UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS Comissão de Graduação do Curso de Ciências Biológicas COMGRAD/BIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS Comissão de Graduação do Curso de Ciências Biológicas COMGRAD/BIO"

Transcrição

1 DECISÃO 03/ Altera: Decisão n o 03/2013 ESTÁGIO SUPERVISIONADO A, reunida em 18 de novembro de 2015, no uso de suas atribuições, DECIDE Regulamentar a atividade de Ensino de Estágio Supervisionado, de caráter obrigatório pela Resolução 02/1998, Resolução CEPE 11/2013, pela Resolução CNE 07/2002 e pela Lei de 25 de Setembro de 2008 da Presidência da República. CAPÍTULO 1 Da Definição e Organização da Atividade de Estágio Supervisionado Art. 1º - O Estágio Supervisionado constitui-se em uma atividade de ensino obrigatória de caráter prático profissionalizante com plano de trabalho individual para cada discente. Art. 2º - O Estágio Supervisionado deve ser realizado fora da UFRGS, com a finalidade de permitir ao Bacharelando em Ciências Biológicas o exercício de atividades compatíveis com sua formação desenvolvendo suas competências profissionais. Art. 3º - O Estágio Supervisionado deve ser realizado a partir da Etapa 4, com os seguintes prérequisitos: I. integralização mínima de 122 créditos obrigatórios, do currículo do Bacharelado em Ciências Biológicas; II. a participação em pelo menos uma sessão completa (manhã ou tarde) de seminários de conclusão de estágio, em semestre anterior a matrícula; III. a participação em uma das palestras preparatórias para a matrícula de estágio com os Orientadores. Art. 4º - O Estágio Supervisionado apresenta uma carga horária total de 360 horas, que deverá ser cumprida pelos alunos no prazo mínimo de 1 (um) semestre e, no máximo, de 2 (dois) semestres,

2 após a efetivação da matrícula. A distribuição da carga horária é discriminada abaixo: I. 315 horas de estágio presencial na instituição escolhida; II. 40 horas destinadas à elaboração do Relatório Final e do Seminário de Conclusão de Estágio da atividade; III. 5 horas de participação em uma sessão (um turno) de apresentação de Seminários de Conclusão de Estágio no semestre em que estiver matriculado. Art. 5º A carga horária semanal cumprida na atividade de Estágio deve ser de 30 (trinta) horas, durante o período letivo. Parágrafo único aos alunos que realizarem o estágio em semestre letivo no qual não possuam matrícula em atividades de ensino presenciais, ou no período de férias, fica permitida a jornada de até 40 (quarenta) horas semanais. CAPÍTULO 2 Da Matrícula Art. 6º - A matrícula na Atividade de Estágio Supervisionado será efetivada no site da COMGRAD-BIO (http://www.ufrgs.br/comgradbio/), em período a ser divulgado pela COMGRAD. Art 7º - Para a efetivação da matrícula, o aluno deverá carregar no site da o seu requerimento de matrícula, devidamente preenchido e assinado e posteriormente, apresentar a seguinte documentação: I. o Termo de Compromisso de Estágio (TCE) e o Plano de Atividades (Anexo I do TCE), em 3 (três) vias, até 15 (quinze) dias antes da data de início das atividades de estágio; II. cópia do Curriculum Vitae, ou Curriculum Lattes, do Supervisor de Estágio, caso seja sua primeira supervisão. Art. 8º - Caso o TCE da Instituição de Estágio não seja modelo UFRGS e não reserve um campo de assinatura pela COMGRAD, o aluno deve trazer também o Parecer da COMGRAD, devidamente preenchido. Art. 9º Caso o estágio seja realizado no período de férias letivas: I. a matrícula deve ser efetivada no semestre anterior ao período de estágio; II. no semestre de matrícula, o aluno deve participar de uma sessão (5 horas) de apresentação de Seminários de Conclusão de Estágio (ver item c, do Art. 4 o ); III. no semestre posterior à matrícula, o aluno deve cumprir a carga horária de 40 horas para a elaboração do Relatório Final e apresentar o Seminário de Conclusão de Estágio da atividade;

3 Parágrafo único - Não será aceito pela COMGRAD o aproveitamento de estágio no país anterior à matrícula na atividade. Art. 10º Caso o estágio seja realizado no exterior: I. o aluno deve informar à COMGRAD esta intenção antes do início do estágio, para que o mesmo seja aproveitado em sua volta ao país. II. o aluno deve cumprir as mesmas 315 horas de estágio presencial na instituição. III. o aluno deve manter contato constante com a, via , para atualização das informações sobre a instituição em que o estágio será realizado e envio dos documentos; IV. a instituição de estágio deve ser avaliada e aprovada pela. V. o aluno deve ter um supervisor na instituição, cadastrado e aprovado pela, o qual deve ser responsável em assinar o Plano de Atividades e os documentos de avaliação. CAPÍTULO 3 Do Aluno Art. 11 O Aluno tem as seguintes atribuições: I. Participar da elaboração do Plano de Atividades de Estágio e assiná-lo; II. Informar mensalmente o Orientador de Estágio sobre sua frequência, através da entrega da Ficha de Frequência, devidamente preenchida e assinada; III. Entregar mensalmente a Avaliação Periódica do Estagiário, preenchida e assinada pelo Supervisor de Estágio, juntamente com a Ficha de Frequência ; IV. Entregar a Ficha de Avaliação Final do Estagiário, ao final do período de estágio, na data estipulada pelo Orientador. CAPÍTULO 4 Do Orientador de Estágio Art A atividade de Estágio Supervisionado é de responsabilidade da COMGRAD-BIO, sendo indicado um Orientador de Estágio entre os seus membros com um encargo didático de 30 horas/semestre (2cr). Art O Orientador de Estágio tem as seguintes atividades: I. Organizar a reunião pré-matrícula; II. Organizar a reunião de orientação no início e no final do semestre; III. Receber e assinar os documentos relativos ao estágio; IV. Avaliar o estagiário;

