REGULAMENTO 1º CONCURSO DE PROJECTOS DE INVESTIGAÇÃO CENTRO DE INVESTIGAÇÃO EM CIÊNCIAS EMPRESARIAIS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO 1º CONCURSO DE PROJECTOS DE INVESTIGAÇÃO CENTRO DE INVESTIGAÇÃO EM CIÊNCIAS EMPRESARIAIS"

Transcrição

1 REGULAMENTO 1º CONCURSO DE PROJECTOS DE INVESTIGAÇÃO DO CENTRO DE INVESTIGAÇÃO EM CIÊNCIAS EMPRESARIAIS 1. Âmbito O presente Regulamento visa definir as condições de acesso e financiamento a projectos de investigação financiados e geridos pelo Centro de Investigação em Ciências Empresariais (CICE). São elegíveis projectos de investigação nas diferentes áreas científicas abrangidas pelo CICE. São considerados factores valorizadores na apreciação das propostas, os seguintes: o Envolvimento da comunidade nos projectos, através da participação de empresas ou outras instituições; o Participação de estudantes nas equipas de investigação dos diferentes projectos; o Envolvimento, nos projectos, de membros de diferentes Laboratórios de Investigação do CICE. 2. Destinatários Os projectos devem ser apresentados e coordenados por Membros Efectivos do CICE. 3. Duração Os projectos têm uma duração limite, que no máximo poderá atingir dois anos. 4. Tipo de financiamento/apoio O financiamento a conceder pelo Conselho Directivo é a fundo perdido, sendo fixado o montante total máximo em euros, não podendo, em regra, o financiamento a conceder pelo CICE a cada projecto exceder os euros. O financiamento concedido a um projecto pode ser acumulável com outros apoios financeiros de entidades oficiais nacionais ou estrangeiras, devendo este financiamento ser conhecido aquando da apreciação da proposta. Os Laboratórios do CICE associam-se ao apoio/financiamento dos projectos, em condições a definir posteriormente ao conhecimento da decisão do Júri do concurso. 5. Custos financiáveis Os custos do projecto, que podem ser objecto de financiamento directo, são os seguintes: Despesas correntes: Vinda de consultores;

2 Aquisição de serviços; Despesas de deslocação (para obtenção de elementos imprescindíveis à execução do projecto, nomeadamente recolha de dados) limite máximo de 10% do orçamento do projecto; Organização de Workshops Científicos; Bibliografia; Outras despesas correntes, nomeadamente materiais consumíveis. Despesas de capital: Equipamento, desde que tais bens fiquem afectos à sua execução constituindose como propriedade da ESCE/IPS. Não podem ser objecto de financiamento salários ou complementos salariais nem amortizações de equipamento existente. Não podem ser englobados no custo total do projecto os custos de elaboração da proposta. As despesas relativas a inscrições e deslocações a eventos científicos para a apresentação de trabalhos resultantes dos projectos, devem constar das propostas, embora não sejam contemplados directamente no financiamento dos projectos. São financiados através da verba anualmente disponibilizada pela ESCE constituindo prioridade para o efeito. 6. Processo de candidatura As propostas a submeter a concurso deverão ser entregues no secretariado do CICE (Dra Sandra Silva no prazo definido no edital do concurso. A proposta é constituída pela seguintes partes: Folha de identificação (1 folha A4); Título e resumo do projecto (1 folha A4); Apresentação técnico-científica do projecto, onde conste: Identificação e justificação dos objectivos do projecto, bem como da importância dos resultados face ao estado actual dos conhecimentos (máximo 2 folhas A4); Resumo do estado actual dos conhecimentos com referência à bibliografia mais importante (máximo 4 folhas A4); Descrição do programa de trabalhos do projecto, com referência à metodologia e técnicas a utilizar, às fases do projecto e resultados a alcançar em cada fase. Calendarização (gráfico de barras) com as metas a alcançar em cada fase.

3 Previsão das publicações que resultarão do projecto, incluindo lista dos relatórios a entregar ao CICE. Orçamento total e detalhado, em forma de quadro, para cada ano, discriminando os encargos totais do projecto. Apresentação dos membros da equipa de investigação afecta ao projecto, incluindo: Identificação e curriculum vitae do docente coordenador do projecto, sendo que cada docente não poderá coordenar mais do que um projecto. Identificação e curriculum vitae dos restantes membros da equipa de investigação afecta ao projecto. Lista de publicações dos membros da equipa relevantes para o projecto. Descrição do papel desempenhado pelos membros da equipa em relação ao programa de trabalhos e percentagem de tempo dedicado ao projecto. 7. Avaliação e Selecção A avaliação e selecção de propostas é da responsabilidade de um Júri, composto por individualidades de reconhecida competência técnico-científica, nomeado pela Comissão Científica do CICE. 8. Comunicação de Decisão e Formalização A comunicação da decisão é efectuada até 45 dias após a data de fecho do concurso. O financiamento é formalizado através da assinatura de uma declaração de compromisso entre o docente coordenador e o orgão executivo da ESCE. A verba atribuída a cada projecto será disponibilizada mediante requisições do coordenador do projecto e contra a apresentação do documento respectivo. 9. Acompanhamento Todos os projectos com financiamento aprovado deverão apresentar relatório de progresso anual e relatório final, constituídos por duas partes: relatório de execução material e relatório de execução financeira.

