SEGURANÇA NO TRABALHO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SEGURANÇA NO TRABALHO"

Transcrição

1 SEGURANÇA NO TRABALHO SINTRICOM 2009 Estas Normas de Segurança procuram proporcionar a você trabalhador, meios de conseguir tornar o ambiente de trabalho sadio, onde todos, possam desenvolver as suas competências profissionais com Segurança. LEIA COM ATENÇÃO! SINTRICOM Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção do Mobiliário e Manutenção Indúsrial de São Jose dos Campos e Litoral Norte Rua Tenente Manoel Pedro de Carvalho nº 14 centro SJCampos SUB SEDE: Av. Marechal Floriano Peixoto nº312 Poaires Caraguatatuba (12) (12)

2 1 CABE AO EMPREGADO SEGURANÇA NO TRABALHO NORMA REGULAMENTADORA NR Observar as Normas Regulamentadoras de Segurança e Medicina do Trabalho. 1.2 Usar E.P.I sempre que execute atividades ou operações para as quais esta prevista em Normas Regulamentadoras a obrigatoriedade de uso. 1.3 Submeter-se obrigatoriamente aos exames médicos previstos nas Normas Regulamentadoras. 1.4 Colaborar com a empresa na aplicação da Normas Regulamentadoras Constitui ato faltoso a recusa injustificada do empregado ao disposto nos itens, 1.8 e OBRIGAÇÕES DO EMPREGADOR NR 1 ITEM Obriga-se o empregador; quanto ao E.P.Is.: 2.2 Adquirir tipo apropriado à atividade do empregado. 2.3 Fornece-los Gratuitamente Treinar o Trabalhador quanto ao uso adequado Tornar Obrigatório o seu uso Subtituir imediatamente o E.P.I. danificado ou extraviado Responsablizar-se pela manutenção e esterilização dos E.P.I.s., quando aplicável. 3 OBRIGAÇÕES DO EMPREGADO 3.1 Usar obrigatoriamente o E.P.I indicado, apenas para a finalidade a que se destina. 3.2 Responsabilizar-se pela guarda e consevação do E.P.I que lhe for confiado. 3.3 Comunicar qualquer alteração no E.P.I que torne parcial ou totalmente danificado. 3.4 Responsabilizar-se pela danificação do E.P.I quando do uso inadequado ou fora da atividade a que se destina, bem como pelo seu extravio. 2

3 NORMAS GERAIS DE SEGURANÇA Instruções: Ao receber ordens ou instruções verbais, o empregado de certificar-se de que estas foram bem atendidas. Repita as ordens quando necessário ou escreva-as quando possível, para evitar enganos. NÃO VI! NÃO PENSEI! NÃO SABIA!, são as mais frequentes justificativas dos que sofrem acidentes. DEFINIÇÃO DO E.P.I Equipamento de Proteção Individual, daqui para frente denominado E.P.I, é um equipamento de uso pessoal duja finalidade é a de neutralizar ou atenuar a ação do agente agressivo conta o corpo Humano. CLASSIFICAÇÃO DO E.P.I PROTEÇÃO PARA A CABEÇA Para proteção da cabeça usamos capacete, cuja finalidade é proteger, principalmente, nos casos de quede objetos de lugares elevados. Proteção Facial: (rosto) Sua finalidade é proteger o rosto contra impacto de partículas, respingos de produtos quimicos e ação de radiação calórica ou luminosa. MASCARAS PARA SOLDADOR É de uso específico em serviços de solda elétrica, contra radiação calórica e luminosa do arco voltaico produzido pela soldagem. Protege também contra respingos e fagulhas produzidas pela soldagem. As tonalidades de lentes filtrantes variam de acordo com a amperagem utilizada por ocasião da operação de solda. 3

4 PROTEÇÃO DOS OLHOS A proteção para os ollhos é um dos pontos mais importantes da prevenção de acidentes; eles devem ser protegidos contra impactos de estilhaço, fagulhas, respingos do metal fundente e as fagulhas próprias da solda. ÓCULOS DE SEGURANÇA: Existem os mais variados tipos e qualidades, a principal característica desses óculos está na lente, que pode ser de resina sintética ou cristal (vidro) endurecido por tratamento térmico para resistir a impactos mais violentos. PROTEÇÃO AURÍCULAR: Serve para proteger o canal auditivo ao executar serviços com máquinas ou equipamentos que emitem som alto e prejudicial à saúde. É muito importante, pois além de funcionar como prevenção, também proporciona bem estar ao funcionário, evitando irritabilidade ou dores de cabeça. PROTEÇÃO PARA OS MEMBROS SUPERIORES Nos membros superiores situam-se as partes do corpo onde com maior frequencia ocorrem lesões: Nas Mãos, grande parte dessas lesões são preveníveis através do uso de luvas. As luvas evitam, portanto, um contato direto com materiais cortantes, abrasivos, quentes ou corrosivos. Para trabalho de solda São usadas geralmente luvas de raspa de couro, para nos proteger dos respingos incandescentes e da agressividade do calor. 4

