SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIDADE DA EDUCAÇÃO (Despacho nº 23/ME/95)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIDADE DA EDUCAÇÃO (Despacho nº 23/ME/95)"

Transcrição

1 SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIDADE DA EDUCAÇÃO (Despacho nº 23/ME/95) - Organização de actividades de intercâmbio, entre as escolas, de projectos de inovação ou de investigação REGULAMENTO ESPECÍFICO ÂMBITO DE APLICAÇÃO 1.1. Esta Medida destina-se a possibilitar a interacção dos resultados da investigação educacional com os actores da prática educativa, a análise de questões relativas à educação, assim como a divulgação e permuta de projectos educativos e de novos recursos didácticos. 1.2.Enquadram-se nesta Medida actividades de intercâmbio e divulgação de projectos de inovação ou de investigação, tais como encontros, seminários, colóquios, congressos, ou qualquer outra actividade que conduza à partilha de experiências, entre entidades que desenvolvam a sua acção na área da educação. 2. INICIATIVAS A APOIAR 2.1. O apoio financeiro a conceder no âmbito desta Medida em 2006, destina-se a viabilizar a realização de iniciativas que contribuam essencialmente para: A promoção da qualidade do ensino e da aprendizagem; A melhoria contínua da qualidade organizacional das escolas Em 2006 será dada prioridade às iniciativas cuja realização constitua um valor acrescentado para a actual política educativa. 3. PROPONENTES 3.1. Podem candidatar-se a esta Medida as seguintes entidades: a) Estabelecimentos públicos de educação pré-escolar e dos ensinos básico, secundário e superior; b) Centros de formação de associações de escolas; c) Sociedades e associações pedagógicas, científicas e culturais sem fins lucrativos, com actividades significativas no domínio da educação. 4. DESPESAS ELEGÍVEIS 4.1. São consideradas elegíveis, para efeitos de apoio financeiro, no âmbito desta Medida: 1

2 Despesas relativas à divulgação da iniciativa (incluindo livro de resumos e programa); Secretariado e expediente; Aluguer de instalações; Aluguer de equipamento; Deslocações de responsáveis pelas intervenções previstas no programa da iniciativa; 5. DESPESAS NÃO ELEGÍVEIS 5.1. São consideradas não elegíveis as despesas relativas a: Aquisição de equipamento; Edição das actas; Estadias dos responsáveis pelas intervenções previstas no programa da iniciativa; Programas sociais. 6. APOIO FINANCEIRO 6.1. O número de iniciativas a financiar dependerá da qualidade das mesmas, da dotação orçamental disponível e do número de candidaturas apresentadas Apenas será apoiada uma iniciativa por cada entidade proponente (entendendo-se como tal, nas universidades, os departamentos), excepto se o número de candidaturas de outras entidades apreciadas positivamente for insuficiente O subsídio a atribuir pode não corresponder ao solicitado, dependendo o montante a conceder da apreciação da candidatura, no que respeita à relevância da realização da iniciativa para os educadores e professores dos ensinos básico e secundário e à adequação das despesas apresentadas na estimativa dos encargos e, ainda, da dotação orçamental da Medida Os montantes dos subsídios a atribuir poderão atingir os valores máximos de 1 500, e 4 000, consoante o âmbito da iniciativa, em termos territoriais (local, regional ou nacional). 7. FORMALIZAÇÃO DAS CANDIDATURAS 7.1. O prazo para apresentação de candidaturas decorrerá entre o dia seguinte à publicitação deste regulamento na página da DGIDC e os 30 dias úteis subsequentes, devendo as iniciativas ser realizadas em 2006 sob pena de não admissão 7.2..A formalização da candidatura é efectuada pela entidade proponente, através do preenchimento completo e correcto de formulário próprio, disponível no endereço ou a fornecer pela Direcção Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular, Avenida 24 de Julho nº 140, Lisboa O formulário de candidatura terá de ser acompanhado da seguinte documentação: Curriculum vitae resumido do responsável pela realização da iniciativa; 2

3 Programa/resumo das actividades a desenvolver, projectos e/ou materiais a apresentar, quando for caso disso; Cópia dos estatutos, quando a entidade proponente for uma associação O processo de candidatura contendo toda a documentação referida nos dois números anteriores deve ser entregue em envelope fechado ou enviado por correio registado, para a Direcção Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular (DGIDC) Sistema de Incentivos à Qualidade da Educação (SIQE) para o endereço referido no nº 7.2, (não podendo a data de entrada na DGIDC, no 1º caso ou a data do registo, no 2º caso ultrapassar o prazo estabelecido no nº 7.1., sob pena de não admissão da candidatura). 8. ADMISSÃO DAS CANDIDATURAS 8.1. Serão admitidas para apreciação as candidaturas apresentadas de acordo com o estipulado nos nºs. 2, 3, 4, 5, 6.4 e 7 deste regulamento Só serão, também, admitidas as candidaturas apresentadas por entidades proponentes que, relativamente a iniciativas apoiadas anteriormente no âmbito do SIQE, tenham cumprido a exigência de envio do relatório de execução e avaliação e do relatório de contas A decisão de admissão ou indeferimento das candidaturas é da competência do Director Geral, sobre proposta fundamentada apresentada pelo SIQE. 9. APRECIAÇÃO DAS CANDIDATURAS 9.1. As candidaturas são apreciadas tendo em conta os objectivos referidos no nº 2 do presente regulamento Consideram-se relevantes e prioritárias para os objectivos desta Medida as iniciativas que a) Tenham como principais destinatários educadores e professores dos ensinos básico e secundário, alunos e comunidade educativa; b) Tenham como principais objectivos a divulgação e difusão de resultados e materiais considerados relevantes para a actual política educativa As candidaturas serão apreciadas por técnicos superiores do SIQE, recorrendo quando necessário a especialistas, para o efeito designados pela DGIDC. 10. PROCESSO DE APROVAÇÃO Compete ao SIQE, em função da apreciação realizada, tendo em conta: Os critérios referidos no nº9 do regulamento; O número de participantes a abranger; O valor máximo dos subsídios a conceder, aludidos nos nºs 6.3. e 6.4. do regulamento; A dotação orçamental da Medida propor superiormente as candidaturas que serão objecto de apoio financeiro, assim como o montante a atribuir. 3

