÇÃO Nº 86/ CONSELHO SUPERIOR

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ RESOLUÇÃO Nº 86/ CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 86/2016 - CONSELHO SUPERIOR Regulamenta o desenvolvimento das atividades complementares em áreas específicas de interesse do estudante dos cursos de Tecnologia e Bacharelados do IFPI. O Presidente

Leia mais

b. Comprovante de regularidade de matrícula em nível superior na instituição de origem (original); c. Histórico Escolar do curso de origem contendo ca

b. Comprovante de regularidade de matrícula em nível superior na instituição de origem (original); c. Histórico Escolar do curso de origem contendo ca EDITAL FATEC MAUÁ Nº. 01/2017 de 25 de novembro de 2016. O Diretor da Fatec-Mauá - Faculdade de Tecnologia de Mauá, no uso de suas atribuições legais, faz saber que estão abertas inscrições para participação

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA CAMPUS DE ARARAS. Normas para o Estágio Supervisionado

CURSO DE BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA CAMPUS DE ARARAS. Normas para o Estágio Supervisionado 1 CURSO DE BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA CAMPUS DE ARARAS Normas para o Estágio Supervisionado 1- Objetivos O objetivo do estágio curricular é oferecer aos alunos a experiência no campo profissional, visando

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO Art. 1º Com base no disposto no Art. 79 do Regulamento Geral dos Cursos de Graduação da Universidade Federal

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 32/16, de 20/07/16. Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento tem

Leia mais

Regulamento de Atividades Complementares

Regulamento de Atividades Complementares Regulamento de Atividades Complementares Art. 1º As Atividades Complementares compreendidas no currículo pleno do Curso de Direito da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas - Ibmec, indispensáveis para

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA FACULDADE ANGLO- AMERICANO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA FACULDADE ANGLO- AMERICANO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA FACULDADE ANGLO- AMERICANO Capítulo I Das disposições preliminares Art. 1º Este Regulamento tem por finalidade regulamentar

Leia mais

FATEC DE PRESIDENTE PRUDENTE. Edital de Transferência nº 03 /2016 de 28 / 11 /2016

FATEC DE PRESIDENTE PRUDENTE. Edital de Transferência nº 03 /2016 de 28 / 11 /2016 Edital de Transferência nº 03 /2016 de 28 / 11 /2016 A Diretora da Faculdade de Tecnologia de Presidente Prudente (FATEC Presidente Prudente), no uso de suas atribuições legais, faz saber que estão abertas

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE ODONTOLOGIA PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE ODONTOLOGIA PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE ODONTOLOGIA PÓS-GRADUAÇÃO REGULAMENTO Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Odontologia,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA INSTITUTO DE ENGENHARIAS E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA INSTITUTO DE ENGENHARIAS E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA INSTITUTO DE ENGENHARIAS E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 01 / 2014 - DE 10

Leia mais

CONSELHO DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA COMISSÃO DE ESTÁGIO REGULAMENTO PARA O ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA

CONSELHO DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA COMISSÃO DE ESTÁGIO REGULAMENTO PARA O ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA REGULAMENTO PARA O ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES ARTIGO 1º - Considera-se Estágio Curricular, o conjunto de atividades de aprendizagem social, profissional

Leia mais

Faculdade de Medicina Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde Regulamento

Faculdade de Medicina Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde Regulamento Faculdade de Medicina Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde Regulamento Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde

Leia mais

REGULAMENTO DA MONITORIA. para o exercício da Monitoria nos Cursos de Graduação da Universidade Iguaçu. discentes; magistério superior.