5 Para Trabalhos pesados e secos Devemos utilizar luvas de couro com reforço na palma, resistente ao atrito. Para Trabalhos com Produtos Químicos e derivados de petróleo Devemos utilizar luvas de borracha sintética (hexanol ou nitrílica) Para trabalhos úmidos (limpeza) Devemos utilizar luvas de latex, para prevernirmos doenças infecto-contagiosas e dermatoses Para trabalhos quentes (fornos e estufas) Devemos utilizar luvas em Kevlar, para evitarmos queimaduras PROTEÇÃO PARA MEMBROS INFERIORES Devemos proteger os pés e pernas usando botinas de segurança e perneiras, quando o trabalho assim o exigir. Sapatão de Segurança (bota de Segurança) Protege o pé contra impacto, principalmente contra queda de objetos. Indicado para trabalhos em que é necessário ter firmeza ao pisar. Bota de Borracha PVC Para trabalhos em locais úmidos, valas e brejos ou quando em contato com produtos quimicos. 5

6 Perneiras Usadas para proteção das pernas, são usadas em serviços com soldagem para evitar respingos e fagulhas de solda. Proteção do tronco Aventais e vestimentas especiais são empregados contra os mais variados agentes agressivos. Avental de raspa de couro Usado por soldador. Contra riscos de cortes, atrito e respingos de solda Avental de PVC ou Trevira Usado para manuseio de ácidos ou outros produtos quimicos. Serve para evitar a umectação dos uniformes. Proteção Vias Respiratórias Finalidade Impedir que as vias respiratorias sejam veículos de gases ou outras substâncias nocivas ao organismo Mascar com filtro para vapores organicos: Usada no manuseio de tintas, solventes, vernizes ou vapores derivados do petróleo Mascara de filtro para fumos metálicos Usada em soldagem de partes de aço e chapas em geral. Mascara para poeiras incomodas e toxicas : Utilizada em serviços de limpeza, pó de madeira, lixamentos de massa corrida e preparação de argamassa. 6

7 Mascara para Vapores Ácidos: Usada no manuseio de produtos de limpeza em geral, como soda cáustica, ácido e outros CINTOS DE SEGURANÇA Finalidade Destina-se a equilibrar o homem em lugares altos, para previnir quedas por desequilibrio ou escorregões. Utilizando em locais altos, feito com cintas de couro ou nylon reforçados que são amarrados na cintura e virilhas, sendo presos or mosquetão preso a cabos e cordas. PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS Não é permitido sob nenhuma hipótese, utilizar o equipamento de proteção e combate a incêndio, para fins a não ser aqueles a que são destinados. Espaço livre de ser conservado ao redor dos equipamentos para que em caso de emergência, sejam facilmente alcançados. Nuna fume em local proibido, embora pense que não haja perigo; alguma razão há para esta proibição. 7

8 EQUIPAMENTOS ELETRICOS A manutenção e reparo de partes eletricas são atribuições de setores especializados. Não tente fazer consertos necessários, comunique ao setor de elétrica. Não deixe cabos e fios dependurados sobre pilhas de materiais ou objetos pontiagudos ou cortantes, use suporte apropriado. Nunca entre em uma cabine elétrica sem estar devidamente autorizado. OBS: A baixa voltagem também mata. Não toque em partes elétricas se não for eletricista. REGRAS DE SEGURANÇA NOS SERVIÇOS DE SOLDA OXIACETILÊNICA Torna-se obrigatório aos soldadores fazer uso dos equipamentos de segurança indicados como luva, mangote, avental, perneira e mascara para solda, quando estiver na execução de serviços de solda oxiacetilênica, tendo o intuito de previnir queimaduras nas mãos, braços, tórax, pernas e olhos. OBS; No ato do transorte ou locomoção dos cilindros de oxigênio e acetileno, deve-se dar atenção especial para evitar acidentes graves, pois o manuseio incorreto podera terminar em graves consequencias. Deve-se mante-los em posição em pé, amarrados no carro de transporte. Não transportar os cilindros sem suas tampas protetoras, tendo em vista proteger o registro em caso de queda Não tocar nem limpar, em hipótese alguma, os cilindros com as mãos e estopas sujas de óleo ou graxa para previnir incêndio e explosões. Não dar pancada nos cilindros, nem rolar pelo chã QUANDO DO MANUSEIOE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS: Certos princípios físicos e anatômicos, quando aplicados ao manuseio e movimentação de materiais, facilitam a sua execução e reduzem a ocorrência de acidentes com a coluna. Assim para levantar e transportar materiais devemos dobrar as pernas mantendo o tronco erguido, de forma que a coluna trabalhe de maneira correta e as pernas como uma mola de elevação. Ao fazer levantamento manual de objetos, faça-o corretamente. A desobidiência de certas normas provoca dores lombares e entorses que podem tornar-se lesões gravíssimas. O trabalhador deve assegurar-se que o objeto a ser levantado esta dentro de sua capacidade, caso contrário deve pedir ajuda a um colega. 8

9 ANTES DE TRANSPORTAR OU LEVANTAR CARGAS VERIFIQUE: 1 O peso da mesma 2- Se possui ponta ou rebarba 3 Se o caminho a ser percorrido esta desimpedido. SE O CAMINHO ESTIVER LIVRE, LEVANTE A CARGA COM AS PERNAS, NUNCA COM AS COSTAS. 9

10 INFLAMÁVEIS Instruções Uso de equipamento de segurança é obrigatorio; As placas indicatórias de perigo, proibido fumar e outras, devem ser respeitadas e observadas pelos funcionários pois se estão lá é por que tm uma finalidade; Os produtos quimicos inflamáveis, quando manipulados pelos funcionários, devem ser recolocados em seus devidos lugares, devidamente tampados; Após manipulação com o produto, favor providenciar a limpeza do local onde foi manipulado, fazendo isto estará prevenindo acidentes; Nunca cheirar latas ou qualquer recipiente contendo liquidos, para identificação do produto; Nunca limpar as mãos ou outra parte do corpo com solvente, pois poderá com isto provocar irritações na pele (use agua e sabão); Prevenir acidentes não depende de sorte. 10