4 CICE 1º CONCURSO DE PROJECTOS DE INVESTIGAÇÃO Escola Superior de Departamento: Título do Projecto: Área Cientifica: Nome do Docente Coordenador: Categoria: Nome dos restantes membros da equipa de investigação: Data: / / O Coordenador do Projecto

5 EDITAL Encontra-se aberto até ao dia 27 de Fevereiro de 2009, o primeiro concurso interno de Projectos de Investigação CICE destinado a apoiar o desenvolvimento de projectos de investigação, coordenados por Membros Efectivos do CICE, de acordo com regulamento próprio divulgado a todos os docentes e que também se encontra disponível nos Órgãos de Direcção de cada Escola. ESCE, 19 de Dezembro de 2008 A Comissão Coordenadora do CICE Professora Doutora Leonilde Reis Professora Doutora Teresa Alves Professor Doutor Pina da Silva

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES. Resolução Nº 46/2000 de 30 de Março

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES. Resolução Nº 46/2000 de 30 de Março GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES Resolução Nº 46/2000 de 30 de Março Considerando que as novas tecnologias, ao garantirem uma melhor qualidade de produtos e serviços, potenciam o aumento da competitividade

Leia mais

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC)

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 01/SIAC/2009 SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) METODOLOGIA DE CÁLCULO DAS DESPESAS COM O PESSOAL TÉCNICO DO PROMOTOR E LIMITES À ELEGIBILIDADE DE DESPESAS Nos termos estabelecidos

Leia mais

INUAF - INSTITUTO SUPERIOR DOM AFONSO III

INUAF - INSTITUTO SUPERIOR DOM AFONSO III Colégio de Pós Graduações Regulamento do Mestrado em Psicologia Clínica Artigo 1º O Instituto Superior Dom Afonso III (INUAF) confere o grau de Mestre em Psicologia Clínica. Artigo 2º Objectivos Gerais

Leia mais

PROGRAMA DE CONCURSO OUTUBRO 2010

PROGRAMA DE CONCURSO OUTUBRO 2010 PROGRAMA DE CONCURSO OUTUBRO 2010 Artigo 1º Objecto O presente Programa estabelece as normas específicas de acesso ao concurso para a atribuição de apoios financeiros pela Direcção-Geral da Saúde a pessoas

Leia mais

REGULAMENTOS ESPECÍFICOS

REGULAMENTOS ESPECÍFICOS Programa Operacional Factores de Competitividade Deliberações CMC POFC: 16/07/2008 Assistência Técnica do POFC Entrada em vigor DA ÚLTIMA ALTERAÇÃO em 17/07/2008 Artigo 1.º Objecto O presente regulamento

Leia mais

Equiparação a Bolseiro

Equiparação a Bolseiro Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) Equiparação a Bolseiro Regulamento Preâmbulo Face ao disposto no artigo 29º- A do Decreto-Lei nº 207/2009, de 31 de Agosto - Estatuto da Carreira do Pessoal Docente

Leia mais

EDITAL anexo 1 anexo 2 anexo 3 anexo 1 anexo 4 20)

EDITAL anexo 1 anexo 2 anexo 3 anexo 1 anexo 4 20) EDITAL 1. Faz-se público que está aberto concurso para admissão ao Curso de Mestrado em Gerontologia Social, a iniciar no 1º semestre do ano letivo de 2016/2017 em organização conjunta da Escola Superior

Leia mais

Regulamento do Trabalho Final dos Mestrados da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica Portuguesa Capítulo 1 Disposições Gerais

Regulamento do Trabalho Final dos Mestrados da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica Portuguesa Capítulo 1 Disposições Gerais Regulamento do Trabalho Final dos Mestrados da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica Portuguesa Capítulo 1 Disposições Gerais Artigo 1º Enquadramento, âmbito de aplicação e objectivo

Leia mais

Regulamento para atribuição de apoio financeiro a projetos submetidos no âmbito do Fundo de mobilidade FLAD-UAc Crossing the Atlantic

Regulamento para atribuição de apoio financeiro a projetos submetidos no âmbito do Fundo de mobilidade FLAD-UAc Crossing the Atlantic Regulamento para atribuição de apoio financeiro a projetos submetidos no âmbito do Artigo 1.º Âmbito O presente regulamento, elaborado nos termos do disposto na cláusula quinta do protocolo de cooperação

Leia mais

Regulamento específico Assistência Técnica FEDER

Regulamento específico Assistência Técnica FEDER Regulamento específico Assistência Técnica FEDER Capítulo I Âmbito Artigo 1.º Objecto O presente regulamento define o regime de acesso aos apoios concedidos pelo Programa Operacional de Assistência Técnica

Leia mais

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador Instituto Politécnico de Setúbal Edital Abertura de concurso documental para professor coordenador 1 Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 6º do Regulamento de Recrutamento e Contratação do Pessoal

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIO AOS EVENTOS DESPORTIVOS NO ÂMBITO DO DESPORTO PARA TODOS DESPORTO PARA TODOS. Artigo 1 ENTIDADES PROMOTORAS

REGULAMENTO DE APOIO AOS EVENTOS DESPORTIVOS NO ÂMBITO DO DESPORTO PARA TODOS DESPORTO PARA TODOS. Artigo 1 ENTIDADES PROMOTORAS REGULAMENTO DE APOIO AOS EVENTOS DESPORTIVOS NO ÂMBITO DO DESPORTO PARA TODOS DESPORTO PARA TODOS A generalização da prática desportiva de recreação e lazer, como forma de promoção de estilos de vida saudáveis,

Leia mais

PLANO NACIONAL DE TRABALHOS ARQUEOLÓGICOS ACÇÕES PLURIANUAIS DE INVESTIGAÇÃO PROGRAMADA FORMULÁRIO DE CANDIDATURA. Título do projecto ACRÓNIMO

PLANO NACIONAL DE TRABALHOS ARQUEOLÓGICOS ACÇÕES PLURIANUAIS DE INVESTIGAÇÃO PROGRAMADA FORMULÁRIO DE CANDIDATURA. Título do projecto ACRÓNIMO PLANO NACIONAL DE TRABALHOS ARQUEOLÓGICOS ACÇÕES PLURIANUAIS DE INVESTIGAÇÃO PROGRAMADA FORMULÁRIO DE CANDIDATURA Projecto nº../../../../.. Data de recepção../../.. Título do projecto ACRÓNIMO Identificação

Leia mais

Comissão Técnica da competência em Acupunctura Médica

Comissão Técnica da competência em Acupunctura Médica Comissão Técnica da competência em Acupunctura Médica Admissão à Competência de Acupunctura Médica Após terminar com aproveitamento um Curso de Formação Pós-Graduada em Acupunctura reconhecida pela Ordem

Leia mais

MESTRADOS. Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Gestão Estratégica das Relações Públicas.