REGULAMENTO DA MONITORIA. para o exercício da Monitoria nos Cursos de Graduação da Universidade Iguaçu. discentes; magistério superior. i.e PRÓ-REITORIA ACADÊMICA REGULAMENTO DA MONITORIA Art. 1º. O presente regulamento estabelece as regras para o exercício da Monitoria nos Cursos de Graduação da Universidade Iguaçu UNIG, por meio de programas

Leia mais

Serviço Público Federal FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão. RESOLUÇÃO ConsEPE Nº 158

Serviço Público Federal FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão. RESOLUÇÃO ConsEPE Nº 158 Regulamenta as normas gerais para a realização de Estágio Curricular e Estágio Não Curricular nos Cursos de Graduação em Engenharia da UFABC e revoga as Resoluções ConsEP nº 76, 77, 78, 79, 80, 81, 82

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA RESOLUÇÃO Nº 02/2009 Regulamenta os Conteúdos Curriculares Flexíveis, fixados

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE PSICOLOGIA

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE PSICOLOGIA REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Institui regulamento para Atividades Complementares no curso de Psicologia da Faculdade de Psicologia da PUCRS FAPSI. Art. 1º - Consideram-se "Atividades Complementares"

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO CAPÍTULO I - DA DEFINIÇÃO DO ESTÁGIO Artigo 01 - O Estágio Supervisionado constitui disciplina obrigatória do Currículo dos Cursos de Licenciatura.

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

REGULAMENTO INTERNO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL REGULAMENTO INTERNO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL Art. 1º. O aluno que ingressar no Curso de Serviço Social da PUC-Rio deverá cumprir 60 horas em atividades

Leia mais

REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO DA FACULDADE FAMETRO. TÍTULO I DA NATUREZA E DAS FINALIDADES CAPÍTULO I - Da Natureza e das Finalidades

REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO DA FACULDADE FAMETRO. TÍTULO I DA NATUREZA E DAS FINALIDADES CAPÍTULO I - Da Natureza e das Finalidades REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO DA FACULDADE FAMETRO TÍTULO I DA NATUREZA E DAS FINALIDADES CAPÍTULO I - Da Natureza e das Finalidades Art. 1º - O Colegiado de Curso é órgão normativo, deliberativo,

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES INTRODUÇÃO A Resolução nº 1, de 2 de fevereiro de 2004, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Administração, Bacharelado,

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 17/14, de 21/05/14. Capítulo I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I - DA NATUREZA Art. º Consideram-se como Atividades Complementares do Engenharia de Produção, todas as atividades relacionadas com projetos de pesquisa,

Leia mais

Regimento do Colegiado do Curso de Bacharelado em Zootecnia

Regimento do Colegiado do Curso de Bacharelado em Zootecnia Regimento do Colegiado do Curso de Bacharelado em Zootecnia MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS REGIMENTO DO COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ZOOTECNIA CAPÍTULO I Das Atribuições

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO UNIVERSITÁRIO DO NORTE REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Aprovado pelo CONSUNI Nº15 em 24/05/2016 ÍNDICE CAPITULO I Da Constituição,

Leia mais

Recredenciamento Portaria MEC 347, de D.O.U

Recredenciamento Portaria MEC 347, de D.O.U REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Art 1º. Das Disposições Preliminares O presente instrumento tem por finalidade regulamentar as Atividades Complementares dos cursos de graduação da Faculdade Inedi

Leia mais

CURSO DE NUTRIÇÃO BACHARELADO

CURSO DE NUTRIÇÃO BACHARELADO CURSO DE BACHARELADO ATIVIDADES DO CURSO As Atividades Complementares visam complementar a formação realizada através das atividades realizadas em sala de aula, devendo se pautar, na sua oferta: Pela finalidade

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE FLEXIBILIZAÇÃO DO CURSO DE MEDICINA. CAPÍTULO I Definição

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE FLEXIBILIZAÇÃO DO CURSO DE MEDICINA. CAPÍTULO I Definição REGULAMENTO DAS ATIVIDADES DE FLEXIBILIZAÇÃO DO CURSO DE MEDICINA CAPÍTULO I Definição Art. 1º A flexibilização curricular envolve atividades acadêmicas previstas no projeto pedagógico do Curso de Medicina

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS - CCHS CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS - CCHS CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES UNIVERSIDADE DE CRUZ ALTA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS - CCHS CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Capítulo I - Do Conceito e das Finalidades Art. 1º. O presente

Leia mais

EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014

EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014 EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014 O Diretor da Faculdade de Tecnologia de São Roque no uso de suas atribuições legais torna público que estão abertas as inscrições para participação

Leia mais

NORMAS COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES INDEPENDENTES

NORMAS COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES INDEPENDENTES NORMAS COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES INDEPENDENTES Art. 1º As Complementares Independentes integram o currículo do curso de graduação de Fonoaudiologia, no sentido da sua flexibilização, sendo

Leia mais

IV REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE DIREITO DAS FACULDADES INTEGRADAS DE VITÓRIA FDV.

