UTILIZAÇÃO DE TÉCNICA ELETROQUÍMICA NA CARACTERIZAÇÃO DO BIODIESEL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UTILIZAÇÃO DE TÉCNICA ELETROQUÍMICA NA CARACTERIZAÇÃO DO BIODIESEL"

Transcrição

1 UTILIZAÇÃO DE TÉCNICA ELETROQUÍMICA NA CARACTERIZAÇÃO DO BIODIESEL 1 Gabriela Cavalcante Marques, 2 Camilla Andrade Oliveira, 3 Paulo Júnior Ribeiro da Silva, 4 José Carlos Cardoso Filho. 1 Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química da UFPA/PA. 2 Discente do curso de Engenharia Química da UFPA/PA 3 Discente do curso de Engenharia Química da UFPA/PA 4 Professor da Faculdade de Engenharia Química da UFPA/PA. 1,2,3,4 Faculdade de Engenharia Química da Universidade Federal do Pará LC/LEQ/ITEC/UFPA, Rua Augusto Corrêa, n 1, Cidade Universitária, Prof José Silveira Neto, Belém - PA, CEP RESUMO O biodiesel para o Brasil representa uma alternativa energética que traz uma série de vantagens estratégicas, econômicas, sociais, ambientais e tecnológicas. A Amazônia possui uma grande biodiversidade em espécies vegetais, o que explica sua riqueza em oleaginosas. As amostras utilizadas nesta análise foram típicas da região sendo o dendê (Elaeis guineensis) e a andiroba (Carapa guianensis Aubl.), produzidas e caracterizadas nos laboratórios da UFPA. De maneira geral os combustíveis devem apresentar um menor nível de corrosão, pois neste caso garantirá uma maior vida útil dos componentes metálicos do motor, e esse fato se aplica de fundamental importância para a indústria de biodiesel. Nos ensaios de corrosividade das amostras de biodiesel foi feita a comparação visual das lâminas de cobre com os padrões especiais, tendo como resultados esperados dentro do conjunto de normas padrões da ASTM D130 de corrosão à lâmina de cobre definindo seu grau de corrosão. Através das técnicas eletroquímicas, foi realizado um estudo comparativo do comportamento eletroquímico das amostras de biodiesel, utilizando um Potenciostato/Galvanostato modelo PC3/750 da Gamry. Os resultados do ensaio eletroquímico mostraram características distintas para ambos os combustíveis obtidos a partir do dendê (Elaeis guineensis) e da andiroba (Carapa guianensis Aubl.). Palavras-Chave: biodiesel, corrosão e impedância eletroquímica. INTRODUÇÃO A definição, de consenso comum entre os pesquisadores é que biodiesel é um combustível renovável, biodegradável e ecologicamente correto, constituído de uma mistura de ésteres metílicos ou etílicos de ácidos graxos, obtidos por reação de transesterificação de qualquer triglicerídeo com um álcool de cadeia curta, metanol ou etanol, respectivamente (PARENTE, 2003). No Brasil, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis-ANP é o órgão responsável por regular e fiscalizar as atividades relativas à produção, controle de qualidade, distribuição, revenda e comercialização do biodiesel e da mistura óleo diesel-biodiesel (LEI Nº ) sendo que a mesma possui sua própria definição de Biodiesel-B100: combustível composto de álquil-ésteres de ácidos graxos de cadeia longa, derivados de óleos vegetais ou de gorduras animais, conforme a especificação contida no Regulamento Técnico nº 4/2004, parte integrante desta resolução. O biodiesel substitui total ou parcialmente o óleo diesel de petróleo em motores automotivos, pode ser usado puro ou misturado ao diesel em diversas proporções chamadas de Blends, a mistura de 2% de biodiesel ao diesel de petróleo é chamada de B2 e o biodiesel puro é denominado B100. (INSTITUTO, [s.d.]). É importante observar que essas misturas não se enquadram na definição de biodiesel da ANP, são normalmente designadas da seguinte forma, B seguido da porcentagem de óleo diesel na mistura exemplo, B2 significa que a mistura é constituída de 2% biodiesel e 98 % de óleo diesel, mistura essa que já vem sendo comercializada no Brasil (Resolução ANP nº 42, de 24 de novembro de 2004). A utilização de biodiesel como combustível vem apresentando um potencial promissor no mundo inteiro, sendo um mercado que cresce aceleradamente devido, em primeiro lugar, a sua enorme contribuição ao meio ambiente, com a redução qualitativa e quantitativa dos níveis de poluição ambiental, principalmente nos grandes centros urbanos. Em segundo lugar, como fonte estratégica de energia

2 renovável em substituição ao óleo diesel e outros derivados do petróleo. (PARENTE, 2003). O biodiesel pode ser produzido a partir de diversas matérias-primas, tais como óleos vegetais, gorduras animais, óleos e gorduras residuais, por meio de diversos processos. Pode, também, ser usado puro ou em mistura de diversas proporções com o diesel mineral. As matérias primas e os processos para a produção de biodiesel dependem da região considerada. As diversidades sociais, econômicas e ambientais geram distintas motivações regionais para o desenvolvimento da sua produção e consumo. (HOLANDA, p ). A Amazônia possui uma grande biodiversidade em espécies vegetais, o que explica sua riqueza em oleaginosas. Entretanto, suas culturas são utilizadas principalmente para fins alimentícios, desprezando o potencial lipídico de algumas espécies. As amostras utilizadas nesta análise foram típicas da região sendo o dendê (Elaeis guineensis) e a andiroba (Carapa guianensis Aubl.) produzidas e caracterizadas nos laboratórios da UFPA. No processo de transesterificação foi utilizado um catalisador básico (hidróxido de potássio) para produção de biodiesel que constitui na reação química de um lipídio com um álcool para formar ésteres e um subproduto: o glicerol (ou glicerina). Técnicas Eletroquímicas As técnicas eletroquímicas têm como objetivo a possibilidade do entendimento do processo de corrosão de metais em meio aquoso, por isso existem entre outros: testes de reativação potenciocinética, curvas de impedância eletroquímica, etc. Em um circuito de corrente alternada (AC), que é o mais utilizado no cotidiano, há outros elementos que possuem comportamento mais complexos que o resistor ideal, portanto, não serão válidas estas propriedades simplificadoras. Neste caso, a medida da habilidade de um circuito de resistir à corrente elétrica é a impedância, a qual, a expressão analogamente à lei de Ohm, é dada por: E ( t) = Z. I ( t) (1) sendoz também medido em ohms (Ω). A representação gráfica dos resultados pela curva de Nyquist permite a melhor visualização e análise dos resultados, nesta são plotados para cada excitação os valores das componentes real e imaginária da impedância de acordo com o Gráfico 1. Gráfico 1 Representação esquemática do Diagrama de Nyquist. A impedância é representada na forma de um semicirculo de raio 0,5 Rp e centro Re+0,5Rp, onde Re e Rp correspondem respectivamente a resistência do eletrodo e a resistência de polarização.os pontos referentes aos menores valores de freqüência (w) estão à direita da curva, sendo que o ponto para w=0 está sobre a curva Zr e é igual Re+Rp. À medida que os valores de w aumentam os pontos caminham em direção contrária atingindo valor máximo para w (wmáx), e quando w aproxima-se de Zr no ponto indicado por Re+Rp. (PRINCETON, 2008; BARD, 2001). A espectroscopia de impedância eletroquímica (EIS) é uma importante ferramenta na investigação de sistemas eletroquímicos sendo aplicada aos estudos dos fenômenos de corrosão, evolução de camadas protetoras, baterias, eletrodeposição e semicondutores. (PRINCETON, 2008). A EIS é uma técnica utilizada na análise de processos eletroquímicos que ocorrem na interface eletrodo/solução eletrolítica. Trata-se de um método de identificação e determinação de parâmetros de um modelo elaborado com base na resposta de freqüência do sistema eletroquímico em estudo. PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL Amostras de Biodieseis As amostras de biodiesel obtidas a partir do óleo de Andiroba (Carapa guianensis Aubl.) e de Dendê (Elaeis guineensis) passaram pelo processo de neutralização do óleo antes de ser realizado a reação de transesterificação (LAOS/ITEC), com o objetivo de diminuir o índice de acidez da amostra que foi superior que 1 mg de KOH/g amostra. Determinação da corrosividade O método da lâmina de cobre procede na preparação da superfície com utilização de lixas de carbureto de silício de 65µm (lixa 240) para a remoção de todas as manchas possíveis das seis

