Motores I Automação I Energia I Transmissão & Distribuição I Tintas. Modular Drive CFW-11W. Adendo do Inversor de Frequência

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Motores I Automação I Energia I Transmissão & Distribuição I Tintas. Modular Drive CFW-11W. Adendo do Inversor de Frequência"

Transcrição

1 Motores I Automação I Energia I Transmissão & Distribuição I Tintas Modular Drive CFW-11W Adendo do Inversor de Frequência

2 Adendo do Inversor de Frequência Série: CFW-11W Idioma: Português N º do Documento: / 02 Modelos: A/ V A/ V Data da Publicação: 10/2011

3 Indice Capítulo 1 Informações Gerais 1.1 Sobre o Manual Sobre o CFW-11W Como Especificar o Modelo Capítulo 2 Instalação e Conexão 2.1 Condições Ambientais Lista de Componentes Instalação Mecânica Sistema de Refrigeração Condensação Instalação Elétrica Retificador de Entrada Fusíveis Conexões UP Instalações de Acordo com a Diretiva Européia de Compatibilidade Eletromagnética Instalação Conforme Definições das Normas Níveis de Emissão e Imunidades Atendidos Filtros RFI Externos Capítulo 3 Diagnóstico de Problemas e Manutenção 3.1 Falhas, Alarmes e Possíveis Causas Dados para Contato com a Assistência Técnica Manutenção Preventiva Instruções de Limpeza Capítulo 4 Dispositivos Opcionais 4.1 Dispositivos Opcionais Capítulo 5 Especificações Técnicas 5.1 Dados de Potência Dados da Eletrônica/Gerais Normas Atendidas Dados Mecânicos Uso como Conversor Regenerativo...5-9

4 Indice

5 Informações Gerais INFORMAÇÕES GERAIS ATENÇÃO! Siga rigorosamente todas as instruções de segurança contidas neste Adendo e no manual do usuário CFW-11M. 1.1 SOBRE O MANUAL 1 Este manual tem como objetivo fornecer informações referentes à linha de inversores de frequência CFW-11W Modular Drive. Consulte o manual do usuário do CFW-11M e o manual de programação do CFW SOBRE O CFW-11W Os inversores da linha CFW-11W apresentam uma estrutura modular, com configurações de uma a cinco unidades de potência (UP11), uma unidade de controle (UC11) e cabos de interligação. A montagem modular aumenta a confiabilidade do inversor e facilita a manutenção do mesmo. A unidade de controle (UC11) é única e pode controlar até 5 UP11s. Esta linha de inversores é refrigerada a água, sendo mais compacta que os demais inversores. Além disso, os capacitores do Barramento CC (Link CC) são de filme plástico, proporcionando menores perdas e prolongando o tempo entre manutenções. As UP11s são alimentadas diretamente no barramento CC e a UC11 é alimentada através de uma fonte de +24Vcc. Na figura 1.1 é apresentada, a configuração padrão com retificador de entrada a 6 pulsos. O controle das unidades de potência é feito pela unidade de controle UC11. A unidade de controle contém o rack de controle da linha CFW-11 e o cartão IPS. Este cartão envia sinais para todas as UP11 (PWM, sinais de controle, etc.) e recebe sinais dele (realimentações de tensão, corrente, etc.). UP11 UP11 Rede Motor UP11 Fonte +24VCC UC11 UP11 UP11 Figura Exemplo de configuração com 5 UP11 e retificador de 6 pulsos 1-1

6 Informações Gerais UP11 Pré- Carga Banco Capacitores 1 Rede Retificador Trifásico Banco Capacitores Barramento CC (Link CC) Inversor com Transistores IGBTs Motor Potência UP11 Realimentações: - tensão - corrente PE UC11 - Controle PC Software SuperDrive G2 Software WLP USB IPS1 Fontes para eletrônica e interfaces entre potência e controle Acessórios HMI (remota) Entradas Digitais (DI1 a DI6) Entradas Analógicas (AI1 e AI2) HMI CC11 Cartão de Controle com CPU 32 bits "RISC" Expansão I/O (Slot 1 - branco) Interface Encoder (Slot 2 - amarelo) COMM 1 (Slot 3 - Verde) COMM 2 (anybus) (Slot 4 ) Módulo Memória FLASH (Slot 5) =Interface homem-máquina Saídas Analógicas (AO1 e AO2) Saídas Digitais DO1 (RL1) a DO3 (RL3) Figura Blocodiagrama do CFW-11W 1-2

7 Informações Gerais HMI Tampa Frontal 1 Rack de Controle Blindagem da IPS1 Base da blindagem da IPS1 Cartão IPS1 - Interface entre potência e controle Figura Principais componentes da UC 11 Barramento CC capacitor do barramento CC Cartão CIM Interface com o controle TC de Efeito Hall Conjunto Módulo de IGBTs Cartão de Resistores de Gate Cartão de Gate Drivers Capacitores de desacoplamento dos módulos IGBTs Mangueira de descarga Entrada do fluído Saída do fluído Reatância de Saída Cartão PSB1 Fonte Chaveada Figura Principais componentes da UP11 1-3

8 Informações Gerais UC11 UP11 1 HMI CC11 XC60 XC60 IPS1 UP UN VP VN WP WN XC40 N1 N2 N3 N4 N5 N6 XC40 CIM1 ALIMENTAÇÃO EXTERNA Fonte de Alimentação 24VCC(*) XC9 (*) Tolerância: ±1%; Corrente: 5A. Figura UP11: conexões entre o cartão de interface IPS1 e CIM1 +UD - UD XP XN PSB1 XC3 XC5 + 15V + 5V + 20V XC3 XC5 +UD - UD XP XN CIM1 Figura UP11: conexões entre o cartão de interface CIM1 e o cartão de fontes PSB1 -UD +UD XC1U XC1 GDB5 XC4 CRG9 XC2 XC TCU U XC14U XC64U XU -UD +UD CIM1 XC1V XC1 GDB5 XC4 CRG9 XC2 XC TCV V XC14V XC64V XV -UD +UD L1 (0,5%) UOUT VOUT WOUT XC1W XC1 GDB5 XC4 CRG9 XC2 XC TCW W XC14W XC64W XW Figura UP11: conexões entre o cartão de interface CIM1, os cartões de gate driver, módulos e sensores para tensão de saída e condição de corrente 1-4

9 Informações Gerais NOTA! Para a montagem do acionamento completo são necessários diversos itens adicionais, tais como: retificador de entrada, fusíveis na alimentação DC de cada UP11, circuito de pré-carga externo e reatância de entrada com impedância mínima de entrada em 3 % quando tratar-se de retificador de 6 pulsos. NOTA! Não é necessária a inclusão de TC de falta a terra no acionamento, as UP11 têm sua própria proteção COMO ESPECIFICAR O MODELO Para especificar o modelo do CFW-11W, substitua os valores de tensão e corrente desejados, nos campos respectivos de tensão nominal de alimentação e corrente nominal de saída, para a utilização em regime de sobrecarga normal (ND) do código inteligente conforme exemplo: Tabela Código inteligente Modelo do Inversor Consulte lista de modelos da linha CFW-11W no capítulo 5 no qual também são apresentadas as especificações técnicas dos inversores. Opcionais Disponíveis Consulte o capítulo 7 do manual do usuário do CFW11M para mais detalhes sobre os opcionais. Exemplo BR CFW11W 0640 T 6 (*) S Z Denominação do campo Identificação do mercado (define o idioma do manual e a parametrização de fábrica) Inversor de frequência WEG série 11 Corrente nominal de saída para uso em regime de sobrecarga normal (ND) Número de fases de saída Tensão nominal de saída Opcionais Frenagem Parada de segurança Hardware especial Software especial Dígito indicador de final de codificação Opções disponíveis 2 caracteres T=Trifásico 4= V 6= V S=Produto padrão O=Produto com opcional Em branco= padrão RB=Frenagem regenerativa Em branco= padrão (sempada de segurança Y=com função de parada de segurança conforme EN categoria 3 Em branco= padrão H1=Hardware especial nº 1 Em branco= padrão S1=Software especial nº 1 (*) Este campo (tensão) representa a tensão trifásica de entrada no retificador que alimenta em tensão CC o CFW-11W. O retificador não faz parte do CFW11W. NOTA! Para os demais campos do código, consulte o manual do usuário CFW-11M. Ex.: CFW11W0640T6SZ corresponde a um inversor CFW-11W de 640 A saída trifásica, com tensão de alimentação de entrada de 500 V a 690 V, standard. As opções para corrente nominal do inversor em Regime de Sobrecarga Normal (ND), estão disponíveis na tabela 1.2 descrita a seguir: Tabela Correntes nominais em regime de sobrecarga normal (ND) V V 0700 = 700 A 1330 = 1330 A 1995 = 1995 A 2660 = 2660 A 3325 = 3325 A 0640 = 640 A 1216 = 1216 A 1824 = 1824 A 2432 = 2432 A 3040 = 3040 A 1-5

