A Sharewater. Planeta Água. Prêmios

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Sharewater. Planeta Água. Prêmios"

Transcrição

1

2 A Sharewater A Sharewater tem o objetivo de oferecer soluções completas para a conservação da água, através de projetos, consultoria e desenvolvimento de tecnologia própria. Foi fundada em 8 de maio de 2006 por engenheiros graduados na Escola Politécnica da USP (POLI-USP), a partir de suas experiências no Programa de Uso Racional da Água da USP (PURA-USP), e é graduada pelo CIETEC (Centro Incubador de Empresas Tecnológicas), maior incubadora de negócios da América Latina. Para garantir a mais alta qualidade em seus produtos e serviços, a Sharewater conta com parcerias com a USP, o IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), o CIRRA (Centro Internacional de Referência em Reúso de Água) e o IPEN (Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares), entre outros. Prêmios Top of Quality Ambiental 2008 (Ordem dos Parlamentares do Brasil) VII Fórum de Investidores em Negócios Sustentáveis New Ventures Brasil 2010 (Centro de Estudos em Sustentabilidade da EAESP - FGV) Planeta Água O planeta Terra tem aproximadamente 70% da sua superfície coberta por água, motivo pelo qual é também chamado de Planeta Água. No entanto, de toda a água do planeta, apenas 0,03% é disponível para o consumo e as perspectivas são alarmantes. Segundo a ONU (Human Development Report, 2006), até 2025, 3 bilhões de pessoas terão problemas com a escassez da água. O Brasil possui uma posição privilegiada, tendo 12% da água doce acessível do planeta. Porém, vive um quadro de stress hídrico relativo, pois a disponibilidade é pequena nas regiões de maior concentração populacional. As regiões sul, sudeste e nordeste, por exemplo, concentram 87% da população e, no entanto, têm apenas 15,5% da água doce disponível no país.

3 PCA - Programa de Conservação da Água O Programa de Conservação da Água (PCA) é um programa permanente que visa à gestão contínua dos usos da água e à redução do consumo de água potável. Ele se dá através de uma série de medidas estruturais, como a implementação de sistemas de gestão do consumo ou projetos específicos, e medidas não estruturais, como campanhas de conscientização. O PCA é iniciado através de um diagnóstico do consumo e das instalações hidráulicas do empreendimento. Após a avaliação, são propostas as melhores medidas economizadoras, levandose em consideração o investimento inicial, o tempo de retorno e os benefícios gerados por cada uma delas. Após a implementação das medidas, seu impacto é avaliado e novas oportunidades de economia são identificadas, tornando o PCA cíclico e permanente. São duas as formas de atuação em um empreendimento: Buscando-se o aumento da oferta de água, através da captação de fontes alternativas como água de chuva, água de lençóis subterrâneos ou reúso de efluentes; Buscando-se a diminuição da demanda, através da gestão do consumo, da utilização de equipamentos eficientes e de campanhas de conscientização. Diagnóstico Avaliação / Planejamento Monitoramento Ciclo PCA Projeto: Estudo de Viabilidade Projeto Básico Projeto Executivo

4 Serviços Diagnóstico dos Usos da Água O Diagnóstico é constituído por uma auditoria do consumo de água do empreendimento e por um plano de ações para o seu uso sustentável. O estudo profundo dos perfis de consumo, das instalações hidráulicas, dos equipamentos e pontos de consumo e dos procedimentos de uso de água permite a definição das soluções técnicas de melhor custo-benefício. Captação e Aproveitamento de Água de Chuva A Sharewater desenvolve estudos de viabilidade e projetos executivos de aproveitamento de água de chuva, possibilitando uma grande redução do consumo de água potável. Através de uma ferramenta de modelagem matemática desenvolvida pela Sharewater, é simulado o desempenho do sistema ao longo de um ano padrão, resultando no dimensionamento de melhor relação custo-benefício dos reservatórios e, consequentemente, na redução de até 50% do custo da obra, uma vez que a execução dos reservatórios representa o maior custo neste tipo de sistema. Diagnóstico dos Usos da Água Captação e Aproveitamento de Água de Chuva Tratamento de Efluentes e Reúso Campanhas de Conscientização A Sharewater cria campanhas e palestras de conscientização e cartilhas de boas práticas no uso da água. Estas medidas têm como resultados a mudança nos hábitos dos envolvidos e a sua transformação em agentes economizadores, que disseminam a cultura do uso racional da água. Campanhas de Conscientização Monitoramento, Automação e Gestão do Consumo

5 Tratamento de Efluentes e Reúso O descarte de efluentes é o principal responsável pela poluição dos mananciais. Com a implantação do tratamento de efluentes e reúso de água diminui-se expressivamente a quantidade de água potável consumida e de efluente gerado. Isso resulta não só na diminuição do impacto causado ao meio ambiente, mas também em grande redução nos gastos com água e esgoto. A Sharewater desenvolve estudos de viabilidade e projetos executivos de tratamento de efluentes e reúso, gerando economia e agregando valor à marca de seus clientes. Monitoramento, Automação e Gestão do Consumo Em empreendimentos que possuem diversos processos que utilizam água, é indispensável realizar a gestão do consumo através do monitoramento em tempo real do seu uso, criando indicadores cuja análise possibilita detectar vazamentos e aperfeiçoar os processos, evitando grandes desperdícios. A Sharewater desenvolve sistemas de telemetria para coleta automática de dados de hidrômetros instalados na rede e posterior análise e apresentação na forma de gráficos de consumo. Em redes de distribuição, a supervisão à distância permite o diagnóstico e a rápida detecção de vazamentos e outros problemas de abastecimento. Aliada à automação e ao telecomando, possibilita o controle e a operação remota dos sistemas de abastecimento, acionando válvulas, bombas e outros equipamentos de acordo com rotinas determinadas.