MESTRADOS. Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Gestão Estratégica das Relações Públicas. MESTRADOS REGIME DE FREQUÊNCIA E AVALIAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DAS RELAÇÕES PÚBLICAS Artigo 1.º Criação A Escola Superior de Comunicação Social confere o grau de Mestre em Gestão Estratégica das Relações

Leia mais

LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL

LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL LICENCIATURA EM CINEMA E AUDIOVISUAL NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de Bolonha, constante

Leia mais

APROVAÇÕES JUNTA DE FREGUESIA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA

APROVAÇÕES JUNTA DE FREGUESIA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA L sa Regulamento de Apoio Financeiro ao Movimento Associativo da Freguesia das Alcáçovas APROVAÇÕES JUNTA DE FREGUESIA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA Junta de Freguesia das Alcáçovas Abril 2010 INTRODUÇÃO O movimento

Leia mais

De: Secretaria Nacional Pedagógica Para: Juntas Regionais, Juntas de Núcleo e Agrupamentos. Assunto: Concurso Jovem Consumidor Responsável

De: Secretaria Nacional Pedagógica Para: Juntas Regionais, Juntas de Núcleo e Agrupamentos. Assunto: Concurso Jovem Consumidor Responsável Circular 8-1-006 de 1 de Fevereiro De: Secretaria Nacional Pedagógica Para: Juntas Regionais, Juntas de Núcleo e Agrupamentos Assunto: Concurso Jovem Consumidor Responsável Caros Irmãos Escutas A Direcção

Leia mais

Regulamento da Formação em Contexto de Trabalho dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTesP)

Regulamento da Formação em Contexto de Trabalho dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTesP) Regulamento da Formação em Contexto de Trabalho dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTesP) Setembro de 2016 1 Índice Regulamento da Formação em Contexto de Trabalho dos CTesP da Escola Superior

Leia mais

Serviço de Educação e Bolsas REGULAMENTO DE BOLSAS PARA INVESTIGAÇÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artº 1º

Serviço de Educação e Bolsas REGULAMENTO DE BOLSAS PARA INVESTIGAÇÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artº 1º Serviço de Educação e Bolsas REGULAMENTO DE BOLSAS PARA INVESTIGAÇÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artº 1º 1. Com o fim principal de estimular a investigação nos vários ramos do saber, a Fundação Calouste

Leia mais

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador Instituto Politécnico de Setúbal Edital Abertura de concurso documental para professor coordenador 1 Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 6º do Regulamento de Recrutamento e Contratação do Pessoal

Leia mais

FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Aviso 09 Auditoria Energética a Elevadores em Edifícios de DIREÇÃO EXECUTIVA DO PNAEE FUNDO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA (FEE) Decreto-Lei nº 50/2010, de 20 Maio O Fundo de Eficiência

Leia mais

A - REGULAMENTO GERAL DA ESCOLA EUROPEIA DE MEDICINA INTERNA (ESIM) FEDERAÇÃO EUROPEIA DE MEDICINA INTERNA (EFIM)

A - REGULAMENTO GERAL DA ESCOLA EUROPEIA DE MEDICINA INTERNA (ESIM) FEDERAÇÃO EUROPEIA DE MEDICINA INTERNA (EFIM) A - REGULAMENTO GERAL DA ESCOLA EUROPEIA DE MEDICINA INTERNA (ESIM) FEDERAÇÃO EUROPEIA DE MEDICINA INTERNA (EFIM) A Escola Europeia de Medicina Interna ESIM (European School of Internal Medicine) surgiu

Leia mais

OBJECTIVO ÂMBITO DA CERTIFICAÇÃO INTRODUÇÃO

OBJECTIVO ÂMBITO DA CERTIFICAÇÃO INTRODUÇÃO OBJECTIVO O objectivo deste regulamento é definir os requisitos para integração e manutenção de auditores na bolsa de auditores da Ordem dos Farmacêuticos. ÂMBITO DA CERTIFICAÇÃO Actividades desenvolvidas

Leia mais

YOuR PROJECT NA ÁREA DO CANCRO DA MAMA METASTÁTICO

YOuR PROJECT NA ÁREA DO CANCRO DA MAMA METASTÁTICO YOuR PROJECT NA ÁREA DO CANCRO DA MAMA METASTÁTICO 2016 O Programa YOuR Project (Young Oncologists Research Project) desenvolvido pela Sociedade Portuguesa de Oncologia em 2016, com o apoio da Novartis,

Leia mais

Mestrado Segurança e Higiene no Trabalho Edição 2007/2008

Mestrado Segurança e Higiene no Trabalho Edição 2007/2008 Mestrado Segurança e Higiene no Trabalho Edição 2007/2008 Enquadramento e Objectivos O Mestrado em Segurança e Higiene no Trabalho é uma realização conjunta da Escola Superior de Tecnologia de Setúbal

Leia mais

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador

Instituto Politécnico de Setúbal. Edital. Abertura de concurso documental para professor coordenador Instituto Politécnico de Setúbal Edital Abertura de concurso documental para professor coordenador 1 Nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 6º do Regulamento de Recrutamento e Contratação do Pessoal

Leia mais

EDITAL. 3. Os prazos para candidatura, seleção, seriação, matrícula, inscrição e reclamação são os fixados no anexo 1;

EDITAL. 3. Os prazos para candidatura, seleção, seriação, matrícula, inscrição e reclamação são os fixados no anexo 1; EDITAL 1. Faz-se público que estão abertas candidaturas para a admissão ao Curso de Mestrado em Gerontologia Social, a iniciar no 1º semestre do ano letivo de 2014/2015, em organização conjunta da Escola