10 Informações Gerais 1 1-6

11 Instalação e Conexão INSTALAÇÃO E CONEXÃO Este capítulo descreve os procedimentos de instalação elétrica e mecânica do CFW-11W Modular Drive. As orientações e sugestões devem ser seguidas visando à segurança de pessoas, equipamentos e o correto funcionamento do inversor. 2.1 CONDIÇÕES AMBIENTAIS Evitar instalar o CFW-11W em áreas com: Exposição direta a raios solares, chuva e umidade excessiva. Gases ou liquidos explosivos ou corrosivos. Vibração excessiva. Poeira, partículas metálicas ou óleo suspenso no ar. 2 Condições ambientais permitidas para funcionamento: Temperatura ambiente: 0 C a 40 C condições nominais (medidas ao redor do inversor). De 40 C a 45 C redução da corrente de 2 % para cada grau Celsius acima de 40 C. Temperatura de entrada do fluido: 0 ºC a 40 ºC de acordo com o fluido utilizado. De 40 ºC a 45 ºC - redução de corrente de 3 % para cada grau Celsius acima de 40 ºC. Vazão do fluido: 20 l/min. Umidade relativa do ar: de 5 % a 90 % sem condensação. Altitude máxima: até 1000 m condições nominais. De 1000 m a 4000 m redução da corrente de 1 % para cada 100 m acima de 1000 m de altitude. De 2000 m a 4000 m redução da tensão máxima de 1,1 % para cada 100 m acima de 2000 m, altitude máxima de até 4000 m. Grau de poluição: 2 (conforme EN50178 e UL508C), com poluição não condutiva. A condensação não deve causar condução dos resíduos acumulados. 2.2 LISTA DE COMPONENTES O kit para montagem em painel é composto pelo conjunto de controle e por unidades de potência UP11, cujo número varia conforme a corrente. O conjunto de controle contém a unidade de controle UC11, os jogos de cabos necessários para a conexão entre o cartão IPS e as unidades de potência e o cabo fita que conecta o cartão IPS com o cartão de controle CC11. Tabela Correntes e configurações em V Corrente Nominal (A) ND HD Número de unidades de potência UP Tabela Correntes e configurações em V Corrente Nominal (A) ND HD Número de unidades de potência UP Demais componentes, tais como jogo de cabos e fibras óticas, consultar item Lista de Componentes do manual do usuário do CFW11M. 2-1

12 Instalação e Conexão 2.3 INSTALAÇÃO MECÂNICA As unidades de potência devem ser fixadas no painel do acionamento de forma adequada, possibilitando a fácil extração e recolocação no caso de manutenção. A fixação deve também ser tal que evite danos no transporte do painel. 22,5 olhais para içamento de peso 2 Figura UP11 olhais de içamento 2-2 Figura Montagem das UP11 lado a lado sem espaçamento lateral

13 Instalação e Conexão A UP11 possui rodas para ajudar a colocação e retirada do painel (figuras 2.3 e 2.4). 217,4 181,4 Rodas (rolamentos) revestidos de nylon para movimentação ,3 139 Mangueira de descarga Saída do fluído Entrada do fluído ,5 92 7, ,4 21,6 Figura UP11 vista inferior ( mm ) Figura UP11 vista inferior com destaque para as rodas 2-3

14 Instalação e Conexão A base onde são montadas as UP11 possui trilhos para garantir o posicionamento adequado (figura 2.5). 2 A base para trilhos de movimentação é dimensionada de acordo com a quantidade de unidades de potência UP11 que irá no painel Figura Trilhos na base de fixação Para realizar a inserção da UP11 no painel é necessário retirar o suporte inferior que já vem montado na unidade de potência (figura 2.6). Para movimentação da UP11 nos trilhos é necessário retirar o suporte inferior Figura UP11 suporte inferior 2-4

15 Instalação e Conexão 2 Figura Encaixe de fixação da unidade de potência Além do suporte inferior, existem furações para fixação da parte superior da unidade de potência (figura 2.8). Porca M8 soldada ao suporte Suportes para fixação superior do drive Figura Suporte de fixação superior ( mm ) Mais informações sobre instalação mecânica, consulte o item Instalação Mecânica do manual do usuário do CFW11 M. 2-5

16 Instalação e Conexão 2.4 SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO A figura 2.8 apresenta os principais componentes e o esquema do sistema de refrigeração. Válvula Mangueira de descarga 2 Dissipador Circuito do fluído refrigerante Entrada do fluído Saída do fluído Figura Esquema de circulação do fluído refrigerante A válvula localizada na parte superior da UP11 tem a função de drenar possíveis acumulos de bolsões de ar. Essa válvula está conectada a mangueira de descarga localizada na parte inferior da UP11. Mangueira de descarga Entrada de fluído 2-6 Saída de fluido Figura Detalhe da entrada e saída de fluído refrigerante

17 Instalação e Conexão Condensação A condensação ocorre quando a temperatura da água de entrada está muito abaixo da temperatura ambiente. A temperatura da água para evitar a condensação varia com a umidade relativa do ar e a temperatura ambiente. A temperatura à qual o vapor de água presente no ar ambiente passa ao estado líquido na forma de pequenas gotas é conhecida como ponto de orvalho. Na tabela 2.3 é apresentado o ponto de orvalho em relação à umidade relativa do ar e a temperatura ambiente para uma pressão atmosférica de 1 atm. Se a temperatura da água for menor que o valor apresentado, poderá ocorrer condensação. 2 Tabela Ponto de orvalho em relação à umidade relativa do ar e a temperatura ambiente Umidade Relativa do Ar [%] Temperatura Ambiente [ C] <0 <0 <0 <0 <0 0,1 2,6 4,8 6,7 8,4 20 <0 <0 <0 1,9 6,0 9,3 12,0 14,4 16,4 18,3 25 <0 <0 0,5 6,2 10,5 13,8 16,7 19,1 21,3 23,2 30 <0 <0 4,6 10,5 14,9 18,4 21,4 23,9 26,2 28,2 35 <0 <0 8,7 14,8 19,4 23,0 26,1 28,7 31,0 33,1 40 <0 2,6 12,7 19,1 23,8 27,6 30,7 33,5 35,9 38,0 45 <0 6,3 16,8 23,4 28,2 32,1 35,4 38,2 40,7 43,0 ATENÇÃO! A temperatura da água deve ser sempre maior ou igual ao ponto de orvalho. Os valores apresentados na tabela 2.3 são baseados na aproximação de August-Roche-Magnus, que é válida para: Temperatura ambiente de 0 C a 60 C. Umidade relativa do ar de 1 % a 100 %. Ponto de orvalho de 0 C a 50 C. 2.5 INSTALAÇÃO ELÉTRICA PERIGO! As informações a seguir tem a intenção de servir como guia para se obter uma instalação correta. Siga também as normas de instalações elétricas aplicáveis. PERIGO! Certifique-se que a rede de alimentação está desconectada antes de iniciar as ligações. ATENÇÃO! O CFW-11W pode ser conectado em circuitos com capacidade de curto-circuito de até Arms simétricos (máximo 480 V/690 V). 2-7

18 Instalação e Conexão ATENÇÃO! A proteção de curto-circuito do inversor não proporciona proteção de curto-circuito do circuito alimentador. A proteção de curto-circuito do circuito alimentador deve ser prevista conforme normas locais aplicáveis Retificador de Entrada 2 A ponte retificadora principal é dimensionada para atender a potência nominal do acionamento. A dissipação de calor causada pelas perdas na ponte retificadora deve ser levada em conta tanto no dimensionamento do dissipador da ponte quanto no aquecimento do ar interno do painel. Os resistores do circuito de pré-carga devem ser dimensionados conforme os seguintes critérios: Tensão máxima. Energia máxima. Capacidade de sobrecarga de potência dos resistores durante o período de pré-carga (capacidade de dissipação de energia). Tabela Dimensionamento da Pré-carga Corrente de Pico durante a Pré-carga (A) Energia armazenada no banco de capacitores (J) Duração da Pré-carga (s) 0,82.(Vlinha/R) Linha 400 V N.0,008.Vlinha 2 Linha 600 V N.0,004.Vlinha 2 Linha 400 V 0,02.N.R. Linha 600 V 0,01.N.R. Sendo R o valor ôhmico do resistor empregado em cada fase e N é o número de unidades de potência. Exemplo: Num acionamento composto por três unidades de potência, cuja tensão de linha na entrada do retificador fosse 380 Vrms (Linha 400 V), os valores obtidos seriam os seguintes: Energia armazenada no banco de capacitores: 3.0, = 3466 J. Utilizando 3 resistores de 10 Ω (um por fase), cada resistor deverá suportar 1155 J. O fabricante do resistor pode informar a energia suportada pelo componente. A corrente de pico durante a pré-carga seria de 31 A e a duração da pré-carga seria de 0,6 s Fusíveis Recomenda-se a utilização de fusíveis adequados para operação em corrente contínua na alimentação CC da UP11. A tensão máxima no barramento da linha 400 V é 800 Vcc, nas demais linhas é de 1200 Vcc (nível de desligamento dos IGBTs por sobretensão). Fusíveis utilizados em redes CA podem ser utilizados, porém deve ser dado um derating na tensão CA especificada. Para obter o fator de derating consulte o fabricante do fusível. Exemplos de fusíveis: Linha 400 V 10URD73TTF1000 (FERRAZ) Linha 600 V 12URD73TTF900 (FERRAZ) 2-8

