A Sharewater. Planeta Água. Prêmios

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Sharewater. Planeta Água. Prêmios"

Transcrição

1

2 A Sharewater A Sharewater tem o objetivo de oferecer soluções completas para a conservação da água, através de projetos, consultoria e desenvolvimento de tecnologia própria. Foi fundada em 8 de maio de 2006 por engenheiros graduados na Escola Politécnica da USP (POLI-USP), a partir de suas experiências no Programa de Uso Racional da Água da USP (PURA-USP), e é graduada pelo CIETEC (Centro Incubador de Empresas Tecnológicas), maior incubadora de negócios da América Latina. Para garantir a mais alta qualidade em seus produtos e serviços, a Sharewater conta com parcerias com a USP, o IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), o CIRRA (Centro Internacional de Referência em Reúso de Água) e o IPEN (Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares), entre outros. Prêmios Top of Quality Ambiental 2008 (Ordem dos Parlamentares do Brasil) VII Fórum de Investidores em Negócios Sustentáveis New Ventures Brasil 2010 (Centro de Estudos em Sustentabilidade da EAESP - FGV) Planeta Água O planeta Terra tem aproximadamente 70% da sua superfície coberta por água, motivo pelo qual é também chamado de Planeta Água. No entanto, de toda a água do planeta, apenas 0,03% é disponível para o consumo e as perspectivas são alarmantes. Segundo a ONU (Human Development Report, 2006), até 2025, 3 bilhões de pessoas terão problemas com a escassez da água. O Brasil possui uma posição privilegiada, tendo 12% da água doce acessível do planeta. Porém, vive um quadro de stress hídrico relativo, pois a disponibilidade é pequena nas regiões de maior concentração populacional. As regiões sul, sudeste e nordeste, por exemplo, concentram 87% da população e, no entanto, têm apenas 15,5% da água doce disponível no país.

3 PCA - Programa de Conservação da Água O Programa de Conservação da Água (PCA) é um programa permanente que visa à gestão contínua dos usos da água e à redução do consumo de água potável. Ele se dá através de uma série de medidas estruturais, como a implementação de sistemas de gestão do consumo ou projetos específicos, e medidas não estruturais, como campanhas de conscientização. O PCA é iniciado através de um diagnóstico do consumo e das instalações hidráulicas do empreendimento. Após a avaliação, são propostas as melhores medidas economizadoras, levandose em consideração o investimento inicial, o tempo de retorno e os benefícios gerados por cada uma delas. Após a implementação das medidas, seu impacto é avaliado e novas oportunidades de economia são identificadas, tornando o PCA cíclico e permanente. São duas as formas de atuação em um empreendimento: Buscando-se o aumento da oferta de água, através da captação de fontes alternativas como água de chuva, água de lençóis subterrâneos ou reúso de efluentes; Buscando-se a diminuição da demanda, através da gestão do consumo, da utilização de equipamentos eficientes e de campanhas de conscientização. Diagnóstico Avaliação / Planejamento Monitoramento Ciclo PCA Projeto: Estudo de Viabilidade Projeto Básico Projeto Executivo

4 Serviços Diagnóstico dos Usos da Água O Diagnóstico é constituído por uma auditoria do consumo de água do empreendimento e por um plano de ações para o seu uso sustentável. O estudo profundo dos perfis de consumo, das instalações hidráulicas, dos equipamentos e pontos de consumo e dos procedimentos de uso de água permite a definição das soluções técnicas de melhor custo-benefício. Captação e Aproveitamento de Água de Chuva A Sharewater desenvolve estudos de viabilidade e projetos executivos de aproveitamento de água de chuva, possibilitando uma grande redução do consumo de água potável. Através de uma ferramenta de modelagem matemática desenvolvida pela Sharewater, é simulado o desempenho do sistema ao longo de um ano padrão, resultando no dimensionamento de melhor relação custo-benefício dos reservatórios e, consequentemente, na redução de até 50% do custo da obra, uma vez que a execução dos reservatórios representa o maior custo neste tipo de sistema. Diagnóstico dos Usos da Água Captação e Aproveitamento de Água de Chuva Tratamento de Efluentes e Reúso Campanhas de Conscientização A Sharewater cria campanhas e palestras de conscientização e cartilhas de boas práticas no uso da água. Estas medidas têm como resultados a mudança nos hábitos dos envolvidos e a sua transformação em agentes economizadores, que disseminam a cultura do uso racional da água. Campanhas de Conscientização Monitoramento, Automação e Gestão do Consumo

5 Tratamento de Efluentes e Reúso O descarte de efluentes é o principal responsável pela poluição dos mananciais. Com a implantação do tratamento de efluentes e reúso de água diminui-se expressivamente a quantidade de água potável consumida e de efluente gerado. Isso resulta não só na diminuição do impacto causado ao meio ambiente, mas também em grande redução nos gastos com água e esgoto. A Sharewater desenvolve estudos de viabilidade e projetos executivos de tratamento de efluentes e reúso, gerando economia e agregando valor à marca de seus clientes. Monitoramento, Automação e Gestão do Consumo Em empreendimentos que possuem diversos processos que utilizam água, é indispensável realizar a gestão do consumo através do monitoramento em tempo real do seu uso, criando indicadores cuja análise possibilita detectar vazamentos e aperfeiçoar os processos, evitando grandes desperdícios. A Sharewater desenvolve sistemas de telemetria para coleta automática de dados de hidrômetros instalados na rede e posterior análise e apresentação na forma de gráficos de consumo. Em redes de distribuição, a supervisão à distância permite o diagnóstico e a rápida detecção de vazamentos e outros problemas de abastecimento. Aliada à automação e ao telecomando, possibilita o controle e a operação remota dos sistemas de abastecimento, acionando válvulas, bombas e outros equipamentos de acordo com rotinas determinadas.