6 Cases Diagnóstico dos Usos da Água Shopping Parque D. Pedro Levantamento, vistoria e cadastro da rede hidráulica; mapeamento dos processos que consomem água; determinação de indicadores de consumo; apresentação das melhores soluções para a economia de água. Captação e Aproveitamento de Água de Chuva - Universidade Federal do ABC Sistema com baixa necessidade de manutenção; uso em bacias sanitárias, mictórios, torneiras de jardim e lavagem; redução do consumo de água potável de 25%. Tratamento de Efluentes e Reúso Anhanguera Educacional Sistema com baixo custo de implantação, consumo de energia e necessidade de manutenção; uso em bacias sanitárias, mictórios, torneiras de jardim e lavagem; redução do consumo de água potável de 60%; redução na emissão de efluentes. Monitoramento, Automação e Gestão do Consumo Sanessol Automação e supervisão do sistema de abastecimento de Mirassol-SP, através do uso de hardwares e softwares próprios; acompanhamento e atuação remotos de todo o sistema em tempo real; redução dos custos com equipe; redução do risco de falhas e da possibilidade de racionamento de água; aumento da eficiência no consumo de energia. Clientes

7 Mídia Jornal Brasil Econômico - 5 de outubro de Revista B2B Magazine - junho / julho de Os projetos que a Sharewater desenvolve têm custo variável entre R$ 11 mil e R$ 1 milhão. Os que incluem reúso de água são mais caros do que aqueles voltados apenas para o racionamento Diego Almeida, um dos criadores da Sharewater, pretende ampliar a receita em 70% no próximo ano e ganhar 50 novos projetos Revista Super Interessante - dezembro de Revista Veja - edição de setembro de Revista Isto é Dinheiro - 15 de outubro de Revista Hydro - Ano II - Junho de Revista Cyan - 13 de janeiro de 2011.

8 Rua Nicolau Gagliardi, 414 Pinheiros - São Paulo - SP tel

Uso Racional da Água

Uso Racional da Água PHD - Departamento de Engenharia Hidráulica e Sanitária PHD 2537 - Água em Ambientes Urbanos Uso Racional da Água Prof. Kamel Zahed Filho Afonso Mariutti Chebib Luiz Dal Sochio Junior Luiz Fernando Simone

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS A água é elemento intimamente ligado à vida na Terra e é o mais importante componente dos seres vivos. Somos totalmente dependentes desse recurso natural, assim como qualquer atividade

Leia mais

Uso Racional e Reúso da Água

Uso Racional e Reúso da Água Escola Politécnica da USP PHD - 2548 Uso Racional e Reúso da Água NECESSIDADES E DESAFIOS Apresentação: José Carlos Mierzwa mierzwa@usp.br http://www.usp.br/cirra cirra@usp.br Programa do Curso 1 - A necessidade

Leia mais

ELABORAÇÃO DO MODELO SUSTENTÁVEL DE UM PRÉDIO EDUCACIONAL DO PONTO DE VISTA HÍDRICO

ELABORAÇÃO DO MODELO SUSTENTÁVEL DE UM PRÉDIO EDUCACIONAL DO PONTO DE VISTA HÍDRICO ELABORAÇÃO DO MODELO SUSTENTÁVEL DE UM PRÉDIO EDUCACIONAL DO PONTO DE VISTA HÍDRICO Emanuelle Pereira Faria 1, Glaucio Luciano Araujo 2. 1 Engenheira Civil, Faculdade de Ciências Gerenciais de Manhuaçu,

Leia mais

Diretrizes de projeto para o uso racional da água em edificações

Diretrizes de projeto para o uso racional da água em edificações Seminário HIS Sustentável Diretrizes de projeto para o uso racional da água em edificações Orestes M. Gonçalves Escola Politécnica da Universidade de São Paulo CBCS - Conselho Brasileiro da Construção

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº. Capítulo I. Disposições preliminares

PROJETO DE LEI Nº. Capítulo I. Disposições preliminares PROJETO DE LEI Nº Institui o programa de conservação, uso racional e reaproveitamento de água nas edificações. Capítulo I Disposições preliminares Art. 1º. Fica instituído o Programa de Conservação, Uso

Leia mais

Comitê de Meio Ambiente CTC ÚNICA. "O Setor Sucroenergético e a Crise Hídrica Avanços com Boas Práticas" COMITÊ DE MEIO AMBIENTE (CMA) CTC-UNICA

Comitê de Meio Ambiente CTC ÚNICA. O Setor Sucroenergético e a Crise Hídrica Avanços com Boas Práticas COMITÊ DE MEIO AMBIENTE (CMA) CTC-UNICA Comitê de Meio Ambiente COMITÊ DE MEIO AMBIENTE (CMA) CTC-UNICA CTC ÚNICA "O Setor Sucroenergético e a Crise Hídrica Avanços com Boas Práticas" AS MUDANÇAS DO CLIMA E A CRISE HÍDRICA A Organização das

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA A OTIMIZAÇÃO

PERSPECTIVAS PARA A OTIMIZAÇÃO PERSPECTIVAS PARA A OTIMIZAÇÃO QUANTO CUSTA UM BANHO? Área Total = 170 mil m² Área Construída = 105 mil m² FREQUENCIA MÉDIA DE ASSOCIADOS (2015) Média Diária = 6.708 entradas Média Mensal = 201.251 entradas

Leia mais

Sustentabilidade: A Contribuição da Eficiência Energética

Sustentabilidade: A Contribuição da Eficiência Energética 18ª Audiência de Inovação Sustentabilidade: A Contribuição da Eficiência Energética Marco Antonio Saidel saidel@usp.br Grupo de Energia do Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas da

Leia mais

Legislações voltadas ao uso racional e à conservação da água

Legislações voltadas ao uso racional e à conservação da água Legislações voltadas ao uso racional e à conservação da água Lei N 10785 de 18 de Setembro de 2003 Aprovada pela câmara municipal de Curitiba, Sr. Prefeito Cássio Taniguchi No município de Curitiba, o

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro CÂMARA MUNICIPAL DE ANGRA DOS REIS Gabinete do Vereador Chapinha do Sindicato

Estado do Rio de Janeiro CÂMARA MUNICIPAL DE ANGRA DOS REIS Gabinete do Vereador Chapinha do Sindicato PROJETO DE LEI Nº 011/2014 Cria o sistema de reuso de água de chuva no Município de Angra dos reis, para utilização não potável em escolas publicas e privadas, condomínios, clubes, entidades, conjuntos

Leia mais

PROGRAMAS DE REUSO DE ÁGUA NAS BACIAS PCJ. Sergio Razera Diretor Presidente Fundação Agência das Bacias PCJ

PROGRAMAS DE REUSO DE ÁGUA NAS BACIAS PCJ. Sergio Razera Diretor Presidente Fundação Agência das Bacias PCJ PROGRAMAS DE REUSO DE ÁGUA NAS BACIAS PCJ Sergio Razera Diretor Presidente Fundação Agência das Bacias PCJ 16º Encontro Técnico de Alto Nível: Reúso de Água EPUSP, 07 de novembro de 2016 CONTEXTUALIZAÇÃO

Leia mais

A Crise Hídrica no Estado de São Paulo Políticas Públicas e Programas para Conservação de Água