4 10.2. A notificação da decisão de aprovação é acompanhada de um Termo de Aceitação, emitido em duplicado, a celebrar entre o SIQE/DGIDC e o responsável da entidade proponente, no qual as obrigações de ambas as partes estão definidas: O processo de pagamento referido em 11.1.; O compromisso por parte da entidade proponente a realizar a iniciativa nos termos constantes da candidatura e a solicitar autorização para introduzir as alterações que se venham a revelar pertinentes; A obrigação de enviar à DGIDC, no prazo de 30 dias após a data da conclusão da realização da iniciativa os relatórios referidos também no nº devendo uma das vias ser devolvida à Direcção Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular (DGIDC) no prazo de 10 dias úteis, após a notificação O termo de aceitação deve ser assinado pelo responsável da entidade proponente e pelo responsável da organização da iniciativa e devidamente autenticado. 11. PAGAMENTOS O subsídio a conceder para a realização das iniciativas será atribuído parcelarmente do seguinte modo: 50% do montante aprovado, após a comunicação da decisão final sobre a candidatura, mediante o envio de uma das vias do Termo de Aceitação, referido no ponto 10.2.; Os restantes 50% depois da entrega dos Relatórios de Execução e Avaliação da iniciativa, bem como do Relatório de Contas, com cópia dos documentos de despesa A DGIDC procederá ao pagamento do montante correspondente à 1ª parcela, mediante a recepção de uma das vias do Termo de Aceitação e a emissão de recibo, no montante atrás referido por parte da entidade promotora da candidatura subsidiada A não devolução do termo de aceitação devidamente assinado à DGIDC, no prazo de 10 dias úteis após a notificação, impede a atribuição da 1ª parcela O pagamento da parcela final só será efectuado após a recepção dos relatórios referidos no ponto 11.1, mediante a emissão de recibo por parte da entidade promotora, no montante correspondente ao remanescente do valor do subsídio aprovado Os pagamentos serão efectivados por transferência bancária para a conta indicada no formulário de candidatura. 12. DIVULGAÇÃO DO APOIO Em toda a documentação de divulgação das iniciativas apoiadas, as entidades responsáveis pela realização das mesmas, sob pena de serem obrigadas a proceder à reposição do subsídio atribuído, devem fazer adequada menção ao apoio concedido pelo Ministério da Educação, Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular e Sistema de Incentivos à Qualidade da Educação, assim como fazer referência à Medida 3, conforme modelo abaixo reproduzido: 4

5 13. REVOGAÇÃO DO APOIO O incumprimento das obrigações constantes do termo de aceitação implica a restituição do subsídio concedido, após notificação do acto de revogação pela DGIDC O não envio dos relatórios referidos no nº 11.1 implica a reposição à DGIDC do montante, referente à 1ª parcela do subsídio atribuído, após notificação do acto de revogação pela DGIDC. 14. DISPOSIÇÕES COMPLEMENTARES O projecto de decisão sobre a candidatura é comunicado às respectivas entidades proponentes, para efeitos de audiência prévia escrita, no prazo de 30 dias úteis a contar do 1º dia útil imediatamente a seguir ao termo do prazo de apresentação das candidaturas, cabendo à DGIDC pronunciar-se sobre as mesmas, assim como sobre eventuais dispensas de audiência prévia, conforme previsto na alínea b) do n.º 2 do artigo 103º do Código do Procedimento Administrativo As candidaturas apresentadas e não admitidas para apreciação, ou não apoiadas financeiramente, serão devolvidas às respectivas entidades proponentes, sempre que for solicitado Todas as situações não previstas neste regulamento, assim como as dúvidas suscitadas pela sua aplicação e as eventuais reclamações a apresentar nos 10 dias subsequentes à comunicação da decisão final sobre a candidatura, devem ser apresentadas por escrito à DGIDC, que sobre as mesmas se pronunciará. 5

AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS A APOIO FINANCEIRO. De acordo com os princípios constantes do Programa do XVII Governo

AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS A APOIO FINANCEIRO. De acordo com os princípios constantes do Programa do XVII Governo AVISO DE ABERTURA DE CANDIDATURAS A APOIO FINANCEIRO De acordo com os princípios constantes do Programa do XVII Governo Constitucional em matéria de política de saúde, foi definido, pelo Decreto Lei n.º

Leia mais

NORMAS PARA A EXECUÇÃO DO PROCESSO DE COFINANCIAMENTO

NORMAS PARA A EXECUÇÃO DO PROCESSO DE COFINANCIAMENTO NORMAS PARA A EXECUÇÃO DO PROCESSO DE COFINANCIAMENTO Consideram-se no presente documento os procedimentos a observar, quer pela entidade proponente (ONGD), quer pela entidade cofinanciadora (Camões, I.P.)

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE APOIOS PARA ACÇÕES PEDAGÓGICO - CULTURAIS

PROJECTO DE REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE APOIOS PARA ACÇÕES PEDAGÓGICO - CULTURAIS PROJECTO DE REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE APOIOS PARA ACÇÕES PEDAGÓGICO - CULTURAIS CAPÍTULO I GENERALIDADES ARTIGO 1º (DEFINIÇÕES ) O presente Regulamento, disciplina a concessão de apoios a prestar, pelas

Leia mais

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO Despacho Considerando que os regulamentos específicos do Programa Operacional Potencial Humano (POPH) são aprovados pela respectiva Comissão Ministerial de Coordenação, nos termos do n.º 5 do artigo 30º

Leia mais

NORMAS PARA A EXECUÇÃO DO PROCESSO DE COFINANCIAMENTO

NORMAS PARA A EXECUÇÃO DO PROCESSO DE COFINANCIAMENTO NORMAS PARA A EXECUÇÃO DO PROCESSO DE COFINANCIAMENTO Consideram-se no presente documento os procedimentos a observar, quer pela entidade proponente (ONGD), quer pela entidade cofinanciadora (Camões, I.P.)