6 Cases Diagnóstico dos Usos da Água Shopping Parque D. Pedro Levantamento, vistoria e cadastro da rede hidráulica; mapeamento dos processos que consomem água; determinação de indicadores de consumo; apresentação das melhores soluções para a economia de água. Captação e Aproveitamento de Água de Chuva - Universidade Federal do ABC Sistema com baixa necessidade de manutenção; uso em bacias sanitárias, mictórios, torneiras de jardim e lavagem; redução do consumo de água potável de 25%. Tratamento de Efluentes e Reúso Anhanguera Educacional Sistema com baixo custo de implantação, consumo de energia e necessidade de manutenção; uso em bacias sanitárias, mictórios, torneiras de jardim e lavagem; redução do consumo de água potável de 60%; redução na emissão de efluentes. Monitoramento, Automação e Gestão do Consumo Sanessol Automação e supervisão do sistema de abastecimento de Mirassol-SP, através do uso de hardwares e softwares próprios; acompanhamento e atuação remotos de todo o sistema em tempo real; redução dos custos com equipe; redução do risco de falhas e da possibilidade de racionamento de água; aumento da eficiência no consumo de energia. Clientes

7 Mídia Jornal Brasil Econômico - 5 de outubro de Revista B2B Magazine - junho / julho de Os projetos que a Sharewater desenvolve têm custo variável entre R$ 11 mil e R$ 1 milhão. Os que incluem reúso de água são mais caros do que aqueles voltados apenas para o racionamento Diego Almeida, um dos criadores da Sharewater, pretende ampliar a receita em 70% no próximo ano e ganhar 50 novos projetos Revista Super Interessante - dezembro de Revista Veja - edição de setembro de Revista Isto é Dinheiro - 15 de outubro de Revista Hydro - Ano II - Junho de Revista Cyan - 13 de janeiro de 2011.

8 Rua Nicolau Gagliardi, 414 Pinheiros - São Paulo - SP tel

Uso Racional e Reúso da Água

Uso Racional e Reúso da Água Escola Politécnica da USP PHD - 2548 Uso Racional e Reúso da Água NECESSIDADES E DESAFIOS Apresentação: José Carlos Mierzwa mierzwa@usp.br http://www.usp.br/cirra cirra@usp.br Programa do Curso 1 - A necessidade

Leia mais

Diretrizes de projeto para o uso racional da água em edificações

Diretrizes de projeto para o uso racional da água em edificações Seminário HIS Sustentável Diretrizes de projeto para o uso racional da água em edificações Orestes M. Gonçalves Escola Politécnica da Universidade de São Paulo CBCS - Conselho Brasileiro da Construção

Leia mais

GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO. Pedro Masiero Jr.

GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO. Pedro Masiero Jr. 18 de agosto de 2010, Rio de Janeiro GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS HÍDRICOS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO - GALEÃO. Pedro Masiero Jr. O Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro Dados

Leia mais

EcoToilet Sistema Conjugado de Lavatório com Caixa Acoplada para Descarga Sanitária

EcoToilet Sistema Conjugado de Lavatório com Caixa Acoplada para Descarga Sanitária EcoToilet Sistema Conjugado de Lavatório com Caixa Acoplada para Descarga Sanitária Resumo Normalmente no Brasil, toda água que é utilizada nas descargas das bacias sanitárias é oriunda das caixas de água

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº. Capítulo I. Disposições preliminares

PROJETO DE LEI Nº. Capítulo I. Disposições preliminares PROJETO DE LEI Nº Institui o programa de conservação, uso racional e reaproveitamento de água nas edificações. Capítulo I Disposições preliminares Art. 1º. Fica instituído o Programa de Conservação, Uso

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA A OTIMIZAÇÃO

PERSPECTIVAS PARA A OTIMIZAÇÃO PERSPECTIVAS PARA A OTIMIZAÇÃO QUANTO CUSTA UM BANHO? Área Total = 170 mil m² Área Construída = 105 mil m² FREQUENCIA MÉDIA DE ASSOCIADOS (2015) Média Diária = 6.708 entradas Média Mensal = 201.251 entradas

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro CÂMARA MUNICIPAL DE ANGRA DOS REIS Gabinete do Vereador Chapinha do Sindicato

Estado do Rio de Janeiro CÂMARA MUNICIPAL DE ANGRA DOS REIS Gabinete do Vereador Chapinha do Sindicato PROJETO DE LEI Nº 011/2014 Cria o sistema de reuso de água de chuva no Município de Angra dos reis, para utilização não potável em escolas publicas e privadas, condomínios, clubes, entidades, conjuntos

Leia mais

Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL. Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO. Palestrante: MARCELO STEPHANES

Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL. Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO. Palestrante: MARCELO STEPHANES I ENCONTRO DAS S 13 a 15 de maio de 2009 - Campo Grande MS Realização: SINTERCON Painel: GESTÃO TÉCNICA E OPERACIONAL Título da Palestra: CASE GALEÃO/REUSO Palestrante: MARCELO STEPHANES Empresa: CDN SERVIÇOS

Leia mais

CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO SETOR SANEAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICOS HIDROENERGÉTICOS

CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO SETOR SANEAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICOS HIDROENERGÉTICOS CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO SETOR SANEAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICOS HIDROENERGÉTICOS Buenos Aires, 13 de Novembro de 2013 Sumário 1 - Procel Sanear - Atividades Principais 2 - Procel Sanear

Leia mais

Estudo de caso: Instalações verdes Case study: Green buildings

Estudo de caso: Instalações verdes Case study: Green buildings Estudo de caso: Instalações verdes Case study: Green buildings HOSPITAL MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES PREFEITO WALDEMAR COSTA FILHO PRO SAUDE ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E HOSPITALAR Profissional

Leia mais

Curso: INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL PARTICIPATIVA. Agenda 21 local : da teoria à prática

Curso: INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL PARTICIPATIVA. Agenda 21 local : da teoria à prática Curso: INSTRUMENTOS DE GESTÃO AMBIENTAL PARTICIPATIVA Agenda 21 local : da teoria à prática Gina Rizpah Besen Psicóloga Mestre em Saúde Pública FSP-USP consultora em Gestão Ambiental rizpah@usp.br Desenvolvimento

Leia mais

COMO AS EMPRESAS DO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS PODEM CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA VERDE.