A Crise Hídrica no Estado de São Paulo Políticas Públicas e Programas para Conservação de Água Workshop ZCAS/MONÇÃO Cachoeira Paulista, 20 a 22/07/2015 A Crise Hídrica no Estado de São Paulo Políticas Públicas e Programas para Conservação de Água Américo de Oliveira Sampaio Coordenador de Saneamento

Leia mais

EcoToilet Sistema Conjugado de Lavatório com Caixa Acoplada para Descarga Sanitária

EcoToilet Sistema Conjugado de Lavatório com Caixa Acoplada para Descarga Sanitária EcoToilet Sistema Conjugado de Lavatório com Caixa Acoplada para Descarga Sanitária Resumo Normalmente no Brasil, toda água que é utilizada nas descargas das bacias sanitárias é oriunda das caixas de água

Leia mais

Abordagem Integrada para a Otimização da Gestão de Águas e Efluentes

Abordagem Integrada para a Otimização da Gestão de Águas e Efluentes Abordagem Integrada para a Otimização da Gestão de Águas e Efluentes Introdução Antônio Henrique Araújo Freitas (1) A água é um insumo essencial para a maioria das atividades humanas, incluindo agricultura

Leia mais

APRESENTAÇÃO ITAMBÉ. Engº: Mauricio Petenusso 18 de Novembro de 2009

APRESENTAÇÃO ITAMBÉ. Engº: Mauricio Petenusso 18 de Novembro de 2009 APRESENTAÇÃO ITAMBÉ Engº: Mauricio Petenusso 18 de Novembro de 2009 HISTÓRICO - Itambé - COOPERATIVA CENTRAL DOS PRODUTORES RURAIS DE MINAS GERAIS LTDA LATICÍNIOS ATIVIDADES /NEGÓCIOS RAÇÕES ARMAZÉNS HISTÓRICO

Leia mais

USO RACIONAL DA ÁGUA

USO RACIONAL DA ÁGUA USO RACIONAL DA ÁGUA 1. Panorama atual Durante as últimas décadas, diversos fatores, como o crescimento populacional descontrolado e a poluição dos recursos hídricos, contribuíram para a formação do atual

Leia mais

PROJETO DE NORMAS ABNT NBR Conservação de águas em edificações Uso de fontes alternativas de água não potável em edificações

PROJETO DE NORMAS ABNT NBR Conservação de águas em edificações Uso de fontes alternativas de água não potável em edificações PROJETO DE NORMAS ABNT NBR Conservação de águas em edificações Uso de fontes alternativas de água não potável em edificações Lilian Sarrouf Coord Técnica do COMASP - SindusConSP AÇÕES DO COMITÊ DE MEIO

Leia mais

Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto

Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano Sabesp 07/11/2011 Bacia do Alto Tietê Bacia do Sorocaba/ Médio Tietê Bacia do PCJ

Leia mais

Otimizar a água nos centros comerciais

Otimizar a água nos centros comerciais Otimizar a água nos centros comerciais Otimizar a água nos centros comerciais A Sonae Sierra necessita de energia, de água e de matéria-prima não renovável para que seja possível construir e operar os

Leia mais

Uso Racional da Água Gestão da Demanda Evolução e Tendências. Eng. MSc. Osvaldo Oliveira Jr

Uso Racional da Água Gestão da Demanda Evolução e Tendências. Eng. MSc. Osvaldo Oliveira Jr Uso Racional da Água Gestão da Demanda Evolução e Tendências Eng. MSc. Osvaldo Oliveira Jr AGENDA - AMBIENTE E CONSTRUÇÃO CIVIL; - DEFINIÇÕES; - CONTEXTUALIZAÇÃO Gestão da Demanda; - OLHAR PARA O PASSADO;

Leia mais

37º ENCONTRO DO GRUPO REGIONAL DE PERDAS HÍDRICAS Consórcio PCJ. Centro do Conhecimento da Água 08/05/2013

37º ENCONTRO DO GRUPO REGIONAL DE PERDAS HÍDRICAS Consórcio PCJ. Centro do Conhecimento da Água 08/05/2013 37º ENCONTRO DO GRUPO REGIONAL DE PERDAS HÍDRICAS Consórcio PCJ Centro do Conhecimento da Água 08/05/2013 Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento OS RESULTADOS E DESAFIOS DA SANASA-CAMPINAS NA

Leia mais

SISTEMA DE IRRIGAÇÃO EFICIENTE POR PIVÔ CENTRAL

SISTEMA DE IRRIGAÇÃO EFICIENTE POR PIVÔ CENTRAL SISTEMA DE IRRIGAÇÃO EFICIENTE POR PIVÔ CENTRAL Definição da Problemática Necessidade de produzir mais alimentos X Restrição para ampliar a área plantada Como Resolver o Impasse? Investimento em pesquisa

Leia mais

AGÊNCIA REGULADORA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ (ARES-PCJ)

AGÊNCIA REGULADORA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ (ARES-PCJ) AGÊNCIA REGULADORA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ (ARES-PCJ) MARCOS LEGAIS CONSÓRCIO PÚBLICO - CONSTITUIÇÃO FEDERAL (Art. 241 - Emenda nº 19/1998) - LEI FEDERAL

Leia mais

Programa de Gerenciamento de Consumo e Controle de Perdas O caso do Hospital Dona Regina de Palmas.

Programa de Gerenciamento de Consumo e Controle de Perdas O caso do Hospital Dona Regina de Palmas. Programa de Gerenciamento de Consumo e Controle de Perdas O caso do Hospital Dona Regina de Palmas. Autor (es): Maraísa Mendonça Oliveira; Carla Urbanek Teixeira Silva; Renato Costa Barros; Uilma Holanda

Leia mais

MANUAL DE SISTEMAS DE BOMBEAMENTO

MANUAL DE SISTEMAS DE BOMBEAMENTO manual do usuário PROCEL SANEAR MANUAL DE SISTEMAS DE BOMBEAMENTO EFICIÊNCIA ENERGÉTICA AMT rotação máxima CURVA DA BOMBA ponto de operação curva de rendimento máximo CURVA DO SISTEMA VAZÃO HEBER PIMENTEL

Leia mais

Saneamento Urbano TH419

Saneamento Urbano TH419 Universidade Federal do Paraná Arquitetura e Urbanismo Saneamento Urbano TH419 Reúso de Água e & Águas Pluviais Profª Heloise G. Knapik Reúso de Água Opção para redução da pressão sobre os recursos hídricos