Leia mais

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES. Resolução Nº 46/2000 de 30 de Março

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES. Resolução Nº 46/2000 de 30 de Março GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES Resolução Nº 46/2000 de 30 de Março Considerando que as novas tecnologias, ao garantirem uma melhor qualidade de produtos e serviços, potenciam o aumento da competitividade

Leia mais

Concursos 2016 ANEXO XVI

Concursos 2016 ANEXO XVI ANEXO XVI PROGRAMA DE APOIO AO AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA SUBPROGRAMA DE APOIO À INOVAÇÃO AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA 1. Âmbito e Definições 1.1. O presente subprograma visa viabilizar a produção de suportes

Leia mais

da Avaliação do Desempenho e Alteração do Posicionamento Remuneratório

da Avaliação do Desempenho e Alteração do Posicionamento Remuneratório Regulamento da Avaliação do Desempenho e Alteração do Posicionamento Remuneratório Capítulo I Generalidades Artigo 1.º Objecto O presente regulamento, editado com base nos artigos 74.º-A a 74.º-C do ECDU,

Leia mais

Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL

Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL PREÂMBULO Tendo como objectivo incentivar a investigação centrada sobre o Homem, tanto sob os aspectos físicos como sob o ponto de vista

Leia mais

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE JOSÉ AFONSO, LOURES

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE JOSÉ AFONSO, LOURES REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE JOSÉ AFONSO, LOURES Objecto O presente regulamento, elaborado nos termos e ao abrigo do disposto nos artigos 21.º a 23.º do Decreto Lei

Leia mais

ANEXO XVIII. O ICA apoia a formação de públicos nas escolas nos termos estabelecidos nas seguintes secções:

ANEXO XVIII. O ICA apoia a formação de públicos nas escolas nos termos estabelecidos nas seguintes secções: ANEXO XVIII PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE PÚBLICOS NAS ESCOLAS 1. Programa e Secções O ICA apoia a formação de públicos nas escolas nos termos estabelecidos nas seguintes secções: Secção I Apoio à realização

Leia mais

APROVAÇÕES JUNTA DE FREGUESIA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA

APROVAÇÕES JUNTA DE FREGUESIA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA L sa Regulamento de Apoio Financeiro ao Movimento Associativo da Freguesia das Alcáçovas APROVAÇÕES JUNTA DE FREGUESIA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA Junta de Freguesia das Alcáçovas Abril 2010 INTRODUÇÃO O movimento

Leia mais

Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto UM COMPROMISSO NACIONAL Medida 1 Saúde e Segurança nas Instalações Desportivas

Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto UM COMPROMISSO NACIONAL Medida 1 Saúde e Segurança nas Instalações Desportivas UM COMPROMISSO NACIONAL Medida 1 Saúde e Segurança nas Instalações Desportivas A, no contexto do compromisso de responsabilidade partilhada estabelecido no Congresso do Desporto, com o movimento associativo

Leia mais

NORMAS PARA A EXECUÇÃO DO PROCESSO DE COFINANCIAMENTO

NORMAS PARA A EXECUÇÃO DO PROCESSO DE COFINANCIAMENTO NORMAS PARA A EXECUÇÃO DO PROCESSO DE COFINANCIAMENTO Consideram-se no presente documento os procedimentos a observar, quer pela entidade proponente (ONGD), quer pela entidade financiadora (Camões, I.P.)

Leia mais

CHEQUE-FORMAÇÃO OBJECTIVOS:

CHEQUE-FORMAÇÃO OBJECTIVOS: CHEQUE-FORMAÇÃO OBJECTIVOS: O Cheque-Formação visa reforçar a qualidade e a celeridade das medidas ativas de emprego, em particular no que respeita à qualificação profissional, procurando, nomeadamente:

Leia mais

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO Despacho Considerando que os regulamentos específicos do Programa Operacional Potencial Humano (POPH) são aprovados pela respectiva Comissão Ministerial de Coordenação, nos termos do n.º 5 do artigo 30º

Leia mais

Concurso de 2014 ANEXO XVIII. 1. Programa e Secções O ICA apoia a formação de públicos nas escolas nos termos estabelecidos nas seguintes secções:

Concurso de 2014 ANEXO XVIII. 1. Programa e Secções O ICA apoia a formação de públicos nas escolas nos termos estabelecidos nas seguintes secções: Concurso de 2014 ANEXO XVIII PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE PÚBLICOS NAS ESCOLAS 1. Programa e Secções O ICA apoia a formação de públicos nas escolas nos termos estabelecidos nas seguintes secções: Secção I -

Leia mais

Programa BIP/ZIP de Lisboa

Programa BIP/ZIP de Lisboa Programa BIP/ZIP de Lisboa Objectivos e âmbito O Programa BIP-ZIP Bairros e Zonas de Intervenção prioritária de Lisboa é criado pela Câmara Municipal de Lisboa, no quadro do Programa Local de Habitação

Leia mais

Sociedade Portuguesa de Hematologia (SPH)

Sociedade Portuguesa de Hematologia (SPH) Sociedade Portuguesa de Hematologia (SPH) REGULAMENTO DA CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO PELA SPH A SPH tem como um dos seus objectivos desenvolver um programa de apoio à formação avançada em Hematologia

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA PEDRULHA(161263)

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA PEDRULHA(161263) Direcção Regional de Educação do Centro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA PEDRULHA(161263) Escola Básica Rainha Santa Isabel Coimbra (342580) REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRECTOR Artigo 1º Objecto O presente

Leia mais

Guia de Procedimentos

Guia de Procedimentos Guia de Procedimentos Atribuição de Bolsas de Investigação do CIIMAR Gabinete Gestão de Projetos Gabinete Apoio Jurídico Investigador Responsável Constituição do Júri; Elaboração da 1ª. Ata; Elaboração

Leia mais

Convite Público Apresentação de candidaturas

Convite Público Apresentação de candidaturas Convite Público Apresentação de candidaturas Eixo Prioritário V Governação e Capacitação Institucional PROMOÇÃO E CAPACITAÇÃO INSTITUCIONAL Aviso n.º: Centro-PCI-2010-07 As informações que constam do presente

Leia mais

- Bolsa de Mérito à Execução Municipal -

- Bolsa de Mérito à Execução Municipal - Eixos Prioritários II, III e V Eixo II Acções Integradas de Valorização Territorial - Acções de Valorização de Novos Territórios de Aglomeração de Actividades Económicas Eixo III - Ciclo Urbano da Água

Leia mais

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Eixo Prioritário 4 Protecção e Valorização Ambiental ACÇÕES DE VALORIZAÇÃO E QUALIFICAÇÃO AMBIENTAL Centro-VQA-2009-13-BM-13 1 Nos termos do Regulamento Específico Acções