COMO AS EMPRESAS DO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS PODEM CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA VERDE. COMO AS EMPRESAS DO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS PODEM CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA VERDE. Segundo a Estratégia Nacional para o Desenvolvimento Sustentável (ENDS) a Sustentabilidade pressupõe

Leia mais

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL TERMO DE REFÊRENCIA PARA ELABORACÃO DE PROJETO AMBIENTAL DE MATADOUROS, ABATEDOUROS, FRIGORÍFICOS, CHARQUEADOS E DERIVADOS DE ORIGEM ANIMAL Este Termo de Referência visa orientar na elaboração de PROJETO

Leia mais

Portfólio de Serviços

Portfólio de Serviços Portfólio de Serviços A Marumbi, especializada em Consultoria no ramo de Engenharia Consultoria completa para processos ambientais. que resulta em economia a curto e longo prazo. Ambiental e de Segurança

Leia mais

Aspectos de sustentabilidade a serem considerados na concepção e desenvolvimento de projetos de arquitetura. Prof a : Ana Cecília Estevão

Aspectos de sustentabilidade a serem considerados na concepção e desenvolvimento de projetos de arquitetura. Prof a : Ana Cecília Estevão Aspectos de sustentabilidade a serem considerados na concepção e desenvolvimento de projetos de arquitetura Prof a : Ana Cecília Estevão Desenvolvimento sustentável Aquele que busca um equilíbrio entre

Leia mais

Panorama das aplicações e tecnologias existentes no Brasil e principais desafios técnicos para tratamento de água e efluentes FTEC 2013 YVES BESSE

Panorama das aplicações e tecnologias existentes no Brasil e principais desafios técnicos para tratamento de água e efluentes FTEC 2013 YVES BESSE Panorama das aplicações e tecnologias existentes no Brasil e principais desafios técnicos para tratamento de água e efluentes FTEC 2013 YVES BESSE DESAFIOS BÁSICOS Agua e Esgoto para todos a custo justo

Leia mais

XI-123 Sistema Aberto de Gerenciamento de Energia SAGE: Uma Ferramenta para Operação e Gestão Eficientes

XI-123 Sistema Aberto de Gerenciamento de Energia SAGE: Uma Ferramenta para Operação e Gestão Eficientes XI-123 Sistema Aberto de Gerenciamento de Energia SAGE: Uma Ferramenta para Operação e Gestão Eficientes Belo Horizonte/MG Setembro 2007 Paulo da Silva Capella G E R E N T E D E P R O J E T O Autores Paulo

Leia mais

Dessalinização de águas. Me. Ana Paula P. Silveira

Dessalinização de águas. Me. Ana Paula P. Silveira Dessalinização de águas Me. Ana Paula P. Silveira INTRODUÇÃO O problema da disponibilidade hídrica para suprir os diversos usos (em especial: para abastecimento público, usos industriais e irrigação),

Leia mais

Qualificação de Fornecedores na Sabesp

Qualificação de Fornecedores na Sabesp Qualificação de Fornecedores na Sabesp Objetivo Mostrar ao mercado nacional e internacional, o interesse da Sabesp em fomentar a participação do maior número possível de fornecedores de materiais e equipamentos

Leia mais

ESTIMATIVA DO POTENCIAL DE CAPTAÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS NO CAMPUS DA UFCG EM POMBAL PB

ESTIMATIVA DO POTENCIAL DE CAPTAÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS NO CAMPUS DA UFCG EM POMBAL PB ESTIMATIVA DO POTENCIAL DE CAPTAÇÃO DE ÁGUAS PLUVIAIS NO CAMPUS DA UFCG EM POMBAL PB José Ronildo da Silva ¹; Amanda Nogueira Medeiros ¹; Célia Soares de Brito ²; Yasmim Sousa e Lima ³; Raphael Moreira

Leia mais

Taboãoprev Projeto de Uso Racional de Água e Energia Elétrica

Taboãoprev Projeto de Uso Racional de Água e Energia Elétrica Taboãoprev Projeto de Uso Racional de Água e Energia Elétrica 1 Índice 1. Apresentação... 03 2. Conceitos de Projeto de Uso Racional de Água e Energia Elétrica... 04 3. Objetivos do Projeto de Uso Racional

Leia mais

APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA

APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA W W W. E C O C A S A. C O M. B R APROVEITAMENTO DE ÁGUA DA CHUVA Diretrizes importantes para execução de projetos RECOMENDAÇÕES PARA MELHOR LEITURA Desktop: Full Screen Tablets e Smartphones: Horizontal

Leia mais

SISTEMA INTELIGENTE DE REUTILIZAÇÃO DE ÁGUA

SISTEMA INTELIGENTE DE REUTILIZAÇÃO DE ÁGUA SISTEMA INTELIGENTE DE REUTILIZAÇÃO DE ÁGUA Ari Teixeira Almeida Neto ari.almeida@fatec.sp.gov.br Francisco Carlos do Nascimento Júnior francisco.nascimento4@fatec.sp.gov.br Prof. Me. Marcus Vinicius Branco

Leia mais

Como Economizar Energia e Dinheiro Utilizando o RETScreen

Como Economizar Energia e Dinheiro Utilizando o RETScreen Como Economizar Energia e Dinheiro Utilizando o RETScreen Turma em Brasília Aulas sobre os seguintes temas: Eficiência energética Energias renováveis Análise econômica e de ciclo de vida Redução de emissões

Leia mais

Relatório de avaliação da 1a Oficina do Projeto Esplanada Sustentável

Relatório de avaliação da 1a Oficina do Projeto Esplanada Sustentável Relatório de avaliação da 1a Oficina do Projeto Esplanada Sustentável 1. Introdução A 1ª Oficina do Projeto Esplanada Sustentável foi realizada na ESAF, entre os dias 06 e 09 de fevereiro de 2012, em caráter

Leia mais

PROJETO DE EFICIENTIZAÇÃO E REDUÇÃO DE CUSTOS. Soluções em Empreendimentos e Edificações Sustentáveis

PROJETO DE EFICIENTIZAÇÃO E REDUÇÃO DE CUSTOS. Soluções em Empreendimentos e Edificações Sustentáveis PROJETO DE EFICIENTIZAÇÃO E REDUÇÃO DE CUSTOS O Problema: Atual Crise Hídrica e Elétrica 2003 A Crise Hídrica no Brasil O setor elétrico teve custos adicionais devido a problemas nos mananciais Em 2002

Leia mais

Soluções & Infraestrutura

Soluções & Infraestrutura Soluções & Infraestrutura Somos SBR-T.I. surgiu para suprir a demanda e necessidade atual do mercado para garantir a adequação das tecnologias para alcançar mais competitividade no mercado. Estruturada