4 V. Coordenar os seminários de conclusão; VI. Emitir os conceitos finais no sistema da Universidade. CAPÍTULO 5 Da Instituição de Estágio Art O estágio no país deve ser realizado em instituição pública, exceto a UFRGS, ou privada. Parágrafo único quando a instituição de estágio for privada ou fora do país, esta deve ser avaliada e aprovada pela. Art A carga horária total da atividade deve ser realizada em uma única instituição. Na impossibilidade do cumprimento desta regra, a substituição fica sujeita à aprovação da COMGRAD- BIO. Art No caso do estágio ser realizado em atividade de pesquisa científica, não é permitida a realização no mesmo laboratório de pesquisa onde o estagiário realize suas atividades de Iniciação Científica para o Trabalho de Conclusão. O descumprimento dessa regra implica em reprovação no estágio. CAPÍTULO 6 Do Supervisor de Estágio Art O Supervisor de Estágio deve ser um profissional de nível superior com experiência na área de atuação do estágio proposto e credenciado pela. Art O Supervisor de Estágio não credenciado deve encaminhar o seu Curriculum Vitae, ou Lattes, para a avaliação da. Art O Supervisor de Estágio tem as seguintes atribuições: I. participar da elaboração do Plano de Atividades de Estágio e assiná-lo; II. informar ao estagiário as normas da Instituição de Estágio; III. orientar e criar condições na Instituição para que o estagiário possa cumprir seu Plano de Atividades de Estágio; IV. responsabilizar-se pelo acompanhamento do estagiário no desempenho das atividades propostas, através do preenchimento do formulário de Avaliação Periódica do Estagiário, disponível no site da ; V. informar mensalmente o Orientador de Estágio sobre a frequência do estagiário, através do preenchimento da Ficha de Frequência ;

5 VI. preencher a Ficha de Avaliação Final do Estagiário, ao final do período de estágio. CAPÍTULO 7 Do Plano de Atividades Art As atividades descritas no Plano de Atividades devem ser compatíveis com a área de formação do estudante. Art O Plano de Atividades deve conter: I. a justificativa do estagiário sobre a escolha da área do estágio, esclarecendo a relação com o curso de graduação e a importância para sua formação profissional. II. a descrição detalhada das atividades que serão desempenhadas no estágio; III. a metodologia que será utilizada, esclarecendo como será desenvolvido o estágio, as instalações, os equipamentos e os recursos disponíveis para o desempenho das atividades. Art O Plano de Atividades de Estágio deve ser elaborado pelo estagiário, juntamente com o Supervisor de estágio, e assinado por ambos. Art O Plano de Atividades deve ser aprovado e assinado pelo Orientador de Estágio. O Orientador pode pedir correções quando necessário. CAPÍTULO 8 Do Relatório Final Art Após o cumprimento da carga horária de estágio presencial na Instituição de Estágio, o estagiário deve redigir um Relatório Final, incluindo as seguintes informações: I. folha de rosto: LOCAL DO ESTÁGIO NOME DO ALUNO NOME DO(A) COORDENADOR (A) NOME DO SUPERVISOR ANO E SEMESTRE II. apresentação: Descrição da instituição de estágio: endereço, telefone, setor, missão da instituição e do setor onde foi realizado o estágio. III. objetivo do Trabalho; IV. descrição das atividades realizadas destacando os principais resultados; V. avaliação;

6 a. autoavaliação; b. visão crítica do local de estágio, das condições para o seu desenvolvimento e acompanhamento do supervisor. Art O aluno deve entregar 2 (duas) cópias do Relatório Final: uma para o Orientador de Estágio e outra para o Supervisor de Estágio. A cópia do Orientador pode ser digital. CAPÍTULO 9 Do Seminário de Conclusão de Estágio Art O aluno deve apresentar um Seminário de Conclusão de Estágio, em data agendada pela COMGRAD-BIO, relatando as atividades realizadas e os aprendizados do estágio. Art A apresentação do Seminário deve ter a presença de, pelo menos, um professor do curso designado pela COMGRAD-BIO. Art A é responsável pelo planejamento das apresentações dos Seminários de Conclusão. CAPÍTULO 10 Da Avaliação da Atividade de Estágio Supervisionado Art A avaliação da Atividade de Estágio Supervisionado envolve as seguintes notas: I. nota do Supervisor de Estágio, considerando o desempenho do estagiário na instituição de estágio (50% da nota final); II. nota da apresentação do Seminário (25% da nota final); III. nota do Relatório Final (25% da nota final); Art A Nota Final será convertida no Conceito Final conforme a tabela a seguir: A 9,0 10,0 B 7,5 8,9 C 6,0 7,4 D < 6,0 FF Falta de Frequência Art As fichas de frequência e as de avaliações parciais e final devem ser fornecidas pelo estagiário ao seu Supervisor para serem preenchidas e assinadas, a não ser que o local de estágio já possua um ponto eletrônico ou ficha própria de frequência. Parágrafo único - Na hipótese da concedente adotar controle oficial próprio de controle de