IV REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES OBRIGATÓRIAS DO CURSO DE DIREITO DAS FACULDADES INTEGRADAS DE VITÓRIA FDV. IV REGULAMENTO DAS DO CURSO DE DIREITO DAS FACULDADES INTEGRADAS DE VITÓRIA FDV. Estabelece normas para o funcionamento das Atividades Complementares do sistema seriado do curso de Direito. Alterado pelo

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES ACADÊMICAS CURRICULARES COMPLEMENTARES - AACC

REGULAMENTO DE ATIVIDADES ACADÊMICAS CURRICULARES COMPLEMENTARES - AACC REGULAMENTO DE ATIVIDADES ACADÊMICAS CURRICULARES COMPLEMENTARES - AACC FACULDADE EVOLUÇÃO ALTO OESTE POTIGUAR - FACEP PAU DOS FERROS RN 2015 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS CURRICULARES COMPLEMENTARES

Leia mais

Regulamento de Atividades Complementares. Curso de Jornalismo

Regulamento de Atividades Complementares. Curso de Jornalismo Regulamento de Atividades Complementares Curso de Jornalismo O cumprimento de 300 horas acumulativas em atividades complementares é obrigatório para os alunos do curso de Jornalismo do UniBrasil Centro

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA ESADE LAUREATE INTERNATIONAL UNIVERSITIES.

REGIMENTO INTERNO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA ESADE LAUREATE INTERNATIONAL UNIVERSITIES. REGIMENTO INTERNO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA ESADE LAUREATE INTERNATIONAL UNIVERSITIES. O Diretor da Esade Laureate International Universities, no uso de suas

Leia mais

CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO- ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO- ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS REGULAMENTO- ATIVIDADES COMPLEMENTARES As Atividades Complementares constituem parte da Carga Horária do Curso de Relações Internacionais da UNIFESP Osasco, em um total

Leia mais

ATIVIDADES FORMATIVAS COMPLEMENTARES Aprovado pelo Colegiado do Curso de Fisioterapia em 30/09/2014

ATIVIDADES FORMATIVAS COMPLEMENTARES Aprovado pelo Colegiado do Curso de Fisioterapia em 30/09/2014 ATIVIDADES FORMATIVAS COMPLEMENTARES Aprovado pelo Colegiado do Curso de Fisioterapia em 30/09/2014 As atividades formativas complementares são parte da formação discente, com o objetivo de complementar

Leia mais

Fatec Ipiranga EDITAL DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA - FATEC IPIRANGA N.º 06/ 2015 DE 09 DE NOVEMBRO DE 2015.

Fatec Ipiranga EDITAL DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA - FATEC IPIRANGA N.º 06/ 2015 DE 09 DE NOVEMBRO DE 2015. EDITAL DE TRANSFERÊNCIA EXTERNA - FATEC IPIRANGA N.º 06/ 2015 DE 09 DE NOVEMBRO DE 2015. O Diretor da Faculdade de Tecnologia do Ipiranga FATEC IPIRANGA, no uso de suas atribuições legais, faz saber que

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008 Regulamenta as atividades de Estágio Curricular Obrigatório e Não-obrigatório do Curso de Graduação da Escola de Engenharia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE MATEMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE MATEMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE MATEMÁTICA O Colegiado do Curso de Matemática do Instituto de Ciências Exatas (ICEx) da Universidade