11 PARA NÃO PRATICAR ATOS QUE POSSAM SER CAUSA DE ACIDENTES DEVE-SE; Conhecer o trabalho que esta endo executado e executá-lo corretamente; Obedecer as instruções e regras de segurança para prevenir acidentes. Pensar na prevenção de acidentes ao executar qualquer tarefa. Observe atentamente as Normas Gerais de Segurança deste Manual. Os acidentes podem ser previnidos, pois os mesmos trazem prejuízos para o acidentado, a família e para a empresa, a sua produtividade no trabalho e consequente desenvolvimento profissional de cada funcionário. Evite Acidentes, evite lesões, participe com a Segurança alertando sempre seus companheiros de trabalho, trazendo sugestões por escrito, faça da sua empresa a continuação de seu lar, não se acomode, dialogue e transmita suas idéias. NÓS DESEJAMOS SUA PARTICIPAÇÃO A SUA SEGURANÇA É O SUCESSO DE TODOS. 11

Higiene e Segurança no Trabalho

Higiene e Segurança no Trabalho Curso Técnico em Mecânica Integrado ao Ensino Médio. Higiene e Segurança no Trabalho EPI & EPC Joinville, outubro de 2014 Medidas de Proteção no Trabalho Quando se fala em Segurança e Saúde no Trabalho

Leia mais

Curso Técnico em Química Disciplina: Higiene e Segurança do Trabalho Prof. Naila Borba NORMAS REGULAMENTADORAS

Curso Técnico em Química Disciplina: Higiene e Segurança do Trabalho Prof. Naila Borba NORMAS REGULAMENTADORAS Curso Técnico em Química Disciplina: Higiene e Segurança do Trabalho Prof. Naila Borba NORMAS REGULAMENTADORAS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EP I) - NR 6 Em muitos servicos, o trabalhador precisa

Leia mais

Equipamentos de Proteção Individual EPI.

Equipamentos de Proteção Individual EPI. Equipamentos de Proteção Individual EPI. Considera-se EPI todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Equipamento De Proteção Individual - EPI Definição: EPI é todo dispositivo de uso individual, destinado a proteger a integridade física do trabalhador. EPI (s)

Leia mais

Equipamentos de Proteção Individual (EPI)

Equipamentos de Proteção Individual (EPI) Equipamentos de Proteção Individual (EPI) SEGURANÇA NA SOLDAGEM Segurança na Soldagem 1.1 - Principais riscos para um soldador 1.1.1 - Poluição por fumos de soldagem 1.1.2 - Radiações visíveis e invisíveis

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI Conforme Norma Regulamentadora nº.6, Equipamento de Proteção Individual EPI é todo dispositivo de uso individual utilizado pelo empregado, destinado à proteção de

Leia mais

Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes. Luciana Affonso Gerente Mkt

Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes. Luciana Affonso Gerente Mkt Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes Luciana Affonso Gerente Mkt SP, Agosto 2010 Definição EPI NR6 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção

Leia mais

3 Prevenir acidentes é dever de todos

3 Prevenir acidentes é dever de todos A U A UL LA Prevenir acidentes é dever de todos Introdução Acidente zero! Essa é uma meta que deve ser alcançada em toda empresa. Com a redução dos acidentes poderão ser eliminados problemas que afetam

Leia mais

Equipamento de Proteção Individual

Equipamento de Proteção Individual Equipamento de Proteção Individual NR 6 Equipamento de Proteção Individual De acordo com a NR-6 da Portaria nº 3214 de 8 de junho de 1978, do Ministério do Trabalho e Emprego, considera-se Equipamento

Leia mais

Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e de Proteção Coletiva (EPC)

Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e de Proteção Coletiva (EPC) Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e de Proteção Coletiva (EPC) PCC 2302 Gestão da Produção na Construção Civil Profº Francisco Ferreira Cardoso Juliana Bueno Silva Thales Landgraf Soraia Regina

Leia mais

A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida.

A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida. A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida. Campanha do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Bento do Sul e Campo Alegre contra os Acidentes de Trabalho

Leia mais

PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS

PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS 1. Do Objeto A Empresa que firmar contrato com a Universidade São Judas Tadeu, obriga-se a cumprir integralmente os Procedimentos

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI

NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI ANEXO II NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI Equipamento de Proteção Individual EPI Enquadramento NR 06 Anexo I A PROTEÇÃO DA CABEÇA Proteção da cabeça contra: A.1.1. Impactos de objetos sobre o crânio;

Leia mais

b) óculos de segurança para trabalhos que possam causar ferimentos nos olhos, provenientes de impacto de partículas;

b) óculos de segurança para trabalhos que possam causar ferimentos nos olhos, provenientes de impacto de partículas; NORMA REGULAMENTADORA 6 NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI (1006.000-7) 6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI

Leia mais

ANEXO II EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPIS U N I V E R S I D A D E D E S Ã O P A U L O OS EPIS SÃO DE USO INDIVIDUAL E INTRANSFERÍVEL.