Leia mais

SEMINÁRIO FIESP GESTÃO DA ÁGUA A CRISE NÃO ACABOU

SEMINÁRIO FIESP GESTÃO DA ÁGUA A CRISE NÃO ACABOU SEMINÁRIO FIESP GESTÃO DA ÁGUA A CRISE NÃO ACABOU Sergio Razera Diretor Presidente Fundação Agência das Bacias PCJ CONTEXTUALIZAÇÃO Fonte: PLANO DE BACIAS, 2010-2020 3 Área: 15.304km 2 (92,6% SP e 7,4%

Leia mais

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº Aproveitamento de água de chuva no meio urbano: aspectos técnicos e legais

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº Aproveitamento de água de chuva no meio urbano: aspectos técnicos e legais COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 172692 Aproveitamento de água de chuva no meio urbano: aspectos técnicos e legais Luciano Zanella Trabalho apresentado no Simpósio Brasileiro de Captação e Manejo de Água de Chuva,

Leia mais

PROJETO DE EFICIENTIZAÇÃO E REDUÇÃO DE CUSTOS. Soluções em Empreendimentos e Edificações Sustentáveis

PROJETO DE EFICIENTIZAÇÃO E REDUÇÃO DE CUSTOS. Soluções em Empreendimentos e Edificações Sustentáveis PROJETO DE EFICIENTIZAÇÃO E REDUÇÃO DE CUSTOS O Problema: Atual Crise Hídrica e Elétrica 2003 A Crise Hídrica no Brasil O setor elétrico teve custos adicionais devido a problemas nos mananciais Em 2002

Leia mais

ANEXO III PROJETOS EXECUTIVOS DE ENGENHARIA DOS LAGOS ARTIFICIAIS E DAS OBRAS DE INFRAESTRUTURA DA FASE 01 DO SAPIENS PARQUE

ANEXO III PROJETOS EXECUTIVOS DE ENGENHARIA DOS LAGOS ARTIFICIAIS E DAS OBRAS DE INFRAESTRUTURA DA FASE 01 DO SAPIENS PARQUE ANEXO III PROJETOS EXECUTIVOS DE ENGENHARIA DOS LAGOS ARTIFICIAIS E DAS OBRAS DE INFRAESTRUTURA DA FASE 01 DO SAPIENS PARQUE Sumário 1 Objetivo... 4 2 Características Principais... 4 2.1 Área de Intervenção...

Leia mais

GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO. Pedro Masiero Jr.

GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO. Pedro Masiero Jr. 18 de agosto de 2010, Rio de Janeiro GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO. Pedro Masiero Jr. O Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro Dados

Leia mais

Estabelece normas para o uso racional e reaproveitamento das águas nas edificações do Estado de Pernambuco e dá outras providências.

Estabelece normas para o uso racional e reaproveitamento das águas nas edificações do Estado de Pernambuco e dá outras providências. Lei nº 14.572 de 27/12/2011 Norma Estadual - Pernambuco Publicado no DOE em 28 dez 2011 Estabelece normas para o uso racional e reaproveitamento das águas nas edificações do Estado de Pernambuco e dá outras

Leia mais

Estudo de caso: Instalações verdes Case study: Green buildings

Estudo de caso: Instalações verdes Case study: Green buildings Estudo de caso: Instalações verdes Case study: Green buildings HOSPITAL MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PREFEITO WALDEMAR COSTA FILHO PRO SAUDE ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E HOSPITALAR Profissional

Leia mais

Engenharia Ambiental. Consolidação da Profissão e Perspectivas. Prof. Marcelo Zaiat EESC-USP

Engenharia Ambiental. Consolidação da Profissão e Perspectivas. Prof. Marcelo Zaiat EESC-USP Engenharia Ambiental Consolidação da Profissão e Perspectivas Prof. Marcelo Zaiat EESC-USP zaiat@sc.usp.br Engenharia Ambiental Que curso é esse? O que faz esse profissional? Qual a estrutura do curso?

Leia mais

Qualidade da Água em Rios e Lagos Urbanos

Qualidade da Água em Rios e Lagos Urbanos Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia Hidráulica e Sanitária PHD 2537 Água em Ambientes Urbanos Qualidade da Água em Rios e Lagos Urbanos Novembro 2008 Felipe Carvalho

Leia mais

Anna Virgínia Machado UFF-CDEN. Valmor Pietsch ABEAG-CDEN. Evandro de Alencar Carvalho (Presidente do Crea-PE)

Anna Virgínia Machado UFF-CDEN. Valmor Pietsch ABEAG-CDEN. Evandro de Alencar Carvalho (Presidente do Crea-PE) Palestrantes: Moderador: Igor Rusch SANEPAR Anna Virgínia Machado UFF-CDEN Valmor Pietsch ABEAG-CDEN Debatedor: Evandro de Alencar Carvalho (Presidente do Crea-PE) De acordo com a Organização Mundial da

Leia mais

Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura e Construção. Gestão da água

Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura e Construção. Gestão da água Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo Departamento de Arquitetura e Construção ` Gestão da água Marina Sangoi de Oliveira Ilha Livre-Docente LEPSIS-FEC/UNICAMP 28 de setembro de 2012 Ciclo

Leia mais

Monitoramento e assessoria técnica para ações de saneamento básico

Monitoramento e assessoria técnica para ações de saneamento básico Monitoramento e assessoria técnica para ações de saneamento básico EIXO3: Desenvolvimento de Projeto Executivo dos sistemas de esgotamento sanitário dos Povoados de Chapada e Manchão do Meio em Xambioá/TO

Leia mais

APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA

APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA W W W. E C O C A S A. C O M. B R APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA Diretrizes importantes para execução de projetos RECOMENDAÇÕES PARA MELHOR LEITURA Desktop: Full Screen Tablets e Smartphones: Horizontal

Leia mais

Política de Sustentabilidade. Junho /2010. PI Rev. A

Política de Sustentabilidade. Junho /2010. PI Rev. A Junho /2010 PI.034.00000001 Rev. A SUMÁRIO 1. SUSTENTABILIDADE : ESSÊNCIA DA CAB AMBIENTAL 2. MISSÃO 3.VISÃO 4. OBEJTIVO 5. SUSTENTABILIDADE NA PRÁTICA 6. COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO CHAVES PARA O SUCESSO

Leia mais

Desafios para a gestão integrada em saúde e meio ambiente

Desafios para a gestão integrada em saúde e meio ambiente Desafios para a gestão integrada em saúde e meio ambiente Ambiente diferenciado do meio empresarial Campus Santo Amaro - Centro Universitário rio SENAC 120 mil m2 de terreno 21 cursos de graduação e 7