19 Instalação e Conexão Conexões UP11 A fixação das conexões de entrada da UP11 é feita com 4 parafusos M12x25 (torque recomendado: 60 N.m), consulte a figura Barramento de entrada negativo (-UD) Barramento de entrada positivo (+UD) 85,8 97,4 61,8 Figura Barramentos de entrada da UP11 conexões CC de entrada (mm) As conexões de saída na reatância interna são feitas através de 6 parafusos M12X30 (torque recomendado: 60 N.m), são utilizados 2 parafusos por fase. Os barramentos são 40X10 mm e a fixação é feita através de porca M12 inserida no barramento, consulte a figura ,5 Olhal para içamento Barra de saída "U" Entrada do fluído Saída do fluído Barra de saída "V" Barra de saída "W" Figura Barramentos de Saída da UP11, conexões de saída para o motor (mm) 2-9

20 Instalação e Conexão Utilize dois cabos com bitola indicada na tabela 2.5, em paralelo, para interligar a reatância de saída da UP11 com o barramento de saída (alimentação do motor). 2 Tabela Cabos de saída Corrente (A) Tensão (V) Regime Seção Mínima dos Cabos (mm 2 ) 700 ND (2x) HD (2x) ND (2x) HD (2x) 150 O parafuso utilizado para fixar o cabo de aterramento da UP11 é M12X30 (torque recomendado: 60 N.m), consulte a figura Aterramento Frontal com Parafuso M12 Figura Ponto de aterramento da UP11 Utilize os cabos com bitola indicados na tabela 2.6 para efetuar o aterramento das unidades de potência UP11. Tabela Cabos de aterramento Corrente (A) Tensão (V) Regime Seção Mínima do Cabo de Aterramento (mm 2 ) 700 ND HD ND HD

21 Instalação e Conexão Conectores de Fibra Ótica Conector D25 2 Figura Pontos de conexão de cabos de controle na UP11 Mantenha a curvatura dos cabos, de fibra ótica com raio maior ou igual a 35 mm. Caso o controle seja montado na porta do painel deixe uma curvatura tal que o esforço nos cabos de fibra ótica, quando a porta é aberta ou fechada, seja mínimo. Mais detalhes sobre intalação elétrica consultar o item Instalação Elétrica do manual do usuário do CFW11M. 2.6 INSTALAÇÕES DE ACORDO COM A DIRETIVA EUROPÉIA DE COMPATIBILIDADE ELETROMAGNÉTICA Os inversores CFW-11W, quando corretamente instalados, atendem os requisitos da diretiva de compatibilidade eletromagnética EMC Directive 2004/108/EC Instalação Conforme Para a instalação Conforme utilize: 1. Inversores CFW-11W standard para níveis de emissão de acordo com IEC/EN Adjustable Speed Electrical Power Drive Systems, categoria C4. 2. Filtros externos adicionais para atender os níveis de emissão conduzida categoria C2 ou C3. 3. Cabos de saída (cabos do motor) blindados e com a blindagem conectados em ambos os lados, motor e inversor, com conexão de baixa impedância para alta frequência. Mantenha a separação dos demais cabos conforme tabela 3.11 do manual do usuário do CFW-11M. 2-11

22 Instalação e Conexão 4. Cabos de controle blindados. Mantenha a separação dos demais cabos conforme o item Conexão de Controle do manual do usuário do CFW-11M. 5. Aterramento do inversor conforme instruções do item Definições das Normas 2 IEC/EN : Adjustable Speed Electrical Power Drives Systems Ambientes: Primeiro ambiente ( First Environment ): ambientes que incluem instalações domésticas, como estabelecimentos conectados sem transformadores intermediários à rede de baixa tensão, a qual alimenta instalações de uso doméstico. Exemplo: casas, apartamentos, instalações comerciais ou escritórios localizados em prédios residenciais. Segundo ambiente ( Second Environment ): Ambientes que incluem todos os estabelecimentos que não estão conectados diretamente à rede de baixa tensão, a qual alimenta instalações de uso doméstico. Exemplo: áreas industriais, áreas técnicas de quaisquer prédios alimentados por um transformador dedicado. Categorias: Categoria C1: inversores com tensões menores que 1000 V, para uso no Primeiro Ambiente. Categoria C2: inversores com tensões menores que 1000 V, que não são providos de plugs ou instalações móveis e, quando forem utilizados no Primeiro Ambiente, deverão ser instalados e colocados em funcionamento por profissional. OBS: Por profissional, entende-se uma pessoa ou organização com conhecimento em instalação e/ou colocação em funcionamento dos inversores, incluindo os seus aspectos de EMC. Categoria C3: inversores com tensões menores que 1000 V, desenvolvidos para uso no Segundo Ambiente e não projetados para uso no Primeiro Ambiente. Categoria C4: inversores com tensões iguais ou maiores que 1000 V, ou corrente nominal igual ou maior que 400 A, ou desenvolvidos para uso em sistemas complexos no Segundo Ambiente. EN55011: Threshold values and measuring methods for radio interference from industrial, scientific and medical (ISM) high-frequency equipment Classe B: equipamento usado em redes públicas (condomínio, comércio e indústria leve). Classe A1: equipamento usado em redes públicas. Distribuição restrita. Nota: quando forem usados em redes públicas deverão ser instalados e colocados em funcionamento por profissional. Classe A2: equipamento usado em redes industriais. 2-12

23 Instalação e Conexão Níveis de Emissão e Imunidade Atendidos Tabela Níveis de emissão e imunidade atendidos Fenômeno de EMC Norma Básica Nível Emissão: Emissão Conduzida ( Mains Terminal Disturbance Voltage Faixa de freqüência: 150 khz a 30 MHz) Emissão Radiada ( Electromagnetic Radiation Disturbance Faixa de freqüência: 30 MHz a 1 GHz) Imunidade: IEC/EN Sem filtro externo: Categoria C4. - Com filtro externo: Categoria C2 ou C3. 2 Descarga Eletrostática (ESD) IEC/EN kv descarga por contato e 8 kv descarga pelo ar. Transientes Rápidos ( Fast Transient-Burst ) Imunidade Conduzida ( Conduced Radio-Frequency Common Mode ) Surtos Campo Eletromagnético de radiofreqüência. IEC/EN IEC/EN IEC/EN IEC/EN kv/5 khz (acoplador capacitivo) cabos de entrada. 1 kv/5 khz cabos de controle. 2 kv/5 khz (acoplador capacitivo) cabos do motor a 80 MHz; 10 V; 80 % AM (1 khz). Cabos do motor, de controle e da HMI remota. 1.2/50 µs, 8/20 µs. 1 kv acoplamento linha-linha. 2 kv acoplamento linha-terra. 80 a 1000 MHz. 10 V/m. 80 % AM (1 khz) Filtros RFI Externos Use somente quando necessários níveis de emissão conduzida categoria C2 ou C3 de acordo com IEC/EN Os modelos abaixo são do fabricante Epcos. Tabela Filtros para redes V Tabela Filtros para redes V Modelo Inversor Regime Modelo Filtro Modelo Inversor Regime Modelo Filtro 700 ND B84143-B1000-S20 ND B84143-B1000-S HD B84143-B600-S20 HD B84143-B600-S ND B84143-B1600-S20 ND B84143-B1600-S HD B84143-B1000-S20 HD B84143-B1000-S ND B84143-B2500-S20 ND B84143-B2500-S HD B84143-B1600-S20 HD B84143-B1600-S ND ---- ND B84143-B2500-S HD B84143-B2500-S20 HD B84143-B2500-S ND ---- ND HD B84143-B2500-S20 HD B84143-B2500-S

24 Instalação e Conexão Fiação de Sinal e Controle 2 Transformador Q1 F1 F2 F3 L1 L2 L3 E Filtro L1 L2 L3 E R S T Retificador PE + - CFW-11W PE U V W Motor PE Haste de Aterramento Painel ou Caixa Metálica Terra de Proteção - PE Figura Conexões do filtro de RFI externo Somente utilize os filtros relacionados em redes com neutro solidamente aterrado. Não os utilize em redes IT, redes não aterradas ou aterradas via alta impedância. Na instalação dos filtros tome as precauções usuais com filtros de EMC: não cruze os cabos de entrada do filtro com os de saída, monte o filtro sobre uma chapa metálica garantindo o contato entre o filtro e a chapa na maior superfície possível, aterre esta chapa metálica via cordoalha. Dados técnicos dos filtros: Filtro Tabela Características dos Filtros Corrente Nominal [A] Potência Dissipada [W] Peso [kg] B84143-B600-S B84143-B1000-S B84143-B1600-S B84143-B2500-S B84143-B600-S B84143-B1000-S B84143-B1600-S B84143-B2500-S