ANEXO II EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPIS U N I V E R S I D A D E D E S Ã O P A U L O OS EPIS SÃO DE USO INDIVIDUAL E INTRANSFERÍVEL. ANEXO II PROCEDIMENTO PARA UTILIZAÇÃO DE: EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPIS De acordo com estabelecido na NR-06 da Portaria 3.214/78 MTB, considera-se equipamento de proteção individual (EPI),

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARCOS PCT ADM.2013 a 2016 PCT. Programa de Condições de Trabalho Serviços Terceirizados LOCAL : GUARITAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARCOS PCT ADM.2013 a 2016 PCT. Programa de Condições de Trabalho Serviços Terceirizados LOCAL : GUARITAS PCT Programa de Condições de Trabalho Serviços Terceirizados Programa de Gerenciamento e Prevenção de Acidentes no Trabalho com a Utilização de Equipamentos de Proteção Individual EPI S Prefeitura Municipal

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação Curso de Engenharia de Produção Processos de Fabricação Soldagem: - Grande aplicação nas atividades industriais que existem no mundo moderno: construção naval, ferroviária, aeronáutica e automobilística,

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria SSMT n.º 05, de 07 de maio de 1982 17/05/82

Leia mais

FICHA DE SEGURANÇA DE PRODUTO

FICHA DE SEGURANÇA DE PRODUTO FICHA DE SEGURANÇA DE PRODUTO Material Safety Data Sheet MSDS ARAME MIG DENVER 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA. 1.1. EMPRESA FÁBRICA MINEIRA DE ELETRODOS E SOLDAS DENVER S/A Av. Governador Magalhães

Leia mais

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MODULO 3 1 EQUIPAMENTOS DE USO OBRIGATÓRIO 2 EQUIPAMENTO DE USO DE ACORDO COM A ATIVIDADE

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MODULO 3 1 EQUIPAMENTOS DE USO OBRIGATÓRIO 2 EQUIPAMENTO DE USO DE ACORDO COM A ATIVIDADE TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MODULO 3 1 EQUIPAMENTOS DE USO OBRIGATÓRIO 2 EQUIPAMENTO DE USO DE ACORDO COM A ATIVIDADE 3 RESPONSABILIDADE DA CONTRATADA 3 ACIDENTE DO TRABALHO 4 RESPONSABILIDADE DOS FUNCIONÁRIOS

Leia mais

EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Definição Conforme a NR 06: EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Item 6.1 - Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora NR 6, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI, todo dispositivo

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA OS LABORATÓRIOS DE PESQUISA DO CBPF

PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA OS LABORATÓRIOS DE PESQUISA DO CBPF PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA OS LABORATÓRIOS DE PESQUISA DO CBPF - MÓDULO 2 Equipamentos Elétricos -Fumos metálicos -Equipamentos de Proteção individual Serviço Especializado em Engenharia

Leia mais

U N I V E R S I D A D E D E S Ã O P A U L O

U N I V E R S I D A D E D E S Ã O P A U L O PROTEÇÃO DA CABEÇA Capacetes de segurança utilizados para proteção da cabeça contra agentes meteorológicos (trabalho a céu aberto) e trabalhos em locais confinados, impactos provenientes de queda ou projeção

Leia mais

ÁREAS DE ATUAÇÃO E NOS PORTOS. João Gama Godoy. Técnico de Segurança do Trabalho. Senac - 2009

ÁREAS DE ATUAÇÃO E NOS PORTOS. João Gama Godoy. Técnico de Segurança do Trabalho. Senac - 2009 ACINTES ÁREAS ATUAÇÃO João Gama Godoy Técnico de Segurança do Trabalho Senac - 2009 É proibida a reprodução do conteúdo desta apresentação em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização

Leia mais

Sinalização. Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94

Sinalização. Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94 Sinalização Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94 Materiais VINIL AUTO-ADESIVO PVC / PS Utilizado em ambientes internos e externos. Pode ser confeccionado com

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA- FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE-FABET EDICLÉIA KARINE MANTHEI

FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA- FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE-FABET EDICLÉIA KARINE MANTHEI 0 FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA- FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE-FABET EDICLÉIA KARINE MANTHEI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Concórdia- SC 2014 1 EDICLÉIA KARINE

Leia mais

Dynatig 350 HF. Ignitor de alta frequência CÓDIGO : 0704123 MANUAL DO USUÁRIO / LISTA DE PARTES E PEÇAS

Dynatig 350 HF. Ignitor de alta frequência CÓDIGO : 0704123 MANUAL DO USUÁRIO / LISTA DE PARTES E PEÇAS Dynatig 350 HF CÓDIGO : 0704123 Ignitor de alta frequência MANUAL DO USUÁRIO / LISTA DE PARTES E PEÇAS 2 Dynatig 350 HF Página em branco Dynatig 350 HF Ignitor de alta frequência para tocha TIG MANUAL

Leia mais

-Só iniciar a tarefa com PT-Permissão para Trabalho,e cumpra as Recomendações de segurança contidas nela.

-Só iniciar a tarefa com PT-Permissão para Trabalho,e cumpra as Recomendações de segurança contidas nela. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÂO POP 005000-OM -06 1/2 PINTURA DE PAREDE COM USO DE ANDAIME REVISÃO: 00 FOLHA 1- OBJETIVO ESTE PROCEDIMENTO ESTABELECE OS REQUISITOA MÍNIMOS DE SEGURANÇA NO TRABALHO DE PINTURA.

Leia mais

NR 06 - Equipamento de Proteção Individual - EPI (1006.000-7)

NR 06 - Equipamento de Proteção Individual - EPI (1006.000-7) NR 06 - Equipamento de Proteção Individual - EPI (1006.000-7) 6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI todo dispositivo de

Leia mais

Seja bem Vindo! NR 8 Edificações. Carga horária: 30hs

Seja bem Vindo! NR 8 Edificações. Carga horária: 30hs Seja bem Vindo! Curso NR 8 Edificações CursosOnlineSP.com.br Carga horária: 30hs Conteúdo programático: Introdução Circulação Atividades em Edificações com Risco de Queda Cuidados Extras na Circulação

Leia mais

NÃO ESPECIALISTAS EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Embora muita gente ainda não tenha percebido muitas coisas vem mudando em nosso país.