Leia mais

Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL. Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO. Palestrante: MARCELO STEPHANES

Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL. Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO. Palestrante: MARCELO STEPHANES I ENCONTRO DAS S 13 a 15 de maio de 2009 - Campo Grande MS Realização: SINTERCON Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO Palestrante: MARCELO STEPHANES Empresa: CDN SERVIÇOS

Leia mais

Panorama das aplicações e tecnologias existentes no Brasil e principais desafios técnicos para tratamento de água e efluentes FTEC 2013 YVES BESSE

Panorama das aplicações e tecnologias existentes no Brasil e principais desafios técnicos para tratamento de água e efluentes FTEC 2013 YVES BESSE Panorama das aplicações e tecnologias existentes no Brasil e principais desafios técnicos para tratamento de água e efluentes FTEC 2013 YVES BESSE DESAFIOS BÁSICOS Agua e Esgoto para todos a custo justo

Leia mais

17 a 20 de agosto de 2010, Rio de Janeiro. Aproveitamento Energético com Biogás Beatriz Blauth Schlobach

17 a 20 de agosto de 2010, Rio de Janeiro. Aproveitamento Energético com Biogás Beatriz Blauth Schlobach 17 a 20 de agosto de 2010, Rio de Janeiro Aproveitamento Energético com Biogás Beatriz Blauth Schlobach Conceito de Biogás É o gás obtido a partir da fermentação anaeróbica de material orgânico: resíduos

Leia mais

Ciências do Ambiente

Ciências do Ambiente Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil Ciências do Ambiente Aula 22 Meio Aquático I Profª Heloise Knapik 1 Estudo de Caso: Salto, SP 2 Fonte: Departamento de Águas e Energia Elétrica - DAEE 3

Leia mais

1º SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE REUSO DE ÁGUA

1º SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE REUSO DE ÁGUA 1º SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE REUSO DE ÁGUA Quinto Encontro Técnico Ibero-Americano de Alto Nível Curitiba -17 a 19 de outubro de 2012 Controle da Poluição de Águas e Solos por Processos Biológicos 05 de

Leia mais

Sistema de Disposição Oceânica (SDO) da Boca do Rio

Sistema de Disposição Oceânica (SDO) da Boca do Rio Sistema de Disposição Oceânica (SDO) da Boca do Rio Parceria entre a Embasa e a Foz do Brasil S/A SISTEMA DE DISPOSIÇÃO OCEÂNICA DO JAGUARIBE Quem somos nós A administração está baseada na descentralização

Leia mais

2a. Conferência Latinoamericana de Saneamento Latinosan Painel 4: Gestão Integrada de Águas Urbanas

2a. Conferência Latinoamericana de Saneamento Latinosan Painel 4: Gestão Integrada de Águas Urbanas Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano 2a. Conferência Latinoamericana de Saneamento Latinosan 2010 Painel 4: Gestão Integrada de Águas Urbanas 16/março/2010 Foz

Leia mais

Dimensionamento Preliminar de Reservatório de Águas Pluviais para o Prédio do Instituto de Recursos Naturais (Irn- Unifei) 1

Dimensionamento Preliminar de Reservatório de Águas Pluviais para o Prédio do Instituto de Recursos Naturais (Irn- Unifei) 1 Dimensionamento Preliminar de Reservatório de Águas Pluviais para o Prédio do Instituto de Recursos Naturais (Irn- Unifei) 1 Pedro Augusto da Costa Leite 2 e Ivan Felipe Silva dos Santos 3 1 Aceito para

Leia mais

Taboãoprev Projeto de Uso Racional de Água e Energia Elétrica

Taboãoprev Projeto de Uso Racional de Água e Energia Elétrica Taboãoprev Projeto de Uso Racional de Água e Energia Elétrica 1 Índice 1. Apresentação... 03 2. Conceitos de Projeto de Uso Racional de Água e Energia Elétrica... 04 3. Objetivos do Projeto de Uso Racional

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE CONTAGEM

CÂMARA MUNICIPAL DE CONTAGEM P R O M U L G A Ç Ã O D E L E I Faço saber que a Câmara Municipal de Contagem aprovou e eu promulgo e faço publicar, nos termos do 8º do art. 80 da Lei Orgânica do Município de Contagem, de 20 de março

Leia mais

Resultados da Pesquisa Virtual: Consulta aos Profissionais do Setor

Resultados da Pesquisa Virtual: Consulta aos Profissionais do Setor Resultados da Pesquisa Virtual: Consulta aos Profissionais do Setor Anexo Gráficos de resultados Perfil entrevistado Perfil por Região do Brasil Qual setor representa 30,0% 28,5% 26,6% 25,9% 25,0% 20,0%

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E PERFIL DE CONSUMO DE ÁGUA DE UM SANITÁRIO MASCULINO DA EPUFBA

CARACTERIZAÇÃO E PERFIL DE CONSUMO DE ÁGUA DE UM SANITÁRIO MASCULINO DA EPUFBA CARACTERIZAÇÃO E PERFIL DE CONSUMO DE ÁGUA DE UM SANITÁRIO MASCULINO DA EPUFBA Adriana Santos Machado Graduanda em Engenharia Sanitária e Ambiental (EP/UFBA); (TECLIM). Dijara Maria S. Conceição Graduanda

Leia mais

CONCEITOS E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA

CONCEITOS E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA Disciplina: Recursos Hídricos e Manejo de Bacias Hidrográficas Prof a. Dr a. Cristiana do Couto Miranda CONCEITOS E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA Hidrologia É a ciência que se ocupa dos processos que regulam o

Leia mais

Proteção e recuperação de mananciais para abastecimento público de água

Proteção e recuperação de mananciais para abastecimento público de água Proteção e recuperação de mananciais para abastecimento público de água Proteção e recuperação de mananciais para abastecimento público de água Assegurar água bruta em quantidade e qualidade para o SAA

Leia mais

O GERENCIAMENTO DA DEMANDA DE ÁGUA É O CAMINHO PARA PROPICIAR A SUA PRESERVAÇÃO ÁGUA DE CHUVA EM EDIFICAÇÕES

O GERENCIAMENTO DA DEMANDA DE ÁGUA É O CAMINHO PARA PROPICIAR A SUA PRESERVAÇÃO ÁGUA DE CHUVA EM EDIFICAÇÕES http:///br/secao_interfacehs.asp?ed=3&cod_artigo=55 Copyright, 2006. Todos os direitos são reservados.será permitida a reprodução integral ou parcial dos artigos, ocasião em que deverá ser observada a