25 Diagnóstico de Problemas e Manutenção DIAGNÓSTICO DE PROBLEMAS E MANUTENÇÃO 3.1 FALHAS, ALARMES E POSSÍVEIS CAUSAS Todos os alarmes e falhas existentes na linha CFW-11M são válidos para o CFW-11W. Consulte o manual do usuário CFW-11M para maiores detalhes das falhas e alarmes. As falhas e os alarmes específicos do CFW-11W, e as causas mais prováveis para sua ocorrência são apresentadas a seguir. Tabela Descrição das Falhas e Alarmes Falha/Alarme Descrição Causas Prováveis A300: Temperatura Alta IGBT U B1 Alarme de temperatura elevada medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase U book 1 3 F301: Sobretemperatura IGBT U B1 A303: Temperatura Alta IGBT V B1 F304: Sobretemperatura IGBT V B1 A306: Temperatura Alta IGBT W B1 F307: Sobretemperatura IGBT W B1 A309: Temperatura Alta IGBT U B2 F310: Sobretemperatura IGBT U B2 A312: Temperatura Alta IGBT V B2 F313: Sobretemperatura IGBT V B2 A315: Temperatura Alta IGBT W B2 F316: Sobretemperatura IGBT W B2 A318: Temperatura Alta IGBT U B3 F319: Sobretemperatura IGBT U B3 A321: Temperatura Alta IGBT V B3 F322: Sobretemperatura IGBT V B3 A324: Temperatura Alta IGBT W B3 F325: Sobretemperatura IGBT W B3 A327: Temperatura Alta IGBT U B4 F328: Sobretemperatura IGBT U B4 A330: Temperatura Alta IGBT V B4 F331: Sobretemperatura IGBT V B4 Falha de sobretemperatura medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase U book 1 Alarme de temperatura elevada medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase V book 1 Falha de sobretemperatura medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase V book 1 Alarme de temperatura elevada medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase W book 1 Falha de sobretemperatura medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase W book 1 Alarme de temperatura elevada medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase U book 2 Falha de sobretemperatura medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase U book 2 Alarme de temperatura elevada medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase V book 2 Falha de sobretemperatura medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase V book 2 Alarme de temperatura elevada medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase W book 2 Falha de sobretemperatura medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase W book 2 Alarme de temperatura elevada medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase U book 3 Falha de sobretemperatura medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase U book 3 Alarme de temperatura elevada medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase V book 3 Falha de sobretemperatura medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase V book 3 Alarme de temperatura elevada medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase W book 3 Falha de sobretemperatura medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase W book 3 Alarme de temperatura elevada medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase U book 4 Falha de sobretemperatura medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase U book 4 Alarme de temperatura elevada medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase V book 4 Falha de sobretemperatura medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase V book 4 - Temperatura elevada do fluído de resfriamento (>40 ºC). - Circuito hidráulico obstruído. - Defeito na bomba hidráulica. - Falta de alimentação na bomba hidráulica. -Vazamento. 3-1

26 Diagnóstico de Problemas e Manutenção Falha/Alarme Descrição Causas Prováveis A333: Temperatura Alta IGBT W B4 Tabela 3.1 (cont.) - Descrição das Falhas e Alarmes Alarme de temperatura elevada medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase W book 4 F334: Sobretemperatura IGBT W B4 Falha de sobretemperatura medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase W book 4 3 A336: Temperatura Alta IGBT U B5 F337: Sobretemperatura IGBT U B5 A339: Temperatura Alta IGBT V B5 F340: Sobretemperatura IGBT V B5 A342: Temperatura Alta IGBT W B5 Alarme de temperatura elevada medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase U book 5 Falha de sobretemperatura medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase U book 5 Alarme de temperatura elevada medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase V book 5 Falha de sobretemperatura medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase V book 5 Alarme de temperatura elevada medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase W book 5 - Temperatura elevada do fluído de resfriamento (>40 ºC). - Circuito hidráulico obstruído. - Defeito na bomba hidráulica. - Falta de alimentação na bomba hidráulica. -Vazamento. F343: Sobretemperatura IGBT W B5 Falha de sobretemperatura medida no sensor de temperatura (NTC) do IGBT da fase W book 5 A345: Carga Alta IGBT U B1 Alarme de sobrecarga no IGBT da fase U book 1 F346: Sobrecarga no IGBT U B1 Falha de sobrecarga no IGBT da fase U book 1 A348: Carga Alta IGBT V B1 Alarme de sobrecarga no IGBT da fase V book 1 F349: Sobrecarga no IGBT V B1 Falha de sobrecarga no IGBT da fase V book 1 A351: Carga Alta IGBT W B1 Alarme de sobrecarga no IGBT da fase W book 1 F352: Sobrecarga no IGBT W B1 Falha de sobrecarga no IGBT da fase W book 1 A354: Carga Alta IGBT U B2 Alarme de sobrecarga no IGBT da fase U book 2 F355: Sobrecarga no IGBT U B2 Falha de sobrecarga no IGBT da fase U book 2 A357: Carga Alta IGBT V B2 Alarme de sobrecarga no IGBT da fase V book 2 F358: Sobrecarga no IGBT V B2 A360: Carga Alta IGBT W B2 Falha de sobrecarga no IGBT da fase V book 2 Alarme de sobrecarga no IGBT da fase W book 2 Corrente alta na saída do inversor. (Consulte a figura 5.1) F361: Sobrecarga no IGBT W B2 Falha de sobrecarga no IGBT da fase W book 2 A363: Carga Alta IGBT U B3 Alarme de sobrecarga no IGBT da fase U book 3 F364: Sobrecarga no IGBT U B3 Falha de sobrecarga no IGBT da fase U book 3 A366: Carga Alta IGBT V B3 Alarme de sobrecarga no IGBT da fase V book 3 F367: Sobrecarga no IGBT V B3 Falha de sobrecarga no IGBT da fase V book 3 A369: Carga Alta IGBT W B3 Alarme de sobrecarga no IGBT da fase W book 3 F370: Sobrecarga no IGBT W B3 Falha de sobrecarga no IGBT da fase W book 3 A372: Carga Alta IGBT U B4 Alarme de sobrecarga no IGBT da fase U book 4 F373: Sobrecarga no IGBT U B4 Falha de sobrecarga no IGBT da fase U book 4 3-2

Motores Automação Energia Tintas V2.7X SCA-05. Adendo ao Manual. Idioma: Português. Documento: 10000116522 / 00

Motores Automação Energia Tintas V2.7X SCA-05. Adendo ao Manual. Idioma: Português. Documento: 10000116522 / 00 Motores Automação Energia Tintas V2.7X SCA05 Adendo ao Manual Idioma: Português Documento: 10000116522 / 00 Índice 1. PARÂMETROS INCLUSOS E ALTERADOS...5 2. descrição DETALHADA DOS PARÂMETROS INCLUSOS

Leia mais

INVERSOR DE FREQÜÊNCIA CFW09 ACIMA DE 500 HP 380-480V 500-600V 660-690V

INVERSOR DE FREQÜÊNCIA CFW09 ACIMA DE 500 HP 380-480V 500-600V 660-690V INVERSOR DE FREQÜÊNCIA CFW09 ACIMA DE 500 HP 380-480V 500-600V 660-690V Adendo ao Manual do Usuário ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 2 2. LINHA CFW-09 ACIMA DE 500 HP... 3 3. INSTALAÇÃO MECÂNICA... 7 4. INSTALAÇÃO

Leia mais

Características & Interligação. Módulo APGV. Módulo Ponte Graetz com Ventilação Forçada. Revisão 00 de 13/05/10

Características & Interligação. Módulo APGV. Módulo Ponte Graetz com Ventilação Forçada. Revisão 00 de 13/05/10 Características & Interligação Módulo APGV Módulo Ponte Graetz com Ventilação Forçada Revisão 00 de 13/05/10 Direitos Reservados à Todas as informações contidas neste manual são de uso exclusivo da Equipamentos

Leia mais

IECETEC. Acionamentos elétricos AULA 15 INVERSOR DE FREQUÊNCIA (AULA PRÁTICA)

IECETEC. Acionamentos elétricos AULA 15 INVERSOR DE FREQUÊNCIA (AULA PRÁTICA) AULA 15 INVERSOR DE FREQUÊNCIA (AULA PRÁTICA) FOLHA DE ROTEIRO - 02 DISCIPLINA: INVERSOR DE FREQUÊNCIA ALUNO EXPERIMENTO AULA DE CAMPO TIPO DE ATIVIDADE AULA PRÁTICA DEMONSTRAÇÃO NOME DA ATIVIDADE INSTALAÇÃO

Leia mais

V6 Características. A função de compensação de escorregamento permite uma operação estável mesmo com flutação de carga.