NÃO ESPECIALISTAS EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO. Embora muita gente ainda não tenha percebido muitas coisas vem mudando em nosso país. NOÇÕES SOBRE EQUIPAMENTOS EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Embora muita gente ainda não tenha percebido muitas coisas vem mudando em nosso país. Pode até ser que a conhecida morosidade de nossa justiça

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ )

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ ) 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Anti Ruído Tradicional Aplicação: Reparação e emborrachamento de veículos. Fornecedor: Nome: Mastiflex Indústria e Comércio Ltda Endereço : Rua

Leia mais

INDUFIX FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

INDUFIX FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Indufix Código interno: 2000 Empresa: Indutil Indústria de Tintas Ltda. e-mail: indutil@indutil.com.br

Leia mais

Venda Proibida - Gratuito

Venda Proibida - Gratuito NR 6 - Equipamento de Proteção Individual - EPI 6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considerase Equipamento de Proteção Individual - EPI todo dispositivo de uso individual,

Leia mais

H A R V A R D U N I V E R S I T Y EH&S Awarenss Training SEGURANÇA ELÉTRICA

H A R V A R D U N I V E R S I T Y EH&S Awarenss Training SEGURANÇA ELÉTRICA EH&S Awarenss Training SEGURANÇA ELÉTRICA As informações de segurança a seguir podem ajudá-lo a evitar perigos e choques elétricos. Mantenha sua área de trabalho limpa e seca. Nunca trabalhe ao redor de

Leia mais

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO.PARA. PRESTADORAS DE SERVIÇOS. MANUTENÇÃO E OPERAÇÃO DE USINA

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO.PARA. PRESTADORAS DE SERVIÇOS. MANUTENÇÃO E OPERAÇÃO DE USINA 1/7 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

Manual de Instruções FURADEIRA COM IMPACTO FI 713/1

Manual de Instruções FURADEIRA COM IMPACTO FI 713/1 Manual de Instruções FURADEIRA COM IMPACTO FI 713/1 ADVERTÊNCIA: Leia atentamente este manual antes de usar o produto. ÍNDICE SEÇÃO PÁGINA Introdução 3 Normas gerais de segurança 3 Normas específicas de

Leia mais

b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; (106.002-3 / I2)

b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; (106.002-3 / I2) NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI (1006.000-7) 6.1. Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI todo dispositivo de uso

Leia mais

1. Procedimentos para seleção dos respiradores. 4. Procedimentos para uso adequado de respiradores.

1. Procedimentos para seleção dos respiradores. 4. Procedimentos para uso adequado de respiradores. protrespsimples.doc Um guia para os usuários de respiradores, escrito de forma simples e de fácil entendimento. Mantenha este guia sempre à mão, releia-o periodicamente e conte sempre com a ajuda do seu

Leia mais

INSTITUTO PRESBITERIANO MACKENZIE

INSTITUTO PRESBITERIANO MACKENZIE PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Mackenzie Campinas Ano: 2015 Razão social: Endereço: Instituto Presbiteriano Mackenzie Avenida Brasil, 1200 Jardim Guanabara - Campinas - SP CNPJ: 60.967.551/0007-46

Leia mais

LABORATÓRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

LABORATÓRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO LABORATÓRIO DE SEGURANÇA DO TRABALHO 1. Descrição Física Neste laboratório serão realizadas aulas práticas de primeiros socorros, avaliação ambiental, equipamento de proteção individual e técnicas de combate

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL 01/2014

PROCESSO SELETIVO EDITAL 01/2014 PROCESSO SELETIVO EDITAL 01/2014 CARGO E UNIDADES: Auxiliar de Serviços Gerais (Macaíba) Atenção: NÃO ABRA este caderno antes do início da prova. Tempo total para resolução desta prova: 2 (duas) horas.

Leia mais

CALDEIREIRO. De acordo com a lei 6.514, de 22 de Dezembro de 1977

CALDEIREIRO. De acordo com a lei 6.514, de 22 de Dezembro de 1977 : 1/5 De acordo com a lei 6.514, de 22 de Dezembro de 1977 Capítulo V Da Segurança e da Medicina do Trabalho Art 157 - Cabe às empresas: I - cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do

Leia mais

EXTRUTOP FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 017 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

EXTRUTOP FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 017 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA FISPQ 017 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Extrutop Código interno: AGM215 e AGM216 Empresa: Indutil Indústria de Tintas Ltda. e-mail: indutil@indutil.com.br

Leia mais

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO RECONHECIDA NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE EM 16 DE SETEMBRO DE 2010 Estudo técnico Edição nº 08 maio de 2014 Organização:

Leia mais

de Segurança de Produtos Químicos

de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: Impermeabilizante acrílico a base d água. Fornecedor:. Av Eng Juarez de Siqueira Britto Wanderley, 380 Jd Vale do Sol CEP: 12.238-565 São José

Leia mais

Higiene, Segurança e Saúde no Trabalho. Paulo Gama Engº de Segurança a do Trabalho

Higiene, Segurança e Saúde no Trabalho. Paulo Gama Engº de Segurança a do Trabalho Higiene, Segurança e Saúde no Trabalho Paulo Gama Engº de Segurança a do Trabalho SUPERNORTE - 2011 O que é Higiene, Segurança a e Saúde no Trabalho? Higiene, Segurança e Saúde no Trabalho pode ser entendida