Leia mais

REGULAMENTO DAS BOLSAS DE MESTRADO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE ECONOMIA DA SAÚDE MEDTRONIC EM ECONOMIA DA SAÚDE / GESTÃO DE SAÚDE / POLÍTICAS DE SAÚDE

REGULAMENTO DAS BOLSAS DE MESTRADO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE ECONOMIA DA SAÚDE MEDTRONIC EM ECONOMIA DA SAÚDE / GESTÃO DE SAÚDE / POLÍTICAS DE SAÚDE REGULAMENTO DAS BOLSAS DE MESTRADO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE ECONOMIA DA SAÚDE MEDTRONIC EM ECONOMIA DA SAÚDE / GESTÃO DE SAÚDE / POLÍTICAS DE SAÚDE Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento aplica-se às

Leia mais

ESTUDO DAS NECESSIDADES DE CUIDADOS DE ENFERMAGEM DA POPULAÇÃO RESIDENTE EM PORTUGAL

ESTUDO DAS NECESSIDADES DE CUIDADOS DE ENFERMAGEM DA POPULAÇÃO RESIDENTE EM PORTUGAL ESTUDO DAS NECESSIDADES DE CUIDADOS DE ENFERMAGEM DA POPULAÇÃO RESIDENTE EM PORTUGAL Concurso para financiamento de projecto de investigação - I fase - REGULAMENTO Introdução O Conselho Directivo, na sua

Leia mais

Projecto de Regulamento de Apoio a Associações. Juvenis, Associações de Estudantes e Grupo de. Jovens do Concelho de Vila Nova de Famalicão

Projecto de Regulamento de Apoio a Associações. Juvenis, Associações de Estudantes e Grupo de. Jovens do Concelho de Vila Nova de Famalicão Projecto de Regulamento de Apoio a Associações Juvenis, Associações de Estudantes e Grupo de Jovens do Concelho de Vila Nova de Famalicão Preâmbulo Capítulo I -Definições e Objectivos Artigo 1.º - Definição

Leia mais

Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO A Ciência Viva Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica, adiante designada por Ciência Viva, torna pública

Leia mais

Regulamento de Matrículas, Inscrições e Propinas

Regulamento de Matrículas, Inscrições e Propinas Regulamento de Matrículas, Inscrições e Propinas I - Matrículas 1. A matrícula é o acto administrativo, a realizar no início de cada ano lectivo e que confere ao estudante o direito a ingressar no estabelecimento

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Valongo do Vouga CÓDIGO TELEFONE FAX

Agrupamento de Escolas de Valongo do Vouga CÓDIGO TELEFONE FAX REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VALONGO DO VOUGA Artigo 1.º Objecto O presente regulamento estabelece e define as regras e condições de acesso, assim como as normas

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA

ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRECTOR PARA O QUADRIÉNIO 2009-2013 Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece as condições de acesso e normas do concurso para

Leia mais

REGULAMENTO DAS BOLSAS DE MESTRADO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE ECONOMIA DA SAÚDE MEDTRONIC EM ECONOMIA DA SAÚDE / GESTÃO DE SAÚDE / POLÍTICAS DE SAÚDE

REGULAMENTO DAS BOLSAS DE MESTRADO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE ECONOMIA DA SAÚDE MEDTRONIC EM ECONOMIA DA SAÚDE / GESTÃO DE SAÚDE / POLÍTICAS DE SAÚDE REGULAMENTO DAS BOLSAS DE MESTRADO ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE ECONOMIA DA SAÚDE MEDTRONIC EM ECONOMIA DA SAÚDE / GESTÃO DE SAÚDE / POLÍTICAS DE SAÚDE Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento aplica-se às

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRECTOR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BRÁS GARCIA DE MASCARENHAS

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRECTOR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BRÁS GARCIA DE MASCARENHAS REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO DIRECTOR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BRÁS GARCIA DE MASCARENHAS Artigo 1.º Objecto O presente Regulamento estabelece as condições de acesso e normas do concurso para eleição

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA. CAPÍTULO I Disposições Gerais. Artigo 1º Âmbito

REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA. CAPÍTULO I Disposições Gerais. Artigo 1º Âmbito I N S T I T U T O D E E N G E N H A R I A B I O M É D I C A REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito O presente regulamento, aprovado pela Fundação

Leia mais

Regulamento de concurso para Diretor

Regulamento de concurso para Diretor Regulamento de concurso para Diretor Nos termos do disposto no artigo 22.º, do Decreto-Lei n.º 75/2008, de 22 de abril, e do Decreto-Lei nº 137/2012 de 2 de Julho, torna-se público, que se encontra aberto

Leia mais

Agrupamento de Escolas Pedro Álvares Cabral Belmonte Escola Sede: Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos com Ensino Secundário

Agrupamento de Escolas Pedro Álvares Cabral Belmonte Escola Sede: Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos com Ensino Secundário Agrupamento de Escolas Pedro Álvares Cabral Belmonte Escola Sede: Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos com Ensino Secundário Pedro Álvares Cabral - Belmonte Regulamento para a Eleição do Director do Agrupamento

Leia mais

INTEGRA Regulamento. Artigo1º. Âmbito e objecto

INTEGRA Regulamento. Artigo1º. Âmbito e objecto INTEGRA Regulamento Artigo1º Âmbito e objecto 1. A Ciência Viva Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica lança o Programa Inclusão pela Ciência, doravante designado por INTEGRA. 2. As iniciativas

Leia mais

Regulamento para o procedimento concursal para a eleição do Diretor

Regulamento para o procedimento concursal para a eleição do Diretor Regulamento para o procedimento concursal para a eleição do Diretor OBJECTO O presente regulamento estabelece as condições de acesso e normas para a eleição do diretor da Escola Secundária Quinta das Palmeiras,

Leia mais

Regulamento para atribuição do Fundo de Reestruturação

Regulamento para atribuição do Fundo de Reestruturação Regulamento para atribuição do Fundo de Reestruturação Nos termos das alíneas c), d) e e) do n.º 2 do artigo 3.º do Decreto- lei n.º 55/2013, de 17 de Abril, que aprova a lei orgânica da Fundação para

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO REGULAMENTO DE ACESSO À MEDIDA PROJECTOS INTEGRADOS: DAS CIDADES DIGITAIS AO PORTUGAL DIGITAL