7 frequência, o aluno deverá apresentar ao Orientador uma cópia da documentação probatória de sua frequência. Art O aluno que não apresentar o Seminário de Conclusão, na data e horário agendados, ou que não entregar as fichas de frequência e de avaliação na data estipulada pelo Orientador, será reprovado na atividade com conceito FF. Esta Decisão entra em vigor a partir da presente data e os casos omissos serão julgados pela COMGRAD-BIO. Porto Alegre, 21 de dezembro de (O original encontra-se assinado.) Diego Bonatto Coordenador da

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - BACHARELADOS DO UNILASALLE NORMAS DE FUNCIONAMENTO

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - BACHARELADOS DO UNILASALLE NORMAS DE FUNCIONAMENTO PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - BACHARELADOS DO UNILASALLE NORMAS DE FUNCIONAMENTO Disciplinas de Estágio Supervisionado Art. 1º De acordo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 177/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, no uso de suas atribuições legais,

RESOLUÇÃO Nº 177/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, no uso de suas atribuições legais, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 177/2009/CONEPE Aprova Normas Específicas do Estágio Curricular

Leia mais

Manual do Estágio Supervisionado

Manual do Estágio Supervisionado IBB Ano 2015 1. APRESENTAÇÃO: A partir do 1º Semestre Letivo de 2016, os alunos em fase de conclusão do Curso de (Currículo 2013) deverão realizar o Estágio Curricular Supervisionado. O presente manual

Leia mais

Coordenação do Curso de Geografia - PCO

Coordenação do Curso de Geografia - PCO RESOLUÇÃO DO COLEGIADO DE COORDENAÇÃO DIDÁTICA DO CURSO DE GEOGRAFIA PUC MINAS EM CONTAGEM N. 01/2007 Regulamenta os estágios curriculares obrigatórios e não obrigatórios, no âmbito do Curso de Geografia

Leia mais

Bacharelado em Teologia. Regulamento do Estágio Supervisionado Obrigatório FUNDAMENTOS LEGAIS E REGULAMENTAÇÃO

Bacharelado em Teologia. Regulamento do Estágio Supervisionado Obrigatório FUNDAMENTOS LEGAIS E REGULAMENTAÇÃO Página 1 de 7 Bacharelado em Teologia Regulamento do Estágio Supervisionado Obrigatório FUNDAMENTOS LEGAIS E REGULAMENTAÇÃO Art. 1º. O estágio supervisionado obrigatório do curso de graduação em Teologia

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular

REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular CAPITULO I DA DEFINIÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR E SUAS FINALIDADES Art. 1º Este regulamento tem por finalidade orientar a operacionalização do Estágio Curricular

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSUNI nº 54/16

RESOLUÇÃO CONSUNI nº 54/16 Conselho Universitário - CONSUNI RESOLUÇÃO CONSUNI nº 54/16 Aprova o Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Engenharia Mecânica. O Vice-Reitor, no exercício da Presidência do Conselho

Leia mais

Universidade Federal do Oeste do Pará PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA

Universidade Federal do Oeste do Pará PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA Universidade Federal do Oeste do Pará PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA 1. Quais são os requisitos para obtenção de bolsa monitoria? a) o discente deve estar regularmente matriculado no período letivo em

Leia mais

REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º As Atividades Complementares (AC) atendem ao Parecer n 776/97 da CES, que trata das Diretrizes Curriculares dos Cursos

Leia mais

FACULDADE FAUC/AUM CURSO EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

FACULDADE FAUC/AUM CURSO EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) 1 FACULDADE FAUC/AUM CURSO EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) 1 DEFINIÇÕES GERAIS 1.1 De acordo com o regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do Projeto

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM REGIMENTO DO ESTÁGIO TÍTULO I. Do Estágio

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM REGIMENTO DO ESTÁGIO TÍTULO I. Do Estágio UNVERSDADE FEDERAL DE JUZ DE FORA FACULDADE DE ENFERMAGEM Campus Universitário - Martelos - Juiz de Fora - MG - 36036-330 - Fone (032) 3229-3000 Ramais 3820/ 3821/ Tel. Fax: (0XX32) 3229-3822 - Fone (0XX32)

Leia mais

Campus Itaqui Curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos Normas para o Estágio Supervisionado Obrigatório