Leia mais

PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS

PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 32 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO (SI I&DT) PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS INDIVIDUAIS Nos termos do Regulamento do

Leia mais

Concurso de Bandas de Garagem do Município de Ílhavo 2011

Concurso de Bandas de Garagem do Município de Ílhavo 2011 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO Concurso de Bandas de Garagem do Município de Ílhavo 2011 Preâmbulo O Concurso de Bandas de Garagem, promovido pela Câmara Municipal de Ílhavo, tem como objectivo principal proporcionar

Leia mais

NORMAS PARA A SUBMISSÃO DE TRABALHOS A APRESENTAR NAS II JORNADAS DE EQUITAÇÃO COM FINS TERAPÊUTICOS

NORMAS PARA A SUBMISSÃO DE TRABALHOS A APRESENTAR NAS II JORNADAS DE EQUITAÇÃO COM FINS TERAPÊUTICOS NORMAS PARA A SUBMISSÃO DE TRABALHOS A APRESENTAR NAS II JORNADAS DE EQUITAÇÃO COM FINS TERAPÊUTICOS Data prevista do evento: 19 e 20 de Maio de 2012 Data de entrega dos trabalhos: 29 de Fevereiro de 2012

Leia mais

Parte A - Caraterização da Infraestrutura de Investigação

Parte A - Caraterização da Infraestrutura de Investigação Formulário de participação no Concurso público para a criação de um Roteiro Nacional de Infraestruturas de Investigação de Interesse Estratégico Parte A - Caraterização da Infraestrutura de Investigação

Leia mais

Programa USP/U.Porto Edital 2015

Programa USP/U.Porto Edital 2015 1. Introdução A Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade do Porto (U.Porto) Portugal celebraram um Acordo de Cooperação Internacional objetivando a cooperação acadêmica em todas as áreas do conhecimento

Leia mais

Convite à apresentação de propostas de iniciativas ou projetos a integrar na Plataforma eletrónica da Campanha Juntos contra a Fome!

Convite à apresentação de propostas de iniciativas ou projetos a integrar na Plataforma eletrónica da Campanha Juntos contra a Fome! Convite à apresentação de propostas de iniciativas ou projetos a integrar na Plataforma eletrónica da Campanha Juntos contra a Fome! Anexo - 1 Modelo para a apresentação de proposta de iniciativa ou projeto

Leia mais

Curso de Pós - Licenciatura de Especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica

Curso de Pós - Licenciatura de Especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA ÁREA CIENTÍFICA DE ENFERMAGEM DO ADULTO E IDOSO Curso de Pós - Licenciatura de Especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica REGIME DE FREQUÊNCIA, AVALIAÇÃO, PRECEDÊNCIAS

Leia mais

PEDIDOS DE VAGAS E FUNCIONAMENTO DOS CICLOS DE ESTUDOS ANO LECTIVO 2015/2016

PEDIDOS DE VAGAS E FUNCIONAMENTO DOS CICLOS DE ESTUDOS ANO LECTIVO 2015/2016 PEDIDOS DE VAGAS E FUNCIONAMENTO DOS CICLOS DE ESTUDOS ANO LECTIVO 2015/2016 Sendo a transparência dos processos de candidatura e recrutamento de estudantes um dos elementos constituintes do sistema interno

Leia mais

EIXO 4 QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL E VALORIZAÇÃO DO ESPAÇO RURAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 3

EIXO 4 QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL E VALORIZAÇÃO DO ESPAÇO RURAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 3 EIXO 4 QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL E VALORIZAÇÃO DO ESPAÇO RURAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO DO LITORAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 3 Nos termos do regulamento específico Acções de Valorização

Leia mais

CONCURSO Lapinhas o passado presente NATAL 2011 REGULAMENTO

CONCURSO Lapinhas o passado presente NATAL 2011 REGULAMENTO Serviço de Cultura CONCURSO Lapinhas o passado presente NATAL 2011 REGULAMENTO A representação da Natividade remonta ao tempo dos primeiros cristãos. Mas foi com S. Francisco que se iniciou a história

Leia mais

LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA

LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS FOTOGRAFIA NORMAS REGULAMENTARES Curso do 1.º ciclo de estudos do ensino superior, de cariz universitário, conferente do grau de licenciado, adequado ao Processo de Bolonha,

Leia mais

Regulamento para a Atribuição de Equipamentos de Comunicações Móveis do Instituto Politécnico de Leiria (IPL)

Regulamento para a Atribuição de Equipamentos de Comunicações Móveis do Instituto Politécnico de Leiria (IPL) Regulamento para a Atribuição de Equipamentos de Comunicações Móveis do Instituto Politécnico de Leiria (IPL) Considerando: a) O Decreto-Lei n.º 14/2003, de 30 de Janeiro, que regulada a matéria respeitante

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS Comissão de Graduação do Curso de Ciências Biológicas COMGRAD/BIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS Comissão de Graduação do Curso de Ciências Biológicas COMGRAD/BIO DECISÃO 03/2015 - Altera: Decisão n o 03/2013 ESTÁGIO SUPERVISIONADO A, reunida em 18 de novembro de 2015, no uso de suas atribuições, DECIDE Regulamentar a atividade de Ensino de Estágio Supervisionado,

Leia mais

E DA BANCO ESPÍRITO SANTO, S. A. ARTIGO PRIMEIRO OBJECTO. O presente Regulamento completa o disposto na lei geral e no contrato de Sociedade do BES

E DA BANCO ESPÍRITO SANTO, S. A. ARTIGO PRIMEIRO OBJECTO. O presente Regulamento completa o disposto na lei geral e no contrato de Sociedade do BES REGULAMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E DA COMISSÃO EXECUTIVA DO BANCO ESPÍRITO SANTO, S. A. («BES») ARTIGO PRIMEIRO OBJECTO O presente Regulamento completa o disposto na lei geral e no contrato de