3 faces da lâmina, sendo lavadas com solvente volátil após o polimento final. As condições de ensaio para o biodiesel foram utilizadas 30 ml de cada amostra, inseridas em um tubo de ensaio (25x150)mm, deixando a lâmina de cobre totalmente imersa na amostra à 60 C por 3 horas no equipamento Petrotest (LAOS/ITEC). Após o período de ensaio a lâmina é retirada, lavada e sua coloração comparada com lâminas padrão da ASTM D130. Desta forma define-se o grau de corrosividade do biodiesel. Eletrodo de Referência e Contra Eletrodo Button Eletrodo de Trabalho Sistema Eletroquímico O sistema de testes eletroquímicos foi constituído de uma cuba cilíndrica de vidro, com tampa de teflon contendo um orifício na parte superior e um orifício na parte inferior, com capacidade de 150 ml chamada de célula eletroquímica representada conforme a Figura 1. Figura 1 Célula eletroquímica utilizada para as amostras de biodiesel. Na célula observada na figura 2 foram inseridos dois eletrodos na parte superior: contra eletrodo e eletrodo de referência, para aumentar a superfície de contato, e um eletrodo de trabalho na parte inferior da célula, onde foi mantida uma distância fixa de 5mm entre ambos. Utilizou-se Potenciostato/Galvanostato, modelo PC3/750 marca Gamry Instruments, INC conectado a um microcomputador para realizar a leitura dos testes da aplicação de simulação em analisador Gamry Echem Analyst versão 1.21 como mostra a Figura 2, permitiu a aquisição dos dados experimentais. AÇO INOX BIODIESEL AÇO INOX Figura 2 Sistema para os testes eletroquímicos Impedância Eletroquímica Os diagramas de impedância eletroquímica foram realizados para cada amostra, a fim de verificar a reprodutibilidade dos resultados. Como o sistema é aquoso orgânico a faixa de freqüência foi obtida por várias tentativas, sendo trabalhada de 1 KHz a devido a sua alta resistividade e com o tempo aproximadamente entre 20 a 25 min. Os resultados obtidos a partir do programa mencionado anteriormente foram transformados em gráficos e depois plotados com o auxílio da planilha Excel. RESULTADOS E DISCUSSÕES Corrosividade ao cobre O teste de corrosividade ao cobre foi realizado em equipamento Petrotest (LAOS/ITEC) conforme a norma ASTM D130 e segundo escala de cores padronizada pela mesma, o biodiesel (B100) apresentou uma classificação correspondente a 1a, não apresentando corrosividade a lâmina de cobre. Como a corrosividade ao cobre é causada pela presença de enxofre no produto, assim como normalmente não se encontra enxofre no biodiesel, não existiria sentido em executar o ensaio nos ésteres de óleos vegetais. Ensaios experimentais O Gráfico 2 apresenta o diagrama na forma de Nyquist para a amostra de biodiesel B100 obtido a partir do óleo de dendê.

4 Biodiesel (DENDÊ)_06A Biodiesel 2,0E+09 2,0E+09 1,6E+09 1,99 Hz Experimental_06A 1,6E+09 1,99 Hz Experimental(Dendê)_06B Experimental(Andiroba)_01D 1,2E+09 8,0E+08 1,2E+09 8,0E+08 6,31Hz 1,0E+09 2,0E+09 3,0E+09 4,0E+09 Gráfico 2 Diagrama de Nyquist para o ensaio experimental do biodiesel de dendê. A análise do diagrama de impedância eletroquímica apresentado no Gráfico 2, mostra um arco capacitivo em alta e média freqüência e um segundo arco capacitivo em baixa freqüência de menor definição quando comparado com o primeiro. O Gráfico 3 representa o diagrama de impedância para a amostra de biodiesel B100 obtido a partir do óleo de andiroba, sendo observado a formação de dois arcos capacitivos bem definidos. 3,0E+08 2,0E+08 1,0E+08 Biodiesel (ANDIROBA)_01B 6,31Hz 2,0E+08 6,0E+08 8,0E+08 1,0E+09 1,2E+09 Experimental_01B Gráfico 3 Diagrama de Nyquist para o ensaio experimental do biodiesel de andiroba. Tabela 1 Resistências de polarização calculadas a partir dos gráficos de andiroba e dendê. Amostras de Biodiesel Rp (Ohm) Dendê 06_B 3,536 x 10 9 Andiroba 01_D 1,082 x 10 9 Através dos resultados da resistência de polarização apresentados na Tabela 1, percebese que o valor de Rp referente ao biodiesel de dendê apresenta valor superior ao de andiroba e quando comparam-se os diagramas experimentais, fica evidente essa diferença de acordo com o Gráfico 4. 1,0E+09 2,0E+09 3,0E+09 4,0E+09 Gráfico 4 Comparação dos diagramas de Nyquist para o ensaio experimental das amostras de biodiesel de dendê e andiroba. O Gráfico 4 mostra que os diagramas de impedância eletroquímica para ambos as amostras de biodiesel apresentam uma mesma forma com dois arcos capacitivos, e características de freqüência máxima próximas, mostrando que os fenômenos de interface provavelmente são os mesmos para ambos os combustíveis analisados. Contudo, é observado que o tamanho do diagrama de impedância para o dendê é aproximadamente três vezes superior ao diagrama referente ao de andiroba, o que se confirma com a simulação e o resultado da resistência de polarização, implicando que o meio de dendê é menos corrosivo devido ao tamanho do arco capacitivo ser maior. CONCLUSÕES Os biodieseis obtidos a partir do óleo de dendê (Elaeis guineensis) e andiroba (Carapa guianensis Aubl.) foram testados através do método da determinação da corrosividade ao cobre (equipamento Petrotest), não apresentaram mudanças em termos de classificação no grau de corrosividade. A técnica de impedância eletroquímica foi utilizada com êxito para a avaliação dos biodieseis de andiroba e dendê. A reprodutibilidade dos ensaios pode ser considerada bastante satisfatória. Os diagramas de impedância mostraram formas semelhantes para os dois combustíveis avaliados, porém o diagrama referente ao dendê apresentou uma resistência de polarização aproximadamente três vezes maior, quando comparado ao de andiroba, indicando que há uma diferença química de ambos responsáveis por esse fenômeno. Sugestão para a continuação desse trabalho: O fato da técnica de espectroscopia de impedância eletroquímica ter sido aplicada com sucesso nesse trabalho, surge a oportunidade de novos trabalhos serem desenvolvidos na mesma

5 linha de pesquisa. Por exemplo, o acompanhamento da degradação de um biodiesel através da técnica eletroquímica, juntamente com o monitoramente pela cromatografia. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BARD, A. J.; FLAUKNER, L. R. Electrochemistry methods: fundamentals and applications. 2.ed. New York: John Wiley & Sons, p GAMRY INSTRUMENTS. Eletctrochemical impedance spectroscopy primer. Disponível em: < mer/eis_primer.htm>. Acesso em: 04/11/2008. HOLANDA, Ariosto. Biodiesel e inclusão social. Brasília, DF. : Câmara dos Deputados, Coordenação de publicação, p (Série Cadernos de Altos Estudos, n. 1). INSTITUTO NACIONAL DE CIENCIA E TECNOLOGIA. Laboratório de Biocorrosão e Biodegradação LABIO. Estado da arte: Microrganismos em biodiesel. Brasília, DF. [s.d.] PARENTE, E. J. S. BIODIESEL: Uma Aventura Tecnológica num País Engraçado. Fortaleza, CE.: Tecbio, PRINCETON APLLIED RESEARCH. AMETEK. Basics of eletrochemical impedance spectroscopy: application note AC-1. Disponível em: < oducts/appnotes>. Acesso em: 15 de nov de AGRADECIMENTOS A bolsa de iniciação científica PIBIC/UFPA. Ao LAOS/UFPA pelas amostras de biodiesel e caracterização físico-química. Ao meu orientador, pelo acompanhamento durante os ensaios experimentais e pela assistência na elaboração deste trabalho. A toda equipe do laboratório de corrosão (LC).