Leia mais

Desafios do saneamento básico em face da crise hídrica

Desafios do saneamento básico em face da crise hídrica Audiência Pública na Câmara dos Deputados Comissão Especial sobre a Crise Hídrica Desafios do saneamento básico em face da crise hídrica Aparecido Hojaij Presidente Nacional da Assemae Sobre a Assemae

Leia mais

Saneamento Ambiental I TH018

Saneamento Ambiental I TH018 Universidade Federal do Paraná Engenharia Ambiental Saneamento Ambiental I TH018 Aula 01 Apresentação da Disciplina Profª Heloise G. Knapik 1 Apresentação Docente Professor: Heloise Garcia Knapik Formação:

Leia mais

SEMINÁRIO GESTÃO DO USO DA ENERGIA ELÉTRICA NO SANEAMENTO

SEMINÁRIO GESTÃO DO USO DA ENERGIA ELÉTRICA NO SANEAMENTO AESBE ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS ESTADUAIS DE SANEAMENTO SEMINÁRIO GESTÃO DO USO DA ENERGIA ELÉTRICA NO SANEAMENTO Tipologias de projeto Rio de Janeiro Março / 2013 Airton S. Gomes - Consultor

Leia mais

Mais de 600 empresas de tecnologia Quarto destino internacional de eventos no Brasil (ICCA) Líder na produção de ostras no Estado 15 centros

Mais de 600 empresas de tecnologia Quarto destino internacional de eventos no Brasil (ICCA) Líder na produção de ostras no Estado 15 centros Lei Municipal de Inovação Florianópolis Florianópolis Capital da Inovação Mais de 600 empresas de tecnologia Quarto destino internacional de eventos no Brasil (ICCA) Líder na produção de ostras no Estado

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DA ÁGUA: PERDAS DE ÁGUA E DIMINUIÇÃO DE DISPÊNDIOS NOS MUNICÍPIOS.

GESTÃO ESTRATÉGICA DA ÁGUA: PERDAS DE ÁGUA E DIMINUIÇÃO DE DISPÊNDIOS NOS MUNICÍPIOS. Gestão do Saneamento 2ª Edição 25 e 26 de Março de 2014 Organização: Hiria Mauricio Dantas GESTÃO ESTRATÉGICA DA ÁGUA: PERDAS DE ÁGUA E DIMINUIÇÃO DE DISPÊNDIOS NOS MUNICÍPIOS. VISÃO ESTRATÉGICA DA ÁGUA

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

Experiências locais RIBEIRÃO PRETO E REGIÃO. Urbanização Jd. Monte Alegre PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO PRETO

Experiências locais RIBEIRÃO PRETO E REGIÃO. Urbanização Jd. Monte Alegre PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO PRETO Experiências locais RIBEIRÃO PRETO E REGIÃO Urbanização Jd. Monte Alegre PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO PRETO INFORMAÇÕES BÁSICAS datas de início e término: local: fonte de recursos: 2006 2016 Ribeirão

Leia mais

Departamento Nacional do SENAI

Departamento Nacional do SENAI do SENAI Rede SENAI de Serviços Técnicos e Tecnológicos Sérgio Motta 16 de Agosto de 2011 O que é o SENAI - Criado em 1942 por iniciativa do empresariado do setor industrial; - Maior complexo de educação

Leia mais

Campanha Passaporte Verde Plano de Ação do Estabelecimento

Campanha Passaporte Verde Plano de Ação do Estabelecimento Campanha Passaporte Verde Plano de Ação do Estabelecimento CASADAVILLAPOUSADA Cascavel / CE INFORMAÇÕES DO ESTABELECIMENTO Nome: CASADAVILLAPOUSADA Cnpj: 12.434.725/0001-77 Cadastur: 06.069894.20.0001-8

Leia mais

Sistema de Disposição Oceânica (SDO) da Boca do Rio

Sistema de Disposição Oceânica (SDO) da Boca do Rio Sistema de Disposição Oceânica (SDO) da Boca do Rio Parceria entre a Embasa e a Foz do Brasil S/A SISTEMA DE DISPOSIÇÃO OCEÂNICA DO JAGUARIBE Quem somos nós A administração está baseada na descentralização

Leia mais

A quem se destina. Principais Benefícios. Empresas que pretendam reduzir os seus consumos energéticos localização: Norte Centro

A quem se destina. Principais Benefícios. Empresas que pretendam reduzir os seus consumos energéticos localização: Norte Centro FORMAÇÃO FORMAÇÃO A quem se destina Empresas que pretendam reduzir os seus consumos energéticos localização: Norte Centro Principais Benefícios Conhecimento do perfil energético da empresa; Verificação

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE CONTAGEM

CÂMARA MUNICIPAL DE CONTAGEM P R O M U L G A Ç Ã O D E L E I Faço saber que a Câmara Municipal de Contagem aprovou e eu promulgo e faço publicar, nos termos do 8º do art. 80 da Lei Orgânica do Município de Contagem, de 20 de março

Leia mais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais Como as instituições financeiras devem tratar a gestão de riscos socioambientais? O crescente processo de

Leia mais

Processo de gerenciamento de capacidade

Processo de gerenciamento de capacidade Processo de gerenciamento de capacidade O fornecimento da capacidade exigida para processamento e armazenamento de dados é tarefa do gerenciamento de capacidade. Isso é feito para que o provimento desta

Leia mais

FENERGIA

FENERGIA FENERGIA 2016 28.11.2016 Eficiência Energética: Cenários e Oportunidades CENÁRIO DE ENERGIA - MUNDO Mudança na demanda de Energia: atual - 2035 Insights» 21 % do consumo mundial atual = China» Crescimento

Leia mais

Geração de Energia Elétrica - Hidrelétricas. SIE Sistemas de Energia Professora Camila Bastos Eletroeletrônica Módulo 8

Geração de Energia Elétrica - Hidrelétricas. SIE Sistemas de Energia Professora Camila Bastos Eletroeletrônica Módulo 8 Geração de Energia Elétrica - Hidrelétricas SIE Sistemas de Energia Professora Camila Bastos Eletroeletrônica Módulo 8 Introdução A energia elétrica é produzida através de outras formas de energia; O Atlas

Leia mais

Parque Tecnológico de Botucatu Junho / 2015

Parque Tecnológico de Botucatu Junho / 2015 Parque Tecnológico de Botucatu Junho / 2015 São Paulo Inova O Programa São Paulo Inova é uma iniciativa do Estado de São Paulo para apoiar empresas paulistas de base tecnológica e de perfil inovador em