Leia mais

REGULAMENTO DO 3º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA MECÂNICA NA FCT-UNL

REGULAMENTO DO 3º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA MECÂNICA NA FCT-UNL REGULAMENTO DO 3º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA MECÂNICA NA FCT-UNL PREÂMBULO O programa de doutoramento organiza, estrutura e explicita o percurso dos estudantes de doutoramento

Leia mais

Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise

Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise Assistência Técnica Aprovada em 11-05-2015, após procedimento de consulta escrita aos membros da

Leia mais

Guia de Procedimentos

Guia de Procedimentos Guia de Procedimentos Atribuição de Bolsas de Investigação do CIIMAR Gabinete Gestão de Projetos Gabinete Apoio Jurídico Investigador Responsável Constituição do Júri; Elaboração da 1ª. Ata; Elaboração

Leia mais

FINALIZAÇÃO DE OBRAS CINEMATOGRÁFICAS

FINALIZAÇÃO DE OBRAS CINEMATOGRÁFICAS ANEXO IX PROGRAMA DE APOIO AO CINEMA SUBPROGRAMA DE APOIO À PRODUÇÃO, NA MODALIDADE DE APOIO À FINALIZAÇÃO DE OBRAS CINEMATOGRÁFICAS 1. Candidatos e beneficiários 1.1. Podem candidatar-se os produtores

Leia mais

Regulamento Prémio Hipocoagulação 2016

Regulamento Prémio Hipocoagulação 2016 1 Regulamento Prémio Hipocoagulação 2016 A Associação de Internos de Medicina Geral e Familiar (AIMGF), em colaboração com a Bayer Portugal, SA, criaram um prémio anual, de forma a desenvolver a investigação

Leia mais

Concurso Interno de Cordas Friccionadas Regulamento 2015/2016

Concurso Interno de Cordas Friccionadas Regulamento 2015/2016 Concurso Interno de Cordas Friccionadas Regulamento 2015/2016 A c a d e m i a d e M ú s i c a F e r n a n d e s F ã o A v. C e n t r o C í v i c o V i l a P r a i a d e  n c o r a w w w. a c a d e m i

Leia mais

Reitoria. Universidade do Minho, 24 de Fevereiro de 2010

Reitoria. Universidade do Minho, 24 de Fevereiro de 2010 Reitoria RT-21/2010 Por proposta do Conselho Académico da Universidade do Minho, é homologado o Regulamento do Mestrado Integrado em Psicologia, anexo a este despacho. Universidade do Minho, 24 de Fevereiro

Leia mais

Enquadramento Âmbito de Aplicação Logótipo da FCT... 3

Enquadramento Âmbito de Aplicação Logótipo da FCT... 3 Normas de Informação e Publicitação de Apoios para Beneficiários (Financiamentos exclusivamente por Fundos Nacionais) índice Enquadramento... 2 Âmbito de Aplicação... 2 Logótipo da FCT... 3 Obrigações

Leia mais

Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO A Ciência Viva Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica, adiante designada por Ciência Viva, torna pública

Leia mais

Concurso para a Criação do Hino dos Jogos Desportivos da CPLP

Concurso para a Criação do Hino dos Jogos Desportivos da CPLP Concurso para a Criação do Hino dos Jogos Desportivos da CPLP REGULAMENTO Os Ministros Responsáveis pelo Desporto da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, reunidos em Salvador, Brasil, no dia 3 de

Leia mais

o presente diploma tem por objecto regulamentar a gestão dos recursos pesqueiros existentes nas águas juridicionais de Angola.

o presente diploma tem por objecto regulamentar a gestão dos recursos pesqueiros existentes nas águas juridicionais de Angola. MINISTÉRIO DAS PESCAS E AMBIENTE Decreto Executivo n." 48/98 de 28 de Agosto Havendo necessidade de estabelecer o ordenamento dos recursos pesqueiros nacionais; No uso da faculdade que me é conferida pela

Leia mais

TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA

TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA TÓPICOS PARA A APRESENTAÇÃO DA ESCOLA CAMPOS DE ANÁLISE DE DESEMPENHO Como elemento fundamental de preparação da avaliação, solicita-se a cada escola 1 em processo de avaliação que elabore um texto que:

Leia mais

Edital 2016/17 Terceira fase de candidaturas

Edital 2016/17 Terceira fase de candidaturas Edital 2016/17 Terceira fase de candidaturas Candidaturas à 4ª edição do Programa Doutoral Estudos de Comunicação: Tecnologia, Cultura e Sociedade. Funcionamento do 1º semestre: ULHT (Lisboa) Funcionamento

Leia mais

Regulamento das provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do Curso de Licenciatura em Enfermagem da ESEL dos

Regulamento das provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do Curso de Licenciatura em Enfermagem da ESEL dos Regulamento das provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do Curso de Licenciatura em Enfermagem da ESEL dos maiores de 23 anos e do Concurso Especial dos Estudantes

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO REGULAMENTO DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES INTRODUTÓRIAS ARTº. 1 (NATUREZA, OBJECTIVOS E ORGANIZAÇÃO) 1. O Departamento de Engenharia

Leia mais

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE JOSÉ AFONSO, LOURES

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE JOSÉ AFONSO, LOURES REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE JOSÉ AFONSO, LOURES Objecto O presente regulamento, elaborado nos termos e ao abrigo do disposto nos artigos 21.º a 23.º do Decreto Lei

Leia mais

da Avaliação do Desempenho e Alteração do Posicionamento Remuneratório

da Avaliação do Desempenho e Alteração do Posicionamento Remuneratório Regulamento da Avaliação do Desempenho e Alteração do Posicionamento Remuneratório Capítulo I Generalidades Artigo 1.º Objecto O presente regulamento, editado com base nos artigos 74.º-A a 74.º-C do ECDU,

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS. Decreto-lei n.º 147/95 de 21 de Junho