Leia mais

A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Legislação sobre equipamentos de proteção individual (EPI) A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A Lei

Leia mais

Aula 8. Equipamentos de Proteção Coletiva e Individual META DA AULA OBJETIVOS

Aula 8. Equipamentos de Proteção Coletiva e Individual META DA AULA OBJETIVOS Aula 8 Equipamentos de Proteção Coletiva e Individual META DA AULA Compreender os aspectos essenciais de Combate a Incêndio e os Equipamentos de Proteção Coletiva e Individual. OBJETIVOS Ao final desta

Leia mais

LIMPA- PEDRAS. FISPQ-004 Pag. 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DOPRODUTO E DA EMPRESA. Nome Comercial do Produto :

LIMPA- PEDRAS. FISPQ-004 Pag. 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DOPRODUTO E DA EMPRESA. Nome Comercial do Produto : Pag. 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DOPRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do Produto : LIMPA- PEDRAS Identificação da Empresa: VALÊNCIA IND. E COMÉRCIO DE MATERIAIS DE LIMPEZA LTDA. Telefone FAX: (11) 2632-7070

Leia mais

Curso NR 6 Equipamento de Proteção Individual (EPI)

Curso NR 6 Equipamento de Proteção Individual (EPI) Seja bem Vindo! Curso NR 6 Equipamento de Proteção Individual (EPI) CursosOnlineSP.com.br Carga horária: 25hs Conteúdo Programático: Introdução O que é o Equipamento de Proteção Individual? Responsabilidades

Leia mais

COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES C.I.P.A. COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CURSO DE FORMAÇÃO DE CIPEIROS ÍNDICE PÁGINA INTRODUÇÃO 002 RISCOS AMBIENTAIS 003 MAPA DE RISCOS 004 ACIDENTE DO TRABALHO 006 CAUSAS DOS ACIDENTES 007

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho

Segurança e Higiene no Trabalho Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume XIV Protecção Individual um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA ÁS PRESTADORAS DE SERVIÇOS

NORMAS DE SEGURANÇA ÁS PRESTADORAS DE SERVIÇOS NORMAS DE SEGURANÇA ÁS PRESTADORAS DE SERVIÇOS 1 O SESMT Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho elaborou esta norma com o objetivo de estabelecer as condições mínimas no cumprimento

Leia mais

Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços.

Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. 1/7 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

BIOSSEGURANÇA EM LABORATÓRIOS DE PESQUISA: EPI, EPC

BIOSSEGURANÇA EM LABORATÓRIOS DE PESQUISA: EPI, EPC Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Microbiologia e Parasitologia BIOSSEGURANÇA EM LABORATÓRIOS DE PESQUISA: EPI, EPC Edmundo C. Grisard Universidade Federal de Santa Catarina Legislação

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional

Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional Maio / 2016 Eng. Jose Arnaldo Acidentes envolvendo produtos químicos Em 2014, ocorreram: Mais de 83.000 óbitos e 7,4 milhões de trabalhadores feridos decorrentes

Leia mais

PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS SETEMBRO / 2005 SANTA MARIA - RS Avenida. Medianeira 1900, Centro Santa Maria/ RS, CEP 97060-002- Fone (55) 3027 8911 Sumário 1 INTRODUÇÃO... 3 2

Leia mais

Unidade II SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO / BENEFÍCIOS E ASSISTÊNCIA SOCIAL. Prof. Joaquim Ribeiro

Unidade II SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO / BENEFÍCIOS E ASSISTÊNCIA SOCIAL. Prof. Joaquim Ribeiro Unidade II SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO / BENEFÍCIOS E ASSISTÊNCIA SOCIAL Prof. Joaquim Ribeiro 6. Conceito e importância da Ergonomia Origem nas palavras gregas: ergon (trabalho) e nomos (regras). 6.

Leia mais

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho 1 0 Dia Realizar a apresentação dos participantes 1. Técnica de Lista de presença; apresentação e O multiplicador

Leia mais

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas. Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.es/insht/ INTRODUÇÃO Os incêndios e explosões, ainda que representem uma porcentagem

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico Página 1 de 4

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico Página 1 de 4 Página 1 de 4 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA LATEX ACRILICO PLUS Empresa INDUSTRIA E COMERCIO DE TINTAS FERRAZ LTDA RODOVIA INDIO TIBIRIÇA 2520 RAFFO SUZANO SP CEP 008776-960 SAC- (11) 4749-1566

Leia mais

M P METÁLURGICA LTDA

M P METÁLURGICA LTDA RELATÓRIO DE REVISÃO DO PPRA (PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS) - PPRA NR 9 - M P METÁLURGICA LTDA MAIO/2010 SANTA MARIA - RS 1 SUMÁRIO 1 Aspectos Gerais 1.1 Aspecto Legal 1.2 Objetivo Legal

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica NORMAS GERAIS PARA USO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CÂMPUS GOVERNADOR

Leia mais

Compromisso com a Segurança

Compromisso com a Segurança Porque o desenvolvimento da inteligência e a capacidade de transformação do homem estão ligados a elas. Os dedos compridos e o polegar oposto aos outros dedos, é o que tornam esta ferramenta maravilhosa

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE ÓCULOS DE SEGURANÇA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE ÓCULOS DE SEGURANÇA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE ÓCULOS DE SEGURANÇA DAST nº 01/2001 R3 3ª Revisão: 06/06/2007 1. OBJETIVO Determinar a sistemática para aquisição de óculos de segurança e definir as características técnicas dos