Campus Itaqui Curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos Normas para o Estágio Supervisionado Obrigatório Campus Itaqui Curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos Normas para o Estágio Supervisionado Obrigatório 1. ASPECTOS LEGAIS O Estágio Supervisionado tem caráter curricular obrigatório e é uma exigência

Leia mais

EDITAL CA nº 01/2013 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/NOVAUNESC

EDITAL CA nº 01/2013 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/NOVAUNESC EDITAL CA nº 01/2013 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/NOVAUNESC A Diretoria da Faculdade São Gabriel e as Coordenações de Cursos comunicam aos interessados que estarão abertas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008 Regulamenta as atividades de Estágio Curricular Obrigatório e Não-obrigatório do Curso de Graduação da Escola de Engenharia

Leia mais

CONSELHO DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA COMISSÃO DE ESTÁGIO REGULAMENTO PARA O ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA

CONSELHO DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA COMISSÃO DE ESTÁGIO REGULAMENTO PARA O ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA REGULAMENTO PARA O ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES ARTIGO 1º - Considera-se Estágio Curricular, o conjunto de atividades de aprendizagem social, profissional

Leia mais

RESOLUÇÃO TGT Nº 04/2015

RESOLUÇÃO TGT Nº 04/2015 ANO XLV N. 078 26/05/2015 SEÇÃO II PÁG. 028 RESOLUÇÃO TGT Nº 04/2015 Niterói, 06 de maio de 2015 O Colegiado do Curso de Graduação em Engenharia de Telecomunicações, em reunião ordinária de 06/05/2015,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA INSTITUTO DE ENGENHARIAS E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA INSTITUTO DE ENGENHARIAS E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ - UFOPA INSTITUTO DE ENGENHARIAS E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO COLEGIADO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO 01 / 2014 - DE 10

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAIMI/UNIESP

REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAIMI/UNIESP REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAIMI/UNIESP Mirassol/SP 2014 REGULAMENTO INTERNO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FAIMI/UNIESP CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

A lei nº de 03/09/ 79, que regulamenta a profissão do Biólogo, prevê que este profissional seja capaz de:

A lei nº de 03/09/ 79, que regulamenta a profissão do Biólogo, prevê que este profissional seja capaz de: Regulamentação das disciplinas: Estágio Curricular I em..., Estágio Curricular II em...(bacharelado) e Trabalho de Conclusão de Curso em...(bacharelado) do curso de Ciências Biológicas da UFJF, para o

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Praia Grande São Paulo Dezembro de 2008 CAPÍTULO I DA NATUREZA Artigo 1º O presente regulamento tem como objetivo normatizar as atividades relacionadas com o estágio

Leia mais

Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL

Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL Coronel Fabriciano/ 2008 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVOS... 1 3. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL... 2 4. ATRIBUIÇÕES... 2 5. LOCAIS DE ESTÁGIO E

Leia mais

REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º As Complementares (AC) atendem ao Parecer n 776/97 da CES, que trata das Diretrizes Curriculares dos cursos de graduação,

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA FACULDADE ANGLO- AMERICANO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA FACULDADE ANGLO- AMERICANO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA FACULDADE ANGLO- AMERICANO Capítulo I Das disposições preliminares Art. 1º Este Regulamento tem por finalidade regulamentar

Leia mais

NORMAS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

NORMAS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO NORMAS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I - Das Disposições Preliminares Art. 1 - A presente norma tem como objetivo regulamentar a realização do

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 171/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, no uso de suas atribuições legais e,

RESOLUÇÃO Nº 171/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, no uso de suas atribuições legais e, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 171/2009/CONEPE Aprova alteração nas Normas de Estágio do Curso

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP/CJO

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP/CJO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA IFSP/CJO Art. 1 o - Visando possibilitar a melhor adequação dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), obrigatório e que corresponde

Leia mais

ANEXO II REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

ANEXO II REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES ANEXO II REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Este regulamento é próprio das Atividades Complementares do Curso de Direito do Centro Universitário Dinâmica das Cataratas - UDC e será regido por essas

Leia mais

Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação

Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação da Universidade do Estado de Minas Gerais Campus de Frutal/MG

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS DIRETRIZES PARA A REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS PORTO ALEGRE 2011 2 ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO EM ENGENHARIA DE ALIMENTOS O Estágio Curricular Supervisionado

Leia mais

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016 EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016 Chamada para submissão de Projetos de Iniciação Científica e Tecnológica A Direção Geral da FACULDADE

Leia mais

REGULAMENTO DO COMPONENTE: ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO

REGULAMENTO DO COMPONENTE: ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO REGULAMENTO DO COMPONENTE: ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º O componente Estágio Curricular Supervisionado em Biotecnologia éparte integrante do currículo pleno do

Leia mais

PORTARIA D.FCF/CAr. 12/2015

PORTARIA D.FCF/CAr. 12/2015 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC PORTARIA D.FCF/CAr. 12/2015 Dispõe sobre o Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso - TCC do Curso de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia da Faculdade de

Leia mais

EDITAL N 001/2015 ENFERMAGEM PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO

EDITAL N 001/2015 ENFERMAGEM PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS CÂMPUS DE PALMAS CURSO DE ENFERMAGEM Av. NS 15, ALCNO 14, Bloco IV, 109 Norte Palmas/TO (63) 3232-8318 www.uft.edu.br enfermagem@uft.edu.br EDITAL N 001/2015 ENFERMAGEM

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA PRATICA DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGEd) DA UNOESC CAPÍTULO I

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA PRATICA DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGEd) DA UNOESC CAPÍTULO I MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA PRATICA DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (PPGEd) DA UNOESC CAPÍTULO I DA FINALIDADE E DO OBJETIVO DA PRÁTICA DE DOCÊNCIA Art. 1º A Prática de Docência constitui

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA MANUAL DE ESTÁGIOS

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA MANUAL DE ESTÁGIOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA MANUAL DE ESTÁGIOS Ilha Solteira SP 2015 APRESENTAÇÃO O presente manual foi elaborado pela Comissão de Estágios do Curso de Engenharia Elétrica (CECEE) e aprovado

Leia mais

ANEXO 2 NORMAS GERAIS ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECATRÔNICA

ANEXO 2 NORMAS GERAIS ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECATRÔNICA ANEXO 2 NORMAS GERAIS ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECATRÔNICA A2-121 ESTÁGIO OBRIGATÓRIO A atual Resolução CNE/CES n o 11, de 11 de março de 2002, do Conselho Nacional de Educação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS RESOLUÇÃO CCEAL Nº 01/2010 Regulamenta o Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia

Leia mais

RESOLUÇÃO N 43/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE no uso de suas atribuições legais e;

RESOLUÇÃO N 43/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE no uso de suas atribuições legais e; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 43/2009/CONEPE Aprova Normas de Estágio Curricular Obrigatório do

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente instrumento dispõe sobre as normas e procedimentos a serem observados

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ELÉTRICA, MECÂNICA E DE COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO N 02/2012

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ELÉTRICA, MECÂNICA E DE COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO N 02/2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ELÉTRICA, MECÂNICA E DE COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO N 02/2012 Regulamenta as atividades de Estágios Supervisionados Obrigatório e Não

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE QUÍMICA E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM QUÍMICA COMISSÃO DE ESTÁGIO E MONOGRAFIA NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Pelotas, maio de 2009. NORMAS DOS ESTÁGIOS

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A DEFESA DE PROJETO DE DISSERTAÇÃO (QUALIFICAÇÃO)

ORIENTAÇÕES PARA A DEFESA DE PROJETO DE DISSERTAÇÃO (QUALIFICAÇÃO) ORIENTAÇÕES PARA A DEFESA DE PROJETO DE DISSERTAÇÃO (QUALIFICAÇÃO) A Defesa de Projeto de Dissertação consiste na elaboração e apresentação oral, perante banca examinadora, do projeto de pesquisa que será

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA

Leia mais

Versão: Dezembro/2012. O aluno poderá integralizar os créditos referentes às disciplinas ACH 2017 e ACH 2018 das seguintes formas:

Versão: Dezembro/2012. O aluno poderá integralizar os créditos referentes às disciplinas ACH 2017 e ACH 2018 das seguintes formas: Normas para Realização do Projeto Supervisionado ou Trabalho de Graduação para o Curso de Sistemas de Informação da Escola de Artes, Ciências e Humanidades, da Universidade de São Paulo Versão: Dezembro/2012

Leia mais

REGULAMENTO ATIVIDADE ACADÊMICA MONOGRAFIA I (AA051) E MONOGRAFIA II (AA052)

REGULAMENTO ATIVIDADE ACADÊMICA MONOGRAFIA I (AA051) E MONOGRAFIA II (AA052) REGULAMENTO ATIVIDADE ACADÊMICA MONOGRAFIA I (AA051) E MONOGRAFIA II (AA052) 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS 1.1 A elaboração das atividades acadêmicas Monografia I (AA051) e Monografia II (AA052) atende às determinações

Leia mais

ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A

ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A ESTÁGIO PROFISSIONAL EM TREINAMENTO ESPORTIVO A É ofertado no 7º semestre, compreende uma carga horária de 120 horas, totalizando 8 créditos, conforme as normas específicas para a realização do referido

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Belo Horizonte 2015 1 Prezado(a) aluno(a): Este é o Manual de Atividades Complementares do Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética do Centro Universitário

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 16, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2014.