Leia mais

Curso de Filosofia - UFRN. apresentação

Curso de Filosofia - UFRN. apresentação Curso de Filosofia - UFRN apresentação 1. Dados do curso Centro: CCHLA Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (Natal) Modalidades: Bacharelado e Licenciatura Diploma: Bacharel em Filosofia e Licenciado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 07/92 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Reforma a estrutura curricular do Curso de Filosofia do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, e

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE FORMAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA NA PERSPECTIVA FENOMENOLÓGICO-EXISTENCIAL

REGIMENTO DO CURSO DE FORMAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA NA PERSPECTIVA FENOMENOLÓGICO-EXISTENCIAL REGIMENTO DO CURSO DE FORMAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA NA PERSPECTIVA FENOMENOLÓGICO-EXISTENCIAL 2014 CURSO DE FORMAÇÃO EM PSICOLOGIA CLÍNICA NA PERSPECTIVA FENOMENOLÓGICO-EXISTENCIAL DO INSTITUTO DE PSICOLOGIA

Leia mais

COLEGIADO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO DA UFMG

COLEGIADO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO DA UFMG COLEGIADO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO DA UFMG Resolução Nº 03/2016 de 21/11/2016 Regulamenta a integralização de créditos por atividades acadêmicas complementares, no âmbito do Curso

Leia mais

EDITAL DE TRANSFERÊNCIA FATEC TAUBATÉ Nº. 02/2016, DE 01 DE JUNHO DE VAGAS REMANESCENTES PARA RETORNO DE EGRESSOS DE FATEC s

EDITAL DE TRANSFERÊNCIA FATEC TAUBATÉ Nº. 02/2016, DE 01 DE JUNHO DE VAGAS REMANESCENTES PARA RETORNO DE EGRESSOS DE FATEC s EDITAL DE TRANSFERÊNCIA FATEC TAUBATÉ Nº. 02/2016, DE 01 DE JUNHO DE 2016. VAGAS REMANESCENTES PARA RETORNO DE EGRESSOS DE FATEC s O Diretor da, no uso de suas atribuições legais, faz saber que serão abertas

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA INTERUNIDADES DE PÓS- GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DA UNESP

REGULAMENTO DO PROGRAMA INTERUNIDADES DE PÓS- GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DA UNESP REGULAMENTO DO PROGRAMA INTERUNIDADES DE PÓS- GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DA UNESP Aprova o Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação (PPGCC), Curso:Mestrado, interunidades,

Leia mais

EDITAL DE TRANSFERÊNCIA FATEC TAUBATÉ Nº. 01/2016 DE 01 DE JUNHO DE REMANEJAMENTO ENTRE FATEC s

EDITAL DE TRANSFERÊNCIA FATEC TAUBATÉ Nº. 01/2016 DE 01 DE JUNHO DE REMANEJAMENTO ENTRE FATEC s EDITAL DE TRANSFERÊNCIA FATEC TAUBATÉ Nº. 01/2016 DE 01 DE JUNHO DE 2016. REMANEJAMENTO ENTRE FATEC s O Diretor da, no uso de suas atribuições legais, faz saber que serão abertas as inscrições para participação

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE FILOSOFIA

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE FILOSOFIA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE FILOSOFIA FFC UNESP MARÍLIA Objetivos do Curso A formação de bacharéis e licenciados em Filosofia, objetivo do Curso de Filosofia da UNESP, campus de Marília, deverá ser

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Baseando-se no Regulamento dos Cursos de Graduação da UFF e na Instrução de Serviço PROAC n.º 02, o Colegiado do Curso de Ciências

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística RESOLUÇÃO N o 01/2011, DO COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ESTATÍSTICA Regulamenta a composição, as competências

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA DA ZONA LESTE

FACULDADE DE TECNOLOGIA DA ZONA LESTE Obs.: Período de inscrições 30/05/16 a 10/06/2016 (exceto 04 e 05/06/16), no horário das 15h30 às 17h30h e 18h30 as 20h30. EDITAL FATEC DA ZONA LESTE Nº. 05/2016 de 25 de maio de 2016. O Diretor da Faculdade

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 017/ CONSELHO SUPERIOR

RESOLUÇÃO Nº 017/ CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 017/2015 - CONSELHO SUPERIOR Regulamenta o desenvolvimento das Atividades Teórico-Práticas de Aprofundamento em áreas específicas de interesse do estudante dos cursos de licenciatura do IFPI.