Leia mais

EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS E SANITÁRIOS

EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS E SANITÁRIOS EQUIPAMENTOS HIDRÁULICOS E SANITÁRIOS 1. O PLANETA ÁGUA A natureza é uma grande prestadora de serviços para a humanidade. É ela quem fornece os elementos básicos para a vida humana e para o desenvolvimento

Leia mais

Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte. Prefeitura de Belo Horizonte

Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte. Prefeitura de Belo Horizonte Política de Combate a Inundações de Belo Horizonte Prefeitura de Belo Horizonte Belo Horizonte, fevereiro/2011 ASPECTOS GERAIS DA CIDADE DE BELO HORIZONTE Área superficial : 330 km 2 População : 2,5 milhões

Leia mais

Dessalinização de águas. Me. Ana Paula P. Silveira

Dessalinização de águas. Me. Ana Paula P. Silveira Dessalinização de águas Me. Ana Paula P. Silveira INTRODUÇÃO O problema da disponibilidade hídrica para suprir os diversos usos (em especial: para abastecimento público, usos industriais e irrigação),

Leia mais

Estação de tratamento de água

Estação de tratamento de água Estação de tratamento de água Um sistema para tratamento de água proveniente de processos industriais Categoria: Meio Ambiente Flávio Pastorello Ultragaz Mauro Matsuda Ultragaz Wellington Melo Ultragaz

Leia mais

11ª Edição Prêmio FIESP de Conservação e Reuso de Água. Gestão Sustentável de Recursos Hídricos da Votorantim Cimentos: Plano de Gerenciamento de Água

11ª Edição Prêmio FIESP de Conservação e Reuso de Água. Gestão Sustentável de Recursos Hídricos da Votorantim Cimentos: Plano de Gerenciamento de Água 11ª Edição Prêmio FIESP de Conservação e Reuso de Água Gestão Sustentável de Recursos Hídricos da Votorantim Cimentos: Plano de Gerenciamento de Água ROTEIRO II MÉDIA/GRANDE EMPRESA 1. Objetivos e Justificativa

Leia mais

O DESAFIO DO ACESSO À ÁGUA E SANEAMENTO NO CONTEXTO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PERSPECTIVAS PARA OS PRÓXIMOS QUINZE ANOS

O DESAFIO DO ACESSO À ÁGUA E SANEAMENTO NO CONTEXTO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PERSPECTIVAS PARA OS PRÓXIMOS QUINZE ANOS O DESAFIO DO ACESSO À ÁGUA E SANEAMENTO NO CONTEXTO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PERSPECTIVAS PARA OS PRÓXIMOS QUINZE ANOS Antonio da Costa Miranda Neto Fórum Pernambucano de Construção Sustentável,

Leia mais

Tabela I ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA

Tabela I ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA Tabela I ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA Possíveis Saídas Profissionais: As engenheiras e os engenheiros electrotécnicos podem exercer a sua actividade profissional em: a) projecto de instalações eléctricas,

Leia mais

PRÉ-FABRICAÇÃO E A SUSTENTABILIDADE

PRÉ-FABRICAÇÃO E A SUSTENTABILIDADE Pré-Fabricação:O Contexto Habitacional e Sustentabilidade PRÉ-FABRICAÇÃO E A SUSTENTABILIDADE Roberto José Falcão Bauer 27 de agosto de 2009 CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL UTILIZA ECOMATERIAIS E SOLUÇÕES INTELIGENTES,

Leia mais

Estratégias para redução do impacto da demanda de água nas cidades e edifícios

Estratégias para redução do impacto da demanda de água nas cidades e edifícios Estratégias para redução do impacto da demanda de água nas cidades e edifícios Prof. Dr. Orestes M. Gonçalves Escola Politécnica da USP Tesis Tecnologia de Sistemas em Engenharia Perfil das regiões hidrográficas

Leia mais

SUMÁRIO. Prefácio Autores do Livro Capítulo 1 - Aspectos Hidráulicos e Elétricos Básicos

SUMÁRIO. Prefácio Autores do Livro Capítulo 1 - Aspectos Hidráulicos e Elétricos Básicos SUMÁRIO Prefácio Autores do Livro Capítulo 1 - Aspectos Hidráulicos e Elétricos Básicos 1.1 - Introdução 1.2 - Mecânica dos Fluidos e Hidráulica 1.3 - Viscosidade e Outras Propriedades 1.3.1 - Viscosidade

Leia mais

Desafios do saneamento básico em face da crise hídrica

Desafios do saneamento básico em face da crise hídrica Audiência Pública na Câmara dos Deputados Comissão Especial sobre a Crise Hídrica Desafios do saneamento básico em face da crise hídrica Aparecido Hojaij Presidente Nacional da Assemae Sobre a Assemae

Leia mais

Disponibilidade Hídrica do Sistema Elétrico Brasileiro

Disponibilidade Hídrica do Sistema Elétrico Brasileiro Disponibilidade Hídrica do Sistema Elétrico Brasileiro Maio/2003 A Água no Mundo Desse volume: 97,2% águas dos mares 2,15% geleiras e calotas polares 3/4 3/4 do do globo globo terrestre são são cobertos

Leia mais

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL TERMO DE REFÊRENCIA PARA ELABORACÃO DE PROJETO AMBIENTAL DE MATADOUROS, ABATEDOUROS, FRIGORÍFICOS, CHARQUEADOS E DERIVADOS DE ORIGEM ANIMAL Este Termo de Referência visa orientar na elaboração de PROJETO

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. (Do Sr. Fausto Pinato)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. (Do Sr. Fausto Pinato) PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. (Do Sr. Fausto Pinato) Dispõe sobre o reuso interno de água residual para fins industriais e dá outras providências. O CONGRESSO NACIONAL decreta Art. 1º. Esta lei dispõe sobre

Leia mais

REÚSO DE ÁGUA EM EDIFICAÇÕES

REÚSO DE ÁGUA EM EDIFICAÇÕES Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil REÚSO DE ÁGUA EM EDIFICAÇÕES Disciplina: Importância da gestão, do desempenho e da inovação tecnológica

Leia mais

Fontes de energia - Usinas PROF.: JAQUELINE PIRES

Fontes de energia - Usinas PROF.: JAQUELINE PIRES Fontes de energia - Usinas PROF.: JAQUELINE PIRES Usinas termoelétricas ( U = 0) Convertem energia térmica em energia elétrica Vantagens de uma usina termoelétrica A curto prazo, pode fornecer energia

Leia mais

3 a CONFERÊNCIA DO CONSÓRCIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS SOBRE INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO: Políticas e Recursos de Apoio ao Empreendedorismo

3 a CONFERÊNCIA DO CONSÓRCIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS SOBRE INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO: Políticas e Recursos de Apoio ao Empreendedorismo 3 a CONFERÊNCIA DO CONSÓRCIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS SOBRE INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO: Políticas e Recursos de Apoio ao Empreendedorismo 1 Mesa 4! New Business Environments! Ambientes para Novos Negócios!