Leia mais

Encontro de negócios da construção pesada. Apresentação: Organização:

Encontro de negócios da construção pesada. Apresentação: Organização: Encontro de negócios da construção pesada Apresentação: Organização: Objetivo Apresentar novas tecnologias que possam auxiliar as empresas da construção pesada na busca de redução nas despesas operacionais

Leia mais

Racionalização do Uso de Energia Elétrica e Água na Irrigação para Agricultura Familiar- Município de Jequitibá - MG

Racionalização do Uso de Energia Elétrica e Água na Irrigação para Agricultura Familiar- Município de Jequitibá - MG XIX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2010 22 a 26 de novembro São Paulo - SP - Brasil Racionalização do Uso de Energia Elétrica e Água na Irrigação para Agricultura Familiar-

Leia mais

PROGRAMA DE COMBATE AO DESPERDÍCIO DE ÁGUA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

PROGRAMA DE COMBATE AO DESPERDÍCIO DE ÁGUA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE COMBATE AO DESPERDÍCIO DE ÁGUA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO José Mariano de Sá Aragão (1) Professor do Depto. de Engenharia Civil da UFPE; Mestre em Hidráulica e Saneamento pela Universidade

Leia mais

Eficiência Hídrica para Edifícios e Espaços Públicos O Caminho para a Gestão Sustentável da Água POVT FEDER

Eficiência Hídrica para Edifícios e Espaços Públicos O Caminho para a Gestão Sustentável da Água POVT FEDER Seminário Final do Projeto Aveiro, 30/05/2012 Eficiência Hídrica para Edifícios e Espaços Públicos O Caminho para a Gestão Sustentável da Água POVT-09-142-FEDER-000022 Victor M. Ferreira 1 O desafio Em

Leia mais

GIANCARLO GERLI GOVERNADOR DO CONSELHO MUNDIAL DA ÁGUA São Paulo, 08 de outubro de 2013

GIANCARLO GERLI GOVERNADOR DO CONSELHO MUNDIAL DA ÁGUA São Paulo, 08 de outubro de 2013 GIANCARLO GERLI GOVERNADOR DO CONSELHO MUNDIAL DA ÁGUA São Paulo, 08 de outubro de 2013 DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA DOCE NO MUNDO DISTRIBUIÇÃO DA ÁGUA DOCE E SALGADA 97,5 8% 22% 70% 2,5 Indústria Agricultura

Leia mais

Um mundo Tyco de soluções

Um mundo Tyco de soluções Um mundo Tyco de soluções VENDAS VENDAS Safer. Smarter. Tyco. // Quem somos Tyco Integrated Security lidera o mercado de performance de loja, prevenção de perdas, soluções de segurança e gerenciamento

Leia mais

BELO HORIZONTE É PIONEIRA EM GERAÇÃO DE ENERGIA SOLAR E FOTOVOLTAICA

BELO HORIZONTE É PIONEIRA EM GERAÇÃO DE ENERGIA SOLAR E FOTOVOLTAICA BELO HORIZONTE É PIONEIRA EM GERAÇÃO DE ENERGIA SOLAR E FOTOVOLTAICA Enviado por ETC COMUNICAÇÃO 14Mai2015 PQN O Portal da Comunicação ETC COMUNICAÇÃO 14/05/2015 Belo Horizonte tem sido protagonista no

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Declaração Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável das áreas onde atuamos e das

Leia mais

USO SUSTENTÁVEL DA ÁGUA

USO SUSTENTÁVEL DA ÁGUA USO SUSTENTÁVEL DA ÁGUA IV SEMANA ESTADUAL DAS ÁGUAS DOCES Marcelo Mazzola Especialista em Recursos Hídricos São Luiz - Maranhão 22/03/2010 Uso Sustentável da Água SUMÁRIO Política Nacional de Recursos

Leia mais

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo PHD 2537 ÁGUA EM AMBIENTES URBANOS POLÍTICA DE DRENAGEM URBANA NO BRASIL

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo PHD 2537 ÁGUA EM AMBIENTES URBANOS POLÍTICA DE DRENAGEM URBANA NO BRASIL Escola Politécnica da Universidade de São Paulo PHD 2537 ÁGUA EM AMBIENTES URBANOS POLÍTICA DE DRENAGEM URBANA NO BRASIL 2005 Política de Drenagem Urbana no Brasil Alunos: COMPONENTES Fábio Luiz Pereira

Leia mais

AÇÕES REALIZADAS EM 2014

AÇÕES REALIZADAS EM 2014 RESÍDUOS SÓLIDOS - Articulação junto à CNI para criar a proposta de resolução CONAMA sobre aproveitamento de Areias de Fundição - Distribuição de cartilhas A Indústria e a Política Nacional de resíduos

Leia mais

SEDE DA PETROBRAS EM SANTOS. 20 de outubro de 2011 SEDE DE SANTOS. Organograma

SEDE DA PETROBRAS EM SANTOS. 20 de outubro de 2011 SEDE DE SANTOS. Organograma SEDE DA PETROBRAS EM SANTOS 2º SEMINÁRIO BIM SINDUSCON / SP 20 de outubro de 2011 SEDE DE SANTOS Organograma Visão SEDE Geral do Projeto DE SANTOS Perspectiva principal Visão Geral do Projeto 2011 2007

Leia mais

DISPONIBILIDADE HÍDRICA DO SISTEMA CANTAREIRA PARA A BACIA DOS RIOS PIRACICABA CAPIVARI E JUNDIAÍ. Crise da água: desafios e soluções

DISPONIBILIDADE HÍDRICA DO SISTEMA CANTAREIRA PARA A BACIA DOS RIOS PIRACICABA CAPIVARI E JUNDIAÍ. Crise da água: desafios e soluções DISPONIBILIDADE HÍDRICA DO SISTEMA CANTAREIRA PARA A BACIA DOS RIOS PIRACICABA CAPIVARI E JUNDIAÍ Crise da água: desafios e soluções 03 de Junho de 2014. Água no Mundo LOCAL Volume (km 3 ) Percentagem

Leia mais

CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO SETOR SANEAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICOS HIDROENERGÉTICOS

CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO SETOR SANEAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICOS HIDROENERGÉTICOS CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS DO SETOR SANEAMENTO PARA REALIZAÇÃO DE DIAGNÓSTICOS Campinas, 09 de Dezembro de 2015 Sumário 1 - Procel Sanear - Atividades Principais 2 - Procel Sanear Rede LENHS 3 Curso

Leia mais

Como Superar o Desafio do Financiamento dos Projetos de Infraestrutura? Thomaz Assumpção

Como Superar o Desafio do Financiamento dos Projetos de Infraestrutura? Thomaz Assumpção Como Superar o Desafio do Financiamento dos Projetos de Infraestrutura? Thomaz Assumpção A Urban Systems é uma empresa de Inteligência de Mercado e Soluções há 17 anos no mercado. Realizou mais de 700

Leia mais

Apresentação: Eng. Civil Luiz Alberto Diniz

Apresentação: Eng. Civil Luiz Alberto Diniz Apresentação: Eng. Civil Luiz Alberto Diniz Quem somos Uma empresa brasileira constituída por especialistas nas áreas de infraestrutura, hidrologia e meio-ambiente em conjunto com 3P Technik Filtersysteme

Leia mais

Relatório elaborado pela. ONG Sustentabilidade e Participação

Relatório elaborado pela. ONG Sustentabilidade e Participação CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ORGÃOS - FESO Centro de Ciência e Tecnologia - CCT Curso de Engenharia de Produção NAI - Núcleo de Atividades Complementares Relatório elaborado pela ONG Sustentabilidade

Leia mais

Crise Hídrica no Brasil: saneamento ambiental e as interfaces com as mudanças climáticas e preservação hídrica: Ações do Sistema Confea/Crea

Crise Hídrica no Brasil: saneamento ambiental e as interfaces com as mudanças climáticas e preservação hídrica: Ações do Sistema Confea/Crea Crise Hídrica no Brasil: saneamento ambiental e as interfaces com as mudanças climáticas e preservação hídrica: Ações do Sistema Confea/Crea Poços de Caldas-MG Ações do Confea Os números de profissionais

Leia mais

Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5

Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5 Sumário Introdução, 1 Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5 1 Direcionadores do Uso de Tecnologia de Informação, 7 1.1 Direcionadores de mercado, 8 1.2 Direcionadores organizacionais,

Leia mais

Otimize suas operações com Soluções Inteligentes em Eficiência Energética. São Paulo, 28 de outubro de 2016

Otimize suas operações com Soluções Inteligentes em Eficiência Energética. São Paulo, 28 de outubro de 2016 Otimize suas operações com Soluções Inteligentes em Eficiência Energética São Paulo, 28 de outubro de 2016 Combinamos os recursos de nossa organização global com as oportunidades de um mundo novo, aberto

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA. Faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

ESTADO DA PARAÍBA. Faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI N 10.033,DE 0 3 DE JULHO DE 2013. AUTORIA: DEPUTADO ASSIS QUINTANS Institui a Política Estadual de Captação, Armazenamento e Ap"oveitamento da Água da Chuva no Estado da Paraíba, e dá outras providências.

Leia mais

Soluções completas em voz e sms.

Soluções completas em voz e sms. BFT Group www.bfttelecom.com.br 0800.724.6200 Soluções completas em voz e sms. COMOLUCRAR MAIS EM SUA OPERAÇÃO COM SMS GATEWAY O QUE É UM SMS GATEWAY? www.bfttelecom.com.br 0800.724.6200 Soluções completas

Leia mais

Quem Somos. Localizada em Brasília, a empresa dispõe de toda a estrutura necessária para atender seus clientes em todo o território nacional.

Quem Somos. Localizada em Brasília, a empresa dispõe de toda a estrutura necessária para atender seus clientes em todo o território nacional. Quem Somos A empresa vem se consolidando no mercado brasileiro de forma concisa e progressiva, oferecendo soluções de alta qualidade, funcionalidade e tecnologia. Formada por uma equipe de profissionais

Leia mais

11ª Edição Prêmio FIESP de Conservação e Reuso de Água. Gestão Sustentável de Recursos Hídricos da Votorantim Cimentos: Plano de Gerenciamento de Água

11ª Edição Prêmio FIESP de Conservação e Reuso de Água. Gestão Sustentável de Recursos Hídricos da Votorantim Cimentos: Plano de Gerenciamento de Água 11ª Edição Prêmio FIESP de Conservação e Reuso de Água Gestão Sustentável de Recursos Hídricos da Votorantim Cimentos: Plano de Gerenciamento de Água ROTEIRO II MÉDIA/GRANDE EMPRESA 1. Objetivos e Justificativa

Leia mais

Avaliação de Perdas nos Sistemas de Distribuição de Água:

Avaliação de Perdas nos Sistemas de Distribuição de Água: PRÉMIOS APDA ENSINO SUPERIOR 2012 Avaliação de Perdas nos Sistemas de Distribuição de Água: Análise e aplicação aos sistemas da EPAL em Lisboa e da IGA na Ilha do Porto Santo João Filipe Nóbrega Drumond

Leia mais

AÇÕES EM 2013 COMPANHIA ÁGUAS DE JOINVILLE

AÇÕES EM 2013 COMPANHIA ÁGUAS DE JOINVILLE AÇÕES EM 2013 COMPANHIA ÁGUAS DE JOINVILLE CONTEXTUALIZAÇÃO 2013 VISÃO: Ser referência por sua excelência em gestão e qualidade de serviços em saneamento. MISSÃO: Oferecer soluções sustentáveis em saneamento

Leia mais

Centrais de aquecimento distrital

Centrais de aquecimento distrital Centrais de aquecimento distrital Feito eletricidade e calor em si Princípio da cogeração Produzir e utilizar com eficiência energética Existem muitos métodos para converter a fontes de energia primária

Leia mais

Saneamento Urbano TH419 e TH052

Saneamento Urbano TH419 e TH052 Universidade Federal do Paraná Arquitetura e Urbanismo Saneamento Urbano TH419 e TH052 Aula 01 Apresentação da Disciplina Profª Heloise G. Knapik 1 A CIDADE IDEAL DE LEONARDO DA VINCI 2 INFESTAÇÃO DE PESTE

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL PROJETO DE SERVIÇOS DE IMPRESSÃO E CÓPIAS EQUIPAMENTOS NOVOS E SUPRIMENTOS ORIGINAIS