PROGRAMA OPERACIONAL SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO REGULAMENTO DE ACESSO À MEDIDA PROJECTOS INTEGRADOS: DAS CIDADES DIGITAIS AO PORTUGAL DIGITAL PROGRAMA OPERACIONAL SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO REGULAMENTO DE ACESSO À MEDIDA 2.3 - PROJECTOS INTEGRADOS: DAS CIDADES DIGITAIS AO PORTUGAL DIGITAL Sob proposta do Gestor do Programa Operacional Sociedade

Leia mais

[REGULAMENTO DE PROCEDIMENTO CONCURSAL CONDUCENTE À ELEIÇÃO DO DIRECTOR] Agrupamento Vertical de Escolas de Monforte. Conselho Geral

[REGULAMENTO DE PROCEDIMENTO CONCURSAL CONDUCENTE À ELEIÇÃO DO DIRECTOR] Agrupamento Vertical de Escolas de Monforte. Conselho Geral 2010 Conselho Geral 18-03-2010 Agrupamento Vertical de Escolas de Monforte [REGULAMENTO DE PROCEDIMENTO CONCURSAL CONDUCENTE À ELEIÇÃO DO DIRECTOR] [Condições de acesso e normas para a eleição do Director

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Vieira de Leiria

Agrupamento de Escolas de Vieira de Leiria Agrupamento de Escolas de Vieira de Leiria Escola Sede: ESCOLA SECUNDÁRIA JOSÉ LOUREIRO BOTAS 4 0 1 9 8 5 REGULAMENTO PARA ELEIÇÃO DO DIRECTOR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VIEIRA DE LEIRIA Artigo 1º Objecto

Leia mais

PROGRAMA DE CONCURSO OUTUBRO 2010

PROGRAMA DE CONCURSO OUTUBRO 2010 PROGRAMA DE CONCURSO OUTUBRO 2010 Artigo 1º Objecto O presente Programa estabelece as normas específicas de acesso ao concurso para a atribuição de apoios financeiros pela Direcção-Geral da Saúde a pessoas

Leia mais

Avenida Luís Bívar, Lisboa, Portugal. Tel: Regulamento Geral. Formação

Avenida Luís Bívar, Lisboa, Portugal. Tel: Regulamento Geral. Formação Avenida Luís Bívar, 85 1050-143 Lisboa, Portugal Tel: +351 21 781 62 82 Regulamento Geral Formação Última revisão Fevereiro 2011 Índice Índice 2 Introdução 3 Inscrições e Condições de Acesso 3 Funcionamento

Leia mais

Regulamento para a Eleição do Diretor do Agrupamento de Escolas de Carvalhos

Regulamento para a Eleição do Diretor do Agrupamento de Escolas de Carvalhos Regulamento para a Eleição do Diretor do Agrupamento de Escolas de Carvalhos Artigo 1.º Objeto O presente regulamento define as regras a observar no procedimento concursal para a eleição do Diretor do

Leia mais

Bolsas Centro Hospitalar Lisboa Norte/Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa

Bolsas Centro Hospitalar Lisboa Norte/Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Bolsas Centro Hospitalar Lisboa Norte/Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Âmbito e Objectivo 1. As Bolsas Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN)/ Faculdade de Medicina de Lisboa (FMUL) de Investigação

Leia mais

Município de São Pedro do Sul. Regulamento de Acção Social Escolar 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares

Município de São Pedro do Sul. Regulamento de Acção Social Escolar 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares Município de São Pedro do Sul Regulamento de 1º Ciclo do Ensino Básico e Transportes Escolares O presente regulamento tem como objectivo regulamentar e uniformizar procedimentos para a atribuição de auxílios

Leia mais

Município de Santarém REGULAMENTO MUNICIPAL DE VISITAS DE ESTUDO

Município de Santarém REGULAMENTO MUNICIPAL DE VISITAS DE ESTUDO REGULAMENTO MUNICIPAL DE VISITAS DE ESTUDO ÍNDICE Preâmbulo 3 Artigo 1.º Lei Habilitante 4 Artigo 2.º Âmbito 4 Artigo 3.º Plano Anual Visitas de Estudo 5 Artigo 4.º Estabelecimentos de Ensino Abrangidos

Leia mais

Programa do 5º Leilão. Artigo 1º

Programa do 5º Leilão. Artigo 1º Programa do 5º Leilão Artigo 1º Objeto O presente procedimento tem como objeto a abertura, e respetiva regulamentação, de Leilão com vista à colocação dos Títulos de Biocombustíveis (TdB) correspondentes

Leia mais

CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VALE DO TAMEL

CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VALE DO TAMEL CONSELHO GERAL DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS VALE DO TAMEL Regulamento relativo ao Procedimento Concursal para a Eleição do Diretor para o Quadriénio 2017/2021 Objeto O presente regulamento estabelece as condições

Leia mais

Regulamento de Inscrição Municipal de Associação Cultural de Sintra IMACS

Regulamento de Inscrição Municipal de Associação Cultural de Sintra IMACS Regulamento de Inscrição Municipal de Associação Cultural de Sintra IMACS ( Com a alteração constante do Parecer da Comissão Permanente de Assuntos Sociais da Assembleia Municipal de Sintra ) 23 DE NOVEMBRO

Leia mais

REGULAMENTO Concurso Desde quando verde combina com vermelho? A minha T-shirt da República

REGULAMENTO Concurso Desde quando verde combina com vermelho? A minha T-shirt da República REGULAMENTO Concurso Desde quando verde combina com vermelho? A minha T-shirt da República 1. Introdução O concurso Desde quando verde combina com vermelho? A minha T-shirt da República é uma iniciativa

Leia mais

REGULAMENTO PARA O PROCEDIMENTO CONCURSAL DE ELEIÇÃO DO DIRETOR PARA O QUADRIÉNIO 2017/2021. Preâmbulo. Artigo 1.º Concurso

REGULAMENTO PARA O PROCEDIMENTO CONCURSAL DE ELEIÇÃO DO DIRETOR PARA O QUADRIÉNIO 2017/2021. Preâmbulo. Artigo 1.º Concurso REGULAMENTO PARA O PROCEDIMENTO CONCURSAL DE ELEIÇÃO DO DIRETOR PARA O QUADRIÉNIO 2017/2021 Preâmbulo O presente regulamento define as regras a observar no procedimento concursal para a eleição do Diretor