V6 Características. A função de compensação de escorregamento permite uma operação estável mesmo com flutação de carga. IBD# D-F-2-H-KSN-BR V6 Características Alta Performance [Alto torque de partida com 150% ou mais] Com um sistema simplificado de controle vetorial e função de controle de torque automático oferece uma

Leia mais

Descrição do Produto. Dados para compra

Descrição do Produto. Dados para compra Descrição do Produto A funcionalidade e versatilidade da linha de Inversores de Freqüência NXL da Altus fazem dela a solução ideal para as mais diversas aplicações. Visa atingir motores com menores potências

Leia mais

Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes. Código do Produto

Descrição do Produto. Dados para Compra. Itens Integrantes. Código do Produto Descrição do Produto A Série Energy da Altus traz uma solução confiável para um dos pontos mais críticos em uma aplicação industrial: o fornecimento de alimentação para todos os dispositivos do sistema

Leia mais

User's Guide Frequency Inverter Guía del Usuario Convertidor de Frecuencia Manual do Usuário Inversor de Freqüência Bedienungsanleitung

User's Guide Frequency Inverter Guía del Usuario Convertidor de Frecuencia Manual do Usuário Inversor de Freqüência Bedienungsanleitung User's Guide Frequency Inverter Guía del Usuario Convertidor de Frecuencia Manual do Usuário Inversor de Freqüência Bedienungsanleitung Frequenzumrichter Guide d'instalation et d'exploitation Variateur

Leia mais

SSW05 Plus Micro Soft-Starter. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

SSW05 Plus Micro Soft-Starter. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas SSW05 Plus Micro Soft-Starter Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas www.weg.net SSW05 Plus - Micro Soft-Starters Soft-starters são chaves de partida estática, projetadas para a aceleração,

Leia mais

SSW-05 Micro Soft-starter

SSW-05 Micro Soft-starter Motores Automação Energia Tintas Micro Soft-starter g Compacto g Digital - DSP g Fácil operação g Elevado rendimento g By-pass incorporado REPLACE ME BY A PICTURE! Soft-Starters são chaves de partida estática,

Leia mais

Inversor de Freqüência

Inversor de Freqüência Inversor de Freqüência O inversor de freqüência CFW-11 é um acionamento de velocidade variável com tecnologia de última geração para motores de indução trifásicos. Pode ser utilizado numa vasta gama de

Leia mais

As melhores soluções para sua Automação. Inversores de Freqüência Soft-Starters Servoacionamentos Controladores Programáveis

As melhores soluções para sua Automação. Inversores de Freqüência Soft-Starters Servoacionamentos Controladores Programáveis As melhores soluções para sua Automação Inversores de Freqüência Soft-Starters Servoacionamentos Controladores Programáveis Disponíveis em nosso site www.weg.com.br Softwares WEG Automação Alguns dos softwares

Leia mais

Rectifier Unit. Unidad Rectificadora. Unidade Retificadora UR11. User's Manual Manual del Usuario Manual do Usuário

Rectifier Unit. Unidad Rectificadora. Unidade Retificadora UR11. User's Manual Manual del Usuario Manual do Usuário Motors Automation Energy Transmission & Distribution Coatings Rectifier Unit Unidad Rectificadora Unidade Retificadora UR11 User's Manual Manual del Usuario Manual do Usuário UR11 MANUAL DA UNIDADE RETIFICADORA

Leia mais

Motores I Automação I Energia I Transmissão & Distribuição I Tintas. Inversor de Frequência CFW-11T. Manual do Usuário

Motores I Automação I Energia I Transmissão & Distribuição I Tintas. Inversor de Frequência CFW-11T. Manual do Usuário Motores I Automação I Energia I Transmissão & Distribuição I Tintas Inversor de Frequência CFW-11T Manual do Usuário MANUAL DO INVERSOR DE FREQUÊNCIA Série: CFW-11T Idioma: Português Documento: 10002020360

Leia mais

Inversores de freqüência. Introdução

Inversores de freqüência. Introdução Inversores de freqüência Introdução Desde que os primeiros motores surgiram, os projetistas perceberam uma necessidade básica, controlar sua velocidade, várias técnicas foram utilizadas ao longo dos anos

Leia mais

Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração HYMV05

Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração HYMV05 Sistema de Monitoramento e Supervisão de Vibração Revisão 1 Mai2005 O é um sistema inteligente de Monitoramento, Aquisição de Dados e Supervisão Local para utilização com os softwares da linha Dynamic.

Leia mais

CFW100 - Micro Drive Inversor de Frequência. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

CFW100 - Micro Drive Inversor de Frequência. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas CFW100 - Micro Drive Inversor de Frequência Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas www.we.net Micro Drive O CFW100 é um acionamento de velocidade variável de alta performance para motores

Leia mais

PLANILHA DE PROPOSTA

PLANILHA DE PROPOSTA 0001 012186 INVERSOR DE FREQUENCIA 144 AMPERES / 220 VCA Inversor de freqüência para aplicação em motor elétrico trifásico com corrente nominal de serviço 140A, tensão nominal 220V, temperatura de funcionamento

Leia mais

Manual de Instalação e Operação Revisão 15 de 14 de Abril de 2009

Manual de Instalação e Operação Revisão 15 de 14 de Abril de 2009 GRAMEYER Equipamentos Eletrônicos Ltda / GRAMEYER Indústria Eletroeletrônica Ltda. R. Mal. Castelo Branco, 2477 Schroeder SC Brasil 89275-000 e-mail: info@grameyer.com.br - www.grameyer.com.br Fones: 55

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Relés de Sobrecarga Térmico Linha RW

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Relés de Sobrecarga Térmico Linha RW Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Relés de Sobrecarga Térmico Linha RW Relés de Sobrecarga Térmico RW Informações Gerais - Local para identificação - Tecla Reset + Multifunção

Leia mais

DRIVES. Instruções para Instalações de Conversores de Freqüência. Edição 08.2002. IND 1 Drives technology Suporte Técnico Drives Hotline

DRIVES. Instruções para Instalações de Conversores de Freqüência. Edição 08.2002. IND 1 Drives technology Suporte Técnico Drives Hotline s DRIVES Instruções para Instalações de Conversores de Freqüência Edição 08.2002 IND 1 Drives technology Suporte Técnico Drives Hotline ÍNDICE INTRODUÇÃO...2 A IMPORTÂNCIA DO REATOR DE SAÍDA...2 FILTROS

Leia mais

www.siemens.com.br/acionamentos SINAMICS V60 A solução perfeita para aplicações básicas de servo.

www.siemens.com.br/acionamentos SINAMICS V60 A solução perfeita para aplicações básicas de servo. www.siemens.com.br/acionamentos SINAMICS V60 A solução perfeita para aplicações básicas de servo. SINAMICS V60 com servomotores 1FL5 A solução para aplicações básicas de servo A tecnologia servo-drive

Leia mais

bambozzi Manual de Instruções NM 250 TURBO +55 (16) 3383 S.A.B. (Serviço de Atendimento Bambozzi) 0800 773.3818 sab@bambozzi.com.

bambozzi Manual de Instruções NM 250 TURBO +55 (16) 3383 S.A.B. (Serviço de Atendimento Bambozzi) 0800 773.3818 sab@bambozzi.com. bambozzi A SSISTÊNCIAS T ÊCNICAS AUTORIZADAS acesse: www.bambozzi.com.br/assistencias.html ou ligue: +55 (16) 3383 3818 Manual de Instruções BAMBOZZI SOLDAS LTDA. Rua Bambozzi, 522 Centro CEP 15990-668

Leia mais

Manual de instalação e operação

Manual de instalação e operação Manual de instalação e operação Central de alarme de incêndio endereçável INC 2000 Central de alarme de incêndio INC 2000 Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Engesul.

Leia mais

Capacitores Correção do Fator de Potência. Motores Automação Energia Tintas

Capacitores Correção do Fator de Potência. Motores Automação Energia Tintas Capacitores Correção do Fator de Potência Motores Automação Energia Tintas Unidade Capacitiva Monofásica - UCW g As unidades capacitivas monofásicas WEG, tipo UCW, são produzidas com filme de polipropileno

Leia mais

Capacitores Correção do Fator de Potência. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

Capacitores Correção do Fator de Potência. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Capacitores Correção do Fator de Potência Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas www.we.net Sumário Tecnoloia dos Capacitores...4 Linha de Produtos...5 UCW - Unidade Capacitiva Monofásica...6

Leia mais

Motores Automação Energia Tintas. CFW-10 Inversores de Freqüência

Motores Automação Energia Tintas. CFW-10 Inversores de Freqüência Motores Automação Eneria Tintas Inversores de Freqüência www.we.net Inversores de Freqüência Destinados ao controle e variação da velocidade de motores elétricos de indução trifásicos, os inversores da

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Automação Contatores para Manobra de Capacitores

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Automação Contatores para Manobra de Capacitores Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Automação Contatores para Manobra de Capacitores Manobras de Capacitores para Correção do Fator de Potência A linha de contatores especiais CWMC

Leia mais

Sistema Multibombas Controle Móvel CFW-11

Sistema Multibombas Controle Móvel CFW-11 Motores Energia Automação Tintas Sistema Multibombas Controle Móvel CFW-11 Manual de Aplicação Idioma: Português Documento: 10000122732 / 01 Manual de Aplicação para Sistema Multibombas Controle Móvel

Leia mais

Inversor de Freqüência

Inversor de Freqüência Descrição do Funcionamento. Inversor de Freqüência Atualmente, a necessidade de aumento de produção e diminuição de custos, se fez dentro deste cenário surgir a automação, ainda em fase inicial no Brasil,

Leia mais

COMPONENTES. Chave sem carga para o tipo de Título Instalação fixa SW

COMPONENTES. Chave sem carga para o tipo de Título Instalação fixa SW COMPONENTES Chave sem carga para o tipo de Título Instalação fixa SW Informações gerais A chave SW sem carga é uma gama completa projetada para cobrir todas as aplicações a serem cumpridas em subestações

Leia mais

Atenção Leia antes de ligar o motor

Atenção Leia antes de ligar o motor -- Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas Guia Rápido WManet Drive System Atenção Leia antes de liar o motor Leia atentamente este manual antes de instalar e confiurar os equipamentos

Leia mais

Inversor de Frequência Série XF Standard

Inversor de Frequência Série XF Standard Inversor de Frequência Série XF Standard Manual de Instruções Software: v2.7.5 AGEON Electronic Controls +55 [48] 3028-8878 www.ageon.com.br ageon@ageon.com.br 2 1. SUMÁRIO 1. SUMÁRIO 1. SUMÁRIO... 3 2.