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL PROJETO DE SERVIÇOS DE IMPRESSÃO E CÓPIAS EQUIPAMENTOS NOVOS E SUPRIMENTOS ORIGINAIS APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL PROJETO DE SERVIÇOS DE IMPRESSÃO E CÓPIAS EQUIPAMENTOS NOVOS E SUPRIMENTOS ORIGINAIS SOBRE NÓS A Equipa atua há 39 anos no mercado de distribuição, soluções de impressão, gestão

Leia mais

CONSUMO DE ÁGUA UTILIZADA PELOS DESTILADORES, UERN, CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, MOSSORÓ-RN

CONSUMO DE ÁGUA UTILIZADA PELOS DESTILADORES, UERN, CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, MOSSORÓ-RN CONSUMO DE ÁGUA UTILIZADA PELOS DESTILADORES, UERN, CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, MOSSORÓ-RN Francisco Fábio Mesquita de Oliveira Técnico de laboratório - UERN E-mail: ffabiomesquita@gmail.com Louise Duarte Matias

Leia mais

Para sua frota, desempenho e economia

Para sua frota, desempenho e economia DESENPENHO E ECONOMIA PARA SEUS VEÍCULOS Tecnologia em sistemas inovadores Para sua frota, desempenho e economia Para você, tranquilidade NOSSOS SERVIÇOS Tecnologia em sistemas inovadores Softwares Suporte

Leia mais

Título: Projeto Economia 10, Desperdiço 0 Redução de gastos dos sistemas utilitários do ICESP com garantia de qualidade e eficiência dos produtos.

Título: Projeto Economia 10, Desperdiço 0 Redução de gastos dos sistemas utilitários do ICESP com garantia de qualidade e eficiência dos produtos. Título: Projeto Economia 10, Desperdiço 0 Redução de gastos dos sistemas utilitários do ICESP com garantia de qualidade e eficiência dos produtos. Nome da Instituição envolvida: Instituto do Câncer do

Leia mais

IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE CAPTAÇÃO E APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA NO SEMIÁRIDO PARAIBANO: UM ESTUDO TEÓRICO

IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE CAPTAÇÃO E APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA NO SEMIÁRIDO PARAIBANO: UM ESTUDO TEÓRICO IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE CAPTAÇÃO E APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA NO SEMIÁRIDO PARAIBANO: UM ESTUDO TEÓRICO Maria Tatiane Leonardo Chaves¹; José Ronildo da Silva ¹; Silânia Lima Pereira ²; Renato

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E PERFIL DE CONSUMO DE ÁGUA EM UM SANITÁRIO MASCULINO DA EPUFBA

CARACTERIZAÇÃO E PERFIL DE CONSUMO DE ÁGUA EM UM SANITÁRIO MASCULINO DA EPUFBA CARACTERIZAÇÃO E PERFIL DE CONSUMO DE ÁGUA EM UM SANITÁRIO MASCULINO DA EPUFBA REDE DE TECNOLOGIAS LIMPAS DA BAHIA PPG ENGENHARIA INDUSTRIAL DEPARTAMENTO DE ENG. AMBIENTAL ESCOLA POLITÉCNICA UNIVERSIDADE

Leia mais

Como os Correios aplicam o Acordo de Níveis de Serviços nos contratos de prestação de serviços?

Como os Correios aplicam o Acordo de Níveis de Serviços nos contratos de prestação de serviços? Como os Correios aplicam o Acordo de Níveis de Serviços nos contratos de prestação de serviços? A experiência na contratação e gestão de serviços de limpeza predial com Critérios de Qualidade Por Monica

Leia mais

CONSTRUÇÃO VERDE NO BRASIL

CONSTRUÇÃO VERDE NO BRASIL COORDENAÇÃO PROGRAMA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL CONSTRUÇÃO VERDE NO BRASIL CASA ALEMÃ: A CASA ECOEFICIENTE São Paulo, 16 de abril de 2010 José Carlos Martins Vice-Presidente Câmara Brasileira da Indústria

Leia mais

Painel: Desafios e Caminhos para a Operação das Instalações Elétricas e do SIN

Painel: Desafios e Caminhos para a Operação das Instalações Elétricas e do SIN Ministério de Secretaria de Energia Elétrica Painel: Desafios e Caminhos para a Operação das Instalações Elétricas e do SIN 7º SENOP Brasília, junho de 2016. 1 Ambiente Institucional 2 Ambiente Institucional

Leia mais

A Dinâmica e Características do Modelo do Setor Elétrico Brasileiro

A Dinâmica e Características do Modelo do Setor Elétrico Brasileiro A Dinâmica e Características do Modelo do Setor Elétrico Brasileiro Cabo Verde 8 de julho de 2009 Rubens Rosental GESEL-IE-UFRJ rubens@nuca.ie.ufrj.br Sumário 1. Características do SE 2. Evolução Física

Leia mais

CONCEITOS E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA

CONCEITOS E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA Disciplina: Recursos Hídricos e Manejo de Bacias Hidrográficas Prof a. Dr a. Cristiana do Couto Miranda CONCEITOS E DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA Hidrologia É a ciência que se ocupa dos processos que regulam o

Leia mais

O saneamento básico no Brasil não condiz com o país que é a 7ª. economia do mundo

O saneamento básico no Brasil não condiz com o país que é a 7ª. economia do mundo O saneamento básico no Brasil não condiz com o país que é a 7ª. economia do mundo da população não possui coleta de esgoto (SNIS 2013) dos esgotos são tratados (SNIS 2013) Milhões sem banheiros (Organização

Leia mais

19 Encontro Anual dos Dirigentes Municipais de Meio Ambiente

19 Encontro Anual dos Dirigentes Municipais de Meio Ambiente 19 Encontro Anual dos Dirigentes Municipais de Meio Ambiente RECURSOS FINANCEIROS PARA PROJETOS CONDIMMA Conselho de Dirigentes Municipais do Meio Ambiente Julio Cesar Salecker Engenheiro Agrícola/Eletrotécnico

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. OBJETO DE CONTRATAÇÃO A presente especificação tem por objeto a contratação de empresa Especializada de Consultoria para Planejamento da Estrutura Funcional e Organizacional

Leia mais

Responsabilidade Social e Ambiental na Edificação. Funchal, 4 Junho

Responsabilidade Social e Ambiental na Edificação. Funchal, 4 Junho Responsabilidade Social e Ambiental na Edificação Funchal, 4 Junho 2 instrumentos para a Responsabilidade Social, Económica e Ambiental na Edificação Declaração de conformidade que visa verificar o cumprimento