Leia mais

Serralves em Festa 2008 Concurso de Projectos Artísticos

Serralves em Festa 2008 Concurso de Projectos Artísticos Serralves em Festa 2008 Concurso de Projectos Artísticos 1. ENQUADRAMENTO E OBJECTIVOS A Fundação de Serralves pretende promover a integração da jovem criação artística, proporcionando visibilidade junto

Leia mais

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO ROIZ DE CASTELO BRANCO

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO ROIZ DE CASTELO BRANCO REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO ROIZ DE CASTELO BRANCO Objecto O presente regulamento estabelece as condições de acesso e normas para a eleição do director do

Leia mais

Conselho Geral Transitório

Conselho Geral Transitório Direcção Regional de Educação do Centro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GRÃO VASCO VISEU Código 161858 Conselho Geral Transitório REGULAMENTO DO PROCESSO CONCURSAL DE ELEIÇÃO DO DIRECTOR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO APROVADO 14 de Fevereiro de 2011 O Presidente, (Paulo Parente) ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DO TÍTULO DE ESPECIALISTA Artigo 1.º Objecto e âmbito 1) O presente Regulamento

Leia mais

Financiamento de Candidaturas. Regulamento

Financiamento de Candidaturas. Regulamento Financiamento de Candidaturas A Junta de Freguesia de Benfica (JFB), no âmbito da sua responsabilidade social e no âmbito da Comissão Social de Freguesia (CSF), irá apoiar financeiramente candidaturas

Leia mais

1.º Condições para requerer a inscrição

1.º Condições para requerer a inscrição REGULAMENTO DAS PROVAS ESPECIALMENTE ADEQUADAS DESTINADAS A AVALIAR A CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DOS CURSOS SUPERIORES DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE VIANA DO CASTELO DOS MAIORES DE 23 ANOS Nos termos do

Leia mais

Regulamento dos Transportes Escolares

Regulamento dos Transportes Escolares Preâmbulo O presente Regulamento é elaborado ao abrigo e nos termos do art. 19º, n.º 3, da Lei n.º 159/99, de 14 de Setembro, da alínea a) do n.º 2 do art. 53º, e da alínea d) do n.º 4 do art. 64º da Lei

Leia mais

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO

COMISSÃO MINISTERIAL DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA OPERACIONAL POTENCIAL HUMANO Despacho Considerando que os regulamentos específicos do Programa Operacional Potencial Humano (POPH) são aprovados pela respectiva Comissão Ministerial de Coordenação, nos termos do n.º 5 do artigo 30º

Leia mais

Regulamento do Curso de Mestrado em Educação 1

Regulamento do Curso de Mestrado em Educação 1 Regulamento do Curso de Mestrado em Educação 1 A. Condições de matrícula e inscrição Os candidatos à frequência do curso de mestrado que tenham sido seleccionados deverão formalizar a matrícula e a inscrição,

Leia mais

Criação de estruturas de acolhimento dos centros de informação da rede de informação EUROPE DIRECT CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS GESTÃO DIRECTA

Criação de estruturas de acolhimento dos centros de informação da rede de informação EUROPE DIRECT CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS GESTÃO DIRECTA COMISSÃO EUROPEIA DIRECÇÃO-GERAL DA COMUNICAÇÃO Criação de estruturas de acolhimento dos centros de informação da rede de informação EUROPE DIRECT CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS GESTÃO DIRECTA A Comissão

Leia mais

Prémio Científico Casa da América Latina/Santander Totta

Prémio Científico Casa da América Latina/Santander Totta Prémio Científico Casa da América Latina/Santander Totta REGULAMENTO 1. Natureza do Prémio 1.1. O Banco Santander Totta e a Casa da América Latina decidiram criar o Prémio Científico Casa da América Latina/Santander

Leia mais

Serviço de Educação e Bolsas REGULAMENTO DE BOLSAS PARA INVESTIGAÇÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artº 1º

Serviço de Educação e Bolsas REGULAMENTO DE BOLSAS PARA INVESTIGAÇÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artº 1º Serviço de Educação e Bolsas REGULAMENTO DE BOLSAS PARA INVESTIGAÇÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artº 1º 1. Com o fim principal de estimular a investigação nos vários ramos do saber, a Fundação Calouste

Leia mais

AVISO BOLSA DE PÓS-DOUTORAMENTO (BPD) (1 Bolsa)

AVISO BOLSA DE PÓS-DOUTORAMENTO (BPD) (1 Bolsa) AVISO BOLSA DE PÓS-DOUTORAMENTO (BPD) (1 Bolsa) O /IPMA abre concurso, no prazo de 10 (dez) dias úteis a contar da data de publicação deste anúncio, para atribuição de uma bolsa de pós doutoramento para

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCURSO PARA DIRETOR DO CENTRO DE FORMAÇÃO DE ESCOLAS BEIRA MAR

REGULAMENTO DE CONCURSO PARA DIRETOR DO CENTRO DE FORMAÇÃO DE ESCOLAS BEIRA MAR REGULAMENTO DE CONCURSO PARA DIRETOR DO CENTRO DE FORMAÇÃO DE ESCOLAS BEIRA MAR Artigo 1º Princípio da legalidade regulamentar Ao abrigo do Decreto-Lei n.º 22/2014 que define o novo Regime Jurídico da

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA E DE APOIO À GESTÃO

REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA E DE APOIO À GESTÃO INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA E DE APOIO À GESTÃO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GENÉRICAS Artigo 1º Âmbito 1. O presente Regulamento, aprovado ao abrigo da Lei

Leia mais

Regulamento Interno ANEXO III

Regulamento Interno ANEXO III Regulamento Interno ANEXO III Agrupamento de Escolas Raul Proença Regulamento do Concurso Prévio e da Eleição do Diretor Artigo 1º Objeto O presente regulamento estabelece as condições de acesso e as normas

Leia mais

OS PANFLETOS DA REVOLUÇÃO

OS PANFLETOS DA REVOLUÇÃO Concurso 2009 2010 Como se viveu em Portugal OS PANFLETOS DA REVOLUÇÃO 5 DE OUTUBRO DE 1910 25 DE ABRIL DE 1974 DE 1 Regulamento 1. Introdução Lançado pela primeira vez no ano lectivo de 2007/2008, o concurso