Leia mais

PREVENÇÃO, PREPARAÇÃO E RESPOSTA À EMERGÊNCIAS E DESASTRES QUÍMICOS

PREVENÇÃO, PREPARAÇÃO E RESPOSTA À EMERGÊNCIAS E DESASTRES QUÍMICOS Curso de Auto-aprendizagem PREVENÇÃO, PREPARAÇÃO E RESPOSTA À EMERGÊNCIAS E DESASTRES QUÍMICOS Descontaminação de equipamentos Químico Agnaldo R. de Vasconcellos CETESB DEFINIÇÃO CONTAMINAÇÃO: contato

Leia mais

05 Queimaduras em cozinhas

05 Queimaduras em cozinhas 05 Queimaduras em cozinhas As queimaduras mais comuns são as provocadas por líquidos e a maioria das vítimas são as crianças. O álcool líquido está envolvido em grande parte dos acidentes que provocam

Leia mais

Manual de Instruções RETÍFICA RETA 1/4 AR 1214

Manual de Instruções RETÍFICA RETA 1/4 AR 1214 Manual de Instruções RETÍFICA RETA 1/4 AR 1214 ADVERTÊNCIA: Leia atentamente este manual antes de usar o produto. ÍNDICE SEÇÃO PÁGINA Introdução 3 Normas gerais de segurança 3 Normas especificas de segurança

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0)

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) 6.1 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual EPI, todo dispositivo ou produto, de

Leia mais

Processos de fabricação

Processos de fabricação Processos de fabricação SOLDAGEM 1 Soldagem: introdução A soldagem está intimamente ligada às mais importantes atividades industriais que existem no mundo moderno: construção naval, ferroviária, aeronáutica

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEMA/STC/CRS Nº 1, DE 10 DE JUNHO DE 1983

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEMA/STC/CRS Nº 1, DE 10 DE JUNHO DE 1983 INSTRUÇÃO NORMATIVA SEMA/STC/CRS Nº 1, DE 10 DE JUNHO DE 1983 Disciplina as condições de armazenamento e transporte de bifenilas policloradas (PCBs) e/ou resíduos contaminados com PCBs. O Secretário Especial

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FIS 00001 1/6 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Empresa: Endereço: Água sanitária Super Cândida Indústrias Anhembi S/A Matriz: Rua André Rovai, 481 Centro Osasco SP Telefone: Matriz:

Leia mais

Universidade Federal de Viçosa Campus de Rio Paranaíba - MG. Normas do Laboratório de Química e Análise de Alimentos Curso de Nutrição (UFV/CRP)

Universidade Federal de Viçosa Campus de Rio Paranaíba - MG. Normas do Laboratório de Química e Análise de Alimentos Curso de Nutrição (UFV/CRP) Universidade Federal de Viçosa Campus de Rio Paranaíba - MG Normas do Laboratório de Química e Análise de Alimentos Curso de Nutrição (UFV/CRP) Rio Paranaíba Novembro 2012 1 Apresentação O Laboratório

Leia mais

ANEXO AO COMUNICADO: INCLUSÃO DE ITENS NA LISTA DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI)

ANEXO AO COMUNICADO: INCLUSÃO DE ITENS NA LISTA DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) ANEXO AO COMUNICADO: INCLUSÃO DE ITENS NA LISTA DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) Abrangência: empresas obrigadas a fornecer EPI aos trabalhadores. Conteúdo: lista completa de EPI s. Vigência:

Leia mais

EPIS Segurança do Jatista

EPIS Segurança do Jatista EPIS Segurança do Jatista Capacete de Proteção do Jatista - Fibra Azul 200.370.00992 PC 28642 Branco 200.370.00107 PC Capacete de proteção do Jatista fabricado em fibra com visor de vidro temperado e saída

Leia mais

EVOLUÇÃO DA PROTEÇÃO DO HOMEM NOS SERVIÇOS DE REPARO DE CAVITAÇÃO DE UNIDADES GERADORAS

EVOLUÇÃO DA PROTEÇÃO DO HOMEM NOS SERVIÇOS DE REPARO DE CAVITAÇÃO DE UNIDADES GERADORAS EVOLUÇÃO DA PROTEÇÃO DO HOMEM NOS SERVIÇOS DE REPARO DE CAVITAÇÃO DE UNIDADES GERADORAS Autores Luiz Antonio Bueno Gerente da Divisão de Segurança e Higiene Industrial Sueli Pereira Vissoto Técnica de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 30 DE ABRIL DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 30 DE ABRIL DE 2014. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS GOVERNADOR VALADARES CONSELHO ACADÊMICO Av. Minas Gerais, 5.189 - Bairro Ouro

Leia mais

SEGURANÇA EM LABORATÓRIOS DE ENSAIOS

SEGURANÇA EM LABORATÓRIOS DE ENSAIOS SEGURANÇA EM LABORATÓRIOS DE ENSAIOS Junho de 2012 Pedro Boareto Goicoechea Nenhum trabalho é tão importante e tão urgente, que não possa ser planejado e executado com segurança! Pedro Boareto Goicoechea

Leia mais

Manual de Instruções FURADEIRA PARAFUSADEIRA ELÉTRICA PE 735

Manual de Instruções FURADEIRA PARAFUSADEIRA ELÉTRICA PE 735 Manual de Instruções FURADEIRA PARAFUSADEIRA ELÉTRICA PE 735 ADVERTÊNCIA: Leia atentamente este manual antes de usar o produto. ÍNDICE SEÇÃO PÁGINA Introdução 3 Normas gerais de segurança 3 Uso e cuidados