RESOLUÇÃO Nº 16, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2014. RESOLUÇÃO Nº 16, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2014. O COLEGIADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL DA FACULDADE DE ENGENHARIAS, ARQUITETURA E URBANISMO E GEOGRAFIA da Fundação Universidade Federal de Mato

Leia mais

Colegiado do Curso de Química Grau Acadêmico Licenciatura. Regulamentação do Estágio Supervisionado I. DA CONCEITUAÇÃO

Colegiado do Curso de Química Grau Acadêmico Licenciatura. Regulamentação do Estágio Supervisionado I. DA CONCEITUAÇÃO Colegiado do Curso de Química Grau Acadêmico Licenciatura Regulamentação do Estágio Supervisionado I. DA CONCEITUAÇÃO Art. 1º. A unidade curricular Estágio Supervisionado visa o aprendizado de competências

Leia mais

RESOLUÇÃO CCEA Nº 02/2011

RESOLUÇÃO CCEA Nº 02/2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AMBIENTAL CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL RESOLUÇÃO CCEA Nº 02/2011 Aprova

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA E BIOQUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA E BIOQUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA E BIOQUÍMICA REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA E BIOQUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

Resolução nº 004/2015

Resolução nº 004/2015 Resolução nº 004/2015 Dispõe sobre estágio de prática docente para os alunos do Mestrado em Direito e Instituições do Sistema de Justiça. Art. 1º O Estágio de Prática Docente (EPD) tem por objetivo aperfeiçoar

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO CONSELHO SUPERIOR

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13/2016 Aprova a Sistemática para Registro e Acompanhamento das Atividades de Ensino do IFPE. A Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA Belo Horizonte 2016 Presidente do Grupo Splice Antônio Roberto Beldi Reitor João Paulo Barros Beldi Secretária-Geral Jacqueline Guimarães Ribeiro

Leia mais

REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO. Capítulo I Definições e Finalidades

REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO. Capítulo I Definições e Finalidades REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Capítulo I Definições e Finalidades Art. 1º O presente Regulamento tem por finalidade normatizar as atividades relacionadas com a elaboração, apresentação e avaliação

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO EM BIOTECNOLOGIA I/2015

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO EM BIOTECNOLOGIA I/2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS SÃO GABRIEL CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO EM BIOTECNOLOGIA I/2015 Coordenação de Estágios do Curso de Biotecnologia da Universidade

Leia mais

Normas Complementares de Estágio

Normas Complementares de Estágio 1. Objetivos UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Normas Complementares de Estágio O Estágio é ato educativo supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo

Leia mais

TCC Trabalho de Conclusão de Curso Engenharia Civil Coordenação: Profa. Tatiana Jucá

TCC Trabalho de Conclusão de Curso Engenharia Civil Coordenação: Profa. Tatiana Jucá TCC Trabalho de Conclusão de Curso Engenharia Civil 2016-1 Coordenação: Profa. Tatiana Jucá 2/54 Pauta de hoje Apresentação da equipe de coordenação de TCC Datas importantes e documentação válida para

Leia mais

CAMPUS DO PANTANAL REGULAMENTO DISCIPLINA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO. Capítulo II. Da Natureza e objetivos do Trabalho de Conclusão de Curso

CAMPUS DO PANTANAL REGULAMENTO DISCIPLINA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO. Capítulo II. Da Natureza e objetivos do Trabalho de Conclusão de Curso CAMPUS DO PANTANAL REGULAMENTO DISCIPLINA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Capítulo I Da Natureza e objetivos do Trabalho de Conclusão de Curso Art.1º O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do curso de

Leia mais

APÊNDICE I EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2016/2017

APÊNDICE I EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2016/2017 APÊNDICE I EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2016/2017 Pelo presente faz-se saber que estarão abertas, no período de 10 a 30 de junho de 2016, as inscrições para seleção de bolsistas do Programa Institucional

Leia mais

CONSIDERANDO o parecer do Relator, Consº RUY BELÉM DE ARAUJO, ao analisar o processo nº /09-47;

CONSIDERANDO o parecer do Relator, Consº RUY BELÉM DE ARAUJO, ao analisar o processo nº /09-47; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 133/2010/CONEPE Aprova Normas Específicas do Estágio Curricular

Leia mais

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso de Engenharia Industrial da Madeira do Centro Universitário de União da Vitória - UNIUV

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso de Engenharia Industrial da Madeira do Centro Universitário de União da Vitória - UNIUV Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso de Engenharia Industrial da Madeira do Centro Universitário de União da Vitória - UNIUV 1. A presente norma tem como objetivo regulamentar a realização de

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Este Regulamento dispõe sobre as Atividades Complementares do Curso de Direito. CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

b. Comprovante de regularidade de matrícula em nível superior na instituição de origem (original); c. Histórico Escolar do curso de origem contendo ca

b. Comprovante de regularidade de matrícula em nível superior na instituição de origem (original); c. Histórico Escolar do curso de origem contendo ca EDITAL FATEC MAUÁ Nº. 01/2017 de 25 de novembro de 2016. O Diretor da Fatec-Mauá - Faculdade de Tecnologia de Mauá, no uso de suas atribuições legais, faz saber que estão abertas inscrições para participação

Leia mais

1. CARACTERÍSTICAS GERAIS E OBJETIVOS:

1. CARACTERÍSTICAS GERAIS E OBJETIVOS: Regulamento para inscrição e execução do Trabalho Final de Curso (TF) a ser desenvolvido no ano de 2017, do curso de Licenciatura em Ciências da Natureza da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 42/2011, DE 26 DE AGOSTO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 42/2011, DE 26 DE AGOSTO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 42/2011, DE 26 DE AGOSTO DE 2011 Aprova o Regulamento de Estágio do Curso de Engenharia de Produção, na forma do Anexo. O Reitor da Fundação Universidade Regional de Blumenau FURB, no uso

Leia mais

REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO EM ADMINISTRAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA EAD

REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO EM ADMINISTRAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA EAD REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO EM ADMINISTRAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA EAD O presente Regulamento tem o intuito de estabelecer normas gerais para cumprimento da Lei nº.