Leia mais

CFW08 Inversor de Frequência. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

CFW08 Inversor de Frequência. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas CFW08 Inversor de Frequência Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas www.weg.net O inversor de frequência CFW08 é um acionamento de velocidade variável, destinado ao controle e variação

Leia mais

Frequency Inverter Convertidores de Frecuencia Inversores de Freqüência

Frequency Inverter Convertidores de Frecuencia Inversores de Freqüência Frequency Inverter Convertidores de Frecuencia Inversores de Freqüência MANUAL DO INVERSOR DE FREQÜÊNCIA Série: CFW-10 Software: versão 2.0X 0899.5200 P/5 12/2005 ATENÇÃO! É muito importante conferir se

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICIPIO DE SCHROEDER ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº: 26/2013. Página: 1/6

ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICIPIO DE SCHROEDER ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº: 26/2013. Página: 1/6 Página: 1/6 2 MOTOBOMBA SUBMERSÍVEL DE ROTOR SEMI-ABERTO Motobomba submersível de rotor semi-aberto em ferro fundido GG 15, corpo e tampa da bomba em ferro fundido GG 15. Selo mecânico ¾"de carbeto de

Leia mais

CONVERSORES DE FREQÜÊNCIA Instruções para Instalação de Conversores de Freqüência

CONVERSORES DE FREQÜÊNCIA Instruções para Instalação de Conversores de Freqüência CONVERSORES DE FREQÜÊNCIA Instruções para Instalação de Conversores de Freqüência Edição 08.2007 A&D CS Suporte Técnico Drives HotLine Índice 1. Introdução 2. Condições Ambientais de Operação 2.1 Poluição

Leia mais

Inversores de Freqüência

Inversores de Freqüência Inversores de Freqüência Destinados ao controle e variação da velocidade de motores elétricos de indução trifásicos, os inversores da linha CFW-08 reúnem design moderno com tecnologia estado da arte mundial,

Leia mais

CFW-11 Inversor de Freqüência

CFW-11 Inversor de Freqüência CFW-11 Inversor de Freqüência Inversor de Freqüência CFW-11 O inversor de freqüência CFW-11 é um acionamento de velocidade variável com tecnologia de última geração para motores de indução trifásicos.

Leia mais

Servoconversores SCA 04 Servomotores SWA

Servoconversores SCA 04 Servomotores SWA Servoconversores SCA 04 Servomotores SWA Os Servoacionamentos WEG são utilizados nas mais diversas aplicações industriais, onde, elevada dinâmica, controle de torque, precisão de velocidade e posicionamento

Leia mais

Fontes de Alimentação Lineares não reguladas

Fontes de Alimentação Lineares não reguladas Fontes Lineares não reguladas FAL 24Vcc / 5A FAL 24Vcc / 10A Referência FAL 24Vcc/5A C904385.2000 Referência FAL 24Vcc/10A C904404.2000 Dados nominais Tensão de Entrada (± 10%): Tensão de saída ± 5% (selecionável):

Leia mais

Cuidados e Precausões

Cuidados e Precausões 1 P/N: AK-PRONET04AMA SERVO DRIVER AKIYAMA ESTUN Servoacionamento Serie Cuidados e Precausões Recomendamos a completa leitura desde manual antes da colocação em funcionamento dos equipamentos. 2 SUMÁRIO

Leia mais

Inversores de Freqüência. Transformando energia em soluções

Inversores de Freqüência. Transformando energia em soluções Inversores de Freqüência Transformando energia em soluções Destinados ao controle e variação da velocidade de motores elétricos de indução trifásicos, os inversores da linha CFW-08 reúnem design moderno

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Automação Contatores para Aplicações de Segurança

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Automação Contatores para Aplicações de Segurança Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Automação Contatores para Aplicações de Segurança Com a crescente conscientização da necessidade de avaliação dos riscos na operação de máquinas

Leia mais

IND 1 DT MICROMASTER 430

IND 1 DT MICROMASTER 430 MICROMASTER 430 MICROMASTER 430 Uma visão geral l Inversores trifásicos de 400V projetados para aplicações com cargas de torque quadrático (bombas, ventiladores, etc.) l Quatro tamanhos de carcaça: FS

Leia mais

SISTEMAS DE ENERGIA TTS IGBT TRIFÁSICO 10KVA À 200KVA UPS MANUTENÇÃO RETIFICADORES UPS INDUSTRIAL BATERIAS

SISTEMAS DE ENERGIA TTS IGBT TRIFÁSICO 10KVA À 200KVA UPS MANUTENÇÃO RETIFICADORES UPS INDUSTRIAL BATERIAS SISTEMAS DE ENERGIA TTS IGBT TRIFÁSICO 10KVA À 200KVA UPS MANUTENÇÃO RETIFICADORES UPS INDUSTRIAL BATERIAS HDS SISTEMAS DE ENERGIA ANTECIPANDO SOLUÇÕES, GERANDO RESULTADOS A HDS Sistemas de Energia está

Leia mais

DECIBEL Indústria e Comércio Ltda RELÉ DE SEGURANÇA D 195 MANUAL DO USUÁRIO. www.decibel.com.br

DECIBEL Indústria e Comércio Ltda RELÉ DE SEGURANÇA D 195 MANUAL DO USUÁRIO. www.decibel.com.br DECIBEL Indústria e Comércio Ltda RELÉ DE SEGURANÇA D 195 MANUAL DO USUÁRIO www.decibel.com.br ATENÇÃO É de fundamental importância a leitura completa deste manual antes de ser iniciada qualquer atividade

Leia mais

bambozzi Manual de Instruções Fonte de Energia para Soldagem MAC 155ED +55 (16) 3383

bambozzi Manual de Instruções Fonte de Energia para Soldagem MAC 155ED +55 (16) 3383 bambozzi A SSISTÊNCIAS T ÊCNICAS AUTORIZADAS acesse: www.bambozzi.com.br/assistencias.html ou ligue: +55 (16) 3383 3818 Manual de Instruções BAMBOZZI SOLDAS LTDA. Rua Bambozzi, 522 Centro CEP 15990-668

Leia mais

WEG EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS S. A. CENTRO DE TREINAMENTO DE CLIENTES - CTC KIT CONTROLE DE VELOCIDADE DE MOTORES CA - MANUAL DO PROFESSOR

WEG EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS S. A. CENTRO DE TREINAMENTO DE CLIENTES - CTC KIT CONTROLE DE VELOCIDADE DE MOTORES CA - MANUAL DO PROFESSOR WEG EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS S. A. CENTRO DE TREINAMENTO DE CLIENTES - CTC KIT CONTROLE DE VELOCIDADE DE MOTORES CA - MANUAL DO PROFESSOR CENTRO DE TREINAMENTO DE CLIENTES - CTC KIT CONTROLE DE VELOCIDADE

Leia mais

ACIONAMENTOS ELETRÔNICOS (INVERSOR DE FREQUÊNCIA)

ACIONAMENTOS ELETRÔNICOS (INVERSOR DE FREQUÊNCIA) ACIONAMENTOS ELETRÔNICOS (INVERSOR DE FREQUÊNCIA) 1. Introdução 1.1 Inversor de Frequência A necessidade de aumento de produção e diminuição de custos faz surgir uma grande infinidade de equipamentos desenvolvidos

Leia mais

Inversores de Frequencia M-MAX. Projetados para maior eficiência de operação

Inversores de Frequencia M-MAX. Projetados para maior eficiência de operação Inversores de Frequencia MMAX Projetados para maior eficiência de operação Potência para os negócios no mundo todo Automotivo A Eaton fornece energia para centenas de produtos atendendo a demanda mundial

Leia mais

Springer - Carrier. Índice

Springer - Carrier. Índice Índice Página 1 - Diagnóstico de Defeitos em um Sistema de Refrigeração... 8 1.1 - Falha: Compressor faz ruído, tenta partir, porém não parte... 8 1.2 - Falha: Compressor funciona, porém não comprime...