Biodiesel obtenção e aplicação

Biodiesel obtenção e aplicação UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENG. AGRÍCOLA Biodiesel obtenção e aplicação João Valdenor Pereira Filho; Orientador:

Leia mais

ESTUDO DA CORROSÃO DO Al RECICLADO DA INDÚSTRIA DE BEBIDAS

ESTUDO DA CORROSÃO DO Al RECICLADO DA INDÚSTRIA DE BEBIDAS ESTUDO DA CORROSÃO DO Al RECICLADO DA INDÚSTRIA DE BEBIDAS T. SILVA 1, D. MIRANDA 1, G. ALVES 3, O.L ROCHA 2, J.C. CARDOSO FILHO 1 1 Universidade Federal do Pará/ Laboratório de Corrosão 2 Instituto Federal

Leia mais

Autores: Giselle de S. Araújo, Ricardo H. R. de Carvalho e Elisa M. B. D. de Sousa. São Paulo, Maio de 2009

Autores: Giselle de S. Araújo, Ricardo H. R. de Carvalho e Elisa M. B. D. de Sousa. São Paulo, Maio de 2009 PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DE ÓLEO DE COCO (Cocos nucifera L.)BRUTO Autores: Giselle de S. Araújo, Ricardo H. R. de Carvalho e Elisa M. B. D. de Sousa São Paulo, Maio de 2009 INTRODUÇÃO A crise do

Leia mais

Síntese do Biodiesel a partir de óleo vegetal Procedimento experimental (adaptado de 1 )

Síntese do Biodiesel a partir de óleo vegetal Procedimento experimental (adaptado de 1 ) Síntese do Biodiesel a partir de óleo vegetal Procedimento experimental (adaptado de 1 ) O biodiesel é atualmente um combustível em fase de desenvolvimento no nosso país, estando algumas fábricas já em

Leia mais

Química. APL 2.5 Síntese de biodiesel a partir de óleo alimentar

Química. APL 2.5 Síntese de biodiesel a partir de óleo alimentar Química APL 2.5 Síntese de biodiesel a partir de óleo alimentar Luísa Neves, 12ºCT de abril de 2015 Índice Introdução...2 Material e Reagentes...3 Procedimento..4 Perigos específicos e conselhos de segurança

Leia mais

PRODUÇÃO VIA ENZIMÁTICA DE BIODIESEL A PARTIR DE ÓLEO DE SOJA

PRODUÇÃO VIA ENZIMÁTICA DE BIODIESEL A PARTIR DE ÓLEO DE SOJA PRODUÇÃO VIA ENZIMÁTICA DE BIODIESEL A PARTIR DE ÓLEO DE SOJA C. SILVEIRA 1, A. R. S. KOEPPE 2, B. SEGUENKA 3, A. C. V. SALLA 4, G. NICOLETTI 5, W. F. MARTINS 6, F. N. MELO 7 e T. E. BERTOLIN 8. 1,5,6

Leia mais

BIODIESEL DE SOJA PERSPECTIVA DE USO NO BRASIL

BIODIESEL DE SOJA PERSPECTIVA DE USO NO BRASIL BIODIESEL DE SOJA PERSPECTIVA DE USO NO BRASIL Dra. Roseli Aparecida Ferrari DEA UEPG Email ferrarir@uepg. @uepg.br PRODUÇÃO DE BIODIESEL BIODIESEL É um combustível renovável produzido a partir de óleos

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E CONTROLE DA QUALIDADE DO BIODIESEL ASPECTOS GERAIS

CARACTERIZAÇÃO E CONTROLE DA QUALIDADE DO BIODIESEL ASPECTOS GERAIS CARACTERIZAÇÃO E CONTROLE DA QUALIDADE DO BIODIESEL ASPECTOS GERAIS DR. BILL COSTA AGENDA APRESENTAÇÕES OBJETIVO DA C&CQ DO BIODIESEL C&CQ DO BIODIESEL NO BRASIL APRESENTAÇÕES BILL COSTA QUÍMICO MSc.,

Leia mais

AUTOR(ES): GUILHERME CANDIDO LOPES, ALESSANDRA GOMES DOS SANTOS, VICTOR PAULINO LESCANO

AUTOR(ES): GUILHERME CANDIDO LOPES, ALESSANDRA GOMES DOS SANTOS, VICTOR PAULINO LESCANO 16 TÍTULO: PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DE FONTES SUSTENTÁVEIS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: QUÍMICA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ENIAC AUTOR(ES): GUILHERME CANDIDO LOPES,

Leia mais

AVALIAÇÃO DE METODOLOGIAS DE PURIFICAÇÃO DO BIODIESEL ETÍLICO DE ÓLEO DE PALMA (Elaeis guineensis) REFINADO E BRUTO

AVALIAÇÃO DE METODOLOGIAS DE PURIFICAÇÃO DO BIODIESEL ETÍLICO DE ÓLEO DE PALMA (Elaeis guineensis) REFINADO E BRUTO AVALIAÇÃO DE METODOLOGIAS DE PURIFICAÇÃO DO BIODIESEL ETÍLICO DE ÓLEO DE PALMA (Elaeis guineensis) REFINADO E BRUTO D. E. L. LHAMAS 1, S. A. P. da MOTA 1, E. C. COSTA 2, N. T. MACHADO 3, M. E. ARAÚJO 3,

Leia mais

Síntese de Biodiesel a partir da utilização de Óleo Residual

Síntese de Biodiesel a partir da utilização de Óleo Residual Síntese de Biodiesel a partir da utilização de Óleo Residual Nome dos autores: Filipe dos Santos Alves 1 ; Emerson Adriano Guarda 2 1 Aluno do Curso de Engenharia Ambiental; Campus de Palmas; e-mail:filipe_2990@hotmail.com

Leia mais

SEMINÁRIO REGIONAL SOBRE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL BACIA DO PARANÁ III

SEMINÁRIO REGIONAL SOBRE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL BACIA DO PARANÁ III SEMINÁRIO REGIONAL SOBRE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL BACIA DO PARANÁ III Santa Helena PR 28 de março de 2006 TECNOLOGIAS PARA PRODUÇÃO DE BIODIESEL Dra. Roseli Aparecida Ferrari DEA UEPG O que é BioDiesel?

Leia mais

PRODUÇAO E CARACTERIZAÇAO DO BIODIESEL PRODUZIDO A PARTIR DO ÓLEO DE TUCUMA

PRODUÇAO E CARACTERIZAÇAO DO BIODIESEL PRODUZIDO A PARTIR DO ÓLEO DE TUCUMA PRODUÇAO E CARACTERIZAÇAO DO BIODIESEL PRODUZIDO A PARTIR DO ÓLEO DE TUCUMA Mendonça Barroso, L. (UFAM ICET) ; Farias de Souza, P.J. (UFAM ICET) ; Fernandes Batista, R. (UFAM) ; Lacerda Martins, V. (UFAM

Leia mais

ANÁLISE DA IMPLEMENTAÇÃO DE UMA UNIDADE PRODUTORA DE BIODIESEL NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMINA GRANDE

ANÁLISE DA IMPLEMENTAÇÃO DE UMA UNIDADE PRODUTORA DE BIODIESEL NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMINA GRANDE ANÁLISE DA IMPLEMENTAÇÃO DE UMA UNIDADE PRODUTORA DE BIODIESEL NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMINA GRANDE R. da S. EDUARDO 1, M. W. N. C. CARVALHO 1, F. L. H. da SILVA 1, T. S. S. dos SANTOS 1 1 UFCG - Universidade

Leia mais

O ÓLEO DE ALGODÃO COMO FONTE PARA O BIODIESEL - Aspectos Técnicos

O ÓLEO DE ALGODÃO COMO FONTE PARA O BIODIESEL - Aspectos Técnicos O ÓLEO DE ALGODÃO COMO FONTE PARA O BIODIESEL - Aspectos Técnicos VI Congresso Brasileiro do Algodão Uberlândia, 15 de agosto de 2007 Rosilene Aparecida Nascimento Gerente de P&D O que é Biodiesel? Definição

Leia mais

CIB Conselho de Informações sobre Biotecnologia BIODIESEL PARA TODOS. Prof. Gil Miguel de Sousa Câmara USP/ESALQ Piracicaba SP

CIB Conselho de Informações sobre Biotecnologia BIODIESEL PARA TODOS. Prof. Gil Miguel de Sousa Câmara USP/ESALQ Piracicaba SP CIB Conselho de Informações sobre Biotecnologia BIODIESEL PARA TODOS Prof. Gil Miguel de Sousa Câmara USP/ESALQ Piracicaba SP O motor diesel pode ser alimentado com óleos vegetais e poderá ajudar consideravelmente

Leia mais

PURIFICAÇÃO DA GLICERINA A PARTIR DO MÉTODO DE DESTILAÇÃO E CENTRIFUGAÇÃO 1 INTRODUÇÃO

PURIFICAÇÃO DA GLICERINA A PARTIR DO MÉTODO DE DESTILAÇÃO E CENTRIFUGAÇÃO 1 INTRODUÇÃO PURIFICAÇÃO DA GLICERINA A PARTIR DO MÉTODO DE DESTILAÇÃO E CENTRIFUGAÇÃO Jéssica R. de O. Rossi 1, Ivan Fernandes de Souza 2 1 Graduando em Produção Industrial na FATEC Botucatu, jessicarossi_fatecbt@hotmail.com

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DE ETANOL E ÓLEO RESIDUAL DE FRITURAS EMPREGANDO CATÁLISE MISTA: EFEITO DA CONCENTRAÇÃO DE CATALISADORES

OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DE ETANOL E ÓLEO RESIDUAL DE FRITURAS EMPREGANDO CATÁLISE MISTA: EFEITO DA CONCENTRAÇÃO DE CATALISADORES OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DE ETANOL E ÓLEO RESIDUAL DE FRITURAS EMPREGANDO CATÁLISE MISTA: EFEITO DA CONCENTRAÇÃO DE CATALISADORES Louise A. Kuhl 1*, Gustavo O. Gugelmin 2, Adriana E.