Leia mais

METODOLOGIA PARA A IMPLANTAÇÃO DE PROGRAMA DE USO RACIONAL DA ÁGUA EM EDIFÍCIOS

METODOLOGIA PARA A IMPLANTAÇÃO DE PROGRAMA DE USO RACIONAL DA ÁGUA EM EDIFÍCIOS METODOLOGIA PARA A IMPLANTAÇÃO DE PROGRAMA DE USO RACIONAL DA ÁGUA EM EDIFÍCIOS OLIVEIRA, Lúcia Helena (1); GONÇALVES, Orestes M. (2) (1) Eng. Civil, Doutor em Engenharia, professora da Escola de Engenharia

Leia mais

Eficiência Energética e Hídrica das Edificações

Eficiência Energética e Hídrica das Edificações Eficiência Energética e Hídrica das Edificações Introdução Edifícios representam um dos maiores consumos de energia nas grandes cidades. Em 2010, edifícios foram responsáveis por 32% do consumo de energia

Leia mais

Planejamento Hídrico para Habitação, Abastecimento e Saneamento

Planejamento Hídrico para Habitação, Abastecimento e Saneamento Planejamento Hídrico para Habitação, Abastecimento e Saneamento ENCOB 2015 Caldas Novas - GO 08.10.2015 BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PIRACICABA Fonte: Agência PCJ BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO CAPIVARI Fonte:

Leia mais

INDICADORES DO MAU FUNCIONAMENTO DO AR CONDICIONADO METROFERROVIÁRIO. Autores. Jackson de Carvalho Galocha

INDICADORES DO MAU FUNCIONAMENTO DO AR CONDICIONADO METROFERROVIÁRIO. Autores. Jackson de Carvalho Galocha Autores Jackson de Carvalho Galocha (jgalocha@metrosp.com.br) Luis Carlos Rebelo (lrebelo@metrosp.com.br) Monografia apresentada para a conclusão do Curso de Especialização em Tecnologia Metro-ferroviária

Leia mais

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS ESCASSEZ DE ÁGUA E EFICIÊNCIAS

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS ESCASSEZ DE ÁGUA E EFICIÊNCIAS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS ESCASSEZ DE ÁGUA E EFICIÊNCIAS ENERGÉTICA E HÍDRICA NO CICLO URBANO DA ÁGUA AQUAPOR MEDIDAS DE EFICIÊNCIA HÍDRICA E ENERGÉTICA Otimização Energética Grupo AQUAPOR Edifício do auditório

Leia mais

#pública. Risco Operacional

#pública. Risco Operacional #pública Risco Operacional Estrutura de Gerenciamento 2015 SUMÁRIO 1. Objetivo 3 2. Estrutura Organizacional 3 3. Governança para a Gestão do Risco Operacional 4 3.1 Conselho de Administração 4 3.2 Diretoria

Leia mais

É POSSÍVEL MEDIR A OCUPAÇÃO EFICIENTE DO ESPECTRO?

É POSSÍVEL MEDIR A OCUPAÇÃO EFICIENTE DO ESPECTRO? A OCUPAÇÃO DE ESPECTRO, O COMPARTILHAMENTO E OUTRAS QUESTÕES CONCEITUAIS É POSSÍVEL MEDIR A OCUPAÇÃO EFICIENTE DO ESPECTRO? SUPERINTENDÊNCIA DE OUTORGA E RECURSOS À PRESTAÇÃO 43º ENCONTRO TELE.SÍNTESE

Leia mais

Seminário Brasil-Alemanha de Eficiência Energética. A escassez de água no Brasil e o impacto na geração de energia

Seminário Brasil-Alemanha de Eficiência Energética. A escassez de água no Brasil e o impacto na geração de energia Seminário Brasil-Alemanha de Eficiência Energética no Brasil e o impacto na geração Cilene Victor 1 Professora de Jornalismo e Relações Públicas e coordenadora do Centro Interdisciplinar de Pesquisa da

Leia mais

Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. Fernando Altino Rodrigues

Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. Fernando Altino Rodrigues Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos Fernando Altino Rodrigues Ética Ecológica e Ética Social Desenvolvimento Sustentável...permitir que os preços digam a verdade ecológica Weizsaecker INTERNALIZAÇÃO

Leia mais

AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA E PLANEJAMENTO HIDROENERGÉTICO EM MINAS GERAIS: REFLEXOS AMBIENTAIS NA BACIA DO RIO UBERABINHA-MG

AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA E PLANEJAMENTO HIDROENERGÉTICO EM MINAS GERAIS: REFLEXOS AMBIENTAIS NA BACIA DO RIO UBERABINHA-MG AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA E PLANEJAMENTO HIDROENERGÉTICO EM MINAS GERAIS: REFLEXOS AMBIENTAIS NA BACIA DO RIO UBERABINHA-MG Rafael Mendes Rosa (Ekos Planejamento Ambiental) Gelze Serrat de Souza

Leia mais

Mudança Climática e Impacto nos Negócios

Mudança Climática e Impacto nos Negócios Mudança Climática e Impacto nos Negócios GESTÃO DE FUTURO Negócios sistêmicos, íntegros, rentáveis Uma análise setorial de riscos e oportunidades relacionadas aos aspectos físicos da mudança climática.

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo

Universidade Federal do Espírito Santo Universidade Federal do Espírito Santo Pós-Graduação Gestão Ambiental Utilização de Águas de Chuvas em um Edifício Público - Revisado - Adriano Barbosa Freitas Flávia Piccoli Gena Baioco Ingrid Ananias

Leia mais

Otimização de Canteiros de Obras utilizando da tecnologia da informação: SaaS e Mobilidade. Ana Cecilia Tobias Ribeiro de Souza Engenheira Civil

Otimização de Canteiros de Obras utilizando da tecnologia da informação: SaaS e Mobilidade. Ana Cecilia Tobias Ribeiro de Souza Engenheira Civil Otimização de Canteiros de Obras utilizando da tecnologia da informação: SaaS e Mobilidade Ana Cecilia Tobias Ribeiro de Souza Engenheira Civil AGENDA 1. Apresentação Speaker Ana Cecilia T R de Souza Engenheira

Leia mais