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E TECNOLÓGICOS DE NÍVEL SUPERIOR

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E TECNOLÓGICOS DE NÍVEL SUPERIOR REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E TECNOLÓGICOS DE NÍVEL SUPERIOR Canoas, RS 2012 CAPÍTULO I DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º - O Estágio Supervisionado dos alunos

Leia mais

UNIVERSIDADE POSITIVO

UNIVERSIDADE POSITIVO UNIVERSIDADE POSITIVO CHAMADA DE PROJETOS PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PIC) CICLO 2012-2013 EDITAL N o 117 de 03/04/2012 Art. 1 o A Reitoria da Universidade Positivo (UP) torna público o presente

Leia mais

Manual de Atividades Complementares

Manual de Atividades Complementares CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manual de Atividades Complementares Belo Horizonte 1 Prezado(a) aluno(a): Este é o Manual de Atividades Complementar

Leia mais

Proposta de Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso

Proposta de Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso Proposta de Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso Art. 1º. Sujeitam-se à realização do Trabalho de Conclusão de Curso todos os alunos regularmente matriculados nos Cursos de Graduação da Faculdade

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS BARROS MELO REGULAMENTO DA MONOGRAFIA OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CURSO DE DIREITO

FACULDADES INTEGRADAS BARROS MELO REGULAMENTO DA MONOGRAFIA OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CURSO DE DIREITO FACULDADES INTEGRADAS BARROS MELO REGULAMENTO DA MONOGRAFIA OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CURSO DE DIREITO Olinda/2008 1 FACULDADES INTEGRADAS BARROS MELO REGULAMENTO DA MONOGRAFIA OU TRABALHO

Leia mais

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Nº 001/2016

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Nº 001/2016 EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Nº 001/2016 O Diretor Geral das Faculdades Integradas Hélio Alonso e a Gerência Acadêmica, no uso de suas atribuições regimentais, tornam público que estão abertas, para

Leia mais

TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO

TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO COORDENAÇÃO DE TGI TRABALHO DE GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINAR REGULAMENTO SÃO PAULO JUNHO DE 2007 CAPÍTULO 1 DA CONCEITUAÇÃO Art. 1º - O Trabalho de Graduação Interdisciplinar (TGI), atividade obrigatória

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA CAMPUS DE ARARAS. Normas para o Estágio Supervisionado

CURSO DE BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA CAMPUS DE ARARAS. Normas para o Estágio Supervisionado 1 CURSO DE BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA CAMPUS DE ARARAS Normas para o Estágio Supervisionado 1- Objetivos O objetivo do estágio curricular é oferecer aos alunos a experiência no campo profissional, visando

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA NORMA PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I - Das Disposições Preliminares Art. 1 - A presente norma tem como objetivo regulamentar a realização de Trabalho

Leia mais

REGULAMENTO DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO/TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGULAMENTO DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO/TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO DO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO/TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Normatiza a elaboração e apresentação do Relatório Final de Estágio do Curso de Tecnologia em Processos Gerenciais, que compreende

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA FACULDADE ASSIS GURGACZ CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS E FINS

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA FACULDADE ASSIS GURGACZ CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS E FINS REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DA FACULDADE ASSIS GURGACZ CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS E FINS Art. 1º. O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) consiste em um trabalho

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA FADIP

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA FADIP REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA NPJ FACULDADE DINÂMICA DO VALE DO PIRANGA FADIP O Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Bacharelado em Direito da FADIP Faculdade Dinâmica do Vale do Piranga,

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE DESIGN

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE DESIGN UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA UNOESC ÁREA DAS CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA CURSO DE DESIGN MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE DESIGN São Miguel do Oeste,

Leia mais

RESOLUÇÃO TGT Nº 06/2015

RESOLUÇÃO TGT Nº 06/2015 ANO XLV N. 098 14/07/2015 SEÇÃO IV PÁG. 076 RESOLUÇÃO TGT Nº 06/2015 Niterói, 24 de junho de 2015 O Colegiado do Curso de Graduação em Engenharia de Telecomunicações, em reunião ordinária de 24/06/2015,

Leia mais

CQ043 - ESTÁGIO SUPERVISIONADO (Bacharelado em Química) PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 CALENDÁRIO E ORIENTAÇÕES

CQ043 - ESTÁGIO SUPERVISIONADO (Bacharelado em Química) PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 CALENDÁRIO E ORIENTAÇÕES UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE QUÍMICA CQ043 - ESTÁGIO SUPERVISIONADO (Bacharelado em Química) PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 CALENDÁRIO E ORIENTAÇÕES Disponível em

Leia mais

Faculdade de Serviço Social Programa de Pós-Graduação em Serviço Social Regulamento