MINISTÉRIO DO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS. Decreto-lei n.º 147/95 de 21 de Junho MINISTÉRIO DO AMBIENTE E RECURSOS NATURAIS Decreto-lei n.º 147/95 de 21 de Junho A empresarialização dos sistemas multimunicipais e municipais de captação, tratamento e distribuição de água para consumo

Leia mais

Universidade do Minho Universidade do Porto- Faculdade de Ciências

Universidade do Minho Universidade do Porto- Faculdade de Ciências Universidade do Minho Universidade do Porto- Faculdade de Ciências PROPOSTA DE REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM Tecnologia, Ciência e Segurança Alimentar Artigo 1º Concessão

Leia mais

Regulamento do Trabalho Final dos Mestrados da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica Portuguesa Capítulo 1. Disposições Gerais

Regulamento do Trabalho Final dos Mestrados da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica Portuguesa Capítulo 1. Disposições Gerais Regulamento do Trabalho Final dos Mestrados da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica Portuguesa Capítulo 1 Disposições Gerais Artigo 1º Enquadramento, âmbito de aplicação e objectivo

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO MAIS ENERGIA PROMOVIDO PELA SOCIEDADE PORTUGUESA DE FÍSICA E PELA FUNDAÇÃO GALP ENERGIA

REGULAMENTO DO CONCURSO MAIS ENERGIA PROMOVIDO PELA SOCIEDADE PORTUGUESA DE FÍSICA E PELA FUNDAÇÃO GALP ENERGIA REGULAMENTO DO CONCURSO MAIS ENERGIA PROMOVIDO PELA SOCIEDADE PORTUGUESA DE FÍSICA E PELA FUNDAÇÃO GALP ENERGIA 1 OBJECTIVO O concurso MAIS ENERGIA promovido pela SOCIEDADE PORTUGUESA DE FÍSICA (SPF) E

Leia mais

II CONGRESSO 2015 FAMINAS-BH COMPARTILHANDO IDEAIS NA BUSCA POR DIAS MELHORES: DISCUTINDO A SUSTENTABILIDADE

II CONGRESSO 2015 FAMINAS-BH COMPARTILHANDO IDEAIS NA BUSCA POR DIAS MELHORES: DISCUTINDO A SUSTENTABILIDADE CHAMADA DE TRABALHOS: A comissão técnico-científica do II CONGRESSO FAMINAS-BH 2015 convida para a submissão de trabalhos técnicos para apresentação e discussão no evento. TEMA: SUSTENTABILIDADE: SOCIAL,

Leia mais

Prémio de Melhor Estágio Profissional 2015

Prémio de Melhor Estágio Profissional 2015 Introdução O Prémio de Melhor Estágio Profissional 2015 atribuído pela Direcção Regional do Norte da Ordem dos Psicólogos Portugueses (DRN-OPP) pretende valorizar os membros estagiários enquanto elementos

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE TECNOLOGIAS E CIÊNCIAS Regulamento Olimpíadas Científicas do ISPTEC

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE TECNOLOGIAS E CIÊNCIAS Regulamento Olimpíadas Científicas do ISPTEC INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE TECNOLOGIAS E CIÊNCIAS Regulamento Olimpíadas Científicas do ISPTEC Luanda, Outubro de 2015 ÍNDICE Preâmbulo...3 I. Objectivos...3 II. Elegibilidade...3 III. Comissão

Leia mais

Regulamento do Concurso dos torneios de nível A Grupo Juvenil

Regulamento do Concurso dos torneios de nível A Grupo Juvenil Regulamento do Concurso dos torneios de nível A Grupo Juvenil 1. Torneios Serão objecto de concurso para o ano de 2016, os seguintes torneios nas seguintes datas: (5) 1º Torneio 6 a 10 Fevereiro 3º Torneio

Leia mais

CEVALOR. AEP Seminário. 02 de Abril de 2008 CEVALOR. Breves reflexões sobre a GRH

CEVALOR. AEP Seminário. 02 de Abril de 2008 CEVALOR. Breves reflexões sobre a GRH AEP Seminário 02 de Abril de 2008 Breves reflexões sobre a GRH - Programas de desenvolvimento dos recursos humanos não estão interligados com a estratégia - Recursos Humanos geridos como centros de custo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO Aprova alterações no Programa de Professor Colaborador Voluntário. O CONSELHO DE ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da Universidade Federal de Sergipe, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

Leia mais

Regulamento Artigo 1.º Objeto Artigo 2.º Objetivos Artigo 3.º Destinatários Artigo 4.º Fases

Regulamento Artigo 1.º Objeto Artigo 2.º Objetivos Artigo 3.º Destinatários Artigo 4.º Fases Regulamento Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento visa estabelecer o modo de funcionamento do Concurso Poliempreende, uma iniciativa conjunta, no âmbito do empreendedorismo, dos Institutos Politécnicos

Leia mais

ESTÁGIO EXTRA-CURRICULAR REGULAMENTO

ESTÁGIO EXTRA-CURRICULAR REGULAMENTO 2011/2012 APEF Associação Portuguesa de Estudantes de Farmácia João Tiago C. Azevedo M. Teixeira DESP Departamento de Estágios e Saídas Profissionais ESTÁGIO EXTRA-CURRICULAR REGULAMENTO Destinatários

Leia mais

Serralves em Festa 2008 Concurso de Projectos Artísticos

Serralves em Festa 2008 Concurso de Projectos Artísticos Serralves em Festa 2008 Concurso de Projectos Artísticos 1. ENQUADRAMENTO E OBJECTIVOS A Fundação de Serralves pretende promover a integração da jovem criação artística, proporcionando visibilidade junto

Leia mais

AVISO BOLSA DE INVESTIGAÇÃO. Nível 1

AVISO BOLSA DE INVESTIGAÇÃO. Nível 1 AVISO BOLSA DE INVESTIGAÇÃO Nível 1 O Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P./IPMA abre concurso, no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data de publicação deste anúncio, para atribuição de