Leia mais

CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA AUTOR(ES): CHRISTIANE RAYSSA MIGUEL

CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA AUTOR(ES): CHRISTIANE RAYSSA MIGUEL TÍTULO: QUANTIFICAÇÃO DE AMOSTRAS DE MONOÉSTERES ETÍLICOS POR ESPECTROMETRIA NO INFRAVERMELHO: UMA AVALIAÇÃO EXPERIMENTAL APLICADA ÀS MISTURAS COMERCIAIS DE PETRODIESEL E BIODIESEL. CATEGORIA: EM ANDAMENTO

Leia mais

PRODUÇÃO DE BIODIESEL: UM CASO ALEMÃO

PRODUÇÃO DE BIODIESEL: UM CASO ALEMÃO PRODUÇÃO DE BIODIESEL: UM CASO ALEMÃO João Paulo Arantes Rodrigues da Cunha 1 Jackson Antônio Barbosa 2 RESUMO A utilização de biodiesel como combustível vem apresentando um potencial promissor no mundo

Leia mais

Biodiesel: produção e benefícios

Biodiesel: produção e benefícios Audiência Pública da Comissão Especial sobre Motores a Diesel para Veículos Leves Biodiesel: produção e benefícios Daniel Furlan Amaral Gerente de Economia Câmara dos Deputados Brasília DF 2 de março 2016

Leia mais

Ano CLI Nº 249 Brasília DF, quarta-feira, 24 de dezembro de 2014 págs. 88 e 89 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA

Ano CLI Nº 249 Brasília DF, quarta-feira, 24 de dezembro de 2014 págs. 88 e 89 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Ano CLI Nº 249 Brasília DF, quarta-feira, 24 de dezembro de 2014 págs. 88 e 89 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO Nº 69, DE 23 DE DEZEMBRO

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA GLICERINA OBTIDA NA PRODUÇÃO DE BIODIESEL PARA NEUTRALIZAÇÃO DE ÓLEO VEGETAL RESIDUAL

UTILIZAÇÃO DA GLICERINA OBTIDA NA PRODUÇÃO DE BIODIESEL PARA NEUTRALIZAÇÃO DE ÓLEO VEGETAL RESIDUAL UTILIZAÇÃO DA GLICERINA OBTIDA NA PRODUÇÃO DE BIODIESEL PARA NEUTRALIZAÇÃO DE ÓLEO VEGETAL RESIDUAL Maria Clara dos Santos Ligabo¹, Daniel Thomaz² INTRODUÇÃO De acordo com Mittelbach et al., (1988) e Neto

Leia mais

PROPOSTA DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA SOBRE A PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS E SEUS IMPACTOS AMBIENTAIS COM O ENFOQUE CTSA

PROPOSTA DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA SOBRE A PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS E SEUS IMPACTOS AMBIENTAIS COM O ENFOQUE CTSA PROPOSTA DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA SOBRE A PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS E SEUS IMPACTOS AMBIENTAIS COM O ENFOQUE CTSA Fernanda Dias da Silva, Universidade Federal de Campina Grande, Cajazeiras - PB soufernandadias@gmail.com

Leia mais

DETERMINAÇÃO DE PROPRIEDADES DO ÓLEO RESIDUAL DE FRITURAS, COM E SEM FILTRAÇÃO, EM DIFERENTES TEMPERATURAS

DETERMINAÇÃO DE PROPRIEDADES DO ÓLEO RESIDUAL DE FRITURAS, COM E SEM FILTRAÇÃO, EM DIFERENTES TEMPERATURAS DETERMINAÇÃO DE PROPRIEDADES DO ÓLEO RESIDUAL DE FRITURAS, COM E SEM FILTRAÇÃO, EM DIFERENTES TEMPERATURAS M. SILVA 1, M. SACARDO 1, A. E. COSTA 1 e J. K. ANDREAZZA 1 1 Centro Universitário Tupy - UNISOCIESC,

Leia mais

Normalização para Biodiesel

Normalização para Biodiesel INSTITUTO BRASILEIRO DE PETRÓLEO, PETROLEO, GÁS E BIOCOMBUSTÍVEIS ABNT/ONS-34 Normalização para Biodiesel Rosângela M. Araujo 23/08/07 50 Anos 1 1 Normalização para Biodiesel 1. Fatos geradores 2. Importância

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 18

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 18 Página 18 AVALIAÇÃO DA ESTABILIDADE OXIDATIVA DE BIODIESEL METÍLICO DE GIRASSOL COM ADIÇÃO DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE BHT PELO MÉTODO RANCIMAT E PDSC Mariana Helena de O. Albuquerque 1 ; Amanda Duarte

Leia mais

ANÁLISE DA PURIFICAÇÃO DE BIODIESEL ETÍLICO DE ÓLEO DE CANOLA POR CENTRIFUGAÇÃO

ANÁLISE DA PURIFICAÇÃO DE BIODIESEL ETÍLICO DE ÓLEO DE CANOLA POR CENTRIFUGAÇÃO ANÁLISE DA PURIFICAÇÃO DE BIODIESEL ETÍLICO DE ÓLEO DE CANOLA POR CENTRIFUGAÇÃO J. F. MEDEIROS¹, M. L. MENEZES¹, L. F. dos SANTOS¹, G. L. da IGREJA¹, M. C. S. GOMES², N. C. PEREIRA¹, O. C. da MOTTA LIMA¹

Leia mais

Art. 2º. Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União e permanecerá em vigor até 30 de abril de 2011.

Art. 2º. Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União e permanecerá em vigor até 30 de abril de 2011. Resolução ANP Nº 18 DE 24/03/2011 (Federal) Data D.O.: 25/03/2011 O Diretor-Geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis - ANP, no uso de suas atribuições, tendo em vista o disposto

Leia mais

ESTUDO DO PROCESSO DE EVAPORAÇÃO DO ETANOL NÃO REAGIDO APÓS A REAÇÃO DE TRANSESTERIFICAÇÃO DO ÓLEO DE PALMA (Elaeis guineensis, Jacq)

ESTUDO DO PROCESSO DE EVAPORAÇÃO DO ETANOL NÃO REAGIDO APÓS A REAÇÃO DE TRANSESTERIFICAÇÃO DO ÓLEO DE PALMA (Elaeis guineensis, Jacq) ESTUDO DO PROCESSO DE EVAPORAÇÃO DO ETANOL NÃO REAGIDO APÓS A REAÇÃO DE TRANSESTERIFICAÇÃO DO ÓLEO DE PALMA (Elaeis guineensis, Jacq) M. A. D. LUZ¹, H. G. S. SOUZA 2, D. A. R. CASTRO 3, H. J. S. RIBEIRO

Leia mais

ESTUDO DO PROCESSO DE PURIFICAÇÃO DE BIODIESEL DE CANOLA POR ADSORÇÃO EM CARVÃO ATIVADO

ESTUDO DO PROCESSO DE PURIFICAÇÃO DE BIODIESEL DE CANOLA POR ADSORÇÃO EM CARVÃO ATIVADO ESTUDO DO PROCESSO DE PURIFICAÇÃO DE BIODIESEL DE CANOLA POR ADSORÇÃO EM CARVÃO ATIVADO T. R. SPARTALIS 1, M. OLIVEIRA 1, N.C. PEREIRA 1 e M. F. VIEIRA 1 1 Universidade Estadual de Maringá, Departamento

Leia mais

FUVEST 2015 (Questões 1 a 6)

FUVEST 2015 (Questões 1 a 6) (Questões 1 a 6) Provas de Vestibular 1. O metabissulfito de potássio (K 2 S2O 5 ) e o dióxido de enxofre (SO 2 ) são amplamente utilizados na conservação de alimentos como sucos de frutas, retardando

Leia mais

PROJEÇÃO DA PRODUÇÃO E CONSUMO DE DIESEL E BIODIESEL DA REGIÃO CENTRO-OESTE ATÉ O ANO 2030.