Leia mais

REGULAMENTOS ESPECÍFICOS

REGULAMENTOS ESPECÍFICOS Programa Operacional Factores de Competitividade Deliberações CMC POFC: 16/07/2008 Assistência Técnica do POFC Entrada em vigor DA ÚLTIMA ALTERAÇÃO em 17/07/2008 Artigo 1.º Objecto O presente regulamento

Leia mais

3 Consideram -se qualificados para o exercício de funções de administração e gestão os docentes que preencham uma das seguintes condições:

3 Consideram -se qualificados para o exercício de funções de administração e gestão os docentes que preencham uma das seguintes condições: Concurso para Director (a) Agrupamento Vertical de escolas de ferreira de Aves Procedimento concursal: 1 Nos termos do disposto nos artigos 21.º e 22.º, do Decreto Lei n.º 75/2008, de 22 de Abril, e da

Leia mais

Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL

Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL Regulamento de Bolsas de Investigação Científica da Fundação BIAL PREÂMBULO Tendo como objetivo incentivar a investigação centrada sobre o Homem, tanto sob os aspetos físicos como sob o ponto de vista

Leia mais

Regulamento para atribuição de apoio financeiro a projetos submetidos no âmbito do Fundo de mobilidade FLAD-UAc Crossing the Atlantic

Regulamento para atribuição de apoio financeiro a projetos submetidos no âmbito do Fundo de mobilidade FLAD-UAc Crossing the Atlantic Regulamento para atribuição de apoio financeiro a projetos submetidos no âmbito do Artigo 1.º Âmbito O presente regulamento, elaborado nos termos do disposto na cláusula quinta do protocolo de cooperação

Leia mais

Regulamento de propinas dos cursos de Licenciatura e de Mestrado Integrado da U.Porto

Regulamento de propinas dos cursos de Licenciatura e de Mestrado Integrado da U.Porto Regulamentos Regulamento de propinas dos cursos de Licenciatura e de Mestrado Integrado da U.Porto Secção Permanente do Senado em 7 de Abril de 2004 1ª Alteração pela Secção Permanente do Senado em 13

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO DEPARTAMENTO DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

REGIMENTO INTERNO DO DEPARTAMENTO DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR REGIMENTO INTERNO DO DEPARTAMENTO DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Quadriénio 2009/2013 ÍNDICE PREÂMBULO...3 Artigo 1º OBJECTO E ÂMBITO...4 Artigo 2º -COMPOSIÇÃO...4 Artigo 3º -QUADRO DE COMPETÊNCIAS...4 Artigo

Leia mais

PROJECTO DE DECRETO - LEI DE ALTERAÇÂO DO ECD. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA Decreto-Lei n.º xx/2011 de x de Outubro

PROJECTO DE DECRETO - LEI DE ALTERAÇÂO DO ECD. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA Decreto-Lei n.º xx/2011 de x de Outubro PROJECTO DE DECRETO - LEI DE ALTERAÇÂO DO ECD MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA Decreto-Lei n.º xx/2011 de x de Outubro Foram observados os procedimentos decorrentes da Lei n.º 23/98, de 26 de Maio. Assim:

Leia mais

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO FERNANDO NAMORA DE CONDEIXA-A-NOVA

REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DA ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO FERNANDO NAMORA DE CONDEIXA-A-NOVA CÓDIGO DA ESCOLA 404457 CONTRIBUINTE Nº: 600074129 RUA LONGJUMEAU 3150-122 CONDEIXA-A-NOVA Telf.: 239940200 Fax: 239941090 Email: info@eps-condeixa-a-nova.rcts.pt REGULAMENTO PARA O RECRUTAMENTO DO DIRECTOR

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AVER-O-MAR CONSELHO GERAL

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AVER-O-MAR CONSELHO GERAL AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AVER-O-MAR CONSELHO GERAL Regulamento para Recrutamento do Diretor do Agrupamento de Escolas de Aver-o-Mar Póvoa de Varzim Objeto O presente regulamento define as regras a observar

Leia mais

REGULAMENTO DO MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO,

REGULAMENTO DO MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO, Considerando o disposto da alínea f), do n.º 1, do art. 62.º, dos Estatutos do Instituto Politécnico de Leiria; Com vista a dar cumprimento ao estabelecido no artigo 26º do Decreto-Lei n.º 74/2006, de

Leia mais

REGULAMENTO PARA A FREQUÊNCIA DE UNIDADES CURRICULARES ISOLADAS NA ESTBARREIRO/IPS

REGULAMENTO PARA A FREQUÊNCIA DE UNIDADES CURRICULARES ISOLADAS NA ESTBARREIRO/IPS REGULAMENTO PARA A FREQUÊNCIA DE UNIDADES CURRICULARES ISOLADAS NA ESTBARREIRO/IPS (Documento aprovado na 7ª Reunião do Conselho Técnico-Científico da ESTBarreiro/IPS, de 20 de Outubro de 2010) CAPÍTULO

Leia mais

Programa de Apoio ao Associativismo REGULAMENTO 2016

Programa de Apoio ao Associativismo REGULAMENTO 2016 2016 Programa de Apoio ao Associativismo REGULAMENTO 2016 ÍNDICE NOTA JUSTIFICATIVA... 2 CAPÍTULO I... 2 DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 A Fundação INATEL... 2 Conceito de CCD... 2 Objeto e âmbito de aplicação...

Leia mais

Regulamento do Prémio de Inovação Tecnológica. Eng.º Jaime Filipe

Regulamento do Prémio de Inovação Tecnológica. Eng.º Jaime Filipe Regulamento do Prémio de Inovação Tecnológica Eng.º Jaime Filipe Artigo 1.º Âmbito O Instituto Nacional para a Reabilitação, I.P. promove anualmente a atribuição do Prémio de Inovação Tecnológica «Eng.º

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE SAMPAIO

ESCOLA SECUNDÁRIA DE SAMPAIO ESCOLA SECUNDÁRIA DE SAMPAIO Regulamento dos Quadros de Valor, de Mérito e de Excelência Os Quadros de Valor, de Mérito e de Excelência destinam-se a tornar patente o reconhecimento de aptidões e atitudes

Leia mais

Área Metropolitana do. Porto Programa Territorial de Desenvolvimento

Área Metropolitana do. Porto Programa Territorial de Desenvolvimento Área Metropolitana do Porto 2007-2013 Programa Territorial de Desenvolvimento Promoção da Mobilidade Urbana: Variantes a centros urbanos; Planos de Mobilidade Urbana Sustentável Aviso de Abertura de Concurso

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO 2017 REGULAMENTO

PROGRAMA DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO 2017 REGULAMENTO 2017 PROGRAMA DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO 2017 REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO 2017 REGULAMENTO ÍNDICE NOTA JUSTIFICATIVA... 2 CAPÍTULO I... 2 DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 A Fundação INATEL...