Leia mais

Universidade Federal do Oeste do Pará PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA

Universidade Federal do Oeste do Pará PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA Universidade Federal do Oeste do Pará PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA 1. Quais são os requisitos para obtenção de bolsa monitoria? a) o discente deve estar regularmente matriculado no período letivo em

Leia mais

Regulamento de Trabalho de Conclusão de Curso. Curso de Secretariado Executivo Trilingue. Faculdade de Presidente Prudente

Regulamento de Trabalho de Conclusão de Curso. Curso de Secretariado Executivo Trilingue. Faculdade de Presidente Prudente Regulamento de Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Secretariado Executivo Trilingue Faculdade de Presidente Prudente Regulamento de Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Secretariado Executivo Trilingue

Leia mais

PORTARIA nº 073/ FEG/DTA

PORTARIA nº 073/ FEG/DTA PORTARIA nº 073/2009 - FEG/DTA DISPÕE SOBRE TRANSFERÊNCIA PARA OS CURSOS DE ENGENHARIAS, FÍSICA (Licenciatura e Bacharelado) e LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DA FACULDADE DE ENGENHARIA O Diretor da Faculdade

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 032/07 CONSUNI

RESOLUÇÃO Nº 032/07 CONSUNI RESOLUÇÃO Nº 032/07 CONSUNI APROVA O REGULAMENTO QUE NORMATIZA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS. A Presidente do Conselho Universitário CONSUNI

Leia mais

Edital nº 008/2011 Programa de Atividades Extracurriculares Remuneradas

Edital nº 008/2011 Programa de Atividades Extracurriculares Remuneradas MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA Edital nº 008/2011 Programa de Atividades Extracurriculares Remuneradas

Leia mais

Faculdade Monteiro Lobato

Faculdade Monteiro Lobato REGULAMENTO N º 04/2015 Dispõe sobre a forma e o prazo de integralização das atividades complementares e seminários na Faculdade Monteiro Lobato. Art. 1º - A integralização das atividades complementares/seminários,

Leia mais

FACULDADE DE TEOLOGIA - FAT

FACULDADE DE TEOLOGIA - FAT VOTO CONSU 2012-16 DE 26/04/2012 CENTRO UNIVERSITÁRIO ADVENTISTA DE SÃO PAULO - UNASP FACULDADE DE TEOLOGIA - FAT REGIMENTO 2012 2 SUMÁRIO TÍTULO I DA FACULDADE, SEUS FINS E OBJETIVOS... 3 TÍTULO II DA

Leia mais

LABORATÓRIO RÁDIO EDITAL N. º 008/2013. (alunos a partir do 2º período de jornalismo)

LABORATÓRIO RÁDIO EDITAL N. º 008/2013. (alunos a partir do 2º período de jornalismo) CONCURSO DE MONITORIA LABORATÓRIO RÁDIO EDITAL N. º 008/2013 (alunos a partir do 2º período de jornalismo) I. DAS VAGAS, BOLSA DE MONITORIA, REGIME JURÍDICO E CARGA HORÁRIA. 1- Número de vagas: 02(duas)

Leia mais

DIRETRIZES E NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC

DIRETRIZES E NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DIRETRIZES E NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC CAPÍTULO 1 Do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC): Objeto Definição e objetivo O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) consiste

Leia mais

FACULDADE DE HORTOLÂNDIA Ato de Recredenciamento: Port. 673, 25/05/2011, D.O.U, de 26/05/2011, Seção 1, págs. 18/19

FACULDADE DE HORTOLÂNDIA Ato de Recredenciamento: Port. 673, 25/05/2011, D.O.U, de 26/05/2011, Seção 1, págs. 18/19 INSTITUTO EDUCACIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO Faculdade de Hortolândia REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Hortolândia 2015 1 TRABALHO DE CONCLUSÃO DO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ELÉTRICA, MECÂNICA E DE COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO N 02/2012