PROJEÇÃO DA PRODUÇÃO E CONSUMO DE DIESEL E BIODIESEL DA REGIÃO CENTRO-OESTE ATÉ O ANO 2030. PROJEÇÃO DA PRODUÇÃO E CONSUMO DE DIESEL E BIODIESEL DA REGIÃO CENTRO-OESTE ATÉ O ANO 2030. Mônica Joelma do Nascimento Anater 1 ; Eduardo Mirko Valenzuela Turdera 2 ; Vanessa Martins de Oliveira 3, Milena

Leia mais

ESTIMAÇÃO DE PARÂMETROS DA EQUAÇÃO PENG- ROBINSON PARA O BIODIESEL ATRAVÉS DE VALORES DE MASSA ESPECÍFICA EM FUNÇÃO DA TEMPERATURA

ESTIMAÇÃO DE PARÂMETROS DA EQUAÇÃO PENG- ROBINSON PARA O BIODIESEL ATRAVÉS DE VALORES DE MASSA ESPECÍFICA EM FUNÇÃO DA TEMPERATURA ESTIMAÇÃO DE PARÂMETROS DA EQUAÇÃO PENG- ROBINSON PARA O BIODIESEL ATRAVÉS DE VALORES DE MASSA ESPECÍFICA EM FUNÇÃO DA TEMPERATURA R. M. CAVALCANTE 1, S. P. de MAGALHÃES, R. S. STEIN 1,, E. S. FIGUEIREDO,

Leia mais

OS COMBUSTIVEIS ALTERNATIVOS LIQUIDOS E GASOSOS

OS COMBUSTIVEIS ALTERNATIVOS LIQUIDOS E GASOSOS OS COMBUSTIVEIS ALTERNATIVOS LIQUIDOS E GASOSOS Kamal A. R. Ismail Fátima Aparecida de Morais Lino Jose Carlos Charamba Dutra Ana Rosa Mendes Primo Jorge Recarte Henríquez Guerrero Armando Shinohara Carlos

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS - ANP

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS - ANP AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS ANP RESOLUÇÃO N 46, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2012 A DIRETORAGERAL da AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS ANP, no uso de suas

Leia mais

Ácidos,sais carboxílicos e ésteres. Karla Gomes Diamantina-MG

Ácidos,sais carboxílicos e ésteres. Karla Gomes Diamantina-MG Ácidos,sais carboxílicos e ésteres Karla Gomes Diamantina-MG ÁCIDOS CARBOXÍLICOS São compostos que possuem como grupo funcional a carbonila (C=O), ligada a uma hidroxila (-OH),e que se denomina grupo carboxila.

Leia mais

Principais rotas tecnológicas de produção do biodiesel

Principais rotas tecnológicas de produção do biodiesel Principais rotas tecnológicas de produção do biodiesel Hanniel Freitas Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte - Campus Apodi Hanniel Freitas Principais rotas tecnológicas

Leia mais

METODOLOGIA ANALÍTICA PARA AVALIAR O TEOR DE MISTURAS DIESEL:BIODIESEL UTILIZANDO INFRAVERMELHO

METODOLOGIA ANALÍTICA PARA AVALIAR O TEOR DE MISTURAS DIESEL:BIODIESEL UTILIZANDO INFRAVERMELHO METODOLOGIA ANALÍTICA PARA AVALIAR O TEOR DE MISTURAS DIESEL:BIODIESEL UTILIZANDO INFRAVERMELHO Lílian Lefol Nani Guarieiro 1 Núbia Moura Ribeiro, Professora 2 Ângelo da Cunha Pinto 3 RESUMO O biodiesel

Leia mais

APLICAÇÃO DE QUITOSANA MODIFICADA COMO CATALISADOR HETEROGÊNEO NA PRODUÇÃO DE BIODIESEL POR ESTERIFICAÇÃO

APLICAÇÃO DE QUITOSANA MODIFICADA COMO CATALISADOR HETEROGÊNEO NA PRODUÇÃO DE BIODIESEL POR ESTERIFICAÇÃO APLICAÇÃO DE QUITOSANA MODIFICADA COMO CATALISADOR HETEROGÊNEO NA PRODUÇÃO DE BIODIESEL POR ESTERIFICAÇÃO D. GURGEL 1, A. L. FREIRE 1, B. J. P. COSTA 1, I. L. LUCENA 1 e Z. M. dos SANTOS 1 1 Universidade

Leia mais

PRODUÇÃO DE BIODIESEL ORIUNDO DO SEBO BOVINO: AVALIAÇÃO EXERGÉTICA EM ESCALA DE BANCADA

PRODUÇÃO DE BIODIESEL ORIUNDO DO SEBO BOVINO: AVALIAÇÃO EXERGÉTICA EM ESCALA DE BANCADA PRODUÇÃO DE BIODIESEL ORIUNDO DO SEBO BOVINO: AVALIAÇÃO EXERGÉTICA EM ESCALA DE BANCADA Antonio Alison da Silva Mamede 1, Maria Alexsandra de Sousa Rios 2, Jackson de Queiroz Malveira 3, Ada Amélia Sanders

Leia mais

Energia da Biomassa Células a combustível

Energia da Biomassa Células a combustível PEA 2200 Energia, Meio Ambiente e Sustentabilidade Aula de Fontes Energia da Biomassa Células a combustível slide 1 / 19 BIOMASSA Oleoginosas (palma, canola, girassol, dendê, mamona, etc) Esmagamento Óleos

Leia mais

A CADEIA PRODUTIVA DE BIODIESEL E AS POSSIBILIDADES NO MERCADO DE CARBONO RESUMO

A CADEIA PRODUTIVA DE BIODIESEL E AS POSSIBILIDADES NO MERCADO DE CARBONO RESUMO A CADEIA PRODUTIVA DE BIODIESEL E AS POSSIBILIDADES NO MERCADO DE CARBONO Juliana Eiko Nascimento Elaine Yumi Notoya Maria Rosângela Ferreira RESUMO São inúmeras as oportunidades de negócios e novos mercados

Leia mais

Rotas de Produção de Diesel Renovável

Rotas de Produção de Diesel Renovável Petrobras - Tecnologia A preocupação mundial com o desenvolvimento sustentável evidenciou a necessidade da definição de limites de emissão para as tecnologias automotivas. Desde então, pesquisadores têm

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 24

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 24 Página 24 BIODIESEL DE ÓLEO DE FRITURA: INCLUSÃO SOCIAL E MENOS POLUIÇÃO EM REGIÕES METROPOLITANAS Manuela Xavier B. Alves* 1 ; Antonio Martiniano jr 1 ; Ana Rita F Drummond 1 ; Francisco Sávio G. Pereira

Leia mais

METAIS E LIGAS METÁLICAS

METAIS E LIGAS METÁLICAS DEPARTAMENTO DE C. Físico-Químicas DISCIPLINA: Química COMPETÊNCIAS/CONTEÚDOS 12º ano... Domínios / Objetivos Conceitos/ Conteúdos Calendarização (blocos) METAIS E LIGAS METÁLICAS METAIS E LIGAS METÁLICAS

Leia mais

INFLUÊNCIA DA RELAÇÃO ÁLCOOL:ÓLEO NA PRODUÇÃO DE BIODIESEL POR ROTA ETÍLICA

INFLUÊNCIA DA RELAÇÃO ÁLCOOL:ÓLEO NA PRODUÇÃO DE BIODIESEL POR ROTA ETÍLICA INFLUÊNCIA DA RELAÇÃO ÁLCOOL:ÓLEO NA PRODUÇÃO DE BIODIESEL POR ROTA ETÍLICA Ceci Felinto Vieira de França 1, Suzana Pedroza da Silva 2, Alexandre Ricardo Pereira Schuler 3 1 Mestranda em Engenharia Química,

Leia mais

ENERGIAS RENOVAVEIS. Biocombustiveis - biomassa sólida; - biocombustíveis gasosos; - biocombustíveis líquidos Energia Solar ENERGIA EÓLICA

ENERGIAS RENOVAVEIS. Biocombustiveis - biomassa sólida; - biocombustíveis gasosos; - biocombustíveis líquidos Energia Solar ENERGIA EÓLICA ENERGIAS RENOVAVEIS Biocombustiveis - biomassa sólida; - biocombustíveis gasosos; - biocombustíveis líquidos Energia Solar ENERGIA EÓLICA 1 1. Biomassa sólida Tem como fonte os produtos e resíduos da agricultura

Leia mais

Resoluções Química. - Cálculo da massa de ferro que restou na peça sem ter sido oxidada (z): z = 56,0 2,8 = 53,2 g

Resoluções Química. - Cálculo da massa de ferro que restou na peça sem ter sido oxidada (z): z = 56,0 2,8 = 53,2 g Resoluções Química Comentários sobre as questões de Química. 19 Resposta E. - Cálculo da quantidade de ferrugem formada, em mol (x): Fe 2 O 3.H 2 O (s) + 2H 3 PO 4 (aq) 2FePO 4 (s) + 4H 2 O (l) 1mol 2.