Leia mais

REGULAMENTO PARA RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS RODRIGUES DE FREITAS. Artigo 1º. Objecto

REGULAMENTO PARA RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS RODRIGUES DE FREITAS. Artigo 1º. Objecto REGULAMENTO PARA RECRUTAMENTO DO DIRECTOR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS RODRIGUES DE FREITAS Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece as condições de acesso e normas do concurso para eleição do

Leia mais

Convite Público. Convite nº: Centro-EDU Eixo 3 Coesão Local e Urbana

Convite Público. Convite nº: Centro-EDU Eixo 3 Coesão Local e Urbana Convite Público Eixo 3 Coesão Local e Urbana Regulamento Específico Requalificação da Rede Escolar do 1º Ciclo do Ensino Básico e da Educação Pré-escolar Convite nº: Centro-EDU-2014-20 1 Nos termos do

Leia mais

M U N I C Í P I O D E O L I V E I R A D O H O S P I T A L. Normas Regulamentares do Programa Férias + Solidárias

M U N I C Í P I O D E O L I V E I R A D O H O S P I T A L. Normas Regulamentares do Programa Férias + Solidárias Normas Regulamentares do Programa Férias + Solidárias Proposta de Normas Regulamentares do Programa Férias + Solidárias Preâmbulo Cabendo às autarquias locais um papel importante na promoção dos tempos

Leia mais

Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo

Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece as normas para atribuição de bolsas de estudo a estudantes do ensino secundário e superior, residentes

Leia mais

C O N S E L H O G E R A L. REGULAMENTO DO PROCEDIMENTO CONCURSAL PRÉVIO À ELEIÇÃO DO DIRETOR Ano letivo

C O N S E L H O G E R A L. REGULAMENTO DO PROCEDIMENTO CONCURSAL PRÉVIO À ELEIÇÃO DO DIRETOR Ano letivo REGULAMENTO DO PROCEDIMENTO CONCURSAL PRÉVIO À ELEIÇÃO DO DIRETOR Ano letivo 2016-17 Página 1 de 8 Regulamento para procedimento concursal prévio de eleição do diretor Agrupamento de Escolas Lapiás, Sintra

Leia mais

Captação de Grandes Congressos Internacionais. Regulamento

Captação de Grandes Congressos Internacionais. Regulamento Captação de Grandes Congressos Internacionais Regulamento Artigo 1º Objecto 1. O presente regulamento tem por objecto a definição dos termos de concessão de apoio a projectos de captação de grandes Congressos

Leia mais

Artigo 1º (Enquadramento)

Artigo 1º (Enquadramento) 2017 1 CONCURSO ARTÍSTICO NOITE BRANCA 2017 REGULAMENTO Artigo 1º (Enquadramento) Inserido na Noite Branca 2017, o Concurso Artístico Noite Branca 2017, é um projeto concebido pela Fundação Bracara Augusta

Leia mais

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO REITOR DA UTAD

REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO REITOR DA UTAD REGULAMENTO PARA A ELEIÇÃO DO REITOR DA UTAD UTAD, janeiro de 2017 Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento destina-se a organizar o processo de eleição para Reitor da Universidade de Trás-os-Montes e

Leia mais

Preâmbulo. O presente regulamento define as regras a observar no procedimento concursal para a eleição do

Preâmbulo. O presente regulamento define as regras a observar no procedimento concursal para a eleição do ESCOLA SECUNDÁRIA JOSÉ SARAMAGO-MAFRA Regulamento para o Procedimento Concursal de Eleição do Diretor para o Quadriénio 2015-2019 Preâmbulo O presente regulamento define as regras a observar no procedimento

Leia mais

AVISO BOLSA DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA

AVISO BOLSA DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA AVISO BOLSA DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA O (IPMA) abre concurso, no prazo de 10 dias úteis a contar da data de publicação deste anúncio, para atribuição de uma bolsa de investigação (Nível 3) no âmbito do

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA Despacho Normativo n.º xx/2012 O Decreto-Lei n.º 41/2012, de 21 de fevereiro, na redação que confere ao Estatuto da Carreira dos Educadores de Infância e dos Professores

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa. Regulamento n.º??/2012. do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa dos

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa. Regulamento n.º??/2012. do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa dos A proposta de Regulamento das Provas de Acesso e Ingresso nos Cursos de Licenciatura do ISEL para maiores de 23 anos ao abrigo do DL 64/2006 é: Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Regulamento n.º??/2012

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCEDIMENTO CONCURSAL DE ELEIÇÃO DO(A) DIRETOR(A) DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRANCA, ALBERGARIA-A-VELHA. Artigo 1.

REGULAMENTO DO PROCEDIMENTO CONCURSAL DE ELEIÇÃO DO(A) DIRETOR(A) DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRANCA, ALBERGARIA-A-VELHA. Artigo 1. REGULAMENTO DO PROCEDIMENTO CONCURSAL DE ELEIÇÃO DO(A) DIRETOR(A) DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BRANCA, ALBERGARIA-A-VELHA Artigo 1.º Objeto O presente regulamento estabelece as condições de acesso e define

Leia mais

Eixo Prioritário V Governação e Capacitação Institucional. Sistema de Apoios à Modernização Administrativa (SAMA)

Eixo Prioritário V Governação e Capacitação Institucional. Sistema de Apoios à Modernização Administrativa (SAMA) Eixo Prioritário V Governação e Capacitação Institucional Sistema de Apoios à Modernização Administrativa (SAMA) CONVITE PÚBLICO PRÉVIO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA DE PROGRAMA DE ACÇÃO SAMA/1/2008

Leia mais