Leia mais

SISTEMA INTELIGENTE DE REUTILIZAÇÃO DE ÁGUA

SISTEMA INTELIGENTE DE REUTILIZAÇÃO DE ÁGUA SISTEMA INTELIGENTE DE REUTILIZAÇÃO DE ÁGUA Ari Teixeira Almeida Neto ari.almeida@fatec.sp.gov.br Francisco Carlos do Nascimento Júnior francisco.nascimento4@fatec.sp.gov.br Prof. Me. Marcus Vinicius Branco

Leia mais

Curso Técnico Subsequente em SANEAMENTO MATRIZ CURRICULAR. Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400 h

Curso Técnico Subsequente em SANEAMENTO MATRIZ CURRICULAR. Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400 h MATRIZ CURRICULAR Módulo/Semestre 1 Carga horária total: 400 h Unidade Curricular C/H Semestral Pré-Requisito Desenho Básico 30 Desenho Técnico 30 Fundamentos Químicos e Biológicos 60 Geociências 30 Hidráulica

Leia mais

COMO AS EMPRESAS DO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS PODEM CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA VERDE.

COMO AS EMPRESAS DO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS PODEM CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA VERDE. COMO AS EMPRESAS DO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS PODEM CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA VERDE. Segundo a Estratégia Nacional para o Desenvolvimento Sustentável (ENDS) a Sustentabilidade pressupõe

Leia mais

VOLUME I APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA

VOLUME I APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA VOLUME I APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA 1-1 Capítulos Titulo 0 Introdução 1 Conceito de aproveitamento de água de chuva 2 Qualidade da água de chuva 3 Previsão de consumo de água 4 Dimensionamento de

Leia mais

GIANCARLO GERLI GOVERNADOR DO CONSELHO MUNDIAL DA ÁGUA São Paulo, 08 de outubro de 2013

GIANCARLO GERLI GOVERNADOR DO CONSELHO MUNDIAL DA ÁGUA São Paulo, 08 de outubro de 2013 GIANCARLO GERLI GOVERNADOR DO CONSELHO MUNDIAL DA ÁGUA São Paulo, 08 de outubro de 2013 DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA DOCE NO MUNDO DISTRIBUIÇÃO DA ÁGUA DOCE E SALGADA 97,5 8% 22% 70% 2,5 Indústria Agricultura

Leia mais

Otimize suas operações com Soluções Inteligentes em Eficiência Energética. São Paulo, 28 de outubro de 2016

Otimize suas operações com Soluções Inteligentes em Eficiência Energética. São Paulo, 28 de outubro de 2016 Otimize suas operações com Soluções Inteligentes em Eficiência Energética São Paulo, 28 de outubro de 2016 Combinamos os recursos de nossa organização global com as oportunidades de um mundo novo, aberto

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS DA ESCOLA MUNICIPAL JOSUÉ DE OLIVEIRA DO MUNICÍPIO DE CARAÚBAS RN

AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS DA ESCOLA MUNICIPAL JOSUÉ DE OLIVEIRA DO MUNICÍPIO DE CARAÚBAS RN AVALIAÇÃO DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS DA ESCOLA MUNICIPAL JOSUÉ DE OLIVEIRA DO MUNICÍPIO DE CARAÚBAS RN Cássio Kaique da Silva*, Cibele Gouveia Costa Chianca, Sabiniano Fernandes Terceiro, Maria Natália

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DEPARTAMENTO DE HIDRÁULICA E SANEAMENTO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DEPARTAMENTO DE HIDRÁULICA E SANEAMENTO GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL - 2014 Disciplina: SHS 0382 Sustentabilidade e Gestão Ambiental TEXTO DE APOIO DIDÁTICO [material restrito da disciplina] Prof. Tadeu Fabrício Malheiros Monitora: Alejandra

Leia mais

XI-123 Sistema Aberto de Gerenciamento de Energia SAGE: Uma Ferramenta para Operação e Gestão Eficientes

XI-123 Sistema Aberto de Gerenciamento de Energia SAGE: Uma Ferramenta para Operação e Gestão Eficientes XI-123 Sistema Aberto de Gerenciamento de Energia SAGE: Uma Ferramenta para Operação e Gestão Eficientes Belo Horizonte/MG Setembro 2007 Paulo da Silva Capella G E R E N T E D E P R O J E T O Autores Paulo

Leia mais

União Educacional Minas Gerais Curso de Engenharia Telecomunicações e Engenharia de Produção

União Educacional Minas Gerais Curso de Engenharia Telecomunicações e Engenharia de Produção União Educacional Minas Gerais Curso de Engenharia Telecomunicações e Engenharia de Produção Orientador: Ms. Jorge Wilson Pereira da Silva Mara Rúbia da Silva Marlos Ferreira Silva Rômulo Rondinelly Mendes

Leia mais

HOSPITAL SUSTENTÁVEL

HOSPITAL SUSTENTÁVEL HOSPITAL SUSTENTÁVEL QUEM SOMOS Ser uma instituição inovadora e resolutiva na assistência e promoção à saúde. Essa é a missão do Hospital Bandeirantes, que completa 70 anos em maio. Possui Centros de Referência

Leia mais

A AVALIAÇÃO DO POTENCIAL APROVEITAMENTO DA ÁGUA DE CHUVA EM UM CAMPUS DO IFPB

A AVALIAÇÃO DO POTENCIAL APROVEITAMENTO DA ÁGUA DE CHUVA EM UM CAMPUS DO IFPB A AVALIAÇÃO DO POTENCIAL APROVEITAMENTO DA ÁGUA DE CHUVA EM UM CAMPUS DO IFPB Kennedy LUCENA (1); Smalya FERNANDES (1) (1) Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba João Pessoa e-mail:

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 0013_V1_2013 INSTITUTO SENAI DE TECNOLOGIA

NOTA TÉCNICA Nº 0013_V1_2013 INSTITUTO SENAI DE TECNOLOGIA NOTA TÉCNICA Nº 0013_V1_2013 INSTITUTO SENAI DE TECNOLOGIA Jaraguá do Sul (SC), Junho de 2013. ALINHAMENTO ESTRATÉGICO Jaraguá Ativa: Cidade inteligente e sustentável, cidade para pessoas. Visão: Ser referência