Leia mais

Reações de Substituição Folha 01 Prof.: João Roberto Mazzei

Reações de Substituição Folha 01 Prof.: João Roberto Mazzei www.professormazzei.com Reações de Substituição Folha 01 Prof.: João Roberto Mazzei 01. (UFC 2009) A cânfora é uma cetona que possui um odor penetrante característico. É aplicada topicamente na pele como

Leia mais

Avaliação da potencialidade de aplicação de lipase comercial livre em reações de esterificação

Avaliação da potencialidade de aplicação de lipase comercial livre em reações de esterificação Avaliação da potencialidade de aplicação de lipase comercial livre em reações de esterificação Guzzo, Maria Eduarda 1 ; Erig, Cátia Lohmann 1 ; Bonissoni, Camila 1 ; Soligo, Andressa 1 ; Dalla Rosa, Andréia

Leia mais

Petróleo e Biocombustíveis: A eterna busca pela autossuficiência. Suani Teixeira Coelho Sao Paulo, 5 de agosto de 2013

Petróleo e Biocombustíveis: A eterna busca pela autossuficiência. Suani Teixeira Coelho Sao Paulo, 5 de agosto de 2013 Petróleo e Biocombustíveis: A eterna busca pela autossuficiência Suani Teixeira Coelho Sao Paulo, 5 de agosto de 2013 No segmento de refino, a produção de derivados atingiu 2,02 milhões de barris/dia,

Leia mais

PROMOVE NOÇÕES DA CADEIA DE PETRÓLEO 1 - INTRODUÇÃO AO PETRÓLEO

PROMOVE NOÇÕES DA CADEIA DE PETRÓLEO 1 - INTRODUÇÃO AO PETRÓLEO 1.a HISTÓRIA: Petróleo: palavra de origem latina (Petrus, pedra; Oleum, óleo) As primeiras civilizações e o uso do petróleo 1º marco: utilização do petróleo para iluminação A revolução industrial o Petróleo

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE AGENTE COMPLEXANTE NA PURIFICAÇÃO DA GLICERINA BRUTA ORIUNDA DA PRODUÇÃO DE BIODIESEL.

UTILIZAÇÃO DE AGENTE COMPLEXANTE NA PURIFICAÇÃO DA GLICERINA BRUTA ORIUNDA DA PRODUÇÃO DE BIODIESEL. UTILIZAÇÃO DE AGENTE COMPLEXANTE NA PURIFICAÇÃO DA GLICERINA BRUTA ORIUNDA DA PRODUÇÃO DE BIODIESEL Silvio Leandro Corrêa da Purificação 1, Alexandre dos Santos Machado 1, Rebeca Pinheiro Jesus dos Santos

Leia mais

Produção de Biodiesel a partir de óleo de soja empregando catalisadores heterogêneos contendo potássio

Produção de Biodiesel a partir de óleo de soja empregando catalisadores heterogêneos contendo potássio Produção de Biodiesel a partir de óleo de soja empregando catalisadores heterogêneos contendo potássio P. S. Batista, G. O. Rodrigues, B. G. Rodrigues e M. N. Sousa Escola de Engenharia de Lorena, Departamento

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE UM MOTOR DE IGNIÇÃO POR COMPRESSÃO UTILIZANDO ÓLEO DIESEL E ÉSTER ETÍLICO DE ÓLEO DE GIRASSOL COMO COMBUSTÍVEL ¹

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE UM MOTOR DE IGNIÇÃO POR COMPRESSÃO UTILIZANDO ÓLEO DIESEL E ÉSTER ETÍLICO DE ÓLEO DE GIRASSOL COMO COMBUSTÍVEL ¹ AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE UM MOTOR DE IGNIÇÃO POR COMPRESSÃO UTILIZANDO ÓLEO DIESEL E ÉSTER ETÍLICO DE ÓLEO DE GIRASSOL COMO COMBUSTÍVEL ¹ José Valdemar Gonzalez Maziero ² Ila Maria Corrêa 3 Maurício

Leia mais

Biodiesel Audiência Pública: 20 de Agosto 2003

Biodiesel Audiência Pública: 20 de Agosto 2003 Câmara dos Deputados Comissão de Agricultura e Política Rural Audiência Pública: 20 de Agosto 2003 Maria das Graças Silva Foster Secretária de Petróleo, Gás Natural e do MME Combustíveis no Brasil BIODIESEL

Leia mais

3º Congresso Norte Nordeste de Química, São Luís, Maranhão 2009

3º Congresso Norte Nordeste de Química, São Luís, Maranhão 2009 AVALIAÇÃO DA TRA SESTERIFICAÇÃO DE TRÊS AMOSTRAS DE ÓLEOS VEGETAIS PARA OBTE ÇÃO DE BIODIESEL Victor Augusto Araújo de Freitas * (IC), Jackieline Souza Veras Lima (IC), Paulo Rogério da Costa Couceiro

Leia mais

POTENCIALIDADES DO BIODIESEL NO BRASIL

POTENCIALIDADES DO BIODIESEL NO BRASIL POTENCIALIDADES DO BIODIESEL NO BRASIL Afonso Lopes, Professor Doutor, DER-FCAV-UNESP/Jaboticabal, afonso@fcav.unesp.br Rouverson Pereira da Silva, Professor Doutor, DER-FCAV-UNESP/Jaboticabal Carlos Eduardo

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 188

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 188 Página 188 SÍNTESE, CARACTERIZAÇÃO E ESTUDO CINÉTICO DO ÓLEO DE DENDÊ E SEU BIODIESEL 1 Anne Gabriella Dias Santos1*, Vinícius Patrício da Silva Caldeira1, Mirna Ferreira Farias1, Edjane Fabiula Buriti

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 8 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA UNESP/CENTRO DE

Leia mais

SIMULAÇÃO DO PROCESSO CONTÍNUO DE PRODUÇÃO DE BIODIESEL

SIMULAÇÃO DO PROCESSO CONTÍNUO DE PRODUÇÃO DE BIODIESEL SIMULAÇÃO DO PROCESSO CONTÍNUO DE PRODUÇÃO DE BIODIESEL M.A. PASA 1, D. TOSS 1 1 Universidade de Caxias do Sul, Centro de Ciências Exatas e da Tecnologia, Curso de Engenharia Química E-mail para contato:

Leia mais

APLICAÇÃO DE PLANEJAMENTO FATORIAL NA OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO DE BIODIESEL DE GIRASSOL

APLICAÇÃO DE PLANEJAMENTO FATORIAL NA OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO DE BIODIESEL DE GIRASSOL APLICAÇÃO DE PLANEJAMENTO FATORIAL NA OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO DE BIODIESEL DE GIRASSOL Suzana Pedroza da Silva 1, Ceci Felinto Vieira de França 2, Breno José Marques de Melo 3, Allan Kardec Ribeiro Teixeira

Leia mais

ESTUDO DAS VARIÁVEIS OPERACIONAIS ENVOLVIDAS NA SEPARAÇÃO DA MISTURA GLICERINA/BIODIESEL

ESTUDO DAS VARIÁVEIS OPERACIONAIS ENVOLVIDAS NA SEPARAÇÃO DA MISTURA GLICERINA/BIODIESEL ESTUDO DAS VARIÁVEIS OPERACIONAIS ENVOLVIDAS NA SEPARAÇÃO DA MISTURA GLICERINA/BIODIESEL H. J. S. RIBEIRO 1, D. A. R. CASTRO 2, N. MACHADO 2, W. SANTOS 2, L. BORGES 3 e M.C. SANTOS 2 1 Universidade Federal

Leia mais

USO DA QUIMIOMETRIA PARA OTIMIZAÇÃO DA SÍNTESE DE BIODIESEL DE SOJA.

USO DA QUIMIOMETRIA PARA OTIMIZAÇÃO DA SÍNTESE DE BIODIESEL DE SOJA. USO DA QUIMIOMETRIA PARA OTIMIZAÇÃO DA SÍNTESE DE BIODIESEL DE SOJA. K. L. C. OLIVEIRA 1, H. G. MARQUES 2, D. F. F. MARTINS 3. 1 Graduando em Ciência e Tecnologia na Universidade Federal Rural do Semi-árido

Leia mais

w w w. i n t. g o v. b r

w w w. i n t. g o v. b r Instituto Nacional de Tecnologia Unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, criada em 1921 por Ernesto da Fonseca Costa, com o nome de Estação Experimental de Combustíveis e Minérios.