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ELÉTRICA, MECÂNICA E DE COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO N 02/2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ELÉTRICA, MECÂNICA E DE COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO N 02/2012 Regulamenta as atividades de Estágios Supervisionados Obrigatório e Não

Leia mais

ANEXO II REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

ANEXO II REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES ANEXO II REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Este regulamento é próprio das Atividades Complementares do Curso de Direito do Centro Universitário Dinâmica das Cataratas - UDC e será regido por essas

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento visa normatizar as Atividades Complementares do Curso de História. Parágrafo único As Atividades Complementares

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial. Prof. Me. Vitor Paulo Boldrin Organizador. ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS Regulamento

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial. Prof. Me. Vitor Paulo Boldrin Organizador. ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS Regulamento Curso Superior de Tecnologia em Gestão Empresarial Prof. Me. Vitor Paulo Boldrin Organizador ATIVIDADES ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS Regulamento Jales 2016 APRESENTAÇÃO E EMENTA O presente texto visa

Leia mais

CONSIDERANDO o parecer do Relator, Consº RUY BELÉM DE ARAUJO, ao analisar o processo nº /09-47;

CONSIDERANDO o parecer do Relator, Consº RUY BELÉM DE ARAUJO, ao analisar o processo nº /09-47; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 133/2010/CONEPE Aprova Normas Específicas do Estágio Curricular

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Este Regulamento tem por

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Ciências Sociais REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - O Estágio

Leia mais

REGULAMENTO DAS DISCIPLINAS OPTATIVAS DA FACULDADE IESCAMP

REGULAMENTO DAS DISCIPLINAS OPTATIVAS DA FACULDADE IESCAMP REGULAMENTO DAS DISCIPLINAS OPTATIVAS DA FACULDADE IESCAMP Página 1 de 6 REGULAMENTO DAS DISCIPLINAS OPTATIVAS DA FACULDADE IESCAMP I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Para os efeitos deste Regulamento

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO DE C.S.T. EM PROCESSOS QUÍMICOS PORTARIA NORMATIVA Nº 1, 14 DE SETEMBRO DE 2009

COORDENAÇÃO DO CURSO DE C.S.T. EM PROCESSOS QUÍMICOS PORTARIA NORMATIVA Nº 1, 14 DE SETEMBRO DE 2009 COORDENAÇÃO DO CURSO DE C.S.T. EM PROCESSOS QUÍMICOS PORTARIA NORMATIVA Nº 1, 14 DE SETEMBRO DE 2009 Institui as normas e as atividades aprovadas para o aproveitamento de carga horária para compor atividades

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA MANUAL DE ESTÁGIOS

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA MANUAL DE ESTÁGIOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA MANUAL DE ESTÁGIOS Ilha Solteira SP 2015 APRESENTAÇÃO O presente manual foi elaborado pela Comissão de Estágios do Curso de Engenharia Elétrica (CECEE) e aprovado

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 025/2003-CEPE

RESOLUÇÃO Nº 025/2003-CEPE RESOLUÇÃO Nº 025/2003-CEPE Aprova Regulamento de Atividades Acadêmicas Complementares. Considerando o contido na Resolução nº 003/2003-CEPE, de 30 de janeiro de 2003, que Aprova as Diretrizes do Ensino

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA PRATICA DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGEd) DA UNOESC CAPÍTULO I

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA PRATICA DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGEd) DA UNOESC CAPÍTULO I MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA PRATICA DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGEd) DA UNOESC CAPÍTULO I DA FINALIDADE E DO OBJETIVO DA PRÁTICA DE DOCÊNCIA Art. 1º A Prática de Docência constitui

Leia mais

REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º As Complementares (AC) atendem ao Parecer n 776/97 da CES, que trata das Diretrizes Curriculares dos cursos de graduação,

Leia mais