Leia mais

CONVOCATÓRIA PARA CANDIDATURAS A APOIO A PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO POLARES EM TODAS AS ÁREAS CIENTÍFICAS REGULAMENTO

CONVOCATÓRIA PARA CANDIDATURAS A APOIO A PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO POLARES EM TODAS AS ÁREAS CIENTÍFICAS REGULAMENTO CONVOCATÓRIA PARA CANDIDATURAS A APOIO A PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO POLARES EM TODAS AS ÁREAS CIENTÍFICAS 2016-2017 REGULAMENTO A Comissão de Coordenação do Programa Polar Português (PROPOLAR), que gere

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO

PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO PÓS-GRADUAÇÃO EM ARTE EM ESPAÇO PÚBLICO Normas regulamentares Artigo 1.º Grau A Escola Superior Artística do Porto confere a Pós-Graduação em Arte em Espaço Público. Artigo 2.º Objectivos do curso 1. A

Leia mais

CÓDIGO DOS CONTRATOS PÚBLICOS CURSOS DE FORMAÇÃO

CÓDIGO DOS CONTRATOS PÚBLICOS CURSOS DE FORMAÇÃO CÓDIGO DOS CONTRATOS PÚBLICOS CURSOS DE FORMAÇÃO CURSO 1 (09 e 10 de Abril de 2013) Nome do Curso Código dos Contratos Públicos Aspetos Técnicos da Fase de Formação do Contrato. Objectivos Gerais A formação

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA CIVIL (PRODEC)

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA CIVIL (PRODEC) REGULAMENTO DO PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA CIVIL (PRODEC) Objectivos Como definido no Decreto-Lei nº 74/2006, o grau de doutor é conferido aos que demonstrem: Capacidade de compreensão sistemática

Leia mais

REGULAMENTO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL DOCENTE, ESPECIALMENTE CONTRATADO, AO ABRIGO DO ARTIGO 8.º DO ECPDESP DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO

REGULAMENTO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL DOCENTE, ESPECIALMENTE CONTRATADO, AO ABRIGO DO ARTIGO 8.º DO ECPDESP DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO REGULAMENTO DE CONTRATAÇÃO DE PESSOAL DOCENTE, ESPECIALMENTE CONTRATADO, AO ABRIGO DO ARTIGO 8.º DO ECPDESP DO INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO ARTIGO 1.º PESSOAL ESPECIALMENTE CONTRATADO 1. Podem ser contratados

Leia mais

A avaliação de conhecimento é uma etapa decisiva, quer para os discentes quer para os docentes, onde se avalia a eficiência com que os conhecimentos

A avaliação de conhecimento é uma etapa decisiva, quer para os discentes quer para os docentes, onde se avalia a eficiência com que os conhecimentos SOBRE AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS Introdução A avaliação de conhecimento é uma etapa decisiva, quer para os discentes quer para os docentes, onde se avalia a eficiência com que os conhecimentos transmitidos

Leia mais

BOLSAS DE ESTUDO MESTRADO. Centro Celso Furtado e BNB 2014 EDITAL 1 - DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 APRESENTAÇÃO

BOLSAS DE ESTUDO MESTRADO. Centro Celso Furtado e BNB 2014 EDITAL 1 - DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 APRESENTAÇÃO BOLSAS DE ESTUDO MESTRADO Centro Celso Furtado e BNB 2014 EDITAL 1 - DE 20 DE DEZEMBRO DE 2013 APRESENTAÇÃO Art. 1º - O Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento, em parceria

Leia mais

INTEGRA Regulamento. Artigo1º. Âmbito e objecto

INTEGRA Regulamento. Artigo1º. Âmbito e objecto INTEGRA Regulamento Artigo1º Âmbito e objecto 1. A Ciência Viva Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica lança o Programa Inclusão pela Ciência, doravante designado por INTEGRA. 2. As iniciativas

Leia mais

MODELO DE GOVERNAÇÃO ANEXO I

MODELO DE GOVERNAÇÃO ANEXO I MODELO DE GOVERNAÇÃO ANEXO I Modelo de Governação do Fundo para a Modernização da Justiça ENQUADRAMENTO O Fundo para a Modernização da Justiça (FMJ) foi criado pelo artigo 167.º da Lei n.º 55/2010, de

Leia mais

RESUMO DA CHAMADA MCTI/FINEP/FNDCT AÇÃO TRANSVERSAL APOIO INSTITUCIONAL 03/2016 APOIO A INSTITUIÇÕES DE PESQUISA NAS DIVERSAS ÁREAS DE CONHECIMENTO

RESUMO DA CHAMADA MCTI/FINEP/FNDCT AÇÃO TRANSVERSAL APOIO INSTITUCIONAL 03/2016 APOIO A INSTITUIÇÕES DE PESQUISA NAS DIVERSAS ÁREAS DE CONHECIMENTO RESUMO DA CHAMADA MCTI/FINEP/FNDCT AÇÃO TRANSVERSAL APOIO INSTITUCIONAL 03/2016 APOIO A INSTITUIÇÕES DE PESQUISA NAS DIVERSAS ÁREAS DE CONHECIMENTO EM TERRITÓRIO NACIONAL Salvador Jun/2016 1. OBJETIVO

Leia mais

Programa para o Ambiente e a Ação Climática (LIFE)

Programa para o Ambiente e a Ação Climática (LIFE) Programa para o Ambiente e a Ação Climática (LIFE) O que é o Programa LIFE? O Programa LIFE - cujo acrónimo traduz L Instrument Financier pour l Environment é um instrumento financeiro comunitário que

Leia mais

24 e 25 de MAIO VILAMOURA

24 e 25 de MAIO VILAMOURA II JORNADAS DE NEUROCIRURGIA DO ALGARVE 24 e 25 de MAIO 2016 - VILAMOURA Caro(a) participante: Decorrerá no mês de Maio de 2016 as II Jornadas de Neurocirurgia do Algarve. Pela segunda vez em Vilamoura