Leia mais

PROGRAMA DE COMBATE AO DESPERDÍCIO DE ÁGUA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

PROGRAMA DE COMBATE AO DESPERDÍCIO DE ÁGUA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE COMBATE AO DESPERDÍCIO DE ÁGUA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO José Mariano de Sá Aragão (1) Professor do Depto. de Engenharia Civil da UFPE; Mestre em Hidráulica e Saneamento pela Universidade

Leia mais

A FEIRA DE NEGÓCIOS E TENDÊNCIAS DA CONSTRUÇÃO

A FEIRA DE NEGÓCIOS E TENDÊNCIAS DA CONSTRUÇÃO A FEIRA DE NEGÓCIOS E TENDÊNCIAS DA CONSTRUÇÃO EXPOMINAS 06 a 09 de AGOSTO www.feiraconstruir.com.br/minas A FEIRA A Minascon/Construir Minas Feira Internacional da Construção foi idealizada para unir

Leia mais

Departamento Nacional do SENAI

Departamento Nacional do SENAI do SENAI Rede SENAI de Serviços Técnicos e Tecnológicos Sérgio Motta 16 de Agosto de 2011 O que é o SENAI - Criado em 1942 por iniciativa do empresariado do setor industrial; - Maior complexo de educação

Leia mais

Aproveitamento de água de chuva Cristelle Meneghel Nanúbia Barreto Orides Golyjeswski Rafael Bueno

Aproveitamento de água de chuva Cristelle Meneghel Nanúbia Barreto Orides Golyjeswski Rafael Bueno Aproveitamento de água de chuva Cristelle Meneghel Nanúbia Barreto Orides Golyjeswski Rafael Bueno 1 IMPORTÂNCIA Água doce: recurso limitado ONU (2015): escassez de água afetará dois terços da população

Leia mais

CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO SETOR SANEAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICOS HIDROENERGÉTICOS

CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO SETOR SANEAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICOS HIDROENERGÉTICOS CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO SETOR SANEAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICOS HIDROENERGÉTICOS Buenos Aires, 13 de Novembro de 2013 Sumário 1 - Procel Sanear - Atividades Principais 2 - Procel Sanear

Leia mais

Relatório de avaliação da 1a Oficina do Projeto Esplanada Sustentável

Relatório de avaliação da 1a Oficina do Projeto Esplanada Sustentável Relatório de avaliação da 1a Oficina do Projeto Esplanada Sustentável 1. Introdução A 1ª Oficina do Projeto Esplanada Sustentável foi realizada na ESAF, entre os dias 06 e 09 de fevereiro de 2012, em caráter

Leia mais

PRÊMIO DE CONSERVAÇÃO E REÚSO DE ÁGUA 11ª EDIÇÃO FIESP/CIESP BAG CLEANER - COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA

PRÊMIO DE CONSERVAÇÃO E REÚSO DE ÁGUA 11ª EDIÇÃO FIESP/CIESP BAG CLEANER - COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA PRÊMIO DE CONSERVAÇÃO E REÚSO DE ÁGUA 11ª EDIÇÃO FIESP/CIESP BAG CLEANER - COMÉRCIO E SERVIÇOS LTDA 0 SUMÁRIO 1.0 - DADOS DA EMPRESA... Pág 2. 2.0 - DESCRIÇÃO DO PROJETO... Pág 2. 3.0 - RESULTADOS OBTIDOS...

Leia mais

em gás e 25 de clientes no na atualidade eletricidade 18 mil 15 GW GNL 30 BCMs da Espanha Quem somos 3ºoperador mundial de na Espanha

em gás e 25 de clientes no na atualidade eletricidade 18 mil 15 GW GNL 30 BCMs da Espanha Quem somos 3ºoperador mundial de na Espanha Quem somos na atualidade Mais de 20 M 25 de clientes no países mundo Maior companhia integrada em gás e eletricidade 18 mil funcionários Capacidade instalada 3ºoperador mundial de GNL 30 BCMs O Grupo tem

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE E REDUÇÃO DE CONSUMO DE ÁGUA

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE E REDUÇÃO DE CONSUMO DE ÁGUA ESCOLA SENAI CELSO CHARURI CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE E REDUÇÃO DE CONSUMO DE ÁGUA PROGRAMA Nº 02/2015 SENAI-SP. Projeto desenvolvido pelo CFP 5.12 Escola SENAI Celso Charuri. 6ª edição, revisão e atualização

Leia mais

PAINEL 2 USO SUSTENTÁVEL DA ÁGUA. São Paulo, 23 de março de 2009

PAINEL 2 USO SUSTENTÁVEL DA ÁGUA. São Paulo, 23 de março de 2009 GESTÃO ESTRATÉGICA DA ÁGUA PAINEL 2 USO SUSTENTÁVEL DA ÁGUA São Paulo, 23 de março de 2009 1200 DISPONIBILIDADE E DEMANDA DE ÁGUA - 2007 Vazão (m 3 /s) 1000 SUBTERRÂNEA 800 600 400 SUPERFICIAL SUBTERRÂNEA

Leia mais

CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE

CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE ITEM PONTOS I IMPLANTAÇÃO DO EDIFÍCIO MAX. 10 A) MOVIMENTAÇÃO DO SOLO Implantação do projeto adequada ao perfil natural do terreno, com

Leia mais

O REÚSO DA ÁGUA NO CONTEXTO DA ECOLOGIA INDUSTRIAL

O REÚSO DA ÁGUA NO CONTEXTO DA ECOLOGIA INDUSTRIAL O REÚSO DA ÁGUA NO CONTEXTO DA ECOLOGIA INDUSTRIAL Fabíola Maria Gonçalves Ribeiro Alcir Vilela Junior Apresentação O Grupo de Ecologia Industrial Aplicada (GEIA) surgiu no programa de pós-graduação do

Leia mais

ÁGUA E SUSTENTABILIDADE: IFRN CAMPUS CURRAIS NOVOS

ÁGUA E SUSTENTABILIDADE: IFRN CAMPUS CURRAIS NOVOS ÁGUA E SUSTENTABILIDADE: IFRN CAMPUS CURRAIS NOVOS Daulton Ruan Rufino de Souza; Gesianny Crispim de Azevedo; Luciano Ferreira Oseas; Márcia Maria Fernandes Silva. Instituto Federal de Educação Ciencia

Leia mais