Leia mais

Uso do algodão para fins energéticos

Uso do algodão para fins energéticos Uso do algodão para fins energéticos Rosilene Aparecida Nascimento Gerente de P&D Assim como os ALIMENTOS são COMBUSTÍVEL para o Homem, os COMBUSTÍVEIS são os ALIMENTOS das Máquinas. Expedito Parente A

Leia mais

X Congresso Brasileiro de Engenharia Química Iniciação Científica

X Congresso Brasileiro de Engenharia Química Iniciação Científica Blucher Chemical Engineering Proceedings Dezembro de 2014, Volume 1, Número 1 X Congresso Brasileiro de Engenharia Química Iniciação Científica Influência da pesquisa em Engenharia Química no desenvolvimento

Leia mais

Revista Brasileira de Energias Renováveis PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DA TRANSETERIFICAÇÃO DE ÓLEOS RESIDUAIS¹

Revista Brasileira de Energias Renováveis PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DA TRANSETERIFICAÇÃO DE ÓLEOS RESIDUAIS¹ Revista Brasileira de Energias Renováveis PRODUÇÃO DE BIODIESEL A PARTIR DA TRANSETERIFICAÇÃO DE ÓLEOS RESIDUAIS¹ Carolina Sayury Miyashiro ², Carlos de Oliveira ³, Edilene Campos 4, Joel G. Teleken 5

Leia mais

4001 Transesterificação do óleo de mamona em ricinoleato de metila

4001 Transesterificação do óleo de mamona em ricinoleato de metila 4001 Transesterificação do óleo de mamona em ricinoleato de metila Classificação Tipos de reações e classes de substâncias. Reação do grupo carbonila de derivados do ácido carboxílico, trans-esterificação,

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE TÉCNICAS ELETROQUÍMICAS NA INVESTIGAÇÃO DA CORROSÃO DO Al E DA LIGA Al- 0,3%Si.

UTILIZAÇÃO DE TÉCNICAS ELETROQUÍMICAS NA INVESTIGAÇÃO DA CORROSÃO DO Al E DA LIGA Al- 0,3%Si. UTILIZAÇÃO DE TÉCNICAS ELETROQUÍMICAS NA INVESTIGAÇÃO DA CORROSÃO DO Al E DA LIGA Al- 0,3%Si. A. L. GONÇALVES 1, L.S.SANTOS 2, L. B. FERNANDES 3, J.C.A. CARDOSO 3 1 Programa de Pós-Graduação em Engenharia

Leia mais

SÍNTESE DE BIODIESEL UTILIZANDO ARGILA BENTONÍTICA NATURAL E IMPREGNADA COMO CATALISADOR

SÍNTESE DE BIODIESEL UTILIZANDO ARGILA BENTONÍTICA NATURAL E IMPREGNADA COMO CATALISADOR SÍNTESE DE BIODIESEL UTILIZANDO ARGILA BENTONÍTICA NATURAL E IMPREGNADA COMO CATALISADOR J. C. MARINHO 1, P. H. D. FELIX 1, E. G. LIMA, M. W. N. C. CARVALHO e A. A. CUTRIM 1 Universidade Federal de Campina

Leia mais

APLICAÇÃO DE RESÍDUO DE CINZAS DE CARVÃO MINERAL APLICADOS NA PRODUÇÃO DE CONCRETOS E ARGAMASSAS

APLICAÇÃO DE RESÍDUO DE CINZAS DE CARVÃO MINERAL APLICADOS NA PRODUÇÃO DE CONCRETOS E ARGAMASSAS APLICAÇÃO DE RESÍDUO DE CINZAS DE CARVÃO MINERAL APLICADOS NA PRODUÇÃO DE CONCRETOS E ARGAMASSAS Rodney Cascaes Júnior 1 ; Msc. Lucimara Aparecida Schambeck Andrade 2 (orientadora) RESUMO: O uso de novos

Leia mais

O POTENCIAL E A APLICAÇÃO DOS BIOCOMBUSTÍVEIS

O POTENCIAL E A APLICAÇÃO DOS BIOCOMBUSTÍVEIS O POTENCIAL E A APLICAÇÃO DOS BIOCOMBUSTÍVEIS PROF. JOSÉ CARLOS LAURINDO INTRODUÇÃO CIVILIZAÇÕES ANTIGAS: PREPARO DE BIOCOMBUSTÍVEIS SÓLIDOS CARVÃO DE DE MADEIRA PARA FORJAS DE DE METAIS LÍQUIDOS GORDURAS

Leia mais

QUÍMICA. Questão 01. Questão 02

QUÍMICA. Questão 01. Questão 02 Questão 01 QUÍMICA A fenil-etil-amina é considerada um componente responsável pela sensação do bem-estar decorrente da ingestão do chocolate, que contém, também, substâncias inorgânicas. Na tabela a seguir

Leia mais

1 Introdução Princípios Básicos da Corrosão Eletroquímica... 5

1 Introdução Princípios Básicos da Corrosão Eletroquímica... 5 Sumário 1 Introdução................................ 1 2 Princípios Básicos da Corrosão Eletroquímica........ 5 2.1 POTENCIAIS ELETROQUÍMICOS............................ 5 2.2 PILHAS DE CORROSÃO...................................17

Leia mais

2 o CONGRESSO BRASILEIRO DE P&D EM PETRÓLEO & GÁS

2 o CONGRESSO BRASILEIRO DE P&D EM PETRÓLEO & GÁS 2 o CONGRESSO BRASILEIRO DE P&D EM PETRÓLEO & GÁS USO DA REFRATOMETRIA NA AVALIAÇÃO DE NÃO CONFORMIDADES DA GASOLINA TIPO C SANTOS, K. M ¹, ANDRADE, J. M. ², SEVERIANO, M. L. ³, MEDEIROS, M.A O 4, FERNANDES,

Leia mais

ANÁLISE DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DE UM COMPÓSITO NATURAL DESENVOLVIDO COM FIBRA DE CARNAÚBA

ANÁLISE DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DE UM COMPÓSITO NATURAL DESENVOLVIDO COM FIBRA DE CARNAÚBA ANÁLISE DAS PROPRIEDADES MECÂNICAS DE UM COMPÓSITO NATURAL DESENVOLVIDO COM FIBRA DE CARNAÚBA M. H. de F. Fonseca, U. P. de Lucena Junior, R. O. C. Lima Universidade Federal Rural do Semi-Árido Rua José

Leia mais

QUÍMICA ORGÂNICA II. Funções Orgânicas

QUÍMICA ORGÂNICA II. Funções Orgânicas QUÍMICA ORGÂNICA II Funções Orgânicas EMENTA 1. Identificar os tipos de reações orgânicas de acordo com o produto obtido. 2. Selecionar procedimentos para identificação de composto orgânico. 3. Identificar

Leia mais

MÉTODO NUMÉRICO PARA A DETERMINAÇÃO DO MÓDULO DE TENACIDADE DE MATERIAIS A PARTIR DE ENSAIOS DE TRAÇÃO

MÉTODO NUMÉRICO PARA A DETERMINAÇÃO DO MÓDULO DE TENACIDADE DE MATERIAIS A PARTIR DE ENSAIOS DE TRAÇÃO MÉTODO NUMÉRICO PARA A DETERMINAÇÃO DO MÓDULO DE TENACIDADE DE MATERIAIS A PARTIR DE ENSAIOS DE TRAÇÃO Autores: Pedro Henrique Gwiggner SERIGHELLI 1, Cristiano José TURRA 2, David Roza JOSÉ 3. 1 Graduando

Leia mais

RECURSOS ORGÂNICOS RENOVÁVEIS NÃO RENOVÁVEIS

RECURSOS ORGÂNICOS RENOVÁVEIS NÃO RENOVÁVEIS RECURSOS ORGÂNICOS RECURSOS ORGÂNICOS ORIGEM RENOVABILIDADE BIÓTICOS ABIÓTICOS RENOVÁVEIS NÃO RENOVÁVEIS Carvão Carvão mineral: combustível fóssil natural extraído pelo processo de mineração; Séc XVIII:

Leia mais

Lipídeos. Carboidratos (Açúcares) Aminoácidos e Proteínas

Lipídeos. Carboidratos (Açúcares) Aminoácidos e Proteínas BIOQUÍMICA Lipídeos Carboidratos (Açúcares) Aminoácidos e Proteínas LIPÍDEOS São ÉSTERES derivados de ácidos graxos superiores. Ex1: São divididos em: Cerídeos Glicerídeos Fosfatídeos Esteroides CERÍDEOS

Leia mais

CQ049 FQ Eletroquímica.