Leia mais

MANUAL DO INVERSOR DE FREQÜÊNCIA

MANUAL DO INVERSOR DE FREQÜÊNCIA MANUAL DO INVERSOR DE FREQÜÊNCIA Série: CFW-10 Software: versão 2.0X e 2.2X 0899.5860 P/6 11/2007 ATENÇÃO! É muito importante conferir se a versão de software do inversor é igual a indicada acima. Sumário

Leia mais

FONTE DE ALIMENTAÇÃO CHAVEADA CWF24-20

FONTE DE ALIMENTAÇÃO CHAVEADA CWF24-20 FONTE DE ALIMENTAÇÃO CHAVEADA (Input: 100 ~ 240 Vac / 80 ~ 370 Vdc) (Output: 24 Vdc / 20 A) CWF24-20 Fonte de Alimentação Chaveada Manual do usuário MAN-PT-DE-CWF24-20-01.00_14 Introdução Obrigado por

Leia mais

POWERTRANS ELETRÔNICA INDUSTRIAL Manual Técnico de Instalação e Operação POWERBLOCK MASTER MONOFÁSICO

POWERTRANS ELETRÔNICA INDUSTRIAL Manual Técnico de Instalação e Operação POWERBLOCK MASTER MONOFÁSICO POWERTRANS Eletrônica Industrial Ltda. Rua Ribeiro do Amaral, 83 Ipiranga SP - Fone/Fax: (11) 2063-9001 E-mail: powertrans@powertrans.com.br Site: www.powertrans.com.br Manual Técnico de Instalação e Operação

Leia mais

CONTROLADOR DE TEMPERATURA TRES-S TS MANUAL DE INSTRUÇÕES TS01-TS03-TS05-TS08-TS12

CONTROLADOR DE TEMPERATURA TRES-S TS MANUAL DE INSTRUÇÕES TS01-TS03-TS05-TS08-TS12 CONTROLADOR DE TEMPERATURA TRES-S TS MANUAL DE INSTRUÇÕES TS01-TS03-TS05-TS08-TS12 INSTALAÇÃO DO CONTROLADOR DE TEMPERATURA Atenção: A Montagem e manutenção devem ser realizadas apenas por profissionais

Leia mais

RT1400. Display IRIG-B. Manual de Instruções

RT1400. Display IRIG-B. Manual de Instruções RT1400 Display IRIG-B Manual de Instruções Código do firmware: 07vrr Documento: rt1400.fw07-manual-pt-v02 Reason Tecnologia S.A. Todos os direitos reservados. Os produtos Reason são melhorados continuamente.

Leia mais

110,5 x 22,5 x 114 (term. mola)

110,5 x 22,5 x 114 (term. mola) Supervisão de parada de emergência e monitoramento de portas Supervisão de sensores de segurança magnéticos codificados Entrada para 1 ou 2 canais Categoria de Segurança até 4 conforme EN 954-1 Para aplicações

Leia mais

Inversor Solar Conectado à Rede Inversor Solar Fotovoltaico HIVERTER - Série NP201i

Inversor Solar Conectado à Rede Inversor Solar Fotovoltaico HIVERTER - Série NP201i Inversor Solar Fotovoltaico HIVERTER - Série NP201i HIVERTER - Série NP201i Os Inversores Fotovoltaicos da Hitachi são do tipo Grid-Tied (GT Conectados à Rede) com controle reativo de potência e alta eficiência,

Leia mais

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-5.0A

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-5.0A MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-5.0A V01R12 Atenção: - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Akiyama Tecnologia se reserva no direito de fazer alterações sem aviso

Leia mais

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE

Manual Técnico. Transformadores de potência. Revisão 5 ÍNDICE Página 1 de 10 Manual Técnico Transformadores de potência Revisão 5 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO...2 2 RECEBIMENTO...2 3 INSTALAÇÃO...3 3.1 Local de instalação...3 3.2 Ligações...3 3.3 Proteções...7 4 MANUTENÇÃO...9

Leia mais

CFW08 Inversor de Frequência. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

CFW08 Inversor de Frequência. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas CFW08 Inversor de Frequência Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas www.weg.net O inversor de frequência CFW08 é um acionamento de velocidade variável, destinado ao controle e variação

Leia mais

Eletrônicos PAE. Componente Curricular: Práticas de Acionamentos. 5.ª Prática Inversor de Frequência Vetorial da WEG CFW-08

Eletrônicos PAE. Componente Curricular: Práticas de Acionamentos. 5.ª Prática Inversor de Frequência Vetorial da WEG CFW-08 1 Componente Curricular: Práticas de Acionamentos Eletrônicos PAE 5.ª Prática Inversor de Frequência Vetorial da WEG CFW-08 OBJETIVO: 1) Efetuar a programação por meio de comandos de parametrização para

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Contatores para Aplicações de Segurança

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Contatores para Aplicações de Segurança Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Contatores para Aplicações de Segurança Contatores para Aplicações de Segurança Com a crescente conscientização da necessidade de avaliação dos

Leia mais

Servoacionamento série CuiDADoS E PrECAuÇÕES

Servoacionamento série CuiDADoS E PrECAuÇÕES A U T O M A Ç Ã O Servoacionamento série CuiDADoS E PrECAuÇÕES Recomendamos a completa leitura deste manual antes da colocação em funcionamento dos equipamentos. 1 Sumário Garantia Estendida Akiyama 3

Leia mais

Relés de Proteção Térmica Simotemp

Relés de Proteção Térmica Simotemp Relés de Proteção Térmica Simotemp Confiabilidade e precisão para controle e proteção de transformadores Answers for energy. A temperatura é o principal fator de envelhecimento do transformador Os relés

Leia mais

46.52 46.61. 2 reversíveis, 8 A Plug-in/terminais a solda. 2 reversíveis 8/15 250/440 2000 350 0.37. AgNi

46.52 46.61. 2 reversíveis, 8 A Plug-in/terminais a solda. 2 reversíveis 8/15 250/440 2000 350 0.37. AgNi Série - Mini relé industrial 8-16 SÉRIE Características.52.61 1 ou 2 contatos.52-2 contatos reversíveis 8.61-1 contato reversível 16 Montado diretamente em base ou via conectores Faston Bobinas em C ou

Leia mais

Seu manual do usuário STORM A97 http://pt.yourpdfguides.com/dref/5133861

Seu manual do usuário STORM A97 http://pt.yourpdfguides.com/dref/5133861 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

Mini Aquecedor série SEC 016 8W, 10W, 13W

Mini Aquecedor série SEC 016 8W, 10W, 13W Mini Aquecedor série SEC 016 8W, 10W, 13W Limitador de temperatura Ampla faixa de alimentação Aquecimento dinâmico Economia de energia elétrica Compacto Aquecedor para aplicação em invólucros de pequeno

Leia mais

LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA

LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA 42BEspecificação Técnica LINHA DOUBLE WAY MONOFÁSICA 3 / 6 / 8 / 10 / 12 / 15 / 20 kva 38BEngetron Engenharia Eletrônica Ind. e Com. Ltda Atendimento ao consumidor: (31) 3359-5800 Web: Hwww.engetron.com.br

Leia mais

Instruções de Operação. Sistema de avaliação para sensores de fluxo VS3000

Instruções de Operação. Sistema de avaliação para sensores de fluxo VS3000 Instruções de Operação Sistema de avaliação para sensores de fluxo VS3000 Conteúdo Instruções de segurança... pág. 03 Função e características... pág. 04 Montagem... pág. 04 Conexão elétrica... pág. 05

Leia mais

CONTROLADOR CONDAR MP3000.

CONTROLADOR CONDAR MP3000. CONTROLADOR CONDAR MP3000. O equipamento CONDAR MP3000 é um Controlador Eletrônico Microprocessado desenvolvido especificamente para automação de até três Condicionadores de Ar instalados em um mesmo ambiente

Leia mais

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia

Módulo FGM721. Controlador P7C - HI Tecnologia Automação Industrial Módulo Controlador P7C - HI Tecnologia 7C O conteúdo deste documento é parte do Manual do Usuário do controlador P7C da HI tecnologia (PMU10700100). A lista de verbetes consta na versão

Leia mais

Soft-Starter SSW-06 V1.6X

Soft-Starter SSW-06 V1.6X Motores Energia Automação Tintas Soft-Starter SSW-06 V1.6X Guia de Aplicação Multimotores Idioma: Português Documento: 10000601966 / 00 Guia de Aplicação Multimotores Série: SSW-06 V1.6X Idioma: Português

Leia mais

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1

Easy Lab. Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14. www.dma.ind.br. DMA Electronics 1 Easy Lab Manual do usuário Revisão 1.2 01/11/14 www.dma.ind.br DMA Electronics 1 A DMA ELECTRONICS projeta e fabrica sistemas para aquisição e registro de dados com conexão a um computador do tipo PC.

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Novas Diretrizes de projeto e aplicação de painéis de baixa tensão Eng. Nunziante Graziano, M. Sc. AGENDA Normas de Referência Por que um

Leia mais

BOLETIM DE GARANTIA. (N o 05 / 2013) LED do TIMER pisca frequência de 1Hz / segundo. LED do TIMER pisca freqüência de 1Hz / segundo.