Faculdade de Serviço Social Programa de Pós-Graduação em Serviço Social Regulamento Faculdade de Serviço Social Programa de Pós-Graduação em Serviço Social Regulamento Capítulo I Da Atribuição e Organização Geral Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Serviço Social (PPGSS), vinculado

Leia mais

Programa de Iniciação Científica da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas PIC DIREITO SP

Programa de Iniciação Científica da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas PIC DIREITO SP Programa de Iniciação Científica da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas PIC DIREITO SP Edital n o 01/2016 Seleção de Projetos de Pesquisa A Coordenadoria do Mestrado Acadêmico e Pesquisa

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS. Dos Princípios. Do Local de Estágio

DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS. Dos Princípios. Do Local de Estágio UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE LETRAS CLÁSSICAS E VERNÁCULAS COORDENAÇÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS/LIBRAS RESOLUÇÃO Nº 04/2011 - CLL Regulamenta

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO PARA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Institui as normas para a realização do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e as condições de aproveitamento,

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas O Diretor Geral Pró Tempore do Instituto Federal Catarinense Campus de Blumenau, no uso de

Leia mais

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DO CURSO DE DIREITO. Título I Do Núcleo de Monografia

REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DO CURSO DE DIREITO. Título I Do Núcleo de Monografia REGULAMENTO DA MONOGRAFIA FINAL DO CURSO DE DIREITO Este regulamento destina-se a normatizar as atividades relacionadas com o Projeto de Monografia e a Monografia de Conclusão do Curso de Graduação em

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1 MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA BETIM MG (ANEXO I - PPC) 2 Este manual tem como objetivo orientar e auxiliar o aluno na compreensão das atividades, normas

Leia mais

REGULAMENTO DE INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DE INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DE INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU A melhor Escola de Negócios do Centro-Oeste Informações: 0800 62 1080 www.alfa.br/posgraduacao 2016 REGULAMENTO DE INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR

Leia mais

REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO. Capítulo I Definições e Finalidades

REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO. Capítulo I Definições e Finalidades REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Capítulo I Definições e Finalidades Art. 1º - O presente Regulamento tem por finalidade normatizar as atividades relacionadas com a elaboração, apresentação e

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado o Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Enfermagem, bacharelado, da Faculdade do Maranhão FACAM.

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado o Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Enfermagem, bacharelado, da Faculdade do Maranhão FACAM. RESOLUÇÃO CSA N 06/2010 APROVA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENFERMAGEM, BACHARELADO, DA FACULDADE DO MARANHÃO FACAM. O Presidente do Conselho Superior de Administração CSA, no uso

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES DO ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES DO ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Considerando o significado e a importância do Estágio como parte fundamental da formação profissional, define-se

Leia mais

PORTARIA D.IBB nº 80, de 03 de Julho de 2015

PORTARIA D.IBB nº 80, de 03 de Julho de 2015 D.IBB/MDC/rmjl PORTARIA D.IBB nº 80, de 03 de Julho de 2015 Dispõe sobre o Regulamento para o Estágio Supervisionado do Curso de Ciências Biomédicas - Currículo 2013 do Instituto de Biociências A Diretora

Leia mais

Normas para realização do Estágio Supervisionado do Curso de. Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária

Normas para realização do Estágio Supervisionado do Curso de. Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA Normas para realização do Estágio Supervisionado do Curso de Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária Lavras 2013 INTRODUÇÃO

Leia mais

Estágio Curricular. Profa. Dra. Tatiana Renata Garcia Coordenação de estágios

Estágio Curricular. Profa. Dra. Tatiana Renata Garcia Coordenação de estágios Estágio Curricular Profa. Dra. Tatiana Renata Garcia Coordenação de estágios Normas gerais Estágio obrigatório: é aquele definido como tal no projeto do curso, cuja carga horária é requisito para aprovação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG ESCOLA DE QUÍMICA E ALIMENTOS EQA CURSO DE ENGENHARIA BIOQUÍMICA NORMAS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG ESCOLA DE QUÍMICA E ALIMENTOS EQA CURSO DE ENGENHARIA BIOQUÍMICA NORMAS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG ESCOLA DE QUÍMICA E ALIMENTOS EQA CURSO DE ENGENHARIA BIOQUÍMICA 1 NORMAS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC O Parágrafo único do Art. 7º da Resolução CNE/CES

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento visa orientar os alunos referente aos objetivos, critérios, procedimentos e mecanismos de

Leia mais

CAPÍTULO I. Dos Objetivos da Pesquisa

CAPÍTULO I. Dos Objetivos da Pesquisa RESOLUÇÃO Nº 01/2014 DISPÕE SOBRE O REGIMENTO DO GRUPO DE INICIAÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR FACULDADE CASA DO ESTUDANTE. A Direção Geral da IES

Leia mais

RESOLUÇÃO CEPE Nº 021, DE 19 DE JULHO DE 2016.

RESOLUÇÃO CEPE Nº 021, DE 19 DE JULHO DE 2016. RESOLUÇÃO CEPE Nº 021, DE 19 DE JULHO DE 2016. APROVA REGULAMENTO DO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA DE DISCENTES DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU, DA UEPG. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO, no uso

Leia mais