Leia mais

NR 6 A - EPI PARA PROTEÇÃO DA CABEÇA. A.1 - Capacete. a) capacete de segurança para proteção contra impactos de objetos sobre o crânio;

NR 6 A - EPI PARA PROTEÇÃO DA CABEÇA. A.1 - Capacete. a) capacete de segurança para proteção contra impactos de objetos sobre o crânio; NR 6 A - EPI PARA PROTEÇÃO DA CABEÇA A.1 - Capacete a) capacete de segurança para proteção contra impactos de objetos sobre o crânio; b) capacete de segurança para proteção contra choques elétricos; c)

Leia mais

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES 1 O QUE É ESPAÇO CONFINADO? CARACTERÍSTICAS VOLUME CAPAZ DE PERMITIR A ENTRADA DE EMPREGADOS LIMITAÇÕES E RESTRIÇÕES PARA ENTRADA E SAIDA DE PESSOAL NÃO E PROJETADO PARA OCUPAÇÃO CONTÍNUA POSSUI, EM GERAL,

Leia mais

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome: VOTOMASSA CHAPISCO CONCRETO Empresa: VOTORANTIM CIMENTOS LTDA. Endereço: Rodovia PR092, 1303 Cidade: Curitiba Estado: PR Telefone: 0800 701 98 98 Telefone

Leia mais

Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção

Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção Por que eu devo utilizar equipamentos de segurança e onde encontrá-los? Os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) foram feitos para evitar

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico AMINA TERCIÁRIA C12 FISPQ 014 1 de 4 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: AMINA TERCIÁRIA C12 Fornecedor: Multichemie Indústria e Comércio de Produtos Químicos Ltda. R. Howard Archibald

Leia mais

Mãos e dedos. atenção. Risco de: Esmagamentos Escoriações Cortes Amputações Fraturas

Mãos e dedos. atenção. Risco de: Esmagamentos Escoriações Cortes Amputações Fraturas Mãos e dedos Risco de: Esmagamentos Escoriações Cortes Amputações Fraturas Nenhum empregado foi exposto ao perigo para produzir esse material. As fotos simulam possíveis situações de risco no seu dia de

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho Norma Regulamentadora 06 Segundo a NR 06, EPI é: todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI)

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) Transcrito pela Nutri Safety * 6.1 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI, todo

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ PRODUTO: BATERIA MOURA 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Nome da Empresa: Endereço: Bateria Moura Acumuladores Moura

Leia mais

FICHA DE SEGURANÇA DE PRODUTO

FICHA DE SEGURANÇA DE PRODUTO FICHA DE SEGURANÇA DE PRODUTO Material Safety Data Sheet MSDS ELETRODOS DENVER 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA. 1.1. EMPRESA FÁBRICA MINEIRA DE ELETRODOS E SOLDAS DENVER S/A Av. Governador Magalhães

Leia mais

ANEXO IV SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO

ANEXO IV SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO ANEXO IV SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO 1. OBJETIVO Definir os deveres e as responsabilidades da Contratada e estabelecer as orientações e procedimentos concernentes às atividades de Segurança e Medicina

Leia mais

A Diretora da Faculdade de Jaraguá, no âmbito de suas atribuições conferidas pela portaria de sua nomeação, resolve:

A Diretora da Faculdade de Jaraguá, no âmbito de suas atribuições conferidas pela portaria de sua nomeação, resolve: Portaria n. 041/2011 Esta portaria estabelece o REGULAMENTO E NORMAS ESPECÍFICAS DO LABORATÓRIO DE QUÍMICA Faculdade de Jaraguá. A Diretora da Faculdade de Jaraguá, no âmbito de suas atribuições conferidas

Leia mais

Levantamento e Avaliação de Aspectos, Impactos, Perigose Danos - LAIPD

Levantamento e Avaliação de Aspectos, Impactos, Perigose Danos - LAIPD Área/Divisão: 550/558 - SEIFRA Correias Transportadoras Identificação: e Outros (º RC) água Redução e esgotamento dos recursos naturais MA A A 1 2 1 Lei nº 6938, de 31/08/1981 3 Programa de combate ao

Leia mais

Manual de instruções e operação

Manual de instruções e operação Manual de instruções e operação LEIA ATENTAMENTE ESTE MANUAL BEM COMO OS TERMOS GERAIS DA GARANTIA (ITEM VIII) ANTES DA INSTALACAO E OPERACAO Fabricação e Garantia de C.N.P.J. 58.812.421/0001-05 Ind. Brasileira

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico LIMPA E DESODORIZA AR CONDICIONADO ORBI

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico LIMPA E DESODORIZA AR CONDICIONADO ORBI 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: LIMPA AR CONDICIONADO Aplicação: Produto para limpeza e desodorização de ar condicionado Fornecedor: Orbi Quimica Ltda. Avenida Maria Helena, 600

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 Desenvolvimento Parte 3

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 Desenvolvimento Parte 3 Curso Técnico Segurança do Trabalho Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho MÄdulo 5 Desenvolvimento Parte 3 Instalações Elétricas a) Manter quadros de distribuição trancados e circuitos identificados;

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO PORTARIA N.º 194 DE 07 DE DEZEMBRO DE 2010 (DOU de 08/12/10 Seção 1 Pág. 85) Altera a Norma

Leia mais