BOLETIM DE GARANTIA. (N o 05 / 2013) LED do TIMER pisca frequência de 1Hz / segundo. LED do TIMER pisca freqüência de 1Hz / segundo. BOLETIM DE GARANTIA (N o 05 / 2013) Código de erro do Cassete e Piso-Teto No. TIPO DESCRIÇÃO Flash Blink Código Nota 1 Falha 2 Falha 3 Falha 4 Falha 5 Falha 6 Falha Placa acusa erro no sensor de temperatura

Leia mais

Tecnologia Inversor: Freqüência de saída Capacidade de sobrecarga: Fusíveis de Proteção: Proteção da Bateria:

Tecnologia Inversor: Freqüência de saída Capacidade de sobrecarga: Fusíveis de Proteção: Proteção da Bateria: Sistema de proteção e fornecimento de energia elétrica ininterrupto, com tempo limitado a capacidade das baterias, autonomia de 10 (dez) minutos em plena carga, capacidade de 30KVA, 24.000W, entrada e

Leia mais

Monitor de Temperatura M96

Monitor de Temperatura M96 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura M96 foi desenvolvido para supervisionar até 8 (oito) canais de temperatura simultaneamente, ele é utilizado para proteger

Leia mais

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5

Relé de Proteção do Motor RPM ANSI 37/49/50/77/86/94 CATÁLOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 CATÁLOGO ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Relé de Proteção de Motores RPM foi desenvolvido para supervisionar até 2 (dois) grupos ventiladores/motores simultaneamente, é utilizado

Leia mais

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94

ANSI - 23 26 45 49 49I 62 74 77 94 ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/7 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MASTERTEMP foi desenvolvido para monitorar a temperatura de óleo e enrolamento, comandar a ventilação e proteger transformadores

Leia mais

Acompanha 4 garras de corrente flexível para até 3.000A. NORMAS CE PT 61010-032 EN 61010-1 LVD Directiva 2006/95/CE EMC 2004/108/EC

Acompanha 4 garras de corrente flexível para até 3.000A. NORMAS CE PT 61010-032 EN 61010-1 LVD Directiva 2006/95/CE EMC 2004/108/EC Profissional analisador de qualidade de energia para as fase monofásica e trifásica geral O Analisador modelo78 é um analisador de rede profissional para medição e registro dos parâmetros elétricos da

Leia mais

Na Placa de Comando estão montados os circuitos para partida direta, partida direta com reversão e partida estrelatriângulo;

Na Placa de Comando estão montados os circuitos para partida direta, partida direta com reversão e partida estrelatriângulo; 1) BANCADA PRINCIPAL MODELO POL-110 Fabricada em estrutura de alumínio, constituída por dois postos de trabalho que servirão de base para utilização de qualquer um dos kits didáticos a serem adquiridos.

Leia mais

Os termômetros de resistência podem ser isolados de altas tensões. Todavia, na prática, o espaço de instalação disponível é frequentemente pequeno

Os termômetros de resistência podem ser isolados de altas tensões. Todavia, na prática, o espaço de instalação disponível é frequentemente pequeno ProLine P 44000 Medições Precisas de Temperatura em Altas Tensões, até 6,6 kv Quando as temperaturas precisam ser medidas com termômetros de resistência Pt100 em ambientes sob altas tensões, os transmissores

Leia mais

Electron do Brasil. Tecnologia ao seu alcance. Tecnologia Digital. www.electrondobrasil.com. Catálogo Monitemp - rev3. Qualidade Comprovada!

Electron do Brasil. Tecnologia ao seu alcance. Tecnologia Digital. www.electrondobrasil.com. Catálogo Monitemp - rev3. Qualidade Comprovada! Electron do Brasil Tecnologia Digital Qualidade Comprovada! Ensaios de Tipo Realizados Tecnologia ao seu alcance Catálogo Monitemp - rev3 Produtos Certificados! www.electrondobrasil.com O Monitor de Temperatura

Leia mais

GUIA DE TELAS IHM Delta ARVTi 2000

GUIA DE TELAS IHM Delta ARVTi 2000 GUIA DE TELAS IHM Delta ARVTi 2000 Revisão 00 de 02/06/10 Direitos Reservados à Todas as informações contidas neste manual são de uso exclusivo da Equipamentos Eletrônicos Ltda., não podendo ser reproduzidas,

Leia mais

Capacitores para Correção do Fator de Potência Bobinas de polipropileno metalizado, auto-regenerativo e com dielétrico seco Perdas dielétricas

Capacitores para Correção do Fator de Potência Bobinas de polipropileno metalizado, auto-regenerativo e com dielétrico seco Perdas dielétricas Capacitores para Correção do Fator de Potência Bobinas de polipropileno metalizado, auto-regenerativo e com dielétrico seco Perdas dielétricas menores que 0,4 W/kvar Dispositivo interruptor de segurança

Leia mais

Escola de Educação Profissional SENAI Visconde de Mauá

Escola de Educação Profissional SENAI Visconde de Mauá Escola de Educação Profissional SENAI Visconde de Mauá Automação Industrial Porto Alegre, Maio de 2014 Revisão: A Prof Vander Campos Conhecer os princípios básicos do inversor de frequência; Saber interpretar

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MEGÔHMETRO DIGITAL MODELO MG-3055 rev. 01

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MEGÔHMETRO DIGITAL MODELO MG-3055 rev. 01 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MEGÔHMETRO DIGITAL MODELO MG-3055 rev. 01 Leia cuidadosamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do megôhmetro ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. REGRAS DE SEGURANÇA...

Leia mais

CFW10 Inversor de Frequência. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

CFW10 Inversor de Frequência. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas CFW0 Inversor de Frequência Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas www.we.net CFW0 Inversor de frequência Destinado ao controle e variação da velocidade de motores elétricos de indução

Leia mais

Servoconversores SCA 04 Servomotores SWA

Servoconversores SCA 04 Servomotores SWA Servoconversores SCA 04 Servomotores SWA Os Servoacionamentos WEG são utilizados nas mais diversas aplicações industriais, onde, elevada dinâmica, controle de torque, precisão de velocidade e posicionamento

Leia mais

GMT6-C. Monitor de Temperatura Digital. Manual de Instalação e Operação Revisão 03 de 29-10-2009 MGBR08231

GMT6-C. Monitor de Temperatura Digital. Manual de Instalação e Operação Revisão 03 de 29-10-2009 MGBR08231 GRAMEYER Equipamentos Eletrônicos Ltda / GRAMEYER Indústria Eletroeletrônica Ltda. R. Mal. Castelo Branco, 2477 Schroeder SC Brasil 89275-000 e-mail: seriados@grameyer.com.br - www.grameyer.com.br Fones:

Leia mais

Manual do usuário. Central de alarme de incêndio Slim

Manual do usuário. Central de alarme de incêndio Slim Manual do usuário Central de alarme de incêndio Slim Central de alarme de incêndio Slim Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Engesul. Este manual é válido apenas para

Leia mais

Indicador Digital Processos MODO DE USO. Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional. ABB Automação.

Indicador Digital Processos MODO DE USO. Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional. ABB Automação. Indicador Digital Processos MODO DE USO Dados Técnicos Conexões elétricas Utilização do teclado Dimensional ABB Automação Hartmann & Braun Dados Técnicos (NRB5180) Entrada -mvdc: -Vdc -madc Alimentação

Leia mais

Monitor de Temperatura MONITEMP

Monitor de Temperatura MONITEMP ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Temperatura MoniTemp foi desenvolvido para supervisionar até 3 (três) canais de temperatura simultaneamente, ele é utilizado para proteger

Leia mais

Monitor de Nível de Óleo para Transformadores - MNO

Monitor de Nível de Óleo para Transformadores - MNO ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/5 INTRODUÇÃO O Monitor de Nível de Óleo para Transformadores e reatores MNO, é um equipamento microprocessado de alta precisão que indica o nível de óleo em escala

Leia mais

A tampa de proteção KS-100 é um ítem opcional altamente recomendável. 3-32 Vcc ou 90-280 Vca (especificar)

A tampa de proteção KS-100 é um ítem opcional altamente recomendável. 3-32 Vcc ou 90-280 Vca (especificar) MANUAL DE INSTRUÇÕES CONSIDERAÇÕES PARA INSTALAÇÃO Atenção: Material não passível de garantia. Evite utilizá-lo sem dissipador. Sempre utilizar pasta térmica entre o relé e o dissipador, ou placa de montagem;

Leia mais

2.5. Placas eletrônicas da central

2.5. Placas eletrônicas da central 2.5. Placas eletrônicas da central Placa eletrônica de laço Piezo Placa de laço Na placa eletrônica de laço podem ser ligados quatro laços de detecção, compostos por detectores de fumaça, detectores termovelocimétricos

Leia mais

Solução para continuidade de serviço em toda e qualquer situação

Solução para continuidade de serviço em toda e qualquer situação Catálogo Técnico Solução para continuidade de serviço em toda e qualquer situação Monitor de isolação 203-02/2006-0 Tudo sob controle Em aplicações, onde a falta de tensão pode causar graves conseqüências

Leia mais