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM Regulamento da PGDEEC 0 Departamento Engenharia Electrotécnica e de Computadores REGULAMENTO DO PROGRAMA DE DOUTORAMENTO EM ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES (PDEEC) Departamento de Engenharia

Leia mais

Programa de Iniciação Científica da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas PIC DIREITO SP

Programa de Iniciação Científica da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas PIC DIREITO SP Programa de Iniciação Científica da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas PIC DIREITO SP Edital n o 01/2016 Seleção de Projetos de Pesquisa A Coordenadoria do Mestrado Acadêmico e Pesquisa

Leia mais

CHAMADA INTERNA DE SUBPROJETOS PARA COMPOSIÇÃO DO PROJETO INSTITUCIONAL DA UFMG PARA A CHAMADA PÚBLICA MCTI/FINEP/FNDCT 01/ ZIKA

CHAMADA INTERNA DE SUBPROJETOS PARA COMPOSIÇÃO DO PROJETO INSTITUCIONAL DA UFMG PARA A CHAMADA PÚBLICA MCTI/FINEP/FNDCT 01/ ZIKA CHAMADA INTERNA DE SUBPROJETOS PARA COMPOSIÇÃO DO PROJETO INSTITUCIONAL DA UFMG PARA A CHAMADA PÚBLICA MCTI/FINEP/FNDCT 01/2016 - ZIKA FORMATO APRESENTAÇÃO INSTRUÇÕES As propostas de subprojeto poderão

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE CONTROLO DO GOVERNO SOCIETÁRIO DA PORTUCEL, S.A. Artigo 1º (Atribuições)

REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE CONTROLO DO GOVERNO SOCIETÁRIO DA PORTUCEL, S.A. Artigo 1º (Atribuições) REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE CONTROLO DO GOVERNO SOCIETÁRIO DA PORTUCEL, S.A. Artigo 1º (Atribuições) 1. A Comissão de Controlo do Governo Societário (CCGS) é designada pelo Conselho de Administração

Leia mais

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/2010 - DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL Art. 1º - Este Regulamento fixa normas para eleição da Diretoria Executiva e Conselho Fiscal da, de

Leia mais

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS CONDICIONADO N.

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS CONDICIONADO N. EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: Aviso n.º 1/REB/AC REQUALIFICAÇÃO DA REDE ESCOLAR DE 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO E DA EDUCAÇÃO PRÉ- ESCOLAR AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

Leia mais

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO PARA O 6º CONCURSO DE MÚSICA MODERNA DE ALMADA

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO PARA O 6º CONCURSO DE MÚSICA MODERNA DE ALMADA NORMAS DE PARTICIPAÇÃO PARA O 6º CONCURSO DE MÚSICA MODERNA DE ALMADA 1. ORGANIZAÇÃO O Concurso de Música Moderna de Almada é uma iniciativa organizada pela Câmara Municipal de Almada que tem como principais

Leia mais

Autonomia e Gestão Novos Desafios

Autonomia e Gestão Novos Desafios Autonomia e Gestão Novos Desafios Francisco Oliveira Reforço da participação das famílias e comunidades na direcção estratégica da Escola Reforçar a liderança das Escolas Reforço da autonomia das Escolas

Leia mais

Doutoramento em Saúde Pública

Doutoramento em Saúde Pública Doutoramento em Saúde Pública Normas regulamentares Artigo 1.º Criação do curso A Universidade Nova de Lisboa, através da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/UNL), em cumprimento do disposto no Decreto-Lei

Leia mais

Regulamento de Deslocações da Universidade da Madeira

Regulamento de Deslocações da Universidade da Madeira Regulamento de Deslocações da Universidade da Madeira A Lei nº 59/2008, de 11 de Setembro, que regula o Regime de Contrato de Trabalho em Funções Públicas, com efeitos a partir de 1 de Janeiro de 2009,

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO

INSTRUÇÃO DE TRABALHO 1. Modo de Proceder Descrição Capítulo I Disposições e regras genéricas 1. No exercício das competências afectas ao Departamento de Suporte Técnico e Administrativo (DSTA), compete à directora do departamento

Leia mais

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Portaria n.º 71/2016 de 4 de Julho de 2016

S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Portaria n.º 71/2016 de 4 de Julho de 2016 S.R. DA EDUCAÇÃO E CULTURA Portaria n.º 71/2016 de 4 de Julho de 2016 Considerando que o Regime Jurídico de Apoio ao Movimento Associativo Desportivo, aprovado pelo Decreto Legislativo Regional n.º 21/2009/A,

Leia mais

CONTABILIDADE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA. ÁREA DE FORMAÇÃO Contabilidade e Fiscalidade PERFIL PROFISSIONAL

CONTABILIDADE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA. ÁREA DE FORMAÇÃO Contabilidade e Fiscalidade PERFIL PROFISSIONAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA CONTABILIDADE ÁREA DE FORMAÇÃO Contabilidade e Fiscalidade PERFIL PROFISSIONAL Técnico Especialista em Contabilidade LEGISLAÇÃO APLICÁVELL Decreto-lei nº 88/2006, de

Leia mais

PROGRAMA DO CONCURSO E CADERNO DE ENCARGOS

PROGRAMA DO CONCURSO E CADERNO DE ENCARGOS PROGRAMA DO CONCURSO E CADERNO DE ENCARGOS AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTO IMPRESSORA DE CASSETES CONCURSO PÚBLICO N.º 180030/16 1 Programa de Concurso Artigo 1.º Objeto do Concurso O presente procedimento tem

Leia mais

Concursos de Principais alterações face a João Carreira

Concursos de Principais alterações face a João Carreira Concursos de 2014 Principais alterações face a 2013 João Carreira Que novos concursos são lançados hoje? São lançados 6 concursos: 2 Concursos de 2014: Principais alterações face a 2013 TIPOLOGIAS DE PROJETO:

Leia mais