CQ049 FQ Eletroquímica. CQ049 FQ Eletroquímica prof. Dr. Marcio Vidotti LEAP Laboratório de Eletroquímica e Polímeros mvidotti@ufpr.br www.quimica.ufpr.br/mvidotti A Eletroquímica pode ser dividida em duas áreas: Iônica: Está

Leia mais

PROCESSO DE CONVERSÃO À BAIXA TEMPERATURA - CBT

PROCESSO DE CONVERSÃO À BAIXA TEMPERATURA - CBT 7º SIMPÓSIO NACIONAL DE BIOCOMBUSTÍVEIS PROCESSO DE CONVERSÃO À BAIXA TEMPERATURA - CBT Prof. Dr. Francisco Ferreira Dantas Filho Universidade Estadual da Paraíba - UEPB 2014 Pirólise Definição: Degradação

Leia mais

Obtenção de Biodiesel através da Transesterificação do Óleo de Milho: Conversão em Ésteres Etílicos e Caracterização Físico-Química

Obtenção de Biodiesel através da Transesterificação do Óleo de Milho: Conversão em Ésteres Etílicos e Caracterização Físico-Química Obtenção de Biodiesel através da Transesterificação do Óleo de Milho: Conversão em Ésteres Etílicos e Caracterização Físico-Química Dantas, M. B. 1 (PG), Conceição, M.M. 2 (PQ), Silva, F.C. 3 (PQ), Santos,

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CATALISADORES DE TRANSFERÊNCIA DE FASE NA PRODUÇÃO DE BIODIESEL.

AVALIAÇÃO DE CATALISADORES DE TRANSFERÊNCIA DE FASE NA PRODUÇÃO DE BIODIESEL. AVALIAÇÃO DE CATALISADORES DE TRANSFERÊNCIA DE FASE NA PRODUÇÃO DE BIODIESEL. Lidirene Sousa Rocha (IC)*, Maria Silvani Gama Linhares (IC), Francisca Janaila Alves dos Santos (IC), Hildeberto Xavier de

Leia mais

A Agricultura do Brasil e do Paraná

A Agricultura do Brasil e do Paraná Governo do Estado do Paraná A Agricultura do Brasil e do Paraná Políticas Públicas para a Produção de Biodiesel Orlando Pessuti Vice-Governador Abril/2007 BRASIL 5º Maior país do mundo PIB de US$ 1,0 trilhão

Leia mais

Centrifugação: Uma Alternativa Para Purificação de Biodiesel¹

Centrifugação: Uma Alternativa Para Purificação de Biodiesel¹ Revista Brasileira de Energias Renováveis Centrifugação: Uma Alternativa Para Purificação de Biodiesel¹ Janaína Fernandes Medeiros², Thiago Luiz Belo Pasa³, Fernanda Naiara Campos de Almeida³, Maria Carolina

Leia mais

LIMPEZA QUÍMICA E PASSIVAÇÃO. Em Sistemas Críticos de Alta Pureza

LIMPEZA QUÍMICA E PASSIVAÇÃO. Em Sistemas Críticos de Alta Pureza LIMPEZA QUÍMICA E PASSIVAÇÃO Em Sistemas Críticos de Alta Pureza TIPOS DE CONTAMINAÇÃO (FONTES) Contaminação Orgânica Sujidade oriunda de resíduos dos produtos, gorduras, proteínas, óleos, etc. Contaminação

Leia mais

REVISÃO DE QUÍMICA CEIS Prof. Neif Nagib

REVISÃO DE QUÍMICA CEIS Prof. Neif Nagib REVISÃO DE QUÍMICA CEIS 2017 Prof. Neif Nagib CÁLCULO DO ph e do poh EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 01. O estômago produz suco gástrico constituído de ácido clorídrico, muco, enzimas e sais. O valor de ph no

Leia mais

TITULAÇÃO POTENCIOMÉTRICA DE ÓLEOS E GORDURAS PARA A PRODUÇÃO DE BIODIESEL

TITULAÇÃO POTENCIOMÉTRICA DE ÓLEOS E GORDURAS PARA A PRODUÇÃO DE BIODIESEL TITULAÇÃ PTENCIMÉTRICA DE ÓLES E GRDURAS PARA A PRDUÇÃ DE BIDIESEL Eduardo Goldani 1,A Luis Alcides Brandini De Boni 1,B RESUM Diante da necessidade da utilização de fontes alternativas de combustíveis,

Leia mais

Efeito de Metais na Estabilidade do Biodiesel de Soja.

Efeito de Metais na Estabilidade do Biodiesel de Soja. Efeito de Metais na Estabilidade do Biodiesel de Soja Silmara Furtado da Silva 1, Claudia Cristina Dias 1 e Maria Letícia Murta Valle 1 1 Universidade Federal do Rio de Janeiro/ Escola de Química Email:

Leia mais

FCAV/UNESP. DISCIPLINA: Química Orgânica. ASSUNTO: Ácidos Carboxílicos e Ésteres Prof a. Dr a. Luciana Maria Saran

FCAV/UNESP. DISCIPLINA: Química Orgânica. ASSUNTO: Ácidos Carboxílicos e Ésteres Prof a. Dr a. Luciana Maria Saran FCAV/UNESP DISCIPLINA: Química Orgânica ASSUNTO: Ácidos Carboxílicos e Ésteres Prof a. Dr a. Luciana Maria Saran 1 CLASSE FUNCIONAL ÁCIDO CARBOXÍLICO Os compostos desta classe têm em comum a presença do

Leia mais

Efeitos do Enxofre Corrosivo Sobre as Propriedades Dielétricas do Papel Isolante. Edson Ueti Francisco de Assis Filho Márcio Antônio Sens

Efeitos do Enxofre Corrosivo Sobre as Propriedades Dielétricas do Papel Isolante. Edson Ueti Francisco de Assis Filho Márcio Antônio Sens XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Efeitos do Enxofre Corrosivo Sobre as Propriedades Dielétricas do Papel Isolante

Leia mais

TITULAÇÕES POTENCIOMÉTRICAS DE CÁTIONS METÁLICOS EM MEIO NÃO AQUOSO. Palavras chave: Potenciometria, interação soluto-solvente, eletrodo de vidro.

TITULAÇÕES POTENCIOMÉTRICAS DE CÁTIONS METÁLICOS EM MEIO NÃO AQUOSO. Palavras chave: Potenciometria, interação soluto-solvente, eletrodo de vidro. TITULAÇÕES POTENCIOMÉTRICAS DE CÁTIONS METÁLICOS EM MEIO NÃO AQUOSO Anderson Martin dos Santos 1 ; Edemar Benedetti Filho 2 1 Estudante do Curso de Química Industrial da UEMS, Unidade Universitária de

Leia mais

DISCIPLINA DE QUÍMICA

DISCIPLINA DE QUÍMICA DISCIPLINA DE QUÍMICA OBJETIVOS: 1ª série Traduzir linguagens químicas em linguagens discursivas e linguagem discursiva em outras linguagens usadas em Química tais como gráficos, tabelas e relações matemáticas,

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA SEMENTE DO MELÃO COMO CATALISADOR NA REAÇÃO DE ESTERIFICAÇÃO DO ÁCIDO OLÉICO

UTILIZAÇÃO DA SEMENTE DO MELÃO COMO CATALISADOR NA REAÇÃO DE ESTERIFICAÇÃO DO ÁCIDO OLÉICO UTILIZAÇÃO DA SEMENTE DO MELÃO COMO CATALISADOR NA REAÇÃO DE ESTERIFICAÇÃO DO ÁCIDO OLÉICO A. L. FREIRE 1, B. J. P. COSTA 1, Z. M. SANTOS 2, A. D. T. PINHEIRO 2 e I. L. LUCENA 2 1 Universidade Federal

Leia mais

01 O chumbo participa da composição de diversas ligas metálicas. No bronze arquitetônico, por

01 O chumbo participa da composição de diversas ligas metálicas. No bronze arquitetônico, por 01 O chumbo participa da composição de diversas ligas metálicas. No bronze arquitetônico, por exemplo, o teor de chumbo corresponde a 4,14% em massa da liga. Seu isótopo radioativo 210 Pb decai pela emissão

Leia mais

Produção de Biodiesel a Partir do Óleo de Babaçu Utilizando Misturas dos Álcoois Metanol-Etanol

Produção de Biodiesel a Partir do Óleo de Babaçu Utilizando Misturas dos Álcoois Metanol-Etanol Produção de Biodiesel a Partir do Óleo de Babaçu Utilizando Misturas dos Álcoois Metanol-Etanol Produção de Biodiesel a Partir do Óleo de Babaçu Utilizando Misturas dos Álcoois Metanol-Etanol Silva, F.

Leia mais

Metais e ligas metálicas Estrutura e propriedades dos metais

Metais e ligas metálicas Estrutura e propriedades dos metais AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2016/2017 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa de Química / Metas Curriculares ENSINO SECUNDÁRIO 12º ANO-QUÍMICA DOMÍNIO/SUBDOMÍNIO

Leia mais